Grace to You Resources
Grace to You - Resource

10/6/79, Manhã

Nesta manhã, novamente, nós temos o privilégio de virmos para o sexto capítulo de Efésios, Efésios, capítulo 6, e nós estamos continuando a armadura do Cristão. Eu tenho certeza de que, até agora, nós não nos apressamos por isso. A razão disso é porque ele está cheio de tantas verdades maravilhosas e grandiosas para nós, e nós vemos isso como um tremendo privilégio, que nos foi dado pelo Senhor, de termos a oportunidade de compartilhar isso com você. Pode ser que leve muito tempo para você voltar para Efésios 6 novamente, se isso acontecer no tempo do Senhor. Por isso, nós queremos fazer isso com o maior grau de detalhe possível.

Nós estamos olhando para Efésios 6, versículos 13-17. E, conforme nós encerramos o livro de Efésios, nós temos examinado a guerra do crente e os recursos que ele tem para a vitória. Através de uma introdução, nesta manhã, eu quero responder uma questão que se levanta sempre quando você entra em uma discussão como nós temos entrado nas últimas semanas. Nós temos discutido a dedicação, o compromisso, e o nosso entregar à obediência a fim de cumprir a vontade de Deus em nossas vidas. Nós temos falado a respeito da questão de nos disciplinar, controlar os nossos desejos, nos conformando aos padrões de Cristo. Nós temos falado a respeito de sermos soldados, guerreiros, dando o nosso melhor para a sua causa.

Agora, isso introduz imediatamente para nós outra perspectiva que é abraçada com respeito a vivência humana. Existem algumas pessoas que acreditam que toda essa atitude, toda essa disciplina, toda essa luta e todo esse esforço não é o que Deus deseja. Assim, por essa questão ter sido colocada, eu sinto que, por um momento nesta manhã, eu devo responder isso. Existe uma afirmação no Antigo Testamento que é feita a respeito do rei Josafá dizendo que a batalha não é dele, mas do Senhor. Agora, essa afirmação tem se tornado um jargão para um grupo de pessoas que é chamado de quietistas. Esse é um movimento que, basicamente, diz que para você viver a vida cristã, você não faz isso através da auto disciplina, esforço e compromisso, mas ao se render. Você pode ter sido exposto a esse conceito na sua juventude ou em alguma leitura, quando dizer, “Abra mão disso e deixe Deus fazer”. Existe atualmente um programa na televisão com esse título. Existe uma canção que diz, “abra mão e deixe Deus faze do seu jeito maravilhoso”. Nós ouvimos muito a respeito do assunto de se render, descansar, estar em Cristo, entregar tudo para o Senhor. Eu sei que existe uma canção contemporânea que diz, “Entregue tudo a Jesus”. Você ouve as pessoas dizerem, “Pare de lutar e se debater, e entregue tudo, se renda, se renda completamente”. Eu me lembro, quando criança, ouvindo muito isso. Eu me lembro indo para acampamentos e conferências, nessa escola que eu fui, haviam esses chamados constantes para vir ao altar. Os estudantes eram como io-ios, subindo e descendo, tentando se render.

Na verdade, nós percebemos que muitos de nós estávamos dispostos a nos render. Nós apenas são sabíamos como. Me parece que você precisaria chegar ao ponto das lágrimas começarem a escorrer, com seus joelhos no altar, e você se render. Três dias depois você pecava e então dizia, “Mas eu me rendi, Senhor. De quem é a culpa?” Então isso se torna muito difícil. As pessoas que propagam esse ponto de vista usam uma ilustração. Elas dizem que existe uma sala escura. Não existe luz nessa sala. Está tudo escuro, e não há ninguém ali. Ele está tropeçando em tudo, chutando as cadeiras, tropeçando em todas as coisas, tentando fazer o que ele está fazer. O motivo de estar tudo escuro é porque ali tem aquelas persianas que escurecem completamente o lugar, e elas estão para baixo. Lá fora está com muito sol, brilhando intensamente, e ele está tropeçando por toda a sala quando tudo o que ele precisa fazer é erguer a persiana que a luz do sol encherá a sala, e então ele poderá ver onde ele está caminhando. Eles dizem que é assim que é a vida cristã. O Senhor não quer que você fique tropeçando, caindo e se machucando por todo o lugar no escuro. Apenas levante a persiana. Sente-se e descanse, e tudo ficará claro. Existem algumas pessoas que pegam João 15, o conceito de habitar em Cristo, não se referindo ao ato de ser salvo mas à ideia de se render, de se render. Você, talvez, quando era uma criança indo para um acampamento, você ouviu alguém falar, e talvez eles te exortaram a se render a jesus e dar tudo ao Senhor, a se render completamente, e você cantou músicas a respeito disso, com emoção, verso por verso. Eu me lembro estando em uma convenção com 2000 pessoas, onde eles cantavam pelo menos 25 versos de um hino, falando a respeito das pessoas se rendendo. Você teve essa experiência. Eu tive. Eu fui para um acampamento, e eu vi esse garoto que ficou frustrado até o final da semana. Nós ouvimos tantas mensagens a respeito de se render, e esse garoto estava completamente frustrado buscando entender como se render. Ele decidiu que a melhor forma era render o seu tempo ao Senhor. Então, eles costumavam jogar um pedaço de madeira no fogo, um símbolo de uma vida rendida. Ele subiu lá e disse, “Eu quero entregar ao Senhor o meu tempo. Ele tirou o seu relógio e jogou no fogo. E você conseguia ver a frustração. Isso não é inteligente. Isso é má mordomia, jogar o seu relógio no fogo. Não é isso que você faz para se render. Mas ele chegou ao ponto de ficar frustrado. Ele ouviu a respeito de dedicação, rededicação, consagração, reconsagração, e ele estava trabalhando duro para isso.

É incrível como tanta falta de entendimento existe a respeito desses termos. Eu me lembro quando nós estávamos no Centro Familiar, antes de termos esse auditório. O coral estava cantando, e eu precisei dar um passo para trás porque alguém queria que eu ouvisse o nosso sistema de microfone ou algo assim. E eu estava na porta de trás, e durante a música do coral, uma moça entrou pela porta com um cachorro em uma coleira; algo que não acontece muito. Nós não temos uma regra a respeito disso porque isso não é muito comum. O diácono ficou apenas parado, e eu vi isso acontecer. O cachorro, eu admito, estava bem vestido, com uma roupa e um colar bem arrumado quando entrou na porta. Eu pensei em ficar ali para ver como que o diácono lidaria com a situação. Bom, era óbvio desde o início que a mulher não estava indo muito bem. Haviam algumas coisas faltando que era bem vitais. Mas, ela entrou com o cachorro em uma coleira e o diácono olhou umas duas vezes para ela, foi até lá e disse “Moça, você não pode entrar com um cachorro”. Então ela respondeu delicadamente, “Está tudo bem senhor. Está tudo perfeitamente bem. Nós vamos para a sala de oração porque ele acabou de dedicar novamente a sua vida”. Então, claro, o seu sorriso se transformou em surpresa. Como um Batista, eu cresci em uma igreja batista, a minha primeira reação foi, “Como que você sabe que o cachorro foi salvo, pra começar”. O ponto é, a mulher não estava caminhando bem. Mas o ponto aqui é a palavra, “dedicar novamente”. Dedicar novamente não tem mais significado àquela mulher do que algo que você faz com o seu cachorro, levando o seu cachorro para a sala de oração. Eu não sei como que ela entendeu isso. Mas essa é uma ilustração bizarra da falta de entendimento de um termo.

Talvez você é como algumas pessoas que eu conheço que caminharam pelos corredores da igreja na sua juventude, buscando de render. Bom, isso não é estranho, nem um pouco estranho. Na verdade, existe um hino antigo que falava mais ou menos assim, “Santidade pela fé em Jesus, não pelo meu próprio esforço”. Bom, “Abra mão e deixa Deus” significa ser legal o que você está fazendo, abrindo mão, e não fazendo nada. C.H.A. Trumbull, que defendia esse sistema dizia que, “quando você está completamente rendido” – preste atenção – “você nunca experimentará tentação porque ela será derrotada por Cristo antes de te puxar para uma briga”. Bom, se isso é verdade, então quando você peca, a culpa é de quem? Deve ser de Cristo, o que é algo assustador de se pensar porque isso não é verdade. Talvez, se render é ilustrado apropriadamente em um livro chamado, “O Segredo do Cristão para uma Vida Feliz”, escrito por Hannah Smith. Nesse livro, ela diz, “o que pode ser dito a respeito do papel do homem nessa grande obra a não ser que ele deva se render continuamente? Porém, quando nós partimos do lado de Deus na questão, o que está ali que não pode ser dito das suas formas maravilhosas pela qual ele faz toda obra confiada a ele? É aqui que o crescimento acontece”. Em outras palavras, o que ela está falando é que se você deseja crescer espiritualmente, não faça nada mas se renda e deixe que ele faça tudo. Ela ilustra isso da seguinte forma, “O bloco de barro nunca poderia se transformar em um belo vaso se ele ficasse no buraco de barro por milhares de anos. Porém, quando você coloca ele nas mãos de um experiente oleiro, ele se transforma rapidamente no vaso que ele deseja transforma-lo. Da mesma forma, a alma abandonada ao ser trabalhada pelo oleiro celestial se transforma em um vaso, santificado e pronto para o uso do mestre”. Agora, tudo isso soa muito em. Mas se você não é nada mais do que um pedaço de barro nas mãos de um oleiro, e ele está te transformando no que ele deseja que você seja, como que você sai disso para pecar? Será que o barro, de repente, diz, “Olha. Eu parei com isso”, sai mas mãos do oleiros, se transforma no que deseja ser e faz tudo do seu jeito? É francamente uma ilustração difícil. Em um momento, a Hannah Smith tem um Cristão como sendo uma peça de barro e no próximo momento o barro sai das mãos do oleiro e faz o que ele quer. Que barro.

Porém, o ponto é o seguinte. Deve haver mais à vida cristã do que essa ideia de não fazer nada. A Bíblia nunca ensina isso. A Bíblia não ensina simplesmente que tudo o que você precisa fazer em algum momento da sua vida é se render. A Bíblia não ensina isso nem um pouco. Existem muitos, muitos cristãos que tentaram, tentaram e tentaram. Eu nunca vou me esquecer da ilustração de um rapaz que disse para mim que ele estava na igreja onde eles estavam chamando as pessoas para fazer isso, e aquilo e aquilo. Ele foi para frente, caminhou todo o corredor, se ajoelhou lá na frente, e começou a orar e orar para se render, e orar para se render e orar para se render. O pastor viu ele passando por tudo isso. Finalmente, ele disse, “Ore para você passar por isso. Ore por isso. Ore por isso. Todos aqui no auditório pessoal, vamos sustenta-lo para que ele consiga orar por isso”. Finalmente, o rapaz se levantou e disse em voz alta, “Ahh, eu não consigo passar por isso” e saiu pela porta de trás. Bom, isso é muita frustração. Eu não sei o eles estavam querendo que ele superasse, mas é esse tipo de frustração que vem quando você busca e render e você não entende que existem outras coisas envolvidas nisso.

Agora, eu concordo que nós precisamos depender dos recursos de Deus. Eu concordo que nós precisamos depender da energia de Deus, do poder de Deus e da força de Deus. No entanto, não é bíblico achar que o que nós precisamos fazer é ficarmos parado. Assim, como algumas pessoas talvez tiveram um problema com a ênfase que eu estou dando, de auto disciplina e de vida cristã, ou de submeter a sua carne a força de Deus. Mas você não deveria porque é isso que a Bíblia ensina.

Por exemplo, versículo 10. Vamos voltar para o nosso texto. Veja se você encontra o termo “se render” aqui. Você está em uma guerra contra o inimigo. “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”.

Agora, você não lê nada lá a respeito de se render. O que você lê ali é a respeito de disciplina. O que você lê é a respeito de compromisso. Essa é a ideia. A vida cristã é uma guerra, e se você for para Hebreus, capítulo 12, você encontrará que a vida cristã é uma corrida. Se você for para 1 Coríntios 9, você encontrará a vida cristã como uma luta. Nós devemos ser, como Tito 3:8 diz, “solícitos na prática de boas obras”. Tiago 4 e 1 Pedro 5, “Nós devemos resistir ao diabo”. 1 Coríntios 9, “Nós devemos sujeitar o nosso corpo”. Efésios, capítulo 5, “Nós devemos prestar atenção no nosso proceder”. Filipenses, capítulo 3, “Nós devemos seguir para o alvo do alto chamado de Deus em Cristo Jesus”. 2 coríntios 7:1, “Nós devemos nos limpar de toda imundícia da carne, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus”.

Agora, preste atenção, é muito simplista dizer que tudo o que é necessário na vida cristã é algum tipo de mergulho, cair de bruços e dizer, “Tudo bem, Deus, faz”. Isso é muito simplista. Por um lado, é isso que os quietistas estavam dizendo. Eles foram enfrentados por um outro grupo chamado que petistas, que eram legalistas, dizendo que você precisa fazer tudo na carne, e o equilíbrio está no meio. Sim, nós dependemos da força de Deus. Sim, nós descansamos no seu poder. Sim, nós abitamos na videira. Sim, nós contamos com o recurso divino. Sim, não sou eu mas Cristo. Mas, por outro lado, deve haver na vida cristã um tremendo grau de compromisso, um tremendo grau de domínio próprio e de disciplina própria. Deve haver na vida cristã uma dedicação de nossas vidas de forma diária para lutar contra Satanás com todas as nossas energias. É muito simples dizer que se rende e pronto.

Deixe-me te mostrar o equilíbrio, fazendo com que você veja comigo 2 Pedro 1. Em 2 Pedro 1, no versículo 3, nós lemos o seguinte, “Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude”. Agora, veja, Deus nos chamou para a sua glória e virtude. Para nos equipar para isso, o seu divino poder nos deu todas as coisas que pertencem a vida e a piedade. Veja, como um cristão, você não está com falta de nenhum recurso. Você tem todas as coisas que pertencem a vida e a piedade. De onde que você conseguiu isso? Através do conhecimento dele. Quando você o conheceu na salvação, Deus te deu tudo o que você precisa. Portanto, o recurso divino está ali. Ele chama isso de poder divino no versículo 3. Nós temos poder divino. Nós temos isso disponível. Agora, através desse poder divino, versículo 4 diz que nós recebemos preciosas e mui grande promessas. Então nos tornamos co-participantes. Nós temos poder, promessa e somos co-participantes da própria natureza divina. Agora, essa é a parte de Deus. Deus diz, “Aqui está o meu poder, aqui está a minha promessa. Co-participante da minha própria natureza”. Um recurso tremendamente magnânimo para viver a vida cristã. Então nós dizemos, “Amém e agora nós vamos se render a isso. Eu vou abrir mão de tudo e deixar Deus. Dar tudo para Jesus. Não fazer nada”. Não. Porque você continua no versículo 5. O versículo 5 diz, “por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência”. Vai pra frente. Caminhe. Seja diligente. Seja disciplinado para adicionar à sua fé dada por Deus, virtude, e para a virtude, conhecimento, e para o conhecimento, domínio próprio, e para o domínio próprio, a perseverança, e para a perseverança, a piedade, e para a piedade, a fraternidade, e com a fraternidade, o amor. Em outras palavras, você continua a obra. Amados, não é tão simples como andar em um corredor e ter um ato de se render. Isso faz parte da sua vida. Precisa haver um compromisso com o senhorio de Cristo. Precisa haver um reconhecimento do seu poder e do seu recurso em sua vida. Mas não termina ali. Começa ali.

Em Romanos 6, existe um rendimento de você mesmo, sim. Existe um rendimento de você mesmo em Romanos 6, mas existe também o ato de mortificar ou de matar as obras da carne. Assim, não é tudo tão simples assim, e é por isso que nós não duvidamos de proclamar as verdade de Efésios 6. Existe um equilíbrio. Volte, se você puder, por um momento, para Filipenses, capítulo , e você verá o equilíbrio novamente. Em Filipenses, capítulo 2, versículo 12, ele diz, “Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor”. A palavra “obedecer” é a palavra-chave nesse versículo. Você desenvolve a sua salvação com uma vida de obediência. O versículo 13 diz, “porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade”. Você tem Deus trabalhando em você a sua vontade e você desenvolve isso na sua obediência. Essa é a ideia. Deus trabalha em você com a sua vontade, e você desenvolve pela sua obediência. Esse é o equilíbrio. Deus trabalha e você trabalha. Veja Colossenses, capítulo 1, versículo 29, talvez o versículo mais definitivo de todos. Colossenses 1:29 demonstra belamente esse equilíbrio perfeito. “Para isso é que eu também me afadigo” – diz Paulo – “esforçando-me o mais possível, segundo a sua eficácia que opera eficientemente em mim”. Você está vendo? Eu trabalho e Deus trabalha. É por isso que eu digo que é muito simplista martelar o conceito de se render. Precisa haver um compromisso em minha vida com a auto disciplina, com uma obediência diligente. Na verdade, se você aceitar toda essa perspectiva de “abra mão e deixa Deus faz”, o que você vai fazer com todas as exortações do Novo Testamento? O que elas significam? Se tudo é o Senhor, então elas deveriam ser direcionadas a ele e não a mim.

Não, não. Existe um equilíbrio entre uma submissão ao senhorio de Cristo e uma disciplina total e um compromisso em minha vida de permanecer em obediência. Agora, em 2 Coríntios, apenas mais uma palavra ara te mostrar, capítulo 6, versículo 4, “Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos como ministros de Deus”. Tudo o que nós queremos fazer é nos recomendar ou demonstrar que nós somos ministros de Deus. Nós queremos que o mundo saiba, com muita paciência, em aflições, em necessidades, em dificuldades, em prisões, em lutas, em tumultos, em obras, em observação, em jejum, pela pureza, pelo conhecimento, pela longanimidade, pela benignidade, pelo Espírito Santo, por um amor não fingido, pela palavra da verdade, pelo poder de Deus, pela armadura da justiça na mão direita e na esquerda. E você percebe algo maravilhoso nisso? Existe uma mistura fenomenal de coisas. Paciência, essa é uma atitude pessoal. Aflição, necessidades, angústias, açoites, prisões, tumultos, trabalhos, vigílias, jejuns, pureza, saber, longanimidade, benignidade. Essas são todas as coisas que eu preciso produzir em minha vida, mas eu preciso ver essas coisas. Qual é a fonte? Pelo Espírito Santo, por um amor não fingido, pela palavra da verdade, que é a Bíblia e pelo poder de Deus, e pela armadura da justiça. Essas são todas as coisas que Deus nos dá. A mistura perfeita dos dois. Assim, nós dependemos de Deus e damos o nosso melhor. Essa é a ideia.

Agora, vamos voltar para Efésios 6, com isso em mente. O que eu estou tentando dizer, amados, é que Efésios 6 não contradiz a bíblia em nenhum lugar. E as pessoas que buscaram, talvez, te ensinar que tudo o que você precisa fazer é se render, não entenderam o ponto. Existe muito mais para a vida cristã do que isso. Elas costumavam dizer que a única forma de crescer através de sua vida cristã é através desse rendimento total onde você não faz nada, quando a Bíblia diz que você cresce ao agir em obediência, com um compromisso com auto disciplina com Jesus cristo, sendo um esforço diário. Você não cresce sem esforço. Você cresce através de um esforço máximo.

Agora, vamos ver a armadura novamente. Assim, nós não ficamos em dúvida a respeito de vesti-la. Eu espero que isso esclareceu essa questão. Nós estamos em uma batalha e uma batalha a ser vencida demanda as nossas maiores forças e os nossos maiores esforços. Assim, nós precisamos, primeiramente, ter o cinto da verdade, depois a couraça da justiça, os sapatos do evangelho da paz e o escudo da fé. Então vem o versículo 17 “Tomai também o capacete da salvação”. Foi aqui que nós paramos da última vez.

O que isso significa? O que é o capacete da salvação? Nós falamos para você que isso não significa ser salvo. Olha, você não teria o cinto da verdade, você não teria a couraça da justiça, você não teria os sapatos do evangelho da paz, e você não teria o escudo da fé se você não fosse salvo. Eu ouvi um rapaz falando a respeito disso na televisão nesta semana. Ele disse, “o capacete da salvação significa ser salvo”. Isso não significa ser salvo. Você não é salvo em quinto lugar. Você é salvo em primeiro lugar. Como eu disse na semana passada, nós fomos salvos no capítulo 2. Esse é o capítulo 6. Nós fomos salvos por quatro capítulos. O capacete da salvação é outra coisa e não o ato da graça da salvação. Nós já estamos no exército. Isso significa que nós estamos salvos. O que é? Eu te falei que a salvação tem três dimensões, passado, presente e futuro. Agora, preste atenção. Essa é a única definição de salvação que a Bíblia entende. Não existe outro tipo de salvação do que uma salvação de três dimensões, passado, presente e futuro. A bíblia não conhece uma salvação que é somente válida no passado. A Bíblia não conhece uma salvação que é somente válida no presente. E a Bíblia não conhece nada a respeito de uma salvação que você tenha que esperar para alcançar no futuro. A Bíblia conhece apenas uma salvação tridimensional, passado, presente e futuro. Nós fomos salvos, estamos salvos e seremos salvos. A justificação do passado resulta na santificação e promete glorificação. A salvação é vista apenas biblicamente nesses três termos, todos juntos. No passado, nós fomos salvos da penalidade do pecado; no presente, nós fomos salvos pelo poder do pecado; no futuro, nós seremos salvos da presença do pecado. Assim, você precisa ver a salvação nessas três dimensões.

Agora, a dimensão disso que Paulo especificamente faz alusão aqui é o futuro. O capacete da salvação não é algo que está lidando com o passado. Isso não é algo que está lidando com o presente em um certo sentido. Isso é algo lidando com o futuro, e é isso que ele está dizendo. Você pode ter certeza de sua salvação no futuro, sendo uma proteção contra ataques de Satanás.

Eu te falei na última fez que ele tem uma grande espada, uma romfaia, a palavra grega, e que ela tem dois gumes. Um deles é o desencorajamento, e o outro é a dúvida. Satanás deseja te inundar de desencorajamento e dúvida. A proteção que você tem é o capacete da salvação. Quando você fica desencorajado, lembre-se de que vem um grande e glorioso dia. Quando você fica desencorajado, lembre-se de que está vindo uma celebração de vitória. Quando você fica desencorajado e você quer ficar bem, lembre-se de que você irá colher se você não perecer. Lembre-se que algum dia, haverá uma recompensa. Um dia, haverá um dia de coroação. Um dia, Jesus estará diante de você e dirá, “Muito bem, bom e fiel servo”. Lembre-se de que aquele dia está vindo. Quando Satanás deseja te envolver com desencorajamento porque a batalha fica cansativa, porque você fica cansado, porque a luta não tem fim, lembre-se de que um dia de vitória está vindo. Existe uma linha de chegada. Existe um tiro final. O relógio irá terminar, e nós ficaremos face a face com Jesus Cristo naquele glorioso momento.

Assim, é com o capacete da salvação que tem a confiança no futuro. Como Paulo diz em 1 Tessalonicenses 5, “o capacete é a esperança da salvação”. Mas o capacete da salvação nos dá a força para continuar no presente. Ele nos dá a força para continuar no presente até mesmo quando as coisas ficam difíceis. Existe uma linha de chegada. Existe uma gloriosa recompensa. Existe um fim em vista. Existe um dia de coroação vindo. Haverá aquele momento em que nós deixaremos esse véu de lágrimas e entraremos na presença de Jesus Cristo, a nossa carne sai e com isso, não haverá mais pecado, luta, guerra e batalha. Nós viveremos em um novo universo glorioso. Está vindo, e isso será apreciado completamente com base no maior compromisso agora. Portanto, você diz que quando Satanás deseja te atacar com desencorajamento na batalha, perceba que existe um dia de vitória vindo; não desista. Tendo feito tudo, permaneça firme.

Eu busquei compartilhar com você na semana passada que se não há um elemento futuro à salvação, as outras duas partes não fariam sentido. Se eu fui salvo e estou salvo, sem haver nenhum futuro, por que eu deveria continuar fazendo isso? Por que eu deveria lutar tanto se não há nenhum futuro? Se não há esperança para o cumprimento e um elemento final de salvação, por que todo esse esforço? Deixe-me ilustrar isso para você em 1 Coríntios 15:32. Isso é muito apropriado da experiência de Paulo. Paulo diz nesse versículo, 1 Coríntios 15:32, “Se, como homem, lutei em Éfeso com feras, que me aproveita isso? Se os mortos não ressuscitam, comamos e bebamos, que amanhã morreremos”. Veja, pessoal, se não há futuro, esquece. Se eu preciso ir a Éfeso, e lá ficar muito ruim, e a perseguição for tão severa que eu tenha que lutar com bestas selvagens, que proveito eu vou ter se não houver ressurreição? Que tipo de salvação é essa que não vai para lugar nenhum? Você acha que eu vou colocar a minha vida na linha diante de vários animais selvagens? Você acha que eu vou confrontar um monte de pagãos hostis com o evangelho de Cristo se não há salvação, se não há um elemento futuro de salvação? Eu abandonaria tudo agora, entregaria tudo, iria embora e diria que esse é o fim. Essa é a ideia. Que tipo de salvação seria essa que não tem um futuro? Ela não teria absolutamente nenhum efeito para me levar a lutar na batalha hoje.

Veja 2 Coríntios, capítulo 4:6, “Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo”. Agora, o que esse versículo quer dizer é que Deus nos fez como luzes no mundo. Deus colocou Cristo nos nossos corações para espalhar ele pelo mundo. Portanto, no versículo 7, ele diz, “temos, porém, este tesouro”. Qual é o tesouro? É a luz de Deus, a luz de Cristo em nossas vidas. Nós temos isso nesses vasos terrenos, nesses corpos. A excelência do poder é de Deus, não nossa. Nós temos o poder divino na habitação de Cristo. O que acontece? Tudo bem. Nós levamos Cristo ao mundo. Nós temos o poder e a luz aqui. Nós saímos. E quais são os resultados? Versículo 8. “Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus”.

Veja o versículo 11, “Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus”. Veja isso. Ele diz, “Aqui você vê como é ministrar para Cristo”. Que grande carreira para seguir, não é? Por onde nós vamos, atribulações, perseguição, abatimento, carregar em nossos corpos o morrer do Senhor, sempre a beira da morte, com alguém sempre desejando tirar as nossas vidas. É assim que nós vivemos. Dia após dia, após dia, confrontando um mundo sem Deus e hostil. Você pode dizer, “bom, bom, porque você se importa então, Paulo? Por que você volta a fazer isso?” O versículo 14 nos diz porque ele se importa. “sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco”. Agora, veja, o que sustendou Paulo nesse nível de comprometimento que ele tinha, era que um dia ele seria ressuscitado para a glória com Cristo, entendeu? Assim, a dimensão futura da salvação se torna uma poderosa força para viver a vida agora. Um dia, eu estarei face a face com Jesus Cristo. Eu vou estar face a face com tudo o que eu fiz para servi-lo. Eu amo ele o suficiente, eu tenho desejo o suficiente para conhecer a plenitude da vida eterna e tudo o que ela pode dar. Eu quero dar tudo o que eu posso dar desde que me dê fôlego, para essa pequena vida que é somente um vapor que aparece por um tempo e depois some. Eu quero maximizar esses poucos anos para que eu possa experimentar a plenitude da glorificação na eternidade com Cristo para sempre. A razão pela qual eu não quero ficar cansado em fazer o bom é porque eu sei que eu vou colher um glorioso tesouro se eu não enfraquecer. Esse é o capacete da salvação. Assim, quando Satanás vem contra mim, desejando me desencorajar e me dizendo, “Por que você não desiste de pregar por um tempo e descansa? Tire um tempo. Não estude tanto. Pense em apenas algumas coisas, conte histórias engraçadas. Eles nunca saberão a diferença. Facilite sua vida”. As vezes eu fico frustrado com as coisas que eu estou trabalhando duro e Satanás diz, "Ah, isso é muito desencorajador no ministério. As pessoas não te apreciam. A igreja não está do jeito que você deseja e nem fazer o que você quer. Abra mão disso”. Mas você fique firme porque o dia da coroação está chegando. O dia de prestar contas está vindo. Você sabe, aquele dia em que você será igual a Jesus Cristo, e você deseja maximizar isso para ter certeza. Era isso que movia Paulo. É isso que deve nos mover. Ele disse, “Eu lutei o bom combate. Eu completei a carreira. Eu guardei a fé”. Por que, Paulo? Porque diante de mim está a coroa da justiça, a qual o Senhor, o justo juiz, me dará, e não somente a mim mas a todos que amam a sua aparição. Eu faço isso porque eu sei o que está vindo. Assim, quando Satanás vem com a espada do desencorajamento, com a ponta do desencorajamento contra as nossas vidas, nós permanecemos firmes, protegidos pela confiança de que a salvação que Deus prometeu se cumprirá.

Existe uma segunda coisa. Satanás tem uma outra ponta em sua espada. Não é o desencorajamento. É a dúvida. E talvez a dúvida é o maior desencorajamento. Você sabia que Satanás quer que você duvide de sua salvação? Bom, ele é muito bom nisso. A maioria das pessoas, em algum momento de suas vidas cristãs, sofrem com isso, normalmente no início. Agora, você crescerá no Senhor e chegará em um momento em que talvez isso não aconteça, embora nenhum de nós esteja totalmente invulnerável às tentações de Satanás nesse sentido. Mas, Satanás deseja vir logo depois de você ter feito algo pecaminoso e dizer, “Você não é um cristão. Você não deveria ser um cristão. Por que o Senhor te salvaria? Você não é bom o suficiente. Você não merece ser salvo. Como você sabe que você queria aquilo mesmo quando professou sua fé? É melhor tentar novamente pra ver se dá certo”. Satanás realmente persegue as pessoas nessa área. E existem pessoas que vão para determinadas igrejas que te ensinar que você pode perder a salvação. Elas vivem constantemente – as pessoas dizem, “Você vive com uma segurança eterna?” De certa forma, é isso que a Bíblia está dizendo aqui. A única coisa que eu não creio é em insegurança eterna. Mas existem algumas pessoas que vivem assim o tempo todo. Elas vivem constantemente em um estado de insegurança. Algumas pessoas dizem, “Você nunca saberá se você vai conseguir isso até o dia que você estiver diante do Senhor”. Você consegue imaginar vivendo desse jeito? Toda a sua vida, “Será que eu vou conseguir? Estou perto. Será que eu vou conseguir?” Que vivência horrível. Isso seria tudo menos, “estas coisas te escrevo para que a tua alegria seja completa”. Você teria que dizer que o Novo testamento diz, “Estas coisas te escrevo para que você fique miserável”. Você nunca será feliz sabendo que isso é um jogo de adivinhação. Existem também outras pessoas que pensam que toda vez que você peca, você perde a salvação. Eu nunca vou me esquecer de um rapaz na televisão, no canal 40. Ele estava respondendo várias perguntas. Então alguém ligou e disse, “Se você pecar e for um cristão, e se esquecer de se arrepender daquilo antes do arrebatamento; você peca aquele pecado, o arrebatamento acontece, e você não teve tempo de confessar, o que acontece?” Ele disse, “Você vai para o inferno”. Você consegue imaginar vivendo de baixo de um medo assim? Satanás quer que nós tenhamos medo de não termos a salvação. Ele quer que nós duvidemos de nossa salvação. Você sabe porque? Porque ele quer que nós duvidemos da promessa de Deus. Ele quer que nós acreditemos que Deus não mantem a sua palavra. Ele quer que nós acreditemos que a salvação não é para sempre. Que Deus não consegue nos sustentar. Ele quer que nós neguemos o poder de Deus, os recursos de Deus, que Deus pode nos sustentar e que Deus fala a verdade. Todas essas coisas são simplesmente negações disso. Assim, Satanás vem contra nós, nos fazendo duvidar. Como que nós reagimos a isso? O capacete da salvação é que se você tem uma salvação no passado, irmão e irmã, se você tem uma salvação no passado, você tem uma no futuro também, não é? Porque não há nenhum outro tipo de salvação que pode ser vista na Bíblia. Não existe nenhum outro tipo. Porém, a plenitude disso envolve justificação, santificação e glorificação. O que ele chamou, ele justificou. O que ele justificou, ele glorificou. Ninguém fica em nenhum intervalo.

Agora, deixe-me te mostrar isso, conforme nós voltamos na Bíblia para João, capítulo 6. Eu quero apenas fazer esse ponto e então eu te libero. Então nós falaremos a respeito da espada na próxima vez. Mas em João, capítulo 6, nós temos uma mensagem muito, muito importante no versículo 37. “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora”. Agora, o que o Senhor está dizendo é que se você vier a ele, ele de modo nenhum te lançará fora. E de modo nenhum significa em nenhuma circunstância. Não há circunstância na existência do universo em que Cristo lançaria fora alguém que veio até ele. É isso que ele está dizendo. Você se aproxima dele, e em nenhuma circunstância, em nenhuma condição, de forma alguma, de modo nenhum ele te lançaria fora. Por que? Porque os únicos que vêm são os que o pai dá, entendeu? Se Deus te dá para Cristo, então você tem o decreto de Deus para a salvação eterna, você tem a resposta de Cristo para a salvação eterna, e não há jeito de se perder. O pai então, apenas para te dar uma ilustração do que ele está dizendo, “o pai está recompensando o filho. O filho foi bem ao ir na cruz e cumprir a redenção. Portanto, o pai lhe dá presentes, e os presente são muito amorosos. São as almas dos homens. Você e eu que conhecemos a Cristo somos presentes do pai para o filho, um sinal do amor do pai. O pai ama tanto o filho que ele dá esse tipo de presente. E, assim, o filho ama tanto o pai que ele guarda bem esses presentes tão preciosos”. Todos que o pai der como presente virão, e quando eles vierem, em nenhuma circunstância eu os lançarei para fora. Por que? Não é por causa de você. Não é nem um pouco por causa de você. Você nem está presente aqui. É porque o filho ama tanto o pai que ele não perderá ninguém que foi um presente de amor do pai para o filho. Você está vendo? Tudo está envolvido na trindade, pessoal.

Agora, veja o próximo versículo, 38, “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou”. Ele está dizendo que esse foi o plano do pai o tempo todo. Todo o plano do pai foi redimir algumas pessoas, dar elas para o filho para ele guardar. Esse é o plano total. Essa é a vontade do pai que me enviou. O que é a sua vontade? “Que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia”. Quantos Jesus perde? Nenhum. Nenhum. Nenhum. Nenhum. Não há perdição entre o decreto do pai, o dom para o filho, e a resolução no último dia. Aqui você tem justificação, santificação e glorificação; passado, presente e futuro; sem perda. Assim, a Bíblia ensina que Deus tem um conselho que não pode ser alterado, um chamado que não pode ser retraído, uma herança que não pode ser corrompida, um fundamento que não pode ser quebrado, um selo que não pode ser perturbado, uma vida que não pode ser perdida.

Agora, vá para João 10 por um momento, versículo 27. Agora, existem sete fios que corda que nos amarram eternamente a Cristo. Sete grandes razoes porque você mantém a salvação. Sete grandes verdades. Número um, versículo 27, “as minhas ovelhas”, minhas ovelhas. Pare aqui. Essa ovelha é você. Você é a ovelha de Cristo. Agora, preste atenção, se você é a ovelha de Cristo, é o dever dele como pastor cuidar e proteger você. Se ele te perder, para valer, isso é uma falha em sua habilidade como pastor. Você entendeu isso? Se você é uma ovelha dele, e é papel do pastor cuidar da ovelha, se alguém se perder, isso se reflete sobre o caráter e a qualidade do pastor. Existe uma segunda linha que nos amarra a Cristo. “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem”. Preste atenção, elas seguem a Cristo, como as suas ovelhas fazem, sem exceção. Elas não dão ouvidos a estrangeiros. Elas ouvem somente a ele. Os verdadeiros cristãos então são guardados pelo poder do grande Pastor, essa é a primeira linha. A segunda, elas o seguem. É isso que ele diz, “Elas me seguem”. Elas podem tropeçar no pecado, mas elas estarão ali. Terceiro, eu dou, versículo 18, para eles vida eterna. Agora, a vida eterna dura por quanto tempo? Eternamente. É uma vida eterna. Falar dela como sendo algo que está terminando é algo contraditório. A vida eterna é eterna. Assim, nós estamos firmes pelo caráter do Pastor. Nós estamos firmes pelo caráter das ovelhas que o seguem. Nós estamos firmes pela própria definição do dom da vida eterna. É para sempre. Além disso, é um dom. “Eu lhes dou vida eterna”. Você não fez nada para conquistar isso. Você não pode fazer nada para manter isso. É um dom. Em quinto lugar, outra linha que nos amarra a Cristo é que ele diz, “Eles nunca perecerão”. Se isso acontecesse com um cristão, então Cristo não disse a verdade. Se Cristo não disse a verdade, jogue sua Bíblia fora e esqueça o Cristianismo. Está tudo errado. Além disso, ele diz, “Nenhum homem é capaz de tira-los das mãos do meu pai”. Não existe nenhum poder no universo mais forte do que Deus. Se Deus deseja nos sustentar, é assim que será. Ninguém consegue nos tirar da mão do Pai. Além disso, ele diz no versículo 29, “Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar”.

Note no versículo 28, ele diz, “minha mão”. No versículo 29, “da mão do meu pai”. Proteção dupla. Agora, o que eu estou tentando demonstrar para você nessas duas passagens em João é que o próprio Jesus, com suas próprias palavras, confirma o fato de que uma salvação no passado inclui uma futura comigo. Essa vida eterna é isso. Elas nunca perecem. Elas nunca falham. Ele nunca perde nenhum deles. Foi assim que Jesus falou disso. Não é à toa que quando você vai para Romanos 8, versículo 28, o apóstolo Paulo diz, “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Paulo está dizendo que não há nada no universo agora e nem no porvir que poderia separar um crente de Cristo.

Em Filipenses, capítulo 1, versículo 6, ele diz, “Estou plenamente certo de que aquele que começou a boa obra em vós” – essa é a parte passada da salvação; ele começou isso – “há de completá-la” – essa é a parte presente – “até ao Dia de Cristo Jesus”. Esse é o futuro. Todos os três elementos da salvação juntos em um mesmo versículo.

Eu gostaria de encerrar o nosso estudo nesta manhã pedindo para você dar uma olhada no livro de Judas, o penúltimo livro do Novo Testamento. E eu gostaria de compartilhar com você dois versículos aqui que são muito poderosos. Deixe-me dizer algo de forma geral olhando para o livro de Judas. O livro de Judas é escrito para lidar com a apostasia ou com o afastamento da fé. Ele está primeiramente preocupado com o caráter vil dos falsos profetas e dos falsos mestres. Ele fala no versículo 4, “Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformaram em libertinagem a graça de nosso Deus”. Ele fala a respeito de sonhos imundos no versículo 8. Ele fala a respeito de profetas que profetizam por orgulho no versículo 11, “cicatrizes”, versículo 12, “rochas submersas, nuvens sem água, árvores sem frutos, duplamente mortas, desarraigadas, ondas bravias do mar, estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, murmuradores, reclamadores”, pessoas horríveis, sensuais, impiedosas e lascívias. Esses são os apóstatas. E aqui nós temos um pequeno grupo de cristãos, como eram, vivendo em uma época de apostasia, não muito diferente de nós hoje. Na verdade, agora eu estou trabalhando em um livro sobre “Como sobreviver nos dias da apostasia”. Ele será baseado em Judas. Porém, o conceito aqui é que em meio a uma igreja corrompida, com um ensino vil, mal e falso, com um fundamento corrompido, existe um pequeno gripo de crentes que possam estar dizendo entre eles, “Nós podemos ser levados por tudo isso. o que vai acontecer conosco? “ Eles enxergam tudo caindo em nossa sociedade, o liberalismo neo-ortodoxo e todo lixo que vem em nome do Cristianismo que parece nos afundar. Nós dizemos, “Bom, e nós? Nós vamos cair com isso tudo?” Assim, no começo de Judas, no versículo 1, e no final de Judas, nos versículos 24 e 25, Judas reitera o fato de que nós não temos o que temer. Não importa quão ruim o dia fique, não importa quão vil o mundo ao nosso redor está, nós estamos bem. Judas, o servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, “aos chamados, amados em Deus Pai e guardados em Jesus Cristo”. Vamos traduzir melhor, “guardados por Jesus Cristo” no caso dativo. Ele diz, “Em meio de toda essa corrupção em sua volta, você foi separado por Deus e guardado por Jesus Cristo. O verbo grego é Tereo. Isso significa cuidar, guardar, manter e preservar. Ele já foi até mesmo usado fora da Bíblia para falar a respeito de algo sendo garantido. Quando você foi salvo, Você recebeu uma garantia certeira. A Bíblia fala a respeito do fato de que nós recebemos o anseio do espírito. Anseio significa o anel de noivado, o pagamento inicial, a garantia. Quando você foi salbo, Deus te deu o Espírito Santo como garantia de que algum dia você seria glorificado na presença de Deus, até mesmo nos momentos mais difíceis. Jesus orou, “Pai, eu oro para que você os guarde, os que eu te dei, para que você os guarde do mal”. João 17:11 e 15, e a oração de Jesus será respondida. O pai guardará o crente. É isso que ele está dizendo aqui. Você não é apenas santificado. Você é guardado por Jesus Cristo. Esse é o capacete da salvação. Você não precisa dar ouvidos às dúvidas de Satanás, “Ah, é melhor você garantir que você é realmente um cristão para começar”. Se você estiver balançando nisso, você não terá nenhuma confiança. Se você não tem nenhuma confiança, número um, você pode não ser um cristão. Mas, número dois, você pode ser um cristão que foi severamente atingido por Satanás. É melhor você colocar novamente o capacete da salvação.

Vá para o versículo 24 de Judas. Aqui nós temos a mesma coisa, novamente, só que mais longo. “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços”. Isso não é incrível? A palavra poderoso é a palavra dinamite, poder. Ele é poderoso o suficiente para te guardar de tropeços. Não é que Cristo não quer que você caia, mas que ele é capaz de prevenir isso, entende? Ele é capaz de prevenir. Ele é capaz de te apresentar amomos, sem nenhuma mancha, sem nenhum erro, imaculado. Além disso, a palavra amomos é usada em 1 Pedro 1:18 e 19, para e referir a Cristo. Ele é capaz de te guardar de quedas, de te guardar de tropeço, a fim de te apresentar puro como Cristo é puro, um dia na presença de Deus Pai. Esse é o poder de guardar de Cristo. Uma segurança tremenda. Tremenda. E a palavra aqui, que se refere a guardar, não é tereo, a mesma que foi usada antes para guardar. Mas é a palavra filaso, que significa guardar em meio a um ataque. Assim, não importa o que toda a legião do inferno jogue sobre você, Cristo é poderoso o suficiente para de guardar de tropeçar e te apresentar amomos, sem mancha para Jesus Cristo na presença de Deus. Não é à toa que o Salmista certamente diz, com confiança, “Certamente a bondade e a misericórdia me seguirão para todos os dias da minha vida”. Ele sabia disso. E, “eu habitarei” – aonde? – “na casa do Senhor para sempre”.

Viu, ele sabia que a salvação que Deus te deu foi uma salvação no passado, presente e futuro. “Certamente” – ele diz – “a bondade e a misericórdia me seguirão para todos os dias da minha vida e eu habitarei na casa do Senhor para sempre”. Em 1 Tessalonicenses, capítulo 5, versículo 23, Paulo diz com uma gloriosa benção, “o mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Eu amo isso, “Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. Que coisa maravilhosa. Paulo diz, “Essa grande benção, preservado sem mancha, e fiel é aquele que te chamou que fará isso”. Não. Nós não aceitamos os ataques de dúvida de Satanás contra nós. A nossa armadura é a confiança de que a salvação é futuro, assim como ela é presente e está no passado. Cristo nos guarda no poder de sua própria mão.

Em Hebreus 6:16-19, a Bíblia diz que haviam duas coisa, duas coisas imutáveis, duas coisas que não mudam. A promessa de Cristo e o juramento de Cristo, o que ancora a alma do crente para sempre. Hebreus 6:16-19, e assim essa confiança que nos faz nos defendermos contra os golpes de Satanás. Amados, quando ele vem com desencorajamento, quando ele vem com dúvida, tenha certeza de que um dia glorioso está vindo. Um dia glorioso está vindo. Existe um dia glorioso vindo. Lute o bom combate, tenha confiança na salvação que Deus te deu e saiba que você estará lá no dia da coroação. Um belo hino, o fundamento da igreja, o escritor diz, “em meio a luta e a tribulação, tumultos de guerra, ela aguarda a consumação da paz para sempre, até que com a visão gloriosa os seus olhos sejam abençoados e a grande igreja vitoriosa se torna a igreja em descanso”. Um dia, haverá descanso. Agora não. Nós estamos em uma batalha. Nós precisamos lutar na batalha. O descanso virá depois quando a vitória for nossa. Outro hino, diz, “Levante-se. Levante-se para Jesus. A luta não será longa. Neste dia, o ruir da batalha, porém no próximo, o canto de vitória, a ele que vencer, a coroa da vida será dele, com o rei da glória reinando eternamente”. Eu termino com as palavra de John Bunyan, “Nenhum inimigo pode abater o seu espírito. Ele sabe que no final ele herdará a vida. Então os inimigos vão embora. Ele não teme o que os homens dizem. Ele trabalhará noite e dia a fim de ser um soldado”. O querido John Bunyan foi lançado na prisão. Foi ali que ele determinou que ele lutaria e nunca ficaria cansado. Ele não sentiria os golpes de desencorajamento e dúvida. Naquele tempo na prisão, ele esperava o dia em que ele estaria com Jesus Cristo. Na pior das circunstâncias, ele produziu a melhor coisa de sua vida, O Peregrino. Não desista. Não deixe Satanás te vitimizar com desencorajamento e dúvida porque você vencerá no final. Mantenha o capacete.

Vamos orar. Pai, obrigado pelo nosso tempo nesta manhã. Fale a todos os nossos corações. Enquanto as suas cabeças estão curvadas por um momento, na minha direita aqui na frente está a nossa sala de oração. Enquanto você está meditando, talvez Deus está te chamando para se comprometer de alguma forma. Talvez você não conhece a Cristo, talvez você já o conhece, mas não está vivendo para ele. Talvez você está procurando por uma igreja. Talvez você tenha perguntas que precisam de respeito. Ao invés de sair depois de nós orarmos em alguns segundo, venha para frente aqui na minha direito, por essas portas de madeira, e permite que um conselheiro ore com você. Existe um material gratuito, alguém para conversar, para orar. A sua vida pode mudar hoje. Nós estaremos esperando você aqui na frente e nós te encorajamos que você venha.

Pai, nós oramos para que Tu se aproximes daqueles que vieram nesta manhã e, Senhor, traga nesta noite aqueles que precisam ouvir a tua palavra a respeito de divórcio também. Obrigado por esse belo dia. Ó Senhor, nos ajude a lutar nesta batalha fielmente, e que a vitória seja tua, e que a glória e honra seja tua também. Em nome de Jesus. Amém. Deus te abençoe.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize

Currently Playing

Today's Radio Broadcast

Playlist

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize