Grace to You Resources
Grace to You - Resource

E nós vamos continuar nosso estudo nessa noite no livro de Genesis, capítulo 1, origens, dia seis, a criação. Que tempo bom que nós temos tido fazendo isso. Eu não consigo pensar em uma série que eu fiz nesses últimos anos que tem tido uma resposta tão boa quanto essa, e assim que eu terminar, isso vai acontecer nessas próximas semanas, nós na verdade vamos encerrar essa parte sobre a criação. Nós estamos com planos de colocar na rádio e espalhar pelo mundo para que os outros possam ter a oportunidade de entender o grande, grande testemunho no livro de Genesis.

Em nosso estudo de Genesis, nós chegamos no dia 6 da criação de Deus, o auge do trabalho criativo de Deus, a criação do homem. Eu vou ler começando no versículo 24 de Genesis 1: “Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez. E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom. Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.

E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez. Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.”

Não podia existir um relato mais direto da criação o que esse. Fala exatamente o que Deus fez no sexto dia. Ele criou os animais terrestres. Dividindo eles em três categorias, nós encontramos todos ali, os animais domésticos e também os animais mais selvagens indicados pelo termo “animais da terra” e depois tudo que rasteja no chão, insetos, répteis, anfíbios, ratos, e esquilos e et cetera e et cetera. Depois, tendo criado esse tipo de forma de vida animal, no dia anterior ele já tinha criado todas as aves do céu e todos os animais no mar, Deus completou sua criação com a exceção do homem. Ele completou tudo quando o versículo 26 e 27 indica que ele criou o homem. Tudo isso, ele fez no sexto dia. Na verdade, um período de 24 horas como está indicado no final do versículo 3, uma tarde e uma manhã. Um período de luz e um período de escuridão, isto é, uma revolução da terra.

Agora, os inimigos de Deus e os inimigos da Bíblia tem negado essa Palavra revelada de Deus. Eles dizem que o homem tem evoluído num período de milhões e bilhões de anos e que o homem moderno é o resultado de uma mutação. O homem moderno é o resultado de algum – algum tipo de transformação genética aleatória e obstinada. O homem é o produto da sobrevivência dos mais fortes. Não é isso que a Palavra de Deus diz. O que eu acabei de ler não dá para ser mais claro. Também é repetido no segundo capítulo, versículo 7: “ Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”.

E lá no versículo 19: “Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. ” E o homem deu nomes a todos os animais domésticos, às aves do céu, toda fera do campo, mas para Adão não se encontrava nenhuma auxiliadora idônea. Então o Senhor Deus colocou Adão em um sono profundo, ele dormiu. Depois ele pegou uma de suas costelas e fechou o lugar com carne, e o Senhor Deus fez uma mulher da costela que ele tirou de Adão e levou ela até o homem. Aí você tem a criação da mulher. Nos dois casos, a criação do homem, a criação da mulher, é um ato criativo imediato e direto de Deus.

Lá no capítulo 5 de Genesis, o quinto capítulo começa assim: “Este é o livro da genealogia de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; homem e mulher os criou, e os abençoou, e lhes chamou pelo nome de Adão, no dia em que foram criados. ” Repetidas vezes lá diz que teve um dia em que Deus criou o homem, homem e mulher. Isso é o que a Bíblia diz. Isaías 45:12 ecoa isso: “Eu fiz a terra e criei nela o homem”. Jó 33:4: “O Espírito de Deus me fez”. Deuteronômio 4:32 fala sobre um dia em que Deus criou o homem na terra. Agora, isso é repetido não só nos versículos que eu passei para vocês, mas em outros lugares também.

Apear do ensinamento claro da Bíblia, o ensinamento claro de Gênesis e em outras passagens da Escritura, evolucionistas, alguns falam que são cristãos então são evolucionistas teístas; isto é, que Deus causou a evolução para trazer o homem à existência. Esses evolucionistas têm tentado, contra o claro testemunho das Escrituras, que Deus criou todas essas coisas em um dia, tentaram provar que o homem evoluiu, que tudo evoluiu de uma criatura com uma célula só pelos animais da água, anfíbios, macacos, até finalmente chegar no homem ereto que então foi o auge da criação. Mas cientistas, apesar de negarem a Bíblia, eles ainda não encontraram provas para a evolução de nada, incluindo a evolução do homem.

A razão por que eles ainda não encontraram provas é porque não existe nenhuma. Você não consegue encontrar provas de algo que nunca aconteceu, e é por isso que eles não conseguem encontrar provas para isso. Em seis dias de 24 horas ou dia solar, Deus fez o universo inteiro, a terra e todos os seres viventes, e como nós temos falado, Ele fez isso mais ou menos 6 ou 7 mil anos atrás.

Agora, isso traz o assunto de fósseis à tona, e eu tenho que mencionar isso. Eu falei um pouco sobre isso da última vez, mas eu sei que muitos de vocês são estudantes, e até no ensino primário e nas séries maiores, com certeza no ensino médio e entrando na universidade, você se depara com um suposto relato de um fóssil que prova que o homem evoluiu de uma criatura tipo um macaco de quatro pernas. Como que nós lidamos com o suposto testemunho de um fóssil que é usado para provar a evolução? Os cientistas não têm alguns elos faltando? Parece que a cada um ou dois anos ou um ou dois meses, alguns cientistas afirmas que encontraram algum tipo de homem-macaco que era dessa fase de transição. Eles têm elos faltando? A resposta: Absolutamente não. Absolutamente não.

Um livro cientifico muito interessante chamado No princípio escrito por Walter Brown, que é um Ph.D. Fo M.I.T., Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Por 21 anos, Walt Brown era o chefe de estudos de ciência e tecnologia no Air War College e também era um professor na Air Force Academy. Um cientista muito bom. Ele expôs, como muitos outros já fizeram, as mentiras dos evolucionistas que tentaram provar seus casos. Ele escreve que histórias que afirmam que fósseis foram encontrados de homens parecidos com macacos são grandemente exageradas. Por exemplo, agora é universalmente reconhecido que o homem Piltdown era uma farsa total, e mesmo assim existe ainda e continua existindo nos livros há mais de 40 anos.

Antes de 1978, as evidências para Ramapithecus consistia em um punhado de dentes e partes da mandíbula, e como eu falei para vocês na semana passada, Ramapithecus era uma das categorias maiores de homem-macaco de transição. Nós agora sabemos que simplesmente veio de outros fragmentos de mandíbula e alguns dentes. Agora é conhecimento geral de que Ramapithecus era simplesmente um macaco. O destronamento de Ramapithecus, supostamente o primeiro humano, esse desentronamento tem sido um ataque sério. Nós agora acreditamos, cientistas acreditam, que Ramapithecus provavelmente foi um ancestral extinto de um orangotango, nada além disso. Você encontra alguma informação interessante sobre isso num livro de Roger Lewin chamado Ossos da Contenção. Eu mencionei isso semana passada também.

Uma das outras supostas formas de transição é chamada de o homem Nebraska. A única prova para o homem Nebraska supostamente é um dente de um porco. Que grande pulo. Os crânios do famoso homem Peking são considerados por muitos peritos por ser os restos de macacos que foram sistematicamente decapitados e explorados por comida pelo homem. A classificação de Homo Erectus é considerada por muitos especialistas por ser uma categoria que nunca deveria ter sido criado quando – quando se diz respeito a eles. Os primeiros ossos de algum membro do Homo Habilis recentemente foram descobertos. Eles mostram que esses animais claramente tinham proporções de macaco ou parecidos com macaco e nunca deveria ter sido considerado ou classificado como Homo ou qualquer coisa parecida com o homem.

E então os australopitecos, como mencionei da última vez, que ficaram famosos por causa de Louis e Mary Leakey, encontrados em sua maior parte na África do Sul, são muito distintos dos humanos. Alguns estudos computadorizados detalhados dos australopitecos têm mostrado que suas proporções corporais não eram intermediárias ente os homens e os macacos que existem hoje, nem chega perto. Um estudo mais profundo do osso dentro do ouvido eles que era usado para manter o equilíbrio mostram uma similaridade incrível com os chipanzés e com os gorilas, mas é completamente diferente com o dos humanos. Um dos fósseis, uma adulta e três pés e meio, com longos braços, com mais ou menos 60 libras chamada de Lucy – você lembra da descoberta de Lucy – foi inicialmente divulgado e apresentado como provas de que os australopitecos andavam com dois pés como os humanos. Porém, estudos da anatomia completa de Lucy, não só de uma junta do joelho dela, agora provam que isso não é verdade. Lucy, por mais incrível que pareça, se pendurava nas árvores.

Por aproximadamente cem anos, o mundo acreditou que aquele homem Neandertal andava agachado e era parecido com um macaco. Estudos recentes mostram que essa crença errônea foi baseada em alguns Neandertais que eram coxos ou que tinham algum tipo de doença nos ossos como artrite e raquitismo. O homem Neandertal, homem Heidelberg, e o homem Cro-Magnon eram completamente humanos. A representação deles por artistas, especialmente das partes mais carnais deles, é bem imaginativa e nem um pouco suportada pelas evidencias. E por aí vai.

Mais ainda, como nós temos dito esse tempo todo, os métodos de datar que os evolucionistas usas também estão extremamente erradas, então resumindo, eles não têm nenhuma forma de transição, eles não têm nenhuma prova para a evolução de nada, e certamente não tem provas para a evolução do homem, e a razão porque eles estão tendo dificuldades para provar isso é porque não acontecer, no entanto, não pode ser provada.

O que aconteceu foi relatado para nós na Bíblia. Vamos voltar para Genesis capítulo 1. No primeiro dia, de acordo com o versículo 24 e – no sexto dia, eu deveria falar que é de acordo com os versículos 24 e 25, o dia 6 foi para a criação dos animais da terra. Os domésticos, como mencionei da última vez. Animais que rastejam, todos as criaturas baixas que ficam no chão ou perto do chão. Feras, animais de quatro pernas, não domesticados. Tendo dito isso, nós chagamos nos versículos 26 e 27, aqui nós encontramos a criação do homem. Aconteceu imediatamente ex nihilo, como foi. Deus trouxe o homem à existência em sua imensa complexidade instantaneamente. Criou Adão totalmente crescido e adulto e depois como no capítulo dois indica, mais pra frente ele criou uma auxiliadora, Eva, também adulta, completamente funcionando também.

Agora, tudo que foi criado até o ponto da criação do homem, homem e mulher, era pra providenciar um ambiente onde o homem poderia viver e poderia desfrutar das bênçãos de Deus pelas quais ele iria agradecer e louvar a Deus, o criador de tudo. Toda vida criada era tão maravilhosa, tão bom, e Deus falou que era bom, tão complexo e intricado e vasto, mas não era nada em comparação com o homem. Era separada da natureza do homem de uma forma tão grande e que nunca poderia ser passada por nenhum processo natural. Nada nunca poderia se tornar humano. Nada. Nenhum peixe, nenhum mamífero do mar, nenhum réptil, nenhum macaco, nenhum gorila, nenhuma criatura poderia se tornar homem. Nós já passamos por isso repetidas vezes. Por causa do DNA no código genético, é impossível.

Mas tem outro componente que não consegue ser encontrado no DNA. Um outro componente que é maravilhosamente misterioso e é introduzido pra nós no versículo 26 com as palavras “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; ” E no versículo 27: “ Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou”. E depois, como li antes para vocês, em Genesis 5:1: “No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; ”. Essa é a identidade única do homem. Isso é parte do homem que não pode ser reduzida a genética. Isso é aquela parte espiritual misteriosa do homem que não pode ser colocada em um tubo de teste. É aquela parte do homem que não pode se tornar – ou vir a existir por mutação ou uma transição. Essa é a imagem de Deus.

Agora, o versículo 26 começa assim: “Também disse Deus”, e versículo 27: “Criou Deus. ” É a mesma fórmula. Deus fala e Deus cria, e na verdade essas palavras são sinônimas. Deus diz, “que isso aconteça, ” e acontece. Só dessa vez, tem uma importante diferença. Uma diferença muito importante. Pela primeira vez, uma grande mudança de linguagem acontece. Nunca antes o texto disse, “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”. Antes desse ponto Deus nunca tinha falado na forma plural. Todas as outra vezes ele fala, haja isso, haja aquilo, haja.... Era impessoal. Nada que ele criou até esse ponto tinha nenhuma conexão pessoal com Ele. Você tem que marcar isso porque esse é um assunto muito importante para a gente entender.

A linguagem é impessoal. Haja isso, que isso aconteça, e Deus fala e algo vem a existir, Ele cria, mas Ele nunca se identificou pessoalmente com nada que Ele tinha criado, não com a luz, não com água, não com os elementos, não com o sol, lua, os corpos estrelares, nem com a terra, nem com a separação da terra das águas. Ele não tem um relacionamento pessoal com essas coisas. Nem com as aves, nem os animais do mar, nem com os da terra. Nenhum relacionamento pessoal existe, nenhum envolvimento pessoas existe, nem no tempo nem na eternidade. Não tem nenhuma ave que é relacionada com Deus de nenhuma forma pessoas. Também não tem, e me desculpa por ter que falar isso, não tem nenhum cachorro ou gato que se relaciona com Deus de nenhuma forma pessoal.

Não tem nenhuma criatura que se relaciona com Deus de uma forma pessoal. Até chegarmos nesse ponto. Nesse ponto, Deus se torna pessoal e Ele começa a falar em termos relacionais. “Façamos o homem à nossa imagem”. E Deus, pela primeira vez na Bíblia, se introduz – agora prestem atenção – em um relacionamento. Até esse ponto, é só Deus. Mas agora Deus se define com pronomes no plural. Façamos – não eu vou fazer. E nós somos introduzidos ao fato de que Deus tem em sua natureza relacionamento. Isso só acontece quando existe mais de uma pessoa. Nós então somos introduzidos pela primeira vez ao fato de que Deus é a Trindade, e claro, isso já foi insinuado porque a palavra para Deus, elohim, tem uma terminação plural. Mas aqui é específico.

Agora, de repente nós somos introduzidos a um Deus que é mais do que um, e nós somos introduzidos ao relacionamento dentro da Trindade com essa fala, “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”, e agora de repente somos introduzidos a grande realidade se que tem uma comissão executiva divina. Que existe um conselho executivo divino. Nós recebemos um pouco de uma alusão disso lá no capítulo 1 no versículo 2. Deus cria, no começo do versículo 1, e depois no versículo 2, somos introduzidos ao espírito de Deus se movendo sobre a face das águas. Quando nós vamos para o evangelho de João no Novo Testamento, esse é o relato da criação que encontramos ali. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”. Esse é o segundo membro da Trindade, Jesus Cristo.

Agora somos introduzidos a Jesus Cristo. Lá diz que todas as coisas vieram a existir por Ele, e sem Ele nada que existe existiria. Em João 1, nós encontramos o segundo membro da Trindade, o Verbo que se tornou carne (João 1:14) esse tem que ser o segundo membro da Trindade, Jesus Cristo, era na verdade o criador. Genesis 1, nós vemos Deus como o criador. Genesis 1, nós vemos o espírito de Deus na criação. João 1, nós vemos o Filho de Deus ou o Verbo de Deus, o Verbo encarnado, em seu caráter criativo. Nós agora somos introduzidos ao fato então de que Deus é mais do que um, e nós sabemos de todos os testemunhos das Escrituras que Deus é três pessoas em uma.

Agora nós somos introduzidos a um relacionamento, e isso é muito, muito importante. Ele não usa o decreto impessoal ou terminologia “haja alguma coisa”. Ele usa linguagem que revela que Ele está se comunicando com outros. Ele está em comunhão com outros nessa criação. Eu quero que você acompanhe isso porque isso é muito importante. Essa é uma referência clara, inequívoca e indiscutível da Trindade apesar da clarificação mais cheia da doutrina da Trindade não se revela completamente até chegar no Novo Testamento. Você não consegue plenamente entender a Trindade até a terceira pessoa – quero dizer – a segunda pessoa da Trindade, é encarnada e até a terceira pessoa da Trindade, e Espirito Santo, vem no Pentecoste e começa a fazer seu grande trabalho que foi revelado naquele tempo. Mas as sementes da doutrina da Trindade foram plantadas aqui.

Seria muito justo dizer que nós estamos exagerando se a gente esperasse que o leitor original de Genesis entendesse a doutrina da Trindade com Genesis capítulo 1. Isso seria um exagero. Não está ali. B.B. Warfield, o grande teólogo de Princeton, uma vez escreveu: “A hora não estava madura para a revelação da Trindade na união de Deus até cumprir a hora para Deus mandar Seu Filho para a redenção e Seu Espirito para a santificação”. E isso é exatamente correto. Nós não enxergamos a plenitude da Trindade até a vinda do Senhor Jesus Cristo e até que o Espirito Santo seja enviado.

Então esse versículo não pode ser usado de forma simplista para provar a Trindade, mas olhando para trás com o ponto de vista da encarnação e o ponto de vista da vinda do Espirito Sant, nós podemos ver a riqueza do significado aqui porque nós temos a completa revelação.

Existe, através o Antigo Testamento - e isso precisa ser mencionado – existe no Antigo Testamento passagens da Escritura que indicam comunicação entre os membros da Trindade. Por exemplo, no capítulo 2 de Salmos ou melhor, Salmos 2, versículo 7, o salmista escreve: “ Proclamarei o decreto do SENHOR: Ele me disse: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei, ’” e aí está o primeiro membro da Trindade, o Pai, comunicando com o segundo membro da Trindade, o Filho, e isso claramente profetiza o que foi cumprido na encarnação de Cristo e referido em Hebreus capítulo 1.

Depois em Salmos 45 – e isso é muito fundamental, então eu vou gatsar um tempinho com isso. Em Salmos 45, versículo 7, mais uma vez o Pai está falando, falando do Filho. Ele diz, “Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros”. Mais uma vez esse texto é mencionado no livro de Hebreus como sendo direcionado ao segundo membro da Trindade, o Filho. Então existe uma comunhão entre o Pai e o Filho mais uma vez isso sendo provado aqui. E talvez um texto mais bem conhecido é o de Salmos 110:1, alguns de vocês devem conhecer, e existe uma comunicação bem direta ali, se eu conseguir encontrar o texto. “ Disse o SENHOR ao meu senhor: ” – aí está, dois Senhores, um falando com o outro. “Disse o SENHOR [o Pai] ao meu senhor[o filho]: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés”. E de novo, isso é referenciado no Novo Testamento como sendo uma profecia Messiânica.

Você pode olhar em Isaias 48:16. Você encontra a mesma coisa onde tem comunicação entre os membros da Trindade. Mas de novo eu repito, até você chegar à encarnação, você não vai enxergar a completa identidade do segundo membro, e até você chegar no livro de Atos com a vinda do Espírito Santo, você não consegue ver a completa apresentação do terceiro membro; o Espírito Santo. Mas aqui você tem, voltando para Genesis, a indicação de que Deus, por natureza, está em um relacionamento consigo mesmo. Ele é uma pessoa múltipla em um perfeito relacionamento. Agora, vamos nos aprofundar mais nisso. No versículo 26, “Façamos o homem à nossa imagem, ” isso implica a plenitude da Trindade no ato criativo. A Trindade completa é trazida junta para fazer isso. “Façamos o homem à nossa imagem”. E depois no versículo 27 está escrito, “Criou Deus, pois, o homem. ”

Você pode falar de Deus como sendo um no versículo 27 ou você pode se referir a Ele como sendo mais do que um no versículo 26, e Ele diz, “Façamos o homem à nossa imagem. ” Deus é um deus e ao mesmo tempo Ele é três pessoas como nós já sabemos. O que você tem aqui é o conselho da Trindade engajada no propósito de criar o homem e agora o tempo está certo.

Eu tenho que parar nesse ponto. Eu não estaria sendo fiel às Escrituras se eu não fizesse isso. Pelos anos, eu tenho tentado mostrar a vocês que Deus tinha um propósito divino antes do mundo começar e que esse propósito divino era de tomar uma noiva para o Seu Filho. E Deus o Pai desejou dar ao Seu Filho uma expressão de amor em uma noiva que seria uma humanidade redimida para ser dada ao Seu Filho para que ela amasse e adorasse e louvasse e glorificasse Seu Filho para sempre e sempre e sempre e também para servir a Ele. Esse eterno propósito de Deus se desdobrou dentro do conselho executivo que é Deus dentro da Trindade.

Eu só vou te lembrar disso rapidamente porque é tão importante. Muito importante. Falando de Cristo, em 1 Pedro 1:20, lá diz, “Ele foi conhecido [que significa predeterminado], com efeito, antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós”. Então Jesus, que tem aparecido nesses últimos dias por amor de vós, para morrer na cruz, ressuscitar, ser seu Salvador. Jesus, que tem aparecido nesses dias, foi planejado desde antes da fundação do mundo. Então antes de Genesis 1, antes do primeiro dia da criação, antes dessa semana criativa acontecer, redenção já tinha sido planejada, entenderam? Em outras palavras, Deus planejou a redenção antes de ele criar a raça de pessoas pelas quais ele iria escolher os redimidos. Seu propósito redentivo veio primeiro.

Vamos ir mais a fundo nisso. Tito capítulo 1, por um momento, ali fala sobre o evangelho em Tito 1:1-2. “ Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, ” – Paulo está se identificando ali, e ele diz que ele é para a fé dos escolhidos de Deus. Isso é a fé salvadora para os eleitos. O conhecimento da verdade de acordo com a piedade, a esperança de vida eterna, aqui ele está falando do evangelho. O evangelho envolve fé salvadora, envolve a eleição, envolve o conhecimento da verdade, envolve piedade, envolve a promessa e a esperança de vida eterna.

Mas perceba o seguinte: o propósito salvador de Deus, seu propósito inteiro, foi algo que Deus, que não pode mentir, prometeu – quando? Está escrito que foi antes dos tempos eternos. No grego está antes do tempo começar. E quando foi que o tempo começou? Quando que o tempo começou? No dia um. Então antes do primeiro dia, Deus já tinha planejado o evangelho. E tinha um elemento do evangelho que era uma promessa que ele prometeu antes dos tempos eternos. Deus prometeu que Ele iria escolher alguns, que Ele daria fé a eles, que ele iria produzir piedade neles, que ele iria dar vida eterna a eles. Deus prometeu isso antes do primeiro dia. A questão é: Para quem que ele prometeu?

Ele não prometeu isso para nenhum ser humano. Nós nem fomos criados até o sexto dia. Ele não prometeu aos anjos. E como eu te falei antes, os anjos foram criados na mesma hora que todas as outras coisas foram criadas. Nós não sabemos exatamente ou precisamente quando, mas ele certamente não prometeu salvação aos anjos porque os anjos não desfrutam da salvação, não é? Ele não prometeu isso a eles. Os anjos que pecaram e caíram dos céus para sempre e não tem salvação para os anjos. Então para quem que Deus fez a promessa da salvação antes dos tempos eternos?

Bom, vão até 2 Timóteo capítulo 1 versículo 9. Nós vamos nos aprofundar um pouco nisso. Lá diz que Deus, no final do versículo 8, que nos chamou, com um chamado santo, et cetera, et cetera, et cetera, fez isso de acordo com Seu propósito e graça, que nos foi dado em Cristo Jesus- e por alguma razão os tradutores aqui traduziram a mesma frase que está em Tito 1:2, a mesma frase. Lá, está traduzida “nos tempos eternos”. Aqui, está traduzida “por toda eternidade”. É a mesma frase: antes de começar o tempo. Aqui nós temos a mesma frase de novo, de acordo com Tito 1:2, antes do tempo começar. Aqui, diz que ele tinha um propósito que envolvia Cristo Jesus desde antes de começar o tempo.

Então antes de começar o tempo, Deus fez uma promessa. Ele fez uma promessa de que Ele ia redimir algumas criaturas que Ele iria fazer, e Ele iria redimir eles através de Cristo Jesus. Ele deve ter conversado sobre isso com a segunda pessoa da Trindade sobre a necessidade da encarnação, a necessidade de vir para a terra, a necessidade do sacrifício pelos pecados, e tudo isso. Tudo foi planejado antes de começar o tempo. Versículo 10 diz: “e manifestada, agora, pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus” ou “Cristo Jesus. ” Agora estou levando vocês para antes de Gênesis 1. Estou te levando para o momento antes de começar o tempo, antes da terra receber o fundamento, antes de existir alguma criação, nos conselhos de Deus.

O plano era que iria existir uma humanidade redimida que seria criada e redimida, trazida para a glória pela encarnação e pelo sacrifício do segundo membro da Trindade. Nós sabemos mais para a frente no Novo Testamento que eles seriam redimidos pela obra do terceiro membro da Trindade, o Espirito Santo, que iria convencer eles em seus corações do pecado e justiça e julgamento, que iria iluminar suas mentes para entender a verdade, que iria regenerar eles e dar a eles um novo nascimento, e claro, nesse ponto em particular eles seriam transferidos da morte para a vida, eles se tornariam seres de Deus. Aqueles que iriam experimentar tudo isso são aqueles quem Deus escolheu desde antes da fundação do mundo, antes de começar o tempo.

Efésios capítulo 1, versículo 3, fala sobre os propósitos de Deus. “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, ” Por que? “Assim como nos escolheu, nele, antes – do que? - Da fundação do mundo”. Então o decreto divino inteiro se manifestou antes de começar o tempo, antes de existir alguma criação. E isso foi no conselho da Trindade. Versículo 4 diz que Ele nos predestinou. Ele fez isso simplesmente porque era da vontade Dele.

Qual foi o extenso disso? Bom, o Pai disse, “Eu vou criar e redimir algumas pessoas. Eu vou dar a eles o Filho como um presente de amor”. Na verdade, se você olhar em João 6 – e eu não vou gastar muito tempo nisso – e olhar também em João 17. Repetidas vezes, Jesus se refere aos crentes como aqueles quem o Pai me deu. Lembram disso? Jesus em João 6 diz, “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer. ” Jesus diz, “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. ” Em João 17, Jesus ora, “ Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste. ” Jesus se refere aos crentes como aqueles quem o Pai deu a Ele, e isso começa a formar um plano. O Pai então deseja mostrar seu amor ao Filho. É um amor supremo. É o amor que só Deus conhece.

O amor que é tão grande que anseia dar, e Deus determina que a forma de expressar esse amor é criar e redimir humanos e então levar eles para a glória, e quando eles são levados à glória, eles são feitos como Cristo. Filipenses nos diz n o capítulo 3 que nós seremos conformados para sua glória, para o corpo de sua glória. 1 João 3 diz, nós seremos como Ele porque nós nos vemos como Ele é. Então o Pai vai nos tornar um reflexo literal, réplicas, de Jesus Cristo, que vai radiar sua glória, e nós vamos louvar Ele e honrar a Ele e glorificar a Ele para sempre e sempre e sempre e servi-lo também. Esse é o presente de amor do Pai para o Filho.

A maravilhosa história – e eu já contei isso para vocês no passado – é que em 1 Coríntios 15 diz quando o Filho recebe a humanidade redimida do Pai, quando o Pai dá aquela humanidade redimida ao Filho, quando todos eles são trazidos para a glória, quando todos nós estamos lá e o tempo não existe mais e todos nós estamos na presença de Deus e somos dados pelo Pai ao Filho, quando o Pai dá uma humanidade completamente redimida ao Filho, 1 Coríntios 15 indica que o Filho pega isso e devolve ao Pai e Deus é tudo em todos. E o que é realizado com isso é uma humanidade redimida como um todo junto com os anjos santos enchendo o novo céu e a nova terra para sempre, para nenhum outro propósito a não ser servir e louvar e glorificar a Deus o Pai, Deus o Filho, e Deus o Espirito Santo, que é digno da glória.

Agora isso se torna algo pessoa em Apocalipse capítulo 13 e Apocalipse 17 onde duas vezes – nos dois casos, capítulo 13, versículo 8 e capítulo 1, versículo 8, diz a mesma coisa. Se refere aos crentes como aqueles cujos nomes foram escritos no livro da vida desde antes da fundação do mundo. Aqueles cujos nomes foram escritos desde antes da fundação do mundo no livro da vida, e mais uma vez nos leva para antes da fundação do mundo. Agora vamos voltar para Genesis capítulo 1 com isso em mente.

Nós agora podemos dizer que a Trindade tem planejado isso. Existiu um planejamento e uma consulta com o conselho de Deus. Aconteceu bem antes do dia seis. Aconteceu muito antes de existir o tempo. Aconteceu antes de existir alguma criação. Existia um plano antes de começar a ser cumprido, e Deus agora está dizendo, “Todo o resto é impessoal para mim. Todo o resto é queimado. Todo o resto perece. Nada que eu crio dura. O universo inteiro vai ser desfeito”. E como Pedro nos diz em 2 Pedro, vai derreter – os elementos vão derreter abrasados. Eu realmente acredito que vai existir algo como uma fita que está indo de trás pra frente e a criação vai deixar de existir e vai ter uma dissolução atômica enquanto o universo inteiro deixa de existir. Tudo será abrasado.

Só um componente no universo físico dura para sempre e isso é o homem. Porque só o homem, no final das contas, importava para Deus. Todo o resto foi criado para providenciar um mundo para o homem que levaria o homem a louvar, agradecer e glorificar a Deus. E colocar o poder maravilhoso de Deus em destaque e a sabedoria de Deus em destaque e a inteligência de Deus em destaque. Certamente a complexidade e a variedade do universo fazem isso para que o homem possa glorificar a Deus e honrar a Deus. Mas tudo isso vai derreter. Tudo queima. Só o homem é feito na imagem de Deus. Só o homem interessava para a Trindade no final das contas. Só o homem era o produto da comunhão intra-Trinitariana.

Sim, o homem era uma criatura viva como os animais. Isso simplesmente significa que ele se move e é consciente. Sim o homem recebeu o sopro da vida. Capítulo 2, versículo 7, Deus respirou em suas narinas o sopro da vida e o homem se tornou ser vivente, mas isso foi verdadeiro sobre os animais. Em Genesis capítulo 7, versículo 22, fala que tudo que estava na terra seca, tudo recebeu o sopro do espírito de vida. Todos os animais receberam isso. Todos são vivos e o sopro de vida ou ser uma criatura viva é uma designação de Genesis de que a vida criada tem uma consciência; isto é, não são plantas, tem uma consciência e se move. E certamente isso é verdadeiro para o homem, mas a similaridade acaba aí. E a Trindade planeja uma criatura que é diferente de qualquer outra parte da criação; não pode se evoluir para se tornar isso.

Agora, existem quatro características discutidas aqui sobre o homem. Quatro características. A primeira característica é bem óbvia. O homem foi feito na imagem de Deus. Diz lá repetidas vezes, “Façamos o homem à nossa imagem de acordo com a nossa semelhança”. Imagem e Semelhança são sinônimos. Não existe distinção na língua hebraica entre esses dois termos quanto ao significado. Elas são repetidas para dar ênfase, que é muito típico quando se trata da língua hebraica. Em nossa imagem, de acordo com a nossa semelhança, é a mesma coisa. Versículo 27, em Sua imagem, na imagem de Deus, Ele criou – repetiu de novo, quatro vezes ele repete isso, nós fomos criados na imagem de Deus. Bom, o que isso significa? Bom, o que isso significa é muito importante porque seja o que for que isso significa, é diferente. É o que identifica a diferença entre nós humanos e toda outra coisa criada, até dos mais altos dos seres criados, os animais conscientes.

A resposta para isso é crítica, e a resposta mais uma vez prova que o homem não consegue se evoluir. Isso é impossível. Você não pode se evoluir para chegar na imagem de Deus. Isso não é algo que aparece na genética. Isso não e algo que você encontra em algum cromossomo. Não é algo que aparece no DNA.

O que é a imagem de Deus? A raiz da palavra no hebraico para imagem, tzelem, parece que significa esculpir ou cortar. Em outras palavras, o homem foi uma parte esculpida de Deus, de certa forma. Ele foi mais ou menos esculpido no formato de Deus. Isso significa que nós somos criados de um modelo celestial, pessoal. Isso significa que nós fomos criados usando um molde divino. Deixa eu ir um passo a mais: Isso significa que nós somos criados com um molde eterno, que não é verdade para mais nada que foi criado. Nada mais no universo do tempo ou espaço.

Nós compartilhamos de algumas características com as outras criaturas. Todos nós fomos desenhados por Deus para vivermos juntos num ambiente comum. Nós compartilhamos de algumas características biológicas porque nós compartilhamos um ambiente biológico. Nós temos um certo tipo de reciprocidade biológica com plantas, não é? Nós criamos dióxido de carbono e elas criam o que? Oxigênio, que nos precisamos. Nós temos reciprocidade com as plantas porque nós comemos elas. Nós temos reciprocidade com os animais, temos reciprocidade com água, temos reciprocidade com o sol e a lua e todas as outras características do nosso mundo, e então nós precisamos nos encaixar no ambiente biológico, e então nós somos feitos das mesmas coisas fisicamente.

Mas nós não somos macacos altamente evoluídos. Somos transcendentes em nossa significância porque nós literalmente fomos esculpidos na imagem de Deus. Agora, isso deve descrever alguns aspectos da natureza humana que não é compartilhado com os animais, como a autoconsciência. Animais são conscientes; eles não são autoconscientes. Isto é, eles são conscientes, eles reagem com seus ambientes, mas eles não sabem que eles fazem isso. Como a razão, a habilidade de pensar abstratamente, que os animais não conseguem fazer, e isso já foi provado repetidas vezes. Como a apreciação por beleza e estética. Como sentir emoção. Como sendo moralmente sensíveis e moralmente conscientes. E aqui está sobre tudo, sobre todo o resto – prestem atenção nisso: Sobre tudo, a imagem de Deus indica a habilidade de pessoalmente se relacionar com outra pessoa, especialmente com o próprio Deus. Sendo capaz de conhecer a Ele, sendo capaz de amá-lo, sendo capaz de louvá-lo.

Deixa eu te dizer uma coisa. O cerne da imagem de Deus pode ser resumido com a palavra “pessoal”. Nós somos pessoas. Nós somos pessoas. Nós vivemos e nos movemos na base de relacionamentos. Relacionamentos. Nós entendemos amizade. Entendemos amor. Entendemos comunhão. Entendemos conversação. Entendemos o compartilhar de pensamentos e compartilhando atitudes e compartilhando ideias e experiências com os outros. E é por isso que quando Deus criou o homem, Ele imediatamente falou, “Não é bom que o homem esteja só. ” Por que? Porque a imagem de Deus é pessoalidade, e pessoalidade só consegue funcionar em um relacionamento. A imagem de Deus, pessoal, é a capacidade para relacionamentos pessoais e mais importante ainda, para um relacionamento pessoas com Deus.

E então, não é importante entender que quando Deus falou, “Façamos o homem à nossa imagem, ” Ele nos introduz nesse ponto ao conceito de que Ele é um Deus de relacionamento. E então ele nos cria nessa imagem para que possamos ser criaturas de relacionamentos. Esse é o ponto. A imagem de Deus é a capacidade para um relacionamento pessoal. Deus próprio nunca existiu como um indivíduo solitário, sozinho, isolado. Ele sempre existiu em família. Ele é o Pai. O Segundo membro é o Filho. O terceiro membro é o Espirito. Como o grande Santo Atanásio dizia no quarto século, o Pai nunca existiu sem Seu Filho.

O grande mistério da origem da pessoalidade, da origem de personalidade, é que o único Deus existe como três pessoas em um ser ou substância ou realidade. E a única substância, a única essência, o único ser de Deus envolve pessoalidade. E quando Deus nos fez em Sua imagem, ele nos fez pessoas, autoconscientes; e então, capazes de ter relacionamentos – se eu sou um animal, eu nem seria consciente de que existo. Como que eu seria consciente se que outra pessoa existe? Mas eu sou uma pessoa e eu sei que existo e eu sei que você existe e eu sei que Deus existe.

Deus é uma pluralidade. Deus existe no relacionamento Trinitário e eu fui feito para relacionamentos. Esse é o aspecto ontológico ou o aspecto da natureza, que é a imagem de Deus. Pessoalidade ou relacionamento.

Também existem algumas coisas éticas, e eu já brevemente citei elas. Como uma pessoa que é autoconsciente, existem algumas características éticas. Eu sei diferenciar o certo do errado. E entendo virtude. Eu entendo moralidade. Eu entendo justiça. Eu entendo pecado. Eu entendo santidade. Eu entendo desobediência e rebelião. Eu tenho a capacidade de fazer o certo. Eu tenho a capacidade de fazer o errado. Eu tenho a capacidade para ter uma comunhão santa e amorosa com meu Pai celestial. Eu tenho a capacidade de conhecer o Pai, conhecer a Cristo, conhecer o Espírito Santo. Eu também tenho a capacidade, como uma pessoa na imagem de Deus saber o que é certo e o que é errado, saber o que é bom e o que é ruim.

É verdade que como um ser humano, eu pareço com as criaturas em minha forma física, corporal. Sou feito de carne, sou feito dos mesmos componentes, sou feito do mesmo material atômico, os mesmos elementos brutos. Mas o que me deixa distinto é minha parte invisível, é essa pessoa real que me faz parecer com Deus, que é capaz de se relacionar contigo e com Deus. E a pergunta tem sido feita pelos séculos: O corpo do homem tem a marca da imagem de Deus? Não, não em sua forma mais pura e verdadeira.

Eu não quero entrar nos detalhes filosóficos minúsculos aqui, mas nós somos do pó para o pó, e isso não é igual a Deus. A pessoalidade é eterna e isso sim é como Deus. E nós somos capazes e devemos nos alegrar com relacionamentos pessoais para sempre uns com os outros no reino de Deus e com o próprio Deus. Mas enquanto o corpo não é a expressão da imagem de Deus, o corpo serve como um veículo pelo qual Deus se manifesta. Vamos colocar da seguinte forma, se eu não tivesse um corpo, eu teria muita dificuldade em me relacionar com você. Então enquanto o corpo não é a imagem de Deus, porque Deus é um espírito e não tem corpo, meu corpo me dá um veículo no mundo corpóreo, num mundo físico, para que a imagem de Deus se manifestasse.

Agostinho dizia que o corpo do homem é apropriado para sua alma racional, não por causa de suas características faciais ou a estrutura de seus membros, mas por causa do fato de que ele fica ereto, é capaz de olhar para os céus e contemplar as regiões celestiais. João Calvino mais ou menos se sentia dessa mesma forma, que Deus nos fez ficar em pé para que possamos olhar uns para os outros e para que pudéssemos olhar para cima e olhar para Ele, mais ou menos simbólico e emblemático da nossa habilidade de ter relacionamentos. O corpo não é a imagem de Deus mas o corpo é o meio. Henry Morris escreveu o seguinte sobre isso: Nós só podemos dizer que apesar de Deus não ter um corpo físico, ele desenhou e formou o corpo do homem para habilitar ele para que funcionasse fisicamente de formas em que Ele mesmo funciona sem um corpo.

Deus consegue ver, ouvir, cheirar, de acordo com Genesis 8:21, Ele pode tocar, falar, tendo ou não olhos, ouvidos, nariz, mãos ou boca físicos. Ainda mais, quando Ele desejou aparecer visivelmente aos homens, ele fez isso na forma de um corpo humano, como em Genesis capítulo 118, e o mesmo seria verdadeiro para os anjos. Eles são espíritos e existem ocasiões em que eles pegam o formato de corpos.

“Tem alguma coisa”, diz Morris, “sobre o corpo humano, portanto, que é unicamente apropriado para Deus se manifestar em certas ocasiões. Ele deve ter desenhado o corpo humano com isso em mente. Conformemente, ele desenhou não como os animais, mas com uma postura ereta com um semblante que pode olhar para cima, capaz de fazer expressões faciais correspondentes com sentimentos emocionais e com um cérebro e uma língua capaz de articular fala simbólica. Ele sabia, claro, que na plenitude do tempo, até Ele se tornaria um homem. E naquele dia, Ele iria preparar um corpo humano para Seu Filho, e seria feito na semelhança dos homens, assim como o homem foi feito na semelhança de Deus”. Falou bem.

Então nós somos criados na imagem de Deus. Pessoalidade, relacionamento, e entendimento do certo e errado e moralidade, que é crítico para todos os nossos relacionamentos, particularmente nosso relacionamento com Deus.

Aliás, existe um uso muito interessante dos singulares e plurais aqui. Versículo 26: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha eles” – não é interessante que o homem, que está no singular em inglês, é dado um pronome modificante que é plural, “Façamos o homem” e “que eles”. Versículo 27: “ Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; ” Ali, o homem está com um pronome no singular. Homem então pode ser referido como singular ou em um senso geral e plural. “Homem” se refere a humanidade. Deus criou a humanidade, mas Ele criou a humanidade criando o homem, primeiro um, e depois uma mulher, e os dois se multiplicaram para fazer o resto da raça humana.

“Homem” se referia a um homem só. Como o capítulo 2 fala, Adão foi criado primeiro. Mas Adão também é um termo genérico, incluindo macho e fêmea. Por isso o pronome plural “eles” é usado aqui. Nós vemos a criação distintiva em cada um no capítulo 2. Primeiro veio o homem, depois ele deu nome aos animais.

Alguém uma vez disse que a razão por que Deus só deu uma esposa para o Adão depois que ele terminou de dar nome a todos os animais é óbvia. Ele não tinha que lidar com uma segunda opinião. Eu não sei se isso é verdadeiro ou não. Podia ter deixado o processo todo mais devagar, vou colocar dessa forma. Nada a ver com nada feminino, só uma outra opinião.

Agora, vamos olhar de novo no texto e assim nós podemos encerrar isso tudo. Tem tanto para falar aqui. Quando Deus criou o homem, a razão por que ele fala “eles” está no final do versículo 27 porque lá diz que ele criou eles. Macho e fêmea, Ele os criou. Isso nos leva a um segundo ponto, e eu acho que talvez é melhor desenvolver isso da próxima vez. É fascinante. Mas deixa eu só mencionar quais são as quatro coisas que são distintas na criação do homem.

Primeiramente, ele foi feito na imagem de Deus. Essa é a primeira coisa. Ele foi feito para pessoalidade e relacionamento. Em segundo lugar, ele foi feito como rei da terra para governar e subjugar a criação. Terceiro, ele foi feito para propagar a raça humana e popular a terra, e quarto, ele foi feito para ser o recipiente da rica recompensa que está ao redor ele. Muito acima dos animais. Uma última característica que distingue o homem: Se você for falar de personalidade, se você for falar de relacionamento, prestem atenção. Você tem que falar de linguagem, não é? Quando de um relacionamento você pode ter se a única coisa que você faz é resmungar? Você pode dizer, “Bom, estou tentando trabalhar nisso com meu marido, mas é praticamente só isso”. Bom – está certo então.

Relacionamento se resume em comunicação, não é? Animais não se relacionam. Eles não têm autoconsciências, eles não têm pessoalidades, eles não têm relacionamentos. Eles fazem o que eles precisam fazer instintamente para alcançar um objetivo na vida que é comida e preservação. Mas quando você vai para a humanidade, você vê a habilidade de falar idiomas. Isso é incrível. E eu mencionei algumas semanas atrás de que teve um artigo inteiro na revista Newsweek, de cientistas tentando desesperadamente descobrir, sem sucesso, como o homem evoluiu e criou a habilidade de falar idiomas. Falar abstratamente. Raciocinar abstratamente.

Estudos lingüísticos demonstram, como Oller e Amdahl, dois linguistas afirmaram que, “Aparentemente, humanos e somente humanos são especificamente desenhados para adquirirem uma variedade de sistemas de línguas, só a variedade de sistemas de línguas que nós vemos manifestados nas 5,000 para mais línguas que existem no mundo hoje”.

Interessante. Existem mais de 5,000 línguas no mundo, e somente humanos podem adquirir essas línguas. Você diz, “Bom, e um golfinho? Quando você diz “pula” eles não pulam”? Eles não pulam porque você disse “pula” e eles abstratamente entenderam que essas letras formam uma palavra que significa que você precisa ir para o alto. Eles aprendem que existe um certo sim que o resultado daquele som é receber um peixe na boca. Eles aprendem isso.

Oller e Amdahl tem dito que o ritmo de aquisição de vocabulário é tão grande em certos estágios da vida e a precisão e delicadeza dos conceitos adquiridos é tão notável que parece necessário concluir que de alguma forma, o sistema conceitual ela qual itens léxicos são conectados já estão no lugar certo. Incrível. Isso é uma linguagem técnica que quer dizer que existe alguma coisa que acontece no raciocínio abstrato da capacidade do cérebro humano que demanda a aquisição de língua para satisfazer isso. E todos nós enxergamos isso com as crianças, não é verdade? Elas começam a falar e elas começam a adquirir a complexidade de comunicação em linguagem.

Noam Chomsky, que é um grande lingüista judeu, tem mostrado que a habilidade de aprender uma língua é dada ao ser humano. Ele demonstra que até os maiores dos macacos são incapazes de lidar com um sistema de números ou com qualquer propriedade abstrata de espaço ou no geral com qualquer sistema abstrato de expressão. Chomsky fala em outros lugares de estruturas dadas inicialmente de mente e estruturas profundas em seres humanos, que nos deixa ter uma gramática universal – prestem atenção – invariante entre os humanos. Isso é verdade. Você pode pegar qualquer língua que existe e traduzir para qualquer outra língua que existe porque os componentes estruturais de linguagem são idênticos. Eles literalmente fazem parte do tecido da imagem de Deus para que nós, que somos seres relacionais com pessoalidade, possamos nos conectar com os outros.

Todo os fios estão ali. A pesquisa dele, só para vocês saberem, do Noam Chomsky, sobre a singularidade da espécie humana com relação a linguagem é tão convincente que ele não é bem-vindo em grupos evolucionistas. Eles rotularam ele como sendo criacionista, que ele nega.

Não como os macacos e outros seres viventes, a capacidade humana para linguagem é uma porta para o reino eterno. É uma porta para a presença de Deus e demanda um reconhecimento que nós fomos criados num padrão celestial para nos comunicar uns com os outros e nos comunicar com nosso Criados que nos fez em Sua imagem. Oller e Amdahl escreveram: “Nossa capacidade para linguagem não pode ter originado dentro dos limites estreitos de qualquer duração finita de experiência. Se todos os éons do mundo no tempo e no espaço pudesse ser multiplicado até o infinito, o mundo material ainda falharia em relatar as concepções abstratas que qualquer ser humano pode facilmente conceber através do presente de linguagem”. Incrível. Somente um Deus que fala pode ter feito pessoas que falam, não é? Deus se comunica e nós também. Então nós fomos feitos em Sua imagem. Semana que vem vamos falar daqueles outros pontos restantes, o homem sendo o rei da terra, propagador de vida e recipiente de rica benção.

Senhor tem sido um dia maravilhoso e uma noite maravilhosa considerando todas essas coisas. Nós te agradecemos pelo poder da Palavra para esclarecer qualquer teia de aranha e confusão que temos em nossas mentes que tão frequentemente são colocadas ali pelos incrédulos. Nós te agradecemos porque tua Palavra é clara. Nós queremos ser fiéis a ela em todo sentido. Nós reconhecemos a Ti como o Criador que criou exatamente da forma que é relatada nas Escrituras, que o Senhor nos criou para que tivéssemos um relacionamento contigo. O Senhor nos fez para si mesmo e nós ficamos inquietos até que esse relacionamento acontece. Obrigado porque é possível conhecer o Senhor e também conhecer uns aos outros. Muito obrigado porque o melhor da vida é encontrado em relacionamentos pessoais. E o melhor de tudo é ter um relacionamento contigo, nosso Criador e nosso Salvador. Nós somos muito privilegiados, tão abençoados, e tão gratos. Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize