Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Nós temos o privilégio de iniciar nesta sessão um estudo a respeito do crescimento espiritual da forma que ele é apresentado na Palavra de Deus. Honestamente, eu não acredito que exista algo mais importante para o crente do que crescer espiritualmente. Deixe-me compartilhar com vocês, para começar, dois textos das Escrituras muito importantes para nos ajudar a enxergar isso nesta perspectiva. Em 2 Pedro 3:18 – este é o último versículo da Segunda Epístola de Pedro – ele diz, “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. O resumo do que Pedro tem dito nesta grandiosa epístola é que nós crescemos em graça. Volte para o início da sua primeira epístola, no capítulo 2, versículo 2, ele diz, “como crianças recém-nascidas, desejai o genuíno leite da Palavra, para que vos seja dado crescimento”.

Agora, Pedro, neste sentido, começa e termina as suas epístolas bem práticas com uma injunção para que nós cresçamos. O crescimento espiritual é básico para a vida do crente assim como o crescimento físico é básico para a vida de uma pessoa física. Deus nos manda crescer. Não existe nada mais trágico do que um crente estagnado; do que um cristão que passou um longo tempo de sua experiência espiritual sem alcançar a maturidade. Todos nós já vimos crianças que são retardadas de alguma forma em seu crescimento e desenvolvimento. É muito trágico quando vemos alguém que vive um longo tempo sem crescer fisicamente, mentalmente, emocionalmente ou socialmente.

Porém, de uma forma muito mais séria, nós passamos por pessoas que já declararam o nome de Cristo por muitos anos, mas que nunca cresceram espiritualmente. Por isso, neste nosso estudo juntos, nesta sessão, vamos examinar este assunto do crescimento espiritual, ou “Como você cresce na graça?”, o que significa ser um crente maduro.

Agora, desde o início, deixe-me compartilhar com vocês alguns conceitos que nos ajudarão a começar. Primeiro, o crescimento espiritual não tem nada a ver com a nossa posição em Cristo. O que eu quero dizer é que, você não cresce se torna um cristão num crescente. Tornar-se um cristão é um milagre instantâneo. O novo nascimento é algo repentino que acontece na sua vida quando você é inserido, por Deus, no corpo de Cristo, naquele momento de fé Nele. Não é um processo. É um milagre incrível que acontece em um dado momento. Agora, pode haver um processo em se exposto ao evangelho, mas o verdadeiro momento da salvação é um momento miraculoso, quando você passa da morte para a vida, do reino das trevas para o reino do Seu amado Filho, de acordo com o apóstolo Paulo.

Portanto, o crescimento espiritual não é uma questão do seu posicionamento em Cristo. Você é inserido em Cristo no momento da sua fé. Paulo diz em Coríntios que, naquele momento, “se qualquer homem está em Cristo, ele é nova criatura”. Paulo diz aos Colossenses no capítulo 2, versículo 10, que “nele, estais aperfeiçoados”, falando do posicionamento deles. Pedro também diz que quando você se torna um crente, você tem “todas as coisas que conduzem à vida e à piedade”, 2 Pedro 1:3.

Portanto, quando você se torna um crente, você é colocado em Cristo, Cristo habita em você, você recebe todas as bênçãos espirituais nos céus, você tem todas as coisas que conduzem à vida e à piedade e você está completo Nele. Posicionalmente, tudo está resolvido. Portanto, o crescimento spiritual não é uma questão do seu posicionamento em Cristo.

Em segundo lugar, o crescimento espiritual não é uma questão do favor de Deus ou do amor de Deus. Às vezes você ouvirá um pai dizer, “Bom, se você fizer isso, eu vou te amar”. Deus nunca diria isso. Deus nos ama não importa o que nós façamos. De acordo com Romanos, capítulo 5, Deus nos amou quando éramos pecadores, quando éramos seus inimigos, quando estávamos alienados Dele, antes de nos achegarmos a Cristo. Quando você se torna um crente, Deus continua te amando infinitamente, pois não existe tamanho, grau, ou crescimento do amor de Deus. Deus ama todas as pessoas de forma completa e igual, até mesmo os não salvos, por incrível que pareça. Portanto, quando você se torna um crente, Deus ama você completamente como alguém da Sua família. Não é uma questão de receber mais amor de Deus. Você não cresce em favor com Deus. Isso é algo momentâneo que acontece no momento da salvação.

Em terceiro lugar, o crescimento espiritual não tem nada a ver com o tempo. Nós dissemos, antes de tudo, que isso não tem nada a ver com o seu posicionamento em Cristo; em segundo lugar, que isso não é uma questão de ser amado por Deus; em terceiro lugar, isso não é uma questão de tempo. Existem pessoas que foram salvas há muito tempo atrás e que cresceram muito pouco. Existem pessoas que foram salvas a pouco tempo atrás e que cresceram muito. Agora, com certeza, o tempo deveria ser um fator quando falamos de crescimento pois, se nós continuarmos crescendo por um longo período de tempo, nós nos tornaremos mais maduros do que aquele que teve pouco tempo. Porém, o que faz a diferença não é o tempo propriamente dito, mas o compromisso aos princípios do crescimento. Nós não medimos a maturidade espiritual pelo calendário.

Em quarto lugar, o crescimento espiritual não é uma questão apenas de conhecimento. Eu penso que as vezes nós igualamos a maturidade espiritual com o que nós sabemos, mas esta não é a chave para isso porque o conhecimento por si só não é a questão. É o que você faz com o que você sabe. Na verdade, a Bíblia diz que o conhecimento tem a tendência de nos fazer inchar. O orgulho é um estado. Quando um crente fica neste estado, o crescimento espiritual é automaticamente retardado. Ter o conhecimento dos fatos não pode ser igualado com a maturidade espiritual. Somente quando os fatores nos conformam com a imagem de Deus é que o nosso conhecimento está relacionado ao nosso crescimento.

Uma outra coisa para considerar é que o crescimento espiritual não tem nada a ver com atividade. Algumas pessoas acham que se eles forem para a igreja e forem bem ativos na igreja, bem engajados, estando na diretoria, num comitê, cantando no coral ou seja lá o que for, que em algum momento eles saberão que eles cresceram espiritualmente. Isso porque eles estiveram na igreja por muito tempo, fazendo com que a crescimento aconteça por osmose. Se você é ocupado o suficiente, você deve ser espiritual.

Veja, ninguém era mais ocupado com a religião do que os fariseus, e ninguém estava mais longe da verdade do que eles. Em Mateus 7, Jesus disse, “Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Nós fizemos muitas obras maravilhosas. Então, eu direi a eles: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim”. Preste atenção. Manter-se ocupado não qualifica você para ser salvo; muito menos para o crescimento espiritual.

Agora, um último ponto introdutório. O crescimento espiritual não tem nada a ver com a prosperidade. Tem sido interessante para mim descobrir quanta gente iguala a sua situação econômica com o favor de Deus. Se elas têm muito, elas pensam que Deus as tem abençoado por serem ótimos crentes. Bom, Deus pode ter lhe abençoado, mas isso não é nenhuma indicação de que você está espiritualmente maduro. Portanto, não iguale as suas circunstâncias positivas com o selo de aprovação de Deus a respeito da sua maturidade espiritual.

Agora, se o crescimento espiritual não é nada disso, não é uma questão do seu posicionamento em Cristo, do amor de Deus por você, de tempo, de conhecimento, de atividade e nem de prosperidade, então o que é o crescimento espiritual? Deixe-me dar a vocês uma definição bem simples para expandirmos ao longo do nosso estudo.

O crescimento espiritual não é uma coisa psicológica, devocional, sentimental nem mística. Ele não é o resultado de algum segredo ou fórmula especial que pode ser facilmente aplicada na vida para garantir o futuro. O crescimento espiritual pode ser resumido nesta simples afirmação. Ele é a harmonia entre a minha prática e o meu posicionamento. O meu posicionamento em Cristo é perfeito. Eu estou completo nele. Eu tenho todas as coisas relacionadas a vida e a piedade. Eu tenho sido abençoado com todas as bênçãos espirituais nos céus. Agora, o que eu quero fazer é progredir em minha vida prática para que ela esteja no mesmo patamar de minha posição.

Eu me lembro quando eu ouvi o Bobby Richardson certa vez dizer que quando ele vestiu o uniforme do time de baseball Yankee, ele jogou 50% melhor do que ele já tinha jogado antes em sua vida. Havia algo a respeito de ser um Yankee que fez ele dar o melhor dele. Eu me lembro de treinadores de futebol americano me dizendo, “MacArthur, uma coisa que nós queremos que você faça é jogar na sua posição. Não saia da sua posição”. A mesma coisa é verdade em um sentido espiritual. Você tem uma definição de quem você é em virtude de Cristo habitar em você. O que Deus está dizendo é para você viver de acordo com esse padrão. Se torne na prática o que você é no seu posicionamento.

Agora, de forma bem simples, eu quero que você entenda este princípio. Existe uma chave mestra para você realmente entender e experimentar o crescimento espiritual. Existe uma chave mestra que destrava tudo isso. Ela foi apresentada a nós discretamente em 2 Pedro 3:18. O texto diz, “crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Depois ele diz, “A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno. Amém”.

Agora, o que eu achei interessante é que crescer na graça é igualado a dar glória a Deus. Isso é algo muito importante de ser compreendido. Eu quero que você entenda isso. Toda esta ideia de crescer na graça está relacionada a glorificar a Deus. Francamente, se vocês entenderem isso, pessoal, vocês já estarão caminhando muito bem para entender o processo de maturidade. A chave mestra para todo crescimento espiritual é entender o que significa glorificar a Deus. Esta é a chave.

Agora, deixe-me mostrar isso, um breve panorama da história neste nosso momento. Primeiro, lembre-se de que o maior tema de todo o universo é a glória de Deus. Glorificar a Deus é o locus crucis, é o sine qua non, é o hierpunkt, se você quiser aprender um pouco de alemão. É o ponto mais alto. É o ápice da revelação de Deus. O conceito de glorificar a Deus é a razão pela qual nós existimos.

O velho catecismo, o catecismo puritano do século 17 diz, “Qual é o fim supremo do homem? O fim supremo do homem é glorificar a Deus e gozá-lo eternamente”. É isso mesmo. Na verdade, este não é o fim supremo apenas do homem, este é o fim supremo de tudo. Leve em consideração o macrocosmo, o universo. O Salmo 19 diz, “Os céus declaram a glória de Deus”. Portanto, o vasto espaço está ali para glorificar a Deus.

Se você for para Isaías 43:20, você ouvirá Isaías dizer, “Os animais do campo me glorificarão” ou “me trarão honra”. Por isso, você tem o macrocosmo, todo o universo glorificando a Deus, enquanto você tem um simples animal do campo glorificando a Deus. Por isso, todo o universo criado – minerais também – as bestas, os animais e qualquer outra coisa, foram feitos para lhe render glória. Em Lucas, capítulo 2, você tem os anjos que aparecem no nascimento de Cristo, e o que eles dizem? “Glória a Deus nas alturas”. Portanto, todo o universo criado está ali para glorificar a Deus.

Na verdade, quando tudo é resolvido na história, você olha para o livro de Apocalipse, o grande resumo de toda a história é feito, Deus redime o seu povo, estando prestes a estabelecer o seu eterno e glorioso reino. Ali nós temos uma grande canção, e a canção é, “Glória a Deus, glória ao cordeiro”, porque foi para este fim que tudo foi feito.

Davi acertou no Salmo 16:8 quando ele disse, “O Senhor, tenho-o sempre à minha presença. Portanto, o meu coração exulta”. Em outras palavras, em tudo o que eu faço, eu foco em dar glórias a Deus e Ele me torna alegre.

Esta é a troca que Deus deseja dar ao homem. Você me glorifica e eu te dou alegria. “Tenho-o sempre à minha presença. Alegra-se, pois, o meu coração”. Esta é a razão pela qual existimos. É por isso que a Bíblia diz repetidas vezes, “Dêem glórias a Deus”. É por isso que Crônicas, no capítulo 16, diz várias vezes, “dê glórias a Deus, dê glórias a Deus”. Os Salmos, “dê glórias a Deus, dê glórias a Deus”. Os anjos quando Jesus nasceu, “dê glórias a Deus”. “Quer façais qualquer coisa, façam tudo para a glória de Deus”. Efésios 3, “Para que ele seja glorificado na igreja”. O livro do Apocalipse, “glória ao Cordeiro, glória a Deus”. E aqui novamente você tem a benção, “A ele a glória agora e para sempre. Amém”. Este é o impulso constante das Escrituras.

1 Timóteo 1:17, “Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único” – e aqui temos – “honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém”. Novamente o mesmo impulso. A razão última para existir é para glorificar a Deus.

Agora preste atenção. Quando nós vivemos para a glória de Deus, nós nos colocamos no processo de maturidade espiritual. Conforme nós glorificamos a Deus, começamos a crescer. Agora, deixe-me mostrar isso para vocês olhando para o texto de 2 Coríntios 3:18, um grande texto no Novo Testamento, 2 Coríntios 3:18. Preste atenção nisso. “E todos nós” – falando, é claro, dos crentes – “com o rosto desvendado” – isto é, com o véu que estava sobre os crentes na velha economia; o véu que a lei tinha ali; o véu que o Novo Testamento remove por sua incrível revelação – “com o rosto desvendado” – não estando mais escondido de nós. Nós não precisamos mais buscar como os profetas buscaram para entender o que eles escreveram. O véu foi retirado.

“Contemplando como por espelho”. Em outras palavras, nós focamos em um espelho claro, e o que nós vemos? Nós vemos “a glória do Senhor”. Agora, preste atenção nisso. Conforme nós, “com o rosto desvendado" - e o véu foi removido no Novo Testamento – e conforme nós entendemos o Novo Testamento e suas grandes verdades, nós focamos na “glória do Senhor”. E então o que acontece? “Nós somos transformados na sua própria imagem de “um nível de glória” para “o próximo nível de glória, como pelo Senhor, o Espírito”.

Agora, veja o seguinte. O poder por trás do crescimento espiritual é o Espírito Santo. É o Espírito que energiza este crescimento. É o Espírito que dá vida, e a vida é crescimento. Portanto, conforme o Espírito insere em nossas vidas o seu poder, Ele nos levará a crescer à imagem de Cristo, de um nível de glória para o próximo nível de glória. Porém, a condição é que isso aconteça conforme nós contemplamos a glória do Senhor. Agora preste atenção. Resumindo, quando você e eu focamos na glória de Deus, o Espírito de Deus energiza o processo do crescimento espiritual.

O ponto é esse. A fim de crescer espiritualmente, você precisa focar na glória de Deus. Não se preocupe com o que o Espírito Santo faz. Algumas pessoas ficam muito preocupadas com o Espírito Santo. Com isso, elas acabam não focando no que devem fazer, ficando introspectivas e analíticas. Foque na glória do Senhor. Esta é a ignição. Esta é a razão última da vida. E esta é a chave, a chave mestra para o crescimento espiritual.

Agora, para lhe mostrar como isso é importante, eu quero mostrar a você que a grande condenação do homem na história acontece porque ele não dá glória a Deus. Veja Romanos 1:21. Romanos 1:21. Você lembrará que o apóstolo Paulo está acusando a raça humana pelo seu desvio da verdade. Em Romanos 1:21 ele diz, “Aqui está o problema básico do homem”. “Porquanto, tendo conhecimento de Deus”. Agora, espere um pouco.

O que você quer dizer com “tendo conhecimento de Deus”? Você quer dizer que toda a civilização e todos os homens conheciam a Deus? Sim, eles conheciam. O versículo 19 diz, “porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles”. Por suas próprias consciências, eles conheciam a Deus. Versículo 20, “porque os atributos invisíveis de Deus, desde o princípio do mundo, claramente se reconhecem”. Eles conheciam a Deus desde a criação. Portanto, o homem tinha um conhecimento interno de Deus e um conhecimento externo. Mas, “tendo conhecimento de Deus” – neste sentido – “não o glorificaram como Deus”. Aqui está a acusação básica da raça humana. Eles falharam em dar glórias a Deus. Ao invés disso, versículo 23, “mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis”. Em outras palavras, eles inventaram sistemas humanos de religião idólatras.

Portanto, o homem – e eu quero que você preste atenção nisso – o homem abandonou o conceito da glória de Deus. Ele abandonou isso. Quando ele fez isso, ele se removeu da vida espiritual e do crescimento espiritual. Por isso, a história do homem é uma história de queda, não é? É uma história que cai. É uma degradação. Ele não pode subir, ele não pode crescer porque ele se recusa a glorificar a Deus, sendo que glorificar a Deus é o ímpeto no crescimento espiritual.

Agora, deixe-me falar um pouco da história da Bíblia brevemente. Alguém disse certa vez, “Se você colocar isso em sua cabeça, você conseguirá resumir isso”. Então, eu quero que você perceba que ao longo da história, Deus se esforçou para fazer apenas uma coisa, uma coisa. Ao longo da história humana, Deus trabalhou para que o homem visse a sua gloria, para reverter a queda, se for melhor; para mudar a realidade de Romanos 1; para que o homem não desse as costas para a glória de Deus, mas para que ele caminhasse em sua direção. Portanto, ao longo da história bíblica, Deus deseja que o homem veja a sua glória.

Deixe-me mostrar isso de uma forma muito simples. Você não precisa abrir nestas passagens porque nós passaremos por elas bem rápido. Em Gênesis, capítulo 3, você se lembrará disso. O versículo 8 diz que Adão e Eva andaram e conversaram com Deus na viração do dia. A grande realidade do Jardim do Éden antes da queda era que Adão e Eva viviam na presença de Deus.

Agora, os Hebreus têm uma palavra para isso. Eles tinham uma palavra que significava “presença”, uma palavra que significava “habitar” ou “residir”. Esta palavra era “Shekinah”. Portanto, Adão e Eva viviam com o Shekinah de Deus, a glória Shekinah. Deus é Espírito, não é? João 4:24. Portanto, Deus não tinha um corpo no jardim. Como que Deus se manifestava? Bom, eu acredito que Deus se manifestada através de uma luz de glória brilhante, gloriosa, uma glória shekinah; uma luz quase incandescente e ao mesmo tempo brilhante. Eu acredito que Deus apareceu dessa forma porque é desse jeito que nós O vemos aparecendo em outros lugares das Escrituras.

Portanto, havia este brilho, esta representação da glória eterna e infinita de Deus que habitava no jardim com Adão e Eva, e eles tinham comunhão com Deus. Mas, imediatamente após eles pecarem, 3:24 diz que eles foram expulsos do jardim. Eles foram cortados da glória de Deus, cortados da glória Shekinah de Deus. Então, um anjo foi colocado na entrada do jardim com uma espada a fim de mantê-los fora de lá.

Este é o ponto. O homem caído não pode experimentar a glória de Deus. O homem caído não pode viver em Sua presença. O homem caído não pode dar glória a Deus e nem se identificar com Deus em sua glória. Portanto, eles foram expulsos; esta foi a tragédia da história humana.

Agora, preste atenção. A partir deste momento, Deus trabalhou para que os homens pudessem ver a sua glória. Ele continua fazendo isso hoje. Mas vamos ver como Ele fazia isso naquela época. Abra em Êxodo, capítulo 33. Eu quero que vocês abram neste texto. Êxodo, capítulo 33. Aqui estão os israelitas, sendo guiados por um grande homem, Moisés. Eles chegaram a um momento de crise em suas vidas, tendo saído do Egito, a caminho da terra prometida. Se existe alguma coisa que Deus deseja que eles acreditem e que Ele deseja que eles saibam, é que Ele é o Deus de grande glória. Ele quer que eles vejam a sua glória. Eles desejam que as coisas voltem, como era antes, antes da queda, trazendo novamente a sua presença para eles e ter o reconhecimento deles de quem Ele é.

Portanto, em Êxodo 33:12, Deus está se comunicando com Moisés. Deus diz para Moisés, “Moisés, guie o meu povo. Tome o meu povo. Seja o líder deles a partir deste momento”. Ele já tinha recebido esta comissão, porém, isso é uma reiteração. Moisés está com medo; ele está com medo de sua própria falta de habilidade. Portanto, ele diz no versículo 12, “Tu me dizes: Faze subir este povo, porém não me deste saber a quem hás de enviar comigo”. “Deus, você está me dando um grande trabalho e você nem me diz quem que vai me ajudar. Eu quero dizer que isso é algo bem pesado para apenas uma pessoa”. Alguns acreditam que havia cerca de 2 milhões de pessoas.

Agora, ele diz no versículo 13, “Agora, pois, se achei graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça”. Em outras palavras, “Deus, eu sei que você está aí e eu creio, mas me dê uma demonstração de que você estará comigo nesta difícil obra”. No versículo 14, Deus diz, “A minha presença”. “A minha presença”. Agora, pessoal, esta é a palavra que nós vimos em Gênesis. “A minha presença irá contigo”. O que você quer dizer com isso? O que é a tua presença? Bom, isso era claro para Moisés. No versículo 18, ele diz, “Rogo-te que me mostres a tua” – presença? Não – “glória”. A presença de Deus era a Sua glória manifesta. E Deus disse, “Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do Senhor; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer”.

Preste atenção em como Deus diz, “Tudo bem, você verá a minha bondade. Você verá o meu nome, que é a realidade de todos os meus atributos. Você verá a minha graça e você verá a minha misericórdia”. O que é a glória de Deus? A realidade de todos os seus atributos através de uma representação brilhante de luz. Agora, eu não compreendo todas estas coisas. Eu estou apenas lhe dizendo o que a Bíblia parece estar dizendo.

Deus reduziu os seus atributos a uma luz gloriosa, e Ele diz, “Moisés, Eu mostrarei isso para você”. Portanto, no resto deste pequeno trecho, ele coloca Moisés em uma fenda de uma pedra, versículo 22. “Quando passar a minha glória, eu te porei numa fenda da penha e com a mão te cobrirei, até que eu tenha passado, Depois, em tirando eu a mão, te me verás pelas costas; mas a minha face não se verá”. Veja bem, ninguém poderia ver toda a glória de Deus e viver, não é? Portanto, Deus diz, eu vou deixar você ver apenas um pouco do meu brilho, é só isso. Mas você verá a minha glória.

E ele viu. E você sabe o que aconteceu? A glória ficou no rosto dele; sobre ele todo. Ele ficou brilhando como uma lâmpada. Ele desceu da montanha até o povo de Israel e eles ficaram chocados. Aqui estava Moisés, brilhando, como uma lâmpada brilhante, com a glória de Deus em sua face.

E você quer saber de uma coisa? Deus estava usando Moisés para dizer, “Povo, povo de Israel, vocês verão a minha glória?” E exatamente aquele mesmo povo, você se lembra de quando eles foram para o deserto? Eles foram guiados durante o dia por uma grande nuvem branca e a noite eles foram guiados por uma coluna de fogo. Vocês sabem o que era aquilo? Aquilo não era nada mais do que a glória de Deus. Deus colocou a glória no rosto de Moisés, Deus colocou a glória no céu durante o dia e durante a noite, e o que Deus estava dizendo é “Vejam a minha glória, vejam a minha glória, a totalidade de quem eu sou, a totalidade dos meus atributos e uma luz brilhante”.

O triste disso tudo é que mesmo eles vendo a glória no rosto de Moisés, eles murmuraram, reclamaram e desobedeceram. Mesmo eles tendo visto a glória todos os dias e todas as noites conforme ela os guiava pelo deserto, eles eram tão descrentes e tão sem fé que toda aquela geração morreu no deserto. E Deus tinha dito, “Vejam a minha glória”, e o homem virou as costas novamente.

Veja Êxodo, capítulo 40, onde nós temos Deus depositando a sua glória no rosto dos homens. Você perceberá que no final do livro de Êxodo 40:34, o tabernáculo foi construído. Quando o tabernáculo foi construído ele diz, “a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo”.

Agora, preste atenção. O tabernáculo era o lugar de adoração, e as tribos de todos os lugares tinham um lugar ao redor do tabernáculo, ficando todas em círculo ao redor do tabernáculo, viradas para ele. No meio delas estava a glória de Deus, e todas as pessoas estavam focadas nisso. Eles viram quando o tabernáculo ficou completo e a glória de Deus desceu e a glória de Deus permaneceu ali enquanto eles acampavam naquele lugar. Quando a glória de Deus saiu e foi para o céu, ela se tornou aquela nuvem e aquela coluna que eles seguiram. Depois disso, quando Deus queria que eles parassem, a glória descia e ficava ali. Ali, novamente, quando a glória de Deus estava no acampamento, eles focavam na glória de Deus. Portanto, Deus revelou a sua glória no rosto de um homem, no céu e no meio do tabernáculo. Porém, em cada caso, eles murmuraram, desobedeceram, reclamaram e queixaram, não dando a Deus a glória que Ele merecia.

Finalmente, eles entraram na terra prometida e Deus disse, “eu quero que vocês construam um templo”. Veja comigo 1 Reis, capítulo 8, para ver o que aconteceu. O templo foi construído. O que aconteceu depois disso? Versículo 10, “Tendo os sacerdotes saído do santuário, uma nuvem encheu a Casa do Senhor, de tal sorte que os sacerdotes não puderam permanecer ali, para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do Senhor enchera a Casa do Senhor”.

Agora, preste atenção. Deus colocou a sua glória no rosto de um homem, Deus colocou a sua glória no céu, Deus colocou a sua glória em um tabernáculo e agora Deus coloca a sua glória em um templo; um edifício magnífico, sem igual no mundo, construído por Salomão. Então, novamente Deus diz ao povo da terra, “Vejam a minha glória. Foquem na minha glória. Vejam quem eu sou e prestem-me uma reverência e um louvor apropriado”.

Vocês sabem o que aconteceu? Pouco tempo depois você conhece o profeta Ezequiel. Olhem comigo Ezequiel, capítulo 8. Ezequiel tem uma visão do templo. O que ele vê? O que tem este lugar onde a glória de Deus habita? O que tem este lugar com a Arca da Aliança, e em cima a glória de Deus no santo dos santos? O que tem isso? Versículo 7, na visão, diz, “Ele me levou à porta do átrio; olhei, e eis que havia um buraco na parede. Então, me disse: Filho do homem, cava naquela parede. Cavei na parede, e eis que havia uma porta. Disse-me: Entra”. Agora, ele entrou no templo em sua visão. “E vi; eis toda forma de répteis e de animais abomináveis e de todos os ídolos da casa de Israel, pintados na parede em todo o redor”.

Você sabe o que aconteceu? Eles transformaram o templo de Deus em um lugar de idolatria. Eles fizeram exatamente o que Romanos 1 disse. Ao invés de adorarem a Deus e render-lhe glória, eles transformaram a glória de Deus em coisas rastejantes, e em animais, e em coisas corruptíveis e etc. E ele fala a respeito daqueles que usurpam o lugar dos sacerdotes no versículo 11. Ele fala a respeito da adoração ao Sol nesta passagem, versículo 16. Ele fala a respeito da adoração a Baal ou Tamuz no versículo 14. Em outras palavras, Ezequiel está dizendo que eles transformaram aquilo em um lugar de idolatria. E novamente, Deus disse, “Aqui está a minha glória; não no rosto de um homem, nem no céu e nem em um tabernáculo, mas em um templo”. Mesmo assim eles se recusaram a render glória. Se você continuar nesta sessão até o capítulo 10 onde você vai ver, “ichabod”, que significa, “a glória saiu”, escrito no templo. Você vê a glória de Deus por cima do templo, pelo portão, no céu, na montanha e depois ela desaparece. Deus diz, “se você não me der glória, eu removerei a oportunidade”.

Agora, você já sabe que Deus tem sido bem paciente. Ele revelou a sua glória no jardim, ele revelou a sua glória no deserto, ele revelou a sua glória na terra de Canaã. E todas as vezes, eles se recusaram, como nação, a render glória. Porém, ele não tinha terminado. Teve mais uma vez. Veja comigo em João 1:14. Este é um texto tremendo. João está escrevendo aqui a respeito de Jesus Cristo e eu quero que você veja como João enxerga Jesus Cristo. Em João 1:14 ele diz, “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” – preste atenção – “e vimos a sua glória” – que glória era essa? – “glória como do unigênito do Pai”.

Preste atenção. Você sabe quem Jesus era? Jesus era a glória de Deus em um corpo. Ele era o próprio Shekinah. Se você ler o capítulo 9 de Lucas, você verá que Jesus subiu em um monte, chamado o monte da transfiguração, transformou-Se, e o texto diz que “eles viram a sua glória”. Ele revelou para eles quem Ele realmente era. Em um último momento o nosso Deus gracioso disse à humanidade, “Aqui está a minha glória. Vocês me darão glória?”

Não em um jardim, nem na face de um homem, nem no céu, nem em um tabernáculo, nem em um edifício, mas a sua glória foi revelada em Jesus Cristo. E qual foi a resposta do mundo? “Nós não vamos permitir que esse homem reine sobre nós. Ele é o diabo, o príncipe dos demônios, Belzebu, crucifiquem-no”. E novamente, e tragicamente, eles deram as costas para a sua glória.

Porém, está vindo um dia próximo em que o homem não terá esta opção por que Jesus Cristo voltará. E Mateus 24:30 diz que ele voltará “com poder e muita glória”. E então não haverá nenhuma opção. Finalmente ele será glorificado. E neste momento, toda a criação cantará, “Glória ao Cordeiro, glória a Deus”. No fim de tudo, Ele terá a sua glória.

Agora, o que eu tentei mostrar para vocês é que no passado Deus trabalhou para que os homens enxergassem a sua glória. No futuro, Ele demonstrará a sua glória de tal forma que os homens não terão nenhuma outra opção. Mas, e o presente? E o presente? Qual é o significado da glória de Deus agora? É a respeito disso que nós queremos conversar. Em Efésios 3, como eu citei antes, deixe-me lembra-lo dos versículos 19 ao 21. Ele diz, “Eu desejo que sejais tomados de toda a plenitude de Deus. Eu desejo que vocês façam abundantemente muito mais do que vocês possam pedir ou pensar”. Por que? “a ele seja a glória, na igreja”.

Agora, preste atenção nisso. No Antigo Testamento, a glória estava em um templo, em um tabernáculo, no rosto de um homem, no céu e em um jardim. No futuro, a glória de Deus será demonstrada na vinda de Cristo. Mas agora, a glória de Deus, se ela está sendo demonstrada, ela está sendo demonstrada na igreja. É por isso que Paulo diz em Colossenses, “Cristo em vós, a esperança da glória”. É por isso que Paulo diz aos Corintos em 2 Coríntios 4:6, “Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração” – preste atenção agora – “para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo”. Se a glória de Deus na face de Cristo é para ser vista, então é para ela brilhar através de nós.

Portanto, o maior chamado de um crente é para glorificar a Deus. O maior chamado de um crente é o que Paulo diz a Tito, “a fim de adornar a doutrina de Deus”. O maior chamado que nós podemos ter é deixar que a glória de Cristo brilhe através de nós, de acordo com 2 Coríntios 4:6. Portanto, nesta presente era, Deus nos chamou para manifestar a sua glória. Se é para o mundo vê-la, Cristo em nós é a esperança de que a glória se tornará visível aos homens sendo a chave para o nosso próprio crescimento espiritual.

Eu gostaria de enfatizar mais um ponto que é o seguinte. Isso é tão importante para Deus que não existe nada mais importante do que isso. Isso é algo absolutamente essencial. Em Isaías 48:11, ele diz, “A minha glória, não a dou a outrem”. Eu manterei a minha glória para mim, porque este é o motivo pelo qual tudo existe; para me render glória.

Agora, se uma pessoa não rende glória a Deus, ele vai contra a própria intensão do universo, batendo de frente contra Deus, algo muito sério. Deixe-me mostrar o que eu quero dizer com isso. Jeremias, capítulo 13. Nós estamos apenas introduzindo o conceito antes de entrar nas questões práticas do crescimento espiritual. Porém, em Jeremias 13:11, nós temos um texto muito interessante. Jeremias aqui está dramatizando algo para afirmar algo a respeito da glória de Deus. No final do versículo 11 ele fala a respeito da glória de Deus. Jeremias está muito preocupado com a glória de Deus. Por isso, no versículo 15 – e nós veremos apenas dois versículos – ele diz, “Ouvi e atentai” – prestem atenção – “não vos ensoberbeçais; porque o Senhor falou. Dai glória ao Senhor, vosso Deus”.

Agora, o que sempre fica no meio do caminho impedindo-nos de glorificar a Deus é o orgulho. O homem busca a glória para si mesmo. Por isso, ele não é livre para dar glória a Deus. Portanto, Jeremias diz, “Olha, dê glória a Deus. Não seja orgulhoso. Dê glória a Deus”. Depois disso ele diz, “antes que ele faça vir as trevas, e antes que tropecem vossos pés nos montes tenebrosos”. Isso é algo muito sério. O que ele está dizendo é, “Ou vocês dão glória a Deus ou Deus fará com que vocês caiam em trevas, tropecem e morram”.

Jeremias não está muito feliz com isso, e nem Deus. O versículo 17 diz, “Mas, se isto não ouvirdes, a minha alma chorará em segredo por causa da vossa soberba; chorarão os meus olhos amargamente e se desfarão em lágrimas”. Fere o coração de Deus, e o coração do seu profeta, quando as pessoas não dão glória a Deus porque isso as coloca em uma posição de julgamento.

Eu quero que você olhe novamente para Daniel, capítulo 4, para ver este mesmo tema. Daniel 4:30. Aqui nós encontramos Nabucodonosor, se achando, pensando que não havia ninguém igual a ele, não apenas na Babilônia mas em qualquer lugar. Tendo feito algumas coisas grandes, ele diz no versículo 30, “Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei?” “Vejam como eu sou maravilhoso, majestoso, poderoso. Vejam o que eu fiz” ele disse. O versículo 31 diz, “Falava ainda o rei quando desceu uma voz do céu: A ti se diz, ó rei Nabucodonosor: Já passou de ti o reino”. Já chega. Você foi longe demais e você não pode competir com Deus. Vai ser como foi para Uzias, de quem a Bíblia diz, “E quando ele conquistou muitas coisas o seu coração se exaltou”. E então Deus enciou lepra sobre ele e, desta forma, ele morreu.

O que Deus fez a Nabucodonosor para enviar esta mensagem? A palavra disse, “Serás expulso de entre os homens, e a tua morada será com os animais do campo; e far-te-ão comer ervas como os bois, e passar-se-ão sete tempos por cima de ti, até que aprendas que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens”. Até você aprender quem está realmente no trono, você se tornará um animal. E foi isso que aconteceu. Versículo 33, “No mesmo instante, se cumpriu a palavra sobre Nabucodonosor; e foi expulso de entre os homens e passou a comer erva como os bois, o seu corpo foi molhado do orvalho do céu, até que lhe cresceram os cabelos como as penas da águia, e as suas unhas, como as das aves”. Ele se tornou um lunático selvagem.

Finalmente, “Mas os fim daqueles dias, eu, Nabucodonosor, levantei os olhos ao céu, tornou-me a vir o entendimento, e eu bendisse o Altíssimo, e louvei, e glorifiquei ao que vive para sempre, cujo domínio é sempiterno, e cujo reino é de geração em geração”. Ele finalmente percebeu que ou você dá glória a Deus ou Deus lida de forma intensa com você.

No capítulo 12 de Atos – uma última ilustração deste ponto – havia um homem chamado Herodes, um dos Herodes que reinaram no tempo de Cristo. O texto diz que Herodes pronunciou um dia especial. Herodes viveu em Cesarea, perto da costa, ao oeste de Jerusalém. Ele decidiu que haveria um dia de Herodes. Por isso ele estabeleceu este dia, “arrumou um traje real, se assentou no trono, e fez um grande discurso”. Ele foi muito enfático. “E o povo clamava” – preste atenção no que eles diziam, “É a voz de um deus, e não de homem”. Ele não é incrível! Fabuloso! Ó Herodes, não há ninguém como você. “No mesmo instante, um anjo do Senhor o feriu, por ele não haver dado glória a Deus; e, comido de vermes, expirou”. Agora, você fica imaginando que este foi um final trágico para o dia de Herodes. O que eu quero dizer é que isso não era exatamente o que ele tinha em mente, ser comido por vermes, não é? E o motivo disso é porque ele não deu glória a Deus.

Agora, pessoal, isso é muito básico. Ou você dá glória a Deus ou você paga o preço. A geração que falhou em ver a glória de Deus no rosto de Moisés, a geração que falhou em ver a glória de Deus no céu, a geração que falhou em ver a glória de Deus no tabernáculo foi eliminada no deserto. A geração que falhou em ver a glória de Deus no templo foi eliminada e jogada fora. A geração que falhou em ver a glória de Deus em Jesus Cristo foi retirada da benção de Deus. A geração que não reconhecer a glória de Deus antes de sua vinda com uma gloria final triunfal terá uma eternidade sem Cristo e sem Deus. Isso é algo muito sério porque quando você falha em dar glória a Deus, de acordo com Romanos 1, Deus entrega você a uma mente réproba”. Isto é, uma existência amaldiçoada. Dar glória a Deus é essencial.

Agora, por causa destas consequências, e por causa do mandamento, nós devemos glorificar a Deus. Conforme a gente faz isso, neste nosso tempo focando em glorificar a Deus, nós seremos transformados conforme a imagem de Cristo de um nível de glória para o próximo. Este é o processo do crescimento espiritual. Agora, existe um outro texto que eu gostaria de passar para vocês nesta nossa introdução, e então nós falaremos de algumas chaves específicas para o crescimento espiritual.

Primeira João 2:12-14. Este é um texto muito, muito essencial. Aqui você tem três níveis de crescimento espiritual, e você deve entendê-los. O nosso Senhor também fala destes três níveis. Existe a semente, depois existe o milho e depois existe a espiga. Três níveis de maturidade a partir de uma analogia da agricultura. Aqui você tem a analogia do crescimento humano.

“Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome”. Aqui ele resume todos os crentes em um só termo, “Filhinhos, descendentes”. A palavra para “filhinhos” aqui é uma palavra grega que simplesmente significa qualquer um que nasceu de alguém, não tendo nada a ver com a idade. Este termo poderia ser usado para uma pessoa de 85 anos de idade. Ele é filho de alguém. Não tem a ver com a infância.

Depois disso ele trabalha com outros termos. Ele divide a totalidade dos filhos de Deus em três categorias. Versículo 13, “Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque tendes vencido o Maligno. Filhinhos, eu vos escrevi” – e aqui ele usa um outro termo que significa “bebê” – “porque conheceis o Pai”. Depois, no versículo 14 ele faz uma afirmação parecida, “Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois forte, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno”.

Agora preste atenção, três níveis de crescimento espiritual: filhinhos, jovens e pais. O que é um filhinho espiritual? Ele diz no versículo 14, “Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai”. Qual é a primeira coisa que uma criança reconhece? Pais, mamãe, papai. Infelizmente, normalmente é mamãe e uns seis meses depois é papai. Mas, o reconhecimento dos pais é onde tudo começa. A coisa a respeito da criança é que elas percebem que elas são filhas de Deus. Só isso. É um tipo de infantilidade espiritual, papai, mamãe. “Cristo me ama, pois a Bíblia diz assim”. E não vai muito além disso.

Existe um segundo nível de crescimento espiritual. “Jovens, eu vos escrevo, porque tendes vencido o Maligno”. Quem é o Maligno? “Ho Poneros”, o próprio Diabo. Como você vence o Maligno? Versículo 14, “porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno”.

Agora preste atenção, um filhinho não tem a Palavra de Deus habitando ricamente nele. Ele sabe apenas o básico. Consequentemente, eles são os filhos de Efésios 4, “jogados de um lado para o outro” – como criancinhas – “levados por todo vento de doutrina”. Em outras palavras, eles conhecem a Deus e eles conhecem a Jesus. Eles não conhecem muito bem as Escrituras. É por isso que nós dizemos que quando você conduz alguém a Cristo, qual é a primeira coisa que você tem que fazer? Firmá-los na Palavra para que eles não sejam jogados de um lado para o outro por doutrinas falsas. Um jovem espiritual é alguém forte na Palavra que vence o Maligno.

Em que sentido ele venceu o Maligno? O Diabo é um mentiroso. O Diabo aparece como um anjo de luz. O Diabo é um mestre da religião falsa. Um jovem espiritual que conhece a Palavra, não é mais vítima de uma religião falsa. Na verdade, eu sei na minha própria vida como um jovem espiritual, eu sei a diferença entre ser isso e ser um filhinho. Quando eu era uma criança espiritual, eu não tinha capacidade de dizer o que era verdade e o que não era. Eu estava em euforia e na lua de mel de amar o Senhor, não entendendo muito de teologia, sendo facilmente vitimizado pela astúcia e esperteza de alguém.

Mas chegou um momento em que eu entendi teologia, quando eu conheci a Palavra de Deus e quando a falsa doutrina não me enganava mais; ela apenas me deixava com raiva. E eu tenho discipulado pessoas nesta direção. Quando eles se tornam jovens espirituais, eles desejam sair e lutar contra as seitas; eles desejam arrumar o mundo.

No entanto, existe um nível maior de crescimento espiritual do que este que falamos. Ele diz no início do versículo 13 e 14, “Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio”. Agora, preste atenção. Uma coisa é você saber que você pertence à família de Deus. Outra coisa é você conhecer a Palavra de Deus. Uma coisa é você conhecer o Livro. Outra coisa é você conhecer o Deus por trás do Livro. Uma coisa é você entender a página. Outra coisa é você conhecer as batidas do coração daquele que escreveu a página.

O crescimento espiritual, então, vai do momento que você é um Cristão, ao momento em que você conhece a Palavra de Deus, ao momento que você conhece a Deus de forma completa. Preste atenção. A forma de você realmente conhecer a Deus é você passar tempo da sua vida focada em Sua glória. É isso que o leva para esse terceiro nível de crescimento espiritual. Isso então se torna o foco da vida do crente. Conforme ele foca nisso, em glorificar a Deus, em entender a completude de Sua pessoa, em entender a completude de Sua glória, fixando nisso, isso se torna um imã, fazendo ele passar da fase que ele apenas sabe a quem ele pertence, pela fase de saber no que ele acredita, para finalmente conhecer Aquele em quem ele acredita, o próprio Deus. Isso se torna então o impulso de toda maturidade espiritual.

Paulo falou simplesmente desta forma, “Todas as coisas foram feitas por Ele e para Ele”. Ele até mesmo nos fez para Ele, para conhecê-Lo em Sua totalidade. Em Romanos 11:36 ele diz, “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente”. Eternamente.

Agora preste atenção. Eu termino com esta nossa primeira lição. Conforme você foca na glória de Deus; e, ao buscar a sua glória, você começa a lhe dar a glória que Ele merece; você, sem perceber, focando nisso, será transformado de acordo com a Sua imagem de um nível de glória para o outro. Isso é o crescimento espiritual. Em nosso próximo estudo, nós veremos exatamente como você coloca as chaves na fechadura e a vira de forma a focar na glória de Deus causando, assim, o crescimento espiritual.

Pai, obrigado pelo nosso tempo neste estudo. Obrigado por nos ajudar a entender este grande conceito da Tua glória e como isso está relacionado à maturidade espiritual. Ajuda-nos a caminhar adiante, a fim de aplicar esta verdade genérica de uma forma específica e prática conforme vemos exatamente o que Tu desejas que façamos ao rendermos glória a Ti. No entanto, Senhor, nós sabemos que precisamos conhecer o fundamento antes de começarmos. Por isso, Te agradecemos por estas grandes verdades. No nome de Jesus, Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize