Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Nosso texto essa manhã é um versículo, um versículo muito curto, 1 Tessalonicenses capítulo 5, versículo 20; o apostolo Paulo diz, “Não desprezeis as profecias”. Você sabe, de diversas formas, a Bíblia é um livro absolutamente incrível. Existem vários ângulos diferentes que uma pessoa pode olhar quando se trata do caráter incrível das Escrituras. Me permita te mostrar talvez um dos mais raros. Alguns anos atrás, um homem israelita e empresário chamado Ze-el Fetterman começou a pensar sobre a destruição de Sodoma e Gomorra. E ele leu que nas Escrituras falava, “e viu que da terra subia fumaça, como a fumarada de uma fornalha”. Ele supôs que um incêndio tão grande indicava que teria gás subterrâneo, e gás subterrâneo, no entendimento dele, significava petróleo subterrâneo. Ele estava certo. Em 1953, o primeiro poço de petróleo israelita foi construído em algum lugar perto do antigo local de Sodoma e Gomorra.

Standard Oil Company (uma empresa de petróleo) tem descoberto petróleo e tem cavado poços de petróleo no Egito há muito tempo. É comumente conhecido que eles fazem isso, mas a razão por que eles foram para aquela terra antiga para procurar por petróleo não é muito conhecida. Foi dito que um dos diretores da Standard Oil Company estava lendo o Segundo capítulo de Êxodo. O terceiro versículo chamou sua atenção; diz que a arca de juncos, que a mãe de Moises fez para seu filho, foi coberto de betume e piche. Esse homem entendeu que onde existe piche existe petróleo, e se existia petróleo nos tempos de Moisés, provavelmente ainda continua lá. Então a empresa enviou Charles Witchet, seu geólogo e especialista em petróleo, para investigar, e o resultado foi que petróleo realmente foi descoberto.

Esse próximo é o meu favorito. O World Christian Digest reportou que um policial de Haifa que conhecia a Bíblia estava seguindo pistas sobre um grupo de contrabandistas. Eles usavam, para serem discretos, uma caravana puxada por jumentos, ou carroças para atravessarem a cidade. O policial conseguiu capturar alguns dos jumentos, apesar dos contrabandistas conseguirem fugir. O policial decidiu deixar os jumentos de carga ficar sem comida por muitos dias e depois soltou eles. E bem como ele previa depois de ter lido Isaias 1:3, “O boi conhece o seu possuidor, e o jumento, o dono da sua manjedoura; ” os animais famintos levaram os policiais direto aos contrabandistas.

A Bíblia é um livro incrível. Pelos séculos, pessoas tem centrado suas vidas na Bíblia. É precioso e único. Uma das minhas histórias prediletas é a de uma menininha na França que era pobre e cega. Ela tinha conseguido o evangelho de Marcos em braile e aprendeu a ler ele com as pontas dos dedos. Porque ela tinha tanto amor pelas Escrituras, e lia constantemente, seus dedos ficaram com calos e por causa dos calos diminuía a capacidade que ela tinha de discernir as letras. Um dia, querendo muito ler as Escrituras, ela cortou a pele das pontas de seus dedos para tentar aumentar a sensibilidade, mas por causa disso ela acabou destruindo os nervos. Ela sentiu que ela precisava desistir de ler seu livro querido, e chorando, a história conta, ela pressionou seus lábios nas páginas de Marcos, e disse, “Adeus, Adeus. ” Para sua surpresa, seus lábios, mais delicados do que seus dedos, discerniu o formato das letras, e aquela noite inteira ela leu, com seus lábios, a Palavra de Deus, e se transbordou de alegria com essa nova oportunidade.

Jesus resumiu tudo isso quando ele disse, “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. ” A Bíblia é maravilhosa, um livro sem igual. Na minha opinião alguém deveria colocar um aviso na Bíblia que diz o seguinte, "Cuidado: esse livro cria hábitos, uso contínuo causa perda de ansiedade, menos vontade de mentir, trair, cobiçar, odiar e roubar. Sintomas da condição são: aumento do sentimento de alegria, paz, amor e compaixão. ”

A Bíblia é o livro supremo. Nenhum outro livro chega perto de sua excelência. O apóstolo Paulo tem a supremacia das Escrituras em mente quando ele escreve naquele versículo que eu li para vocês um pouco de tempo atrás. Quando ele disse, “Não desprezeis as profecias; ” Ele tem em mente a revelação de Deus. Ele está falando aqui sobre a nossa atitude sobre a revelação de Deus, seja escrita ou falada. Agora lembre, isto é, versículo 20 é, a parte de uma lista de coisas básicas para um modo de viver cristão. Voltando para o versículo 16, ele nos lembrou que devemos regozijar sempre, depois ele nos manda orar sem cessar, e em tudo dar graças. E da última vez que vimos isso nós percebemos que ele falou, “Não apagueis o Espírito.” Agora ele entra em um assunto único, e diz, “Não menospreze a revelação de Deus.”

Isso é tudo parte, lembrem, de um crescimento saudável da igreja, que inclui as ovelhas tendo um relacionamento correto com o grande Pastor. O apóstolo Paulo tem falado sobre como a igreja deve se relacionar uns com os outros, líderes com membros, membros com líderes, membros com membros, e agora os membros com o Senhor, e esses são todos componentes que faz uma igreja ser efetiva. Esses últimos mandamentos são muito diretos e muito específicos. “Não apagueis o Espírito” não dá para confundir com outra coisa. Versículo 21, “julgai todas as coisas, ” isso também não dá para confundir com outra coisa. “Retende o que é bom;” é muito claro. “Abstende-vos de toda forma de mal. ” Muito claro. O único mandamento que pode trazer um pouco de confusão é esse Segundo, “Não desprezeis as profecias. ” Nós precisamos olhar um pouco mais perto para isso para saber do que exatamente ele está falando.

Só como uma nota de rodapé para vocês que estão interessados na estrutura da língua, em cada um doa cinco mandamentos começando no versículo 19, o sujeito vem primeiro. O Espírito, não apagueis. Profecias, não desprezeis. Tudo, examine. O que é bom, retém. O mal, abstende-vos – assim a ênfase está no sujeito. Isso causa uma afirmação muito forte no grego. Vamos então olhar para alguns elementos específicos desse versículo que vai nos livrar para entender seu significado. A palavra “desprezar” significa rebaixar alguma coisa. Significa não considerar como nada, ou fazer nada com aquilo. Profecias, prophēteias, é outra palavra bíblica muito importante que vamos precisar estudar mais para podermos entender melhor. Mas basicamente significa “o que Deus tem dito” – o que Deus tem dito.

Isso cai em duas categorias, falada e escrita, e eu quero que você entenda isso. A palavra prophēteias, que é a palavra aqui, é usada no Novo Testamento para a palavra falada e escrita. Isso é muito importante, porque quando você vai interpretar isso, não tem nada ali contextualmente que vai te ajudar; então você tem que olhar para a palavra, e depois você vai precisar olhar em outros textos e ver como essa palavra é suada. Às vezes é usada para uma palavra escrita, as vezes é usada para a palavra falada.

Vou te dar algumas ilustrações disso. Abram suas bíblias em Romanos capítulo 12, só para te ajudar a compreender essa palavra para que você tenha um entendimento claro dessa interpretação, você vai achar no capítulo 12 de Romanos uma lista de dons espirituais. O versículo 6 é o começo dessa lista, diz no versículo 6, “tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada:” depois vem isso, “se profecia, seja segundo a proporção da fé;”. Aqui está o uso dessa mesma palavra. Aqui tem a ver com falar, um dom de fala. Na verdade, 1 Pedro 4 divide os dons espirituais em duas categorias, dons de fala e dons de serviço. A palavra significa “falar antes”. Não num senso profético, mas no sentido de ficar em pé na frente das pessoas e falar diante delas. Literalmente significa falar em público, a proclamar publicamente. Esse dom, o dom de profecias, que alguns cristãos tem recebido, é uma habilidade dada pelo Espirito Santo para proclamar publicamente a Palavra de Deus. É uma habilidade dada pelo Espirito Santo para a proclamação pública da Palavra de Deus.

Se nós olharmos para o Novo Testamento, quando o dom de profecias estava em seu auge, vamos ver duas categorias – duas categorias. Às vezes quando alguém usava esse dom, era revelação. Às vezes era a primeira vez que alguém tinha escutado aquilo. Era uma palavra vinda diretamente de Deus. Às vezes não. Às vezes era simplesmente uma repetição ou uma proclamação de uma coisa que Deus já tinha falado antes ou que já tinha sido escrito. Mas a palavra “profecia” não necessariamente nos fala alguma coisa sobre a forma, sendo uma nova revelação ou algo que foi revelado antes; só nos fala sobre a forma em que foi articulada. Foi uma proclamação pública.

Às vezes uma profecia podia ser muito prática – às vezes muito prática. Por exemplo, no livro de Atos, no capítulo 11, versículos 27 e 28, nós encontramos uma expressão muito prática de profecia. Profetas desceram, no versículo 27, de Jerusalém à Antioquia e um deles, chamado Ágabo, se levantou, e começou a indicar pelo Espírito que certamente teria uma grade fome sobre o mundo inteiro. Aqui Deus fala através desse homem com uma profecia muito prática. Não foi doutrinária. Não era para ser gravada como um livro da Bíblia ou parte de um livro. Não foi teológico. Foi simplesmente prática. E isso acontecia frequentemente. Profetas do Novo Testamento falavam a Palavra de Deus diretamente ligada a vida prática e o ministério da igreja. No capítulo 15 de Atos, versículo 32, “Judas e Silas, que eram também profetas, consolaram os irmãos com muitos conselhos e os fortaleceram.” Aqui você tem dois profetas do Novo Testamento que estão só pregando. Só estão pregando. Sem dúvida nenhuma eles estavam pregando uma palavra encorajadora, exortativa, isso não era uma revelação direta nesse ponto, eles estavam simplesmente passando para frente algo que Deus tinha revelado para encorajar os santos. Pode ter tido um elemento sobrenatural. Não sabemos isso, não é indicado no texto, como é em Atos 11, quando diz que ele estava falando pelo Espírito.

Então profecia é um termo amplo que se refere a proclamação pública da mensagem de Deus. Pode ser uma mensagem nova, ou pelo menos nos tempos no Novo Testamento era novo, quando eles ainda recebiam revelação e Deus podia falar diretamente através da boca de um profeta, ou poderia ser repetição, isto é, simplesmente comunicando publicamente algo que Deus já tinha dito, e já tinha revelado. A parte milagrosa disso tudo – que é, nova revelação, sendo de forma prática ou doutrinária – era distintamente da era da igreja primitiva. Muitas vezes, mesmo nos tempos antigos, na maioria das vezes o dom de profecia era a habilidade de proclamar a palavra de Deus que já tinha sido revelada. E em Romanos 12:6, é exatamente isso que Paulo está falando. Se você voltar e olhar esse versículo por um minuto, eu gostaria de chamar uma coisa extremamente importante para a sua atenção. Em Romanos 12:6 ele diz, “Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé.; ” eu quero acertar essa tradução de acordo com o grego. “se profecia, seja segundo a proporção da fé;” não da sua fé; o pronome possessivo não está ali no original.

A palavra “proporção”, é muito importante: no grego: analogia, analogia, onde nós ganhamos a palavra “analogia”. Quando nós falamos algo análogo a outra coisa, nós queremos dizer que tem um relacionamento de concordância com outra coisa. Se eu falar “a verdade é análogo a isso,” eu quero dizer que tem um relacionamento de concordância; que seja o que isso for, concorda com essa outra coisa. Por isso os reformadores falavam analogia Scriptura, a Escritura sempre concorda com ela mesma, não é? Não está em discordância com ela mesma.

Então o que ele está falando em Romanos 12:6? Que esse dom de profecia deve ser usado concordando com a fé – uma afirmação muito importante – de acordo com a fé. O que é “a fé?” A fé é usada diversas vezes no Novo Testamento como um sinônimo de corpo dado por Deus da verdade cristã; doutrina; a revelação de Deus. Em Atos 6, versículo 7, “Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé,” isto é, a doutrina, a verdade. Em Judas, Judas nos lembra o leitor que estamos diligentemente batalhando pela fé. Que fé? A fé que foi dada a todos os santos, essa fé. Este é o corpo de revelação que nós conhecemos como a Palavra de Deus. E no versículo 20 de Judas, “Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima”.

Então Paulo diz em Romanos 12:6, “Qualquer um que profetize, está habilitado para falar palavras de Deus, deve estar em completa harmonia e concordância com a fé de Deus já revelada”. Você entende isso? Então aquele que fala, fala de acordo com a fé; é assim que essa palavra é usada. Então quando Paulo fala “ não desprezeis as profecias,” e nós nos perguntamos, “o que ele quer dizer com isso,” podemos responder, em primeiro lugar, ele quer dizer aquelas profecias vindas de homens com dons, que estão em perfeita harmonia com – o que? – A Palavra de Deus. Apocalipse, perto do final do livro, no capítulo 19, versículo 10 diz, “Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo.” Isso é João falando. “Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu” o anjo respondeu isso, “e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.” A profecia testemunha a Jesus Cristo. Profecia está em acordo com a revelação da Palavra de Deus. Qualquer vez que alguém se levanta para dar uma mensagem verbal, podemos julgar sua validade quando reconhecemos se está ou não em perfeita concordância com a Escritura. Profecias nunca podem se desviar da Palavra escrita.

E também, em Romanos 12 o dom da profecia está em uma lista que não tem nenhum dom milagroso. Nenhum dom milagroso está citado naquela lista de Romanos 12. Alguns são citados em 1 Coríntios 12, mas não em Romanos 12. Então podemos discernir que esse é um dom não milagroso; isto é, simplesmente a proclamação da verdade em perfeita harmonia com a Palavra de Deus. Mas vamos abrir nossas bíblias em 1 Coríntios 12. Eu preciso levar vocês um passo mais para a frente. Primeira Coríntios, capítulo 12 no versículo 10; aqui nós vemos o mesmo dom de novo, só que dessa vez está colocada em um versículo que cita dons milagrosos. Ele fala sobre os efeitos de milagres, 1 Coríntios 12:10, “a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las”. Aqui você tem dons que são exclusivos para a época dos apóstolos. Mas o dom está mencionado aqui de novo, dessa vez no meio de dons milagrosos, então concluímos que tem vezes que esse dom, nos tempos apostólicos, era milagroso – na verdade, quando o profeta estava recebendo uma revelação direta de Deus, que nunca tinha sido dada antes. Então existiam tempos quando tinha esse elemento milagroso. Quando essa era milagroso de revelação acabou com os apóstolos, nos sobra o dom não milagroso; isto é, a proclamação pública do que é a verdade de Deus em perfeita harmonia com a Palavra escrita.

Então existiam tempos em que o profeta nos tempos apostólicos falava revelação. Existiam tempos também, e a maioria das vezes, quando mesmo naquela era eles falavam repetições, só repetiam o que Deus já tinha revelado que, claro, é como esse dom é usado hoje em dia.

Agora eu quero te levar para 1 Coríntios, capítulo 14, porque você precisa entender esse dom. Você diz, “por que?” Porque no primeiro versículo do capítulo 12, ele diz, “ A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes” e eu também não quero isso para vocês. Eu quero que você entenda eles. Capítulo 14 de 1 Coríntios, versículo 1, “Segui o amor e procurai, com zelo, os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis. ” Uma palavra muito importante, prestem atenção. Isso não foi escrito para um indivíduo, isso foi escrito para uma igreja. Nenhum indivíduo pode desejar um dom espiritual e simplesmente receber. Ele está dizendo que quando uma igreja se junta ela tem que desejar diligentemente que os dons espirituais funcionem ali, mas especialmente a profecia – coletiva. Ele não está dizendo que um crente individualmente deva desejar esse dom se ele não possui ele, ele está falando que a igreja coletivamente deva desejar o uso desse dom. Por que? Versículo 3, “Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando.” Edifica, exorta, consola, profecia faz tudo isso. Profetizar faz tudo isso. É essencial para a vida da igreja.

Versículo 6, ele diz, “Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou de profecia, ou de doutrina”? Aqui de novo ele está falando que profecia cabe num modo inteligível, edificante, exortativo e consolativa.

Olhe para o versículo 39 desse mesmo capítulo. Ele fala de novo. “Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar” depois ele fala, “e não proibais o falar em outras línguas.” Línguas; quando usado corretamente nos tempos antigos, tinha um lugar. Mas eu estou dizendo que quando você deseja que algo esteja em sua assembleia, deseja a profecia. Por que? Porque ela edifica, ela exorta e ela consola. Por que? É a Palavra de Deus que é capaz de te construir. É a Palavra de Deus que te chama para uma caminhada santa. É a Palavra de Deus que é a fonte do seu conforto. E qualquer um que profetizava, profetizava a revelação da Palavra de Deus.

Por exemplo, olhem no versículo 37, 1 Coríntios 14, “Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo”. Em outras palavras, se alguém diz que é um profeta, então ele vai ter que falar com precisão e estar em completa concordância com tudo que eu escrevo, porque estou escrevendo um mandamento de Deus. Então qualquer um que diz ser um profeta tem que estar de acordo com a Escritura.

Voltando para o versículo 24 do capítulo 14, ele diz, “Porém, se todos profetizarem, e entrar algum incrédulo ou indouto, é ele por todos convencido e por todos julgado;” em outras palavras, se um incrédulo entra numa reunião e vocês estão profetizando, proclamando a Palavra de deus, ele vai escutar, ele vai entender, ele vai ser convencido por ela. Versículo 25, “tornam-se-lhe manifestos os segredos do coração, e, assim, prostrando-se com a face em terra, adorará a Deus, testemunhando que Deus está, de fato, no meio de vós”.

Voltando para o versículo 23, ele diz, “Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas, no caso de entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos”? Não vai ter nenhum efeito evangelístico. Profecia, então, é a proclamação da verdade de Deus em perfeita harmonia com a Escritura. É evangelístico, é edificante, é exortativo, é consolante, Isso é profecia. É a proclamação pública da verdade de Deus. Agora, nós não vivemos mais nos tempos apostólicos. Efésios 2:20 diz que a igreja é construída na fundação dos apóstolos e profetas. Estamos bem longe da fundação. Nós ainda temos o dom de profecia, que é a proclamação da Palavra de Deus.

Agora, tendo dito tudo isso, queremos dizer que profecia não é só falada, mas profecia é escrita. Inúmeras vezes no Novo Testamento quando a palavra prophēteias é usada para revelação escrita. Volte para Mateus 13. E nós precisamos fazer esse estudo da bíblia, porque esse versículo pode e tem confundido muitas e muitas pessoas, e francamente, muitos comentaristas tem se confundido com ele também. Em Mateus 13, versículo 14, você tem a mesma palavra, prophēteias, e aqui está se referindo a Isaías. Mateus 13:14, “ De sorte que neles se cumpre a profecia de Isaías”, e depois Ele vai e cita a própria profecia de Isaías, capítulo 6. Então aqui você tem a palavra profecia não se referindo a algo falado, mas a algo escrito; não se referindo a comunicação verbal, mas comunicação escrita. E de fato se refere a Isaias no Antigo Testamento.

Vá até Romanos, bem no finalzinho, o último capítulo, Romanos 16, e aqui você tem uma afirmação muito interessante no versículo 26, Romanos 16:26. Paulo diz, “e que, agora, se tornou manifesto” aqui ele está se referindo ao evangelho e à revelação do mistério que foi escondido; isto é a nova aliança no versículo 25 – “se tornou manifesto” -como?- “e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas,” em outras palavras, esses homens que escreveram as Escrituras tinham um ministério profético. Eles falavam diante do povo. Eles escreveram diante do povo. Eles levaram a Palavra de Deus para o povo, de forma falada ou escrita. Então nós sabemos, então, que a palavra pode se referir a algo falado ou pode se referir a Palavra escrita.

Vá até 2 Pedro, por um momento, 2 Pedro 1, ele diz no versículo 19, “Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética”. Depois no versículo 20 ele define isso, “Profecia da Escritura, ” ele chama. A palavra profética, a profecia da Escritura, aqui está aquele mesmo termo, e aqui se refere a Escritura inspirada. Aquela pequena frase “profecia da Escritura” no versículo 20 era o termo usado para o Antigo Testamento como um todo. Era a Palavra profetizada. O Antigo Testamento, então, é uma composição de revelação profetizada. As palavras de Pedro também vão abraçar o Novo Testamento, porque ele diz, “porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” Aqui ele está falando sobre profecia como Escritura escrita, Escritura escrita!

Olhem para Apocalipse, capítulo 1 no versículo 3, só por uns instantes. VOcê pode só escutar se você preferir. Falando sobre Apocalipse, João escreve, “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia”. Aqui ele está chamando o livro de Apocalipse de “a profecia” – a profecia. No ultimo capítulo de Apocalipse, João cita 3 vezes que Apocalipse é a profecia – a profecia – versículo 10, versículo 18, versículo 19. Agora colocando tudo isso de lado, deixa eu resumir isso tudo, okay? As vezes essa palavra prophēteias se refere a Palavra falada, a revelação de Deus vindo pela boca de um profeta, mas sempre a Palavra falada tinha que estar de acordo com a Palavra escrita. As vezes a palavra profecia se refere a Palavra escirta. De qualquer forma, a profecia se conecta com a Esceritura. Entenderam? Ou é a Escritua, ou está em perfeita concordância com a Escritura. O ponto de Paulo é claro. Quando ele diz, “Não desprezeis as profecias;” com isso ele está falando, “ninguém menospreze ou considere levianamente a revelação de Deus nas Escrituras; sendo quando você lê, ou quando você escuta ela proclamada, não pense nela levianamente, não diminua sua importância, não menospreze Ela”.

Jó disse que ele estimava a Palavra de Deus mais do que sua comida diária, capítulo 23, versículo 12. Jeremias se deliciava todos os dias na palavra de Deus com alegria. Josué, você lembra, quando ele nos dá aquela instrução maravilhoso no primeiro capítulo, versículo 8 ele diz, “Não cesses de falar deste Livro da Lei;” isto é, a bíblia, “antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” Josué 1:8. Em Deuteronômio, o Senhor instruiu o povo claramente sobre como eles devem tratar a Palavra de Deus com extrema devoção. Ele diz a eles, “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração;” Deuteronômio 6:6. “Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas. ” Encha sua vida com a Palavra de Deus, é o que ele está falando. Encha sua vida inteira com a Palavra de Deus.

Salmos 1 diz, “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR”. O homem cuja vida inteira é totalmente devotada a Palavra; “seu prazer” é o que está escrito lá, “está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite”. Esse é um homem de Deus. Nós não menosprezamos a Escritura; nós a exaltamos, nós a levantamos acima de tudo. “Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do SENHOR. Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração;” Salmos 119:1 e 2. “Ó como eu amo a Tua lei”, diz Davi. Este próximo mandamento, então, nos leva para uma consideração muito importante da Escritura. “Não degradam a Palavra de Deus”. Trata ela com respeito eminente é o que ele está falando.

Isso é só possível para cristãos. 1 Coríntios 2:10 diz que Deus é revelado a eles através do Espirito. E depois no versículo 14, 1 Coríntios 2:14, “Ora, o homem natural”, isto é um homem que não foi salvo, um não cristão, “não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”. Uma pessoa que não foi regenerada não pode apreciar a Escritura, exaltar a Escritura da maneira correta. Martinho Lutero disse que “o homem não convertido é como uma estátua de sal; com ao esposa de Ló, como uma madeira ou uma pedra, como uma estátua sem vida que não usa nem os olhos nem boca, nem o senso nem o coração, até ele ser regenerado pelo Espirito Santo,” fecho aspas.

O melhor que o homem ou mulher não salvo pode fazer é mastigar nas beiradas da bíblia sem nunca conseguir provar o recheio. Kierkegaard, o filósofo dinamarquês sugeriu, eu acho, uma ilustração gráfica de uma abordagem errada da Escritura. E ele estava olhando para todas essas pessoas da Academia, que supostamente são estudiosos da bíblia, e ele disse isso, “um pequeno menino ia apanhar do pai. Quando o pai ia buscar a vara, o menino enche a parte de trás de suas calças com guardanapos de cozinha. Quando o pai volta e administra a surra, o menino não sente dor alguma porque os guardanapos recebiam a maior força da vara. O menino representa os estudiosos da bíblia. Eles enchem suas calças com seus léxicos, comentários e concordâncias. E como um resultado, a Escritura nunca chega até eles como Palavra de Deus. Tendo anestesiado seu poder por se proteger com parafernália acadêmica, eles então nunca escutem a Escritua como a Palavra de Deus. Se eles tirassem seus livros de dentro das calças – que são necessários, quando usados corretamente, como ilustrado na história da carta de amor – aí então as Escrituras podem alcança-los como Palavra de Deus”.

Permitir que a santa Escritura nos alcance como a Palavra de Deus é o trabalho especial do espirito Santo. Somente aqueles que possuem o Espirito Santo podem obedecer esse mandamento de não menosprezar a palavra de Deus. Temos pessoas em seminários, e faculdades, e igrejas pela América inteira e pelo mundo inteiro que supostamente são estudantes da Escritura, cujas calças estão tão estufadas que a Palavra de Deus não consegue tocar neles, cujas mentes não tem a sabedoria da verdade porque o Espirito Santo não habita em seus corações. Mas nós que conhecemos o Espirito, que conhecemos o Deus vivo, podemos entender a verdade e enxerga-la corretamente. Essas pessoas que negam a veracidade, autenticidade, autoridade, inspiração, inerrância das Escritura só revelam que eles estão em desobediência ao mandamento “Não desprezeis as profecias” – não menospreze, não rebaixam, pensar levianamente sobre a Escritura.

Na verdade, queridos, se você estiver vivendo assim, não é possível viver uma vida cristã, porque o único gráfico e bússola, e manual que você tem é a Escritura. Além disso só vai sobrar esforço humano – fazendo boas obras para tentar ganhar seu lugar. A não ser que o Espirito habite em você, e a não ser que você exalte a Palavra de Deus, não só em mente, mas em obediência, você vai desprezar profecias e violar esse mandamento direto.

Agora, quando chegamos no final disso tudo, e levou muito tempo só para fazer você entender isso, eu quero fazer duas perguntas. Por que não devo desprezar a Escritura? Por que não? E eu só vou passar isso para vocês rapidamente. Primeiro, por causa de seu caráter essencial. Nós falamos bem no começo sobre a singularidade da Bíblia, mas me deixe falar sobre o caráter dela como ela mesma cita. Primeiramente, ela é autoritária. A Escritura é autoritária. Isaias 1:2 diz, “Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, ó terra, porque o SENHOR é quem fala”. Quando Deus fala, você deve escutar; é autoritária.

Em segundo lugar, é infalível – é infalível. E isso é coletivamente, totalmente, compreensivelmente, não falta nada, não comete erros. Salmos 19:7, “A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. ” É total, compreensiva e perfeita. E eu gosto de usar a palavra inerrante. Enquanto é infalível como um todo, ela é inerrante em cada parte. Provérbios 30:5 e 6 diz, “Toda palavra de Deus é pura; ” toda palavra – cada uma delas, cada i e til, “não passará da Lei, ” como Jesus falou. A Palavra de Deus é autoritária. Quando Deus fala, você deve prestar atenção. A Palavra de Deus é infalível; isto é, a Escritura compreensível não tem falhas. É inerrante. Não possui nenhum erro; em seus textos originais, cada palavra de Deus é pura.

Em quarto lugar, ela é suficiente – ela é suficiente. Ela é capaz de totalmente transformar a alma, Salmos 19 diz, é capaz de fazer pessoas simples sábias, trazer regozijo ao coração, iluminar os olhos. É suficiente. É capaz de fazer o homem de Deus perfeito, completamente habilitado para as boas obras. É capaz de te fazer sábio para a salvação, 2 Timóteo 3:15 até 17. É suficiente para tudo.

Em quinto lugar, é efetivo – é efetivo. Você lembra em Isaías 55 quando ele diz, “assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.” É efetiva. Quando Deus fala uma palavra, acontece. E então é determinativa. É determinativa. O que eu quero dizer com isso? Sua resposta para a Palavra de Deus é determinativa para o seu destino eterno. “Aquele que é de Deus escuta as Suas palavras. Tu, porém, não escuta porque não é de Deus”. Quando alguém vem e nega a autoridade, infalibilidade, inerrância, suficiência e efetividade da Escritura, a única coisa que eles fazem é revelar sua condição espiritual, porque se você não escuta as palavras de Deus, você não pertence a Deus. Jesus disse isso. Se você escuta, você pertence a Deus. É determinativa em ascertar o destino eterno de uma pessoa.

Então por que nós não devemos menosprezar a Escritura? Por causa de seu caráter essencial, e em segundo lugar por causa de seus benefícios generosos. A Escritura é a fonte da verdade. João 17:17, Jesus diz, “Tua Palavra é verdade.” Ó que realidade grande e maravilhosa que essa é! Tua palavra é verdade. É a fonte de alegria, em segundo lugar é a fonte de alegria. Provérbios 8:34 diz, “Feliz o homem que me dá ouvidos”. João diz, em 1 João 1:4, “Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa”. Lucas diz, “Feliz é o homem que obedece a Palavra,” Lucas 6:47 e 48, Lucas 11:27 e 28, isso é em toda a Escritura. Apocalipse 1:3, “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas”. É a fonte de alegria e felicidade e benção.

Em terceiro lugar, é a fonte de vitória. “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti”, diz o salmista. Efésios 6:17 diz, “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;” que é a nossa arma. Quando Jesus foi tentado, de acordo com Mateus 4:1 a 11, casa vez que ele foi tentado ele respondeu com o que? A Escritura. Ele disse três vezes, “está escrito,” sim, a Palavra de Deus é a fonte da nossa vitória sobre a tentação. É a fonte da nossa alegria. É a fonte da verdade.

Em quarto lugar, é fonte de crescimento. Você lembra como nós temos nos referido diversas vezes a 1 Pedro 2:2, “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação”. A Palavra é a fonte do nosso crescimento. Spurgeon tinha uma palavra poderosa. Ele disse, “é a Palavra que poda o cristão. Ela é a verdade que poda ele, a Escritura com vida e poderosa pelo Espírito Santo”. Isso é verdade. A Palavra limpa, purifica e essa é a chave para o crescimento. Por isso em João 15, Jesus diz, “A Palavra é como uma faca de podar” ela corta os ramos que não produzem fruto para que o poder de crescimento possa alcançar as partes que produzem fruto. A Palavra é a única fonte de verdade, a única fonte de alegria, a única fonte de vitória, a única fonte de crescimento.

Em quinto lugar, a única fonte de direção. Salmos 19:8 diz que a Palavra é correta e o que isso quer dizer é que ela mostra o caminho correto. E é o caminho correto para caminharmos. E depois em Salmos 119:105 diz, “lâmpada para o caminho”. É o caminho, é a lâmpada que ilumina o caminho; é por onde devemos andar. Nos torna sábios. Revela a vontade de Deus.

E então em sexto lugar, é a fonte de esperança – é a fonte de esperança. Repetidas vezes em Salmos 119, o salmista diz, “eu confio em Tua Palavra, eu espero em Tua Palavra, eu espero em Teus mandamentos”, que significa Escritura. E então, a Palavra de Deus é a fonte de verdade, e alegria, e vitória, e crescimento, e é o nosso guia, e esperança e nós podemos provavelmente acrescentar muito mais a essa lista, mas acho que você já entendeu. Por isso ela é mais doce que o mel e o favo e o ouro, até o ouro refinado. Por que então nós a buscamos? Por causa de seu caráter essencial, e seus benefícios maravilhosos e generosos.

E por último; como devemos buscar? Como posso ter certeza que não vou desprezar? É muito simples. Como você pode ter certeza que você não vai desprezar a Escritura? Preste muita atenção. Primeiro, creia – creia nela. É aí onde começa. Jesus clamou diversas vezes, “creia em mim, creia em minhas palavras”. E em João 5:24, ele disse, “Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida.” Acredite. Uma outra forma de falar isso é, “Receba” – Paulo disse aos Tessalonicenses, “Sou muito grato porque quando prego a vós a Palavra de Deus vocês recebem, porque é a Palavra de Deus”.

Em Segundo lugar, honra – honra a Palavra. O que quero dizer com isso? Exalte ela. Como você pode fazer isso? Em obediência – em obediência. Não seja um mercenário da Palavra, 2 Coríntios 2:17, não use a Palavra para manipular para seu próprio ganho e seus próprios propósitos. Ele diz em 2 Coríntios 4:2, “algumas pessoas adulteram a Palavra de Deus, mas você deve honrá-la, exaltá-la, apreciá-la.”

Em terceiro lugar, ame-a. Davi disse em Salmos 119:97, como já mencionei antes, “Ó como eu amo Tua lei”, e depois quando você chega no final de Salmos 119, tem várias afirmações repetidas com esse mesmo pensamento em mente. “Tua Palavra é pura, ” Salmos 119:140, “ então Teu servo a ama”. Afeição profunda, desejo profundo – é isso que Pedro estava falando quando ele falou, “como um bebê recém-nascido deseja o leite, você deve desejar”.

E então obedeça, esse é o quarto ponto. Obedeça. Na verdade, a maior difamação que você pode fazer com a Escritura é falar que você acredita, mas você não obedece. “Se você continua em minha Palavra, você é um verdadeiro discípulo”. “Se você falar que está em Cristo, ande no caminho em que Ele andou”. E como Ele andou? Em perfeita obediência na Palavra de Deus. Jesus contou a história, você lembra, sobre as duas casas, e uma foi levada com a enchente , Mateus 7, e outra ficou, e a diferença é que “uma não fez a vontade de Meu Pai”, e a outra “fez a vontade de Meu Pai”.

Número cinco, lute por ela. Judas 3 diz, “exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé”. Engaje-se na batalha pela bíblia.

Em sexto lugar, estude ela – “Estude”, Paulo disse, “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Seja como os nobres bereanos, “que buscavam na Palavra diariamente para ver se essas coisas eram verdade”. Seja como Apollo, quando diz que ele era “poderoso nas Escrituras”. “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo”, Colossenses 3:16.

Finalmente proclame, proclame. Se você obedientemente e fielmente acredita na Palavra, honra a Palavra, ama a Palavra, obedece a Palavra, combate pela a Palavra, estuda a Palavra e proclama a Palavra, você não vai menosprezar ela. Você não vai desprezar ela. Vai fazer muito parte da sua vida.

Para concluir, eu estava lendo uma pequena nota sobre Martinho Lutero e como ele estudava a bíblia. Ele disse, “Eu estudo a minha bíblia como eu colho maçãs. Eu, primeiro, sacudo a árvore inteira primeiro, assim os frutos mais maduros possam cair. Depois eu sacudo cada ramo, e depois de ter sacudido cada ramo eu sacudo cada galho. E depois cada varinha. E depois eu olho em baixo de cada folha. Eu busco a bíblia como um todo, como estivesse sacudindo a árvore inteira. Depois eu sacudo cada ramo, eu estudo livro por livro. Depois cada galho, eu dou atenção para os capítulos. Depois cada varinha, ou um estudo de parágrafos e sentenças e palavras e significados.”

A Palavra é um livro único. “Quando estou com sono, A Bíblia é a minha cama. Ou no escuro, A Bíblia é a minha luz. Quando estou com fome, ela é pão vivo, ou com medo, ela é uma armadura para lutar. Quando estou doente, é remédio para cura, se estiver sozinho, os laços de amizade eu encontro nela. Se eu tivesse que trabalhar, a bíblia seria a minha ferramenta. Na hora de brincar, é a harpa com um som afinado. Se sou ignorante, é a minha escola. Se estiver afundando, é a minha rocha. Se estou com frio, a Bíblia é o meu fogo, e me dá asas se eu corajosamente desejar. Se a escuridão oprimir, a bíblia é o sol. No meio de feiura, é um lindo jardim. Se estiver com sede, como suas águas são geladas, se estiver com falta de ar, como seu ar vivifica. Como Tu te entregas para mim, ó grande livro, como eu me entrego a ti.” Vamos orar.

Pai, sabemos que se devemos ser ovelhas fiéis, e se nosso rebanho deve crescer e ser um rebanho saudável, não podemos menosprezar Tua Palavra, Tua revelação. As palavras do poeta são tão apropriadas, “Como Tu te entregas para mim, ó grande livro, como eu me entrego a ti.” A resposta é não desprezar, não pensar levianamente, mas pensar grandemente, crer, honrar, e amar, estudar, lutar por ela, proclamar. Senhor nos faça ser um povo do Livro, um povo que traz honra a Teu nome, no nome de Jesus, Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize