Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Esse é o nosso último estudo na série de crescimento espiritual. Nós o intitulamos de “Chaves para o Crescimento Espiritual” porque sentimos que existem algumas coisas específicas que destravam os tesouros de Deus no caminho da maturidade Cristã. Bem no começo de nosso estudo, nós compartilhamos sobre o fato que há uma chave mestra para todos cadeados pelo caminho, e esse é o conceito da glória de Deus. Essa é a chave mestra envolvida no crescimento espiritual. E então depois tem algumas chaves específicas que realmente envolvem glorificar a Deus de uma forma muito prática, e nós temos olhado para essas, como vocês já sabem.

Agora, temos sugerido a vocês, então, que o crescimento espiritual é basicamente um mero compromisso de viver para a glória de Deus. E enquanto você vive para a glória de Deus o Espirito de Deus então energiza o processo de maturidade espiritual, e você se torna mais e mais como Jesus Cristo. Você cresce em graça, você cresce em Cristo, como a Bíblia diz.

Então o crescimento espiritual é um processo. Não é algo instantâneo e vai continuar por toda a sua vida. E é um processo que precisa de uma mentalidade de glorificar a Deus para crescer, desenvolver-se e realizar-se. Nós temos que nos comprometer a glorificar a Deus para podermos crescer. E essa é só mais uma forma, como eu disse em nossa última lição, de viver uma vida cheia do Espirito, andar no Espirito, obedecer a Palavra de Deus, deixando a Palavra de Cristo habitar em nós ricamente, sendo conformados de acordo com Sua vontade, entregando os nossos corpos para serem instrumentos de justiça. Em outras palavras, todas essas coisas são formas diferentes de dizer a mesma coisa.

Eu tenho descoberto em meu estudo da Bíblia por todos esses anos que basicamente existem apenas princípios espirituais simples na Bíblia repetidos muitas vezes de muitas formas diferentes. Qualquer bom professor de Bíblia aprende uma coisa. Existem duas coisas que você precisa lembrar quando você ensina. Uma é o esquecimento. Pessoas tendem a esquecer o que elas ouvem. Então você tem que continuar repetindo. Mas a segunda coisa é a familiaridade. Você não pode repetir da mesma forma se não as pessoas vão achar que elas já sabem e elas não escutam. Então você tem que repetir coisas muitas vezes, mas sempre fazendo isso de uma forma nova e assim tem uma alegria e um ânimo nessa nova dimensão da verdade.

E é exatamente isso o que a Bíblia faz. Ela toma alguns princípios básicos espirituais que você tem que crescer como Cristão, e bate nesse assunto de diversos ângulos. A forma mais penetrante de enxergar isso é ver que o crescimento espiritual, conforme 2 Coríntios 3:18 nos diz, sai de um nível de glória para um outro nível de glória, e depois para outro nível de glória, enquanto nós somos cada vez mais conformados a imagem de Cristo.

Então nós devemos viver para a glória de Deus. Como podemos fazer isso? Até agora nós compartilhamos dez formas de glorificar a Deus. Deixe-me passar por eles rapidamente. Primeiro, nós glorificamos a Deus quando confessamos a Jesus como Senhor. É aí onde tudo começa. Filipenses 2:11, quando “confessamos que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”. Você tem que nascer para crescer. Você tem que entrar para a família. Você tem que entrar debaixo do senhorio de Cristo para começar o processo de maturidade espiritual.

Em segundo lugar, nós glorificamos a Deus quando nós apontamos nossas vida para esse propósito. Você nunca vai glorificar a Deus a não ser que você tente fazer isso. Você tem que ter isso como uma meta, e é isso o que diz 1 Coríntios 10:31 onde está escrito, “quer comais, quer bebais” essas são as coisas mais básicas da vida, “ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.”

Em terceiro lugar, nós aprendemos que glorificamos a Deus quando confessamos nossos pecados. Josué 7:19 diz, “dá glória ao SENHOR, Deus de Israel, e a ele rende louvores; e declara-me, agora, o que fizeste; não mo ocultes.” Vê? Nós glorificamos a Deus quando nós confessamos a nossa pecaminosidade, e depois de confessarmos, vamos para outra direção, arrepender-nos deles. E isso nos faz continuar a andar no caminho do amadurecimento. Você não pode amadurecer a menos que você esteja lidando com pecado e eliminando-o de sua vida.

Em quarto lugar, nós aprendemos que glorificamos a Deus quando confiamos Nele. Romanos 4:20 nos diz que Abraão “não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus”. Enquanto você crê em Deus, e segue a liderança Dele em fé confiante, isso glorifica a Ele, porque isso diz a Ele, “Deus, posso confiar em Ti”. E isso O glorifica.

Em quinto lugar, nós aprendemos em João 15:8 que nós glorificamos a Deus quando produzimos frutos. Nós glorificamos a Deus quando há um produto em nossas vidas, quando há algo visível sobre o que Deus está fazendo em nós, quando as nossas boas obras se mostram e glorificam ao nosso Pai que está nos céus, como Jesus disse. Nós devemos ser frutíferos. “Nisto é glorificado meu Pai,” conforme está escrito em João 15:8, “em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos”.

E depois em sexto lugar, nós falamos que glorificamos a Deus com louvor. “Quem me louva me glorifica”. E quando nós recitamos os atributos de Deus e suas maravilhosas obras, e agradecemos por essas coisas porque as duas coisas operam em nossas vidas, isso também nos mantém no caminho do crescimento.

E depois em sétimo lugar, nós falamos que crescemos quando somos obedientes por amor, amando-O o suficiente para obedecer a tudo o que Ele pede para fazermos. E nós vimos isso em João capítulo 21, não foi? Quando Jesus diz a Pedro que ele vai morrer, e que vai custar a vida dele. E Ele diz, “Se você me ama, se você realmente me ama como você acabou de dizer três vezes, então você vai estar disposto a morrer”. E então ele diz, “Siga-me”. E quando você está disposto a seguir, mesmo que isso signifique a morte, porque você o ama tanto assim, então você está vivendo para a glória Dele.

Nós também dissemos que glorificamos a Deus com a oração. Nós glorificamos a Deus com oração. João 14 diz que se nós pedimos qualquer coisa em Seu nome, Ele fará. “A fim de que o Pai seja glorificado no Filho”. Nós devemos orar para que Deus possa estar em exibição quando Ele age. Isso glorifica a Ele, então oração é uma forma muito essencial em que nós glorificamos a Deus.

Depois em nono lugar nós dissemos que glorificamos a Deus quando proclamamos Sua Palavra. Segunda Tessalonicenses 3:1 foi o nosso versículo, e lá fala sobre uma “propagação livre” para a Palavra, para que Deus seja glorificado.

Então, o último que mencionamos em nosso último estudo foi que, glorificamos a Deus quando levamos outros a Ele. E vimos que em 2 Coríntios 4:15, a Bíblia diz que Deus é glorificado quando nós adicionamos uma outra voz àqueles que agradecem a Deus. Quando você ganha alguém para Cristo, você dobra o potencial para glorificar a Ele.

Agora eu queria dar só mais alguns pontos para fecharmos o nosso estudo nessa seção particular que vai de certa forma resumir o que essa tremenda área de crescimento espiritual diz para nós. Um décimo-primeiro ponto – e esse é muito, muito essencial – nós glorificamos a Deus com pureza moral. E essa é uma verdade absolutamente essencial. Você não pode estar crescendo espiritualmente com um estilo de vida impuro. Deixe-me lhe mostrar em 1 Coríntios capítulo 6, e eu quero que você abra lá porque vamos ficar ali por um bom tempo. Primeira Coríntios 6:19, e lá diz o seguinte, “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?”

Agora o que Paulo está dizendo é o seguinte. Você deve reconhecer que o Espirito de Deus habita em você. Você é o templo do Espirito Santo. “Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo”. Agora, aqui nós somos ordenados a glorificar a Deus em corpo e espirito. Internamente e externamente, nós devemos viver para a glória de Deus.

O que Paulo precisamente tem em mente aqui é a área da moralidade. Para lhe mostrar isso eu quero que você volte para o versículo 12, 1 Coríntios 6:12. E eu quero passear um pouco nesse texto porque é muito importante. E francamente, hoje é, é uma parte tão essencial quanto qualquer outra coisa que possamos falar, porque nós habitamos em uma sociedade tão imoral. Até dentro da igreja de Cristo há uma tolerância com o pecado – particularmente pecado sexual – e isso não era verdade no passado na história da igreja. E nós aparentemente parecemos ser tão permissivos nessa sociedade, e Paulo tem uma palavra boa para nós nesse sentido.

Olhe para 6:12. Paulo diz, “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Depois ele diz, “Os alimentos são para o estômago, e o estômago, para os alimentos; mas Deus destruirá tanto estes como aquele. Porém o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor, e o Senhor, para o corpo”.

Agora dá para entender do que ele está falando. Fornicação é uma palavra grega, porneia [???] – de onde vem a palavra “pornografia” – isso significa “pecado sexual”. É uma palavra grande, como um cobertor, cobre qualquer pecado sexual possível. Paulo está dizendo que nós não devemos nos envolver com pecado sexual. E ele dá três razões nesse texto e eu quero que você os veja.

Primeiramente, causa danos. Em segundo lugar, controla. E em terceiro lugar, perverte você. Primeiramente, percebam no versículo 12, que eu acabei de ler para vocês. E aqui Paulo nos fala que, “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Em outras palavras o que ele está falando é, “quando se trata de liberdade cristã, nós somos livres para fazer certas coisas. Mas se fizermos essas coisas, iria nos fazer mal. Não seria para o nosso bem”.

Ele usa a palavra “convêm”. Essa é a palavra symphero [???]. Literalmente essa palavra significa “trazer junto”. E desse significado literal, veio a significar “trazer lucro”. E o que ele está dizendo é que existem coisas que não tem problema, mas elas não trazem lucro. Agora, Aristóteles usou a palavra, por exemplo, em conexão com o salário de marinheiros, e o despojo de soldados. Ele estava falando, lá, sobre o lucro que eles têm, e isso é basicamente o que significa. Significa “receber algum lucro”.

A palavra em inglês é muito interessante, “expedient”. No meio da palavra tem a parte, P-E-D, que é uma palavra que tem a ver com pés. Nós falamos sobre “peds”, e nos referimos aos nossos pés. Na língua inglesa tem um significado muito interessante na construção dessa palavra. “Exped” significa “ser pés livres”. O conceito de “pés livres” significa o seguinte na raiz da palavra. Significa que os seus pés estão livres de emaranhamento. Em outras palavras, existem certas coisas que eu posso vir a fazer, mas se eu fizer eu não teria pés livres, eu ficaria emaranhado. Há coisas que me fariam mal.

Então todas as coisas são licitas num senso debaixo da graça de Deus, mas nem todas as coisas nos ajudam. Algumas coisas nos emaranham e nos dificultam. Eu sou um cristão, não é? Sou redimido, sou redimido eternamente. Sou livre para fazer o que quero. Eu tenho Liberdade, e Deus vai me redimir porque Seu amor é eterno. Mas mesmo tendo essa liberdade, existem algumas coisas que eu não faço porque vai prender os meus pés. Vão me restringir. Vão me machucar. E imoralidade é uma dessas coisas. Imoralidade nunca ajuda, só atrapalha.

Olhe para 1 Coríntios 6:18, “Fugi da impureza”. Por que? Bom, porque você está pecando no final do versículo “contra o seu próprio corpo”. Vai lhe machucar. Fuja disso.

Sabe, pessoas dizem, “Bom, você sabe, eu posso viver de qualquer forma que eu quiser. Eu sou um cristão, e eu estou debaixo da graça, e Deus perdoa tudo, e eu fui liberto. Eu sou livre do poder da lei porque Cristo pagou a minha pena. Estou livre do poder do pecado porque Ele pagou o preço. Estou livre do julgamento eterno porque ele carregou o juízo de Deus em Seu próprio corpo. Estou livre”. Mas Paulo diz, “Sim. Isso é certo. Mas você não está livre para fazer as coisas que lhe fazem mal”.

Sabia que o livro de Provérbios tem muito a dizer sobre como a imoralidade nos faz mal. No quinto capítulo de Provérbios, no sexto capítulo de Provérbios, no sétimo capítulo, e no nono capítulo de Provérbios, há uma longa lista de coisas muito práticas que nos mostram que fornicação é prejudicial. Em 1 Coríntios 10:8 diz, “E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram,” -isto é, os israelitas- “e caíram, num só dia, vinte e três mil.” Paulo diz, “Não pratiquem imoralidade para não ficarem na mesma situação em que Israel estava quando 23.000 deles morreram num só dia”.

No capítulo 12, eu acho, de 1 Coríntios, tem mais uma nota sobre esse mesmo assunto. Bom, nós não vamos gastar tempo para abrir nesse momento. Eu não tenho certeza que esse é o texto certo. Foi um bom chute. Bom, mas de qualquer forma, tem algum outro lugar em 1 Coríntios onde Paulo fala sobre isso. Mas, pecado tem um efeito devastador, particularmente o pecado da imoralidade.

Eu lembro que tem o Salmos 51, de Davi, que cometeu o pecado de imoralidade com Bateseba. E nessa situação aterrorizante e terrível que resultou disso, onde o homem Urias, o marido dela, foi morto e Davi viveu com uma culpa incrível. Salmo 51 diz que ele ficou doente, e ficou fraco, e ele se sentia só, e estava triste, e se sentia culpado, que mal que fez a Davi. Você ainda tem isso em Hebreus onde diz que “bem como o leito (do matrimônio) sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros.”. Existem algumas coisas que nos fazem mal, então nós devemos evitá-las.

Em segundo lugar, pecado sexual não só nos machuca, mas também nos controla. A segunda parte do versículo 12 diz, “Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Uma das coisas que particularmente esse pecado faz, como todo outro pecado, é que faz a pessoa se tornar escrava daquilo. Alguém estava me dizendo em nossa igreja que tem uma pessoa que veio para a nossa igreja que mencionou uma vez que ele vem todos os domingos para o sermão e depois ele sai daqui e vai assistir filmes pornográficos a tarde. Porque ele não consegue se livrar da escravidão daquela terrível luxúria. É algo muito escravizante. Quanto mais você se entrega, mais que aquilo controla você. “Escravizado” é uma boa tradução da palavra grega, “estar debaixo do poder ou dominação”. E o que ele está falando é, “Eu não vou fazer nada que vá me escravizar”. E isso é o que o mau sexual faz. Escraviza. Se torna uma escravidão terrível.

Agora nós vemos aí que desde o começo, o pecado sexual tem um poderoso efeito em nós, ele nos machuca e nos controla. Mas há uma outra coisa, e é que isto nos perverte. Veja no versículo 13, o mau sexual no perverte. Só para lhe mostrar isso, há três fins e projetos distintos para nossos corpos que ficam pervertidos pelo pecado sexual.

Primeiramente, nossos corpos são, como cristãos, para o Senhor. Vamos ver isto no versículo 13 e 14. “Os alimentos são para o estômago, e o estômago para os alimentos; mas Deus destruirá tanto estes como aquele. Porém o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor, e o Senhor, para o corpo.Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder.” Agora Paulo mostrou o que ele quer dizer. Ele diz, “E o corpo é para o Senhor.” Na verdade, é óbvio para você que os nossos corpos são para o Senhor, porque algum dia Ele irá ressuscitar os nossos corpos. Algum dia, enquanto ressuscitava o Seu próprio corpo, Ele irá levantar os nossos corpos para habitar na glória. Isso é o quanto os nossos corpos pertencem ao plano Dele. “O corpo não é para prostituição, mas para o Senhor.”

Mas eles tiveram – ele meio que zomba deles porque eles tinham – uma pequena frase, e ele usa aquilo no começo do versículo 13. “Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos.” E aliás, no Grego, não há verbos nele, é apenas “alimentos, estômago, alimentos.” Você diz, “Bem, o que isto quer dizer?” Bom, o que eles estão falando é. “Bem, isso é um ditado. Comida para o corpo, e corpo para a comida. É uma função natural.” E era um pequeno provérbio que eles conseguiam usar para falar sobre sexo. E o que eles realmente diziam era, “Bom, sexo é igual a comer, você sabe, o corpo para a comida, e a comida para o corpo. O corpo para o sexo, e o sexo para o corpo. É apenas um fenômeno natural. É apenas uma função, igual a tudo.”

E é isto que pessoas estão dizendo hoje em dia, “Ah, porque você fica decepcionado sobre sexo? Ou seja, nós somos seres sexuais, você sabe. Grande coisa. Nós saímos e nos expressamos. Nós comemos, nós bebemos, dormimos, andamos, corremos, nós fazemos estas coisas. Porque não ter sexo? É apenas biologia.” Como Hugh Hefner diz. Ele diz, “Sexo é uma atividade biológica como comer ou beber, e não há razão para ficar hipócrita com isso. Ache você uma garota que pense semelhante e deixe-se levar.” Aliás, eu li esta citação em Eternity Magazine, onde ele foi citado. Quero que você apenas entenda isto.

Mas, Paulo diz, “Seu pequeno provérbio – ‘Alimento para o estômago e o estômago para o alimento,’ é apenas biológico – perde o ponto. Deus vai destruir a comida e o seu corpo. Deus vai destruir o sexo e o corpo. O corpo é para Deus. Comida é temporária. Sexo é temporário. Esta não é a razão pelo qual Deus redimiu você. Este não é o plano que Deus tem para o seu corpo. Se você é um cristão, o plano que Deus tem para o seu corpo não é sexo, é ressureição, é glorificação. E porque você adulteraria aquele corpo que tem aquele maravilhoso e especial propósito?” e é essencialmente isso que ele está dizendo. Então o corpo é, antes de tudo, para o Senhor.

Em segundo lugar, você é um com Cristo, até aqui e agora. Veja no versículo 15, “Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo?” Você não sabe que o seu corpo, agora, faz parte do corpo de Cristo? “E eu, porventura, tomaria os membros de Cristo e os faria membros de meretriz?” Ah, não, não, não, me genoito [???], o mais negativo na língua Grega, “Deus me livre.” Você não pode fazer isto. “Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne.Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele.”

Você sabe o que acontece aqui? Você é um com Cristo. Quando você se envolve com uma prostituta, você faz Cristo um com aquela prostituta. É isso que ele quer dizer. Você não pode agir desta maneira. E aliás, você quer saber quem uma prostituta é? É qualquer pessoa que tenha sexo fora do casamento, mesmo estando num noivado. Você prostitui o propósito de Deus para o sexo. É isso que significa.

Então nossos membros são membros de Cristo, nossos corpos são parte do corpo Dele, e nós somos um com Ele. E não podemos carregá-Lo para um relacionamento perverso sem afetar o propósito que Ele pretende. E é por isso que, no versículo 18, ele diz, “Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.” Qualquer outro pecado chega de fora, mas este pecado cresce de dentro, e revela uma corrupção interna. Então Paulo está batendo forte. Ele diz, “Você não pode cometer este pecado porque você é um com Cristo. Você não pode cometer este pecado porque Deus tem um outro propósito para o seu corpo.”

E em terceiro lugar, ele diz, “Você não pode fazer isto porque seu corpo é o templo do Espirito Santo.” Versículo 19, “Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espirito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço.” Então você vê, porque o Espirito habita em nós, porque somos um com Cristo, e porque Deus planejou a glorificação do nosso corpo, nós não devemos absolutamente estar envolvidos com isso. “Portanto – ” versículo 20, e aqui está a chave para o nosso estudo “ – glorificai pois a Deus no vosso corpo.” Internamente e externamente, não faça e nem queira fazer. Isso glorifica a Deus.

Sabe, de tempo em tempo eu conheço pessoas que estão tendo um relacionamento ilícito e eles têm a coragem de dizer, “Bom, o Senhor nos uniu.” Eu, de vez em quando, encontro casais jovens que estão se envolvendo em sexo prematuro e pensam que o Senhor os abençoou na relação deles. Não é verdade. Eles são pessoas até em numa situação de casamento em que um não é crente, e eles encontraram um cristão e estão tendo um caso, e tentam falar que o Senhor está nisso. Ouça. Este não é o caso. Você não está glorificando Deus. Portanto, não há nenhuma maneira de podermos crescer espiritualmente. Nós crescemos em pureza, não em impureza. Então enquanto nós glorificamos a Deus em nossos corpos, nós crescemos na Sua graça. Então, o que estamos dizendo, no nosso decimo primeiro ponto? Crescimento espiritual envolve glorificar a Deus pela pureza de nossas vidas.

Deixe-me dar a você um decimo segundo, e talvez teremos tempo para um último no fim. Nós glorificamos Deus pela unidade, e isto é muito importante. Nós glorificamos Deus pela unidade. Aqui há um outro elemento muito importante no crescimento espiritual, outra chave, e é isto. Nós crescemos – agora anote isto – mais rápido quando não precisamos crescer sozinhos, quando somos estimulados, como diz em Hebreus que “estamos provocando um ao outro para amar e realizar boas obras.”

Nós temos no corpo de Cristo dons espirituais, certo, para ministrar um ao outro, para estimular o crescimento. Deixe-me mostrar-lhe isto em Romanos 15. Deus é glorificado na unidade dos santos. Em Romanos 15:5 diz, “Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus.” Em outras palavras, “eu quero que você se junte com os outros. Eu quero que você sinta o mesmo pelos outros. Quero que vocês tenham a mesma opinião no corpo de Cristo, uma unidade maravilhosa.” Versículo 6, “Para que - ” e lá está o propósito novamente “ – unânimes – ” pensam igual “ – e a uma voz – ” falam igual “ – glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Você vê, Deus é glorificado na unidade da igreja, na unidade dos crentes. É algo essencial. Nós glorificamos Deus em nossa unidade, algo maravilhoso, maravilhoso. Deus não espera que desbravemos o caminho de maturidade espiritual sozinhos. Mas espera que nos movamos juntos na companhia um do outro. É assim que glorificamos um ao outro. Portanto, ele diz no versículo 7, “Portanto acolhei-vos uns aos outros.” Não isole ninguém. Não tenha nenhum para fora. Não deixe ninguém de fora. Não deixe ninguém à distância, mas “receba um ao outro.” Afinal de contas, “Cristo nos recebeu,” não recebeu? Somos melhores do que Ele? Temos um padrão maior para o nosso grupo do que Ele? Por que? “Para a glória de Deus.”

Agora isto é muito importante. Nós devemos interagir. Ninguém cresce em um vácuo. Nós precisamos desesperadamente um do outro. Nós crescemos pela unidade. Você sabe por que? Por exemplo, uma ilustração. Na minha vida, tenho observado que o quanto mais perto estou do círculo de pessoas em volta de mim, mais fácil é para mim viver uma vida justa. Você sabe por que? Porque o círculo me mantém responsável, certo? Quando eu tenho um círculo de amigos em Cristo que eu amo, que são próximos a mim, ele me mantém responsável. Ele mantém a minha vida na perspectiva deles, na visão deles, e se algo não está certo, eles apontam, e me forçam a entrar na linha.

Estou tão feliz que Deus me deu uma família. Estou grato que Deus me deu filhos e uma esposa que tem grandes expectativas espirituais, e essa família força-me a andar por um caminho justo. E se eu andar fora dele, um ou o outro ou até todos os cinco irão juntos me informar que estou fora da linha. Isso ajuda bastante. Se eu não tenho isso, eu vou me afastar. E é muito fácil para alguém que diz, “Bem, sabe, eu vou viver minha vida espiritual do melhor maneira que eu puder. Eu não vou me envolver em uma igreja, não vou ter amigos próximos. Não vou falar muito. Sou do tipo quieto. Você vai ter um momento muito difícil porque onde não há responsabilidade, não há nenhuma pressão para obedecer.

Nós precisamos do desafio de Hebreus 10:24-35 para nos forçar aos padrões e caminhos espirituais. E então Deus é glorificado quando há uma real unidade amorosa, quando agarramos os braços um do outro, e amamos um ao outro, e servimos um ao outro, e nos seguramos um no outro, e quando temos uma só mente.

Sabe, quando Paulo escreveu aos Coríntios, bem no início da sua primeira carta, ele apontou este problema no meio deles. Ele diz, “Rogo-vos, irmãos, - ” 1:10 “pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.” E então ele vai dizer, parem com todas as contendas, divisões, as panelinhas, e todo o resto, e fiquem juntos, vocês todos precisam um ao outro. Assim digo que crescemos mais rápido, crescemos mais fortes, ficamos mais maduros, na medida em que dedicamos nossas vidas aos nossos irmãos e irmãs. Crescer em um grupo, não sozinhos. Esta é a força e o impulso que você precisa.

Agora, o último ponto que eu quero dar a vocês encaixa-se a este. É parte do 12º, ou poderia ser o 13º, se você quiser assim. Mas eu queria que você olhasse comigo por um momento em uma outra passagem da Escritura, e é o final de 1 Pedro, no capítulo 4. E aponta para uma outra maneira com que glorificamos a Deus, realmente relacionada a este conceito de unidade. E é isto. Nós glorificamos a Deus no uso de nossos dons. Nós glorificamos Deus no uso dos nossos dons, 1 Pedro 4:10.

Agora ele diz, “cada um conforme o dom que recebeu.” Eu acredito que todo cristão recebeu um dom. E que dom é este? É o dom que o Espirito de Deus deu a você. É aquela combinação de dons que estão borbulhando sob um único dom que você recebe. Eu realmente acredito que todos os cristãos se diferem. Penso que somos como flocos de neve espirituais. Nenhum de nós é semelhante a qualquer outro. E eu penso que o Senhor pega as categorias de dons que são citados em Romanos 12 e primeira Coríntios 12, e dessas categorias de, de dons – alguns numeram por volta de 11 e 19, dependendo em quais estão incluídos ou não – e dessa pequena lista de dons o Senhor gerará uma combinação que se tornará o dom único de um crente individual. E então na manifestação única e no lugar único de serviço, esse dom especial é um dom por si só.

E quando você e eu ministramos esse dom, aplicamos ao corpo de Cristo um ministério único que é inigualável a qualquer pessoa. Por isso que somos estratégicos. Então ele diz, “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” Se Deus tem sido tão gracioso em dar-lhe um dom, use-o.

Agora versículo 11. “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre.” Não ministre apenas sabedoria humana se é um dom de fala, e não faça isso na carne se é um dom de ministério. Por que? Por que devemos falar os oráculos de Deus, por que devemos servir no poder de Deus? “para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!” Em outras palavras, use o seu dom não para a sua glória, mas para a glória de Deus.”

Portanto, uma outra maneira com que glorificamos Deus é no uso dos dons espirituais, e enquanto usamos nossos dons espirituais, ministrando um ao outro, isso promove a unidade do corpo, e na unidade do ministério mútuo somos estimulados ao crescimento espiritual, você vê?

Assim, estamos realmente resumindo todo nosso pensamento a isso. Por todo esse estudo estivemos lidando com elementos individuais. Estivemos falando, por exemplo, que você cresce espiritualmente ao confessar Jesus como Senhor. Você cresce espiritualmente focando sua vida neste propósito. Você cresce ao confiar, ao frutificar, pelo louvor, pela oração. Você cresce ao testemunhar, ao proclamar a Palavra. Você cresce pela pureza moral. Você cresce por todas estas coisas. Mas quando tudo isso se resume a um último pensamento, você não cresce sozinho. Você não cresce sozinho. Você precisa de um ambiente de responsabilidade e ministério mútuo para ter como resultado o tipo de crescimento que o Espirito de Deus veria na sua vida.

E, assim, a Bíblia nos diz, então, que devemos crescer. É aí onde tudo começa. Começa com uma ordem, 2 Pedro 3:18, “Antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” Isso é um mandamento. Nós dizemos sim a isso ou dizemos não. Se dissermos, “Sim, Senhor, eu quero crescer. Eu não quero ficar atrofiado. Eu quero ser maduro. Eu quero conhecer a plenitude da benção. Eu quero compreender a Ti como aquele que é maduro e que pode conceber o quanto for possível à minha mente limitada. Senhor, eu quero ser tão útil o quanto eu conseguir. Eu quero ver o Teu poder numa grande exibição o quanto possível. Não estou satisfeito com as planícies. Eu quero estar no pico.” Se nós dissermos isso, então diremos, “Como eu cheguei aqui?”

E a Bíblia vem a nós e diz, “Viva a sua vida para a Minha glória,” e nos dá um caminho a seguir. Enquanto seguirmos por esse caminho e formos encorajados por irmãos na fé, seremos levados ao lugar de verdadeira maturidade espiritual, e é isto que Deus procura em nossas vidas.

Agora deixe-me encerrar nosso estudo com este pensamento. Enquanto eu e você vivermos para a glória de Deus, qual é o produto? Qual é o resultado? Qual é o efeito? O que nós tiramos disto? E então voltamos para onde começamos. Davi disse, Salmos 16:8-9, “O SENHOR, tenho-o sempre à minha presença.” Agora ouça isso. Em outras palavras Davi disse, “Eu vivo para a glória do Senhor.” Depois ele disse, “Alegra-se, pois, o meu coração.” Agora qual o resultado de viver uma vida para a glória de Deus? Qual o resultado da maturidade espiritual? É a alegria. “Meu coração está alegre.”

Isso é o que Deus quer fazer em nossas vidas. O catecismo estava certo. Diz isto. “Qual o fim principal do homem?” A pergunta. A resposta diz, “O fim principal do homem é glorificar a Deus, e adorá-Lo para sempre.” Deus quer, de acordo com Efésios 2:6 [???], derramar Sua bondade em nós por toda eternidade. Deus quer descarregar, em nossas vidas, grande alegria. E eu acredito que a alegria é um subproduto de uma vida espiritualmente progressiva. Não penso que você conhecerá a alegria a não ser que esteja crescendo, porque é aí onde Deus dá esta alegria. E junto com isso, eu penso, vem uma tremenda sensação de contentamento profundo.

Deixe-me encerrar com um último versículo. Em Efésios 3:21 está a soma de tudo que falamos, mesmo. Nós somos a igreja de Jesus Cristo, certo? Todos nós que acreditamos somos a igreja de Jesus Cristo, e isto é o resumo de tudo, “a ele seja a glória, na igreja.” Vê, Deus quer se glorificado. Este é o mandato. Deus nos quer vivendo para a Sua glória como a igreja Dele. Enquanto obedecemos a isto, Ele enche as nossas vidas com alegria. E podemos até estar presos em algum lugar numa prisão, em uma terrível circunstância, e ter um coração cheio de alegria como Paulo, que em meio a terríveis circunstâncias, escreveu para os Filipenses, “Regozijai-vos sempre, outra vez digo, regozijai-vos.” Este é o dom de Deus para um cristão em crescimento.

E no fim de tudo? As palavras do apóstolo João, em 1 João, o resumo, o objetivo, e a finalidade está bem declarada. “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos – ” o que? “ - semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos.”

Este é o objetivo final do crescimento espiritual. Algum dia quando virmos Jesus, seremos igual a Ele. E, diz João, “E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro.” Se você realmente crê que algum dia você será como Jesus Cristo, isso deveria levá-lo a colocar sua vida nos trilhos agora mesmo, e começar a viver para a Sua glória. Oremos.

Pai, nós te agradecemos por estas seis lições sobre glorificar a Ti como o caminho para maturidade. E Senhor, percebemos que em nós, e a partir de nós na carne, mesmo que talvez saibamos estas coisas, não conseguimos efetuá-las. Assim, nossa oração precisa ser, “Senhor, que Tu coloques em nós estas realidades.”

Nós não podemos obedecer o senhorio de Cristo sem o Teu poder. Não podemos confessar nossos pecados sem a Tua convicção. Não podemos confiar em Ti sem que nos dê o dom da fé. Não podemos ser frutíferos sem que produzas o fruto em nós. Não podemos sequer louvá-Lo sem que enchas os nossos corações com louvor. E não podemos orar sem que sejamos induzidos pelo Teu Espirito.

Pai, não podemos proclamar a Tua Palavra sem que o Espirito de Deus nos ensine. Não podemos trazer outros a Ti a menos os induza com o Teu poder. Não podemos ser santos sem que nos limpes. Não podemos ser um sem que nos faças um. Assim, Pai, dependemos totalmente de Ti para executar todas estas coisas boas em nós, que possamos ser como Cristo e conheçamos a alegria que vem àqueles que crescem. Em nome de Cristo nós oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize