Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Hoje à noite voltamos ao livro de Mateus e gostaria que você pegasse sua Bíblia e voltasse comigo para o segundo capítulo de Mateus, capítulo 2 de Mateus. E nós estamos olhando - começamos nosso pequeno vislumbre na semana passada - na história bíblica da visita dos magos ao nascimento de Jesus Cristo em Belém. E nós passamos muito tempo da última vez apresentando os homens sábios e quem eles eram e algo sobre eles ecom algum detalhe. E eu não quero tomar o tempo para falar sobre isso e tudo. Permitam-me apenas lembrar que o que basicamente vimos foi que esses homens eram nomeadores de reis persas, porque estavam cientes do nascimento antecipado do rei, de que sem dúvida tinham ouvido falar com Daniel e outros dos israelitas que haviam vivido em sua terra desde o tempo do cativeiro babilônico.

E estes reis da Pérsia estavam muito ansiosos para encontrar um rei, porque não tinham um rei. O rei na época foi deposto e eles queriam um grande monarca para subir ao trono do leste a fim de que pudessem representar uma ameaça para o grande Império Romano do Ocidente. Então seus sentimentos eram políticos e espirituais, e vimos que eles entraram na cidade e foram imediatamente confrontados com um personagem muito interessante pelo nome de Herodes e nós vamos ver mais sobre ele hoje à noite. Mas eu compartilhei com você que a razão que Mateus de incluir esta parte particular do nascimento de Jesus Cristo é porque Mateus apresenta Cristo como o rei, e o que poderia ser mais apropriado em uma apresentação de Cristo como o rei, do queter alguns nomeadores de reis que vêm para o coroar, perguntando. E não só eles eram nomeadores de reis mas eles eram nomeadores de reis gentios.

Vimos quão paradoxal era que o povo judeu, que deveria estar à procura do Messias, não se incomodasse com o nascimento de Cristo, ao passo que esses gentios que eram um povo conhecido naquela época, alheios às alianças de Deus, procuravam reconhecer este rei. Então Ele era um rei, assim, nós vimos na apresentação de Mateus em virtude de sua linhagem de Davi. Vimos isso. E aqui vemos que Ele é o Rei em virtude do fato de que havia aqueles no mundo que eram nomeadores de reis oficiais que o reconheciam como tal. Você pode dizer que no capítulo 1 Mateus diz, "Jesus merece honra real" e no capítulo 2 Ele a recebe. E Ele de fato, até mesmo aqui, estava sendo reconhecido como Rei dos reis e Senhor dos senhores em algum sentido por esses nomeadores de reis dos Persas.

Este é um reforço da realeza de Cristo; Seu direito de reinar. E como eu lhe disse da última vez, não posso deixar de parar e pensar sobre o fato de que o verdadeiro Rei não foi reconhecido em Jerusalém, Sua própria cidade. Em Sua própria residência real, o lugar onde de todos os lugares Ele deveria ter sido aclamado como Rei, Ele não foi. Eles não O buscaram. Eles não se importaram com Ele. Eles nunca se importaram em vir a Belém para vê-Lo. Em vez disso foram alguns estranhos de uma terra distante que o procuraram adorar e reverenciar. E além do povo, os líderes, os governantes, os teólogos e os sacerdotes de Israel eram totalmente indiferentes ou mesmo Herodes cheio de amargura, ódio, inveja e ciúme.

E assim aqui mesmo no início do Evangelho de Mateus vemos a maneira que vai ser. Haverá pessoas indiferentes. Haverá pessoas que são antagônicas e haverá pessoas adoradoras. E veremos mais sobre esses três grupos à medida que avançarmos.

Assim, os magos representam as primícias das nações gentias e nos mostram realmente que Deus sempre as teve em Seu coração. Agora, à medida que olhamos para os versículos 1 a 12, e vamos olhar para eles agora especificamente e ver o texto. A última vez apenas falamos sobre a introdução. Mas à medida que vemos o texto quero que você veja cinco atos neste drama incrível que é encenado no capítulo 2; Cinco atos separados. E nós apenas os intitularemos com uma palavra simples para que nos lembremos deles. "Chegada" é o primeiro ato. Número dois "Agitação". Número três "Atuação". Número quatro "Adoração" e número cinco "Evasão". Agora isso não é um esboço muito brilhante mas são apenas alguns ganchos para pendurar seus pensamentos.

Em primeiro lugar, chegamos à "Chegada". Vejamos os versículos 1 e 2. "Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém." E você se lembra que eu lhe disse que realmente é uma palavra intraduzível que faz referência a uma certa linhagem hereditária do sacerdócio, uma tribo de pessoas que originalmente vieram dos Medos mas que ao longo dos anos se elevaram a um lugar de grande destaque nos reinos da Pérsia o Reino Meda E o Reino Babilônico também. Assim tornou-se sinônimo em muitos aspectos em ser um homem sábio. Ser um mago era ter um lugar de sábio em uma sociedade. Então "vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.”

Agora obviamente temos a chegada aqui. Pouco depois do nascimento de Jesus os magos chegam a Jerusalém. Agora, há duas coisas que queremos observar no começo no versículo um. Em primeiro lugar, a frase "em Belém da Judéia". Agora Belém é uma pacata cidade, pequena, a cerca de oito ou nove quilômetros ao sul de Jerusalém. Foi uma vez chamada Efrata, e é assim designada pelo profeta do Antigo Testamento, Miquéias.

Agora, o nome Belem é interessante. Significa "casa de pão". Beth é "casa" lehem é "pão". Casa de pão, um nome apropriado para o lugar onde o próprio pão da vida nasceu. Agora esta vila pequena situava-se em um campo fértil e era muito produtiva. Na verdade, se eu puder lhe dar uma breve descrição, pode ajudá-lo a visualizá-la. Eu estive lá algumas vezes e eu vou fazer o melhor que posso.

Jerusalém como você sabe fica em um platô a mais de 600 metros acima do vale que está abaixo. Fica no topo de uma colina alta. E ligeiramente ao sul, uma coisa interessante sobre onde Belem se situa, em uma extremidade dela é uma crista mais elevada e na outra extremidade dela é um cume mais elevado e é apenas quase como uma sela e Belem espécie de berço ela mesma, no meio.

A área é na maior parte tipo um calcário cinzento. Na verdade, isso é tudo o que você vê lá porque há um regulamento de zoneamento hoje em dia em Jerusalém nessa área que você não pode construir qualquer edifício a menos que você construa fora da pedra de Jerusalém. De modo que os edifícios simplesmente subem do chão e se parecem exatamente como o chão. É um calcário cor acinzentado e parece uma pequena cidade tipo que de conjunto em um anfiteatro - muito impressionante.

Agora a pequena cidade de Belém teve uma história longa e muito interessante. Se você voltar ao Livro do Gênesis descobrirá que em Belém Jacó enterrou Raquel e pôs uma coluna ou um marcador junto ao túmulo. E mesmo hoje quando você pega um táxi Mercedes-Benz até Belem algum sujeito vai apontar e dizer "Essa é a tumba de Raquel" à direita da estrada.

Encontramos também que, quando Rute se casou com Boaz, no Livro de Rute, ela morou na cidade de Belém. E de Belém Rute podia ver claramente através do vale do Jordão e isso é verdade. Você pode ficar em pe naquela pequea colina e você pode olhar através do vale do Jordão através do Mar Morto e ver as colinas de Moabe do outro lado. Rute era moabita. Vivendo em Belém ela poderia ter se levantado e visto sua própria terra natal.

Mas acima de tudo, a cidade de Belém era o lar e a cidade do grande rei de Israel por nome Davi. E isso é o que é caracteristicamente conhecido sobre Belém. É sempre e sempre a Cidade de Davi. Em 1 Samuel 16, 1 Samuel 17 e 1 Samuel 20 encontramos indícios de que esta era a cidade de Davi. De fato em 2 Samuel 23 quando Davi era um fugitivo caçado, ele clama e diz que anseia pela "água do poço de Belém". Essa era a sua cidade natal.

Em dias posteriores, Roboão, depois da divisão do reino, na época de Salomão, Roboão fortificou a cidade. Mas singularmente ela permanece - muitas pequenas coisas aconteceram na história - mas ela exclusivamente se destaca como a Cidade de Davi. E era realmente lá - isto é importante - era realmente lá nesse lugar pequeno, nessa vila pequena que realmente não é uma cidade. Foi nessa pequena aldeia que o povo de Deus há muito esperava que seu Messias nascesse. E havia razão para isso, e a razão é a profecia do Antigo Testamento. Eles esperaram que o filho maior de Davi saísse da cidade de Davi. Eles esperavam que o Messias nascesse lá, e quando ele nasceu lá, não se preocuparam em tomar nota disso.

Agora só um pouco mais sobre Belém para ajudá-lo a obter uma pequena imagem visual da mesma. As casas de Belém são construídas em toda a encosta. Na verdade, é muito difícil encontrar um lugar plano a menos que você vá até a praça à direita da Igreja da Natividade. Parece ser apenas um monte de encostas e as casas são construídas em toda a encosta.

E muito freqüentemente quando uma casa era construída na encosta, abaixo disso, porque a pedra calcária não era tão difícil, e porque havia alguns entalhes naturais, de qualquer maneira na montanha as pessoas construiam uma caverna oca que eles usavam para um estábulo. E é muito provável que foi em uma caverna vazia que nosso Senhor Jesus nasceu. Ainda hoje a Igreja Católica acredita que encontrou a caverna certa. É claro que eles sempre encontram em algum lugar onde eles podem cnstruir uma igreja, em qualquer lugar exceto no meio do Mar da Galiléia. Eles não foram capazes de construir uma ali onde Jesus andou sobre a água, mas em todos os outros lugares que Jesus colocou o seu pé, eles puseram uma igreja.

Esta caverna em particular que eles acham que encontraram, no lado da colina, eles construíram uma igreja em cima dela, bem no topo. Então você vai para a igreja você desce as escadas - para baixo - e você entra em uma caverna pequena e você tem que dobrar a cabeça e dobrar os ombros para tipo que rastejar por esta pequena caverna e que é o lugar que eles dizem que Jesus nasceu.

Agora aliás, isso não é uma coisa que surgiu da noite pro dia. Remonta ao Imperador Adriano. Ele reconheceu, primeiramente, que os cristãos achavam que esta caverna era o lugar sagrado, então ele pensou que profanaria o bem real. Então ele construiu um santuário para Adonis, um deus falso, bem sobre ela. E Constantino veio aí por cerca do século 4, e quebrou o templo de Adonis e construiu uma igreja lá. E que continuou a ser acreditado ser o local certo. Portanto, é apenas uma pequena aldeia construída em uma pilha de encostas onde as casas geralmente tinham abaixo delas, se tivessem um estábulo, um pequeno estábulo feito de um lugar oco na colina.

Agora esta é Belém da Judéia. Não significativa. Talvez seja apropriado, então, quando alguém pensa em Belém que só pensem em uma coisa, e isso é no nascimento de Jesus Cristo. E talvez fosse assim que Deus o quisesse, e assim Ele escolheu um lugar muito obscuro, e ainda um lugar suficientemente próximo de Jerusalém que deveria ter chamado a atenção de toda a população quando o Rei nascesse, se tivessem sido tão sensíveis a Deus quanto Ele teria desejado.

Você notará que há, sem dúvida alguma, um certo tempo que passou. Entre o capítulo 2 e o versículo 1 quando os homens sábios chegam e o nascimento de Cristo, há um intervalo de tempo. Eu sugeri da última vez, e eu não vou entrar em grande detalhe sobre isso, mas parece-me que há vários meses pelo menos que se passaram. Há um bom período de meses, Jesus nascendo em algum momento perto do final do ano, e então Herodes morre em algum momento, perto do ano seguinte. Sabemos que ele morreu, ou pelo menos acreditamos que ele morreu, em algum lugar por volta do final de março ou início de abril em um eclipse lunar em 4 a.C. Não poderia ser mais do que quatro cinco ou seis meses no máximo, pelo menos, em meu julgamento, depois do nascimento de Cristo.

E também você vai notar isso. Que nos diz no versículo 11 que "quando entraram na casa viram o menino". Cristo já não está na manjedoura. Ele não está mais no estábulo. Ele está em uma casa. E eu disse a você da última vez que muito provávelmente eles já tinham ido ao templo para a purificação. Quando uma mulher judia tinha um bebê, havia um certo período de tempo em que ela tinha que ir e ser purificada, e oferecer um sacrifício. Eu lhes disse que eles ofereciam tortas, que eram a oferta de alguém que estava em pobreza extrema.

E se tivesse sido qualquer grande período de tempo, após o nascimento de Cristo, eles sem dúvida teriam tomado os presentes que os magos trouxeram e teriam comprado um sacrifício maior. Assim parece-me que ainda não haviam recebido os presentes dos magos, que eles teriam usado nesse sacrifício o que significa que a purificação aconteceu antes disso, o que coloca pelo menos um período de 40 dias antes dos magos chegarem lá. Então a criança cresceu pelo menos um pouco talvez alguns meses de idade.

Há uma outra nota interessante aqui, e eu estou apenas dando-lhe alguns dados para tipo que definir o palco. Você notará que diz, "Nos dias de Herodes o rei". Agora podemos passar literalmente horas discutindo essa pessoa e todos os seus antecedentes e de onde ele veio, mas isso realmente não é totalmente pertinente ao nosso ponto. Deixe-me apenas dar-lhe história suficiente para que você obtenha a imagem.

Este homem não era estritamente um judeu. Ele era um edomita. Ele era um Idumeio, é outra palavra para ele - Edomita e Idumeio sendo a mesma coisa - vindo de uma área para o leste e para o sul um pouco de Jerusalém. Ele se colocou à disposição dos romanos. Agora lembre-se disso. Os romanos entraram, e meio que tomaram conta daquela área, e as pessoas que eram inteligentes eio que jogavam com os romanos um pouco, certo? Pessoas que queriam ganhar alguma espécie de vantagem dos romanos, e este homem era um desses tipos de pessoas. Durante as guerras civis na Palestina e durante o tempo em que Roma estava tentando estabelecer-se antes do nascimento de Cristo, Herodes jogou com Roma e fez-se uma espécie de encantamento para eles e eles confiaram nele. Ele ganhou seu favor.

E uma vez que Roma finalmente conquistou a terra da Judéia, eles criaram um procurador. Um procurador era como um governador, uma espécie de governante oficial desse pequeno país, e seu nome era Antípatro, Antípatro. Ele era um edomita, certo? Era edomita, e Herodes era seu filho. Quando eles queriam um governante eles encontraram esse sujeito Antípatro e Herodes era seu filho. Mas Herodes tinha se envolveu tanto com os romanos que nomearam Herodes como o tetrarca da Galiléia.

Em outras palavras eles precisavam de um sujeito para lidar com Jerusalém e Judéia, e outra pessoa para controlar o meio rural. Era uma posição menos importante no significado, mas no entanto era uma posição de honra entre os romanos. Assim puseram Antípatro em Jerusalém e na Judéia e seu filho Herodes na Galiléia. Assim, em 47 a.C. isto é, antes do nascimento de Cristo, Herodes foi feito tetrarca da Galiléia.

Agora sete anos mais tarde, em 40 a.C. essa região oriental do Parto / Persia / Meda que nós temos falado, aproximadamente de onde os magos vieram, começou uma guerra civil e cruzaram e atacaram essa área da Palestina e da Síria e Herodes tomou um barco rápido para Roma. Ele partiu. Ele pode ver a escrita na parede, e foi para Roma dizer-lhes o que estava acontecendo. O leste estava começando a perturbar aquela pequena área de amortecimento, de modo que Herodes partiu e fugiu para Roma. Este é o filho de Antípatro.

Agora ele chega a Roma e ele começa a tomar lugar no Senado romano, e ele realmente joga com o Senado romano. Ele convence o senado romano de que ele é pró-romano, mas que também é daquela parte do mundo, e sabe como lidar com situações por lá, etcétera etc. Ele quer autoridade absoluta. Assim em 40 a.C. ou por volta disso, o senado romano fez Herodes o rei dos judeus. Agora lembre-se disso. Eles fizeram Herodes rei dos judeus e disseram "Tome um exército" e deram-lhe um exército. Eles deram-lhe algumas tropas e disseram "Você vai e você esculpe seu próprio reino lá, e execute o seu próprio show.”

Bm, sabe, ele levou três anos para fazer isso? Levou três anos para finalmente ganhar o poder que tinha no título. Finalmente, em 37 a.C. ele venceu e tornou-se rei dos judeus e esse é um título que manteve até sua morte. Ele sempre tentou manter o título de rei dos judeus.

Agora você vê a pergunta que os magos fizeram, no versículo dois, dizendo, "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus?" Bom, isso foi suficiente para Herodes entrar em pânico. Quer dizer, ele havia procurado essa posição como um prumo político. Ele viajou até Roma e fez seu jogo diante do Senado romano. Ele tinha obtido o direito de ser o rei dos judeus, tomou um exército de volta e lutou por três anos para ganhar o direito de fazer disso uma realidade, e então ele tinha se segurado nessa coisa até agora, e agora, de repente, aqui vem uma comitiva de reis persas. Eles vêm correndo para a cidade perguntando por todo o lugar, "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus?" E Herodes teme.

Agora, um pouco do choque de toda essa cena, é indicado no versículo 1 novamente quando, "Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos." Não só vieram os magos mas, "Você pode acreditar nisso? Lá vem os magos." Ou se você é Herodes, "Aiaiai, aí vem os magos" ou qualquer outra coisa. Inesperadamente, surpreendente, chocante, espantoso. "Vieram magos do Oriente" perguntando onde nasceu o Rei dos Judeus.

Agora francamente, não deveria ter sido tão chocante realmente. Se esses judeus tivessem analisado cuidadosamente o Antigo Testamento, sem dúvida teriam tido boa indicação de que o tempo estava certo. Os historiadores reiteram para nós que naquela época havia no mundo - agora observe isto. Isso é fascinante para mim. Naquela época havia no mundo um estranho tipo de expectativa para um futuro rei. As pessoas no leste tinham, e isso é em parte por que os magos vieram. Pessoas em muitos lugares estavam antecipando a chegada de um rei. Era o estado de espírito do momento.

Até mesmo os historiadores romanos reconhecem isso. Por exemplo Suetônio escreveu, "Havia espalhado por todo o Oriente uma crença antiga e estabelecida de que estava destinado, naquele tempo, para os homens vindo da Judéia para governar o mundo". Isso é Suetônio, e Suetônio teria escrito mais tarde sobre particularmente dos dias de Vespasiano, e Vespasiano conquistou Israel em 70 d.C. Então, talvez, Suetônio escreveu um pouco depois disso. Mas ele olhou para trás e disse que era um dia em que havia uma expectativa para os homens vindos da Judéia para governar o mundo. Eles estavam olhando para aquele lugar.

Tácito, o famoso historiador romano, conta da mesma crença. "Havia uma persuasão firme" diz Tácito em suas histórias, "que neste momento o leste deve crescer poderoso, e governantes provenientes da Judéia devem adquirir um império universal." Assim diz Tácito. Os judeus de acordo com Josefo em seu volume As Guerras dos Judeus diz, - Josefo diz que naquela época os judeus acreditavam que alguém de seu país deveria tornar-se governador da terra habitável.

Em um tempo um pouco mais tarde, encontramos Tiridates, rei da Armênia, visitando Nero em Roma com seus sábios, junto com ele, de acordo com Suetônio. Encontramos os magos em Atenas sacrificando para a memória de Platão. Ao mesmo tempo que Jesus nasceu, encontramos Augusto o imperador romano sendo saudado como o salvador do mundo, e encontramos o poeta romano Virgílio escrevendo sobre a Idade de Ouro que acaba de amanhecer. Você vê, os romanos estavam procurando uma Idade de Ouro. O leste estava vindo para o oeste com seus sábios. Havia um tremendo sentimento de que em algum lugar, de algum lugar haveria um grande salvador do mundo, um grande líder, um grande governante.

Eu não sei de onde toda essa antecipação veio. É apenas interessante que tudo veio ao mesmo tempo. O tempo se cumprira e vieram sábios ou magos do leste para Jerusalém. Talvez tenha sido que eles reconheceram o que Paulo escreveu aos gálatas que "na plenitude dos tempos Deus enviou seu Filho feito de uma mulher feito sob a lei". Havia um sentido no qual o tempo havia se cumprido e algumas pessoas podiam sentir isso.

Esses magos, baseados em informações de Daniel, e outras informações que eles tinham recebido dos judeus, que agora estavam vivendo em sua terra desde o cativeiro, com base em seu próprio senso de fé no Deus verdadeiro, com base em sua própria expectativa que Deus cumpriria sua palavra e baseado no que eles viram no céu que é chamado de "estrela" aqui, eles vieram a Jerusalém.

Agora as pessoas sempre dizem quantos estavam lá? Nós não sabemos, mas como eu lhe disse não eram Melquior Baltasar e Gaspar. Eles não eram um da Índia, um do Egito e um da Grécia que foram posteriormente batizados por Tomé e seus ossos descobertos por Santa Helena e depositado na Igreja de Santa Sofia em Constantinopla e mais tarde transferido para Milão, e agora você pode ir lá e ver seus crânios. Isso não é verdade. Isso é tudo um monte de fantasia.

Não sabemos quantos foram. Nós não sabemos quais eram seus nomes e isso é pura especulação. Mas eles tinham uma razão para vir. Olhe para o versículo 2. Dizendo - e aparentemente pela construção grega aqui eles estavam dizendo isso por todo o lugar. Eles continuaram dizendo "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo." Eles continuaram perguntando "Onde está o recém-nascido Rei dos judeus?"

Você sabe, deve ter chocado um pouco cada vez que eles faziam essa pergunta para obter uma espécie de "Hã?" de todos. Eles devem ter suposto que essas pessoas sabiam disso. Afinal, eles eram os judeus e certamente saberiam quando seu rei nasceu e onde ele nasceu.

Mas duas coisas me atingiram nesse versículo quando eu o li e quero responder a essas perguntas, porque elas foram as duas que me atingiram. Pergunta número um, qual era a natureza da estrela? "Vimos sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo." Qual era a natureza da estrela? Então eu fiz algumas leituras esta semana e na semana passada para tentar descobrir o que era a estrela. Você não vai acreditar nas sugestões.

Em primeiro lugar, algumas pessoas dizem que era uma estrela genuína, real genuína, dourada, honesta e bondosa. Alguns dizem que era Júpiter porque Júpiter é chamado de "rei dos planetas". Alguns dizem - e esta é a teoria de Kepler - que foi a conjunção de Júpiter e Saturno no signo de peixe. Alguns dizem que era apenas um cometa errático. Alguns dizem que era um meteoro de baixa tensão. E alguns dizem que foi a estrela do destino no coração da humanidade.

Isso é um monte de baboseira que jamais ouvi. Quer saber o que era? Eu vou lhe dizer o que eu acho que é. Olhe para Lucas 2:9 e talvez isso ajude a responder à pergunta que você provavelmente teve desde que você era um garotinho. Se você ainda é uma criança você ainda tem. Lucas 2:9 agora aqui está uma boa chave. Aqui não estamos no incidente de homens sábios mas nos pastores. Eles foram os primeiros a vir e eles eram de Israel. Eles são uma espécie de imagem do remanescente.

"Havia, naquela mesma região, pastores que viviam nos campos e guardavam o seu rebanho durante as vigílias da noite. E um anjo do Senhor desceu aonde eles estavam, e a glória do Senhor brilhou ao redor deles; e ficaram tomados de grande temor." Agora, o que estava brilhando no céu quando os pastores o viram? O que foi isso? Foi "a glória do Senhor". Se você voltar ao Antigo Testamento e estudar o conceito da glória de Deus descobrirá que a glória de Deus se manifesta como luz, certo? Mais e mais e mais uma vez no Antigo Testamento a glória de Deus se manifesta como luz. Quando Deus irradia Sua presença ele a transforma em luz inefável.

Quando a glória de Deus aparecia durante o dia era como uma nuvem de luz. Quando aparecia à noite era uma coluna de fogo. Quando a glória de Deus desceu sobre o tabernáculo era como a luz. Quando Moisés subiu ao monte e disse "Mostra-me a tua glória" Deus o escondeu em uma rocha e Deus mostrou-lhe a Sua glória que se manifesta como a luz, e era tanta luz que lhe caía sobre a face e quando ele desceu a encosta da montanha e falou com o povo, seu rosto estava iluminado.

A glória de Deus é luz ardente, e quando Jesus revelou quem era, e revelou sua glória no monte da transfiguração, ele removeu, por assim dizer, sua carne e eles viram o quê? Sua glória como luz transparente. E quando Jesus vier pela segunda vez do céu, ele virá em luz ardente. E Apocalipse diz, "Deus apagará todas as luzes do céu." Todas as estrelas cairão. Todos os sóis todas as luas tudo fica escuro e enrola como um pergaminho. E quando está escuro então Cristo vem revelado como luz ardente e as pessoas clamam pelas rochas e montanhas para caírem sobre elas para escondê-las da face de sua glória.

Agora, tudo isso, apenas para lembrá-lo de que a glória de Deus se manifesta na Escritura como luz, como luz. Ele disse a Moisés que não podia olhar para o seu rosto e viver. Ele seria consumido. Seria como estar a 3 metros do sol embora fosse como um milhão de milhões de sóis. E eu creio que foi a glória do Senhor que brilhou naquela noite quando a glória de Deus estava descendo à terra. Foi a glória de Deus descendo sobre a terra vindo na forma de um homem. E eu creio que aquela glória de Deus é a coisa que os magos viram.

Agora deixe-me dar-lhe um pouco mais de apoio sobre isso, porque eu acho que é interessante para rastrear este pensamento. A palavra principal no Antigo Testamento, a palavra hebraica para estrela, é a palavra kokab. Não que isso seja importante, apenas um ponto de contato com o hebraico. Mas tem um significado básico e seu significado básico é "brilhar ou resplandecer" para brilhar ou resplandecer. Agora às vezes a palavra kokab é usada de uma estrela real. Às vezes é usada para falar de apenas uma estrela regular. Às vezes é usada para falar de um anjo. Às vezes é usada para falar de homens. Por isso nem sempre significa uma verdadeira estrela. Pode significar qualquer coisa que arde qualquer coisa que brilhe de forma incrível.

De fato, em Números 24:17, uma Escritura muito interessante. Diz, e esta é uma profecia messiânica, "Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo-ei, mas não de perto" agora ouça "uma estrela [kokab] procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro." Isso é Números 24:17. Essa é uma profecia messiânica. Lá adiante virá uma ardente. Lá adiante virá um brilhante. Vai vir uma estrela. E as pessoas, creio que a profecia é que ninguém menos que a glória de Deus encarnado é a estrela, o ardente.

Olhe por um momento em Mateus capítulo 24, Mateus 24:4. Vamos passar ao versículo 30. Em vez de tentar passar por tudo isso vamos apenas passar ao versículo 30. Imediatamente após a tribulação, no versículo 29 diz "o sol escurecerá, a lua não dará a sua claridade" é o que eu disse a você, "as estrelas cairão do firmamento" e tudo fica negro. E então 30 "Então aparecerá -" agora observe isto. "Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem".

Agora marque essa frase. "O sinal do Filho do Homem". Em outras palavras sempre que o Filho do homem está prestes a aparecer haverá um sinal apontando para ele. Você sabe para que serve um sinal? O sinal é para apontar para algo que você deseja ver. Você está dirigindo pela estrada e o sinal diz Roscoe Boulevard a um quilômetro e meio. O sinal não é Roscoe Boulevard mas está lá para apontar para Roscoe Boulevard. Tem uma função. Seu propósito é apontar para alguma coisa e o Filho do homem tem um sinal.

“O sinal do Filho do homem no céu." Oh, interessante. Esse sinal está no céu. E o que eles verão? "O Filho do homem que vem nas nuvens do céu com grande poder e grande glória." Aqui está o seu kokab o Seu brilhar. E embora kokab a palavra hebraica não seja usada no Novo Testamento, é a mesma idéia. Creio que este sinal do Filho do Homem nada mais é do que a glória Shekinah do próprio Deus. Deus se revelando em luz inefável e gloriosa. Na verdade ele mesmo nos diz eu acho que é Apocalipse 1:16 que o sol brilha. O Filho de Deus brilha como se fosse o sol em sua força.

De alguma forma - agora observe isto - de alguma forma conectado a Jesus Cristo está essa incrível glória ardente de Deus. É Seu sinal nos céus. Ele é um espírito. Ele é um ser espiritual. Ele também é, em certo sentido, um ser físico no corpo glorificado que Ele tem de Sua ressurreição. Mas há um sinal que vai com ele e é glória ardente, um dia no monte ele mostrou aos seus discípulos. E um dia quando Ele voltar, o sinal de Sua vinda, o sinal do Filho do homem no céu, estará lá, glamourosa glória nos céus.

Bom, você sabe o que eu acho? Acho que Ele tinha o mesmo sinal da primeira vez que Ele veio também. Eu apenas penso que era o sinal do Filho do homem no céu. E o sinal do Filho do homem no céu não é uma estrela. Não é um corpo astral. Não é uma conjunção de planetas. Não são pensamentos de destino humano agitando em torno da mente mística de alguém. O sinal do Filho do homem não é nada mais, nada menos do que a glória Shekinah de Deus revelada em luz, em chamas e deslumbrante nos céus.

Gostaria de acrescentar este pensamento. O verículo dois diz "Porque vimos" observe isso "- Seu astec." Sua chama - a palavra astec, aliás as pessoas a traduziram a aqui como "estrela", mas é usada de outras coisas que estrelas. Então tem o seu próprio, e novamente significa, "brilho ou um brilho." Vimos o seu brilho no leste. Vimos Seu kokab Seu astec Sua chama Sua glória. O próprio fato de que é "Sua estrela" significa que é algo muito especial.

Ele apareceu. É uma palavra interessante. "Vimos sua estrela no Oriente." Sua estrela, versículo sete. Herodes diz, "Quero saber o momento em que a estrela apareceu". E a palavra phainō no grego significa "o que se ilumina". Que horas eram quando aquela coisa se iluminava? E a mesma palavra - pensamento interessante - a mesma palavra é usada para relâmpago. Relâmpago é uma forma de astēr. Às vezes é traduzida como uma estrela no céu. Às vezes é traduzida como raio. Às vezes como o brilho de alguma coisa.

E aqui, é um brilho. Nós não podemos forçá-lo mais. Não podemos fazer isso significar uma verdadeira estrela. E há o sentido em que Herodes diz, "Quando é que este rilhou em particular emanou luz?" E até mesmo isso é uma espécie de dica de que era algo que nunca existiu e foi chamado à existência apenas porque Jesus estava vindo. E assim eu creio que este era o seu astec o sinal do Filho do homem nos céus. Ele estava lá na Sua primeira vinda, e amados, estará lá na Sua segunda vinda. É Seu sinal. É sua estrela. Não é algum corpo astral.

A pseudociência da astrologia nunca poderia prever o Senhor. Eles não estavam olhando em seus pequenos negócios insignificantes e vendo "Bom, veja lá. Há o velho Saturno e o que quer que esteja fazendo. Deve ser que Ele está nascendo." Não, não. O que eles viram foi algo que eles nunca viram antes e eles sabiam que tinha que ser algo único e eles ligaram isso com o que o Antigo Testamento disse e o que Daniel tinha dito a eles. Nenhuma pesquisa astronômica lhes deu a direção. Deus se revelou.

Não era diferente do que a coluna de fogo no Antigo Testamento. Você se lembra da coluna de fogo na nuvem, quando o Antigo Testamento estava sobre o santo dos santos? Bom, isto nos diz que o que quer que esta estrela fosse, ela foi e se colocou sobre a casa onde ele tinha nascido. Agora você me diz como uma estrela literal ou qualquer outra coisa poderia fazer isso. Năo posso fazer isso. Não é senão o sinal do Filho do homem. Você diz "Bem, bem se era uma glória magnífica e tão ardente do sinal de Cristo nos céus, como é que só os sábios lá na Pérsia e ninguém mais a viu?"

Essa é uma pergunta justa. Essa é a segunda pergunta que faço. Como Deus é tão seletivo? Bom, vocę sabe, isso năo é novidade para Deus. Ele pode fazer todos no mundo cego para algo se ele quiser. Em Êxodo capítulo 14 eu encontrei um bom paralelo, 14:19, diz "Então, o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e passou para trás deles." Agora eles vão atravessar o Mar Vermelho assim tendo o anjo conduzindo-os pelo Mar Vermelho. Uma vez que eles chegam ao Mar Vermelho, ele vai para a retaguarda. Ele fica atrás deles. Você diz "Para empurrar?" Não, eu vou lhe mostrar para que.

A coluna de nuvem, aqui está a glória de Deus. "A coluna de nuvem partiu de diante de seu rosto e ficou atrás deles." Agora por trás dos israelitas você tem a coluna de nuvem, a glória de Deus, e você tem o anjo do Senhor. E quem é o anjo do Senhor? Jesus Cristo. "e ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; a nuvem era escuridade para aqueles e para este esclarecia a noite; de maneira que, em toda a noite.”

Sabe o que aconteceu? Israel viu isso como luz e o Faraó e seu exército viram isso como o quê? Escuridão. E era a mesma coisa. Há algo sobre Deus revelando o que Ele quer revelar apenas para aqueles a quem Ele quer revelá-lo e isso é tudo o que posso dizer sobre isso. Como eles se conectaram com o nascimento de Jesus Cristo? Eu não sei. Eu realmente não sei exceto que Deus tornou tão óbvio que eles sabiam, que eles sabiam.

Agora você quer saber algo muito fascinante pessoal? Isso pode abalar você um pouco. Pode estragar a sua história de Natal no próximo ano. Mas você sabe que em nenhum lugar da Bíblia alguma vez se diz que seguiram a estrela para Belém a partir da Pérsia? Não. Não diz que os levou a Jerusalém. Não diz que foi em qualquer lugar. De modo nenhum. "Nós vimos Sua estrela -" onde? "- no oriente." Eles viram a estrela no oriente e não precisava dizer a eles para onde ir. Eles sabiam onde o Messias judeu deveria estar. Eles sabiam que a cidade real era Jerusalém. Eles sabiam que era onde todos os reis judeus reinavam. Eles sabiam exatamente para onde ir. Eles não precisam de alguma estrela para guiá-los.

E quando viram a sua glória e Deus tornou tão evidente e óbvia como sempre faz quando revela o que quer revelar a quem quer que nem sequer fizeram a pergunta. Eles subiram em seus cavalos e foram. Eles foram direto para o lugar certo. E Mateus não nos dá todos os pedaços e detalhes de como eles selaram um cavalo persa, quantos quilômetros e como foi e onde eles comeram e tudo isso, porque esta não é a história dessas pessoas. É a história de Jesus Cristo. E eles têm um lugar só na medida em que estão relacionados com ele. Então os detalhes não estão lá.

Mas é incrível para mim, como Deus opera as coisas quando quer fazer suas coisas. Ele deu a estes magos gentios tementes a Deus, longe na Pérsia reis, Seu sinal e eles sabiam que era Seu sinal e sabiam para onde ir, para Jerusalém. E a ênfase de Mateus é tão bela. Ele diz no versículo dois que eles disseram "Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos" - com que propósito? "- para adorá-lo." Eles sabiam que ele deveria ser adorado. Para adorá-lo. Eles sabiam que não havia outro tão digno como este, e eles estavam certos.

Lá você tem isso. Os pagãos que não tinham nada para guiá-los a não ser algumas noções do Antigo Testamento profetizando, nada para guiá-los mas sua própria ciência misturada com suas superstições engraçadas. E no entanto eles são os verdadeiros buscadores de Deus. E quando o sinal veio com todas as suas dúvidas e falta de conhecimento, eles estavam entusiasticamente embarcando em uma jornada para procurar um rei que haviam esperado por muito tempo. Mas a hierarquia judaica com o Pentateuco na mão, estudando-a todos os dias com as profecias em suas mãos, lendo-as todos os dias, governadas por um homem amargo e maligno chamado Herodes, contentavam-se em ser totalmente indiferentes ao que estava acontecendo a oito quilômetros de distância. E aqui novamente vemos a atitude constante de condenação de Mateus para com os oficiais do judaísmo e sua sensibilidade constante de que Deus está abrindo a igreja, Ele está abrindo o evangelho aos gentios.

Ouça, sempre há em algum lugar, corações famintos, ansiosos por um salvador divino, e dispostos a seguir até mesmo um sinal fraco que poderia levá-los a Seus pés. É incrível quando você encontra alguém assim. Sempre há aqueles procurando corações. Eu me lembro de estar em um avião uma vez e eu estava querendo estudar porque eu tinha um manuscrito que deveria entregar a um editor. Então eu meio que sussurrei quase como de brincadeira, "Senhor não deixe que ninguém se sente perto de mim, senão eu tenho que testemunhar todo o caminho de St. Louis até Los Angeles, porque eu tenho que fazer meu trabalho".

E com certeza tivemos que fazer uma parada e nós entramos no avião errado ou o avião estava funcionando mal e nós tivemos que mudar de avião. Todas as coisas estavam confusas e entramos em outro avião. Um sujeito veio e sentou-se ao meu lado. Então eu estava estudando e estudando, e ele estava dormindo. Eu não queria que ele acordasse. Eu me mexi um pouco e ele acordou.

Eu pensei "Oh, garoto." E então ele me fez uma pergunta. Ele disse "Você é professor? Você tem todos esses papéis e tudo." Eu disse, "Bom, um tipo de professor. Sim eu acho que sou um professor." Ele disse, "O que você ensina?" Eu disse, "Eu ensino a Bíblia." Ele disse, "Você ensina a Bíblia?" Ele disse,"Escute" ele disse, "isso é ótimo." Ele disse, "Você saberia me dizer como eu poderia ter um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, você poderia?" Essa é a verdade. E eu fui hub-bab-bab-bab murmuração.

Você não deveria começar lá. Você deve ser cético. Temos pelo menos uma hora de apologética antes de chegarmos a isso. Em algum lugar sobre o Grand Canyon ele recebeu Cristo. Mais tarde batizei-o e ele me disse depois que ele estava vindo a Los Angeles para trabalhar para alguém. Eu perguntei quem, e ele me disse e foi um dos nossos presbiteros. Isso foi interessante.

Sempre há corações preparados, e alguns vieram a Jerusalém. Então vemos a chegada. Em segundo lugar e isso é realmente interessante. A chegada é a cena um, e leva rapidamente à cena dois, agitação. Agitação. Herodes é exatamente o oposto dessas pessoas. Versículo 3, "Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém".

Agora Herodes sabia muito bem que ele estava sentado em um barril de pólvora. Em primeiro lugar, ele sabia que o povo da cidade não gostava dele e eles não gostavam do domínio romano e queriam sua própria independência e autonomia. E ele sabia que eles tinham aspirações de derrubá-lo e derrubar Roma. E ele também sabia que se os persas entrassem no ato e construísse esta enorme confederação que envolvia esse indivíduo chamado rei dos judeus, ele estava realmente em apuros e seu exército estava fora do país temporariamente. Ele sabia que o império oriental representava uma ameaça constante a Roma e que o conflito sempre fomentava, e ele sabia que seu trabalho estava em equilíbrio e sua vida estava em equilíbrio e mesmo que ele tivesse 70 anos, pelo menos nessa época ele ainda queria ficar com cada coisa que ele tinha.

Então ele ficou perturbado. Estava em pânico. É uma palavra que realmente significa estar agitado e perturbado. Na verdade, eu não sei se há uma palavra mais forte do que esta em referência a este pensamento. Um bom comparativo seria em Mateus 14:26 onde a mesma palavra é usada e diz, "E quando os discípulos viram Jesus andando sobre o mar eles ficaram agitados." Essa é a mesma palavra. Quer dizer, isso foi realmente uma coisa anormal. Isso foi muito, muito perturbador e eles estavam em um estado de pânico.

Agora, ele estava agitado, e tinha razão. Afinal ele era o rei dos judeus em sua própria mente. Ele lutou muito para manter isso, e agora de repente alguém chegou que vai tomar seu trono, e aqui estão os nomeadores de reis para se certificar de que ele tem conhecimento. Rapaz, isso é um negócio sério. E esse tipo de boato, você pode imaginar. Esse tipo de boato está flutuando por toda a cidade. "Há um novo rei. Há um novo Rei dos judeus. Há um novo rei dos judeus." "Você ouviu? Os persas estão aqui. - Os reis estão aqui. - Há um novo rei dos judeus."

E ele poderia imaginar a agitação de motins de liberdade entre os fanáticos e os zelotes no país e, rapaz, ele é instável. E então ele percebe que, eu tenho que dar alguns passos radicais, que em sua mente rota, depravada, a trama começa a se armar. Bom, ele exagerou seu caso, francamente, porque do registro de Mateus não parece que a população de Jerusalém ficou impressionada com as perguntas dos magos. Você não vê uma massa de pessoas correndo até Belem. Eles não parecem ter a imagem. Não parece haver qualquer agitação.

E isso é tão difícil de acreditar. É chocante. Quer dizer, esses famosos nomeadores de reis da Pérsia, fazendo uma pergunta como esta, você teria imaginado que as pessoas teriam acabado de entrar em tumulto. Mas é apenas parte da maneira que ia ser, porque é simples. A Bíblia diz, "Ele veio para o que era seu mas os seus não" o quê? "não o receberam." Ele estava no mundo e o mundo não O conheceu. E é verdade. E quando todas as circunstâncias normais deveriam ter ditado um alto nível de interesse, não havia nenhum. Nenhum.

Não houve nenhuma revolta "nós venceremos" fomentando em Jerusalém. Não havia nenhum "vamos pegar um novo rei e derrubar Herodes". Acho que há uma razão para isso basicamente, e a razão é que eles estavam mais temerosos de Herodes do que confiantes em Deus. Eles tinham mais medo de Herodes do que tinham confiança na Palavra de Deus. Eles estavam realmente com medo do que ele faria. Veja o que diz. Diz que, "ele estava perturbado e toda Jerusalém com ele". Por que eles estavam perturbados? Porque eles o temiam muito e eles tinham muito a temer. Eles aprenderam através de uma longa e triste experiência que não havia limites para a ira e vingança desse maníaco. E quero dizer que ele era um maníaco. E eles perceberam, "Rapaz, se esses caras incomodarem Herodes vamos estar em um banho de sangue." Eles temiam isso.

Deixe-me falar sobre Herodes por um minuto. Ele cometeu algumas atrocidades que são difíceis de descrever. Mas antes de tudo deixe-me falar sobre as coisas positivas. Ele era um homem muito capaz e normalmente as pessoas diabólicas que chegam a este nível têm alguma capacidade. Enquanto jovem governador da Galiléia, ele teve vitórias tremendas sobre a guerrilha. Havia sempre esses guerrilheiros de montanha - não me refiro a gorilas, animais, mas soldados - mas ele costumava derrotar esses pequenos bandos de guerrilheiros na Galiléia, e ele trouxe paz real lá. Ele era muito eficiente em cobrar impostos para Roma então Roma gostava dele. Ele era um organizador capaz e um diplomata muito sutil.

A história nos diz que ele foi um líder muito decisivo na batalha e poderia virar a maré de uma batalha, da derrota para a vitória. Ele foi o único governante da história da Palestina que conseguiu manter a paz e trazer ordem. Em tempos de dificuldade ele mesmo deu, de volta às pessoas, seu dinheiro de imposto para que eles tivessem o suficiente. Em 25 a.C. houve uma tremenda fome e ele derreteu as placas de ouro no palácio e deu o dinheiro para os pobres. Então ele era um sujeito sutil e ele era um cara afiado e ele fez as coisas que ele poderia ganhar as pessoas.

Ele foi um grande construtor. Ele construiu um teatro em Jerusalém. Ele construiu e anfiteatro, e ele construiu um hipódromo. Sabe o que é um hipódromo? É uma pista de corrida. Ele também construiu um palácio magnífico para si mesmo e ele mesmo começou em 19 a.C. a construção do templo, o grande templo de Herodes, mas morreu muito antes de ser feito, e é claro que foi totalmente demolido em 70 d.C. quando Tito Vespasiano e seu exército romano vieram e conquistaram Jerusalém.

Ele restaurou alguma área de sua situação depravada. Ele construiu a cidade de Cesaréia que é uma magnífica cidade portuária. Embele\ou cidades como Beirute, como Antioquia, como Damasco, Tiro, Sidon e Rodes e contribuiu ainda para a construção de edifícios em Atenas. Ele construiu a fortaleza em Masada que era uma fortaleza inexpugnável. Ele tinha um grande programa de bem-estar e quando as pessoas tinham dificuldade para obter roupas ele importava roupas para eles. Então, você sabe, ele fez algumas coisas para agradar a si mesmo porque ele era um político inteligente.

Mas ele também era cruel, diabólico e maníaco. Ele era, irremediavelmente - os historiadores concordam com isso. É a primeira linha em cada artigo que leio sobre Herodes. O sujeito era incrivelmente ciumento e suspeitava irremediavelmente de todo mundo. Ele foi ameaçado por todos e por tudo e assim ele passou toda a sua vida planejando o assassinato de pessoas. Ele estava planejando assassinatos constantemente. Ele não gostava dos Hasmoneus que era uma família, então ele planejou matar todos eles. Eram descendentes dos Macabeus e você se lembra que os macabeus foi um grupo de judeus que havia lutado pela liberdade contra os gregos, e quando os romanos chegaram, ele temia que os parentes dos macabeus pudessem fazer o mesmo contra ele, e assim ele preferiria simplesmente matá-los todos, para que nenhum deles tivesse alguma esperança de nunca fazer isso.

Ele tinha 10 esposas e 12 filhos. Sua esposa mais notável era uma mulher chamada Mariane. Não que isso seja importante, mas isso é apenas para você ter uma identificação. Você pode ver isso em algum momento ao ler livros de história. Mariane. Ela tinha um irmão. O nome de seu irmão era Aristóbulo e Aristóbulo era o sumo sacerdote no momento em que ele estava no poder - quando Herodes estava no poder. E tinha tanto medo de Aristóbulo que decidiu que devia matá-lo. Este é o irmăo de sua esposa.

Então em um dia quente ele disse "Nós vamos ter uma festa em Jericó." Jericó era como Palm Springs. Você vai desce a colina Jericó é um ótimo lugar, um resort maravilhoso, belas palmeiras, água agradável, lá e agradável, sol quente. Era um lugar fabuloso. Então em um dia quente ele o convidou para nadar no rio Jordão perto de Jericó e finalmente persuadiu o rapaz a mergulhar na água e quando ele o fez, é claro, ele tinha outros homens esperando fingindo jogar e estar se divertindo, e eles pularam na água. Enquanto eles fingiam brincar com Aristóbulo eles o seguraram até que ele estivesse morto e ninguém sabia realmente o que aconteceu. Assim Herodes deu um magnífico funeral e foi ao funeral e chorou o tempo todo. Ele até matou sua própria esposa Mariane. Ele também executou sua mãe, porque ele não queria que ela o incomodasse, Alexandria. Ele tinha dois filhos que ele não gostava então matou os dois, porque temia que eles quisessem seu trono.

Cinco dias antes de sua morte ele ordenou a execução de seu terceiro filho. Ele tinha um desejo de poder, uma suspeita e ansiedade insana para vingar-se que escravizava o homem todos os dias de sua vida. Cruel, sanguinário, em pânico, tirano. Ele era conhecido como um assassino. O clímax desta caracterização tem que ser isso. Ele estava prestes a morrer. Quer dizer, ele sabia que estava prestes a morrer. Era uma questão de dias. Então ele se retirou para Jericó. Ele deu ordens para que um grupo dos mais ilustres cidadãos de Jerusalém fosse feito. Pegou todos eles prendeu-os e os encheu de acusações e os colocou todos na prisão. Todos os cidadãos judeus mais ilustres da cidade, e ele disse, "No momento em que eu morrer mate a todos." E eles lhe disseram "Por quê?" E ele disse "Porque ninguém vai chorar quando eu morrer Estou determinado a que quando eu morrer haverá luto nesta cidade.”

Agora, quando esses magos entraram na cidade dizendo, "Onde está aquele que nasceu Rei dos judeus?" E a Bíblia diz que "ele estava agitado" ele estava agitado. Isso era o que o perturbava mais do que tudo, uma ameaça ao seu poder, vê? E ele estava realmente abalado. É tão interessante para mim o contraste entre a paz nos corações dos magos e o pânico no coração de Herodes. Talvez seja porque havia sábios e havia insensatos e Herodes era um tolo.

Doutor Gaeblein diz "A grande cidade com suas magníficas instituições religiosas, seu maravilhoso templo de Herodes, ainda em processo de construção, seu sacerdócio aristocrático e instituições benevolentes não tinham conhecimento do rei. Não, eles não desejavam que o rei viesse. Eles estavam satisfeitos. Isso prefigura toda a história da rejeição do Rei, o Senhor do céu. Que não havia lugar para Ele na estalagem, mas também não havia lugar para Ele entre os Seus. Eles não O receberam. E o rei Herodes perturbado, toda Jerusalém com ele temeu por seu trono que não era seu, e Jerusalém sabia o que significava o temor de Herodes. Significava rebelião, derramamento de sangue e sofrimento." Ele tem razão.

O que ele está dizendo é a razão de todo mundo ficar chateado porque eles sabiam o tipo de homem que Herodes era, e eles temiam o que iria acontecer. E deixe-me dizer-lhe uma coisa, pessoal, eles tinham o direito de temer porque não era uma questão de dias até que Herodes enviasse seus soldados para matar cada bebê na terra com menos de dois anos de idade para ter certeza que ele abateria esse rei em potencial. É por isso que Jerusalém foi abalada. Rapaz, isso é empolgante não é mesmo? Vamos ter uma oração.

Nosso Pai, ficamos emocionados quando vemos a Palavra de Deus aberta ao nosso entendimento. E nossa alegria vem porque desejamos tão profundamente entender Tua Palavra. Há uma certa sensação de alegria que vem com essa compreensão. Mas confessamos, Pai, que não há absolutamente nenhuma alegria. Não há absolutamente nenhuma alegria quando percebemos o que tudo isso significava. Olhamos para trás para um homem como Herodes que agora queima no inferno eterno. Olhamos para os principais sacerdotes e escribas anciãos do povo agora perdido para sempre e reconhecemos que quando o Rei veio eles não o queriam. Eles não o conheciam. Eles não se preocuparam em descobrir. E mesmo quando 30 anos depois Ele chegou à sua cidade e anunciou quem Ele era, eles não O reconheceram.

Pai, sabemos que hoje é um pouco diferente. Oh, muitas pessoas afirmam ser cristãs, mas estou certo de que nem todas são. E tenho certeza que há muitos que rejeitam tão abertamente e flagrantemente como fizeram naqueles dias. Não há alegria em um homem como Herodes. Pai, tudo que eu posso pensar é o que ele poderia ter sido. Se ao menos soubesse que em vez de reinar por algum tempo na Terra poderia ter reinado para sempre contigo. Se ao menos ele soubesse que em vez de ter que se vingar constantemente poderia ter confiado em Ti e Tu terias sido seu vingador se alguem o tivesse ofendido. Em sua busca pela paz, se ele soubesse que Tu eras o Príncipe da Paz.

Só podemos imaginar o tormento de tal alma no inferno com tudo o que ele deve ter para se lembrar de massacres e assassinatos. Portanto não há alegria nisso. Então Pai, somos de emoções mistas em nossos pensamentos esta noite. Agradecido por entender melhor a Palavra e ao mesmo tempo entristecidos quando percebemos o que realmente diz. E ainda assim Pai, não podemos deixar de sentir uma profunda afinidade com alguns homens com quem sem dúvida passaremos a eternidade que a Bíblia chama de "magos". Um remanescente de longe que creu, que se tornou Teu povo. Obrigado por eles pai. Ajuda-nos a nos concentrar no fato de que toda a humanidade está dividida nessas duas áreas, aqueles que rejeitam e aqueles que crêem. Ajude-nos a perceber que esse é o determinante divisor do destino.

Eu só oro esta noite Senhor, para que ninguém saia deste lugar que não seja um crente. Ninguém saia deste lugar para tomar o seu lugar com Herodes, ou com os escribas indiferentes, fariseus, principais sacerdotes e anciãos; Mas que todos nós nos alinhemos com os magos entusiastas, entusiasmados, animados, abençoados e adoradores, caindo prostrados aos pés daquele que viveu para morrer, para que ao ressuscitar, vivamos para sempre. Nosso Senhor Jesus Cristo, em cujo nome oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize

Currently Playing

Today's Radio Broadcast

Playlist

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize