Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Que alegria é novamente esta manhã chamar sua atenção para Mateus capítulo 6 em nosso estudo da Palavra de Deus. Mateus capítulo 6, olhando para a oração dos discípulos nos versículos 9 a 13. Eu gostaria que você seguisse ao longo da leitura deste maravilhoso padrão de oração e ao entrasse em nosso estudo esta manhã. Mateus 6 começando no versículo 9, "ortanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal [pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém]!"

A maioria das pessoas se concentra na oração apenas em resposta ou referência a como funciona, não para o que é. Tendemos a ser muito pragmáticos. Oração para nós se tornou um meio para um fim e esse fim é geralmente egoísta. Uma pessoa disse, "Os homens costumam fazer suas orações como marinheiros fazem suas bombas quando o navio tem vazamentos." Isso é geralmente verdade. A oração é uma espécie de último esforço. É como um pára-quedas espiritual. Você está contente por ele estar lá; Você espera que nunca precise usá-lo. A oração tem uma maneira de ser feita de uma perspectiva errada, porque vemos da nossa maneira em vez da maneira de Deus. Mas, como aprendemos em nosso estudo sobre a oração dos discípulos, dada por nosso Senhor aqui como um modelo para todas as orações, a oração não é primariamente para nós. É para Deus. Oração não é tanto para ganhar para nós o que pensamos que precisamos, mas sim em dar a Deus uma oportunidade para manifestar a Sua glória. A oração é para Deus. Somente incidentalmente e como um subproduto é para nós.

Se nunca obtivemos nada da oração senão a comunhão com Deus, essa oração já foi bastante, isso deve ser suficiente para fazer da oração uma coisa constante. Imagine a realidade, quando você ora, de entrar na própria sala do trono e ter comunhão com o Deus vivo do universo. E você entendesse que dom tão maravilhoso é esse que seria suficiente para atrair-nos a orar constantemente.

Crisóstomo o pai da igreja primitiva tem lindamente dito, "Um monarca investido em magníficos vestidos é muito menos ilustre do que um suplicante ajoelhado enobrecido e adornado pela comunhão com seu Deus. Considere como é um privilégio quando os anjos estão presentes e os arcanjos se aglomeram em torno de onde os querubins e os serafins cercam com seu fogo o trono de Deus que um mortal pode se aproximar com confiança irrestrita e conversar com o pavor do céu soberano, oh que honra foi jamais conferida como essa?"

Quão inestimável é o privilégio de entrar na sala do trono de Deus cercado pelas hostes de Seus anjos celestiais para ter comunhão em simplicidade e com atenção arrebatada com aquele que é dedicado a nós. Se a oração não fosse nada mais do que isso seria suficiente para atraí-lo para ele sem cessar, mas a oração é mais do que isso. A oração é mais do que apenas o privilégio de se comunicar com Deus. A oração é a oportunidade para que Deus mostre Sua glória. A oração dá a Deus um veículo pelo qual Ele pode demonstrar quem Ele é. Um velho santo colocou dessa forma, e eu acho que é belamente expresso, "A oração verdadeira traz a mente para a contemplação imediata do caráter de Deus e a mantém ali até que a alma do crente seja devidamente impressionada." Deixe-me ler novamente. "A verdadeira oração traz a mente à contemplação imediata do caráter de Deus e a mantém ali até que a alma do crente seja devidamente impressionada.”

A oração é para impressioná-lo com Deus, muito mais do que para impressionar Deus com você ou suas necessidades. Você não ora porque quer que Deus pense que você é santo, e não ora para conseguir o que pode conseguir, ou para que Deus lhe dê o que você quer. Você ora, antes, para permitir que Deus esteja em exibição. É por isso que voltamos ao nosso versículo-chave em João 14:13. Jesus disse, "Se pedirdes alguma coisa em meu nome eu o farei para que o Pai seja glorificado no Filho". Por que Deus ouve a sua oração e resposta? Para que o Pai seja glorificado. A oração é sempre e sempre em primeiro lugar um reconhecimento da glória majestosa de Deus e um ato de submissão a ela. Todas as nossas petições todas, as nossas paixões, todas as nossas súplicas, todos os nossos pedidos, todas as nossas necessidades, todas as nossas provações, nossos problemas, estão todos sujeitos; olhe para a oração novamente. “O teu nome” versículo 9, “o teu reino” versículo 10, e “a tua vontade” versículo 10. Toda oração começa ali. Então você tem no versículo 11 “dá-nos”, versículo 12 “perdoa-nos”, versículo 13 “livra-nos”. Mas o dar, perdoar e guiar vem somente quando Deus é colocado em primeiro lugar.

A verdadeira adoração começa com Deus. A verdadeira adoração é esquecer a si mesmo e glorificá-Lo. Infelizmente a maioria das pessoas pensa que a oração é um esforço para trazer Deus de acordo com seus próprios desejos, e este é um movimento muito predominante hoje na igreja. As pessoas estão reivindicando coisas de Deus, reivindicando aquilo que Deus tem que fazer, entrando na presença de Deus afirmando que Deus deve fazer isso.

Estive ouvindo dois, particularmente, na televisão, e há muitos outros, mas estes dois parecem estar liderando o desfile. Ambos saem do mesmo molde que inadequadamente interpretam a Escritura, e eles dizem às pessoas para exigirem coisas de Deus. Pela fé eles devem exigir que Deus faça isso e exigir que Deus faça aquilo. Um deles estava dizendo, outra noite, que se você é um cristão cheio de espírito você nunca deve tomar conhecimento de um dia de doença em toda a sua vida. Você exige isso de Deus pela sua fé para que Ele o mantenha bem.

Este tipo de coisa é apenas uma extensão do que tem sido uma abordagem comum à oração, só agora está em uma corrida desenfreada; ou seja, que a oração é tudo sobre exigir coisas de Deus em suas condições. E quer queiramos admitir ou não em muitos casos essa é a maneira pela qual oramos. A propósito isso não é novidade. Eu tenho que mostrar-lhe uma ilustração de Gênesis apenas para mostrar-lhe como é antigo este tipo de oração. Em Gênesis 28 versículo 20 "Fez também Jacó um voto" ele é um patriarca agora "Fez também Jacó um voto, dizendo" E aqui está o seu voto ele está falando ao Senhor. "Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que eu vou" em outras palavras, se Deus seguir em frente e seguir meu caminho, faça o que eu quiser, "me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus.”

Agora, como você gosta disso para uma oração condicional? Deus você me quer do seu lado? Foque sobre o seguinte. "a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo". Eu mesmo darei dinheiro se Você fizer o que eu Te pedir. Isso não foi um voto espiritual; Isso foi um voto carnal. Deus Você faz o que eu digo para você fazer, e então eu vou deixar que você seja meu Deus. Não é assim que você ora. Você não está em primeiro lugar na oração. Você não vai a Deus em oração exigindo nada, dando ordens a Deus, afirmando que tudo que você diz que você tem, tem. Isso não é verdade. Eu ouço a promessa destes sujeitos toda hora "se você apenas crer que você a tem, você a tem!" Isso é um disparate. Isso não é verdade. Isso é jogar com a mente das pessoas e pior, jogar com a soberania de Deus.

A oração tem como propósito a exaltação de Deus, a colocação de Deus em Seu lugar legítimo, a manifestação de Sua majestade e Sua vontade soberana, e trazemos todos os outros itens na confluência com isso. A oração é para Deus. É por isso que esboçamos a oração desta maneira "Pai nosso que estás nos céus" essa é a paternidade de Deus. "Santificado seja Teu nome" essa é a prioridade de Deus. "Venha o teu reino" esse é o programa de Deus. "Tua vontade seja feita" esse é o propósito de Deus. "Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia" isto é a provisão de Deus. "E perdoa-nos as nossas dívidas" esse é o perdão de Deus. "E não nos deixes cair em tentação" a proteção de Deus. "Pois Teu é o reino o poder e a glória para sempre. Amém" a preeminência de Deus. Toda a oração modelo concentra-se em Deus. E precisamente isso lida com o assunto em questão quando Jesus a deu. Pois os fariseus, os escribas e o povo judeu, que seguia seus ensinamentos, haviam tomado a oração daquilo que Deus pretendia que fosse, um veículo para Sua exposição, e tornaram-na um exercício tradicional, pervertido, feito pelo homem, pelo qual chamavam a atenção para si mesmos. Usavam suas orações hipócritamente para mostrar como eram espirituais. Eles supunham que em suas orações estavam informando a Deus de coisas que Ele não sabia, pelo menos isso parece estar implícito no texto anterior. E eles realmente entravam em repetição vã como os pagãos faziam, como se eles pudessem importunar Deus em dar-lhes o que eles exigiam. Eles criaram uma espécie de oração que era ilegítima, pervertida, de qualidade inferior, não-escriturística. Jesus então ao confrontá-los aqui, estabelece o registro justo.

No capítulo 6 Jesus disse, suas doações não são de acordo com o padrão de Deus. Ele diz que seu jejum não está de acordo com o padrão de Deus. E aqui nesta seção sua oração não está de acordo com o padrão de Deus. Agora deixe-me corrigi-lo; Aqui está como a oração deve ser. Versículo 9 "Portanto, vós orareis assim." Não do jeito que vocês têm feito isso. Aqui está a maneira de orar, não orações auto-centradas, orações auto-justificadas, mas as orações que se concentram em Deus. E Ele começa com a paternidade de Deus "Pai nosso que estás nos céus".

Agora, vimos isso na semana passada, não foi? O primeiro reconhecimento é que Deus é nosso Pai, pater. Ele é nosso Pai. O aramaico teria sido Aba. Ele é o nosso pai, um termo de grande intimidade, um termo de cordialidade pessoal, um termo que pertence a uma família. Deus não é um ogro distante. Deus não é algum tipo de um ser cruel, caprichoso, imoral, pisando aqueles que são Seus supostos ubordinados, mas Ele é um Pai amoroso, terno e atencioso. E tem à Sua disposição todos os tesouros do céu para os seus santos, para que o Seu nome seja glorificado. Pai nosso, então, significa que Deus vai ouvir, porque Ele se importa "Pai nosso que estás nos céus" significa que quando Ele se importa Ele pode satisfazer a necessidade porque Ele tem recursos eternos ilimitados. Deus é um Pai amoroso é aí que começa a oração. E amado, toda oração começa com isso, que Deus se importa. Quando você vai orar você começa pelo reconhecimento de que Deus realmente se importa. Você não tem que importunar Deus. Você não precisa se afastar e fazer alguma coisa para fazer com que Ele responda. Você não é como os profetas e os sacerdotes de Baal que foram provocados pelo profeta Elias. "Talvez o seu deus esteja dormindo ou talvez o seu deus esteja de férias ou talvez seu deus não se importe." Seu Deus se importa, não está dormindo, e Ele está lá esperando que você entre em Sua presença porque Ele é um Pai amoroso.

Ele é ilustrado melhor nesse caráter, em Lucas 15 versículos 11 a 32 onde você tem a história chamada do filho pródigo. Esse é um título ruim. Não é a história de um filho pródigo. É uma história sobre dois filhos de um pai amoroso. A história é do pai amoroso que poderia perdoar um filho que ficou em casa e era dono da verdade, e também poderia perdoar um filho que saiu de casa e era injusto; que podia perdoar aquele que ficava em volta da casa e tentava fazer tudo o que podia para ganhar o favor de seu pai, e assim que ele pudesse, perdoar aquele que estava desolado e vivendo na imoralidade em um chiqueiro. O pai amoroso. E perdoou a ambos e ofereceu-lhes tudo o que possuía. E essa é a história de que Deus é o Pai que cuida de Seus filhos; Sejam eles religiosos ou irreligiosos sejam eles morais ou imorais sejam eles donos da verdade ou injustos. Ele se importa. Ele se importa. Ele é um Pai amoroso.

E assim toda a oração começa com um reconhecimento de que Deus se importa, e este é um modelo para cada oração. Esta não é uma oração a ser recitada; Este é um modelo para cada oração. E você começa com o reconhecimento de que Deus não só se importa, mas porque Ele está no céu Ele tem os recursos para cumprir Seu cuidado.

Paul Tournier o grande médico cristão conta um monte de histórias em seu Livro de Casos Médicos. Um pequeno esboço que eu achei interessante dizia isso. Tournier escreve, "Havia uma paciente minha, a filha mais nova de uma grande família, que o pai achava difícil de sustentar. Um dia ela ouviu seu pai murmurar desesperadamente referindo-se a ela, 'Poderíamos ter conseguido não fosse por ela.'" Tournier diz, "Isso é exatamente o que Deus nunca pode dizer. Ele é um Pai amoroso para cada um de Seus filhos." Sabe, Deus disse a Moisés por exemplo, "Eu te conheço pelo nome. Eu te conheço pelo nome."

Você sabe que a Bíblia tem genealogia após a genealogia após a genealogia e as pessoas sempre se perguntam por que todas essas lista de nomes? Por que todas essas listas de nomes? Nomes após nomes após nomes. Por que Deus se preocupa com todos esses nomes? Seja qual for seu propósito específico em cada genealogia, o propósito geral que eu penso que vem até mim é que Deus quer que as pessoas saibam que Ele as conhece pelo nome. Mais tarde a declaração maravilhosa é feita que "Nenhum pardal cai no chão sem que o Pai o saiba".

O Dr. J. F. McFadden costumava dizer que se você tirar isso do grego e colocá-lo no aramaico ele diz, "Nenhum pardal salta sem que o Pai o saiba". Ele não sabe apenas quando um pardal morre; Ele sabe onde um pardal pousa e se canta quando ele salta. Ele se importa com pequenas coisas. Ele sabe o seu nome. Ele é um Pai amoroso. "Pai nosso", então, é a paternidade de Deus.

Em segundo lugar, a prioridade de Deus. E é isso que queremos ver esta manhã a prioridade de Deus. Está na frase no versículo 9 "Santificado seja Teu nome". Agora essa é a primeira petição que você notará. Esse é o primeiro pedido "Santificado seja o teu nome". E o primeiro pedido é em favor de Deus, antes que você comece a orar por você, você começa orando em favor de Deus. "Santificado seja Teu nome". Essa é a primeira petição. A segunda petição é "Venha o teu reino". A terceira petição é "seja feita tua vontade". E então você pode dizer "Dá-nos" "perdoa-nos" "guia-nos". E então você fecja o cículo, "Pois Teu é o reino eo poder ea glória para sempre. Amém." A oração sempre começa com a prioridade de Deus.

Arthur Pink diz "Quão claro é, então, o dever fundamental na oração, estabelecido. O “eu” e todas as suas necessidades devem receber um lugar secundário e o Senhor concedeu livremente a preeminência em nossos pensamentos e súplicas. Esta petição deve tomar a precedência para a glória do grande nome de Deus é o fim último de todas as coisas."

"Santificado seja Teu nome" coloca Deus em primeiro lugar. Mesmo que Ele seja meu Pai amoroso, mesmo que Ele se preocupe em satisfazer minhas necessidades, e mesmo que Ele tenha recursos celestiais para fazer isso; Minha primeira petição não é em meu próprio favor, mas no Dele. "Santificado seja Teu nome" é uma advertência contra a oração interesseira, logo no início. Deus tem a prioridade.

Agora suponho que se você for como eu sou, e tiver sido criado em uma igreja, você disse, "Santificado seja Teu nome" muitas vezes em sua vida. Você remexeu através da Oração do Senhor repetidas vezes e você ouviu a palavra "santificado" e o conceito de "Santificado seja Teu nome", mas eu me pergunto se você realmente sabe o que isso significa. Esta é uma frase fenomenal "Santificado seja Teu nome." Você entende o que é? O que está implícito em seu significado? É uma espécie de coisa oficial como viva o rei "Santificado seja Teu nome"? Eu acho que não. Quando Jesus diz "Santificado seja Teu nome" aqui ele diz algo tão pleno e tão rico que é inconcebível que eu possa esgotar o que significa neste ou em qualquer outro ministério porque abrange toda a natureza de Deus e tudo da resposta do homem à Sua natureza. Não é apenas uma rotina religiosa casual. Não é apenas recitar algumas palavras que são bons pensamentos sobre Deus. É muito mais do que isso. Ele abre toda uma dimensão de respeito, reverência, admiração, apreciação, honra, glória, adoração e louvor a Deus. O conceito de nome, você vê lá, "Teu nome?" Não é restrito a um título, não é restrito a um título.

Hoje pensamos no nome de alguém e isso é tudo o que é, um nome. E realmente não significa muito além de um nome. Nós até dizemos, o que há em um nome? Meu nome é John. John significa dom gracioso de Deus. Francamente isso é discutível para muitas pessoas. Não há realmente nada nesse nome. Há muitas pessoas chamadas John ou João que não se importam com Deus. Nós não temos esse conceito em nossas mentes, mas precisamos voltar e pensar através do termo “nome” como um hebreu o vê.

Agora os judeus tinham tal santidade anexada ao nome de Deus de modo que não o mencionavam, e eles estavam preocupados em não dizer a palavra que era o nome de Deus, enquanto eles desonravam Sua pessoa. Não é incrível? Eles estavam muito ocupados desonrando Sua pessoa, desobedecendo Sua Palavra, destruindo Suas verdades, mas eles estavam tentando santificar Seu nome, apenas o próprio nome, as letras que compunham o nome. Por exemplo você pode se lembrar que em seu Antigo Testamento, particularmente, você leu a palavra Jeová, Jeová. Não há tal palavra Jeová em hebraico. Embora apareça em todo o Antigo Testamento não há tal palavra. Você diz bem de onde veio?

Bom, o nome de Deus, em Êxodo, Ele disse, "Eu Sou o que Sou" é o Senhor Javé. O outro nome familiar para Deus é Adonai que significa Senhor, o Senhor Deus, Javé, Adonai. Agora o judeu não queria dizer isso. Ele queria manter o nome de Deus sagrado, mas ele tinha reduzido isso apenas ao nome; Não à pessoa e à vontade de Deus. E assim um judeu não diria Javé. Na verdade, se você entrasse em um círculo ortodoxo hoje em hebraico e dissesse essa palavra, você provavelmente seria apedrejado. Isso é verdade. Eles não dirão isso. Então você sabe o que eles fizeram? Eles tiraram as consoantes de Javé. Eles tiraram as vogais de Adonai; Eles as ajuntaram e vieram com Jeová que é uma não-palavra. Eles fizeram isso para que não precisassem dizer a verdadeira palavra que é o nome de Deus, mas que superficialidade! Pois embora tivessem o cuidado de não dizer o nome. blasfemavam constantemente quem Ele era. Agora o que nosso Senhor está nos ensinando aqui, ao santificar o nome, é que respeitamos a Deus por quem Ele é, não apenas Seu nome como um nome. É um conceito abrangente.

Agora vamos olhar para ele por um minuto. Nos tempos bíblicos, vamos olhar primeiro para o nome e depois vamos olhar para o que significa santificar. Nos tempos bíblicos o nome era mais do que um título. Em 1 Samuel 18 e há muitas ilustrações. Vou lhe dar uma para que você possa ter algo. Em 1 Samuel 18 e no versículo 30 diz, "Cada vez que os príncipes dos filisteus saíam à batalha" ouçam "Davi lograva mais êxito do que todos os servos de Saul." Agora, Davi ganhou boa reputação com o povo. Ele se comportou com mais sabedoria do que Saul e seus servos "portanto, o seu nome se tornou muito estimado." Agora eles não estavam estimando as letras em seu nome. Seu nome sendo estimado significava ele, ele mesmo, seu nome representando quem ele era, seu nome sendo estimado. Dizemos isso hoje, bom, tal e tal fez seu nome. Fulano de tal tem um bom nome. Queremos dizer que há algo sobre o seu caráter que é digno de nosso louvor. O nome então representava todo o caráter da pessoa revelada. O nome era o caráter pessoal e incomunicável do indivíduo.

Vou lhe dar uma ilustração disso. Se você voltar ao capítulo 34 de Êxodo, verá o que está claramente indicado para nós. Agora, Moisés está tendo uma pequena discussão com Deus sobre Sua glória. Ele quer ter certeza de que Deus está com ele. Ele quer ter certeza de que Deus está lá. E assim no versículo 18 do capítulo 33 ele diz, "Rogo-te que me mostres a tua glória." Não me dê um trabalho que eu não possa fazer sem você aqui, e quero saber que você está aqui visivelmente, vendo Sua glória. O Senhor diz que está bem. Agora Ele mostra a Sua glória. Então você vai a 34:5, Êxodo 34:5. "Tendo o SENHOR descido na nuvem, ali esteve junto dele e proclamou o nome do SENHOR." Agora, o Senhor desce e proclama o Seu nome. Agora, o que Ele disse? Senhor, Senhor, Senhor, Senho,r Senhor, Senhor, Senhor, repetidamente? O que você quer dizer com que Ele proclamou Seu nome? Versículo 6, "E, passando o SENHOR por diante dele, clamou." Agora aqui no versículo 5 diz que Ele proclamou Seu nome. No versículo 6 ele diz que Ele proclamou isto. Portanto tudo o que Ele diz no versículo 6 é o equivalente a Seu nome no versículo 5. Ele proclama Seu nome aqui. Bom, olhe o que Ele diz "SENHOR, SENHOR Deus". Ele pára por aí? Não "compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado". Isso significa que Ele é um Deus justo e santo. "e visita a iniqüidade dos pais nos filhos e nos filhos dos filhos". Ele é um Deus de julgamento e assim por diante.

Agora, você pegou a imagem? Deus diz, Proclamarei o meu nome. Aqui está o Meu nome "misericordioso, gracioso, longânimo, abundante em bondade, verdade, guardando misericórdia, perdoando a iniqüidade" etcétera. Em outras palavras o nome de Deus é o composto de todos os Seus atributos, você vê? Tudo o que Deus é, é encarnado em Seu nome. E santificar Seu nome não é ter algum tipo de fetiche por falar a palavra Deus ou Senhor. É santificar tudo o que Deus é em termos de Sua natureza Seus atributos.

Por exemplo no Salmo 9:10 a Bíblia diz "Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome." Você ouviu isso? Agora se tomarmos o conceito de nome apenas para significar a palavra, todos os que conhecem a palavra Deus confiam Nele? Claro que não. Isso é absurdo. Mas aqueles que conhecem o teu nome, aqueles que percebem a plenitude de quem Tu és, confia em Ti. Ouça, amado, quando as cortinas se desprenderem e você vir a Deus por quem Ele é, você vai confiar Nele. Essa é a essência do que significa no Salmo 9:10. "Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome". Aqueles que realmente entendem Seu caráter confiarão Nele.

Se você fosse ver os Salmos você poderia ir através dos Salmos e traçar isso até o fim. É repetido diversas vezes. Por exemplo no Salmo 7:17 "renderei graças ao SENHOR, segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do SENHOR Altíssimo" sendo o nome tudo o que Ele é. Em, mais adiante, nos Salmos, um pouco mais no Salmo 102, há um versículo, versículo 15. Ele diz "Todas as nações temerão o nome do SENHOR." Bom, eles não temem as letras. Eles temem a incorporação de tudo o que Deus é. No Salmo 113, versículo 1 e seguintes, uma passagem muito útil. "Aleluia! Louvai, servos do SENHOR, louvai o nome do SENHOR." Agora ouçam, "Bendito seja o nome do SENHOR." Versículo 3, "Do nascimento do sol até ao ocaso, louvado seja o nome do SENHOR. Excelso é o SENHOR, acima de todas as nações, e a sua glória, acima dos céus. Quem há semelhante ao SENHOR, nosso Deus."

Em outras palavras, tudo o que Ele é, é motivo de Seu louvor. Isso é verdade em muitas outras passagens do Antigo Testamento. É característico de Isaías em pelo menos três lugares diferentes, louvar o nome do Senhor. No Salmo 20 versículo 7 diz, "Uns confiam em carros, outros, em cavalos; nós, porém, nos gloriaremos em o nome do SENHOR, nosso Deus". Mas o versículo-chave para entender o conceito de nome é João 17:6, João 17:6. Jesus disse, ouça, "Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo." Agora ouça, Jesus disse que eu manifestei o teu nome. O que Ele quis dizer? Eu revelei quem Tu és.

João 1:14 "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos" o quê? "a sua glória, glória como do unigênito do Pai". Em outras palavras, Ele manifestou Deus. "Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido?" Jesus é então a encarnação do nome de Deus. Ele é a manifestação, a revelação humana de tudo o que Deus é. Isso é o que seu nome significa.”

Assim um nome não é um título, um nome é um total. Um nome é a pessoa inteira. Colocando isto em termos claros, poderíamos começar a fazer esta oração desta maneira, "Pai nosso que nos ama e cuida de nós e que tem no céu suprimentos para satisfazer todas as nossas necessidades; A tua pessoa, a tua identidade, o teu caráter, a tua natureza, os teus atributos, a tua reputação, o teu ser mesmo, seja santificado". É isso que está dizendo. Esta não é uma frase fútil "Santificado seja Teu nome" lançado a Deus periodicamente em um ritual. Esta é uma maneira de se aproximar de Deus continuamente para compreender a plenitude de quem Ele é e para O santificar por quem Ele é.

Agora, os próprios nomes de Deus na Bíblia, e há muitos deles, nos ajudam a entender isso. É dado muitos nomes diferentes a Deus. Cada um de Seus nomes expressa alguma parte de Seu caráter. Por exemplo, Deus está na terceira palavra na Bíblia chamado Elohim "No princípio Deus". Elohim é o Deus Criador, na palavra Elohim nós vemos Sua criação. Ele deve ser santificado como um Criador. O cancionista disse isso tão bem "Eu canto o poderoso poder de Deus que fez subir as montanhas e que espalhou os mares que fluíam para o exterior e construiu os altos céus. Eu canto a bondade do Senhor que encheu a terra de alimento. Ele formou as criaturas com Sua palavra e então as declarou boas. Senhor, como são mostradas as tuas maravilhas onde ponho os meus olhos; Se eu examinar o chão que piso ou olhar para o céu. Criaturas tão numerosas quanto nós, estamos sujeitos a Teu cuidado. Não há um lugar onde possamos fugir, mas Deus está presente lá." Em todo lugar. Ele é visto como o Criador.

A Bíblia o chama de El Elyon. Em Gênesis capítulo 14, versículos 18 e 19 diz, "Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo El Elyon que possúi os céus e da terra." Ele é Deus Criador. Ele é Deus possuidor. Ele é o governante soberano sobre todo o universo. O Antigo Testamento o chama Jeová-Jireh o Senhor proverá, Jeová-Nissi o Senhor é nossa bandeira, Jeová-Rapha o Senhor que cura, Jeová-Shalom o Senhor é nossa paz, Jeová Tsidkenu o Senhor é nossa justiça, Jeová-Sabaoth Senhor dos exércitos, Jeová-Samá o Senhor está próximo, está presente, o Senhor Jeová-Mekoddishkem que significa que o Senhor te santifica.

Todos esses nomes falam de Seus atributos. A Bíblia O chama por tantos termos, mostrando a plenitude de quem Ele é. Mas o maior nome que Deus jamais tomou, o maior nome pelo qual Deus jamais foi designado na história, é o nome do Senhor Jesus Cristo que significa o Senhor Salvador e Rei. Esse é o seu maior nome. E como o Senhor Jesus Cristo designou para si muitos outros nomes o Pão da Vida, a Água Viva, o Caminho, a Verdade, a Vida, a Ressurreição, o Bom Pastor, o Ramo, a Estrela Brilhante e da Manhã, o Cordeiro de Deus, e assim por diante. Todos os nomes de Deus tocando em vários atributos de Sua abençoada pessoa majestosa, de modo que quando falamos de Deus e Seu nome não estamos falando de um título, estamos falando sobre a plenitude de quem Ele é. Ao ler Isaías 9, "Uma criança nascerá; Seu nome será chamado Maravilhoso Conselheiro, o Deus Forte, O Príncipe da Paz, O Pai da Eternidade" todas as designações de Sua natureza.

É por isso que Romanos 1:5 diz "Nós pregamos o evangelho para que as nações creiam por causa do seu nome." Terceira João 7 diz, "pois por causa do Nome foi que saíram”. Tudo o que Ele é. Não é de admirar que o escritor do hino escreveu, "Eu poderia falar o valor incomparável. Eu poderia soar as glórias que em meu Salvador brilham. Eu soaria e tocaria as cordas celestiais e competiria com Gabriel enquanto ele cantasse em notas quase divinas. Eu cantaria os personagens que Ele carrega e todas as formas de amor que Ele usa, exaltadas no Seu trono em canções mais sublimes do mais doce louvor, que eu gostaria de fazer em dias eternos todas as Suas glórias conhecidas.”

Assim entendemos "Teu nome" para ser tão completo como Deus está em Seu próprio ser, santificar Seu nome é percebê-Lo na plenitude de quem Ele é. Mas o que significa santificar? O que significa santificar? Ao pensar na palavra santificar o que pensamos? Dia das Bruxas? De alguma forma foi contraído para isso. Em que pensamos? Pensamos em alguns salões de clausura, paredes cobertas de hera, longas vestes, cantos tristes, auréolas, igrejas fracas e úmidas, música mórbida e fúnebre, e outras tradições cansadas. Santificado é uma palavra arcaica, eu te concedo. Tradutores das várias versões da Bíblia o mantiveram por causa de sua familiaridade, mas pergunto-me se sabemos o que significa, santificado.

Deixe-me dizer o que isso significa. Vem de um verbo grego hagiazō. Essa palavra é uma palavra muito importante na Bíblia e é usada repetidamente. A forma substantiva da palavra é hagios que significa santo. Santo seja o teu nome. Isso é o que significa, santificado. Agora, basicamente tem dois significados que são possíveis. Nunca é usada, tanto quanto sei, no grego secular, mas tem muitos usos no grego bíblico para que possamos preencher seu significado muito facilmente. Tem duas idéias básicas uma hagiōsunē ou hagios pode significar tornar uma coisa ordinária em extraordinária; tonar uma coisa comum em incomum, colocando-a em contato com algo extraordinário e incomum.

Agora esse é o seu uso em 1 Pedro 1:16 onde Pedro diz a você e a mim "Sede santos". O que isso significa? Isso significa que somos ímpios para começar, mas entrando em contato com Aquele que é santo podemos ser santos. Então hagios é tornar algo ímpio em santo pelo contato com o que é santo. Esse é o seu primeiro significado. É esse o seu significado nesta passagem? Estamos tornando Deus santo quando, em nossas orações? Estamos dizendo, agora Deus eu sei que você é ímpio, eu sei que você é comum ordinário mas por esta oração eu quero que você seja santificado? Não. Esse não é seu uso aqui.

Há uma segunda maneira que é usada na Bíblia muitas vezes desta forma, na verdade mais vezes. E isto é, é usado nesta referência para tratar algo ou alguém como sendo sagrado, algo ou alguém como separado e santo, considerar alguém como separado. Em outras palavras no caso dos homens é tornar algo santo. No caso de Deus é considerá-Lo como santo. Quando você diz "Santo seja o teu nome" você não está dizendo a mesma coisa quando eu digo a você "Sede santos" certo? Estou dizendo para você colocar sua vida em harmonia com Deus e que Sua justiça se torne sua. Mas quando eu digo a Deus "Santo seja o teu nome" estou dizendo que teu nome seja considerado e manifestado como santo, e é assim que é usado aqui. Nós não tornamos Deus santo. Simplesmente pedimos que Ele seja reverenciado e considerado santo.

Agora a idéia básica de hagiazō ou hagios é muito simples. O que significa ser santo, que você está dizendo? Dizemos que santificado seja Teu nome. Dizemos santo seja o Teu nome. Qual é a diferença? Bom, a idéia de santo é diferente. É diferente. Significa ser diferente. Agora, nem todos os que são diferentes são santos mas todos os que são santos são diferentes. Você entende isso? Muito bem. Muitas pessoas diferentes não são santas, mas as pessoas santas são diferentes.

A idéia básica é diferente. Significa uma esfera diferente, uma qualidade de ser diferente. É por isso que Deus é chamado o Santo. Ele está em uma esfera diferente. Ele tem uma qualidade de ser diferente da nossa vida. É usado por exemplo em Êxodo 20 versículo 8, onde diz "Lembra-te do dia de sábado para o santificar". O que isso significa? O dia do sábado deve ser diferente de todos os dias. Deve haver um dia diferente do que os outros. Em Levítico 21:8 diz-nos que os sacerdotes seriam santos. Deviam ser diferentes dos outros homens. Eles foram separados para servir a Deus. Santo significa ser separado, ser diferente, ter outra esfera de vida, existir em outra qualidade de ser. Isso é basicamente é o que significa ser santo. Deus vive em outra esfera. Deus existe em um nível diferente. Deus está separado de nós. Deus é incomum, extraordinário, sobrenatural, separado dos pecadores, santo imaculado diz a Bíblia. Ele é santo, independente de nós.

Agora, fora isto, vem a idéia de reverência. Quando oramos o que esta primeira petição está dizendo, devemos falar a Deus em termos de reverência. Que Sua pessoa seja reverenciada, é o que estamos dizendo. Deixe-me dar-lhe uma ilustração. Volte em sua Bíblia a Números, o quarto livro na Bíblia, Números capítulo 20. E esta é uma ilustração muito, muito útil para que você possa ver isso. Em Números 20 descobrimos que os filhos de Israel estão no deserto e estão com muita sede e não há água. Versículo 2, "Não havia água para o povo; então, se ajuntaram contra Moisés e contra Arão." Observe que eles estavam imediatamente contra seus líderes. Eles culparam-nos por sua falta de água. “E o povo contendeu com Moisés, e disseram: Antes tivéssemos perecido quando expiraram nossos irmãos perante o SENHOR!" Quem quer morrer de sede agora? "Por que trouxestes a congregação do SENHOR a este deserto, para morrermos aí, nós e os nossos animais? E por que nos fizestes subir do Egito, para nos trazer a este mau lugar?" É este o plano? "que não é de cereais, nem de figos, nem de vides, nem de romãs, nem de água para beber? Então, Moisés e Arão se foram de diante do povo para a porta da tenda da congregação e se lançaram sobre o seu rosto; e a glória do SENHOR lhes apareceu. Disse o SENHOR a Moisés: Toma o bordão, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falai à rocha, e dará a sua água; assim lhe tirareis água da rocha e dareis a beber à congregação e aos seus animais."

Agora, Deus disse, Moisés, você se dirija àquela rocha, passar por cima da rocha, e fale a ela, e eu vou trazer água. Bom, versículo 9, "Então, Moisés tomou o bordão de diante do SENHOR, como lhe tinha ordenado. Moisés e Arão reuniram o povo diante da rocha, e Moisés lhe disse: Ouvi, agora, rebeldes: porventura, faremos sair água desta rocha para vós outros? Moisés levantou a mão e feriu a rocha duas vezes com o seu bordão." O que Deus lhe disse que fizesse? Falasse. O que ele está fazendo aqui? Ele está batendo na rocha duas vezes. E, aliás, Deus não fez toda a congregação pagar pelo pecado de Moisés, então, "e saíram muitas águas; e bebeu a congregação e os seus animais. Mas o SENHOR disse a Moisés e a Arão:” ouçam isto, “Visto que não crestes em mim, para me santificardes" é a mesma palavra na Septuaginta hagiazó, ver-me como aquele a ser reverenciado, ser respeitado, ser honrado, ser glorificado, ser separado, ser obedecido, porque não fizestes isso "diante dos filhos de Israel, por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei." E vocês sabem que ele nunca entrou na Terra Prometida porque bateu nessa Rocha.

Ouça, Moisés estava dizendo, bom, eu não sei. A última vez que este negócio foi feito, eu bati na rocha. Eu não sei se Deus poderia fazê-lo se eu não batesse nela. E Moisés também queria afirmar na mente do povo que ele era o herói. E então apenas falar com a rocha seria mais glorificar a Deus, Moisés achava que ele tendo batido algumas vezes na rocha, eles associassem o poder com sua vara e seu braço direito. Ele estava roubando a glória de Deus. Ele estava desobedecendo ao comando de Deus. Ele não estava reverenciando a Deus. Ele não, diz no versículo 12, santificou a Deus. Ele não santificou Deus. Ele não reverenciou a Deus. Ele não prestou a Deus Sua honra devida, por sua incredulidade, sua desobediência e sua irreverência. Santificar o nome de Deus, o que isso significa? Manter Seu inigualável ser em reverência para que você acredite no que Ele diz, para que você possa obedecer ao que Ele diz.

Crisóstomo disse que a palavra para santificar é equivalente a doxazein que significa glorificar e honrar. Orígenes disse que é equivalente a hupsoō que significa exaltar ou levantar em alto. Outros disseram que é equivalente a eulogein que significa abençoar ou elogiar. Em outras palavras é para exaltar a Deus. João Calvino disse, "Que o nome de Deus seja santificado, é dizer que Deus deve ter Sua própria honra da qual Ele é tão digno, para que os homens nunca pensem ou falem Dele sem a maior veneração".

Agora, você tem o quadro? Santificar o nome de Deus ver Seu nome como tudo o que Ele é, e ser reverente em Sua presença. Agora, isso eu acho vem depois de "Pai nosso" porque é uma proteção contra algo. Demasiado "Pai nosso", muito Aba, papai demais, transforma-se em sentimentalismo. E arrastamos Deus para baixo, tornamos Deus em um tipo agradável de amiguinho e temos dopado com isso o cristianismo americano, ao ponto em que é um problema real. As pessoas falam com Deus em tais conceitos e termos de baixo nível que eles realmente não fazem justiça ao Seu nome santificado. Rebaixamos essa parte de Papai, praticamente. Nós pensamos que Deus é o grande pai que devemos nos aproximar e Ele vai nos dar tudo.

Ouça, os judeus estavam muito conscientes disso e também nosso Senhor, é por isso que depois de "Pai nosso", Aba, Ele diz santificado, santo, reverenciado, é o Teu nome. Os judeus estavam conscientes disso, quando um judeu chamava Deus Pai, ele quase sempre, imediatamente, acrescentava outro título, depois disso, para equilibrar seu pensamento. Eu li algumas das orações judaicas esta semana e mais de uma vez eu encontrei isso, "Ó Senhor Pai e Governante da minha vida. Ó Senhor Pai e Deus da minha vida. Ó Pai Rei de grande poder Altíssimo e Todo-Poderoso Deus." No Shemoneh Esrai que são as dezoito orações que um judeu tinha que fazer todos os dias, fera assim que começavam cada uma dessas orações, "Ó Pai, ó Rei, Ó Senhor". Nos dez dias de penitência na época do Dia da Expiação, os judeus oravam uma coisa chamada Abinu Malkenu, e quando oravam através destas 44 vezes, diziam, Pai Nosso Nosso, Rei, Pai Nosso, Nosso Rei, Pai nosso, Nosso Rei " porque eles nunca quiseram que o conceito de Deus fosse tão limitado quanto era o deles a respeito de Deus, como um Pai, para fazer com que fossem sentimentais sobre Deus que também era um majestoso Rei soberano. E assim eles se guardavam cuidadosamente da questão do sentimentalismo de Deus.

Em 1 Pedro 3:15 Pedro diz, "santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração." Ele usa a mesma palavra hagiazó, reverência a Deus. Trate Deus como santo, trate a Deus como separado, extraordinário, incomum, digno de ser adorado, louvado e glorificado. O que é santificar? É separar de tudo que é comum e ímpio; Estimar, premiar, honrar, reverenciar, adorar, como divinamente e infinitamente abençoado, o Deus verdadeiro e único. E você não pode falar de Deus em termos terrenos. Você não pode arrastar Deus para baixo para a conversa de rua. Deus deve ter títulos apropriados para Seu poder e Sua santidade. Como é fácil em nossa vida passar por ela dizendo "Santificado seja Teu nome, Santificado seja Teu nome" e não fazer idéia do que estamos dizendo.

A verdade de tal petição é que Deus deve ter o lugar de prioridade legítimo. Meu coração anseia por ter Ele glorificado honrado em cada situação cada circunstância e cada relacionamento. Jesus disse, "Pai honra o teu nome em mim." Em João 12 esse era o Seu objetivo.

Agora isso é o que significa santificar Seu nome. Mas como você faz isso? Como você faz isso? A parte mais importante do que queremos dizer vem agora, então ouça. Esta é a prática. Como podemos santificar Seu nome? O que essa oração realmente está dizendo? O que realmente estamos perguntando quando dizemos "Santificado seja Teu nome"? Como posso saber que a oração é respondida? Como o nome de Deus pode realmente ser santificado? Porque é uma petição que eu estou fazendo por ele. "Deus permita que o teu nome seja santificado" e a implicação é, através de mim. "Seja o teu nome santificado em minha vida. Que o teu nome seja santificado na minha vida, na minha presença." Como?

Estamos apenas dizendo para não usar Seu nome em vão? Não apenas isso - isso, mas não apenas isso. Estamos dizendo que você tenha certeza que você diz em sua liturgia, sua oração e seus atos de adoração "Santificado seja o teu nome"? Não. Embora não seja errado dizer isso. Esse não é o problema. Como você realmente reverencia a Deus? Como Deus pode ser santificado em minha vida? Eu vou lhe dar quatro pontos e eu quero que você siga a progressão.

Número um, nós santificamos Seu nome quando cremos que Ele existe. Nós santificamos Seu nome quando cremos que Ele existe. Hebreus 11:6 diz, "porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe." Você nunca pode honrar a Deus; Você nunca poderá exaltar a Deus a menos que você creia que Deus existe. É aí que tudo começa. E pela forma como a Bíblia nunca tenta provar isso. Você sabe por quê? Porque Deus é auto-evidente. Ele é auto-evidente. Deus é axiomático. Um axioma é algo que não precisa ser provado. Um axioma é o que se opõe a que outras coisas são comprovadas. Deus é um axioma na Bíblia. Deus nunca é provado. Tudo o mais é provado como se relaciona com Deus. Deus é o axioma. Deus é auto-evidente. Os escritores da Bíblia nunca procuraram provar isso, eles apenas creram, e vocÊ nunca santificará a Deus até que creia que Ele existe.

Sir James Jeans, o astrônomo, disse, "Nenhum astrônomo jamais poderia ser ateu". Kant o filósofo que tinha muitos pontos de vista estranhos, pelo menos tinha esse correto. "A lei dentro de nós e os céus estrelados acima de nós nos levam a Deus" disse ele. Deus é auto-evidente no homem e em torno do homem e nós começamos a santificar Deus quando cremos que Ele existe. Mas não pára por aí. Você pode crer que Deus existe e ainda não santificar Seu nome.

Há uma segunda coisa. Você deve santificar Seu nome não só sabendo que Ele existe, mas por conhecer o tipo de Deus que Ele é. Você pegou isso? Há muitas pessoas que dizem, "Eu creio em Deus" mas elas não santificam Seu nome porque não é o Deus que Ele realmente é. A verdadeira doutrina sobre Deus e o verdadeiro ensinamento de Deus são a reverência a Deus. A falsa doutrina sobre Deus e o falso ensino sobre Deus são irreverência. Nós pensamos que você toma o nome do Senhor em vão quando você diz "Jesus Cristo" ou "Deus" ou algo parecido. Você sabe que você toma o nome do Senhor em vão toda vez que você tem um pensamento sobre Deus que não é verdadeiro dEle. Você entendeu isso? Quando você duvida de Deus, quando você não crê em Deus, quando questiona a Deus, e porque Ele fez algo que você está tomando Seu nome em vão, porque isso não é verdadeiro de Seu caráter, do Seu nome. Assim você pode santificar o nome de Deus quando crê que Ele é único, se você crê que Ele é quem Ele realmente é. Pensamentos errados, ilícitos sobre Deus não santificam Seu nome.

Orígenes o pai da igreja primitiva disse, "O homem que traz em seu conceito de Deus idéias que não têm lugar lá, leva o nome do Senhor Deus em vão." Agora eu imagino no período grego de tempo que eles tinham todos esses deuses, que estavam realmente longe do campo do verdadeiro Deus. Eles inventaram deuses, e, claro, seus deuses tinham batalhas, seus deuses lutavam guerras e eles tivnham brigas, eles tinham amantes que se resevam o tempo todo. Eles tinham ódio. Eles se seduziam. Eles cometiam adultérios, imoralidades, perversões e atrocidades. Todos os deuses que criaram, caprichosamente, tiveram esses problemas porque a qualquer momento os homens inventam deuses, seus deuses se tornam como eles os vêem? E para dizer a um grego, você tem que santificar seus deuses, você tem que exaltar seus deuses, você tem que reverenciar seus deuses, seria ridículo. Seus deuses eram tão vís quanto eles, mas não o verdadeiro Deus.

Alguns tentaram fazer a mesma coisa com o verdadeiro Deus. Alguns, tomando por bases fontes pagãs, tentaram dizer que Deus é cruel, que quando Deus afogou o exército de Faraó Ele foi um Deus selvagem, que quando Deus fez o que Ele fez aos cananeus Ele foi um Deus selvagem, que quando Deus puniu certas nações Ele foi muito cruel, vingativo e áspero. Por que mesmo Jó caiu nesse pecado no capítulo 30 de Jó, no versículo 21, quando ele estava tentando descobrir seu dilema. Ele disse estas palavras a Deus "Tu és cruel comigo".

Deus é acusado de ser desprovido de amor. Deus é acusado de banir indiscriminadamente as pessoas para um inferno eterno. Deus é visto como um aliado nacional de Israel que vai matando outras pessoas por capricho. Ouça, quando você tem pensamentos errados como esses, sobre Deus, quando você não entende quem Deus realmente é, você não santificou Seu nome. Na verdade John Wesley ouviu um monte dessas críticas um dia e finalmente disse "Seu deus é o meu diabo. Eu acho que você os tem invertido”. Permitir a introdução de coisas que sejam erradas e indignas na concepção de Deus é irreverência a Seu santo nome. E você sabe que os cristãos podem fazer isso não apenas tendo pensamentos errados sobre Deus, mas ignorando os pensamentos corretos. Porque se você é ignorante de como Deus é, então você vai duvidar dele quando Ele fizer as coisas. Você vai questioná-Lo quando Ele fizer as coisas. Você não vai confiar Nele. Você vai ser desobediente e você vai fazer com que os outros sejam afastados de Deus e em tudo isso você está faltando com a reverência a Deus.

Para santificar Seu nome você deve crer que Deus existe. Você deve estar ciente de que Ele é quem Ele é, mas você quer saber de uma coisa? Mesmo se você creia que Deus existe, e mesmo se você creia que Ele é quem Ele é, você ainda não pode reverenciar a Deus. Porque há muitas pessoas que creem e muitas pessoas têm uma teologia correta, mas elas não santificam a Deus.

Há um terceiro ponto. Nós santificamos Seu nome, ouça, quando estamos constantemente cientes da Sua presença. Sabendo que Ele existe, sabendo quem Ele é e trazendo isso para a consciência, de modo que nós, vivendo todos os dias de nossas vidas, damos lugar a Deus, isso é estar santificando Seu nome. No Salmo 16:8 Davi disse, "Eu sempre ponho o Senhor diante de mim." Eu vejo tudo através de Deus. Deus é a minha visão. Essa é a chave.

E sobre você? Reverenciar a Deus é viver em Sua consciência. Para a maioria de nós nossos pensamentos de Deus são espasmódicos. Você concordaria com isso? Às vezes muito intenso; Às vezes totalmente ausente. Alguns dias às vezes como agora pensamos muito em Deus, e você vai sair do culto e pensar sobre Deus por algum tempo. E então você vai passar por um longo período de tempo, talvez uma semana inteira, e pensar muito pouco sobre Deus. Espasmódico. Mas realmente santificar Seu nome é atrair pensamentos conscientes de Deus em cada pensamento diário, em cada palavra diária, em cada ação diária. Você vê Deus em toda parte? Você santifica Seu nome em sua vida? Ele é manifesto constantemente, tudo que você faz, tudo que você diz em toda parte que você vai, você vê Deus se manifestar?

Um dos poetas devocionais modernos é Henry Ernest Hardy e ele escreveu isso chamado A Beleza Mística. Ele toca na idéia. "A cidade de Londres tem muitos humores, e misturada entre suas muitas ninhadas uma fermentação de santos. E sempre para cima e para baixo suas ruas, se alguém tem olhos para ver um, encontra coisas que um artista pinta. Eu vi uma rua de trás banhada em azul como só a alma de Whistler sabia; Uma mancha de luz âmbar onde uma loja de peixe frito fazia o seu comércio, uma nota perfeita de cor feita. Oh era requintado. Certa vez passei pelo Parque de Saint James, entre o pôr-do-sol e o anoitecer, e o mistério do cinza, do verde e do violeta! Eu nunca poderia esquecer aquela harmonia noturna. Eu tenho certeza que Deus está lá se a beleza rompe por qualquer lugar e Seus pés, mais abençoados que uma vez percorreram a estrada mais áspera da vida, que vieram como homem para nos mostrar Deus, ainda passam pela rua.”

Saint James Park, uma loja de peixe, uma rua de trás, uma luz âmbar, e ele vê Deus. Consciência de Deus não espasmódica, mas constante. Não, santificar a Deus significa que devemos crer que Ele exite, devemos crer que Ele é quem Ele é, e devemos estar constantemente conscientes de Sua presença. Mas você sabe de uma coisa? Você poderia fazer todas essas três coisas e ainda assim não reverenciar a Deus, se você não fizesse uma quarta.

Aqui vem. Está pronto? O final. Santificamos o nome de Deus quando vivemos uma vida de obediência a Ele. Essa é a chave final. Você não pode chegar à plenitude de santificar Seu nome a menos que você O obedeça. Poderia se dizer "Oh sim eu creio que você existe. Eu creio que você é quem a Bíblia diz que você é. Oh sim, Deus, estou ciente de Sua presença na minha vida " e então desobedecer corta a capacidade de uma pessoa reverenciar o Seu nome. Você vê, a oração não é apenas que o nome de Deus seja santificado no céu. Não é apenas que o nome de Deus seja santificado em todo o mundo. É que o nome de Deus seja santificado em mim. É isso, pessoal. Lembre sempre. Esta é a oração que diz, "Deus seja eu um veículo para a tua santidade?" É aí que começa a oração. Antes de começar a perguntar o que você deve pedir para si, você precisa pedir o que você deve ser. Você vê?

No catecismo de Lutero, a pergunta foi feita, como o nome de Deus é santificado entre nós? A resposta: quando tanto a nossa doutrina como a nossa vida são verdadeiramente cristãs. Quando você tem os pensamentos corretos de Deus e você faz as ações certas de Deus você está santificando Seu nome. A primeira parte desta oração é "Deus ensina-me a verdade e ajuda-me a vivê-la." "Santificado seja Teu nome" significa em mim Deus. Manifeste a sua santidade pelo meu conhecimento correto de quem você é a minha vida correta em resposta a isso. É por isso que 1 Coríntios 10:31 diz, "Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus". É assim que devemos viver.

Mateus 5:16. Eu já disse, "Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus". "Santificado por Teu nome" significa que Deus está em exposição através de mim. Deixe a luz brilhar através de mim para que eles possam glorificar a Ti. Como você faz isso? Como você obedece dessa maneira? Como você realmente deixa Deus ser manifestado? Vivendo em obediência à Sua Palavra. A Bíblia diz que glorificamos a Deus confessando-o como Senhor. Nós glorificamos a Deus confessando o pecado, glorificamos a Deus pela fé. Nós glorificamos a Deus dando fruto. Nós glorificamos a Deus pelo louvor. Nós glorificamos a Deus pelo contentamento. Nós O glorificamos por meio da proclamação de Sua verdade. Nós glorificamos a Deus pelo evangelismo. Nós glorificamos a Deus pela pureza física sexual 1 Coríntios 6. Nós glorificamos a Deus pela unidade. E assim continua, todas as maneiras que podemos demonstrar a majestade e a glória de Deus para que outros, ao nos verem, façam o julgamento correto sobre quem é Deus e sejam atraídos por Ele.

Gregório de Nissa escreveu o seguinte, "Um homem que conduz uma vida como essa opor-se-á à fortaleza dos assaltos das paixões. Uma vez que ele participa das exigências da vida apenas na medida em que é necessário, ele não é de modo algum suavizado pelos luxos do corpo e é um estranho total para a folia e a preguiça bem como à presunção jactanciosa. Ele toca a terra, mas ligeiramente, com a ponta dos dedos dos pés, porque ele não é engolido pelos deleites prazerosos em sua vida, mas é, acima de tudo, o engano que vem pelos sentidos. E assim mesmo embora na carne ele se esforce pela vida imaterial, ele conta a posse das virtudes das únicas riquezas. Familiaridade com Deus, a única nobreza. Seu único privilégio e poder é o domínio do eu, para não ser um escravo das paixões humanas. Ele se entristece se sua vida neste mundo material é prolongada. Como aqueles que estão enjoados, ele se apressa para chegar ao porto.

E então Gregório de Nissa orou isto, "Que eu possa ser por meio de Tua ajuda, irrepreensível, justo e santo. Que eu me abstenha de todo mal; Fale a verdade e o faça justamente. Que eu ande nos caminhos retos brilhando com temperança, adornado com incorrupção, embelezado pela sabedoria e prudência. Que eu medite sobre as coisas que estão acima e despreze o que é terreno pois um homem não pode glorificar a Deus de nenhuma outra maneira senão pela sua virtude que testemunha que o poder divino é a causa de sua bondade.”

“Santificado seja o teu nome." O nome Dele é santificado em você? Esse é o início de suas petições quando você ora. Vamos curvar-nos juntos.

Eu me lembro, nosso Pai, das palavras dos salmistas "Oh engrandecei o Senhor comigo e exaltemos o seu nome". Que esta congregação, oh Senhor, santifique o Teu nome. Que eles vivam para que os outros vejam suas boas obras e glorifiquem a seu Pai que está nos céus. Oramos em nome do Senhor Jesus Cristo. Amém..

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize