Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias em Romanos capítulo 12 hoje à noite, e vamos voltar a olhar para esta passagem sobre os aspectos práticos da vida cristã. Nós não estamos com nenhuma pressa particular para passar por isso porque queremos dar uma cuidadosa atenção a cada uma dessas injunções, ordens, princípios para a vida cristã que Paulo nos dá nos versículos 9 a 21. Voltamos àquela seção maravilhosa. E esta é a parte 3 em que estamos olhando os deveres do cristianismo prático.

Lênin, responsável pelo comunismo filosófico, disse uma vez "Com um punhado de pessoas dedicadas, que me deem suas vidas, eu vou controlar o mundo". E ele realmente começou a realizar isso e ainda está em processo de ser realizado, pelo menos do ponto de vista de muitos comunistas. O que ele estava dizendo era isto: O mundo pertence ao disciplinado. O mundo pertence às pessoas comprometidas. Pertence às pessoas dedicadas que dão a vida pela causa em que acreditam.

E é verdade mesmo. O mundo pertence às pessoas disciplinadas. E eu suponho que isso é o que faz com que seja tão temeroso ao olhar para a cultura americana contemporânea e para a maior parte do resto do mundo, e perceber que na maioria das vezes estamos perdendo de vista a necessidade de disciplina pessoal, autodisciplina pessoal. Nossa sociedade agora apresenta relaxamento e recreação. Dizemos que estamos sob grande stress. Dizemos que estamos vivendo a um ritmo tão rápido que muitos de nós estão terminando em hospitais mentais e tomando drogas e cometendo suicídio mas esta é realmente a atividade frenética do indisciplinado.

Uma vida corretamente disciplinada não está fora de controle. Uma vida fora de controle é uma vida indisciplinada. E muitas vezes a falta de disciplina e o estilo fora do controle de viver é resultado de um esforço bastante apaixonado em direção ao auto-aperfeiçoamento, auto-realização, sucesso, dinheiro, coisas materiais, algo mais do que você tem. Um desejo de drogas e álcool, e tudo isso é misturado, e há um esforço furioso para tero mehor da vida e disciplina é deixada de lado. Na verdade a nossa sociedade adora brincar. O esporte em nossa sociedade foi além de qualquer proporção razoável. E quando o jogo excede um lugar equilibrado torna-se a marca de uma sociedade decadente. Isso não é filosofar; isso é história.

Você vê, é preciso muita disciplina em uma sociedade, uma grande quantidade de disciplina pessoal para produzir grandes pensadores, grandes escritores, grandes artistas, grandes músicos, grandes teólogos, grandes técnicos, grandes médicos, grandes advogados, grandes líderes. Não é preciso absolutamente nenhuma habilidade, não é necessário absolutamente nenhuma disciplina para assistir a um futebol, ou jogar tênis ou golfe - da forma como a maioria das pessoas joga tênis e golfe. Não existe uma verdadeira disciplina mental nisso. É apenas relaxamento.

Richard Shelley Taylor que escreveu algumas coisas interessantes sobre o tema da disciplina diz "Houve um tempo em que o debate inter-coletivo atraiu grandes multidões. Agora os debates são realizados em salas laterais enquanto a multidão aplaude nos jogos de basquete. Esta mudança de interesse do intelectual para o recreativo ocorreu até mesmo em colégios cristãos, tão difundido é a ênfase no relaxamento. Deve ser enfaticamente afirmado que a mudança do interesse popular animado do debate para o basquetebol é um sinal de declínio cultural." É a marca da superficialidade, é a marca do excesso de indulgência, é a marca de superficialidade; e a recreação, o relaxamento, os jogos, a diversão nunca poderão oferecer de volta, à sociedade que vivemos, aquilo estamos investindo neles. Não tem jeito. Eles não tem essa capacidade, porque o exercício físico para pouco é o que? Proveitoso, diz a Escritura.

A disciplina da mente está em um nível bem mais alto. E eu vejo isso até mesmo no ministério, quando encontro jovens que estão atravessando por um momento muito, muito difícil para ter uma mente disciplinada e ficarem com a tarefa nas mãos. Teddy Roosevelt disse uma vez, e cito "As coisas que destruirão a América serão a prosperidade a qualquer preço, a paz a qualquer preço, a segurança em primeiro lugar em vez do dever em primeiro lugar, o amor pela vida tranquila e a teoria da vida de ficar rico". E ele estava certo. E o que ele temia está acontecendo.

Na luta pelas idéias, na luta pela verdade, na luta pela preservação de uma sociedade e de uma cultura, a vitória pertence à mente disciplinada. A mente disciplinada tem a vantagem, porque pode avaliar, pode analisar, pode criticar, pode selecionar, pode planejar, pode se concentrar, pode responder com exatidão. E vejo, mesmo nos círculos cristãos, a perda da mente disciplinada, onde tudo é aceito e os cristãos estão até mesmo preocupados por haver uma espécie de abordagem recreativa à vida cristã. Lembro-me de estar envolvido em uma grande conferência de pastores e a conferência de pastores terminou com uma grande mensagem no final relativa a sair, fazer o trabalho e conquistar a comunidade, da qual aqueles homens vieram, para Cristo, e o orador fez uma mensagem sobre como relaxar e desfrutar da recreação. E todos saíram dizendo "Ei é melhor eu tirar mais alguns dias de folga" e as pessoas que estavam no comando da conferência ficaram muito angustiadas.

Há um movimento real para isso, mas é uma coisa triste, porque a longo prazo teremos uma geração de pessoas sem mentes disciplinadas, sem a capacidade de pensar analiticamente, criticamente, avaliar e compreender a verdade. Também é verdade que a pessoa com uma mente disciplinada é mais provável que se expresse claramente. É mais provável que seja persuasiva com sua lógica e seu raciocínio. E quando as mentes evangélicas se tornam indisciplinadas perdemos nossa persuasão, o poder da nossa mensagem. O caráter disciplinado pertence à pessoa que alcança um equilíbrio em sua vida - um equilíbrio - trazendo todas as suas faculdades, poderes e habilidades sob controle.

E Taylor, a quem citei mais cedo, diz ainda "A pessoa disciplinada se levanta corajosamente, até mesmo heroicamente, para encontrar a vida e conquistá-la. Ela enfrenta resolutamente seu dever. Ela é governada por um senso de responsabilidade. Ela tem recursos internos e reservas pessoais que são a maravilha das almas mais fracas. Ela traz a adversidade sob seu domínio e obriga-a a servi-la. O caráter forte de Madame Guyon permitiu-lhe, embora na prisão, levantar-se no espírito e cantar e escreveu estas palavras, "minha gaiola confina-me ao redor; para o exterior eu não posso voar. Mas embora minhas asas estejas estreitamente limitadas, meu coração está em liberdade. As paredes de minha prisão não podem impedir o vôo, a liberdade da minha alma.’”

E há poder nesse tipo de vida o tipo de vida que é disciplinada, forte em caráter. E eu tenho certeza que você está ciente do fato de que é apenas o caráter disciplinado que pode levar a cabo nas posições de grande responsabilidade se você está falando sobre a indústria ou educação ou de negócios ou da igreja. E há muitas pessoas que têm grandes ambições para o sucesso em todos esses campos, grande ambição, grandes desejos, grandes metas, sonhos e aspirações que nunca em sua vida perceberão porque eles não sabem o significado da disciplina. E não tem nada a ver com suas incapacidades mentais; tem a ver com a disciplina. A deficiência não está em sua dotação natural ou em sua falta de talento mas em seu caráter. Eles não têm a capacidade de se manterem ocupados fazendo seu trabalho.

Muitas pessoas jovens, por exemplo, gostariam de ser um médico, gostaria de ser um líder corporativo, gostaria de ser um professor, gostaria de ser um professor, gostaria de ser alguém na indústria passando por uma posição de sucesso, gostaria de ser Alguém que fez a diferença no mundo, um cientista de alto nível ou engenheiro, mas isso nunca acontece porque eles nunca aprendem a disciplina. Nunca aprendem a lidar com os anos exigentes de difícil estudo para chegar lá. Muitos jovens gostariam de alcançar uma certa habilidade nas artes e maestria na música, proficiência nas artes. Eles nunca chegam lá porque eles não vão enfrentar as longas horas de prática monótona ano após ano após ano após ano.

Chris Parkening, que está na nossa igreja e é provavelmente o principal guitarrista clássico do mundo, ele e eu somos amigos e conversamos muito sobre isso. Quando chegou aos 30 anos de idade ele era um mestre de seu instrumento. E não foi fácil. Ele me contou toda a sua vida jovem ele queria participar de jogos, queria participar de coisas divertidas, queria estar envolvido em esportes. Mas ele tinha que praticar a guitarra pelo menos cinco horas por dia. Isso é difícil quando você tem 13, 12, 14 anos. Eu sou grato por ele ter feito isso porque ele está em um nível de proficiência agora com o qual ele pode glorificar Deus como ninguém mais na face da terra pode fazê-lo com um instrumento que ninguém mais pode usar na medida em que ele pode usar istoda forma que ele usa. Mas ele pagou um preço. Mas o sabor doce da realização permanecerá pelo resto de sua vida. Há um monte de músicos por aí que apenas flutuam ao longo de seu talento natural. Existem poucos grandes artistas. Gostaria de saber quantos são produzidos em nossa geração.

Eu digo tudo isso apenas para dar-lhe um sentido desta urgência de disciplina. E é tão necessário na igreja. Vejo tantas pessoas na igreja que não têm disciplina. E a igreja, se a igreja permitir uma abordagem indisciplinada da vida cristã, vai produzir uma geração indisciplinada de cristãos dos quais se levantará a sua futura liderança. E essa falta de disciplina vai trazer em última instância mediocridade.

Agora o que é auto-disciplina? Vamos conversar a respeito disso. E aliás, eu estou me aquecendo para esta passagem. Tomando uma rota sinuosa. Eu tenho algumas coisas que eu quero dizer e eu vou fazê-las caber aqui. O que é essa autodisciplina? O que é isso? A melhor definição que eu poderia dar à auto-disciplina, e talvez não seja a melhor que você já ouviu, mas diz o que eu quero dizer. Autodisciplina é a habilidade de regular sua conduta por princípio e julgamento sadio ao invés de impulso, desejo, alta pressão, ou costume social. Deixe-me dizer isso novamente. A autodisciplina é a habilidade de regular sua conduta por princípio - e na verdade poderíamos dizer princípio divino no caso de um cristão - e julgamento sadio, do que por impulso, desejo, alta pressão, ou costume social. Você entendeu?

A maioria das pessoas regula seu comportamento por impulso, desejo, o que eles querem fazer, alta pressão aplicada a eles, ou o que é socialmente aceitável em torno deles. Isso não é disciplina. Simplificando, a autodisciplina é a capacidade de subordinar. É a capacidade de subordinar o corpo e as emoções ao que é certo e o que é melhor. E nem todo mundo está disposto a fazer isso. A maioria das pessoas não sabe o que é subordinar seu corpo, subordinar suas emoções; ou seja para trazê-los sob controle. Eles fazem o que quiserem. Eles fazem o que a sociedade ordena para que eles façam. Eles seguem o fluxo. Eles são como um peixe morto flutuando rio abaixo, eles não sabem o que é lutar contra a correnteza. Auto-disciplina é a capacidade de subordinar. Agora, para o cristão podemos defini-lo de modo muito simples. Autodisciplina é obedecer à Palavra de Deus. É trazer meus desejos, minhas emoções, meus sentimentos e tudo o que está em minha vida sob o controle de Deus supremamente para que eu viva uma vida obediente que tem como meta a glória de Deus. Essa é uma vida espiritual auto-disciplinada.

Agora, eu agradeço ao Senhor. Eu luto com a autodisciplina como você, mas agradeço ao Senhor que em algum lugar, ao longo da linha na minha vida - e eu nem me lembro exatamente onde estava - eu me comprometi a ser uma pessoa disciplinada. E isso foi fundamental em termos do meu ministério ao longo dos anos. Não é que eu seja especificamente o máximo, inteligente ou brilhante. Não é que eu seja mais esperto do que os outros. É simplesmente que de alguma forma, pela graça de Deus, e nada de mim mesmo realmente, em algum momento, no decorrer da vida, Ele tomou meu coração e eu fiz uma escolha para cultivar uma vida disciplinada. E essa foi a escolha mais abençoada de todos os tempos, além de escolher Cristo para tentar viver uma vida onde você subordina as coisas à Palavra de Deus, ao que é certo e o que é melhor.

Agora basicamente, homens e mulheres precisam que isso seja imposto sobre eles. E é por isso que você deve trabalhar tão duro com seus filhos. Se você não faz mais nada em sua vida tente fazer isso com seus filhos. Ensine-lhes a auto-disciplina. Ensine-os a subjugar seus desejos ao que é certo. Ensine-os a subjugar suas emoções ao que é bom e apropriado. Não deixe que eles escapem fazendo o que está errado, o que é estritamente um impulso, o que é estritamente uma reação às suas emoções, o que é o seu desejo seja certo ou errado. Não deixe que eles ostentem isso. Não os deixe fazer birras. Não deixe que façam isso. Confine-os a um padrão auto-disciplinado com amor. E se você não o fizer, você gerará um criminoso. Não pode ser pego, mas ele vai ser anti-social, ela vai ser anti-social.

A Escritura nos dizem que devemos ensinar aos nossos filhos os princípios apropriados, que devemos reforçá-los com o castigo para que quando eles forem indisciplinados paguem um preço. Não há crianças disciplinadas que não pagaram um preço. Basicamente o que acontece é que elas aprendem a disciplina porque as conseqüências de uma vida indisciplinada são muito graves. Quer dizer, se você fizer algo errado e for atingido o suficiente você vai parar de fazer isso. É apenas básico. Ensine a auto-disciplina.

Agora você diz, "Bom, e quanto aos adultos?" Ah, os adultos também precisam. Todos nós precisamos disso. Todos nós precisamos de disciplina imposta. Isso mesmo. Precisamos nos colocar em uma posição de responsabilidade onde temos uma disciplina imposta. Precisamos de regras. Precisamos de leis. É absurdo pensar que você pode viver de qualquer maneira, como você quer, porque você é um cristão você não precisa de regras você é apenas livre para viver de qualquer maneira. Não, não. Você precisa da imposição sobre você de um poder externo e uma autoridade externa, de certas regras e leis que você aprende a manter e se você violar há conseqüências. E é por isso que a Bíblia diz que quando você quebra a Palavra de Deus, você viola a Palavra de Deus, o Senhor fará o quê? Ele o castigará para que as conseqüências do mau comportamento sejam severas o suficiente para trazer você de volta a fazer o que é certo. Deus quer cultivar uma vida auto-disciplinada.

Agora, Deus nos deu, então, essas leis impostas e isso nos leva a Romanos 12. E o que você tem aqui são os princípios que são vividos em uma vida disciplinada. À medida que você olha para eles e olha para a sua própria vida e vê se eles estão lá ou não, você pode determinar se você tem uma vida auto-disciplinada ou não - na dimensão espiritual. Devemos subjugar nossas emoções, subjugar nossos desejos, subjugar nossa vontade própria à Palavra de Deus.

É humano e natural ser hipócrita às vezes. É humano e natural ser mau. É humano e natural ser possessivo, egocêntrico e cruel com outras pessoas quando eles se intrometem em seu espaço. É humano e natural ser preguiçoso. É humano e natural não se preocupar com outras pessoas mas apenas afofar sua própria cama. É humano e natural ficar bravo com as pessoas que são malvadas com você. É humano e muito natural tratar as pessoas de forma diferente porque alguns você gosta mais do que outros. É humano e natural quando alguém magoa você, querer feri-lo de volta, querer vingar-se. E quando seu inimigo está morrendo de fome você fica feliz - isso é humano e natural. Mas todas essas coisas são erradas e um cristão precisa cultivar uma vida auto-disciplinada onde ele não está mais fazendo o que é humano e natural, mas fazendo o que é certo e o que é bom pelo padrão de Deus.

E assim ele elimina a hipocrisia de sua vida e enche sua vida com amor genuíno. Ele elimina o mal e enche sua vida com o que é bom. Em vez de ser egoísta ele é altruísta e humilde, e busca ser bondoso com outras pessoas. Em vez de ser preguiçoso ele é muito diligente. Em vez de ser possessivo, egocêntrico e auto-indulgente ele dá o que ele tem para outras pessoas. Em vez de odiar aqueles que o feriram, ele ama aqueles que o magoaram e ele os abençoa. Em vez de tratar as pessoas de forma diferente ele as trata todas da mesma forma. Em vez de pagar o mal com o mal, ele responde com amor à ofensa. Em vez de ficar cheio de vingança, ele não tem vingança. Você diz, "Bom, que tipo de pessoa é essa?" Essa é uma pessoa disciplinada. Essa é uma pessoa que tem controlado seus desejos naturais, que os subjuga aos princípios do controle da Palavra de Deus.

Então o que estamos falando nesta passagem, amado, é o fato de que é assim que vive um crente disciplinado. E eu acho que tudo começa, voltando no capítulo 12 versículos 1 e 2, onde você oferece seu corpo, sua alma, sua mente, sua vontade como um sacrifício vivo para Deus. E sua mente se transforma, e você não faz mais o que o mundo faz; você é diferente. Você faz a vontade de Deus. Você submete sua vontade, suas emoções, seus impulsos, seus desejos, a alta pressão, o costume social, à autoridade da Palavra de Deus. É realmente assim. E os cristãos que vivem os princípios de Romanos 12, são os cristãos que aprenderam, pela graça de Deus, a serem auto-disciplinados. Serem auto-disciplinados.

Agora alguém poderia dizer, "Bom, John como você se auto-disciplina? Quer dizer, como você - eu não sou muito auto-disciplinado, como vou lidar com isso? "Deixe-me dar-lhe pequenas dicas práticas e em seguida vamos voltar ao texto aqui. Como você se torna auto-disciplinado? Você diz, "Eu não sou muito disciplinado. Quero saber como." Deixe-me apenas - este é apenas alguns conselhos práticos certo? Não espere encontrar isso em um versículo da Bíblia. Mas apenas tentando pensar isso, você diz "Eu sou meio indisciplinado e eu olho para esses princípios nos versículos 9 a 21 em que estamos trabalhando nas últimas semanas e eu digo a mim mesmo 'Rapaz, eu não vejo tudo isso em minha vida. Como faço para ser disciplinado?'"

Primeiramente, deixe-me sugerir que você comece pequeno. Comece muito pequeno. Aqui está um simples: Comece com o seu quarto. Limpe-o e mantenha-o dessa forma e quando souber que algo está fora de ordem coloque-o em ordem e quando algo estiver fora de lugar coloque-o no lugar. Pegue-o coloque-o no lugar. E depois vá pela sua casa. Alguns de vocês têm um sorriso bobo em seu rosto. Você pode estar dizendo "Isto está além da recuperação."

Deixe-me dar-lhe um segundo princípio: Seja pontual. Não parece muito espiritual, mas, rapaz, isso é bom. Seja pontual. Se você se propôs a estar em algum lugar em um determinado horário, esteja lá na hora que deve estar lá. Cultive a capacidade de sublimar seus desejos, suas atividades, as coisas que puxam você, para estar onde você deve estar na hora certa. Pequenas coisas como limpar a bagunça e ser pontual começará a cultivar uma atitude de auto-disciplina.

Em terceiro lugar - e este realmente me ajudou: Pegue o trabalho mais difícil e faça-o - o quê? Primeiro. E você se forçará a cultivar disciplina.

Um quarto: Organize sua vida. Planeje um pouco, não apenas reaja, planeje. Vá compre um pedaço de papel e escreva nele: "Hoje eu vou fazer isso." Não basta reagir. Se você não controla sua vida o resto vai fazer isso. Todo o resto.

Um quinto: Seja grato pela correção. Seja grato pela correção, porque a correção ajuda a torná-lo mais disciplinado, porque mostra o que você precisa evitar. Não evite críticas; Aceite-as de bom grado.

E outra - e isso realmente tem sido uma ajuda para mim: pratique a abnegação e pratique isso de uma maneira simples. Você quer uma bela taça de sandae? Queira isso, e peça um chá gelado com NutraSweet. Você diz "Mas eu sou magro." Não é uma questão de magreza; É uma questão de domínio próprio. Aprenda a dizer não aos seus sentimentos. Fiz isso durante toda a minha vida. Tentei me treinar para nem sempre satisfazer meus desejos. Quando eu quero um donut grande, ou algo assim, digo a mim mesmo, "Não, eu não vou pegar isso." Agora, eu não estou fora de controle. Eu poderia pegar um donut e isso não seria o meu fim. Mas eu preciso cultivar o domínio próprio para que eu aprenda a colocar algumas coisas no controle. E esse tipo de cultivo se espalhará para a dimensão espiritual. Realmente irá.

E finalmente um sétimo princípio, bem-vinda responsabilidade. Bem-vinda responsabilidade. Quando você tem uma oportunidade de fazer algo que precisa ser feito, seja voluntário para fazer isso. Bem-vindo responsabilidade. Isso força você a se organizar.

Bem, há algumas coisas simples. Comece pequeno. Limpe seu quarto, sua casa, ou seu carro. Seja pontual. Pegue a tarefa mais difícil e faça-a primeiro. Organize sua vida. Seja grato quando você for corrigido. Pratique a auto-negação ou domínio próprio. E bem-vinda responsabilidade. Isso é tão importante porque são essas pequenas coisas que começam a cultivar em sua vida a auto-disciplina. Sabe, trabalhamos nisso com os nossos filhos o tempo todo. "Limpe seu quarto, limpe seu quarto." Por quê? Por que achamos que vamos ter um bando de pessoas em seu quarto? Não, não teremos pessoas vindo ver o seu quarto. Não temos um cartaz que diga "Por favor venha ver o quarto de Matt o quarto de Marcy." Nós não fazemos isso. Mas é aprender a fazer isso vai ensinar toda a questão de uma vida disciplinada.

Ser pontual é outro. Se você vai estar lá não se atrase; ser pontual. Todas essas coisas são coisas que aprendi em minha própria vida que se transferem para a dimensão espiritual. Estou tentando torná-lo tão prático quanto possível para que não pensemos que viver uma vida espiritual disciplinada é algo tão distante no espaço que pertence apenas ao santo santo. É uma questão de aprender a estabelecer certos hábitos e padrões em sua vida que acabam por resultar em uma vida disciplinada.

Bem tudo isso nos leva realmente ao nosso texto não é? E alguns dos princípios que nós começamos a olhar? Vamos voltar lá por um momento e eu não vou levar muito tempo hoje à noite para cobrir essas coisas eu só quero terminar de cobrir o que nós começamos da última vez e em seguida vamos pegá-lo na próxima semana e embrulhá-lo .

O apóstolo Paulo aqui está dizendo "Olhe quando você chegar ao mínimo de viver uma vida disciplinada aqui estão os princípios que você precisa saber. Aqui estão os deveres práticos de uma vida disciplinada. "Agora nos versículos 9 a 21 há quatro fases ou quatro tipos de seções desses princípios e é como um círculo cada vez mais alargado. Cada novo tipo de fase engloba todo o resto também. A primeira fase tem a ver com coisas pessoais. Fase dois com a família cristã. Fase três com todos. Fase quatro com seus inimigos que fizeram mal contra você. Paulo expande o círculo de responsabilidade pela vida disciplinada.

Bem, tudo isso só nos leva, realmente, o nosso texto, não é? E alguns dos princípios que nós começamos a olhar?Vamos voltar lá por um momento, e eu não vou demorar muito tempo esta noite para cobrir essas coisas, eu só quero terminar cobrindo o que nós meio que começamos da última vez e, em seguida, vamos considerá-lo na próxima semana e entendê-lo .

O apóstolo Paulo aqui está dizendo: "Veja, quando você chegar até o âmago da questão de viver uma vida disciplinada, aqui estão os princípios que você precisa saber. Aqui estão os deveres práticos de uma vida disciplinada ". Agora, nos versículos 9 a 21, há quatro fases ou quatro tipo de seções destes princípios, e é como um círculo cada vez maior. Cada nova fase tipo que abrange todo o resto também. A primeira fase tem a ver com coisas pessoais. Fase dois, com a família cristã. Fase três, com todo mundo. Fase quatro, com os seus inimigos que causaram dano contra você. Paulo expande o círculo de responsabilidade pela vida disciplinada.

Agora, lembra-se do versículo 9? Vimos a primeira fase, a pessoal? Ele diz, "O amor seja sem hipocrisia", ou um verdadeiro tipo de amor, "Detestai o mal, apegando-vos ao bem." Essas são as três atitudes básicas para uma vida disciplinada. Amar verdadeiramente, odiar o que é mau, conservar o que é bom. Esses são princípios fundamentais em uma vida disciplinada. Então vimos o círculo avançar um pouco mais nos versículos 10 a 13, onde Paulo diz: "Agora, deixe-me alargar este círculo do dever cristão, para abraçar a família cristã, os outros crentes." Versículo 10: "Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal." E observamos o fato de que o que realmente está dizendo é que devemos amar as pessoas, porque elas são uma parte da nossa família. Devemos a amá-las com um amor de família.

Outro elemento muito importante da vida cristã, de uma vida disciplinada, é ser gentil, ser carinhoso, ser comprovadamente afetuoso com alguém na família, a amá-los no sentido de um amor bíblico que estende a mão para satisfazer as suas necessidades . E então ele diz no versículo 10, "preferindo-vos em honra uns aos outros." Em outras palavras, ame com humildade. Devemos amar com bondade e carinho, e devemos a honrar pessoas. Falamos sobre o fato de que, basicamente, a idéia aqui é ter pressa para dar honra a alguém, não com tristeza, mas estar com pressa para prestar honra a alguém, em vez de a si mesmo.

Em seguida, no versículo 11, vimos três outros compromissos importantes, e isso é uma espécie de onde estávamos da última vez quando encerramos. No versículo 11, ele diz: "No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor." Três coisas importantes quando servimos a família de Deus. Não devemos ser preguiçosos, devemos manter um ritmo acelerado, realmente depois do serviço. E o trabalho, é claro, está servindo ao Senhor. Esta é a vida que é disciplinada. É uma vida comprometida com o amor, uma vida comprometida com o odiar o mal, amando o que é bom, cuidando um do outro, honrando uns aos outros. Uma vida que é dada ao zelo, fervorosa de espírito, com coragem de servir a Cristo.

CT Studd, que possuía muitos bens deste mundo e deu tudo para ir como missionário, escreveu: "Alguns querem viver ao som da igreja ou dos sinos da capela. Eu quero dirigir uma reunião de resgate dentro do quintal do inferno." Eu gosto desse espírito. E foi isso que ele fez. John Wesley era um homem de zelo. Ele disse "Dêem-me cem homens que amam a Deus com todo o seu coração e que não temam nada, senão o pecado, e eu moverei o mundo".

Jim Elliot, mártir do Equador, era realmente um jovem notável. Um dia ele estava lendo em Hebreus capítulo 1 versículo 7 e ele leu, "Aquele...que faz...a seus ministros, labareda de fogo". E no dia em que ele leu isso ele escreveu em seu diário estas palavras, "Sou inflamável? Deus, livra-me do temível amianto de outras coisas." Isso não é bom? "Sature-me com o óleo do Espírito para que eu possa ser uma chama. Mas a chama é transitória e muitas vezes de curta duração. Podes Tu suportar isto, minha alma? Vida curta? Em mim habita o espírito da grande vida curta cujo zelo pela casa de Deus O consumiu. Faça-me seu combustível, chama de Deus." É uma grande declaração.

Ele disse "Uma chama é o que eu quero ser, mas uma chama não queima muito tempo, e se é assim que tem que ser, é assim que eu quero." E ele se identificou com outro que viveu uma vida muito curta, cuja chama foi muito breve, nosso Senhor Jesus Cristo, e a sua chama foi breve. A última frase que escreveu em seu diário naquele dia, "Faça-me o Teu combustível, chama de Deus" ele pegou isso de um poema, e esse poema foi escrito por Amy Carmichael. É um poema maravilhoso. Eu não vou ler todo para você, mas apenas a última estrofe. "Dá-me o amor que abre o caminho, a fé que nada pode assombrá-la, a esperança que não decepciona, a paixão que vai queimar como o fogo, não me deixes afundar para ser um torrão, faz-me Teu combustível, chama de Deus ".

Todo discípulo, suponho, gostaria de ser como este que o bispo Ryle, esse grande homem de Deus, descreve. Ouça suas palavras. "Um homem zeloso na religião é preeminentemente homem de uma só coisa. Não basta dizer que ele é sincero, corajoso, intransigente, completo, fervoroso em espírito. Ele vê apenas uma coisa, ele se importa com uma só coisa, ele vive para uma só coisa, é absorvido em uma só coisa, e essa única coisa é agradar a Deus. Se ele vive ou morre, se tem saúde ou doença, se é rico ou pobre, se agrada ao homem ou ofende, se é sábio ou pensa ser tolo, se ele recebe culpa ou se ele recebe louvor, se ele recebe honra ou se ele fica envergonhado por tudo isso, o homem zeloso não se importa com nada. Ele queima por uma só coisa e isso é agradar a Deus e promover a glória de Deus. Se ele é consumido numa chama de fato, ele não se importa com isso. Ele está contente. Ele sente que, como uma lâmpada, ele é feito para queimar, e se consumido na chama, ele só fez a obra para a qual Deus o designou. Tal pessoa sempre encontrará uma esfera para seu zelo. Se ele não pode pregar, trabalhar e ofertar, ele vai chorar, suspirar e orar." Esse é um homem zeloso. Esse é um homem que é fervoroso em espírito servindo ao Senhor. Uma vida disciplinada.

Paulo era assim. Paulo sempre foi meu modelo de vida disciplinada. Notável. Se havia um princípio, pelo qual ele vivia, era esse. Se havia um padrão divino, ele o seguia. Ele era um homem de uma só coisa: agradar a Deus.

Alguém tentou captar o fervor de Paulo em um esboço único. Eu não sei se você já ouviu isso - é fascinante. O escritor diz o seguinte, "Ele é um homem sem o cuidado de fazer amigos, sem a esperança ou o desejo do bem mundano, sem a apreensão da perda mundana, sem o cuidado da vida, sem medo da morte. Ele é homem de nenhuma classe, país ou condição; homem de um só pensamento, o evangelho de Cristo; um homem com um só propósito, a glória de Deus; um tolo, e contente de ser considerado um tolo por Cristo. Que ele seja chamado entusiasta, fanático, tagarela, ou qualquer outro título extravagante indescritível que o mundo possa escolher para denominá-lo. Mas deixe-o ainda ser indescritível. Assim que, o chamam de traidor, dono de casa, cidadão, homem de riqueza, homem do mundo, homem de estudo, ou mesmo homem de senso comum, tudo acaba com seu caráter. Ele deve falar ou deve morrer e embora ele deva morrer ele vai falar. Ele não tem descanso mas apressa-se sobre a terra e o mar, sobre rochas e desertos sem trilhas. Ele chora em voz alta e não poupa, e não será impedido. Nas prisões levanta a voz. Na tempestade do oceano não está em silêncio. Diante de conselhos terríveis e reis entronizados ele testemunha em favor da verdade. Nada pode calar sua voz senão a morte e até mesmo no item da morte, antes que a guilhotina tivesse separado a cabeça de seu corpo, ele fala, ora, testifica, confessa" É um testemunho tremendo, não é mesmo?

E ele está certo. Se você chamar Paulo de entusiasta, fanático, tagarela, ou qualquer outra coisa semelhante, isso não o incomoda. Mas se você diz dele "Oh ele é um cidadão, ele é um homem de riqueza, ele é um homem do mundo, ele é um homem de aprendizagem" e assim por diante ele fica muito incomodado porque ele não quer ser conhecido dessa forma. Ele é um homem de uma só coisa, um homem fervoroso.

Agora, viver uma vida fervorosa como é indicado no versículo 11, não é fácil, porque haverá todos os tipos de dificuldades. Você vive uma vida auto-disciplinada, uma vida de amor verdadeiro, uma vida que odeia o mal e retém o que é bom, uma vida que alcança os outros, uma vida que dá preferência aos outros, uma vida que não é preguiçosa, uma vida que é fervorosa, uma vida que serve ao Senhor, e você vai ter alguma dificuldade, assim o versículo 12, como vimos da última vez, realmente vem em auxílio da pessoa em dificuldade e diz, "Aqui estão alguns outros padrões desta vida auto-disciplinada: Ele se alegra com a esperança, é paciente na tribulação, e constante na oração".

Isto é necessário para manter a vida disciplinada, porque muitas vezes você faz um esforço supremo e o resultado final pode ser muito desconcertante. Muitas vezes você passa por tudo o que passa, para realizar o que você sente é certo diante de Deus ,e os dividendos são mínimos - mínimos. E eu quero que você saiba que, como você aprendeu, pode ser muito desanimador. E eu também fico desanimado. Mas nesses momentos eu aprendi, no versículo 12, a me alegrar com a esperança, de que sempre vai ser difícil aqui, mas virá um dia que será glorioso, certo? Virá um dia em que veremos o Senhor Jesus Cristo e todos os nossos esforços vão acabar. Eu não me importo de ser disciplinado agora, eu não me importo de pagar o preço agora, e eu preciso pagá-lo ainda mais do que eu preciso, e preciso ser mais disciplinado do que eu sou, mas não me importo o pouco de disciplina que tenho que desempenhar. Eu não me importo com isso, porque eu sei que vai haver um dia em que tudo vai acabar e eu vou descansar para sempre nas glórias da perfeição com o Salvador. Eu me regozijo com essa esperança.

Eu fico cansado. Há um nível de tolerância que todos nós temos e, eu não sei sobre você, mas eu pareço estar no limite a maior parte do tempo. E algumas pessoas me diriam "Bom, por que você continua tendo mais projetos? Por que você não se afasta?" Bom, eu não sei o que você quer dizer com isso. Não há nada que eu não possa fazer por causa do que Deus colocou no meu coração. E no meio do fazeresta tarefa e olhando para frente, você diz, "Bom, você não está ansioso pela aposentadoria?" Eu nunca vou me aposentar. Do que, do evangelho? Você pode me largar muito antes de eu estar pronto para ir embora - quer dizer, este é um compromisso de vida. Contanto que eu tenha meus sentidos. E a disciplina para este período, parece uma coisa pequena quando você pensa sobre a esperança da eternidade, não é mesmo? E isso nos permite ser pacientes em nossa tribulação. E claro, para nos colocar pra frente, ele diz para continuarmos diligentes ou literalmente continuarmos constantes na oração. Essas coisas mantêm a vida disciplinada, a vida vivida segundo os padrões de Deus. Você apenas tem que ficar conectado em oração, apenas, "Senhor, mantenha-me fiel, mantenha-me disciplinado, mantenha-me em movimento.”

Deus quer que todos nós vivamos uma vida que sujeite a vontade pessoal, o desejo pessoal, a emoção, os impulsos, a alta pressão, o costume social, às prioridades divinas. E amados, isso é realmente o que nos esforçamos para fazer no ministério da Grace Church, ver Deus construir um povo que conhece o significado de uma vida disciplinada, cujo desejo é obedecer à Palavra de Deus. E louvado seja Seu nome, eu me regozijei por todos os anos na Grace Church, porque eu vi isso em suas vidas e eu me alegro por isso, eu realmente me alegro. E quando eu ouço, como eu lhe disse mais cedo, que nossos filhos pequenos vão para algum tipo de competição de conhecimento bíblico, e voltam como os vencedores de cada divisão, em tudo, eu me alegro porque isso significa que eles estão aprendendo a sujeitar seus próprios desejos e suas próprias idéias à autoridade da Palavra de Deus. E isso dá esperança para a próxima geração. Então nos alegramos por ser o que Deus quer que sejamos.

O fluxo na passagem é então bastante claro, não é mesmo? Um cristão deve ser aquele que vive deste modo, com um amor puro, oque deia o mal, retem que é bom, é carinhosamente afetuoso para com os outros crentes, é humilde, procura honrar e não ser honrado. Seu serviço a Cristo é aquele que é total entusiástico, sincero, zeloso, obediente e diligente. As provações resultantes, que virão, serão superadas por uma forte esperança na promessa de Deus, para a glória futura, que lhe permite suportar pacientemente tudo o que ele tem de suportar, quando ele constantemente se compromete com a vontade do Senhor e os cuidados do Senhor. Esse é o tipo de vida.

E então Paulo conclui esta pequena parte do círculo, relacionado com a família de Cristo, no versículo 13, com mais duas coisas. Estou tão contente que ele as mencionou: compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade. Dois princípios básicos do dever cristão, muito simples e não precisamos gastar muito tempo com eles. Ele diz que precisamos nos comprometer a compartilhar as necessidades dos santos. Em outras palavras - marque isso - o mundo está empenhado em obter; os cristãos estão inclinados a dar. É o que ele está dizendo. O fluxo de nossa vida não está dentro mas fora. Está fora. Você sabe o que a palavra - bonita - a palavra "compatilhar" - na Autorizada, a palavra grega é koinonia, comunhão, partilha, parceria, companherismo. É a palavra para compartilhar. Compatilhando, dividindo, sendo parceiros nas necessidades dos santos. O que isso significa? Isso significa que eu sou parceiro de outros santos e se eles têm uma necessidade nós somos parceiros.

Nossos recursos são uns para com os outros, certo? Eu não tenho nada, aliás. Ah, quer dizer, há algumas coisas que eu tenho em termos de bens terrestres, tecnicamente, mas espiritualmente eu não os possuo. Eu só os administro para o Senhor e onde há pessoas com necessidades meus recursos são igualmente deles porque compartilhamos como parceiros. Partilhamos como parceiros. E é um dever cristão para nós fazer isso. Em Atos, capítulo 2, e Atos capítulo 4, descreve a igreja primitiva. Eles estavam vendendo as coisas que tinham quando alguém tinha necessidade, tirando o dinheiro obtido da venda e dando-o para as pessoas que tinham necessidade. Era assim que era. Todos estavam fazendo isso o tempo todo. Se alguém tivesse necessidade, alguém estava vendendo, e alguém estava atendendo a necessidade. E você se lembra do escritor de Hebreus, no capítulo 13, versículo 16, diz que, aqui está um sacrifício com o qual Deus se agrada, compartilhar. Compartilhar. Eu amo isso. Tomar os recursos que tenho e dá-los a outra pessoa.

Primeira Timóteo 6:17 "Exorta aos ricos do presente século". Isso certamente seríamos nós, a maioria de nós. Temos muito mais do que a maior parte do mundo. "Sejam -" versículo 18 "- ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir." Isso não é bom? Isso faz parte do dever cristão, faça do outro seu parceiro. Faça os outros seus co-parceiros, para que tudo que você tem seja deles, se eles tiverem necessidade. Você diz, "Bom, espere um minuto. Como eu sei a quem dar?" É muito simples. Jesus perguntou, "Quem é meu próximo?" E Jesus contou uma história, você se lembra, sobre um sujeito caído em uma estrada no caminho para Jericó. E a questão da história era esta: Seu próximo é o sujeito deitado em seu caminho em necessidade. Ele não está dizendo, "Coloque todo o seu dinheiro em um envelope e envie-o para o exterior e deixe alguém passar adiante." Ele está dizendo "Mantenha o que você tem e quando Deus colocar alguém em seu caminho com uma necessidade, supra a necessidade.”

Eu almocei com um pastor na sexta-feira e ele me disse "O que você acredita sobre este assunto de distribuir aos santos?" E eu disse "Eu acredito nisso, não acredito que seja escrever um cheque de vez em quando e enviá-lo para uma organização de ajuda." Eu acho que há um lugar para isso. E todos nós estamos preocupados com as áreas do mundo que estão em fome e a Grace Church está preocupada com essas coisas também. E temos esses tipos de projetos. Mas compartilhar às necessidades dos santos, isto quer dizer os crentes. E o que estamos realmente dizendo aqui é: Quando alguém está no seu caminho com uma necessidade você supre. E o que às vezes me espanta é que recebo um telefonema, e alguém diz, "Aliás, John, você sabia que tal fulano e fulano têm uma grande necessidade? A igreja poderia dar-lhes algum dinheiro?" E eu tenho uma resposta padrão, "Você sabia sobre essa necessidade?" "Sim." "Você não acha que talvez o Senhor colocou essa necessidade na sua frente para que você possa atender a essa necessidade?" "Não - realmente?" “Certo."

Não há Grace Church, você é ela. Você é ela. Você nos conta que alguém tem uma necessidade, temos que lhe dar alguma coisa. Vamos ter que encontrar alguém, além de você, para conseguir isso. Ou um de nós. Mas eu acho - e todos nós estamos dispostos a fazer isso, mas o ponto é que, eu acho que precisamos aprender que parte da vida cristã é apenas ser parceiros, não é mesmo? Suprir necessidades. Eu vou lhe contar uma coisa. Não importa o quanto eu entendo isso, eu sempre sinto que nunca faço o que devo fazer. Estou sempre sob a pressão da culpa, de não ser sensível às necessidades que eu deveria ser sensível. Mas precisamos cultivar isso. Faça dos outros seus parceiros. Essa é a melhor maneira de obter o conceito. Pense em outras pessoas como parceiras.

E então, no final do versículo 13, o último que vamos olhar hoje à noite, ele diz "praticai a hospitalidade." Literalmente esta é uma declaração muito forte, "Perseguir o amor de estranhos." Perseguir o amor de estranhos, não relutantemente, não dizendo, "Ah irmão. Temos outra pessoa vindo. Outra pessoa vai jantar aqui? Não podemos continuar com isso." Não. Persiga isso persiga-o. Não faça isso relutantemente. Persiga a hospitalidade, o amor de estranhos. Claro, naquele dia, você sabe, havia - se você não ficasse na casa de alguém você tinha que ficar em uma dessas pousdas sujas, e, rapaz, naqueles dias você estava tomando sua vida em suas mãos. Havia uma grande necessidade disso, e como os cristãos se deslocavam, eles abriam suas casas. Pessoas em vários lugares abriam suas casas para aqueles cristãos itinerantes, pregadores itinerantes, porque esse era o melhor lugar para eles ficarem. E assim o Novo Testamento é literalmente carregado com esses tipos de coisas.

Nos diz em Tito capítulo 1 que um ancião deve ser um amante da hospitalidade, não um amante relutante de estranhos, mas um amante de estranhos amáveis, é para amar isso, desejar isso, compartilhar tudo o que ele tem. Primeira Pedro 4:9 diz "Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração." Veja, a suposição é que não vai ser sempre fácil para nós. E então ele diz para fazê-lo sem rancor, estar ansioso por fazê-lo, perseguir isso aqui, e o presbítero devem ser um amante disso. Você sabe, nós podemos fazê-lo porque não temos nenhuma outra escolha, mas devemos amar fazê-lo, devemos estar ansiosos por fazê-lo. Devemos ser generosos com os convidados, dar-lhes o melhor do que temos, partilhar o nosso amor com eles.

Segunda Timóteo 1, Paulo diz, "Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo, porque, muitas vezes, me deu ânimo e nunca se envergonhou das minhas algemas; antes, tendo ele chegado a Roma, me procurou solicitamente até me encontrar. O Senhor lhe conceda, naquele Dia, achar misericórdia da parte do Senhor. E tu sabes, melhor do que eu, quantos serviços me prestou ele em Éfeso." Que pessoa querida. Sua casa serviu às necessidades de Paulo. Generoso, hospitalidade amável. Isso faz parte do dever cristão. É muito prático.

Você se lembra de Lucas 14, onde Jesus diz que se você vai dar um banquete, não chame seus amigos? Chame os deficientes, os excluídos e tenha mais deles, porque o resto das pessoas são convidadas o tempo todo. Você convida as pessoas que normalmente não são convidadas. Uma boa coisa pra se pensar, não é mesmo, neste período de férias? Para todos nós. Aprenda a cultivar em sua vida o fato de que todos os que pertencem à família de Cristo são, em certo sentido, um parceiro. E se eles têm uma necessidade você tem uma parceria para compartilhar com eles. O seu não é seu; é nosso nesse sentido. E aprendam a cultivar um espírito de amor para com aqueles que não fazem parte de seu círculo íntimo, família e amigos, e os alcançe ansiosamente, ansiosamente, sem rancor e amando fazer isso. Isso é o que é fazer o seu dever cristão. Mas a fim de se comprometer com essas coisas você tem que ser disciplinado para fazer as coisas que você sabe que Deus quer que você faça. Deus nos ajude a viver esse tipo de vida disciplinada onde ansiosamente, ansiosamente passamos pelos padrões que a Escritura diz, e vivemos por eles com alegria e gratidão.

Bom, da próxima vez vamos olhar para a terceira e quarta fase do círculo nesta passagem. Vamos curvar-nos em oração. Passe um momento em oração silenciosa, você faria isso? E peça ao Espírito de Deus que confirme algumas coisas em seu coração. Eu sei que o Senhor me falou, como Ele sempre faz no ensino da Palavra, e talvez de uma maneira muito especial Ele falou com você também sobre algumas coisas em sua vida que você quer ver mudadas, algumas atitudes, algumas áreas que não estão sob controle, e você quer ser aquele tipo de cristão disciplinado, que realmente vive uma vida de honra ao Senhor. Basta passar um momento em oração e comprometer-se a isso.

Pai, nós Te agradecemos pela comunhão que desfrutamos esta noite. Que noite maravilhosa nós tivemos, e vimos esta vida nova, estes pequeninos. Oh Senhor, como oramos para que fossem ressuscitados, para conhecerem a disciplina do Senhor. Que todos nós comecemos a controlar as áreas fragmentadas de nossas vidas. Que possamos viver de uma maneira que Lhe traga glória. Que possamos ser pessoas de uma só coisa, não controlados pelos caprichos do mundo, que nos rodeia, pelos costumes sociais, pela alta pressão, desejos, emoções, mas fazendo o que é certo porque aprendemos a disciplina. Não apenas pela criação de hábitos humanos, mas pela submissão ao Espírito Santo. Esse é o nosso desejo. Oramos em nome de Cristo. Amém.

Quero compartilhar algo com vocês antes de ir. Eu quero que vocês ouças com muita atenção, porque vai puxar toda essa mensagem junta, e eu quero que seja uma parte da fita e tudo mais, porque eu acho que é importante. Eu sei que todos nós temos um desejo de sermos disciplinados e eu lhe dei alguns princípios que podemos usar para disciplinar a nós mesmos. Mas eu estava lendo esta semana algo que eu achava muito útil de Oswald Sanders, um pequeno livro sobre Desfrutar Intimidade com Deus. E ele dá uma visão que realmente tem que ser dada para manter o equilíbrio, porque eu lhe dei algumas coisas práticas, mas temos que entender algo, se vamos viver uma vida disciplinada não é apenas uma questão de cultivar bons hábitos; é uma questão de dependência do Espírito de Deus, não é mesmo?

Ouça o que ele diz. "Quando Ulisses e seus homens partiram em sua viagem de conquista, eles foram avisados ​​por Circe para evitarem as sereias a todo custo." Esta é a mitologia grega. "Ela disse que as vozes das sereias eram sedutoras mas fatais para todos os que parassem para ouvir. Os ouvintes infelizes ficavam enraizados como uma árvore e não podiam se arrancar até que morressem de fome. "Encham as orelhas dos teus companheiros com cera" disse a Ulisses "e se tu queres ouvir a canção delas, primeiro deixa que os teus homens te amarrem firmemente ao mastro." Ulisses atendeu ao seu conselho. ‘Se a melodia me seduzir’ - ordenou a seus homens - ‘eu ordeno que desobedeçam a minha palavra e me prendam mais fortemente aos seus remos.’ Por fim, Ulisses ouviu as belas tensões que lhe invadiram a mente dominando seu corpo e superando a sua vontade. À medida que a música se tornava mais doce e doce, o amor de Ulisses por sua casa enfraqueceu. Ele lutou com sua vergonha mas finalmente as vozes enfeitiçantes das sereias prevaleceram. ‘Soltem-me e deixem-me ficar com as sereias. Ele ameaçou e suplicou. Ele prometeu aos seus homens montanhas de ouro com sinais desesperados e gestos, pois não podiam ouvir com a cera nos ouvidos. Seus homens só o amarravam mais fortemente. Furou e rasgou seus laços. Era uma agonia para ele deixar o local, e até que o último som da música dissipasse, eles o afrouxaram. Ele havia se desviado do caminho da tentação. Jason e os Argonautas partiram em busca do Velo de Ouro. Medea advertiu Jason e seus homens da ameaça das mesmas sereias, quando começaram a ouvir suas canções enfeitiçantes. Por toda parte eles podiam ver a costa espalhada pelos ossos daqueles que haviam sucumbido aos encantos das sereias. A bordo do barco estava Orfeu o rei dos menestréis. "Que elas combinem suas músicas com as minhas" desafiou as três donzelas que podia ver e cujas vozes prateadas roubavam as águas iluminadas pela lua, atraindo os marinheiros. Havia gaivotas em longas filas e cardumes de peixe que vinham escutar. Os remos dos heróis de Jason caíram de suas mãos hipnotizadas. Suas cabeças caíram e seus pesados ​​olhos se fecharam. Então Medéia gritou para Orfeu, "Cante mais alto desperte esses preguiçosos" e Orfeu golpeou sua habilidosa mão sobre as cordas de sua lira e sua música levantou-se como uma trombeta. A música penetrou as almas dos homens infatuados e suas almas ficaram emocionadas. Orfeu continuou cantando e cantando até que sua voz abafou completamente a voz das sereias. Mais uma vez os argonautas tomaram seus remos e Jason e seus homens conquistaram à vitória. ‘Cante outra vez a canção Orfeu’ - gritaram. ‘Cante a canção novamente.’”

E então Sanders diz isso, "Essas histórias ilustram de forma impressionante as duas formas possíveis de obter a vitória sobre os desejos da carne. Um é o caminho da negação e da proibição. Eles são de alguma ajuda e têm seu lugar. Ulisses estava preso; Caso contrário ele teria cedido aos desejos de seu coração. Seus homens tinham cera nos ouvidos, ou também eles teriam cedido. Mas é um fato incontestável que concentrar a mente no desejo da carne, para vencê-la, parece intensificar o desejo. Muito melhor a música de Orfeu do que a cera de Ulisses? Com o Orfeu celestial a bordo, enquanto ouvimos sua música celestial, as vozes das sereias perdem o poder de seu apelo, e nossos espíritos são libertados." Isso não é uma ilustração gráfica?

Estamos melhor com o poder do Espírito de Deus do que apenas uma lista de proibições. Certo? As proibições ajudam, mas se passamos todo o nosso tempo focando no que não devemos fazer, tudo o que faremos é intensificar nossos desejos. Se ouvimos a doce música do Espírito Santo isso abafará as vozes da tentação. Espero que seja útil. Vamos ficar juntos para uma palavra final de oração.

Pai nosso nós Te agradecemos por este dia maravilhoso que desfrutamos. Nós Te bendizemos. Faça-nos as pessoas que Tu queres que sejamos pelo amor de Cristo. E todos disseram: Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize