Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Nesta manhã, nós iremos discutir o nosso tema das últimas cinco semanas, “A Anatomia da Igreja”. O Senhor nos guiou, eu creio, para essa discussão do que Ele deseja que seja característico de sua igreja. Deus nos abençoou grandemente aqui. Deus construiu aqui, eu creio, uma igreja que deseja, no coração do seu povo, ser tudo o que Ele deseja para ela. Isso é certamente verdade nos corações dos seus líderes, e eu sei que isso é verdade no coração de vocês também. Deus tem nos abençoado de formas maravilhosas e únicas. Nós somos ricos em coisas espirituais como qualquer igreja deve ser. E é importante para nós, enquanto nós regozijamos nesse fato, entendemos os fundamentos, entendermos as causas que trazem a benção de Deus; que nos permite receber Dele o melhor que Ele tem para dar. Assim, nós estamos fazendo, como temos falado, um pouco de arqueologia espiritual, escavando os fundamentos para ver com o que nós estamos comprometidos. Deus nos deu muitas pessoas novas; muitos de vocês que vieram aqui a alguns anos atrás talvez não tiveram a oportunidade de entender o que é a Igreja Grace, o que é significa, o que torna ela diferente, com o que nós estamos comprometidos. Portanto, nós temos voltado para o fundamento de algumas coisas que nós conhecemos muito bem.

Nós não estamos tentando dizer coisas novas. Nós estamos apenas tentando enfatizar as coisas que são fundamentais para nós, a fim de nos dar uma perspectiva do que é a nossa igreja. Eu penso que, quando nós terminarmos – e eu espero que nós terminemos isso no próximo Domingo – nós teremos algumas fitas para dar às pessoas quando elas vierem para a nossa igreja. Quando elas disserem, “Essa igreja pensa em que? O que faz essa igreja ser o que ela é? Quais são as ênfases dessa igreja?” Nós poderemos dizer, “Aqui, aqui estão as coisas com as quais nós estamos comprometidos”.

Agora, deixe-me dizer, conforme nós começamos hoje, que eu me regozijo no Senhor, pois eu vejo a obra de Deus em vocês; quando eu falo assim com vocês, não é porque eu estou lhes repreendendo porque eu não vejo estas coisas e eu quero vê-las continuamente e cada vez mais. Como Paulo, quando ele escreveu e disse, “Eu sei que ninguém precisa ensina-los a amor, pois o próprio Deus vos ensinou como amor; porém, deixem que o vosso amor abunde mais e mais”. É com essa perspectiva que eu me aproximo de vocês, não para dizer que estas coisas não existem, mas que elas existem sim, e assim, elas precisam existir cada vez mais e mais. Talvez o meu medo é que, conforme a igreja cresça, ao ficarmos cada vez mais e mais longe das coisas fundamentais que Deus usou a fim de nos abençoar pelas quais o seu Espírito construiu, nós nos afastemos destas coisas. Por consequência, nós começamos a cair, ao invés de crescer, na nossa utilidade para com ele e nas suas bênçãos. Entretanto, eu enxergo nos ministérios dessa igreja, nos corações e nas vidas de vocês, o seu povo, estas virtudes, graças e as coisas que o Espírito de Deus tem feito. Eu apenas desejo chama-los a um maior comprometimento a eles mais do que antes.

E para deixá-los cientes de como vocês estão sendo vistos por outros, eu tenho três cartas aqui na minha mão de pastores que vieram para a nossa Conferência de Pastores; e eles estão reagindo ao que eles viram aqui; talvez vocês fiquem interessados nas reações deles. Essa carta foi escrita para o Dick Mayhue:

“Eu gostaria de agradecer pelas muitas horas de trabalho colocadas para arranjar todos os detalhes para fazer essa Conferência de Pastores com grande sucesso. Essa foi minha terceira conferência e cada vez eu ganho uma perspectiva maior e uma ajuda maior no ministério. Obrigado por sua fidelidade e pelo seu coração de servo que torna isso possível. Além disso, eu gostaria de elogiar a Grace Community Church e o seu povo pela sua demonstração contínua de um povo que serve aqueles que vem para cá. Uma das coisas maravilhosamente singulares da Grace Church é o próprio espírito que permanece desde as pessoas nos cargos mais altos da equipe às pessoas que estão trabalhando na cozinha. Por favor, faça com que esse bom povo saiba o quanto nós apreciamos o trabalho que foi feito. A liderança da nossa igreja se comprometeu em garantir que cada um dos nossos membros participe da Conferência de Pastores. Assim nós nos veremos futuramente. Obrigado novamente por permitir que o Espírito de Deus vos guie, por estender uma porta aberta para homens de toda a nação e de todos o mundo a fim de aprendermos mais a respeito de como aplicar os princípios das Escrituras no ambiente da igreja local. Que Deus continue a ministrar a vocês e através de vocês”.

Um dos objetivos que nós temos quando nós fazemos a Conferência de Pastores ou uma conferência na rádio é expor as pessoas a vocês. Portanto, nós encorajamos que vocês os chamem para jantar, para leva-los para as suas casas, para conhece-los. Nós queremos que eles saibam que existem coisas acontecendo na vida de vocês que honram ao Senhor Jesus Cristo. Nós não temos nada a esconder. Eu ouvi outro dia, por estarmos prestes a ter as Olimpíadas em Los Angeles em 1984, que houve um movimento na cidade de Los Angeles de pegar todos os mendigos em Los Angeles e leva-los para Newhall durante as Olimpíadas. A ideia é que ninguém de fora saiba eu nós temos esse tipo de pessoa em nossa cidade, a não ser que eles visitem Newhall, que não é algo nada provável. Bom, quando nós temos 250 pastores aqui, a nossa ideia não é pegar todas as pessoas na nossa igreja que nos preocupam e coloca-las em outro lugar. Nós realmente cremos que Deus está trabalhando na vida das pessoas; estes que vêm ver a nossa igreja, descobrir o que ela é, o que é falado, e ver se as coisas que nós defendemos realmente tem resultados que mudam vidas. Nós queremos que elas sejam expostas a essas pessoas, para que estas coisas sejam confirmadas. Esse pastor que escreveu essa carta do estado de Washington foi encorajado ao ver no coração das pessoas a realização das coisas que nós estamos ensinando.

Eu tenho uma outra carta que vem de um jovem pastor do Mississippi. Ele escreve:

“Eu gostaria de brevemente agradecer a vocês por tudo o que vocês permitiram que Deus fizesse em mim ao longo desta semana. Eu estou aprendendo mais a respeito da graça de Deus, da Sua obra e dos ministérios aqui na Grace. Essa semana aqui, a Conferência de pastores reforçou totalmente e para sempre no meu espírito o compromisso, a alegria e o desejo de conhecer o meu Senhor através da Sua Palavra e fazê-lo conhecido pela sua Palavra. Eu gostaria de agradece-los um milhão de vezes (Os pregadores as vezes exageram) por sua hospitalidade e graça nessa semana. Todos vocês tem vivido a mensagem de suas vidas. (Que pensamento maravilhoso: Todos vocês têm vivido a mensagem de suas vidas). Em preceito e exemplo, vocês têm demonstrado um coração de servos, e nós os amamos profundamente”.

Isso é muito encorajador. Ouvir alguém de fora vir para a Grace Church, conhecer o nosso pessoal, ficar aqui por uma semana e dizer, “Vocês estão vivendo a sua mensagem” é o melhor elogio. E então temos essa carta de um pastor de Michigan:

“Ainda que eu perceba que vocês devem receber muitas cartas como essa depois de cada Conferência de Pastores, eu ainda me sinto compelido para escrever e expressar a minha grande apreciação por vocês e pelo ministério na Grace. Eu tenho ouvido a respeito da sua igreja desde os meus dias de seminário e tenho desejado muito ver o seu ministério. Quando o meu pastor concordou em me enviar para a conferência, eu imediatamente comecei a sentir que o Senhor iria me abençoar de uma forma muito especial. Ele já estava trabalhando no meu coração a respeito da ideia de sair de nosso ministério aqui e assumir o pastoreio de minha própria igreja. Porém, ele ainda não tinha aberto nenhuma porta de oportunidade. Agora eu sei porque. O nosso ministério com adolescentes tem sido visto como algo com muito sucesso. Muitas crianças têm sido salvas e os meus ensinos nas manhãs de Domingo têm sido sempre bem práticos e sensíveis para com as necessidades.

No entanto, depois de três anos e meio, minha esposa e eu compartilhávamos do desencorajamento baseado em um sentido de que nós estávamos ficando de fora do verdadeiro ministério bíblico. Ao estar com você e com sua equipe, eu pode ver o problema básico. Nós havíamos criado tremendos relacionamentos com nossas crianças; e eles tiveram um senso real de animação e comprometimento com o nosso departamento e com a igreja; mas eles não tinham um compromisso com a Palavra de Deus de forma pessoal ou prática. Nós tínhamos errado na base do ministério. O triste fato é que eu acho que nós nunca fomos expostos a uma igreja que tinha, na verdade, esse objetivo. É claro que a verdadeira raiz do problema era que nós mesmos não estávamos na Palavra como nós deveríamos estar. Deixe-me compartilhar com você como o Senhor revelou isso a nós.

Durante a conferência, a minha esposa e eu estávamos ficando na casa de alguns amigos. Nós fomos convidados para dar uma aula para o ministério de universitários na igreja deles no Domingo de manhã; por isso, eu tinha planejado para faltar no seu culto do Domingo de manhã. Porém, ao longo da semana eu fiquei ouvindo constantemente como é importante compartilhar do momento de louvor. Assim, finalmente, no sábado a tarde, eu cedi e falei para o meu amigo que eu estaria voltando para a Grace Church no domingo de manhã. Na próxima manhã, a minha esposa e eu entramos no salão não sabendo o que esperar. Você precisa entender que nós dois estávamos um pouco céticos com relação a algumas ideias novas. Depois que nós saímos do culto, nós dois percebemos que nós experimentamos algo totalmente estranho a nossa ideia de ministério. A minha esposa resumiu melhor quando ela comentou que nas nossas igrejas as pessoas chegam na igreja cansadas, quase não aguentando a semana, antecipando mais uma ajeitada para faze-los aguentar até o próximo culto. No entanto, me parece que com o seu pessoal, eles já chegam cheios, porque eles tem sido guiados para estarem na Palavra por eles mesmos. Quando eles vêm, eles vêm para pegar mais; mas, particularmente, para adorar. Eu fico triste em dizer que nós nunca vimos isso antes.

Eu estou grato em dizer que, desde aquela manhã, a nossa vida tem sido diferente. Diariamente, nós temos estado na Palavra, e quando eu ensino ou prego, eu faço isso versículo por versículo. Eu nunca imaginaria que poderia haver tanta alegria e satisfação no ministério. Eu tenho aprendido muito em pouco tempo. As pessoas têm se aproximado de nós e perguntado o que aconteceu com nossas vidas na California. Tudo parece muito fácil, e eu tenho ouvido isso ao longo de minha vida. Infelizmente, eu nunca vi dessa forma antes. Nós estamos agora confiando que o Senhor em breve providenciará um lugar em que nós poderemos instituir alguns dos princípios que o Senhor tem nos revelado de forma completa. Muito obrigado pelo impacto revolucionário que o seu ministério tem tido em nosso ministério”.

Eu recebi essa carta desse jovem a um mês atrás dizendo que ele é agora o pastor de sua própria igreja e que ele estava escrevendo para ver se nós poderíamos dar algumas coisas para que ele pudesse usar para começar. O maravilhoso disso é que esses homens estão respondendo para a vida total da igreja. Eles não estão escrevendo dizendo, “Como foi legal o seminário”, “a classe foi muito legal” ou “você teve algo profundo a dizer sobre isso ou aquilo”. No entanto, existe todo um ministério com eles por virtude dessa igreja. Na quarta a noite, Moishe Rosen estava conosco, e eu estava no corredor conversando com ele antes dele falar e ele me disse, “eu acabei de voltar de Londres”. Ele é o presidente do Judeus para Jesus, e ele disse, “eu estava em Londres e eu fui para vário lugares, e em cada lugar havia uma pessoa que se aproximava de mim e dizia, “Você é da California. Você conhece a Grace Community Church? E todas as vezes eu dizia, “Eu sei a respeito dela”. E então eles me perguntavam, “Você poderia nos contar sobre ela?” Ele disse “eu estou impressionado como a reputação do seu pessoal se estendeu por todos os lugares que eu vou. Na verdade”, ele disse, “eu estou com inveja de você ter um pessoal assim”. Que coisa maravilhosa. Eu falei pra ele, “eu me belisco todo o tempo e digo: você tem certeza que você está com a pessoa certa, Senhor? Nele maravilhoso ministério abençoado por Deus”.

Nós temos uma grande, uma grande responsabilidade para com esses que olham para nós, para ver em nós aquilo que eles não tem visto em nenhum outro lugar. Eu creio que existem motivos pelos quais Deus tem abençoado: eu creio que eles são princípios que nos colocam na posição da maior benção. E não é apenas porque nós somos grandes. É a atitude que faz as pessoas perceberem. É o compromisso que eles enxergam. São as coisas que existem em nós, enquanto crentes comprometidos, que eles veem coisas que eles nem sempre veem em outros que confessam o nome de Cristo.

Assim, nós temos voltado em nossas séries dizendo, “Bom, o que faz uma igreja ser tudo o que ela pode ser?” O que eu quero dizer com isso é, o que nós devemos ter? Muitos de vocês são novos aqui na nossa igreja, e você pode estar se perguntando a mesma coisa. Você gostaria de alinhar tudo e diz, “Bom, aqui estão as coisas; aqui estão as coisas com as quais nós precisamos estar comprometidos. Aqui estão as coisas com as quais nós precisamos trabalhar. Aqui estão as coisas que nós queremos ensinar, proclamar, e discipular em outros”. Assim, nós vamos passar por essas coisas. Elas são coisas bem básicas.

Na verdade, eu estou me sentindo como que se essa fosse uma grande classe de “Fundamentos da Fé” e que o que eu vou falar será bem familiar. Eu falo para a minha esposa depois de cada domingo, “Sabe, tudo parece tão básico. Isso parece básico. Eu espero, eu espero que essa é a coisa certa de fazer”. Ela me assegurou dizendo, “Bom, existem muitas pessoas que, para elas, isso não é tão básico como é para você”. Eu preciso ouvir isso da minha esposa de vez em quando; um pequeno encorajamento de que eu estou no caminho certo, porque tudo me parece muito, muito básico. Ainda assim, nós temos que continuar voltando e colocando o fundamento novamente, não é?

Eu sou lembrado nas palavras de Pedro, que eu gostaria de que você relembrassem de algumas coisas. Não que vocês não conheçam elas. Vocês já conhecem elas, mas eu gostaria que você tivesse certeza que vocês se lembram delas. Você precisa ficar na linha. As vezes você começa no caminho e, de repente, você começa a caminha por um caminho e depois por outro. Por isso você traça o mesmo caminho novamente, assim nós sabemos por onde nós estamos caminhando. Assim, nós temos olhado, então, para a igreja, e nós temos usado a analogia do corpo. Nós dissemos, primeiro, que a igreja, para ser o que Deus deseja que ela seja, deve ter um esqueleto. Em outras palavras, fundamento, que dá a sua forma. Basicamente, nós temos dito que existem algumas verdades que são fundamentais, não negociáveis. Nós sugerimos cinco delas: uma alta visão de Deus, a prioridade absoluta das Escrituras, clareza doutrinária, santidade pessoal e autoridade espiritual. Nós amarramos tudo isso e esse era o nosso esqueleto.

Agora, saindo disso para a segunda dimensão da nossa analogia, nós dissemos que um corpo precisa ter sistemas internos passando por ele. Estes são os sistemas de vida. Isso é o que dá vida e capacidade para agir e reagir. Na igreja, nós precisamos ter sistemas internos. Esses eu creio serem as atitudes espirituais corretas. O que está fluindo através das vidas das pessoas por trás de tudo é que é a questão. Nós falamos para os pastores o tempo todo que vêm e observam a nossa igreja, “Não pegue apenas o que você vê na superfície e tente incorporar isso. Por trás disso, por trás da pele, existe, existe um fluir através de certas atitudes internas que devem ser construídas nos corações das pessoas antes que um ministério possa ser o que Deus deseja que ele seja”. Eu gostaria de te dar uma lista disso. Deixe-me lembra-los rapidamente deles: obediência, humildade, amor, unidade, serviço, alegria, paz, gratidão, disciplina, perdão, dependência, flexibilidade, prestação de contas, crescimento, fidelidade e esperança. Eu não espero que você escreva todas essas coisas. Você já fez isso. Mas isso foi apenas para lembra-los. Essas são atitudes que eu creio que nós devemos cultivar entre nós pela nossa pregação, ensino, discipulado, e tudo o que nós fazemos para construir em nós mesmos esses tipos fortes de atitudes, de atitudes espirituais.

Agora, quando o esqueleto está certo, e as atitudes certas estão fluindo por ele, nós estaremos prontos para fala da terceira dimensão. Isso é o que nós faremos hoje. Essa dimensão é a função, ou os músculos do corpo. O corpo agora tem forma e vida. Agora, o que ele deve fazer? Qual é a sua função? Qual é a responsabilidade da igreja no mundo? Quem somos nós? Ou, em termos mais simples, qual é o nosso ministério? Se alguém dissesse para você, “O que a igreja deve fazer?” Você tem uma igreja que está comprometida com a adoração de Deus, com a autoridade das Escrituras, doutrina; sã doutrina. A vida das pessoas está certa. Eles estão preocupados com a santidade pessoal. Eles estão debaixo da autoridade espiritual daqueles que Deus colocou sobre eles no Senhor. Eles têm cultivado em seus corações as atitudes corretas. Eles têm todo esse poder, todo esse fluir pela vida. O que eles devem fazer?

Se você mandasse a igreja seguir as suas responsabilidades, quais seriam elas? É isso que nós queremos ver agora; eu chamo estas coisas de músculos. Essa é a função. Isso é o que nos faz mover. Eu gostaria de gastar hoje e a nossa próxima reunião nisso; depois, nós iremos concluir com a carne na próxima reunião. Eu acredito que nós conseguimos fazer isso em duas semanas. Mas, para essa mana, eu gostaria de te dar quatro coisas que eu creio serem as funções principais; elas são tão básicas que você as conhece muito bem. Mas eu quero relembrar vocês disso e, com isso, talvez vocês entendam, talvez de outro jeito, as coisas com as quais nós estamos comprometidos.

A primeira é pregação e ensino. Eu ajunto essas duas coisas porque as duas têm a ver com a proclamação da verdade bíblica: pregar e ensinar. Essa é, como eu entendo, a função primária da igreja. A igreja é a que recebe a revelação de Deus e, portanto, a igreja deve ser a proclamadora da revelação de Deus. Se Deus se revelou a nós, é para que nós possamos entende-lo. Nós devemos então ser ouvintes da Palavra e proclamadores da Palavra. Assim, quando você vem aqui, você ouvirá a Palavra de Deus. Quando você for para a sua classe, você ouvirá a Palavra de Deus. Quando você for para o estudo bíblico, você discutirá e estudará a Palavra de Deus; isso porque a igreja deve ser, primeiramente, o lugar onde a Palavra de Deus é pregada e ensinada. Agora, eu estou comprometido a isso como sendo uma prioridade absoluta na igreja. Essa é a função da igreja. Nós devemos ser proclamadores da Palavra de Deus. Eu fico um pouco triste no meu coração com muitos dos sermões por aí. Alguns ajudam. Alguns são bons. Muito são, como eu chamo, aconselhamentos a partir do púlpito. Muitas questões éticas são lidadas com a igreja. Existem muitas classes que se encontram onde todos ajuntam a sua ignorância, porque ninguém sabe de nada. Eles apenas ficam tentando adivinhar o que a Bíblia significa. Porém, a igreja tem, como função principal, a proclamação clara, entendível, direta e cheio de autoridade da Palavra de Deus. Assim, a Grace Church sempre será comprometida com uma forte ênfase na pregação e no ensino, uma forte ênfase na pregação e no ensino.

Agora veja, veja comigo por um momento duas epístolas escritas por Paulo a Timóteo. Eu penso que essas epístolas foram escritas para nos ajudar a entender o ministério, a partir do ministro assim como da congregação. Na verdade, ele até mesmo nos diz em 1 Timóteo 3:15 que essa epístola foi escrita para nos ensinar como nos comportar na casa de Deus, que é a igreja. Assim, aqui temos uma epístola que nos diz como nós devemos nos comportar na igreja, como nós devemos funcionar na igreja e como nós devemos operar na igreja. Eu acredito que a ênfase tanto de 1 Timóteo como de 2 Timóteo é que nós devemos agir, primeiramente, na área da proclamação da sã doutrina, pregando a Palavra de Deus. No mesmo capítulo, 1 Timóteo 3, versículo 16, nós temos um versículo muito interessante; ele resume a maravilha da encarnação de Jesus Cristo. Ele diz, sem nenhuma controvérsia, sem nenhum debate ou argumento, de forma incontestável que o mistério da piedade é algo grande. Qual é o mistério da piedade? Que Deus se manifestou na carne. Esse é o coração, o centro, a substância da nossa fé cristã, não é? Nós não teríamos nada se Deus não tivesse se manifestado na carne em Jesus Cristo, não é? Morrendo e ressuscitando. Isso está no coração da nossa fé. Sem nenhum argumento, essa é a grande verdade revelada. Ele foi justificado no Espírito. Ele foi visto por anjos. Ele foi crido no mundo. Ele foi recebido na glória e, no meio disso tudo, ele pregou às nações. Se eu olhar para o versículo 16 de 1 Timóteo 3, eu vejo algumas coisas essenciais na encarnação, e uma delas é a pregação. A pregação é um elemento essencial na manifestação do próprio Deus na carne. O que aconteceu deve ser pregado. É isso que ele está dizendo. Deve haver uma proclamação da mensagem. A pregação é algo único do Cristianismo; essa é uma das coisas maravilhosas que a igreja faz, que homens santos fazem, que nada no mundo pode ser comparado a isso. O mundo tem os seus filmes, e ele tem os seus livro e o mundo tem diversas formas de comunicação. Porém, a pregação, me parece que é algo bem peculiar conforme os homens de Deus que recebem dons do Espírito e conhecimento da Palavra proclamam a sua verdade. Assim, eu creio que no coração da igreja está a encarnação e no coração da encarnação está a proclamação dessa encarnação. Portanto, a pregação encontra um lugar central na vida da igreja.

Agora, o que segue é que Paulo enfatizará ao jovem Timóteo, conforme ele sai para o seu ministério, que ele, certamente, deve ser fiel a pregação. Você notará isso no versículo 6 do capítulo 4, quando Paulo diz, “Expondo estas coisas aos irmãos...” E ele acabou de falar com ele a respeito de algumas coisas, e então ele diz, “o seu trabalho é fazer com que o seu povo se lembre dessas coisas. Você é acima de tudo um mestre, Timóteo. Você é um mestre. O que você receber do Espírito de Deus, você entrega; permita que a igreja seja o lugar onde as coisas são ensinadas”. A verdade de Deus é ensinada. Você sabe quão maravilhoso é estar em um mundo onde as pessoas estão buscando pela verdade? Você entende isso? Você sabe como é um lugar onde as pessoas estão prestes a desistir de tudo que não seja verdade? Onde a moralidade é estabelecida pela maioria? Um lugar onde cada um é por si só e você pode ter a opinião que você quiser? Onde a opinião é elusiva? Onde os homens ficam com as suas filosofias insanas para entender o significado da vida? Nós podemos nos levantar e diz, “Isso é a verdade”. Até mesmo Pilatos, o grande cínico do Novo Testamento, disse, “O que é a verdade? O que é a verdade?” Nós sabemos a verdade. Nós sabemos a verdade. Jesus disse em João 17 ao Pai, “A tua Palavra é a verdade”. Que legado! É isso que nós devemos comunicar. É isso que nós devemos comunicar.

Eu creio que Deus tem abençoado essa igreja porque a sua função principal sempre foi, em parte, proclamar a verdade, a Palavra de Deus. Não falar a respeito da Bíblia, mas falar a partir da Bíblia. Eu não consigo te dizer quantas centenas de pessoas, até mesmo milhares de pessoas ao longo dos anos têm falado conosco ou escrito para nós dizendo que elas vieram para a Grace Church porque elas foram alimentadas com a Palavra de Deus. É sempre o que nós ouvimos. Esse é o nosso compromisso. Essa é a nossa função e não apenas o meu trabalho. É o trabalho de todo mundo. Todos nós devemos proclamar, pregar e ensinar a Palavra. Alguns receberam, claro, um dom peculiar para isso. Versículo 11, seguindo a mesma ideia do capítulo 4, versículo 6, diz, que você que é um ministro será um bom ministro se você mesmo for nutrido nas palavras da fé e na sã doutrina. Em outras palavras, se você tem a verdade, e se você está compartilhando a verdade, ele diz no versículo 11, “Ordena e ensina estas coisas”. Em outras palavras, ensine com autoridade. Ensine com autoridade.

Eu me lembro de quando eu estava fazendo a formatura em uma Academia de Polícia certa vez. Um dos rapazes que estava sentado ao meu lado estava conversando comigo a respeito daqueles que estavam graduando da Academia de polícia de Los Angeles; e ele me disse, “Nós tivemos que reprovar um rapaz por causa da sua voz”. Eu disse, “Isso é interessante”. Ele disse, “Sim, você não pode chegar por detrás de um assaltante e dizer: Mãos para o alto. Você está preso. Parado em nome da lei”. Isso demonstra falta de alguma coisa. E eu disse, “Bom, isso é interessante”. “Sim”, ele disse, “Você precisa ter uma certa autoridade na sua voz”. Eu comecei a pensar a respeito do fato de que a autoridade dele, basicamente, era a lei, não é? A lei era a sua autoridade; e se eu soar como falando com autoridade, eu serei isso, porque a minha autoridade é a Palavra de Deus. Eu não falarei com autoridade baseada em minha opinião, mas eu falarei com autoridade baseada na Palavra de Deus; e é isso que ele está dizendo aqui em 1 Timóteo 4:11. Você não apenas ensina. Você manda. Em outras palavras, você chama as pessoas para um mandato de responsabilidade.

Assim, no versículo 16, ele diz, quer dizer, no versículo 13, ele diz, “Até à minha chegada, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino”. Depois ele diz a eles como fazer isso: Leia o texto, explique o texto e aplique o texto. Leitura: isso significa apenas ler para eles. Exortação: Isso significa aplicar aquilo. Doutrina: Isso significa dar a doutrina ou o ensinamento. Portanto, ele diz para você abrir o texto. Leia para eles. Explique para eles. Essa é a doutrina. E você precisa exortá-los a se comportar. Não negligencie isso, versículo 14. Medite nisso, versículo 15. Cuide da doutrina, versículo 16 e continue nela. Em outras palavras, todos nós somos chamados para obedecer a Palavra e proclamar a Palavra: Pregando, ensinando, proclamando e instruindo. Que responsabilidade animadora.

Agora, no capítulo 5, versículo 17, ele chega em outra dimensão. "Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem”. O dobro de tempo, pagamento em dobro, respeito em dobro, provavelmente englobe todas essas coisas. Mas aqueles que fazem um bom trabalho deveriam receber honra em dobro, “com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino”. De novo, o foco de liderança na igreja é no papel de pregar e ensinar. Essa é a nossa função. Essa é a nossa função. Essa é a nossa função.

Estamos aqui para proclamar a Palavra de Deus. Tenho ouvido pessoas criticarem a Grace Church dizendo, “Bom, Grace Church é, é desequilibrada na área de ensino. Tem muita pregação, muito ensino, e não tem o suficiente disso ou daquilo”. Eu não acredito que é possível ter um excesso de ensino. Bom, só se você domina toda a revelação de Deus, e isso é, é uma impossibilidade absoluta, nunca pode ser demais. Poderia estar desbalanceado se não obedecemos ao ensino. Mas a razão que dominamos nossas vidas com o ensino é porque o ensino é o que põe todo o resto em movimento. Nós precisamos saber o que a Bíblia diz sobre certas coisas antes de fazermos. Então o ensino é, é a condição necessária de tudo. Nós precisamos saber o que fazer. Não conseguiremos saber como louvar a não ser saibamos o que a Bíblia diz sobre isso. Não conseguiremos saber como orar a não ser que saibamos o que a Bíblia diz. Nós não conseguiremos saber como evangelizar. Não vamos conseguir saber como discipular ou pastorear. Não conseguiremos saber como treinar as pessoas. Não vamos conseguir saber como ajudar as pessoas e suas famílias. Não conseguimos fazer nada a não ser que entendamos o que Deus diz. Então nós pregamos, nós ensinamos, nós pregamos, nós ensinamos.

O final do capítulo 6, Paulo diz para Timóteo, "guarda o que te foi confiado”. Em outras palavras, eu acho que ele está se referindo ao, ao depósito da verdade, a revelação de Deus, a fé, ao conteúdo da verdadeira doutrina. Mantenha isso e fique longe do lixo do mundo, as filosofias e teologias erradas e ao suposto conhecimento dos homens que na verdade não sabem nada. Se mantenha firme aí com as coisas certas. Não queremos ser desviados disso. Não queremos ser empurrados para dentro dos pensamentos dos homens que estão distantes de Deus. Segunda Timóteo merece uma breve visita, versículo 15 do capítulo 2. Ele diz, "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Em outras palavras, você tem a Palavra. Você está comprometido com ela. Então manuseie corretamente.

Voltando para o versículo 13 do capítulo 1, ele diz, "Mantém o padrão das sãs palavras”. Então a primeira coisa que você faz é guardar firme e depois você distribui corretamente. Você guarda bem a verdade e distribui da forma que deveria ser distribuído, para que você seja aprovado por Deus. E de novo ele diz no 16 e nos versículos seguintes, “Fique longe do lixo do mundo. Fique longe de seus erros e das heresias e filosofias, e fique com a verdade de Deus”. Lá no versículo 24 do capítulo 2, ele diz que qualquer um que lidera na igreja, que é um servo do Senhor, essa pessoa deve ser hábil em ensino, hábil em ensino. E, claro, aquela passagem maravilhosa no capítulo 3 onde diz que toda a Escritura é inspirada, para que possamos ser perfeiçoados. Então você pode ver, então, como Paulo instrui Timóteo com relação a igreja, essa tremenda ênfase é dada na pregação e no ensino.

Agora vá até o capítulo 4, e nós vamos juntar tudo. Capítulo 4 de 2 Timóteo, versículo 1, e aqui está, aqui está um mandamento, dado a Timóteo, um dos melhores do Novo Testamento. "Conjuro-te”, ou eu te responsabilizo, ou te ordeno. Já que a Palavra de Deus pode aperfeiçoar; já que a Palavra de Deus pode fazer todas essas coisas; já que pode te dar a salvação que você recebeu; já que pode te dar tudo o que você precisa para ser aperfeiçoado em Cristo, então “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino”. Essa é uma ordem muito sólida. Ele diz, eu te responsabilizo diante de Deus e Jesus Cristo. Eu te responsabilizo diante do Pai e do Filho. Versículo 2, para o que? “Pregar a Palavra”. Pregar a Palavra”. É a Palavra que faz as pessoas serem sábias para a salvação. É a Palavra que aperfeiçoa, que traz doutrina, repreensão, correção, instrução em justiça; que faz o homem de Deus completamente equipado para toda boa obra. É a Palavra que faz isso, então ele diz, “Timóteo, resuma de maneira simples: Eu te responsabilizo diante de Deus Pai. Eu te responsabilizo diante de Deus Filho. Homem, pregue a Palavra. Proclame a Palavra, e seja diligente nisso. Trabalhe muito nisso. Fique firme. Faça quer seja oportuno, quer não, quando parece apropriado e quando parece inapropriado. Quando parece que alguém possa ficar ofendido ou não, continue fazendo, em todo tempo”. “Em tempo e fora de tempo”, isso significa o tempo todo. Não dá para ser mais do que em tempo e fora de tempo.

E então ele diz isso, e é interessante, não é? Ele não diz conforta e encoraja. Ele diz, “corrige, repreende, exorta”. Em outras palavras, “manda ver, Timóteo”. Por que ele diz isso? Porque ele sabe que até cristãos basicamente tem que lutar contra o pecado, não é verdade? E então ele diz que pregação tem que ser confrontativo. Tem que ser repreensivo. Tem que censurar. E a mais leve das palavras aqui é exortação, e isso significa encorajar para uma mudança de comportamento em visão de um julgamento se não houver mudança. Em outras palavras, se você continuar do jeito que você está, Deus vai ter que lidar com você. Então a pregação tem que ter esse elemento. Confronta. Te pega pelos pés. Convence. Te faz buscar coisas em seu coração. Quebranta seu coração. E é isso o que ele fala aqui para Timóteo. Prega dessa forma, e deixa o conteúdo de seu ministério ser o que demonstra longanimidade. ” Então você prega com grande zelo. Você prega com grande convicção. Você confronta as pessoas. Você praticamente coloca elas contra a parede, e elas tem que decidir sim ou não para o que você falou. Você faz eles olharem para seus próprios corações, ver a falha em suas vidas, e perceber o seguinte: que eles não vão mudar da noite para o dia. Então no processo como você deveria ser? Paciente. Seja paciente.

E então ele diz, não seja só paciente, mas no processo ele diz, e isso é uma palavra tão importante, faça isso “com toda a longanimidade e doutrina”. Ensinando, o coração do ministério, amados, é pacientemente ensinar a Palavra de Deus de uma forma que confronta que traz às pessoas para uma auto avaliação, para que suas vidas possam ser trazidas para uma responsabilidade diante de Deus. Essa é a função da igreja. Essa é a função da igreja! Quando você vem aqui você é chamado para essa responsabilidade. Quando você vai para um grupo pequeno de comunhão, uma das coisas que você é chamado para fazer quando estiver ensinando a Palavra de Deus é: Eu estou respondendo corretamente para essa Palavra? Você vai para um estudo bíblico e alguém abre a Bíblia, e você está, você é chamado pela autoridade da Palavra de Deus para o lugar onde você diz, “Eu vou fazer isso, ou não vou fazer isso”. Você é reputado, reprovado, repreendido, ou exortado, e pacientemente isso acontece, até que sua vida se torna o que Deus quer que seja.

Então, enquanto Paulo sai de cena e Timóteo entra no quadro para pegar o manto dele, ele diz, “Timóteo, tudo se resume nisso, filho. Pregue a Palavra. Pregue a Palavra. ” “Por que? ” Porque é a Palavra na mente que gera o comportamento. É a Palavra que entra na mente que gera o comportamento. E por isso que a Bíblia diz em Efésios 4:23, "e vos renoveis no espírito do vosso entendimento”. Seja renovado pelo espirito de sua mente. Transformação, Romanos 12: "Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente”. E essa é a sua parte pensante. Você tem que ter a Palavra em seus pensamentos, para que isso possa colocar o comportamento em andamento. E então nós ensinamos e pregamos a Palavra; não existe nenhum substituto para isso.

A segunda função é o evangelismo e missão, evangelismo e missões. Nós, e eu uso esses dois termos só para te dar uma perspectiva compreensiva; Evangelismo parece falar de coisas pessoais e missões parece falar de algo bem grande. E então, já que esses termos são usados dessa forma, nós também vamos usar assim. Nós devemos estar comprometidos com o fato de que nossa igreja não existe para si mesma, mas para o mundo, não é? Essa é a razão que nós queremos ser o que Deus quer que sejamos é para que possamos ser uma luz brilhante no meio de uma geração perversa e na escuridão. Nós queremos ser tudo o que Deus que sejamos para que Ele possa, através de nós, alcançar outros. A meta principal de todo ministério é que nós alcancemos alguém para Cristo; e então nós precisamos ser evangelismo, evangelismo, evangelismo. Nós precisamos nos envolver com isso em basicamente duas formas: com exemplo de vida e de palavra. E como nós temos falado tantas vezes, gente, são nossas vidas lá fora que fazem nosso testemunho ser acreditável ou inacreditável. O que estou querendo dizer é que se nós temos uma igreja onde Cristo é exaltado, onde pessoas estão vivendo vidas justas, onde estão lidando com seus pecados honestamente diante de Deus, onde elas estão tentando andar em obediência para o Seu propósito santo, se nós temos esse tipo de igreja, nós vamos estar com uma plataforma onde testemunho individual possa ser acreditado.

É o que você é lá fora no mundo. Isso é o que é tão maravilhoso quando pessoas vem aqui e elas dizem, “Olha, o povo aqui vive a sua mensagem. Elas realmente obedecem a Palavra de Deus”. Isso é muito emocionante, porque isso é o que faz o Cristianismo ter tanto crédito, viu. O que quero dizer é por que você pensa que, ao invés de Satanás entrar no mundo e tirando as igrejas da existência, ele vem para esse mundo e prolifera o número de igrejas em todos os lugares que não tem nenhuma credibilidade. Porque isso enfraquece a mensagem inteira. Como muitas pessoas dizem, “Ah, eu fui para uma igreja ali. Que lugar hein. Eles têm muitos hipócritas lá, assim por diante e assim por diante. Eles não se importam com ninguém dali. Por que o pastor fugiu e fez isso ou aquilo. Ele era corrupto. Ele roubou dinheiro da igreja e blah-blah-blah”. Viu, tudo o que Satanás pode fazer é fazer com que a igreja continue e tentar corromper ela e isso é feito de uma forma que enfraquece a mensagem da igreja. Satanás não quer eliminar as igrejas. Ele só quer corromper elas para que não tenham nenhum fundamento em que o testemunho individual possa ser acreditado. E eu realmente acredito que nós fomos chamados para vivermos uma vida na comunidade que é uma vida de, de evangelismo.

É resumido sabia, nós passamos por isso nos anos passados em Mateus 5, onde o nosso Senhor diz duas coisas. “Vós sois o sal da terra”, Mateus 5:13, e se o sal, “ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor”? Você é o sal da terra. O que estou querendo dizer é que você só existe como um agente de conservação. Você só existe para dificultar as coisas. Você está lá distintamente. Você tem um sabor diferente do que eles têm. O que estou querendo dizer é que você é único. E é por isso, amados, por isso que nós chamamos pessoas para uma vida separada. Por isso chamamos pessoas para uma vida pura. Por isso que eu sou tão exercitado em meu espirito para que você viva uma vida piedosa, virtuosa, santa, justa. Não só para a glória de Deus em seu ponto de vista, mas para a glória de Deus no ponto de vista daqueles que veem e são atraídos por esse tipo de pureza. Onde você pode ser usado como um exemplo, você é o sal.

E então no versículo 14, “Vós sois a luz do mundo”. E se a luz está escondida debaixo de um alqueire, tenho certeza, é uma indicação de pecado ou obscuração de testemunho em sua vida. Mas se você está lá fora, e está brilhando claramente, e você é o sal que é realmente salgado, aí sim você vai fazer um impacto no mundo. E é o que você é diante deles. "Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”.

O que quero dizer é que eu fico maravilhado as vezes. Sabe, eu conheço muitas pessoas em muitas circunstâncias interessantes; e algumas delas ficam muito envergonhadas nas circunstâncias em que elas estão quando se encontram comigo; porque eu falo, “Ah, eu não te conheço? ” EU nem consigo falar quantas pessoas já tentaram engolir um cigarro quando me viram. É realmente muito, muito engraçado. E como se fosse um “Ah, Oi”. Tentando engolir. Unk-dink, sabe? Ou eu posso estar em um restaurante e, e alguém pede alguma bebida; e elas acabam de receber a bebida e eu só sorrio e aceno, e um pânico instantâneo se instala na pessoa. Eu não falei nada. Eu até, em certas ocasiões, cheguei a ir até a mesa da pessoa para cumprimenta-los só como uma lembrança de que existe, para cristãos, um certo padrão de vida para aqueles que nos observam. Eu lembro de uma vez em um restaurante. As vezes quando você chega no lugar e está esperando, tem uma garçonete de bebidas que vem; e essa garçonete veio; ela andou até mim e perguntou, “Você gostaria de uma—não, você não quer, não é? ” E eu disse, “ Não, não quero. Você me parece familiar”. E então, “Ah, eu, eu preciso pedir perdão. Sabe, é que, eu, eu…” e ela continuou com uma história. Mas era muito interessante porque, em seu coração, ela sabia que ela estava completamente fora de sintonia com a realidade de onde ela deveria estar como uma cristã simplesmente vivendo no mundo, e era vergonhoso ela me ver. E eu pensei para mim mesmo, “Deveria ofender ela mais pensando que os não crentes veem ela fazendo alguma cosia que não é como Cristo faria do que eu ver isso. Eu aguento.

Nós temos uma base de credibilidade que devemos ter em nossas vidas, e é tão importante; e então ele resume tudo, não é? Em Mateus 5:16 quando ele diz, "Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. Sabe, eles deveriam olhar para a sua vida e dizer, “Olha, só Deus pode fazer uma vida assim. Só Deus pode fazer isso com alguém”. Que vida maravilhosa; e então nós espalhamos uma base para o evangelismo.

E então, além disso nós precisamos falar. Precisamos conversar. Precisamos proclamar a mensagem. O que quero dizer é que nós precisamos estar prontos para darmos uma resposta para a esperança que está dentro de nós, proclamar Jesus Cristo. Nós não podemos ficar com nossos lábios calados. Alguém uma vez disse que a maioria dos cristãos são como o Rio Ártico, congelados na boca. E é muito lamentável que, em muitos casos isso é verdade; e por alguma razão, resistentes para falar. Ó, como nós devemos estar dispostos a falar sobre o Senhor como nós estamos dispostos a falar obre as coisas mundanas, coisas fúteis; e então nós entendemos a responsabilidade que temos para evangelizar, testemunhar, alcançar. Parte disso é ter pessoas que nós conhecemos que não são cristãs, e isso é difícil para alguns de nós, muito difícil; porque nosso mundo é estreito. Alguém disse uma vez que é como uma pirâmide. Quanto mais alto você vai, menos pessoas você conhece que não são cristãs.

E então, também, enquanto proclamamos, nós queremos ter certeza de que temos a mensagem correta; e por isso que nós gastamos tanto tempo falando do Evangelho aqui, tendo certeza que você entende os termos que Cristo tem dado. Por isso, quando nós chegamos ao jovem rico, nós gastamos tempo vendo como Cristo evangelizou, ou no Sermão do Monte, de onde Ele chamou os homens e o que Ele chamou eles para fazer, o quais são os verdadeiros termos bíblicos de evangelismo? Porque eu conheço muitas igrejas em nosso país que estão cheias de pessoas que não são salvas, mas acham que estão.

Então nós estamos comprometidos com o evangelismo: agora, além disso, missões. Isso é uma visão mundial para alcançar muito além daqui para onde Deus nos permitir ir e o que Ele nos permite fazer no mundo inteiro. Eu recebi uma carta essa semana de um pastor na Filipinas. Ele disse, “Eu tenho escutado coisas sobre sua igreja. Eu quero construir a minha igreja da maneira de como Deus quer que seja construída; e você poderia me mandar alguma ajuda para que eu possa começar a andar no caminho certo? ” E nós temos pessoas agora combinando estratégias e criando uma visão para a gente alcançar o mais longe possível além de nossas paredes. Em todo o mundo o tanto que o Senhor permitir, porque Ele disse para ir por toda terra, não disse? E nós queremos ir o mais longe possível, a distância que nossos recursos nos permite ir. E o que nós estamos fazendo aqui é treinar pessoas aqui para que possamos ir mais efetivamente. E nós estamos comprometidos com isso, em ir, pregar, batizar, ensinar, o mais longe possível que possamos ir.

Tem uma terceira função, e você conhece bem, então não vou gastar muito tempo nisso: Louvor, louvor corporativo. Nós fizemos uma série nisso recentemente. Espero que você tenha lido o livro A Maior Prioridade do louvor. Nós fomos chamados para louvor corporativo. “Porque servimos a Deus em espírito, e não confiamos na carne”, Paulo diz aos Filipenses. Nós somos “verdadeiros adoradores” João 4, “que adoramos o Pai em Espirito e em verdade”. Nós fomos chamados como aqueles que são como sacerdotes, e oferecemos nossos corpos como sacrifício vivo diante de Deus em um ato santo de louvor, sacrifício espiritual. Somos adoradores. Somos um sacerdócio que oferece sacrifícios a Deus, diz Pedro.

Nós estávamos conversando uns dias atrás em uma de nossas reuniões de conselho sobre a preocupação que temos. Existem muitas pessoas que vem para o culto, mas quantas realmente estão adorando? Quantos corações estão realmente sendo oferecidos a Deus? Quantos corações estão cheios de louvor e adoração? E quantos estão pensando quando vai acabar e o que eles vão estar fazendo hoje, ou o que vão estar fazendo amanhã, ou qualquer outra coisa. E nós ficamos tão bombardeados pela astúcia de Satanás no mundo e na mídia. Vemos imagens em nossas mentes, e nós ouvimos músicas de comerciais, e nós somos amaldiçoados pelas coisas que continuamente vemos passando pela nossa frente. E nós tentamos sentar e tirar toda essa bagunça de dentro de nossa mente e meditar nas coisas de Deus, você quase precisa entrar em um monastério para conseguir filtrar seu cérebro e deixar limpo de novo.

Quão difícil é para nós vir até aqui e realmente pensar nas músicas que estamos cantando, e ouvir o Salmo quando for lido e nos chama para adorar, e meditar nas coisas de Deus que vem através do ensino e da pregação? Mas precisamos cultivar isso. Precisamos ser um povo adorador, não só quando estamos aqui. Isso é só um ponto de partida para que possamos adorar o tempo todo. Como nós tentamos falar alguns meses atrás naquela série de mensagens, nós adoramos melhor quando nós obedecemos mais. Nós adoramos melhor quando respondemos a Deus em obediência com vontade, então essa obediência é a definição básica de adoração. Nós obedientemente oferecemos louvor. Nós obedientemente fazemos o que Ele manda. Obediência e adoração, de certa forma são sinônimos, torna-se então, um estilo de vida ao invés de um simples exercício no Domingo.

Mas eu acredito que somos chamados para chegarmos perto de Deus. Sabe o que isso significa? Chegar para perto de Deus; Hebreus diz, "Chegai-vos a Deus”. Tiago fala sobre chegar a Deus, “e ele se chegará a vós outros”. Que pensamentos maravilhosos que são esses. O que estou querendo dizer é, quando que você realmente se chega a Deus se uma forma sem pressa? E quando você simplesmente deixa o seu coração e mente subir, como está, usando as palavras dos hinos e nas palavras da Escritura ou nos tempos de grande devoção e oração? Quando você medita? A palavra quase não tem nenhum significado para nós a não ser quando pensamos em algum guru abaixado em algum lugar. Nós não entendemos o que realmente significa meditar; mas eu acredito que nós funcionamos com adoração. Nós funcionamos com adoração.

Timóteo, Paulo diz para Timóteo, sabe, deixa os homens santos levantar suas mãos em oração e deixar a igreja se juntar para esse propósito expresso de adoração. Nós somos e devemos ser um povo adorador; e isso anima o meu coração pensar que tantos são como esse homem que escreveu de Michigan. Eles vem para nossa igreja, e eles nunca sentiram uma adoração assim. Seus corações sempre estiveram prontos, mas eles nunca foram providenciados com esse tipo de ambiente que permite levantar aquele coração para Deus; e talvez nós possamos fazer isso de uma forma melhor. Talvez possamos ser melhores.

Aqui está a última unção que a igreja precisa receber que eu queria mencionar nessa manhã. Nós vamos terminar esse assunto na próxima vez. E isso é oração, e eu não preciso falar muito disso. Eu só preciso relembrar vocês. Eu quero colocar isso em sua memória. Eu não quero ficar adicionando coisas num assunto que já é compreendido, mas só quero dizer que eu acredito, amados, eu acredito nisso com todo o meu coração. Oração é o exercício espiritual mais difícil que nós fazemos por duas razões. Razão número um: É um trabalho difícil. É um trabalho difícil porque se torna uma prática altruísta. Oração verdadeira se estende para incluir o reino de Deus. "Santificado seja o Teu nome. Seja feita a Tua vontade. Venha o Teu Reino”. Se estende para abraçar o povo de Deus. "O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoa as nossas transgressões. Não nos deixes cair em tentação”. Não existe o “Eu” no “Pai nosso” de Mateus 6:9-12. Ela inclui o Reino de Deus em Sua glória. Inclui as necessidades de Seu povo, e então oração é um exercício generoso. Somente pessoas altruístas e humildes conseguem abandonar a si mesmos para adotar a vontade de Deus, o reino de Deus, as necessidades do povo.

E quando Paulo diz em Efésios 6:18, orando sempre por todos os santos, com toda súplica e oração, ele está nos chamando para o tipo de oração que se vira para fora de nós mesmos para incluir os propósitos gloriosos de Deus e as necessidades do Povo de Deus. E é altruísta, e então é limitado para as pessoas altruístas. É um trabalho difícil, porque lá você está, e você está derramando o seu coração diante de Deus, para o povo redimido de Deus, para os propósitos de Deus e as necessidades do povo; e você está além de si mesmo.

De outro lado, nós achamos que oração é algo muito fácil quando é para nós mesmos. Quando nós temos uma lesão incapacitante, ou quando nós temos uma doença debilitante na família, ou quando perdemos alguém amado, ou quando um de nossos filhos se distanciam do Senhor, ou quando nossos filhos estão fazendo decisões sobre com quem eles vão casar, ou quando alguma tragédia acontece, ou quando somos pegos praticando algo desonesto, ou algum ato imoral; e, imediatamente, porque nossa vida está em jogo, nós nos pegamos facilmente orando quando é para nós mesmos. Mas isso não demonstra o poder da oração. Isso demonstra a fraqueza da oração. O poder da oração é abandonar minha vida com oração sem cessar para a extensão da glória de Deus em Seu reino eterno, e as necessidades de Seu povo redimido além de mim mesmo, entendeu? E por isso que é tão difícil. Eu não tenho nenhuma dúvida de que em Lucas 11, eu poderia ser aquele homem batendo na porta, pegando o pão, se eu estivesse com fome; e eu iria bater naquela porta a noite inteira até o homem me dar o pão para ele conseguir se livrar de mim. A questão é, “Eu consigo bater na porta a noite inteira para o pão para dar para outra pessoa? ” Essa é a questão.

O que estou querendo dizer é que nós podemos ter uma promoção de domingo à noite e receber aquele sorvete, e pode ser que venha três mil pessoas para devorar aquele sorvete. E você pode combinar de ter uma reunião de oração e você vai precisar de binóculos para achar as pessoas, entendeu? Porque oração é muito altruísta. É uma inclusão de coisas fora de nós mesmos em sua forma mais pura e verdadeira. Eu não estou falando que você não ora. Eu não estou falando que eu não oro. Eu não oro da maneira em que eu deveria orar, e, e todos nós sentimos que nós não fazemos da maneira correta, não é? Nós vamos começar a ter uma reunião mensal de oração numa quarta à noite todo mês, e vamos chamar as pessoas para estarem juntas em oração, e eu acredito que Deus responde orações. Eu disse em uma entrevista ontem na rádio em Chicago que um dos benefícios de envelhecer, e existem alguns benefícios, é que você começa a ter uma lista maior de coisas que Deus demonstrou em Seu poder para responder orações. E quanto mais velho você fica, mais você enxerga Deus fazer coisas que só Ele poderia fazer. E quanto mais longa fica essa lista, mais confiante você se torna em suas orações. Então eu penso que os mais velhos oram melhor do que os mais novos, pelo menos nesse sentido, porque elas têm um histórico que prova as respostas de Deus.

A segunda razão que faz oração ser difícil é que não é só altruísta, mas é algo particular. É muito particular, e isso é mais ou menos como a ideia altruísta; mas, quando você ora, você ora sozinho e ninguém sabe. E então você tem que ter uma autodisciplina e a força para fazer isso sem nenhum tipo de pressão alheia ou aprovação. O que estou querendo dizer é que existem muitas coisas que nós fazemos porque sabemos que as pessoas vão saber que fazemos elas, não é? Nós vamos para o estudo bíblico porque as pessoas vão dizer, “Ele vai para o estudo bíblico”. E nós lemos a Bíblia porque alguém vai falar, “eu tenho lido tal coisa”. “E eu tenho lido tal outra coisa”. “Ah, o outro dia eu estava lendo isso”. E você lê para que quando essa conversa acontecer você pode participar falando que você leu algo também.

Viu, oração é difícil, primeiramente, porque é altruísta e, em segundo lugar, porque não tem nenhum tipo de recompensa visível; e você não vai ter algum tipo de pressão alheia. Ninguém te vê fazer, e nós fazemos melhor quando sabemos que as pessoas estão olhando. Escutem, eu realmente me preparo muito para os sermões porque eu sei que tem muitas pessoas escutando. Eu acho mais fácil orar. Em Atos 6:4, diz que os apóstolos se davam continuamente em oração e ao ministério da Palavra. Eu acho muito mais fácil me entregar ao ministério da Palavra do que a oração, porque eu não tenho muita escolha sobre o ministério da Palavra. Se eu aparecer aqui no domingo, sem ter nada para falar, eu vou estar em um grande problema. Mas eu posso não orar e ninguém vai saber. Ah, eventualmente vocês iriam perceber; mas vocês não iriam perceber imediatamente; e por isso orar dá tanto trabalho. Por isso a Bíblia fala sobre prevalecer em oração; porque é algo que, primeiramente, é altruísta e, em segundo lugar, não tem nenhuma recompensa visível imediata nos termos de afirmação e aprovação do povo.

Eu agradeço a Deus por aquelas pessoas solidárias que oram; e eu oro para Deus para que possamos ter mais dessas pessoas em nossa comunidade. Nós temos um pequeno grupo de pessoas que oram nas segundas, pequeno grupo, pessoas mais velhas. Elas estão ficando cada vez mais velhas, mas o Senhor não está deixando elas morrer porque eu não sei quem ficaria no lugar delas. É um grupo pequeno. Elas têm orado por anos, há mais de dez anos. E elas oram, e Deus ouve e responde as orações delas, e nós recebemos por causa da fidelidade delas. Deus, nos ajuda sermos mais fiéis em nossas orações. Como eu já disse no passado, oração é o nervo que move o músculo da onipotência. E eu não entendo como funciona. Eu só sei que Deus ouve e responde orações. E “A súplica de um justo pode muito na sua atuação”, diz Tiago. E eu quero ser esse homem justo que ora, porque eu quero ver Deus fazer tudo o que Ele pode fazer e dar a Ele toda a glória. Então nós precisamos ser comprometidos com a oração.

E Paulo não podia ter dito mais claramente do que como ele falou em 1 Tessalonicenses 5, e ele diz isso no versículo 17, "Orai sem [o que? ] cessar”. Nós dizemos, “O que isso significa? ” Bom, simplesmente significa que você ora o tempo todo, que significa que você vive com uma consciência voltada para Deus, que toda a sua vida é oferecida a Deus como uma oração. Você, simplesmente o tempo todo, você está consciente de que Deus está lá, o tempo todo. Cada ato de sua vida, cada pensamento de vida é oferecido a Deus como uma oração, como se fosse assim, “Eu vou fazer isso, Senhor, tudo bem se eu fizer isso? ” Em outras palavras, você interpreta a vida como se você estivesse enxergando tudo através da mente e dos olhos do próprio Deus. Não é que você anda sempre balbuciando com os olhos fechados. Oração é simplesmente o estilo de vida na consciente presença de Deus, e assim tudo é oferecido a Ele. Tudo é compartilhado com Ele. Oração é um caminho de duas mãos, sabia? Você escuta a voz dele. Você sente a liderança do Espirito de Deus. Você oferece a Ele suas petições e seus pensamentos e suas alegrias e seus problemas. É vivendo a vida de uma forma consciente de Deus. E então as nossas funções são muito, muito fundamentais. Pregar e ensinar. Evangelizar e estender ao mundo inteiro. Adorar. Orar. Vou dar o resto das funções da próxima vez. Vamos orar juntos.

O que podemos dizer, Senhor? O que podemos falar? O senhor tem nos abençoado tanto. Tem nos abençoado com a salvação. O Senhor tem nos abençoado com a Palavra, o Espirito. Tem nos abençoado com a assembleia de Teu povo redimido e amado. O Senhor tem nos abençoado com nossos amigos, com família, com companheiros de vida que te amam. O Senhor tem nos abençoado com um lugar maravilhoso onde nós possamos ter comunhão e adorar. O Senhor tem nos abençoado com lindas canções que podemos cantar, instrumentos que possamos ouvir, que fazem com que nossos corações se regozijem. O senhor tem nos abençoado com a beleza da Sua criação, que nós, só nós os redimidos possamos completamente apreciar como um presente de amor vindo de Ti, não como o mundo que acha que foi um acidente cósmico. O Senhor tem nos dado tanto. Pai, é o nosso desejo aqui na Grace Community Church, funcionar como o Senhor que que nós funcionamos, pregando, ensinando, evangelizando, adorando, orando. Voltando para essas coisas básicas, e saber que as programações da igreja não são tão importantes. Só é importante o que fazemos como indivíduos, sermos fiéis nessas áreas. Muito obrigado por afiar nosso foco esses dias. Que nós possamos ser fieis para responder enquanto enxergamos a verdade. Assim oramos no nome de Jesus. Amem.

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize