Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Voltamos ao nosso estudo da Palavra de Deus nesta manhã, para 1 Tessalonicenses capítulo 5. Ao chegarmos rapidamente à conclusão desta epístola maravilhosa, nós nos encontramos esta manhã olhando para o texto dos versículos 21 e 22. 1 Tessalonicenses 5:21-22. O Apóstolo Paulo escreve "julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal."

Há alguns meses atrás eu tive a oportunidade, como você sabe, de dirigir por todo Estados Unidos para entregar o carro do meu filho a ele. E no processo nós estávamos dirigindo pelas estradas secundárias de Arkansas e percorrendo ao longo de uma boa estrada com duas pistas em meio a uma chuva enevoada - estávamos vendo as casas pequenas da fazenda durante o percurso, e de repente, depois que chegamos a uma pequena colina, havia um grande cartaz que dizia "Colchas." Bom, eu tinha, há alguns anos, procurado por uma colcha que eu pudesse comprar para minha esposa Patricia. E então eu pensei "Bom, eu vou parar lá e ver como são as colchas." E então saltei naquela pequena área suja em frente a esta pequena casa, e eu bati na porta e uma pequena senhora idosa veio atender. E eu disse, "Eu só estava me perguntando sobre as colchas que faz." E ela disse "Oh, por favor, entre."

E eu entrei e havia várias colchas penduradas em alguns suportes de madeira e à esquerda estava seu marido sentado em uma poltrona grande com pilhas de literatura próximo a ele e um controle remoto de TV. Não sei se ele, se ele não o usava há décadas. E eu entrei nessa espécie de velha casa antiquada e ela - eu disse, "Estou meio interessado em colchas". E ela disse "Bom, deixe-me mostrar a você." E ela tirou uma colcha que, antes de tudo, era sem pé nem cabeça. Era uma colcha cheia de retalhos, retalhos de tudo imaginável, tudo costurado junto. E eu disse "Não, não é realmente o que eu estou procurando."

E eu descrevi o tipo de colcha que eu estava procurando que, curiosamente, ela tinha e que eu comprei e minha esposa agora a possui. Mas eu - eu tive que ir a um pequeno banco na cidade para sacar algum dinheiro para voltar e pagar. E quando voltei e entrei, percebi que havia muita literatura em toda parte, literatura de professores do Dallas Seminary, literatura das Testemunhas de Jeová, literatura da Igreja Unitariana, todos os tipos de literatura e algumas fitas cassetes de vídeo, de diversos ministérios carismáticos. E então eu soube que o nome do marido era Johnny o que era uma coincidência interessante.

E eu disse a ele, "Johnny" eu disse "Você tem muita informação aqui." Ele disse "Bem há algo de bom em tudo isso." E eu percebi que não só sua esposa fazia colchas mas, ele tinha uma teologia acolchoada - retalhos e retalhos de tudo, tudo costurado junto. Isso é muito típico. Muito típico. Pessoas lendo, ouvindo televisão, rádio, fitas com pouco ou nenhum discernimento, apenas um tipo de colcha que remenda toda a coisa em conjunto, em algum tipo amorfo de coisa que realmente tem pouca rima ou razão.

O apóstolo Paulo neste texto está dizendo, "É melhor você examinar tudo e é melhor examiná-lo cuidadosamente, é melhor você descobrir o que é bom e segurar-se nisso, e o que não for bom descartar". Esse é um dos componentes nos fundamentos da vida espiritual. Infelizmente, a igreja hoje tem credulidade ilimitada. Qualquer coisa de tudo é aceito. Parece-me que o problema que supera todos os outros na igreja é a absoluta falta de discriminação espiritual que caracteriza o cristianismo.

Decisões erradas, raciocínio falho, compreensão superficial, conhecimento superficial, ignorância generalizada, têm contribuído mais para a angústia da igreja ao longo de sua história do que todas as perseguições combinadas. As perseguições tomaram seu curso, mas é o caos interno e a confusão interna sobre a doutrina que deixou a maioria das cicatrizes na igreja. E isso não é apenas o resultado da fraqueza humana em discernir a verdade, mas é a obra de Satanás que, disfarçado como um anjo de luz, quer confundir-nos tanto quanto possível.

Como resultado, a maioria ao que parece, hoje tem uma teologia de colcha de retalhos que é uma mistura, e combina todos os tipos de coisas. O erro não é apenas visível nos níveis primitivos, básicos da teologia, mas também nos níveis mais profundos e mais complexos. Agora, isso não devia acontecer porque fomos devidamente avisados. A Escritura nos adverte de doutrinas de demônios, heresias destrutivas, mitos, ensinamentos perversos, mandamentos de homens, especulações, questões controversas, espíritos enganosos, fábulas mundanas, conhecimento falso, filosofia vazia, tradições de homens, sabedoria mundana, e diz que todos eles são armadilhas para os cristãos.

Jesus disse que os lobos viriam com roupas de ovelha. Paulo disse: “entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho”. Paulo escreveu a Timóteo e disse, "homens perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados." Paulo novamente disse "alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.”

Em suma há um mundo de caos e confusão na igreja. Ninguém que entende a Escritura, e esteja ciente de suas advertências sobre o erro, deve ser tão crédulo a ponto de fazer uma declaração como aquele homem que disse outro dia, “Bem, há algo de bom em tudo isso.” Não podemos acreditar por um momento que todo aquele que afirma estar em Cristo e fala em nome de Cristo esteja falando a verdade. Mas as pessoas parecem ser tão ingênuas.

Em muitos casos a igreja, eu acho, é como os fariseus dos dias de Jesus. Em Mateus capítulo 16 alguns versículos interessantes que você pode querer anotar. Mateus 16:1 "Aproximando-se os fariseus e os saduceus, tentando-o, pediram-lhe que lhes mostrasse um sinal vindo do céu. Ele, porém, lhes respondeu: Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado; e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal lhe será dado, senão o de Jonas. E, deixando-os, retirou-se.”

Ele disse, “Seu problema é simples. Seu conhecimento limitado, primitivo, não-científico de como dizer como vai o tempo, excede seu discernimento espiritual.” O que é um inacreditável rebaixamento. “Vocês não sabem muito sobre o tempo, e sua maneira de avaliar o tempo é muito primitiva. Mas assim como vocês não sabem sobre o tempo, vocês sabem mais sobre isso do que sobre teologia.” Eles não tinham capacidade de distinguir entre o falso e o verdadeiro. E Jesus os condenou por isso. E na verdade disse, “Não tenho nada a lhes oferecer.” A distinção entre a verdade e o erro é essencial na vida cristã. É por isso que Paulo diz isso neste texto.

Agora lembre-se, a partir do versículo 16, Paulo listou os fundamentos da vida cristã, "Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias” ou a revelação de Deus. E então ele chega neste: “Julgai todas as coisas.”

Este é um sumário magistral de todos os componentes da vida cristã básica. Devemos ter alegria constante. Devemos estar em oração incessante. Devemos ser gratos, não importa o que aconteça. Nunca devemos extinguir a obra do Espírito de Deus. Nunca devemos desprezar a revelação de Deus, mas exaltá-la e obedecê-la. E devemos examinar tudo, cuidadosamente, para que possamos discernir o que é bom e o que é mau.

Agora deixe-me fazer você olhar para o texto por apenas alguns momentos porque é bastante fácil de interpretar. "Mas examinem tudo" diz o texto grego - "cuidadosamente" como você notará no Novo Padrão Americano está em itálico, significando que foi adicionado. O texto realmente diz "Mas examine tudo.” A palavra "examinar" é dokimazō que é uma palavra familiar para os alunos do Novo Testamento, porque muitas vezes é usada para se referir a algo a ser testado, para revelar a sua autenticidade. É usado às vezes de testar metais.

“Teste tudo para ver se é genuíno" distinguir entre o que é verdadeiro e o falso, o que é certo e errado, o que é bom e mau, separar o trigo da palha. Esse processo, por sinal, para usar as palavras de Paulo aos Efésios, é um esforço para aprender o que agrada ao Senhor, para distinguir. A palavra poderia ser julgar. Julgue tudo, avalie tudo, distinga tudo, e "tudo" significa tudo, todas as coisas. Devemos ser como o Rei Davi que foi capaz de discernir, diz 2 Samuel 14:17, o bem do mal.

Agora uma vez de você discernir isso, o que ele diz? Versículo 21, "Retende o que é bom". "Retende" significa abraçar, abraçar de todo o coração, tomar posse. A palavra "bom" que é a palavra familiar kalos, significa "o que é em si mesmo bom, genuíno, verdadeiro" não apenas justo de olhar, não apenas bonito, e parecendo bonito, mas o que é inerentemente genuíno, verdadeiro, nobre, direito e bom. Quando você encontrar isso abrace-o, segure-o.

O versículo 22 diz "Abstende-vos de toda forma do mal." E a palavra "abster-se" é uma palavra muito forte. Significa "afastar-se". A preposição apa está lá. Significa "fugir". E enfatiza a completa separação do crente do que é considerado mau no ensino e no comportamento. Quando você vê algo que é mau, não verdadeiro, falso, evite.

Não existe na Escritura qualquer latitude para nos expormos ao que não é verdadeiro. Devemos evitá-lo. Temos de fugir dele. Enfatiza, então, a completa separação do crente do que é considerado mal. O mal aqui é o mal no sentido ativo, como algo maligno, nocivo, lesionador e desastroso para todos que o tocam. É venenoso, é mortal. Fique longe dele como se estivesse longe de uma praga.

Lenski estava correto quando escreveu, "As piores formas da maldade consistem em perversões da verdade, mentiras espirituais, embora hoje muitos olhem para essas formas com indiferença e as considerem bastante inofensivas.” O fato de que as perversões morais são incluídas é auto-evidente, estas também trabalham para destruir a vida espiritual e aparecem em muitas formas. Sim, na palavra mal está a perversão moral. Mas ele tem razão, a pior forma disso é a perversão da verdade.

Agora observe novamente o versículo 22. Ele diz, “abstende-vos de toda forma.” Toda forma. A palavra "forma" lá é apenas uma palavra simples. Significa "tipo, espécie, espécie ou forma". Ele está dizendo "Mal em qualquer forma, mal em qualquer forma, mal de qualquer tipo, mal de qualquer tipo. Uma vez que você o tenha discernido evite-o." E sim isso inclui a conduta moral, a perversão moral. Mas o cerne do que ele está dizendo aqui, tem a ver com a perversão da verdade. Isto então, torna-se, primeiramente para nós, um apelo para o discernimento. Um apelo para o discernimento.

Isso não é algo que não é familiar ao aluno do Novo Testamento. Há outros lugares no texto onde tal discernimento é requisitado. Na verdade muitas dessas declarações vêm da pena do apóstolo Paulo. Ele está preocupado em que estejamos discernindo, que nós separemos.

Agora tendo acabado de dar-lhe esse vislumbre do texto - e isso é suficiente - eu quero lançar esta manhã, e eu vou começar o que vai acabar sendo uma série de algumas semanas. E eu quero falar sobre esse assunto de discernimento porque estou muito preocupado com isso. Há uma grande falta de discernimento na igreja como eu tenho dito a vocês e isso aparece de muitas maneiras.

A igreja contemporânea sem discernimento, por exemplo, muitas vezes rejeitou Darwin e Huxley, mas aceitou Freud. Muitas vezes rejeitou a doutrina, e favoreceu, abraçou as relações como se fossem a prioridade. Tornou-se fascinada com o entretenimento e entediada com a exposição bíblica. Enamorou-se com sentimentos, e rebaixou o valor de pensar claramente. Como resultado, o cristianismo evangélico - ouça isso - está lutando por sua própria vida. Vou dizer isso de novo. O cristianismo evangélico, na minha opinião, está lutando por sua própria vida. E nosso tempo clama por pessoas com discernimento.

Agora, a cultura em torno de nós não ajuda, porque vivemos em uma cultura muito não-discernidora. Vivemos numa cultura, de fato, que colocou uma nova e inaceitável definição e valor no discernimento. Por exemplo, pode-se simplesmente notar que costumava ser que quando alguém era uma pessoa de discernimento, isso era uma indicação de sua nobreza, uma indicação de sua sabedoria, uma indicação de que eles deveriam ser honrados e respeitados, eles eram desejáveis. Essa era uma pessoa de discernimento, alguém que podia discernir entre o bem e o mal, o verdadeiro e o falso, aquilo que é melhor.

Agora, uma pessoa que discerne, é alguém que vai ser processado pela União de Liberdades Civis Americana. A palavra assumiu um significado completamente diferente. Nem sequer é permitido em nosso vocabulário. Esta é uma época que não tolera absolutos. Esta é uma época que não tolerará discriminação de qualquer tipo. E não estou falando de discriminação racial que é intolerável para Deus, estou falando de qualquer tipo de discriminação. Este não é um tempo que vai tolerar convicções. Este não é um tempo que tolerará dogma.

Você está vendo isso agora enquanto você lê os jornais sobre Bob Vernon um dos nossos anciãos que é Chefe Adjunto da Polícia em Los Angeles. É intolerável, a esta cultura, que este homem acredite na Bíblia, que afirma a submissão das mulheres, o pecado da homossexualidade, e a necessidade de disciplinar seus filhos. Isso é intolerável, nesta cultura, para todos os efeitos, qualquer outra visão, porque é um momento em que você não discrimina nada. E assim a igreja está vivendo em um ambiente de pensamento não discriminatório. E descobrimos que isso só acelera nosso próprio problema. A igreja não pode ficar refém do espírito desta era.

Agora, eu quero responder a três perguntas nesta série, sobre este assunto de discernimento, e esta manhã eu vou começar com a pergunta número um. A pergunta número um é, por que existe tal falta de discernimento? Eu apenas disse que a cultura está dentro disso, mas por que existe tal falta de discernimento na igreja? Por quê? E eu vou tentar dar-lhe algumas respostas. Não vai ser como um sermão normal, porque eu vou estar falando em alguns termos teológicos e avaliando o cenário como eu vejo na igreja. Então ouça atentamente.

Existem, acredito, algumas causas identificáveis de por que existe uma tão terrível falta de discernimento na igreja de hoje. A principal, vou lhe dar em primeiro lugar, é o enfraquecimento da clareza doutrinária e convicção. O enfraquecimento da clareza doutrinária e da convicção. Esse é o número um.

Houve momentos muito melhores na história da igreja, quando os cristãos eram encorajados a pensar biblicamente, a pensar teologicamente, a testar tudo, a examinar cuidadosamente as Escrituras, a distinguir cuidadosamente suas verdades. E ao descobrir o que era verdadeiro, tomar uma posição e ficar imóvel. Hoje, aqueles que tomam postura firme sobre a doutrina bíblica, são muito freqüentemente criticados por fazerem distinções e agirem com desamor, porque a norma hoje é olhar preguiçosamente na superfície da verdade das escrituras, e então justificar essa superficialidade cavalheiresca, como a desejável generosidade de espírito para com aqueles que diferem. Isso está desenfreado na igreja. Você tipo que apenas escaneia a Escritura, você não quer ser muito dogmático, porque se você é dogmático isso é falta de amor para com alguém que tem uma opinião diferente. E afinal certamente não queremos arguir.

Jay Adams escreve, "Em nenhum lugar essa tendência é mais aparente do que no aconselhamento cristão". Ele também escreve, "Auto-denominados especialistas em psicologia, sociologia e educação, que possuem doutorado em seus campos, e graus de escola dominical no pontificado bíblico sobre ensino cristão e vida, estabelecem-se como porta-vozes de Deus.”

O que ele basicamente está dizendo, é que a questão da interpretação bíblica foi invadida por pessoas que estão mal equipadas para fazer esse trabalho. Há uma falta de discernimento, no entanto, não só na arena do aconselhamento, mas há uma falta de doutrina e convicção no ministério em geral, me parece. O compartilhamento substituiu a pregação.

Outro dia eu estava fazendo uma entrevista no rádio e um colega ligou e ele disse, "Eu estive escutando você por um tempo e eu só quero que você saiba que você é uma pessoa muito melhor no rádio hoje do que eu pensava que você fosse ouvindo seus sermões.” Bom, quando eu prego meus sermões eu não acho que eu digo coisas que não são legais, porque se eu o fizesse eles iriam editá-los antes que a coisa fosse para o rádio. E eu não sei como ele pode descobrir se eu era uma pessoa melhor por apenas me ouvir.

Mas o que ele estava realmente dizendo, era que eu estava em uma conversa com uma senhora, e houve uma grande medida de desacordo e eu estava tentando ser amável o quanto eu podia e gentil, e não empenhado em lidar com essa situação, e era muito mais tolerável ver aquilo do que era ouvir alguém articulando com convicção doutrinária. E era muito mais fácil para ele me ver lidando com uma conversa gentil com alguém que discordava, do que pregar doutrina. Esse é o clima do nosso tempo.

Como eu disse, há uma onda cultural por trás disso. Não é um acidente que a Igreja em nome da unidade do amor e dos relacionamentos tenha se afastado da clareza da convicção e da doutrina e tenha começado a favorecer a abertura rejeitando a estreiteza e o dogmatismo. Este tem sido o clima predominante na cultura que nos rodeia. Na verdade, há uma guerra de padrões. A guerra contra os padrões é pesada, não é mesmo? Quer dizer, se você tivesse uma convicção sobre algo, teria que ser totalmente arbitrário porque não há qualquer padrão.

Houve tanto antagonismo contra convicções em geral em nossa cultura. Eu não sei se você percebe mas tudo está em jogo. Estou falando de história. A história revisionista agora questiona tudo o que os historiadores acreditam. A ciência mesmo, no campo da ciência eles estão questionando coisas que há anos se acreditam. Todas as crenças tornaram-se apenas relativamente verdadeiras e apenas relativamente valiosas se você está falando sobre sociologia, psicologia, filosofia, economia, educação, ou o que quer que você esteja falando.

E claro, para o mundo a religião é a mais subjetiva de todas, porque eles acreditam que é apenas uma experiência personalizada não uma revelação divina. E assim a cultura está se tornando mais e mais relativista e a igreja está pegando a doença.

Esta tendência era visível, aliás, na igreja, anos atrás. No domingo passado quando eu estava em casa com esse problema de pescoço e não podia estar com você eu terminei de ler o volume II da biografia de Martyn Lloyd-Jones. Eu gostei cada momento dela e recomendo todas as 777 páginas para você. Mas enquanto eu estava lendo a última seção daquele livro, era interessante para ele dizer as coisas que estavam diretamente relacionadas a essa própria questão de discernimento que foram registradas lá. Ele viu a tendência se aproximando, a tendência do relativismo na igreja e a morte da clareza doutrinária, em 1971, há vinte anos.

E foi isso que ele disse. "Há uma reação muito óbvia na atualidade contra o intelectualismo. Isto é encontrado entre os estudantes na América e cada vez mais neste país. A razão está sendo desconfiada e colocada de lado. Seguindo D.H. Lawrence, muitos estão dizendo que nossos problemas são devidos ao fato de termos superdesenvolvido o nosso cérebro. Devemos ouvir mais o nosso sangue e voltar à natureza.

"E portanto voltando-se contra o intelectualismo e deliberadamente adotando o credo da irracionalidade eles se entregam ao desejo de experiência e colocam a sensação acima do entendimento. O que importa é o sentimento e o prazer, não o pensamento. O pensamento puro não leva a lugar algum.

Vinte anos atrás Martyn Lloyd-Jones viu o movimento do relativismo entrar na igreja. Em vez de ver o perigo da tendência e atendendo suas palavras, os evangélicos acomodaram-se à tendência como se fosse algum tipo de benção para a sua causa. E na Inglaterra um homem subiu à proeminência com o nome de David Watson e ele liderou a inundação do relativismo na Igreja da Inglaterra. Isto é o que ele disse.

"A razão pela qual eu -" aqui está uma citação dele. "A razão pela qual eu viajo com uma equipe talentosa como nas artes do espectáculo é que eles são capazes de comunicar o evangelho muito mais efetivamente do que eu com meras palavras". Essa é uma declaração surpreendente. Isso é um abandono do padrão bíblico para a proclamação da verdade através das palavras. E era reflexo do humor da época.

David Watson tornou-se então o parceiro de John Wimber e do Movimento Vineyard - que diremos muito mais em algumas semanas - em que a doutrina nem sequer é um problema. De fato John Wimber disse "Estamos no processo de catalogar nossa experiência para que possamos chegar a uma teologia." Experiência pura. David Watson diz "Eu não quero pregar porque a verdade pode ser melhor comunicada através das artes do espectáculo." Posso lembrar a alguém que Jesus não era um cantor ele era um pregador? E João Batista não era cantor era pregador. E os apóstolos não eram atores eles eram pregadores.

David Watson passou a criticar a igreja cristã por se concentrar exclusivamente na mente. Isto é o que Watson disse "A maioria das igrejas depende muito da Palavra falada ou escrita e depois se pergunta por que tão poucas pessoas acham a fé cristã relevante." Ele está dizendo que a Palavra escrita e a Palavra falada tornam a fé cristã irrelevante. O cristianismo irrelevante não é mental. O cristianismo irrelevante não é racional. Não é doutrinal. É emocional. É experiencial. É místico.

Este movimento veio como uma inundação. A ênfase na igreja passou de pregar doutrina à mente, para dar às pessoas um maior conhecimento da verdade divina, para fazer pouco mais do que induzir sentimentos, induzir emoções, enfocar necessidades. Acoplando aquela abordagem relativista com o Movimento Carismático e com aqueles psicólogos que entram na igreja com suas coisas relacionais, e a pregação torna-se mística, relacional e relativista. A adoração começou a descer.

E você pode vê-lo de muitas maneiras. Basta vê-lo na música, seria uma maneira. A adoração começou a descer de cantar grandes verdades sobre Deus, a música centrada na letra, a música onde o som, o ritmo e a harmonia, dominam para induzir sentimentos quentes e indistintos. O estilo de música mudou daquele que estava classicamente acompanhando os hinos, as grandes letras, a sons que são mais parecidos e familiares ao mundo da música pop.

Se eu puder lhe dar uma perspectiva de tudo isso, tenho certeza que Satanás sabia que os evangélicos cristãos não comprariam a teologia do liberalismo, então ele nos vendeu a hermenêutica. O que você quer dizer com isso? Satanás sabia que não compraríamos sua teologia, então el nos vendeu seus princípios de interpretação, assim mais cedo ou mais tarde chegaríamos à sua teologia, uma espécie de cristianismo onde a doutrina e a convicção são desprezadas.

Você entra numa cidade típica, encontra o púlpito onde o homem de Deus articula clara, profundamente e fielmente a doutrina, e eu lhe mostrarei um pequeno grupo de pessoas fiéis. Você encontra uma igreja onde eles estão arqueando e gritando, mergulhando, dançando e pulando e eu vou mostrar-lhe uma grande multidão, na maioria dos casos.

A Palavra de Deus nunca passará, mas infelizmente ela tem sido ignorada para permitir o novo relativismo evangélico. Pregadores são comediantes, contadores de histórias e conselheiros mas não poderosos arautos teológicos e proclamadores da verdade divina.

Na verdade isso é tão sério que chegou ao lugar onde mesmo na questão básica do evangelho não há convicção. Em um livro chamado Evangelismo do Poder por John Wimber - e eu vou mencioná-lo porque ele é muito popular em todo o mundo - no livro chamado Evangelismo do Poder no qual ele instrui a igreja sobre como evangelizar, não há discussão do evangelho. Não está no livro.

O evangelho não está no livro, contudo eles dão relatos de pessoas sendo salvas e se tornando cristãs com base em supostos milagres que viram sem nenhum evangelho pregado a eles. Peter Wagner diz - professor no Seminário Fuller - que o evangelista argentino Omar Cabrera tem pessoas salvas antes que ele comece a pregar. Eles não estão preocupados com a doutrina aparentemente.

Lembro-me de ter falado no almoço do Full Gospel Businessmen's Committee (Comitê dos Homens de Negócio do Evangelho Pleno) que foi uma das experiências mais novas da minha vida. É um grupo carismático. E alguém no grupo tinha erroneamente pensado que eu tinha recebido o batismo do Espírito e falado em línguas. E então eles me convidaram para vir e dar meu testemunho sobre línguas.

O que eles não perceberam foi que, claro, eu não tinha recebido o batismo do Espírito Santo e falado em línguas, e eu pensei que eles queriam que eu viesse e simplesmente desse a visão bíblica, porque eles estavam interessados ​​em ouvir o que acreditamos. Então eu entrei lá. Eles já haviam ouvido este grande testemunho sobre como me transformei um Carismático e eu estava supondo que eles queriam que a Palavra de Deus entrasse diretamente na verdade e assim comecei a pregar.

Foi a única vez em minha vida que eu fui realmente, literalmente, fisicamente, puxado para fora do púlpito corporalmente. Depois de cerca de 20 minutos o homem agarrou o meu casaco e puxou-me para baixo. Nós fomos - e então ele subiu no púlpito e começou a dizer "Nós temos que orar. Vamos orar." E ele orou para que em algum momento, no meio da noite, Deus me explodisse e eu estouraria em línguas. E ele tentou se desculpar com a multidão. E isso continuou por algum tempo.

Depois que terminou - eu nunca vou esquecer - um homem veio até mim depois e disse "Bom, isso foi muito interessante." E ele continuou esta pequena conversa e foi um momento bastante instável. Aliás, eu voltei outra vez. Eu disse que não tinha terminado. Eu preciso terminar algumas coisas. E eu disse mais algumas coisas. Mas isso os fez tremer acredite em mim.

Mas depois este homem me disse, eu disse, "Sabe de uma coisa? Minha preocupação é que as pessoas que estão nesta coisa experiencial não são de fato cristãs." Isto foi o que o homem disse. Ele disse "Bom, eu estive nestes nove anos neste grupo." E ele disse, "Isto é o que eu acredito. Acredito que há uma grande escadaria e você chega ao topo da escada um dia e você bate na porta e esse sujeito chamado Jesus vem e você apenas espera que ele deixe você entrar." Nove anos e não entende o evangelho. Nove anos e não tem senso de clareza sobre a doutrina.

Outro dia eu estava fazendo uma entrevista no rádio - uma entrevista de duas horas - e o anfitrião do programa disse para mim - isso em uma estação cristã - o anfitrião do programa me disse "Bom, como uma pessoa se torna um cristão?" Eu disse, "Primeiramente, por reconhecer a sua pecaminosidade, é necessário reconhecer que sou um pecador e estar disposto a me converter e arrepender-me de meu pecado, e então reconhecer que não posso me salvar, que eu não tenho recursos dentro de mim para me redimir, e lançar-me na misericórdia de Deus e crer em Jesus Cristo como o Filho de Deus que veio ao mundo, morreu e pagou o preço pelo meu pecado e ressuscitou para a minha justificação."

O anfitrião disse, "Você não acredita que todo mundo que é salvo tem que acreditar em tudo isso não é?" Eu disse "Sim. Sim. "Aquele anfitrião me disse" Certamente não lidei com nenhum dos meus pecados quando fui salvo. "Eu disse" Como você foi salvo? "Esta foi a resposta" Eu estava em drogas álcool Viver com meu namorado na Ciência da Mente por seis anos e um dia eu acabei de receber o número de telefone de Jesus. "Eu disse" Você acabou de receber o número de telefone de Jesus? "" Eu só tenho o número de telefone de Jesus e eu só sabia onde ele estava."

O que, afinal de contas, estão experimentando essas pessoas? Quando você nem mesmo estabelece uma doutrina clara no nível do evangelho, para onde você vai de lá? E o grito é como um homem me disse quando saiu meu livro sobre o Evangelho Segundo Jesus ele disse "Seu livro é divisivo. Seu livro é divisivo." Você quer saber de uma coisa? Ele tem razão. Ele tem razão. Quer saber mais uma coisa? Doutrina divide.

As pessoas dizem "A doutrina divide. Doutrina divide." Eu digo, "Amém. Pregue-a. Doutrina divide." Você sabe o que faz? Ela enfrenta o erro. Ela separa o verdadeiro do falso. Faz julgamentos. O clima de hoje porém de unidade na prioridade das relações isso não é tolerável.

Sabe, eu acredito que quando os evangélicos estão dispostos a depreciar a doutrina, quando eles estão dispostos a deixar de lado convicções impopulares e quando eles estão dispostos a permanecer em silêncio sobre o ensino bíblico, que ofende as pessoas no erro e pecado, a oposição desaparecerá e nós poderíamos todos ficar juntos. Eu acredito.

Eu poderia começar um movimento de unidade. Elimine a doutrina, ponha de lado as convicções impopulares, não diga nada que ofenda, e todos nós vamos ficar juntos. Isso não é nenhuma surpresa. Mas você sabe, algumas outras coisas vão desaparecer também com doutrina, como a verdade, a convicção, o discernimento, a justiça, a santidade, a disciplina, o amor verdadeiro e a maturidade espiritual. Eles também se foram e Deus desaparecerá Icabode. Esse preço é muito alto. Isso produzirá uma igreja vitimada pelas decepções do inferno.

O que você acha que Paulo tinha em mente quando disse "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade."? É uma vergonha não separar corretamente a verdade do erro .

Assim o principal contribuinte para essa falta de discernimento foi o enfraquecimento da clareza doutrinária e da convicção em nome da unidade, em nome da experiência mística, e assim por diante. E como eu disse os liberais não poderiam vender-nos sua teologia, e assim eles nos venderam sua hermenêutica: Relacionamentos, amor, unidade, experiência mística. E nós compramos isso e vamos acabar no mesmo caos. Todo mundo falando sobre o céu não vai nos levar para lá. E todo mundo falando de Jesus, carismáticos, neo-ortodoxos, católicos romanos, e todo mundo, não necessariamente significa conhecê-lo.

Há um segundo fator contribuinte - e eu pelo menos tenho que focar em dois deles esta manhã. E isso se baseia nele. E eu quero que você acompanhe isto. Eu não quero ficar muito filosófico para você aqui. O segundo é este. Uma falha em ser antitético. Uma falha em ser antitético. Você diz "O que você quer dizer com isso?" Eu quero dizer ser preto e branco.

No debate, no argumento, na teologia, falamos de tese e antítese. Uma tese é alguma verdade que é estabelecida, ou alguma idéia que é estabelecida, ou algum conceito que é estabelecido e aqui está o conceito oposto. Preto e branco tese, antítese. Temos que pensar antiteticamente. Vivemos numa cultura que, dizem alguns, pensa no que se poderia chamar de continuum. Em outras palavras não há preto / branco. Não há certo / errado, verdadeiro / falso, bom / ruim. Há apenas esse longo continuum de tons relativos de cinza. E todos tipo que estão lá, em algum lugar. A religião é subjetiva, a experiência espiritual é subjetiva.

Mas ouça, a pregação bíblica não é relativa. Não é subjetiva. É absoluta. É fortemente preto e branco. É intencionalmente antitético ao erro. E eu não estou tentando me defender, estou apenas lidando com o texto aqui. Mas eu lhe digo, a crítica que me vem de volta o tempo todo é, "Você é tão forte na doutrina." Eu não sei o que mais ser, porque essa é a natureza da verdade. A verdade se divide e se coloca contra o erro.

Devemos pensar antiteticamente. Você ouve uma tese e você deve olhar para uma antítese, o oposto, e testá-la. E é absoluto. A verdade é absoluta. Conseqüentemente esfrega as pessoas da maneira errada. Atinge-os com convicção.

Uma vez que o pensamento mundano polui as mentes da maioria dos frequentadores da igreja e o pensamento mundano é esta grande área cinzenta, nada é realmente preto e branco nada é realmente certo e errado. Eu estava ouvindo o outro dia um sujeito no rádio, enquanto dirigia o carro para Barbara De Angelis. E uma senhora estava no telefone e ela estava falando sobre um relacionamento que ela estava tendo com um homem com quem ela não era casada e ela estava vivendo e ela - e este conselheiro disse "Bom, tem que ser certo para você. Tem que ser certo para você. Realmente não há nada certo ou errado. Só tem que ser certo para você." Esse é o continuum. E esse é o tipo de coisa a que estamos continuamente sendo vendidos.

Então temos uma cultura crescendo com o tipo de pensamento contínuo, que as coisas não são preto e branco, elas são apenas tons diferentes de cinza. A pregação em preto e branco ensinanda nas Escrituras é vista como ofensiva e fanática. Mas na Bíblia a antítese é crucial o discernimento é essencial. E a Bíblia simplesmente estabelece as coisas em preto e branco.

Quer dizer basta seguir esse pensamento. Do Jardim do Éden com suas duas árvores - uma permitida e outra proibida - para o destino eterno do ser humano - no céu ou no inferno - a Bíblia estabelece dois e somente dois caminhos o caminho de Deus e todos os outros caminhos. Diz-se que as pessoas são salvas ou perdidas. Eles pertencem ao povo de Deus ou ao povo de Satanás. Há o monte da bênçãos e o monte da maldições. Há o caminho estreito e o caminho largo. Há vida eterna e destruição eterna. Há aqueles que estão contra nós e aqueles que estão conosco. Há aqueles dentro do reino e aqueles fora do reino.

Há vida e morte, verdade e falsidade, bom e mau, luz e trevas, reino de Deus e reino de Satanás, amor e ódio, sabedoria espiritual e sabedoria do mundo. Cristo é dito ser o caminho a verdade e a vida ninguém vem ao Pai senão por ele. Ele é o único nome debaixo do céu pelo qual alguém pode ser salvo. Tudo na Escritura é absoluto. É básico para a revelação divina.

Jay Adams que é um pregador muito bem conhecido e professor de seminário escreve o que eu acho que é uma excelente seção em um de seus livros. Ouça isso. "Não só você encontrará tal ensino antitético e muito mais em quase todas as páginas da Bíblia, mas mesmo a construção da própria língua hebraica parece projetada para ensinar antítese. Muita poesia bíblica, muitos provérbios e até mesmo alguma narrativa é antitética em sua estrutura. Talvez você tenha se perguntado sobre o princípio subjacente às distinções puras e impuras do Antigo Testamento." Isso é muito interessante. "Várias relações ou racionalidades foram dadas para algumas dessas distinções mas muitas parecem ser puramente arbitrárias." Você sabe por que animais limpos e impuros? E tudo isso nas leis que Deus deu a Israel, isso é o que ele sugere.

“Posso sugerir que todos os problemas de arbitrariedade sejam resolvidos quando você vê o sistema limpo/imundo como um meio de alertar o judeu para o fato de que todo dia, todos os dias, em tudo o que ele faz, ele deve escolher conscientemente o caminho de Deus. As escolhas sobre alimentos, roupas, técnicas agrícolas, justiça, cuidados de saúde, feriados e métodos de adoração, foram feitas quer da maneira de Deus ou de alguma outra maneira. Em outras palavras o sistema limpo/impuro foi projetado para desenvolver no povo de Deus uma mentalidade antitética. Proibir a mistura de materiais em roupas por exemplo não parece arbitrário afinal quando considerado à luz da preocupação bíblica de criar uma postura antitética em relação à vida.

"Mas com pastores e pessoas crescendo em um ambiente que enfatiza o pensamento contínuo a antítese é atenuada à medida que mais e mais pessoas tentam integrar a sociologia a psicologia os princípios de administração de negócios com a Escritura. Os professores das faculdades cristãs consideram agora uma das tarefas-chave da educação superior cristã procurar integrar a fé do professor com o seu aprendizado. A tarefa-chave, você vê, não é mais distinguir os caminhos de Deus dos outros mas encontrar lugares de acordo." Isso é uma coisa perigosa.

O salmista, ouça isto, Salmo 1. "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite." Há uma linha clara desenhada. Eles estăo aqui. Estamos aqui.

Mas este tipo de pensamento contínuo tem contribuído para o clima onde o discernimento é desnecessário, impensável, e buscá-lo é tolice, buscá-lo é divisivo - você está pronto para isso? - buscá-lo é mau. Você é uma pessoa má se você traça linhas. Você é uma pessoa má se você pensa em absolutos. Você é uma pessoa má se tiver convicções. O discernimento só pode prosperar num ambiente de absolutos doutrinários.

Ouça Tito 1:9. "apegado à palavra fiel" há o mesmo termo sobre a retenção do que é bom. "que é segundo a doutrina" a doutrina, de acordo com ela "de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem." Estamos no negócio de refutação também, bem como no negócio da afirmação. Quando os presbíteross estavam para serem selecionados, eles teriam que ter a capacidade de refutar o erro.

Assim, a segunda causa, penso eu, é esta falha de ser antitético, esta rejeição de absolutos, que está ligada no primeiro. Deixe-me dar-lhe um terceiro e provavelmente vamos parar com este. Isto é muito importante. Outro fator contribuinte para essa falta de discernimento - e vou continuar por aqui e quando terminar vou ensinar você a ser uma pessoa de discernimento. A terceira - a terceira causa desta falta de discernimento - é uma preocupação - ouça atentamente - a preocupação com a imagem e a influência como a chave da evangelização. Uma preocupação com a imagem e influência como a chave da evangelização.

Em outras palavras você ouve isso o tempo todo que se nós estamos indo para ganhar o mundo temos que obter sua permissão. A igreja tem que se tornar uma agência amada. Eles têm que gostar de nós. Portanto não queremos lutar pela verdade. Nós não queremos ser demasiado doutrinários. Não queremos ofender ninguém porque a imagem e a influência são a chave da evangelização.

Recentemente vi um novo livro em uma livraria, na verdade esta semana, chamado Igrejas Amigáveis. Um livro de grande venda. Agora o que devemos fazer é nos vender para que possamos nos tornar um lugar amigável. Bom, certamente queremos ser carinhosos e graciosos, mas um sermão convenceria a maioria das pessoas de que não estamos apenas sendo amigáveis. Estamos todos pregando a verdade.

O homem que uma vez tomou a sua posição pela verdade e a pregou, é agora convidado a tomar o seu lugar. Ele é um problema. Nós não lutamos pela verdade. Não proclamamos com ousadia a verdade porque tememos que possamos ofender um incrédulo. E afinal de contas se alguém vai ser evangelizado vai ser porque eles nos acham um lugar amigável, um lugar agradável. Queremos ser populares com o mundo porque acreditamos que essa é a chave para a evangelização. Imagine isso. Estamos em todo esse acordo que a imagem da igreja e sua estrutura não-ameaçadora é a chave para a evangelização. Este tipo de movimento acredita que a igreja ofenderá os incrédulos se pregar o pecado, ou o inferno, ou o arrependimento, ou a cruz e perderá seu prestígio. Assim a nova tendência é que a igreja construa uma imagem de amor, cuidado, e que seja muito agradável e torne todos confortáveis, faça todos felizes, entretenha o incrédulo e certificar-se de que eles nunca sejam ofendidos, certifique-se de que eles estejam muito, muito confortáveis. E o fundamental é que, se eles gostam de nós, eles vão gostar de Jesus. Essa é a base.

Influência e imagem é muito mais importante do que a Escritura. Eu não acredito que a igreja se reúne por qualquer outra razão senão o de ser edificada. Nós nos reunimos para adorar a Deus como crentes e para que você seja edificado. E nos espalhamos para evangelizar. Nós vamos evangelizar. E você quer ser muito amável e gracioso, o quanto você puder ser, em apresentar a verdade, mas você não mitiga a verdade porque você acredita que a influência e a imagem vai evangelizar ninguém.

Esse tipo de tendência por sinal, amado - e eu vou ser bastante aguçado em um minuto - vem vindo há muito tempo. Muito tempo. Lembro-me de ter ouvido falar da Cruzada Billy Graham na cidade de Nova York. E houve um grito tremendo entre os evangélicos de todo o país que algo novo havia acontecido porque pela primeira vez na história evangelística na América os liberais - pessoas que não eram cristãos fundamentalistas evangélicos - foram convidados a cooperar naquela reunião em 1955. Um evangelismo ecumênico estava nascendo, isto é, o tipo de evangelismo que diz, "Queremos que todos venham. Assim temos os católicos, vamos conseguir os liberais, vamos consiguir os neo-ortodoxos e as pessoas que não acreditam na Bíblia e nós vamos tê-los todos juntos, nós vamos envolvê-los todos."

Carl Henry que contribuiu enormemente para avaliar a igreja diz, "Se você olhar para os primeiros anos da organização Billy Graham, você verá que sua política geral era alcançar prestígio e influência para os evangélicos. Para fazer isso tinha que haver uma imagem bem sucedida, e isso não seria possível, eles acreditavam, a menos que todos os esforços fossem feitos para evitar qualquer divisão com aqueles que não acreditavam na Bíblia".

Esse foi um novo dia - 1955, um novo dia. "A organização Graham" escreveu Henry, "não estava disposta a perder o diálogo com os líderes ecumênicos e igrejas porque temia uma perda de influência". Isso apareceu no Seminário Fuller. Edward John Carnell que estava na faculdade de Fuller disse "Nós -" E eu estou citando ele "Precisamos de prestígio desesperadamente." E eles foram atrás disso.

Eles queriam membros do corpo docente que tivessem seus diplomas das instituições liberais orientais de elite. Lembro-me de um membro da faculdade dizer em uma reunião quando eu estava lá no Seminário Fuller, "Se eu tiver que me identificar publicamente e externamente com evangélicos, esqueça." Eles queriam desesperadamente o prestígio. Eles queriam desesperadamente a associação com a influente elite oriental e até com os alemães mortos que geraram o liberalismo.

E quando a igreja começou a dizer "Nós vamos ter que ter influência. E vamos ter de ter prestígio. E vamos ter que ter popularidade. Vamos ter que ser intelectualmente aceitos. E teremos que abraçar essas pessoas e mostrar que realmente gostamos delas. E eles vão ter que gostar muito de nós se eles vão gostar do nosso Jesus" fez uma grande mudança. Uma grande mudança.

Paulo, o Apóstolo, disse "Nós somos a escória. Nós somos a escória. Nós somos o lixo do mundo." Jesus disse, "eles me odiaram. Eles vão odiar vocês." Mas nós ficamos sofisticados. Esta visão acredita que nosso prestígio nossa influência e nossa popularidade é o que leva as pessoas ao lugar onde elas vão acreditar no evangelho. Quão absolutamente errado é isso. Quão absolutamente errado.

Os homens espirituais reais lutam, e os homens espirituais reais pagam o preço para a proclamação corajosa clara, amorosa da verdade. O que eu estou vendo acontecer eu poderia chamar de a feminização da igreja. Tão macia.

Voltando à biografia de Martyn Lloyd-Jones por um momento e pensando sobre isso passei um dia com sua família no verão passado, Patricia e eu. Seu neto Christopher Catherwood tem escrito muito sobre ele, o que é muito útil para mim. Uma perspectiva desse mais piedoso dos homens era o triste fato de que ele era entendido de forma negativa. É incrível à luz de sua vida. J.I. Packer disse que era o homem mais piedoso que já conhecera. Mas ele era mal compreendido, mesmo sendo um homem virtuoso.

E a razão pela qual ele foi mal compreendido, foi porque ele era muito teológico, ele era muito antitético e acreditava que a evangelização ocorria sob a poderosa pregação da verdade, não por estabelecer prestígio e imagem. E eu quero compartilhar um trecho do livro mais uma vez que fala sobre esta questão.

Christopher Catherwood escreveu "Com o passar dos anos Martyn Lloyd-Jones adquiriu uma infeliz imagem negativa aos olhos de muitos. A explicação disto está destinada a ser uma das principais áreas de controvérsia em qualquer interpretação de sua vida. Em sua própria mente a questão se resumia em atitudes diferentes em relação à Escritura. Ele viu que os elementos de advertência e de oposição ao erro eram partes essenciais de qualquer verdadeiro compromisso com a Bíblia e portanto acreditava que a desaprovação da polêmica, o debate na igreja cristã, é um assunto muito sério.

"Conseqüentemente ele não esperava nenhuma aprovação daqueles que aceitavam a atitude prevalecente que colocava o amor em primeiro lugar e tratava os argumentos sobre a doutrina como não cristãos. Foi essa mesma atitude que ele acreditava que era responsável pela remoção da nota de autoridade do púlpito. A acusação de dogmatismo e o desagrado da reprovação e correção eram críticas da própria Escritura.

"Uma das principais características do ministério de Martyn Lloyd-Jones era portanto tanto uma ofensa para aqueles que eram partidários do espírito do púlpito moderno, e uma inspiração para aqueles que acreditavam que um retorno à autoridade na pregação era uma grande necessidade. Estes últimos estavam profundamente agradecidos pela própria coisa que o primeiro grupo tinha achado defeituosa.

"O Dr. Lloyd-Jones" ouça isto, " - teve um diagnóstico penetrante e corajoso da situação atual. Esta é uma época de apaziguamento - não no sentido político e internacional - mas no reino dos assuntos cristãos e da igreja. Winston Churchill é agora aclamado e quase idolatrado. Nos anos trinta ele foi severamente criticado como uma pessoa impossível, porque ele sabia o que ele acreditava, e ele causou perturbação por criticar a política de apaziguamento. Assim é hoje. Os homens fortes que defendem seus princípios são hoje considerados como sendo difíceis, auto-assertivos e não cooperativos".

Como é que a igreja pode chegar ao ponto em que ela sucumbe a isso? Onde acredita que a influência, prestígio e imagem são mais eficazes - mais eficazes - no cumprimento do chamado para pregar o evangelho, do que a pregação da verdade de Deus? Eu digo a vocês isso me choca, ao descobrir como há um número crescente de pessoas que acreditam que a fidelidade à igreja pela Palavra de Deus - em outras palavras, construindo a igreja de acordo com as Escrituras - parece-me que há um número crescente de pessoas que não vêem isso como um problema.

Isso não é como fazer a obra. Eles não acreditam mais que, se você for fiel à verdade, o Espírito Santo o abençoará e honrará por mais pequeno e desprezado que possa ser o seu trabalho. Você tem que se tornar comercializado em uma imagem que é aceitável. Amados, somos uma ofensa, sabemos disso. Somos uma ofensa. Somos uma ofensa. Toda vez que entramos nos jornais novamente, eu me lembro, somos uma ofensa.

Somos muito mais ofensivos do que eles sabem. Eles simplesmente não estão por aqui o suficiente. Se eles viessem todas as semanas eles poderiam escrever um artigo sobre como somos ofensivos. Somos uma ofensa a todos que estão no erro. Somos uma ofensa a todos que rejeitam a verdade. Somos uma ofensa a todos aqueles que recusam a Jesus Cristo. Somos uma ofensa a todos aqueles que vivem em pecado. E mitigar essa ofensa é ridículo, porque é precisamente o que o Espírito Santo está pretendendo produzir. Ele quer convencer, porque convicção e confronto, na convicção, leva à salvação. Os ofendidos devem ser ofendidos.

Bom, temos uma falta de discernimento na igreja, apesar do que Paulo nos disse neste texto, por causa de nossa teologia fraca, nosso fracasso em ser antitético, e uma preocupação com a imagem mundana. É assim que ele está lá fora e você pode agradecer ao Senhor que Deus, por Seu Espírito, e somente por Sua graça, conduziu esta igreja por um caminho onde queremos ter uma teologia forte. Queremos ser antitéticos, ser preto no branco, e absolutos em relação à verdade, e não estamos preocupados com nossa imagem mundana, de forma alguma. Estamos preocupados em falar a verdade em amor. Seremos tão gentis e carinhosos e amáveis ​​o quanto pudermos ser, mas não vamos mitigar a mensagem.

Bom, eu tenho um pouco mais para a próxima vez. Vamos curvar-nos em oração.

Pai ouvimos as palavras simples e diretas de Paulo. "julgai todas as coisas." Todas. "abstende-vos de toda forma de mal." Senhor faze-nos discernir as pessoas. Queremos sempre falar a verdade em amor. Queremos ter a gentileza e a compaixão de Cristo. Mas devemos falar a verdade. Devemos ter convicções, teologia clara. Devemos ser antitéticos ao erro e ao pecado. E nunca devemos acreditar que o poder da igreja está na sua imagem, e não na sua mensagem.

Nunca devemos acreditar que podemos realizar com as artes do espectáculo, o que só pode ser realizado com a Palavra falada, proclamada e escrita. Pai, ajuda-nos a discernir, e se estivermos em uma neblina, de fato, olhemos para trás e vejamos as causas dessa névoa, e peçamos que Teu Espírito nos dê a capacidade de fazer escolhas, e possamos escolher o que é verdadeiro e certo Que conheçamos a tua bênção e te demos glória. Estas coisas pedimos humildemente em nome de Cristo. Amém..

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize