Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos agora nos voltar para a Palavra de Deus para ouvir o que Deus disse nas páginas da Sagrada Escritura. Lucas capítulo 11 é o nosso texto e estamos olhando os versículos 5 a 13. Esta é uma porção muito, muito rica e encorajadora da Escritura.

Uma das coisas que eu desejava que fosse diferente no mundo era que os cultos da igreja não fossem confinados aos limites do tempo que eles estão em nossa cultura. Um dos motivos porque eu gosto de ir para a Rússia ou outros lugares do mundo, é porque você pode pregar o tempo que quiser e ninguém sai nem se importa. É uma restrição necessária, no entanto, em nossa cultura na forma como abordamos a nossa adoração, para falar 45, 50, 55, talvez se esgueirar uma hora, ocasionalmente, e depois parar, porque as restrições de tempo nos obrigam a prosseguir para o próximo evento.

E, portanto, você nem sempre pode dar a representação completa do texto porque Deus não escreveu Sua Bíblia para ser distribuída em segmentos de uma hora ou 45 minutos. Nem tudo se limita a isso. E, como o mais importante não é garantir que seu tempo esteja certo, mas garantir que a sua interpretação seja correta, a riqueza das Escrituras se derrama semana após semana e eu digo isso apenas para pedir desculpas aos que não estiveram aqui no domingo passado.

Tivemos um tempo maravilhoso no último domingo, passando pela primeira parte deste texto. E eu simplesmente recomendo a você obter a fita ou o CD que está disponível no pátio, porque é uma das mais fascinantes e uma das mais maravilhosas e encorajadoras passagens das Escrituras que já estudamos neste notável Livro de Lucas. Agora vamos voltar e na verdade vamos terminar este texto esta manhã e será igualmente abençoado para todos nós.

Deixe-me ler o texto para você, começando no versículo 5.

"Disse-lhes ainda Jesus: Qual dentre vós, tendo um amigo, e este for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois um meu amigo, chegando de viagem, procurou-me, e eu nada tenho que lhe oferecer. E o outro lhe responda lá de dentro, dizendo: Não me importunes; a porta já está fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para tos dar; digo-vos que, se não se levantar para dar-lhos por ser seu amigo, todavia, o fará por causa da importunação e lhe dará tudo o de que tiver necessidade.

“Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á. Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir [pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir] um peixe, lhe dará em lugar de peixe uma cobra? Ou, se lhe pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?"

Passagem muito notável. Começa com um tipo muito simples de rotina terrena em uma pequena aldeia em um incidente com um homem que precisava de um pão para alimentar um amigo que chegou à meia-noite, e acaba com uma teologia profunda no verso final. Pode-se passar um longo tempo nisso. Eu estava pensando em fazer uma série de 15 semanas só no versículo 13, é muito rico. Agora, deixe-me apenas dar-lhe a imagem ampla desta passagem e, em seguida, vamos voltar a isso um pouco.

O único Deus verdadeiro e vivo, o único Deus, o Deus verdadeiro, o Deus da Bíblia, o Deus e o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo é muito diferente das divindades e deuses fabricados por homens e demônios. E a diferença está em Sua natureza essencial. Ele é amoroso, misericordioso, gracioso, indulgente, acessível, disponível e generoso.

Isso está em contraste direto com todos os deuses das religiões humanas ao longo da história, cujos deuses não são amorosos, nem misericordiosos, nem graciosos, nem tolerantes, acessíveis ou disponíveis, ou generosos. Eles são desenhados ao longo da linha de reis, monarcas e governantes típicos. E se você conhece alguma coisa sobre a história antiga e a história dos monarcas, você sabe que basicamente não estão disponíveis, são inacessíveis. Na verdade, em Ester 4:11, você possui uma caracterização de um monarca típico. Isso aconteceu no império persa. Mas isso é o que é dito.

“Todos os servos do rei e o povo das províncias do rei sabem que para qualquer homem ou mulher que venha ao rei para o tribunal interior que não seja convocado, ele tem apenas uma lei, que ele seja morto." Se o rei não convocasse você, e você entrasse em sua presença, ele o mataria. " salvo se o rei" diz Ester 4:11 "estender para ele o cetro de ouro, para que viva." Você entra na presença do rei e você pode perder sua vida. Você simplesmente não pode fazer isso.

Agora, essa é uma maneira típica de procedimento dos monarcas. Você se aproximava apenas quando fosse convidado. Você se aproximava um pouco delicadamente. Você podia se aproximar indo de costas, lemos em alguns casos, ou curvados, com certeza, em alguns casos rastejando. E, normalmente, o rei estava em lugar elevado, de modo que ficasse claro para você que ele estava bem acima de você e você estava em algum lugar sob seus pés. Você se aproximava com uma certa hesitação, com uma certa delicadeza, e você certamente não se aproximava com uma atitude exigindo qualquer coisa.

Mas nosso Deus é exatamente o oposto. Ele está absolutamente disponível, absolutamente acessível, gracioso, misericordioso, compassivo, amável, e você pode entrar em Sua presença com ousadia e pedir o que quiser. Você pode entrar em Sua presença a qualquer momento e não irá interrompê-Lo. Na verdade, Ele deseja que você faça isso.

Volte para Hebreus 4:16 por um momento, e aqui está um versículo que usaremos como um ponto de partida para a discussão deste texto. Hebreus 4:16 apresenta um princípio semelhante ao que aprendemos nesta passagem em Lucas. Diz o seguinte, versículo 16: "Acheguemo-nos, portanto". Estamos nos aproximando de Deus. Aproximando-nos do nosso grande Sumo Sacerdote, o Filho de Deus no céu. "Acheguemo-nos, portanto" e algumas traduções têm a palavra "ousadia", e algumas traduções têm a palavra "confiança". Usemos "ousadia". Penso que é uma representação mais verdadeira do grego.

"Acheguemo-nos, portanto, com ousadia ao trono" e essa é a verdadeira torção interessante "junto ao trono da graça" um trono que dispensa graça. Não é um trono de lei, não é um trono de justiça, não é um trono de julgamento, é um trono de graça? "Então nos aproximemos com ousadia ao trono da graça, para receber misericórdia e encontrar a graça para ajudar em tempo de necessidade".

Agora eu quero que você veja a palavra "ousadia", parrēsia no grego, parrēsia. Significa "liberdade de falar" basicamente. Significa "dizer o que quer que você queira dizer". Significa "ser ousado em seu discurso". Significa "ser aberto e franco". E, como diríamos, "estar na frente e dizer como é".

Vá a Deus com abertura, franqueza, ousadia e confiança, e peça o que quiser daquele que dispensa graça e misericórdia para ajudar. Esta é uma promessa que, penso, muitas vezes é esquecida, que nos é dito para vir a Deus com ousadia para apresentar o que está em nossos corações.

Agora eu levei você a esse tipo de conceito na última vez. Mostrei-lhe algumas orações nas Escrituras onde as pessoas realmente diziam: "Deus, ouça-me. Ouça-me. Me dê tua atenção. Não se esconda de mim. Eu tenho isso no meu coração e eu vou trazê-lo para que tu entendas, e eu quero que ajas, ó Deus, ouça e responda a minha oração." E, embora haja uma certa humildade, existe também um elemento muito forte de confiança e ousadia.

Algumas pessoas vieram até mim depois da semana passada e disseram: "Você sabe, nunca ouvimos isso antes, essa abordagem. Você tem certeza de que isso realmente é assim?" E não queria que você pensasse que eu inventei isso, então eu pensei em voltar e reunir um pouco de apoio histórico.

E um dos meus heróis é Martyn Lloyd-Jones, David Martyn Lloyd-Jones. E isso é o que Lloyd-Jones disse. "Esta santa ousadia, essa argumentação, esse raciocínio, isso coloca o caso diante de Deus, isso implora suas próprias promessas, esse é todo o segredo da oração". Isso é muito bom, não é mesmo? Ele concorda comigo. Ele não sabe disso. Ele está no céu. Na verdade, eu concordo com ele.

Claro, e para fortalecer isso e para que você saiba que não é nada novo, encontrei uma citação maravilhosa de Thomas Goodwin, o puritano inglês. Ele ainda vai além. Thomas Goodwin diz isso, e cito. "Quando você ora", ele diz, "você literalmente pode ir a Deus e dizer o que está em seu coração e reivindicar Sua promessa. Na verdade, você pode exigir que Ele seja fiel à Sua promessa." E é isso que Thomas Goodwin diz: "Entre em demanda com Ele para isso. Entre em demanda com Ele para para isso." Uau. "Não o deixe em paz. Importune-O com sua própria promessa. Diga-Lhe o que Ele disse que ele vai fazer. Cite a Escritura para Ele", diz Lloyd-Jones. E você sabe, Deus se agrada em nos ouvir fazendo isso, como um pai gosta de ver esse elemento em seu próprio filho, que, obviamente, estava ouvindo o que seu pai estava dizendo. Isso o agrada.

Lloyd-Jones continua e diz: "O filho pode ser um pouco impertinente. Não importa. O pai gosta disso e Deus é nosso Pai e Ele nos ama, e Ele gosta de nos ouvir alegando Suas próprias promessas, citando Suas próprias palavras a Ele, e dizendo à luz disso: ‘Você pode abster-se?’ Isso agrada o coração de Deus. Entre em demanda com Ele." Coisas muito ousadas, hein?

Mas eu só queria que você soubesse que outras pessoas viram isso nas Escrituras. Essa é a atitude de uma oração ousado que vai a Deus e diz: "Você fez a promessa. Você disse para vir. Você disse para pedir o que está em nosso coração. Você disse que era para ser ousado, então aqui estamos." Esse tipo de ousadia é o que Jesus está ensinando aqui nesta passagem maravilhosamente rica em Lucas capítulo 11.

Agora, como eu disse na última vez, sabemos que Deus é santo, e que Deus é todo poderoso e todo sábio, todo conhecedor. Sabemos que Deus é imutável. Sabemos que Deus é absolutamente soberano, que Deus está no controle total de cada circunstância, todos os detalhes. E ele está elaborando seu próprio plano perfeitamente.

Nós sabemos disso e isso levanta a questão: por que eu oro? E se Deus vai fazer o que Ele vai fazer, por que devo orar? E como minha oração teria algum efeito nisso? E certamente eu vou entrar e sair o mais rápido possível já que Deus fará o que Ele vai fazer, mesmo assim. Não quero incomodá-Lo nem interrompê-Lo com minhas pequenas orações triviais. Como, afinal de contas, devo entender o papel das minhas orações?

E eu lhe disse na última vez que, embora Deus tenha ordenado os fins, Ele também ordenou os meios. E o fim é fixo, e Ele usa os meios para chegar ao fim dele. E um dos meios que ele usa para alcançar seus fins são nossas orações. É por isso que " Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo." Deus determina quem ele salvará antes da fundação do mundo. Ele elege alguns para a salvação, mas Ele, embora escolhendo salvá-los - esse é o fim - os meios são a fé e o arrependimento deles.

E Deus determinou que seríamos conformados com a imagem de Jesus Cristo, esse é o fim. Mas o meio é nossa obediência. Deus está determinado a construir a Sua igreja, mas o meio é o nosso serviço e a nossa pregação do evangelho. Deus determinou que Ele unificará Sua igreja, o corpo de Cristo. O meio é o exercício de nossos dons espirituais. Deus alcança os Seus fins através dos Seus meios e um dos meios que Deus nos deu é a oração. E enquanto oramos, somos o meio pelo qual Deus alcança seus fins.

E até a nossa oração mais simples não é insignificante para Deus, assim como esta ilustração foi tão simples. Tudo o que homem queria eram três pedaços de pão. Isso parece uma coisa trivial, não uma necessidade, nem uma emergência, nem uma grande necessidade. E é exatamente por isso que Jesus usou isso como uma ilustração. O que pode parecer pequeno para você, considerando a grandeza de Deus e a vastidão de Seu reino e Seus propósitos eternos não é nada pequeno.

Você não precisa se sentir envergonhado quando você vai a Deus. Você não precisa sentir que suas trivialidades não são importantes para Ele. Você não precisa considerar isso porque Deus é soberano, Ele não precisa de sua colaboração, sua informação. Você não precisa considerar isso porque Sua escolha, sabedoria e poder divinos já estão no lugar e Ele vai fazer o que Ele vai fazer de modo que suas orações não ficam de fora. Elas fazem parte e você precisa orar e orar corajosamente, qualquer que seja o problema. Porque, como qualquer outra coisa em nossa experiência espiritual, os fins de Deus são alcançados através de meios que envolvem nossa vontade, nossa obediência, nosso desejo, nossa fidelidade.

Agora, a palavra-chave em Lucas 11 é a palavra "persistência". É o que ele está apontando no versículo 8, onde ele diz: " digo-vos que, se não se levantar para dar-lhos por ser seu amigo, todavia, o fará por causa da importunação e lhe dará tudo o de que tiver necessidade." A persistência, eu lhe falei, é uma palavra muito interessante, a palavra anaideian, muito incomum, significa, "importunação".

"Importunação" é diferente de "oportunidade". "Oportunidade" é simplesmente uma circunstância que é favorável para você. "Importunação" é algo completamente diferente. "Importunação" é outra palavra para ser "impetuoso" ou "mais ousado". É uma palavra para ser "sem vergonha". É uma palavra para ser "excessivamente agressivo". É uma palavra para, como dissemos na última vez, ter muito de nervo ou muito de fel. É uma palavra para descrever, você sabe, invadindo onde os anjos temem pisar, esse tipo de atitude.

E Jesus está dizendo que este homem conseguiu o que queria porque ele foi sem vergonha. Ele se levantou no meio da noite, ele foi direto ali e ele incomodou seu vizinho, e ele não parecia preocupar-se com o fato de o homem estar dormindo, de que estava na cama com sua família. Era no meio da noite e ele ia atrapalhar toda a família. Todo mundo vai se levantar. O homem vai ter que pegar o pão porque ele tinha um dever social para fazer isso, e assim por diante, e assim por diante. Esta é uma coisa ousada de fazer. Esta é uma coisa impetuosa a se fazer. Esta é uma coisa nervosa a se fazer, acordar toda essa família no meio da noite para algo tão simples como três biscoitos.

O Senhor está nos ensinando aqui algo sobre como nos aproximamos dele. Ele está chamando nesta passagem por interrupções ousadas e sem vergonha, oração agressiva, que vai a Deus quando pode parecer inoportuna; Não se apressando em pedir e logo cair fora, mas desabafando todo seu coração.

Agora vimos da última vez a parábola, versículos 5-8, e não vou lê-la novamente. O Senhor apresentou esta questão com uma história que todos entenderiam. E o ponto central da história é que quando você não está envergonhado em pedir, você obtém o que você perguntapede. Lembre-se do que Tiago disse. "Você não tem porque você não pede". Não hesite em pedir a Deus. À meia-noite, em qualquer circunstância, por menor que seja, se você não tem, é porque você não pede.

Sem constrangimento, somos convidados a invadir e a adentrar, alegando que temos o convite e dizendo: "Deus, você prometeu. Você disse que orasse sem cessar. Você disse para pedir. Você disse para vir. Então, processe-me se eu estiver fora da linha. Aqui estou." E então olhamos para a parábola e foi fascinante ver isto.

E a segunda coisa que vimos, não só a parábola, mas na aplicação da parábola veio essa incrível promessa. O segundo ponto é a promessa, versículos 9 e 10, e eu vou levá-lo a isso novamente. Jesus novamente está falando: " Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á".

Isso simplesmente vai além da imaginação. É assombroso. Estou lhe dizendo, venha, venha no meio da noite, venha para o que pode parecer pequeno para você, venha e prenda-me no meu dever, assim como um amigo segurou outro em sua obrigação social de mostrar hospitalidade para dar a alguém o que precisava, prenda-me às minhas promessas, responsabilize-me. Você vem, você pede, e eu darei. Você busca e você encontrará. Você bate e a porta será aberta para você.

Isso é quase incrível para ser verdade, tão incrível que depois de dizer uma vez no versículo 9, apenas para lidar com o nosso tipo de incredulidade, ele diz novamente no versículo 10. Isso novamente é Deus, convidando-nos a entrar em Sua presença e aí está uma progressão. Você começa a pedir, e então você fica mais agressivo e você começa a buscar, e finalmente você começa a bater, bater. Seu apelo é mais agressivo. Isso de alguma forma afasta Deus? Isso de alguma maneira irrita Deus? Pelo contrário. Você pede, você recebe; Você busca o que significa que você invoca, e você acha; Você bate, o que significa que você fica mais intenso, e a porta para as bençãos de Deus será aberta para você.

Agora, isso é apenas uma revisão. Venha para um terceiro ponto, e vamos chamar isso de princípio. A parábola fez sentido por causa de uma promessa. A promessa faz sentido por causa de um princípio. E o princípio é um princípio bastante simples. É esse princípio: os pais fazem bem aos seus filhos.

Veja o versículo 11. "Agora, suponha que a um de vocês, pais, seja pedido um peixe; ele não lhe dará uma cobra em vez de um peixe, será? Ou se ele pediu um ovo, ele não lhe dará um escorpião, será?" Agora, este é um princípio básico. Os pais dão bons presentes a seus filhos. De um modo geral, falando humanamente, os pais cuidam de seus filhos.

E ele está aumentando isso um pouco a partir da amizade. A resposta do amigo: "Não me incomode. A porta foi fechada, meus filhos e eu estamos na cama, eu não posso ceder e lhe dar seja o que for. Eu sou seu amigo, mas essa amizade não é de muito tempo. Gosto de ser seu amigo à luz do dia. Não estou interessado em ser seu amigo no meio da noite".

A amizade é uma coisa e vai longe. A paternidade é outra coisa, não é mesmo? Isso novamente é um típico padrão judaico comum de raciocínio do menor para o maior. Se um amigo responderá à sua persistência, o que um não pai fará?

Meus filhos certamente não hesitaram em me pedir o que eles queriam. E os seus? Eles certamente nunca hesitaram em pedir a sua mãe o que eles queriam. E a expectativa é que, se é algo que eles precisam e sabemos que eles precisam, eles vão recebê-lo, porque eles entendem o que relacionamento que temos é de amor, cuidado, responsabilidade e carinho. E esse é o ponto aqui.

Então, Jesus está dando essa promessa. Você pode pedir, buscar e bater, e você receberá, e você vai encontrar, e a porta será aberta, isso é baseado no fato de que você está se dirigindo a um pai. Esta é a analogia. Este é o princípio aqui. E é muito interessante como ele estabelece. Ele diz, a um de vocês pais, um dos discípulos que estão ouvindo isso - diz no versículo 1 que Ele estava falando com os discípulos dele. "A quem de vocês, pais, foi pedido por seu filho um peixe. Seu filho está com fome. Ele quer um peixe. Ele quer peixe." Era uma espécie de carne básica.

E então, o que você vai dar? Você vai lhe dar uma cobra em vez de um peixe? Quer dizer, se ele quer comer e está com fome, você não vai zombar de sua fome e certamente não vai lhe dar uma cobra. Alguns sugerem que esta é também a palavra "enguia", acho melhor ver isso como uma cobra. Você não lhe daria um animal que pudesse envenená-lo. Quando ele quer comida e quer ser alimentado, você não vai lhe dar algo que possa matá-lo.

E então ele dá outra analogia simples. "Se ele pede um ovo, ele não lhe dará um escorpião, não é mesmo?" Por que essa comparação? Porque os escorpiões eram de cor amarelada. Existem diferentes raças que são diferentes tipos de escorpiões. Mas os historiadores nos dizem que os tipos, naqueles dias, eram de uma espécie de cor amarela, não diferente da cor de um ovo, e eles se enrolavam, e quando eles se enrolavam em uma pequena bola, eles pareciam um pequeno ovo. Então, havia algum tipo de semelhança para fazer a analogia funcionar. Ele diz: "Se o seu filho quer um ovo porque ele está com fome, você não vai dar a ele um escorpião mortal.”

Agora, quando Jesus ensinou isso em outro lugar no Sermão do Monte em Mateus 7:9, ele acrescentou uma terceira analogia. Ele disse: "Se o seu filho pedir pão, você não vai dar a ele" o que? "uma pedra." Você não vai zombar da fome de seu filho. Você não vai zombar da necessidade do seu filho. E você não vai lhe dar algo que ele não pode comer. Você não vai lhe dar algo que o matará. Esse é o princípio. O princípio é que os pais cuidam de seus filhos. E quando os filhos vêm e têm necessidades, o pai atende às necessidades.

E então vemos a parábola que ilustra que devemos vir a qualquer momento, por mais simples que seja a necessidade, e sermos excessivamente ousados em nossa busca. A promessa que está subjacente à nossa atitude de oração é que seja o que for que buscamos, se estiver dentro do quadro de Sua vontade, nós a receberemos. Isso é baseado no princípio de que Deus é um pai.

Agora, isso nos leva ao quarto e mais importante ponto. Vamos chamá-lo de premissa. E, por premissa, quero dizer a base, o fundamento em que toda essa discussão é construída. E aqui está, versículo 13, " Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" Agora nós somos lançados para a teologia. Este versículo é rico.

Passamos por uma parábola, uma promessa, um princípio, uma analogia, e agora chegamos a uma premissa divina. Agora chegamos à doutrina bíblica. "Ora, se vós, que sois maus" nós poderíamos parar e ensinar sobre a depravação do homem, certo? Vocês são maus, e Ele está falando com os discípulos, os seguidores dele, com aqueles que o abraçaram, aqueles que foram "salvos". Esses eram seus filhos, mas eles ainda eram maus. Ele não diz "aqueles que fazem o mal, os que são maus", "ser malvado". Não é apenas o que fazemos, é o que somos, o mal. "Ora, se vós, que sois maus" e, por sinal, a palavra "mau" é ponēros, ponēros, "mau, perverso, sem valor", usado em Mateus 5:37 e 6:13 e traduzido por muitas traduções como um referência a Satanás, "o perverso". Você compartilha a natureza essencial que o diabo possui. "Ora, se vós, que sois mau" mesmo aqueles que seguem Jesus Cristo ainda têm um princípio de pecado perverso operacional neles.

Vocês, sendo maus. No entanto, tem a imago dei residual, foi deixado em você o resíduo da imagem de Deus que foi contaminado na queda, mas ainda está lá, porque, embora você esteja no coração do mal, "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto", Jeremias 17:9; "não há quem faça o bem, não há nem um sequer" capítulo 3 de Romanos. Nós somos maus. "No entanto, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos". Esse é o residual da imagem de Deus.

Sempre que você vir o que chamamos de "leite da bondade humana", sempre que você vir pessoas que não conhecem bem a paternidade de Deus, mas que amam seus filhos, mostram bondade, dão aos filhos o que eles precisam, são filantrópicos; você está vendo o residual da imagem de Deus, tão distorcida e marcada na queda, mas ainda está lá. E então, ele diz: "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos" e aqui vem a chave "quanto mais"

Esta é uma maneira rabínica antiga de argumentar, uma maneira judaica antiga de argumentar, o argumento "quanto mais", a abordagem "quanto mais". "Quanto mais do que os que são maus, o seu Pai celestial" implica, quem não é mau, que é perfeitamente santo "dará". Quer dizer, se você que no coração é mau, dá bons presentes aos seus filhos, quanto mais seu Pai celestial, que é santo, dará aos Seus filhos? Se você, que só pode amar de forma imperfeita, dê bons presentes aos seus filhos, quanto mais seu Pai celestial, que ama perfeitamente, dará aos Seus filhos? Se você, que é limitado em sua sabedoria, dá aos seus filhos o que você acha melhor, quanto mais seu Pai, que é perfeitamente sábio, dará o melhor aos Seus filhos?

A coisa toda causa um enorme abismo em nosso entendimento. Você pode ir a Deus porque Ele é um Pai amoroso. Mas Ele é um Pai amoroso, muito além do pai mais amoroso neste mundo que é por natureza mau e que faz o melhor para dar bons presentes a partir de um coração corrupto e caído. Quanto mais seu Pai celestial o amará com um amor perfeito? Quanto mais com sabedoria perfeita, compaixão perfeita e misericórdia e graça perfeitas, compreensão perfeita de sua situação, e a bondade perfeita, dará a você?

Então, quando você vai a Deus e entra com ousadia em sua presença, entra com perseverança, você se precipita, você descarrega o que está em seu coração, e primeiro você pergunta, e então você começa a implorar, você começa a bater, sabe, Deus está encantado com isso - encantado com isso - porque Ele, com Seu amor perfeito, e perfeita sabedoria, e poder perfeito, e provisão perfeita é capaz de dar o melhor aos Seus filhos. De fato, o Salmo 84:11 diz: "nenhum bem sonega aos que andam retamente", seus filhos. Ele não retém nada. Então, quanto mais seu Pai celestial dará do que qualquer pai terreno?

Você sabe, João 13:1, "tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os eis telos" diz de Jesus: "tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os eis telos", ao máximo, até o final, até o final, completamente, totalmente, sem limites, infinitamente. É com esse amor, com essa sabedoria, com esses recursos que Deus dará. Muito diferente do conceito de um monarca terreno ou de um falso deus.

Mas há um ponto interessante aqui. Ele diz: "quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" Isso não parece fazer sentido quando você lê pela primeira vez. De fato, na passagem paralela, Mateus 7:11, apenas paralelo no ensino, embora em uma ocasião diferente, ouça Mateus 7:11. Veja se isso não faz melhor sentido. "Ora, se vós, que sois maus" aqui Jesus ensinou a mesma coisa, no sermão do monte. "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?". Agora, esse é um bom paralelo, não é mesmo? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?

Mas não diz isso aqui. Ele diz: "quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo?" Como o Espírito Santo entrou aqui? E eu li alguns comentaristas não muito tempo atrás, que dizem que há um estreitamento aqui, há um estreitamento aqui. Em Mateus é "o que é bom". É amplo, largo e ilimitado. Aqui é "o Espírito Santo". Então ele o reduz a esta coisa específica.

Quando leio coisas como essas e que não parece não soar bem, não parece correto que o Senhor reduza essa promessa. Ele tornaria o mais amplo possível em um lugar, qualquer coisa que seja boa. E depois reduze-a ao Espírito Santo em outro lugar. Eu meio que me sento em minha cadeira e entro em meu modo de meditação, tentando descobrir o que realmente pode estar sendo dito aqui.

O ponto principal disso não é que Deus nos dê algumas coisas prescritas se atingirmos o alvo. Toda a idéia é vir e pedir o que quer que esteja no seu coração e se precipitar na presença de Deus sempre que quiser, é claro, com uma medida de humildade e reverência, mas ainda assim abra seu coração, fale com ousadia, seja persistente, insista, se você quiser, e você pode esperar que Deus, que é generoso, lhe dará tudo o que for bom. Mas como o Espírito Santo se encaixa aqui?

Deixe-me apenas tornar isso simples, ok? Não diz que você peça o Espírito Santo necessariamente. Diz: "Dá o Espírito Santo àqueles que pedirem a Ele." Quando você pede a Deus, o que quer que você peça a Deus, seja lá o que for, Deus lhe dá o Espírito Santo. Deixe-me mostrar o que quero dizer. Você pede conforto, Ele lhe deu o Consolador, certo? Você pede ajuda, Ele lhe deu o Ajudador. Você pede a verdade, Ele lhe deu o mestre da Verdade. Você pede poder, Ele lhe deu o Espírito de poder. Você pede sabedoria, Ele lhe deu o Espírito de sabedoria. Você pede orientação, Ele lhe deu o Guia. Você pede amor, alegria, paz, gentileza, bondade, fé, mansidão, autocontrole e Ele lhe deu o Espírito cujo fruto foi liberado em sua vida.

Você vê, esta é a generosidade de Deus. Você pede o presente, Ele dá aquele que o presenteia. Você pede o efeito, Ele dá a causa. Você pede o produto, ele dá a fonte. Isso é generosidade. Ele lhe dá de acordo com as riquezas dele, não de acordo com as suas riquezas. Pedir a Deus é como, por assim dizer, ir ao banco, você pede algum dinheiro, Ele lhe dá o banco. Essa é a questão. Eu vou apenas dar-lhe o Espírito Santo, então você conseguiu tudo, porque do Espírito Santo vem o poder.

Do Espírito Santo vem a unção que ensina todas as coisas. Do Espírito Santo vem o talento, do Espírito Santo vem o fruto, do Espírito Santo vem a direção e a orientação. Da obra do Espírito Santo vem tudo. Do Espírito Santo vem intercessão em seu favor para que todas as coisas cooperem juntamente para o bem. Eu vou apenas dar-lhe o Espírito.

Falando sobre generosidade. Você pode ir a Deus e pode dizer: "Senhor, preciso de conforto. Senhor, preciso de algum poder para superar as circunstâncias. Estou lutando aqui. Eu preciso de alguma sabedoria." Seria muito imponente supor, digamos, se você fosse um discípulo, ou mesmo para nós, se pudermos nos colocar nessa posição para ir a Deus e dizer: "Deus, eu só - eu não quero - não quero graça por enquanto. Não quero conforto por enquanto. Eu não quero orientação por enquanto. Poderia apenas vir e morar em mim? Você faria isso?" Isso seria muito ousado, não seria?

Quer dizer, isso é pedir muito a um Deus santo que resida neste vaso de argila, para que um Deus santo viva em um ser humano sujo. Isso é ir ainda mais longe, você não diria isso? "Ok, aqui estou eu, Deus. Não quero três pães planos. Eu não quero três bolachas aqui para o meu amigo. Eu estou dizendo a você: poderia descer e morar em mim permanentemente?" Uau. Isso é presunção além do que se pode descrever.

Mas é exatamente o que acontece. Isso é exatamente o que acontece. Quão generoso é Deus? O que mais ele pode fazer? Este não é o estreitamento. Esta é a definição. Ele não só lhe dá os bons dons, mas Ele planta em você permanentemente a fonte de cada um deles. Você é, 1 Coríntios 6:19-20 diz: "O templo do Espírito Santo". Você é o templo do Espírito Santo. Portanto, é apenas uma questão de ser fortalecido pelo Seu Espírito no homem interior, certo?

E então, em Efésios 3:20, diz: "Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera" onde? "em nós." Deus diz, com efeito: "Eles têm tantas necessidades, eles precisam de tanto poder, tanta sabedoria, tanta orientação, tanta ajuda, eu simplesmente colocarei o Meu Espírito neles e então eles terão O Doador, a Fonte e a Causa ".

Quer dizer, a generosidade disso é absolutamente surpreendente. Dando-nos o Espírito Santo, especificamente, não é algo menos do que bons dons, é algo mais que bons presentes. O Senhor está dando um passo adiante. Ele disse: "Eu vou lhe dar o que é bom." E agora ele diz: "Eu vou apenas dar-lhe o bom, o terceiro membro da Trindade, Deus de verdadeiro Deus, Deus o Espírito, para vir e viver na sua vida."

Agora, esses discípulos sabiam sobre o Espírito Santo. Os judeus sabiam sobre o Espírito Santo, podiam realmente dizer a frase e o Credo do Apóstolo: "Eu creio no Espírito Santo". Eles leram Gênesis, e era o Espírito de Deus que se movia sobre as águas, certo? E deu forma à criação. Isaías, capítulo 40, atribuiu a criação ao Espírito Santo. Jó 33:4, Eliú dá testemunho: "O Espírito de Deus me fez." O Espírito de Deus é o Criador. Então eles conheciam a obra do Espírito de Deus na criação.

Eles também sabiam que o Espírito de Deus veio sobre os juízes no Antigo Testamento e os ajudou em sua liderança em Israel. Eles sabiam que o Espírito de Deus veio sobre os artesãos que construíram o tabernáculo e construíram o templo, que o Espírito de Deus veio sobre líderes como o rei Davi e sobre profetas como Ezequiel e Miquéias, Zacarias. Eles sabiam que o Espírito de Deus veio para capacitar, para a profecia e para certas obras.

Mas eles também sabiam - e isso é realmente importante - eles também sabiam que, quando o Messias chegasse, haveria um derramamento especial do Espírito Santo. Isaías 61 apresenta o Messias dizendo: "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para pregar o evangelho aos pobres". Lembra-se de Lucas 4 Jesus veio e disse: "Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir". Eles sabiam que quando o Messias viesse, Ele seria capacitado pelo Espírito, e o Messias era.

Ele nasceu de uma virgem que foi engravidada pelo Espírito. Ele foi ungido pelo Espírito no Seu batismo. Ele foi cheio pelo Espírito Santo e dirigido pelo Espírito Santo em Sua tentação e Seu ministério. O Espírito de Deus o energizou. Você vê isso através do evangelho de Lucas enquanto você se move através de todos esses elementos da vida de Jesus. Então eles sabiam que era assim que deveria ser, é o que o Antigo Testamento disse, o Messias seria ungido pelo Espírito Santo.

Mas eles também sabiam que, quando o Messias viesse, Ele traria um reino que seria dominado pelo Espírito Santo. Como eles sabiam disso? Porque em Joel 2:28-29 diz: "O Espírito de Deus viria sobre toda a humanidade". Haveria uma libertação do Espírito Santo, como nunca antes.

E você lembra no dia de Pentecostes que Pedro diz: "O que você vê no dia de Pentecostes é uma prévia do que Joel disse. O Espírito Santo virá sobre toda a humanidade e haverá profecias, visões e sonhos". Isso acontecerá no reino futuro e houve uma prévia no dia de Pentecostes.

Então, eles associaram o Espírito Santo com a vinda do Messias, a vida pessoal e ministério do Messias, também com o reino do Messias. Mas há um terceiro elemento. Eles sabiam que o Espírito Santo viria em plenitude aos crentes que faziam parte desse reino. Como eles sabiam disso? Por causa dessa passagem-chave que todos os judeus bem informados conheciam, capítulo 36 de Ezequiel, aquela nova e maravilhosa passagem da aliança que Nicodemos conhecia tão bem como mestre em Israel.

Isto é o que a nova aliança promete. “Então, aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne”. Em outras palavras, eu vou regenerar totalmente sua alma, o seu interior.

Então, isto: "Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis". Então eles sabiam que o Espírito Santo viria, e entraria neles, epermitiria que eles caminhassem obedientes à Palavra de Deus. Eles sabiam que isso estava na promessa da nova aliança. Eles sabiam o que Paulo disse em 2 Coríntios 3 que "a letra mata, e o Espírito dá -" o quê? "dá vida".

Então, Jesus entende que estão esperando pelo Espírito Santo. Eles estão esperando pelo Espírito Santo. E eles sabem que toda plenitude virá no Espírito, que quando o Espírito vier e residir neles, eles vão obedecer a Lei de Deus, eles irão andar em Seus mandamentos. Então, Jesus sabe que isso está em seu coração, e assim Ele lhes diz: "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial", que é perfeito e perfeitamente bom, vai dar-lhe o que você mais quer, e o que você mais quer é o Espírito Santo, porque ao tê-lo você não tem apenas o suprimento, mas você tem a fonte, certo?

E você se lembra que Jesus disse em João 14 aos discípulos: "esse vos ensinará todas as coisas" falando do Espírito e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito". E Jesus disse em João 7 que, quando o Espírito de Deus vem em você, "do seu interior fluirão rios de água viva". Você se tornará uma fonte jorrando de benção divina. O Espírito irá guiá-lo a toda a verdade, Ele o fará lembrar das coisas que eu disse. Ele irá guiá-lo. Ele irá dirigi-lo. Ele irá convencê-lo.

Você entende que tudo o que aconteceu com você como crente é resultado da obra do Espírito Santo? E neste ponto, podemos entrar na doutrina chamada "pneumatologia", o estudo do Espírito. Como pecador, você foi condenado pelo Espírito Santo, João 16, foi assim que você entendeu o seu pecado. Quando você confessou Jesus como Senhor, você fez isso por causa do Espírito Santo. "ninguém pode dizer: Senhor Jesus!, senão pelo Espírito Santo", 1 Coríntios 12:3. Você recebeu o conhecimento da verdade de Deus, do Espírito Santo, porque é somente o Espírito que conhece as coisas de Deus, capítulo 2 do Coríntios. "O homem natural não as entende".

Você foi liberto da lei do pecado, a lei da morte, pelo Espírito Santo. "onde está o Espírito do Senhor" 2 Coríntios 3:17 diz "aí há liberdade". Você foi selado para a vida eterna pelo Espírito Santo, Efésios 1. Você anda em justiça pelo Espírito, Romanos 8. Você foi Batizado no Espírito, 1 Coríntios 12, literalmente "imerso em Sua vida e poder". Você é habitado pelo Espírito, 1 Coríntios 6:19-20. Você é cheio do Espírito, Efésios 5:18. Você é dotado pelo Espírito Santo, 1 Coríntios 12.

A você foram dadas as virtudes piedosas pelo Espírito, o fruto do Espírito, Galatas 5. Vocês são capacitados pelo Espírito para o evangelismo, Atos 1:8. O Espírito está sempre intercedendo por você, Romanos 8, com gemidos que não podem ser proferidos, intercedendo por você. Você é santificado pelo Espírito, 2 Tessalonicenses 2. Você é feito como Cristo pelo Espírito de um nível de glória para o seguinte, cada vez mais como Cristo, 2 Coríntios 3:18. Você tem esperança no Espírito, Romanos 8:23. O Espírito é o arrabōn, a garantia, o pagamento inicial, o anel de noivado de sua futura glória eterna.

Em resumo, quando o Senhor lhe deu o Espírito Santo, Ele lhe deu tudo, absolutamente tudo. Por Sua presença, pelo Seu poder, pela Sua graça, somos permanentemente os possuidores de tudo o que precisamos e muito mais "Ele é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos". Você tem mais recursos no Espírito Santo do que você pode imaginar.

Está bem acima, toda a passagem. Deus lhe dá mais ao dar-lhe o Espírito Santo, então você poderá compreender. É por isso que a oração, também, de Paulo, foi que Deus nos desse o Espírito de sabedoria e conhecimento para que entendêssemos o que temos. E é para aqueles que pedem. Você pede e Ele não lhe dá o que é do Espírito, Ele lhe dá o Espírito.

Deus não é como esse vizinho, ele é? Que foi incomodado e disse: "Vá embora", mas finalmente cedeu. Deus é muito generoso. Ele nos dá mais do que poderíamos imaginar porque, como não podemos compreender Deus, nem o Seu poder, nem a Sua sabedoria, nem os Seus recursos, não podemos compreender o Espírito, mesmo que Ele viva em nós. É por isso que ele é capaz de fazer o máximo “infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos." Não desonre a Deus, duvidando de Sua generosidade. Vá até Ele no meio da sua noite e saiba que você não irá interrompê-lo. Ele delicia quetem prazer por você estar lá. E prenda-O por Suas promessas, seja persistente, exija que Ele ouça e lhe dê o que é melhor. Isso ajuda você a ver a oração de uma maneira diferente? Muito bom.

Isso tudo é tão avassalador para nós, Pai. Somos tão indignos e tão imerecedores. E, no entanto, Tu acabaste de nos oferecer além do que poderíamos compreender. Pedimos um dom e Tu nos deste o Doador. Só podemos dizer: "Obrigado", e nós viremos, e pediremos, oraremos, suplicaremos, buscaremos, bateremos, porque nos disseste que é assim que vamos receber e achar, e as comportas serão abertas para nós.

Nós Te amamos e agradecemos por ser generoso como Tu és, tão magnânimo. Nunca seríamos tão ousados ​​em pedir-Te que vivas em nós, e ainda assim é o que fizeste. Agradecemos por isso. E agradecemos-Te que o Espírito está aqui para fortalecer-nos, ensinar-nos, guiar-nos, consolar-nos, ajudar-nos, interceder por nós, manter-nos firmes, selar-nos até a eterna glória. Por isso, agradecemos em nome de Cristo..

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize