Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Se vocês estão com as suas Bíblias, abram no capítulo 12 de 1 Coríntios, 1 Coríntios capítulo 12. O título da nossa mensagem para vocês hoje é “O Corpo de Cristo.”

Houve, nos últimos anos, diversos diálogos a respeito desse assunto. Hoje existe, dentro do cristianismo, uma rebelião contra o denominacionalismo e contra a igreja organizada, tendo uma ênfase no corpo de Cristo, uma ênfase extrema sendo dada a um tipo de formato não estrutural. Nenhum tipo de organização. É claro, eu sinto que isso vai um pouco longe demais porque no Novo Testamento você definitivamente tem certas estruturas organizacionais. Havia obviamente anciões, presbíteros e bispos. E claro, todos eles são a mesma coisa. Significam apenas pastores; não é uma hierarquia. Havia também diáconos que ministravam. Havia também anciões para serem ordenados em cada cidade. Havia aqueles que deviam tomar conta de todo o rebanho.

Portanto, havia um certo grau de organização, que era necessário para que cada membro do rebanho tivesse um pastor e alguém que ministra-se sobre ele. Por isso, havia um mínimo de organização. Por isso, tem havido muita discussão recentemente a respeito da ideia do corpo de Cristo. Com certeza, eu imagino que a parte mais triste em toda a discussão é a ignorância que a maioria das pessoas tem a respeito deste assunto quando ele é, na verdade, talvez o assunto mais importante para se entender os relacionamentos cristãos. Nós não sabemos onde pertencemos ou quem realmente somos sem entender o conceito do corpo de Cristo. Quando entendemos isso, entendemos não apenas a nossa obrigação para com Deus e em relação a Ele através de Cristo, mas também nossa obrigação em relação com todos os outros crentes no mundo e como nossos ministérios devem ser juntos. Por isso, é muito, muito estratégico que entendamos o conceito do corpo de Cristo.

Existe hoje, tantas organizações e tantas estruturas que é verdade que a igreja verdadeira se perde em meio a este nevoeiro. Muitas das grandes denominações não são nada além de grupos grandes de pessoas que querem se reunir em torno de algum ponto que não seja Jesus Cristo. Tragicamente, este é o caso. Elas existem apenas como estruturas organizacionais sem vida e sem uma função própria em relação a Jesus Cristo. Elas são, em muitos casos, relacionistas. O que é a igreja? O que nós somos? O corpo de Cristo, o que isso significa?

Bom, antes de olharmos particularmente para o corpo de Cristo, eu gostaria que olhássemos exatamente para o que somos como igreja através de diversas metáforas que são dadas no Novo Testamento. Algumas destas metáforas vêm do Antigo Testamento, três delas sendo muito dominantes. Se você estiver anotando, você vai querer escrever isso. Três metáforas bem dominantes que o Novo Testamento usa para descrever a igreja, que também são usadas no Antigo Testamento para descrever Israel são: a noiva, a videira e o rebanho.

Agora, cada uma destas metáforas era uma designação no Antigo Testamento a respeito de Israel. Israel era a noiva de Deus, a videira de Deus, o rebanho de Deus. Todas elas são repetidas no Novo Testamento. Nós somos a noiva de Cristo. Nós somos os ramos da videira que é Ele. Nós somos o seu rebanho e ele é o pastor. Agora, no Antigo Testamento, Deus olhava para Israel como uma solteira. Oséias nos diz isso. Deus tornou-se noivo de Israel. Deus firmou uma aliança de casamento com Israel. Espiritualmente, Israel se tornou a noiva-povo de Deus. Daquele momento em diante, Deus teve que lidar com a infidelidade contínua de Israel, com seus atos contínuos de adultério espiritual conforme Israel buscava outros deuses incansavelmente. “Israel”, Oséias diz, “era realmente uma esposa infiel”.

Também no Novo Testamento, a igreja é vista como uma videira, assim como também somos visto como uma noiva. No Antigo Testamento, a videira, através de sua metáfora particular, representava Israel. Deus disse que Ele foi e plantou uma videira. Ele disse, “Eu a plantei em um monte fértil”. Esta era a imagem de Deus tirando Israel do Egito e colocando-os em Canaã. Deus disse, “Eu os removi, e plantei esta videira em um monte fértil. Ali ela criou raízes e encheu a terra”. Então, Deus construiu uma torre. Desta torre, Deus guardou o seu vinhedo. Ele também construiu um lagar para preparar o vinho. Ele cuidava do seu vinhedo, de acordo com Isaías, e Ele desejava que do seu vinhedo brotasse justiça. Mas do seu vinhedo brotou uvas de injustiça, opressão e pecado. Por isso, Isaías 51 diz, “Deus assolou a sua vinha”, e Ele fez isso.

A terceira metáfora do Antigo Testamento que Deus usou foi a que Israel era o rebanho e Ele era o pastor de Israel. Ele guiou José como um rebanho, a Bíblia diz. “Assim como ele os tem redimido do Egito”, diz Isaías. “Ele os levantou e os carregou”, como você carregaria um cordeiro. Depois do cativeiro Babilônico, Isaías diz novamente que Ele juntou os cordeiros com seus braços e que gentilmente guiou os que eram novos. Deus tem um relacionamento com Israel que é o de um pastor com o seu rebanho.

Agora, aqui nós vemos três imagens que Deus usa para determinar o seu relacionamento com Israel no Antigo Testamento. Cada uma destas imagens mostra o relacionamento de Deus com Israel. Ele enfatiza, preste atenção, ele enfatiza que a forma em que Deus lidava com o seu povo era direta. Era direta, era um ministério soberano de salvação assim como um ministério de manutenção. Por isso, no Antigo Testamento, Deus escolheu Israel para ser Sua noiva; Ele plantou Israel como Sua videira; Ele pastoreou Israel como Seu rebanho.

Agora, quando nós chegamos no Novo Testamento, Jesus de forma muito enfática aplica estas mesmas metáforas à igreja. Ele enfatiza fortemente a relação pessoal. Deixe-me ilustrar isso. Primeiro, a metáfora do casamento do Antigo Testamento é usada por Jesus a nós dizendo que ele é o noivo e nós somos o que? A noiva. Ele diz, “Eu sou o noivo”. Você se lembra nos evangelhos quando o noivo aparecia, o jejum se tornava desnecessário. Vamos continuar com as festas; o noivo está aqui.

Paulo descreve esta metáfora com grandes detalhes referindo-se ao amor sacrificial de Cristo pela igreja. Ele fala também a respeito da liderança de Cristo sobre a igreja, o Seu propósito final para com a igreja. Cristo tomou a igreja como noiva para que, e isso está no livro de Efésios, para que Ele possa apresentá-la a si mesmo. Cristo nos tomou como noiva para nos apresentar a Ele mesmo em esplendor, sem mancha, nem ruga ou defeito, ou nada desse tipo. Em outras palavras, Ele nos reuniu como uma virgem pura.

Portanto nós, como igreja, estamos em um relacionamento com Cristo assim como uma noiva está com um noivo. Na verdade, no final do livro de Apocalipse, quando nos encontrarmos com Jesus Cristo na glória, a Bíblia diz que teremos um banquete. Que tipo de banquete é esse? Um banquete de casamento, isso mesmo. E não somente isso, em 2 Coríntios, capítulo 5, ele diz que, “Deus nos deu o arrabōn do Espírito”. A palavra grega arrabōn significa literalmente “um anel de noivado”. A razão pela qual nós sabemos que nos casaremos com Jesus Cristo é porque nós temos um anel de noivado, que é nada mais do que o Espírito Santo. Por isso, a metáfora do casamento é constante nos escritos de Paulo, especialmente, e culmina na visão de João do grande banquete de casamento do Cordeiro na nova Jerusalém, no final do livro de Apocalipse. Portanto, Jesus usa a metáfora do casamento para descrever a igreja.

Jesus também usou a imagem da videira na parábola dos lavradores maus em Marcos 12. Ali Ele fala a respeito de Israel, mas também expande isso porque em João, capítulo 15, Ele diz, “Eu sou a videira verdadeira e vós sois”, o que? “os ramos”. A mesma metáfora é usada aqui. A igreja é os ramos que são dependentes da videira. Devemos permanecer Nele, e temos estar dispostos a sermos limpos da vestimenta da videira. Nós somos os ramos, e ele é a videira. Por isso Jesus usou a metáfora da videira.

Mas ele não parou por aí, ele também usou a metáfora do pastor. Nós somos o rebanho, João 10. Não somos? “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem”. Jesus é o bom pastor. Ele vai para o deserto para salvar apenas uma de Suas ovelhas perdidas. Ele protege as Suas ovelhas de lobos. Esta metáfora está espalhada por todo o Novo Testamento.

Por isso, aqui você tem três metáforas básicas do Antigo Testamento que são aplicadas para Jesus e à igreja. Estas são as principais. Agora, existem outras quatro. Estas são as principais que estão no Antigo Testamento. Existem quatro que são aludidas no Antigo Testamento que Cristo também usa ou que o Novo Testamento usa para a igreja. Elas são: O povo de Deus também é um reino, um reino. Com isso nós queremos dizer que um reino é uma esfera de governo. Um reino é um domínio onde alguém governa. Nós, como os próprios filhos amados, filhos e irmãos de Cristo – Filhos de Deus, irmãos de Cristo – estamos no domínio do governo de Deus e do governo de Cristo. Nós estamos literalmente agora em seu reino espiritual no sentido de que Ele governa sobre nós. Somos um reino. Por exemplo, Paulo diz em Colossenses 1:13 que, “Deus nos libertou”, preste atenção, “do império das trevas e nos transportou para o reino”, de quem? “do Filho do seu amor”. Isso mesmo, do Filho do seu amor.

Cristo mesmo exerce o seu governo sobre nós através do Espírito Santo. Se você ler com atenção entre as linhas, mais ou menos, isso é o que está sendo dito em Romanos 14:17 quando ele diz, “Porque o reino de Deus”, preste atenção, “não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”. Nós somos literalmente um reino.

E então, não somente isso, mas outra metáfora que é usada para nós no Novo Testamento é: nós somos uma casa ou uma família. Nós somos filhos de Deus e irmãos de Cristo, não somos? Nós somos co-herdeiros de acordo com Romanos, capítulo 8, irmãos de acordo com Hebreus, capítulo 2. Deus nos regenerou – não foi? – em sua família. Ele nos adotou. Ele enviou o seu Espírito Santo aos nossos corações, pelo qual nós o chamamos de Abba Pai, que no grego significa “papai”, uma forma de carinho e intimidade. Não devemos alimentar nenhum pensamento de ansiedade quanto ao dia de amanhã, porque sabemos que o nosso Pai conhece as nossas necessidades antes mesmo de pensarmos nelas. Devemos nos ocupar com o reino de Deus, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas.

Em terceiro lugar, nós não somos apenas um reino nesta pequena seção, ou uma casa ou uma família; Nós somos também um edifício. A igreja é um edifício. Um edifício, aliás, não feito por mãos, mas ainda assim um edifício. Quem é o nosso fundamento? Paulo diz, “Pois outro fundamento não pode ser colocado pelo homem a não ser o que está posto, isto é, Jesus Cristo”. Nós somos construídos neste fundamento; os apóstolos sendo os primeiros deste fundamento e nós daí em diante. Somos um edifício de Deus.

Em quarto lugar, somos um corpo, o corpo de Cristo. Esta metáfora em especial, preste atenção, não tem nenhum equivalente no Antigo Testamento, nenhum. As primeiras três têm equivalentes importantes no Antigo Testamento. Esta não tem nenhuma alusão no Antigo Testamento. Você diz, “E daí?” E daí que esta é a nossa posição única em Cristo. Nós somos o corpo de Cristo. Isso é único, singular. Ela não tem nenhum equivalente no Antigo Testamento. Esta é a nossa identidade; somos o corpo de Cristo. Nós não somos um prédio. Estes edifícios são totalmente estranhos. Nós os temos porque precisamos vir, sentar em algum lugar e ouvir a Palavra de Deus.

A igreja não é um edifício físico. Nós somos um edifício espiritual, como dissemos, e não um físico. Isso não é a igreja; você é a igreja. Eu sou a igreja. Nós não somos uma organização. Nós somos uma koinonia. Nós somos uma comunhão. Nós somos uma sociedade de um corpo, o corpo de Cristo. Agora, esta metáfora única formará a base do que nós estudaremos hoje e, aliás, nas próximas semanas em que estudaremos, versículo por versículo, o livro de Efésios, que é o relato para nós da doutrina do corpo de Cristo.

Agora, para começarmos, antes de irmos para Efésios, vamos dar uma olhada em 1 Coríntios, capítulo 12. Eu quero que você veja três coisas a respeito do corpo, três coisas. Nós explicaremos para você o que significa o corpo de Cristo. Isso é estratégico, e eu quero que você realmente pare para pensar e fique com sua cabeça pronta. Tire a cabeça do neutro e comece a movimentar os seus neurônios. Tudo bem. Eu tenho três coisas que eu quero que você veja, três coisas que caracterizam o corpo. Eles aparecem em detalhe completo no capítulo doze. São eles, número 1, unidade; número 2, diversidade; número três, harmonia. Unidade, diversidade e harmonia. Se você quiser uma terminação “a-d-e”, mutualidade. Unidade, diversidade, harmonia ou mutualidade. Estas são coisas fundamentais para você entender.

Parte da razão da igreja – na verdade, a razão mesmo da igreja estar tão deficiente é porque as pessoas não estão agindo como corpo. Palavras estratégicas. Tudo bem. Primeiro, vamos olhar para a unidade. Primeiramente e, aliás, marque isso, a característica dominante do corpo é a unidade. Começando em 1 Coríntios 12:12, 1 Coríntios 12:12, “Porque, assim como o corpo é um”; aqui ele está falando a respeito do corpo físico, “e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo”. Agora, aqui Paulo está falando a respeito do corpo humano e ele diz, “pessoal, vocês sabem que o corpo físico deve ser um. Você não pode pegar o corpo físico e colocar um braço aqui, uma perna ali, uma cabeça aqui e um coração ali, dois pés aqui e então dizer, ‘Agora corpo, vai fazer alguma coisa.’”

Você não pode dizer às partes desconectadas, “Juntem-se e funcionem”. Um corpo é uma unidade, senão ele não existe. Ele deve ser um. Paulo diz, “O corpo é um e tem muitos membros ativos”, o corpo físico. Eu não posso dizer, “a minha mão é tão talentosa, eu vou cortá-la e enviá-la”. A sua mão não será talentosa. Depois que você cortá-la, ela morrerá. Ela precisa estar ligada ao corpo.

Portanto, a essência do corpo é a unidade, a unidade. Nós somos um. “Assim também com respeito a Cristo”. Nós, amigos, somos um corpo. Cristo é a cabeça. Nós somos o corpo, todos os membros. Nós somos um. Se nos desconectarmos, nós morremos. Nós não podemos ser desconectados. Funcionamos como uma unidade ou não funcionamos. Somos um. Cristo é a cabeça do corpo pelo qual toda a instrução vem, toda a força da mente, toda a energia e todos os recursos para fazer cada parte do corpo funcionar. A cabeça é a vida. Você pode cortar a mão ou o braço, e a cabeça manterá a vida. Você pode cortar partes do corpo e a vida continuará ali. Você pode continuar, você chegará lá. Mas se você cortar a cabeça, a vida cessará. A mesma coisa é verdade no corpo de Cristo, uma analogia perfeita. Cristo, a nossa cabeça, é a fonte da nossa vida.

Em Efésios 5:23, Paulo disse, “Cristo é o cabeça da igreja”. Em Colossenses 1:18, ele disse, “E ele é o cabeça do corpo, a igreja”. Cristo é a cabeça. Isso soa como um pensamento simples, mas algumas pessoas acham que eles são a cabeça; eles pensam isso. Acham que são a cabeça da igreja. Eu conheço um homem que tem esse título para ele. Ele não é a cabeça da igreja. Jesus Cristo é a cabeça da igreja. Todos os crentes são um nele. Um corpo, unidade, recebendo todos os recursos e todas as nossas forças, todas as nossas sabedorias, todas as nossas instruções da mesma cabeça.

Agora, note o versículo 13. Aqui ele mostra como que você entra no corpo. Veja como o corpo começa, a unidade do corpo. Versículo 13, “Pois, em um só Espírito”, eu quero que você preste atenção quantas vezes ele usa a palavra “um”. No versículo 12, “um corpo, um corpo”, duas vezes. No versículo 13, “Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo”. Aqui já foram 3, 4 vezes que ele falou um corpo. Quatro vezes em um versículo e uma linha. Você acha que ele está querendo enfatizar a unidade aqui? “Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito”. Preste atenção, nós somos um.

A salvação é o ponto inicial de nossa unidade. Todos nós viemos de um Espírito para o corpo. Todos nós viemos por um caminho. Quem é esse? Jesus Cristo. Uma porta, Jesus Cristo. Nós somos um em um corpo porque nós fomos todos batizados por um Espírito em um só corpo, e agora nós temos o mesmo Espírito habitando em nós. Veja isso no versículo 13, “Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo”. As pessoas dizem, “O que é o batismo do Espírito Santo?” O batismo do Espírito Santo está bem aqui neste versículo, claramente: é a ação do Espírito Santo de Deus em inserir o crente no corpo de Cristo. É exatamente o que diz aqui. “Em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo.”

Você entrou no corpo de Cristo no momento da salvação ao ser colocado ali pelo poder do Espírito. Desde o momento que você recebeu Jesus Cristo, meu amigo, você se tornou parte deste corpo, e você foi colocado ali por este mesmo Espírito. E você não só foi colocado ali como também, de acordo com o versículo 13, você também tem este Espírito que habita em você. Perceba, todos nós bebemos, isto é, assimilamos ou nos apropriamos do Espírito.

Agora, você percebeu como ele está enfatizando a unidade? Claro. Esse é o ponto. Ele está enfatizando a unidade. Fomos nascidos do Espírito, não é? Colocamos fé em Jesus Cristo; nascemos do Espírito pelo próprio Espírito que nos inseriu no corpo de Cristo, não é? Por isso, o Espírito nos redimiu pela fé em Cristo. O Espírito é o que faz a obra da regeneração, não é? O Espírito nos regenera, nos insere no corpo de Cristo, e habita em nós.

Você diz, “Todo cristão tem o Espírito Santo habitando nele?” Com certeza. Romanos 8:9 diz, “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Não existe um crente que não tenha o Espírito Santo, não existe nada assim. “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Se você pertence a ele, você tem o Espírito Santo. Você recebeu o Espírito Santo.

Primeiro, Ele regenerou você, inseriu você no corpo. Depois você o recebeu; você bebeu dele; ele habitou em você. Agora, você percebe como a nossa unidade está entrelaçada no Espírito? Viu? É por isso que Paulo diz em Efésios 4:3 que nós temos – você está pronto para isso? – “a unidade do Espírito”. Porque é o mesmo Espírito que nos regenera, nos batiza e habita em nós. A nossa unidade então não está baseada em um fundamento denominacional artificial. Ela não está baseada no fato de que nós somos todos crentes em Cristo. Ela está baseada no fato de que nós fomos todos identificados na obra de um único Espírito.

Este é o ponto da nossa unidade, não é? Nós temos um Espírito. Ele é o mesmo em mim como está em você, o mesmo Espírito. Eu vim para Jesus Cristo, eu cri nEle. Fui regenerado pelo mesmo Espírito, da mesma forma, inserido no mesmo corpo, pelo mesmo Espírito, da mesma forma, habitado pelo mesmo Espírito, da mesma forma que você foi. Portanto, a nossa unidade está no Espírito. É por isso que quando um crente faz algo na carne, ele faz algo contrário a função do corpo porque o corpo opera na unidade do Espírito.

Agora, não existe nenhuma outra forma de ser inserido no corpo de Cristo a não ser através do batismo no corpo pelo Espírito. Existe apenas uma forma de ser batizado no corpo pelo Espírito: ser redimido por Jesus Cristo. Todos nós viemos da mesma forma, por um Salvador, através de um Espírito, para uma salvação, e aqui começa a nossa unidade, não é? No corpo de Cristo, todos nós viemos através do sangue de Jesus Cristo pelo Espírito de Deus.

Por isso, nós começamos com a unidade básica, não é? Não é interessante como uma vez que nós recebemos esta unidade e entramos no corpo nós nos espalhamos? Você percebe isso? Todos nós viemos da mesma forma, experimentamos o mesmo Espírito, temos o mesmo Espírito habitando em nós e nós vamos embora. Depois disso nós gastamos todo o nosso ministério buscando ajuntar o corpo de novo para perceber a sua unidade. Nós somos um, meu amigos. Nós somos um. Não existe nada como super santos; não existe mesmo. Realmente, não existe.

Um pastor disse o seguinte. Ele disse, “A igreja está tão fria e o corpo tão morto que quando alguém chega com uma temperatura de 37, nós achamos que aquela pessoa está doente. Nós achamos que ele está com febre, e ele está totalmente normal”. Percebe? As nossas temperaturas estão tão frias que quando alguém chega com uma temperatura de 37, nós achamos que a pessoa está com a cabeça quente. Nós achamos que ele está com febre. Esfrie ele; Ele está ruim. Preste atenção, ser completamente compromissado com Jesus Cristo e totalmente absorvido pelo ministério do Espírito não deve ser algo incrível; deve ser algo normal.

Não existe nenhuma pessoa extraordinária no corpo de Cristo. Ninguém vem e diz, “Bom, como que você chegou aqui?” “Bom, eu fiz isso aqui, 49 coisas daquela, 74 coisas daquela outra coisa, e eu cheguei aqui”. Viu? Você não chegou assim. Você veio através de um Espírito para um corpo assim como todos os outros. Este é o ponto da unidade. Ninguém pode se apresentar em meio ao corpo de Cristo e diz, “Eu cheguei desta forma. Você senta ali”. Não. Nós viemos da mesma forma, pela graça, não é? Não foi por obras, não é? Se fosse por obras, nós estaríamos nos gloriando, não é? Nós somos todos troféus da graça trazidos ao corpo da mesma forma. Nós não temos nada para nos gloriar nisso, nada para nos acharmos, nada para nos levantar e dizer, “eu vou governar sobre você”. Toda a dicotomia de clero e leigo não é bíblica. Eu não estou em uma altura mais alta do que você, a não ser neste palco que é alguns centímetros de altura mais alto. Esta é a única altura que eu tenho a mais do que você. E se isso te incomodar, daqui em diante, eu prego daí de baixo”.

Eu não sou alguém que está acima de vocês, e vocês não estão abaixo de outras pessoas. Nós somos um. Entenda isso. Não existe hierarquia no Novo Testamento. Existe uma variedade de dons, mas não existe hierarquia. Se você quiser uma planilha organizacional do Cristianismo, ela terá Cristo como cabeça e depois um grande círculo. Só isso. Ela não tem uma progressão para baixo. Todos nós viemos ao corpo da mesma forma. Nós somos todos troféus da graça de Deus. Não existe hierarquia. Todos nós somos um.

Lembre-se disso agora. A alguns minutos atrás, nós te apresentamos metáforas, não foi? Metáforas da igreja. Você percebeu como cada uma delas, sem exceção, enfatiza a unidade? Você percebeu isso? Preste atenção. Vamos recapitular: Nós somos uma noiva com um noivo, certo? Nós somos um rebanho com quantos pastores? Um pastor. Nós somos um grupo de ramos de uma videira. Nós somos um reino com um rei. Nós somos uma família com um Pai. Nós somos um edifício com um fundamento. Nós somos um corpo com uma cabeça, Jesus Cristo. Nós somos um. A Bíblia não diz a respeito de ramos grossos e ramos finos, ou de ovelhas fracas e super ovelhas.

A mensagem do corpo de Cristo é a mensagem de unidade. Nós somos um. Nós somos um em Cristo. Não existe espaço para hierarquia. Não existe espaço para uma alta classe e uma baixa classe. E eu vou te dizer outra coisa, não existe a ideia de um crente isolado. Não existe nenhum crente que não faz parte do corpo, que está sentado aqui sozinho. Você está no corpo. Você faz parte dele assim como eu ou qualquer outra pessoa faz parte. Não existe uma alta classe ou uma baixa classe de cristãos. Não existe ninguém que está fora do corpo. Todos vocês estão no corpo.

Para enfatizar a sua unidade, deixe eu ler para vocês o catálogo da unidade. Nós estudaremos isso nas próximas semanas, Efésios 4:4. Preste atenção, “há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos”. Um, um, um, um, um, um. Viu? Eu gosto disso; 1 Coríntios, um pouco antes de onde nós estamos, no capítulo 1 ilustra isso. Você sabe o que aconteceu com o corpo de Cristo em Corinto? Eles racharam, e estavam saindo por aí dizendo, “Bom, você está com quem? “Bom, eu faço parte do grupo do Apolo”. “Ah, o Apolo está fora. Eu sou do grupo de Paulo”. “Ah, vocês dois estão fora. Cefas entrou”. “Eu sigo o próprio Pedro”.

Prestem atenção, eu sigo a Cristo. Sempre existe um deles em todo grupo. Eles estavam andando por aí com esta ideia em 1 Coríntios 1:12, “Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: ‘Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo”. E então ele diz no versículo 13, “Acaso, Cristo está dividido?” Que tipo de bobagem é esta? Por que vocês estão dividindo o corpo? Você não é um seguidor disso ou daquilo. “Acaso, Cristo está dividido?”

Agora, veja o capítulo 3, versículo 21, “Portanto, ninguém se glorie nos homens”. Não saia por aí dizendo, “Bom, eu sigo ele, ou eu sigo ele, ou eu sigo ele”. Não se glorie nisso, “porque tudo é vosso”. Ele coloca todos juntos. “Por que tudo é vosso: seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, sejam as coisas presentes, sejam as futuras, tudo é vosso” Ele coloca todas as coisas “e vós, de Cristo, e Cristo” – o que? – “de Deus”. Pare com esta divisão e volte para a unidade. Você está vendo? Esta é uma parte forte do capítulo 3. Ele diz tudo o que você pode pensar: as coisas futuras, morte, vida, é tudo de vocês. Vocês são um. Vocês são um com Cristo e Cristo com Deus.

Portanto, Paulo enfatiza a nossa unidade. A igreja é o povo, uma assembleia do povo redimido que devem a sua existência, a sua vida em unidade ao fato que, por um Espírito, eles foram inseridos em um corpo e habitados pelo mesmo Espírito. Nós não somos crentes separados, meus amigos. Nós somos um. A sua vida nunca termina. Você sabia disso? Ela continua a partir de onde a minha começou e todo o corpo de Cristo continua fazendo isso. Não existe intervalo. É uma corrente contínua.

Nós fomos chamados para uma comunhão com o seu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor. Todos nós fazemos parte do seu corpo. Você diz, “O que nós trouxe aqui?” Bom, foi o chamado de Deus. Nós somos a ekklesia de Deus, de ek kaleo, chamados de fora. Nós somos os chamados de fora de Deus, chamados do mundo para existir como uma entidade separada, o seu corpo com ele como cabeça. Nós devemos levar uma vida digna do seu chamado, não é? Para que nos tornemos em caráter e conduta o que nós somos em status. Chamados de fora, santos, separados para ele, o seu corpo.

Por isso, a igreja é o povo de Deus, chamado de fora do mundo e separados para existir nele. Um em santidade, um em missão. Todos nós temos a mesma missão. Um no sofrimento e um na glória. Nós somos um. Em Efésios 2:12, preste atenção, ele diz, “naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um” – isto é, judeu e gentio – “e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,” – preste atenção – “para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,” – agora preste atenção – “e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por” – o que? – “por intermédio da cruz”. E depois ele diz, “porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito”.

Nós somos um. “Dessarte, não pode haver judeu”, Gálatas 3:28, “nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher”. Nenhuma destas distinções existe na igreja em termos de posição na benção de Cristo. Um homem novo. É isso que nós somos. Nós somos um homem novo, um corpo novo, o corpo de Cristo, uma coisa nova. Isso nunca existiu antes. Cristo aboliu todas as barreiras para nos tornarmos um. Ele aboliu as barreiras da nacionalidade, as barreiras da raça, as barreiras de classe, as barreiras de gênero. Cada barreira foi abolida para fazer um novo homem e isso é uma coisa gloriosa. Nós somos um. Não importa quem nós somos se nós amamos Jesus Cristo; nós somos um. Algumas pessoas não conseguem entender isso. Eles pensam que existem cristãos aqui em cima e cristão de uma classe inferior. Não é isso.

Os dias de discriminação terminaram. A igreja que Cristo criou, liderada por Cristo, não tolera nenhum tipo de distinção, nenhum, nenhum. Existem alguns lugares, meus amigos, onde você não pode pregar uma mensagem dessa sem ser jogado na cadeira. Em Romanos, capítulo 10, esta mensagem é repetida novamente a nós pelo apóstolo Paulo nos versículos 12 e 13, “Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. Percebeu? Todas as barreiras cessaram. Não existem barreiras em Jesus Cristo. Nós somos um novo homem. Como resultado disso, todos os cristãos, judeus ou gentios, homens ou mulheres, escravos ou livres, qualquer que for, bárbaro, ou um educado grego, seja qual for o caso – nós todos somos cidadãos.

Paulo nos chama de quatro coisas usando palavras gregas que eu não vou usar agora. Ele nos chama de concidadãos, coerdeiros, membros e parceiros. Juntos, juntos, juntos, um, um, um, unidade. Em todas as metáforas, a unidade é enfatizada. Esta é a minha oração para esta igreja. Que pelo menos esta parte do corpo de Cristo possa entender a nossa unidade. Eu preciso me sentir ferido quando você se fere, e você precisa se sentir ferido quando eu me firo. Eu preciso estar sensível às suas necessidades, e você precisa estar sensível às minhas. Eu preciso te amar quando você precisa de amor, e você precisa me amar quando eu preciso de amor. Eu preciso te exortar quando você precisa de exortação, e você precisa me exortar quando eu preciso de exortação. Quando você precisa de repreensão, eu preciso te repreender; e quando eu preciso de repreensão, você precisa me repreender. Isso serve para todas as pessoas com exceção da minha esposa. Eu não quero que ela se empolgue com isso; ela já faz isso.

Você e eu precisamos funcionar juntos, sensíveis uns aos outros. Você não deve desejar ser isolado cristão. Você deve desejar fazer parte da vida do corpo. Você sabia disso? É isso que está errado com muitos cristãos. Eles vêm à igreja no domingo de manhã, sentam e pensam, “Deus, eu sei que você está sendo muito abençoado com minha presença aqui”. Isso mesmo. Um de vocês. Eles não têm nenhum conceito de atuar na vida do corpo. Portanto, eles se tornam membros inativos, incapacitando e machucando o corpo de Cristo. O restante de nós estamos mancando, buscando compensar por conta de suas inabilidades. Você precisa estar inserido na vida do corpo, sensível a mim e eu preciso estar sensível a você. Nós somos um.

Oh como Jesus queria isso. Ele queria isso desesperadamente. Ele queria tanto isso que em João, capítulo 17, eu amo este capítulo, veja como ele demonstra o coração de Jesus Cristo. Veja o que Ele diz. Ele está orando ao Pai. Veja o que ele ora. Ele poderia ter orado por muitas coisas, mas veja para que ele ora. João 17:20, “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédia da sua palavra”. Em outras palavras, eu não estou apenas orando pelos meus discípulos, eu estou orando por aqueles que crerão em mim através das suas palavras no futuro. Agora, eu vou orar por o que? Versículo 21, “a fim de que todos sejam” – o que? – “um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste”.

Você sabe o que convencerá o mundo de quem Jesus é? Quando nós nos tornarmos um. Isso é o que funcionará. Isso é o que funcionará. “Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos”. Ele colocou a sua glória em nós, não foi? Para que nos tornássemos um. A sua glória é o Espírito Santo. A presença do Espírito Santo é o nosso ponto de unidade, certo? Todos nós temos o mesmo Espírito. Este é o nosso contato à unidade. “Eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim”. Você sabe quando que nós vamos viram este mundo de ponta cabeça, acabando com a complacência deste mundo? Quando nos tornarmos um.

Eu vou dizer algo, se esta igreja se tornasse uma em termos de vida do corpo e começasse a ministrar às necessidades espirituais uns dos outros, sentindo esta unidade, o mundo nunca entenderia o que aconteceria aqui porque nós estaríamos liberando a unidade do Espírito e toda a energia que está envolvida nisso.

Agora, você diz, “Bom, como que essa unidade funciona?” Bom, eu vou te mostra o ponto principal, esta unidade. Ela é baseada na humildade; este é o ponto principal. Abra em Filipenses 2, eu gostaria que vocês vissem isso. Vamos olhar para o versículo 2. Filipenses 2:2. Jesus orou para que fossemos um, certo? Paulo também desejava a mesma coisa. Os filipenses evidentemente não tinham cumprido isso. Portanto, eles podem nos dar um bom exemplo do que nós precisamos ouvir. Veja o versículo 2. Paulo diz aos filipenses, “Completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento”. O que Paulo desejava que os filipenses fossem? Um. Sejam um, tenham o mesmo tipo de amor. Existem diversos tipos de amor. Bom, você pode realmente amá-la ou amá-la pouco. Você pode tolera-la. Tenham o mesmo amor. Sejam um. Tenham a mesma mente, pensem do mesmo jeito.

Você pergunta então, “Que tipo de mente?” Eu direi que tipo de mente. Veja o versículo 5, “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em” – quem? – “Cristo Jesus”. Que tipo de mente que é para você ter? A mente de Cristo. Você pergunta então, “Bom, qual é a mente de Cristo?” Eu vou te mostrar o que é a mente de Cristo. Versículo 6. “Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou com usurpação o ser igual a Deus”, em outras palavras para nos assegurar, “Antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se em semelhança de homens; e reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz”.

Agora, você sabe qual é essa mente, meu amigo? É a mente da humildade condescendente. Você percebe isso aí? Aqui está a mente de Cristo. Ele estava ali. Ele veio e foi obediente até a morte. Isso é humildade. Você sabe como você se torna um? Versículo 4, “Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros”. Você sabe como você se torna um? Sendo como Jesus, dizendo, “Olha, eu não me importo comigo. Eu quero descer lá, e se isso significa ter que sofrer para mostrar o meu amor para vocês, eu sofrerei”. A humildade diz, “Eu não me importo comigo. Eu me importo apenas com você”. Você pode imaginar o que aconteceria se todos nós saíssemos por aí não nos importando com nós mesmos e nos importando totalmente com todas as outras pessoas? Preste atenção, meu amigo, você entenderia o que é se importar. Você teria todo esse corpo se importando com você.

Porém, a maioria dos cristãos gastam muito tempo se importando com eles mesmos de tal modo que ninguém aguentaria se importar com eles. Veja, se nós aprendêssemos – e pelo Espírito de Deus nós podemos – a nos importar uns pelos outros, você seria coberto de cuidado e amor. Esta é a mente da humildade. Eu não me importo comigo mesmo. Por que eu me importaria comigo? Eu apenas desejo me importar com você. Sem egos feridos, sem pés pisados. “Eu não vou mais passar por isso; eu não vou falar com a senhora tal. Esta será a última vez”.

Isso não é humildade. Sabe o que é isso? Isso é ego. Isso é o ego subindo rapidamente. A mente da humildade era a mente de Cristo. Veja, Cristo nunca tentou manter o seu ego quando ele esteve aqui. Eles cuspiram nele, e ele ficou quieto. Eles pregaram ele em uma cruz; ele ficou pendurado ali. Ele não disse, “Vocês não podem fazer isso comigo. Eu não vou tolerar isso”. A mente da humildade diz que se isso significa a sua salvação, se isso significa que você pode ganhar alguma coisa, se isso significa o seu benefício e você ser abençoado, eu sofrerei porque eu apenas me importo com você. Isso é algo meio estranho, não é, infelizmente? Mas é isso que significa o conceito do corpo pessoal. Significa se importar com outra pessoa e não se importar com você. Você sabia disso? É isso que significa.

Em Romanos 12:3, veja o que Paulo diz, “Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; assim somos membros em um corpo”. Todos nós estamos no corpo de Cristo. Como que nós conseguimos esta nossa unidade? Não pensando em mim mesmo, mas em você. Você não precisa se importar com o seu próprio ego. Você não precisa se importar com os seus pequenos problemas. Você não precisa direcionar todos os seus pensamentos sempre a respeito de você. Apenas estenda a mão, toque na vida de alguém e esqueça de si mesmo.

Nós somos um. O ponto de contato da nossa unidade deve ser a humildade. Você diz, “Isso vai até que ponto? Porque, eu posso me dar mal”. Então se dê mal, se dê mal”. Você acredita que Deus pode te restaurar? Sim. 1 Coríntios 6; Isso vai te surpreender. Eu espero que nenhum de vocês estejam em litígio neste momento. 1 Coríntios, capítulo 6. Você ficará devastado. 1 Coríntios 6:7-8. Você vai gostar disso. Eu amo isso. Aqui, Paulo está condenando um cristão que processa outro cristão, indo para a corte e publicamente perturbando ele. Preste atenção nisso, 1 Coríntios 6:7, “O só existir entre vós demandas já é completa derrota para vós outros. Por que não sofreis, antes, a injustiça?” Sofra. Você diz, “Mas você não sabe quanto foi!” Sofra. “Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?” Permitir que eu sofra um dano? “Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isso aos próprios irmãos!”

Carregue isso. Carregue isso. Aprenda a se importar e a se importar tanto, que você não se importa o que aconteça com você. Quer saber? Algum irmão pode te causar dano, mas outro irmão te erguerá, porque uma pessoa que dá e ama recebe o que ele dá e recebe o amor que ele demonstra.

Cristo é a nossa cabeça. Nós somos o corpo, e nós devemos ministrar uns aos outros em amor. A humildade é o ponto principal. Se existe um outro ponto, um ponto igual – nós não vamos dizer que eles são diferentes, mas iguais. O segundo ponto que é igual a humildade e também deslocado, sendo que os dois se sobrepõem, é o amor. O amor. Existe um versículo que é muito animador, João 13:34, onde Jesus diz, “Um novo mandamento vos dou” – o que? – “que vos ameis uns aos outros”. Você diz, “o que significa o amor?” Amor significa, “bom, eu gosto mais ou menos até a pessoa fazer algo errado”. Não. Não. O amor não se importa com o que acontece. O amor não tem circunstâncias. O amor se espalha para qualquer pessoa; não importa o que eles fazem. Isso é amor. O amor não escolhe. O amor está lá, e quem entrar no caminho dele, será amado.

Não importa o que eles fizeram – eu sempre gosto disso. As pessoas dizem, “Bom, eu a amo no Senhor”, que é a mesma coisa que dizer, “Eu odeio ela”. A mesma coisa, não é? Como se você tivesse uma válvula que você pudesse dizer, “Eu vou derramar oito gotas de amor divino não misturado com o meu” e depois desligar. Você não pode amar alguém no Senhor. Ou você ama ou você não ama. Jesus disse, isso não é uma opção pessoal. Isso é um novo – o que? – mandamento. Você diz, “Bom, como que ele pode mandar isso? Nós não temos essa capacidade”. A sim, “o amor de Deus é derramado” – aonde? – “em nosso coração”, Romanos 5:5.

Tudo bem, “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros”. Como? “Assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros”. Veja isso, “Nisso conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”. Você sabe como convencer o mundo que Jesus é real, e que nós realmente o amamos? Comece a amar uns aos outros. Veja, o maior evangelismo no mundo é dar tanto amor que o mundo não consiga entender isso. Preste atenção, se o princípio que traz a unidade é a humildade, a marca da nossa unidade é o amor, não é? Amor.

Paulo disse aos Tessalonicenses, “Ó, que o Senhor vos aumente e que abunde o amor uns aos outros”. João disse, “Esta é a mensagem que ouvistes desde o início, que ameis uns aos outros”. Você realmente ama? Eu quero dizer, você ama como Cristo amou, ou você busca proteger tanto o seu ego que toda vez que acontece algo de errado você reage e fica amargurado? Se tudo não estiver do jeito que você gosta, se a igreja não estiver do jeito que você gosta, se a irmã ou o irmão não estiverem do jeito que você gosta. É esse o tipo de pessoa que você é? Ou você é o tipo de pessoa que ama, não importa qual a circunstância, o seu amor se espalha por tudo em seu redor?

Preste atenção, nós somos um. O princípio da unidade é a humildade e a marca da unidade é o amor. É o tipo de amor que nos torna humildes, o tipo de amor que se aproxima do seu irmão e diz, “Irmão, eu tenho uma amargura contra você e eu quero que você me perdoe, e eu quero começar a te amar”. É este tipo de amor. E então é o tipo de amor que diz, “Irmão, eu te perdoo”. É o tipo de amor que diz, “Me perdoe irmão. Me desculpa”. É o tipo de amor que não critica os outros e não se engrandece. É o tipo de amor que ama, não importa o que custar; dinheiro, prestígio, posição. Não importa.

A nossa unidade se erguerá ou cairá em nossa humildade e amor. Agora, deixe dizer algo. Se você tiver qualquer coisa que não seja amor por qualquer crente, antes que o corpo de Cristo se torne saudável, você terá que orar a Deus, se arrepender, confessar e ir para aquele crente e fazer a coisa certa. Veja, nós precisamos do seu amor. Sim, você e todos nós. Nós precisamos do seu amor para a unidade do corpo. Nós nunca teremos isso sem você. Nós temos uma posição de unidade. Nós precisamos ter isso na prática ou o mundo nunca conhecerá. Nós não iremos experimentar a alegria da vida do corpo. Portanto, nós somos um. Vamos praticar a nossa unidade.

A segunda coisa a respeito do corpo; vamos voltar para 1 Coríntios 12 por um minuto. Se o primeiro aspecto do corpo é a unidade, o segundo aspecto é a diversidade, diversidade. Nós somos um, porém muitos. Agora, dê uma olhada no versículo 14 de 1 Coríntios 12, “Porque também o corpo não é um só membro, mas” – o que? – “muitos”. Tudo bem. A unidade é a nossa base. A diversidade é a nossa operação, não é? Claro, o corpo é um. No entanto, existem braços e dedos e várias pastes, ouvidos, olhos e vários tipos de membros, cada um com uma função particular operando distintamente e, ao mesmo tempo, como um. O versículo 14 diz, “o corpo tem muito membros”. Existe diversidade dentro do corpo.

Nós somos todos diferentes, não somos? Romanos 12, “Nós temos recebido dons diferentes e a medida da fé que acompanha este dom”. Em outras palavras, se Deus te dá um dom espiritual, ele também te dá a medida de fé para operar este dom, não é? você consegue imaginar o que aconteceria se Deus te desse um dom específico porém não a fé para operá-lo? Seria frustrante. Ou se Deus te desse muita fé, além da medida do dom que ele te deu? Por isso, Deus iguala a medida da fé com os dons, assim, você sempre terá a quantia exata de fé para operar o dom certo.

Tudo bem, isso será rápido. Nós mencionaremos eles para você, mas a diversidade é importante. Todos nós temos dons distintos. Nós vamos falar a respeito dos dons do Espírito conforme nós entramos em Efésios, por isso nós não vamos gastar tanto tempo neste ponto. Observe o versículo 4 deste capítulo, deixe-me lê-lo para vocês, “os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo”. Agora, estas coisas não são talentos. Eles não são habilidades natas; eles são dons dado pelo Espírito. Quando você se torna um Cristão, Deus lhe dá um dom específico através do seu Espírito. Veja bem. Eles são dons divinos, dados por Deus, que você tem.

“Os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo”. Agora, o corpo precisa disso, não é? Todos nós devemos nos complementar. Todos nós não podemos ser tudo, certo? Por isso, eu consigo fazer uma coisa. Você consegue fazer uma coisa. Outra pessoa consegue fazer outra coisa e, assim, nós ministramos uns aos outros, para o bem do corpo, não é? Qualquer órgão que não funciona, estraga e danifica o corpo.

Tudo bem, então, “Os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos”. Você está percebendo como é a diversidade e a unidade? Tudo bem, “Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria”. Aqui está um dom; algumas pessoas têm sabedoria. “E a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento”. Algumas pessoas têm conhecimento; elas conhecem a Palavra de Deus. “A outro, no mesmo Espírito, a fé”. Você sabia que a fé é um dom dado pelo Espírito? Algumas pessoas têm esse dom; outras não. Agora, todos nós temos fé para crer em Deus, mas alguns têm o dom da fé, que é fé além do tipo normal.

“A outro, no mesmo Espírito, dons de curar; a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las”. E claro, se você estudar com cuidado a Palavra de Deus, você perceberá que existem vários tipos de dons mencionados em Romanos 12, assim como Efésios 4. Alguns deles são temporários; alguns são permanentes. Alguns deles são para descrentes; alguns deles para a edificação do corpo. Mas nós não vamos entrar nisso agora.

Basicamente, existe uma diversidade de dons. Versículo 11, “Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente”. Portanto, para o funcionamento do corpo, a fim de que todos nós ministremos uns aos outros, eu posso trabalhar com você, e eu posso ser para você o que você não pode ser; eu posso te instruir, e talvez você possa operar outro dom para mim. Todos nós podemos trabalhar juntos. O Espírito dividiu os dons de uma forma belamente equilibrada.

De forma simples; se você não está usando o seu dom, alguém está sendo prejudicado. Efésios nos diz que até mesmo a diversidade dos dons constrói a unidade. Você sabia disso? Veja o que Efésios 4:11 diz, “E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo” – preste atenção – “Até que todos cheguemos à unidade da fé”.

A diversidade traz a unidade. Você pode perguntar, “Como?” Bom, porque conforme nós ministramos uns aos outros, conforme nós somos ministrados, tendo esta perfeita troca ministerial, nós amadurecemos juntos, não é? O complemento completo dos dons é colocado sobre todos os membros. Por isso, nós nos ajuntamos, pois, se você está ministrando para mim e eu estou ministrando para você, juntos nós estamos ministrando os dons que Deus nos deu, e juntos, nós estamos crescendo rumo a um corpo perfeitamente maduro. Portanto, a diversidade é muito importante.

Os seus dons espirituais são uma benção soberana dada por Deus, e você deve agir conforme eles. Você diz, “Bom, eu usei na escola dominical, mas eles não precisam de um professor da terceira série”. Deus te abençoe. Eu não sei se a gente precisa de um professor da terceira série. Eu não me importo muito neste caso. Sabe por que? Por que a Bíblia não diz, “Encontre uma organização e use o seu dom ali”. Ela não diz isso. Se você tem um dom espiritual, use-o. Você diz, “mas não tem nenhuma posição disponível”. Claro que tem. Se você tem o dom de ajudar, vá ajudar alguém. Você não precisa da organização eclesiástica; vá fazer isso. Se você tem o dom de ensinar, encontre uma classe e ensine. Se for uma classe de uma pessoa, duas, no seu bairro, encontre alguém que precisa de ensino.

Se você tem o dom de evangelismo, encontre alguém que não conhece Jesus Cristo e evangelize aquela pessoa. Você não precisa da organização eclesiástica. Muitas pessoas ficam sentadas sem fazer nada. Eles têm dons espirituais que o corpo de Deus está precisando e alguém precisa ministrar a eles. Não espere que a organização te encaixe em algum lugar. Encontre alguém para que você ministre o seu dom. Eu te dou uma dica, se você não conseguir encontrar ninguém para ministrar, então você provavelmente não está inserido na vida do corpo.

Nós precisamos que o seu dom ministre. O Espírito não te deu isso para você engaveta-lo. Você pode dizer, “Bom, mas eu nem sei qual é o meu dom”. Então descubra. Como? Leia a lista dos dons de Romanos 12, 1 Coríntios 12 e Efésios 4. Encontre qual é o seu dom através da oração, estudo dos dons, determinando o que você gosta de fazer, o que você faz com esta benção do Espírito e a medida do sucesso. O que eu quero dizer é, você sabe que você não tem o dom do pastoreio se você for uma mulher. Então, isso elimina esta questão.

Em segundo lugar, você sabe que você não tem o dom de evangelismo se você não consegue ficar em frente a um grupo de pessoas e falar. Se você gosta de trabalhar com pessoas, talvez você tenha o dom de ajuda. Se você é um excelente organizador, talvez você tenha o dom de administração ou de governo. Seja o que for, você presta atenção neles. Você descobre eles, e eu te prometo que se você for honesto e querer saber qual o seu dom, o Espírito Santo irá te mostrar. Então, não se preocupe com esta igreja. Não se preocupe com a Igreja Grace Community. Você precisa encontrar alguém que precisa ser ministrado e ministrar a eles. Quando eu encontro um cristão e ele começa a conversar comigo, eu direi algo como, “Nós temos muitas necessidades na nossa igreja. Você poderia nos ajudar?” Ele dirá, “Wow, eu amaria ajudar, mas olha, eu estou muito ocupado. Eu tenho esta classe aqui, e eu estou trabalhando com isso aqui”. Sabe o que eu direi? “Fantástico. Continue então, vai lá”.

Você não precisa desta organização para ministrar o seu dom. Se você precisa disso, você está se apoiando em uma bengala. E preste atenção, você que está trabalhando aqui, Deus tem colocou aqui. Use o seu dom. Mas, se você não consegue encontrar uma abertura; se não tem um lugar para você na estrutura, vá ministrar para alguém. Vá ensinar alguém. Procure alguém que deseja saber. Você diz, “Onde eles estão?” Esta igreja aqui nesta noite está cheia de gente que precisa conhecer a Palavra de Deus. Você provavelmente conseguiria um parceiro, se encontrar com aquela pessoa, marcar um dia, sentar com ela e ensiná-la algumas coisas. Existem muitos novos cristãos nesta igreja que precisam aprender. Encontre um ministério.

Se o seu ministério é o ministério da compaixão, se importar com as pessoas, visite algumas pessoas doentes. Nós temos uma lista delas. Ligue à secretaria. Encontre elas. Não espere a estrutura. Ministre o seu dom. Como a molecada diz, “Vamos lá”.

Terceiro ponto: harmonia. A última coisa que o corpo precisa é harmonia. Todos nós estamos ministrando os nossos dons, mas eles precisam se encaixar, não é? Eu amo isso. Isso é muito bom. Versículo 15. Se não houver harmonia no corpo, isso será algo ridículo. “Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo”. É claro que não. “Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser”. A ideia da insignificância. “Bom, eu sou tão insignificante, eu nem pertenço a esta situação”. Isso não é verdade; você tem uma função.

Versículo 17, “Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido?” Muitas pessoas, “Bom, se eu fosse um olho, eu faria algo grandioso. Mas eu sou apenas um pé”. Por isso Paulo diz, “Se todo fosse ouvido, onde, o olfato?” Precisa haver diversidade. Não existe espaço para inveja porque não existe hierarquia. Você não precisa invejar os dons de outra pessoa. Deus te deu os seus dons. E eles são 100% cruciais para a vida do corpo assim como o meu ou o de outra pessoa é.

E então ele diz no versículo 18, “Mas Deus dispôs os membros”. Deus sabe o que está fazendo. “Colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve”. Ele tem um grande plano para a unidade. “Se todos, porém, fossem um só membro, onde estaria o corpo?” Por que que todos nós não podemos fazer a mesma coisa? Descubra o seu dom e use-o. Todos nós fazemos parte do mesmo corpo. Nós temos coisas diferentes para fazer.

Portanto, a humildade é a chave. Versículo 21, “Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés”. Esta é a ideia de governar sobre algo. “Você não é nada, você aí em baixo. Eu sou a cabeça”. E então vem o versículo 22, “Pelo contrário, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários”. Em outras palavras, é ideia é o seguinte; alguém dirá, “Bom, eu sou o nariz, muito bonito, muito belo”. A coisa real, a coisa mais importante não é o nariz. São os pés que te levam para algum lugar. Seria melhor que você tivesse um nariz quebrado do que pés mancos. É isso que ele está dizendo aqui. Existem aquelas pessoas que estão sempre dizendo, “Bom, nós somos aqueles que estão visíveis. Nós somos os que todos enxergam”. Ele diz, “Espera um pouco. O que é realmente necessário é o que está acontecendo nos bastidores”. E eu vou te dizer algo, você vai aprender isso no ministério.

Eu vejo pessoas se achegando a Cristo em nossos cultos, eu vejo as situações das pessoas se achegando a Cristo, e você sabe o que eu percebo? Alguém tem trabalhado com eles. Algumas mãos e alguns pés têm trabalhado. Só porque eu sou a boca, que levando e ganho esta preeminência, isso não significa nada. O meu dom não é nem um pouco mais significante do que o seu. Na verdade, ele pode até ser menos significante do que o seu.

“E os membros” – versículo 23 – “que parecem menos dignos no corpo, a estes damos muito maior honra; também os que em nós não são decorosos revestimos de especial honra”. Os membros que não são os que estão em destaque e os mais bonitos, esses são os que realmente estão fazendo o trabalho. Isso tira o orgulho de alguém que se levanta e diz, “Bom, eu sou uma parte muito bonita do corpo”.

Versículo 24, “Mas os nossos membros nobres não têm necessidade disso”. O que eles fazem? Só aparecem bem? “Contudo, Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha”. Os órgãos internos que são feios, que não são nem um pouco bonitos; eles são essenciais para a vida. Não é uma questão apenas de coisas visíveis e bonitas. É a parte que faz todo o trabalho que não recebe nenhuma visão, mas funciona para manter a vida do corpo. Nós precisamos ter certeza de que nós não vamos nos envolver com esta dicotomia, não é, quando dizemos, “Bom, nós somos as partes bonitas, e vocês são apenas isso”. Não mesmo.

Versículo 25, não faça isso, “para que não haja divisão no corpo” – nenhuma divisão – “pelo contrário, cooperem os membros” – com o que? – “com igual cuidado”. Não existe diferença. Não existe diferença. “De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam”. Agora você faz parte do corpo de Cristo, com unidade, membros em particular, com diversidade. Agora, vivam em harmonia. Não criem hierarquia.

Ó, nós precisamos ser um corpo saudável pessoal. Nós precisamos ser. Nós precisamos ser saudáveis, e nós precisamos de vocês. Nós não precisamos de mais unidade estrutural. Nós não precisamos de mais organização. Nós precisamos de mais unidade do corpo, nós precisamos de mais ministério do corpo. Foi por isso que Jesus orou. Vamos responder a sua oração. A nossa unidade é a unidade do Espírito; não a unidade, ou a denominação, ou a igreja ou a organização. Haverá uma verdadeira unidade espiritual quando nos humilharmos; quando nós olhamos para todos os homens através de outros; quando nós amamos com um amor que não se importa com o que acontece conosco e quando nós começamos a ministrar em harmonia os nossos dons espiritais uns aos outros.

Eu oro, ó Deus, todos os dias para que isso aconteça aqui; para que o mundo olhe para nós e diga, “Sim, Jesus é real. Nós podemos ver isso por causa do seu amor”.

Pai, nós te agradecemos hoje anoite por estas palavras. Nós a abreviamos de certa forma, mas tu sabes, Senhor. Tu sabes da verdade, e nós te agradecemos por nos ensinar a respeito do corpo. Que gloriosa verdade que ela é. Obrigado por Jesus, que é a nossa cabeça, do qual surge poder, recurso, sabedoria e impulso para o corpo. Ó Deus, nos ensine a servir. Nos ensine a funcionar. Nos ajude a sair, encontrar um lugar para ministrarmos o nosso dom para que possamos começar a trabalhar para ti, para a saúde do corpo; a fim de que sejamos unidos, sendo uma tocha que ilumine o mundo com a nossa chama.

Enquanto vocês estão de cabeça baixa, ao encerrarmos o nosso culto, eu gostaria de ter um momento silencioso de oração. Eu gostaria que você fizesse uma breve oração comigo, algo assim: “Cristo, eu reconheço o meu lugar no corpo. Eu desejo três coisas. Número um, Cristo, me ensine a ser humilde. Número dois, me ensine a amar. Número três, mostre-me o meu dom e me ensine a usá-lo”. Você pode fazer esta oração? Me ensine a ser humilde, a amar, a conhecer o meu dom e a usá-lo. Talvez você tenha mais do que um, a maioria dos cristãos tem. Faça esta oração agora.

Eu acredito que você fez, e eu sei que o Espírito de Deus honrará a sua oração. Nós precisamos de você. Desesperadamente, o corpo precisa que você coopere, que você seja sensível. Eu preciso de você. Nós precisamos trabalhar juntos, seja qual for o custo, cuidando uns dos outros como um. É isso o que Jesus orou. É isso que nós desejamos para a sua glória.

Nosso Pai, nós oramos para que você coloque estas verdades nas nossas mentes, para que nós realmente sejamos um. Nos ensine a sermos um. Amoleça os nossos duros corações e nos torne um no Espírito. Nós oramos no nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize