Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Nós entramos agora no nosso quarto estudo do tema de crescimento espiritual. Nós temos tido um tempo muito bom cobrindo os princípios básicos do que realmente significa crescer em graça e no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo. Uma verdade muito fundamental, uma parte muito fundamental da vida cristã. Por estarmos vivos em Cristo e sendo que uma das características da vida é o crescimento, nós deveríamos estar amadurecendo e crescendo para sermos mais como Jesus Cristo. Por isso, nós temos visto o que isso exatamente significa.

O pensamento básico que nós temos seguido é o seguinte: Crescer em Cristo é uma questão de dar glória a Deus. Conforme nós focamos na glória de Deus, nos ascendemos, de onde estávamos, de um nível de glória ao próximo; caminhando para sermos mais e mais parecidos com Jesus Cristo. Portanto, o crescimento espiritual é o processo de glorificar a Deus e, conforme eu vivo a minha vida para a glória de Deus, eu serei conduzido pelo poder divino de forma progressiva para me torar mais e mais conformado a imagem de Cristo. Portanto, de forma sinônima com o crescimento espiritual é viver para a glória de Deus.

Como eu disse na nossa última lição, se você não vive para a glória de Deus, você não cresce. Se você não vive para a glória de Deus, você está vivendo para a sua própria glória, e isso retarda imediatamente a maturidade espiritual. Porém, conforme nossas vidas são abandonadas para a glória de Deus, para as suas causas, para a sua honra, para o seu louvor, nós progredimos pelo caminho do crescimento.

Agora, se isso é verdade, se glorificar a Deus é a forma pela qual nós crescemos, então é absolutamente essencial que nós saibamos o que significa glorificar a Deus. Este não é apenas um conceito obscuro, um pensamento místico e vago. Glorificar a Deus é uma verdade muito prática e concreta. Na verdade, eu já compartilhei com vocês três chaves para o crescimento espiritual; três áreas chaves nas quais nós glorificamos a Deus. Número um, nós glorificamos a Deus ao confessar Jesus como Senhor, Filipenses 2. Número dois, nós glorificamos a Deus ao fazer este o objetivo e propósito da nossa vida, 1 Coríntios 10:31. Em nosso último estudo, nós vimos que nós glorificamos a Deus ao confessar os nossos pecados, como Josué 7:19 diz, “dá glória ao Senhor, Deus de Israel, e declara-me” os seus pecados.

Agora, eu gostaria que nós tratássemos no quarto princípio para glorificar a Deus que é: Nós glorificamos a Deus ao confiar nele. Agora, isso pode parecer algo muito básico, e realmente é. É muito essencial para nós percebermos que glorificar a Deus é simples. Não é algo complexo. Alguns de nós temos observado as vidraças coloridas, as grandes catedrais e toda a grandeza e beleza das religiões que estão supostamente fazendo tudo para a glória de Deus quando, na verdade, glorificar a Deus é algo muito básico e simples. Na verdade, é simples como confiar Nele.

Deixe-me usar uma ilustração que demonstra isso. Vamos abrir nossas Bíblias em Romanos 4:20. Esta grande parte da Palavra de Deus lida com a vida de Abraão. Em Romanos, capítulo 4, Paulo, o apóstolo, está falando a respeito de Abraão e sua relação com a fé. Abraão foi salvo, não pela lei mas pela fé, como qualquer homem em qualquer era. No versículo 19, ele diz a respeito de Abraão, “E, sem enfraquecer na fé, embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara”.

Isso nos diz um pouco a respeito da circunstância. Abraão e Sara nunca tiveram filhos. Eles nunca tiveram filhos porque Sara era estéril. Ela não poderia reproduzir. Eles nunca puderam ter um filho. Deus se aproxima deles e diz, “Vocês terão um filho”. Agora, vocês conhecem bem a história para lembrar que Abraão, no primeiro momento, não acreditou em Deus mas, depois de um tempo, ele começou a confiar na Palavra de Deus. Então Paulo diz, “Ele não era fraco na fé” mas, veja o versículo 20, e aqui está a chave, “não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu” – preste atenção na última frase – “dando glória a Deus”. O que glorificou a Deus na vida de Abraão foi o fato de Abraão crer em Deus. Deus disse, “Abraão, eu sei que isso soa ridículo” – e além disso, eles deram à criança o nome de Isaque, que significa “risada”, porque aquilo começou como se fosse uma piada. Porém, o ponto é que Abraão está aqui, crendo em Deus. E isso dá glória a Deus. O que ele está dizendo é, “Deus, se Você disse, eu acredito”. O que isso significa é, “Deus, eu confio na Tua Palavra”. Isso dá glória a Ele.

Agora, quando Deus diz algo e você não crê, você está puxando Ele para baixo. Você está dizendo, “Bom, eu sei Deus que você, você está com uma boa intensão na mente. Eu realmente aprecio a oferta e a consideração Deus, mas você simplesmente não entende as circunstâncias”. É como as pessoas dizem, “Bom, sabe, a Bíblia diz: O meu Deus suprirá todas as suas necessidades de acordo com as suas riquezas, através de Cristo Jesus”. Que bela verdade que essa é. Deus pode suprir todas as nossas necessidades. Nós sabemos disso. E assim que eles entram em apuros eles começam a se preocupar, eles ficam ansiosos, eles não sabem de onde vem os seus recursos, eles entram em pânico, eles começam a duvidar se Deus realmente consegue fazer isso, eles começam a questionar a Deus e eles entram em um trauma psicológico. E então as pessoas dizem para eles, “Olha, você não é aquele que diz, ‘O meu Deus suprirá todas as suas necessidades?’” Ou você acredita nisso ou você não acredita. Se você diz que você acredita nisso mas não manifesta que você acredita nisso, então você está, na verdade, duvidando de Deus. E duvidar de Deus é dizer que Deus não está de acordo com a sua reputação. Isso desonra a Deus.

Em 1 João 5:10, existe uma palavra muito simples que deveria chocar muitas pessoas e é o seguinte, “Aquele que não dá crédito a Deus o faz” – o que? – “mentiroso”. Você percebe? Não acreditar em Deus faz Dele um mentiroso. Eu vou te dar uma ilustração. A Bíblia diz que nós devemos dar o nosso dinheiro ao Senhor. Ela diz que nós devemos dar de forma sacrificial e abundantemente, sem deixar que a mão direita saiba o que a mão esquerda faz. Nós devemos dar e como consequência, Deus nos dará de volta. Agora, nós temos um bom tempo entendendo este princípio. Isso está na Bíblia. Porém, quando o assunto é dar, nós temos este problema com nossas mãos ou com nossas canetas. Elas nunca vão acima de um certo número. Nós simplesmente não conseguimos aumentar. Nós dizemos que nós cremos no que Deus falou mas, na verdade, nós não acreditamos a não ser que seja algo pragmático, não é? A não ser que mude a forma que nós agimos.

Nós dizemos, “Eu creio que quando eu morrer eu vou para o céu”. Porém, algumas pessoas ficam tão ansiosas com relação a morte que elas ficam perturbadas com isso. Elas ficam mais ansiosas com a morte do que elas estarão quando elas morrerem. A dor é maior na antecipação do que ela é na realidade. É como ir ao dentista. O fato é que embora Deus supra todas as nossas necessidades no momento da morte, nós na verdade não temos tanta certeza de que tudo vai acontecer do jeito que Ele diz que vai ser.

Percebe? A maioria de nós, honestamente, temos que lidar com o fato de que nós somos fracos nesta área de realmente crer em Deus. Abraão “não vacilou na promessa de Deus”. Deus disse, “Ande por aqui”, e ele andou. Isso chegou a tal ponto em que Isaque, sendo jovem, estava ali e Deus falou para Abraão, “Muito em Abraão. Eu te dei este filho, nas entranhas desta criança está a promessa da aliança Abraâmica. Dele virá uma grande nação. E Abraão, eu estou te falando, este é o cumprimento da minha promessa. Agora, leva ele para aquela montanha e mate-o”. E você sabe o que Abraão fez? Ele saiu com Isaque, amarrou ele em alguns gravetos, caminhou até a montanha, colocou-o no altar, amarrou-o, pegou uma faca e ele estava prestes a enfiá-la no seu coração. Ele nem piscou e nem parou até ouvir o carneiro no arbusto e então ele percebeu que Deus providenciou uma saída disso.

Porém, o ponto da história é o seguinte: Abraão estava disposto a ir até o fim, a matar a coisa que era o cumprimento da promessa de Deus em sua vida. Ele estava absolutamente confiante de que se Deus manda fazer alguma coisa, você faz, você nunca vacila, e Deus proverá. Ele poderia ter dito, “Mas Deus, como que você pode dizer que existe uma aliança Abraâmica cumprida com um povo grande como as areias do mar, como as estrelas do céu, se eu vou matar o único que existe? Porém, ele não discutiu. Ele creu que Deus manteria a Sua Palavra mesmo que ele tivesse que matar o seu filho.

Pessoalmente, eu creio que ele poderia ter acreditado que Isaque seria ressurreto mesmo que ele nunca tenha visto isso por experiência. Era com essa intensidade que ele acreditava em Deus. Esta é a questão. Crer em Deus resulta em glória a Ele. A glória de Deus é a soma de todos os seus atributos, a totalidade de sua majestade, e se Ele é quem Ele diz ser, então Ele é o Deus a ser crido.

Agora, você crescerá espiritualmente quando você viver uma vida que confia em Deus de forma funcional. Quando você diz, “Se a sua Palavra diz isso, eu vou fazer isso. Se a sua Palavra promete isso, eu vou receber isso. Se a sua Palavra manda fazer isso, eu vou obedecê-la”. Nós desonramos grandemente a Deus quando nós dizemos crer Nele e ainda assim nós não conseguimos lidar com a vida.

Deixe-me dar uma ilustração. Abra a sua Bíblia comigo em Daniel, capítulo 3; Daniel, capítulo 3. Em Daniel, no terceiro capítulo nós encontramos este fascinante incidente da fornalha de fogo. “Então, Nabucodonosor, irado e furioso” – versículo 13 – “mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. E trouxeram a estes homens perante o rei” – isto é, ele mesmo, porque eles não aquiesceram para com as suas leis”. Eles não adorarão a imagem. Eles adorarão apenas o Deus verdadeiro. Por isso, ele manda chama-los e ele diz no versículo 14, “É verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que vós não servis a meus deuses, nem adorais a imagem de ouro que levantei?” – É verdade que vocês não cooperarão com o sistema religioso expresso no país? “Agora, pois, estai dispostos e, quando ouvirdes o som da trombeta, do pífaro, da cítara, da harpa, do saltério, da gaita de foles, prostrai-vos e adorai a imagem que fiz; porém, se não a adorardes, sereis, no mesmo instante, lançados na fornalha de fogo ardente. E quem é o deus que vos poderá livrar das minhas mãos?”

Agora, esta é uma situação muito crítica se você é o Sadraque, o Mesaque e o Abede-Nego. Não é algo muito difícil para nos hoje a noite, não é? Nós estamos bem longe disso. Mas ele disse-lhes, “ou vocês adorem a imagem ou vocês vão se ver. “E o que Deus fará para livrar vocês das minhas mãos?” Portanto, ele imediatamente testou a fé deles. Eles acreditam que o seu Deus pode lidar com Nabucodonosor ou não? Eles não podem ver o seu Deus. Ele é invisível. Nabucodonosor é visível. Eles não conseguem ver o batalhão de Deus. Eles só podem ver o batalhão de Nabucodonosor. Ele tem um exército formidável. Eles podem ver o seu poder. Eles podem ver a pressão punitiva aplicada a eles no sistema porque eles estão bem ali. Porém, o que eles fazem?

Versículo 16, “Responderam Sadraque, Mesaque e Abede-Nego ao rei: Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos de te responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que levantaste”. Mesmo que Ele não nos livre, nós mesmo assim não adoraremos porque o nosso Deus nos libertará. De qualquer forma, se o fogo não se apagar, Ele nos libertará para o seu reino justo, porque nós temos sidos fieis a Ele.

Bom, Nabucodonosor estava tão nervoso no versículo 19 que o texto diz que “transtornado estava o aspecto do seu rosto”. Isso significa que o rosto dele ficou todo torto de tanta raiva. “Ordenou que se acendesse a fornalha sete vezes mais do que se costumava”. Por isso eles aumentaram o fogo até que estivesse sete vezes mais quente do que o normal, e claro, os rapazes que jogaram eles na fornalha foram queimados até a morte porque estava muito quente. E então eles jogaram Sadraque, Mesaque e Abede-Nego.

O que é realmente incrível sobre isso é que eles realmente acreditavam em Deus. Agora, nós podemos dizer, “Ah sim, é desse jeito que eu creio em Deus”. Mas ficar a beira de uma fornalha seria algo muito diferente, quando eles estão prestes a te jogar lá dentro. O que eu quero dizer é que não existe nenhuma forma humana de você escapar disso. Mas eles criam em Deus. Você percebeu? A fé em Deus não conhece impossibilidades.

Você ouvirá as vezes uma esposa em um ambiente de aconselhamento dizer, “Ah pastor, não tem jeito de nós nos darmos bem no nosso casamento. Não tem jeito”. Eu então pergunto, “Bom, o seu marido é um Cristão?” “Sim”. “Você é uma Cristã?” “Sim”. “Você quer dizer que não tem jeito para dois Cristãos se darem bem?” “Mas você não entende. Nós não somos compatíveis”. “O Espírito Santo habita em vocês dois?” “Sim”. “Você dois têm Cristo vivendo em vocês?” “Sim”. “Você acha eu Cristo é compatível com ele mesmo?” “Sim, mas você não entende”. “Não. Você que não entende. Você não crê em Deus. Você não crê em Deus, que se Deus tivesse prazer em manter o casamento estruturado, que se Deus tivesse o poder para fazer isso acontecer, se você alinhasse a sua vida na direção certa, tudo aconteceria. Mas não pare de crer no poder de Deus”.

É como uma senhora que veio ver o seu pastor e disse, “O meu marido me acaricia do jeito errado”. Então o pastor respondeu, “Vira para o outro lado que tudo ficará bem”. A solução do problema é você se endireitar, e não deixar de crer no poder de Deus. Você percebe? Deus pode fazer isso se você estiver no caminho certo. Nas coisas mais simples da vida nós precisamos crer em Deus.

Agora, eu penso que o maior desafio de fé que eu conheço da história humana é a história de Noé. Deus disse a Noé, “Construa uma arca”. Isso não fazia sentido porque não havia nenhuma água por perto. Na verdade, ele estava no meio do deserto. Na verdade, pode ter sido que ele nunca tivesse visto nenhuma água. E então Deus manda ele construir uma arca de um tamanho inconcebível, especialmente quando não há pátios de madeira, onde você tinha que cortar as suas próprias árvores e tirar daquelas árvores as suas tábuas. Portanto, aqui temos um rapaz, no meio do deserto, no meio de uma sociedade pagã, e Deus manda ele construir uma arca, algo enorme, uma arca enorme. E então ele começa. Ele levou 120 anos para construir o barco.

Agora, eu consigo me imaginar pedindo a madeira, e eu consigo me imaginar fazendo algumas coisas no começo. Mas colocar a porta só depois de 120 anos? Sem chance. Eu teria desistido a muito tempo. Se Deus tivesse me falado o que Ele falou para Noé, porque vai chover, isso não ajudaria nem um pouco porque nunca teve nenhuma chuva. Ele nem sabia o que era chuva. E claro, as pessoas riram dele por 120 anos. Eles ririam dele assim como se houvesse um rapaz em sua vizinhança dizendo que viria um grande dilúvio e que nós seriamos levamos por isso. Você teria a mesma reação que eles tiveram com ele. Ele é louco. Ele está fora de si. Você tem apenas uma vantagem, você já viu a chuva. Eles nunca tinham visto aquilo. Mas a Bíblia diz, “Noé era um homem de muita fé”.

Pessoal, isso é pegar bem leve com ele. Hebreus 11:7, “Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam” – algo que ninguém nunca viu – “e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa” – agora, preste atenção – “pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé”. Incrível o coração daquele homem. Ele creu em Deus em meio a uma situação ridícula. Cento e vinte anos de fé. Que glória que ele deu a Deus. Que glória que ele deu a Deus.

Agora, na sua e na minha vida, o que nós fazemos? Nós glorificamos a Deus ao crer Nele? Quando você vive em um estado de fé, você cresce. A Bíblia diz que nós não andamos pelo que vemos, para por o que? Pela fé. Isso, novamente, é uma imagem de um Cristo em progresso; uma imagem de maturidade. Nós andamos, nós nos movemos, rumo a semelhança perfeita de Deus. Nós nos movemos em uma progressão espiritual conforme nós caminhamos pela fé, e não pelo que vemos. A partir do momento que você analisar tudo pelo que você vê, você ficará enrolado. Você ficará como as pessoas em Canaã. Quando o Judeus foram à terra estabelecer a sua nação, eles enviam espiões. Assim que os espiões voltaram eles disseram, “Nós não queremos entrar lá. Nós somos como gafanhotos. Eles são gigantes”. Eles tiveram o que eu chamo de “complexo gafanhoto”. Eles andaram pelo que eles viram. Eles também eram grandes. Eles também eram formidáveis. Josué e Calebe voltaram e disseram, “Deus está do nosso lado. Vamos lá”. Dois andaram pela fé e dez andaram pelo que viram. Dez desonraram a Deus dizendo, “Deus não consegue lidar com as circunstâncias”. Dois disseram, “Deus é maior do que as circunstâncias”.

O que você diz? Você vive pela fé? Assim como você vive pela fé, você é como Abraão, que “não tropeçou na promessa de Deus mas foi forte na fé, dando glória a Deus”. Você deseja viver para a Sua glória? Creia Nele em tudo o que acontece, em tudo que Ele diz, em toda promessa que Ele faz e ande pela fé. Este é o progresso da maturidade espiritual.

Vamos partir para um quinto princípio. Nós glorificamos a Deus – em quinto lugar; e isso é uma verdade tremendamente importante – dando frutos. Nós glorificamos a Deus dando frutos. Agora, este é um assunto em que nós podemos passar muito tempo conversando. Eu gostaria de tentar resumir um pouco para o nosso estudo nesta sessão. O nosso texto chave é João 15:8. Em João 15, o Senhor está falando a respeito de como Ele é a videira e nós somos os ramos. Em outras palavras, a sua vida pulsa através de nós. Conforme este fluir de sua vida passa através de nós, ele produz frutos.

Agora, o versículo 8 nos diz o que é ganho ao darmos frutos. Ele diz o seguinte, “Nisso é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto”. Este é o ponto. Dar frutos glorifica a Deus. O crescimento espiritual, novamente, é para glorificar a Deus e glorificar a Deus significa dar frutos. Por que? Porque isso é permitir que o poder de Deus seja produtivo em nossas vidas. Conforme nós temos recebido a Cristo, focados em Sua glória, lidando com o pecado em nossas vidas, andando pela fé, Deus produz frutos em nós.

Agora, Deus é desonrado quando você tem pouco e pouco fruto. Eu não penso que existe algo como um Cristão que não dá fruto. Existem apenas frutos, poucos frutos e muitos frutos. Porque, se você é um Cristão, você terá nem que seja algumas uvas passas por ali, porque Jesus disse, “pelos seus frutos vocês o que? Vocês o conhecerão. Por isso eu digo, você deve buscar por muito tempo.

Nós temos um pessegueiro em nosso quintal. Neste ano, o pessegueiro não parou. Aquele pessegueiro foi a melhor ilustração de um Cristão produtivo que eu já vi. Haviam tantas frutas ali que poderíamos alimentar a vizinhança. No entanto, no ano passado, nós tivemos que procurar muito para achar um pêssego bem pequeno que não daria pra fazer muita coisa com ele. Mesmo assim, havia um pêssego ali, o que provava para nós que aquilo ao era uma macieira. Existem muitos cristãos que são assim. Você procura muito e você encontrará alguma coisa que diz que eles pertencem a Deus. Porém, não é isso que glorifica ao Pai. O que glorifica o Pai são muito frutos, muitos frutos. Como rente, o crescimento espiritual é um processo de produção; de produzir frutos.

Agora, é muito importante que você produza frutos porque é assim que você manifesta o seu caráter. Como que as pessoas sabem que você é um crente e que você pertence a Deus se elas não conseguem ver nenhum fruto, não é? Como que elas sabem que você é uma macieira se você não tem nenhuma maça? Como que elas sabem que você é um pessegueiro se você não tem nenhum pêssego? Como que elas sabem que você é uma laranjeira se você não tem nenhuma laranja? Como que eles saberão o que você é se não há nenhuma manifestação? Por isso, o caráter de Deus está em jogo. Deus deseja produzir algo que expresse Ele em sua vida. Ele quer fazer mais do que a sua carne consegue fazer, mais do que o mundo pode fazer. Isso é importante. Foi isso que Paulo quis dizer quando ele escreveu a Tito e disse para ele viver para “adornar a doutrina de Deus”. Deveria haver algo da natureza de Deus em você a fim de que seja evidente que Ele esteja trabalhando em sua vida.

Em Romanos 2:24, uma afirmação muito interessante é feita pelo apóstolo Paulo a Israel. Ele diz, “o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por vossa causa”. Ao invés de mostrar ao mundo como Deus é, você diz pertencer a Deus e você mostra a eles algo que não tem nada a ver com Deus. Na verdade, Jesus disse aos líderes de Israel, “O vosso pai é o diabo”. O produto da vida deles não é o produto de Deus. Que coisa horrível as pessoas acharem que é.

Em Mateus 5:16 Jesus disse, “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam” – o que? – “as vossas boas obras e” – façam o que? – “glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. Jesus está dizendo que o produto de sua vida é a manifestação de Deus. Se ela não está lá, então Deus não é visível. Portanto, Deus será glorificado quando nós formos Cristãos produtivos, quando algo acontecer, quando o fluir da videira através do ramos produza belas uvas que sejam úteis para abençoar outra pessoa.

Na verdade, em 1 Coríntios 9:7, Paulo diz, “Quem planta a vinha e não come do seu fruto?” Esta é uma pergunta justa. Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Você acha que Deus passou por tudo aquilo para colocar a Sua vida em você, a sua vida eterna, tornando você um recipiente do próprio poder de Cristo para não produzir nada? É claro que não. Nós devemos dar frutos.

Agora, alguém pode dizer, “Bom, isso é tudo muito bom John. Você fica falando que nós devemos dar frutos, mas o que é um fruto? O que você quer dizer com isso?” Bom, é muito bom você ter perguntado isso porque esta é uma pergunta muito importante. O que nós queremos dizer com frutos? Filipenses 1:11 é um bom lugar para começar. Veja o que ele diz. “cheios” – não só um pouco – “cheios do fruto de justiça” – agora preste atenção nisso – “o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus”. Quando você produz, Deus é glorificado. Isso é algo muito grandioso e o que é? O fruto de justiça.

O que é um fruto em sua vida? Eu vou te dizer. É algo muito simples: justiça; justiça. O que é justiça? É o certo em oposição ao errado. Justiça é um jeito logo de dizer, “fazer o certo”. Quando você faz o certo, isso glorifica a Deus; quando você faz o errado, isso desonra a Deus. Portanto, se você deve dar frutos, isso significa que você deve ter uma justiça visível. Visível. Você faz o que é certo. É isso que justiça significa. Fazer o que é certo.

Existem outros textos que ajudarão a preencher o nosso entendimento. 2 Tessalonicenses 1:11 diz, “Por isso, também não cessamos de orar por vós”. Orar pelo que? Paulo diz, “para que o nosso Deus vos torne dignos da sua vocação e” – preste atenção – “e cumpra com poder todo propósito de bondade e obra de fé”. Em outras palavras, Ele deseja produzir em você toda a sua bondade, e o seu poder será demonstrado, e a bondade de sua graça será manifesta. Ele deseja produzir isso. Por que? “A fim de que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós”. Agora nós voltamos para Cristo em você, a esperança da glória novamente. Se Deus deve ser glorificado, é ao darmos frutos.

As pessoas deveriam olhar para a sua vida e dizer, “Sabe, a sua vida é diferente. Você afeta as pessoas de um jeito diferente dos outros. Você tem uma certa atitude que é diferente. O seu comportamento é diferente. A sua influência é diferente. O seu efeito nas coisas é diferente. Existe um produto da sua vida que é diferente de qualquer outra vida”. Isso é o fruto.

Agora, deixe-me ser bem específico. Existem dois tipos de frutos na Bíblia. O primeiro é chamado de “fruto de ação”. Fruto de ação. Isso é chamado de fruto de ação por mim, não pela Bíblia. É apenas uma categoria. O que é um fruto de ação? Ouça e eu te mostrarei. Romanos 1:13 diz, “Porque não quero, irmãos, que ignoreis que, muitas vezes” – Paulo diz – “me propus ir ter convosco”. Em outras palavras, muitas vezes eu quer ir até voc6es em Roma – “(no que tenho sido, até agora, impedido)”. Por que você queria vir Paulo? “Para” – é uma clausula de propósito – “conseguir igualmente entre vós algum fruto, como também entre os outros gentios”.

A respeito do que ele está se referindo? Qual é o fruto aqui? Convertidos, não é? Eu gostaria de vir e ganhar algumas pessoas para Cristo. Então, o fruto, o fruto de ação, é ganhar alguém para Cristo. Você tem esse produto em sua vida? Quer saber de algo? Eu acho que a coisa mais natural para um crente fazer é ganhar outras pessoas para Cristo porque um dos produtos da vida é a reprodução. Por que? Paulo disse a Timóteo, “as coisas que eu tenho entregue a você, entregue a homens fieis, que poderão ensinar a outros”. Mantenha o processo contínuo. Jesus disse, “Ide por todo o mundo e façam discípulos”. Reproduzam. Esta é uma das qualidades que a vida carrega, a habilidade de reproduzir. Por isso, ele diz, “Eu queria muito ir e ter alguns frutos como eu tenho tido em outros lugares”. Frutos são conversões a Cristo. Agora, como crente, se você está evolvido na reprodução, você está crescendo. Você está crescendo porque a vida está trabalhando em você.

No entanto, isso não é tudo. Existem outras coisas que também são frutos. Filipenses 4:17. Para dar um pouco de pano de fundo nesta parte, os Filipenses enviaram ao Paulo um grandioso presente. Eles foram muito generosos e enviaram a ele uma oferta de amor. Porém, ele diz, “Sabe eu realmente aprecio o presente de vocês. Eu só quero que vocês saibam que eu não preciso disso. Mas, mesmo não precisando disso, eu estou muito feliz que vocês me enviaram isso”. Por que? Versículo 17, “Não que eu procure o donativo, mas o que realmente me interessa é o fruto que aumente o vosso crédito”. Em outras palavras, não que eu precisa disso, mas que você produzam. Entendeu?

Agora, se você está sentado esperado por alguém com alguma necessidade muito grande, você não entendeu. Talvez você deveria dar algo para alguém que não tenha uma necessidade muito grande, mas porque isso é um fruto, um fruto em sua vida. Quando a sua vida está cheia com o poder de Deus, e quando você está totalmente comprometido a glorificar ao Senhor, você se deparará dando, porque dar é um fruto, o ato de dar.

Portanto, o que é um fruto? É ganhar alguém a Cristo, é dar, até mesmo um presente monetário, mesmo quando não existe uma grande necessidade específica. Você dá porque está no seu coração dar. O meu pai sempre acostumava dizer que você poderia dar sem amar mas que você nunca poderia amar sem dar. Se você ama, se você está perdido na glória de Deus, você dará, dará e dará como Deus dá.

Além disso, Deus nunca nos dá apenas o que nós precisamos. Ele sempre nos dá mais, não é? Efésios diz que Ele dá “de acordo com as suas riquezas”, não das suas riquezas, mas de acordo com ela. Existe uma grande diferença. Se eu te desse as minhas riquezas, e você viesse até mim – vamos dizer que eu fosse um milionário, por uma questão de ilustração – e você dissesse a mim, “Olha, eu tenho uma grande necessidade, e etc, etc, etc” – e eu dissesse, “Bom, isso é maravilhoso. De todas as minhas riquezas, aqui está um cheque de 10 dolares. Gaste-o bem”. Você diria, “Espera um pouco rapaz. Você não me deu de acordo com as suas riquezas, você deu a partir delas”. Se eu te escrevesse um cheque de $10.000 ou de $100.000 você diria, “Você deu de acordo”. Quando Deus dá, nunca é a partir, mas sempre de acordo, porque esta é a natureza de um coração generoso. Isso é um fruto em sua vida conforme você dá.

Outra coisa que nós poderíamos considerar fruto está em Hebreus 13:15. O texto diz, “Por meio de Jesus” – isto é, por Cristo – “ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor” – agora preste atenção – “que é fruto de lábios que confessam o seu nome”. Você sabia que dizer graças a Deus é um fruto? Isso mesmo. Isso é um produto da obra de Deus em sua vida. Dar frutos significa ganhar pessoas para Cristo, dar um presente, e agradecer. E Colossenses 1:10? Colossenses 1:10 diz, “a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado” – agora, preste atenção – “frutificando em toda boa obra”.

Agora, você percebe quão abrangente isso é? Qualquer boa nova é um fruto. Pode ser ganhar alguém para Cristo, dar um presente, agradecer ao Senhor com os seus lábios ou fazer qualquer boa obra. Todas estas coisas são frutos. Pessoal, é isso que Deus deseja ver em sua vida. O que eu estou dizendo é isso. Os Cristãos produtivos são Cristãos em crescimento. Se você apenas fica por aqui e não existe nada sendo feito em sua vida, se não existe nenhuma manifestação de ministério, se não existe nenhum produto, se não existe nenhum belo cacho de uva pendurado em sua vida, então você não está crescendo. Você não está caminhando. Você apenas está. E você não está sendo produtivo. O crescimento espiritual sempre se manifestará com frutos.

Agora, eu falei para vocês que existem dois tipos de frutos. O fruto da ação, o que você faz, quando você ganha alguém para Cristo, quando você dá um presente, quando você louva ao Senhor, quando você faz uma boa obra. Mas existe uma outra categoria bem diferente, e eu chamo isso de “fruto de atitude”. Agora, se você observar comigo por um minuto Gálatas, capítulo 5, você verá este tipo específico de fruto. O versículo 22 diz, “Mas o fruto do Espírito é” – e aqui você não tem nenhuma ação, mas sim atitude – “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”. Aqui, o apóstolo Paulo lista atitudes. Amor é uma atitude. Alegria é uma atitude. Paz é uma atitude. Longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão ou humildade; todas elas são atitudes.

Mas preste atenção. Por um lado, você tem fruto de ação. Por outro lado, você tem fruto de atitude. Agora preste atenção. Se você tem um fruto de ação sem um furto de atitude, isso resulta em legalismo, entendeu? Você está apenas fazendo isso como os Fariseus. Existem muitas pessoas andando por aí, falando de Jesus para as pessoas. Mas a atitude delas não está correta. Elas estão fazendo isso apenas por obrigação ou medo. Existem pessoas que doam dinheiro. Elas colocam isso no gazofilácio resmungando e por necessidade.

Existem pessoas que, sabe, não fazem certas coisas. Elas não fazem isso, não fazem aquilo, não fazem aquela outra coisa e mesmo assim elas têm uma péssima atitude o tempo todo. Além disso, elas gostariam de poder fazer todas estas coisas. Elas estão fazendo a coisa certa, mas elas não têm a atitude certa. Por outro lado, se você tem a atitude certa, você automaticamente tem uma ação. Essa é a verdadeira espiritualidade. Você percebe? Fruto de ação sem atitude é legalismo. Fruto de atitude produzirá fruto de ação. Essa é a verdadeira espiritualidade.

Se você anda no Espírito, esse é um conceito espiritual de submissão. Se você anda no Espírito, o Espírito produz, amor, alegria, paz, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. E conforme ele produz estas atitudes, estas atitudes produzirão a ação correta. Entretanto, existem muitos mentirosos no mundo fazendo a ação sem a atitude. Testemunhe as palavras de Jesus quando alguns dizem a Ele, “Nós fizemos muitas obras maravilhosas em Seu nome”. Ele diz, “Afastem-se de mim” – o que? – “Porque nunca vos conheci”. Você nem estava na família. Nós glorificaremos a Deus quando nós formos frutíferos, frutíferos. Isso significa tem as atitudes certas e as ações certas.

E pessoal, as atitudes são muito importantes. Você diz “John, como que você consegue as atitudes corretas? Como você tem um coração cheio de amor? Como você tem um coração cheio de alegria e paz? Como você tem um coração cheio de longanimidade e etc?” Bom, eu acho que Gálatas 5 realmente nos ajuda a ver isso, porque ele diz no versículo 25, “Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito”. É uma questão de submeter o controle da sua vida ao Espírito Santo como os ramos se submetem a videira. O fluxo da atitude correta, vindo através da natureza de Deus no Espírito Santo, permeia as nossas vidas ao ponto em que nós produzimos fruto. O que nós temos visto então? Nós glorificamos a Deus pelos nossos frutos.

Agora, vamos ao sexto princípio. Ao crescer, amadurecer, descobrir as chaves, como tem sido feito, ou as fechaduras do crescimento espiritual, existe uma outra chave. Nós glorificamos a Deus – e nós falamos disso na última vez – ao adorá-lo. Eu não creio que o Cristão possa crescer a não ser que ele esteja caracterizado por uma vida de adoração. A adoração, novamente, nos coloca no fluxo do crescimento. Deixe-me dar um versículo simples e maravilhoso. O Salmo 50:23 diz, “O que me oferece sacrifício de ações de graças, esse me glorificará”. Quão grande afirmação. Você deseja glorificar a Deus? Ofereça louvor, ofereça louvor.

Você então percebe algo muito prático e simples. Não são os vitrais e as músicas com órgão. É apenas uma questão de dar frutos. É simplesmente a humildade da fé e a confiança. É a humildade da confissão. É a humildade de se prostrar ao senhorio de Cristo a qualquer custo. E é a humildade, novamente, do louvor que nos coloca no caminho do crescimento. Eu realmente acredito que as pessoas orgulhosas não louvam a Deus. Elas estão muito ocupadas louvando a si mesmas. Já as pessoas humildes conseguem, as pessoas que estão maravilhadas com Deus, as pessoas que têm o seu foco em Deus; e em sua humildade, elas derramam louvores dos seus corações.

Agora, isso está tão enraizado no padrão de Deus para o seu povo que Ele literalmente deu-lhes um hinário cheio de louvores, o qual nós chamamos de Salmos. Os Salmos eram estes grandes hinos que foram cantados e falados pelo povo de Israel. Deus desejava que eles fossem conhecidos e falados porque eles oferecem louvores a Ele constantemente. E é assim que deveria ser, pois Ele é digno. Por exemplo, no Salmo – e eu vou mostrar alguns exemplos – Primeiramente, Salmo 86:9, “Todas as nações que fizeste virão, prostrar-se-ão diante de ti, Senhor, e glorificarão o teu nome. Pois u és grande e operas maravilhas; só tu és Deus!” Que grandiosa afirmação. Muito boa. Versículo 12, “Dar-te-ei graças, Senhor, Deus meu, de todo o coração, e glorificarei para sempre o teu nome”. Louvar a Deus é igualado ao render-lhe glória. Louvar a Deus é algo muito importante. Salmo 86.

Veja novamente o Salmo 92; apenas os dois primeiros versículos. “Bem é render graças ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã a tua misericórdia e, durante as noites, a tua fidelidade”. Esta é uma afirmação muito simples. É bom louvar ao Senhor durante o dia e durante a noite, estabelecendo o ritmo para todo o dia.

Em Neemias 8:6, o texto diz, “E, levantando as mãos; inclinaram-se e adoraram o Senhor, com o rosto em terra”. Existe um sentimento de maravilha. Existe um senso de respeito. Existe um senso de humildade a luz da majestade do caráter infinito de Deus.

Agora, o que significa louvar? Se eu perguntasse a um grupo típico de pessoas, “Eu quero que vocês contem até três e louvem ao Senhor”. O que vocês acham que eles fariam? Bom, alguns cantariam uma música, “Louvado seja o Senhor” ou algo assim. Alguns diriam, “Louvado seja o Senhor, Aleluia”. Talvez, alguns levantariam as suas mãos. Alguns, de forma silenciosa, orariam em seus corações. Bom, qual é a resposta certa? Como que nós louvamos a Deus? O que isso significa? É mais do que dizer, “Louvado seja o Senhor”? Isso se tornou algo. L.S.S. Nós não podemos ser incomodados louvando-O. Até mesmo quando nós louvamos a Deus nós abreviamos isso. Vamos logo. L.S.S.

Espera um pouco. O que significa louvar? É apenas uma pequena formula que sai de nossas bocas de vez em quando? Um cliché Cristão? Não. O verdadeiro louvor, biblicamente, envolve três coisas. Número um, o verdadeiro louvor significa recitar os atributos de Deus. Você recita os atributos de Deus. Louvor é uma expressão do caráter de Deus, de quem Ele é. É algo magnífico. O verdadeiro louvor recita os atributos de Deus. Agora, as pessoas normalmente dizem para mim, “Bom, eu não estudo muito o Antigo Testamento porque é o Novo Testamento que é importante. Este é o reino do mistério e os mistérios foram revelados. É isso que nós precisamos estudar. O Antigo Testamento é antiquado”. Olha. Existem muitos motivos para estudar o Antigo Testamento, um deles é que ele revela muito a respeito do caráter de Deus. E você deveria saber as coisas que são verdadeiras com relação a natureza de Deus pois você não poderia louvá-lo por outro motivo.

Por exemplo, Habacuque, no primeiro capítulo, começa louvando a Deus pelo seu caráter. Ele louva-O por ser santo. Ele louva-O por ser Todo-Poderoso. Ele louva-O por ser eterno. Ele louva-O por ser um Deus que mantém a sua aliança. Neste exercício de louvor, ele resolve o grande problema do seu coração. Ele não entendia porque Deus estava prestes a julgar Israel. Ele não entendia porque Deus haveria de mandar aquela nação amarga e precipitada, os Caudeus, que eram piores que os Israelitas, e permitir que eles julgassem Israel.

Ele estava dizendo, “Deus, reaviva o seu povo. Traga um grande avivamento. Deus, traga uma grande restauração”. Por outro lado, Deus diz, “Eu vou acabar com eles usando um povo pior do que eles”. A resposta de Habacuque a isso foi, “Deus, como que você faria uma coisa dessas?” No meio dessa confusão, ele se lembra de que Deus é santo. Ele não comete erros. Deus é um Deus que mantém a sua aliança. Ele não quebra as suas promessas. Deus é eterno. Ele está fora do fluxo da história. Deus é Todo-Poderoso. Ele não é uma vítima dos Caldeus. Quando ele termina isso ele diz, “O justo viverá pela fé”. Eu estou bem agora Senhor. Mesmo com a circunstância não tendo mudado. Ele estava na mesma circunstância.

Olhe para Davi. Ele está saindo da cidade, correndo no meio dos arbustos no meio do deserto. Ele está correndo muito e se escondendo nos arbustos. Você pergunta para ele, “Davi, o que você está fazendo?” e ele diz, “O meu filho Absalão está atrás de mim”. Então, Davi senta e começa a pensar em Deus. E ele diz, “Deus, você é Todo-Poderoso. Deus, você é Todo-Poderoso. Deus, você perdoa totalmente. Deus, você é Santo. Deus, você vencerá no final de tudo. Deus, você é Soberano”. Ele então sai do arbusto e fica em pé. O Absalão ainda estava atrás dele. Ele apenas redefiniu Deus e isso fez toda a diferença.

Portanto, quando você recita o caráter de Deus, você está exaltando a sua virtude e trazendo firmeza para a sua fraqueza. O problema do Habacuque nunca melhorou. Ele piorou. Mas o seu Deus, definido, foi forte o suficiente para lidar com as suas circunstâncias.

Eu reconheço que em minha vida isso é algo muito importante. Você tem estas pequenas coisas em sua vida e você tem alguns problemas que você não pode resolver. Ao invés de dizer, “Que problema terrível. Como que nós vamos resolver isso? Nós não temos os recursos Senhor. Nós precisamos disso, sabe. Nós não temos dinheiro” ou seja lá o que for. E então você para e começa a dizer, “Senhor, você é maior do que a história. Senhor, você é dono de todas as coisas em todo o universo. Deus, você pode fazer qualquer coisa que você deseja. Deus, você disse que você nos ama e você prometeu que nós nunca estaríamos sem as coisas que nós precisamos, que você cuidaria de nós desde que você cuide da grama do campo. Deus, você prometeu que o seu caráter está disponível para nós, o seu poder está acumulado para nós” e etc, etc. Você vai ver como você vai se sentir melhor. Você glorificará a Deus. Esse é o primeiro elemento.

O segundo é o seguinte. Glorificar a Deus e louvar a Deus não é apenas uma questão de recitar os seus atributos, mas recitar as suas obras também. Pois os seus atributos estão visíveis nas suas obras. O verdadeiro louvor é isso. É por isso que você vê muitas vezes nos salmos uma repetição do que Deus tem feito. Deus, você é o Deus que abriu o Mar Vermelho. Deus, você é o Deus tirou as pessoas do Egito. Deus, você é o Deus que abriu o rio. Você é o Deus que fez águas fluírem da pedra. Você é o Deus que nos alimentou com o maná no deserto. Você é o Deus que destruiu os inimigos e fez cair o muro de Jericó, etc, etc, etc.

Isso é engrandecer e exaltar a Deus. É isso que significa louvar. Foi isso que o Habacuque fez no terceiro capítulo. No terceiro capítulo ele está reavaliando os seus problemas. Ele começa no 3:3 e continua. Deus, você fez isso, você fez aquilo, você fez isso, você fez aquilo. Então ele chega no versículo 16 e diz, “Quando eu penso no que Deus fez, os meus joelhos estão batendo juntos. Os meus ossos estão tremendo. Eu tremo inteiro. Mas eu digo, eu estou tão confiante no meu Deus que se tudo der errado, e que a figueira falhar” e elas não falham. Quando você corta uma figueira, ou uma oliveira, quando você corta uma oliveira em Israel, você precisa esperar 40 anos para poder esculpi-la, pois ela tem muito óleo. Mas ainda que “todas as árvores falham se os animais morrerem no campo, se a natureza ficar maluca”, ele diz, “eu confiarei em Deus”. Por que? Porque Ele tem sido consistentemente bom. Ele provou isso. É por isso que o Antigo Testamento está carregado com histórias. Para que nós saibamos que Deus tem sido fiel.

Agora, o que significa louvar então? É fazer isso. Recitar os Seus atributos e suas obras. Se você tem um problema para lidar, talvez uma situação de crise no seu trabalho, na escola, seja onde for, e você diz, “Senhor, como que eu vou vencer isso?”, lembre-se que você pode louvar a Deus, e isso te ajudará muito. “Senhor, Você é o Deus que esteve na beira do nada e criou no espaço as estrelas e os planetas. Você é o Deus que formou esta pequena bola de terra e, no meio do caos deste mundo, você plantou uma bela terra, separando-a do mar. E então você criou o homem, e você fez tudo do jeito que é. E quando o homem caiu você começou a se mover para redimí-lo. Você é o Deus que lapidou uma nação para si e você é o Deus que preservou esta nação ao longo da história. Você é o Deus que fez maravilhas após maravilhas. Você é o Deus que, com o seu dedo, em cima da montanha, escreveu a lei naquelas tábuas de pedra. Você é o Deus que permitiu que o seu povo saísse do Egito e você afogou o exército do Faraó. Você é o Deus que veio ao mundo em carne e que ressuscitou Jesus dos mortos. Agora Senhor, eu tenho este pequeno problema”. Isso faz perder a cor, não é?

Basicamente, nós temos muitas dificuldades em nossas vidas porque nós não definimos verdadeiramente o nosso Deus. Nós também não lembramos, para a nossa edificação, as coisas que Ele fez no passado. É isso que é o louvor. O louvor não é apenas glorificante a Deus por si só mas porque ele fala a verdade a respeito de Deus; ele glorifica a Deus porque isso afirma a nossa confiança nele.

Portanto, nós glorificamos a Deus: primeiro, ao recitar os seus atributos; segundo, ao recitar as suas obras; e terceiro, agradecendo pelos dois. Eu creio que no centro do louvor, no seu coração, está uma expressão de gratidão. Deixe-me ilustrar isso para você pedindo para você abrir comigo em Lucas 17:11, Lucas 17:11. Ouça esta história e nós terminaremos a nossa lição com isso.

“De caminho para Jerusalém, passava Jesus pelo meio de Samaria e da Galiléia. Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós”. Agora, os leprosos estavam chamando por Jesus. Eles tinham ouvido a respeito do seu poder. “Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes”. Era requerido que um leproso, para entrar de volta na sociedade por ter a remissão de sua doença, se apresentar ao sacerdote, e o sacerdote teria que verificar que ele tinha o direito de entrar na sociedade pois eles acreditavam que a doença era contagiosa. Então, “aconteceu que, indo eles, foram purificados”. Eles tiveram que tomar um passo de fé primeiro. Baseado no que eles haviam escutado a respeito de Jesus, eles fizeram isso e, ao longo do caminho, estes dez homens foram curados.

Preste atenção agora, versículo 15. “Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz” – ele fez o que? – “dando glória a Deus em alta voz, e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe”. Você entendeu o ponto? “E este era samaritano”. Ele era um misto. Alguém de fora. Somente um glorificou a Deus e como que ele fez isso? Agradecendo-o. “Obrigado pelo seu poder. Obrigado pelo que você tem feito. Obrigado pelo atributo que me permitiu ser curado. Obrigado pelo que você tem feito por mim”. Ele agradeceu pelo atributo e pelo ato. Este é o resumo do louvor.

Isso é louvor. O que eu estou dizendo é que louvor não é algo distante. Não é apenas, “Deus, este é quem você é”. Como eu louvo o seu nome. Deus, é isso que você fez. Louvado seja o seu nome”. Mas, “Obrigado por ser isso e pelo que você fez na minha vida”. Entendeu? Isso traz o louvor para onde nós estamos vivendo. E então ele diz, “Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou”. Agora, eu acredito que o que ele quis dizer com isso é que ele foi espiritualmente salvo. Eu creio que todos foram curados, mas somente um foi salvo; somente um foi redimido; e somente um voltou para agradecer.

Mas Deus é glorificado quando nós expressamos a realização do seu poder e dos seus atos por nós. Que grande verdade que isso é. Em 1 Coríntios 15:10, o apóstolo Paulo diz, “Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo”. Ele diz que o que é tão maravilhoso a respeito de Deus e do seu poder é que ele tocou a minha vida.

Agora amigos, Deus é glorificado quando nós agradecemos, quando nós expressamos gratidão pelos seus atos e seu poder por nós. Em 1 Pedro 4:11 ele diz, “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo”. Em outras palavras – lembre-se disso – se você falar os oráculos de Deus, se você servir no ministério de Deus, é por causa dele e ele recebe toda a glória.

Certa pessoa me disse que isso é como um bicho de seda que faz o seu trabalho e se esconde na seda, não sendo nunca visto. Por isso, quando nós fazemos alguma coisa digna de louvor, nós permanecemos escondidos e passamos a glória para Deus. Louvor a Deus resulta em glória a Ele. Não importa o que acontece em nossas vidas, nós devemos reconhecer que foi o seu atributo, que foi a sua obra graciosa, e então nós expressamos a nossa gratidão a Ele.

Agora, o que nós temos aprendido? O crescimento espiritual é uma questão de glorificar a Deus. Nós cresceremos quando as nossas vidas estiverem cheias de louvor. Nós cresceremos quando as nossas vidas estiverem cheias de frutos, dando muito frutos. Nós cresceremos quando as nossas vidas forem caracterizadas por confiar em Deus. Conforme nós vivemos desta forma, focando na glória de Deus, nós somos mudando de um nível de glória para o próximo, caminhando rumo a própria imagem de Cristo. Nós temos muito mais para compartilhar na próxima sessão, e nós faremos isso então. Vamos orar para encerrarmos.

Pai nosso, nós te agradecemos por novamente nos dar entendimento destas realidades práticas e fundamentais de viver para a tua glória a fim de que cresçamos em maturidade espiritual. Que nós possamos tomar estas chaves e destravar as bênçãos providas a nós. Por amor de Jesus e somente para a sua glória nós oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize