Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Nós temos tido um bom tempo estudando juntos a respeito do crescimento espiritual e, honestamente, nada é mais importante na vida de um crente do que estar envolvido no processo de maturidade espiritual. Seria muito trágico para um Cristão ficar em um estado de infância por todos os anos de sua vida na terra. Mesmo assim, é triste dizer, mas é exatamente isso que acontece em muitos e muitos casos. As igrejas estão cheias de pessoas que nunca realmente cresceram espiritualmente. Me parece que conforme os anos passam, eles permanecem nas mesmas lutas, da mesma forma, sendo derrotados da mesma maneira que eles perderam no passado. Eles não parecem estar fortalecidos. Não parece que eles têm ganhado recursos. Não parece que eles estão ascendendo em qualquer tipo de progresso espiritual que dê um sentido maior de vitória, de uma utilidade maior a Deus.

Isso é a tragédia de um processo de crescimento espiritual retardado. Nós queremos lidar com isso compartilhando os princípios das Escrituras que nos apontam na direção da maturidade espiritual.

Agora, pressupomos que Deus deseja que cresçamos. Não precisamos pressupor isso especificamente. Podemos saber isso porque em 2 Pedro 3:18 diz, “Crescei na graça”. Em 1 Pedro 2:2 diz que nós devemos “desejar ardentemente o genuíno leite espiritual”. Portanto, o crescimento é realmente ordenado. Nós somos ordenados a crescer. Paulo diz, “Não sejam como crianças, levados de um lado ao outro por todo vento de doutrina”. Nós devemos amadurecer. Nós devemos progredir em nossas vidas Cristãs.

Ontem, nós deveríamos ser uma coisa. Hoje, nós deveríamos ser outra coisa e amanhã ainda outra coisa. Na verdade, ao longo da minha vida, nos momentos que eu tenho percebido que eu não tenho tido nem um pouco de progresso rumo a semelhança de Cristo, eu me sinto totalmente perdido. Deveria haver, todos os dias, algum elemento de progresso em minha vida espiritual.

Agora, nós temos falado a respeito de algumas formas em que nós crescemos espiritualmente. Porém, nós temos dito que existe uma chave mestre do crescimento espiritual. Esta chave é: Nós crescemos conforme glorificamos a Deus. Nós sabemos o que significa glorificar a Deus agora porque estudamos isso nos últimos quatro estudos. De forma geral, entendemos que isso significa viver para a Sua honra, viver para o Seu louvor, como Paulo disse a Tito, “adornar a doutrina de Deus”. Como Jesus disse, viver a fim de que literalmente tragamos honra ao Senhor. Nós brilhamos como luzes no mundo, e o Pai, por consequência, é glorificado. Viver para a glória de Deus então significa viver o tipo de vida que manifesta piedade, que coloca Deus em evidência, que revela Cristo em nossas vidas.

Este é realmente o estado em que nós crescemos espiritualmente. Se nós não vivermos para a glória de Deus, a única alternativa que resta é vivermos para a nossa própria glória ou para a glória do diabo. Em qualquer destas duas opções, nós não crescemos nem um pouco. Somente quando vivemos para a glória de Deus é que crescemos. O nosso versículo chave é 2 Coríntios 3:18 que diz, “E todos nós, com o rosto desvendado” – em outras palavras, nós temos uma visão clara – “contemplando, como por espelho, a glória do Senhor” – agora, preste atenção – “somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem”. Em outras palavras, nós começamos a ascender a um nível de glória de cada vez, tornando-nos cada vez mais parecidos com Jesus Cristo, conforme contemplamos a Sua glória.

O foco, portanto, da vida Cristã é realmente conhecer a Deus e glorificá-lo. Esta é a expressão de Paulo quando ele diz, “a fim de que eu O conheça”. Assim, se o crente deve crescer, ele deve ter um foco e o foco é a glória do Senhor. Conforme ele se aprofunda na glória do Senhor, ele começa a crescer.

Agora, falando de forma prática, nós temos aprendido que isso significa diversas coisas. Primeiro, nós glorificamos a Deus quando nós confessamos Jesus como Senhor. Em Filipenses, capítulo 2, diz que nós devemos “confessar Jesus como Senhor, para a glória de Deus”. Deixe-me resumir isso de forma bem simples. Se nós devemos crescer, nós cresceremos conforme nós glorificamos ao Senhor. Nós iremos de um nível de glória ao próximo. Nós iremos de bebês, a jovens, para pais espirituais, somente quando glorificamos a Deus; somente quando vivemos em Sua glória; conforme O honramos com nossas vidas.

Isso significa, primeiramente, que devemos confessar Jesus como Senhor. Você não pode viver para a glória de Deus a não ser que você nasça de novo, a não ser que você seja um crente, a não ser que você tenha entregue a sua vida a Cristo. É isso que Paulo está dizendo. Outra coisa que eu gostaria de lembrá-lo que tornar-se um Cristão não é, basicamente, para lhe tirar do inferno, para você experimentar bênçãos, mas tornar-se um Cristão é antes de tudo para que você viva para a glória de Deus porque foi para isso que Ele o criou.

Ë sempre interessante para mim que tudo o que Deus fez foi para dar glória a Ele. “Os céus proclamam a glória de Deus”, “os animais da terra rendem glória a Mim”, diz Isaias. Os anjos disseram, “Glória a Deus nas alturas”. No entanto, é incrível como os seres humanos resistem dar glória a Deus. Na verdade, em Romanos 1 diz, “porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus”. Esse é um legado terrível da pecaminosidade humana que o homem não dá glória a Deus. Por isso, o homem nunca progride espiritualmente.

Agora, quando nós convidamos Cristo às nossas vidas, quando nós O confessamos como Senhor, quando nós O reconhecemos como Salvador e Mestre, então acontece o nascimento que inicia o progresso do crescimento espiritual. Agora, como que nós crescemos espiritualmente uma vez que estamos salvos? Bom, há uma segunda forma. Crescemos espiritualmente conforme nós focamos nossas vidas nesta glória. Em outras palavras, nós estamos salvos, isso faz com que nós reconheçamos a Deus, e então focamos a nossa vida – tudo o que fazemos – em glorificar a Deus.

O versículo que usamos é 1 Coríntios 10:31. Ele diz, “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. Comer e beber são as coisas mais cotidianas que há. As coisas simples da vida, como comer e beber, devem ser feitas para a glória de Deus. Agora, preste atenção, conforme você vive desta forma, fazendo tudo para a glória de Deus, você perceberá em sua vida o poder do Espírito de Deus conduzindo você na trilha da maturidade.

Agora, nós compartilharmos outras coisas também. Existe um terceiro elemento na glorificação a Deus que nos dá o crescimento. Este elemento é a confissão de pecado. Josué 7:19 diz, “Confesse o seu pecado e dê glória a Deus”. Nós glorificamos a Deus ao confessar pecados. Vimos também que damos glória a Deus ao confiar Nele. Romanos 4:20 diz que Abraão “pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus”. Portanto, conforme nós confessamos Jesus como Senhor, conforme focamos nossas vidas em Sua glória, conforme confessamos o nosso pecado e confiamos em Deus, nós damos glória a Ele; em resposta a isso, Ele nos atrai como um imã espiritual rumo a semelhança de Cristo.

Vimos também em nossos estudos anteriores que existe uma quinta forma de glorificarmos a Deus. Nós o glorificamos através de nossos frutos. João 15:8 diz, “Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto”. Também vimos que glorificamos a Deus ao louvá-Lo. O Salmo 50:23 diz, “O que me oferece sacrifício de ações de graças, esse me glorificará”. Assim, vimos, pelo menos, seis formas em que glorificamos a Deus e em cada uma destas áreas, ao nos rendermos a isso, amadureceremos.

Não existe nenhum grande segredo nisso. Não existe nenhuma mágica divina. Não existe nenhum negócio especial que acontece. Você não passa por algo de repente e você chega lá. Existe um ritmo constante de crescimento que ocorre em nossas vidas na medida em que estamos glorificando a Deus. Além disso, isso é sinônimo de andar no Espírito, viver no Espírito, obedecer a Palavra de Deus, permitir que a Palavra de Cristo habite ricamente em vocês. Isso significa que em nossa confissão de pecado, em nossa confiança Nele, em nossa frutificação, em todas estas áreas, nós estamos nos submetendo à Sua glória.

Agora, eu gostaria de adicionar outro ponto ao nosso estudo nesta noite; uma sétima forma em que nós glorificamos a Deus. Glorificamos a Deus ao amá-Lo o suficiente para obedecê-Lo. Nós glorificamos a Deus ao amá-lo o suficiente para obedecê-Lo. Eu gostaria que você abrisse comigo em João capítulo 21; João, capítulo 21. Este é um ponto muito importante. Nós falamos sobre ele brevemente em um ponto anterior, mas eu gostaria de enfatizá-lo porque eu creio que a obediência é muito importante.

Na verdade, se eu pudesse resumir a vida Cristã em uma palavra, esta palavra seria “obediência”. Com esta palavra eu não quero dizer apenas uma obediência externa, mas um espírito de obediência, um coração de obediência. Isso é algo diferente da menina que estava em pé. Você se lembra da história. O pai dela disse, “Sente-se”. Ela permaneceu em pé. Ele disse, “eu falei para você sentar”. Ela continuou em pé desafiando-o. Ele disse, “Sente-se ou você vai apanhar”. Ela sentou, olhou para o seu pai e disse, “eu estou sentada, mas no meu coração eu estou em pé”.

Não é esse tipo de obediência que nós estamos falando. Não é o tipo em que você está obedecendo aqui mas desobedecendo no seu coração. Não é um legalismo opressor mas um espírito de abundância. Deveria haver na vida do crente uma disposição de obedecer.

Agora, conforme nós olhamos para o capítulo 21 do evangelho de João, você chega ao incidente em que Jesus confronta Pedro querendo firmar Pedro no ministério. Por isso, do versículo 15 em diante, Ele confronta Pedro com este elemento muito importante do amor. Glorificar a Deus significa que você o ama o suficiente para obedece-Lo. Agora, para lhe dar um pouco de conhecimento, volte para o versículo 15 e vamos ver o que está acontecendo.

Ele diz aqui, “Depois de terem comido”. Eles tinham se encontrado na praia e comeram juntos. Jesus então confronta Simão Pedro e diz, “Simão, filho de João, amas-me mais do que estes outros?” Ele usa uma palavra no grego, uma palavra magnânima para o amor, a maior palavra para o amor, agapáo, agápe. Ele diz, “Você me ama intencionalmente Pedro? Você me ama completamente? Eu sou o epítome das suas afeições, mais do que esses?”

Algumas pessoas acham que “estes outros” significa as redes, os barcos, a pesca, que eram muito amados por Pedro. Outros pensam que “estes outros” significam os discípulos. Você me ama mais do que estes me amam? Como você disse certo dia que se todos me abandonassem, você nunca faria isso porque você me ama tanto assim? Seja qual for a referência de “estes outros”, Ele estava perguntando a Pedro se ele o amava. “Você me ama incondicionalmente?”

“Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo” – e ele não usou agapao, ele usou filéu, que significa “eu gosto muito de você”. Jesus disse, “Você me ama incondicionalmente?” e Pedro não queria dizer, “Ó Senhor, eu te amo incondicionalmente”. Você sabe por que? Jesus teria dito a ele, “Ah é? Você se esqueceu do que eu falei? ‘Se você me ama, você guardará os meus” – o que? – “mandamentos”. Pedro não poderia dizer que tinha esse amor porque ele não tinha nenhuma evidência disso.

Assim como o rapaz que escreveu a sua amada e disse, “Eu passaria pela areia queimando para estar do seu lado. Eu nadaria o canal inglês para estar perto de você. Se não chover hoje, eu irei aí”. Pedro não tinha a audácia, ou a coragem, seja o que for, de dizer, “Ah, Eu te amo”, desta forma, porque ele tinha sido pego em um ato de desobediência. Portanto ele diz, “Eu gosto muito de você”. Ele estava tentando entrar pela porta dos fundos, imaginando que o Senhor, no mínimo, aceitaria isso.

Ele disse, “Tudo bem, apascente as minhas ovelhas”. O que ele queria que Pedro fizesse era apascentar as Suas ovelhas. Ele queria que ele se tornasse um pastor. Ele queria que Pedro fosse a pessoa que pregaria a Palavra, que ajudasse a construir o reino, e ele aceitou Pedro neste nível. “Pela segunda vez, Ele disse, Simão, filho de Jonas, você me ama incondicionalmente? Ele disse, sim Senhor, você sabe que eu gosto muito de você. Ele disse, Apascente as minhas ovelhas. Ele disse pela terceira vez, Simão, filho de Jonas” – e então ele usa a palavra de Pedro, e diz, “você gosta muito de mim?” E isso machucou. “Pedro entristeceu-se por Ele lhe ter dito, pela terceira vez: você gosta muito de mim?” Ele não estava triste porque disse aquilo três vezes. Ele estava triste porque na terceira vez Ele até mesmo questionou o amor que Pedro achava que poderia usar para se safar. “E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu gosto muito te você”.

Agora, o ponto é esse. Jesus não pode usar ninguém que não o ame. Viver para a Sua glória significa amá-lo, e talvez o seu amor não é tudo aquilo que poderia ser. Talvez não seja agapao. Talvez não seja um amor supremo. Porém, se for um firme filéo, Cristo lhe usará. Ele o conduzirá a partir de onde você está e lhe fará crescer. Ele queria que Pedro ministrasse, mas Ele sabia que havia um pré-requisito, Pedro deveria amá-lo. Não, ele deveria amá-lo o suficiente para obedecê-lo.

Assim, tendo dito isso, Ele lhe disse no versículo 18, “Em verdade, em verdade te digo”. Vimos este versículo em um dos nossos estudos anteriores, mas vamos olhar a partir de um outro ângulo. “que quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres. Disse isto para significar com que gênero de morte Pedro havia de glorificar a Deus”.

“Muito bem”, ele disse, “Pedro, você realmente me ama, não é? Bom, eu tenho algo para lhe dizer. Você morrerá por mim. Sim, Pedro, se você continuar no meu serviço, se você for e apascentar as minhas ovelhas, apascentar os meus cordeiros, isso vai lhe custar a sua vida”. Então, ele faz uma pequena afirmação no final do versículo 19, “Segue-me”.

Agora, este é o grande teste. Seria uma coisa seguir ao Senhor se ele lhe falasse, “Ah, veja, segue-me e você terá sucesso. Segue-me rapaz, e vai ser fácil fácil”. Saúde, riqueza, felicidade: são estas coisas que as seitas prometem. É isso que o cristianismo moderno está prometendo a muitas pessoas também, não é? Seja rico, famoso, com muito sucesso, e tudo será maravilhoso. Mas ele não disse isso a Pedro. Ele disse, “Pedro, você me ama? Segue-me. Isso lhe custará a sua vida”. Bom, a implicação é que Pedro disse, “Tudo bem”.

Porque entre os versículos 19 e 20, Jesus se levantou e começou a andar, e Pedro se levantou rapidamente e O seguiu. Eles começaram a andar e Pedro iria segui-Lo, mesmo isso custando a sua vida. Ele então, em seu caminho, no versículo 20, lá diz, “Pedro, voltando-se”. Ou seja, ele não pode resistir, então ele se voltou para dar uma olhada. E ele viu o “discípulo a quem Jesus amava”. Quem é esse? João, “o qual na ceia se reclinara sobre o peito de Jesus”.

Portanto, Pedro olhou e ali estava João. Agora, ninguém precisou mandar João seguir. Ele sempre seguiu. Pedro olha para ele e diz a Jesus, “Senhor, bom, e quanto a este?” “Quer dizer, eu vou morrer. O que vai acontecer com ele?” “Respondeu-lhe Jesus: Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?” Se ele viver até a segunda vinda, isso não é da sua conta. Que declaração.

Sabe, havia um rumor que correu por todo lugar. Você ouviu falar que João viverá até a segunda vinda? João teve que escrever os três últimos capítulos para acabar com esse rumor. Jesus disse que se ele vivesse até a segunda vida, isso não seria da sua conta, então ele diz no final do versículo 22, “Quanto a ti, segue-me”.

É aqui que o evangelho de João termina. Quando você o pega novamente e vira a página, você está no livro de Atos. A primeira coisa que você fica sabendo é que Pedro se levantou em Jerusalém, pregou um sermão fantástico, 3000 pessoas foram salvas. Ele vai até o templo, cura um homem coxo e o homem sai dançando pelo templo, louvando a Deus. A coisa seguinte que você fica sabendo é que ele confronta o Sinédrio e fala exatamente o que ele pensa a respeito deles, dizendo, “Não existe salvação de baixo de qualquer nome a não ser do nome de Jesus Cristo”. Ele diz, “Vocês podem pedir para ficarmos quietos, mas nós não ficaremos. Quem devemos obedecer, homens ou Deus?”

E claramente até o capítulo 13 de Atos, ele é uma luz brilhante para a igreja primitiva. Ele chega a tal ponto de escrever duas epístolas gloriosas, expressando nestas epístolas a alegria tremenda, alegria no seu coração de ser chamado para o serviço do Senhor. Em 2 Pedro, capítulo 1, ele diz, “veja, eu quero lhes dizer algo, ‘Daqui a pouco eu vou ter que deixar este meu tabernáculo, assim como o Senhor Jesus Cristo me mostrou”. Eu vou morrer um dia desses.

Agora, se eu vivesse toda a minha vida sabendo que eu seria um mártir, eu ficaria de olho em todos os cantos. Ou seja, se eu tivesse ouvido que eu seria um dia crucificado eu estaria fugindo de todo tipo de depósito de madeira. Eu ficaria louco com isso. Mas Pedro diz, “eu estou lhe dizendo, eu preciso terminar o meu ministério”. Ele está com a perspectiva certa, “porque eu tenho um tempo limitado, pois eu vou morrer”. E eu gostaria que vocês pudessem, depois da minha morte, lembrar destas coisas. Por isso que eu estou falando isso, escrevendo para vocês, porque eu desejo servir a Cristo até morrer. E essa era a morte, pronunciada por Jesus, pela qual ele glorificaria a Deus.

Agora, Pedro amou Jesus o suficiente a ponto de morrer por Ele, e isso glorifica a Deus. Este é o princípio da maturidade espiritual, pessoal. Você glorifica a Deus quando você o ama o suficiente para obedecê-lo, mesmo se isso for algo difícil. Deus é glorificado na disposição que nós temos de fazer um sacrifício por causa Ele. Moço, essa é uma verdade tremenda. Eu realmente creio que isso faz parte do crescimento espiritual. Você cresce conforme você se dispõe a obedecer à Sua vontade, não importa qual seja o custo. Desde que você esteja intersectando a vontade de Deus com a sua, você não está disposto a tomar os passos necessários aqui ou ali a não ser que eles se encaixem com as suas condições. Com isso, você está retardando o seu crescimento espiritual.

De forma bem simples, o crescimento espiritual é um abandono seu à vontade de Deus. Quando sua vida é caracterizada pela obediência, é quase como que, fazendo uma analogia física, toda vez que você obedecesse ao Senhor, você crescesse um centímetro. Toda vez que você desobedecesse, você retardaria o seu crescimento. Portanto, nós glorificamos a Deus ao amá-lo o suficiente para obedecê-lo. E enquanto vivermos uma vida de obediência, essa será uma vida Cristã de constante amadurecimento.

Aqui está um oitavo ponto, e este é realmente muito vital. Nós glorificamos a Deus pela oração. Isso significa então, que a oração é um elemento muito vital no crescimento espiritual. Olhe comigo em João, capítulo 14. Agora, claro, nós poderíamos falar muito a respeito de oração. Ela está por todos os lados na Bíblia. Mas, queremos seguir adiante para podermos falar a respeito de todos os pontos que precisamos. Vamos, porém, focar nesta passagem para este ponto. Nós glorificamos a Deus através de nossas orações.

Agora, veja João 14:13-14. “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei”. Preste atenção. Vamos parar aqui por um minuto. “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei”. Essa é uma ótima promessa, não é? Na verdade, ela é repetida no versículo 14 se você não entendeu. “Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”.

Agora, você sabe por que Deus responde orações? As pessoas dizem, “Bom, Deus responde a oração a fim de nos dar o que queremos. Deus responde a oração porque ele tem que responder. Ele fez uma promessa”. Bom, tudo isso, de certa forma, é verdade. Porém, a verdadeira razão pela qual Deus responde oração é dada no versículo 13, a palavra ali é hina uma clausula de propósito no Grego. Deus responderá a sua oração em nome de Cristo, “a fim de que” – o que? – “o Pai seja glorificado no Filho”. A razão pela qual Deus responde a oração não é por sua causa. É por causa Dele, você vê? É porque Ele tem benefícios, e Ele se coloca em evidência.

Agora, eu não acho que nós realmente entendemos isso. Alguns de nós relutamos para orar porque nós não temos certeza de que Deus irá nos responder. Nós não entendemos. Deus responderá porque Deus deseja colocar-Se em evidência. Assim, quando eu oro, eu glorifico a Deus. Por que? Porque eu dou a Deus a oportunidade de operar, e conforme eu dou a Deus a oportunidade de operar, Ele se manifesta e recebe glória. A oração é um elemento vital no crescimento espiritual. Você não crescerá a não ser que você interaja com Deus e veja o seu poder sendo demonstrado. Isso aumentará a sua fé conforme você pratica isso. A fé é um elemento chave no crescimento espiritual, um ponto muito importante.

Agora, deixe-me olhar novamente para o versículo 13 com você por um segundo, e vamos ver o que ele está dizendo. Os discípulos estavam, com razão, muito perturbados porque Jesus estava indo embora. Ele havia falado que Ele estava indo embora e que isso aconteceria logo. Eles não O veriam mais, e Ele enviaria o Consolador. Eles estavam muito cientes de que Jesus estava partindo. Na verdade, alguns versículos mais para frente, Ele reintera isso. Ele disse, “Eu vou preparar um lugar para vós” e muito mais, e não fiquem tristes com isso. Eu retornarei e receberei vocês.

Mas veja, eles estavam realmente com medo porque eles colocaram todas as suas fichas nisso, e agora Jesus iria embora e onde ficariam os seus recursos? Quando eles precisaram do dinheiro do imposto, sabe, Jesus tirou da boca de um peixe. Quando eles ficaram com fome, Ele criou pão e peixe. Quando eles não tinham um lugar para reclinar a cabeça, Ele os confortou e eles ficaram, juntos, nas colinas da Galiléia ou no Jardim do Getsêmani. Ele era um amigo amável. Ele era um recurso espiritual, teológico e econômico. Ele era tudo para eles. Ele era o futuro de suas vidas assim como o seu presente. E agora ele está indo embora e eles estão em pânico. Ele diz, “Vejam, não se preocupem. Mesmo que eu vá embora, vocês ainda terão os recursos, porque o que vocês precisarem e pedirem em Meu nome, eu farei. Eu não preciso estar aqui”.

Agora, essa é uma ótima promessa. As pessoas dizem, “Bom, ele diz aqui, ‘o que você pedir em meu nome’”. Agora, isso é mais do que uma formula, não é? Algumas pessoas acham que isso significa que no final de toda oração que você disser, “em nome de Jesus, Amém” isso amarra Deus. Às vezes você ouve na oração de alguém a pessoa apenas dizer, “amém”. E então algumas pessoas dizem, “Ah, não vai acontecer”. Ele não vai conseguir isso. Você tem que dizer, “Em nome de Jesus, Amém”. Porque você precisa falar isso para amarrar Deus a isso, não é? Ele tem que fazer isso.

Não é disso que o texto está falando. A oração não é uma questão de pequenas fórmulas. Não é dizer que se você não falar, “Em nome de Jesus, Amém”, que a oração não vai passar do teto. O que significa, “Em meu nome”? Bom, se você estudar a Bíblia, você descobrirá que todas as vezes que você vê o “nome de Deus” ou “o nome de Cristo”, este é o conceito que abrange tudo o que Ele é. “Meu nome é Eu sou o que Eu sou”. O nome de Deus é a personificação de tudo o que Ele é, e o nome de Cristo é a personificação de tudo o que Ele é.

O que ele está dizendo é que quando você pede consistentemente de acordo com quem Eu sou e o que Eu desejo, Eu farei. Ele está simplesmente dizendo, “quando você ora de acordo com a Minha vontade”, entendeu? Quando você ora de acordo com tudo o que Ele é. Agora, você deveria guiar a sua vida de oração nesta trilha se você deseja crescer espiritualmente, se você deseja ver Deus em evidência, o que aumenta a sua fé e conduz você ao crescimento espiritual. Use essa expressão no final de sua oração, ao invés de dizer, “Em nome de Jesus, Amém”, “Eu oro isso porque eu creio que esta é a vontade de Cristo”. É isso que o versículo está dizendo.

Agora, você pode ter cuidado a respeito disso na próxima vez que você orar e disser, “Senhor, eu gostaria de um carro novo. Senhor, eu não gosto do carro que eu tenho agora. Eu gostaria de ter um carro novo e eu peço isso porque eu creio que esta é a vontade de” – Não. Não. Isso provavelmente não vai dar certo. Ou, “Senhor, eu apenas, eu tenho esse marido, Senhor. Eu não sei como falar isso, Senhor. Tem algum jeito de eu conseguir um outro? Eu peço isso porque eu creio que” – Não. “Senhor eu tenho esse filho, sabe. Senhor, eu tenho quatro, e três deles são ótimos. De quem que é esse filho? Tem algum jeito? Eu peço isso”. Não. Isso não dá certo. É como a criança que orou, “Deus, abençoe a mamãe. Deus abençoe o papai. E Deus, eu quero uma bicicleta nova”. E a sua mãe diz, “Deus não é surdo”. Ele diz, “Eu sei, mas a vovó que está no outro quarto não consegue ouvir muito bem”.

Sabe, nós estamos tentando enganar a Deus, percebe? Nós estamos querendo forçar a mão de Deus, a amarrá-lo através de uma ideia mal interpretada do que significa a promessa Dele. Não, orar em Meu nome realmente limita as nossas orações. Eu posso orar, “Deus, eu oro para que nesta situação em que esse querido irmão que está doente possa crescer espiritualmente, que ele possa ter uma nova visão de Ti, que o seu coração possa ser fortalecido em meio a essa tribulação. Isso eu peço porque eu creio que isso é a vontade de Jesus Cristo”, certo? Isso é consistente com quem Ele é e com o que você sabe ser a vontade Dele.

Agora amados, é precisamente isso que significa orar no Espírito. Orar no Espírito não é cair para trás. Orar no Espírito não é falar em outro idioma ou em uma língua estranha. Orar no Espírito é orar consistentemente com a vontade do Espírito de Deus. O Espírito de Deus está sempre orando na vida do crente, sempre. Na verdade, Romanos 8 diz que “nós não sabemos orar como convém. Por isso o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. Em outras palavras, com uma linguagem não verbal entre o Espírito em nós e o Pai no trono, Ele sempre ora por nós e a Sua oração é sempre respondida porque Ele conhece a mente do Pai. Portanto, orar no Espírito é alinhar as minhas orações à vontade do Espírito e a vontade de Cristo. O melhor lugar para começar a fazer isso é descobrir a vontade Deles olhando para a Palavra de Deus.

Comece a orar de acordo com a Sua vontade. Isso não é tirar o corpo fora. Isso é o que a Bíblia manda fazer. Agora, quando você ora de acordo com a vontade Dele, Ele fará aquilo a fim de que Ele seja glorificado.

Agora, você quer saber de uma coisa? Ele pode fazer isso mesmo quando você não orou. Isso mesmo. Se era da vontade Dele fazer aquilo, Ele fará de qualquer forma. Mas sabe de uma coisa? Você não teria a oportunidade de ver Ele fazendo isso. Você não estaria ali e, por isso, você não daria glória a Ele.

Uma ilustração. Se alguém viesse a um culto de oração, ficasse em pé e dissesse, “A coisa mais incrível aconteceu comigo, sabe? Esta senhora com quem tenho compartilhado Cristo, tenho orado por ela por anos, nessa semana nós nos ajoelhamos em minha casa, ela abriu o seu coração, e convidou Jesus Cristo para entrar. Eu estou muito feliz. Agora, ela é uma crente e ela está aqui conosco nesta noite. Obrigado por orarem por ela nestes últimos meses”.

Imediatamente, quando isso acontecer, vários sussurros aparecerão e alguém dirá, “Louvado seja o Senhor”. Eles ficarão com uns sorrisos bem grande nos seus rostos. “Ó Senhor, obrigado”. Você sabe quem serão estas pessoas? Quem serão elas? Essas pessoas estavam fazendo o que? Elas estavam orando por ela. E haverá algumas pessoas que estarão ali, olhando de um lado para o outro, completamente indiferentes. Sabe por que? Porque elas não estavam envolvidas.

O motivo da oração não é forçar a mão de Deus. O motivo da oração é para que você esteja dentro do que Ele está fazendo, porque então você poderá juntar -se ao coro de aleluia, vê?, e louvá-lo. Havia um rapaz em nossa igreja que o nome dele era Frank. O Frank se aproximou de mim um dia no estacionamento e disse, “John”, ele disse, “eu gostaria de orar por você mas eu não sei sobre o que orar”. Então ele disse, “Você poderia me falar de três pedidos seus?” Eu disse, “Tudo bem”. Eu achei que aquilo tinha sido um pouco estranho. Então ele pegou um caderno de anotação, aqueles com espirais, e ele escreveu um pedido, depois o outro e depois o outro.

Então, eu fui embora e fiquei pensando no caminho, “Bom, isso foi um pouco diferente. Eu nunca vi alguém fazer isso desse jeito”. Depois ele se aproximou de mim e disse, umas duas semanas depois, “John, eu gostaria de saber a respeito daqueles três pedidos”. Então ele voltou algumas páginas onde estavam os três pedidos e disse, “O que aconteceu com o número um, o número dois e o número três?” Então, nós conversamos por dez minutos e eu disse a ele, e ele escreveu tudo em outra coluna. Então ele tinha um pedido aqui e uma resposta ali.

Em uma certa ocasião eu pude visita-lo em sua casa antes dele se mudar para Detroit e eu percebi que ele tinha 13 daqueles cadernos cheios e que ele estava preenchendo o número 14. Agora, sabe, aqui está um sujeito que tem visto Deus ser demonstrado, não é? Você pergunta para ele, “Frank, você acredita que Deus responde a oração?” “Que tipo você gostaria de ver? Eu tenho tudo anotado. Eu tenho uma pilha de salvações nesta página, e aqui tem outras, sabe” – Você percebe? O que ele estava fazendo era permitir que Deus demonstrasse o Seu poder em sua vida ao participar do que Deus estava fazendo.

Essa é a primeira questão com a oração, não receber o que eu quero, mas permitir que Deus se revele. Se, residualmente, eu receber o que eu quero, muito bem. Porém, o mais importante é que eu receba o que eu preciso, não é? E às vezes o que eu preciso não é o que eu quero. A questão da oração então é permitir que Deus se revele. Que coisa maravilhosa é isso. E, pessoal, se você vai crescer espiritualmente, você crescerá espiritualmente enquanto você vê o poder de Deus sendo demonstrado. A oração coloca você nessa experiência.

E eu vou dizer algo, quanto mais você ora, quanto mais você é fiel em sua vida de oração, mais rápido será o seu crescimento espiritual porque Deus fará coisas grandiosas e poderosas que você não sabe, e a sua confiança no Seu poder aumentará a sua maturidade espiritual. Assim glorificamos a Deus pela oração.

A nona chave do crescimento espiritual, a nona maneira em que glorificamos a Deus. Essa é muito importante. Na verdade, eu poderia falar sobre essa por muito tempo. Nós glorificamos a Deus ao proclamar a Sua Palavra. Nós glorificamos a Deus ao proclamar a sua Palavra. 2 Tessalonicenses 3:1, “Finalmente, irmãos” – eu sempre meio que ri um pouco disso porque Paulo diz, “finalmente” e continua por mais 18 versículos, um estilo típico de pregação. “Finalmente, irmãos, orai por nós” – e pelo que vamos orar? – “para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada”. Eu gosto muito disso. Eu gosto disso.

“A Palavra do Senhor” é, na verdade, a expressão de Deus. Ele é sinônimo de Sua Palavra. A Sua Palavra no Antigo Testamento, que sai da sua boca, a Sua Palavra no Novo Testamento no Cristo vivo, é sinônimo de Sua pessoa e Deus é glorificado quando a Sua Palavra é proclamada. Em Gálatas 1:23-24 nós lemos isso, e claro, isso está falando a respeito do apóstolo Paulo, da sua conversão e seu subsequente ministério. Ele diz que as igrejas da Judéia “ouviam somente dizer: Aquele que, antes, nos perseguia, agora, prega a fé que, outrora, procurava destruir”.

As igrejas ouviram falar que este rapaz, Saulo de Tarso, que andava ocupado perseguindo a fé, estava agora pregando a fé. E o que eles fizeram? Versículo 24, “E glorificavam a Deus a meu respeito”. Por que eles glorificaram a Deus? Porque a Palavra estava sendo pregada; a Palavra estava sendo proclamada.

Agora, Deus é glorificado em Sua Palavra. Toda vez que você proclama a Palavra de Deus, você dá glória a Ele. Por que? Porque você está reconhecendo que ela é verdade. Você está reconhecendo que ela é uma Palavra que traz vida; uma Palavra que muda vidas; uma Palavra que transforma vidas; uma Palavra que sustenta vidas. Você está dizendo que essa Palavra é poderosa, viva e poderosa, mais afiada que uma espada de dois gumes. Quando você proclama a Palavra de Deus como a fonte absoluta da verdade, você está honrando e glorificando a Deus porque Ele diz a mesma coisa a respeito de Sua Palavra que você está dizendo quando você a ergue como o padrão.

Na verdade, em Atos, capítulo 13:48, é onde eu acho que diz, “E quando os gentios ouviram isso” – isto é, eles ouviram a mensagem de vida eterna – “regozijavam-se e glorificavam a palavra do Senhor, e creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna. E divulgava-se a palavra do Senhor por toda aquela região”. E aqui, novamente, eles glorificaram a Deus na proclamação da Palavra.

Agora, isso é muito básico e eu não quero ficar muito no básico e falar de coisas que nós já falamos antes, então deixe-me dizer algo. Não existe crescimento espiritual sem a introdução da Palavra. Você não pode crescer sem alimento, certo? Isso deveria ser um processo diário. Você não pode vir à igreja no Domingo, receber a sua mensagem e dizer, “Que bela mensagem. Eu espero que consiga aguentar e que isso me sustende até a próxima semana”, da mesma forma como se você jantasse no Domingo a noite e dissesse, “Agora, Senhor, nós estamos tendo um ótimo jantar neste Domingo e oramos para que aguentemos até o próximo Domingo”. Você deve se alimentar no Domingo a noite, na Segunda, na Terça e por aí vai.

A mesma coisa é verdade espiritualmente. Deve haver uma alimentação diária na Palavra. Mas preste atenção. Existe uma glória maior do que a alimentação que é a dádiva porque, enquanto você proclama a Palavra e a espalha, você acaba firmando-a em sua vida. É como aquele ditado que diz, “Quanto mais você dá mais você recebe”, certo? Eu descobri, como professor, que as coisas que eu ensino, eu me lembro. As coisas que eu leio mas não passo para frente, eu esqueço.

Assim, Deus é glorificado na proclamação da sua Palavra. O servo de Deus deve dar a mais alta prioridade à proclamação da Palavra. Quando você fica em silêncio a respeito do evangelho, e quando você fica em silêncio a respeito da Palavra de Deus, ela não está nos seus lábios o tempo todo, você retardará o seu crescimento espiritual.

Sabe, voltando em Deuteronômio, Deus disse ao povo de Israel, “Vocês deveriam falar a respeito da minha lei quando vocês se levantam, sentam, deitam e andam. Ela deve estar na sua boca o tempo todo. Vocês deveriam coloca-la em algo e pendurar entre os seus olhos, na testa de vocês. Vocês deveriam colocá-la em seus pulsos. Coloquem-na em uma caixinha e coloque nas portas de suas casas. Falem a respeito dela o tempo todo, o tempo todo, o tempo todo. A Palavra deveria literalmente preencher os seus corações e as suas mentes para que, quando vocês abrirem a boca, ela saia”.

Trumbull foi um grande conquistador de almas há muitos anos atrás. Ele disse que o que fez a diferença em sua vida, a coisa que mudou totalmente a sua vida foi quando ele fez um voto a Deus. E este foi o voto dele. Ele disse “Deus, me dê a força, para que todas as vezes que eu começar um assunto em uma conversa, que sempre seja a respeito de Jesus”. Ele cumpriu aquele voto ao longo de sua vida. Todas as vezes que ele abria a sua boca, começava uma conversa a respeito de Jesus. Ele ficou saturado naquilo. Tão saturado que quando ele abria a boca, era isso que acontecia.

Sabe, eu passei muito anos estudando a Bíblia, pregando e eu sei que se você me acordasse no meio da noite e eu levantasse eu provavelmente recitaria versículos bíblicos ou pregaria um sermão. Eu sonho a respeito de coisas espirituais. Eu tenho sonhos bíblicos. Isso acontece muito. Ou sonhos a respeito da igreja. Esse é o contexto do meu pensamento. Eu agradeço a Deus por isso. Deus tem sido gracioso comigo porque ele poderia me ter colocado em outro lugar e eu não teria o privilégio de estudar a Bíblia o tempo todo.

Mas, encher a mente disso...e então, quando você a ensina, quando você precisa ensinar a Palavra como eu faço, ou como qualquer outro mestre da Bíblia, você precisa toma-la e saturar-se, saturar e saturar. Você não pode apenas escrever anotações e falar tudo. Ela tem que passar por você. O que você passar tem que fazer parte de você a tal ponto que isso controle a sua vida. E enquanto você a proclama, sua vida está evidentemente glorificando a Deus ao falar da Sua Palavra.

Agora pessoal, sendo honesto, eu vou além disso. Se a mula de Balaão falou a Palavra de Deus, glorificou a Deus. Se Ciro, que nem era um crente, falou a Palavra do Senhor, ele O glorificou. Se o malvado Caifás, o sumo sacerdote, proferiu a Palavra de Deus e ela aconteceu, ele glorificou a Deus. Quando a Palavra de Deus é pronunciada, ela O glorifica, porém, muito mais quando ela parte da vida de um crente.

O que eu estou dizendo é que você não consegue crescer espiritualmente se você não está proferindo a Palavra de Deus. Eu acredito que é essencial para o crescimento espiritual falar a verdade da Palavra de Deus. Devemos dar uma alta prioridade em nossas vidas à Sua Palavra, este elemento tão essencial.

Em 2 Timóteo, capítulo 3, para lhe dar um outro pensamento a respeito, diz, “Toda escritura é inspirada por Deus, e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”.

Agora, preste atenção. Qual é o objetivo da maturidade espiritual? Ser perfeito, maduro e crescer. Como que você faz isso? Toda Escritura conduz você no caminho da doutrina, da repreensão, da correção, da instrução na justiça, com uma outra clausula de propósito, “a fim de que o homem de Deus seja perfeito”. Assim, o processo é o processo da obra da Palavra de Deus no seu coração. Isso nunca acontece tão bem na sua vida mais do que quando você a ensina a outra pessoa, pregando para alguém, compartilhando-a com alguém. Isso é o que a faz criar raízes no seu coração.

E claro, em 2 Timóteo 2:15, nós temos uma palavra especial que diz, “Estude” – ou – “Seja diligente” – “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Essa frase significa literalmente “cortar reto”. Paulo era um fabricante de tendas e ele fazia isso cortando modelos. Ele fazia tendas da pele de cabra e nenhuma cabra era grande o suficiente para uma tenda. Não havia nenhuma super cabra, para fazer uma tenda. Elas eram animais pequenos. Por isso, você tinha que costurar as peças. Se você não cortasse as peças individuais juntas, o padrão não daria certo. Ele está dizendo que se você não tiver cuidado com as partes individuais da Escritura, o todo não acontecerá.

Assim, nós devemos ser estudantes da Palavras, preenchendo nossos corações e preenchendo as nossas vidas com esta tremenda verdade. Enquanto nós a proclamamos, 2 Tessalonicenses 3:1, “A palavra de Deus se propaga e é glorificada”. Como nós glorificamos a Deus? Ao proclamar a Sua palavra: aos crentes, não crentes, àqueles que a ouvirão e que não a ouvirão.

Eu me lembro quando eu era jovem, quando eu comecei a faculdade e eu decidi que eu queria ser um pregador. Por isso, algumas pessoas queriam me ajudar a ser um pregador. Então, elas me levavam para um terminal de ônibus e me deixavam lá as 7 da noite e vinham me buscar as 9. Eles falavam para eu ficar pregando ali até eles voltarem. Eu comecei a pregar no terminal de ônibus Greyhound. Eu ia para lá com a minha Bíblia debaixo do braço, e não havia nenhuma música, ninguém comigo e eu ficava ali pregando. Agora pessoal, isso era difícil. Isso – isso não é apenas difícil, isso é tolice. As pessoas andavam por ali e eu sei o que elas pensavam. “Ele é tão jovem para ser desprovido dos seus sentidos. Sabe, um maníaco de 18 anos de idade”.

Mas eu ficava em pé lá e eu pregava, e pregava. E depois eu andava pelas ruas, e eu conversava com pessoas sobre Cristo. Mas você sabe, apesar da tolice, apesar da mensagem imperfeita que eu passava, Deus era glorificado porque era Sua Palavra, vê? Proclamar Sua Palavra dá glória a Ele. Por isso eu não estou interessado em lhe dar minha opinião. Não estou interessado em fazer críticas a livros. Deus não recebe nenhuma glória com isso. Mas proclamar Sua palavra dá glória a Ele. O maior chamado que uma pessoa pode ter em todo universo é de simplesmente ministrar, às pessoas, a Palavra de Deus.

Na verdade, eu nem quero brincar com isso. Eu só gosto de aceitar como é e passar adiante. Vocês sabem que eu sou um garçom, não sabem? Eu sou só um garçom. Apenas um mero garçom. Esse é o termo usado. Isso é o que significa “diacono”, um servo. Sou apenas um mero garçom. O Senhor prepara a refeição. Ele diz, “MacArthur, leve isso para a mesa sem estragar tudo”. Só isso. Ele não quer criatividade. Ele quer entrega. Ele não quer inovação. Ele só diz, “Leve isso pra lá do jeito que eu preparei”.

E essa é a grande, grande alegria do ministério. Nós glorificamos a Deus proclamando Sua Palavra. E enquanto nós proclamamos sua Palavra, e enquanto nós oramos, e enquanto nós O louvamos, e enquanto vivemos nossas vidas para o Seu propósito e Sua vontade, e O amamos o suficiente para obedecer, não importa o quanto vai custar, e enquanto fazemos todas essas coisas que dão glória a Ele, estamos progredindo para sermos cada vez mais igual a Cristo.

Não há outra maneira para definir a vida Cristã senão como um progresso – agora, marquem isso – um progresso para glorificar a Deus. E sabe de uma coisa? É sempre uma espécie de algo indescritível, porque quanto mais eu vivo, mais falhas eu enxergo em minha vida. Algumas pessoas dizem, “Bom, enquanto você caminha, vai ficar mais fácil”. Não, não fica mais fácil, porque quanto mais você sabe, e quanto mais você entende, mais você enxerga suas próprias limitações. E então você continua seguindo para o alvo sem nunca sentir que consegue alcançá-lo, e em seu coração você anseia pelo dia em que você vai ser como Ele, porque você O verá como Ele é.

Deixe-me lhe dar mais um pensamento neste estudo, uma décima maneira de como nós podemos glorificar a Deus. Nós glorificamos a Deus trazendo outros para Ele. Agora, esta é uma conseqüência natural da proclamação da Palavra. Nós só vamos gastar um pouco de tempo nisso. Mas, 2 Coríntios 4:15, 2 Coríntios 4:15 diz – Paulo é quem está escrevendo, claro, aos Coríntios e ele os tinha em seu coração, e estava profundamente preocupado. Em 1 Coríntios ele disse umas coisas muito duras. Ele tentou amenizar essas coisas de todas as formas possíveis, sarcasmo e tudo, ele até disse que ele iria até eles com uma vara para bater neles, todas essas coisas.

Então de certa forma ele lhes disse porque ele fez isso, e porque ele falou dessa forma em 2 Coríntios. E isso é o que ele diz em 4:15, “Porque todas as coisas-” todas as coisas que eu já fiz no ministério para vocês, na verdade todas as coisas que já aconteceram comigo, sendo “atribulado,” versículo 8; sendo “perseguido,” versículo 9; “levando sempre no corpo o morrer de Jesus,” versículo 10; sempre tendo que enfrentar a morte para o ministério; todas essas coisas difíceis que eu já fiz, “é por amor de vós”.

Aqui estava um homem que era totalmente comprometido com as necessidades dos outros. É tudo por vocês. Qual era o propósito, Paulo? “Para que a graça, -” isto é, graça salvadora, graça redentora “-multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus”. Paulo, por que você faz isso? Por que você entra na cidade quando é um lugar hostil? Quero dizer, por que você vai para onde você já sabe que vai ser perseguido? Por que você recebe todas essas críticas? Por que você não anda pelas vielas e lugares escondidos, distribui alguns folhetos, e sai da cidade rapidamente e afirma que “a Palavra não volta vazia”? Por que você confronta todo mundo? Por que você acaba na prisão? “Todas estas coisas existem para que vocês conheçam a abundância da graça salvadora”. Por que? Para que vocês possam agradecer a Deus, vê? Para que “torne abundantes as ações de graças por meio de muitos-” em outras palavras, ele quer adicionar uma outra voz ao coral de ações de graças. Ele quer adicionar mais uma pessoa que possa glorificar a Deus.

E eu acho, se você realmente me perguntar, esse é provavelmente o maior elemento de glorificação a Deus. Quando você ganha mais alguém para Cristo, você dobra o potencial, não é? Se eu posso glorificar a Deus com minha vida e ganho outra pessoa para Cristo, então isso faz com que uma outra pessoa tenha esse mesmo potencial também. Deus é glorificado quando levamos outras pessoas até Ele. E francamente, isso, também, é parte do crescimento espiritual. Uma das chaves de crescimento espiritual é ganhar pessoas para Cristo, porque isso adiciona mais uma voz àqueles que louvam e agradecem ao Senhor. É tão importante enxergarmos que essas são todas coisas simples que nós já sabemos.

Alguns dizem, “Ó, crescimento espiritual, sabe, pertence àqueles que estão muito acima de mim”. Sabe, eu costumava a ler o livro de Thomas a Kempis Imitação de Cristo, e eu lia sobre os místicos, sabe? Aqueles que se ajoelhavam para orar por oito a dez horas, e eles tinham buracos no chão de madeira por causa disso. E eu lia sobre Robert Murray Mccheyne, que ficava em pé atrás do púlpito, e ele abaixava sua cabeça até encostar em sua Bíblia e lágrimas escorriam de seus olhos e encharcava as páginas de sua Bíblia e manchava o púlpito com lágrimas.

E eu lia sobre esses tipos de pessoas que pareciam andar com Deus num nível que é incompreensível. Eu li um livro do E.M. Bounds chamado Poder Através da Oração, e esse homem era consumido hora após hora após hora com oração. E eu dizia para mim mesmo, “Ah, sabe, É inútil”. Certo? Ou seja, eu nunca vou chegar a esse nível. E isso é porque Deus usa todos de uma maneira diferente.

Mas cresciemnto spiritual não é alguma coisa mística para alguém que está bem longe numa distância espiritual viajando. Crescimento espiritual é muito simples. É uma questão de obediência, uma questão de amar ao Senhor. É uma questão de orar, louvar, crer, confessar pecados, proclamar a Palavra, produzir fruto, todas essas coisas, e ganhar pessoas a Cristo. É simples assim. É o elemento em sua vida que vai significar maturidade. E quanto mais cedo nós focarmos nessas coisas simples e básicas, mais cedo nós vamos ver o Espirito de Deus nos transformar na imagem de Cristo, de um nível de glória para outro. Vamos curvar nossas cabeças juntos e orar.

Pai, nós te agradecemos pelo nosso estudo. Nós te agradecemos porque Tu tens nos dado alguns princípios básicos que nós podemos aplicar em nossas vidas para crescermos espiritualmente. Deus, ajuda-nos a não estarmos satisfeitos onde nos encontramos, e como o apóstolo Paulo, sempre tenhamos fome em nossos corações para conhecê-Lo de uma maneira maior, e sermos mais como Ele, que nós possamos manifestar Sua plenitude nesse mundo, para o Teu louvor, no nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize