Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Abra sua Bíblia comigo, se quiser, em Mateus capítulo 1. Mateus capítulo 1. E estamos olhando esta noite nos versículos 18 a 25 deste primeiro capítulo. Começamos na semana passada um estudo no registro de Mateus, o registro realmente da vida de Jesus Cristo, como registrado pelo evangelista Mateus, comumente conhecido como o Evangelho de Mateus. Você vai descobrir que cada elemento da vida será tocado por este livro, uma declaração tremendamente porderosa, sobre a pessoa de Jesus Cristo e os princípios que Deus ordenou para a existência humana. Mas, em nossa lição, para esta noite, chegamos aos versículos 18 a 25 e esses versículos tratam do nascimento virginal de Jesus Cristo. Mateus começa seu evangelho considerando Cristo. E é uma passagem muito importante. Deixe-me ler para você. Acompanhe enquanto leio.

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.

“Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco). Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher. Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.”

Agora, em Mateus 22:42 Jesus fez, aos fariseus, uma pergunta que foi expressa em cada geração desde então. Jesus disse, "Que pensais vós do Cristo? De quem é filho?" Que pensam de Cristo? De quem ele é filho? Essa é a pergunta que Jesus fez em Mateus 22:42 e é uma pergunta que precisa ser feita em cada era a cada pessoa. De quem ele é filho?

Agora, os líderes judeus acreditavam que o Messias prometido seria o filho de Davi. Eles acreditavam que, do ponto de vista humano, ele seria um membro da linhagem real de Davi, da família real, da linhagem real. E francamente, eles não tinham certeza de muito mais do que isso. Eles, em sua maior parte pareciam rejeitar a idéia de que o Messias seria Deus em carne humana, embora possa haver alguma indicação de que alguns deles possam ter se sentido dessa maneira.

A preponderância do povo judeu naquela época, parece ter sido convencida de que o rei que eles iriam ganhar seria da semente de Davi, um ser humano em todos os sentidos da linhagem real. De fato quando Jesus afirmou ser filho de Davi e o Filho de Deus, eles o acusaram de blasfêmia. Eles esperavam que ele fosse da linhagem real de Davi, mas aparentemente não uma deidade em carne humana.

E eu acho que as pessoas hoje ainda estão negando isso. Acho que as pessoas hoje estão dispostas a deixar Jesus ser uma semente real. Eles estão dispostos a deixá-lo ser um filho de Davi. Elas estão dispostas a deixá-lo ser mesmo alguém de uma linhagem real, mas eles não estão ansiosos por ele para ser Deus em carne humana. Tudo bem, ser filho de Davi mas não o Filho de Deus.

E até no Natal eu me lembro de uma música que eles cantam que diz isso "Cristo pelo mais alto céu adorado. Cristo o Senhor eterno. Tarde no tempo eis que ele vem. Descendência do ventre da virgem. Véu de carne a Divindade vê. Salve a divindade encarnada. Satisfeito como homem, com homens para habitar. Jesus nosso Emanuel. Ah, os anjos arautos cantam glória ao rei recém-nascido.”

Agora, esse verso dessa canção natalina em particular é um versículo que é construído em torno do tema que ele é Deus. E mesmo que o mundo possa cantar a música, eles não estão realmente prontos para receber a realidade dela. Para mostrar isso a revista Redbook, há mais de dez anos, levou uma enquete de estudantes em seminários protestantes. Cinqüenta e seis por cento dos estudantes de seminários protestantes que estudavam para o ministério rejeitaram a idéia do nascimento virginal. Cinquenta e seis por cento. O legado dessa pesquisa e aqueles estudantes há dez anos é o liberalismo moderno.

O centro de pesquisas da Universidade da Califórnia em Berkeley, consultou as denominações para obter sua visão sobre o nascimento virginal. Sessenta e nove por cento dos batistas americanos acreditavam no nascimento virginal. Sessenta e seis por cento dos luteranos acreditavam no nascimento virginal. Cinqüenta e sete por cento dos Presbiterianos Unidos. Trinta e nove por cento dos episcopais. Trinta e quatro por cento dos metodistas e 21 por cento dos Congregationalistas acreditavam no nascimento virginal de Jesus Cristo.

Agora, a igreja, de muitas, muitas maneiras - é uma igreja não evangélica mas uma igreja liberal - não está nem mesmo pronta para aceitar a deidade de Jesus Cristo e seu nascimento virginal, então parece bastante óbvio que o mundo não está batendo à porta deste grande conceito na realidade. Mas você não deve se surpreender. O apóstolo Paulo disse em Romanos capítulo 3 estas palavras. "E daí? Se alguns não creram, a incredulidade deles virá desfazer a fidelidade de Deus? De maneira nenhuma! Seja Deus verdadeiro" e o quê? "e mentiroso, todo homem." Assim diz Paulo em Romanos 3:3-4.

Nunca baseie sua teologia na regra da maioria. Pode haver pessoas que negam o nascimento virginal. Pode haver pessoas que flagrante e descaradamente lutam contra a deidade de Jesus Cristo, mas talvez ainda mais sutil do que são as pessoas que ignoram o nascimento virginal. Lendo umas citações por alguém que você conhece, Robert Schuller, na igreja da comunidade do crescimento do jardim, esta é uma das citações da porta de Wittenberg, janeiro 1976. Disse "eu não poderia imprimir ou negar publicamente o nascimento virginal de Cristo, mas quando tenho algo que não consigo compreender simplesmente não lido com isso".

Bom, talvez esse seja o erro mais grave de todos. Porque isso é muito sutil, simplesmente ignorar o nascimento virginal. Não podemos duvidar disso e não podemos negá-lo, não podemos ignorá-lo se simplesmente abrirmos nossos olhos e olharmos para Mateus 1:18-25. Está lá. O Dr. Walvoord, presidente do Seminário Teológico de Dallas, diz - e cito - "A encarnação do Senhor Jesus Cristo é o fato central do cristianismo. Sobre ele toda a superestrutura da teologia cristã depende." Toda a essência do cristianismo, as pessoas se baseiam no fato de que Jesus é Deus em carne humana. E isso é algo que ficou claro no próprio nascimento de Cristo, uma doutrina essencial.

Você vê, se Jesus tinha um pai humano, então a Bíblia não é confiável, porque a Bíblia alega que ele não o tinha. E se Jesus nasceu simplesmente de pais humanos, não há maneira de descrever o motivo de sua vida sobrenatural. Seu nascimento virginal, sua morte substitutiva, sua ressurreição corporal, e sua segunda vinda são um pacote de deidade. Você não pode isolar qualquer um desses e aceitar apenas um e deixar o resto, ou vice-versa aceitá-los todos menos um.

Você acredita em todas aquelas realidades que são a manifestação de sua divindade ou você não acredita. E assim, temos de enfrentar a pergunta que Jesus fez aos fariseus novamente. De quem ele é filho? Agora, Mateus nos dá a resposta humana, a cujo filho ele está na genealogia que estudamos na semana passada. Humanamente falando, de quem ele é filho? Filho de Davi.

Agora, esta semana olhamos para a próxima seção e temos a resposta divina nos versículos 18 a 25. De quem ele é filho? Filho de Deus. Filho de Davi, humanidade. Filho de Deus, deidade. Ambos são essenciais para a compreensão da encarnação. Jesus é Deus em um corpo humano, humanamente, através da linhagem de Davi ele ganha o direito de governar o mundo. E do ponto de vista da divindade ele ganha a própria essência da natureza de Deus por ter nascido sem um pai humano, por intermédio do Espírito do próprio Deus.

E assim, Mateus, ao escrever seu Evangelho enfrenta os leitores judeus e todos os leitores de todas as eras, e ele lhes dá a resposta. A genealogia de Jesus diz a você de quem Ele é filho, Davi. E o nascimento de Jesus diz a você de quem Ele é Filho, de Deus. Agora se Mateus 1:1-17, que é a genealogia, fosse tudo o que poderia ser dito, então Cristo pode ter tido o direito legal de ser o rei, mas ele nunca poderia ter redimido homens.

Ele nunca poderia ter conquistado a morte. Ele nunca poderia ter conquistado o pecado. Ele nunca poderia ter conquistado Satanás e o inferno. Para isso ele tinha que ser Deus. E assim Jesus era o Deus-homem, 100 por cento de deidade, 100 por cento humanidade. Essa é a mensagem do capítulo 1 de Mateus. E assim, divide seu capítulo em duas partes lidando com o humano e depois com o divino.

Agora deixe-me adicionar uma nota de rodapé que você possa pensar. Mateus pode estar escrevendo de uma maneira apologética. E por isso eu não quero dizer que ele estava se desculpando pelo que ele estava dizendo. Apologética vem de uma palavra grega, apologia, que significa um discurso em defesa de algo. E pode ser que Mateus está realmente escrevendo aqui, não apenas para expor os fatos, mas que ele está realmente escrevendo para contrariar uma determinada coisa que estava acontecendo. Ele está realmente escrevendo para combater uma certa calúnia.

Por exemplo, sabemos que na época de Jesus Cristo houve alguns que o acusavam de ser filho ilegítimo, filho nascido fora do casamento, filho de um soldado romano que coabitara com Maria e Maria era adúltera e, assim, Jesus era um filho ilegítimo. Esse tipo de calúnias existiam naquela época. E pode ter sido que Mateus não estava apenas registrando pedantemente os fatos do nascimento de Cristo, mas que ele estava combatendo uma calúnia que existia sobre seu querido Senhor.

E este texto define tal calúnia certo?. O nascimento virginal é essencial o suficiente para que o Credo dos Apóstolos possa falar de Jesus como "concebido pelo Espírito Santo nascido da virgem Maria". Esse sempre foi um fato fundamental do cristianismo. E sempre foi atacado pela falsa doutrina.

Agora, o mundo teve seus nascimentos incomuns. Quer dizer, eu me lembro de ter lido sobre os primeiros quintuplos. Acho que eram os quintuplos de Dionne nascidos em 1934 muito antes de eu ser um brilho nos olhos de meu pai. E nós, na nossa própria vida nos Estados Unidos, vimos os, acho que foram os quintuplos Fischer, e, mais recentemente, por volta de 1973 os sextuplos de Stanek. Nós vimos alguns nascimentos incomuns essa éa questão.

Eu me lembro quando nasceu nosso primeiro garotinho Matthew. Achamos que realmente tínhamos uma monstruosidade. O que ele pesava, querida? Quase cinco quilos, ou algo assim. Ele era um garoto bom e saudável. E no mesmo dia nós pensamos, rapaz - você sabe, como pais nós temos o maior garoto da redondeza. Certo? É para correr direto e comprar-lhe um uniforme de futebol americano. E eu li no jornal no mesmo dia que havia um bebê nascido com 16 quilos e algumas gramas. Agora, isso é um bebê. Isso é um bebê, pessoal.

Quer dizer, houve alguns nascimentos incomuns. Estamos cientes disso. Mas não há nascimento na história da humanidade tão espetacular como o nascimento de Jesus Cristo. E qualquer rejeição da origem sobrenatural de Cristo, deixa sua vida sobrenatural, sua morte sobrenatural, sua ressurreição sobrenatural inexplicável. Você tem que ter tudo para qualquer um fazer sentido. E se Jesus não fosse nascido de uma virgem, então a alegação que Ele pode salvar é altamente questionável. Assim, Mateus para começar, afirma o nascimento virginal.

Vejamos agora cinco características, cinco elementos distintos que aparecem na narrativa. E eu gosto de ter uma narrativa como essa, e mesmo que ela não esteja dividida em termos de pensamento lógico, é apenas uma narrativa, mas se dividi-la, podemos dar uma olhada nos destaques. E esse é o propósito em fazer isso. E provavelmente, há um esboço no boletim. Se você tem um lá, você pode seguir. Mas, vemos cinco coisas. O nascimento virginal concebido, confrontado, esclarecido, conectado e consumado. Essas não são palavras profundas. Eles são apenas ganchos para pendurar seus pensamentos.

Em primeiro lugar, o nascimento virginal concebido, depois confrontado, depois esclarecido, depoois conectado e então consumado. Agora, a propósito, é muito interessante como certos teólogos liberais lidam com esse problema aqui. Eles dizem "Bom, sim nós concordamos que, claro, este é um relato de um nascimento virginal. Mas, afinal de contas, Mateus foi escrito por um companheiro bem-intencionado que não era inspirado por Deus. "

E eles nos dizem que na época em que Mateus escreveu - eles não sabem quando foi, como eu lhes disse da última vez. oi por volta de 30 d.C., possivelmente. Mas em torno desse tempo - de 40 a 70 d.C. - em torno desse tempo, dizem que havia muitos mitos de nacimento de virgens que flutuvam ao redor. E aconteceu que era uma espécie de pensamento popular e assim quando Mateus quis apresentar o seu relato de Jesus, ele simplesmente arrancou um do ar e incorporou-o aqui porque havia tantos mitos virgens de nascimento flutuando ao redor.

Quer saber de uma coisa? Sempre houve um monte de mitos de nascimento virginal flutuando por aí. Adivinha quem os criou? Satanás. Por quê? Ele é o mestre do quê? Da falsificação, enganador. Então sempre houve essas coisas. Deixe-me dar-lhe uma ilustração de uma. A propósito, os escritores lá do início como Orígenes que escreveu cedo na era cristã, escritores desde então até o presente, mostraram-nos muito claramente o caráter de tais histórias. Eles são muito, muito questionável. Quer dizer, não há comparação. Deixe-me dar-lhe uma ilustração.

Havia uma lenda que Alexandre o grande - você recorda de Alexandre o grande, filho de Filipe de Macedonia, Alexandre o grande conquistou o mundo tomando o mundo dos Medo-Persas. Ele varreu para o leste com um grande exército e conquistou o mundo para a Grécia. Bom, Alexandre o Grande reivindicava ter nascido de uma virgem. OK? Aqui está a história.

Uma serpente, uma cobra, foi vista uma vez compartilhando o leito de Olimpo. Agora Olimpia era a esposa de Filipe de Macedonia. Então ela coabitou com uma cobra. E claro, todos sabemos, se sabemos alguma coisa sobre a lenda grega, quem era aquela cobra. Havia um dos deuses gregos que, mais do que qualquer outro, era um pervertido sexual. Sempre que há alguma coisa estranha sexual você sempre pode imaginar que era Zeus. Ele tinha um problema.

E com muita freqüência, na cultura grega, você encontra o deus Zeus assumindo a forma de um animal para uma coabitação estranha. E isso é o que eles dizem que ocorreu no caso de Alexandre o Grande. Este era Zeus na forma de uma serpente que rastejou na cama com Olimpia e engravidou Olimpia. E Zeus também apareceu muitas vezes como um pássaro e às vezes ele mesmo apareceu como espuma no mar batendo navios e essas coisas estranhas.

Mas de qualquer maneira o que a lenda diz é que quando Filipe de Macedonia discerniu o que sua esposa tinha feito, seu próprio desejo sexual foi embotado e conseqüentemente o produto da união teve que ter sido carregado da serpente que não era outro senão Alexandre. E assim, Alexandre o Grande, era filho de Zeus. Essa é a história de nascimento virginal de Alexandre o Grande. Uma história imunda, vil, inconcebível, estúpida, uma tolice não comparável com a da Palavra de Deus.

E dizer que Mateus só pegou algumas dessas histórias no ar e a aplicou na vida de Jesus, é fazer duas coisas. Número um é acusar Mateus de ser um mentiroso flagrante. E número dois é dizer que a Palavra de Deus não é de fato a Palavra de Deus mas a palavra do homem. Esta história é história, amados, não fantasia. É história.

Agora não havia realmente muita conversa sobre o Messias sendo nascido de uma virgem. Quer dizer, eles realmente não viram isso, mesmo que fosse um tanto velado no Antigo Testamento e mesmo que houvesse Isaías 7:14, e houvesse outras passagens que talvez se inclinassem a isso. Mas eles realmente não viram isso. Mas havia evidência, e eu quero que você note isso em sua mente. Havia evidências do Antigo Testamento de que o Messias seria Deus.

Agora, estava velado e não era tão intenso. Mas havia pelo menos indícios no Antigo Testamento de que o Messias seria divino. E não vamos ter tempo para entrar nisso ,mas apenas pegue isso e coloque-o em seu arquivo em algum lugar em sua mente. Mas era muito vago. E não foi, até que o Novo Testamento, o mistério pleno de divindade, Deus manifestado em carne, fosse realmente manifestado. Tornou-se cristalino no Novo Testamento.

Naturalmente então, se é claro no Novo Testamento que Jesus é Deus em carne humana, então qual será o ponto número um de ataque de todo sistema falso? A divindade de Jesus Cristo. Invariavelmente, todos eles fazem isso.

Agora, os fatos são claros na narrativa. Eles estão aqui para apoiar o fato de que desde o início Jesus era o Filho de Deus, Deus em carne humana. Não importa o que os judeus podem ou não ter acreditado, não importa o que as lendas eram, não importa o que os críticos disseram, não importa o que a calúnia disse, Mateus registra os fatos. Agora vejamos como ocorreu esse incrível evento.

Em primeiro lugar, o ponto número um, o nascimento virginal concebido. Versículo 18. O nascimento virginal concebido - este milagre é tão incrível que eu espero que você não tenha ouvido tantas vezes que seus sentidos estejam atenuados para a espetacular, inacreditável sobrenaturalidade disto.

Versículo 18. "Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo.". Agora, aqui você tem o nascimento virginal concebido. Aqui o Espírito de Deus, através do escritor Mateus, nos diz que Maria foi impregnada pelo Espírito Santo.

Agora, deixe-me apenas mostrar-lhe algo sobre o versículo que eu acho que é fascinante. Vê a palavra "nascimento"? A palavra "nascimento" no início? Essa é a mesma palavra grega, a palavra no versículo 1 do capítulo 1, onde se diz o livro da genealogia. É a mesma palavra para "genealogia". Em outras palavras ele está simplesmente dando a genealogia de Jesus do lado divino. Mateus 1:1 "O livro da genealogia, filho de Davi, filho de Abraão". Aqui agora, a genealogia de Jesus Cristo foi assim, e este é o lado divino em que ele foi concebido pelo Espírito Santo de Deus. Veja apenas dois lados da mesma genealogia. A genealogia de Jesus Cristo foi assim.

Quando sua mãe Maria - e nós não sabemos muito sobre Maria. Eu queria que soubéssemos mais sobre ela. Não sabemos muito sobre Maria. Deixe-me ver se consigo arrumar algumas coisas para você. Pode ser - esta é uma possibilidade real - deixe-me ver se consigo encontrar esse versículo para você. João 19:25 eu acho que é. Você não precisa olhar lá. "E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena".

Agora, não sabemos muito sobre Maria, mas aparentemente Maria teve uma irmã a esposa de Cleopas que também era chamada Maria o que não é necessariamente incomum. Então nós conhecemos pelo menos uma pessoa na família imediata. E também é verdade, de acordo com Lucas 1:36, ouça isto, "E Isabel, tua parenta, igualmente concebeu um filho", e quem era seu filho? João Batista.

Portanto, sabemos pelo menos de uma irmã, e é muito provável que essa referência se refira a uma irmã de sangue regular em João 19. E sabemos de sua prima Isabel. Então nós sabemos um pouco sobre sua família. E se pudermos pegar a genealogia de Lucas e atribuí-la à família de Maria, o nome de seu pai era Eli E-L-I. Ela e Isabel eram relacionadas, assim, Jesus e João Batista também estavam relacionados.

Agora, não sabemos muito sobre Maria além disso. Sua infância foi passada em Nazaré. Ela provavelmente era pobre, provavelmente trabalhando duro e, sem dúvida, uma mulher muito correta. Eu acho que se você quer um bom estudo do caráter de Maria você pode simplesmente ouvi-la. Em Lucas 1 você tem um relato paralelo da Anunciação e tudo isso.

E é claro quando Maria descobriu o que o Espírito de Deus tinha feito, e o que ia acontecer, você sabe, lá diz, "Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus." Lucas 1:35. Você vai ter um filho e vai ser o Filho de Deus, divino.

E o versículo 38 nos fala sobre o caráter de Maria por causa de sua resposta. "Então, disse Maria: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra." Agora, o que você aprende sobre Maria, ali mesmo? Ela se submeteu ao quê? O que de Deus? A Palavra de Deus. Versículo 45, Maria diz "Bem-aventurada a que creu" Bem-aventurada a que creu. Isabel e Maria tendo uma conversa, aprendemos uma segunda coisa sobre Maria.

Não só se submetia à Palavra de Deus, mas era uma mulher de quê? Fé. Ela cria em Deus. Agora ouçam, senhoras, se um anjo viesse e lhes dissesse isso, você apenas diria, "que se cumpra em mim conforme a tua palavra"? Alguém poderia dizer "Oh que grande pessoa de fé?" Ela deve ter sido uma grande pessoa - a maioria das mulheres teria dito, "Diga, José, eu tive esse sonho estranho. Eu tenho que ir ver um conselheiro." Ela creu. Grande mulher de fé.

E por sinal gostaria apenas de lembrar que esse tipo de fé é característica de uma pessoa justa. Uma pessoa que se submete à autoridade da Palavra de Deus, e que vive pela fé naquela Palavra, mesmo quando ela não faz absolutamente nenhum sentido, e não havia nenhum precedente histórico humano sobre o qual ela poderia dizer, "Isso é verdade". Essa é uma mulher que é justa. Ela aceitou. E mais adorável era o seu Magnificat, como a Bíblia ou como a história o chamou. "Então, disse Maria: A minha alma engrandece ao Senhor" Lucas 1:46.

"e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador, porque contemplou na humildade da sua serva. Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada, porque o Poderoso me fez grandes coisas. Santo é o seu nome." Ah, que mulher piedosa. Não havia qualquer coisa intrigante em sua mente. Não havia dúvida. Não houve suspeita. Não houve meditação. Não havia dúvida. Não houve questionamento. Houve uma submissão instantânea e uma crença instantânea de que esta de fato era a verdade de Deus. Que mulher justa.

Ela estava tão ligada a Deus. Ela era uma verdadeira santa do Antigo Testamento que podia sentir quando Deus estava falando, e continuou a louvar a Deus pelo que ele faria. Pode ser interessante para você conhecê-la. Você sabe o que a palavra "Maria" é em grego? A palavra "Maria" em grego é Miriam. E você sabe qual é o significado da raiz? Rebeldia. Pobre mulher mal nomeada. Ela não era rebelde.

Ela era casada ou prometida. Olhe para trás no versículo 18. Ela diz que ela estava noiva de José. Agora, José não sabemos nada de fundo. Simplesmente não sabemos nada. Ele é descrito por um termo grego que pode ser traduzido como "carpinteiro" ou "pedreiro". E pode ter sido que o homem fazia as duas coisas. Se ele construísse casas ele precisaria ser capaz de colocar os tijolos e enquadrar as janelas também e as portas então talvez ele tenha feito as duas coisas.

Mas ele era sem dúvida um homem pobre e trabalhador e estou bastante confiante de que ele era um homem justo. Diz no versículo 19 "José seu marido sendo justo" Ele também era um homem piedoso. Ele era um verdadeiro santo do Antigo Testamento. Então aqui estão dois santos do Antigo Testamento. Eles eram muito jovens. A maioria dos estudiosos da Bíblia pensam que estavam na adolescência, uma vez que os casamentos naqueles dias e idade ocorriam para mulheres tão jovens quanto - você acreditaria - 12 anos? E os noivados ocorriam quando as meninas tinham 12 e 13 anos. E então eles eram provavelmente adolescentes mais velhos, pois sentimos isso por causa da tremenda maturidade de Maria.

E diz lá, veja a palavra "desposada." Temos a palavra "esposo" a partir dessa. Mas no grego é, "noivo". Agora o que isso significa? Tivemos muita discussão sobre isso. O que quer dizer que eles estavam noivos? Isso significa que eles estavam envolvidos? Isso significa que eles estavam firmes e Mary usava o anel de José ao redor de seu pescoço em uma corrente? O que isso significa? Usava o casaco de seu pretendente? O que significa que Maria e José estavam noivos?

Bem, vou lhe dar um pouco de fundo. O Antigo Testamento e os rabinos também, nos escritos rabínicos, distinguiam dois estágios no casamento - no casamento hebraico. Dois, um é chamado o kiddushin, e o outro é o hupah ou o chupah para dizer esse "H" corretamente. O kiddushin e o chupah. Agora o kiddushin era o noivado.

E o que era - Deuteronômio 20:7 fala sobre isso, se você quiser anotar isso Deuteronômio 20:7. O que era, eram duas famílias firmando um contrato - ou dois indivíduos poderiam fazê-lo - elaborar um contrato que prometia o casamento. OK? Era - agora veja isto - um contrato vinculativo. E se em algum momento durante esse contrato, de período de noivado, você violasse esse voto de casamento, você teria que se divorciar, em um sentido oficial. Você era constituído legalmente casado, embora não existissem relações físicas.

Era um período normalmente de 12 meses, e era um período da proteção para o pretendente marido e esposa, de modo que houvesse um período em que provasse uma fidelidade. De modo que se a menina estava grávida isso se tornaria muito manifesto nesse período. Se alguém fosse infiel ou houvesse problemas, havia um período de tempo em que isso poderia ser resolvido.

E, aliás, durante esse período, não havia muito contato social. Eles ainda mantinham uma certa distância. Era simplesmente uma promessa feita, um contrato que era feito. Agora, no fim do período, poderia ir até 12 meses, às vezes 6 meses, o chupah ocorria. Esse era o casamento. E os casamentos duravam aproximadamente sete dias. Vocę acha que é difícil agora, pai, quando casa sua filha? Como você acharia de ter o bairro todo por sete dias? Você tem que alimentá-los fornecer bebida para eles.

Esse é o casamento em Caná. Lembra o que aconteceu? Eles ficaram sem vinho certo? Uma das razões de quando você dava a sua filha para se casar, você queria algo em pagamento para ela, era, naturalmente para cuidar de algumas de suas próprias necessidades. Então havia o que se chamava mohar. Esse era o preço. E o preço da menina variava, dependendo da menina, você sabe. Poderia ser qualquer coisa, de duas dúzias de ovelhas a um frango coxo, eu suponho. Mas de qualquer maneira pode ter havido algumas meninas que apenas você poderia dizer que você poderia tê-las por nada. Vou jogar um par de ovelhas, sabe.

Mas basicamente, basicamente, havia o que era chamado de mohar. E este era o preço que era pago. E era pago no momento do noivado. Geralmente de acordo com Gênesis 34 eram bens ou serviços. E tinha vários propósitos. O número um era para compensar o pai porque o pai teria que gastar uma grande quantidade de dinheiro para se casar com sua filha. Era também agir como seguro de vida para a esposa.

E normalmente o pai judeu segurava-o em confiança e se o marido morresse ele o devolveria à filha. E também era uma espécie de seguro de divórcio porque o marido, é claro, teria que desistir e você sabe geralmente era um preço formidável, e ele não tinha esperança de nunca receber de volta a menos que ele permanecesse casado com a menina e recebesse de volta por herança, após a morte do pai. Então ele tendia a manter o casamento juntos. Além disso você não poderia sair por ai e se casar com muitas pessoas ou você seria destituído, dando todas as suas coisas.

Então o período de noivado, era o período anterior ao chupah ou o próprio casamento, quando o casamento era consumado fisicamente e tudo. O período de noivado era um período de testes, um período de provação, para garantir a virgindade da noiva e a fidelidade do marido e da esposa, e assim por diante. Mas eles usavam o termo "marido e mulher" porque era tão bom quanto válido, apenas não consumado. E você não o faria porque diz no versículo 25 "Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho" e o versículo 18 diz "sem que tivessem antes coabitado.”

Em outras palavras, foi neste período de noivado que Maria foi encontrada grávida do Espírito Santo. De modo que não haveria absolutamente nenhuma pergunta sobre se José era o pai. E José era um homem piedoso, um homem justo que não violaria o padrão de Deus. Você sabe, Deus olha com grande preocupação sobre a pureza e a virgindade, é de grande valor para Deus. É uma coisa sagrada, não algo a ser trivializado. E eu me lembro de quão bela e linda e sagrada é a virgindade quando vejo no caso de Maria como ela se honrou por causa disso.

E assim foi encontrada grávida pelo Espírito Santo. Agora, Maria sabia disso. Maria sabia disso. Agora, não temos o relato de Lucas neste texto, por isso vamos olhar para Lucas 1 e vamos descobrir como Maria descobriu. Lucas 1:26. "No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado", bem é claro que isso foi seis meses depois que Isabel concebeu. Assim, Maria ficou grávida no sexto mês de Isabel, de modo que, João Batista era seis meses mais velho que Jesus o que lhe dava tempo suficiente para fazer a bola rolar. "No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré". Aqui morava Maria. Na verdade, se você for a Nazaré hoje, irá a um lugar, e eles lhe dirão, "Este é o poço onde Maria costumava tirar água quando era pequena". Não acredite nisso.

Versículo 27. Vá ver "a uma virgem desposada com certo homem", novamente noivo. A Bíblia é muito clara sobre isso. O casamento não foi consumado. "da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria. E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo." E quando ela o viu ela ficou perturbada", bem, eu posso imaginar.

Uma garotinha simples e mais velha lá na parte de palha do país onde todos eram agricultores e nem sequer era Jerusalém. Era um tanto insignificante, e de repente um anjo, um grande anjo glorioso, não apenas um anjo velho, mas Gabriel, Gabriel o herói de Iavé, Gabriel entra e diz "Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo".

"Ela, porém, ao ouvir esta palavra, perturbou-se muito e pôs-se a pensar no que significaria esta saudação." O que ele está dizendo? Eu não sou ninguém. "Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim".

"Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer" não só será chamado filho de Davi mas, o quę? "serdoá chama Filho de Deus.’ ”

Quer dizer, que anúncio incrível a apenas uma jovem ninguém, morando em um lugar pequeno chamado Nazaré. E Maria sabia disso, e quando engravidou, soube por quê. Mas o pobre José, ele não sabia. Quando ele descobriu foi um choque. Foi um choque. Isso o sacudiu. Ele conhecia Maria, vê? Quer dizer, ele conhecia aquela garota com quem estava noivo.

Ele conhecia a qualidade de seu caráter. Ele conhecia o padrão justo pelo qual ela vivia. Ele conhecia sua estatura diante de Deus. Conhecia Maria. Isto era totalmente falta de caráter. Não fazia nenhum sentido. E ele conhecia Deuteronômio capítulo 22 bem o suficiente para saber que naquela época quando uma mulher ficava grávida de uma criança, fora do casamento, a punição era o quê? Morte. Morte.

Em Deuteronômio capítulo 22 há muitos versículos. Permitam-me apenas lembrá-lo de alguns que falam deste assunto. Deuteronômio 22:13 "e um homem casar com uma mulher, e, depois de coabitar com ela, a aborrecer, e lhe atribuir atos vergonhosos, e contra ela divulgar má fama, dizendo: Casei com esta mulher e me cheguei a ela, porém não a achei virgem".

Bom, se ele achasse que isso era verdade "Então" versículo 21 "a levarão à porta da casa de seu pai, e os homens de sua cidade a apedrejarão até que morra, pois fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai".. E claro, há outras coisas envolvidas no meio. Há - todo este capítulo trata de vários tipos de prostituição.

Versículo 22 "Se um homem for achado deitado com uma mulher que tem marido, então, ambos morrerão, o homem que se deitou com a mulher e a mulher; assim, eliminarás o mal de Israel. Se houver moça virgem, desposada, e um homem a achar na cidade e se deitar com ela, então, trareis ambos à porta daquela cidade e os apedrejareis até que morram."

Assim cobria cada elemento disto. A morte é o que aconteceria então, e José ficou literalmente abalado até o fundo de seu coração. Ele amava Maria. E Maria de fato não tinha absolutamente nenhuma maneira sob o sol, para proteger sua reputação. Ela vai sair e dizer, "Escute pessoal. Este bebê foi concebido por Deus." E eles vão dizer, "Aah-ham. Essa é uma nova Maria. Ouvimos todos eles. Esta é uma nova." Ela não tem como proteger sua reputação. Então o bendito Espírito de Deus a protegeu, aqui mesmo nas páginas da Palavra de Deus. Que nunca haja repreensão sobre Maria.

Se Jesus é um homem comum, se Jesus é simplesmente igual a todos os outros homens, então podemos dizer que ele provavelmente nasceu como todos os outros homens mas ele não é como qualquer outro. E ele não nasceu como qualquer outra pessoa. Se ele é simplesmente o filho ilegítimo da infidelidade de Maria, ou se ele é filho da atividade sexual natural de José com Maria, então ele não é Deus. E se ele não é Deus, suas afirmações são mentiras. E se suas reivindicações são mentiras, sua salvação é uma farsa, e se sua salvação é uma farsa, nós estamos condenados.

Assim, Mateus registra , para nós, que Deus se fez carne através de uma virgem na qual a semente foi plantada pelo Espírito Santo. Você diz, "Bom, como isso funciona?" Não me pergunte isso. As pessoas sempre querem fazer esse tipo de pergunta. As pessoas sempre fazem perguntas que não podem responder. E nunca esquecerei os momentos em que eu ensinei o livro do Apocalipse e disse, "Você sabe, e a Palavra de Deus diz que o Senhor vai lhe dar um nome que ninguém conhece." E invariavelmente alguém vai vir e dizer, "Qual é esse nome?"

Eu nem entendo como funciona o nascimento humano normal. E eu não conheço nenhum médico que realmente entenda o mistério disso. Não me pergunte como isso funciona. Deus o fez. Assim uma nuvem de suspeita, uma nuvem de vergonha, uma nuvem de escândalo logo pairavam de forma assustadora sobre Maria. Em toda a história humana nunca houve um nascimento virginal. Quando as pessoas viam uma mãe solteira havia apenas uma conclusão. Isso é tudo. Exceto neste caso. Houve outra conclusão. O Espírito Santo.

Nada novo para o Espírito Santo, neste sentido. A sua obra foi sempre uma obra de criação, não foi? Em Gênesis 1 ele pairava sobre o vazio e o nada, e ele criava tudo. Em Atos capítulo 1 ele se moveu sobre as pessoas reunidas no cenáculo e ele criou a igreja. E por que ele não poderia criar o maravilhoso milagre do nascimento virginal?

Não fique chocado. Não fique chocado. Deveríamos esperar isso. Sério. Vá de volta para o primeiro livro da Bíblia, o capítulo 3 de Gênesis. Gênesis 3:15. Agora estamos de volta pessoal. Quando o Senhor Deus está falando aqui a Satanás. Satanás fez o que fez levando Adão e Eva a caírem. E Deus lhe disse "Porei" Gênesis 3:15. "Porei inimizade" ou animosidade, ou antagonismo, ou ódio. É a palavra para inimigo realmente. "Porei inimizade" fazer um inimigo "entre ti e a mulher". Agora, observe "entre a tua descendência" e o quê? "e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar."

Ele disse "Olha Satanás. Um dia haverá uma mulher, e essa mulher vai ter uma semente e você pode ferir o calcanhar dele" e ele o fez no calvário, mas ele vai fazer o quê? "Ele lhe ferirá a cabeça." E você percebe que diz que Jesus seria a semente da mulher, sua semente. Só uma vez na história do mundo uma mulher teve uma semente. A semente está no homem. Mas uma vez na mulher. E isso é o que Gênesis 3:15 disse.

E Paulo diz em Gálatas 4:4, ele disse, "vindo, porém, a plenitude do tempo" Cristo veio. Veja isto nascido de mulher, nascido sob a lei." Nascido de uma mulher. Ignorando a maldição de Jeconias como vimos em nosso último estudo. Agora me escute. Agora, pegue isso. Se Jesus não tivesse pais humanos então ele não teria sido homem. Ele não teria sido participante de nossa carne. Por outro lado se Jesus tivesse dois pais humanos não poderia ter evitado a contaminação da humanidade.

Portanto ele tinha de ser filho do homem e ainda ser filho de Deus e isso era exatamente o que Ele era. Ele nasceu de um pecador e ainda assim ele era sem pecado, porque era igualmente nascido de Deus. A divindade cancelou a maldição da humanidade. A água da natureza de Deus afogou o fogo da natureza do homem. Então o nascimento virginal concebeu.

Segundo ponto. O nascimento virginal confrontado. E sobre o pobre José? Ele não sabe o que está acontecendo. Seu pequeno mundo acaba de desabar. José um homem justo, e justo sem dúvida profundamente comprometido com Maria esperando com expectativa o dia em que ambos seriam comprovados durante o período de noivado, e poderiam se unir para consumar o casamento. E quanto a José?

Versículo 19. "Mas José, seu esposo" observe que ele é chamado de esposo, ainda que estivessem no período do noivado "sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente." Agora, de repente vemos o nascimento virginal confrontado. José tem que enfrentar essa coisa. Ele tem que enfrentá-la. E o milagre é muito, muito pouco claro para ele. Ele não entende. Ele foi sacudido.

E ele era um homem justo e não queria deixá-la de lado, ele não queria fazer dela um exemplo público. Esses são dois particípios, a propósito. Dois particípios que descrevem o caráter de José. Ele era um homem justo e ele não estava disposto a fazer dela um exemplo público.

Como assim ele era um homem justo? Significa que ele era um judeu justo. Ele era, novamente, um verdadeiro santo do Antigo Testamento, homem piedoso. E você sabe o que um homem piedoso diria para si mesmo? "Eu não posso me casar com esta mulher nesta condição." Ela violou os princípios de Deus. Mesmo que eu me importe com ela, mesmo que eu não entenda essa coisa, mesmo que tudo seja um mistério para mim, como um homem justo, eu devo fazer o que a lei exige.

Chamá-lo de "homem justo" coloca-o na mesma classe que Zacarias e Isabel, porque a Bíblia diz que eles eram justos diante de Deus, andando em todos os seus mandamentos e ordenanças, irrepreensíveis. Coloca-o na categoria de Simeão de quem a Escritura diz que ele era justo e devotado. Ele era um verdadeiro judeu, temente a Deus e sabia que tinha que ser obediente às leis de Deus e as leis de Deus dizem que quando alguém faz isso há conseqüências.

José era um verdadeiro santo. Assim sua primeira inspiração veio de sua justiça mas sua segunda inspiração veio de sua preocupação, e diz que não estava disposto a fazer dela um exemplo público. Agora ele tinha essa opção. Duas saídas foram abertas para José neste dia e época. Se ele estivesse vivendo no dia em que Deuteronômio foi escrito, eles teriam requerido uma coisa.

Mas o relaxamento dos judeus, a visão judaica da teocracia, o relaxamento com que guardavam a lei de Deus, levaram-na até este ponto onde substituíram leis menos rigorosas, pelas que Deus havia ordenado e é por isso que seu país entrou em tantos problemas, porque eles violaram as leis de Deus que eram preventivas.

E aqui nesta época frouxa, havia duas coisas abertas, abertas para José. Uma delas era fazer dela um exemplo público, e era assim que faziam. Ele a acusaria abertamente em um tribunal público por ter cometido adultério. Ficaria envergonhada. Ela seria levada a julgamento. Ela seria condenada na frente de todos, arruinada em termos de reputação.

A outra possibilidade era o que eles forneciam para uma maneira mais tranquila. As duas partes poderiam se reunir diante de duas ou três testemunhas, e firmar um acordo privado de divórcio, como é indicado no Deuteronômio 24. E eles escreveriam esse pequen acordo privado de divórcio.

Não haveria processo judicial. Não haveria conhecimento público. Não haveria fanfarra. Ninguém precisaria saber. Era afirmado naquela época que você nem precisaa descrever a causa do divórcio, na declaração. Para que ela pudesse ir embora sem que ninguém soubesse realmente o que tinha acontecido. Era feito secretamente.

Agora, esse não era necessariamente o padrão de Deus, mas isso era o que era permitido na laxidade da época em que José vivia. Então ele tinha essas opções. Aliás, a palavra "deixá-la", você vê, que diz "deixá-la secretamente." Deixá-la é apolouō. É a palavra do Novo Testamento para o divórcio. Ele tinha que se divorciar dela, porque o noivado foi constituído como casamento. E ele disse, "Bom, eu vou deixá-la secretamente."

Ele simplesmente não conseguia fazer de Maria um exemplo público. Ele simplesmente não conseguia se livrar do desprezo público e da vergonha pública. Então ele queria abandoná-la secretamente. Mas ele teve dificuldade em fazer isso. Ele simplesmente não conseguia fazer até mesmo isso. Assim, diz no versículo 20 "Enquanto ponderava nestas coisas" parem ali mesmo. Sem dúvida, ele foi para sua cama em sua própria casa em Nazaré. Eles ainda estão em Nazaré aqui. E ele estava meditando. Ele estava meditando sobre o que ele tinha que fazer. E enquanto ele estava meditando sobre isso, ele adormeceu. Ele adormeceu. E então encontramos o nascimento virginal esclarecido. Esclarecido.

O nascimento virginal esclarecido no versículo 20. Veja como ele adormece. Ele é confrontado. Está confundindo-o. Ele adormece. E "eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor". Agora eu só quero que você entenda uma coisa. Este não é um sonho como se você tivesse um sonho. Este não é um sonho onde o que você vê não é real é imaginário. De alguma forma, de alguma forma é um tipo de revelação sonhadora, o sonho se transforma em algo real. Foi um verdadeiro anjo e ele realmente viu aquele anjo.

E a propósito, isso não é incomum para Mateus. Há pelo menos seis - na verdade há apenas seis - outras vezes onde encontramos esse tipo de comunicação. Mateus capítulo 2 tem vários. Mateus, sim, Mateus 1 aqui, Mateus 2, Mateus 27 e o outro está em Atos 2:17 onde é profético. Então isso não está em uma situação totalmente isolada. Deus às vezes usa um anjo em um sonho.

E José não estava sonhando no sentido em que você pensa. Ele adormeceu, começou a sonhar e seu sonho se transformou em realidade. E o anjo lhe disse "José filho de Davi" e eu sei por que ele disse aquela segunda parte apenas para reforçar, apenas para reforçar a linhagem, a linhagem de Davi. Rapaz, isso deve ter sido algo para se ouvir. "Filho de Davi". Diz isto, "não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo". Não tenha medo José. "o que nela foi gerado é do Espírito Santo".

Esta é a grande realidade, pessoal, do nascimento virginal. Não havia pai humano. Este é o nascimento de Deus em carne humana. Ele é homem e Deus, e é por isso que por exemplo no Antigo Testamento ele é chamado tsemach que significa "o ramo". E você notou que ele é chamado "o ramo de Davi" em uma passagem e em outra, o ramo de Jeová. Vê? Ele é a descendência de Davi e ele é a prole de Deus.

Você sabia que em Isaías 9:6 ele é chamado de "conselheiro, maravilhoso, Deus" o quê? "forte, o pai da eternidade." E assim José devia saber que não precisava ter medo de tomar Maria pois o que fora concebido nela era do Espírito Santo. E o versículo 21, dá-lhe mais instruções. "Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus." Em hebraico Josué, Jeoshua, significa "Jeová salvará." E seu nome será Jesus "porque ele salvará o seu povo dos pecados deles".

Agora eu quero que você saiba algo sobre o versículo 21. "Ela dará à luz um filho." Você percebe que ele não disse, "E José, você terá um filho. A ti nascerá um filho." Ela dará à luz aquela criança, "porque ele salvará o seu povo dos pecados deles".

Você sabe, a Bíblia é muito cuidadosa sobre nunca nomear José como o pai de Jesus. Eu não sei se você sabe disso. Por exemplo, em Mateus 2:13 diz "Levanta-te toma o menino e sua mãe e foge para o Egito." Sempre a mãe. Por que ele não disse "Leve seu filho e sua esposa"? Por que "a criança e a mãe"? José é sepre removido da paternidade real. Mateus 2:20, "Levanta-te toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel" É sempre o filho e sua mãe nunca José como o pai. Nascimento virginal.

E o seu nome, Jeshua, Jeoshua, Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Amados, essa é a razão pela qual ele veio, não é mesmo? E é por isso que o livro de Atos em 4:12 diz, "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos". Somente o nome de Jesus, o único Deus-homem. Somente Deus salvará.

Como o Salmo 20 diz, há algumas pessoas que confiam em cavalos, algumas pessoas que confiam em carros, alguns que confiam na força física e alguns que confiam em seu conhecimento, em sua intuição, em sua reputação, em seu prestígio, em sua posição, maquinário, amigos, seja o que for, educação, mas só Jesus pode salvar. Ele salvará o seu povo dos seus pecados. Só ele é poderoso o suficiente para salvar.

Assim o nascimento virginal concebido, confrontado e esclarecido. Quarto e nós vamos apressar para o fim. O nascimento virginal conectado. O nascimento virginal conectado. Só para que não apareça como algum último pensamento de última hora, algum negócio agarrado no ar, como o crítico disse, algum mito flutuante que foi anexado a Jesus.

Mateus entra com um comentário nos versículos 22 e 23. A narrativa quebra aqui. O anjo não está falando mais. Mateus fala, e é isso que ele diz. E ele faz isso tudo através de Mateus, na verdade 50 vezes no Evangelho de Mateus, ele cita o Antigo Testamento, e 76 vezes mais, ele faz alusão a ele. E esta é uma fórmula que ele usa.

“Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta". E quando o profeta falava, era o Senhor. E ele cita Isaías 7:14, "Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco)." O nascimento virginal está ligado ao Antigo Testamento. Este não é um pensamento posterior. Isto não é puxar da lenda do ar. Esta é a promessa de Deus cumprida, uma coisa tremenda. Eles deveriam saber.

Agora, tudo isso era feito para que fosse cumprido, para que pudesse ser completado, para que pudesse ser realizado exatamente como Isaías disse. Agora poderíamos ter uma grande e longa, extensa descrição sobre o que Isaías disse e por que usou a palavra almah em vez da palavra bethulah e ele quis dizer "virgem" e blá blá blá e assim por diante.

Não há motivo para discutir isso. Basta dizer que a palavra almah em Isaías 7:14 é melhor traduzida "virgem", melhor traduzida "virgem". E as pessoas, os críticos, os caluniadores podem ir e vir e tentar apagá-la mas eles não podem apagar o comentário de Mateus que usou a palavra parthenos que significava "virgem". Mateus sabia o que significava, mesmo que eles não. E é um pouco difícil de contornar o nascimento virginal quando diz uma e outra vez que a mulher Maria, não teve relações com um homem. Por que eles querem discutir sobre almah em Isaías 7:14? Por que eles não ouvem o comentário de Deus sobre isso?

O cenário da profecia de Isaías é muito simples. O rei Acaz ficou aterrorizado de que o reino de Judá fosse destruído pela Síria e Israel. Acaz está sentando-se no fundo do reino do sul e está preocupado sobre o norte, aqui Israel, e para cá é Síria. E ele tem medo que eles vão descer e eles vão acabar com a linhagem real. Então ele realmente tem medo de perder a linhagem real.

Então Deus aparece e diz "Deixe-me lhe dar uma promessa. Nada vai acontecer com a linhagem real. Nada vai tirar a linhagem real. Aqui está um sinal." Ele diz, "Você olha para os corredores da história e haverá uma criança virgem nascida e ela garantirá que a linhagem de Davi nunca será quebrada".

E Jesus veio ao mundo como o cumprimento daquela profecia dada por Isaías a Acaz, para mostrar que Deus cumprirá sua promessa e o trono de Davi nunca será quebrado para sempre e sempre e sempre. Então o nascimento virginal é esclarecido.

Aliás eles devem chamar seu nome Emanuel, que sendo interpretado, é o quê? Deus conosco. El, as duas últimas letras dessa palavra são o nome de Deus, El. El Shaddai, El Elyon, El Maqoddeshkim, todos esses nomes para Deus, El. Immanu significa "conosco". Deus conosco.

Agora você diz, "Mas eles nunca o chamaram de Emanuel". Não. Esse não é o título dele no que diz respeito a um nome. Essa é uma descrição de quem ele é. E muitas vezes, o título não é necessariamente o nome. Ele era chamado de muitas coisas, bem como ele é chamado Emanuel. E assim o nascimento virginal é esclarecido e então está ligado à história passada.

Em quinto lugar, o nascimento virginal consumado. Versículo 24. "Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher." Não pensem que isso foi uma coisa maravilhosa? Não pense que essa foi a melhor soneca que José já teve?

Quando ele se levantou e ficou tudo claro, ah, não é apenas Maria. Eu não estou apenas casando com Maria. Estou recebendo o Filho de Deus ido nisso tudo. Rapaz, ele deve ter sido um bom homem. Você pode imaginar, o Deus todo-poderoso do universo, depositando seu único Filho na casa de um homem que não seria um bom pai? Você pode imaginar isso? Eu não posso imaginar isso. Eu me sinto mal por não se falar mais sobre José. Ele deve ter morrido no momento em que Jesus morreu porque ele não aparece em lugar nenhum.

E na cruz você se lembra do que Jesus fez? Ele olhou para João o Amado, e olhou para Maria e disse "Maria eis o teu filho." E ele disse "João eis a tua mãe." E como vê, deu a Maria alguém para cuidar dela. Ele vai embora. E sem dúvida José estava morto há muito tempo.

Nós não sabemos muito sobre José, mas, ah, eu imagino que ele era um homem maravilhoso porque eu sei que Deus não depositaria seu único Filho na casa de um homem que não seria um bom pai amoroso. Ele deve ter sido um homem maravilhoso para lidar com um filho perfeito. Vocês podem imaginar, pais, a frustração disso? - Sem ser pai. É assim.

Quando eu chegar ao céu duas pessoas que eu quero conhecer José e Maria. Você não sente isso? Abençoado coração de José. Que alegria deve ter tido quando acordou. E ele tomou Maria e eles tiveram a chupah, a cerimônia de casamento, mas não até depois que Jesus nasceu. Ele não a conheceu até que ela deu à luz seu filho primogênito, e então ele fez o que o anjo disse. Os anjos disseram para fazer o quê? "Chame seu nome de Jesus."

O nascimento virginal consumado. Eles tiveram o casamento, mas ele nunca tocou em Maria fisicamente, até depois que o bebê nasceu. Há uma nota de rodapé interessante. As pessoas sempre dizem "Bom, você acha que eles tinham outros filhos?" Eu sei que eles tinham outros filhos. A Bíblia dá os nomes dos outros filhos. Em João 7 fala sobre os irmãos de Jesus.

Mas há uma pequena nota interessante. No versículo 25 o grego literal é, "e ele não tinha o hábito de conhecê-la até que ela tivesse gerado seu filho primogênito". E a implicação é que uma vez que ela deu à luz, seu filho primogênito, ele tinha o hábito de conhecê-la. Essa é a interpretação do grego. Eles tinham uma relação humana normal, fisicamente, que produziu muitas outras crianças.

O nascimento sobrenatural de Jesus é a única maneira de explicar a vida que Ele viveu. Alguém perguntou uma vez a um cristão "Bom, se eu lhe dissesse que uma criança tinha nascido hoje na cidade ali no hospital sem um pai humano, você acreditaria em mim?" Ao que o cristão respondeu, "Sim. Se ele viveu como Jesus viveu." E esse é o fato.

No começo de sua vida os judeus disseram que Jesus era o filho de um homem que seduziu Maria. No final de sua vida eles disseram que os discípulos roubaram seu corpo e fingiram a ressurreição. E Mateus começa com a resposta para a primeira calúnia e termina seu Evangelho com a resposta para a última calúnia e passa o resto do meio dele lutando contra todas as outras calúnias contra o amado Senhor Jesus Cristo.

Ele não era outro senão Deus em carne humana. E Mateus nos diz que, veio morar com os enfermos para curá-los. Ele veio para habitar com o possuído pelo demônio para libertá-lo, com os pobres de espírito para abençoá-los, com os ansiosos, para libertá-los da ansiedade, com os leprosos, para purificá-los, com os doentes, para curá-los, com os famintos, para alimentá-los, com os deficientes, para restaurá-los, mas acima de tudo, ele diz que veio para morar com os perdidos a fim de que Ele possa buscá-los, e o que? Salvá-los.

Emanuel, Deus conosco, infinitamente rico tornou-se pobre, assumiu nossa natureza humana, entrou em nossa atmosfera poluída pelo pecado sem jamais ser contaminado por ela, levou nossa culpa, suportou nossas enfermidades, levou nossas dores, foi ferido com nossas transgressões e iniqüidades, foi para o céu para preparar um lugar para nós, enviou o seu Espírito para habitar em nossos corações, agora intercede por nós, e um dia virá para nos levar para estar com Ele. Não é de admirar que o apóstolo Paulo disse, "para que, pela sua pobreza, vos tornásseis" o quê? "ricos." Bom, vamos orar.

FPai, quão maravilhoso, quão maravilhoso é que Jesus nasceu assim o Deus-homem, milagre de milagres, que Ele deve ser homem e ainda Deus. Obrigado pela lição, também, Pai, que quando queres fazer Tuas obras especiais, Tuas obras poderosas, Tuas obras sobrenaturais, Tuas obras milagrosas, Tu sempre encontrarás algumas pessoas humildes, fiéis, confiantes e justas como Maria e José. Obrigado não só pela teologia do nascimento virginal, mas pelo exemplo do que acontece quando Deus usa duas pessoas simples. Possamos ser tão justos, tão úteis, para o que Tu fará hoje, em nosso mundo ao revelar a Si mesmo.

Obrigado por ter escolhido as coisas fracas para confundir os poderosas. Obrigado, que nós que não temos nada para oferecer podemos ser usados por Ti. Que mistério. Que todos os que aqui se reuniram, conheçam o precioso Senhor Jesus que veio salvar as pessoas dos seus pecados, e que ao conhecê-Lo tornem-se humildes, submissos, confiantes, e disponíveis, que possam ser usados de novo para fazer a Tua obra neste Mundo e lhe dêem o louvor. Em nome de Jesus. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize