Grace to You Resources
Grace to You - Resource

À medida que chegamos agora à alegria de examinar a verdade da Palavra de Deus, peço-lhe que abra a sua Bíblia na carta de Paulo aos Tessalonicenses, a primeira carta, capítulo 5, e olhe comigo nos versículos 21 e 22. Começamos há duas semanas a considerar a verdade de 1 Tessalonicenses 5:21-22. Continuaremos esta manhã e depois novamente no próximo dia do Senhor.

Deixe-me lembrá-lo de sua verdade com uma leitura simples e direta. “julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal". Este é um chamado ao discernimento. "julgai todas as coisas.”

Amados, isso é absolutamente crítico na vida cristã. Absolutamente crítico. A vida cristã é a vida mais precisa de todos. É o padrão mais disciplinado de pensamento e conduta. Exige precisão, compreensão, ação. Precisão que se conforma a um padrão absoluto revelado por Deus na Escritura. A vida cristã é uma vida que busca a conformidade perfeita e total com leis fixadas, ordenadas e autorizadas pelo próprio Deus.

Não há vida tão precisa e exigente como a vida do cristão, porque não só exige precisão no exterior, em termos de comportamento, mas precisão no interior em termos de pensamento e crença. A Palavra de Deus estabelece exigências fixas para cada área de nossas vidas. Não há doutrinas em mudança no cristianismo. Não há valores alterados. Não há mudança moral. Não há mudança de ética.

É incrível para mim - e tenho certeza que para você também - estar observando durante as últimas semanas todas essas reuniões de grandes denominações: os Metodistas, os Episcopais e os Presbiterianos, votarem em uma nova teologia, nova moral e em novos padrões éticos, para mudar a tradição que no passado acreditavam. É como um líder presbiteriano que eu ouvi numa entrevista de rádio dizer, “Se não mudarmos nossa moral para adaptarmos ao hoje, vamos perder todos os nossos membros.”

No cristianismo verdadeiro, é claro não há mudança moral. Não há valores alterados. Não há mudança de ética. E não há mudança de doutrinas. Somos obrigados a viver num padrão disciplinado de pensamento, e somos obrigados a viver num padrão disciplinado de conduta.

E no próprio fundamento desta disciplina, há necessidade de discernimento. Devemos ser capazes de discernir o que é verdadeiro e o que é falso. Devemos ser capazes de discernir a verdade, da meia verdade, bem como a verdade do erro. E quando a igreja perde sua capacidade de discernir, perde a sua teologia precisa. Ela perde sua moral precisa, valores, ética e doutrinas, e portanto abandona qualquer esperança de vida e conduta precisa.

E quando você olha para o cristianismo hoje e vê tanta imoralidade e um baixo nível de compromisso para um viver santo, você deve entender que esse tipo impreciso de conduta é o resultado de um tipo impreciso de pensamento, que é produto da incapacidade de fazer funcionar o seu discernimento.

O Cristianismo Evangélico está em um estado de confusão grave. Não tem certeza de como agir, porque não tem certeza do que é certo pensar, porque não tem certeza no que acredita. Aguada, a teologia diluída deixará de produzir profunda reverência, adoração profunda, profundo arrependimento, profunda humildade, profundo entendimento de Deus, Sua natureza, Seu trabalho, Seu ministério, Suas leis, Seus padrões, Seus princípios. Ela é falha e não consegue tornar as pessoas centradas em Deus. A igreja hoje, apanhada no pensamento relativista sobre a doutrina, o pensamento relativista sobre a moralidade, não pode, então, chegar a uma vida precisa.

O discernimento então é crucial. Paulo sabia que quando o colocasse nesta pequena lista. Começando no versículo 16, Ele nos daria ao o que equivale a um número composto, a soma dos elementos cardeais da vida cristã “Regozijai-vos sempre; orar sem cessar; Em tudo dai graças. "Isso lida com sua atitude para com Deus. “Não apagueis o Espírito, não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom; abstende-vos de toda forma de mal ". Esses são os componentes que estão no coração da vida cristã.

Paulo então está nos chamando a algo muito básico quando diz “Mas examine tudo cuidadosamente.” Não é fácil fazer isso. Por tres motivos. Motivo número um. Fraqueza humana. Nossas mentes caídas. Nosso pensamento distorcido. Estamos inclinados a ser subjetivos em nosso favor. Estamos debilitados pela natureza humana, não ressurreta que tem uma propensão à pecaminosidade. Então temos de lutar contra a fraqueza humana. Nossa mente depravada.

Em segundo lugar, somos enganados por Satanás. Há um ataque contínuo contra a igreja pelo rei das trevas, o príncipe deste mundo, está fazendo tudo o que pode para confundir e atrapalhar a igreja.

Em terceiro lugar, você tem a superpotência, da influência do mundo ímpio ao nosso redor. Entre o mundo, a carne, e o diabo, o processo de discernimento espiritual pode ser facilmente debilitado. E infelizmente, a igreja caiu no caos e confusão sob este ataque. Hoje não é possível discernir o verdadeiro do falso, o bom do mal, e isso cria uma doutrina imprecisa uma conduta imprecisa.

Na verdade, tão essencial quanto é uma vida cristã precisa, discernir e ser criterioso não é popular hoje mesmo na igreja. Se você se posiciona fortemente em algumas questões você é olhado com desprezo.

Agora, isso significa que um apelo ao discernimento é apropriado. Ao chamá-lo ao discernimento isso ajuda a expandir e elucidar a verdade desses dois versículos, quero fazer três perguntas. As duas últimas perguntas iremos olhar no próximo domingo. Vamos voltar à pergunta número um que discutimos em nosso último estudo.

Por que existe tal falta de discernimento? Eu já mostrei as influências, a fraqueza da carne, engano satânico, E a influência do mundo. Mas por que é que a igreja tem sido vitimada por isso? Quais são os fatores que levaram a essa falta de discernimento? Primeiro vou analisar e em seguida vou adicionar alguns novos.

A última vez eu lhe disse que o principal contribuinte para essa falta de discernimento é um enfraquecimento da clareza da doutrina e da convicção. Um enfraquecimento da clareza doutrinária e da convicção. Existe hoje um assalto à doutrina. E qualquer ataque à doutrina é em última instância um ataque a Deus. É um assalto em conhecer verdadeiramente a Deus e conhecer sua verdade corretamente, portanto é um assalto sobre o caráter de Deus, é um assalto em adorá-lo com precisão, e um assalto à moralidade também.

As igrejas de hoje não se preocupam primordialmente com a doutrina como tal. Elas estão principalmente preocupadas em ter certeza de que seja o que for, estamos amando, estamos unificando, nós não estamos divididos, nós somos relacionais, nós não somos confrontantes, nós não somos ofensivos. Queremos ter experiências. Queremos lidar com sentimentos e emoções. E queremos que as pessoas se sintam melhor com sua vida. Nós queremos que sejam realizadas e satisfeitas em suas vidas. Queremos que se sintam confortáveis.

E assim nossa hermenêutica dominante tem a ver com tudo isso. E eu disse há duas semanas que os liberais não podiam nos vender sua teologia, então eles nos venderam sua hermenêutica. O que é hermenêutica? Vem de uma palavra grega hermeneuō, que significa “interpretar.” Eles não podiam nos vender sua teologia, assim eles nos venderam seus princípios para interpretar a Escritura.

Seus princípios são que você interpreta a Bíblia à luz do que é amoroso, o que é unificador, não do que é ameaçador, não do é ofensivo, não do que é oposicionista, o que não divide, o que faz as pessoas se sentirem bem, e confortável, e relacional, que lhes trará alegria, e satisfação, felicidade, e auto-realização. E se você abordar a Bíblia com todos esses, como princípios de interpretação, você vai chegar a uma teologia liberal, que eles sabiam que não compraríamos. Mas nós vamos terminar com a mesma coisa.(na mesma)

De fato, hoje você ouve que o cristianismo relevante não é doutrinário. Eu vi um anúncio de uma igreja em um panfleto esta semana e dizia assim, “Você está cansado dos cultos tradicionais da igreja? Você esta cansado de - Não consigo me lembrar exatamente das palavras específicas - de pregação chata. Que é irrelevante?” A suposição é que tudo o que é tradicional, tudo o que é bíblico, qualquer coisa expositiva, é de alguma forma não relevante. Este é um ponto de vista bastante difundido

Alguns meses atrás uma dissertação de doutorado foi enviada a mim por um jovem que escreveu para completar seu trabalho de doutorado. E ele o escreveu comparando minha pregação a outro conhecido pregador. E sua avaliação final de mim no final da seção foi “MacArthur é preciso, mas irrelevante. Ele fala a verdade mas não é relevante.” Agora eu não sei como, falar a verdade, pode ser irrelevante. O outro lado seria falar mentiras mas ser relevante. Não tenho certeza do que isso significa.

A irrelevância está associada com a pregação da Palavra de Deus, com ser dogmático ou falar a verdade firmemente hoje. Portanto, adorar, pregar, e ter uma conduta refletem esse tipo fraco de compromisso doutrinário. Eu posso pensar em tantas muitas tendências surpreendentes nos últimos cinco a dez anos.

Mesmo as estações de rádio que antes estavam ansiosas para colocar tudo o que pregamos no ar agora nos escrevem e nos dizem, “Se você lidar com esse problema, ou essa questão, ou esse assunto, nós não vamos tocá-lo, porque vai ofender lguns de nossos ouvintes e queremos ser amorosos.” Nós queremos ser amorosos, também, mas você fala a verdade em amor. Obviamente, O discernimento não vai florescer em uma atmosfera de pensamento distorcido, evidentemente.

Olhe para 2 Timóteo por um momento, capítulo 4. Em 2 Timóteo 4:1, Timóteo é solenemente acusado com uma carga muito intimidante. Ele diz - Paulo - “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino.”

Em outras palavras, "Eu quero que você seja intimidado. Eu quero que você se sinta muita motivado. Você está sendo observado por Deus, E você está sendo vigiado por Cristo Jesus, quem julgará todas as coisas. E eu estou lhe dizendo, Timóteo, - versículo 2, “ - pregue a palavra. Não abandone isso. Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não.”

Em outras palavras, quando tolerado e não tolerado, popular e impopular, aceito e não aceito, pregue a Palavra. E como é isso? Reprove, repreenda, e exorte, e você deve fazê-lo com grande paciência e instrução. Essa é a ordem. Devemos pregar a Palavra.

Supomos que vamos reprovar, convencer as pessoas. Nós supomos que vamos repreender ou fazê-los enfrentar a obstinação de sua conduta e sua crença. Assumimos que os exortaremos, isso significa “adverti-los sobre o julgamento e chamá-los para mudar sua conduta.” É assim que temos de pregar.

Então no versículo 3 ele diz, “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”

A principal responsabilidade de qualquer pregador e de qualquer pastor é ter certeza de que ele prega a Palavra ao seu povo e lhes transmite a sã doutrina. Nem sempre vai ser o que eles querem, sempre será o que eles precisam.

E quando eles começam a dar ouvidos a mestres que agradam aos seus ouvidos e os fazem sentir bem, que lhes dão o que querem, satisfazendo aos seus próprios desejos, eles vão se afastar da verdade entregando-se às fábulas. O discernimento não prosperará em uma atmosfera como a que temos hoje, que é caracteristicamente descrita, penso eu, como de confusão doutrinária, em vez de convicção doutrinária.

Há uma segunda causa que mostrei para você em nossa última mensagem, que contribui também para essa falta de discernimento. É a falha de ser antitético e segue exatamente ao longo da primeira. A falha - esta cultura não quer ser antitética. Não quer debater. Não quer ser polêmica. Quer ser relativista.

Estamos percebendo as incursões, há anos, do existencialismo, do subjetivismo. As pessoas só querem que tudo esteja em um amplo espectro da relatividade. Não há preto no branco, questões absolutas. Mas na pregação bíblica, o ensino é absoluto. Ela divide, ela confronta, separa, julga, isso condena, reprova, ela repreende, exorta. E isso não é aceitável hoje. Isso não é desejável hoje. É um dia para diversão e jogos. É um dia para dançar levemente cada culto e certificar-se que ninguém seja ofendido. Não é um dia para debate. Não é um dia para polêmicas. Não é um dia para chamar a atenção e dizer: "Aqui está a verdade, e tudo no outro lado é um erro.”

E, obviamente, numa época relativista, quando não há o desejo de ser antitético, colocar uma tese e uma antítese, uma contra a outra e ver o que é verdade, em tempos como hoje, com relativismo doutrinário, o discernimento não vai sobreviver.

Veja Tito 1:9. Em Tito 1:9, temos instrução para que o ancião ou pastor, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem, E ele é tanto para exortar, na sã doutrina, E refutar aqueles que contradizem. É ordenado por Deus que sejamos antitéticos, que levemos em consideração o erro.

Devemos fazer isso ou não cumprimos nosso chamado divino. Mas onde isso não é tolerado, onde você não está autorizado a ser contrário, você não tem permissão para dizer o que está errado, e isso é um erro, que deve ser corrigido, porque o amor, unifica, relaciona, domina a hermenêutica, o discernimento não pode sobreviver.

Em terceiro e último lugar, Eu disse que outro contribuinte para o fim do discernimento na igreja, e a preocupação com a imagem e a influência como chave para a evangelização. A igreja comprou a idéia - a mentira - que para chegar ao mundo devemos nos tornar populares com o mundo. Devemos ser simpáticos e inofensivos, aceitando e acolhendo. Precisamos fazer as pessoas pecadoras se sentirem à vontade. Precisamos tornar a igreja calorosa e acolhedora, precisamos fazer com que os pecadores se sintam confortáveis, felizes, entretidos. E se eles gostam de nós, eles vão gostar de Jesus.

Acredita-se que a imagem e a influência são ferramentas mais poderosas do evangelismo, do que a pregação da inspirada e poderosa Palavra de Deus. E obviamente, discernimento não sobrevive em uma atmosfera de confusão doutrinária. Não sobrevive em uma atmosfera de relativismo moral. E não sobrevive em uma atmosfera de compromisso com o mundo.

E, no entanto, é assim que a igreja está hoje. É complacente em tudo o que faz o mundo não regenerado, tentando ganhar sua aprovação. Para ganhar sua aprovação. Em vez de ser a luz que se acende e revela o pecado, ela quer tanto estar nas trevas, que eles podem estar conosco por um longo tempo e nunca serão confrontados. Podem apenas apreciar quão agradáveis nós somos.

Agora, querer ser amoroso e gentil, e ver os pecadores se arrependerem. A única maneira disso acontecer, é quando o pecado deles for confrontado e eles enfrentarem a realidade do seu destino eterno.

Em 1 Corintios - Eu indiquei a você e espero que se lembre – capítulo 4, O apóstolo Paulo tinha uma filosofia muito diferente de ministério. Ele disse sobre seu próprio ministério, “sofremos fome e sede, - ” verse 11 “ - e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa. Somos insultados, somos perseguidos somos caluniados e nos tornamos - ” versículo 13 “ - Como a escória do mundo e a escória de todas as coisas até agora.”

A igreja não é popular com o mundo. A igreja nunca procurou ser popular, nunca procurou ser influente no sentido de que nos aceitem como somos, nunca pensou que a imagem era uma questão-chave, que nossa erudição acadêmica era o que os conquistaria, ou a qualidade divertida dos nossos cultos, ou o nosso tipo não-ameaçador de amor abraçando a tolerância. Mas esse é o espírito hoje. Teologia fraca, falta de vontade de ser absoluta em termos de doutrina, e uma preocupação com nossa estratégia de comercializar o evangelho para o mundo através da imagem, influência, e prestígio, isso matou o discernimento.

Agora deixe-me levá-lo a um quarto. Falha em interpretar corretamente as Escrituras. Falha em interpretar corretamente as Escrituras. Você me conhece bem o suficiente para saber que isso tem que estar perto do meu coração, e de fato está. Quando eu estava na faculdade eu tinha um grande desejo de querer aprender a interpretar as Escrituras. E eu sabia que havia um caminho para chegar a isso. Então meu primeiro ano na faculdade eu me inscrevi para cinco unidades do primeiro semestre grego e cinco unidades do segundo semestre grego. Eu assumi dez unidades. Meu segundo ano eu levei três a cada semestre. Meu terceiro ano eu levei três a cada semestre, E meu quarto ano eu levei dois a cada semestre.

Eu me formei com todo esse fundamento em grego, porque eu acreditava que era isso que precisava para interpretar - o meu trabalho principal seria o Novo Testamento – então para interpretar o Novo Testamento, eu precisava saber como interpretá-lo do seu idioma original. E no seminário fiz mais três anos em grego, e mais alguns anos em hebraico, e estudei teologia, e me esforcei para me disciplinar na compreensão da doutrina, da história da igreja, da história, da história da cultura, da filosofia, e de todas as coisas que eu poderia aprender para enriquecer e melhorar minha compreensão do contexto e compreensão das Escrituras.

E esforcei-me ao longo dos anos para tentar aplicar as coisas que aprendi, compartilhar corretamente as Ecrituras. Ser capaz de interpretar a Escritura é crucial, especialmente para alguém na minha posição, porque Tiago 3:1 diz, “Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo” Aquele que se apressa em ensinar melhor percebe que quando você adquire o perfil de professor, que você traz sobre si mesmo potencialmente uma maior condenação, porque agora você é responsável não só pelo que você acredita e afirma, mas pelo que você tem feito todo mundo acreditar, confirmando o que ouviram e acreditaram em você.

Há uma ciência muito exigente na interpretação da Bíblia. Uma ciência exata. Alguns de nossos homens estavam me dizendo recentemente que estavam conversando com um pregador famoso na América, E um deles perguntou-lhe, “O que você vai pregar neste domingo?” Era provavelmente meio da semana. E ele disse, “Oh, Eu não sei ainda. Eu sou um sujeito especial de sábado à noite.”

Você não pode interpretar a Palavra de Deus assim. Não é algo caprichoso. Mas você tem hoje nas igrejas muitos pregadores que não buscam a disciplina na ciência da interpretação das Escrituras. E como resultado disso, eles passam superficialmente por coisas importantes. Pregam relacionamentos, uma espécie de psicologia quase cristã, ou contam muitas histórias, ou o que quer que seja, e como resultado eles nunca realmente vão interpretar a Palavra de Deus.

E então você pode acrescentar a isso a realidade de que há uma espécie de um novo nível elevado de especialista na Escritura. Todo mundo que vem dessa linha parece sentir que pode interpretar a Bíblia quando, de fato, se não estiveram com alguém que pode passar bons ensinamentos, ou a menos que eles tenham aprendido a interpretar a Escritura com alguém que sabe, é altamente improvável, e não importa quão espiritual eles sejam, e quanto eles amem Cristo, não serão capazes de compartilhar com precisão a Palavra da verdade.

As pessoas que têm um treinamento inadequado na Bíblia, mas que possuem treinamento avançado em algum outro campo, de alguma forma acham que podem simplesmente compartilhar e interpretar a Escritura. Algumas pessoas simplesmente sentem que porque elas são cristãs, podem interpretar por si mesmas, com pouco ou nenhum treinamento, e nem estiveram com alguém que saiba explicar cuidadosamente as Escritura a fim de aprenderem a interpretar ouvindo aqueles que fazem isso.

Então nós de alguma forma estamos no mesmo nível, e todos têm o direito igual de escrever livros sobre a Bíblia e interpretar as Escrituras não importa quem são ou quão inadequadamente preparados possam ser.

E você pode acrescenta outro problema que leva a essa falta de interpretação apropriada, o Movimento Carismático que está varrendo o mundo, basicamente diz que assim que acabar de ler a Bíblia, de alguma forma Jesus lhe dirá o que significa. De alguma forma isso emerge dentro de você misticamente, o que elimina a necessidade de interpretação de qualquer forma.

A propósito, praticamente todas as seitas e falsos ensinamentos que surgiram, foram iniciados com base na premissa de que Jesus lhes deu uma nova revelação. Esta é uma coisa muito assustadora, porque é persuasiva. E você ouve pessoas o tempo todo, e escuta na rádio, ou assiste aos programas cristãos na televisão que vêm e fazem esses tipos de interpretações e falam sobre como Jesus lhes disse isso, e Deus lhes disse que não há necessidade de interpretar a Bíblia e que isso vem de dentro de você.

Bill Hayman, por exemplo, chefia uma rede de ministérios proféticos carismáticos. Ele aconselha as pessoas a ignorarem a razão, lógica e os sentidos ao tentar discernir a verdade. Ignorar razão, lógica, e os sentidos ao tentar discernir a verdade. Ele escreve - Estou citando ele - “Nossas tradições, crenças, e nossas fortes opiniões, não são verdadeiras testemunhas da verdade profética. A reação do espírito origina profundamente dentro de nosso ser. Muitos cristãos descrevem a localização física de sua sensação correspondente como a área abdominal superior.”

Você ouviu o que ele acabou de dizer? Se você quer saber, a verdade vem por uma reação em sua área abdominal superior. “Um testemunho negativo com uma mensagem de, ‘Não, seja cuidadoso’, ou ‘Alguma coisa não está certa,’ geralmente manifesta-se como um nervoso ou uma sensação de desconforto.” Então você lê as Escrituras e então espera que algo aconteça com sua área abdominal superior.

Ele continua, “Há uma sensação profunda, quase ininteligível de que algo está errado. Este sentido só pode ser confiável quando estamos mais em sintonia com o nosso espírito do que com os nossos pensamentos.” O que é isso? Conversa dupla. Sem sentido. Ele ainda diz, “Se o nosso pensamento está causando essas sensações, então só pode ser uma reação da alma.” Tão estúpido, irracional, sem sentido,sem importância, enquanto você fica sentado lá e espera por um salto abdominal superior, um sentimento nervoso. E se isso acontecer, então isso não é verdade. Você tem que buscar outra interpretação.

Ele continua, “Por outro lado quando o Espírito de Deus está testemunhando com nosso espírito que uma palavra profética é correta você encontrou a verdade, então nosso espírito reagirá com o fruto do Espírito Santo. Temos uma paz e uma alegria profundamente inexplicáveis, um sentimento de amor ou mesmo uma sensação de nosso espírito que vibra com muita emoção. Essa sensação nos permite saber que o Espírito Santo está testemunhando com nosso espírito que tudo está em ordem mesmo que não possamos compreendê-lo.”

Em outras palavras, ignore sua mente, esqueça suas crenças, ignore sua teologia, rejeite o seu bom senso e nunca estragará o processo do Espírito Santo. Não se engane com sua área abdominal superior, porque assim não poderá conduzir você.

Ele procura palavras e até adjetivos para descrever tal idiotice. Sem sentido nenhum. Você não vai encontrar isso na Escritura. Nós não lemos a Bíblia e nos sentamo ao redor e esperamos por algum sentimento no abdômen superior para determinar o que é a verdade. Indigestão, problemas cardíacos - isso é ridículo - Poderiam causar os mesmos, ou maiores sentimentos.

E ainda, quantas pessoas seguem esse tipo de conselho? Milhões. E em seguida mudam sua participação na igreja se tornam membros e passam a doar o que economizaram na vida para esse tipo de ministério. O preço do misticismo carismático e do subjetivismo é muito alto. Todo mundo é livre para fazer, dizer e ensinar tudo o que seu abdômen superior lhe diz. E a singularidade, a centralidade e a necessidade de interpretar a Escritura serão eliminadas.

Assim, por um lado você tem pessoas que talvez possam interpretar, mas elas optam por psicologia cristã e em contar histórias. Por outro lado, você tem pessoas que realmente não têm as ferramentas para interpretação, mas estão fazendo de qualquer forma. E então você tem um terceiro grupo de Carismáticos que estão sentados à espera de algum sentimento para lhes dizer o que é certo. É de admirar, por que não podemos discernir a verdade? Porque vamos às Escrituras de maneira errada.

A seguinte carta foi escrita a um conhecido meu, um jovem do Movimento Carismático. Ela ilustra esta típica atitude em relação à Escritura. Esta é a carta. “A maior experiência de amor que já tive foi ao pé da cruz com o sangue de Jesus Cristo derramado sobre mim. Ele me encheu com seu Espírito. Ele me levou pelo vale até a cidade de Jerusalém, no santo dos santos. Lá eu me vi Nele e Ele em mim. Eu recebi o batismo de fogo e Seu amor habita em mim. A partir disso eu tenho comunhão diária.”

Bom, esse parágrafo inteiro é bastante místico para mim. Eu não sei do que ele está falando. E eu não acho que ele realmente queira um batismo de fogo. Isso é julgamento. Mas vamos desculpá-lo desse erro por um momento, e seguir, o resto da carta.

“Eu não sinto a necessidade do estudo das Escrituras, porque eu conheço Jesus e como Ele se revelou a mim. E enquanto Ele habitar em mim, eu tenho a Palavra. As Escrituras são uma fonte secundária.” Você entende por que as pessoas não podem discernir? Porque eles não têm um padrão para o discernimento.

Você entende por que as pessoas podem sentar-se naqueles programas de entrevistas de televisão e apenas continuar a defender coisas bizarras e coisas selvagens e ninguém nunca diz, “Pare! Isto é errado. Não é verdade. Não está na Bíblia. Não pode ser defendido." Ninguém nunca diz isso porque a experiência é o validador.

Os Reformadores lutaram contra o erro com a interpretação correta da Escritura. Agora no século XX, a igreja vai ter que lutar a mesma batalha, só que desta vez não estamos lutando contra os católicos romanos, estamos lutando contra os protestantes, que caíram no mesmo tipo de padrões incoerentes em lidar com a Escritura.

E a Palavra deve ser devidamente interpretada e fornecerá toda a verdade necessária e precisa para uma vida santa se corretamente entendida. Veja 2 Timóteo capítulo 2, por um momento, E eu quero levar você com um terreno familiar e melhorar a sua compreensão, é minha obrigação.

Em 2 Timóteo 2:15, Paulo diz, “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” Isso é muito simples. “Seja diligente,” traduzindo “estudar para mostrar-se aprovado a Deus um obreiro que não precisa se envergonhar porque maneja com precisão a palavra da verdade.”

A implicação do versículo é se você não lidar com a Palavra com precisão que você deve se sentir envergonhado. Você deveria ter vergonha. E se você não quer passar vergonha, e você deseja maneja-la com precisão, você não espera por algum movimento em sua parte superior do abdômen, você diligentemente estuda para a aprovação de Deus como um trabalhador, um artesão qualificado, que tem habilidade com a Escritura. Isso nos dá, aliás, uma visão rica da precisão requerida na interpretação bíblica.

Lembre-se, disso. As pessoas não se movem para a falsa doutrina porque planejam. Quer dizer, eles não estão todos dizendo "Eu quero encontrar uma doutrina falsa. Eu quero encontrar uma mentira. Estou procurando um engano aqui.” Não. Não é planejado, ou por motivação que eles erram tão terrivelmente. É por preguiça, inaptidão, descuido, tolice no manejo da Escritura.

Siga abaixo no versículo 17 e encontre duas pessoas, Que aqui seria uma ilustração: Himeneu e Fileto. Ele diz que eles são homens - versículo 18 - que se desviaram da verdade. Agora pare nesse ponto por um momento. Esse pequeno verbo “se desviaram” significa que eles perderam o que eles pretendiam. E a idéia aqui, é que eles sabiam a verdade e se perderam.

As pessoas não surgem com erro porque estão buscando errar. As pessoas enxergam o erro, mas no processo de buscar a verdade elas não sabem como encontrá-la, ou não fazem o esforço, ou não se apropriam dos elementos necessários. Eles perderam o que eles pretendiam. Eles podem ter tido o alvo certo: Verdade. Eles perderam isso. E eles perderam e vieram com uma coisa ridícula. Eles vieram com “a ressurreição já aconteceu.”

Agora como você lida isso? Você vai dizer às pessoas que já morreram e foram ressucitadas? Você diria, “Bom, agora espere um minuto. Eu sei se que estive morto e voltei a viver novamente. Você não pode me enganar com isso.” Claro que eu posso. Eles devem ter imaginado que era uma espécie de ressurreição espiritual, que a única ressurreição que vai haver é espiritual.

Talvez fossem os aniquiladores originais, vindo com a idéia, que quando você está inoperante, você sai da existência, sono da alma, ou tanto faz. Talvez eles estivessem dizendo que os cristãos já tiveram toda a ressurreição que deviam ter e que não há futuro, e que a ressurreição era espiritual.

E sabe de uma coisa? Eles transtornam a fé de alguns, numa tremenda confusão. Certo? Especialmente no sul da Califórnia. Deixe crescer a barba, vista um roupão, vá até a praia, e diga que você é Moisés. E não era que eles visassem o erro, eles estavam apontando para a verdade inapta, negligentemente, preguiçosamente, tolamente. E assim vem o erro.

E agora, volte ao versículo 15 e ele diz, “Não se assemelhe a Himeneu e a Fileto, mas estude e se esforçe para apresentar-se aprovado a Deus como um obreiro que não precisa se envergonhar porque trata com precisão a Palavra.” Você precisa ter integridade consciente diante de Deus cujo julgamento é sempre preciso.

O expositor da Palavra nunca deve ser envergonhado por não ter usado todos os recursos e toda a energia para fazer um trabalho de qualidade e dominar a verdadeira interpretação. Há muitos pregadores, queridos amigos, que são populares entre os homens, mas envergonhados perante Deus. E que eu nunca deturpe a verdade, eu teria vergonha perante Deus. Um péssimo manejo da Palavra é intolerável. Ela deve ser tratada com precisão, bem dividida.

As pessoas dizem hoje, “Bem, eu - rapaz, se você disser isso, disser que esse sujeito está errado, que esse sujeito está errado e essa interpretação é errada, 1 Crônicas 16:22, não toque no ungido do Senhor. Não toque no ungido do Senhor. Não toque no ungido do Senhor.” Bom, se alguém está ensinando um erro, eles não são os ungidos do Senhor.

Devemos ser fiéis à Palavra de Deus. Não é um ataque pessoal, é a preservação da verdade. Se não interpretar corretamente as Escrituras, estando preocupado com a imagem do mundo, não sendo antitético, seja por falta de clareza e convicção da doutrina, e quaisquer dessas coisas todas, literalmente matarão o discernimento.

Como podemos discernir se a doutrina não é um problema? Como podemos estar discernindo se não estamos dispostos a dizer que isso é certo e isso é errado, e livrar-nos da relatividade? Como podemos estar discernindo se estamos tentando ser transigentes, e tornar o mundo confortável? Como podemos

discernir se nem sequer sabemos como interpretar corretamente a Escritura?

Mais dois para encerrarmos - será breve. Falha na disciplina na igreja. Falha na disciplina na igreja. Amado, aqui está uma questão realmente séria e eu quero apenas mencioná-la brevemente, mas ouça atentamente o que eu digo. Um ponto exato a mencionar: Disciplina na igreja. O que é isso? Confrontar o pecado individualmente.

Se seu irmão está em pecado vá até ele. Vá até ele. Confronte-o. Tente erguê-lo. Tente edificá-lo, fortalecê-lo, tente fazer com que ele se arrependa. Jesus disse, “Se alguém está em pecado vá até ele. Se eles não se arrependerem leve mais dois com você. Se eles não se arrependerem diga a toda a igreja. E se ele ainda não se arrepender ponha-o para fora.” Paulo disse, “Não faça uma refeição com ele. Não o trate como um amigo aceitando tudo, mas ame-o como um irmão, e ore para que se arrependa.”

Paulo disse à igreja de Corinto para o entregar a Satanás e seu corpo seria destruído, sua carne seria destruída em castigo. A igreja deve sustentar um padrão sagrado um alto padrão. Há momentos em que temos de enfrentar o pecado. Duas semanas atrás um membro de nossa igreja me levou com ele para enfrentar um homem pecador que tinha deixado sua esposa e estava morando com uma garota, não era a esposa. E nós estávamos lá esperando quando ele apareceu em um determinado lugar e dissemos, "Estamos aqui para chamá-lo de volta para a santidade. E nós queremos orar por você e com você.” Se ele não reagir você vai ouvir sobre isso porque temos que seguir esse processo.

Agora ouça com muito cuidado. Quando você disciplina na igreja, isso significa que você lida com o pecado, confronta e coloca uma parede entre o mundo e a igreja. Sem pergunta. Você coloca uma parede entre o mundo e a igreja. Porque se você confrontar alguém sobre o pecado e ele não parar de pecar, Você o manda embora. Talvez nem sequer sejam cristãos. Mas deixe esse muro muito, muito claro.

Aqui estão as pessoas caminhando em obediência ao Senhor e aqui estão as que não estão. E esse muro de separação entre a igreja e o mundo é crucial. Mas assim que você parar de disciplinar o pecado, a parede cai, o mundo se mistura com a igreja e você não poderá ver a diferença. Não haverá diferença.

O mundo se sente confortável. E você não sabe se você está lidando com crentes ou incrédulos. Por que você acha que o Senhor matou Ananias e Safira na frente de toda a igreja? Hoje qualquer estrategista de marketing para o crescimento da igreja diria que foi um ato tolo da parte de Deus, porque deu à igreja uma má reputação. Você sabe qual era a reputação da igreja? Não se junte a essa organização porque as pessoas morrem lá.

A palavra passou pela cidade como fogo selvagem. Duas pessoas vieram para ofertar, e não deram o que disseram a Deus que dariam, e eles estão mortos. Uau! Fique fora dessa organização. Como é isso para o marketing? É como divulgar um restaurante onde as duas últimas pessoas que comeram lá morreram. Como é isso para publicidade? Você não quer participar dessa organização. Pessoas morrem lá. Eles são sérios sobre o pecado lá. Eles são muito sérios sobre o pecado. Você sabe, se eles acham que você está pecando, eles vêm até você, e eles confrontam você, e se você não lidar com o pecado, eles falam publicamente sobre você.

Eu ouvi sobre uma igreja esta semana, que tem uma regra de dois anos, um de seus membro disse, que alguém que estava em sua igreja, estava vivendo em uma situação pecaminosa - eles estavam falando sobre um homossexual - eles não queriam dizer nada, por pelo menos dois anos, até que a pessoa se sentisse muito confortável, e aceitasse então como teria que lidar com o pecado. Você sabe o que isso me diz? Se um homossexual pode sentar-se em uma igreja confortável, e for aceito por dois anos, e a igreja não diz o que deveria estar dizendo. Eu não acho que um homossexual pode ficar na Grace Community Church por dois anos - confortável ou desconfortávelmente. Ele vai dizer para si mesmo, “Estou saindo deste lugar. Năo preciso ouvir esse sujeito. Quem precisa disso?” Ou ele vai se arrepender.

Recebo cartas, muitas cartas interessantes. Algumas até de homossexuais que vêm apenas uma vez e escrevem-me cartas surpreendentes sobre sua raiva e hostilidade - e outros tipos variados de pecado. Você tolera o pecado na igreja e você tem que tolerar o pecado em geral, agora, você destruiu a santidade da igreja, e agora a igreja não pode discernir. Como você vai traçar uma linha? Você já disse que não vai traçar linhas. Você quer que todos se sintam bem. Você quer tolerar a transigência até o ponto onde o discernimento e discriminação não são tolerados.

Veja 1 Pedro 4:17. Isto é tão simples como poderia ser em termos de compreensão, “Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada.” Essa é a maneira que Pedro fala, “Veja. Comece a separar. Comece a confrontar. Comece a avaliar. Comece a fazer julgamentos sobre a vida das pessoas na igreja. Você não pode acomodar cristãos pecadores.”

E certamente, se estamos lidando com o pecado fortemente em nossa igreja, Deus nos diz para fazermos isso. Estamos refletindo o desejo de santidade de Deus, e ele diz que se começar primeiro conosco, qual será o resultado para aqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? O que Pedro está dizendo é: "Veja, se Deus quer que julguemos o pecado entre nós, imagine como ele vai julgar o pecado entre os que o rejeitam.”

Não podemos reduzir o padrão. Não podemos acumular cristãos pecadores ou o pecado de incrédulos. Nós temos que limpar e disciplinar, peneirar e purificar. E se Deus faz isso em sua própria igreja como uma prioridade, então o que fará no mundo com os incrédulos? Portanto se pregarmos o juízo, o castigo e a pureza na igreja, temos que pregar o juízo o castigo e a salvação aos perdidos.

Temos de enfrentar o seu pecado. "Comece esse julgamento na igreja" diz ele. E lembre-se se Deus quer que sua igreja seja pura, e ele vai julgar a igreja, o que você acha que ele fará com os incrédulos?

E então, versículo 18, tem uma declaração surpreendente tirada de Provérbios, “E, se é com dificuldade que o justo é salvo, onde vai comparecer o ímpio, sim, o pecador?” O que ele quer dizer com isso? Se com dificuldade chegaremos – se com difuldade chegaremos - o que você quer dizer com isso? Bom, quando pecamos o Senhor nos castiga e é difícil ser cristão, sentindo a mão corretiva do Senhor.

Se é difícil para nós fazer isso, porque continuamos tropeçando no pecado e Deus tem que nos julgar, o que ele vai fazer com o ímpio? Devemos enviar uma mensagem para o mundo. E você sabe qual deve ser a mensagem? A mensagem não deve ser "Nós temos um lugar agradável. Você vai gostar da gente.” A mensagem deve ser “Este é um lugar santo onde lidamos com o pecado.” Essa é a mensagem.

Não, “Este é um lugar feliz. Este é um lugar santo. Este é um lugar santo.” Não, “Este é um lugar que você vai gostar.” “Este é um lugar que você não vai gostar se você não lidar com o pecado, se você não vier ao Salvador, se você não estiver disposto a viver uma vida santa.” Não, a ausência de disciplina e a ausência de um alto grau de santidade matará o discernimento.

Último ponto. Um fator final para o abismo da falta de discernimento na igreja de hoje, é a imaturidade espiritual. Imaturidade espiritual. Estou convencido de que muitos na igreja têm um conhecimento superficial da verdade de Deus - muito superficial - e seguem opiniões populares, sentimentos e experiências, e procuram milagres e curas, e uma solução para as provações rotineiras da vida. E correm atrás de conforto pessoal, querem sucesso pessoal, e esse é um tipo muito superficial de cristianismo. E basicamente poderíamos chamá-lo “Cristianismo do bebê.” E eu acho que seria seguro dizer que aquela característica que é mais descritiva de um bebê seria a característica que eu chamo de egoísmo. Você não concorda? Eles nunca dizem "obrigado" por nada, e eles gritam se eles não conseguem o que querem quando querem. Eles são egoístas.

Se algo caracteriza o imaturo, é o egocentrismo, o egoísmo. Basta olhar para a igreja hoje. Está totalmente preocupada consigo mesmo. Ela quer que seus próprios problemas sejam resolvidos, e seu próprio conforto, E não está perdido - Como o escritor do hino disse - Em "maravilha, amor e louvor e focando no Senhor.” A igreja é egoísta e o egoísmo é uma evidência de imaturidade. A igreja é como um bebê egocêntrico, vendo o mundo inteiro precisando, enquanto ficam focados em suas necessidades e na satisfação de seus desejos cumpridos. Não há discernimento na imaturidade.

Volte para Efésio 4. Quero mostrar-lhe um versículo familiar que você já sabe, mas faço questão. Efésios 4:14 diz assim, “para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.” Aí está você.

A imaturidade espiritual torna as pessoas vítimas. Elas não sabem o que é certo. Elas não sabem o que está errado. Eles são arrastadas pra todo lugar, espalhadas por toda parte. Elas são facilmente enganadas. Como você muda isso? Versículo 15, “mas seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.” Versículo 15. Falando a verdade em amor, vamos crescer.

Como a igreja cresce? Ela cresce sob a verdade a verdade clara, falada em amor. É assim que cresce e se edifica. Ele fala no final do versículo 16, do crescimento do corpo para a edificação de si mesmo em amor. Imaturidade não traz discernimento. Assim como um pequeno bebê rasteja ao longo do chão, colocando tudo o que encontra em sua boca, sem discernimento, ele não sabe o que é bom, e o que não é bom.

Temos essa imaturidade hoje, e com ela, a falta de discernimento. E isso é um resultado direto do ensino superficial, pregação do tipo estranho, bizarro, místico de que grande parte da igreja carismática está exposta, coisas caseiras, saem de pessoas que talvez não estejam devidamente treinadas, contam história de relacionamentos, uma pregação que carece de substância profunda real e doutrina fundamental que é essencial para nós crescermos.

Um ultimo texto, Hebreus 5 – ele embasa a conclusão final de imaturidade. Hebreus 5. Num outro contexto este princípio aqui é certamente ilustrado. O escritor de Hebreus diz a seus leitores em Hebreus 5:12, “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres.” Em outras palavras, você tem estado perto o suficiente, já ouviu o suficiente, e deveria ser capaz de ensinar. Mas o problema é, “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido.” Você ainda é um bebê.

Você não posso - você esteve tempo suficiente para ser mestre, mas em vez disso, eu tenho que lhe dar leite. Eu tenho que continuar dando coisas elementares. Você não pode tomar alimentos sólidos. Você não está acostumado com a palavra de justiça. A Palavra, a Palavra, a Palavra. Você tem todo esse material experiencial, você acumula muitas histórias, e já teve muitos sentimentos emocionais, mas não conhece a Palavra.

E então no versículo 14, “Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal” Discernimento e maturidade andam de mãos dadas, discernimento e maturidade andam de mãos dadas. Sedimentados sob a Palavra, compreendendo a palavra de justiça, recebendo comida sólida, praticando a vida espiritual, conduzindo, treinando seus sentidos para discernir o bem e o mal.

Então se você está falando sobre a falta de convicção doutrinária, se você está falando sobre imagem e influência como a chave para a evangelização, a falta de vontade de ser absoluto, e este desejo de ser relativo, vai falar de uma interpretação inadequada da Escritura, ou se você está falando sobre a ausência de disciplina da igreja, ou imaturidade, e elas estão todas sobrepostas, e entrelaçadas, e são essas coisas que contribuem para a perda de discernimento.

Suave na doutrina, não estamos realmente seguros do que acreditamos, não queremos ser preto e branco, não queremos trazer problemas, queremos ter a certeza de que nos comprometemos o suficiente com o mundo, para fazê-los sentirem-se confortáveis, ​​para que possamos conquistá-los, interpretação aleatória da Escritura, espiritualmente imaturo, Não há esperança para o discernimento.

E no entanto, a Bíblia em Provérbios 14, diz, “No coração do prudente, repousa a sabedoria.” Provérbios 14:33, “No coração do prudente, repousa a sabedoria.” Provérbios 16:21, “O sábio de coração é chamado prudente, e a doçura no falar aumenta o saber.” Provérbios 17:24, “A sabedoria é o alvo do inteligente, mas os olhos do insensato vagam pelas extremidades da terra.”. O homem de discernimento mantém a sabedoria em vista, mas os olhos do tolo vagueiam até os confins da terra. Mas o discernimento está focado.

Agora alguns de vocês são muito exigentes. Você realmente é. Sobre o alimento que você come você começa olhando a caixa, e você lê tudo desse material, sobre quanto gramas de gordura, e quanto da quantidade é exigida diáriamente. E você é muito cuidadoso que você quer evitar qualquer tipo de pesticidas, E você quer se alimentar de modo saudável. Você é muito perspicaz sobre isso.

Alguns de vocês discernem muito sobre o investimento que vão fazer e lêem tudo isso em letras miúdas no jornal no mercado de ações e nos investimentos, e tudo mais. Você é bom em discernir isso. Alguns de vocês são muito cuidadosos quando vão fazer uma cirurgia. Você quer encontrar um médico que conheça o caminho e a saída. E você é muito, muito cuidadoso. Você escolhe alguém que foi analisado cuidadosamente e tem recomendações, e talvez você obtenha outra opinião.

E alguns de vocês são altamente analíticos politicamente, e você pode avaliar as questões do dia, e você pode citar editoriais de todos os tipos de revistas nacionais, e você tem tudo calculado em termos de governo, e a política externa. Alguns de vocês são absolutamente inigualáveis ​​como um tecnico. Você pode avaliar qualquer ataque, qualquer defesa, você pode discernir todo o problema de ganhar e perder. Alguns de vocês sabem a média de drible de todos e por que eles chutam da maneira que eles fazem e como eles fazem isso.

Alguns de vocês analisam as coisas até o N-ésimo grau, mas nunca conseguem usar suas faculdades analíticas no Espírito e na Palavra, para discernir o que é o bem e o mal. Que triste. E porque a igreja não está discernindo está sendo envenenada com uma química mortal que parece água viva.

Agora, a pergunta número um. Como você se torna uma pessoa com discernimento? Isso é para a próxima vez. Vamos orar.

Pai, oramos para que através desta mensagem, esta manhã, possamos ser capazes de diagnosticar melhor as questões que nos rodeiam, e começar a definir o nosso curso para corrigir isso. Nós não queremos ter vergonha. Queremos ser como os nobres bereanos que pesquisavam as Escrituras diariamente para ver se as coisas eram assim. Queremos ser tão exigentes como eram.

E nós sabemos que Tu nos deste Tua Palavra, e nos deste Teu Espírito, professores que nos ensinam, pregadores que nos pregam, escritores qualificados que nos escrevem, para que possamos aprender como ter discernimento. E Senhor, ajuda-nos a estar dispostos a chegar a convicções que sejam verdadeiras e fortes a lutar por essas coisas a não nos tornar uma parte da deriva.

Ajuda-nos a estar dispostos a disciplinar, a buscar a santidade. Senhor, que possamos crescer até a maturidade espiritual com os nossos sentidos treinados para discernir o bem e o mal, para que possamos honrá-lo. Tu nos deste tudo o que precisamos para ter discernimento. Nos deste a verdade, a Palavra, o padrão. Nos deste o Espírito para nos ensinar. E a todos os nossos professores para nos enriquecer. Que possamos usar tudo o que nos foi dado para discernir corretamente o que é mais importante na vida e essa é a Tua verdade. E nós lhe agradeceremos Senhor pelo que isso vai realizar em nossas vidas e para a Tua glória em nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize