Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias esta manhã em Mateus capítulo 19 novamente, enquanto estamos olhando para o ensino de Jesus sobre o assunto do divórcio. E eu tinha pensado em talvez ter um descanso neste domingo, mas fui pressionado no meu coração para continuar porque o que começou como um sermão se transformou em uma série de seis partes e eu realmente quero terminar e por isso continuaremos em nossos pensamentos a respeito do ensino do nosso Senhor nesta matéria. Sabe, sou lembrado muitas vezes da maravilha da Sagrada Escritura. Tivemos um seminário esta semana sobre a pregação expositiva e tivemos cerca de 20 pastores que vieram e tivemos um tempo maravilhoso trabalhando com eles e apenas tipo que um trabalho em conjunto sobre pregação. E um jovem sentou-se comigo à mesa e disse, John, tenho tanto amor pela Palavra de Deus. E ele disse, sou cristão há apenas seis anos, mas ele disse, eu estou no ministério e eu não posso ter o suficiente da Palavra de Deus, e ele tirou de sua Bíblia três cartas em que ele tinha criado um programa de leitura para si mesmo, de modo que ele estava lendo repetidamente a Palavra de Deus, cada livro, mais de 30 vezes durante o ano, e assim ele estava lendo todo o Novo Testamento inteiro a cada ano. E então ele tinha um plano onde ele estava lendo o Antigo Testamento tambem todos os anos. E ele disse, você sabe eu só quero que você saiba que desde que eu comecei a fazer isso realmente mudou minha vida inteira. E falamos que a Palavra de Deus toca em todas as dimensões da vida. Ela nos dá o ensinamento claro de Deus onde quer que precisemos do ensinamento claro de Deus, e onde a Bíblia fica sem dizer dizer diretamente as coisas, ela fornece uma base que o Espírito de Deus pode usar para aplicar uma orientação dirigida na vida de um indivíduo. E então, fui lembrado novamente, apenas para afirmar em meu próprio coração, do tremendo tesouro da Palavra de Deus. De saber que temos um gráfico e uma bússola e um livro de respostas. Um lugar para ir para descobrir o que precisamos saber. E um dos assuntos com os quais a Bíblia trata é o tema do divórcio. É um assunto muito importante hoje. E temos olhado para Mateus 19 versículos 1 a 12, e ouvido o ensinamento do próprio Senhor sobre este assunto. E eu quero que voltemos a isso pelo menos para uma introdução e depois para outra passagem que vamos ver em um momento.

Agora, à medida que você chega ao capítulo 19, você é lembrado, nos dois primeiros versículos, que o Senhor está terminando seu ministério na Galiléia. Ele encerrou o grande ensinamento do capítulo 18 sobre a vida como de uma criança do crente. Ele terminou o ministério galileu, e agora ele começa a se mover para o sul, são apenas alguns meses até que ele seja crucificado. E quando ele se move para o sul ele atravessa o rio Jordão para o leste e vai para uma área conhecida como o além ou a palavra peran de onde temos Pereia, e nos vemos em seu ministério Pereiano. Vimos seu ministério galileu e agora seu ministério Pereiano. Ele ensina. Ele cura as pessoas, as multidões o seguem, muito parecido na Galiléia. E entre a multidão, parece que, inevitavelmente, estão os seus inimigos os fariseus. E assim ao chegarmos no versículo 3, temos este encontro entre o Senhor e os fariseus, e o assunto é o divórcio. E é a partir desse encontro que o ensino do nosso Senhor prossegue.

Os fariseus vieram a ele, testando-o e dizendo-lhe, é lícito a um homem divorciar-se de sua mulher por qualquer motivo?, agora chamei isso de o ataque. Eles não querem uma resposta eles querem desacreditar Jesus. Eles querem que ele articule sua linha dura, Deus nunca pretendeu a visão do divórcio, e assim se alienar do povo. Eles também sabem que ele está no território de Herodes Antipas que já decapitou João Batista por suas opiniões de divórcio, e eles pensam que talvez eles podem até ter Jesus eliminado. Então eles estão atrás dele. Assim no versículo 3 é o ataque. Nos versículos 4-6 é a resposta. E ele não dá uma resposta, pessoal, sabiamente para que qualquer ira que tivessem fosse desviada dele para Deus. Ele responde com Gênesis 1:27 e 2:24 que Deus criou um homem e uma mulher, sem sobressalentes, na criação original, e portanto ele estava obviamente fazendo uma declaração de que duas pessoas devem ser casadas e esse é o limite. E ele falou sobre estarem unidos, eles devem ser colados um ao outro. Deus ordenou que eles seriam uma só carne, que é o número indivisível, e o que Deus uniu que nenhum homem o separe. E assim ele coloca o fardo da prova em Deus e diz, se vocês querem discutir isso, o seu argumento não é comigo, é com Deus. Deus disse que não há divórcio. Porque esse não era o ideal divino. Agora, da resposta vem o argumento no versículo 7. Eles respondem dizendo, então por que Moisés ordenou dar carta de divórcio para se divorciar de sua esposa. Qual é a carta do divórcio, então, se essa não era a intenção de Deus?

E então você tem a afirmação nos versículos 8 e 9, onde Jesus simplesmente reafirma o padrão do Antigo Testamento de que Moisés permitiu uma declaração de divórcio sob uma condição. E essa condição é o adultério, que vem sob o termo “relações sexuais ilícitas” no versículo 9. E lá ele diz se você repudiar e divorciar sua esposa por qualquer outra coisa que não as relações sexuais ilícitas ou adultério você faz com que ela se torne uma adúltera e assim por diante, e assim por diante. Assim, a única permissão do Antigo Testamento era dar carta nos casos de adultério. Oséias nos dá o exemplo da restauração numa união com uma adúltera, onde há uma disposição da parte da adúltera. Mas, onde há um parceiro disposto para o mal, o divórcio é uma concessão ou permissão de graça para essa parte inocente que não pode chegar a uma reconciliação. Então o que o Senhor afirma em resposta a sua pergunta, sua pergunta novamente, é lícito para um homem se divorciar de sua esposa por qualquer motivo?, a resposta de Jesus é o quê? Não.

Não é. Agora veja a apropriação nos versículos 10-12 e apenas lembre-se do que aprendemos na semana passada. A resposta dos discípulos, à medida que se apropriam do ensinamento para si mesmos, seria melhor ficar solteiro se você não puder sair casamento. E a resposta de Jesus a isso, no versículo 11 é, sim, mas nem todos podem lidar vida de solteiro. Nem todo mundo pode receber esta palavra, qual palavra? “Se essa é a condição do homem relativamente à sua mulher, não convém casar.” Nem todo mundo pode lidar com a vida de solteiro. No versículo 12 ele diz, quem pode? Aqueles que são congénitamente nascidos com uma incapacidade de ter um relacionamento com o sexo oposto. Aqueles que foram feitos dessa maneira pela castração ou alguma outra coisa feita pelo homem. Ou aqueles que escolheram a vida de solteiro porque se dedicarão de maneira especial ao reino dos céus. E assim ele diz, veja, você não pode simplesmente pegar a idéia de um compromisso, no casamento, sendo um compromisso para toda a vida, e dizer, se é tão difícil sair dele, então não vou me casar. Nem todo mundo pode lidar com isso. Essa não é a resposta certa. A resposta certa é assumir o compromisso. A menos que você tenha um motivo congênito, ou a menos que você tenha sido ferido de alguma forma, ou a menos que você decida assim porque você está se dedicando para o reino de Deus e você se sente dotado por Deus para que fique solteiro. Mas certamente você não deve evitar o casamento apenas porque é um relacionamento obrigatório do qual você não pode sair. Essa é uma razão ilegítima. Então, o Senhor exalta o casamento, e ele diz, o divórcio só é permitido por apenas uma razão, mas isso não é motivo para não se casar. Porque nem todo mundo pode lidar com a vida de solteiro, torna-se um problema pior para a maioria das pessoas, do que ser casado, isso por causa da tentação.

E assim o Senhor nos deu um ensinamento muito claro, o casamento é uma coisa honrosa, e é para a vida toda. Permaneça casado, divorciar-se apenas em um tipo de situação, diz ele. E quando os discípulos disseram, então ficaremos solteiros. Ele diz, não, não fique fora do casamento, porque é preciso um compromisso para toda a vida, entre nele por esse motivo, a menos que você tenha uma razão muito clara para não se casar, e a menos que seja por uma deformidade física, ou porque você está se dedicando para a glória e o avanço do reino. Ensino muito claro.

Agora tenha isso em mente. Você diz, bom, isso não lida com muitos problemas. Isso não lida com o que acontece quando você vem ao Senhor e sua história é toda suja, o que acontece quando você está vivendo com alguém, o que acontece se você tiver sido casado cinco vezes e agora quem é sua esposa e tudo isso. Isso não trata de nada disso. Você está certo. Você está certo, não trata. Você vê, Jesus está apenas estabelecendo o ideal divino e que não precisa lidar com exceções, você entende? Isso não precisa lidar com outras questões estranhas. Jesus está afirmando sua messianidade, e ele afirma sua messianidade alinhando-se com a Palavra clara do Deus vivo. Que é dizer ao povo, eu falo por Deus, e assim, ele não lida em muitas outras coisas, ele permanece fiel à revelação de Deus. Ele diz em Mateus 5, Eu vim cumprir a lei não alterar a lei, não eliminar a lei, não destruir a lei, mas cumpri-la e assim ele afirma o ideal divino. E não lida com todos os tipos de exceções. Agora, também, tenha em mente que ele está falando com um grupo judeu de pessoas que têm vivido toda a sua vida sob a economia de Moisés. Isto é, eles foram circunscritos a um grau ou outro à sua interpretação da lei mosaica. E assim eles estão em um ambiente mosaico, e ele está simplesmente afirmando para eles o ideal pretendido de Deus dando a seu povo especial Israel. Você diz, então, o que você faz com todas as exceções? E isso é o que eu sei que tem estado em sua mente durante as últimas quatro ou cinco semanas. Você tem dito, mas, você não pode continuar dizendo essa coisa ideal novamente. Eu não nao me encaixo. Eu já fui além disso, ou já tive divórcios em meu passado, ou eu tenho vivido com alguém, e quando eu me tornei um cristão eu tive várias esposas e vários maridos, e quem sou eu agora e o que eu faço e posso eu casar ou eu devo? O que está acontecendo aqui?

Jesus não entra nessas questões, mas felizmente Paulo o faz. E se você abrir sua Bíblia em 1 Coríntios capítulo 7, vamos olhar juntos para Paulo. Jesus deu o ideal divino e Paulo teve que lidar com a bagunça que estava acontecendo no mundo e tentar fazer a aplicação desse ideal divino para o caos da vida. Agora tenha isto em mente, Paulo ministrou a uma comunidade gentílica que não tinha sido circunscrita à lei de Moisés, eles não haviam sido levantados para guardar a lei de Moisés, então sua vida era literalmente uma bagunça do começo ao fim.

Havia muito menos caos na comunidade judaica, por causa da legislação Mosaica, do que havia entre os gentios, onde não havia nenhuma legislação mosaica. E creio que 1 Coríntios 7 é o comentário de Paulo sobre o ensinamento de Jesus, tudo bem? É o comentário de Paulo sobre o ensino de Jesus, sobre o casamento e o divórcio. Ele interage com os Senhores ensinando, por exemplo, no versículo 10, “Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor”, e agora ele está dizendo, vejam, eu vou lhes dizer algo sobre ser casado que não é de mim, o Senhor já disse isso, então ele está voltando atrás e interagindo com o que o Senhor ensinou. E então no versículo 12, “Aos mais digo eu, não o Senhor.” Agora ele diz isso, é algo novo, o Senhor não disse isso, eu não estou mais citando o Senhor, ele não está negando a inspiração, amigos, ele está se colocando em um plano igual com o próprio Senhor. Ele está dizendo, o Senhor não disse isso, mas eu estou dizendo isso, e o efeito ao dizer isso é tão importante como se o Senhor tivesse dito isso. E você pode dizer, você quer dizer que o que Paulo disse é igualmente importante quanto ao que o Senhor disse? Isso mesmo, porque o que o Senhor disse veio de Deus e o que Paulo disse veio de Deus, o Espírito Santo, certo? E não há graus de importância. É por isso que tive problemas com as Bíblias de letras vermelhas. As letras vermelhas não são mais importantes do que quaisquer outras letras. Se você quer ter uma Bíblia de letras vermelhas, tudo bem, apenas saiba disso. Apenas saibam que elas não são mais importantes, porque quando Paulo diz: o Senhor diz isso e agora eu digo isto como o Senhor disse isso, ou quando ele diz: o Senhor não disse isso mas eu estou dizendo, que tudo o que ele está fazendo é colocando-se em um plano igual com o Senhor, e no final do capítulo, no versículo 40, ele diz, “e penso que também eu tenho o Espírito de Deus”. Eu não estou apenas dando-lhe minhas opiniões. Eu sei que tenho o Espírito de Deus. Mesmo que o versículo 25 diga, “não tenho mandamento do Senhor; porém dou minha opinião, como tendo recebido do Senhor”. Então Paulo está se cruzando com o que o Senhor ensinou e levando um pouco mais adiante para cobrir alguns dos problemas, algumas das questões, algumas das lutas que ele estava enfrentando. Agora, deixe-me apenas dar-lhe um pouco de uma idéia do contexto para que você tenha uma idéia do que ele tinha que lidar. E é muito parecido com a nossa própria sociedade. Tudo bem, Paulo entrou em uma situação como a situação coríntia. O verbo para corintianizar, na língua grega, significava cometer pecado sexual. Então você tem uma idéia do que era Corinto, certo? Era um lugar podre, miserável, pecaminoso e vil. E quando você queria falar de alguém sendo uma pessoa luxuriosa, malvada, vil, lasciva, adúltera, você os chamava coríntios. Então esse é o tipo de sociedade em que aquela pequena igreja nasceu. Sociedade com estilo de vida imoral, vil, e perversa. E eles estavam envolvidos na adoração de todos os tipos de deidades. Estive nas ruínas de Corinto. Eu vi réplicas literalmente grossas de órgãos humanos pendurandos por todo o lugar. Foi definitivamente um lugar onde ocorreu um tipo de adoração distorcida, o que não era incomum nos sistemas pagãos de adoração.

Assim uma igreja nasce nesse lugar, pelo maravilhoso ministério do Espírito de Deus, através do Apóstolo Paulo, como você sabe, e agora essas pessoas estão vindo para Cristo, mas quando vêm a Cristo, não estão saindo de um contexto circunscrito de compreensão do que é moral e do que é ético. Eles estão chegando a Cristo num estado marital absolutamente caótico. Vou mostrar a vocês tipo uma visão de alguns deles. Grande parte da população dessa parte do mundo romano era escrava, certo? Escravos. Agora o império tinha muitos, muitos escravos, e era muito claro que muitos, muitos deles se tornaram cristãos. Algumas pessoas acreditam que a maioria da igreja era escrava. O casamento, em sentido estrito, nem sequer existia para os escravos. Os escravos eram como animais. Um fazendeiro não casa suas vacas, ele as acasala. Ele não casa seus cavalos, ele os acasala. Então eles não casavam os escravos, eles oos acasalavam. Eles tinham essa coisa que eles chamavam de contubérnio. E o contubérnio basicamente tem a ver com a companhia de tenda. O dono de escravos olhava para os escravos e os acasalava para que eles produzissem o que quer que ele quisesse, o melhor que pudesse, para somar forças, e assim por diante, nunca havia cerimônias, eles simplesmente entravam em um relacionamento vivo, muito parecido com a sociedade contemporânea na América, vivendo tipo que em relacionamentos.

A propósito, esta semana, aconteceu de eu descobrir um certificado feito de uma forma legal, ou quase legal, onde duas pessoas podem consentir umas com as outras em ter relações sexuais, sob a disposição de que nenhuma delas é obrigada ao outro de qualquer maneira, forma ou circunstância, e está selado, e tem lugares onde você pode assinar datá-lo e reconhecer firma. Mas este é o tipo de coisa aqui que eles nem sequer tinham. Não havia nada. Eles apenas se mudavam para as barracas e viviam juntos. Agora vamos supor que este escravo tem diferentes senhores e ele tem diferentes relações de contubérnio. E de repente, ele vem a Cristo, e agora ele é um cristão e alguém se levanta e lhe ensina o que o Senhor diz sobre um homem para uma mulher por toda a vida. Nenhum divórcio, nenhuma relação sexual ilícita, todas essas coisas, e ele olha para si mesmo, e ele olha para trás, e ele pensa sobre todas essas várias mulheres com quem ele gerou filhos, por assim dizer, e essa com quem ele está vivendo agora, e sua pergunta é, o que eu vou fazer? Quem é minha esposa? Onde estou? E isso é uma questão muito real.

Agora quando você se move um passo além do escravo, você chega ao tipo de pessoas comuns na cultura romana, e eles se casaram com um termo chamado usus u-s-u-s e isso tem a ver com o conceito básico da lei comum. Se você vivia com uma mulher por um ano, você feraconsiderado legalmente casado, pela lei comum, então, as pessoas tendiam a não se casar de forma alguma. Eles apenas tendiam a experimentar, e depois de um ano, tornava-se legal. Eu acho que na América costumava ser 7. Eu nem sequer acho que ninguém se importa mais. Assim o casamento de direito comum, era outra maneira, então, o que acontece se você se tornar um cristão? Você tem uma mulher, você tem vivido com ela por três anos, você nunca se casou com ela. O que você vai fazer? Ela é sua esposa ou não é? E se você tivesse outras três esposas de direito comum, antes disso, ou se você tiver uma nesta cidade e três em outra cidade. É muito parecido com um missionário que vai para um país estrangeiro, traduz a Bíblia, ganha a tribo para Cristo, apenas para descobrir, é claro, no processo, que todos eles têm 8 ou 10 esposas. Agora esse é o tipo de coisa que Paulo estava lidando em Corinto.

Agora, como um terceiro tipo de casamento nas incoerentes abordagens conjugais dos romanos no que foi chamado coemptio in manum e este era o tipo de coisa onde você compra a mulher do pai. A antiga tradição do casamento por venda. Em outras palavras, se você é um pai, você tem uma filha linda, mas um negócio sujo, você entende? Você vende sua filha e socorre o seu negócio, e assim havia muito disso de vender as filhas para o casamento. E então havia para as famílias nobres o que se chamava confarreatio, era o termo para o tipo de casamento nobre, sofisticado sofisticado. Envolvia troca de anéis, e aliás, é daí que temos a nossa troca de alianças, é uma adaptação do sistema romano de confraternização. E o anel está no terceiro dedo da mão esquerda, porque um dos supostos sábios romanos ensinou que há um nervo que vai do dedo ao coração, e é por isso que você usa seu anel lá. Eles se reuniam, adoravam e faziam orações a Júpiter e Juno. Eles trocavam alianças. Eles tinham um bolo, você acredita? Eles usavam véus. Eles tinham música. Eles seguravam suas mãos direitas. Tinham grinaldas. E tudo se filtrou no sistema marital católico romano, que eventualmente, saiu do catolicismo romano, através da reforma, no protestantismo e ainda temos vestígios dele agora. Então você tem todas essas situações estranhas de casamento, apenas a quarta das quais constituiria um casamento como nós o entendemos, com um pacto verbal e escrito perante as pessoas, e assim por diante, e assim por diante. E assim a pergunta que vem a Paulo, ou aos coríntios é: o que, afinal de contas, fazemos com toda essa confusão das pessoas que vêm a Cristo, a quem pertencem também? Será que eles têm o direito de se casar novamente se eles agora estão solteiros? Devem permanecer vivendo com quem estão vivendo quer dizer, numa relação contubernio? O que fazemos com o mistério do casamento e assim por diante?

Agora você acrescenta que o fato de que o divórcio era desenfreado. Eu li, acho que William Barkley observa que em um dos documentos históricos havia uma senhora se casara pela 27ª vez e ela era a esposa 26 de seu marido. Isso lhe dará uma pequena idéia de como a taxa de divórcio existia naqueles tempos. As pessoas estavam envolvidas na homossexualidade, estavam envolvidas na poligamia. Elas estavam envolvidas no concubinato. Um dos escritores romanos, Seneca, diz que os homens têm mulheres, têm esposas para o cuidado da casa e dos filhos, e as concubinas para o prazer físico. E você tem todo esse caos, e para acrescentar havia um movimento de libertação das mulheres. Jerome Carcopino escreve sobre isso. Ele diz "alguns não estavam satisfeitos em viver suas vidas ao lado de seu marido. Levavam uma vida totalmente separada para si mesmas." E Juvenile diz, "que modéstia você pode esperar em uma mulher que usa um capacete. odeia seu próprio sexo, e se deleita em façanhas de força?" E Juvenile diz que aquela mulher estava descalça nas ruas com lanças pendurando porcos e postes de escalada. Não é o meu tipo de mulher. Mas você tem todo esse tipo de coisa. E Juvenile também diz que "ela domina sobre o marido em pouco tempo, ela desocupa sua casa, pila de uma casa para outra, usando seu véu de noiva." Então realmente aqui vêm essas pessoas para Cristo e o que você faz com elas?

Quer dizer, é falar sobre tentar desmembrar a omelete, é isso que é realmente. Bom, os coríntios não sabiam o que fazer, então você sabe o que eles fizeram, escreveram uma carta para Paulo, e essa carta é aludida no versículo 1 do capítulo 7. Diz, “Quanto ao que me escrevestes”. Agora isso configura o capítulo. Ele vai responder às suas perguntas, certo? Mas você sabe o que ele faz, ele não nos diz as perguntas. Ele apenas dá as respostas. E se você quiser entender 1 Coríntios 7, você tem que descobrir as perguntas, e essa é a diversão. Nós temos as respostas, tudo o que temos a fazer é descobrir as perguntas. Eles fazem as perguntas e ele lhes dá respostas, e se tomarmos as respostas e retrocedermos, acho que podemos descobrir as perguntas. Mas o que ele faz neste capítulo é cobrir todas as categorias, quer dizer, ele abrange todas as categorias aqui. E eu acho que estou vendo isso de uma maneira nova ou mais completa do que eu já vi antes, e na mensagem de hoje e no próximo domingo, à medida que a concluímos, ó vocês de pouca fé.

Veja essa é a aventura de pregar, pessoal, eu venho aqui para ouvir o que vou dizer. Nem sempre posso dizer. Você coloca tudo isso dentro e se mistura com o Espírito de Deus, é assim que o Espírito trabalha, através do dom da pregação, e esse é um meio empolgante, mas aparentemente eles estão fazendo essas perguntas e Paulo está respondendo a elas e nós poderemos entender as perguntas se entendermos as respostas, e acredite em mim, ele cobre todas as perguntas. Ele questiona sobre pessoas solteiras, pessoas casadas, pessoas casadas com crentes, pessoas casadas com incrédulos, pessoas que já estão divorciadas e agora são solteiras têm o direito de se casar de novo. Pessoas que são virgens, pais com filhas que são virgens devem dar-lhes em casamento ou não. As pessoas cujos maridos ou esposas morreram, caso voltem a casar ou não, cobre todas as perguntas deste capítulo. Agora, vamos abordar a primeira pergunta que aparece primeiro, realmente os primeiros sete versículos. E nós vamos até mesmo olhar para o versículo 8. Aqui está o que eu acredito seja a questão. O sexo físico não é espiritual? Essa é a questão. Agora, você não vai ver essa pergunta lá, mas com certeza essa pergunta está lá, você, com certeza, que vai ouvir essa pergunta nos bastidores quando ouvir a resposta. Você vê, o que aconteceu foi isso, e você pode imaginar isso, você sai desse terrível cenário de caos sexual. Quer dizer, você adorava um Deus pagão, certo? E como você adora um deus pagão quando vai a um templo pagão? Bom, você pode ter se envolvido com uma prostituta pagã. Você pode ter se envolvido com uma sacerdotisa do templo. Quer dizer, você tem um estilo de vida grosseiro, de casamentos múltiplos, divórcios múltiplos, nenhum casamento de fato, todos os tipos de coisas acontecendo sem restrições e uma sociedade que permitia tudo, uma sociedade que defendia os homossexuais. Uma sociedade que defendia o adultério e a prostituição, você dá nome a isso e eles estavam promovendo todo o tipo de coisas assim. E assim, você está saindo daquele pano de fundo, e de repente você veio a Jesus Cristo, e sua mente está cheia com todo esse lixo, e veja, aparentemente, alguém tinha se levantado na igreja de Corinto, seria meu palpite, e lhes teria dado uma lição sobre o fato de que todo o sexo não é espiritual. E você pode entender por que alguém pode ter um problema com isso, até mesmo pessoas casadas que se casam e talvez eles tenham se casado e eles são cristãos, e eles olham um para o outro e tudo que eles podem pensar é todo o tipo de lixo de relacionamento que tiveram no passado, e eles não podem sequer desfrutar da relação que poderiam ter juntos, que foi honrada por Deus porque eles estão muito confusos com o seu passado, e alguns de vocês podem ter experimentado a mesma coisa, e por isso alguém vem e diz que todo sexo é mau. É tudo ruim. Não é espiritual. Se você quer ser espiritual, abstenha-se. E parece que eles fazem a pergunta, o sexo físico realmente não é espiritual? E a resposta de Paulo vem, começando no versículo 1.

É bom que o homem não toque em mulher”. Agora a frase tocar uma mulher é a chave. É um eufemismo. E isso significa ter relações sexuais. Isso é o que significa. É usado em Gênesis 20, versículo 6, Provérbios capítulo 6, versículo 29. Ele diz, é bom não ter um relacionamento sexual. É bom, é bom. Está tudo bem kalos é benéfico, é honrado, está tudo bem. É bom ser celibatário, é o que ele está dizendo, e vai estar tudo bem. Não é errado não se casar. Não há problema em ser solteiro. É bom ser celibatário, ele precisa dizer isso. O celibato é uma coisa boa, é uma coisa honrosa, é uma coisa excelente. Mas eu vou dizer-lhes algo sobre isso, ele diz, para a maioria das pessoas é muito difícil. Bastante tentador, versículo 2, no entanto, diz ele, para evitar o pecado sexual, porneia, para evitar o pecado sexual, cada homem tenha sua própria esposa e cada mulher tenha seu próprio marido.

Em outras palavras se o seu celibato vai fazer você pecar sexualmente, se o seu celibato vai fazer com que você cometa pecados sexuais, quer fisicamente ou em sua mente, o que quer que seja, se a sua vida de solteiro vai fazer isso com você, então você deve ter seu próprio parceiro esse é o ponto. É bom ser celibatário, mas não é bom ser celibatário se isso lhe faz pecar. Assim, a idéia da vida de solteiro balançanda, não é aprovada. A idéia de abster-se totalmente de uma relação sexual está bem. Nós aprendemos que está tudo bem, talvez você tenha uma razão congênita para isso, ou talvez lhe tivese acontecido algo físico a você que o levou a isso, ou talvez, como vimos em Mateus 19:12 talvez você tenha decidido ser solteiro por causa do Reino dos céus, aí tudo bem. Na verdade como veremos um pouco mais tarde é ainda melhor do que apenas ok. É bom. É ótimo.

Pode ser melhor. É melhor para alguns. Então, ele diz em resposta à sua pergunta, o celibato é bom. Eu não quero dizer que é ruim. É bom porque, você vê, se Paulo diz, “oh não, não você nunca deveria ser celibatário” então todas as pessoas que sentem que querem ser celibatários por toda a sua vida, por causa do reino, vão sentir como se fossem desobedientes, assim ele não pode exortá-los a todos dessa forma. Então ele diz, ok é bom é bom, mas se isso vai lhe causar tentação, e você vai cair num pecado sexual, então devem ter sua própria esposa e seu próprio marido. Eu amo a palavra “própria” sublinhe isso. Isso é monogamia, amigo, tenha sua própria esposa e seu próprio marido e é isso. E o estilo de vida entre os coríntios tornou-se mais difícil para o solteiro do que para o casado.

Quer dizer, aqui estavam essas pessoas que disseram, seremos celibatários por causa do Senhor. E eles estavam vivendo no meio de uma sociedade formada sexualmente, onde tinha nada além de tentação constante. O celibato é bom, o casamento é mais comum. O celibato é tentador. Não fique solteiro se isso vai fazer com que cometa pecado sexual. Versículo 3, ele diz o seguinte, e eu vou te dizer uma coisa, não há lugar para o celibato dentro de um casamento. Que o marido dê à esposa o que lhe é devido ou a dívida e também a mulher ao marido. Em outras palavras, se vocês se casarem, amigos, então não há lugar para o celibato. Isso não pertence ao casamento. Essa é a dívida, agora o que isso significa?, a obrigação. Quando você se casou você se tornou obrigado a satisfazer a necessidade física de seu parceiro. Esse é um lugar onde a Escritura afirma submissão mútua. Versículo 4, “A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher”. Em outras palavras, você desistiu do direito ao seu próprio corpo. Pertence ao seu parceiro e é a sua dívida. E assim, o versículo 3 está no imperativo presente, que o marido mantenha continuamente pagando a sua esposa a dívida e também a esposa implícita mantenha em dia a dívida que ela deve ao seu marido. Em outras palavras, a relação sexual no casamento deve ser uma dádiva contínua, uma submissão contínua, um ao outro, e acredite em mim, quando isso não acontece, destrói casamentos.

É como um antigo escritor disse, “uma intoxicação abençoada e ousada e no meio disso há um tipo de intimidade de duas vidas que são misturadas, entre essa dimensão física e todas as outras dimensões, em um vínculo inquebrável de amor. E isso pertence a um casamento.” Um casamento não é lugar para o celibato. Então você não é mais espiritual se você se abster em seu casamento. E eu quero fazer um ponto disto, porque há um ensinamento que circula hoje em dia, que você pode ganhar uma quantidade maior de espiritualidade abstendo-se de relações físicas em seu casamento. Acredita nisso? Porque, o que acontece, no versículo 5, deve ser trazido como contra esse tipo de ensino, pare de privar um ao outro. “salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência”. Em outras palavras, se vocês tentarem abster-se um do outro, para algum propósito espiritual, você não só não realizará um procedimento espiritual, como você vai fará um mal, porque você vai colocar a outra pessoa em uma posição de estar aberto à solicitação da tentação do próprio Satanás.

Você não quer fazer isso, então sob o disfarce de suposta espiritualidade você vai criar a tentação. E as pessoas dizem, bom, quanto tempo devemos nos abster, bom, recentemente este ensinamento está circulando por aí de que devemos nos abster para fins espirituais 14 dias por mês. Agora alguns casamentos seriam literalmente destruídos por isso. Eles seriam devastados por isso, porque todos são diferentes e as necessidades das pessoas são diferentes. A única coisa que o Novo Testamento diz é que devemos abandonar totalmente a nós mesmos ao parceiro. Agora quando as pessoas estão advogando estes 14 dias por mês de abstinência, o tipo de coisa como um meio para o desenvolvimento espiritual, é na verdade um meio para a tentação satânica na maioria dos casos, mas o que eles estão fazendo é voltar a ver Levitico 15, e eu vou apenas mencionar isso a você rapidamente. Em Levítico 15 como o escritor Moisés está descrevendo a lei cerimonial, diz que quando uma mulher passa por seu ciclo mensal por um período de 7 dias, ela é impura cerimonialmente. Isso não significa que ela seja imoral. Não é imoral ter um ciclo normal dado por Deus. Não é uma questão de moralidade, ou ética, ou espiritualidade, ou qualquer coisa, é cerimonial e todas as cerimônias eram sinais e símbolos, não realidades, você entende isso? Elas eram sinais e símbolos, não realidades, mas para esse período de 7 dias ela era impura cerimonialmente. E assim no final disso ela precisava de mais 7 dias de purificação onde passaria por certas lavagens e cerimônias, e em seguida, no décimo quinto dia, pegaria duas rolinhas ou dois pombos e as daria ao sacerdote que as sacrificaria no altar e portanto haveria uma limpeza apropriada, e então ela poderia entrar em adoração a Deus.

Agora tudo o que se quer dizer é isto, você não pode se aproximar de Deus quando estiver impuro. Mas Deus não estava realmente dirigindo-se apenas a coisas físicas. Ele estava se dirigindo ao quê puro? O coração. Assim como na circuncisão. Assim como na circuncisão. Não era que Deus queria apenas a circuncisão, mas que toda vez que um bebê judeu era circuncidado, o povo judeu tinha que pensar no fato de que, como isso estava sendo feito, o coração precisava ser circuncidado também de todo mal. Portanto não é para dizer que a mulher era moralmente impura ou espiritualmente imprópria. Mas, era uma demonstração externa da realidade interior que você não pode se aproximar de Deus a menos que seu coração esteja limpo. É o mesmo que os sacrifícios do Antigo Testamento, os sacrifícios do Antigo Testamento eram capazes de tirar o pecado? Não. E nenhum tipo de lavagem ou limpeza, limpeza cerimonial, tampouco, era capaz de preparar as pessoas para Deus. Mas era um símbolo disso. E aqui estava uma mulher que tendo passado por isso teria que ter um período de duas semanas para se limpar e passar por lavagens e tudo isso, oferecia estes dois pássaros antes que pudesse entrar na presença de Deus, e Deus estava dizendo, eu quero pessoas limpas na minha presença. Quero pessoas limpas. E uma vez que a nova aliança veio, então Cristo veio consumar a obra na cruz, deu-nos um novo coração, limpou-nos a partir do interior e agora podemos ter ousadia para entrar no Santo dos Santos, certo?

Assim, não podemos defender que precisamos dos mesmos 14 dias de purificação, agora, o ponto vem porque diz em Levítico que se o marido tem um relacionamento com sua esposa durante esse período ele se torna cerimonialmente impuro e ele tem que passar por um cert processo de limpeza. Isso não significava que fosse errado ele ter esse relacionamento, não significava isso de forma alguma. Isso não significava que é imoral para ele ter esse relacionamento. Isso não significava que não era espiritual ele ter esse relacionamento, tudo o que significava é que se ele fizesse isso, Deus havia ordenado uma certa cerimônia para ele passar, o que serviria de lembrete e por sinal. Isso, provavelmente, acontecia com muita frequência, porque estou bastante confiante de que os hebreus não levavam ao pé da letra os 14 dias por mês de abstinência. Portanto, era muito comum para eles estarem passando por esta limpeza. Eu realmente acredito que Deus deu essa limpeza em particular, conectada com esse ato de relacionamento entre marido e mulher, porque seria muito comum que eles estivessem comumente passando pela limpeza, e comumente lembrando a si mesmos que Deus deve ser buscado por aqueles que têm as mãos limpas e um coração puro. Era apenas simbólico.

E a minha pergunta à pessoa que defende os 14 dias de abstinência é: quando os 14 dias terminam, então você terá que fazer com que aquela mulher encontre duas rolinhas, um sacerdote e um templo em algum lugar, para oferecer um sacrifício, porque ou a cruz eliminou tudo isso ou não. Agora, quando você chega ao Novo Testamento não tem nada disso. Quando você chega ao Novo Testamento, o texto diz, vocês continuem dando-se a si mesmos e não parem de fazer isso, a não ser que, por consentimento mútuo, vocês orem sobre alguma questão que seja um problema doloroso e que não se torne uma preocupação para vocês, mas que além disso, vocês se dêem um ao outro, pois do contrário vocês não vão se tornar mais espirituais por isso, mas estarão dando a Satanás uma oportunidade para tentar vocês e sujar seu casamento.

Agora, temos de ver o fim da antiga aliança, pessoal. Havia um monte de cerimônias na antiga aliança que não mantemos hoje, e se você for levar isso em conta então vocês vão ter muita bagagem com ela, amigos, juntamente com um monte de carneiros, cordeiros, e tentando encontrar o sumo sacerdote e o templo, não vai ser fácil, já que o último que conhecemos foi destruído em 70 d.C. Mas você vê, quando você começa a tentar levar os símbolos cerimoniais da antiga aliança, e arrastá-los para a nova, você está fazendo exatamente o que o apóstolo Paulo disse em Colossenses para não se fazer. Ele disse que essas coisas são uma sombra e uma substância, mas a realidade é Cristo, e uma vez que a realidade está chegando, não deixe ninguém ligar vocês às sombras, isso é tudo. E mesmo assim não era uma questão moral, era apenas cerimonial. Um homem poderia ter um relacionamento com sua esposa sempre que quisesse, obviamente ele tem o senso de tornar isso um direito e honroso, algo que poderiam defrutar mutuamente. E assim o texto está respondendo à pergunta: o sexo é algo não-espiritual, é claro que não, Deus o inventou. Deus o projetou e Deus pretendia que ele fosse o cumprimento do homem e não há satisfação na vida que possa igualar-se a ele. Uma coisa maravilhosa. E não somos chamados na Bíblia para abster-nos dele. Somos chamados na Bíblia para usufruí-lo ao máximo, para que possamos construir juntos uma intimidade tremenda e profunda que durará por toda a vida. Portanto, não fazê-lo é dar a Satanás uma vantagem.

Agora olhe no versículo 6, tendo dito isso ele diz o seguinte, “E isto vos digo como concessão e não por mandamento”. Ele diz eu não estou dando ordem às pessoas para se casarem. Estou ciente do fato de que a maioria das pessoas precisa disso. Ele diz que o que eu sei sobre a vida me diz que é bom ser celibatário, mas para evitar a prostituição, você deve ter seu próprio marido ou sua própria esposa, e uma vez que você se case não deixe ninguém colocar um tropeço sobre você sobre a abstinência.

Hebreus 13:4 diz, “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula”. A cama é imaculada. É um lugar sagrado, sagrado. E assim ele diz eu estou dizendo isso porque eu estou ciente dessas coisas. E então ele diz isso no versículo 7, “Quero que todos os homens sejam tais como também eu sou”. Ou seja, ele diz que há um sentido em que eu queria que todos fossem solteiros e celibatários. Ele era celibatário, agora, ele pode ter sido casado como alguns dizem; para estar no Sinédrio indica que você tinha que se casar. A esposa dele pode ter morrido. Ela era definitivamente uma mulher esquecida se ela existiu de fato, pelo menos em termos de revelação bíblica. Mas ele não é solteiro e está dizendo eu gostaria que todos os homens fossem como eu mesmo. E ele diz isso porque ele percebe que ser solteiro há uma grande liberdade. Há uma grande liberdade. Por exemplo, olhe para o versículo 29. Ele diz, “o tempo se abrevia, o que resta é que não só os casados sejam como se o não fossem; mas também os que choram, como se não chorassem; e os que se alegram, como se não se alegrassem”. Em outras palavras, vocês têm que se afastar das coisas da vida; e porque o tempo é curto, concentrem-se nas coisas divinas. E então, no versículo 32, ele diz, “O que realmente eu quero é que estejais livres de preocupações”, como eu estou. Há algo sobre ser solteiro. Há uma realidade livre de preocupação lá. Você não tem que cuidar da esposa, filhos e todas as coisas que vêm com ele. É um relacionamento livre de ansiedade nesse sentido. Você diz, bom eu sou solteiro e não estou livre de ansiedade; talvez seja uma boa indicação de que você deveria estar considerando o casamento. E se você está lutando com seus desejos físicos como solteiro, então é melhor você baixar seu padrão de espera, e considerar algum sujeito que tenha um coração voltado para Deus, e vocês rapazes, melhor considerar uma mulher que tenha um coração para Deus também, em vez de lutar na selva de sua própria tentação, quando Deus preencherá e enriquecerá sua vida com alguém que tem os mesmos valores que você faz em Jesus Cristo, e pare de se restringir a alguns padrões de aparência que o mundo estabeleceu. Agora, o dom que Deus dá ele dá a alguns. Olhe para o versículo 7, “Quero que todos os homens sejam tais como também eu sou”. Eu gostaria que todos os homens fossem como eu, mas cada um tem o dom próprio de Deus. Um dessa maneira e outro daquela. Ele diz, veja, eu não vou discutir com o dom de Deus. Eu não quero que as pessoas que precisam se casar, tentem viver uma vida celibatária, pelo menos não viajando na minha equipe missionária. Isso não ajuda. Eu só sei que Deus quer algumas pessoas solteiras, algumas pessoas casadas, e se Deus quer você casado, então se case. Tenha sua própria esposa.

E sabe, desde a semana passada eu tenho uma lista de um quilômetro e meio de gente que disse, estou disponível. Estou tentando evitar entrar em uma espécie de um acordo casamenteiro, mas eu tenho algumas coisas em mente e vou entrar em contato com aqueles de vocês que estão envolvidos. Mas há uma certa bem-aventurança em ser solteiro. Há uma grande felicidade em se casar depende do dom de Deus. Agora eu creio, no versículo 7, que há, definitivamente, um dom de Deus a este respeito, em outras palavras, Deus adapta a algumas pessoas para o casamento e algumas pessoas para a vida de solteiro, e a razão para ser solteiro, obviamente, é porque você sente que pode lidar com isso. Não é uma tentação para você, e você sente que pode ser solteiro, e dar uma única e concentrada atenção de coração para o avanço do reino. Veja mais adiante no versículo 32, aquele que é solteiro cuida das coisas que pertencem ao Senhor como ele pode agradar ao Senhor. Aquele que é casado cuida das coisas do mundo como ele pode agradar a sua esposa, e ele está dividido, “Também a mulher, tanto a viúva como a virgem”, versículo 34, “cuida das coisas do Senhor, para ser santa, assim no corpo como no espírito; a que se casou, porém, se preocupa com as coisas do mundo, de como agradar ao marido”. Em outras palavras, você recebe alguma bagagem quando você se casa. Você diz, bom eu preciso disso. Tudo bem, e se você precisa disso, é melhor se casar. Mas se você pode permanecer solteiro, e não se colocar diante da tentação, então você tem uma maravilhosa emoção, Deus deu oportunidade de dar a sua vida para o avanço do reino de Deus. Não fique simplesmente solteiro porque você não quer se comprometer e depois ficar lutando toda a sua vida com a tentação. Comprometa-se a permanecer solteiro, porque você acredita que Deus o dotou nessa área e não precisa do plenitude física que o casamento traz, e pode se ver totalmente e plenamente dedicado a Jesus Cristo.

É uma coisa maravilhosa. É ainda assim um passo mais adiante, aparentemente quem deu esta mensagem à igreja de coríntio teve muitas pessoas animadas, alguns dos pais foram relutantes em dar as suas filhas em casamento e eles podem ter tentado reaver suas filhas de volta do casamento, o que seria uma frustração terrível para suas filhas. Eu acho que Paulo se refere a isso no versículo 36, “se alguém julga que trata sem decoro a sua filha, estando já a passar-lhe a flor da idade, e as circunstâncias o exigem, faça o que quiser. Não peca; que se casem”. Aqui está um sujeito, ele tem uma linda filha que quer se casar, e ele diz, não, você é para o Senhor, eu vou mantê-la solteira para o Senhor, e ela está dizendo, eu não quero ser solteira para o Senhor papai, eu quero Alberto.

E ele está dando a ela este tropeço espiritual e tudo o que ela quer é um marido e filhos, e assim Paulo diz, olhe deixe-os casar. Alguém havia dado a eles algum tipo de acordo, não é mesmo, de abstinência, o que estava fora de linha com a verdade de Deus. É ótimo se casar se é isso para o que Deus chamou você, também. Quer dizer, eu não trocaria todas as alegrias de uma esposa amorosa, filhos e família abençoados, ou seja, isso é vida para mim. Mas eu também sei que há algumas pessoas que são solteiras para a glória de Deus, e que não trocariam isso por nada, e Paulo era um deles. Ele era um deles.

Veja 1 Coríntios 9, versículo 5, apenas como uma comparação, Paulo aqui, reafirmando seus direitos como um apóstolo, Eu acho que você poderia dizer, e ele diz temos alguns direitos como apóstolos e um deles é não temos o direito de levar uma irmã, uma esposa? Assim como os outros apóstolos e como os irmãos do Senhor e Pedro. Ele diz, Veja se eu quisesse, também eu tenho o direito de me casar, e isso sem falar algo sobre o sacerdócio também, pessoal, da Igreja Católica Romana, não é mais espiritual ser solteiro. Não é mais espiritual de forma alguma. Ele diz, eu poderia me casar como Pedro. Pedro era casado, pessoal. Eu não sei que tipo de problemas isso causa para o povo católico, mas ele era casado. Já soubemos da mãe de sua esposa nos evangelhos, e aqui somos lembrados de que ele tem uma esposa. Eu adoraria conhecer seus filhos, e eu irei ao céu algum dia e eu acho que será uma ocasião muito curiosa. Mas, no entanto, aqui você tem dois grandes apóstolos Pedro e Paulo, Pedro era casado e Paulo não era, e talvez isso ilustre todo o ponto, e Deus usou Pedro de uma maneira poderosa. Embora Pedro aparentemente não viajasse tanto, pode ter sido por causa do incomodo da família. Paulo tinha essa liberdade, essa liberdade única, mas ele diz, olhe eu tenho o direito de levar uma irmã como esposa como todo mundo. Isso é um direito e um privilégio que eu tenho. O casamento é uma coisa maravilhosa e honrosa, e o Deus abençou, e ser solteiro é apenas para pessoas que podem ser solteiras para a glória de Deus, não apenas por causa da falta de compromisso, ou porque estabeleceram algum padrão mundano e não se casariam com ninguém que não alcançasse esse padrão. Aliás, há algumas notas de rodapé neste versículo que eu não posso resistir. Duas coisas que Paulo nos diz sobre uma esposa. Ela precisa ser conduzida e ela deve ser uma irmã. Essa é uma maravilhosa afirmação do que a Bíblia diz sobre a responsabilidade masculina de ser a cabeça e liderar sua esposa. E eu não quero colocar um anel no nariz dela e arrastá-la por aí, eu acho que o que ele está dizendo lá é para dar a sua orientação e direção.

Essa é a intenção de Deus e ela não só deve ser aquela que vai seguir, aquela que será conduzida, aquela que entende papel de auxiliadora, mas ela será uma irmã. Isso está em Cristo, e ele tem direito a isso. A questão então, eu acho que nos primeiros versículos de 1 Coríntios é, “o sexo é algo não espiritual?” e a resposta é o quê? Não. Está bem se você não entrar nisso. Tudo bem se você for virgem até ir para o céu, está tudo bem. É honrado. É maravilhoso se Deus dotou você para isso, o chamou para isso e o separou para o reino. Se você foi formalmente casado e agora você está solteiro novamente ,talvez por motivo de morte ou divórcio, você é viúva, ou divórciada, e você tem todas as razões para ser solteiro, porque você perdeu seu parceiro, então, você deve pensar em primeiro lugar: ei talvez Deus me queira solteira, isso é honroso, está tudo bem, isso é bom, daqui em diante você pode ser celibatário e glorificar a Deus. Mas o casamento também glorifica a Deus.

Só depende de qual seja o seu dom. Essa é a primeira pergunta. Eu vou lhe dar a segunda pergunta. Agora ouçam, se os casados ​​anteriormente se casarem novamente, eles têm esse direito. Agora a resposta para isso vai vir na próxima semana. Eu só queria colocar isso para que você viesse. Vamos curvar-nos em oração. A Palavra de Deus é tão prática e, Pai, somos tão gratos que ela fale à vida, nos toca onde vivemos. A inteligência divina de suas verdades, oh como penetra nossos corações. Conhece-nos. Sabemos que foi escrita por Deus, porque busca os lugares secretos de nossos corações. Obrigado pelo que nos ensinou hoje e nos lembrou. A santidade, a maravilha, a beleza do casamento, a santidade a maravilha a beleza da vida de solteiro para a glória de Deus, pela doação do Espírito, pelo bem do reino. Pai, minha oração é que cada um de nós compreendesse para o que nos chamaste, também. Seja para ser solteiro, para que não fôssemos onerados pela ansiedade do mundo, mas livres para cuidar das coisas do Senhor, para sermos solteiros por causa do avanço do reino. Agradecemos pelo que aprendemos sobre o casamento também, que é bom. Que todos devem ter seu próprio parceiro para evitar pecar, e nessa união deve haver contínua doação de um para o outro. Porque isso encerra a habilidade de Satanás para nos tentar nessa área muito vulnerável, e se pudermos ser preenchidos nessa área, poderemos sustentar um relacionamento de amor íntimo, feliz, emocionante, por toda a vida, então, abençoe os casamentos. Abençoe, as pessoas solteiras, e oramos para aqueles que estão na encruzilhada fazendo a pergunta, tenho o direito de me casar novamente devo casar novamente? Devo casar pela primeira vez? Deus me chamou para ser solteiro? Oramos para que Tu também respondas ao clamor de seus corações. E para aqueles Pai, que desejam se casar, mas não encontraram o parceiro certo, que Tu tragas para eles a pessoa certa. Aquela que compartilhe os valores da fé e do amor de Cristo com uma irmã um irmão que podem juntos tornarem-se um em Ti. Agradecemos a todos os que estão reunidos hoje e oramos neste dia especial para que haja uma grande partilha de amor e carinho, para que Tu possas ser o centro de tudo. Oramos em nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize