Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Ao nos reunimos mais uma vez nessa manhã para estudar a Palavra de Deus, chegamos na mensagem final de nossa série muito especial sobre a anatomia da igreja. Concluindo essa série nós chegamos à mensagem mais importante. Tentamos enxergar a igreja com a analogia de um corpo. Falamos sobre o esqueleto, verdades básicas fundamentais em que a igreja precisa estar comprometida. Falamos também sobre os sistemas internos, atitudes espirituais que precisam existir no coração do povo da igreja. Falamos sobre o músculo, a função do ministério, e falamos sobre a carne que é o formato que o ministério toma.

Mas ninguém estaria completo sem a cabeça, então em nosso estudo nessa manhã eu quero que olhemos para a Palavra de Deus para ganhar um entendimento de quem é a cabeça do corpo, e não é ninguém além de Jesus Cristo. Nós temos falado muito sobre as coisas que nós devemos fazer na igreja, e vocês tem respondido tão bem e com coisas maravilhosas e isso tem me encorajado muito, é um tremendo encorajamento. Vocês têm ouvido coisas muito confrontadoras e muito diretas que mexem com nossos corações, e eu tenho visto o Espirito de Deus dar fruto nessas áreas. Nós realmente temos dominado por sete semanas o que é que nós precisamos estar fazendo, acreditando, o que devemos estar pensando, o que devemos estar planejando.

Seria muito fora do equilíbrio se não falássemos sobre a cabeça que é Jesus Cristo e o que ele está fazendo na igreja dele. Isso, amados, é o conforto absoluto. O conforto absoluto é saber que com todas as coisas que nós falhamos em fazer, com todas as nossas falhas e todos os pecados que tão facilmente nos assediam nessa corrida para fazer a vontade de Deus, nós temos essa confiança de que Cristo está edificando Sua igreja. Esse é um tremendo encorajamento e nós queremos falar sobre isso.

Paulo falou sobre isso em Efésios capítulo 4. Ele falou que todos nós estamos crescendo nele que é a cabeça, que é Cristo. Depois ele falou isso, prestem atenção, “de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor”. Em outras palavras, Paulo disse que nós precisamos dar tudo que nós temos, nós precisamos nos esforçar para fazer e ser tudo o que nós podemos tendo em mente que é o poder de Cristo que faz tudo isso funcionar. Isso, mais uma vez, amados, é o divino paradoxo não é? Nós fazemos um esforço supremo e se qualquer coisa é realizada, é de Deus, e é extremamente reconfortante saber que onde nós falhamos ele prospera. Então eu quero focar nessa manhã naquele que é nossa cabeça.

Sem ele nós não podemos fazer nada, diz Paulo, nada. Enquanto eu estava pensando em que passagem nós poderíamos ver, eu fui atraído para a benção majestosa na conclusão da epistola aos Hebreus. Vocês poderiam por favor abrir suas Bíblias em Hebreus 13 versículos 20 e 21, e eu realmente gostaria de usar esse versículo como um ponto de contato com a verdade para depois nos levar para outras passagens no Novo Testamento que vai enriquecer seu entendimento da obra do Senhor por Sua igreja. Nós temos falado por sete semanas sobre o que nós devemos fazer e agora vamos falar sobre o que Cristo faz por sua igreja. Na verdade, essa deveria ser um série sozinha, mas nós vamos precisar colocar tudo em uma mensagem só.

É na verdade uma doxologia majestosa, e é simplesmente colocada nas palavras finais dessa epístola maravilhosa. Lá diz, “Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém!” Linda doxologia, linda benção. Mas de certa forma essa benção resume o trabalho de Cristo. Na verdade, até resume a mensagem da epistola aos Hebreus, mas nós não vamos olhar aqui pensando nisso especificamente. A doxologia tem a intenção de ser um louvor final para o Deus da paz, e ele é chamado assim porque pelo sangue de Jesus Cristo ele tem feito paz com os homens pecadores.

Ele é o Deus da paz que uma vez era o Deus da ira, o Deus da Guerra, o Deus do juízo, o Deus da fúria. Mas ele se tornou, para nós, o Deus da paz, nem sempre um Deus de paz, mas para nós ele se torna o Deus da paz através do sangue de Jesus Cristo quando nós buscamos ter paz com Ele e Ele conosco. Então é uma doxologia para adorar ao Deus da paz, e ao adorar o Deus da paz, delineia como ele se tornou o Deus da paz através da obra de Jesus Cristo. Começa com a afirmação de que Ele é o Deus da paz, e termina com a afirmação de que Ele deve ser glorificado para sempre e sempre, e a forma de fazer isso é por meio da obra, a maravilhosa obra do Senhor Jesus Cristo.

O que Cristo faz por sua igreja? Está aqui nessa passagem e nós podemos ter um vislumbre disso quando começamos a olhar para isso. Primeiramente, Ele é o salvador da igreja dele. Diversas coisas nesse texto apontam para a obra salvadora de Cristo por sua igreja. A primeira coisa que eu percebi foi Seu nome Senhor Jesus no versículo 20. O nome dele era para ser Jesus, diz Mateus 1:21, “e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles”. Isso significa que Jeová salva, é Yeshua ou Josué do Antigo Testamento; significa que Jeová salva. Então o nome dele é o nome que salva.

Antes disso, o autor de Hebreus no capítulo 2, no versículo 9 e 10 escreveu, “vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem. Porque convinha que aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimentos, o Autor da salvação deles”. Jesus é aquele que sentiu o sabor da morte por todo homem. Jesus é aquele que se tornou archēgos, o pioneiro, o capitão, o líder, o desbravador, o princípio da salvação.

Ele foi feito perfeito em seu próprio sacrifício. Na verdade, o nome Jesus fala da nossa salvação tanto que o escritor de Atos 4:12 diz, "porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos, o nome de Jesus." Assim, o nome dele aqui fala sobre Sua obra salvadora, e então tem uma nota de louvor aqui em que a benção começa só com o nome Jesus, o salvador, mas tem muito, muito mais. Porque no versículo 20 diz que Ele tinha realizado Sua obra salvadora pelo sangue da eterna aliança. Essa é uma frase maravilhosa, o sangue da eterna aliança.

Os judeus sempre souberam que o pecado tinha que ser expiado pelo sangue, não tinha nenhum outro jeito, e essa é uma parte da mensagem desse livro de Hebreus que está lá no capítulo 9 versículo 18, nós lemos o seguinte, “Pelo que nem a primeira aliança” ou o primeiro testamento, que é o antigo que estava debaixo de Moises, “foi sancionada sem sangue”. Todo judeu sabia que a ratificação da Antiga Aliança em Levíticos 17:11 era pelo sangue. A antiga aliança foi inaugurada e ratificada pelo derramamento de sangue, porque era a vontade de Deus que houvesse derramamento de sangue para lidar com o pecado.

Moises era o agente para espargir aquele sangue e ratificar aquela aliança e pôr para funcionar. Porque quando Moises pronunciou cada preceito para todo o povo de acordo com a lei, ele tomou o sangue dos bezerros e carneiros com agua e lã escarlate e hissopo e aspergiu o livro e todo o povo dizendo que esse era o sangue da aliança ou testamento que Deus tinha dado a vocês. Ele então aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os utensílios do ministério. Deus está fazendo um ponto muito grande aqui; tinha sangue por todo lugar. Sangue no livro da lei, sangue no povo, tinha sangue sobre o tabernáculo e todos os utensílios dentro do tabernáculo. Era uma bagunça de sangue por todo lugar.

Deus estava falando de que não existe uma aliança feita sem o derramamento de sangue, mas tudo aquilo era só um símbolo para o derramamento principal que poderia trazer paz entre Deus e os homens. Então diz no versículo 22, "quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão", não há perdão, não há paz com Deus. Por isso Jesus ratificou a Nova Aliança em Mateus 26:28 dizendo, “porque isto é o meu sangue, o sangue da aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados”.

E isso estava em andamento quando ele disse, “Meu sangue seria o começo de uma nova aliança.”

Então alianças eram feitas com sangue, e se um homem quisesse ter paz com Deus seria através do derramamento de sangue e nenhum sacrifício animal poderia dar aquela paz verdadeira. Tinha que ter aquele sacrifício absoluto de Cristo pelo qual os sacrifícios de animais eram só prévias. Se você olhar de novo o que está escrito em Hebreus 13:20, lá diz que é pelo sangue da eterna aliança. A Aliança Mosaica, a Antiga Aliança não era eterna, era uma aliança temporária. Era só uma sombra da coisas que viriam. Foi substituída pela aliança eterna; porque Jesus Cristo com uma oferta única aperfeiçoou para sempre aqueles que são santificados.

Ele, com aquele único ato de sacrifício, trouxe a salvação eterna. Em Hebreus 9:12 diz, “Não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção”. O sacerdote entrava de novo e de novo e de novo, e tinha um sacrifício após sacrifício e após sacrifício. Jesus entrou uma vez, nunca mais saiu. Ele nos comprou para uma redenção eterna. Então nós vimos nessa passagem que Ele é o Salvador da igreja dele, que foi o nome dele e a obra dele lá na cruz. Depois nós vimos outra frase lá no começo do versículo 20 quando diz, “o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor”.

Isso também é um elemento muito essencial em sua obra salvadora. Porque quando o Pai ressuscitou Jesus dos mortos era o carimbo do Pai de aprovação da Sua obra. Nós pensamos na ressurreição como uma forma para a nossa própria ressurreição. Nós pensamos na ressurreição como conquistando a morte que nós também vamos conquistar, e essas são formas corretas de pensar, mas não engloba tudo. Nós precisamos olhar para a morte de Jesus Cristo como a maior afirmação da aprovação de Deus sobre a obra salvadora dele. Quando Ele ressuscitou Jesus dos mortos, Ele estava afirmando que Ele tinha cumprido tudo o que Ele foi fazer na cruz.

Então a obra salvadora de Cristo vem até nós claramente através do versículo 20, Jesus através de seu sangue nos traz para uma aliança eterna e em resposta, o Deus da paz O ressuscita dos mortos. Cristo é quem é nossa paz, diz Paulo em Efésios 2. Ele é a nossa paz. Ele fez a paz. Em Colossenses 1:20 diz que é pelo sangue na cruz, e eu acho que é por isso que em Lucas 10 eu acho que é no versículo 6 que nós somos chamados de filhos da paz. Então ele é o Salvador da igreja. Agora, amados, permita-me dizer o que isso significa. Essa igreja não é uma organização humana, nenhuma igreja de Jesus Cristo é.

Você não entra nessa igreja se inscrevendo, você simplesmente não se torna um membro porque você gosta do tipo de gente que se reúnem aqui dentro, ou porque você acha que é um bom negócio, ou que vai dar um upgrade em seu estilo de vida, ou porque você quer participar das coisas legais que nós fazemos ou porque você gosta do tipo de música, ou lhe faz sentir bem sobre você mesmo. Não, você veio para essa igreja por causa da virtude do sacrifício da morte do Senhor Jesus Cristo, e a entrada pertence àqueles que estão redimidos e lavados com o seu precioso sangue. Nós não estamos edificando a igreja, ele é quem está edificando; é a igreja Dele. Ele é o Salvador da igreja Dele.

Ele traz pessoas para a igreja dele, vamos falar sobre isso. Existem dois elementos disso que eu quero mencionar. Primeiro, ele ama a igreja dele. A obra salvadora dele é edificada sobre o amor salvador dele. Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro. Foi Deus quem predeterminou o relacionamento de amor conosco antes que existíssemos, e Ele quando ainda O odiávamos. Mesmo quando éramos inimigos, Deus, através de seu grande amor, nos reconciliou para si mesmo através da morte de seu Filho. Ele nos ama, foi o amor Dele que nos redimiu, foi esse amor que fez Ele dar seu precioso sangue; mais precioso do que qualquer comodidade humana.

Em Efésios capítulo 5 existe uma maravilhosa afirmação no versículo 2 que você provavelmente já está familiarizado. Lá diz, “Andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave”. Cristo nos amou tanto que Ele se entregou por nós. É muito bom saber que você é amado, é muito bom saber isso. Ele ama a igreja, Ele ama tanto a igreja que Ele se entregou por ela. No processo de quando estamos ministrando e entregando nossas vidas e dando o nosso melhor, ficamos ansiosos, porque a igreja não é tudo o que deveria ser, e nós vemos pessoas caindo e nos perguntamos por que não funciona da maneira que deveria funcionar.

Dizemos a nós mesmos, como homens de Deus ou ministros ou aqueles que lideram, "Senhor, essa é minha vida, essa é a minha paixão, estou dando tudo o que tenho para isso. Eu me importo com isso, eu vivo para isso, e não está do jeito que eu quero, que nossa luta seja amenizada pelo fato de que Ele nos ama infinitamente mais do que nós mesmos. Não é o meu próprio coração que é confortado pelo fato de que quando luto por aqueles que não fazem o que deveriam fazer, e não respondem da maneira que deveriam responder, e eu fico enlutado por causa disso; que eu possa pensar o quanto aquele que ama a igreja infinitamente está enlutado também, mas mesmo assim ele ama. Ele ama a igreja e tendo a amado, e está escrito em João 13, “tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim”.

Ele não deixa de amar o seu povo porque eles falham. Ele não deixa de amar seu povo porque eles caem. Ele não deixa de amar seu povo porque eles são indiferentes, ou porque eles não aproveitam uma oportunidade, recursos ou privilégios. Ele não deixa de amá-los, e nós também precisamos lembrar que aquele que sabe absolutamente tudo o que tem para saber, ama até aqueles que Ele conhece tão bem, e nós somos confortados pelo fato de que Ele ama sua igreja. Ele predeterminou amá-los antes de criar o mundo e Ele vai continuar amando até o mundo renascer no futuro eterno.

Ele nos ama tanto que Ele se tornou pecado por nós e Ele não conhecia o pecado, para que nós pudéssemos nos tornar justos diante de Deus através Dele. Ele está trabalhando na igreja, amando seu povo dentro da igreja e amando-os enquanto fazem parte da igreja. Seu amor sobe até Deus e diz em Efésios 5:2 como um aroma suave e doce nas narinas de Deus. Tão reconfortante; Cristo ama Sua igreja. Isso me diz que eu preciso amar Sua igreja apesar de tudo. Também me diz que eu não preciso temer porque se eu estou preocupado com a igreja que eu amo, Ele está infinitamente mais preocupado com a igreja que Ele ama. Se eu acho que eu tenho direito de estar preocupado porque eu tenho dado tanto de mim mesmo para a igreja, então, quanto mais Ele mesmo, que se entregou pela igreja? Foi muito mais do que eu.

Em Apocalipse 1 versículo 5 tem uma afirmação linda lá que diz, e mais uma vez é uma doxologia de louvor, é uma gloriosa e majestosa benção, lá está escrito, “Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai”. Incrível. Ele ama sua igreja, e o verbo está no presente aqui, e o que pode nos separar desse amor? Será tribulação, aflição, perseguição, fome, nudez, perigo, espada. Que tal vida, morte, anjos, potestades, coisas do presente, poderes, altura, profundidade, ou qualquer outra criação.

Nada, havendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim. É tão confortante para mim que mantenho isso firme; ele ama a igreja muito mais do que eu amo a igreja. Ele fala que vai dar sua atenção para o objeto de seu amor. Em segundo lugar, quando você pensa nele como sendo o salvador da igreja, você tem que lembrar que ele é quem edifica a igreja. Como aquele que salva, ele é quem edifica. Ele nos traz para dentro. Ele adiciona pessoas à igreja, ele põe tudo junto para que cresça como um santo templo para ele mesmo. Eu amo que em Mateus 16, uma das minhas passagens prediletas, ele diz, Eu edificarei minha igreja. Que pensamento maravilhoso.

Nós não estamos no ramo de edificação de igreja, ele está. Não é o meu trabalho edificar a igreja e nem é o trabalho de mais ninguém, não é o nosso dever criar formas e maneiras usando sabedoria humana para edificar a igreja. Ele vai edificar sua igreja e nem as portas de Hades prevalecerão contra ela. Esse é um eufemismo para a morte, um eufemismo judeu para morte. Morte é a ferramenta absoluta que está nas mãos do adversário de acordo com Hebreus 2. Quem tem o poder sobre a morte, Satanás? O que ele está dizendo é, Eu edificarei minha igreja e a pior coisa que poderia acontecer com eles, matando-os, não vai prevalecer contra ela. Você mata a igreja e a única coisa que você está fazendo é populando a glória, só isso.

Eu edificarei minha igreja. Eu só quero fazer parte da igreja que ele está edificando, só isso. Eu só quero fazer parte da igreja que ele está edificando; por isso eu estou tão comprometido ao fato de que nós precisamos trabalhar seguindo as regras. Nós não queremos fazer nada que vá nos confundir. Não queremos usar todos os recursos humanos para edificar a igreja, porque então saberemos se nós o fizemos ou se foi ele quem fez. Eu não quero viver com isso. Eu só quero fazer parte do que ele está fazendo. Eu amo o que ele fala ali, "eu vou edificar", e olha que ele não falou, "eu vou edificar uma igreja", ele falou, "eu vou edificar minha igreja"; que verdade grandiosa. Pertence a ele. Muitas vezes pessoas me perguntam a quem pertence essa igreja. Eu gosto dessa pergunta.

A nossa igreja pertence ao Senhor Jesus Cristo. Ele comprou com seu próprio sangue precioso. Pertence a ele, ele edificou, e também é ele quem traz novas almas diariamente. Ele é quem está no ramo de edificação de igrejas. Em João 10 ele diz, “conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, elas ouvem a minha voz, elas me seguem”. Minhas ovelhas, eu gosto disso. Nós pertencemos a ele, ele é o construtor, o dono, quem comprou, chefe da obra, da fundação, o proprietário. É a igreja dele, está sendo edificada com a certeza de que está ligada com a promessa de Deus que não pode falhar.

Contra toda oposição, contra qualquer ameaça, contra toda carnalidade, contra qualquer inaptidão humana, contra qualquer indiferença, apatia, apostasia, liberalismo, denominacionalismo e qualquer outro ismo e espasmo e todo o resto disso, ele está edificando sua igreja. Ele está edificando sua igreja. 1 Coríntios 3:9 diz que você é o templo de Deus. Efésios 2 diz que você foi edificado como um templo santo, a habitação do espirito. Paulo fala para Timóteo, "eu estou lhe falando como você deve se comportar na igreja do Deus vivo", é a igreja dele. Então ele é o salvador e ele ama e edifica sua igreja.

Em segundo lugar, em Hebreus 13:20, ele é o pastor. É um pensamento muito, muito encantador. Ele é o grande pastor das ovelhas. Como o salvador, ele ama e edifica, como o pastor ele tem umas funções únicas e especiais também. Mas primeiramente nós queremos notar que ele é o grande pastor. Em contraste com todos os outros pastores que são terrenos. Ele é o grande pastor. Salmos 77:20 diz falando de Moises, “O teu povo, tu o conduziste, como rebanho, pelas mãos de Moisés e de Arão”. E eles eram pastores, mas não eram grandes pastores. O Novo Testamento chama Jesus Cristo de pastor três vezes.

João 10, ele é o bom pastor. 1 Pedro 5, ele é o sumo Pastor, e em Hebreus 13 ele é o grande pastor. Bom pastor, sumo pastor, grande pastor. Sabe que nas escrituras eu contei mais de meia dúzia de lugares onde a Bíblia identifica pessoas incrédulas como nações com esse título a seguir. Eles eram como ovelhas sem um pastor. Então se nós somos um povo que crê nós somos como ovelhas com um pastor? Nós estávamos nos reunindo uma semana atrás mais ou menos na reunião dos homens e estávamos conversando e tentando desenvolver uma forma de fazer um trabalho melhor no nosso pastoreio, e eu saio de lugares assim.

Porque pessoas dizem que essas pessoas não estão se envolvendo, e essas pessoas não estão seguindo adiante, e nós estamos perdendo algumas pessoas aqui ou lá, e temos outras pessoas que não aparecem faz tempo e nós nos perguntamos onde elas foram, e estamos tentando acha-las. Temos todos esses problemas logísticos para tentarmos resolver e depois de sair você fala, Senhor nós vamos tentar acompanhar os casos dessas pessoas. Elas não aparecem por semanas, onde elas estão, será que ficaram doentes e nós não ficamos sabendo? Ou então ouvimos falar de uma tragédia e nós não conversamos com a pessoa para saber se elas continuam no caminho do Senhor, se a salvação dela é realmente genuína. Existe ansiedade nos corações deles e você se preocupa com isso, e eu lhe digo que algumas daquelas vezes eu vou para casa e me pego olhando para o teto com minha mente cheia de pensamentos de como podemos pastorear as ovelhas. Mas nós somos confortados em isso, amados, de que o grande pastor está pastoreando suas ovelhas.

Eu acho que as vezes nós pensamos que se uma pessoa é salva e não entra em um programa de acompanhamento que ela vai perder a salvação; nós precisamos ajudar o Espirito Santo conseguir. Você não pode simplesmente deixar as pessoas nas mãos do Senhor. Você precisa colocá-las em uma classe de acompanhamento. Esse tipo de acompanhamento não é errado; contanto que nós entendamos que queremos ter todas as ferramentas, mas o Senhor é o pastor e eu não vou me preocupar com as ovelhas. Eu vou fazer tudo o que posso fazer para me envolver, mas são as ovelhas dele. Quero ser fiel ao que ele me dá, mas eu não consigo manter minha sanidade se eu sentir que eu tenho a responsabilidade absoluta.

Vou dar meu coração inteiro para essa obra, não porque eu acho que depende de mim. Você quer perspectiva, pegue essa perspectiva. Eu não sirvo o Senhor Jesus Cristo, ou ensino sua palavra nem nada disso. Nenhum de nós faz isso como os presbíteros ou líderes da igreja, nem os pastores, nenhum de nós faz isso por sentirmos que somos responsáveis pela igreja. Eu não sei o caso de vocês, mas eu faço isso porque eu quero fazer parte do que Cristo está fazendo, só isso. Quer saber de uma coisa? Ele vai edificar sua igreja com ou sem mim. Isso é certeza. Ouçam, se os portões do inferno não conseguem prevalecer contra você, você acha que John MacArthur conseguiria? Ele vai edificar sua igreja sem mim.

Meu serviço de coração integral a Cristo e todo o nosso serviço integral de coração a Cristo não é para ajudar a Deus a fazer uma coisa que sem nossa ajuda ele não conseguiria fazer, mas é para fazer parte do que ele está fazendo. Que alegria, então nós pastoreamos com todo nosso coração e da melhor forma possível. Mas quando acabamos com nossos recursos e não sabemos o que fazer ou falar, nós simplesmente não sabemos como cuidar das pessoas e satisfazer suas necessidades da maneira que deveria, nós precisamos dar um passo para trás e dizer, mas o grande pastor é o pastor, não é? Me falaram ontem de uma mulher que deu à luz a um bebê que é da nossa igreja, ela veio a falecer e o bebê é prematuro, ele está intubado e por um tempo ficou sem oxigênio no cérebro. O pai voltou para casa sem uma esposa e com um filho assim. Você pode perguntar, o que falar nessas horas? E você pode tropeçar na fala mas no final volta ao fato de que o grande pastor pastoreia suas ovelhas, não é? É aí onde nossos recursos humanos acabam, mas o Senhor é o grande pastor, sumo pastor, bom pastor. E tem duas coisas que nós podemos ver que ele faz. Primeiro, ele equipa. Perceba no versículo 21 que o grande pastor das ovelhas pelo sangue da aliança eterna lhe aperfeiçoa em toda boa obra para fazer sua vontade.

A razão por que ele nos aperfeiçoa na salvação, a razão porque ele nos trouxe para a salvação perfeita nele mesmo, era para que fizéssemos sua vontade. Ele está nos aperfeiçoando para fazer sua própria vontade. Ele está nos equipando para fazer sua vontade. É tão maravilhoso. Ele usa a Palavra para nos moldar dentro da vontade dele. Uma passagem em 2 Timóteo 3:17 diz, “para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra”. Assim, ele nos dá sua Palavra, e então ele nos deu homens com dons. Efésios 4, “E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos”.

Assim, ele dá a Palavra, ele nos dá a Palavra, e não só a Palavra, mas alguns homens de Deus com alguns dons específicos que podem derramar essa Palavra em nós. Assim, ele nos dá mestres, e depois, de acordo com Pedro 5:10 lá diz que se você sofrer um pouco o Senhor vai lhe fazer ficar perfeito. Ele nos dá tribulações em que a Palavra vai funcionar. No evangelho de João no capítulo 15 diz que a Palavra é como uma faca e ela nos poda. Então você toma a Palavra que nos foi dada individualmente e dada através de homens com dons e depois o Senhor vem e traz sofrimento. Depois de sofrer um pouco o Senhor nos coloca em provações e tentações e sofrimento dolorido, por que? Porque é nesse contexto em que somos forçados a aplicar a Palavra.

É quando eu estou na luta, quando eu passei pela luta contra o pecado e estou lutando contra o sofrimento, passando por ansiedade, dor e luto em minha vida. Quando estou passando por tempos difíceis, são nessas horas que eu vejo borbulhando dentro de mim toda minha pecaminosidade e eu aprendo a odiar o pecado ainda mais. São essas horas que eu posso vir a questionar Deus e duvidar, e eu aprendo a odiar minha próprias dúvidas e minha própria pecaminosidade ainda mais. São nessas horas que eu quero alcançar Deus e isso é bom. São as horas em que eu anelo o Céu e a libertação desse mundo e isso também é bom.

Então o sofrimento trabalha de uma forma boa. Assim, o Senhor traz o sofrimento, nós trazemos a Palavra. Pregadores não devem trazer o sofrimento, não se confunda com o seu dever; o Senhor vai cuidar disso. Você traz a Palavra. Então o Senhor equipa, edifica, fortalece; ele nos dá o poder no Espirito Santo. Ele disse que seríamos suas testemunhas depois que descesse o poder do Espirito sobre vós em Atos 1:8. Jerusalém, Judeia, Samaria e até os confins da terra, e você, como está escrito em João 15, produzirá muitos frutos. De seu ventre, João 7, fluirão rios de agua viva. Então ele está equipando sua igreja.

É tão maravilhoso, nós temos uma classe de treinamento, já falamos sobre isso. Temos discipulado, precisamos estar envolvidos com evangelismo, e toda hora nós estamos trabalhando o mais duro possível e estamos lembrando em nossas mentes de que o Senhor está equipando sua igreja, ele está fazendo isso através da Palavra, através de provações, pelo poder do Espirito de Deus. Isso é tão maravilhoso, e não depende de nós. Estamos fazendo nosso melhor porque queremos fazer parte do que Ele está fazendo. Eu não consigo pensar em um privilégio maior do que esse. Em Efésios 5:29 um versículo que geralmente é usado para falar de casamento, mas que deveria ser usado, mais do que qualquer outra coisa, para falar da igreja.

Lá diz, “Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja”. O Senhor alimenta e cuida da igreja; duas lindas palavras. Nutrir significa alimentar e cuidar significa aquecer com o calor do corpo. Seria como uma mãe que está amamentando. O termo cuidar é usado com uma mãe que está amamentando em 1 Tessalonicenses 2:7. É como se o Senhor estivesse pegando seus amados no colo amamentando-os, nutrindo e aquecendo. Significa aquecer com calor corporal, derreter ou amaciar. Isso é intimidade; o Senhor vem e pastoreia nos alimentando e nos aquecendo, nos derretendo para poder nos moldar; que lindo pensamento. Ele está trabalhando, isso conforta. Quando acabam meus recursos, quando acabam minhas ideias, quando estou frustrado em minha mente eu digo, "Senhor como conseguirmos fazer com que as pessoas fiquem mais comprometidas, como podermos fazer para que elas sigam em frente, mais equipadas, mais fieis, crescendo, amadurecendo?

"Senhor, nós precisamos de novas formas para fazer isso, novos níveis de comprometimento, e eu fico confortado com o fato de que ele está agindo. Ele move sua igreja. Ele a está equipando. Ele está nutrindo, cuidando de sua igreja. Um grande conforto. Em Segundo lugar, como pastor ele intercede pela sua igreja. Assim como um pastor saía para lutar contra os lobos, o Senhor Jesus Cristo luta contra o adversário que vem constantemente diante do trono de Deus para acusar os irmãos. Ele vem diante do trono de Deus para nos acusar assim como ele acusou Jó, e Jesus vem em nosso resgate e nos defende.

Ele é o nosso defensor, ele intercede por nós, ele é nosso advogado, ele é o simpatizador, ele é o nosso sumo sacerdote; que pensamento maravilhoso! Você O vê em João 17 enquanto ele ora ao pai, ele diz, “Pai, eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me tens dado, porque são teus. Para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós”. Ele roga pelos seus nessa maravilhosa passagem. Você vê, continuando pelo Novo Testamento, como o sumo sacerdote trabalhava. 1 João 2 diz “se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”. Em outras palavras quando você peca e a acusação de seu pecado é trazida diante do trono de Deus, Jesus se levanta como o seu Advogado e diz, Pai, esse pecado já foi pago.

Esse pecado já foi pago, meu sangue pagou por esse pecado e por isso nenhum pecado pode condenar os eleitos de Deus. Deus vai julgar você, sendo você um eleito, quando foi ele quem o elegeu, ele vai lhe condenar quando ele já justificou você? Será que Deus que já lhe justificou vai condenar você por algum pecado que você cometeu? Tem alguma informação que ele não tinha ou uma corte maior? Cristo vai lhe condenar depois que ele já carregou seu pecado em seu próprio corpo lá na cruz? Será que aquele que expiou perfeitamente seus pecados guardou alguns pecados para usar contra você? Assim, haverá sempre e sempre Cristo intercedendo!

Assim, ele intercede por sua igreja. Ele fala com o Pai sobre as nossas necessidades também, porque nós temos muitas necessidades. Ele não é um sumo sacerdote que não possa ser tocado com os sentimentos das nossas enfermidades, mas foi em todos os pontos tentado como nós somos, porém ele não pecou. Ele sabe exatamente o que nós passamos então ele é capaz de nos ajudar como está escrito em Hebreus 2:18; Ele é um perfeito sumo sacerdote, Hebreus 7:25 diz, que ele vive sempre para interceder por nós. Ele teve fome, ele teve sede, ele ficou cansado, ele dormiu, ele foi ensinado, ele cresceu, ele foi amado, ele foi odiado, ele amou, ele odiou. Ele ficava surpreso, maravilhado, ele era feliz, ele ficava bravo, ele ficava indignado, ele era sarcástico, ele ficava enlutado, ele ficou perturbado, ele venceu eventos futuros.

Ele exerceu fé, Ele leu as escrituras, orava a noite inteira, derramou seu coração por causa da dor dos homens e ele chorou quando seu próprio coração doía. Ele passou por tudo isso, ele tem simpatia, empatia e está nos defendendo. Grande pensamento. Ele é o nosso fiel sumo sacerdote, sempre intercedendo. Assim, nós o vemos como o pastor; de um lado ele está alimentando e nutrindo em um relacionamento carinhoso para equipar sua igreja para fazer sua vontade. Por outro lado ele intercede por nós, tendo certeza de que nunca tem nada contra nós; seu sangue continua nos lavando de todo pecado. 1 João 1:9 salvador de sua igreja, pastor de sua igreja. Em terceiro lugar, ele é o soberano de sua igreja.

Olhem de novo no texto e percebam a palavra "Senhor", 92 vezes kurios é usada no Novo Testamento, e nós podemos discutir vários tons e significados da palavra, mas uma coisa é muito clara; quando é usada no Novo Testamento se referindo ao Filho de Deus, significa o soberano, significa aquele que controla, significa aquele que está em completa autoridade. Ele é o Senhor, ele é o soberano da igreja. Efésios capítulo 1 nos diz que Deus tem colocado todas as coisas debaixo de seus pés e fez ele ser o cabeça de toda a igreja, que é o corpo, e ele completa tudo e todos. Ele está no comando.

Colossenses capítulo 1 diz essencialmente a mesma coisa no versículo 19 e lá está escrito, “porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude”. E então, no versículo 18 diz que ele é a cabeça da igreja, ele é o princípio, ele é o prōtotokos, aquele que é preeminente, que em todas as coisas ele possa ter a preeminência. Então o conceito de Senhor tem a ver com o fato de que Jesus Cristo é o soberano. Agora isso se manifesta na igreja de duas formas que eu quero enfatizar para vocês. Primeiramente, ele governa sua igreja. Como Senhor da igreja ele governa sua igreja. Eu vou falar uma coisa para vocês, se alguém um dia perguntar para vocês quem está à frente da Grace Church, vocês responderão falando que é Jesus Cristo.

Isso não está sendo falado de brincadeira, Jesus Cristo é a cabeça da igreja. Efésios 5:23 diz que ele é a cabeça. A palavra usada ali é kephalē, basicamente tem a ver com a ideia de ser o primeiro o sendo preeminente ou sendo supremo ou sendo o determinador. Aquele que está mandando em tudo, o soberano. É a mesma ideia de antes; ele é a cabeça de sua igreja. Isso é repetido em diversos lugares no Novo Testamento, e como a cabeça ele tem a autoridade em sua igreja, ele governa sua igreja. Você O vê em Apocalipse 1 e ele está se movendo entre os candeeiros que representam cada igreja, aparando as lâmpadas, vindo com pés de bronze e olhos penetrantes em chamas conforme ele sonda os pecados que precisam ser destruídos da sua igreja.

Ele é o Senhor da igreja é por isso que em Mateus 18 você tem o processo de disciplina e o pecado sendo tratado. Ali diz que quando dois ou três estão juntos, ali Eu estou, e isso não significa dois ou três em uma reunião de oração. São duas ou três testemunhas que confirmam o pecado de alguém em uma disciplina. Toda a passagem fala a respeito de disciplina e ele diz que ele não hesitará em fazer isso pois quando vocês chamam a testemunha certa e afirmam o pecado, vocês não precisam se retrair pois eu estou em seu meio fazendo isso com vocês. Assim, você está somente ligando na terra o que já está ligado no céu, e você está apenas desligando na terra o que já está desligado no céu.

Portanto, você age em nome de Cristo, uma grande verdade. Ele rege a sua igreja e ele rege a pluralidade de homens piedosos como ele sempre tem feito. É por isso que nós temos em torno de 50 presbíteros na Grace Church e um objetivo. O nosso único objetivo é fazer o que Cristo deseja que nós façamos. Agora, nós sabemos o que ele deseja que nós façamos pois está escrito aqui. Quando o livro não fala a respeito de um certo assunto ou quando nós não temos informação nas Escrituras a respeito de um determinado assunto, é o nosso papel discernir a mente de Deus em oração, com reflexão e paciência; a fim de esperar até que Deus nos revele o que ele deseja que nós façamos. É por isso que nós sempre fomos comprometidos com o fato de que tudo o que decidimos, isso precisa ser unânime entre os 50 homens; se não, nós não faremos aquilo. É algo unânime.

Pois Deus tem uma vontade, e é o nosso papel como pastores de Jesus Cristo saber qual é essa vontade. É o nosso papel saber o que Cristo deseja fazer com a sua igreja, buscando o seu entendimento até alcançarmos o entendimento do que seja esse entendimento. Cristo governa a sua igreja; eu não quero essa responsabilidade e nenhuma pessoa lúcida deveria querer também. Já é ruim ter que responder pela sua própria vida sem ter que responder pela de muitos outros. Assim, nós buscamos a mente de Deus através da oração até que o Espírito de Deus revele a sua vontade. Porém, ele é o governador de sua igreja.

A única coisa que nós queremos fazer é discernir a sua vontade; é só isso que nós desejamos fazer. Nós queremos discernir a sua vontade. É por isso que caminhamos por esse livro; isso simplifica tudo. Em segundo lugar, conforme nós pensamos a respeito do Senhor Jesus Cristo e sua igreja, ele não apenas governa a sua igreja, mas ele ensina a sua igreja; isso faz parte do seu governo. Ele tem a autoridade de exercer em todas as esferas importantes e ele tem autoridade de revelar tudo em toda verdade. Ele é o nosso mestre, a sua vontade é revelada através da sua palavra; a sua vontade é revelada através de instrumentos humanos; porém, ele é o mestre.

Na verdade, ele disse para os seus discípulos, no evangelho de João, várias vezes que esse seria o caso. Eu acredito que em João 14, versículo 20, ele diz que você saberá que eu estou no meu Pai, você em mim e eu em você; você saberá essas coisas. Você saberá muitas coisas. Como você saberá isso? Versículo 26,

“Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.

Versículo 26 do capítulo 15, “Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim”. Ele falará para você a respeito de mim. Ele lhe falará o que você precisa saber. Capítulo 16, versículo 12, “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vô-lo há de anunciar”.

Assim, veja, o Senhor mantém as coisas no lugar. Ele governa, alimenta e ensina a sua igreja através da palavra e do espírito. Assim, quando nós vamos para palavra de Deus, nós enxergamos o que está claro na palavra conforme nos aproximamos do Espírito; Isso está em 1 João 2:20 e 27. Ele diz, “E vós possuís unção que vem de Deus”. Nós não precisamos de mestres humanos, nós temos uma unção que vem de Deus. Isto é, não precisamos de mestres mundanos e terrenos fora do reino que não conhecem a Palavra de Deus. Nós não precisamos desse tipo de sabedoria pois nós temos uma unção que vem de Deus; uma unção que não é nada mais do que o Espírito Santo. Portanto, nós temos a Palavra de Deus e o autor, o Espírito de Deus, derramando a verdade através de homens de Deus dotados e Cristo liderando a sua igreja.

Eu não estou aqui para lhe dar a minha opinião a respeito de nada. Se eu fizer isso você me bota para fora da cidade. Eu não estou aqui para lhe dar a minha opinião a respeito de nada. Eu não estou aqui para falar a respeito de questões sociais que não têm a ver com a Palavra de Deus. Eu estou aqui para abrir para vocês a Palavra de Deus, a fim de que vocês possam conhecer a mente de Deus e o coração do Salvador, a fim de que ele possa instruir a sua igreja. Eu digo novamente; eu sou apenas o garçom. Eu não preparo a comida, eu apenas a entrego sem bagunçar nada, ainda quente. Em último lugar, ele não é apenas o Salvador que ama e edifica a sua igreja e o Soberano que rege e ensina a sua igreja; ele é também o santificador que purifica e glorifica a sua igreja.

Ele é o santificador que purifica e glorifica a sua igreja. Veja o versículo 21, “o objetivo final é trabalhar em você”. Isso é muito bom. É muito bom saber que ele está trabalhando em nós, não é? Ele é o santificador, ele é o que nos separa do pecado, ele é o que nos purifica e também o que nos guia rumo a sua glória para todo o sempre. Ele é o santificador, o purificador e o glorificador. Nós nos conectamos e você faz isso também. Quando você vê alguém que é Cristão, mas que tem pecado em sua vida – você se preocupa com aquilo e você deseja que aquilo saia daquela pessoa. Você os confronta e talvez o processo de disciplina continue.

Nós falamos hoje a respeito de um rapaz que permanece em pecado, dizendo que vai parar, no entanto sempre voltando a fazer isso. E então ele sai daquilo depois volta; vai e volta; e nós precisamos voltar novamente passando pelo processo de disciplina. Você fica tão ferido em seu coração por causa dessas coisas; e o único conforto que você tem é que, se ele pertence a Jesus Cristo, Jesus purificará a sua igreja. Talvez ele purificará a sua igreja através da remoção; talvez ele purificará a sua igreja com a morte de um crente que não tem sido fiel, como é o caso em 1 Coríntios 11 e 1 João 5. Talvez ele purificará a sua igreja através do fortalecimento dos cristãos, conduzindo-os a santidade; isso é o que ele faz.

Porém, esse é o objetivo dele; é isso que Efésios 5 diz. Ouça o que ele diz, “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”. Por que ele fez isso? Por que ele fez isso? Para que ele pudesse santificar, separar do mundo, lavar com a água da sua palavra. Ele deseja ver a sua igreja pura e limpa, a fim de apresenta-la a si mesmo como uma igreja gloriosa; essa é a glória da igreja. Ele a purifica a fim de traze-la para a glória, tendo uma igreja sem nenhuma mancha, sem nenhuma ruga ou qualquer outra coisa; apenas santa e sem defeito.

Assim, ele é o purificador e o glorificador. Ele purifica e em última instância ele glorifica; sendo a glorificação a última coisa e não a purificação. Um dia nós poderemos adorar a glória de Deus, através de Jesus Cristo; o Deus da paz. Nós receberemos glória para todo o sempre, Cristo purifica e está agora purificando e limpando. Traz muito conforto em saber disso, nos conduzindo à glória. Quando nós chegarmos lá, pessoal, todos nós seremos perfeitos, sem manchas e sem sujeira. Eu espero que isso seja tão esperançoso para você, ouvirem essas coisas, como é para mim, sabendo que nós não estamos sozinhos nisso. E deixe-me dizer novamente o que eu disse antes; isso é um pensamento fundamental.

Ouça, nós não estamos fazendo o que Cristo não pode fazer, pessoal. Nós não estamos edificando a igreja porque ele precisa de nós para edifica-la. Se a Grace Church explodisse hoje, eu não espero que isso aconteça; mas se isso acontecesse, a igreja de Jesus Cristo perpetuaria. Se eu e todos os líderes da igreja morrêssemos, a igreja continuaria. Ele não precisa de nós para edificar a sua igreja. Você pergunta, “Por que nós estamos trabalhando tanto?” Eu posso lhe explicar. É porque não existe uma função mais maravilhosa, animadora, gloriosa, alegre, e satisfatória para a nossa alma do que fazer parte da edificação que Jesus Cristo está fazendo para a glória eterna.

Um repórter foi até a construção da Catedral de São Paulo em Londres há muito anos atrás. Ele estava fazendo uma reportagem a respeito da construção daquela grande catedral. Ele perguntou para um rapaz que estava ali com muitas pedras em sua mão, “O que você está fazendo?” Ele disse, “Você não consegue ver o que eu estou fazendo? Eu estou colocando essas pedras aqui para construir essa coisa. Muitas pedras o tempo todo; carregando todas essas pedras”. Ele se dirigiu a um segundo rapaz e perguntou, “O que você está fazendo?” O rapaz disse, “eu estou recebendo; eu tenho uma família e muitas crianças; eu estou recebendo o meu salário”. Ele se dirigiu a um terceiro rapaz e perguntou, “o que você está fazendo?” Ele respondeu, “Eu estou ajudando o senhor Christopher Wren a construir a Catedral de São Paulo”. Essa é uma perspectiva diferente, não é?

O que você está fazendo? Eu estou colocando essas pedras aqui; eu preciso fazer isso, sabe? Eu estou me sustentando; a final, eu sou um cristão e eu preciso fazer alguma coisa espiritual. Não; eu faço isso para a edificação que Cristo está fazendo do seu reino eteno. Que visão gloriosa.

Pai, nós te agradecemos pois Tu nos deste a tua Palavra, não deixando nenhuma dúvida ou confusão em nós a respeito do que isso significa para nós e o que isso requer de nós. Ainda assim, tu nos deste a si mesmo e essa é a tua obra. Faça isso Senhor; faça isso para a Tua glória e permita que façamos parte disso, não porque Tu necessitas de nós, mas porque nós desejamos fazer parte de algo que é eterno. Nós desejamos demonstrar o nosso amor; desejamos trabalhar contigo; desejamos conhecer a alegria, a emoção e a benção que vem para aquele que é obediente, fiel e diligente.

No silêncio deste momento, você pode oferecer ao Senhor gratidão pelo Salvador que lhe amou, e que lhe edificou nesta igreja. Pelo pastor que equipa você, que intercede por você; pelo Soberano que governa e lhe ensina; pela Santificador que lhe purifica e que, no final, glorificará você. O seu coração deveria estar cheio de gratidão. Alguns de vocês nem mesmo conhecem ao Senhor. Talvez pode estar acontecendo um toque em seu coração que vem do Espirito de Deus, e um alerta que diz, “Eu desejo que Cristo remova o meu pecado. Eu desejo que ele seja o Senhor da minha vida.

Quero entregar o destino da minha vida para ele”. Busque-o nesse sentido; abra o seu coração para ele em resposta a esse alerta do Espírito de Deus. Talvez, outros de você percebam uma necessidade de um relacionamento; de fazer parte dessa igreja ou de qualquer outra igreja onde Cristo é exaltado, onde você possa servir o seu Santo Nome. Permita que o seu coração seja preenchido pelo Espírito de Deus.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize