Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos olhar juntos em Efésios 5:18-21. Siga em sua Bíblia conforme eu leio. “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” Vamos orar.

Pai, obrigado por essa grande Palavra. E Senhor, eu me sinto insuficiente para lidar com um conceito tão grandioso como encher-se do Espírito, e mesmo assim sei, Senhor, o quão prático e essencial isso é, e que de fato é uma ordem, e então Senhor, dá-me Tua sabedoria enquanto eu falo e sabedoria para os que ouvirão, que possamos ser obedientes e compreender a totalidade disso que o Senhor está dizendo a nós, no nome de Jesus. Amém.

Agora, você irá lembrar, se tem estado conosco a um tempo, que estamos discutindo o livro de Efésios versículo por versículo, e temos feito isso há muito tempo já, mas descobrimos que temos que andar com dignidade, temos que viver um certo estilo de vida, que Deus definiu para nós certos parâmetros para a nossa vivencia muito, muito claros. E passamos pelos capítulos 4, 5, e 6 – ou 4 e 5 de Efésios – e veremos o capítulo 6 no futuro, e vemos que todos esses capítulos realmente descrevem como o cristão deve viver. E a chave de como o cristão deve viver está aqui no capítulo 5, versículo 18. Você percebe que se 5:18 não estivesse no livro de Efésios, o livro de Efésios não poderia ser cumprido? Se esse versículo fosse removido desse livro, tudo no livro seria legalista. Se este livro fosse removido, você seria o grande motor, o grande veículo descrito nos capítulos 1 a 3, você ainda teria o seu roteiro nos capítulos 4, 5 e 6 mas você não teria qualquer combustível para chegar a lugar nenhum.

Estaria trabalhando totalmente na carne, tirando a linda parte no capítulo 5, versículo 18, “enchei-vos do Espírito.” Esse é o centro disso tudo. Essa é a energia da caminhada digna. Essa é a chave para a vida Cristã. Essa é a base. Não tem como andar em humildade, não tem como andar em união, não tem como andar diferentemente de como o mundo anda, não tem como andar na luz, não tem como andar em amor, não tem como andar em sabedoria sem ser energizado pelo Espírito de Deus. A vida de Deus na alma é a única coisa que pode produzir esse tipo de vida. Se isso não fosse verdade, então pessoas não regeneradas poderiam viver assim.

Então esse é o centro da situação no versículo 18. Abre para nós horizontes de grande entendimento. E aliás, acho que precisamos falar que se você não obedecer ao capítulo 5, versículo 18, você é o mais tolo de todos. O versículo 15 diz, “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios.” E o mais néscio de todos seria aquele que tentasse andar em humildade, um tipo de vida único, andar em amor, andar na luz, andar em sabedoria, cumprir a vontade de Deus e fazer isso na carne, esse é o mais néscio de todos. Um cristão tem que fazer isso pelo poder do Espírito Santo.

Agora, o que quer dizer ser cheio do Espírito? Bom, muitas pessoas estão confusas com isso. Algumas pessoas pensam que você tem uma explosão divina. Algumas pessoas acham que é isso que acontece quando você fala em línguas e, sabe, existem pessoas que falam, “Bom, você foi cheio pelo Espírito?” Eles meio que isolam você. Eles têm os que receberam e os que não receberam. Se você teve uma experiência extática, você teve; se você não teve, você não teve, e existem muitas variações e discussões sobre esse conceito. Existem pessoas por um lado que dizem que é quando você recebe uma explosão extática, e existem pessoas por outro lado que abordam isso estoicamente e simplesmente reconhecem isso como a ideia de que o Espírito Santo está presente e por ai vai – tem muito pouco impacto em qualquer coisa pratica. Mas os dois estão errados. Não é algo estóico e não é uma explosão estática. Nenhum dos dois. Ser cheio do Espírito é uma realidade muito profunda, e queremos entender o maximo que pudermos enquanto compartilhamos essa manhã.

Agora, vamos ver três pontos só para lhe dar um esqueleto para o que vamos dizer. Vamos olhar o contraste, a ordem, e as consequências. Agora, já vimos o contraste, então hoje vamos focar na ordem em si, e a ordem é, “enchei-vos do Espírito.” Essa é a ordem. Agora, deixe-me mencionar o contraste para você que talvez tenha esquecido ou não estava aqui.

Primeiro, o contrase no versículo 18, “E não vos embriagueis com vinho, no qual há asotia,” – ou dissolução ou devassidão ou falta de esperança, uma doença sem cura – é isso que nos leva a – “mas enchei-vos do Espírito.” Aqui está o contraste entre embriaguez e ser cheio do Espírito. E tentamos mostrar nas últimas semanas que embriaguez era um método usado nas religiões pagãs para induzir uma suposta comunhão com as divindades. Em outras palavras, não é uma questão social que ele está falando basicamente, embora isso certamente seja verdade. Antes de ser cristão talvez você ficasse embriagado. Quando você se tornou um cristão então não deve. É verdade em uma situação social. Mas é uma questão teológica que ele realmente foca. Os pagãos ficavam embriagados e então sentiam que induziam um nível alto de consciência religiosa e tinham comunhão com os deuses.

E quando eu falo que ficavam embriagados, ficavam muito embriagados. Até vomitavam para poder beber mais, e até mesmo descobrimos arqueologicamente que existiam lugares que tinham buracos só para isso. Eles eram levados à estupidez da embriaguez que criam iria elevá-los à comunhão com os deuses, e o apóstolo Paulo está fazendo um contraste muito forte com isso dizendo, “Vocês têm comunhão com Deus, passam pela adoração de salmos e hinos e cânticos espirituais, e vivem suas vidas de noivas submetendo-se aos seus maridos e maridos amando as esposas, et cetera. Você faz isso não pela indução da embriaguez mas pela indução do enchimento do Espírito de Deus.” Completamente diferente.

Paulo mostra que achamos nossa alegria, achamos nossa satisfação, achamos nossa comunhão com Deus, e achamos a base da nossa adoração, a motivação da nossa liturgia, se quer chamar assim, em sermos cheios do Espírito Santo. Suas liturgias debochadas, torpes, cheias de orgias, de músicas ruins, conectadas com danças más, conectadas com imoralidade sexual eram induzidas pela embriaguez. Nossa verdadeira adoração, nossa música linda, nossa comunhão com Deus é trazida pelo poder do Espírito Santo. Assim, o forte contraste entre a embriaguez, adoração em orgia dos sistemas pagãos e a bela adoração cheia do Espírito do verdadeiro Deus está na mente de Paulo, e ele está falando, como cristão, você tem que deixar essas coisas e tem que chegar a esse ponto, de ser cheio do Espírito.

Agora, esse é um contraste comum nas Escrituras. Veja Lucas 1:15, por exemplo. Diz em Lucas 1:15, sobre João Batista, e falamos sobre isso bastante em uma mensagem anterior, “Pois ele será grande diante do Senhor,” e aqui está uma das coisas que irá caracterizar isso, “não beberá vinho nem bebida forte e será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno.” Aqui está esse mesmo contraste. Ele não será um beberrão; ele será cheio do Espírito. Ele não terá suas atitudes religiosas induzidas pelo vinho e bebidas fortes, mas pelo Espírito de Deus. Ele não será influenciado por dentro por beber, mas pelo Espírito de Deus. Ele não será motivado pelo que o álcool faz ao seu cérebro, mas pelo que o Espírito de Deus faz em sua mente. Em outras palavras, ele será guiado pelo Espírito de Deus em contraste com aquilo que guia tantas pessoas na embriaguez.

Veja Atos capítulo 2 e achamos o mesmo contraste novamente. No dia de Pentecoste, você lembra, diz no capítulo 2, versículo 4 que todos estavam cheios do Espírito Santo. “Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” E aqui estavam os discípulos e começaram a falar em outras línguas, e até fala o nome das línguas no versículo 9, lista as línguas novamente no versículo 10 e versículo 11, e estavam falando as maravilhosas obras de Deus em línguas que nunca tinham aprendido. O Senhor maravilhosamente lhes deu a habilidade de fazer isso, e a questão era, quando ficaram cheios do Espírito no dia de Pentecoste, aconteceu isso. Então estando cheios do Espírito, fizeram isso.

Mas as pessoas disseram – no versículo 12 – “Todos, atônitos e perplexos, interpelavam uns aos outros: Que quer isto dizer? Outros, porém, zombando, diziam: Estão gleukos - embriagados!” É só mais uma orgia pagã, uma atividade religiosa tipicamente gentia. Eles estavam vendo, e para um Judeu seria algo muito feio, Gentios é que induziam sua adoração através da embriaguez. É isso. Eles desceram para um nível de adoração dos gentios; desceram ao paganismo; expressaram adoração a Deus nessa forma inaceitável, e estão zombando. Em outras palavras, certamente tinham a intenção de se embriagar.

Gleukos era vinho fresco. Eles disseram, “Já de manhã e eles estão bêbados com o vinho fresco.” Estão zombando deles. “Rapaz, eles caíram a embriaguez, estas atividades tipicamente pagãs.” Assim zombavam deles e diziam, “Quem quer ouvir o que eles têm a dizer?” Pedro se levanta e diz, no versículo 15, “Estes homens não estão embriagados, como vindes pensando.” Isso não é embriaguez; é o enchimento do Espírito. Mas o mundo em sua estupidez as vezes não sabe a diferença entre a expressão de adoração pagã e o que é real. Então a comparação é usada várias vezes.

Agora vamos voltar a Efésios 5:18 e achamos a mesma comparação novamente, “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” Eu tenho certeza que Paulo tem em sua mente os acontecimentos do Pentecoste. Tenho certeza que ele está olhando para traz e pensando exatamente isso, o dia quando os apóstolos e os discípulos foram pela primeira vez cheios com o Espírito Santo. Faziam coisas que para os outros parecia como se estivessem embriagados e praticando um estilo de adoração pagão. Então aqui está o contraste.

Agora, veja a ordem, e vamos somente gastar nosso tempo nisso e sua tremenda verdade. E muitos de vocês sabem disso e já estudaram isso antes mas muitos de vocês não, e muitos de vocês são novos então queremos separar um tempo e compartilhar esses pensamentos com vocês. Uma ordem tremendamente rica. Olhe para o versículo 18, “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” Agora, o que ele está dizendo é algo que eu exijo de você, isso é uma ordem. Existe no grego um modo imperativo, que é uma constatação de um fato, e existe um modo imperativo, que é uma ordem – isso é imperativo. “Continue sendo cheio do Espírito.” É uma ordem para o crente. Não é uma opção, não é uma sugestão; Deus raramente, se é que houve alguma vez, faz sugestões. Ele dá ordens e constata fatos; Ele não lida com sugestões. Na verdade há muito poucas coisas opcionais com Deus. Essa não é uma; isso é uma ordem.

E, sabe, me preocupa profundamente que muitos supostos cristãos nunca sabem o que é ser cheio do Espírito. Sabia que existem alguns cristãos que nunca realmente são comprometidos com esse princípio, e todos nós em algum momento em nossas vidas falhamos em cumprir isso, mas isso não deixa de ser uma ordem. E eu realmente me preocupo com isso hoje, sabe, existe muito material saindo e muitos livros e muitas discussões sobre o fato que você pode ser cristão e não se preocupar com esse tipo de coisa. Existe tipo uma nova categoria no meio. Aqui temos o homem natural, não salvo, não regenerado, indo para o inferno. Ali temos o cristão espiritual, ama a Palavra, ama o Senhor, anda na verdade, anda nos mandamentos, anda na luz. E no meio tem uma nova caixa para colocar pessoas. São os salvos indiferentes, sabe? Saíram do inferno, mas não vão entrar muito no Cristianismo. Ou seja, são só meio que não comprometidos.

Eu li ontem um artigo de um teólogo proeminente que fala que essas são as pessoas que são salvas mas nunca andam na luz. Eu não entendo isso; eu não consigo compreender isso. Se você foi salvo das trevas para o reino de Seu Filho amado, se andamos na luz como Ele está na luz, não sei o que isso quer dizer. Mas enfim, o que estava dizendo é que eles vêm, são salvos, mas nunca saem das trevas. São salvos mas nada acontece e fizemos uma caixa conveniente, temos o natural e o espiritual, e o carnal. Só socamos todos lá dentro e dizemos, “Bom, você está certo, você é salvo, você vai para o céu. Não tem problema se não escolhe realmente prosseguir com a vida Cristã, sabe, ainda vai dar tudo certo. Não vai perder a salvação. Você vai dançando até o céu e só não vai ter um lugar tão grande como nós, mas não tem problema. É o céu, não é?” E você tem essa categoria muito confortável, mas não é assim com Deus.

O Senhor não fala, “Agora, se você quer ser um dos comprometidos, faça isso. Se você quer estar na caixa dos carnais, é uma opção.” Ele não lida assim. É um padrão que Deus estabeleceu, e eu não acho que o senhorio de Cristo é opcional; acredito que é essencial para a fé salvadora. E eu não quero colocar pessoas em uma caixa confortável que diz que você pode ser um cristão e não fazer nada. Ouça, o Senhor nos deu ordem para sermos cheios do Seu Espírito. Qualquer coisa menos que isso é uma desobediência total, e se sua vida é caracterizada por esse tipo de desobediência, 1 João fala que você não é um cristão, não importa o que você pensa. Então isso é critico, pessoal. Cristãos verdadeiros que têm fé de verdade não vão estar contentes em negar o senhorio de Cristo. Cristãos verdadeiros que têm fé de verdade não vão ficar contentes em negar o enchimento do Espírito de Deus. Não vão ficar contentes em viver confortavelmente na caixa carnal onde podem simplesmente dizer, “Bom, sou um daqueles que não escolhe dar o segundo passo.” Não. Eu acho que isso é uma ordem, e eu acho que é uma ordem porque Deus fala que está conectado a todo crente, e a única coisa que se faz com uma ordem de Deus é obedecer.

Agora, vamos falar especificamente sobre o significado de “encher.” O que isso quer dizer? Ok? O que isso quer dizer? Vou lhe dar vários pensamentos aqui que eu acho que vai achar fascinante. E eu quero que tenham o básico bem claro, tudo bem? Então vamos começar lá em cima, ok? Primeiro ponto: Todo cristão tem o Espírito Santo em Sua totalidade, tudo bem? Todo cristão tem o Espírito Santo.

Recentemente ouvi um cristão dizer, “Ah, sabe, eu sou cristão há um bom tempo e acabei de descobrir que não tinha o Espírito Santo. E já que pedi a Deus, Ele me deu o Espírito Santo, e tudo mudou.” Sim, bom, você tem sido um cristão há muito tempo mas não tinha o Espírito Santo? Bom, sabe, é de partir o coração, eu ouvi o que ele estava dizendo, e eu entendo o que era, sabe, que ele – o que ele descobriu em sua vida foi o que a obediência faz por você, não o receber o Espírito Santo. O ponto é o seguinte: Todo cristão, desde o momento em que crê, tem o Espírito Santo. Veja, é a vida de Deus em você que é a realidade da redenção. Quando você se torna um filho de Deus, Deus tem moradia pelo Espírito Santo dentro de você. Não existe um cristão sem o Espírito de Deus.

Deixe-me lhe mostrar isso. Veja Romanos 8:9, Romanos 8:9. Eu quero olhar talvez por um ângulo diferente, mas Romanos 8:9 é um texto fascinante. A maioria das vezes que a palavra “carnal” é usada na Bíblia, é usada para falar de pessoas não salvas, não de cristãos. E aqui está uma boa ilustração. “Por isso, o pendor da carne” – ele diz no versículo 7 – “é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto, os que estão na carne” – ou ser carnal – “não podem agradar a Deus.” Aqui, estar na carne quer dizer não salvo; aqui, ele está dizendo que se você está na carne, você não é salvo. As pessoas dizem, “Bom, eu sou um cristão carnal.” A realidade talvez seja que você possa ser um cristão carnal como em 1 Coríntios 3, ou, você está na carne, ponto. Como em Romanos 8, e não é salvo. Então se você está confortável com sua carnalidade, é melhor se examinar para ver se de fato é salvo, porque é possível que você seja carnal de acordo com Romanos 8, ao invés de ser carnal de acordo com 1 Coríntios 3.

Pode haver cristãos que agem com carnalidade, mas carnalidade é na maioria das vezes uma característica de pessoas não crentes. Eles são inimigos de Deus, não estão sujeitos à lei de Deus, não podem estar sujeitos a lei de Deus, não conseguem agradar a Deus. Mas – versículo 9 – “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito.” Se você é cristão, você está no Espírito. Se você é cristão, você não está na carne.

Agora, olhe no final – então ele diz, “se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós.” Em outras palavras, você está – quando é um cristão – você está no Espírito porque o Espírito de Deus habita em você, e então o final do versículo, “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” Você está vendo? Se você não tem o Espírito Santo, não é que você é carnal, não é que você não O tem ainda; você não é salvo. Qualquer pessoa que não tenha o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo. Por outro lado, se alguém pertence a Cristo, ele tem o Espírito de Cristo, você está vendo? É uma afirmação simples. O final do versículo 9: “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” “Se, porém, Cristo está em vós” – versículo 10, está vendo? Em outras palavras, se você é Cristão, com Cristo em você, você tem o Espírito Santo.

Eu quero que você entenda isso do começo. Alguns de vocês são novos Cristãos e talvez não entendam isso. Você, como Cristão, tem o Espírito e Ele está aí em sua totalidade. Não existem doses. Você não recebe Ele em partes. Você não precisa dizer, “Ah, Deus” – eu já ouvi pessoas dizerem – “me dê mais do Seu Espírito.” Não tem mais nada para dar. Ele não vem em unidades. Ele está aí em Sua totalidade. Todo crente tem o Espírito.

Agora, olhe em 1 Coríntios 12:13, outro versículo importante lidando com a mesma realidade. Primeira Coríntios capítulo 12, versículo 13. Agora, aqui novamente temos a mesma ênfase, e é muito interessante para mim saber que os Coríntios eram Cristãos carnais. A carnalidade deles era a carnalidade de Cristãos. Eles eram Cristãos vivendo como se não fossem Cristãos em muitos casos, e eu tenho certeza que alguns deles não eram Cristãos, só estavam fingindo. Mas ele diz a eles, mesmo sendo pessoas pecaminosas, até Cristãos pecaminosos, ele diz, “Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” As palavras “em um” é melhor ser deixada de fora. “E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” Todos crentes foram batizados no corpo de Cristo.

E queridos, deixe-me já lhe falar que o batismo do Espírito não é uma experiência. O batismo do Espírito é fora de experiência. Você não sente, você não sabe que aconteceu, não tem como experimentar. Nada acontece com você, fisicamente falando, quando isso acontece, porque aqui nos diz que por um Espírito somos batizados no corpo de Cristo. O batismo do Espírito de Deus é o ato pelo qual o Espírito Santo coloca você no corpo de Cristo quando você crê. É uma realidade teológica; não é uma experiência. É um ato pelo qual Cristo, o batizador, através da agencia do Espírito, coloca você no corpo. Então quando você é salvo, você é colocado no corpo de Cristo, então o final do versículo diz, “E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” Isto é, você toma para si o Espírito Santo. Todo crente, isso está aqui, fomos todos batizados e a todos nós foi dado beber de um só Espírito. Não existe um Cristão que não bebeu do Espírito. Nenhum. Todos nós temos o Espírito Santo.

Agora volte ao capítulo 6, versículo 19. Primeira Coríntios 6:19. Agora, aqui ele está dizendo aos Coríntios sobre a imortalidade deles. Eles estavam cometendo fornicação, estavam indo para a cama com meretrizes, estavam fazendo coisas más e podres, e ele diz a eles, “O que!?” E você espera que ele diga, “Porque vocês não pegam o Espírito Santo para arrumar a vida de vocês?” Mas ele não diz isso. Ele não diz, “O que vocês Cristãos precisam é do Espírito Santo. Se vocês tivessem o Espírito Santo, não teriam esse problema.” Não, ele não fala isso. Ao contrário, ele diz isso: “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós?” Ele diz, “Veja” – ele não diz, “Se vocês recebessem o Espírito Santo, não agiriam assim.” Ele diz, “É melhor pararem de agir assim porque estão sujando o Espírito de Deus que já está aí.” Você está vendo? “Você não sabe que seu corpo é o templo do Espírito Santo? Não sabe que está sujando o Espírito de Deus que está em você?” Veja, até quando um Cristão vive em pecado, o Espírito Santo ainda está lá. Você vê o ponto? Ele ainda está lá; só está se sujando lá. Ou se quizer Efésios 4:30, ele diz, “E não entristeçais o Espírito de Deus.” Ou 1 Tessalonicenses 5:19, “Não apagueis o Espírito.” Você pode apagar o Espírito. Você pode jogar a água do seu pecado em Seu fogo de santidade. Você pode entristecer o Espírito.

Alias, o Espírito é uma pessoa não um objeto. Ele é uma personalidade e Ele fica triste e tem angústia pelo nosso pecado, e Ele é sujado quando o templo, que é o nosso corpo, é sujado.

Então veja, todo crente tem o Espírito, “Se algum homem não tem o Espírito, não pertence a Ele.” Todo crente é batizado no corpo e bebe do Espírito. Todo crente é o templo do Espírito de Deus. Gálatas 2:20 mostra de outra maneira. Ele diz, “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em” – Onde? – “em mim.” Está vendo? “O Espírito de Cristo vive em mim.” Veja João capítulo 7.

Sabe, quando eu entendi essa doutrina pela primeira vez, foi a verdade mais incompreensível que se pode imaginar para mim que o Deus do universo, o Deus dos deuses, Deus mesmo, soberano, todo poderoso, majestoso, poderia morar em meu corpo, isso era uma realidade inconcebível para mim. Que pensamento! E essa é a verdade do Novo Testamento. Em João 7:37, “No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” Agora, quem pode ter os rios de água viva? Aquele que crê, qualquer um que crê, qualquer um que venha e diga, “Estou com sede, me dê de beber,” e recebe a Cristo, tem o rio. E o que são os rios de água? Versículo 39: “Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem”

Vamos parar aqui. Quem recebe o Espírito? Aqueles que o que? Creem. Veja, é a simples ação da fé salvadora que lhe dá o Espírito Santo. Ele se torna o rio de água viva, Ele vem para morar em nossas vidas. E não tem como perder isso. O Espírito é um morador permanente na vida do crente. E é por causa disso – agora ouça – é por causa disso que de todas as ordens no Novo Testamento – e existem muitas – de todas as ordens no Novo Testamento – ouça isso – nunca ouve uma ordem de ser batizado no Espírito. Nunca. Nunca. Existem sete referências ao batismo do Espírito no Novo Testamento. Nenhuma é imperativa, nenhuma é uma ordem. Você nunca recebe uma ordem para ser batizado pelo Espírito porque o batismo pelo Espírito é quando você é colocado no corpo de Cristo, e isso acontece no momento da sua salvação.

Segundo, você nunca recebe uma ordem, no Novo Testamento, para ter o Espírito morando em você. Nunca. Essa também é uma promessa garantida. Nunca lhe é ordenado a ser selado pelo Espírito e mantido seguro; isso também é um presente de Deus. Efésios 1 diz que você já foi selado, já foi batizado, já tem Ele morando em você. Essas coisas nunca são dadas como ordens. A ordem é o seguinte, Efésios 5:18, “enchei-vos” – do que? – “do Espírito.” É diferente. Não a moradia, batismo, selo, mas enchei-vos. Você diz, “Mas, o que isso quer dizer?”

Bom, primeiramente, é o oposto das atividades pagãs e do êxtase pagão, mas o verbo quer dizer isso – deixe-me lhe dar o verbo em seu sentido literal, e então lhe mostrarei como isso funciona. Quer dizer – o tempo presente literal diz “seja” – é passivo – “esteja sendo cheio pelo Espírito.” E a idéia de “estar sendo” é uma constante, “esteja sendo.” Você não diz, “Ah, estou cheio do Espírito. Acabou. É o suficiente pelo resto da minha vida.” Esteja sendo cheio, momento a momento a momento a momento, está vendo? Dia a dia a dia a dia a dia. Não é uma vez só, não é uma explosão aqui e uma explosão ali e um explosão ano que vem; é momento a momento a momento a momento a momento, está vendo? Esteja sendo continuamente cheio. É passivo; isso é, algo enche você, você não se enche, você recebe a ação, e é o Espírito de Deus, o Espírito de Deus que enche você. Tempo presente, “esteja” sempre no tempo presente “sendo continuamente cheio do Espírito de Deus”.

Você pode ser batizado no corpo, pode ser que o Espírito more em você, você pode ser selado pelo Espírito até o dia da redenção, mas sabe uma coisa? Você pode viver sua vida Cristã em derrota se você não sabe o que é experimentar momento a momento a experiência de estar sendo continuamente cheio pelo Espírito de Deus. Expressa uma idéia de momento a momento, obra continua. Não é uma segunda coisa que é boa para o resto da sua vida. Estar cheio do Espírito cinco minutos atrás não adianta para esse momento. Em nada. Eu ser cheio do Espírito amanhã não adianta hoje. É momento a momento a momento.

Agora, quando você pensa em ser cheio, você pensa em um copo, sabe, e você enche o copo, ou uma caixa e você coloca coisas la dentro, ou um container e você joga coisas dentro, mas essa não é a idéia. Deixe-me lhe dar três conceitos para você ter uma ideia. A palavra pleroo é usada para o vento enchendo a vela e empurrando a vela e movendo o navio. Sabe, quando dizemos que as velas estão cheias de vento; e isso está na mente de Paulo no começo do pensamento, para ser levado. Para ser levado – pensamento lindo. Para ser levado, ter toda sua vida e a energia de sua vida, e a pressão de sua vida ser o poder do Espírito de Deus. Em outras palavras, você não se move pelas suas energias, você não se move em sua própria carne, você não se move em suas próprias ideias, você não se move em seus próprios ideais, você não produz sua própria vontade, você é levado pelo vendo do Espírito de Deus. Você é levado pelo caminho que Ele irá. É um sentido muito real quase como se aqueles que escreveram as Escrituras também fossem levados pelo Espírito de Deus.

É como se você não fosse nada mais do que um galho seco em um rio. Você já viu um galho seco? Quando você era criança, colocava um galho seco no rio e então via ele descendo. Você é levado pelo Espírito de Deus. É levado como um veleiro no vento. Esse é um pensamento. Ser cheio do Espírito é ser levado dia a dia, de momento a momento, de empreendimento a empreendimento, de pensamento a pensamento, de palavra a palavra, de obra a obra, pelo poder da energia do Espírito de Deus. Então tem a ideia de pressão – de pressão, de levar você na vontade de Deus.

Esse é o segundo, e essa é a ideia de impregnação. Pleroo é usada às vezes como algo que impregna, e eu acho que uma boa ilustração disso é o sal. Sal impregna. Aliás, impregna tão bem que se você por o suficiente em alguma coisa, ira preservar aquilo, não é? Mas quando você quer comer algo e põe sal, da sabor. Permeia tudo para que tudo tenha sabor. Eu usava a ilustração também do Fizzie, e se você leu o meu livro chamado Encontrada: A Vontade de Deus, você leu sobre o princípio do Fizzie. era tipo um Alka-Seltzer, mas de uva ou laranja ou cereja, e tinha aquela coisa de jogar em um copo de água e então “pshew!” que nem o Alka-Seltzer faz, e era permeação, sabe. Você colocava um Fizzie de uva e o copo de água todo tinha gosto de suco de uva, e o que fazia era dar gosto à água. E pleroo é usado nesse sentido.

Existe uma ideia que o Espírito de Deus quer dar sabor a sua vida para você ter o mesmo sabor do Espírito de Deus, para que quando alguém estiver perto de você, o sabor da sua vida é o de Deus, então estar com você é como estar com Deus, está vendo? Então é a ideia de pressão para mover você para a frente, e é a ideia de permeação para que quando alguém estiver perto de você, ache que talvez esteve com Jesus. Porque Ele dá o sabor da sua vida. Mas o pensamento predominante aqui, em minha mente, quando com o evangelho, o uso predominante de pleroo é falar de controle, falar de total controle. Essa é a idéia. Você tem a idéia de ir para a frente, tem a idéia de permeação, mas a idéia de controle é a chave.

Deixe-me tentar ilustrar isso para você. Toda vez no evangelho que um escritor quer falar sobre alguém que é dominado por emoção, ele usa a palavra pleroo, que é usada aqui. Em outras palavras, Em João 16:6, está escrito, “a tristeza encheu o vosso coração.” Em outras palavras, tristeza é tão forte que não pode ser equilibrada pela felicidade e eles estão cheios de tristeza.

Agora, deixe-me lhe dar uma ilustração para ajudar você a entender isso. Na maioria das vezes conseguimos equilibrar as coisas em nossa vida, não conseguimos? Pegue o conceito da tristeza. Ok, nós temos a tristeza aqui na balança e felicidade aqui, certo? E vamos pela vida e um pouco de tristeza e então pensamos em algo feliz. Ou, “Ah, não está indo tão bem em casa. Acho que vou para o escritório, ah, está melhor.” “Não, não está legal no escritório. Vou para a casa.” Você está vendo? Nós equilibramos as coisas. Sabe, falamos sobre coisas tristes. Não queremos mais falar sobre isso, “Vamos falar sobre algo alegre,” ta vendo? Mas de tempo em tempo, não conseguimos manter o equilibrio. A pessoa que mais amamos morre – boom! Do nada, a balança está totalmente na tristeza e nada que alguém falar e nada que alguém fizer pode tirar a tristeza. Cheio – e é aqui que a palavra é usada. É totalmente dominante.

Por outro lado, você segue em frente, felicidade aqui, tristeza ali. A tia Martha morre e deixa pra você cinquenta mil – Uau, lado feliz, e não importa. “O mundo pode se afundar – eu tenho cinquenta mil,” ta vendo? Nunca esperava, agora do nada você está cheio de felicidade, e esse é o conceito do mundo. Você é totalmente dominado por isso e não precisa de equilíbrio. Coisas tristes acontecendo ao redor de você não lhe interessam; você está feliz. E é assim que a vida vai, sabe? Talvez tenham coisas que nos mantém seguros e coisas que nos assustam e nos dão medo e nós vamos em frente – e sabe, o marido tem um aumento e nós temos uma casa nova e as crianças estão indo bem e nós nos sentimos tão – estamos cheios de segurança.

Por outro lado, alguns desastres acontecem, terríveis, levamos grandes sustos. Sabe, no meio da noite alguém está mexendo na janela – uau. Isso é pleroo, é controlado pela emoção para você não ter mais equilíbrio. Você perde o controle; e é controlado por aquilo que influencia seus pensamentos e emoções.

Agora, a mesma coisa é verdade do modo com que vivemos a vida cristã. É assim que a maioria de nós faz: Aqui estamos nós e aqui o Espírito Santo. Um pouco para o eu e um pouco para o Espírito Santo – Ah, um pouco pra mim, mas do nada, em algum momento nós nos rendemos ao Espírito de Deus, e o eu desaparece totalmente e somos cheios do Espírito. Tudo é controlado por Ele, todas nossas emoções, todas nossas ações, todo nosso processo de pensamento. Isso é ser cheio do Espírito. Esse é o centro da questão. É a ideia de ser movido, é a ideia de ser permeado para ter o gosto de Jesus Cristo, mas também é a ideia de ser controlado, por uma mão firme de controle.

Deixe-me lhe dar uma ilustração. Veja Mateus 4:1. Mateus 4:1 diz: “A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.” Aqui está o Espírito Santo operando na vida de Jesus, e o Espírito Santo, fala aqui, levou Jesus. Ele levou Jesus, certo? Agora vamos para Lucas 4:1. Ele levou Jesus em Mateus 4:1 para a tentação, em Lucas 4:1 nós temos a mesma situação, a tentação, a mesma situação, mas aqui fala – veja – “Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto.” Agora, qual foi a condição pela qual o Espírito O levou? Ele estava o que? “Cheio do Espírito.” Você está vendo o que é estar cheio do Espírito? Quer dizer ser levado pelo Espírito, ser controlado pelo Espírito.

Agora, se fomos a Marcos capítulo 1, Marcos capítulo 1, a mesma coisa está acontecendo, a tentação de Jesus, e em Marcos 1:12 está escrito, “E logo o Espírito” – e aqui usa a palavra ekballo – “o impeliu para o deserto.” E essa é uma palavra muito forte. Ele O impeliu para o deserto; Ele o empurrou para o deserto. Em outras palavras, Jesus estava debaixo do poder do Espírito de Deus de modo que o Espírito de Deus literalmente O levou para onde queria que Ele fosse. Ele foi controlado pelo Espírito de Deus, e é por causa disso que depois, quando vieram até Jesus e disseram, “O que você faz, faz pelo poder de Satanás,” Ele diz, “Vocês blasfemaram não contra mim mas” – contra quem? – “o Espírito Santo.” Por que? Porque Ele tinha entregue o controle de Sua vida ao poder do Espírito de Deus. Ele estava cheio do Espírito, e é por causa disso que Ele foi levado pelo Espírito.

Ouça. Ser cheio do Espírito, amados, é a mesma coisa. É a idéia de ser levado pelo Espírito de Deus, ser movido pelo Espírito de Deus, ser impregnado pelo Espírito de Deus, ser controlado pelo Espírito de Deus. Essa é a questão. E é sobre isso que estamos falando. Estamos falando sobre viver a vida debaixo do controle do Espírito de Deus. Ele está ai, e se você não viver assim, irá entristecê-Lo por um lado e esfriá-Lo por outro. Vai entristecê-Lo – é assim que Ele sente tristeza – vai esfriá-Lo, é assim que você restringe o que Ele gostaria de fazer. Então realmente está lidando com Ele de forma negativa e com Seu propósito de forma negativa. E mais uma coisa, se você não é cheio do Espírito de Deus, você não tem utilidade.

Eu costumava usar a ilustração de uma luva. Se eu tenho uma luva aqui e digo, “Luva, vai tocar o piano,” o que a luva vai fazer? A luva não consegue tocar o piano; só vai ficar aí. Se eu colocar minha mão dentro da luva e então for tocar o piano, o que vai acontecer? Caos. “Marcha Soldado,” lembra? Só isso. Eu parei depois da minha primeira apresentação. Fui jogar baseball. Mas, sabe, a luva, você põe a mão na luva e a luva vai. A luva não fica piedosa e fala, “Ah, dedos, mostrem-me para onde ir.” Ela não faz isso. E a luva não luta contra você dizendo, “Luva, por favor responda” Não. A luva só vai.

Bom, como Cristão, você é uma luva e pode ficar parado na mesa e grunhindo até morrer, mas nunca vai afetar nada para Deus até ser cheio do Espírito. Porque uma luva não consegue fazer nada sem a mão e você não consegue fazer nada sem a energia do enchimento do Espírito. Tudo que você tentar fazer sozinho é feito pela carne e é inútil; é no melhor das hipóteses restolho. Nem ouro, prata, pedras preciosas. Então o que as Escrituras estão dizendo aqui é que você precisa ser cheio do Espírito de Deus para ser eficiente. Para cumprir com uma caminhada digna, para cumprir com uma caminhada de amor, andar na luz, uma caminhada sábia, para fazer qualquer coisa para Deus, para andar em sabedoria, precisa ser cheio do Espírito de Deus, precisa ser permeado por Sua pessoa, precisa ser levado pelo Seu poder, e precisa ser controlado por Sua presença.

Agora, deixe-me lhe mostrar algo. S quabe, a menose você seja dessa maneira, você é inútil para o Senhor. Ou seja, Ele não consegue fazer nada com você; é perda de tempo. Trabalhar na carne não leva a nada. Quando o Senhor quer que uma obra seja relizada, Ele sempre pega alguém cheio do Espírito. Em Atos capítulo 6 versículo 5, eles precisavam de alguns homens para um trabalho especial, então quais eram as qualificações? Atos 6:5, “O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo.” Eles o escolheram porque ele era cheio de fé e cheio do Espírito Santo. E diz em 7:55, “Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita.”

Rapaz, vou te dizer, ser cheio do Espírito tira você desse mundo, não é? Ser cheio do Espírito dá a você uma visão de Deus. Ser cheio do Espírito tira você do sistema. Ser cheio do Espírito quer dizer que eu não preciso me importar com o que acontece comigo se Ele está sendo glorificado. Ele simplesmente olhou para cima e viu a gloria de Deus. É algo transcendente; é uma realidade transcendente. Você sai desse mundo, para fora das suas circunstâncias, fora das suas vicissitudes, fora de suas provações, para ver Deus, viu só? Sempre que Deus quer alguém para uma obra, Ele quer alguém cheio do Espírito porque esse homem pode acabar sendo apedrejado, e se ele não estiver cheio do Espírito, ele nunca será capaz de lidar com isso.

Mais tarde no capítulo 9, Ele precisou de um homem. Ele precisou de um homem chamado Saulo que era alguém bem difícil. Ele era um perseguidor da igreja, mas o Senhor o pegou e o Senhor tinha uma simples condição para ele no capítulo 9 versículo 17. “Então, Ananias foi e, entrando na casa, impôs sobre ele as mãos, dizendo: Saulo, irmão,” – isso é depois de sua experiência na estrada de Damasco – “o Senhor me enviou, a saber, o próprio Jesus que te apareceu no caminho por onde vinhas, para que recuperes a vista e fiques” - O que? – “cheio do Espírito Santo.” “Saulo, antes de começar sua obra, precisa ser cheio do Espírito ou isso será feito pela carne.” Ser cheio do Espírito, amados, é viver um momento de cada vez debaixo do controle do Espírito Santo, só isso. É uma entrega; uma entrega. É eu me esvaziar para Ele me encher, vê?

Você encontra, mais adiante, quando chega ao capítulo 11 versículo 22, que o Senhor precisava de um homem chamado Barnabé para ajudar um homem chamado Paulo, e quando o Senhor quis escolher um homem chamado Barnabé, Ele tinha algumas condições. Versículo 22: “e enviaram Barnabé.” Porque Barnabé? Versículo 24: “Porque era homem bom,” – e o que? – “cheio do Espírito Santo.” Tinha que ser assim. O que mais Deus iria requerer? E mais para frente encontramos no capítulo 13, versículo 9: “Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando nele os olhos.” Aqui está ele, algum tempo depois, ainda cheio do Espírito Santo. Capítulo 13 versículo 52 – eu amo isso. “Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.” E o que aconteceu? “Em Icônio, Paulo e Barnabé entraram juntos na sinagoga judaica e falaram de tal modo, que veio a crer grande multidão, tanto de judeus como de gregos.”

Isso não é ótimo? Quando Deus quer alguém para ministrar para sua igreja, quando Deus quer alguém para uma obra missionária pioneira, quando Deus quer alguém para ganhar pessoas para Cristo, Ele encontra alguém – o que? – cheio do Espírito. Alguém que é levado à vontade de Deus pela pressão do Espírito de Deus, permeado pelo sabor do próprio Jesus, e alguém que é absolutamente controlado por esse poder. Esse é o padrão que Deus colocou.

Você diz, “Bom, esse é o significado de ser cheio, mas como? Como eu sou cheio?” Deixe-me falar isso rápido e então vamos terminar. Como eu sou cheio do Espírito, como faço isso, se é uma ordem? Bom, sabe, é incrível, eu ouço pessoas orando para serem cheias do Espírito. Você não precisa orar sobre isso. Não é um pedido de oração, é uma ordem. Você não diz, “Oh Senhor, eu quero ser cheio.” Ele está falando, “Eu quero que você seja cheio, Eu quero que você seja cheio,” e você está falando, “Eu quero ser cheio, eu quero ser cheio.” vê? Há uma espécie de obstáculo aqui. Se Ele deu a você uma ordem, então você tem os recursos, não é? E o recurso é você se esvaziar de si mesmo; é uma questão de confissão de pecado. Mas deixe-me lhe dar uma maneira simples de ver isso. Envolve uma rendição da sua vontade, do seu intelecto, seu corpo, seu tempo, seus talentos, seu tesouro, tudo para estar sob Seu controle. É a morte do Eu. É a crucificação do Eu. É a morte da própria vontade. É a mortificação dos membros do seu corpo. É a sua morte. Quando você morre, Ele enche. Quando você se esvazia de si mesmo, Ele encherá você. Ele encherá você.

Deixe-me lhe dar uma ilustração. Agora olhe para Efésios capítulo 5 rapidamente. Temos em Efésios capítulo 5 versículo 18 o seguinte: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” Agora, o que acontece quando você é cheio do Espírito? Aqui está o que acontece. Você estará “falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais,” versículo 19. Versículo 20, você será grato; “dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo,” Versículo 21, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo. Versículo 22, As mulheres cheias do Espírito serão submissas aos seus próprios maridos. Versículo 25, maridos cheios do Espírito amarão suas esposas. Capítulo 6, versículo 1, filhos cheios do Espírito irão obedecer seus pais. Capítulo 6, versículo 4, pais cheios do Espírito não irão provocar seus filhos. 6:5, servos cheios do Espírito serão obedientes, e 6:9, mestres cheios do Espírito tratarão seus servos corretamente.

Agora, você percebe isso? Não é incrível? Todo esse enchimento do Espírito nunca produz algo extático; produz canto, gratidão, submissão, e muitas coisas certas do relacionamento humano. Ninguém fica em êxtase e sai fora de órbita – incrível. Ninguém caí para traz; ninguém tem uma experiência extática. O que acontece? Simples. Todos os relacionamentos se acertam. Seu relacionamento com Deus se acerta porque você canta e é grato. Seu relacionamento com outras pessoas se acerta porque você se submete, seja no casamento com a família ou trabalho. É tudo muito pratico; é muito claro. Ser cheio do Espírito afeta todos esses relacionamentos, com Deus, com nossas famílias, com os outros.

Agora, deixe me lhe mostrar algo. Veja em Colossenses capítulo 3. Esse é um paralelo. É um ótimo paralelo. Colossenses 3. Agora veja o versículo 16, está escrito no meio do versículo, “instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente.” Lá vamos nós novamente, igual Efésios 5, “salmos, hinos, cânticos espirituais.” Muito bem, versículo 17: “E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” Agora vamos pela rotina novamente. Está resumido, mas está tudo aqui, esposas, submetam-se aos seus maridos, maridos amem suas esposas, filhos obedeçam a seus pais, pais não provoquem os filhos, servos obedeçam a seus mestres. E então no capítulo 4, versículo 1, “Senhores, tratai os servos com justiça e com equidade.”

Você está vendo isso? É a mesma sequencia. Temos bem aqui. Temos aqui cantar, agradecer, a submissão, as esposas, os maridos, os filhos, os pais, os servos, os mestres – idêntico. Agora, sabemos o que produz isso em Efésios 5, ser cheio do Espírito. O que produz isso aqui? Ah, é diferente aqui. Olhe o versículo 16, “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo;” – O que? – “em toda a sabedoria.” Agora, segurem-se em suas cadeiras, pessoal. Deixe-me lhe falar algo. Ser cheio do Espírito é o mesmo que permitir – O que? – que a Palavra de Cristo habite em você ricamente, você está vendo? Tem que ser o mesmo porque produz os mesmos resultados.

As pessoas dizem, “Ser cheio do Espírito é místico, muito místico.” Não, ser cheio do Espírito e pegar a Palavra que Cristo nos deu e deixá-la habitar – Onde? – em seu coração. Você quer ser cheio do Espírito, não vai sentar no canto e pedir a Deus. Se você quer ser cheio do Espírito, alimente-se da Palavra de Cristo. E conforme você é alimentado e cheio da Palavra, e ela está dentro de você plousiōs – “abundantemente, ricamente em sua totalidade” – você se encontrará debaixo do seu controle. Quem é o autor da Palavra de Cristo? O Espírito. E quando você se enche da Palavra, ela se torna naquilo que o controla. Como Spurgeon disse, “Seu sangue será bíblico.” Ele está certo. É algo simples e não precisa complicar. Ser cheio do Espírito é simplesmente deixar a Palavra dominar sua vida. Se você quer saber como é ser cheio do Espírito, então alimente-se da Palavra, porque quando a Palavra entra o Espírito tem a verdade para lhe dar direção e guiar você.

Ultima ilustração – e eu já usei isso muitas, muitas, vezes. Pedro – Pedro queria estar onde Jesus estava. Eu conto essa história no meu pequeno livro sobre a vontade de Deus. Ele queria estar onde Jesus estava, sempre. Eu tenho certeza que Jesus atravessava a rua e Pedro corria atrás Dele. Pedro sempre estava atrás Dele. O Senhor subia a montanha; Pedro subia a montanha. O Senhor disse, “Você vai embora?”; ele disse, “Para onde irei?” Pedro sempre estava por perto. E então, você sabe, eu sei porque ele sempre estava por perto. Porque quando ele estava perto de Jesus, três coisas se mostram na Bíblia: ele fazia maravilhas, falava maravilhas, e tinha uma coragem maravilhosa.

A primeira coisa, você sabe, ele – a primeira vez que vemos Pedro – ele está em um barco no mar e está muito nervoso. A tempestade e eles estão sozinhos e está tudo balançando e eles estão no meio do Mar da Galileia. De repente eles olham para longe e lá vem Jesus andando nas águas. Então Pedro pensa, “Eu estou aqui, Ele está lá, isso não é bom. Eu tenho que estar mais perto.” E ele vai estar com Jesus. Ele é pescador sua vida toda, viveu perto do Mar da Galileia, mas nunca andou no mar. Sempre que ele pisou nas águas, ele afundou. Ele sabe disso. Nunca foi diferente, e mesmo assim ele pula do barco e sai correndo na água, ele caminha um pouco e diz, “ha, há, ha.” Ele não tinha consciência do que estava fazendo porque sua vontade de estar com Jesus era maior do que tudo. Ele simplesmente estaria onde Jesus estava. E, claro, ele encontrou Jesus e por um tempo começou a afundar, e o Senhor estendeu Sua mão, levantou-o, e eles andaram até o barco. Eu só o imagino andando com Jesus até o barco, sentindo-se muito bem. “Olhe pra nós pessoal,” sabe?

E eu sempre dou risada porque um escritor escreveu que tinha um banco de areia, que eles estavam andando em um banco de areia. Mas é o mesmo escritor que disse que não existiu um grande peixe que engoliu Jonas também. Esse só era o nome do bote que estava amarrado no barco. Claro que minha pergunta foi: quem já ouviu de um bote que vomita? Mas isso é outra historia.

Então de qualquer maneira, Pedro e Jesus estavam andando até o barco, e sabe uma coisa. Temos que admitir que quando Pedro estava perto de Jesus, ele conseguia fazer coisas miraculosas. Ele não conseguia andar nas águas, mas ele conseguia quando estava perto de Jesus, não é? A vez seguinte em que o vemos em nossa analogia, ele está com os discípulos e Jesus diz, “Quem os homens dizem que eu sou?” – Mateus 16 – e eles dizem, “alguns dizem Elias ou Jeremias ou um dos profetas,” e ele diz, “Bom, quem vocês acham que eu sou?” e Pedro diz, “Tu és o Cristo, Filho do Deus vivo.” E eu tenho certeza que ele pensou, “De onde veio isso?” Veja, a boca de Pedro estava disponível. Um tempo depois nesse capítulo, Satanás o usou, lembra? Jesus teve que dizer, “Afaste-se de mim Satanás.” Sua boca estava disponível e então Deus usou, “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” Que choque. E Jesus olhou para ele e disse, “não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.” “Meu Pai acabou de usar sua boca para esse momento.” Claro que ele queria estar onde Jesus estava; ele conseguia fazer coisas miraculosas e falar coisas miraculosas.

A terceira coisa: Ele tinha uma coragem miraculosa. No jardim, os soldados vieram pegar Jesus, capturarem-No e levarem-No para o julgamento, e Jesus disse, “Quem vocês procuram?” e todo o exercito Romano caiu, caiu como domino, direto pro chão. E Pedro pensou, “Isso vai ser fácil, uma só e todos já caíram.” Então ele está ao lado de Jesus e ficando cada vez mais irritado, e então ele decide atacar. Assim, pega sua espada e começa com o primeiro homem da linha. Ele vai passar por todos. Tinham talvez 500 do Forte Antonius. Ele simplesmente arranca a orelha de Malco, ele mirava a cabeça dele mas ele abaixou, sem dúvida. Ele não ia só, “arrancar sua orelha,” sabe? Não era essa ideia. Ele queria tudo, e começou com o primeiro da linha, e ia até o final da tropa. Nós dizemos, “De onde veio essa coragem? De onde veio essa coragem?” Bom, ele sabia que a única coisa que precisava fazer era olhar para Jesus, e Jesus iria fazer assim novamente e todos iriam cair. Então ele não tinha nada com que se preocupar.

Veja, ele tinha a habilidade de fazer coisas miraculosas, falar coisas miraculosas e ter coragem miraculosa quando estava perto de Jesus. Claro que era lá que ele queria estar. Claro que quando Jesus disse, “Você vai embora?” ele disse, “Para onde irei, Senhor?” E mesmo assim, vocês sabem o que acontece com ele na vez seguinte que o vemos? Ele está separado de Jesus. Jesus está no lado de dentro sendo julgado; ele, Pedro, está do lado de fora lavando as mãos – ou aquecendo as mãos – e a Bíblia diz que ele fez, o que, três vezes? Ele O negou. Isso não é horrível? Bastou Pedro estar separado de Jesus e ele foi um fracasso. Ótimo princípio aí, não é? Você diz, “Ele foi um covarde estando Jesus a alguns metros de distância ou coisa assim.” Sim. E a próxima coisa que aconteceu, Jesus foi para o céu. Você diz, “Ah, esse é o fim de Pedro.” Ele é um covarde a alguns metros, o que ele vai fazer agora? O Senhor está obviamente no céu; podemos enterrar já esse cara. Não.

Sabe o que ele faz? Ele levanta no dia de Pentecoste e diz, “Homens de Judá, e todos de Jerusalém, saibam disso, e marquem minhas palavras.” Ele vai e prega sobre “Jesus, a quem vocês crucificaram, é o Senhor e Cristo,” e ele prega algo incrível, e Deus está usando sua boca novamente e está sob inspiração divina. Ele termina e as pessoas são tocadas no coração, e dizem, “O que faremos?” e ele diz,”Arrependam-se, e sejam batizados, para a remissão dos pecados, e vós recebereis o Espírito Santo.” E 3000 receberam. Sabe o que você vê ele fazendo? Falando coisas maravilhosas novamente. Ele está abrindo sua boca e Deus está falando.

A próxima vez que o vemos, ele e João estão indo para o templo adorar, e tem um rapaz deitado lá, e era um mendigo, e ele olha para ele e diz, “outro e prata eu não tenho, mas o que tenho dou a você. Em nome de Jesus de Nazaré, levante e ande.” E o cara pula e dança e passa pelo templo fazendo isso. Ele não só falava coisas maravilhosas, ele fazia coisas maravilhosas, e não gostavam do que ele estava fazendo e o arrastaram até o Sinédrio e falaram, “Pare de pregar,” e ele disse a eles, “Vocês me dizem se eu devo obedecer a vocês ou a Deus,” e eles o deixaram ir, e ele foi imediatamente e começou uma reunião de oração, e eles oraram para Deus lhes dar ousadia, e foram e pregaram mais ainda.

Ouça, é incrível para mim ver quando Pedro estava com Jesus, ele fazia coisas maravilhosas, falava coisas maravilhosas, e tinha uma coragem maravilhosa. Depois, quando Jesus estava novamente no céu, ele fazia coisas maravilhosas, falava coisas maravilhosas, e tinha uma coragem maravilhosa. Você diz, “Qual é a conexão?” Antes dele estar perante o Pentecoste, a Bíblia diz em Atos 2:4, “Todos ficaram cheios” – do que? – “do Espírito Santo.” Agora ouça, aqui está a conclusão. Ser cheio do Espírito Santo é a mesma coisa que viver como se estivesse ao lado de quem? Jesus Cristo. Ser cheio do Espírito Santo é a mesma coisa que deixar a presença de Cristo dominar sua vida. Não é algo místico, pessoal. É encher-me com a Palavra de Deus para que a verdade de Cristo domine meus pensamentos, e então o Espírito de Deus, conforme eu me entrego à verdade de Cristo em mim, irá me levar a fazer coisas e falar coisas e ser o que Deus quer que eu seja. Mais sobre isso semana que vem. Vamos orar.

Pai, eu oro que o Senhor traga para a sala de oração e a sala de aconselhamento aqueles que o Senhor quer. Traga-nos de volta hoje a noite, Pai, para Te encontrar de uma forma especial. Obrigado pelo Espírito Santo que vive em nós e quer nos encher a cada momento conforme nos entregamos à presença de Jesus Cristo. Ajuda-nos a praticar Tua presença, a pensar em Jesus de manhã até a noite, conforme nos alimentamos da Tua Palavra para que o Espírito nos lidere, para sermos úteis para o Senhor e o Teu propósito. Em nome de Jesus, amém.

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize