Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Como temos aprendido nestas manhãs do Dia do Senhor recentemente, uma maneira muito importante em que servimos ao Senhor está em nossa vida de oração, e Jesus está nos ajudando a ver como devemos orar. Abra novamente comigo esta manhã no capítulo 6 de Mateus se você quiser. Se você não trouxe uma Bíblia há uma no banco perto de você e eu gostaria que você acompanhasse enquanto olhamos de um lugar para outro na Palavra de Deus esta manhã.

Servimos ao Senhor em nossas orações, mas somente se nossas orações estão de acordo com Seu desígnio para a oração, e nosso querido Senhor, nesta passagem em particular, nos dá instrução sobre como orar. Essa é a intenção disto, a Oração do Discípulo, ou como é comumente conhecida, A Oração do Senhor; É uma instrução para sabermos como orar. A oração é vital; ela é para o cristão o que a respiração é para o ser humano. É captação da presença de Deus que nos dá vida e sustento e, no entanto, devemos saber orar como convém. E temos problemas com isso; de acordo com Romanos 8 Paulo diz, "porque não sabemos orar como convém." E o nosso Senhor aqui está ajudando a fazer isso certo para que entendamos. E vimos que esta oração particular que o Senhor nos dá não é uma oração a ser recitada apenas - embora isso certamente esteja bem. Não é uma oração para fazer parte de um ritual de uma rotina, ou de uma liturgia, mas é um esqueleto para o qual todas as orações devem encontrar sua forma. Em outras palavras trata-se simplesmente de breves e concisas declarações que nos abrem incríveis horizontes ilimitados e perspectivas de compreensão e conteúdo em nossas orações. Nós estamos aprendendo isso enquanto consideramos uma frase de cada vez.

Esta manhã chegamos à terceira frase no versículo 10. São as três primeiras palavras, "Venha o teu reino" - "Venha o teu reino". Vamos ler toda a oração e vê-la novamente em seu contexto. "Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal [pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém]!" " Venha o teu reino"- uma afirmação incrível - três palavras simples em português, três palavras simples no grego, e contudo elas nos abrem algo tão vastamente além de nós que nunca poderíamos conceber tudo o que está contido nessa simples afirmação. Enquanto eu mesmo abordo este texto, me sinto como um menino com um balde na praia de pé diante de mares inexplorados. Não há como eu possa contê-lo no meu balde não há como eu possa articular tudo o que está aqui, mas se eu posso simplesmente começar a aguçar o apetite você poderia passar o resto de sua vida examinando tudo o que está além disso e um dia, na eternidade, compreender a medida do que se quer dizer. "Venha o teu reino". Frances Havergal escreveu belamente o seguinte verso a Jesus Cristo, e eu acho que esse verso expressa algo do significado dessa frase "Oh a alegria de Te ver reinando, Tu meu próprio Senhor amado. Toda língua teu nome confessando, adoração, honra, glória, bênção trazidas a ti de comum acordo. Tu meu Mestre e meu amigo vindicado e entronizado até o fim mais remoto da terra, glorificado, adorado e possuído ".

A exaltação do Senhor Jesus Cristo é o de que se trata essa oração. "Venha o teu reino" é expresso para aquele que tem direito a governar, o direito de reinar que não é senão o próprio Rei, o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, Jesus Cristo. Deus o Pai procura isso, então quando você ora, você está orando de acordo com a vontade de Deus, pois no Salmo 2 lemos "Eu, porém, constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião". Em outras palavras, Deus diz Ele está exaltando Seu Filho, o Rei. "Proclamarei o decreto do SENHOR: Ele me disse: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei. Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão." Você vê, Deus quer dar os reinos do mundo ao Filho. Deus deseja colocar Seu Filho, Seu Rei, no monte sagrado de Sião, para reinar no trono de Davi. Quando Davi quis construir um templo para o Senhor Deus lhe disse através do profeta Natã "Você não pode fazer isso porque você é um homem de sangue eu não vou deixar você fazer isso" e Deus tirou dEle uma grande alegria e em troca deu-lhe uma grande promessa e disse em 2 Samuel 7 "Embora você não vá edificar minha casa, através de seus lombos virá uma criança e dessa criança será edificado um reino que jamais acabará". Assim, a promessa do Reino ao Rei, o Filho, o Filho eterno, é dada no Antigo Testamento não apenas ali mas muitas vezes. De fato em todo o Antigo Testamento há a promessa de um Rei vindouro, aquele que nasceria "sobre cujos ombros estaria o governo" diz Isaías. Aquele que reinaria, governaria e dominaria na terra, um Salvador, um Monarca, um Rei, um Messias.

A própria palavra Messias significa "ungido", aquele com o direito de governar e reinar. Você vê, isso é muito importante para você entender que o programa de Deus se concentra em uma pessoa. Não é um plano sem uma pessoa, não é um programa sem uma pessoa; A história se concentra em uma pessoa - aquela que voltará a reinar como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Tal era a esperança de Israel, tal é a esperança da igreja - tal é a esperança do mundo. Jesus Cristo, o Rei, consumará a história. Alguém disse muito bem, "A história é a história Dele". A história é o desdobramento redentor do plano de Deus na pessoa de Jesus Cristo. Estamos nos movendo para o lugar onde Cristo domina. Em Daniel, como veremos nesta noite - e não posso deixar de misturar os dois sermões - em Daniel quando vemos a imagem quebrada por uma pedra voadora que vem pelo ar, essa pedra é representativa de Cristo, e então a pedra enche toda a terra. Você vê, Cristo é inseparável do Seu Reino. Não há plano para além da pessoa; A pessoa é o plano. E orar "Venha o teu reino" não é nada mais nada menos, nem poderia ser mais ou menos, do que "Cristo, reina aqui e agora". Isso é o que está dizendo, e nós o veremos enquanto nos movemos nesta manhã.

Um verdadeiro filho de Deus não se preocupa tanto com seus próprios planos e seus próprios desejos, como o faz com o programa e plano determinados por Deus, revelados na pessoa de Jesus Cristo. Orar corretamente não é levar Deus a entrar em seus planos; é clamar a Deus para cumprir os planos Dele. "Venha o teu reino". É preciso uma transformação na vida de um crente para chegar ao lugar onde em vez de dizer "Venha o meu reino" ele diz "Venha o teu reino." Ah, podemos dizer "Venha o teu reino" em palavras, mas às vezes me pergunto se nossas orações não estão literalmente cheias de nosso próprio reino, nosso próprio plano, nosso próprio governo, nosso próprio reinado, nossas próprias causas. No entanto toda a história, toda a história redentora - desde a queda do Gênesis onde ouvimos falar da semente da mulher que nasceria para ferir a cabeça da serpente, toda a história está se movendo para a glorificação do Filho de Deus, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Toda a história redentora - e toda a história é história redentora nesse sentido - está se movendo para a consumação, o retorno de Cristo. Sua causa, Seu programa, e Seu plano é nossa preocupação. Mas você notou como isso vai contra a sua natureza humana; você percebeu isso? Você notou o quanto suas orações estão cheias de si mesmo? Você notou como você se apressa na presença de Deus para descarregar sobre Ele suas necessidades, suas causas, suas preocupações? Eu acho que é sempre assim com a natureza humana porque temos uma inclinação para o eu.

Eu não acho que seja melhor ilustrado em qualquer lugar do que na vida de um bebê. Um bebê recém-nascido não sabe nada do espírito da comunidade. Um bebê não sabe nada sobre deixar alguém ter sua escolha. Um bebê grita, e é incapaz de lidar com algo como uma mãe entrando e dizendo "Você sabe eu realmente vou chegar a isso eu acho que por volta das 9:15. Mas, entretanto, tenho algumas coisas para fazer." Não. Um bebê entende uma coisa e isso sou eu, eu, eu, eu quero, eu quero, e quando eles crescem um pouco mais e deixam o berço é "isso é meu você, você não pode pegar." E isso é o dobrado, e enquanto crescem, continuamos com o mesmo tipo da coisa. Geramos subculturas. Apelamos a essas subculturas através da publicidade e através das várias coisas em nossa sociedade e quando crescem até mesmo através do Ensino Médio e da Escola Secundária lhes dizemos que eles são o rei de seu próprio castelo, que eles determinam seu próprio destino. Eles são o mestre de seu próprio destino. Eles vão organizar seus próprios assuntos. Eles estão traçando seu próprio curso. Eles devem governar suas próprias vidas. E assim, toda a sociedade humana é uma orientação egoísta e egocêntrica que sabe muito pouco sobre qualquer outro pronome do que eu, meu e eu. E assim, quando Deus invade uma vida, e de repente o comando da Palavra de Deus é que quando você ora não sou eu, eu e eu, é o Teu nome seja santificado, a Tua vontade seja feita, o Teu reino venha, isso vai contra a correnteza. E então quando você tem pessoas que chegam dizendo-nos que devemos dizer a Deus que, e eu ouço esses pregadores dizendo, que devemos ir a Deus e exigir certas coisas, e temos de reivindicar certas coisas, e afirmar certas coisas, e forçar Deus a fazer certas coisas. Isso é uma total incompreensão de tudo o que Deus já projetou para fazer na história humana e é glorificar Seu próprio nome, Sua própria causa, Sua própria vontade, e Seu próprio Filho Jesus Cristo.

Agora quando eu sinceramente acredito e eu realmente confesso Cristo como Senhor e Rei em minha vida - e amado, isso é o que a salvação faz; a salvação não é nada menos que isso. Não é apenas tê-lo como Salvador e não como Senhor. A salvação é confessar com a sua boca a Jesus como Senhor, Romanos 10. E quando você fizer isso, você é levado, então, a uma afirmação de que a direção de sua vida é para a exaltação do Senhor em sua vida, de quem é Jesus Cristo, e suas próprias causas só são válidas na medida em que concordem com e estejam de acordo e em harmonia com as causas eternas de Deus a serem reveladas em Cristo. Quando oro "Venha o teu reino" estou realmente afirmando que minha própria vontade abandonou a regra de minha própria vida e estou dizendo ao Espírito Santo de Deus, o Espírito de Cristo dentro de mim, "Toma o controle e faças o que quiseres para Tua glória." Agora quando você faz isso você se confronta imediatamente com sua própria natureza humana, porque a sua natureza humana clama por sua própria vontade, por sua própria maneira e por suas próprias causas. Ah, amados, pudéssemos estar preocupados com as coisas de Deus, pudéssemos nos perder em Seu Reino, porque se isso fosse verdade então começaríamos a valorizar as coisas que deveriam ser valorizadas e nenhum homem poderia jamais tirar nada de nós.

As pessoas dizem para mim o tempo todo, "O que vai acontecer com a América? Ah nós temos esse problema no Irã, temos a chantagem internacional, temos todas as intrigas em nosso próprio país, econômica e politicamente, na educação e a invasão do humanismo e da moralidade e todas essas coisas, a homossexualidade. O que vai acontecer com o nosso próprio país? Vai ficar pior vamos ser perseguidos?" Bom, já há, penso eu, cinco pastores na América em julgamento agora, que poderiam ir para a cadeia por coisas que eles acreditam e talvez esteja chegando. Talvez esteja chegando o momento em que não poderemos dizer certas coisas e eles vão nos colocar na prisão. Mas se nossas causas - anote isso - são as causas de Deus, então não perdemos nada; Se o investimento de nossas vidas está em Seu Reino isso não pode ser tocado.

As pessoas dizem, "Você não está preocupado com a América, não está preocupado com a direção da América?" Bem, eu estou, em certo sentido, porque esta é a minha terra natal e agradeço a Deus por me colocar aqui e as liberdades que temos aqui, estou agradecido. Mas francamente, pessoal, minha preocupação é o Reino de Deus não uma nação passando na história do mundo. A América seguirá o caminho de todas as outras nações; inexoravelmente incorporado aos Estados Unidos está a hora inevitável indicada pela Palavra de Deus "A justiça exalta as nações, mas o pecado é o opróbrio dos povos". Os Estados Unidos não durarão porque nenhuma nação dura, porque nele estão as sementes de sua própria condenação por causa do pecado. E podemos ver rapidamente que já abandonamos nossas causas por Deus, já abandonamos nossos padrões bíblicos de moralidade e fomos deixados para trás no caminho, nós sabemos disso. Mas a América não é a questão; A questão é o Reino de Deus e o Reino de Cristo e Suas causas e se essa é a nossa preocupação, então o que quer com o que eles se ocupem, nunca vão tocar as coisas que realmente importam.

Eu disse a um dos jovens em um estudo bíblico da faculdade sexta à noite, alguém me disse, "O que aconteceria se você fosse perseguido por pregar ou se essas coisas acontecerem?" E por sinal, em muitas gerações, e muitas vezes, até mesmo em nossos próprios dias em outros países, isso é o que tem acontecido. E eu simplesmente disse o seguinte, "Bom, você sabe, se eles vierem atrás de mim e otmarem tudo que tenho, e me colocarem numa prsão, eles nunca poderão tocar em nada que seja valioso para mim" certo? Eles podem pegar o meu carro, podem levar minha casa, eles podem pegar minhas roupas, podem pegar algumas bugigangas que temos por aí, eles podem pegar todas essas coisas. Eles não poderão tomar o amor que tenho por minha esposa, e o amor que ela tem por mim. Eles não poderão arrancar o amor que tenho por meus filhos, e o amor que eles têm por mim. Eles não poderão tomar o amor que tenho pelo povo de Deus, e o amor do povo por mim. Eles nunca poderão tocar em minhas amizades. Eles nunca poderão tocar em Cristo na minha vida. Eles nunca poderão tocar em nada no Reino. E assim eu investi minha vida lá, então minhas causas se tornam as causas de Deus, e as únicas questões que o crente deve se preocupar são aquelas questões que edificam Seu Reino. É por isso que não queremos desviar-nos para as coisas do nosso dia e as coisas do nosso mundo. Estamos comprometidos com o Reino e o Reino continuará, as portas do inferno nunca prevalecerão contra ele. As nações vêm e vão - a nossa deve esperar por Jesus - mas isso nunca deve ser problema para nós. Nossa preocupação é com o Reino - o Reino. Isso não significa que não devemos orar pelos nossos líderes; devemos, a Bíblia nos diz isso. Mas devemos orar para que nossos líderes ajam, falem e pensem de acordo com os princípios de Deus. Somos pessoas do Reino, e portanto devemos orar "Venha o teu Reino" é a parte mais básica de nossas vidas. Devemos orar pelas causas de Deus. Como podemos nos considerar cristãos, como podemos dizer que afirmamos o senhorio de Cristo, como podemos dizer que O coroamos Rei de nossas vidas quando não estamos preocupados com Suas causas mas com as nossas próprias?

Agora lembre-se o Senhor está apresentando aqui o padrão para orar. Ele está nos mostrando que o padrão da religião em seus próprios dias, entre os judeus, era inadequado. Seu jejum não era do tipo que deveria ser feito, sua doação não estava certa, sua teologia não estava certa - Ele disse isso no capítulo 5. A relação deles com as coisas materiais não estava certa - Ele vai dizer isso no resto do capítulo 6 - e aqui Ele diz, "Sua oração não é correta." Por quê? Vocês oram por sua própria glória. Veja antes no versículo 5 "E, quando orardes, não sereis como os hipócritas" disse ele "porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens". Não orem dessa maneira visando o seu próprio ganho, seus próprios fins, seu próprio orgulho egoísta. "Venha o teu reino". Suas causas devem estar em seu coração. E assim temos uma oração modelo.

Agora, lembre-se disso, cada parte desta oração fala de Deus. "Pai nosso que estás no céu" essa é a paternidade de Deus, como nosso Pai. "Santificado seja o teu nome" essa é a prioridade de Deus. "Venha o teu reino" esse é o programa de Deus. "Seja feita a tua vontade" esse é o plano de Deus. "o pão nosso de cada dia dá-nos hoje" esta é provisão de Deus. "perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores" esse é o perdão de Deus. "Não nos deixeis cair em tentação mas livra-nos do mal" essa é a proteção de Deus. "pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre" essa é a preeminência de Deus. Toda a oração se concentra nEle e portanto usamos o versículo uma e outra vez e onde Jesus disse em João 14:13 "Tudo o que pedirdes em meu nome isso farei para que o Pai seja glorificado no Filho". A glória de Deus é que é a medida da oração. A paternidade de Deus, já estudamos isso não é mesmo? Deus é quem é nosso Pai amoroso, e vamos a Ele sem medo, sem ansiedade, mas com uma ousadia ansiosa porque sabemos que Ele nos ama. E então discutimos a prioridade de Deus "Santificado seja o teu nome" e dissemos que isso significa que o nome de Deus é tudo o que Ele é. E santificar Seu nome significa separá-lo, exaltá-lo, glorificá-lo, honrá-lo e falamos a vocês de quatro maneiras de fazer isso. Santificamos Seu nome quando cremos que Ele existe, quando cremos que Ele é quem Ele é, quando estamos completamente comprometidos com Sua presença e quando obedecemos Sua Palavra. E Ele deve ser santificado não apenas em geral no universo, mas em geral no universo e mais importante através de nós.

Agora chegamos à terceira: a paternidade de Deus, a prioridade de Deus e o programa de Deus. Qual é o Seu programa? "Venha o teu reino." Seu programa é exaltar Cristo; Seu programa é que a consumação da história esteja no reinado e no governo de Jesus Cristo. O Talmude que é o comentário judaico sobre Deus, a Palavra de Deus, e a lei de Deus, dizia o seguinte, "Essa oração em que não há menção do Reino de Deus não é oração de forma alguma". “Essa oração em que não há menção do Reino de Deus não é oração de forma alguma". O Reino é o cerne da questão. O Reino é aquele para o qual Deus planejou a história, para que Ele possa governar, que Ele possa reinar e que Ele possa ser supremo. Ele vem primeiro em nossas orações; Antes de você entrar em Sua presença com todas as suas petições pare o suficiente para considerar Suas causas, Seu Reino e afirmar o seu anseio de que Ele seja glorificado em Seus propósitos, e reiterar que seus pedidos são apenas pedidos na medida em que eles estão de acordo com propósito Dele.

Agora por que é tão difícil fazer isso? Deixe-me lhe mostrar. No versículo 9 diz, "Santificado seja o teu nome" e falamos sobre isso com muito detalhe. Há uma ordem lógica nessas petições que realmente nos ajudam a entender. "Santificado seja o teu nome". Dizemos "Oh Senhor quero que o teu nome seja santo. Eu quero que Seu nome seja santificado em minha vida. Quero "adornar a doutrina de Deus" como Paulo disse a Tito. Quero viver a santidade que Te manifesta ao mundo. Seja santificado em mim - seja o Teu nome santificado em mim." E nós dizemos isso e ainda assim há esse problema nisso. Qual é o problema? Que assim que desejamos viver uma vida santa, assim que desejamos viver para Ele, enfrentamos o fato de que corremos direto para um reino que existe neste mundo que a Bíblia diz que é o reino das trevas, certo? E é o reino das trevas, o reino de Satanás que resiste ao esforço do crente de viver uma vida santificada. Portanto, depois de dizer "Santificado seja o teu nome" devemos dizer "Venha o teu reino". Porque se o reino de Satanás não for resistido não haverá santificação de Seu nome, a menos que, como diz Paulo, “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" não poderemos santificar Seu nome. De modo que "Venha te reino" é a única maneira que Seu nome será sempre santificado. Até que Seu reino seja estabelecido, até que Seu governo seja firmado, não temos capacidade para santificar Seu nome. E você notará também que a próxima petição é "Seja feitatTua vontade." Seu Reino nunca poderá vir até que Sua vontade seja feita, porque Seu Reino e Sua vontade são um e o mesmo. E assim há uma bela progressão. Sua vontade não pode ser feita até que Ele seja reconhecido como Rei, ninguém se submeterá à Sua vontade até que se submetam ao Seu Senhorio, e até que se submetam à Sua vontade, Ele não pode ser Senhor, e até que Ele seja Senhor, você não tem capacidade de santificar o Seu nome, porque Ele precisa energizar isso. E assim não bastaria dizer "Santificado seja o teu nome" a menos que disséssemos "Venha o teu reino" e não podemos dizer "Venha o teu reino" sem dizermos "Seja feita a Tua vontade" Porque Seu Reino é o direito de governar, o que lhe dá o privilégio de expressar Sua vontade à qual nos submetemos. E assim tudo flui junto.

Agora vejamos a frase "Venha o teu reino". É tão emocionante para mim - eu só espero que você esteja tão animado com isso, quando eu terminar, como estou. Eu simplesmente me sinto emocionado com o que o Senhor está começando a abrir em meu próprio coração sobre isso. Três palavras "Venha o teu reino." A palavra teu, um pronome simples, sou. A palavra reino, basileia - eu quero falar sobre isso um minuto, basileia. A palavra é traduzida como "reino" mas significa domínio ou reino. Eu só queria, eu acho, pessoalmente, destacar que em toda parte essa palavra aparece traduzida por reino R-E-I-N-O porque eu acho que diz algo para nós. Pensamos em reino e imediatamente no que você pensa? Henrique VIII, castelos fortes, cavaleiros. Ou talvez você pense no reino mágico da Disneylandia. Eu não sei o que você pensa de - castelos lá, também tem a Bela Adormecida, quem sabe? Reino - e quando pensamos em um reino pensamos em todas as ramificações disso. Pensamos em terras, pensamos em pessoas montando cavalos, pompa e cerimônia, donzelas e cavaleiros, castelos, fossos, muros, leis e todas essas coisas. E não podemos pensar em reino em quaisquer outros termos porque essa é a perspectiva do mundo. É por isso que Pilatos disse a Jesus "Você é um rei?" E a implicação era "que tipo de rei é você? Quer dizer, quem viu um rei como você? Que tipo de rei é você?" E ao que Jesus respondeu, "O meu reino não é deste"- que? -"mundo".

Isso significa que Cristo rege. Ele não precisa ter muros, castelos, fossos, cavaleiros, donzelas, e coroas e tudo isso. É o domínio de Cristo, é o reino de Cristo, é a soberania de Cristo, pelo qual devemos orar. E então o verbo elthetō, que é um aorist imperativo ativo, forma de erchomai que significa "vir" - significa deixá-lo imediatamente e de repente vir. Deixá-lo vir, deixá-lo vir agora e deixá-lo vir de repente. Deixá-lo vir realmente e deixá-lo vir completamente.

Agora então, essas três palavras, nos apresentam três perguntas que eu gostaria de tentar responder, e digo tentar porque eu não posso fazê-lo em sua plenitude, mas vou tentar dar-lhe algo para pensar E eu acho que é emocionante. Três perguntas, pergunta número um: de quem é o reino? Essa é a palavra Teu. Vamos pegar cada palavra e fazer uma pergunta. De quem é o reino? É o Teu reino. Quem é Teu? Volte ao antecedente no versículo 9, "Pai nosso que estás nos céus santificado seja o teu nome. Venha o teu reino." De quem é esse reino? É o reino de Deus; Não é um reino humano é o reino de Deus. Não estamos envolvidos em um reino humano; Essa não é nossa prioridade. Nós não somos deste mundo. Fomos traduzidos para fora deste mundo. Nossa cidadania não está aqui. Somos peregrinos e forasteiros. Nossa cidadania está lá. Buscamos uma cidade cujo construtor e criador é Deus.

Fico espantado como as pessoas querem se preocupar sobre como elas podem preservar a igreja através das entidades políticas na sociedade. Não pode ser feito; Você não pode fazê-lo. Não há nenhuma instituição humana estabelecida que possa encaixar-se com o reino, nenhuma; E é por isso que quando os cristãos se tornam políticos encontram-se com todos os tipos de aliados porque você não pode avançar o reino através da política de qualquer sociedade. Uma das tragédias nos Estados Unidos foi nos primeiros anos da América, quando a América era cristã, em um sentido maior do que é hoje, e os líderes do país eram cristãos a igreja repassou ao governo certos direitos. Eles deixaram o governo assumir o cuidado das viúvas, o cuidado dos órfãos, um sistema de previdência social e eles deixaram o governo cuidar disso porque todos eram cristãos. Agora acordamos e descobrimos mais tarde que o governo assumiu todas as responsabilidades sociais que pertencem à igreja e não sabemos como recuperá-las, e não gostamos do que o governo está fazendo com elas. E se alguém tivesse pensado há muito tempo que você não pode governar o reino através do governo talvez não teríamos entrado nessa. Isso é único. Não estamos falando de um reino feito pelo homem, eles vêm e vão. O Egito veio e se foi, a Síria veio e se foi, a Assíria veio e se foi, a Babilônia veio e se foi, a Medo-Persa veio e se foi, Roma veio e se foi e virá novamente. A Grécia, de Alexandre o Grande, conquistou tudo desde a Europa até a Índia e do norte da Europa até o Egito e desapareceu, nada resta desse grande império. Historiadores nos dizem que houve pelo menos 21 grandes civilizações, todas as quais estão agora extintas.

Daniel disse isso - ele disse isso em referência à Babilônia, mas poderia ser dito em referência a todas as nações do mundo - "Pesado foste na balança e achado em falta. Dividido foi o teu reino." E naquela noite os medos e os persas entraram pelas portas e exterminaram o império babilônico. Todos os reinos seguem o caminho de toda a carne; O poder descendente do pecado é que a decadência, a angústia e a destruição são inevitáveis. E acontecerá na América - é inevitável é a lei inexorável de Deus. Mas não estamos falando sobre isso. Nunca comparamos a igreja com a América; Nós sempre equiparamos o reino de Deus com a América. O reino de Deus é o reino de Deus e é maior do que uma nação, é diferente de uma nação, e assim a nossa causa é a causa de Deus. Eu amo este país porque é a minha própria casa e porque Deus nos deu grandes liberdades aqui e eu sou grato a Ele por isso, e porque há pessoas aqui que eu amo e pessoas que eu desejo que conheçam Cristo. Mas o Seu reino é a minha causa, e este país só existirá e só será tolerado em no coração de Deus e em seu coração enquanto estiver de acordo com a causa de Seu reino, e quando deixar de fazer isso não tem nenhum direito de ser perpetuado. O reino Dele é a questão, não o meu reino mas o Dele. E eu posso enfatizar que, como eu disse anteriormente, você tem que aprender em algum lugar em sua vida de oração e em algum lugar em seu compromisso com Deus, que não é a sua causa que importa. Você vê, isso é o que nosso Senhor quis dizer quando disse, "buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas". Suas roupas sua habitação e sua comida, todas essas coisas Ele cuidará se você buscar Seu reino. Então, quais são as nossas orações então? Senhor eu oro para que faças o que quer que seja que avances com o Teu reino, o que quer que traga Teu domínio e Teu reino. De quem é o reino? Dele.

Segunda pergunta, o que é o reino? E essa é uma questão importante; O que é isso? De que estamos falando quando estamos falando sobre o domínio de Cristo, o reino de Cristo? Bem não podemos cobrir tudo. Gostaria de sugerir, se você quiser um bom livro sobre isso, do livro de Alva McClain sobre A Grandeza do Reino, um livro abrangente, maravilhoso sobre o assunto. Mas, deixe-me tocar nisso, certo? E ah isso é emocionante. O que é o reino? Quando dizemos "Venha o teu reino" o que estamos dizendo? Bom, em primeiro lugar, o reino é uma frase, o reino de Deus, o reino dos céus, é uma frase usada mais do que qualquer outra por Jesus. Frase muito comum; Na verdade Ele fala sobre pregar a Boa Nova do reino. Na verdade quando Ele veio, Ele disse "Arrependei-vos porque o reino está próximo". Jesus disse - e eu acho que isso é muito importante - Ele disse isso em Lucas 4:43 "É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus...pois para isso fui enviado". Em outras palavras, seja o que for o reino, é o cerne de Sua mensagem; por que? Porque é o coração do plano, é o coração da história, é o coração de tudo - o reino, o domínio de Cristo é o ápice da história humana. Nada mais importa além disso; E aquelas coisas que importam, importam porque estão de acordo com isto. Jesus passou todos os Seus anos com Seus discípulos por mais breves que foram, ensinando-lhes o reino, o reino, o reino, o reino, e quando Ele morreu e ressuscitou Ele teve mais quarenta dias, e em Atos capítulo 1 Versículos 2 e 3 diz, "aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus". Ele tinha apenas quarenta dias, mas era mensagem do reino novamente, e Ele apenas continuou falando sobre o reino, sobre Seu domínio e Seu reinado.

Agora Jesus falou do reino de três formas: passado, presente e futuro. Ele falou do reino como passado, pois encarnou Abraão, Isaque e Jacó em Mateus 8:11. Já estava por perto. Ele falou do reino presente porque em Lucas 17:21 Ele disse "o reino de Deus está dentro de vós”. E Ele falou do futuro, porque aqui Ele diz "Ora para que venha o teu reino". Agora como pode o reino estar lá no passado aqui no presente e ainda assim ter de vir no futuro? O que é este reino, esse reino que está em todo tempo; Este reino que é passado, presente e futuro tudo ao mesmo tempo; Esse reino que já era já é e precisa ser? Bem os judeus tinham uma idéia; Eles pensavam que o reino era político. Eles pensavam que o reino iria ser Jesus entrando e derrubando os romanos, mas não era. O que é esse reino? Bom, lembra-se da primeira coisa que Jesus disse em João 18:36, "Meu reino não é deste mundo", tenha isso em mente, então o que quer que seja não será como você está acostumado. Então, quando Pilatos disse "Você é um rei?", O que Pilatos estava dizendo era que havia muita confusão. "Como você pode pretender ser um Rei?" E eles pregaram em sua cruz "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus" cínico, zombeteiro, que tipo de rei é esse? Este é um rei? E Jesus disse, "Vocês vêem e vocês não entendem porque meu reino não é deste mundo". Então se você está procurando o tipo de reino que vê ao seu redor não o verá em Jesus Cristo; Não é esse tipo. Bom, que tipo de reino é?

Deixe-me fazer uma distinção para você que vai ajudá-lo a entender isso. Em primeiro lugar há dois elementos para o reino: há o universal e o terreno. Um cobre todo o universo e um está relacionado com a terra. Agora, deixe-me falar sobre o reino universal. Em certo sentido Deus é o Rei de todo o universo, certo? Nenhuma dúvida sobre isso. Quer dizer, Ele o fez, Ele o dirige, Ele o levará até a consumação; Ele é o Rei universal. James Orr diz "Há, portanto, reconhecido na Escritura, um reino natural e universal, ou domínio de Deus, abrangendo todos os objetos, pessoas e eventos, todos os feitos de indivíduos e nações, todas as operações e mudanças da natureza e da história absolutamente sem exceção " fechar aspas. Em outras palavras, Deus domina e a Bíblia fala sobre isso. Salmo 145:13 diz, “Teu reino é um reino eterno." Salmo 103:19, "O Senhor domina sobre todos." I Crônicas 29, "Tu reinaste sobre todos." Jeremias 10, "Tu és um rei eterno". 29:10 "O Senhor permanece rei para sempre". Primeiro Crônicas 29:11 e 12 resume o reino universal de Deus em palavras absolutamente deslumbrantes, "Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, SENHOR, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força." Que grandes palavras. Ele é o rei universal e Ele media esse governo através de Seu Filho por Quem Ele fez os mundos e de quem é dito em Colossenses 1, "Ele é antes de todas as coisas e por ele todas as coisas subsistem". E de quem diz Paulo a Timóteo, "ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único." Deus é o rei universal e Ele media através de Seu Filho que governa e a quem é dado o direito de julgar e reinar.

Agora ouça, esse é o reino universal. Veja o versículo 10 por um minuto; Você vê o que ele diz? "Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade na terra como no céu ". Esse é um paralelismo hebraico e eu acho que poderíamos tomar a segunda parte e adicioná-la à primeira parte e ter o sentido dela. Venha o teu reino na terra como no céu. Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu. Podemos até dizer "Santificado seja o teu nome na terra como no céu" certo? O nome de Deus é santificado no céu? Sim. A vontade de Deus é feita no céu? Sim. Seu reino e domínio está estabelecido no céu? Sim. Então o que está pedindo aqui? Que seja estabelecido onde? Na Terra; Essa é a essência. O ponto é este, amado, o reino universal no céu está estabelecido; A oração é para que venha a esta terra. Esta pequena partícula infinitesimal de areia em um universo infinito que se rebela contra o Deus santo, que seja trazido em harmonia, veja com o resto. O reino universal é total, ininterrupto e eterno e somos simplesmente capazes de reconhecer isso. Mas o que estamos pedindo aqui é, "Oh Deus pare a rebelião. Que Tu possas estar reinando aqui como estás reinando lá." É um grande conceito. Embora Seu nome seja santificado no céu nem sempre é santificado na terra; Embora Sua vontade seja feita no céu nem sempre é feita na terra; E embora Seu reino tenha chegado no céu não veio em todos os casos na terra porque há rebelião. O propósito então, da oração é trazer o Seu reino à terra para que Ele derrube o pecado, para que Ele diminua a rebelião, para que diminua o mal, para levar o nome de deus a ser santificado. E você sabe, é maravilhoso pensar sobre isso. Aliás, isso acontecerá e quando acontecer não haverá mais distinção entre Seu reino universal e Seu reino terreno; Eles se misturarão ao Seu reino eterno. Eles se misturarão ao Seu reino eterno.

Assim o reino é o governo de Cristo na terra é por isso que estamos orando. Não estamos orando "Venha o teu reino" universalmente. Ele reina para sempre lá. Estamos orando "na terra como no céu" é isso que estamos orando. Ó Senhor a terra é nossa preocupação; Traga a plenitude de seu dominio aqui. Deixe-me fazer uma pergunta, este mundo precisa do domínio de Jesus Cristo? Amém. Permitam-me outra pergunta, há um dia em que Ele vai governar este mundo? Há, e Ele o governará com uma vara de ferro. Haverá um dia no futuro quando Ele governará e quando Ele reinará, e quando nossas orações serão finalmente e plenamente respondidas. Eu acredito naquele reino milenar sobre o qual o Apocalipse fala, e eu acredito que então iremos direto para o estado eterno onde o reino terrestre e o eterno reino universal se fundem em um para sempre, um que nós ocuparemos com Sua Própria presença abençoada. De quem é o reino? Dele. O que é o reino? O reino em mente aqui é Seu governo na terra.

Terceira pergunta, e aqui está o cerne da questão - como é que isso vem? Diz neste versículo "Teu reino" diz o grego "deixe vir e deixe vir agora". Essa seria a maneira de traduzi-lo. Como deixamos isso acontecer? Como fazemos isso? Como nós trazemos o reino? Como conseguimos depois disso? Como é que essa oração deve ser respondida? Já sugerimos isso mas deixe-me dar-lhe três maneiras. Eu acho que isso resume tudo, três maneiras.

Número um, conversão. Como você pode trazer o reino de Cristo a esta terra? Primeiro de tudo pela conversão. Eu acho que esta é uma oração missionária, eu acho que esta é uma oração de evangelismo. Eu vou lhe dizer uma coisa, Cristo reina em minha vida, Ele reina em sua vida? Nesse sentido Ele trouxe Seu domínio para esta terra, não é verdade? Você vê em Lucas 17 Ele disse "Não busque o reino aqui e ali". As pessoas dizem "Onde está o reino, onde está o reino, onde está o reino, onde estão as políticas do reino?" Ele diz "Não olhe aqui e ali. O reino de Deus está no meio de vocês." Onde? Aqui estava Ele ali de pé e nem sequer O reconheciam. Ele é o Seu reino; Você nunca o separará de Seu reino. É por isso que a pedra que fere a imagem se torna o reino que enche a terra. Cristo na minha vida governando e reinando em minha vida traz Seu reinado a esta terra e Ele media Seu reino através do crente. É um grande conceito. É por isso que a Bíblia diz que somos reis e sacerdotes. Deus literalmente media Seu reino através do crente; Ele reina na minha vida e na sua. E assim dizer, "Venha o teu Reino" é orar para que Ele possa assumir Sua residência reinante nos corações e vidas daqueles que ainda estão em rebelião. É uma oração pela salvação. Quando você recebe Jesus Cristo você faz essencialmente o que o escritor do hino disse "Rei da minha vida eu te coroarei agora, Tu serás a glória." Foi o que você disse. Acredito que a canção de Natal tinha razão "Alegria ao mundo o Senhor veio". Pensamos em Belém não é mesmo? Isso não é o que o escritor de hinos tinha em mente. "Deixe a terra receber seu rei." Como? "Que cada coração" faça o quê? "Preparai-Lhe espaço e o céu e a natureza cantam." Ele é rei em um coração, esse é o Seu reino, esse é o Seu reinado, que é o Seu lugar de governo, onde Ele habita. Você é o único castelo que esse rei já teve; Você é Seu único palácio. E assim é uma petição para a conversão para que Ele possa reinar nos corações dos homens.

Ouça amados, a razão pela qual evangelizamos, a razão pela qual conversamos com as pessoas sobre Cristo, não é tanto por elas mas por Ele, porque é errado que alguém não permita que Ele reine porque Ele é digno. E assim Paulo disse em Romanos 1 que saímos e pregamos "para obediência por fé entre as nações" - porquê - "por causa de Seu nome". Terceira João 7 "Nós saímos pregando por causa de Seu nome " diz. A razão para se tornar um cristão é para glorificar e exaltar Seu nome e Seu reino. Então o reino de Deus começa com um convite. Se Cristo vai reinar na terra começa com um convite. Jesus disse, "O reino dos céus é assim" em Mateus 22. "É como um homem que tem uma grande festa, é como um homem que tem um grande banquete e ele envia convites para os convidados para virem e eles podem aceitar o convite e vir ou recusá-lo." Jesus disse, "Vá para as estradas e caminhos e finalmente obrigue-os a entrar" disse ele. Em outras palavras, "Há um convite aqui, Meu reino está aqui, e eu quero que você venha." E assim orar "Venha o teu reino", é fazer uma oração evangelística, uma oração missionária, convidar as pessoas ao Evangelho do reino.

Em segundo lugar, no aspecto da conversão, o reino de Deus começa com um convite e inclui o arrependimento. Jesus disse "Arrependei-vos porque o reino está próximo". "Arrependei-vos." Em Marcos 1:14 e 15 diz e eu acho que resume muito bem isso, "Jesus veio à Galiléia pregando o evangelho da Reino" e o que era? "O reino de Deus está próximo; Arrependei-vos e crede no evangelho." O reino vem quando vocês se arrependerem; O reino vem quando vocês crerem. Portanto, é um convite que exige arrependimento.

Em terceiro lugar, exige um ato da vontade. Exige um ato da vontade. Jesus disse a um escriba uma vez "Você não está longe do reino." O que Ele quis dizer? Ele quis dizer que você tem o conhecimento intelectual, você tem que fazer a escolha ainda. Se você quer entrar no reino você não só tem que ter o conhecimento intelectual, você tem que fazer a escolha. "Ninguém" disse Jesus "que põe a mão no arado" = é um seguidor que começa a seguir e depois olha para trás - "não é adequado para Meu reino". Em outras palavras você pode saber a respeito, e você pode fazer algum esforço em direção a ele, mas até que você faça esse compromisso final, completo, mediante uma decisão, você não entra no reino; O governo de Cristo não está estabelecido em seu coração. Então lembre-se disso, o reino é estendido como um convite. É um convite que exige arrependimento do pecado. Exige uma aceitação por um ato da vontade, do Senhorio de Jesus Cristo.

E posso dizer finalmente neste pequeno pensamento que o reino é interno. "Meu reino não é deste mundo". É um mundo interno; Está no coração e na vida. Tal reino, tal reino interno, oferecido por um convite que exige arrependimento e escolha, afastando-se do pecado, voltando-se para Deus é oferecido a cada homem. Como devemos responder?; Como você deve responder? Bom, Jesus disse isto número um, "Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça". Você deveria estar procurando isso não deveria? Se há um reino você deve buscá-lo, se há um reinado e um domínio de Cristo você deve correr para ele, você deve buscá-lo com todo o seu coração. Sabe, em Lucas 16:16 ele diz e este é um versículo notável, "A lei e os profetas foram vigoraram até João" - João Batista. "Desde então" ouçam isto "vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” Há muitas maneiras de interpretar isso, mas eu gosto da que leva esse verbo biazetai, o que realmente significa entrar violentamente. Quando as pessoas cujos corações estão direcionados para o reino, elas estão com pressa de correr para ele. Elas literalmente o agarram, como coisas violentas. Quando eles vêem o valor do reino de Deus eles estão correndo para agarrá-lo. É essa a sua atitude? Devemos orar "Venha o teu reino" no sentido de que os homens se convertam para que se apressem a compreender o reino de Cristo em sua vida.

Em segundo lugar, devemos valorizá-lo. Você sabe, em Mateus 13 Jesus diz, "O reino é como um tesouro" no versículo 44, então no versículo 45 Ele diz, "É como uma pérola de grande preço." É inestimável, é inestimável em seu valor E, e nós, porque vale tanto, devemos correr para agarrá-lo. Devemos receber o reino. Pela fé nós a seguramos; um serviço de bordo não vai fazer isso. Muitos dirão "Senhor, Senhor" e não entrarão no reino. Dinheiro não vai fazer isso. É mais fácil para um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um homem comprar seu caminho para o reino. A justiça própria não o fará porque "a menos que sua justiça exceda os escribas e fariseus você nunca entrará no reino." O que o faz? A fé - recebendo o convite, arrependendo-se de seu pecado por um ato da vontade, afirmando o senhorio de Cristo; Vendo que o milagre interno ocorre. E você tem que buscá-lo com todo seu coração porque você o valoriza. Assim o reino vem pela conversão.

Em segundo lugar, creio que o reino vem pelo compromisso. Você diz "Eu já sou um cristão, John". Quando oro "Oh Senhor que Teu programa, Teu reino e Teu governo estejam no mundo" estou orando para que o coração das pessoas sejam abertos ao teu reino e aberto à tua regra. Devemos dizer "Oh" Teu reino chegue aos corações de homens rebeldes que não estão glorificando a Ti." Mas e se nós já somos cristãos como isso se aplica a nós? O que posso dizer ao Senhor? Senhor, o Teu dominio venha na minha vida se já está lá? Só isso pessoal: Ele é Senhor e Ele está governando, mas eu acho que na vida cristã é um momento diário para nós afirmarmos que dobramos o joelho a esse domínio, certo? Esse é o compromisso onde eu digo todos os dias "Tu és o Senhor". E eu chego àquelas eternas encruzilhadas em minha vida onde escolho minha vontade ou a vontade Dele, meu caminho ou o caminho Dele, e eu inevitavelmente me deparo com os dois caminhos. E quando eu afirmo, "Eu me comprometo com as Tuas causas e o Teu reino" eu seguirei o Teu caminho. No coração do crente, devemos submeter-nos e comprometer-nos constantemente em submissão ao Seu Senhorio. Eu o chamo respondendo à realeza residindo em nós. Acho que isso é o que Paulo queria dizer. Em Romanos 14:17 ele está escrevendo aos cristãos; Você sabe o que ele disse? Ele disse "O reino de Deus não é comida nem bebida" o reino de Deus não está no exterior, o reino de Deus não é externo, ouça isso. Ele disse, "O reino de Deus é justiça e paz e alegria no Espírito Santo". E se o reino vier à minha vida posso orar como cristão "Ó Senhor faz-me mais justo, mais como Cristo; Oh Senhor enche-me mais com a Tua bendita paz; Oh Senhor, que eu possa conhecer a plenitude da alegria do Espírito Santo. "E ao me entregar às virtudes que o Espírito quer produzir em minha vida, peço que a plenitude do Reino de Cristo se manifeste em mim.

Há uma terceira maneira que o reino vem. E eu fico maravilhado, você sabe, algumas pessoas tomaram estes dois primeiros e disseram, "Isso é tudo o que existe; Esse é o fim." Eu não posso aceitar isso. Há uma terceira maneira. O reino vem na conversão, compromisso, e finalmente vamos apenas chamá-lo de vir novamente ou consumação. Creio, pessoal, que um dia os céus se abrirão e Jesus Cristo descerá e plantará Seus pés no Monte das Oliveiras e neste mundo estabelecerá Seu reino. Creio que o Apocalipse nos diz que será um reino milenar, milenar no qual Ele corrigirá as coisas e governará com uma vara de ferro e o mundo finalmente ouvirá a resposta à oração "que o reino universal se torne O reino terrestre". E por mil anos Ele reinará com uma vara de ferro em justiça, retidão, verdade e paz, no fim do qual esse reino se mesclará no reino universal e nunca mais haverá um distinção. Mas eu creio que este mundo verá o reinado real de Jesus Cristo aqui quando a maldição for invertida e for como Deus quis que fosse antes da queda. Há uma vinda outra vez. Alguém escreveu "Venha o teu reino, ó Deus. Teu domínio, ó Cristo, tenha início. Rompa com a tua vara de ferro as tiranias do pecado.”

Está chegando o dia em que Ele fará isso. Israel orou por ele, a igreja orou por ele, os discípulos perguntaram, "Será este o tempo em que o reino virá?" E Ele disse, "Ainda não é para vocês saberem o tempo e as estações; simplesmente permaneçam ocupados até que isso aconteça." Eu acredito que Jesus está vindo estabelecer seu reino. Creio no que o autor de hinos disse "Jesus reinará onde o sol faz as viagens sucessivas. Seu reino se espalhou de costa a costa até que a lua se fixe e não diminua mais." Creio que Ele governará. Creio que é o destino desta terra que Jesus domine sobre a terra no trono de Davi na cidade de Jerusalém do seu trono, e remova as maldições que foram trazidas a esta terra. E como Pedro, busco e apresso o dia em que Ele vier. Ouço João, você o ouve? Dizendo repetidas vezes "Jesus está chegando" no Livro do Apocalipse "Jesus está vindo Jesus está vindo." E finalmente chegamos ao fim e ele diz "Ora" - o que - "vem Senhor Jesus." Isso é parte de nossa oração também, não é mesmo? Estamos orando não apenas para que Seu reino venha nos corações e vidas de pessoas que não O conhecem, oramos para que Seu reino venha em nossos corações, para a plenitude de que Ele é digno, mas estamos orando também para que algum dia Ele venha e quebre a tirania do pecado, endireite este mundo malvado, feio e amaldiçoado. Tem que ser assim porque é isso que a Bíblia promete. E eu creio que estamos orando por um milagre instantâneo de salvação no coração das pessoas "venha aos seus corações e venha agora" e creio que estamos pedindo um compromisso momentâneo imediato, "Senhor Tu és o Senhor; Posso Te obedecer agora? Aqui e agora eu afirmo isso, e Senhor um dia quando vieres para estabelecer Teu reino, que ele seja repentino, imediato e instantâneo quando assumires Teu trono." Esse dia glorioso está vindo, amado, e nesse meio tempo, o reino está no meio de vocês, enquanto Ele reina e governa nos corações de Seu povo. Vamos orar.

Obrigado Pai por nos dar o privilégio além das palavras, além de nossos pensamentos, de sermos uma parte do Teu reino. Oh Senhor, ao conceber tal graça para fazer-nos parte do plano e em seguida para fazer-nos mensageiros do Rei para este mundo cansado e dilacerado pelo pecado. Pai, nós o reconhecemos como rei, como manifestado no Filho eterno Jesus Cristo; Por Sua glória vivemos, por Sua glória oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize