Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Abra sua Bíblia, se possível, e vamos olhar em Mateus capítulo 5 juntos, Mateus 5. Às vezes eu penso que quanto mais curto verso, mais coisas eu tenho para dizer. E, geralmente, isso é porque quando você lida somente com um versículo, você lida com ele sozinho porque é tão cheio de significado.

É tão cheio de verdade, e nós vamos perceber enquanto passamos pelas Bem Aventuranças, e nós vamos passar por cada Bem-Aventurança uma de cada vez, que embora cada uma é uma afirmação simples e apenas um versículo, temos que olhar uma de cada vez, porque elas são tão carregadas com tremendas verdades.

E então esta noite, vamos olhar para o versículo 3, o começo das Bem-Aventuranças, a introdução do Sermão do Monte. Versículo 1 diz: " Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e ele passou a ensiná-los, dizendo: Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”.

Como estudamos no último sermão, Jesus veio para trazer felicidade ao homem. Jesus veio para trazer bênção. Jesus veio para tornar a vida significativa. E a chave para o tipo de felicidade e para o tipo de bênção que é falado nestas Bem-Aventuranças - a palavra "bem-aventurado" foi nosso tema para uma parte da nossa discussão da última vez - a chave para esse tipo de bênção é seguir um novo padrão de vida, um novo tipo de vida. E é isso que Jesus apresenta no Sermão do Monte.

Em Mateus capítulo 5 a 7, nosso Senhor está estabelecendo um padrão de vida contrário, contrário a tudo que o mundo conhece e prática, uma nova abordagem à vida que resulta em bênção, makarios. E vimos que este makarios é uma felicidade interior profunda, um sentimento profundo e genuíno de bênção, uma felicidade que o mundo não pode oferecer, não é produzido pelo mundo, não produzida pelas circunstâncias, e não está sujeita a alterações pelo mundo ou circunstâncias. Não é produzido externamente. E não pode ser tocada externamente.

A promessa de Cristo, então, no Sermão do Monte está no começo. Ele está dizendo, se você vive por estes padrões você vai saber o que é ser bem-aventurado. E assim no versículo 3, ele é abençoado, no versículo 4, ele é abençoado. No versículo 5, abençoado. Versículo 6, versículo 7, versículo 8, versículo 9, 10, 11, e, finalmente, como um resultado de toda essa bênção, versículo 12, regozijai-vos e exultai.

Todo o Sermão do Monte apresenta-se com uma promessa de bem-aventurança, felicidade, satisfação profunda e interior. Agora, nós também dissemos da última vez que essa bem-aventurança, esse bem-estar, essa felicidade, essa alegria, em que os crentes vivem e desfrutam, é realmente um dom de Deus. Porque makarios ou bem-aventurança é bem característico de Deus.

A maior compreensão do termo "bem-aventurado" vem quando você entende que Deus é bem-aventurado. Tão feliz é o povo cujo Deus é o Senhor. Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, porque ele, acima de tudo, é bendito. "Bendito seja Deus", diz a Bíblia. "Bendito seja o Senhor Jesus Cristo." E se eles são abençoados, se eles têm essa felicidade interior profunda, essa profunda sensação de contentamento e bem-aventurança por causa da força da natureza divina, então somente aqueles que participam dessa natureza divina pode conhecer essa mesma bem-aventurança.

Só quando participamos da própria natureza de Deus é que nós possamos ser abençoados, podemos conhecer essa felicidade. Não pertence a ninguém fora daqueles que conhecem a Deus. Então Jesus veio oferecer um novo padrão de vida. E sua ênfase não estava no exterior, foi no interior. Ele não estava ensinando uma nova maneira de viver a cada dia. Ele estava primeiro ensinando a eles uma nova maneira de pensar que resultaria em uma nova maneira de viver a cada dia. Ele não estava falando apenas sobre o comportamento, ele estava falando sobre a atitude. Ele estava dizendo que a parte interna da vida de uma pessoa é a verdadeira chave para a felicidade. E na semana passada, falamos sobre o fato de que você pode acumular tudo que você quer no seu exterior que nunca traz alguma felicidade para o interior.

Assim que vemos que Jesus está oferecendo bênção e felicidade com base em um novo padrão de vida, um novo tipo de vida, um padrão justo, e também - e isso vai ser uma palavra-chave - um padrão generoso. Um padrão generoso. Este grande sermão, o maior sermão, sem dúvida, já pregado, centra-se neste tipo de felicidade, esse tipo de bem-aventurança. E o mais incrível sobre isso é como dissemos na última vez, as únicas pessoas que podem conhecer esta bem-aventurança são as pessoas que sabem que não podem viver desta forma por conta própria e por isso eles são totalmente dependentes de Jesus Cristo.

Agora lembre-se que eu te disse da última vez que a multidão estava lá e eles estavam ouvindo e eles estavam prestando atenção. Mas a mensagem realmente foi direcionado só para os doze. Porque ninguém que não tinha fé em Jesus Cristo jamais poderia conhecer esta bem-aventurança. Ninguém que não têm o poder de Deus operando em sua vida jamais poderia funcionar dessa maneira. Ninguém que já tinha chegado a este ponto específico de humildade jamais poderia conhecer e experimentar qualquer uma dessas grandes bênçãos. Apenas os participantes da natureza de Deus pode conhecer esta bem-aventurança.

E eu acredito, amados, que esta mensagem é para todos nós. Eu sei que, historicamente, alguns evangélicos têm objeções ao Sermão do Monte e dizem que é muito difícil. Mateus 5:48: " Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste." Isso é muito difícil. Isso não é para nós. Se é muito difícil, nós devemos simplesmente adiar isso pra acontecer no milênio. O reino e muitas pessoas têm dito que o Sermão do Monte é viver no Reino. São os princípios do reino, mas há muitos problemas com isso. É realmente impossível por muitas razões.

Em primeiro lugar, o texto não diz "isto é para o milênio." Em segundo lugar, Jesus pregou para pessoas que não viviam no milênio. Para mim, esse é o maior argumento de todos. Três, torna-se sem sentido se você empurrá-lo para o milênio, porque ele diz, "Bem-Aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem-Aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós”. Agora no reino, meu amigo, ninguém vai conseguir se safar enquanto continuem fazendo essas coisas. Ou o Senhor vai governar com uma vara de ferro.

Mateus 5:44, juntamente com muitas outras coisas, não faria sentido. " amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que maliciosamente vos maltratam e perseguem;" É a mesma idéia. Não vai ter nada disso no reino. E, aliás, outra razão pela qual eu acredito que esta bem-aventurança é para todos os crentes de todas as idades é porque todos os princípios encontrados no Sermão do Monte são encontrados em outros lugares no Novo Testamento.

Este não é apenas para alguns super santos que vivem no reino. Isto é para nós. É o estilo de vida diferenciado de um crente de qualquer idade. Ele nos convida a chegar em um novo padrão de vida. É Jesus nos dizendo: "Olha, esta é a maneira que você deve viver se você quer conhecer a felicidade, se você quer conhecer o que é ser bem-aventurado."

E não é maravilhoso que Deus está nos oferecendo isso, que Deus não é um desmancha-prazeres cósmico? Que Deus não está encontrando sua maior alegria estragando sua festa? Deus quer que você seja feliz. Deus quer que você seja abençoado. E ele nos dá aqui os princípios para isso.

E, sabe, outra coisa que devemos dizer sobre isso é que isto é viver distintivamente. Viva assim e eu prometo que você vai ser diferente. Você realmente vai. De muitas maneiras, acho que teria que dizer que os cristãos de hoje perderam o seu caráter distintivo. Nós estávamos falando sobre isso um pouco esta manhã, não falamos? Temos sido formados pelo mundo. Temos sido moldados pelo mundo.

A música do mundo e seus costumes sexuais, seus casamentos, seus divórcios, sua moralidade, seus movimentos de libertação, seu materialismo, a sua abordagem à comida, a sua abordagem à bebidas alcoólicas, a sua abordagem à dança, a sua abordagem ao entretenimento, a sua abordagem ao esporte, sua abordagem para todos os tipos de coisas, e nós somos empurrados para isso, e é muito fácil perder a nossa singularidade.

E nós estamos vendo hoje em dia algo que sem dúvida partiu o coração do Senhor todos esses anos desde quando a igreja começou, e isto é a corrupção do cristianismo. E Jesus está realmente dizendo aqui: "Deus quer que você viva diferente. Deus não quer que você viva a vida da maneira que todos os outros vivam. E se viver desta forma diferenciada você vai ser feliz. Se você viver desta forma você vai ser abençoado".

E, sabe, eu sempre acreditei que o fabricante sabe mais sobre o produto do que qualquer outra pessoa. E se eu tiver um carro e eu comprar um carro, a primeira coisa que faço é ler aquele pequeno livro que me diz o que fazer. Eu sei como colocar a chave na ignição e mudar a marcha, mas existem outras coisas que eu preciso saber. Ou se eu receber algo ou comprar algum aparelho, eu leio essas coisas e eu quero saber o que elas dizem e como essa coisa funciona.

E é incrível, para mim, saber que o fabricante de todas as pessoas que vivem no mundo é Deus, e ainda por cima muito poucas pessoas querem voltar-se para ele para descobrir a melhor forma para conhecer a felicidade. Como eu posso receber a bênção? Qual é a melhor forma de ter realização? Você me fez. Me diga! E Jesus faz isso aqui.

Eu repito, ele está lidando com o interior. Agora me permita acrescentar o seguinte. A ideia de que Jesus lida com o interior e com as nossas atitudes e nossos sentimentos e nosso pensamento não significa que não há nenhum compromisso para o exterior. Porque quando o interior está certo, o exterior está certo. A fé sem obras é o quê? Morta. Existe o exterior. Você foi criado em Cristo Jesus para boas obras. Mas o verdadeiro exterior, o verdadeiro exterior só pode ser produzido pelo exterior real.

Eu acho que Martyn Lloyd-Jones dá a melhor ilustração que eu já li sobre isso. Isto é o que ele diz: "Tomemos, por exemplo, o reino da música. Um homem pode tocar uma peça de boa música com bastante precisão. Ele pode não cometer erros, e ainda pode ser verdade dizer a ele que ele não realmente tocou a "Sonata ao Luar” de Beethoven . Ele tocou as notas corretamente, mas não foi a sonata. O que ele estava fazendo? Ele estava mecanicamente apertando as teclas certas, mas falta a alma e a interpretação real. Ele não estava fazendo o que Beethoven pretendia e queria dizer.

"Isso, eu acho, é a relação entre o todo e as partes. O artista, o verdadeiro artista é sempre correto. Mesmo o maior artista não pode dar ao luxo de negligenciar as regras e regulamentos, mas não é isso que faz ele ser um grande artista. É esse algo a mais, a expressão. É o espírito. É a vida. É o todo que ele é capaz de transmitir ".

Ali, em minha opinião, está a relação do particular para o geral no Sermão do Monte. Você não pode divorciar, você não pode separá-los. O cristão, quando ele coloca sua ênfase sobre o espírito, também está preocupado com a carta. Mas ele não está preocupado apenas com a carta. Ele nunca deve considerar a carta sem o espírito.

Por um lado, reivindicar o espírito sem viver de acordo com a lei de Deus é ser um mentiroso. Por outro lado, tentar viver fora da lei sem o espírito é ser um hipócrita. Os dois caminham juntos. O espírito é a atitude certa e a letra é a obediência que vem como resultado. A verdadeira espiritualidade, em seguida, começa no interior e toca o exterior.

Agora, enquanto você olha para as bem-aventuranças, você verá que elas são como paradoxos sagrados. Elas estão quase colocadas em contraste absoluto de tudo o que o mundo conhece. E eu vou dizer uma coisa que eu quero colocar como uma pequena nota de roda-pé aqui. Você vê a palavra "bênção". A palavra "bênção" ou "bam-aventurado" tem uma palavra oposta na Bíblia. O oposto de makarios é ouai e nós a traduzimos como "ai". O oposto de bênção é maldição. O oposto de bem-aventurado, Jesus disse no Sermão do Monte "bem-aventurado" e ele virou-se para os fariseus mais tarde e disse: "Ai de vós." Esses são opostos.

E me permita dizer isto rapidamente. A palavra "bem-aventurado" e a palavra "ai", nenhuma delas são realmente um desejo. Elas são uma pronúncia de julgamento. Jesus está dizendo: "Eu" - ele não está dizendo, ”Eu desejo bem-aventurança sobre vocês”. Ele está dizendo: "Bem-aventurado o homem que vai desta forma, faz isso, pensa desta maneira." E nos outros versículos, "Ai do homem que faz isso" Elas são pronúncias judiciais. Eles não são simplesmente desejos.

Agora, quando olhamos para estas Bem-Aventuranças, estes pronunciamentos judiciais de Deus. "Feliz é aquele que faz isso, que pensa desta maneira." Nós vemos uma seqüência. Olhe comigo rapidamente no versículo 3. Em primeiro lugar, vemos os humildes de espírito. "Humilde de espírito" é a atitude certa para o pecado, o que leva ao choro, no versículo 4, o que te leva, depois de ter visto o seu pecado que você lamentou, em mansidão, um senso de humildade, em seguida, para uma busca e fome e sede de justiça. Dá pra ver a progressão.

E que se manifesta em misericórdia - versículo 7 – no coração limpo - versículo 8 - num espírito pacificador - versículo 9. O resultado de ser misericordioso, puro de coração e pacificador é que você será injuriado e perseguidos e falsamente acusado. Por quê? Porque no momento em que você foi humilde em espírito, chorou pelo pecado, se torna manso, procurou a justiça, viveu uma vida misericordiosa, pacificadora e pura, você já irritou tanto o mundo que eles vão reagir.

Mas quando está tudo dito e feito, o versículo 12 diz que você pode "Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus". E quando você viver assim, humilde em espírito, chorando, manso, buscando justiça, e como resultado disso se tornar misericordioso, puro e pacificador, e ter o mundo ultrajar, perseguir e dizer todas essas coisas contra você, então você pode ter certeza que o versículo 13 é verdadeiro. Você é o sal da terra. Isso é o que é preciso. Você é a luz do mundo. Você não pode ser sal e luz, amado, você não pode chegar no versículo 13 até começar no versículo 3.

Então, vamos olhar para o versículo 3. "Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus." Isto é tão básico, tão necessário. E eu vou fazer cinco perguntas esta noite e eu quero que você simplesmente responda comigo quando olharmos para esta afirmação. Por que Cristo começa com isso? Por que ele comece com ser humilde de espírito? Quando ele está falando sobre um novo tipo de vida, um novo padrão, uma nova maneira de viver, por que começar por aqui? Por que isso é a fonte da felicidade?

Bem, simplesmente porque é a característica fundamental do cristão. É a primeira coisa que deve acontecer na vida de alguém que quer entrar no reino de Deus. Ninguém entrou no reino de Deus na base de orgulho. Humildade de espírito é a única maneira de entrar. A porta para o reino do Senhor Jesus Cristo é muito estreita e as únicas pessoas que entram vêm se rastejando.

Jesus começa dizendo: "Há uma montanha que você tem que escalar. Há alturas que você tem que subir. Há um padrão que você deve atingir, mas vocês são incapazes de fazer tudo isso, e quanto mais cedo você perceber isso, mais cedo você estará caminho certo". Em outras palavras, ele está dizendo que você não pode ser preenchido até que você esteja vazio. Você não pode valer a pena até que você seja sem valor.

Sabe, eu fico surpreso em perceber que no cristianismo moderno de hoje existe tão pouco do conceito de auto-esvaziamento. Eu vejo muitos livros sobre como ser preenchido de alegria e como você deve ser preenchido e como deve ser preenchido com isso e como deve ser preenchido com o espírito e assim por diante. Existem muitos livros sobre como ser preenchido, mas eu não acho que eu já vi um livro sobre como a esvaziar-se de si mesmo. Você consegue imaginar um livro intitulado "Como ser nada"? Seria realmente um “Best-seller” hoje em dia. "Como ser um ninguém."

Sabe, dentro de grande parte do nosso cristianismo moderno, Faraseismo se alimenta de orgulho. Humildade de espírito, por outro lado, é a base de todas as graças. Sabe, se você não é humilde de espírito, amados, é melhor você esperar uma fruta crescer sem uma árvore do que as graças da vida cristã crescer sem humildade. Não podem. Enquanto nós não somos humildes de espírito, não podemos receber a graça. Até mesmo no início, você não pode se tornar um cristão a não ser que você seja humilde de espírito.

E, durante sua vida cristã você nunca vai conhecer as outras graças da vida cristã enquanto você violar a humildade de espírito. E isso é difícil. Jesus está dizendo: "Comece aqui. A felicidade é para os humildes". A felicidade é para os humildes. Até que sejamos humildes de espírito, Cristo nunca será precioso para nós. Porque não vamos conseguir vê-lo porque estamos olhando para nós mesmos. Enquanto vemos os nossos próprios desejos e nossas necessidades e nosso próprio desespero, nunca veremos o valor incomparável de Cristo. Até sabermos como somos realmente condenados, não podemos apreciar como realmente gloriosao ele é. Até compreender como somos condenados, não podemos compreender como maravilhoso é o seu amor para nos redimir. Até que vejamos nossa pobreza, não podemos entender suas riquezas.

E é assim como sai o mel da carcaça. É do nosso amortecimento que vêm vida. E nenhum homem jamais vem para Jesus Cristo, nenhum homem jamais entra no reino sem antes rastejar com um terrível sentimento de pecado e arrependimento. Provérbios 16:5 diz amaldiçoados são os orgulhosos. Deus dá graça aos humildes. Isso tem que ser logo no início. E é por isso que está em primeiro lugar. Prestem atenção, a única maneira de chegar ao reino de Deus é confessar a sua própria injustiça, confessar sua incapacidade de cumprir as normas de Deus, confessar que você não consegue fazer. Você não consegue.

Paulo experimentou isso. Eu acho que é em - não vamos gastar tempo para olhar em Filipenses capítulo 3, mas os homens estavam cantando esta noite tão bem. E Paulo, nessa passagem, diz: "quanto à justiça que há na lei, fui irrepreensível." E ele diz: "No entanto, eu não tenho nenhuma confiança na carne." Não confiamos na carne. E tudo começa aqui, pessoal. Você entra no reino de Deus com um sentimento de impotência. Você entra no reino de Deus com um sentimento de desespero. E se você quer conhecer a felicidade como você vive em seu reino, você mantém a mesma sensação de desamparo e desespero.

A igreja em Laodicéia disse: " Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma," e as palavras de Jesus para eles foi, “e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Você pensa que é rico, mas não é." Quantos tolos existem no mundo que nunca enxergam a verdade, como a pequena jovem serva de Seneca que continuou dizendo a todos, porque ela nasceu cega que ela não é cega, ela dizia: " Eu não sou cego. O mundo é escuro "? Tola. Há pessoas hoje dizendo: "Eu não sou cego. O mundo é escuro. É assim que funciona no mundo”. Tolos que não vêem a realidade. "Eu sou rico e de nada tenho falta." E eles estão desesperados.

Jesus começa aqui, porque é aqui onde você tem que começar e aqui é onde você tem que começar para ser salvo, e é aqui onde você tem que começar a viver a vida cristã na bem-aventurança. Não tem espaço para o orgulho. E, como eu disse, o cristianismo hoje em dia está se alimentando de orgulho. Está se alimentando, na exaltação do indivíduo.

Segunda pergunta. Por que começar por aqui? É aqui onde ele tem que começar. Você não pode vir a Deus a não ser que você perceba que você está espiritualmente falido, e essa é a maneira que você tem para viver sua vida cristã. Você não tem nada em sua carne, nada.

Segunda pergunta. O que esse termo significa, "humildes de espírito?" Agora sabemos por que ele está aqui é porque é um começo, mas o que significa isso especificamente? Que tipo de humildade ele está falando? Algumas pessoas sugerem que é uma humildade material. Eles pegam Lucas 6:20, que diz: " Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus." E eles dizem: "Viu, é simplesmente pobre." Não.

Quando você tem dois registros na Bíblia nos Evangelhos, você precisa comparr eles. "Bem-aventurados os pobres." O pobre? Há todos os tipos de pobreza, não é? Você pode ser pobre em termos de dinheiro. Você pode ser pobre em termos de sua educação. Você pode ser pobre em termos de amigos. Você pode ser pobre em termos de um monte de coisa. Então, quando você ler Lucas que diz: "Bem-aventurados os pobres", e você encontrar Mateus, "Bem-aventurados os humildes de espírito", você faz a conclusão simplesmente que Mateus nos diz o tipo de pobreza que Lucas estava se referindo. Só isso. Não é nenhum grande problema. É só colocar os dois juntos, comparando passagem com passagem.

Que tipo de pobreza? Bem, pobre, sem dinheiro, e existe muitas pessoas que têm escrito sobre este pensamento de que Deus apenas abençoa e dá o seu reino para os pobres. Agora deixe-me dizer-lhe uma coisa, pessoal. Se são apenas as pessoas sem dinheiro, então a pior coisa possível que nós, como cristãos podemos fazer é dar dinheiro a alguém. Quero dizer, ajudar os pobres é terrível.

Sabe, alimentar os famintos é ridículo. Nós devemos parar imediatamente qualquer auxílio para quem é pobre. Na verdade, o que realmente devemos fazer é só tomar todo o dinheiro de todo o mundo e assim todos serão pobres. Seriamos todos meio que vigaristas. Veja, precisamos tomar tudo. A única coisa é, que depois que pegarmos todo o dinheiro, nós perdemos. Isso é estúpido.

Nós não podemos ir ao redor do mundo abolindo esse tipo de coisa. Nós teríamos que fechar todos os orfanatos, todos os hospitais e todas as missões e tudo o que estende a mão para pessoas carentes. E se de um lado bem-aventurança espiritual vem por causa da pobreza material - não. Por outro lado, riquezas podem realmente atrapalhar a pessoas. Eu acho que as pessoas pobres têm uma vantagem na atitude correta com a vida, acredite ou não, porque, em seu desespero, eles procuram uma fonte além de si mesmos.

A auto-suficiência do rico faz com que sejam pressionados a conhecer a Deus, e é por isso que a Bíblia diz que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino, porque ele confia em suas riquezas. Um homem pobre não tem nada para confiar. Mas já existiu algumas pessoas justas que eram ricas. [Risos] Não muitas. Nicodemos, José de Arimatéia, ó, alguns dos mais maravilhosos no Antigo Testamento. Filemon sem dúvida era rico. Mas, você já sabe, Deus não está falando aqui sobre a pobreza material. Na verdade, você agora percebe o que Davi disse, que em todos os seus anos, ele nunca viu o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão.

Na vida de Paulo, ele teve momentos de fome e ele teve momentos de sede, mas ele nunca foi um mendigo servil. E o Senhor Jesus nunca andava com seus doze implorando por comida. Eles foram acusados ​​de serem loucos - os discípulos e o Senhor, - eles foram acusados ​​de serem ignorantes. Eles foram acusados ​​de virar o mundo de cabeça para baixo. E acredite em mim, se eles tivessem sido mendigos, eles teriam sido acusados disso também. Mas nenhuma acusação desse tipo foi feita contra eles.

Bom, você diz: "Que tipo de pobreza é?" Bom, ele lhe diz. Humildes em espirito. Humilde em espírito. Agora vamos olhar para esse termo. A palavra "humilde", ptōchos, é uma palavra interessante. Vem do verbo - agora preste atenção nisso - o verbo em grego significa "o encolhimento de algo ou alguém para se esconder e se encolher como um mendigo." Isso é o que significa. Como se você simplesmente se encolhesse e se escondesse como um mendigo faz.

Grego clássico usa esta palavra para se referir a alguém que é reduzida a mendicância, que se agacha em um canto da parede escura para pedir esmolas. E a razão pela qual ele se agacha e se esconde é porque ele não quer ser visto. Ele é tão desesperadamente envergonhado que ele nem quer permitir que a sua identidade seja conhecida. Mendigos têm todas aquelas coisas empilhados uma sobre a outra, todas essas coisas cobrindo seus rostos, e eles pedem com vergonha, para que não seja reconhecido.

Aliás, a palavra "pobre" aqui, é a mesma palavra usada em Lucas 16, quando diz: "Lázaro, o mendigo." Isso é o que a palavra significa. Não é só pobre, é quem está mendigando. E aliás, existe outra palavra na Bíblia para a pobreza normal, penēs. Penēs significa você é - em geral, e às vezes há uma sobreposição - mas geralmente penēs significa que você é tão pobre que você tem que trabalhar apenas para manter a sua vida.

Ptōchos significa que você é tão pobre que você tem que mendigar. Você está reduzido a um mendigo encolhido e escondido. Penēs você pode ganhar o seu próprio sustento. Você pode ganhar seu próprio sustento. Ptōchos, você é totalmente dependente do presente de outra pessoa. Tudo que você tem, nenhuma habilidade, não há nada. Em muitos casos, você está incapacitado, você é cego. Você é surdo. Você é mudo. Você não consegue funcionar na sociedade e você se senta no canto com seu braço envergonhado no ar, implorando pela graça e misericórdia de outra pessoa. Você não tem o recurso em si mesmo para viver por si só. Total dependência de outra pessoa.

Não só pobres, mas pobre ao ponto de mendigar. "Agora essa pessoa", diz Jesus. Simplesmente entenda. "É um homem feliz." Você diz: "Você tem que estar brincando." Bem, ele não está falando sobre mendigar físico, a pobreza física, mas ele está falando sobre a pobreza de espírito. Prestem atenção. Este é o melhor diagnóstico do homem que você jamais poderia encontrar. O homem é vazio, pobre e desamparado. Ele pode trabalhar para conseguir sua própria salvação? Ele é pobre penēs o suficiente que ele pode fazer apenas algumas coisas e se ele trabalhar muito e tentar o suficiente, ele pode entrar no reino por um trisco? Você acha que ele consegue fazer isso? Não. Ele não é penēshe ptōchos. Ele é absolutamente incapaz de qualquer coisa e totalmente dependente da graça de outra pessoa.

Então, ele diz: "Felizes são os mendigos que se encolhem e estão destituídos". Que notícia boa pessoal. O mundo diz: "Felizes são os ricos e famosos e os auto-suficientes e os orgulhosos." O que significa “em espírito”? Eu vou falar sobre isso por um minuto. Isso significa que, em referência ao espírito, que é a parte interior do homem, e não o corpo, que é a parte exterior. Só isso. Ele está mendigando por dentro, não necessariamente no exterior.

Isaías coloca desta forma. Isaías 66:2. "o homem para quem olharei é este:” Presta atenção no que Deus está falando aqui, “o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra. " É o homem que treme em seu interior por causa de sua miséria. Salmo 34:18 fala da seguinte forma. "Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido." Salmo 51:17. "Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus. "

Isaías 57:15 acrescenta isso. " Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos." Prestem atenção, pessoal. Deus se identifica com as pessoas que imploram no interior, não pessoas que são auto-suficientes, não pessoas que podem trabalhar para conseguir sua própria salvação, não as pessoas que acreditam em seus próprios recursos, mas aqueles que são destituídos e miseráveis.

Isso não significa que o seu espírito é pobre, no sentido de falta de entusiasmo. Isso não significa que você é preguiçoso ou quieto ou indiferente ou passivo. Não está nem perto de significar nada disso. Um humilde de espírito é um indivíduo sem senso de auto-suficiência. Ele está falido.

Vou fazer uma ilustração. Abra sua Bíblia comigo em Lucas 18. Em Lucas 18:9 lemos uma história. " Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros:" Aí está o oposto. Aqui estão os opostos dos humildes de espírito. Aqui está o arrogante. "- que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros:" Nós vamos fazer isso por conta própria. Nós temos todos os recursos, et cetera.

" Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho. O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu". Ó, ele é como um mendigo. Ele está encolhido. Ele não vai olhar para cima. Ele nem vai ousar olhar para Deus.

E ele se encolhe, “mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” Quer ouvir o diagnóstico que Jesus deu? "Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado."

Essa é a explicação mais clara que você vai ouvir. São os quebrados e os contritos. "Bem-aventurados os pobres", diz Jesus. Bem-aventurados aqueles cujo espírito é destituído. Bem-aventurados os pobres espirituais, espiritualmente vazios, o espiritualmente falido que se agacha em um canto e clama a Deus por misericórdia. Eles são os únicos felizes. Por quê? Porque eles são os únicos que bateram no recurso real para a felicidade. Eles são os únicos que conhecem a Deus. Eles são os únicos que já conhecem a bem-aventurança de Deus. E deles é o reino.

Tiago colocar desta forma. Não é apenas o Sermão do Monte, Tiago disse isso também. Ele disse em Tiago 4:10, "Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará”. A pobreza aqui não é uma pobreza que a nossa própria vontade se rebela, mas é uma pobreza em que a vontade curva em profunda dependência e submissão. Receio que esta é uma doutrina muito impopular na igreja de hoje. Enfatizamos celebridades e especialistas e super estrelas e ricos, cristãos famosos. Mas a felicidade é para os humildes.

Posso ilustrar isso para você? Apenas preste atenção. Jacó, Jacó teve que enfrentar a pobreza de espírito antes que Deus pudesse usar ele. Ele lutou contra Deus durante toda a noite em Gênesis 32, e, finalmente, Deus deslocou o quadril de Jacó. Você se lembra disso? Ele deslocou o quadril. Ele o colocou de costas no chão, e ele disse, "eu dou. Eu não posso fazer isso sozinho". E a Bíblia diz em Gênesis 32:29 - Eu amo isso -". E Deus o abençoou ali ". Deus fez ele ficar feliz..

Eu penso em Isaías, usado maravilhosamente por Deus, mas ele não podia ser usado até ele ser humilde de espírito. Sua grande lamentação por causa da morte do rei Uzias, o que aconteceu foi que o rei Uzias morreu e ele estava tão perturbado que ele estava pensando apenas em sua perda e só como seria não ter o rei Uzias por perto, e Deus graciosamente invadiu sua vida e Deus lhe mostrou o que realmente importava, e não era Uzias. Ele se mostrou alto e exaltadoo em uma visão. E o resultado foi que Isaías disse em Isaías 6, "  ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei". E nessa hora, Deus o abençoou.

E Gideão. Gideão, Juízes 6:15, prestem atenção em sua insuficiência, “E ele lhe disse: Ai, Senhor meu! Com que livrarei Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai”. Você deve ter o endereço errado. E o Senhor disse:" O SENHOR é contigo, homem valente." Você sabe quem é o homem mais poderoso e valente? É o homem que sabe que sozinho, ele é impotente. Esse foi o espírito de Moisés. Deus disse: "Moisés, eu quero que você lidere o meu povo." E ele era tão desesperadamente indigno dessa tarefa. Ele era tão horrivelmente, terrivelmente, consciente de sua insuficiência e sua imperfeição e Deus usou ele.

Era o coração de Davi, quando ele disse: "Senhor, quem sou eu que tu vens até a mim?" Vemos isso com Pedro, agressivo, arrogante, confiante por natureza, e ele diz, "Afasta-se de mim, oh, Senhor, porque sou um homem pecador.” O começo do começo para Pedro. O apóstolo Paulo reconheceu que em sua carne não existia coisa boa. Ele era o principal dos pecadores, um blasfemo, perseguidor, tudo o que tinha era esterco, lixo, todas as coisas que ele considerava perdido, nenhuma confiança na carne. Ele não era o suficiente para nada. Sua força foi aperfeiçoada em sua fraqueza.

Quando você admite sua fraqueza, quando você admite que você é nada, isso não é o fim, é o começo. Mas isso é a coisa mais difícil que você vai fazer em sua vida. É a coisa mais difícil que você vai fazer. Jesus está dizendo que a primeira coisa que você tem que dizer é: "Eu não posso. Eu não posso fazer. Eu não posso". Isso é ser humilde de espírito.

Eu lembro da parábola do servo impiedoso em Mateus 18. Uma verdade bonita. O servo impiedoso devia uma fortuna que ele nunca poderia pagar de volta, nunca mais. Quero dizer, era uma quantidade astronômica de dinheiro. Versículo 26. " Então, o servo, prostrando-se reverente, rogou: Sê paciente comigo, e tudo te pagarei." Ele estava dizendo: "É só você esperar um pouquinho e eu vou ter os recursos para te pagar tudo" Tolo. Era impossível pagar essa divida. E Jesus estava dizendo naquela parábola "Que tolo dizer ao Senhor: Só precisa ter paciência. Vou fazer tudo".

Humildes de espírito, a ausência de orgulho, a ausência de auto-confiança, a ausência de auto-suficiência. Deve existir um esvaziamento antes de acontecer um preenchimento. Tem que ser assim. E esta é a maneira de viver, pessoal, e não é apenas para ser salvo, mas esta é a maneira de viver. Você sabe, toda vez que eu enfrento a tarefa de vir até o púlpito para pregar para você, passa pela minha mente eu falo para mim mesmo: "Senhor, você tem que fazer por mim. Você tem que fazer. Eu conheço a parte técnica, Senhor, mas é exatamente isso que eu não quero, a parte técnica. Você tem que fazer. Você tem que fazer isso. "

Santo Agostinho, antes de sua conversão, estava orgulhoso de seu intelecto. Ele estava orgulhoso de seu conhecimento. E ele dizia que Fe com que ele não cresse. Só depois que ele se esvaziou de seu orgulho é que ele conheceu a Deus. Lutero, o grande Martinho Lutero, quando ele era jovem entrou para um mosteiro. E ele entrou no mosteiro para ganhar a sua salvação através da piedade. Mas ele teve muita dificuldade em fazer isso. E ele acordou um dia em sua vida de sacerdote e percebeu que tinha um senso de fracasso pequeno. Todos aqueles anos depois e ele ainda não tinha alcançado onde ele precisava estar. Ele reconheceu sua própria incapacidade de agradar a Deus. Ele se esvaziou de si mesmo. Ele baseou tudo na salvação oferecida por Deus por meio da fé, que foi o início da reforma.

Alguém escreveu maravilhosamente o seguinte:, "Embora eu não posso cantar ou contar ou conhecer a plenitude do teu amor, enquanto estou aqui embaixo, meu vaso vazio eu posso trazer livremente, ó, tu que é amor, a fonte viva, que enche o meu vaso. Eu sou um vaso vazio. Nem um pensamento ou olhar de amor eu já trouxe até você. No entanto, eu posso vir repetidas vezes com isso, apenas com o clamor do pecador vazio, e tu me amas.”

A soma da grande verdade é simplesmente declarada. O primeiro princípio do Sermão do Monte é que você não pode fazer nada sozinho. Há um novo estilo de vida para viver e este novo estilo de vida promete felicidade eterna para você, mas você não pode fazer por si mesmo, de modo que o único padrão para a vida é para aqueles que sabem que não conseguem fazer sozinhos.

Este conceito é visto, eu acho, na primeira entrega da lei no Sinai. Quando Deus entregou sua lei - agora pensem comigo - Deus deu sua lei no Monte Sinai, não havia - não haveria ídolos, nenhum adultério, não teria roubo, nenhum assassinato, e assim por diante, falso testemunho. Mas, mesmo enquanto Deus estava dando a lei para Moises, as pessoas estavam embaixo já quebrando, não é? Deus estava dando a Moisés e Arão estava organizando uma orgia. Então, logo no início você tem o fato de que os padrões de Deus não estão dentro da capacidade humana do homem.

Algumas pessoas de Israel reconheceram isso. Eles reconheceram que eles não estavam mantendo o padrão de Deus. Então, eles faziam sacrifícios e confessavam, e eles vieram humildemente, e Deus em sua doce graça perdoou. Mas havia outros que pensavam que poderiam fazer sozinhos, então eles se vangloriavam em sua justiça própria e eles começaram a tentar manter a lei. Mas eles também não conseguiam. Então, eles reduziram a lei, e é por isso que o rabino começou a adicionar tradições. Eles empilharam tradições, porque as tradições eram mais fáceis de manter do que a lei de Deus.

A lei que tem crescido em torno da Torá, a lei talmúdica, a lei judaica que tem crescido em torno da Torá, a verdadeira lei de Deus, é nada mais do que um padrão reduzidos para que os homens pudessem ter pelo menos algum sentimento de satisfação. Os rabinos disseram que estavam tentando proteger a lei de Deus, mas o fato era que eles estavam baixando a exigência para que, quando Jesus chegasse ao local, eles estariam muito bem com o material periférico mas estariam vivendo em violação diária da verdadeira lei de Deus.

Viu? Haviam algumas pessoas que pensaram que poderiam fazê-lo. Mas eles não podiam, e os que conheciam Deus foram os que disseram, "Nós não podemos, Deus." E com humildade e penitentemente, eles ofereciam sacrifícios de confissão e Deus perdoou. É o mesmo com o Sermão do Monte. Esta é a lei. Esta é a maneira de viver, mas você não consegue, e você tem que reconhecer isso. Pelo poder do Espírito Santo e dependência de Jesus Cristo, você tem que desejar isso. E então você tem que lidar com suas falhas em humilde contrição e confissão.

Jesus colocou o padrão lá em cima quando disse: "Sede perfeitos como o Pai é perfeito." Ele disse: " se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus. Você substituiu - "Mateus 15:9 diz:" - as tradições dos homens para os mandamentos de Deus "Isso não vai ser o suficiente.

Todo o propósito da lei - ver, vê-lo - o objetivo do Sermão do Monte é o mesmo que o propósito do Sinai. É para mostrar-lhe que você não consegue fazer isso sozinho. O Sermão do Monte foi para mostrar que eles não conseguem fazer sozinhos e eles tiveram que se tornarem pobres de espírito e totalmente dependentes de Deus. Você não pode simplesmente apresentar esses padrões para um homem não regenerado e esperar que ele a viva dessa forma. Você sabe como seria isso? James Boyce ilustra isso bem. No reino, o leão se deitará com o cordeiro, certo? O leão se deitará com o cordeiro. Não é maravilhoso?

Se você quiser testar algo, vá para o zoológico e começar na jaula do leão e ensina ao leão a verdade do milênio. Você ensina àquele leão que ele vai se deitar com um cordeiro e você tem que fazer com que isso fique claro em sua mente. Então você leva ele e coloca ele junto com o cordeiro. Você sabe o que vai acontecer? Não vai ter mais cordeiro. Você sabe por que? Aquele leão não vai cooperar com base no sermão. O leão tem que ter uma nova natureza. Entende? Você não pode pregar o Sermão do Monte a uma pessoa não regenerada e esperar que ela viva. Ele tem que ter uma nova natureza. Isso tudo começa com a humildade de espírito.

Por isso, vou fazer duas perguntas. Por que Cristo começa com isso? Porque é o começo. O que isso significa? Isso significa humildade. Pobreza de espírito. Qual é o resultado? E estas são questões menores, então você pode relaxar. Qual é o resultado? Preste atenção. "Deles é o reino dos céus." O pronunciamento é fantástico. "Porque deles é o reino dos céus." Este é um anúncio, pessoal, não um desejo. É isso. Deles - só deles. Apenas deles.

A quem o reino dos céus pertence? Apenas aos humildes de espírito. O que é deles é o meu. Estou com eles nisso. Eu vim a Cristo, falido em minha própria vida, e eu pedi a Deus repetidas vezes para me ajudar a viver todos os dias da minha vida nesse mesmo sentido de humildade e dependência. Espero estar lá todos os dias. Sei que vim dessa forma e minha salvação é para sempre. Concordo com isso. Então você sabe o que isso diz para mim? Bem-aventurados os humildes de espírito, porque vosso é o reino dos céus. Meu. Apenas eu. Eu faço parte disso. Isso é emocionante.

Aliás, este verbo está no presente. Deles, o meu, o nosso é o reino. Nós não estamos apenas falando sobre o milênio - Um dia ele vai ser - é seu agora! Há um milênio futuro em que as promessas do reino se tornarão completas, plenamente realizadas. Mas o reino é agora. O reino de Cristo é agora. A felicidade é agora. Bem-Aventurança é agora. O reino dos céus é a regra de Cristo. Ele tem um aspecto messiânico futuro. Tem um senso de aqui e agora. Somos agora um reino de sacerdotes. Somos agora súditos de Jesus Cristo. Agora somos vencedores.

Nós já estamos, diz em Efésios 2, sentados nos lugares celestiais, somos o destinatário de toda a sua graça e bondade a partir de agora para todo sempre. Temos a graça agora. Cuidado. Temos a graça agora, a graça do reino. Teremos a glória mais tarde. O reino como eu vejo é graça e glória. Graça agora, glória mais tarde. Que coisa tremenda. Sabe o que é, pessoal, possuir o reino? Isso é o que a palavra significa, possuir. Você possui o reino. É seu. A regra de Cristo, o reino de Cristo, você sabe o que isso significa? Você é seu súdito, ele cuida de você. Ele dá o que você precisa, ele cumpre todas as necessidades do seu coração.

Alguém escreveu: "Ele nos mantém abundantemente cheios, cheios de graça, misericórdia e força. O que estiver mais pra frente no reino, ele agora no presente fornece para nós uma grande abundância de riquezas. Ele é sempre fiel a nós e nos torna indescritivelmente felizes porque somos dele. Em espírito, nós somos ricos. Nós temos todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais, em Cristo. É aqui e agora, e um dia teremos ainda mais."

Vamos ver mais duas perguntas. Se – esta é uma pergunta básica e muito importante - se isso significa humildade e falência espiritual, e uma sensação de total incapacidade - e posso até acrescentar que não há nada, não há nada tão repugnante. Não existe nada tão repugnante para o coração de Deus como o orgulho espiritual. Ela viola essa coisa toda. É a pior coisa quando você pensa que já chegou à espiritualidade baseada na sua própria função em qualquer coisa.

Duas questões finais. Como nos tornamos humildes de espírito? Você pode dizer: "John, eu vejo a mensagem aqui. Ser humilde de espírito. Como posso ser humilde de espírito?” Bom, não começa tentando fazer isso sozinho. Essa foi a loucura do monasticismo. Todos eles pensavam que podiam ser humildes de espírito, indo a algum lugar, vendendo todos os seus bens, se vestindo com um manto velho miserável e sentando em um monastério em algum lugar não possuindo alguma coisa. Não. Essa foi a loucura de ascetismo, monasticismo, abnegação, mutilação. Alguns deles até cortaram alguns de seus órgãos. Eles pensaram que poderiam se negar dessa forma e alcançar isso.

Aliás, você não pode fazer isso olhando para si mesmo. Além disso, você não pode fazer isso olhando para outras pessoas. Não tente encontrar alguém que irá definir o padrão para você. Há apenas um lugar para olhar se você quer se tornar humilde de espírito, que é e concentrar em Deus. Essa é a primeira coisa. Olhe para Deus. Leia sua Palavra. Encontre Ele em Suas páginas. Olhe para Cristo. Olhe para Cristo constantemente. Enquanto você olha para Jesus Cristo, você se perde. Você se perde.

Em segundo lugar, não olhar só para Deus. Vou e dar três pequenos princípios. Se você quer saber o que é ser humilde de espírito, olhe para Deus, e não em você, não em qualquer outra pessoa. Olhe para Deus. Não alimenta a carne. Mata a carne de fome. Você sabe, até mesmo nos ministérios, inclusive os ministérios desta geração se alimentam de orgulho em tantos casos. Temos que buscar as coisas que deixa a carne desnuda.

Eu passei por algumas coisas na minha própria vida menos de um ano atrás, onde eu acho que percebi algumas coisas nesse sentido. É uma luta para mim conhecer esse tipo de espírito, mas eu acho que percebi até o ponto que eu realmente procurava, eu realmente procurava as coisas que despojava minha carne. Porque, para mim, é fácil aceitar os elogios.

É fácil para mim ouvir as vozes dizendo: "Obrigado, John. Sua mensagem me abençoou." Ou: "Fui salvo quando você pregou”. Ou: "É tão maravilhoso em sua igreja." Ou: "Que mensagem maravilhosa que você deu." E é fácil para mim receber isso. É realmente muito fácil aceitar elogios. Eu não tenho que lutar por isso.

Mas, por algum tempo, comecei a ter uma fome em meu coração para buscar isso, e isso se torna rapidamente uma coisa do tipo “ai de mim” ou “coitadinho de mim” muito fácilmente, mas eu tinha essa fome em meu coração para buscar a coisa que despojava minha carne. Eu quase me vi querendo enfrentar uma loucura, porque eu sei que algo assim me levaria até a presença de Deus e na presença de Deus, eu estaria destituído.

Não muito tempo atrás, fui confrontado com algumas coisas que perturbam algumas pessoas profundamente. E isso, minha primeira reação foi que isso me machucou muito, porque se eu estava errado, eu não queria estar errado. E então, de repente Deus começou a falar em meu coração sobre o fato de eu precisava disso mais do que tudo. Eu precisava ser confrontado com o fato de que eu não era nada e que em uma respiração curta tudo o que eu sempre sonhei ou desejava fazer para Deus podia acabar, que, aliás, ele nem precisa de mim para fazer.

Ele pode fazer sozinho através de mim - tudo poderia ser tomado muito rapidamente. E num certo sentido em minha miséria e na minha perda e no meu fracasso e no meu senso de loucura e na coisa que eu fiz errado, ganhei mais conforto que já ganhei alguma vez quando eu fui elogiado.

Isso ajuda você a fazer sua carne passar fome. Eu diria também uma terceira coisa. Estas são as coisas que eu vejo em minha própria vida. Eu tenho que olhar para Deus o tempo todo. Em segundo lugar, eu tenho que fazer minha carne passar fome. Eu não quero correr para a coisa que elogia. Mas há uma terceira coisa e eu acho que é simples. Peça. Você quer ser humilde de espírito? Peça. Existe uma coisa que quem é pobre e está mendigando sempre está fazendo. Ele é sempre o que? Pede. Você já percebeu isso. Sempre. Peça. "Ó Deus,” disse o pecador, “sê propício a mim, pecador!". Jesus disse: "este desceu justificado para sua casa." Feliz é o pobre em seu espírito. Ele é o único que possui o reino. Por que Jesus começa com isso? Porque é a base.

O que isso significa? Significa ser espiritualmente falido e reconhecer isso. Qual é o resultado? Você se torna um possuidor do reino aqui e agora e para sempre. Como você se torna humilde de espírito? Olhe para Deus. Faça a sua carne passar fome. E pedir, implorar. Ele não se importa nem um pouco.

Pergunta final. Como vou saber se eu sou assim? Como você sabe se você é humilde de espírito? E você tem como saber, você precisa fazer um inventário. Como você realmente sabe? Vou te dar sete princípios. Vou falar rapidamente. Como eu sei se eu sou humilde de espírito? Número um. Você vai ser desmamado de si mesmo. Você vai ser desmamado de si mesmo. Salmo 131:2 coloca desta forma. “Como a criança assim é a minha alma para comigo. " Ó, que grande pensamento.

Aquele que é humilde de espírito perde o senso de si. O seu Eu desaparece. Se foi. Tudo o que você pensa é Deus e sua glória e os outros e as suas necessidades. O seu eu desapareceu. Você está desmamado do seu eu. Número dois. Você vai se perder na maravilha de Cristo. Você será perdido na maravilha de Cristo. Você estará em 2 Coríntios 3:18, "olhando para a sua glória." Você vai estar dizendo: "Mostre-me o Senhor", e isso basta. Você estará dizendo: "Eu vou estar satisfeito quando acordar contemplando a maravilha de Cristo."

Terceiro. Se você é humilde de espírito, você nunca vai reclamar sobre sua situação. Nunca. Você sabe por que? Você não merece nada, de qualquer forma. Não é? O que você tem para oferecer? Na verdade, quanto mais fundo você vai, mais doce é a graça. Quanto mais você precisa, o mais abundante que ele proporciona. Quando você tem falta de tudo, você está em uma posição para receber toda a graça. Não há distrações. Você vai sofrer sem murmúrio, porque você não merece nada. E, mesmo assim, você vai procurar a sua graça.

Como você sabe se você é humilde de espírito? Você vai ser desmamado de si mesmo, perdido na maravilha de Cristo, e você nunca vai reclamar sobre a sua situação, porque quanto mais fundo você for, mais doce é a graça.

Em quarto lugar. Você verá apenas as excelências dos outros e apenas sua própria fraqueza. Você verá apenas as excelências dos outros e apenas sua própria fraqueza. Humildes de espírito, o verdadeiramente humilde, é o único que tem que olhar para todos os outros.

Quinto. Você vai gastar muito tempo em oração. Por quê? Porque um mendigo está sempre mendigando. Ele bate com muita frequência na porta do céu e ele não para até ser abençoado. Você quer saber se você é humilde de espírito? Você está desmamado de si mesmo? Você está perdido na maravilha de Cristo? Você nunca reclama, não importa qual é a situação? Você vê apenas as excelências dos outros e só a sua própria fraqueza? Você gasta muito implorando por graça?

Sexto. Se você é humilde de espírito, você vai viver nos termos de Cristo, não nos seus. Você vai viver nos termos de Cristo, não nos seus. O pecador orgulhoso quer ter Cristo para seu prazer, Cristo e sua avareza, Cristo e sua imoralidade. Os humildes de espírito são tão desesperados que eles desistem de qualquer coisa apenas para ter Cristo.

Thomas Watson diz: "Um castelo que tem sido muito sitiado e está pronto para ser tomado vai se entregar aceitando qualquer condição para salvar sua vida." Aquele cujo coração tem sido uma guarnição para o diabo e tem mantido por muito tempo em oposição a Cristo quando Deus lhe der a pobreza de espírito e ele se vê condenado sem Cristo, ele vai fazer Deus prosperar. Ele vai ofertar a Deus. E ele vai simplesmente dizer: "Senhor, que queres que eu faça?" Ele está certo. Alguém que é humilde de espírito aceita Cristo nos termos de Cristo.

Finalmente, quando você é humilde de espírito, você vai louvar e agradecer a Deus por sua graça. Se tem uma característica de alguém humilde de espírito, é uma imensa gratidão a Deus. Por quê? Porque cada coisa que você tem é um presente dele. E assim, em 1 Timóteo 1:14 diz o amado apóstolo Paulo: " Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor." Aqueles que são humildes de espírito são preenchidos de agradecimentos.

E você?, como você se mede? Por que as bem-aventuranças começam com esta? Porque é a base de todas. O que isso significa? É um profundo sentimento de impotência espiritual. Qual é o resultado? A posse do reino dos céus. Como posso ser assim? Olhar para Deus, fazer sua carne morrer de fome, ore. Como vou saber se eu estou lá? Nós acabamos de falar sobre isso. Você vai ser desmamados de si mesmo, perdido na maravilha de Cristo, nunca reclamando de sua situação, vendo apenas a excelência dos outros e sua própria fraqueza. Você vai gastar muito tempo em oração. Você vai aceitar Cristo nos termos dele. E você vai agradecer a Deus por tudo.

O escritor do hino resume tudo isso para nós. "Nada na minha mão eu trago." Qual é o resto? "Simplesmente a tua cruz eu me apego." Vamos orar.

Oh, Pai, nós oramos para que não tenha artificialidade em nossa vida, que nós não tentemos buscar um tipo de pobreza induzida por nós mesmos. Senhor nos ajuda saber, como Paulo disse, que "Tudo o que somos, é por causa da tua graça, e nada mais." Nós éramos blasfemos. Estávamos sem Deus. Estávamos indignos e ainda somos. E ó, Deus, ajude-nos a saber que existimos no seu reino somente por causa da sua graça.

Se há alguns aqui hoje que ainda não entrou em seu reino porque eles ainda não estão dispostos a fazer a coisa mais difícil que possamos fazer, diga, "eu não posso. Eu não posso agradar a Deus. Eu não posso seguir suas regras. Eu não posso seguir as suas leis. Eu não posso viver em seu caminho." Que este seja o momento em que essa pessoa diga isso. E na admissão de que eles não podem, que eles possam entender e saber que você pode. Pelo seu poder você pode capacitá-los por meio de Cristo para fazer o que nunca poderiam fazer sozinhos.

Pai, nós te agradecemos porque alguns de nós fomos até aquele lugar ao pé da cruz onde nós nos arrastamos para entrar em seu reino em humildade e com um senso de inutilidade. E Senhor, depois que entramos e vimos o que você fez através de nós, é tão fácil ser orgulhoso e prepotente e esquecemos, Senhor, que nós atingimos essa bem-aventurança. Nós recebemos a felicidade, recebemos a pobreza de espírito.

Nos faça desmamar de nós mesmos. Que possamos nos perder na maravilha de Cristo para que sejamos verdadeiramente humildes de espírito, possuidores de seu reino e de bem-aventurança, a bem-aventurança, a felicidade que pertence a quem é assim. Que possamos ser tão diferentes do mundo que seja óbvio que pertencemos a Ti. No nome de Cristo. Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

< !--Study Guide -->

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize