Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Mateus, capítulo 5, versículo 8. Eu quero ler para vocês todos os versículos das bem-aventuranças como o estabelecimento dos nossos pensamentos. Então nós oraremos juntos e olharemos para esse versículo. Começando no versículo 1, Mateus registra, “Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e ele passou a ensiná-los, dizendo: Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus. Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus. Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós”. Vamos orar.

Pai, nós viemos a Ti nesta noite com um grande senso de necessidade pelas nossas vidas. Basta uma breve olhada para este versículo para sabermos que nós, por nós mesmos, não podemos nos qualificar. Pois Senhor, em nossas vidas existem coisas que não são puras. Existem sempre aquelas coisas que não estão certas. E Senhor, nós somos aqueles que temos fome e sede de justiça. Uma justiça que nós sabemos que, por nossa conta, é absolutamente uma impossibilidade. Nós somos aqueles que desejam ser puros de coração, Senhor, mas a batalha é muito difícil. A pureza que nós buscamos é muito elusiva. Quando achamos que a temos, nós a perdemos. Senhor, eu oro para que Tu me ajudes pela busca de clareza na Palavra de Deus, nas mãos do Espírito Santo que sonda a minha própria vida nesta noite. Cuide da vida de cada uma dessas pessoas queridas aqui.

Pai, em primeiro lugar, eu sou muito grato por essas pessoas virem aqui, sendo expostas à verdade desta palavra. Obrigado pelo tipo de pessoas que avaliam as suas vidas pelo teste da Palavra de Deus, que não vêm para ouvir algum discurso fascinante ou algum tema que não está relacionado com a vida. Para não lidar com as coisas de forma leviana, mas que virão quando saberem que eles estão lidando com a pureza do seu coração, colocando as suas vidas sob o escrutínio da Palavra de Deus. Deus, por esse tipo de espírito, eu sou grato, e sei que esse é o tipo de atitude em que Tu podes lidar e trabalhar; um tipo de vida que tu podes aperfeiçoar, conformar e amadurecer de acordo com a imagem de Jesus Cristo. Assim, Senhor, que eu não diga palavra de homem, que eu não fale pelo poder da minha própria mente e espírito, mas que eu não seja nada além de um porta-voz pelo qual o Espírito de Deus fala. Que nós possamos guardar nossos ouvidos da astúcia de homens, mas que possamos ouvir a voz de Deus. Que não aplicquemos as coisas aos outros, mas que possamos aplicá-las somente a nós mesmos. Dá-nos a honestidade de fazer isso. Ajuda-nos a não pensarmos nos outros mas somente em nós. E Pai, oramos para que quando terminarmos, estejamos melhor preparados para te servir, mais comprometidos com a tua glória do que já fomos antes. Com essa antecipação, nós te agradecemos pelo que tu farás no nome de Cristo. Amém.

Existem algumas coisas na Bíblia que você acha que você pode lidar com aquilo. Existem algumas verdades na Bíblia que você acha que você consegue lidar e transmitir. E então, existem coisas que parecem ser como buracos sem fim. São poços com uma profundidade imensurável. Elas são verdades, algo impossível de absorver. Essa é uma delas. Lidar com uma afirmação incrível como essa, “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus”, de uma vez, seria um insulto a Deus e ao poder, à profundidade, e à percepção da sua própria Palavra. Essa é uma das grandes falas, eu creio, em toda a Bíblia, e eu não consigo começar a lidar com isso, muito menos exauri-la. É uma daquelas coisas que abrangem e lidam com tudo que está revelado nas Escrituras.

O assunto da pureza do coração pode ser traçado do início da Bíblia até o fim da Bíblia. Como um pequeno garoto disse, “de Gênios a Revolução”. O tema da pureza de coração como algo necessário para ver a Deus é algo que é vasto e infinito. Isso atrai praticamente todo tema bíblico. Não há forma de descobrirmos tudo que está aqui. Porém, nós temos pedido ajuda ao Senhor para nos ajudar a pelo menos focar no significado central que será rico e significativo para nós.

Agora, o nosso formato em discutir as bem-aventuranças tem sido o de fazer algumas perguntas e então responde-las. Como nós dissemos para você, você não pode esboçar uma afirmação simples como essa. Tudo o que você precisa fazer é apenas libera-la. E eu penso que a melhor forma de abordar algo assim é fazendo perguntas. É isso que eu faço. Na verdade, o que eu estou lhe dando nessas semanas é simplesmente o que eu tenho perguntado desses textos. A primeira pergunta que eu fiz foi a seguinte: Qual é o contexto dessas palavras? Qual é o contexto no qual Jesus as falou? Em primeiro lugar, o seu contexto histórico, ao que Jesus estava se referindo, ou a que questão ele estava lidando, quando ele disse isso? Então, e não somente isso, mas na cronologia, por que isso aparece aqui na lista das bem-aventuranças? Para mim, isso é tão crucial e tão importante, absoluto em sua necessidade que não me parece certo de primeira vista ver isso aqui indiscriminadamente como aparece. Eu fico imaginando por que isso não tem um lugar mais estratégico, como talvez no início, no meio ou no fim.

Então, qual é o contexto dessas palavras? Primeiro historicamente e depois literariamente. Agora, vamos olhar primeiramente para a questão histórica. Eu não preciso gastar muito tempo nisso porque vocês já estão se tornando grandes historiadores conforme nós temos passado pelo contexto no qual o nosso Senhor está falando aqui; mas eu vou refrescar a memória de vocês. Lembrem-se primeiro que no tempo em que Jesus Cristo veio ao mundo e no momento em que ele iniciou o seu ministério na Galileia e em Jerusalém, Israel estava em uma condição desesperadora. Israel estava em uma condição desesperadora economicamente, politicamente e, acima de tudo, espiritualmente. Agora, nós falamos com muitos detalhes a respeito da situação política de Israel. Nós falamos a respeito do fato de que eles estavam antecipando a vinda do Messias que viria e estabeleceria um tipo de conquista política, acabando com a opressão romana, estabelecendo o seu reino. Nós temos lidado com isso. Mas hoje, eu gostaria de focar na condição espiritual de Israel no tempo de Jesus porque essa é a questão que o nosso Senhor está lidando predominantemente no Sermão do Monte. Ele está falando a respeito de coisas espirituais aqui. Elas não são políticas ou econômicas, mas sim espirituais. Especialmente o versículo 8. Essa bem-aventurança tem o seu coração na realidade espiritual.

Agora, deixe-me falar a respeito da condição espiritual de Israel no momento em que Cristo iniciou o seu ministério. Eles estavam, em grande parte, sobrecarregados por um caráter opressivo e autoritário dos fariseus. A influência dominante e a força dominante em Israel no tempo do ministério de Jesus eram os Fariseus. Na verdade, um sistema legalista normalmente tende a dominar a cena onde ele estiver. Ele tende a estabelecer parâmetros absolutos a respeito do que é espiritualmente aceitável por causa do seu caráter definitivo. Ele tende a ser uma coisa opressiva e reinante. Portanto, nesse momento particular da história de Israel, os Fariseus eram a força dominante na vida do povo. Eles tinham interpretado erroneamente a lei de Moisés. Por causa da incapacidade de guardar a lei de Moisés, eles tinham inventado novas leis que eles pudessem guardar, pacificando assim a sua consciência ao guardar as tradições já que eles não conseguiam guardar as leis de Deus. Assim, a partir de sua má interpretação da lei mosaica, do seu compromisso parcial com a lei mosaica e com um adendo que eles adicionaram na lei mosaica, eles formaram um sistema rígido e incansável de responsabilidade legalista no povo. Além disso, era impossível de fazer aquilo. Essa foi a frustração do homem que foi a Jesus e finalmente disse com uma última tentativa de se sujeitar ao sistema legalista que ele não aguentava, “Senhor, o que é que nós podemos fazer? Me dê uma coisa que eu possa fazer para te agradar. O que seria essa coisa?” E o Senhor disse, “Isso é fácil. Ame o Senhor teu Deus de todo o seu coração, alma, mente e força e o teu próximo como a ti mesmo. Se você tem feito isso, você cumpriu toda a lei e os profetas”.

Bom, não foi tão fácil, não é mesmo? Porém, foi um doutor da lei frustrado que chegou a esse ponto, porque não tinha como cumprir toda a lei. Na verdade, os próprios líderes haviam decidido – se você ler a história você descobrirá isso – que se você guardasse apenas algumas leis, Deus entenderia. Mas eles não conseguiam nem fazer isso. Então, o que eles disseram é que se você encontrar uma lei e guardá-la, Deus entenderia. Era isso que aquele doutor da lei estava buscando. O que é exatamente que podemos fazer? Assim, o que é interessante é que, conforme você olha para o povo em Israel, me parece que eles estavam frustrados com um sistema legal que eles não conseguiam guardar. Isso produziu neles uma tremenda culpa, assim como frustração e ansiedade. E isso aconteceria mesmo em um povo que estava realmente comprometido, não importa quão superficial era a realidade de Deus e o fato de que Deus se revelou nas leis. Portanto, aqui estavam eles, tendo recebido um grupo de leis. Eles já eram um povo religioso, e eles sabiam que eles precisaram obedecer essas leis, era isso que a sua sociedade estava falando. Eles sabiam que eles não conseguiriam fazer isso, então eles viviam com muita frustração, ansiedade e culpa, assim como qualquer pessoa de baixo de um sistema legal. Esse é um sistema impossível. Agora, você pode inventar um que apenas incorpora as coisas que você consegue fazer para se justificar. Mas nesse caso, eles não tinham esperança. Assim, a opressão do sistema legal havia criado uma quantidade tremenda de culpa.

Agora, pessoalmente, eu creio que isso foi uma das coisas que contribuiu tão drasticamente para o poder do ministério de João Batista. Eu penso que João Batista tinha uma audiência já preparada porque as pessoas estavam literalmente buscando um lugar para se aliviarem do fardo do pecado. Quando João Batista estava pregando no deserto, você se lembra que as multidões foram a João Batista; eles literalmente foram até ele em massa. E diz que até mesmo os Fariseus, os Saduceus e os escribas apareciam lá. Eu creio que o motivo pelo qual todo Israel e toda Jerusalém estavam indo para João era porque havia essa tremenda opressão e culpa consequentes do sistema legal. Os corações das pessoas estavam literalmente ansiosos por perdão, salvação e tranquilidade para as suas almas perturbadas. Elas estavam clamando por um Salvador, clamando por um Redentor, clamando para alguém vir e não impor regras sobre elas. Não um outro rabino com outra regra, mas alguém que viria para perdoá-las por aquelas que já haviam quebrado. Eles sabiam que Deus há muito tempo atrás havia prometido um Redentor. Eles conheciam a palavra de Isaías o suficiente para saber que viria alguém para perdoá-los dos pecados. Viria alguém para acabar com as suas iniquidades. Viria alguém que acabaria com os erros. Viria alguém para encontrar um remanescente de pessoas motivadas verdadeiramente e honestas, pessoas que realmente adoravam a Deus; que Ele viria e as purificaria.

Eles também conheciam a palavra de Ezequiel de que um dia Deus viria e aspergiria água sobre eles, tornando-os puros, removendo o coração de pedra e colocando um coração de carne. Deus os purificaria de suas iniquidades. Deus os purificaria dos seus pecados. Eles conheciam o testemunho de Davi que sabia o que era ter perdão, que sabia o que era clamar e dizer, “ó Deus, feliz o homem cujas suas iniquidades não lhes são imputadas”. Eles sabiam disso, mas eles nunca haviam experimentado isso. Assim, eles estavam debaixo desse tremendo fardo de opressão. Quando João Batista veio e anunciou que havia um Messias, que havia um Redentor, que havia um Salvador, não é de se surpreender que eles vieram. Quando ele começou a dizer, “Arrependei-vos pois o reino está próximo”, eles buscavam chegar lá o mais rápido possível para se arrependerem, para descarregarem os seus fardos e buscarem o perdão que o Messias poderia conceder.

Agora, uma das razões pela qual eu creio que isso é verdade é porque isso parece ser o anseio no coração do povo conforme eles se encontravam com Jesus. Por exemplo, veja comigo o terceiro capítulo de João. João, capítulo 3. Em João capítulo 3, versículo 1, ele diz, “Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus”. Aqui nós temos um Fariseu. Nicodemos era um sujeito muito honesto. Se ele tivesse alguma honestidade – e eu creio que ele tinha porque foi isso que o conduziu a Cristo – se ele tivesse alguma integridade, ele saberia que ele estava em apuros. O enfático é usado aqui. Agora, esse homem era um mestre, um governante de Israel. Um dos grandes homens em termos de recitar princípios divinos. Ele era um homem importante. Mas ele era um homem frustrado. O seu coração estava cheio de ansiedade. Ele foi até Jesus e disse, “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele”. Agora, que grande percepção a respeito do que estava em sua mente. Ele encontrou alguém de Deus. Por que? Porque ele queria saber o que Deus disse a respeito de alguma coisa.

Ele veio à noite a Jesus e disse, “Você vem de Deus. Eu sei que você vem de Deus por causa das coisas que você faz. Ninguém pode fazer essas coisas a não ser aquele que vem de Deus”. No seu coração havia uma tremenda questão. Qual era essa questão? A questão era: O que eu preciso fazer para ser justo? O que eu preciso fazer para entrar no eu reino? O que eu preciso fazer para ser um filho de Deus? O que eu preciso fazer para que Deus venha a me redimir? Essa era a questão. Além disso, Nicodemos nunca fez a pergunta. Por que? Porque ele não teve a chance. Jesus leu a sua mente. Jesus respondeu o que ele não perguntou no versículo 3. Jesus respondeu. Isso não é incrível? As vezes você nem precisa fazer a pergunta. Ele sabe qual é a pergunta e ele lhe dá a resposta. Jesus respondeu a pergunta no seu coração e disse, “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. Qual era a pergunta de Nicodemos? Como posso ver o reino de Deus? Vê? Essa era a questão. Jesus disse, “Nascendo de novo”. Agora, essa era uma pergunta incômoda para o coração de um Judeu no tempo de Cristo. Nicodemos olha para a sua vida e diz, “Eu sei que eu sou um Fariseu e estou tentando guardar a lei; eu sou um governador da terra, um mestre da lei e todas essas coisas, mas eu não tenho certeza de que isso é o suficiente”. Ele foi honesto o suficiente para admitir a sua pecaminosidade e como um daqueles que tentava guardar a lei, ele falhou miseravelmente. Então ele diz, “O que eu preciso fazer para entrar no reino?”

Vá para o capítulo 6 do evangelho de João, versículo 28. Aqui as pessoas vêm novamente. E Jesus, claro, fez esse grandioso milagre de alimentar mais de 25 mil pessoas, sem dúvida. Eles disseram para ele no versículo 28 – isso é muito claro – “Que faremos para realizar as obras de Deus?” Jesus respondeu e disse-lhes, “A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado”. Agora, você sabe o que eles estão realmente dizendo? A mesma coisa que Nicodemos. Nós conhecemos todo o sistema legal. Nós conhecemos toda rotina ritualista. Nós sabemos de cor todas as cerimônias. Nós conhecemos todas as tradições. O que devemos fazer para conhecer a realidade da obra de Deus. Percebe? Como você transcende a cerimônia e alcança a realidade? É a mesma questão, e isso trai a atitude dos corações das pessoas de Israel naquele tempo. Elas queriam algo real. Elas queriam saber como entrar no reino, porque se você entrasse no reino guardando a lei, ninguém poderia entrar no reino. Elas sabiam disso se elas fossem honestas.

Veja comigo o capítulo 10 de Lucas, versículo 25. Isso é algo muito direto. “E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” Agora, sem pensar no que Jesus respondeu, essa é a mesma pergunta. Era isso que a multidão queria saber. É isso que Nicodemos quer saber. Qual é o padrão? Ou seja, qual é o caminho para você entrar no reino? Como você consegue alivio da culpa, da ansiedade e da frustração que vem quando você se depara com um sistema legal para agradar a Deus e você sabe que não consegue fazer isso? Essa sempre foi a questão nos corações das pessoas.

No capítulo 18 de Lucas, no versículo 18, nós encontramos outro homem. Desta vez não é um interprete da lei, mas um jovem governante. Porém, a sua questão é a mesma. “Certo homem de posição perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? “ Você vê? É sempre a mesma pergunta básica. Como que nós alcançamos a realidade? Vê? Como transcendemos a cerimônia? Como recebemos perdão? Como entramos no reino? Eles não tinham nenhuma ideia de segurança, percebe? Diante de um sistema legal que você não consegue guardar ou manter, você se depara com um terrível sentimento de insegurança. Eles queriam saber como que eles poderiam ter segurança. Como que eles poderiam saber que eram cidadãos do reino. Eu realmente penso que esse foi o momento perfeito para Jesus vir, porque Ele tinha a resposta certa. Deus é um Deus santo. E Deus, como um Deus santo, é absolutamente justo. Nele não há pecado. E Deus oferece salvação para o homem pecador. O homem pecador diz para si mesmo, “Como que um Deus santo dá salvação para um homem pecador?” E o Judeu diz, “Como isso pode acontecer?” Um Judeu honesto e devoto diria, “Como posso entrar no reino de Deus quando nem consigo guardar as leis de Deus? Se essa é a condição, como faço isso?”

Isso levanta a questão que Jesus responde nas bem-aventuranças. A questão simples é essa: Como uma pessoa pode ser salva? Como uma pessoa pode ser salva? Como você entra no reino? Como você herda a vida eterna? Como você se torna justo? Como você entra em uma situação onde um Deus santo sem pecado o aceita? Como isso pode ser? E acredite em mim, essa é a questão que mais estava nas mentes das pessoas naquele monte da Galileia enquanto o nosso Senhor falava em Mateus capítulo 5.

Agora, você deve se lembrar de que ele passou por toda a Galileia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino, curando toda sorte de doenças, e sua fama se espalhou por todos os lados. Quando a multidão veio, eles ouviram dizer a respeito dele. Eles o viram, ouviram o seu ensino, os seus milagres se espalharam, e eles tinham uma grande questão: Como uma pessoa entra no reino? Que tipo de justiça nós devemos ter para sermos aceitos pelo Messias, para nos tornarmos parte do reino? Como nós entramos? Eu creio que, mais que qualquer outra bem-aventurança, essa bem-aventurança, no versículo 8, dá a resposta. “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles” – autoi, eles e somente eles é o significado enfático - “verão a Deus”. Se eu puder parafrasear, você quer saber como entrar no reino? Os limpos de coração e somente eles verão a Deus no seu reino. Essa é a resposta. O limpo de coração.

Agora, veja isso: Não são aqueles que observam as purificações externas. Não são aqueles que passam por cerimônias externas. Não são aqueles que têm o que eu tenho chamado de religião do mérito humano. Não são aqueles que fazem parte de um sistema ritualista de obras externas e de justiça. São aqueles que têm os seus corações purificados que verão a Deus e somente eles são os que verão a Deus. Que grandiosa afirmação que isso se torna. Essa é a resposta para a pergunta que está sendo feita pela população que Jesus confronta. É uma poderosa afirmação. Os limpos de coração e somente eles verão a Deus. Agora, o homem tende – eu quero que você preste atenção nisso – o homem tende a se medir pelos outros homens. Em outras palavras, você usa o critério de outra pessoa. É como em 2 Coríntios 11 quando fala a respeito dos falsos apóstolos que se avaliavam por eles mesmos. E nós temos falado a respeito disso, não temos? Os Fariseus eram bons nisso. Em outras palavras, quando você deseja testar o seu caráter, quando você deseja testar a sua moralidade, quando você deseja testar a sua ética, quando você deseja testar quão bom você é, você sempre busca encontrar alguém pior para usar como critério, não é mesmo? Pense nisso. É claro que você faz isso. Você sempre acha um padrão humano inferior.

Era isso que os Fariseus faziam. O Fariseu entrava e orava consigo mesmo, “Eu te agradeço porque eu não sou como os outros homens, como esse publicano ímpio”. Vê? O seu padrão era menor do que ele mesmo. Agora, Você sabe o que isso significa? Isso significa que o padrão humano final é a pior pessoa em vida, porque se todos se basearem em sua própria avaliação a partir de uma pessoa inferior, a coisa toda desce como numa espiral até chegar na pior pessoa do mundo. Porém, não é dessa forma que Deus define isso. Quando Deus estabelece um padrão de caráter aceitável, ele não disse que você deve ser melhor que o publicano. Você tem que ser melhor do que um homem imoral. Você tem que ser melhor do que um mentiroso, um ladrão e um trapaceador. Você tem que ser melhor do que alguém que não é justo com aqueles à sua volta. Ele decreta injustiça. Você tem que ser melhor do que alguém que bate nos seus filhos. Você tem que ser melhor do que um assassino. Ele disse que se você deseja ver a Deus, você precisa ser 100% o que? Puro. O padrão é Deus. 1 Pedro 1 diz, “Sede santos como eu sou santo”. Se você quer isso nos termos do Sermão do Monte, você encontrará isso no capítulo 5, no versículo 48, “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste”. Esse é o padrão.

Agora, os homens querem estabelecer o padrão pelo pior ser humano vivo e Deus estabelece o padrão sendo ele mesmo, absolutamente santo, justo e o único Deus do universo. Quem vai entrar no reino? Quem vai ao céu? Quem será salvo? Quem pode entrar na presença de Deus? Quem terá uma visão de Deus? Quem verá Deus face a face? Quem entrará nessa alegria? Quem conhecerá essa bem-aventurança? Quem conhecerá a verdadeira alegria? Somente aqueles que são limpos de coração. Agora, quando eu comecei a pensar a respeito disso, eu pensei, “Rapaz, isso os alcança em no ponto que eles estavam naqueles dias” porque eles estavam muito preocupados com as coisas externas, não é mesmo? Os Fariseus ficavam muito tensos se eles não lavassem das mãos, os potes, as panelas, passando por tudo isto, sabe? E o Senhor disse que eles eram ótimos em dar o dizimo da menta, do cominho e do anis. Em outras palavras, eles garantiam os dez por certo de alguma pequena erva. Bom, eles não prestavam atenção no amor, na verdade, na misericórdia e na justiça. Eles eram ótimos em separar um décimo de ervas e arranca-las. Era tudo muito superficial.

Jesus disse para eles, “Por fora vocês são brancos e parecem belos, mas por dentro vocês estão cheios de ossos de pessoas mortas. Vocês são como sepulcros caiados. Vocês são hipócritas. Hipócritas”. Tudo era externo e o Senhor tirou toda aquela vestimenta de hipocrisia e acabou com aquilo em uma declaração. Quem verá a Deus? Não os externalistas, mas aqueles que são puros por dentro. Vê? Somente eles verão a Deus. Agora, você diz, se isso é um sunu bonum, um ponto crucial, se essa é a bem-aventurança principal, por que ela aparece aqui na lista? Bom, Eu posso dizer algo agora? Cada uma dessas bem-aventuranças é crucial. Você não pode remover nenhuma delas. Cada uma delas é crucial e elas fluem de uma sequência bela e magnifica de acordo com uma ordem perfeita para a mente de Deus. Não é uma questão de a primeira, a última ou a do meio ser mais importante. Elas são igualmente importantes. Elas são todas parte da mesma coisa. Elas todas são parte da mesma grande realidade. Você não pode isolar uma do todo. Amados, eu direi algo para vocês: uma pessoa do reino é alguém que cumpre todas essas coisas. Entenderam? Todas essas coisas. Você não pode escolher. Você não pode dizer, “Bom, deixe-me ver. Existem muitas aqui. Deixe-me ver, eu vou escolher...” – Não. Você não pode fazer isso. Isso é a fluidez da vida. Uma vez que você chega no ponto onde isso começa, com os pobres de espírito, o resto flui de uma obra maravilhosa do espírito de Deus.

Agora, você começa com a realidade de ser pobre de espírito. Quando você se enxergar como um mendigo encolhido no canto, estendendo a sua mão que só pode receber esse dom, você não tem poder para conseguir nada. Como um mendigo encolhido, com vergonha de mostrar o seu rosto, você então estende a sua mão com um tremendo senso de não merecimento. Você busca a Deus. É aqui que começa, e então depois de o buscar como um mendigo, a sua próxima resposta é chorar pelo pecado que lhe colocou nessa posição. A partir de um senso total de pecaminosidade, você se rende com mansidão diante de um Deus absolutamente santo. Você não poderia ser nada a não ser humilde. Em sua humildade, a única coisa que você pode fazer é clamar e ter fome e sede de justiça por aquilo que você não pode alcançar mas que você tem. E você chora pedindo a Deus para lhe dar isso. E depois o que acontece? Ele concede a você misericórdia, sendo a próxima bem-aventurança, e você se torna um daqueles que são misericordiosos. Uma vez que você recebe misericórdia e uma vez que Deus, pela sua misericórdia limpou o seu coração porque você teve fome da sua justiça, então e somente então, você se torna limpo de coração, somente quando você é limpo de coração você é capaz de se tornar um pacificador.

Você vê, existe um fluxo que não pode ser isolado. Uma vez que você se torna um pacificador no mundo, você perceberá que o mundo irá lhe perseguir, mentir a respeito de você, odiar você. Mas estará tudo bem porque o versículo 12 diz que você pode regozijar-se porque Deus irá recompensá-lo. Então, um dos motivos disso estar aqui é por causa do fluxo natural. A pureza do coração vem depois que você teve fome e sede de justiça e depois que Deus derramou a sua misericórdia sobre você. É a sua misericórdia que limpa o seu coração. É a misericórdia que limpa o seu mal coração. Não é algo que você conquista; é algo que Ele dá a partir de sua misericórdia. Naquele coração limpo que vem da sua misericórdia está a pureza que permite você ver a Deus. Porém, existe outro belo motivo do porquê que ela está aqui. As primeiras sete bem-aventuranças se encaixam de uma forma muito bela. As primeiras três conduzem você para a quarta e depois você tem as três bem-aventuranças seguintes. A quarta, que parece ser o ápice, é ter fome e sede de justiça.

Você começa com um espírito pobre e dessa pobreza do seu espírito vem um lamento pelo pecado, percebendo que você e um completo pecador, e então você se torna humilde e manso perante a Deus. Nesse momento, você clama por justiça e então Deus age. Você então encontra a sua misericórdia, pureza de coração e o dom de pacificador que fluem todos a partir do quarto. Os primeiros três nos direcionam para isso, os últimos três fluem dele. Mas sabe o que é ainda mais interessante? Deixe-me ver se consigo fazer isso. O primeiro e o quinto, o segundo e o sexto, o terceiro e o sétimo parecem se comparar. Por exemplo, são os pobres de espírito que percebem que eles não são nada além de mendigos que buscam a misericórdia dos outros, não é mesmo? Porque como pobre, você sabe que qualquer coisa que você tem é uma dádiva de misericórdia e você tenderá a ser misericordioso também. Em segundo lugar, é aquele que chora pelos seus pecados que saberá o que é pureza de coração porque, a não ser que você chore pelos seus pecados, não dá para ser limpo daquele pecado. O verdadeiro arrependimento envolve choro, e assim o choro parece estar ligado de alguma forma com a pureza do coração. E finalmente, são os mansos que são pacificadores. Eu vou lhe dizer algo que eu aprendi há muito tempo atrás quando eu estudei Filipenses, capítulo 2. Ninguém, eu repito, ninguém é um pacificador que não faça isso a partir da humildade.

Então você vê, são os pobres que serão misericordiosos com os outros. São os que choram que têm um coração puro e são os mansos que são os pacificadores. Assim, existe uma bela forma na qual as bem-aventuranças estão ligadas demonstrando como a mente de Deus trabalha. Portanto, isso se encaixa historicamente no momento certo. Isso se encaixa da maneira certa cronologicamente. Agora, lembre-se que no meio da multidão naquele dia haviam os Fariseus legalistas. Além disso, eles estão no meio de uma multidão muito religiosa. O mundo está cheio deles. Eles irão ao céu por causa das suas conquistas humanas. “Bom, eu estou bem”. “Eu – certamente o Senhor não me mandaria para o inferno. Eu não machuco gatinhos. Quando o meu vizinho tem um problema, eu empresto o que ele precisa”. “Eu nunca matei ninguém. Eu nunca abandonei a minha esposa. Eu sou um bom pai. Eu providencio para os meus filhos. Eles não andam por aí sem roupa. Nós temos feito o nosso melhor nessa vida”. Essa é a religião da conquista humana. Existem pessoas que vão aqui perto no templo Budista e elas vão lá e queimam algumas coisinhas, colocando uma comida aqui, trabalhando para chegar onde elas querem chegar, no Nirvana, chegando em um grande nada. Elas estão por todos os lugares do mundo.

Existem apenas dois tipos de religião no mundo, certo? Somente dois. As pessoas dizem, “Ah, existem tantas religiões”. Não, somente duas. Somente duas religiões no mundo todo. A religião da conquista humana, que recebe todo tipo de nome, mas é tudo a mesma coisa. Você conquista o seu caminho. E existe a religião da conquista divina, que diz que você não consegue fazer isso, Deus fez isso em Cristo. Só existe uma que diz isso, e é o Cristianismo. Essas são as únicas duas religiões no mundo. A religião da conquista humana e a religião da conquista divina. Escolha. A conquista humana tem vários nomes, mas é tudo a mesma coisa. É a mentira de Satanás. Assim, em toda multidão, você tem pessoas que vão fazer tudo sozinhas. Elas vão conquistar o seu caminho para o céu. Elas vão chegar lá pelas suas próprias forças, poderes e recursos.

E elas estavam naquela multidão naquele dia e o Senhor Jesus Cristo as expôs instantaneamente. Eles estavam satisfeitos com o cerimonialismo externo. Eles estavam contentes com as obras, justiças e sistemas superficiais que lidavam apenas com o exterior. Jesus estava dizendo a eles, “Não pessoal, vocês não se qualificam para ver a Deus. Vocês nunca estarão no meu reino porque eu busco os que são limpos de coração. Eu estou falando do interior”. Aquelas pessoas não tinham desculpas. Salmo 51:6 – Elas deveriam conhecer os Salmos. O Salmo 51:6 diz, “Eis que te comprazes na verdade no íntimo”. O salmista ensinou a mesma coisa no Salmo 24; a mesma realidade no Salmo 24. Veja os primeiros cinco versículos, “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam. Fundou-a ele sobre os mares e sobre as correntes a estabeleceu”. É tudo de Deus. Ele está olhando para o reino de Deus em sua definição mais ampla possível. Então ele diz, “Quem subirá ao monte do Senhor? “ Quem entrará no reino? Quem entrará? “Quem há de permanecer no seu santo lugar? “ Quem verá a Deus? E a resposta vem no versículo 4, “O que é limpo de mãos e” – o que? – “puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente. Este obterá do Senhor a bênção e a justiça do Deus da sua salvação”.

Quem entra no reino? Quem é salvo? Quem é justo? Quem verá a Deus? Jesus condensa o Salmo 24 nessa bem-aventurança. Aqueles com mãos limpas e um coração puro são o que recebem salvação. Se eles se lembrassem das palavras do amado profeta que eles exaltavam tanto, o profeta Isaías, eles saberiam disso. Ele diz em Isaías 59:1, “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar”. Se você não é salvo, se você não tem a salvação, não é porque Deus não pode lhe alcançar, não é porque o Seu braço é muito curto e você está muito longe. Não. “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça. Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos, de iniquidade; os vossos lábios falam mentiras, e a vossa língua profere maldade. Ninguém há que clame pela justiça, ninguém que compareça em juízo pela verdade; confiam no que é nulo e andam falando mentiras; concebem o mal e dão à luz a iniquidade. Chocam ovos de áspide e tecem teias de aranha” e por aí continua.

No versículo 12 o profeta diz, “Porque as nossas transgressões se multiplicam perante ti, e os nossos pecados testificam contra nós”. “Porque as nossas transgressões estão conosco, e conhecemos as nossas iniquidades”. Versículo 16, “Viu que não havia ajudador algum e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve. Vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na cabeça; pôs sobre si a vestidura da vingança e se cobriu de zelo, como de um manto”. Essa é uma imagem de Cristo. Cristo dá uma olhada e ele vê as pessoas perdidas no pecado. Assim como os judeus do tempo de Jesus, eles estão chorando e dizendo, “Não há homem? Não há intercessor? Cristo então vem e coloca a vestidura da salvação. Então no versículo 20 ele diz, “Virá o Redentor a Sião”. Entendeu?

Se eles conhecessem Isaías 59, eles saberiam a resposta para a sua pergunta. Se eles conhecessem Ezequiel 36, eles saberiam que o Messias viria e purificaria o interior do seu povo. Sempre foram os limpos de coração, amados. Sempre.

Existem apenas três abordagens da religião. Existe a religião da cabeça, que confia em credos e em um sistema. Existe a religião das mãos, que confia na boa obra. Mas Deus diz, “O que eu estou buscando é a religião do coração”, baseada em uma pureza implantada e dada por Deus. 1 Samuel 16:7, “O homem vê o exterior, porém o Senhor” – o que? – “o coração”. Muitos não entenderam isso. Deixe-me dizer dessa forma, pessoal: você nunca verá a Deus, você nunca estará no reino de Deus, você nunca entrará na presença de Deus, você nunca terá o seu perdão, você nunca conhecerá o Redentor que vem de Sião, você nunca saberá o que é comer e beber da fonte da salvação, você morrerá frustrado em seus pecados – a não ser que o seu coração seja puro. A não ser que o seu coração seja puro.

Mas sabe, a questão de tudo isso é que foi exatamente isso que Jesus Cristo veio fazer; purificar o seu coração. Porque quando ele morreu naquela cruz, ele tomou o pecado que era seu e ele pagou todo o preço por aquele pecado. A Bíblia diz que ele imputou a sua justiça em você. É uma troca fantástica. Ele toma o seu pecado, dá a você a sua justiça, para que quando você colocar a sua fé em Jesus Cristo, Deus olhe para você e lhe veja puro. Não há nenhuma outra condição que faça com que ele olhe para você dessa forma.

Catesby Paget disse da seguinte forma, “Tão querido, tão querido por Deus, mais do que poderia ser, pois na pessoa do Seu Filho, eu sou tão querido quanto Ele. Tão próximo, tão próximo de Deus, mais próximo do que poderia ser, pois na pessoa do Seu Filho, eu estou tão próximo quanto Ele”. É porque Cristo tomou o nosso lugar, carregou os nossos pecados em seu corpo naquela cruz, que a sua justiça nos foi dada, e assim, pela fé Deus nos torna puros. Essa era a sua mensagem, e esse era o contexto dela.

Agora, vamos olhar especificamente para a segunda pergunta. Aliás, provavelmente não vamos abordar todas essas questões hoje. Vamos deixar as últimas duas para depois. Elas eram coisas extras mesmo. Segunda pergunta: O que significa ser limpo de coração? O que isso realmente significa? Essa é a chave para a questão. O que significa ser limpo de coração? Primeiro, deixe-me lembrar a você que a palavra coração é kardia, de onde nós tiramos a palavra “cardíaco” e tudo isso, é a palavra grega para “coração”. Mas o coração, como nós notamos, é o interior. O coração na Bíblia é sempre visto como o aspecto interior do homem, o lugar da sua personalidade; o homem interior. Predominantemente – eu quero que você note isso: Predominantemente, refere-se ao processo de pensar. O coração não é especificamente as emoções.

Ensinamos a vocês antes que quando a Bíblia deseja falar a respeito das emoções, ela fala a respeito das entranhas de compaixão. O sentimento no estômago, na parte do meio, é muito diferente – muito diferente. Na verdade, às vezes ela fala até mesmo do intestino como o órgão da emoção, se você consegue imaginar isso. O motivo deles usarem esses termos é porque o Judeu expressava o seu sentimento em termos do que ele sentia no estômago. Quando ele realmente amava, ele sentia no estômago. Quando ele odiava, ele sentia no estômago. Quando ele realmente tinha alguma emoção, ele sentia no estômago. Isso ainda é verdade hoje. As nossas emoções afetam os nossos órgãos interiores. Mas a mente e o coração estavam realmente juntas. “Como um homem pensa em seu” – o que? – “coração”. Assim, o coração se torna o equivalente ao processo de pensar, predominantemente. Mas note o seguinte: Às vezes, a palavra “coração” faz uma referência à vontade e à emoção conforme elas mexem com o intelecto. Conforme elas mexem com o intelecto.

Por exemplo, a minha mente faz algo, e se minha mente está realmente decidida a fazer algo, isso afeta a minha vontade que afetará a minha emoção. A mente gera a vontade que então gera a emoção. A vontade é como um pêndulo. Uma vez que a mente começa e o pêndulo começa, ela liga as emoções. Assim, o que o nosso Senhor está falando aqui quando ele diz, “limpo de coração” é o interior. Ele primeiramente está pensando na mente que controla a vontade que então controla as respostas da emoção.

Isso era um ataque aos Fariseus e aos legalistas que estavam falando para todos que tudo o que você precisava era cuidar do exterior e que somente o exterior era a questão. Se você simplesmente ficar no exterior, aumentando as atividades religiosas exteriores, você ficará bem; mas essa não é a resposta. Marcos, capítulo 7, é uma boa ilustração disso, se você quiser dar uma olhada. O coração se refere ao interior. É o lugar onde tudo acontece dentro de você, no pensamento hebraico.

Por exemplo, um bom versículo para você se situar nisso é Provérbios 4:23. Ele junta tudo isso. Ouça, eu vou citá-lo – ele é bem curto, “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida”. Em outras palavras, seja o que for o coração, ele é a fonte para as questões da vida. As questões de pensar, sentir e agir todas partem desse coração. Efésios 6 fala a respeito de fazer a vontade de Deus de coração. Fazer a vontade de Deus do coração. Esse é o ponto do qual tudo é gerado. Jeremias 17:9 diz, “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” Em Gênesis 6:5, enquanto Deus olha para aquela civilização antes do dilúvio ele diz, “Era continuamente mau todo desígnio do seu coração”. O coração é o pensamento, ele é o trono do comportamento. Dele vem as questões da vida.

Em Mateus, capítulo 15, no versículo 19, eu acho, ele diz, “Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos” – essa não é a grande questão, você vê? Ele estava se dirigindo diretamente aos Fariseus. “Vocês dão uma grande importância à cerimônia de se lavarem, e o que Deus está preocupado é com o coração”. “Mas o que sai” – diz o versículo 18 – “pela boca vem do coração, e é isso que contamina o homem”. Em Tiago, capítulo 4, versículo 8, ele diz, “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores” – esse é o exterior – “e limpai o coração” – esse é o interior. Bom, existem vários outros textos nas Escrituras mas nós não vamos mais gastar tempo olhando-os. Deus busca um coração mudado. Esse é o centro do problema. Você se lembra do querido Davi? Salmo 51? O que ele disse? “Cria em mim, ó Deus” – o que? – “um coração puro”. “Cria em mim um coração”. Essa é a fonte da sua humanidade, da sua personalidade. O Salmo 73:1 diz verdadeiramente, “Com efeito, Deus é bom para com Israel” – ah, mas quem em Israel? – “para com os de coração limpo”. Vê? Deus sempre está buscando o interior.

Pessoal, deixe-me lhes dizer algo: eu não me importo se você vai à igreja todos os dias da semana. Eu não me importo se você carrega a Bíblia por aí e se você cita versículos. Se o seu coração não estiver limpo, você não está no padrão de Deus. Não importa o quão religioso você seja por fora. Deixe-me ilustrar isso através de Davi e Saul. Quando Deus chamou Saul, Saul era uma espécie de confusão. Alto, escuro, bonito e mais nada. Então, em 1 Samuel 10:9, ele diz que Deus deu um outro coração a Saul. Isso não é incrível? Porque Deus precisava mudá-lo por dentro. Então ele diz em 1 Samuel 10:9, “Deus lhe mudou o coração”. Mas você sabe o que começou a acontecer? Ele começou a desobedecer a Deus. Ele chegou no lugar onde ele agiu como sacerdote e Samuel se aproximou dele e disse, “Saul, o Senhor diz que você está acabado. Você não terá uma linhagem real. Por que? Porque Deus tem buscado um homem segundo o seu coração”. Você vê?

Por que? Por que Deus se importa com isso? A resposta vem em 1 Samuel 16:7, “O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração”. Quem foi o homem segundo o coração de Deus? Bom, foi Davi. Deus elegeu Davi porque o seu coração era reto. Davi disso no Salmo 9:1, “Louvar-te-ei, Senhor, de todo o meu coração”. No Salmo 19:14, Davi disse, “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu! ” No Salmo 26, versículo 2, Davi clama, “Examina-me, Senhor, e prova-me; sonda-me o coração”. No Salmo 27, versículo 8, “Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença; buscarei, pois, Senhor, a tua presença”. Você vê? Ele era um homem que era governado a partir do seu coração. Do interior.

Salmo 28, versículo 7 – e eu estou apenas lidando com a primeira parte dos Salmos – ele diz, “O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia”. Ele era um homem segundo o coração de Deus. Davi, no seu interior, buscava a Deus. E você sabe qual é o resumo disso tudo? Eu penso isso. Salmo 57:7 – não se esqueça disso – Davi clamou, “Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme”. Isso não é incrível? Eu estou firme em Ti no meu coração. Esse é o tipo de adoração que Deus deseja. Aqui está um homem que viu a Deus. Ah, como ele falhou por fora, mas o seu coração estava firme em Deus. Essas pessoas podem não ter falhado por fora, elas podem ter feito todos os rituais, mas o seu coração não estava em Deus. Certo? O segundo termo na frase, “limpo de coração” e a palavra “limpo”. O que isso significa?

Katharos. Katharos. Agora, você não fala muito a respeito de pureza no nosso mundo e se torna popular por isso. As pessoas dizem que a pureza é uma comodidade plana, insipida, vaga e não atraente que pertence a pessoas estranhas com roupas longas que vivem em mosteiros. O que significa se limpo? A palavra katharos é um substantivo formado pelo termo katharizo, que significa purificar da sujeira e da iniquidade. Significa purificar da sujeira. Ou seja, isso é o mais simples que você precisa saber. Num sentido moral, isso significa ficar livre do pecado. Ela está próxima da palavra em Latim castus e a palavra latina castus é a raiz da palavra portuguesa “casto”. Portanto, existe uma conexão aqui.

Além disso, alguns de vocês lidam com a medicina. Vocês sabem o que é catártico. Catártico é um agente usado na medicina para limpar um ferimento ou uma área para torná-la limpa. Quando alguém vai um psicólogo ou a um conselheiro e eles têm uma catarse – esse é outro uso da palavra – eles têm uma limpeza da alma. A palavra simplesmente significa limpar. Mas é interessante que existem dois significados e eu vou dá-los rapidamente. Alguns sugerem a ideia de que isso significa sem mistura. Mas “puro” significa algo que não foi misturado, adulterado, mexido ou limpo de palha, usando o contexto do trigo. Em outras palavras, ser limpo significa que você não adicionou nenhum elemento estranho naquilo. Ele não é misturado ou adulterado. O que o nosso Senhor está dizendo aqui é, “Eu estou buscando um coração que não está misturado em sua devoção. Que não está misturado em sua motivação. Motivos puros a partir de um coração puro”.

Assim, isso pode ter a ver com a ideia de integridade espiritual. Isso tem a ver com as atitudes. Isso tem a ver com integridade, com um coração integro em oposição a uma mente dobre ou separada. Você se lembra em Jeremias 32:29, a Palavra diz, “eu lhes darei um coração e um caminho para que eles me temam para todo o sempre”. Em outras palavras, Deus diz, “Eu vou dar a eles um coração e eles não ficarão mais divididos”. Isso é aquela devoção singular, aquele propósito único. Em outras palavras, motivo – motivo; motivo puro. Eu penso que isso é muito importante. Eu penso que o nosso Senhor realmente enfatiza isso como nós veremos no Sermão do Monte conforme ele entra no capítulo 6, versículo 19-23. Ele diz, “Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas”. Em outras palavras, Ele está vendo aqui a realidade de como você enxerga as coisas. Como que enxerga as coisas afetará toda a sua vida. Se o seu motivo for puro, então a sua vida será pura. Se o seu motivo for corrupto, então a sua vida será corrupta.

Assim, precisa haver uma integridade de coração, uma única devoção, uma única motivação. Ele resume isso no versículo 24, “Ninguém pode servir” – o que? – “a dois senhores”. Aqui ele demonstra essa integridade que ele busca. Tiago falou a respeito disso – não foi? – no capítulo 4 de Tiago – algumas vezes no versículo 4. “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. Você não pode ter ambas as coisas. Assim, no versículo 8 ele diz, “Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração”. Portanto, existe esse sentido, amados, de que Deus deseja uma motivação pura. E você quer saber de uma coisa? Eu creio que se você é um Cristão, é normal para você ter esse tipo de motivação. Eu vejo o apóstolo Paulo no capítulo 7 e o que ele queria fazer? Ele queria fazer o que era certo? Ele disse, “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” Ele diz, “Porque a vontade está certa. Eu desejo cumprir a lei de Deus. Eu amo a lei de Deus. Eu anseio a lei de Deus, mas o pecado que está em mim me corrompe”. Em outras palavras, ele está dizendo, “Eu tenho motivos puros, mas eu não consigo superar a minha carne pecaminosa”.

Portanto, Deus está buscando esses motivos puros. Eu creio que se você for verdadeiramente um Cristão, esse motivo para a pureza está aí. Se você não tem isso no seu coração, eu questiono se você de fato conhece a Deus. Pois as únicas pessoas que realmente veem a Deus, as únicas pessoas que realmente conhecem a Deus, são aquelas que são limpas de coração com respeito a uma motivação apontando para Deus. Quando Davi pecava, era porque ele havia corrompido as suas motivações. Ele tinha suas motivações desfiguradas. Mas ele sempre voltava para a mesma coisa. Quando ele clamou, “Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme”, você sabe onde ele estava? Ele estava escondido na caverna de Adulão. Você sabe porque ele estava escondido na caverna de Adulão? Porque ele agiu como um tolo quando ele estava em Gate. Ele estava em Gate e ele estava no país dos Filisteus e pensou, “Ah, esse povo de Gate, esses Filisteus, eles vão me matar. Eu estou com tanto medo. Ele falhou em sua confiança em Deus, então ele fingiu ser um homem louco, cuspindo por toda a sua barba, escalando as paredes como se estivesse louco. Agiu como um maluco. Eles disseram, “Nós não precisamos de mais malucos, mandem-no embora”.

Ele está na caverna de Adulão e ele diz para si mesmo, “Ah Davi, você estava se protegendo, buscando se salvar escondendo-se, ao invés de glorificar a Deus. Você fez um papel de tolo, e isso ficou escrito nas Escrituras. Portanto, todo o mundo saberá como você foi um tolo. Você desonrou a Deus, você falhou em glorificar a Deus”. Então ele para e diz, “Daqui em diante, Deus, o meu coração estará firme”. “Ó Senhor, o meu coração está firme”. Não há mais mente dividida. E você? Você tem esse desejo em seu coração? Você tem motivações puras?

O grande John Bunyan, que escreveu a obra de arte O Peregrino e Guerra Santa, e tantas outras coisas, foi elogiado um vez por alguém, que grande pregador ele era, e que ele, sem dúvida, pregara uma obra de arte naquele dia, ao que ele respondeu tristemente, e eu cito, “Obrigado, mas o diabo já me falou isso enquanto eu estava descendo do púlpito”. Uma motivação pura. Mas deixe-me adicionar algo a isso pessoal. Isso não é o suficiente. Uma motivação pura não é o suficiente. A palavra katharos vai além de motivação. Ela não para aqui. Veja, existem muitas pessoas com motivações puras que nunca se chegam a Deus. Você sabia disso? Existem pessoas que andam sobre ovos. Eu estava na Cidade do México e eu assisti as pessoas na estátua de Guadalupe rastejarem de joelhos por 140, 170, 280 metros até ficarem com os joelhos sangrando e tinham de abaixar as suas roupas, as mulheres, até os joelhos, e o sangue escorria pela roupa. Eu vi as pessoas fazendo isso com bebês nas costas. Algo muito sincero. Eles realmente estavam tentando fazer aquilo. Mas sinceramente errados. Sem dúvida, os adoradores de Baal tinham alguma sinceridade nos dias de Elias quando eles saiam com as facas para se cortarem. Eu digo que isso é sincero. Se você começa a e cortar, você está falando sério.

Existe mais do que isso na palavra katharos. Não é apenas uma motivação pura; é um ato santo, você vê. Ambos precisam estar ali. É a pureza que parte de uma motivação pura. Thomas Watson disse, “A moralidade pode afogar um homem tão rápido quanto a imoralidade”. Ele disse, “Um barco pode naufragar com ouro ou com estrume”. Você pode – sabe, achar que a sua motivação é pura e dizer, “Eu sou uma pessoa bem religiosa e eu quero agradar a Deus”. Mas se as suas ações não estiverem de acordo com a Sua palavra, não revelando pureza, isso não importa. Então, nós estamos falando de motivação sim, mas motivação mais alguma coisa.

Agora, deixe-me concluir falando mais uma ou duas coisas. Existem cinco tipos de pureza. Preste atenção, porque isso ajudará você a entender isso completamente. Cinco tipos de pureza. Você está pronto? Numero um é o que eu chamo de pureza primitiva. Você pergunta, “O que é pureza primitiva?” É o tipo de pureza que existe somente em Deus. Ela é tão essencial para Deus como a luz é para o sol; como o molhado é para a água. É a sua pureza primitiva.

Em segundo lugar, existe o que a Bíblia chama – bom, ela realmente não chama disso, mas o que a Bíblia apresenta e que você pode chamar de pureza criada. É a criação de um ser puro antes da queda. Deus criou anjos na pureza, ele criou o homem na pureza, e os dois caíram. Mas é uma pureza criada. Assim, você tem uma pureza primitiva, que é verdadeira somente em Deus. E você tem a pureza criada, aquilo que Ele concede a partir da sua própria pureza para um ser que ele cria.

Em terceiro lugar: pureza última. A pureza última é uma categoria de glorificação. Em outras palavras, em última instancia, todos os santos de Deus serão completamente puros, não é? Um dia, nós teremos todo o nosso pecado lavado, sendo limpos, totalmente limpos, habitaremos com Deus em seu céu eterno para sempre, naquele momento, experimentando a pureza última. 1 João 3:2 nos diz como será isso. “Seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é”.

Em quarto lugar está a pureza posicional. Pureza posicional. Essa é uma realidade tremenda. A pureza posicional é a pureza que nós recebemos agora pela imputação da justiça de Cristo. Quando você crê em Jesus Cristo, Deus imputa a você um tipo de pureza posicional. Em outras palavras, a sua posição em Cristo lhe dá pureza. Quando Deus olha para o John MacArthur, acredite ou não, Ele diz, “John MacArthur, absolutamente puro em Cristo. A justiça de Cristo foi aplicada a ele porque ele creu em Jesus Cristo”. Romanos 3 nos diz que a justiça de Cristo foi imputada a nós. Romanos 5 nos diz que nós fomos justificados pelo que Cristo fez. Gálatas 2:16 nos diz a mesma coisa. 2 Coríntios 5:21, a mesma coisa. Efésios 5 diz que os maridos devem amar as suas esposas como Cristo amou a igreja, assim como ele purificou a igreja e lavou a igreja. Em 2 Coríntios, capítulo 11, o apóstolo Paulo diz que a igreja é como uma virgem pura. Essa é a pureza posicional.

Em quinto lugar. Em quinto lugar. Nós vimos a pureza primitiva, a pureza criada, a pureza última, a pureza posicional e finalmente a pureza prática. Agora, essa é a parte difícil, pessoal. Somente Deus conhece a pureza primitiva. Somente Deus pode implantar a pureza criada. Somente Deus pode dar a todos os santos a pureza última. Agora, todo crente tem a pureza posicional. Mas nós temos muita dificuldade com a prática, não é? Tentando viver o que nós somos. É por isso que o apóstolo Paulo clama em 2 Coríntios 7, no versículo 1, aquela tremenda afirmação que todos os crentes, todos nós devemos ouvir. Veja o que ele diz, “Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus”. Ele não está falando a respeito da pureza primitiva, criada, última ou posicional. Essas coisas são de Deus. O que ele está conclamando é por uma pureza vivida e prática. No máximo será ouro misturado com um pouco de ferro. No máximo, será um pouco de roupa branca misturada com linhas pretas. Porém, Deus deseja que nós sejamos tão puros quanto possamos ser, de forma prática, diante Dele.

Ouça, pessoal: São aquelas pessoas que estão posicionalmente puras em Jesus Cristo que verão a Deus, que estarão no seu reino. Esse tipo de pessoa manifestará isso na pureza da vida, com motivações puras e com uma vida pura. Se isso não for uma verdade na sua vida, então você não é um Cristão, ou você é um Cristão vivendo em desobediência. Nós falhamos. É claro que nós falhamos. Porém, a Bíblia nos diz com devemos lidar com a falha. Nós seremos tentados a sermos impuros. Nós seremos tentados a termos pensamentos impuros, palavras impuras e atitudes impuras. Nós seremos tentados a ter motivações que não são certas, levando a palavras e atitudes que não são certas. Porém, a Bíblia nos diz como lidar com a tentação. Leia Efésios 6. Vista a sua armadura. Você fica perguntando, “Mas e se eu falhar? E se eu falhar? “ A Bíblia nos diz como lidar com isso. Se nós confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para continuar nos limpando de toda injustiça. Ele nos diz como lidar com a tentação e a falha. E toda vez que você se defrontar com ela, arrepender-se e lidar com ela, Deus limpará você e você alcança um nível maior de pureza.

É algo tremendo saber que Deus nos torna puros. Existe apenas uma outra questão que você precisa saber que é o seguinte: Como o meu coração pode ficar puro? Como o meu coração pode ficar puro? Algumas pessoas dizem, “bom, para ser realmente puro, você precisa ir para um mosteiro em uma montanha e ficar longe de tudo. Não vendo, ouvindo ou falando mal”. Monasticismo. Outras pessoas dizem, “Não, o que você precisa é de uma segunda obra de graça. Depois que você foi salvo por um bom tempo, você precisa de uma segunda obra de graça” - Existem muitas pessoas que ensinam isso – “então você consegue o que é chamado de erradicação. Então Deus, por um ato divino, erradica a sua natureza pecaminosa e você nunca mais pecará enquanto você viver”. Uma vez eu confrontei um rapaz que disse que ele tinha isso, que ele teve o ato de erradicação, a segunda obra da graça, e que ele nunca pecava. Eu perguntei a ele se ele já tinha cometido algum erro e ele disse, “Sim, mas isso é diferente”.

Eu não acho que o monasticismo consegue. Eu também não acho que o perfeccionismo consegue. Como eu consigo ter o meu coração puro? Vou lhe dar três pontos – anote. Número um, saiba que você não consegue fazer isso sozinho. Não tem como. De nenhuma forma. Provérbios 20, no versículo 9, diz, “Quem pode dizer: Purifiquei o meu coração, limpo estou do meu pecado? “ Quem pode dizer isso? A resposta é ninguém. Você não pode fazer isso. Um leopardo consegue mudar as suas manchas? Pode um etíope mudar a cor da sua pele? Quem pode dizer, “Eu estou puro”? Ninguém.

Em segundo lugar, Atos 15:9 diz, “Purificando-lhes pela fé o coração”. Você não pode fazer isso por obras. Você não pode fazer isso por obras, mas você pode fazer isso pela fé; crendo. Atos 15:9, “Purificando-lhes pela fé o coração”. Fé em que? Crer em que? 1 João 1:7 – esse é o clímax desse pensamento, pois diz, “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. Agora, você entendeu? Você não pode fazer isso pelas suas obras. Isso pode ser feito pela fé. Fé no que? No sangue de Jesus Cristo, que nos limpa do pecado. Você quer ser limpo de coração? Aceite o sacrifício de Cristo na cruz. Aceite o que ele já fez.

Zacarias 13:1 diz, “Uma fonte aberta para remover o pecado e a impureza”. Você diz, “John, eu já fiz isso. Eu já entreguei o meu coração a Jesus Cristo. Eu sei que eu estou puro posicionalmente e eu sei que eu estou puro em última instância, mas eu tenho uma grande dificuldade com a pureza prática. Como posso ser puro de forma prática?” Você quer saber como? Fique aqui, pessoal. Fique nesse livro. Ouçam as palavras de Jesus. João 15:3, “Vós já estais limpos pela” – o que? – “palavra”. “Vós já estais limpos pela palavra”. A segunda coisa, se você é um cristão, é ficar na palavra e orar. Ore e ouça as palavras de Jó, que disse, “Quem da imundícia poderá tirar coisa pura?” e só há uma resposta que ressoa por toda eternidade. Deus pode. Assim, se você pergunta inicialmente, “Como posso ficar limpo?” perceba que você não pode fazer isso por obras. Você pode conhecer a pureza pela fé. Fé no que? No sangue de Jesus Cristo que foi derramado por você. Se você já fez isso e você é um Cristão, lutando contra a impureza em sua vida, observe a Palavra e ore.

Tem mais uma questão que eu não consigo resistir em mencionar. Qual é a promessa ligada a tal pureza? O que acontece se nós formos puros? Isso é muito bom. Veja o final do versículo, “Eles” – o que? – “verão a Deus”. Esse é o futuro indicativo no Grego. Uma conjugação futura contínua. Deixe-me ler como deveria ser. “Eles verão a Deus continuamente”. Você sabe o que acontece quando o seu coração é purificado na salvação? Você vive na presença de Deus. Você não vê Deus com olhos físicos; você O vê com olhos espirituais. Você O compreende. Você percebe que Ele está aqui. Você O vê. E como Moisés, que disse, “Senhor, mostra-me a tua glória”, aquele que tem o seu coração purificado por Jesus Cristo vê repetidas vezes a glória de Deus. Preste atenção, você sabia que ver a glória de Deus era a melhor coisa que uma pessoa no Antigo Testamento poderia sonhar? Moises disse, “Mostra-me a tua glória”. Que pensamento. Filipe disse naquele dia para Jesus, “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta”. Amados, quando vocês são puros em seus corações por Jesus Cristo, vocês verão a Deus. Ele estará vivo em vocês e vocês continuarão a vê-lo. À medida em que você vai amadurecendo, e tornando-se mais puro, maior a visão abençoada se torna.

Quanto mais puro for o seu coração, mais de Deus você verá. Que grande realidade é essa. Jó disse, “Eu” – capítulo 42 – “te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem”. E você sabe onde ele O viu? Ele O viu na dificuldade. O salmista O viu na criação. Outros O veem nas circunstâncias. Outros O veem nos corações de outras pessoas; mas Ele está vivo em Seu mundo. E você não está vivo para isso a não ser que você tenha sido purificado em seu coração. A pureza do coração limpa os olhos da alma tornando Deus visível. Que grande pensamento. Você deseja ver a Deus? Você quer ter Deus vivo no seu mundo? Agora e para sempre? Então purifique o seu coração. Existe um senso último nisso, porque um dia você verá a Deus com seus verdadeiros olhos. 1 João 3:2, “Seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é” na forma de Jesus Cristo. Que grande dia será esse. Ver a Cristo face a face. F.F. Bullard escreveu, “Quando eu, em justiça, verei finalmente a tua gloriosa face. Quando a noite cansada passar e eu acordar contigo, vendo a habitável glória, então, e somente então, eu estarei satisfeito”. Vamos orar.

Pai, novamente nesta noite nos tivemos os nossos corações enriquecidos enquanto compartilhamos da Tua Palavra. Confirme isso em nós, nas partes mais profundas dos nossos corações, para que isso resulte em atos que Te trarão prazer. Torna-nos puros, ó Deus, por Jesus.

Se você está aqui sem Cristo, você sabe que o seu coração é impuro. Você sabe que a sua transgressão separa você de Deus. Porém, algo lá dentro diz, “Eu quero conhecer a Deus. Eu quero a pureza de coração que me libertará para ver o Deus vivo. Eu quero o arrependimento e o perdão que pode me libertar das correntes da culpa. Eu quero saber o que é ser puro. Eu quero saber o que significa ser perdoado. Eu quero saber o que significa sair do fardo de toda essa dor, angústia e frustração que o meu pecado e a minha culpa trouxeram”. Se esse é o seu desejo agora em seu coração, por que você simplesmente não diz, “Senhor Jesus, eu creio que o Teu sangue foi derramado por mim e que ele pode me limpar do meu pecado. Eu creio que Tu ressuscitaste dos mortos por mim. Eu te entrego a minha vida, para que Tu sejas o meu Senhor e meu Salvador”. Você pode fazer essa oração? Eu espero que sim. Eu espero que você entregue a sua vida a Cristo, a fim de conhecer a pureza que somente Ele pode dar. Se você é um Cristão e você sabe que tem coisas na sua vida que são impuras – sabe o que acontece quando você está impuro? De repente, você não consegue mais ver a Deus. Ele some. Ele se torna algo vago e embaçado. A alegria vai embora e a visão de Deus vai embora. O vazio assume o lugar da plenitude. A tristeza assume o lugar da alegria. A falta de sentido assume o lugar do propósito e você se torna miserável. Purifique o seu coração nesta noite pela confissão e pelo arrependimento.

Senhor Jesus, encontra-nos aqui onde nós estamos, e nós Te agradecemos por ter feito essa obra em nós que nos purifica não somente para a Tua glória, mas obrigado, gracioso Deus, que nós possamos continuar vendo Deus por nós mesmos. Que recompensa fabulosa e maravilhosa a da pureza. No nome de Jesus. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize