Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias no primeiro capítulo de Tiago, e eu quero ler para vocês do versículo 2 até o 12; Tiago capítulo 1, versículos 2 ao 12.

“Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos. O irmão, porém, de condição humilde glorie-se na sua dignidade, e o rico, na sua insignificância, porque ele passará como a flor da erva. Porque o sol se levanta com seu ardente calor, e a erva seca, e a sua flor cai, e desaparece a formosura do seu aspecto; assim também se murchará o rico em seus caminhos. Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam”.

G. K. Chesterton disse, “Eu acredito que devemos entrar em águas quentes, eu acredito que te mantém limpo”. E existe, para nós termos certeza, uma necessidade em nossas vidas para provações para ver se, de fato, nós somos genuínos; e as vezes não existe prova melhor do que a água quente, ou as águas da tristezas e das tribulações. Como uma pessoa linda com os problemas é uma indicação da fé da pessoa, e problemas que vem para a nossa vida vai mostrar como está a realidade da nossa fé, ou a fala dela. Então, o propósito de Tiago, que é nos dar provas da fé viva, a primeira coisa que ele quer falar aqui é sobre os testes das provações, porque as provações vão revelar se a sua fé é uma fé viva ou se é uma fé mora, se é uma fé genuína ou uma imitação de fé, se é uma fé salvadora ou não.

É um ponto de partida muito natural, pela simples razão que todo mundo que vive no mundo passa por provações. Aliás, nós somos criaturas caídas, somos criaturas pecadoras, nós vivemos no meio de uma sociedade caída e pecadora, e como resultado disso, nós passamos por provações constantes. Aliás, parece que nunca vai muito longe, se é que some das nossas vidas alguma vez. Jó colocou da seguinte forma; no capítulo 5, versículo 7, ele disse, “Mas o homem nasce para o enfado, como as faíscas das brasas voam para cima”. É como se estivesse falando que a natureza caída do homem é um fogo que cospe faíscas. As conseqüências naturais do fogo da natureza caída do homem são provações. Aliás, em Jó 14:1, ele diz, O homem, nascido de mulher”- e obviamente isso inclui todos nós - O homem, nascido de mulher, vive breve tempo, cheio de inquietação.”

Em Salmos 22:11, Davi diz, “Não te distancies de mim” – clamando a Deus – ““Não te distancies de mim, porque a tribulação está próxima.” Em Isaías 8:22, Deus fala através de Isaias sobre o seu julgamento no mundo que fez com que o homem: “Olharão para a terra, e eis aí angústia,.” E sem dúvida você se lembra, se você já leu aquela maravilhosa compreensão da sabedoria humana que nós conhecemos como o livro de Eclesiastes, essas palavras familiares no capítulo 2, “Pelo que aborreci a vida, pois me foi penosa a obra que se faz debaixo do sol; sim, tudo é vaidade e correr atrás do vento”. E depois no versículo 23, “Porque todos os seus dias são dores, e o seu trabalho, desgosto; até de noite não descansa o seu coração”. Provação, provação, provação, vaidade – dia e noite, a vida parece ser só provação, nada além de provações.

Francamente, até para os cristãos, até para aqueles de nós que são os filhos de Deus, enfrentamos provações constantemente, enfrentamos tribulações constantes em um mundo problemático. E até quando nós mais ou menos conseguimos colocar nossa vida em ordem, alguém invade e estraga tudo, inevitavelmente, e você vai saber disso que passou pela sua casa recentemente um grupo de crianças. Não importa como você protege sua pequena vida isolada, eles tem uma forma de causar algum dano nela. E eles são uma pequena ilustração de como é a vida. Nós fazemos tudo que podemos para nos proteger, para conseguir a perfeita paz e conforto, mas inevitavelmente, tribulações vêm de dentro ou de fora.

O Salmista – e eu passei por alguns Salmos essa semana, e eu fui lembrado mais uma vez de que o Salmista repetidas vezes fala com o Senhor, e ele pede para o Senhor livrar ele das tribulações, mas ele nunca é presunçoso para pedir que o Senhor retire todas as tribulações, porque ele sabe que isso não pode acontecer; ele simplesmente fala “eu não preciso nunca passar por tribulações, mas quando eu estiver passando me tira dali”. Até em casamento – “Casamento” Pedro diz, “é a graça da vida”. É como se estivesse falando que é o chantilly em cima. É uma das melhores coisas da vida. Mas até no casamento, 1 Coríntios 7:28 diz, “Mas, se te casares, ainda assim, tais pessoas sofrerão angústia na carne”, Quero dizer, se você tem tribulação sozinho, imagine como que será quando você tem outra pessoa com você. Vão existir tribulações, até nas melhores coisas que Deus nos dá.

Em Jesus consegui evitar tribulações. Aliás, Ele disse aos seus discípulos, “Você esteve comigo nas minhas tribulações” Ele disse, “É normal no mundo você passar por tribulações”. Você espera isso, Está em todo lugar. Jesus gemeu em seu Espírito. Em João 11:33, relata isso. João 12:27 relata isso também. Até em João 13, eu acho que está por volta do versículo 20, 21, relata mais um vez. Ele sabia o que era ter um espírito atribulado. Ele estava atormentado. Paulo disso que ele tinha tribulações por todo lado em 2 Coríntios 4:8.

Nós esperamos por isso. Esperamos passar por tribulações com a nossa família. Nós esperamos passar por tribulações com os nossos amigos. Esperamos passar por isso em nosso trabalho e na escola. Esperamos isso no mundo econômico. Esperamos isso das críticas. Esperamos por tribulações na forma de doença e enfermidades. Até esperamos passar por tribulações com a morte, quando ela atinge as pessoas mais próximas de nós. Tribulação vem da perseguição. Quero dizer que é simplesmente dessa forma na vida, e se você pensa que você é a única pessoa que está passando por tribulações, você não está prestando atenção ao seu redor. Todo mundo está na mesma situação.

Aqui o Tiago diz que se o seu cristianismo é genuíno, tem que passar por provações. Quero dizer, francamente, se não é bom o suficiente para passar por tribulação, não está bom. Se só está bom quando nós não precisamos, então nós não precisamos disso. Se a minha fé em Deus só está boa quando eu estou bem, então pra que serve a minha fé? Ela existe para me sustentar quando tudo dá errado. Ela é um teste legítimo da genuinidade da nossa fé para ver como ela fica em pé no meio das tribulações. Perceba no versículo 2 um pouco, vamos só passar por esse conceito um pouco. “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações”, poikilos, de varias cores, variado. Aqui não é para enfatizar o número, mas sim a diversidade das tribulações. Não é a idéia de que teremos muitas provações – isso é verdade também – mas é a déia de que teremos muitos tipos diferentes de tribulações – tipos variados. De muitas cores é o significado original da palavra, a tribulação vem de todo formato e cor e variedade; todos os tipos de tribulação, vindo de família, vindo dos nossos familiares, vindo de tantas áreas de decepção, seja ela qual for – todo os tipos de tribulação.

Perceba também as diversas tribulações. A palavra é muito comum para um estudante das Escrituras, peirasmos – significa “tribulações”, e basicamente tem a idéia de provações; alguma coisa que quebra a idéia de tranqüilidade, que quebra o padrão de paz, conforto, alegria e felicidade. Nós não sabemos exatamente quais eram as tribulações que Tiago estava pensando enquanto ele escrevia. Não sabemos o que estava acontecendo no meio dos judeus espalhados que ele teria identificado como tendo alguma tribulação específica, e é até bom que não sabemos porque a natureza genérica da vida é tão cheia de tribulações que uma instrução genérica nesse sentido é muito aplicável numa grande variação de coisas, não só para as pessoas a quem Tiago escreveu,, mas para nós também. E já que ele chamou eles de tribulações diversas, as provações multicoloridas, as provações variadas, ele, sem dúvida está supondo que essas provações vem de diversas maneiras diferentes, e realmente não é muito importante sabe qual Ra a provação específica que ele estava mencionando aqui.

A palavra provação ou tribulação não necessariamente significa que existe algo maligno ali. Não necessariamente significa que é algum tipo de tentação. De certa forma, é lamentável que foi traduzido como “tentação” em algumas traduções. Em outras edições é traduzido como provações. No versículo 2, a mesma palavra é traduzida em algumas traduções como “tentações” no versículo 12. E os tradutores realmente nos desviaram do ponto principal com isso. Simplesmente deveria ser “provações”. Não necessariamente significa que é alguma coisa maligna. E o contexto aqui claramente nos mostra que a idéia aqui não é enfatizar alguma solicitação subjetiva para o maligno, mas sim uma dificuldade objetiva para provar e fortalecer a fé. E sozinho, essa provação não é uma coisa maligna; é só uma dificuldade objetiva que entra na vida e pode ser uma prova da genuinidade da nossa fé.

Aliás, de acordo com o Moulton/Milligan – excelentes acadêmicos que nos deram um léxico da língua grega – eles dizem que a palavra sempre nos dá uma idéia de teste. Sempre passa uma idéia de que é uma prova. É uma palavra muito rara, no grego secular, mas no grego da Bíblia é uma palavra muito comum, porque o testar da fé é uma parte tão importante da vida espiritual; aliás, a forma verbal da palavra peirasmos, peirazō, significa colocar alguém a prova – colocar alguém a prova. Então essa é a idéia, de pôr a prova. Se o resultado for coisas boas ou se for coisas ruins, o objetivo aqui é pôr a prova.

Toda tribulação que vem para sua vida, e toda provação, seja grande ou pequena, se torna uma prova de sua fé. Ou você passa ou você reprova. Para passar na prova – ela se matem como uma provação. Se você reprova, isso transforma ela em uma tentação. Se ela acaba fazendo você pecar, então foi uma tentação bem sucedida. Se ela acaba em vitória, ela se torna uma provação bem sucedida. Uma tentação que te faz pecar te faz cair. Uma provação te fortalece e firma os teus passos. Então provações são provas que revelam a genuinidade e força de sua fé. Por um lado, eles podem revelar a genuinidade de sua fé, por outro lado também revela a força de sua fé. O que você faz enquanto estiver passando por uma tribulação vai revelar se você realmente crê em Deus e se você realmente é salvo, e também vai revelar quão forte está a sua fé salvadora.

Eu vou então sugerir aqui o que eu acho que muitas pessoas pelos anos esquecem de perceber. Muitas pessoas sentem que Tiago fala muito das obras. Eu quero que você saiba que Tiago na verdade lida muito com a fé. Ele não está fora de equilíbrio. Ele também foca muito em fé e não só em obras. E Martinho Lutero, que disse “Essa é uma epístola de palha”, querendo dizer que essa epístola era inútil, porque falava muito das obras de justiça, eu acho que ele perdeu o ponto nisso. Tiago foca muito em fé, e as obras são só uma manifestação; é só uma prova de fé verdadeira.

Vou dizer mais uma coisa. Devemos perceber que Tiago não está distinguindo aqui entre as provações internas e externas, porque nós também não podemos distinguir entre elas. Eu tenho percebido em minha vida que toda provação externa logo se torna uma provação interna. Nenhuma provação que eu já vi fica somente no externo, se ela é assim, não é uma provação muito grande. Quando ela entra e penetra na minha mente é quando ela se torna uma provação. Então o Tiago não está falando, “Aqui estão as coisas externas, e depois nós vamos falar da tentação que é uma coisa interna”. Qualquer provação é interna e externa. A vida cristã não pode fazer distinção; são só provações no geral, e a nossa vida é feita por elas. Elas vem na forma de decepções, frustrações, mal-entendidos, sonhos não alcançados, expectações não alcançadas, grande perdas, grande solidão, medo, críticas, perseguição, conflito. E eles todos começam no exterior, mas mais cedo ou mais tarde elas acabam dentro de nós, e é isso que faz com que elas se transformem em provações. Isso é a vida. E todas elas vem – olhem no versículo 3 – com o propósito de testar a sua fé; para te ajudar a ver se a sua fé é real, e quão forte é a sua fé. Existem testes de genuinidade para aqueles que alegam ter uma fé verdadeira, e testam a força de fé, então de certa forma, elas podem se aplicar para os cristãos e os não cristão também.

Então lembrem, o propósito de Tiago aqui é testar a fé. E, amados, eu quero dizer a vocês que quando você passa por uma provação, você realmente deveria prestar atenção nela, e examinar a luz de como você reage, e o que isso diz sobre a sua fé. Isso é o que você aprende dela. E se você persevera depois de passar por provações e isso é um padrão para a sua vida, você nunca abandona a sua confiança em Deus, aí sim você prova que você tem uma fé genuína. Roberto Johnstone, escrevendo um comentário de Tiago muitos anos atrás, disso isso, “Tiago mostra que onde existe uma profissão vazia ou um mero sentimento sonhador, não baseados em convicções inteligentes de verdade, o fogo das tribulações vai queimar tudo”. Mais ainda, “Onde existe fé verdadeira, aflições naturalmente levam a um pensamento mais profundo do que em outras circunstâncias de pecado e outros desertos, e assim então liberta o coração do controle da auto-justificação. A fonte de fraqueza leva a uma luta sincera com Deus em oração, e a experiência da graça sustentadora obtida por causa disso fortalece e anima a esperança tendo em mente o tempo que ainda está por vir”, fecho aspas. Essa é uma afirmação muito rica e carregada. Mas o que ele está dizendo, basicamente é, se você fizer um cristão falso passar por uma provação, inevitavelmente vai fazer com que ele vá embora, vai fazer com que ele se esgote. Se você colocar um cristão verdadeiro em uma provação, ele vai se desesperar por causa de sua fraqueza, e vai fazer com que ele comece a orar para que ele se apóie na fraqueza, quero dizer na força de Deus, ao invés de se apoiar em sua própria fraqueza.

Então, uma provação acaba com uma imitação de fé. Para quem tem uma fé verdadeira, as tribulações causam dor, a dor de imperfeição e fraqueza, faz com que a pessoa saia da auto-justificação e se apóie na força de Deus. Então provações, aflições, se torna a primeira prova para a fé viva. E é assim como ele começa essa seção, e eu quero te mostrar nessa noite como ele termina. Então vamos até o versículo 12. “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação”. Essa é uma bem aventurança, alias é muito parecido com as que aparecem em Mateus 5, onde Jesus nos dá as bem-aventuranças. E como eu disse na semana passada, é como se as bem-aventuranças e o sermão do monte estivessem dando uma base fundamental para o pensamento de Tiago, e nós veremos isso enquanto estivermos vendo essa carta. Mas ele diz, “ Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam”.

Aqui está uma declaração de bênção daquele que passa no teste; bem-aventurado significa feliz. Melhor ainda, significa satisfeito. Ou uma tradução ainda melhor seria, realizado com um sentimento de alegria interna – realizado com alegria interna, um estado de êxtase na alma, um estado de uma alma alegre. Aliás, no capítulo 5 de Tiago, no versículo 11, ele diz a mesma coisa, “Eis que temos por felizes os que perseveraram firmes”. E então ele diz, “Tendes ouvido da paciência de Jó”, e por aí ele continua. Nós consideramos pessoas felizes as que conseguem perseverar, quem consegue passar por provações. Isso não é alegria porque acabou a provação, isso é uma alegria por causa da vitória que a pessoa teve durante a provação – existe uma grande diferença entre as duas coisas. Não é uma alegria banal de alguém que nunca conheceu um conflito, é a alegria e satisfação de quem lutou e venceu – de quem lutou e venceu. Não é a alegria do espectador; é a alegria do participante. Feliz, satisfeito, realizado, com um estado interior de alegria, é o homem que persevera em momentos de provações. E mais uma vez, não é uma questão de pecado. Se esse fosse o caso no versículo 12, se perseverar no momento da tentação ao pecado fosse o caso, ele não terá dito, “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação”. Ele teria que dizer, “Bem-aventurado o homem que resiste, com perseverança, a provação”. Mas ele diz, “Bam-aventurado ou satisfeito é o homem que suporta com perseverança”.

E existem três palavras chaves no versículo 12, a palavra “perseverança”, a palavra “provação”, e a palavra “aprovado”, e essas mesmas três palavras aparecem nos versículos 2 e 3. “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança”. Então você tem perseverança, provação e aprovado nos versículos 2 e 3 e também você tem perseverança, provação e aprovado no versículo 12, e então, eu chego a conclusão de que o versículo está falando do mesmo assunto que o versículo 2 está mencionando, e que esses dois versículos formam um colchete para os versículos que se encontram entre os dois. E a seção inteira é sobre a vitória sobre as provações; com a mesma coisa em mente no versículo 2 e no versículo 12.

Perceba no versículo 12 diz, “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança”. E no versículo 3 também diz, “sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança”, é a mesma idéia, são as mesmas palavras. Perseverar no versículo 12 significa que você vai perseverar com paciência, com vitória. Não significa “ah eu consegui, - rangendo os dentes, prendendo a respiração, batendo o pé, pronto, perseverei”. Não é assim. Não é uma perseverança passiva. Não é uma sobrevivência passive. É ser um vencedor. É hupomenō, presente do indicativo ativo, pacientemente, triunfantemente, ser o vencedor. O ponto é simples. A pessoa que alega ser um cristão, e que passa por provações e sai como vencedor, que significa que essa pessoa nunca entregou sua fé, nunca abandonou a Deus, essa pessoa também se mostra como sendo um cristão genuíno. E ela vai receber a coroa da vida que o Senhor vai dar para todos os que amam Ele.

O que estou querendo dizer é que existem pessoas que vem, e você vê essas pessoas e eu vejo essas pessoas. Elas vem para a igreja, professam a Cristo, são batizadas, vem alguma tribulação na vida delas, e elas somem. Simplesmente somem. E as vezes acontece que elas nunca voltam. Talvez elas foram magoadas em algum relacionamento. Estavam de olho em alguma menina, e ela deu um fora nele, dizendo que ele não fazia o tipo dela, ou qualquer outra coisa desse tipo. Ou talvez depois que a pessoa chegou na igreja ela passou por alguma dificuldade; um amigo querido ou um membro de sua família morreu, e foi simplesmente mais do que essa pessoa podia agüentar, e ela saiu da igreja talvez com raiva de Deus. Perseverar durante provações é uma prova de uma fé viva. No versículo 12, Tiago chama aqueles que perseveram de, “os que o amam”. Isso é maravilhoso, porque basicamente essa é a essência da atitude que temos com o Senhor na salvação; nós o amamos. “Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro”.

Isso é tudo sobre um relacionamento de amor. Não é uma simples transação, onde Deus nos salva seja lá qual for a nossa atitude, e depois de sermos salvos nós podemos gir da maneira que quisermos. Não, nós que somos verdadeiramente salvos temos um amor profundo, continuo por Ele. Você pode até marcar esse versículo em suas Bíblias como uma maravilhosa definição de um cristão verdadeiro, “os que o amam”, que amam o Senhor. 1 João 2 diz que nós podemos amar Ele ou amar o mundo, mas não podemos fazer as duas coisas. “Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele”. E isso é um ponto básico. E mais pra frente em 1 João 2:19, “ Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos”. E o que João está dizendo aqui é, quando uma provação vem para testar se você ama o Senhor ou se você ama o mundo, eles amaram o mundo e foram embora, mas tudo fica bem porque isso significa que eles não pertenciam ali de qualquer forma. É no meio de um julgamento que o amor verdadeiro é manifesto. Em 1 Pedro, abrem lá no capítulo 1 por um instante. Pedro fala sobre essa mesma coisa. No versículo 6, ele fala sobre as várias provações, como as diversas provações que o Tiago menciona. E depois ele diz no versículo 7, quase como se ele emprestasse essa idéia de Tiago, “uma vez confirmado o valor da vossa fé”. Ele diz que todas as suas provações são uma teste para confirmar o valor de sua fé. E o “o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”. Em outras palavras, ele diz que sua fé está sendo testada para provar sua genuinidade, para que você, com uma fé genuína, possa ficar de pé diante do Senhor quando ele vier. E então no versículo8, ele define aquela fé verdadeira, “a quem, não havendo visto, amais”. E novamente, o mesmo pensamento: só quem passa no teste que confirma a fé de alguém são aqueles que amam a Deus – aqueles que o amam.

Nós ouvimos o eco do Salmista nisso. Eu acho que é em Salmos 19 – mais ou menos no versículo 10, sim é isso mesmo, ele diz, “Vós que amais o SENHOR, detestai o mal”. Isso mesmo! E mais uma vez, o povo de Deus são designados como aqueles que “amam o Senhor”. “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que”- fazem o que? – “amam a Deus”. Essa é a definição de um cristão. Um cristão não é alguém que simplesmente, num certo ponto da vida, acreditou na verdade. Um cristão é aquele que tem um amor continuo por Deus, e que esse amor se mantém firme, mesmo durante provações. O que eu quero dizer é que o que nós diríamos sobre um amor num nível humano que só era bom se não tivesse provações? Esquece disso, isso não é bom. O ponto é simples; aqueles que amam a Deus são aqueles que ficam firmes nele em amor, seja qual for a provação, e então elas mostram que sua fé é genuína.

O que significa amar ele? Essencialmente, Jesus disse repetidas vezes, “se você me ama”, - o que você vai fazer? “você vai guardar os meus mandamentos”. João 14:15, João 15:9 e 10, 1 João 2 versículos 5 e 6, 1 João 4:16, 1 João 5:1, 2 e 3, todos esses versículos dizem a mesma coisa. “Se você me ama, você vai guardar os meus mandamentos. Aquele que guarda os meus mandamentos, esse é o que me ama”. Então a genuinidade da fé é construída em amor. Mas amor, sendo demonstrado como genuíno, precisa ser provado. E se for amor verdadeiro, vai passar pela provação e vai continuar obediente – vai passar na provação e vai se manter obediente. Vamos voltar pro versículo 12, e olhar um pouco mais nesse versículo. Como cristãos que professam a nossa fé, nós seremos provados. Se passamos na prova, segurando firme no Senhor mesmo se tivermos tempos de lutas e momentos de dúvida, nossa fé não é destruída, não é eliminada. Nós nos firmamos nele porque nós o amamos. Se esse for o caso, então seremos abençoados.

Para resumir essa idéia, vou sugerir que o propósito da provação tem dois lados. O primeiro, o propósito é para expor a qualidade da fé. A provação, como eu tenho dito, é feita para revelar o tipo de fé que você tem. Volte para o versículo 12 mais uma vez. Aquela frase “depois de ter sido aprovado”. Literalmente aqui está falando, depois de ser aprovado da provação – essa é a idéia principal. Amados, você consegue perceber isso em sua vida? Olha, quando testes e provações vem, quando tem morte, ou solidão, ou uma perda, ou problemas, seja lá o que for, você consegue enxergar além disso, você percebe que Deus está testando a validade de sua fé? Ele está te aprovando. Está fazendo com que você seja passado pelo fogo, e assim todas as impurezas saem no fogo e só resta a fé brilhando forte. Aqueles que agüentam firmes em sua fé em Deus em meio a provações, aqueles que não caem, mesmo se a provação persistir, mostram que sua fé é viva – uma fé viva.

Eu queria divagar um pouco do assunto, porque aqui é um momento perfeito para falar sobre uma verdade bíblica muito importante, um pensamento teológico muito importante. Você já ouviu a frase, “a perseverança dos santos”? É uma frase maravilhosa, uma frase bem comum na teologia. Vou falar um pouco nesse assunto. O que significa quando ouvimos a frase, “a perseverança dos santos”? Podemos dizer que é uma parte do nosso credo teológico que nós acreditamos na perseverança dos santos. Em outras palavras, nós acreditamos que os santos nunca vão abandonar sua fé; eles sempre vão perseverar, crendo em Deus durante todas as provações. Essa é a perseverança dos santos. Em outras palavras, eles não vão crer por um curto período de tempo e depois desistir. Eles vão perseverar. Nenhuma provação vai fazer com que eles desistam de sua fé. Por que? Porque “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar”. Sempre tem a possibilidade da perseverança dos verdadeiros santos. E os verdadeiros santos sempre vão perseverar. Esse é um pensamento muito, muito importante. Eu vou te dizer porque é um pensamento tão importante.

Por anos eu cresci ouvindo a frase chamada “segurança eterna”. Você já ouviu isso? Nós acreditamos em uma segurança eterna. Essa é uma frase boa. Aliás, eu ouvia desta seguinte forma, uma vez salvo – você se lembra não é? – sempre salvo. Isso mesmo. E essa é uma frase bem comum, “uma vez salvo, sempre salvo”. E nós gostamos de acreditar nisso. Quem não gostaria, não é? Eu nunca gostaria de fazer parte de um sistema que diria, “uma vez salvo, mas você nunca tem certeza”. Eu não quero isso. Não, a ênfase no “uma vez salvo, sempre salvo”, o que essa frase está dizendo, em certo sentido, e algumas pessoas ficam irritadas quando eu uso essa frase e dizem, “espera um pouco, . Uma vez salvo, sempre salvo significa que você pode fazer o que você bem quiser e Deus não tem outra opção a não ser ficar com você”. Mas a ênfase aqui é no poder da garra de Deus, e isso é bom. A idéia de uma segurança eterna significa que Deus te segura; você está seguro em Sua promessa imutável. Você está seguro em seu poder inviolável. A as Escrituras enfatizam isso. Nós estamos seguros. Estamos seguros por causa do poder de Deus. Não temos dúvida disso. Por exemplo, vou resumir. Nós estamos seguros em nossa salvação por causa da promessa e do poder de Deus. João 10, você se lembra do texto? Você provavelmente se voltou a esse texto muitas vezes pensando sobre segurança eterna. João 10:28, “Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão”. Por que? “Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar”. Não é? Então nós estamos eternamente seguros por causa da promessa e do poder de Deus. “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus”. Em outras palavras, é a promessa e o poder de Deus.

Em Segundo lugar, nós dizemos que estamos seguros não só por causa da promessa e do poder de Deus , mas por causa das orações de Cristo. Ele constantemente intercede por nós, não é? Para que seja lá o que for que nós fizermos, ele intercede por nós, e fala para o Pai que Ele já pagou por aquele pecado, e então, somos perdoados. Em João 6 diz, “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora”. Ele nunca abandona nenhum dos seus. Em João 17 ele ora por todos os seus, para que eles possam entrar na plenitude da salvação, e essa oração será respondida. Em Lucas 22, ele fala sobre Pedro, e Ele diz, “Eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça”. E depois ele diz, “tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”. Em outras palavras, Pedro estava seguro não só por causa da promessa do poder de Deus, mas por causa das orações de Cristo. “Se, todavia, alguém pecar,” e isso está em 1 João, “temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro”. Cristo é o nosso intercessor, nosso mediador.

Tem um terceiro elemento nisso tudo. Nós estamos seguros não só por causa da oração e a promessa de Deus, e a oração – a promessa e o poder de Deus, e as orações de Cristo, mas também por causa da presença do Espírito – a presença do Espírito Santo. O Espírito Santo está em nós, a garantia da glória futura, não é verdade? Em Efésios 1 não diz que nós temos o penhor do Espírito? “Fostes selados com o Santo Espírito da promessa”. Tudo isso enfatiza segurança eterna no ponto de vista do poder de Deus, a presença de Deus em seu Espírito, e a oração em Jesus Cristo. A trindade completa nos assegura para sempre, para que nenhum cristão que crê no Senhor seja perdido. Isso não é maravilhoso? Isso é a segurança eterna. E a nossa salvação e a nossa segurança é baseada em – e prestem atenção nisto – ela é baseada na fidelidade da aliança de Deus. A fidelidade da aliança de Deus. “O mesmo Deus da paz”, diz Paulo em 1 Tessalonicenses 5:23, “vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Eu estou orando por vós para que vocês fiquem sem culpa até Jesus voltar. No versículo 24 diz, “Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. Estamos seguros por causa da fidelidade da aliança de Deus.

Isso é maravilhoso. Deus preserva seu povo da apostasia. Ele preserva seu povo do defeito. E ele leva todos ao céu. Isso é claramente o ensinamento das Escrituras. Ouça o que a Bíblia diz. Salmos 31, “Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR”. Salmos 37, “O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz”. Salmos 37 de novo, agora no versículo 28, “Pois o SENHOR ama a justiça e não desampara os seus santos”, olha que maravilhoso essa frase seguinte, “serão preservados para sempre”. Maravilhoso. Salmos 41:2 diz, “O SENHOR o protege, preserva-lhe a vida e o faz feliz na terra”. Salmos 97:10, “Vós que amais o SENHOR, detestai o mal; ele guarda a alma dos seus santos, livra-os da mão dos ímpios”. Salmos 116:6, “O SENHOR vela pelos simples”. Você não fica feliz por causa disso? “Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda. É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita. De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua. O SENHOR te guardará de todo mal”. Maravilhoso.

Romanos 16:25, “Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho”. 2 Timóteo 1:12, “e, por isso, estou sofrendo estas coisas; todavia, não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia”. Você se lembra desse versículo? Minha alma. 2 Timóteo 4:18, “O Senhor me livrará também de toda obra maligna”, e olha o que ele diz depois, “e me levará salvo para o seu reino celestial. A ele, glória pelos séculos dos séculos. Amém!” 1 Pedro 1:5 diz, “Somos guardados pelo poder de Deus”. Judas 1, “guardados em Jesus Cristo”. E Judas 24, “ Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória”. Esses não são textos maravilhosos? Textos fortes, pessoal, sobre segurança eterna, mas eu quero também dizer, tem um outro lado para isso? Existe um outro lado nisso. Você pergunta, “e qual é o outro lado”? O outro lado é que nós não somos só segurados por Deus, mas num ponto de vista humano, nós também perseveramos.

Em outras palavras, você não é guardado por Deus se no meio de uma provação você joga fora a sua fé. E novamente, você volta ao paradoxo do trabalho de Deus e o jeito do homem. Você é salvo porque você foi escolhido Nele desde antes da fundação do mundo, e você não é salvo sem exercer sua fé, não é? Você está salvo por causa da fidelidade da aliança de Deus, mas você não está seguro sem exercer perseverança. O meio, então, da segurança eterna é forjado pelo poder do Espírito que dá energia ao cristão verdadeiro para perseverar pela fé em toda provação. Berkhof, Louis Berkhof, um teólogo excelente, chama a perseverança de “aquela operação contínua do Espírito Santo no cristão pela qual a obra da graça divina que começou no coração é continuada e trazida a conclusão”. Então o nosso trabalho é perseverar”.

Escuta o que está escrito nas Escrituras. Mateus 24:13, “Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo”. Nós acabamos de dizer que Deus vai nos guardar, nós trocamos os lados, e parece ser contraditório, mas não é. É a forma como ele nos guarda, nos energizando pelo seu Espírito para perseverarmos. “Disse, pois, Jesus aos judeus”, em João 8:31, “que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos”. 1 Coríntios 15, “ Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais;” e olha o que vem depois, “por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão”. Se você não perseverar, você mostra que sua fé não é real. Colossenses 1, prestem atenção nesse versículo, “E a vós outros também que, outrora, éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas, agora, porém, vos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis”. Isso não é maravilhoso? Salvação. Somos apresentados perante Deus como santos, inculpáveis, irrepreensíveis. Depois o texto diz, “se é que permaneceis na fé, alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da esperança do evangelho”. Você só está seguro se você perseverar. Você só está seguro se você perseverar. Perseverança é o meio pelo qual a segurança acontece.

Então, Hebreus 2 diz, “ Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos”. Jamais nos desviemos. “Porque nos temos tornado participantes de Cristo”, Hebreus 3:14 diz, “ se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos”. Hebreus 4:14 diz, “conservemos firmes a nossa confissão”. Hebreus 6:12, “Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando, até ao fim, a mesma diligência para a plena certeza da esperança; para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas”. Essa é a perseverança dos santos. Nós perseveramos. Hebreus 10:39 diz, “Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma”. Pedro até disse em 2 Pedro 1:10, “procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum”. Então o ponto aqui é que quem não persevera, não está seguro.

Você pode perguntar então, “E o que acontece quando alguém não persevera”? Muito simples; 1 João 2:19, “ Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos”. Eles não passaram no teste de fé genuína. Nenhuma provação, amados, nenhuma provação é tão grande que possa te separar de seu Senhor, se sua fé for genuína. É só um teste, para manifestar a genuinidade de sua fé. Então a segurança eterna por si só não é o suficiente; não é uma questão de uma vez salvo, sempre salvo, seja lá o que for no que você acredita, ou seja lá o que for que você faça. Não. Se não tiver perseverança, se você não passar no teste e ficar firme no Senhor, se você não continuar amando e obedecendo a Ele depois de toda provação da vida, então você prova que a sua fé é ilegítima. Quantas pessoas que você conhece que passaram um tempo na igreja, passaram por alguma tribulação em suas vidas, e foram embora? Quem já professou ter uma fé em Cristo, mas não perseverou, não pode ser identificado como aqueles que o amam, suas vidas são caracterizados como sendo obediente?

Eu amo o que diz na Confissão de Fé de Westminster. “Os que Deus aceitou em seu Bem-amado, os que ele chamou eficazmente e santificou pelo seu Espírito, não podem decair do estado da graça, nem total, nem finalmente; mas, com toda a certeza hão de perseverar nesse estado até o fim e serão eternamente salvos. Esta perseverança dos santos não depende do livre arbítrio deles, mas da imutabilidade do decreto da eleição, procedente do livre e imutável amor de Deus Pai, da eficácia do mérito e intercessão de Jesus Cristo, da permanência do Espírito e da semente de Deus neles e da natureza do pacto da graça; de todas estas coisas vêm a sua certeza e infalibilidade. Eles, porém, pelas tentações de Satanás e do mundo, pela força da corrupção neles restante e pela negligência dos meios de preservação, podem cair em graves pecados e por algum tempo continuar neles; incorrem assim no desagrado de Deus, entristecem o seu Santo Espírito e de algum modo vêm a ser privados das suas graças e confortos; têm os seus corações endurecidos e as suas consciências feridas; prejudicam e escandalizam os outros e atraem sobre si juízos temporais”. O que a Confissão de Westminster está dizendo aqui é que um cristão pode acabar passando por muitas tribulações, mas ele nunca vai abandonar sua fé, porque ele vai perseverar. Provações então, provam se uma pessoa tem uma fé genuína ou não.

Meditam nos hinos seguintes. “Ninguém está mais seguro do que os amados do Salvador. Nem a Tua estrela que habita no céu, nem o pássaro em seu ninho. Deus cuida e sustenta os seus, em seu átrios santos eles florescem, como um Pai gentil Ele preserva eles, e em teus braços Ele carrega eles. Nem a vida ou a morte pode atingir os Filhos do Senhor, porque Seu amor e sua compaixão profunda os conforta durante as tribulações. Pequeno rebanho, alegrem-se, o Deus de Jacó vai sempre te proteger, descanse com esse defensor, na sua vontade todos os inimigos vão se render. O que Ele toma ou o que Ele nos dá nos mostra o amor do Pai tão precioso, nós precisamos confiar em Seu propósito completamente, essa é a alegria que pertence somente aos seus filhos”.

Sim nós somos guardados, e nós somos guardados para que perseveremos. Alguém uma vez escreveu, “Jesus vive e eu também viverei. A morte, seu aguilhão sumiu para sempre. Aquele que planejou para que eu morresse vive nas cadeias da morte. Ele vai me levantar do pó; Jesus é a minha esperança e Nele está a minha confiança. Jesus vive e reina supremo, Seu reino continua, eu também vou ficar com Ele vivendo para sempre, sempre reinando. Deus prometeu, e vai acontecer; Jesus é a minha esperança e Nele está a minha confiança. Jesus vive e pela sua graça, ele me dá vitória sobre minha paixões, eu vou limpar o meu coração e os meus caminhos, e sempre vou viver para Sua glória. Ele me levanta do pó, Jesus é a minha esperança e Nele eu confio. Jesus vive, eu sei bem, meu coração não pode ser tomado dele, nem a vida nem a morte nem as forças do inferno, alegria nem luto, estou Nele sempre. Nenhum de todos os seus santos está perdido, Jesus é a minha esperança e Nele eu confio. Jesus vive e a morte agora é a minha entrada para a glória. Tenha coragem, ó alma, porque você tem uma coroa e vida diante de ti. Você vai ver que sua esperança foi justa. Jesus é a confiança do cristão”.

Quando provações entram em sua vida ou na minha, elas provam a genuinidade de nossa fé nos dando a oportunidade de perseverar, e tendo perseverado, nós podemos olhar e dizer, “Sim, eu pertenço ao Senhor”.

Existe uma segunda razão que eu gostaria de mencionar rapidamente. Essas provações não existem só para expor a qualidade da fé, mas para fortalecer essa fé – fortalecer essa fé. E nós vamos olhar para esse propósito depois, não agora, mas guardem isso em suas mentes. Eles também fortalecem nossa fé, e então eles servem um propósito muito bom. Mas para aqueles que não caem durante provações, você pode perceber no versículo 12, para aqueles que não caem, ele diz, “porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida”. Agora, para vocês estudantes de grego, é isso que eu chamo de genitivo aposicional. E literalmente seria traduzido dessa seguinte forma, “receber uma coroa que é a vida”. A coroa e igual a vida. O ponto aqui é o seguinte: a coroa é a vida eterna. A promessa da vida eterna é o que Deus tem prometido para aqueles que o amam. Vida eterna – guardem isso – é a nossa recompensa. Você pode pensar, “Mas eu já tinha isso”. Sim, você tem; você tem a promessa disso, um dia você vai receber isso e verdade, em sua plenitude. Nós ainda estamos esperando pela salvação plena. Estamos esperando para receber a nossa recompensa futura; por isso a palavra está no futuro. Ele vai receber a coroa. O que é a coroa? É a vida eterna. Na vinda do Senhor, Ele nos dará a plenitude da vida eterna. Isso lembra 2 Timóteo 4:8, “Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda”. Quando o Senhor vier o nos levar para ficarmos com ele, vai ter uma coroa; e essa coroa é a vida eterna. Vai existir uma coroa, e essa coroa é a justiça. Nós vamos, nesse momento, ter a justiça eterna, a vida eterna, e eu creio que isso se refere a vida eterna que receberemos na vinda de Jesus Cristo.

Aliás, todas as recompensas que o Senhor nos concede estão guardadas na nossa vida eterna. 1 Timóteo 6:12, “Combate o bom combate da fé. Toma posse da vida eterna”. Da plenitude da promessa da vida eternal. Aliás, em 1 Pedro 5:4, “Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória”. Então é a vida eterna, é a justiça, é a glória; aquelas são coroas que pertencem a todos os Cristãos. Todos os cristãos vão receber a vida eterna, justiça eterna e glória eterna. Aliás, Apocalipse 2:10 também cita a coroa da vida mais uma vez, e ali tem a promessa de que aqueles que são fiéis até a morte, que passaram pelas provações – é o mesmo contexto. Ele está escrevendo para a igreja de Esmirna; você tem tribulação por um curto período de tempo; se você provar que você é fiel, mesmo se isso significa que você é fiel até a morte, então eu vou te recompensar com a vida eterna.

A vida eterna não é recebida pela perseverança. Não é alcançado por causa de perseverança, mas a perseverança é a prova da fé verdadeira e amor verdadeiro, e a recompensa disso é a vida eterna. Você percebeu essa distinção? Não é alcançado por causa da perseverança; é a recompensa que recebemos por causa da perseverança, que prova a genuinidade de nossa fé. Aliás, a palavra “coroa” aqui é a palavra stephanos. Ela é usada de diversas formas diferentes, mas geralmente na cultura do Novo Testamento, tinha a ver com a coroa que era colocada na cabeça de um vencedor num evento atlético. Alguns comunicadores sentem que já que os judeus rejeitavam a idéia de competição – eles não gostavam do fato de que em muitas dessas competições os homens ficavam completamente nus, ou usavam pouca roupa, que ofendia os judeus – e então eles tinham muito desgosto por essas coisas, então alguns sentem que Tiago nunca se referiria a um stephanos por causa desse tipo de competição.

Mas eu acho que isso é forçar um pouco. Nós sabemos disso com certeza por causa das antiguidades de Josefo que relatam que existiam jogos assim, jogos competitivos, realizados na cidade de Jerusalém durante o reinado de Herodes o Grande, e então é bem provável que eles conheciam bem o conceito de stephanos como sendo a coroa do vencedor, e obviamente, quando você está falando de perseverar até o final em uma provação, isso se encaixa bem aqui no nosso contexto. Alguns gostariam de nos fazer acreditar que stephanos tinha a ver com a coroa para um rei, ou o festão que era colocado na cabeça de alguém num casamento ou em uma festa ou celebração, para que isso se torne uma coroa de celebração, uma coroa de alegria, uma coroa de alegria. Mas parece que, para mim, isso inclui prosperidade, e alegria, e honra, e realeza, mas o contexto precisa ser o de vencedor. E como essas coisas seriam coisas familiares para eles, é muito simples deduzir que é exatamente isso que o Tiago tinha em mente.

Então o que ele está dizendo é que o Senhor vai recompensar com a vida eterna aqueles que demonstram que eles tinham a salvação verdadeira na qual eles perseveraram. Então, amados, enquanto abrimos essa seção, nós entendemos que a vida é cheia de provações. Quero dizer, é assim que vai ser. E como nós lidamos com essas provações vai manifestar a genuinidade, ou falta dela, da nossa fé. Se perseverarmos, se formos vitoriosos, demonstraremos uma verdadeira fé salvadora, a recompensa desse amor contínuo, que é a plenitude da vida eterna, justiça eterna, glória eterna. Para aqueles que são genuínos.

A questão que imediatamente segue aqui nesse ponto, depois de olhar no versículo 2 e 12, como um cristão consegue perseverar nas provações de forma prática? Como podemos fazer isso? Qual é a praticidade da perseverança? E é nesse ponto que Tiago quer chegar; ele é muito pragmático. Não é o suficiente dizer, “Eu preciso perseverar! Me diga como. Como eu consigo perseverar?” Olhe no seu esboço para ver os cinco pontos que eu te passei. Esses são os aspectos pragmáticos de uma fé perseverante. Algumas coisas são requeridas: uma atitude legre, versículo 2, “tende por motivo de toda alegria;” uma mente compreensiva, versículo 3, “sabendo”; uma vontade submissa, versículo 4, “a perseverança deve ter ação completa”, faça ela fazer o que ela quer fazer. Depois devemos ter um coração que crê; não tenha uma fé vacilante, versículo 6, mas “Peça-a, porém, com fé”; versículo 8, “homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos”, e depois nos versículo 9 a 11, um espírito humilde. O jeito que devemos agir vitoriosamente nas provações é agir com uma atitude alegre; uma mente compreensiva – que percebe a realidade da provação e o propósito naquilo; uma vontade submissa, recebendo do Senhor, e que se submete a ela, e aprende o que Ele quer que você aprenda; um coração que crê que nunca vacila na fé; e um espírito humilde que está disposto a aceitar qualquer coisa. É assim que você deveria lidar com as provações.

Nós vamos olhar para esses pontos mais especificamente na semana que vem, e eles vão ser pontos tão ricos e tão práticos; e eu queria te dar um dever de casa; não venha sozinho semana que vem. Nós formamos todos os alunos da faculdade semana passada, eles foram embora, e nós sentimos falta deles, mas nós queremos que vocês tragam mais gente para tomar o lugar deles enquanto nós entramos nesses pontos práticos que vai fazer com que você seja vitorioso em toda provação e em todo teste. E isso é para a semana que vem. Vamos abaixar as nossas cabeças e orar juntos.

Pai, nossos corações estão tão cheios de gratidão e esperança enquanto compartilhamos a verdade de Tua Palavra. Nós Te agradecemos porque o Senhor nos fez passar por várias provações para testar nossa fé, e depois de demonstrar que a nossa fé é genuína, tendo passado no teste, e demonstrado que nós somos os que te amam porque somos obedientes, devemos receber a bênção; sim, a coroa da vida que o Senhor dá, como o Senhor tem prometido, para aqueles que pertencem a Ti. Muito obrigado por essa grande esperança, Obrigado porque o Senhor não só nos guarda por causa da fidelidade de Tua aliança, mas o Senhor nos energiza com o Teu Espírito Santo para perseverarmos e gozar da vitória que vem para aqueles que andam contigo. Abençoe a nossa semana. Que as provações dessa semana se transformem na fonte de nossa grande alegria, no nome do Salvador. Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize