Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Esta é uma série muito difícil que temos percorrido por muitas razões. Difícil avaliar corretamente um movimento, por que, termos que lidar com pessoas é muito difícil, porque somos diferentes. E também porque não há nenhuma tentativa ou desejo de nossa parte de alienar nossos irmãos e irmãs em Cristo; mas sim chamá-los de volta à Palavra de Deus e ao que Deus estabeleceu como princípios básicos e importantes. E também, porque há um sentido em que as pessoas às vezes pensam que seu ministério é negativo e não positivo. Eu odiaria que qualquer uma dessas coisas fosse assumida como resultado disso. Uma das razões pelas quais fico feliz por ser pastor é porque posso ficar em um lugar o tempo suficiente para dar ênfases diferentes, e você entende todo o quadro do que Deus está dizendo. E esta é apenas uma pequena parte. Não a parte mais importante, mas uma pequena parte, uma tentativa de trazer o movimento carismático como o vemos no mundo de hoje para confrontá-lo com a Palavra de Deus. Há muitas coisas boas, como dissemos, ao longo do caminho que vieram dele, já que pessoas foram salvas, Cristo foi pregado e grande parte do amor do Senhor foi evidenciado. Mas ao mesmo tempo há algumas coisas que temos de olhar honesta e objetivamente sobre o movimento e é isso que estamos tentando fazer. Não estamos tentando atribuir a todas as pessoas o papel de um herege. Nós não estamos tentando jogar fora o bebê com a água suja do banho. Estamos tentando manter um equilíbrio, e ainda, lidar com o que deve ser tratado.

Isso não é algo que eu não faço na minha própria vida, e esperamos que você não faça na sua própria vida, e que é abater essas coisas que não suportam o teste da Palavra de Deus, e transmiti-las. E então, é isso que estamos tentando fazer enquanto estudamos esse movimento. Agora, temos olhado para as áreas principais do movimento carismático, que consideramos, devem vir à luz da Palavra de Deus. Uma é a questão do Apocalipse e nós já tratamos isso. E o outro é a questão da interpretação e estamos abordando isso agora. A questão da interpretação é muito importante. Um, nós estabelecemos que esta é a Bíblia; e dois, estamos estabelecendo o fato de que ela deve ser corretamente interpretada. Agora, começamos nosso estudo da última vez, e eu realmente sinto no meu coração que a mensagem que demos na semana passada é uma mensagem muito, muito essencial. E conectada com a de hoje seria uma série de mensagens que todo cristão deve entender porque nos esforçamos para mostrar a importância de interpretar corretamente a Bíblia. E hoje vamos dar um passo adiante e mostrar quais são os princípios para isso, e um terceiro passo, como aplicar esses princípios para que este se torne um estudo muito importante para nos ajudar a interpretar a escritura.

Agora, é difícil, como eu disse anteriormente, falar em nome de todos, no movimento carismático, muitos dos quais são muito queridos amigos meus, e porque existe uma grande variação de instrução em curso. Mas há alguns pontos básicos que estamos tentando tocar. Estes são sobre a área de como eles interpretam a Bíblia. E em algumas Escrituras, há uma unanimidade muito bonita no movimento. Há algumas pessoas particularmente conhecidas, nome como os de Charles e Francis Hunter, que escreveram vários livros, e apareceram muitas vezes na televisão e em conferências em todo o país defendendo o movimento carismático de forma bastante enérgica. Eles têm um livro intitulado "Por que eu deveria falar em línguas?" É uma coleção de testemunhos de várias pessoas e eles continuam a contar sobre isso. Mas a introdução do livro, que eu estava lendo esta semana, achei muito interessante. E eu gostaria de ler parte dele para você, e então usar isso como uma base do que eu quero dizer. Vamos apenas ler o início de sua introdução.

“Jesus, o presente mais belo que já foi dado ao mundo, continha tudo de Deus em um pequeno corpo humano no momento em que ele nasceu. Deus amou o mundo o suficiente para permitir que esta criança fosse amada tanto para morrer numa cruz por nós. Deus fez mais pela raça humana ao nos dar Jesus do que qualquer coisa que tenha sido realizada por cientistas, educadores, professores ou todas as coisas combinadas. Os fariseus o condenaram. Eles disseram que ele era do Diabo. Eles creditaram o poder dEle ao Diabo. Eles disseram isso sobre o salvador do mundo. É difícil acreditar que as mesmas coisas estão sendo ditas hoje do belo dom do Espírito Santo, como foram ditas sobre Jesus. Gordon Lindsay diz "Dizer que todas as manifestações sobrenaturais do falar em línguas em geral são obra de espíritos malignos é assumir uma posição ousada e perigosa." Os fariseus eram os fundamentalistas nos dias de Cristo, e atribuíram suas obras ao Poder do diabo. Jesus não só repreendeu tais acusações, mas disse que todo o tipo de pecado e blasfêmia será perdoado aos homens mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada.

O belo dom de poder para o mundo cristão tem sido reprovado, condenado, proibido, ridicularizado e criticado pelos fariseus do século 20, enquanto atribuem a obra do Espírito Santo de Deus ao diabo, afirmando que Jesus mudou e não é o mesmo que foi há dois mil anos. Alguns tentam negar o poder de cura do Espírito Santo hoje. Alguns insistem que falar em línguas é do Diabo. Alguns se recusam a acreditar que os milagres estão ocorrendo quando as pessoas caem sob o poder. Alguns não aceitam profecia, mensagens em línguas e interpretações.

“A Bíblia sempre suportará o teste, se acreditarmos que a Bíblia é verdadeira. Não há nada na Bíblia que mencione o diabo e as línguas. O único momento em que as línguas são mencionadas na Palavra de Deus está em conexão com o Espírito Santo. Nunca teremos que nos preocupar com as críticas quando estamos na Palavra de Deus. A melhor prova do batismo do Espírito Santo é uma vida de intimidade com Deus e uma caminhada no poder do Espírito.

“É genuíno, é real e é para hoje. As pessoas mais emocionantes que conhecemos são as que aceitaram o batismo do Espírito Santo. Pessoas cujas palavras pensamentos e ações dizem respeito a Jesus. Pessoas cujas vidas transbordam com o fruto do Espírito. Muitas pessoas se opõem aos carismáticos porque sentem demasiada ênfase em falar em línguas. Isso é interessante, porque a única prova na Bíblia que é oferecida a respeito do batismo do Espírito Santo é falar em línguas.” Fechar aspas.

Agora, é assim que a introdução do livro começa. Eu não sei como isso afetou você, se você foi capaz de ouvir tudo, mas isso me afetou de muitas maneiras interessantes. Há uma construção de declarações lá que se tornam, no final, muito intimidadoras para quem não aceita o que eles dizem. Por exemplo, a implicação é que negar línguas é assumir o papel que os fariseus tiveram em condenar Jesus Cristo. Em outras palavras você está condenando a obra do Espírito Santo. Negar as línguas é ser culpado de cometer o pecado imperdoável para o qual não há perdão. Negar as línguas é dizer que não há batismo do Espírito Santo.

Agora, há muitas coisas, problemas em que eu gostaria de me deter, mas deixe-me apenas apontar um casal como ponto de partida para os nossos pensamentos. E estamos lidando com a questão, não a pessoa envolvida, apenas o problema aqui. Várias coisas me incomodam, tenho sido chamado de alguém que não ama, e eu não sou, na verdade, destituido de amor. Eu não sei se posso falar isso ou não, mas eu não vou discutir a questão. Mas, eu estou tentando apenas lidar com a verdade da Palavra de Deus. Mas fui chamado de desamoroso, pelas pessoas, porque eu discordo da sua opinião. E ao mesmo tempo, parece ser incongruente que eu deveria ser chamado de um fariseu do século 20, culpado de reprovar as Escrituras. Ou que eu deveria ser designado como fariseus que condenaram nosso querido Senhor Jesus Cristo, como alguém que condena como satânico o ministério total do Espírito Santo. Eu não vou aceitar isso. Eu não faço isso.

Veja só, esses tipos de interpretações erradas e essas generalidades, tornam-se intimidadoras que atraem um povo sem entendimento para o movimento, fazendo-o temer que estejam em acordo com os fariseus que condenaram Cristo, ao condenarem o Espírito; que eles são secundários, fazendo algo que é totalmente anti-bíblico, porque a declaração que os Hunters fazem é que em nenhuma parte da Bíblia menciona o diabo e as línguas. As línguas são mencionadas apenas em conexão com o Espírito Santo.

Bom, veja, isso não é verdade. Porque em 1 Coríntios 14, é muito evidente que o objetivo do capítulo é mostrar aos coríntios que as línguas não precisam necessariamente ser do Espírito, porque elas podem ser imitadas. Então obviamente há distorção, deturpação, eles precisavam de uma prova do que estava acontecendo para testar se era de Deus ou não. E assim eu reajo a essas coisas. E então ser acusado como se tivéssemos cometido o pecado imperdoável, para mim é algo muito sério.

Agora, veja que ao iniciar um livro como esse, um cristão com pouco conhecimento, ou talvez um cristão novo, imediatamente é ameaçado com o fato de que ele é potencialmente um fariseu, e que ele está negando o ministério do Espírito Santo, e que ele cometeu o pecado imperdoável, se ele não aceitar o que está no livro. Essa é uma configuração muito boa, você não diria isso? para alguém que é um cristão sensível, e talvez não saiba realmente como lidar com essas Escrituras? E é por isso que eu digo que é tão devastador. É tão devastador atrair as pessoas para esses movimentos pela intepretação errada da Escritura. É a mesma coisa que as seitas fazem. Elas tomam as Escrituras e elas a torcem. Isso está em Efésios 4, onde os novos convertidos são atirados de um lado para outro e levados por todo vento de doutrina e pela estratégia e astúcia. Porque o que você faz com a Escritura tem um impacto tão grande em alguém que não pode se defender naquele momento, que é muito novo para entender ou muito jovem para entender, espiritualmente falando. É uma coisa triste.

Os Hunters, mais adiante, na introdução, discutem Marcos 16:18, eles estavam discutindo Mateus 12, o pecado imperdoável. Eles vão para Marcos 16 e é isso que eles dizem. E você sabe, Marcos 16:18 diz que " pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados." Então eles estão falando sobre as serpentes, e o veneno, e tudo o que há em Marcos 16:18. É o que eles falavam. Quem quer sair e lidar com cobras? Nós certamente não. E também temos certeza de que Deus não pretende que você saia e coloque a mão numa cesta de cascavéis para ver se elas vão morder você ou não.

O que esse versículo significa então? Bom, você se lembra do que aconteceu com Paulo quando naufragou em Atos 28:3-5? Ele pegou uma serpente por acidente. Bom, vou apenas adicionar uma nota de rodapé: não diz que ele pegou uma serpente, mas não vamos discutir isso. Ele não correu dizendo a todos "Olhem para mim, olhem para mim. Eu posso lidar com cobras, e com segurança.” Não, ele apenas a sacudiu no fogo e louvou a Deus porque Ele o protegeu. Nós certamente não pretendemos sair por aí bebendo veneno, apenas para provar que estamos imunes, porque acredito que logo descobriremos que não estamos. Deus não pretende que o tentemos, mas Sua proteção está lá se precisarmos. Você percebe que a Bíblia diz se acidentalmente bebermos algo venenoso não nos machucará? Aleluia! É a melhor apólice de seguro que conhecemos.

Agora, vou parar por aqui. A Bíblia não diz "se" acidentalmente. Não há acidentalmente em Marcos 16:18. Você não vai encontrá-lo. Mas, veja você, é muito difícil explicá-lo de outra maneira porque nenhum deles se atreveria a pegar um cesto cheio de cascavéis, nem qualquer outra pessoa em sã consciência. Você já leu que recentemente sobre alguns que fizeram isso e morreram. Então perceba, eles têm que explicar isso, isso é acidentalmente. Mas, isso também não funciona, porque eu me lembro quando eu era criança, bebi um pouco de veneno acidentalmente, e eu não conseguia lidar com isso, e eu tive que ter o estômago bombeado, Espírito Santo ou nenhum Espírito Santo.

E você teve experiências semelhantes. Pessoas morrem envenenadas, pessoas cristãs. Houve pessoas cristãs que morreram por terem sido injetadas com a medicação errada. Isso é veneno. Veja, é muito difícil interpretar esses versículos dessa maneira. Dizer: isso vai seguir todos os crentes, eles dizem. Todos os crentes serão capazes de fazer isso, se acidentalmente se virem nessa situação, mas houve crentes que morreram de picada de cobra e envenenadas. Historicamente não se sustenta.

E assim, a fim de acalmar um pouco a força disso, eles dizem algo neste próximo parágrafo: "Do Gênesis ao Apocalipse quem é a maior serpente de todas? Satanás é claro, e o que o batismo do Espírito Santo faz por você? Dá-lhe o poder de lidar com Satanás". Fechar aspas.

Agora veja o que aconteceu aqui, e a fim de tentar explicar isso eles fazem uma alegoria. E agora, falam sobre Satanás, e que, aliás, é a interpretação que Oral Roberts dá à passagem que li esta semana. Mas é uma alegoria. Mas percebam, eles querem incluir a parte de cura no versículo 18 e eles querem incluir a parte de línguas no versículo 17. Então, está tudo misturado com o veneno e as cobras. E ele quer todos os cinco e então explicar todos os cinco, eles realmente estão em apuros. Então, é acidentalmente. Alguns outros disseram, "Bom, realmente o que isso significa, é que todos os cinco não estão disponíveis se você buscá-los". Não é isso que o texto diz. Ou se você pede por eles, nem sequer diz isso. Agora, se você olha a passagem, o que faremos em poucos minutos, você verá que há alguns problemas aqui.

Outro parágrafo que também achei interessante em seu livro, dizia isso, "No século 20 não precisamos nos conformar com menos do que os discípulos. Deus está derramando Seu Espírito Santo da mesma maneira hoje como Ele fez anteriormente. Não há diferença. Provavelmente o versículo que ouvimos citado mais do que qualquer outro é Hebreus 13:8 "Jesus Cristo é o mesmo ontem hoje e eternamente". E você já ouviu isso muitas vezes. "Se Ele batizou com a evidência de falar em línguas ontem, então certamente Ele está fazendo a mesma coisa hoje, e continuará fazendo isso amanhã. O Novo Testamento não foi reescrito desde os dias dos discípulos e estaríamos pressupondo que foi, se tivéssemos uma evidência diferente ou falta de evidência positiva. Cada palavra do Novo Testamento foi escrita por aqueles que receberam o batismo do Espírito Santo e que falavam em línguas. Deus o considerou vital, Jesus o ordenou. Nós o aceitamos; funciona.” Fechar aspas.

Agora, número um, apenas alguns pensamentos aqui. Voltaremos a este texto mais tarde. Cada um que escreveu o Novo Testamento falou em línguas. Você não pode encontrar isso na Bíblia. Não temos nenhuma indicação de que todos os escritores da Bíblia fizeram isso. Jesus ordenou isso. Nós não temos nenhuma evidência disso. Essas coisas são interpretações erradas. Até agora nós vimos alguns problemas com Mateus 12, Hebreus 13, e nós vamos voltar a esses daqui a pouco. Mas gostaria de chamar sua atenção de como isso pode expor uma pessoa ao medo, por exemplo, por achar que negou o eterno caráter constante de Jesus Cristo. Por ter negado os mandamentos de Jesus em Mateus 6. Você foi culpado de blasfemar contra o Espírito Santo. Você está atribuindo ao Espírito Santo uma obra diabólica. Você é um fariseu moderno que se assemelha àquele que condenou Jesus Cristo. Percebe que isso é uma matéria muito intimidadora. E você quer saber o que atrai as pessoas para isso. Em muitos casos é esse tipo de medo que é gerado por essa abordagem. E tudo isso é baseado em interpretações defeituosas.

Outro problema que vejo também, que surge repetidamente na área interpretativa, é a ideia de que a cura está na expiação. Que se você é salvo, Cristo morreu por suas enfermidades. E o texto é 1 Pedro 2:24 que diz " por suas chagas, fostes sarados." E assim com base nisso, temos a cura na expiação, Jesus morreu por nossas doenças, e todas elas se foram, e você apenas afirma que você não está realmente doente. Ou, que você está doente simplesmente porque você não reivindicou a cura. É isso que esse versículo está dizendo? Isso é o que eles querem que diga e é isso que eles o fazem dizer.

Mas veja só, tudo depende de como você interpreta a Bíblia. E eu não estou oferecendo a você o fato de que eu sou infalível ou inerrante. Muito pelo contrário ou que a Grace Church é infalível ou inerrante. Tenho certeza de que interpretamos mal a Escritura na fraqueza de nossa humanidade, como todos os crentes fazem em toda parte. E não estou dizendo que interpretem mal todas as Escrituras. Estou apenas dizendo que estes parecem ser os elementos cardeais que os dirigem. Eles são culpados de má interpretação. Eles interpretam mal, no livro de Atos, a obra do batismo do Espírito, o enchimento do Espírito. Eles interpretam mal I Coríntios 12 e 14. E estas são as coisas nas próximas semanas que vamos tratar para tentar mostrar o que a Bíblia está de fato dizendo, para que possamos entendê-la. E faremos o nosso melhor para interpretá-la. E não estou dando a interpretação de John MacArthur, mas sim o que é histórico, que é a interpretação geral dos crentes ao longo dos anos, que tiveram uma sólida abordagem interpretativa das Escrituras.

Clark Pinnock diz em seu livro "Revelação Bíblica" que uma hermenêutica vaga, e hermenêutica significa: princípios de interpretação da Bíblia. "Uma hermenêutica vaga pode destruir o significado de toda a inspiração e pode ser um disfarce para a negação dos ensinamentos da Bíblia. E a posição ortodoxa sobre os profetas da Escritura não se sustenta de modo algum se a verdade da Escritura está em curto-circuito por interpretações perversas".

Bom, claramente é disso que estávamos falando na semana passada. Que utilidade em ter a Bíblia se você a interpreta mal? E amados, precisamos apenas fazer um compromisso em nossos corações de que vamos interpretar a Bíblia da maneira correta. Vamos cortar reto aqui, lembra-se de 2 Timóteo na semana passada? Corte em linha reta.

Agora vamos analisar a questão da interpretação. Se vamos interpretar a Bíblia corretamente quais são os princípios que temos de ter? Mostramos na semana passada como é importante. Agora aqui vem o ponto número dois de como fazê-lo. Como você interpreta a Bíblia corretamente? Quais são os princípios? Você não pode apenas dizer, oh eu imagino que isso significa isso? Você tem princípios com os quais trabalha.

Deixe-me dá-los a você. Aqui estão eles. Número um. E estes são princípios geralmente aceitos da interpretação. Número um, o princípio literal, o literal, e você deve tomar nota disso, porue deve ter isso ao seu lado quando você se aproximar de qualquer passagem. Um bom lugar para escrevê-los, bem na frente de sua Bíblia, se você pode entender o que estamos dizendo: o princípio da interpretação literal. Agora com isso queremos simplesmente dizer que a Escritura deve ser entendida em seu sentido natural e normal. A Escritura deve ser entendida em seu sentido natural e normal. O significado básico das palavras. Veja, se Deus quer comunicar Sua Palavra para nós, então Ele o fará da maneira mais óbvia. E o modo mais óbvia é tão simples quanto possível, e tão simples quanto possível é falar com palavras que são claramente compreendidas pelas pessoas. De modo que dizemos que o sentido literal é o sentido que Deus dá, não algum sentido mais profundo, oculto, secreto imaginativo, alegórico, espiritualizado.

Como vimos na semana passada, quando Deus está falando que Neemias reconstruiu os muros de Jerusalém, Ele não está dizendo que o Espírito Santo está reconstruindo os muros da personalidade humana. Ele está dizendo que Neemias construiu os muros de Jerusalém. Ponto, parágrafo, fim da história. E quando a Bíblia fala sobre uma vaca é uma vaca. Quando fala de uma casa é uma casa. E um homem é um homem, e uma mulher é uma mulher. Agora quando você entra na literatura apocalíptica que dá visões futuras como vimos em Zacarias, ou como você já viu em Daniel ou Ezequiel, ou o livro de Apocalipse, você pode ter alguma linguagem figurativa e algumas figuras de linguagem, mas elas também são costumeiros e normais, porque você vai saber o que essas figuras são e a abordagem normal para essas figuras seria interpretá-las. Assim, você não violou o aspecto literal delas. A Bíblia deve ser tratada literalmente.

E eu apenas quero adverti-lo, uma vez que você abandonou o princípio literal, você acabou com toda a esperança da interpretação exata. Se foi, porque, em seguida, você tem cada um por si e somente as regras de imaginação. Quem é o mais imaginativo, ganha a corrida pela interpretação. E você vê, quando você nega o literal, então você não está servindo a Bíblia ao entendê-la. Você está fazendo da Bíblia sua escrava, moldando-a para dizer o que você quer que ela diga.

É como os antigos rabinos que, porque no idioma hebraico, letras do alfabeto também tem equivalência numérica. Percebe? Letras no alfabeto têm equivalência numérica. Eles pegavam as letras do nome de alguém e as somavam e saíam com algum significado. Por exemplo, o nome de Abraão soma 318, o que significa, que Abraão tinha 318 servos. É isso que significa? Não. Quando diz Abraão, não está falando de seus 318 servos, está falando sobre ele. Isso viola o propósito básico, e simples da linguagem, que é se comunicar de uma maneira normal e costumeira. E assim devemos lidar com a interpretação literal.

Segundo princípio, e você teria que ter um curso de hermenêutica para obter toda a profundidade de tudo isso, mas eu estou apenas mostrando superficialmente. O segundo é o que eu chamo de princípio histórico, o princípio histórico. Uma das coisas que um estudante da Bíblia aprende logo quando começa a estudar a Bíblia é a importância de recriar o cenário histórico em que a passagem foi escrita. Eu sei que se você esteve aqui quando do nosso estudo de I Coríntios, terminamos agora o capítulo 13. E se você passou por isso, você sabe que eu levei muito tempo para reconstruir a história. Se você veio domingo à noite, em nosso estudo emocionante de Zacarias, você sabe que noite após noite conforme passamos por isso, estamos reconstruindo a história do passado, onde Israel estava, o que estavam fazendo, a volta do cativeiro, e aqui eles estão querendo construir um edifício. E então tudo isso começa a fazer sentido e tem sido meu ponto de vista por anos, que se um professor da Bíblia ou um estudante da Bíblia construir fielmente o cenário histórico, você pode quase interpretar a Bíblia simplesmente lendo-a. Porque se você entender a cena ela quase se auto interpreta.

Sabe, quando os livros do Novo Testamento, por exemplo, foram enviados, a interpretação não veio junto. Por quê? Porque naquela cultura, naquela época da história, dados os problemas que existiam e a situação existente, eles podiam lê-la, e tinha significado. E para nós, precisamos reconstruir isso, o que significa que temos que estudar um pouco de geografia. Você tem que descobrir algumas coisas. Você nunca pode entender as sete cartas às igrejas no Apocalipse sem uma compreensão da geografia de cada uma delas, porque elas estão realmente entrelaçadas nas cartas. Você tem que estudar a história. O que estava acontecendo historicamente? Quem governava? Quem estava no poder? O que era isso? O que estava acontecendo? Quais foram as tensões na sociedade? Como era a cultura? Você tem que entender algo sobre os costumes do povo. É por isso que temos livros como "Esboços da Vida Social Judaica" de Edersheim, que nos ajuda a entender os padrões de vida judaicos para que possamos interpretar o que está acontecendo. Portanto, o histórico é de vital importância e precisamos ter informações sobre isso. Precisamos ser capazes de nos apossar disso, e um dicionário da Bíblia será um grande trunfo na reconstrução de cenários históricos, ou uma introdução ao Antigo Testamento, ou uma introdução ao Novo Testamento. Qualquer um desses livros irá ajudá-lo a ser capaz de reconstruir essa configuração, e desse cenário fluirá o significado. É por isso que eu fiz um curso de extensão na faculdade em história, porque eu senti que isso seria muito importante.

Um terceiro princípio é o que eu chamo de princípio gramatical. O princípio gramatical. E, como você vai interpretá-lo literalmente, vai fazer o que é necessário fazer historicamente também. Em terceiro lugar, você deve ter certeza de que vai deixá-lo dizer o que realmente diz em termos de palavras e da gramática. Agora, algumas pessoas chamam de estudos lexicográficos e sintaxe. Mas o que realmente significa, é que você está apenas lidando com o que realmente diz. Quer dizer, você está lutando com as palavras. Quantas vezes fizemos isso? Quantas vezes já fizemos isso? Consideramos uma palavra e o que essa palavra significa, quais foram as nuances de seu significado, e como certas preposições são muito importantes, que importa se ela diz para, em, por ou com. Ou que ela diz por causa de, ou através, e qual é o antecedente disso, e qual é a relação dessa cláusula com essa frase, e assim por diante. Tudo isso, é necessário para interpretar a Escritura. Gramática. Você não pode simplesmente arrancar algo de lá e fazer dizer algo; você tem que dizer: esta é a sequência do que está sendo dito, e só significa nessa sequência, e deixe as palavras dizerem o que a palavra diz.

Então, você tem que pegar o texto. E as pessoas me dizem muitas vezes: o que você faz primeiro quando prepara uma mensagem? A primeira coisa que faço é estudar o texto para descobrir exatamente quais são as palavras apropriadas, o que elas são em grego, qual é a ordem das sentenças, e qual é a estrutura, qual é a gramática é assim que sei qual é o objeto direto, o objeto indireto, qual é o sujeito, qual é o predicado, qual o adjetivo, qual a frase adverbial, a cláusula condicional. Tudo isso para que você saiba exatamente o que está sendo dito. Isso é gramática.

O quarto princípio. Alguns de vocês podem estar dizendo, sabe, receio que não vou poder estudar a minha própria Bíblia, mas não se preocupe com isso. Estou apenas dando os princípios básicos. Você só é capaz de aplicá-los em diferentes níveis dependendo de quanto tempo você tem sido um cristão e o Espírito Santo irá encontrá-lo no ponto onde você pode lidar com isso. Vamos falar sobre isso em um minuto. Mas o número quatro é o que eu chamo de princípio de síntese. A síntese. O que os antigos reformadores costumavam chamar analogia Scriptura ou a analogia da Escritura. Este é o princípio da síntese, e isso significa: que nenhuma parte da Bíblia contradiz qualquer outra parte. Em outras palavras, se um autor escreveu toda a Bíblia, então ela terá uma unidade maravilhosa. E se você chegar a algo numa passagem que não se encaixa com algo em outra passagem, então um desses dois é interpretado erroneamente, porque o Espírito Santo não discorda de Si mesmo.

Então, muitas vezes quando eu lhe ensinar, vou explicar tudo o que está em uma passagem. Direi as palavras, o significado, a estrutura, e então eu começarei a levá-lo a diferentes passagens de outros livros da Bíblia para mostrar que isso se encaixa na analogia total da Escritura. O panorama completo.

J.I. Packer em seu livro "Deus falou" diz, e eu cito "A Bíblia aparece como uma orquestra sinfônica com o Espírito Santo como seu Toscanini. Cada instrumentista foi trazido voluntariamente, espontaneamente, criativamente para tocar Suas notas exatamente como desejava o grande maestro. Embora nenhum deles possa ouvir a música como um todo, o ponto de cada parte só se torna totalmente claro quando visto em relação a todos os demais." Isso é exatamente o que Pedro escreveu quando disse em 1 Pedro 1:10. Eles examinaram as Escrituras para ver o que eles estavam escrevendo, porque estava mesmo fora do alcance deles. Eles não imaginavam como era essa conexão, mesmo os escritores da Bíblia. Assim, a Escritura deve estar ligada a toda Escritura.

Basicamente, é isso. Você quer saber o que eu faço com o meu tempo? São quatro coisas. Em primeiro lugar, eu leio a Bíblia e vejo qual é seu sentido literal. E então, eu reconstruo o cenário histórico, lido com a gramática, e tento encaixá-la com o quadro total da Escritura, o quadro total.

E então há um outro elemento. Faça deste o número cinco. Ou outro. E é isso que eu chamo de princípio prático. A última coisa que você faz: Faça uma aplicação do mesmo, o princípio prático. Bom, e daí? Essa é a pergunta que sempre faço. Isso é maravilhoso, então o que isso tem a ver comigo? E é aí que você tem uma ampla possibilidade de aplicação dos princípios da Escritura. 2 Timóteo 3:16 diz " Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça," o quê? "útil, vantajoso." Quanto é vantajoso? Toda ela. É útil para a instrução. Bom, você tem que torná-la prática. Você tem que fazê-la dizer algo ao homem e à mulher que vivem a vida que Deus os chamou para viver aqui e agora. Então isso é vital. Você simplesmente não pode ficar em uma redoma de vidro, e abordar as pessoas mais ou menos. Você tem que abordar partindo do ponto onde elas estão.

É isso, pessoal. Esses são os cinco elementos para se construir qualquer boa lição cinco elementos de qualquer bom sermão cinco elementos de qualquer estudo bíblico.

E então há outro elemento que é o guarda-chuva sob o qual todo o resto existe. E eu o chamo de Espírito Santo iluminador, o Espírito Santo iluminador. Acabei de dizer que você vai errar sem o Espírito Santo, sabia disso? Por quê? Porque em 1 Coríntios 2:14 ele diz " Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente". E esse mesmo capítulo diz que somente o Espírito Santo pode nos mostrar a verdade. Só o Espírito Santo pode nos levar a isso. E sem o Espírito Santo, a Bíblia está travada. É um mistério. Mas quando o Espírito de Deus vem então há iluminação. E a iluminação significa simplesmente que você entende o que foi escrito. E ouça, a única pessoa que pode entender a Bíblia é um cristão. E eu vou além, a única pessoa que pode realmente entender a Bíblia é um cristão que está vivendo uma vida pura.

Você não pode ir à Bíblia para estudá-la com pecado em sua vida. Conheci cristão que afirmam estar estudando a Bíblia e vivem em pecado aberto. E sempre que eu encontrar algum desses por acaso eu direi: "Bom, você não espera aprender alguma coisa, não é mesmo? Quer dizer, você não tem um coração adequado para receber informações. Ele está coberto com seu pecado, está cheio de lixo." A verdade apenas bate e volta . Você está me perguntando, de onde tirou isso? 1 Pedro capítulo 2 versículo 1. " Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências, desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação”, você não pode desejá-lo e realmente crescer até que que livre do lixo, percebe? E assim, somente um crente realmente entenderá isto, e somente um crente que vive em pureza, terá a profundidade do ensino.

Mas eu vou lhe dizer, é porque o Espírito Santo está lá. Sabe, eu já li um monte de livros na minha vida, e espero ler muito mais, muitas vezes quando eu lia um livro, eu não entendia o que eu estava lendo. Eu sou como um eunuco em seu caminho para Gaza, você sabe, aquele que se encontrou com Filipe no deserto, eu não entendo um monte de coisas. E, eu estarei lendo um livro de alguém, e direi "O que ele está dizendo aqui? Eu não entendo isso”. E muitas vezes eu desejei. "Rapaz, eu gstaria que o autor estivesse aqui para que eu pudesse perguntar." Não seria legal se cada vez que você comprasse um livro, ficasse uma semana com o autor? Ele poderia esclarecer alguns pontos? Bom, você não percebe, esta evidente e blá blá blá. Você quer saber de uma coisa? O dia em que este livro se tornou seu, o autor dele se tornou seu também, não por uma semana, mas por uma vida. Não é ótimo? Você não só tem a palavra escrita, mas tem o mestre de verdade residente que a escreveu e esse é o elemento esclarecedor. Você precisa ter o equilibro do ministério de ensino através do Espírito Santo e ter a diligência requerida de Timóteo, certo? "Procura apresentar-te a Deus aprovado” ou seja, diligente" Corte em linha reta. Ele só iluminará o que você estudou diligentemente. Pinnock diz "Apelar para o Espírito separado da Escritura, é fanatismo sub-cristão". Você não pode simplesmente recorrer ao Espírito Santo, e dizer me ensine, e Ele ensinará. Não pode ser separado das Escrituras, isso não é cristão. Isso é algum tipo de fanatismo.

Por outro lado, Pinnock diz: apelar para a Escritura sem uma completa dependência do Espírito Santo, é presunção. Não presuma que você é inteligente o suficiente para entender a Escritura sem o Espírito Santo. Temo,infelizmente, que o carismatismo é muitas vezes uma forma de misticismo sub-cristão, porque eles aparentemente igualam a revelação, a inspiração a iluminação, e fazem com que tudo aconteça em uma bola de cristal quando abrem a Bíblia, e o Espírito Santo diz a eles o significado. Estes são os princípios.

Na semana passada consideramos o ponto número um: por que é importante interpretar corretamente. Demos a vocês agora o ponto número dois: quais são os princípios? Agora, eu quero dar-lhe o número três: são alguns exemplos do que acontece quando você aplica ou não os princípios. Tenho muitos deles, e vou pular vários, porque eu só quero focar nos quais mencionei no início, o resto veremos na próxima semana.

Começamos no início com Mateus capítulo 12. A primeira coisa que vimos no livro que os Hunters escreveram, é que se você desprezar as línguas no moderno movimento carismático, você pode ser culpado da blasfêmia imperdoável do Espírito Santo. É isso que o texto está dizendo? Este texto está dizendo que se você tentar avaliar o movimento carismático biblicamente você terá cometido o pecado imperdoável? Está dizendo que se você atribuir alguma língua a Satanás está cometendo o pecado imperdoável? Vamos ver o que está dizendo.

Versículo 24 de Mateus 12, e aqui vamos tentar aplicar alguns dos princípios para mostrar a você. "Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam:” isso é, eles ouviram que Cristo tinha expulsado demônios no versículo 22, Cristo tinha expulsado estes demônios. " Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam: Este não expele demônios, senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios." Apenas outro termo para Satanás. "Ele expulsa demônios pelo poder de Satanás." Foi o que eles disseram.

Agora quero que veja uma coisa. A primeira coisa que precisamos fazer é trabalhar com o significado literal. O significado literal é: Ele expulsou demônios pelo príncipe dos demônios, Satanás. Ah, isso é simples. Então, nós temos que olhar para a história. O que está acontecendo historicamente aqui? Vamos tomar esse princípio histórico e fazer uma pequena aplicação dele. Em primeiro lugar, o que descobrimos é que Jesus estava na região por três anos. E durante todos esses três anos ele explicitamente e repetidamente, centenas de vezes, tornou evidente e sem refutação, que Ele é Deus. Milagre após milagre após milagre, por que?, porque eles são incontáveis. Quer dizer, há tantos, que no final do evangelho de João ele diz, “Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos.” E assim, não há maneira sequer de começar a descrever o modo como esses fariseus viram Jesus provar que Ele era Deus. Novamente e novamente e novamente e novamente. E outra maneira foi pelo poder sobre Satanás.

Mas, enquanto eles deveriam estar aqui dizendo que Ele é Deus, eles estavam dizendo em 180 graus, que ele está fazendo isso pelo poder de Satanás. Observe, eles tinham concluído o oposto. Você vê? O oposto. Não parcialmente, mas o oposto. Eles não disseram, oh Ele é um sujeito muito bom, quem sabe? Não. Ele é do diabo, o oposto. Então concluíram que Cristo fez o que Ele fez sob o poder satânico.

Agora se quisermos usar o princípio da síntese, descobriremos, simplesmente olhando para o batismo de Jesus Cristo, que Jesus fez o que Ele fez pelo poder do Espírito Santo, você lembra? O Espírito Santo desceu sobre Cristo. Até aquele momento Ele nunca havia feito um milagre. Você sabia disso? Ah sim. João 2, depois de Seu batismo, Jesus foi para Caná e transformou água em vinho, e o texto diz "Este foi o início dos milagres de Jesus." Ele nunca fez um antes disso. Apesar do que as pessoas têm dito através dos tempos, que Jesus foi por aí reparando pequenas asas quebradas de pássaros quando Ele ainda era criança, não é verdade. Ele pode ter consertado algumas asas, mas Ele teve que usar uma pomada. Foi assim, até Seu ministério começasse, até que o Pai o autenticasse, até que o Espírito viesse e Ele desse início a Seus milagres. E a partir de então Ele começou a provar quem Ele era. Mas foi pelo poder do Espírito de alguma forma maravilhosa, o Filho conectado com o Espírito, conectado com o Pai, fez tudo isto em conjunto. E assim, o Filho atribui Seu ministério ao Espírito.

Por que o Espírito veio sobre Ele, Isaías disse, que Ele pregaria e faria maravilhas. E assim o Espírito. Então, Ele fez o que fez não por Satanás, mas por quem? Pelo Espírito Santo. Mas em vez de concluirem que era pelo Espírito Santo, eles concluíram exatamente o oposto. Bom, Jesus responde a eles. Agora, você vê como a história e a analogia da Escritura vem a fazer sentido? Vamos para o versículo 25. "Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expele a Satanás, dividido está contra si mesmo; como, pois, subsistirá o seu reino?” Pode parar por aí. Essa é a resposta mais idiota que já ouvi. O que você acha que Satanás está fazendo para si mesmo? Ele está destruindo seu próprio reino. Veja, o ponto é: o ódio deles por Cristo tinha total controle sobre sua lógica. Então o que era racional tinha desaparecido. Mas, Jesus diz que isso é ridículo.

Agora pule para o versículo 31. "Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada". O que isso quer dizer? Ele está dizendo que se dissermos uma palavra contra o movimento carismático blasfemamos? Não? Você tem que entender o contexto. Você tem que conhecer a história. “Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens”. O homem não regenerado pode ser perdoado de qualquer coisa. Mas, a contínua blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Mais cedo ou mais tarde para ser perdoado, ouça isso. Mais cedo ou mais tarde, para ser perdoado, toda pessoa terá de parar de blasfemar contra o Espírito Santo, certo? Porque é o Espírito Santo, João 16, que convence do pecado, da justiça e do juízo. Você deve nascer do Espírito. O Espírito Santo é a agência regeneradora da Trindade. E em algum momento o homem tem que parar de blasfemar o Espírito para ser salvo. Você percebe?

Então se uma pessoa continuar a blasfemar contra o Espírito Santo, nunca será um cristão. O perdão não pode vir a alguém dessa forma. Mas, há mais do que isso aqui. Isso é apenas uma possível interpretação. Deixe-me mostrar o versículo 32. “Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á isso perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir”. Observe, você poderia proferir uma palavra contra o Filho do homem. O Filho do homem é o nome humano de Jesus, certo? Qual era o Seu nome divino? Filho de Deus. Seu nome humano Filho do homem. Você pode dizer algumas coisas desagradáveis ​​sobre Sua humanidade. Você pode ter algumas perguntas sobre a maneira como Ele olhava, ou a maneira como Ele agia ou Seu maneirismo ou algo parecido. Você pode querer dizer algo sobre Sua humanidade. Mas se você atribuir Suas obras que são feitas pelo Espírito Santo, a Satanás, não há nenhuma maneira pela qual você será salvo. Você percebe o ponto crucial? Isso é tudo o que Ele está dizendo. Se, quando tiver todas as evidências, todas as informações, e toda a revelação sobre Cristo, milagre após milagre e Maravilha após Maravilha, e esses fariseus depois de tudo isso chegaram a conclusão que as obras eram satânicas. Você está perdido.

Você está sem esperança, porque, você teve o ápice da revelação. Isso é tanta revelação quanto Deus poderia dar. O que mais poderia fazer do que enviar Jesus para o mundo como Deus? O que mais poderia fazer do que deixá-lo três anos? O que mais Ele poderia fazer realizando milagre após de milagre; Ensino após ensino. E se a sua conclusão for que Ele é satânico, e Ele fez tudo isso pelo o Espírito Santo, você então nega Espírito Santo. Você atribuí a Satanás. Você está perdido. Isso é o que Ele está dizendo. Agora, o ponto aqui não tem nada a ver com línguas, com o movimento carismático, nem o que dizem hoje sobre esse assunto, tentar avaliá-lo biblicamente. Isso é totalmente estranho à coisa toda.

Gostaria de acrescentar uma nota de rodapé. O fim do versículo 32. "não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir." Em qual período isso estava sendo ensinado? Quando Jesus falou sobre essas coisas, que ano era? A igreja não havia sido instituída ainda. Quando a igreja começou? No pentecostes, em Atos 2. Esta é a era em que Jesus estava na terra, certo? Neste período de tempo. Então isto é um pecado para aquele período de tempo, quando Cristo estava na terra, quando Ele fazia sinais, maravilhas e milagres. Esse é o auge. "Nem neste mundo e nem no povir." Agora para cada judeu qual era a era futura? O reino, o grande reino. O judeu não entendia sobre a igreja. O judeu não tinha nenhum conceito do mistério da igreja, então o judeu está olhando para o reino, o futuro. E ouça, durante o reino, quem reina sobre a terra? Cristo. Ele está de volta. Veja, esse pecado só poderia ser cometido durante o tempo que Cristo estivesse na terra. Ele está na terra apenas em duas ocasiões: uma vez durante os evangelhos, uma vez durante os reinos. Esta era e a era porvir.

Agora, veja, o último princípio que acabamos de aplicar é a gramática. Estudamos o que isso significava. Nós a analisamos em termos de outros trechos das Escrituras que falam sobre a era vindoura, como Hebreus 6, poderes da era vindoura, e sabemos que isso significa o reino. Então, ao reunir os princípios interpretativos, descobrimos que este é um pecado que só poderia ser cometido enquanto Jesus estivesse aqui. Só poderia ser cometido então no reino. É irrelevante para nós hoje. Mas eu acrescentaria, você diz "John e quanto à aplicação? O que nos diz isso? "Isso nos diz muito, que mesmo hoje se alguém rejeita Jesus Cristo e rejeita a vocação do Espírito Santo, ele nunca será perdoado, certo? Isso é apenas uma verdade geral. Se você interpretar corretamente, não poderá usar esse versículo para defender o fato que as línguas estão corretas, e que negar línguas é negar o Espírito Santo.

O outro versículo que eles usam está em Hebreus 13:8. Rapidamente temos que olhar para ele. Hebreus 13:8: "Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre". E eles dizem que tudo o que Ele fez, Ele está fazendo agora, e Ele não pode mudar, nada muda e tudo continua. A revelação continua, e as línguas continuam, e as curas continuam, e os milagres continuam e por aí vai. E tem que ser, e eles dizem que negar isso, é negar Seu caráter. Veja, isso não faz sentido. Diz, em primeiro lugar, que Jesus Cristo é o mesmo ontem. E está falando sobre ontem. Bom, ouça Ele era, Ele era o Cristo que viveu em um corpo humano na Galileia durante o Antigo Testamento? Não, Ele é o anjo do Senhor. Bem, o que era Ele mesmo antes do Antigo Testamento? Ele era a segunda pessoa da Trindade no céu.

Bom, e sobre ontem? E sobre amanhã? Ouçam, quando Ele veio à terra pela primeira vez, Ele veio em humilhação. Quando Ele vier pela segunda vez, não será o mesmo. Será em glória. Ele veio como um servo sofredor da primeira vez. Ele virá como um rei exaltado da segunda vez. Perceba aqui. ele não está falando sobre as circunstâncias; está falando de Seu caráter eterno, que é imutável. Agora, como Ele manifesta isso é diferente. Nós não fazemos mais sacrifícios. Nós não matamos animais, como era o costume. E se eles dizem que todos os dons têm que continuar, porque Jesus é o mesmo ontem, hoje, e sempre, então como as línguas, a profecia, e o conhecimento tudo vai cessar se Ele for o mesmo para sempre? E isso é o que está dizendo. Veja, simplesmente não é assim. Você deve separar corretamente a palavra.

De volta a Marcos 16, por alguns instantes. Marcos 16. Em primeiro lugar, eu não quero entrar em um grande debate sobre isso, mas há vários argumentos textuais se Marcos 16 está dentro ou fora canon. Em todos os manuscritos antigos confiáveis ​​que temos, sem exceções, os versículos 9 a 20 não aparecem. Eles não aparecem até o século V depois de Cristo. Sinaiticus e Vaticanus são os dois mais importantes manuscritos antigos e nenhum deles tem isso. E há quantidades de manuscritos gregos, literalmente temos centenas. Antes do século V em nenhum deles há isso. Portanto, há alguma decisão sobre o fato de que é provável que um escriba do século V, tenha acrescentado algo, por algum motivo, os versículos 9 a 20. E, aliás, há também em algum lugar entre oito, e uma dúzia de palavras, que são usadas nesse final que Marcos, que nunca foram usadas em outro lugar, que são totalmente estranhas ao seu vocabulário. Assim pode ser que isso foi adicionado. Mas vamos supor, porque realmente não temos provas positivas e não queremos colocar nada de lado que não deveria ser. Vamos supor que esses textos pertençam a Marcos, então vamos ver o que eles diriam sobre isso. Certo? Versículo 15 ele lhes disse "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura." Certo. Temos isso nos outros evangelhos, e é onde sempre termina nos outros evangelhos. Não temos mais nada, mas em Marcos temos outra coisa. "E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas, pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.”

Agora para as pessoas que estão falando sobre o assunto. Observem. Cinco coisas maravilhosas, e espantosas: expulsar demônios, falar em línguas, manejar cobras, beber veneno, impor as mãos e curar os doentes. Agora, os carismáticos dizem "Você vê? Isto é para acompanhar os que crêem". Sua interpretação é para os que crêem, significa todos os cristãos, para sempre de todas as épocas, porque Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Então isso é verdade. Minha primeira pergunta: número um, todos os cristãos durante todo o tempo expulsam demônios? Todos falam em línguas? Será que todos pegam cobras, e bebem veneno, e não se machucam? E eles podem impor as mãos sobre os doentes a qualquer momento e todos eles se recuperam? Perceba, isso é o principal novamente. Admitir todas essas coisas, não justifica.

Você sabe, mas é triste dizer, que há um monte de pessoas carismáticas que têm doenças. Muitas pessoas carismáticas que têm em suas famílias, pessoas que estão morrendo de câncer. Eles não conseguem fazer esse versículo funcionar. Tem havido cristãos através dos séculos que morreram de veneno e mordida de cobra. E você sabe o que eles dizem, mas o problema é que isso é o que os Hunters dizem, o problema é: você tem que ceder e você tem que se comprometer com o senhorio de Cristo, e se curvar diante dEle em submissão, e pedir essas coisas. Quer saber de uma coisa? Onde diz isso? Onde tenho base para isso?, Diz, e estes sinais seguirão os que creem, boom boom boom boom. Quais são as condições? Quais são as condições? Aqueles que o quê? Creem, é isso. Essa é a única condição. Não diz para ceder, submeter-se, buscar, pedir e implorar por esses sinais. Não diz nada sobre isso.

Aí você pergunta, se não é verdade para toda a igreja, então o que isso significa? Bom, era verdade para um grupo de pessoas. Sabe quem? A comunidade apostólica. Para eles era verdade. Eles faziam essas coisas. A única coisa que não sabemos com certeza, é se tomaram veneno mortal. Temos incidente disso, talvez isso aconteceu. Mas certamente não aconteceu depois da era apostólica, e não há uma normativa hoje; não há muito tempo algumas pessoas no Oriente pensavam que ainda podiam lidar com cobras, e elas estão mortas.

Mas você vê, se você aplica isso aos apóstolos, certificamos de isso realmente aconteceu. Eles expulsaram demônios. Eles falaram novas línguas. Eles fizeram. Paulo, vocês recordam, foi mordido, e jogou serpentes ao fogo. Estas coisas podem ser sustentadas em algum sentido na comunidade apostólica, mas não em toda a história da igreja. E é ridículo fazer as pessoas pensarem que podem, porque é uma coisa frustrante, perceber que tendo alguém doente na sua família, ela não poderá ficar bem, pela razão de você não ser espiritual o suficiente para reivindicar o que você tem. Isso é um engano.

E uma última passagem bíblica, eu lhes disse que primeiro eles usaram 1 Pedro 2:24 e eu quero mencioná-lo. Eles dizem que 1 Pedro 2:24 significa que somos curados na redenção, porque no final diz, " Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados." eles dizem você vê, há cura na redenção.

Agora amado, há apenas um teste simples aqui. Podemos dar-lhe muitos, mas vamos olhar apenas para um deles para começar. O que significa ser curado neste versículo? Ele está falando de cura física? Não, espiritual. Onde você vê a cura física em qualquer lugar aqui? Não há lugar aquiVocê não encontra. Quando Ele morreu na cruz, Ele suportou o quê? Pecados em seu próprio corpo. A fim de que vivamos para a justiça, não para a saúde. Quer saber de uma coisa? Nossas almas foram redimidas, nossos corpos não. Romanos 8:23 diz "aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo" não é mesmo? E o meu está gemendo o tempo todo, mais do que nunca. Sim nossos corpos não são redimidos. Você vê, Isaías 53:5 é onde diz: pelas suas pisaduras fomos curados, mas isso não é o que Isaías estava falando. Ele estava falando sobre a cura que Israel precisava. E se você ler Isaías 1 fica mais claro. Novamente, você volta ao princípio da síntese. Isaías 1 diz: "Você está doente com o pecado." Há podridão. Năo há firmeza em seus ossos. Você está contaminado com o pecado. E então no versículo 53 volta a dizer, "Mas por Suas pisaduras você será curado." É a cura do pecado que ele está falando. Não do físico.

E quando diz que ele suportou nossas enfermidades está falando sobre as enfermidades de nossas almas. Em Mateus 18 alude ao fato de que, em certo sentido, ele levou a cabo a doença. E o que significa é que é pela compaixão do Seu coração. E isso está esclarecido em Hebreus 4:15 onde diz: Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas. Ele não recebe nossas doenças. Ele é solidário com a dor que temos.

E você notará outra coisa em 1 Pedro 2:24. Veja. "Por suas chagas" o quê? "Fomos curados." Está no pretérito, no passado, apontando de volta para cruz. Foi lá na cruz que fomos curados, e isso deve significar salvação. Não diz por cujas chagas você estará continuamente sendo curado. E aqui você chega até a gramática e o princípio verbal. Tome estes princípios e aplique e perceba precisamente que não suportam algumas das reivindicações.

Bem, vamos orar. Pai, acabamos de percorrer algumas coisas nesta manhã, que são muito importantes. Não tanto em lidar com o movimento carismático em específico, mas em lidar com a forma de tratar a Tua Escritura - Tua Palavra - e tornar-nos alunos fiéis, Pai, em nome de Jesus. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize