Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Temos o privilégio nesta manhã de voltar ao nosso estudo do Evangelho de Mateus. Pegue sua Bíblia, se quiser, e prepare-se para ver comigo em Mateus, capítulo 8. Mateus, capítulo 8. O fim do nosso período sabático neste verão, deixamos nosso estudo de Mateus para compartilhar algumas coisas de 2 Pedro, capítulo 1, e eu acho que foi como o Senhor quis que fosse. Mas agora, com grande alegria e expectativa, voltamos ao nosso estudo, em curso, do evangelho de Mateus. Nós cobrimos os primeiros sete capítulos, e agora vamos prosseguir neste evangelho tremendo e emocionante .

Do oitavo capítulo até o capítulo 12, é realmente, em muitos aspectos, fundamental para a compreensão da vida de Cristo e a mensagem de Mateus. Porque nesta seção, Mateus registra uma série de milagres realizados por Jesus Cristo. Há incontáveis milhares de milagres que são realizados, nove dos quais ele destaca como exemplos do poder de Jesus Cristo. Eles são realmente suas credenciais como o Messias. Eles são os sinais que apontam de forma convincente a sua divindade, pois somente Deus pode fazer as coisas que ele faz. A parte triste é que, depois dos milagres nos capítulos 8 e 9, após a pregação que ocorre depois disso, os judeus concluem no capítulo 12 que Jesus é do diabo. Essa foi a conclusão deles. Assim, em muitos aspectos, este se torna o centro da mensagem de Mateus. Cristo faz todo o possível para manifestar a Sua divindade, e eles concluem exatamente o contrário. E, em seguida, no capítulo 13, Ele se volta dos judeus para o estabelecimento de uma igreja gentia. Esta é uma seção monumental da Escritura. Agora você vai perceber que começa com três milagres: o milagre da cura do leproso nos quatro primeiros versículos; a cura o homem com paralisia, versículos 5-13; e a mulher com febre nos versículos 14 e 15. Esta é a tríade de milagres na abertura. Há nove milagres nestes dois capítulos. Eles vêm em três seções de três: três milagres, então uma resposta; três milagres, em seguida, uma resposta; três milagres, em seguida, uma resposta; todos concebidos para manifestar a divindade de Jesus Cristo.

Os milagres, você vê, foram maneiras de Deus atestar a divindade de Seu Filho. Eles são milagres criativos. Eles manifestam poder que só é definido pela essência de Deus. São coisas que o homem nunca poderia fazer. Eles são sobrenaturais. Agora, esta abordagem de dar credenciais para o Messias através de milagres não é apenas a abordagem de Mateus, mas é também a abordagem de João. Veja comigo por um momento no evangelho de João; e eu só quero usá-lo como uma ilustração de modo que você vai ver a importância dessa questão. João 1:14. Em João 1:14, lemos o seguinte: "E o Verbo [e, é claro, que se refere à própria deidade, ao próprio Deus, ​e o Verbo se fez carne e habitou entre nós", diz João. Então isto: "E vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai." João diz que a Divindade se tornou homem, e vimos a Sua divindade. Isso é o que ele está dizendo: "Nós vimos a Sua glória. Vimos o divino no humano. Vimos Divindade essencial. Nós vimos Deus." Como, João? Como você viu isso? Onde foi manifestado? É fácil para João. João então começa a partir dessa declaração para dar uma série de milagres em seu evangelho, realizada por Jesus, que são a manifestação que Ele era a plenitude da Divindade Ele próprio. E, durante todo o evangelho, o Espírito Santo nos chama para fazer essa conclusão.

Abra em João 5, versículo 19. Vou apenas dar a você uma visão geral deste evangelho. João 5:19: "Então, lhes falou Jesus” [isto é, para os judeus]: “Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz." Em outras palavras, Jesus diz: "O que vocês me vêm fazendo é exatamente o que Deus pode fazer." Agora, essa é uma reivindicação monumental, francamente. Versículo 20: "Porque o Pai ama ao Filho, e lhe mostra tudo o que faz, e maiores obras do que estas lhe mostrará, para que vos maravilheis". Em outras palavras, Jesus diz: "Vejam, o que estou fazendo é o que somente Deus pode fazer." Deve fazer você se maravilhar. Versículo 36 do mesmo capítulo, "Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me confiou para que eu as realizasse, essas que eu faço testemunham a meu respeito de que o Pai me enviou." Como Ele manifestou divindade? Através, não somente do que Ele disse, mas, ainda mais, através do que Ele fez: Seu miraculoso poder criador sobrenatural. Somente Deus pode criar, e os milagres de Jesus foram milagres criativos.

Em João capítulo 10, versículo 25, nós encontramos isso novamente. "Respondeu-lhes Jesus [e novamente são os judeus], já vo-lo disse," Isto é, "Eu falei e vocês não acreditaram. Vocês não acreditaram no que eu disse. Vocês não acreditaram em minhas palavras. As obras que eu faço em nome de meu Pai, ou no poder de meu Pai, elas dão testemunho de mim. Você nega as minhas palavras, mas como você pode negar minhas obras?" Versículo 32, "Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte do Pai; por qual delas me apedrejais?" Sarcasmo. É óbvio que estas têm sido sobrenaturais. "Por qual delas me apedrejais?" Versículo 37: "Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis.” Se eu não posso fazer o que Deus pode fazer, não creiam em mim. Se eu não posso mostrar a vocês que eu sou Deus, então não acreditem nisso. Mas se as faço, e ainda assim não creem em mim, isto é, no que eu digo, creiam nas obras ... “para que possais saber e compreender que o Pai está em mim, e eu estou no Pai." Capítulo 14, versículo 10 diz essencialmente a mesma coisa: "Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim?" Em outras palavras, em João 14:10 Ele está dizendo: "Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras."

Capítulo 15, você tem a mesma coisa no versículo 24. "Se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez, pecado não teriam [isto é, o pecado da rejeição], mas, agora, não somente têm eles visto, mas também odiado, tanto a mim como a meu Pai." Veja, essa é a questão do evangelho de João. Vê os milagres? Conclua que Ele é Deus. E isso ainda afirmou que esse é o propósito do livro no capítulo 20, versículo 30. João 20, versículo 30, uma importante afirmação: "Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais [ou maravilhas ou milagres] que não estão escritos neste livro." João diz: "Eu só lhes dei uma amostra, como Mateus. É apenas uma amostra. Muitos outros foram feitos. Por quê? “Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo". Estes; o que estão registrados? Estes sinais, esses milagres, “para que, crendo, tenhais vida em seu nome." Vê.

Toda a tese de João é apresentar os milagres de Jesus como a afirmação da Sua divindade, de modo que os homens pudessem conhecer, crer e serem resgatados. Agora volte para Mateus 8 e descubra que esse é exatamente o propósito de Mateus, também. Estas são as credenciais do Rei. Esta é a prova de que Ele é divino. Agora, de qualquer forma, trata-se de um ponto muito estratégico no evangelho de Mateus, porque Jesus acaba de entregar um sermão intenso nos capítulos 5, 6 e 7. Ele, literalmente, virou o mundo religioso deles às avessas. Ele lhes disse, com efeito, que o seu ensino estava errado e sua vida estava errada. A sua atitude estava errada. Tudo o que eles representavam, acreditavam, e esperavam estava errado, e ele nunca se preocupou em citar qualquer rabino ou qualquer uma de suas fontes bem conhecidas. Ele apenas diz repetidamente, de modo prático, absolutamente, dogmaticamente, "Esta é a verdade." Na verdade, várias vezes, Ele disse: "Ouvistes que foi dito, mas eu digo. Ouvistes que foi dito, mas eu digo." E mais e mais e mais, Ele continuou a dizer isso, e quando estava tudo terminado, no versículo 28, "Quando Jesus [capítulo 7, versículo 28] acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina." Por quê? Versículo 29: "porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas."

Ou seja, ele simplesmente disse essas coisas dogmaticamente. Como os escribas faziam isso? Citavam outros rabinos. Eles eram falíveis, então eles precisavam de um monte de outras fontes falíveis para apoiar o seu material. Jesus apenas disse: autoridade inacreditável. E Ele anulou todo o seu sistema religioso. Ele os deixou nus. Ele os desmascarou como falsos amigos espirituais que eram; e, obviamente, isso levanta uma questão muito dramática. Um judeu do primeiro século vai dizer o seguinte: "Quem é este, dizendo essas coisas? Com que autoridade Ele fala? Por que devemos ouvir isso? Por que devemos ouvir isso? Por que devemos acreditar nisso? O que lhe dá o direito de dizer estas coisas e afirmar que elas são verdadeiras? "

E os capítulos 8 e 9 são a resposta para essa pergunta. Vou lhe dizer o que lhe dá o direito. Ele é Deus. Isso é o que lhe dá o direito, e é isso que Mateus está dizendo nos capítulos 8 e 9. Ele está mostrando, sem sombra de dúvida de que Jesus é Deus. E como você sabe que Ele é Deus? Porque só Deus pode criar, e por dois capítulos, nove exemplos, Jesus cria situações, circunstâncias que não existem, até mesmo membros físicos, e vemos Deus operando. Ele apresenta a resposta para a pergunta: "Com que autoridade ele diz isto?"

Agora, vamos analisar, em primeiro lugar, no início, os três primeiros milagres. Eu quero lhe dar algumas ideias gerais sobre eles. Há três: a cura de um leproso; a cura de alguém que tem paralisia (paralisia, e que poderia ter sido causada por muitas coisas.) e, em seguida, o milagre de uma mulher com uma febre. Esses três. E há várias coisas importantes a serem observadas sobre estes três primeiros milagres. Número um: Eles começam no nível mais baixo da necessidade humana, a física. A vida é mais do que física, sim, mas Jesus também é solidário com o físico. É maravilhoso que os milagres de Jesus não eram apenas milagres que lidavam com as coisas espirituais, ou que lidavam com conforto ou riqueza ou circunstâncias ou providência, mas que tocavam o homem com o mais baixo nível de necessidade, o físico. Ele vai para as profundezas da enfermidade humana. Mais tarde, no segundo conjunto de milagres, Ele lida mais com o espiritual; e no terceiro conjunto de milagres, Ele ainda toca no último inimigo do homem, a própria morte, quando Ele ressuscita o morto. Mas neste ponto, ele está lidando com esse baixo nível da necessidade humana, que nos mostra não apenas o poder de Cristo, mas a simpatia de Cristo.

A segunda coisa que eu vejo numa espécie de uma visão geral é que Ele responde em todos os três casos aos apelos, aos apelos. Isso nos mostra Sua compaixão. No primeiro caso, o leproso lhe disse: "se quiseres, podes purificar-me." No segundo caso, o centurião disse: "Senhor, o meu criado jaz em casa, de cama, paralítico, sofrendo horrivelmente. Jesus lhe disse: Eu irei curá-lo" No terceiro caso, de acordo com o que Lucas acrescenta na passagem paralela, os amigos da família de Pedro dizem a Jesus: "Sabe, a sogra dele está doente, e com certeza seria maravilhoso se você pudesse passar por lá e cuidar dela." Em todos os três casos, Ele responde ao apelo do coração das pessoas.

A terceira coisa a notar nestes três milagres é que, em todos os casos, Ele age em sua própria vontade. Embora Ele seja simpático e embora Ele seja, ao mesmo tempo, profundamente compassivo, Ele também é soberano; o que é uma coisa importante. Em cada caso, Ele age por sua própria vontade. "Quero, sê limpo." "Vou descer e curá-lo." "Ele estendeu a mão, tocou-lhe, e a febre a deixou."

E, em quarto lugar, e isso é bonito. Em cada um desses milagres, Ele toca alguém que, nos termos do entendimento dos fariseus e dos judeus, estava no nível mais baixo da existência humana: primeiro um leproso, a escória da terra; segundo, um gentio; e terceiro, uma mulher. Em apenas isso, há uma sutileza aqui que assola o orgulho judaico, o orgulho dos fariseus, e você vê onde Jesus realmente coloca Sua ênfase: no humilde, e no manso, e no marginalizado. Sabia que a primeira pessoa a quem ele revelou sua messianidade era uma prostituta em Samaria que nem sequer era judia? Isso diz algo para a sociedade judaica da época. Assim, desde o início, Ele deixa claro que Ele vai estabelecer Sua autoridade pelo poder dos milagres, mas Ele também vai mostrar a sua solidariedade para com aqueles que estão sofrendo com o mais baixo nível da necessidade humana. Ele compassivamente vai responder aos anseios de seus amigos e daqueles que têm essas necessidades e, ainda assim, ele vai agir soberanamente como o Senhor que Ele é. E a, a coisa triste, a coisa que simplesmente quebranta o seu coração, é que, com tudo isso, eles viraram as costas para Ele; e eles concluem, no capítulo 12, que o que Ele faz, Ele faz pelo poder de Belzebu, o príncipe dos demônios. Eles O odiavam. Na verdade, eles tiveram que matá-lo, porque ele perturbava a sua segurança religiosa.

Nesta seção, Seu poder é incrível, pessoal. É incrível. Ele purifica um leproso, cura um servo, levanta uma mulher, controla o mar, expulsa demônios, faz com que o cego veja, faz as pessoas aleijadas andarem, faz pessoas mudas falarem, cura todas as doenças que lhe são trazidas. Incrível demonstração de poder, e se você olhar para trás em Mateus, e voltar atrás e começar no início, você pode ver que esta é apenas mais uma grande categoria de afirmação da messianidade de Cristo. Primeiro capítulo: a genealogia. Isso atestou as qualificações legais do Messias. Segundo capítulo: nascimento, e todo o cumprimento da profecia atestada nas qualificações proféticas do Messias. E então você vem para o Seu batismo: atestado pela aprovação divina do seu messianismo. Então você vem à tentação: atestando Suas qualificações espirituais para ser o Messias. Então você vem para o sermão: Suas qualificações teológicas. E agora você vem para os milagres, a qualificação mais essencial de todas, a prova de que Ele é Deus. Ele é Deus.

Aliás, o capítulo 8 começa onde o capítulo 4 parou; o sermão está preso no meio. Mas quando encerrou o capítulo 4, você se lembra o que Ele estava fazendo? Versículo 23? "Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo. E a sua fama correu por toda a Síria; trouxeram-lhe, então, todos os doentes, acometidos de várias enfermidades e tormentos: endemoninhados, lunáticos e paralíticos. E ele os curou. E da Galiléia, Decápolis, Jerusalém, Judéia e dalém do Jordão numerosas multidões o seguiam." Você vê, foi exatamente aqui onde ele parou, não é? Ele subiu em uma montanha, pregou um sermão, desceu, e começou tudo de novo. Milhares, números incontáveis de cura, e Ele curou todos os que vieram com Ele. E os três primeiros nós meio que introduzimos a você. Nesta manhã, vamos apenas olhar para o primeiro. Linda, linda história. Deixe-me ler para você: versículos 1-4, um bem curto. "Ora, descendo ele do monte, grandes multidões o seguiram. E eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, dizendo: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra. Disse-lhe, então, Jesus: Olha, não o digas a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo."

É isso aí. À primeira vista, você diz: "Bom, não é legal?" Uma pequena história maravilhosa. Deixe-me ver se eu posso levá-lo a uma profundidade suficiente nela para ver o que está realmente dizendo. Versículo 1: "Ora, descendo ele do monte." Qual monte? Bem, do monte onde ele tinha acabado de ensinar o sermão, perto da aldeia de Cafarnaum. "Grandes multidões o seguiram." Por quê? Quer saber de uma coisa? Não foi porque eles O amavam. Não foi porque eles o adoravam. Não era porque acreditavam nele. Era porque eles estavam curiosos, em primeiro lugar. Porque nunca tinha ouvido ninguém falar com tanta autoridade, e eles nunca tinham visto alguém que saísse por ir curando as pessoas. Ele atraiu uma enorme multidão, e eles desceram da montanha atrás dEle, e eles estão todos prontos para ver o que acontece, e acontece no versículo 2. "E eis que veio [ou literalmente no grego, aproximou-se, e essa é uma palavra interessante, aproximou-se] um leproso." Agora, o que é interessante é que leprosos não se aproximavam. Este sim. Você sabe de uma coisa sobre a lepra, o que um leproso é na Bíblia? Vem da palavra grega lepros, que vem da raiz da palavra lepis, o que significa escama ou escamosa. E, basicamente, a lepra, como é traduzida em português, reflete esta palavra grega lepros. No Antigo Testamento, você tem outra palavra hebraica que também é traduzida por lepra que vem da palavra hebraica que significa escama ou escamosa, também. Assim, em ambos os casos, fazia referência a algum tipo de pele manifesta, visível, escamosa - pelo menos, a pele era parte da doença. Doença de pele visível. A doença da pele escamosa. Poderia ir muito mais fundo do que isso, como Levítico 13 indica, mas esse é o termo que eles usaram.

Agora, há muita discussão, muito debate sobre se esta lepra, como é chamada, e a lepra Antigo Testamento era a mesma que nós conhecemos hoje, que é chamada de doença de Hanson, a lepra que nós conhecemos. Há muitas pessoas que discutem sobre as palavras que são usadas, se são ou não o mesmo tipo de lepra. Bem, nós não podemos ter certeza, porque com o passar dos séculos, as doenças podem assumir novas formas por qualquer motivo, as pessoas criam imunidades, ou o que quer que aconteça na sociedade humana, e existem quaisquer germes específicos, e as bactérias, e assim por diante. As doenças podem tomar formas diferentes. Algumas podem ser completamente eliminadas, e assim nós realmente não sabemos se era exatamente a mesma. Mas parece melhor supor, de acordo com a descrição de Levítico 13, que veremos em um momento, que era extremamente similar; e a única comparação real que podemos tirar de tudo o que esta doença foi, vem da nossa compreensão da doença da lepra. Ao longo da história no estudo destas coisas, a maioria das pessoas têm traçado esse paralelo, e então eu vou continuar a fazer isso enquanto consideramos esta manhã.

Essa doença horrível instalou-se nas crianças da vida de Israel. Esta doença, a lepra, como é chamada na Bíblia, foi, sem dúvida, pega no Egito. A maioria dos escritores clássicos presumem que a lepra se originou no Egito e, aliás, é causada - eles sabem agora na ciência médica - por um bacilo ou bactéria chamada microbactéria leprae. E esta doença foi encontrada em pelo menos uma múmia que foi descoberta no Egito e foi manifestada no corpo físico (por causa da mumificação) que essa pessoa em particular tinha lepra. Então, nós sabemos que se estende até os tempos antigos. Esta doença, então, é claro, como os filhos de Israel estavam na terra do Egito, foi transmitida a eles; e quando eles vieram para a Terra Prometida, eles levaram esta doença com eles.

Agora, era um problema, por causa do horror da própria doença. E assim Deus, como Ele definiu muitas leis para a vida de Israel para protegê-los de pragas e outras coisas, deu-lhes leis para lidar com a lepra, para que não contraíssem esta doença. Agora, lepra, nos dias atuais, só é realmente transmissível para menos de 10 por cento das pessoas. Em outras palavras, mais de 90 por cento de pessoas em nossos dias, não podem pegar lepra, mesmo que você tenha todos os bacilos em você, porque é apenas a forma como somos formados hoje. Não sabemos se a doença, naquela época, era mais transmissível. Há uma declaração feita em Lucas 4:27 que havia muitos leprosos em Israel, dos quais apenas Naamã foi curado. Por isso, pode ter sido altamente transmissível, quando é menos transmissível hoje.

Aliás, você também pode estar interessado em notar que está em ascensão nos Estados Unidos da América, e o estado que lidera os casos de lepra é a Califórnia. Dez anos atrás, tínhamos trinta a quarenta novos casos por ano, e agora estamos com mais de 300. Então, ela pode ser controlada também hoje pelo que é chamado DDS Dapsona, eu acho que é assim que é chamado. É algum tipo de droga que é usada, e só pode controlar os elementos superficiais da lepra. Ela não pode eliminá-la completamente, porque é uma doença que você não pode eliminar. Ficará aí até você morrer, até onde eles sabem. Pode haver alguns casos, mas, normalmente, é assim que acontece.

Assim, em Israel, veio esta doença, e Deus, querendo protegê-los, deu-lhes uma direção muito clara de como tratá-la. Vou ler a partir do capítulo 13 de Levítico. Vou ler na versão Revista e Atualizada, porque esclarece alguns dos termos. Você pode apenas ouvir, ou você pode abrir nele, se você tiver essa versão. Mas eu vou ler algumas, algumas passagens longas aqui apenas para indicá-lo. Você vai achar isso fascinante como Deus os dirigiu.

"Disse o SENHOR a Moisés [Levítico 13: 1] e a Arão: O homem que tiver na sua pele inchação, ou pústula [que é uma palavra melhor do que crosta] pústula, ou mancha lustrosa, e isto nela se tornar como praga de lepra, será levado a Arão, o sacerdote, ou a um de seus filhos, sacerdotes". Em outras palavras, qualquer um que tivesse a lepra, era levado ao sacerdote. "O sacerdote lhe examinará a praga na pele; se o pêlo na praga se tornou branco, e a praga parecer mais profunda do que a pele da sua carne, [em outras palavras, é mais do que uma doença de pele superficial conforme indicado pelo cabelo que se tornou branco desde de as raízes estarem infectados, e se parece estar mais profunda] é praga de lepra; o sacerdote o examinará e o declarará imundo. Se a mancha lustrosa na pele for branca e não parecer mais profunda do que a pele, e o pêlo não se tornou branco, então, o sacerdote encerrará por sete dias o que tem a praga." Isto é apenas para mantê-lo isolado para aplicar-lhe o teste para ver o que acontece. "Ao sétimo dia, o sacerdote o examinará; se, na sua opinião, a praga tiver parado e não se estendeu na sua pele, então, o sacerdote o encerrará por outros sete dias." Duas semanas. "O sacerdote, ao sétimo dia, o examinará outra vez; se a lepra se tornou baça e na pele se não estendeu, então, o sacerdote o declarará limpo; é pústula." E isso poderia ser psoríase, eczema, o que é chamado vitiligo, muitas coisas; apenas não é uma coisa séria. "Mas, se a pústula se estende muito na pele, depois de se ter mostrado ao sacerdote para a sua purificação, outra vez se mostrará ao sacerdote. Este o examinará, e se a pústula se tiver estendido na pele, o sacerdote o declarará imundo; é lepra". Ela continua a piorar.

Agora, havia alguns casos óbvios onde você realmente não precisava de um teste de duas semanas, e no versículo 9, ele fala sobre eles. "Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote. E o sacerdote o examinará; se há inchação branca na pele, a qual tornou o pelo branco, e houver carne viva na inchação, é lepra inveterada na pele; portanto, o sacerdote o declarará imundo; não o encerrará, porque é imundo". Não se deu ao trabalho de isolá-lo por uma semana, porque já está muito claro o que ele tem. "Se a lepra se espalhar de todo na pele e cobrir a pele do que tem a lepra, desde a cabeça até aos pés, quanto podem ver os olhos do sacerdote, então, este o examinará. Se a lepra cobriu toda a sua carne, declarará limpo o que tem a mancha; a lepra tornou-se branca; o homem está limpo." Em outras palavras, se tudo o que ele tem é uma coisa branca por sobre a pele, e nada fica escorrendo, aberto, com feridas, então não é a lepra que é sério. Heródoto e Hipócrates, em escritos antigos, escreveram sobre uma doença conhecida como leucodermia, que era algo que atacava a pigmentação da pele e tornava a pessoa de cor branca, desigual; poderia ter sido isso. Ou poderia ter sido eczema ou psoríase ou vitiligo ou qualquer uma dessas outras coisas que eram inofensivas, menos sérias que as doenças de pele graves. Em outras palavras, se tudo o que ele tivesse fosse essa coisa toda sobre ele de natureza muito limitada, apenas uma cor pálida desigual ou branca, então não era a coisa real, e você pode declará-lo puro. Na verdade, se você olhar para a lepra hoje, poderia se referir a isto aqui; existem dois tipos. Há uma chamada hanseníase virchowiana, que é grave, grave; e, em seguida, há uma chamada lepra tuberculóide, que é uma espécie inofensiva que apenas transforma a pele desigual, e que desaparece de um a três anos.

Então, esses eram os testes que eram feitos e eles tinham que ser examinados com muito cuidado. Agora, se alguém tivesse o tipo grave, a resto do capítulo 13 trata disso. O que você faz com uma pessoa assim? Bom, versículo 38: "E, quando o homem (ou a mulher) tiver manchas lustrosas na pele, então, o sacerdote o examinará; se na pele aparecerem manchas baças, brancas, é impigem branca que brotou na pele; está limpo." Foi assim que eles traduziram essa palavra hebraica, apenas algo menos do que uma doença grave. "está limpo. Se lhe caírem na frente da cabeça, é antecalva; contudo, está limpo." Alguns de vocês estão dando um grande suspiro. "Porém, se, na calva ou na antecalva, houver praga branca, que tira a vermelho, é lepra, brotando na calva ou na antecalva", e você olha para ele e aquilo incha e assim por diante, então é leproso. Em outras palavras, outro exame.

Agora, o versículo 45 é a chave. "As vestes do leproso, em quem está a praga, serão rasgadas, e os seus cabelos serão desgrenhados; cobrirá o bigode e clamará: Imundo! Imundo!" A lepra é transmitida - e eu li isto em uma atualização do Los Angeles Times, na análise médica da doença de Hanson - a lepra é transmitida quando é inalada através do ar. Passa de boca para boca. Essa é uma maneira com que ela é transmitida, e é por isso que, quando a pessoa sai por aí, ela cobre a boca. Além disso, descobriram que as pessoas tinham contraído a lepra quando ambas tocaram o mesmo objeto; que o bacilo pode existir no mesmo objeto. Por exemplo, eles têm casos em que as pessoas têm se tatuado, e quando elas são tatuadas pela mesma agulha, adquirem o mesmo tipo de lepra. Então eles tinham que pegar suas vestes e dar um fim nelas. E então ele passa o resto de sua vida indo por todo lado com seu rosto coberto, dizendo: "Imundo! Imundo!" Ele tem que fazer um anúncio onde quer que vá. Então, ninguém poderia chegar perto dele. O Talmude diz que você não pode ficar mais perto do que dois metros e meio de um leproso, e, se há um vento soprando, 45 metros e meio é o limite. E havia sessenta e uma contaminações no judaísmo. Contaminação número um , no topo da lista, era um corpo morto; e número dois era um leproso. Não fique perto dele. Não toque nele. R.K. Harrison, em um artigo muito importante sobre esta palavra no Antigo Testamento para a lepra, ressalta que todos os sintomas de Levítico 13 poderiam pressagiar lepra clínica. Muito bem podia, e precisava ser distinguido, daí a razão de todos esses testes; isso, em casos evidentes de lepra, a pessoa era colocada para fora. Agora a lepra severa, gente, é uma doença terrível, terrível. Em primeiro lugar, podemos tipo que controlá-la, hoje, de modo que as pessoas possam viver uma espécie de uma vida normal. Mas naquela época, seria totalmente descontrolada. A primeira coisa que a lepra faz, ela ataca - além de seus sintomas físicos, que você vê, a mancha e assim por diante - que ataca o sistema nervoso e anestesia imediatamente os membros.

As pessoas dizem: "Bom, seus narizes caem, e seus dedos caem." Na verdade, não. Parte do problema é que, quando eles perdem toda a sua sensibilidade, eles literalmente esfregam as extremidades. Encontraram no leprosário em Carville, Louisiana, nos Estados Unidos, que, quando eles estudaram pessoas que tiveram lepra que isto foi o que aconteceu. Por exemplo, um homem que tem a lepra tem sapatos mal ajustados, e porque ele não pode sentir que eles estão mal ajustados, eles esfregam os dedos dos pés. E uma mulher que trabalha com as mãos descobre que ela esfrega os dedos, porque ela não tem sensibilidade para o que está acontecendo com as mãos. E eles esfregam seus rostos da mesma maneira; e você adiciona a isso que a lepra ataca a medula óssea. Ela infecciona, em seguida, o fornecimento de sangue. Os ossos começam a murchar, e como os ossos murcham, ressecam a pele e o tecido, de modo que eles parecem ter dedos como garras e pés como garras que fazem a mesma coisa. E há então essa transpiração que ocorre, assim como a doença de pele tem a sua infecção; e tudo isso combinado quando, quando você usa esses membros infectados, dedos atrofiados, resulta em esfregá-los até serem arrancados. Uma coisa horrível. Eles literalmente perdem seus membros.

Ela ataca os olhos e traz a cegueira, os dentes, e eles caem. Ele ataca os órgãos internos de modo a que ocorre a esterilidade. Francamente, não é tão doloroso. É apenas a coisa mais feia que se possa imaginar no mundo. Começa com uma mancha branca ou rosa na testa, na orelha, no, no nariz, no queixo ou bochecha. Em seguida, ela começa a se espalhar e se torna esponjosa, tumorosa, bulbosa, com inchaços por todo o rosto. Então torna-se sistêmica, e é aí que ela começa a entrar no fígado, na medula óssea, no fornecimento de sangue. Você perde sua sensibilidade, a ocorre cegueira.

Dr. Huizinga escreveu sobre isso: "A doença que chamamos de lepra hoje geralmente começa com dor em determinadas áreas do corpo. A dormência vem em seguida. Logo a pele nesses pontos perde a cor original, chega a ser espessa, brilhante e escamosa. À medida que a doença progride, os pontos de maior espessura se tornam feridas sujas e úlceras devido ao pobre fornecimento de sangue. A pele, especialmente ao redor dos olhos e ouvidos, começa a criar muitos sulcos profundos em meio ao inchaço, de modo que o rosto do indivíduo afligido começa a assemelhar-se à face de um leão. Os dedos caem e são absorvidos de volta para o corpo. Os dedos dos pés são afetados de forma semelhante. Sobrancelhas e cílios caem. A esta altura, pode-se ver a pessoa nessa condição lamentável, é um leproso. Pelo toque do dedo, você pode sentir isso. Você pode até mesmo sentir o cheiro, porque o leproso emite um odor muito desagradável. Além disso, tendo em conta o fato de que a doença produz agentes que atacam a laringe, a voz do leproso assume uma qualidade rala. Sua garganta fica rouca, e você pode não só ver, sentir e cheirar o leproso, você pode até ouvir o leproso; e se você ficar com ele por algum tempo, você vai encontrar um sabor especial em sua boca. Todos os sentidos humanos repelem um leproso."

Esta doença era temida, horrível; e se pudesse ou não atingir a população total ou apenas alguns, era o suficiente para querer que eles ficassem fora, num acampamento para, para proteger as pessoas. Tinha que sair do acampamento. Em 2 Samuel 3:29, há uma declaração surpreendente. Davi estava pronunciando uma maldição sobre o maldoso Joabe, e Davi disse: "Que a sua família nunca fique sem um leproso." Essa é a pior coisa que você pode dizer sobre alguém, e essa doença não tinha cura.

Mas você sabe o que ia ainda mais além? Inacreditável? Não era ruim o suficiente ser feio além de toda imaginação. Adicione-se a isso que eram classificados como impuros, e Deus tinha um propósito. A lepra, marque isso, era a ilustração mais gráfica do pecado à disposição de Deus. O pecado contamina todo o corpo. O pecado é feio. O pecado é repugnante. O pecado é incurável. O pecado é contaminante. O pecado separa, afasta e causa a exclusão dos homens. Então todo leproso não só vivia com o estigma de sua própria doença, mas vivia com a necessidade de ser uma ilustração do pecado. Cerimonialmente impuro. Miserável. Um dos rabinos do Talmude disse: "Quando vejo leprosos, eu jogo pedras contra eles para que não se aproximem de mim." Um outro rabino disse: "Eu sequer como um ovo que foi comprado em uma rua onde um leproso tenha andado." Eles odiavam. Eles desprezavam. Eles os temiam. Não é chocante que Jesus apresentando as credenciais de Sua messianidade começa com um homem em tais circunstâncias e ignora todos os fariseus doentes na cidade.

Vamos olhar para Ele. Volte para o versículo 2. Rapaz, me acabei nessas coisas. Quase esqueci que há um versículo aqui. Agora você sabe por que a palavra eis está aqui? Hã? Eis ou, no vernáculo, você não vai acreditar. "Um leproso tendo-se aproximado." Leprosos não se aproximam. Isso é proibido. Era impensável. Vergonha pessoal. Ou seja, você não seria visto. Estigma social. Lei do Antigo Testamento. A cerimônia. Você simplesmente não faz isso. Você só andava coberto, resmungando: "Imundo! Imundo! Imundo!" Assim, ninguém se aproximasse. Isto é incrível. Quatro coisas se destacam sobre esse leproso. No. 1, ele veio com confiança, e, "Eis que um leproso, tendo-se aproximado." Eu gosto disso. Ele não rasteja ou se esgueira em volta: ". Psst, psst" "Shoo". Ele só veio. Eu gosto, e o verbo no grego é, é bom: ele se aproximou. Veio logo; Eu posso imaginar aquela multidão se afastando rápido, lá em cima. Você sabe o que eu vejo nisto? Vejo um homem que sente tão desesperadamente a necessidade que ele realmente não se importa com o que alguém possa pensar, certo? Eu gosto disso. Você vê, pessoas como ele seriam devastadas socialmente e não iriam aparecer em uma multidão. Este apareceu. Ele perdeu todo o senso de vergonha. Ele perdeu todo o senso de estigma social. Ele se aproximou. Ele nem sequer pensa nisso. Isso mostra o quão profunda era sua necessidade. Josefo nos diz que os leprosos eram tratados como mortos. Isso não ia impedi-lo. Ele poderia estar morto aos olhos de todos, mas ele veio. Ele veio porque viu que ele tinha uma necessidade muito profunda e ele queria ajuda mais do que salvar sua reputação. Arquive isso em algum lugar, você vai?

Segunda coisa, ele veio com reverência. Ah, eu amo isso. "E eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, dizendo: Senhor". Ah, não podemos dizer muito sobre o seu corpo, mas podemos dizer muito sobre a sua alma, não podemos? Haviam os fariseus todos adornados, com todo o seu traje de fantasia, vestes extravagantes. Seus pequenos chapéus que usavam. A barba aparada como um T. Mas por dentro: miseráveis, podres, homens mortos. Aqui estava um leproso: por fora vil, miserável e sujo e no interior bonito, reverente, adorando. Você sabe no que eu acredito? Eu acredito que quando ele disse: "Senhor," ele não estava usando-o no sentido do título de senhor em respeito a alguém. Eu acredito que ele sabia que estava na presença de Deus, de outra forma, por que ele teria adorado? Proskuneo. Caiu prostrado. Aqui ele vem até Jesus, cai prostrado diante de Jesus, e diz: "Senhor". Eu não sei onde ele obteve a sua informação, mas havia o suficiente acontecendo em sua área para saber. Tinha havido curas, mais curas atrás de curas. Talvez um de seus amigos tivesse sido curado. Mas ele vem e adora, e os homens se prostram perante reis e diante de Deus. Eu acredito que ele veio porque ele tinha um coração adorador. Eu acredito que ele estava na presença de Deus, e ele sabia disso; e foi maravilhoso ver sua alma voltar-se em direção a Deus; e ele veio para adorar primeiro. Isso porque ele entendia que a alma era mais importante do que o corpo. Ele veio adorando. Ele veio exaltando a Deus. Antes que ele buscasse algo para si mesmo, ele buscou algo para Deus. Guarde em algum lugar, você vai? Isso é outra coisa importante.

Em terceiro lugar, ele veio com humildade. Você não gosta disso? Ele diz: "Senhor, se quiseres." "Se você quiser." Isso é humildade. Ele não exige nada. Ele não expressou a sua vontade, como se Cristo tivesse de a cumprir. Ele não veio e listou as razões pelas quais ele teria que ser curado. Ele não veio e tentou afirmar sua própria dignidade. Ele não chiou devido ao fato de que ele tinha essa doença e muitas outras pessoas não. Ele não falou sobre os seus direitos. Ele nem sequer falou sobre seus desejos. Ele nem mesmo disse, "Eu gostaria de ser curado." Ele nem sequer disse isso. Ele só disse: "Se você quiser, você pode. Eu não estou dizendo a mim mesmo o que você deve fazer, porque você é o Senhor ". Você não gosta disso? Um clamor longe de ser essas coisas que você ouve hoje onde é dito às pessoas que exijam a cura de Deus, exijam saúde completa, reivindiquem sua cura. Este homem não tinha essa coisa a que clamar. Ele adorou em primeiro lugar; nunca pediu nada; apenas disse: "Eu sei que Tu poderias se quisesses." Eu acho que eu concordo com Lenski que o leproso estava disposto, se assim Jesus quisesse, a permanecer em sua morte em vida. Eu acho, eu acredito que ele teria ido embora ainda acreditando que era um leproso, ou ele não teria adorado em primeiro lugar, e não teria deixado de fora qualquer pedido em seu próprio nome. Isso manifesta um coração puro.

Por fim, ele veio com a fé. "Se quiseres, podes purificar-me." Dunasai, dunamai, dunamis. Poder, dinamite. Essa é a palavra no grego. "Você tem o poder. Você é capaz. Eu sei disso. Estou convencido disso." E, aliás, Lucas nos diz, e Lucas dá-nos sempre a análise clínica de tudo, porque ele era o médico. Ele diz: "Ele estava coberto pela lepra". E ele disse: "Você pode fazê-lo." Onde ele conseguiu essa informação? Ei, talvez ele estivesse por perto em Mateus 4 e viu tudo isso acontecendo. "Você pode fazê-lo." Amados, quando um homem diz, "se você quiser, você pode fazê-lo", é a fé em seu ponto mais alto, porque ele sabe que Deus é capaz; e se submete à soberania de Deus. Há muitas pessoas que creem; elas dizem acreditar que Ele é capaz, mas querem encurralá-lo de modo que Ele tenha que fazer as coisas. Há outras pessoas que questionam se Ele pode. A verdadeira fé diz: "Eu sei que você pode. Eu não sei se você vai". Esse é o mais alto nível de fé: mas seja qual for, a escolha é sua. Veio, pois, com confiança, porque ele tinha uma profunda necessidade; com reverência, porque ele viu a Deus; com humildade, porque ele percebeu que Deus era soberano; e com fé - porque ele sabia que Ele podia fazê-lo. O que aconteceu?

Versículo 3: "E Jesus [veja isso], estendendo a mão, tocou-lhe." Agora, isso é tudo o que diz neste texto, mas poderia ser adicionado, "E toda a multidão atônita." Você não toca em leprosos, pessoal. Levítico 5:3 diz que nunca lhe é permitido tocar a imundícia de um homem. Mas você sabe o que um leproso provavelmente precisava mais que tudo no mundo inteiro? Apenas ser tocado por alguém que estava limpo. Ele tocou. Ele não precisava tocá-lo. Ele poderia ter subido num telhado e dizer: "Seja limpo", e os anjos cantariam e a terra tremeria, e haveira trovões. Sem grandes dramas. Eu amo isso. Eu amo a, eu amo a simplicidade. Apenas algumas muito simples - uma das maiores provas da inspiração da Bíblia é a falta de comentário pelos escritores bíblicos. Quer dizer, se eu tivesse dito isso, visto isso, eu teria escrito umas 18 páginas: "e então o dedo começou a ..." E, sabe, não foi isso. Há uma falta disso. Uma das grandes provas de inspiração é a ausência disso, porque os homens discorreriam grandes tratados a partir disto. Não, apenas tocou.

"Ele disse, Quero." [Quero. É minha vontade.] seja limpo!" E imediatamente a lepra foi curada. Imediatamente, todos os milagres de Jesus foram imediatos. Me incomoda quando as pessoas dizem: "Bom, eu fui ao curandeiro, e fui curado e, desde então, tenho progressivamente ficado melhor." Isso não é cura. "Jesus, estendendo a mão, tocou-o." Você sabe, quando tocamos o impuro, ficamos contaminados. Quando Ele toca a impureza, a contaminação vai embora. Quando tocamos uma doença, nos contaminamos. Quando Ele toca uma doença, ela é limpa. Isso é poder. Quer dizer, eu não sei com o que essa cena se parecia, mas posso imaginar. Aquelas garras contorcidas instantaneamente se tornam em belas mãos, como se fosse a pele de um bebê. Os pés, o rosto, incrível. Jesus tocou. Ele foi limpo imediatamente. Seu poder: chocante. A testa corroída. Os olhos com suas sobrancelhas e cílios ausentes. A pele escamosa pele sangrando com o atrito. O nariz, a garganta e os olhos destruídos. Os dedos das mãos e pés, como garras e desgastado. E imediatamente, ele é curado. Você sabe, eu só, eu só digo para mim mesmo: "Toda essa cura assim chamada moderna se desvanece no nada absoluto em comparação com esse tipo de exibição onipotente. Você pode - ouça - você pode alinhar todos os chamados curandeiros no mundo, e eles podem escolher qualquer leproso que quiserem, e eles não vão fazer isso. Deixe os chamados curandeiros ficarem em silêncio. Suas reivindicações são loucura em comparação com o poder de Cristo. É uma tolice quando você lê sobre, em todo o mundo, em cada, e toda civilização tem seus supostos curandeiros. Não como este. Eles não criam dedos. Eles não criam pés. Jesus sim, fez isso, imediatamente.

Versículo 4: Veja isto. "Disse-lhe, então, Jesus: Olha, não o digas a ninguém." Não diga uma palavra sobre isso para ninguém. Ah, meu coração, isso é doloroso; para ninguém. "mas vai mostra-te ao [literalmente usou a palavra para templo] ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo." Qual o primeiro teste, quando Cristo invadiu sua vida? Uma pequena palavra. Começa com O. Obediência. Diz: "Tudo bem, você foi curado, agora faça isso. Duas coisas. Número um, faça o que Moisés disse para fazer. Cumpra a lei de Deus". Moisés, no Antigo Testamento, tinha uma coisa incrível. Quando um leproso era purificado, ele tinha que ir ao templo, ou seja, era incrível. Só para lhe dar uma ilustração disto, eu vou passar por isso muito rapidamente. Levítico 14, aqui está o que acontece. O sujeito crê que sua lepra foi tratada, tudo bem? No caso em que isso aconteceu; e, como eu digo, podem ter sido casos isolados, quando houve uma cura.

Primeiramente, você tinha que pegar duas aves, e tinha que matar uma delas sobre águas correntes. Além disso, eles pegavam cedro, carmesim e hissopo. Você os levava com a ave viva, mergulhava isso no sangue da ave morta, e em seguida, soltava a ave viva para voar para longe. É uma imagem da ressurreição. Então você lavava a si mesmo e suas roupas, e se raspava. Sete dias eram autorizados a se passar, e você era reexaminado. Então você raspava o cabelo, a cabeça e as sobrancelhas. Sacrifícios eram feitos, então, constituídos por dois cordeiros sem defeito, uma cordeira, três décimos de uma medida de farinha amassada com azeite, uma outra medida de óleo. Então você tinha que tocar todo o material na ponta de sua orelha direita, no polegar direito, no dedão direito do pé, misturado com sangue; e depois do exame final; e se a cura fosse real, lhe era dado um certificado para colocar em sua parede: "Ex-leproso vive aqui." Bom, isso é o que ele queria fazer, era o cumprimento de Levítico 14: Vá cuidar de tudo isso. Você diz: "Bom, eu posso entender isso. Ele queria que ele obedecesse." Veja, Jesus não veio para destruir a lei, mas para o quê? Cumprir a lei. E enquanto ele estava devastando o sistema dos fariseus, Ele não queria que pensassem por um momento que ele estava violando a Palavra de Deus.

Agora, você diz: "Bom, por que Ele diz-lhe para não contar a ninguém?" Pense nisso. Algumas pessoas dizem: "Bem, Ele não queria agitar uma multidão para que O seguisse como um operador de milagres." E isso é muito possível, porque se tornava difícil para ele atuar, não é mesmo? logo após isso, porque as multidões eram tão grandes Ele tinha que ir embora. Outros dizem: "Bem, na verdade, era porque Jesus não queria que as pessoas o vissem como um poder que poderia derrubar Roma e olhassem para ele como um líder político", como eles fizeram. Lembram em João quando eles tentaram fazer dele um rei para derrubar Roma? E outros dizem: "Porque este era o momento de Sua humilhação e ele não procurou exaltação". E pode haver verdade em todos esses argumentos, mas deixe-me dizer-lhe a melhor razão. Se você ler o resto, "não o digas a ninguém." Basta ler o resto, e você saberá o porquê. "mas vai mostrar-te aos sacerdotes." Por quê? Aqui está toda a questão. "Você vai até o templo, e você passa por toda essa coisa Mosaica. Você tem um exame de oito dias. Oferece-se com seus amigos como um, como um leproso que foi purificado. Deixe-os fazê-lo passar por todas as verificações testando você; e quando estiver tudo pronto, eles vão concluir: 'Este leproso é limpo.’" E então você pode dizer, “Você gostaria de saber quem fez isso? Jesus de Nazaré fez isso”, e então eles são pegos em suas próprias conclusões." Vê? Muito poderoso. Os sacerdotes vão confirmar que ele está limpo, e eles vão descobrir que era Jesus; e pelo seu próprio testemunho, e o seu próprio exame, eles vão confirmar o poder de Cristo. Humph, e tudo dependia do fato de que ele se apressasse em Jerusalém e espalhasse a notícia, ou a palavra iria chegar primeiro de que Jesus fez isso, e então eles não estariam interessados em examiná-lo.

Bem, você sabe o que aconteceu? O sujeito não fez isso. Ele abriu a boca em toda parte. Marcos nos diz isso. Ele ficou tão animado que ele não obedeceu - então a história, nesse sentido, foi um pouco triste por ele não fazer o que lhe foi dito - mas para esta manhã, eu não quero que isso acabe ali. Eu quero que você pense sobre isso. Jesus disse: "O que é mais difícil? Curar a doença ou perdoar o pecado?" Ele disse isso diversas vezes com diferentes palavras. Você sabe por que? Porque o tempo todo que Ele estava fazendo esses tipos de milagres, Ele não só estava revelando Seu poder sobre a doença, mas cada um deles era uma ilustração de Seu poder sobre o que mais? Pecado. Pecado. E eu vejo nisso uma analogia. Este texto, para mim, é análogo a uma conversão. Siga este pensamento na conclusão: a lepra, impureza cerimonial, demonstração do pecado, é como o pecado. O pecado é generalizado. O pecado é feio. O pecado é repugnante. O pecado é transmissível. O pecado é incurável. O pecado faz de você um excluído. Mas o leproso veio com confiança. Por quê? Porque ele ficou desesperado o suficiente sobre sua lepra, certo? É assim que a conversão acontece. As pessoas não serão salvas a menos que fiquem desesperadas sobre a repugnância da doença do pecado. E, amados, isso está tão em falta na evangelização do nosso tempo. O homem veio. Ele perdeu todo o estigma social. Ele perdeu todo o medo de ser condenado ao ostracismo. Ele não se importava mais com isso. Ele estava oprimido com a repugnância de sua doença. Vir a Cristo não estar entrando no movimento. É ser miserável e saber disso.

Em segundo lugar, ele veio adorando. Eu acredito que a verdadeira conversão ocorre quando as pessoas desesperadas vêm adorando a Deus, não buscando coisas para si mesmas, mas buscando a glória de Deus, um reconhecimento de Sua Majestade, um sentimento de temor, Senhorio. "Senhor", diz ele, "se quiseres." Eu acho que a verdadeira salvação exige esse tipo de miséria e esse tipo de afirmação em reverência ao adorá-Lo como Senhor.

Em terceiro lugar, ele veio humildemente. Eu acho que a verdadeira salvação não assume a perspectiva de que você está fazendo um favor a Deus. Não há nenhuma vontade própria, nenhum egocentrismo, nenhum senso de valor, dignidade, nenhum senso de valor, sem direitos, sem reclamações, sem nada. São os mansos que herdam o reino.

Por fim, ele veio com a fé. Ele acreditava que Ele poderia curá-lo, e você não pode ser salvo sem fé. Deve haver uma miséria esmagadora no pecado. Deve haver uma adoração ao senhorio de Cristo. Deve haver humildade e fé, e você vai ser tocado e limpo quando você chegar nesses termos; e posso dizer que a doença do pecado é infinitamente pior do que a doença da lepra? E então quando você está salvo, você sabe o que o Senhor diz? "Faça duas coisas, não é? Número um: Você vai obedecer à lei de Deus? você vai obedecer à lei de Deus? E número dois: Deixe as pessoas descobrirem por si mesmas que Cristo mudou sua vida, por isso não é algo apenas verbal ". Não é uma coisa interessante, essa analogia? É melhor você não dizer nada e deixar o mundo ver que Jesus mudou sua vida por sua própria constatação, do que você falar da boca para fora e não ser capaz de sustentar isso com a maneira de viver. Aqui estava um homem correndo por aí, "Jesus mudou minha vida. Rapaz, olha para mim. Eu costumava ser um leproso. Hosana! "

E alguém lhe diz: "Ei, por que não está indo se mostrar ao sacerdote?" "Eu vou chegar lá." Uma vida desobediente no meio de um testemunho não tem sentido. O testemunho é invalidado. Seja obediente; e, no meio de sua obediência, Deus irá se manifestar o poder transformador de Cristo. É a sua vida que fala.

Assim, vemos nesta linda história a cura da alma do pecado, em uma analogia. Bom, um dia, quando eu chegar ao céu, eu vou dizer a esse homem - porque eu creio que ele vai estar lá, ele está lá agora - eu vou dizer: "O quê? Como que você não foi a Jerusalém? "

Vamos orar. Obrigado, Pai, por nosso tempo nesta manhã; e que emocionante, emocionante experiência é ver Teu poder de novo, falando-nos através destes 2.000 anos desde o dia em que este homem viveu, ainda tão vívida quanto naquela época. Toque em nossas vidas hoje, especialmente aqueles no meio de nós que têm a lepra do pecado. Purifica-os. Que eles possam ser puros antes que este dia se acabe.

Enquanto estão de cabeças inclinadas e os olhos fechados, apenas um segundo, se você não conhece o Senhor Jesus Cristo. Se a lepra soa assustadora para você, você nem sequer sabe a metade; estar em pecado e sob o julgamento de Deus para sempre. Que este seja o dia em que você venha a Jesus Cristo. Se o Espírito de Deus falar ao seu coração, e você senti-lo em você, sentir a sua voz dirigida a você, você será obediente a ela? Assim, creia. Ele vai tocar em você e tornar você puro. Ele irá até mesmo perdoar a sua desobediência, embora isso o entristeça.

Obrigado, Pai, por esse nosso tempo, pela maravilha do Seu poder, como vimos manifestada em Cristo; e, oh, nós somos tão gratos que Ele nos tocou e nos fez limpos. Que sejamos fiéis em obedecer, e que o mundo em sua constatação saiba que Jesus Cristo transformou nossas vidas. A Ele todo o louvor. Conduza à sala de oração aqueles que Tu queres que venha. Podemos ajudar nesta decisão mais crítica. Em nome de Cristo, oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize