Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Eu quero dar boas vindas a vocês na continuação de nosso estudo em Tiago. Então abram suas Bíblias no livro de Tiago. Nós temos tanto para ver nessa maravilhosa epístola, mas nós vamos dar uma parada nessa noite, só para dar uma breve olhada no versículo 18. Normalmente, o que a gente faria seria tomar uma nova seção começando no versículo 19, já que nós mencionamos o versículo 18 da última vez. Mas eu gostaria de parar por um momento e expandir o nosso conhecimento de Tiago 1:18, porque é um versículo tão grandioso. É um versículo que realmente articula de uma forma muito simples o significado de um novo nascimento, o significado da salvação.

Eu achei muito interessante essa manhã, na recepção dos nossos visitantes pela primeira vez, quando eu conheci uma jovem mulher do Japão que entende um pouco de inglês, inglês conversacional e ela admitiu nessa manhã que ela achou muito difícil acompanhar o que eu estava dizendo na mensagem. E isso me fez fiar mais alerto não pelo fato de que as palavras que eu digo não são inteligíveis, mas no fato de que quanto mais tempo você for um cristão, mais você se envolve com o cristianismo e com a palavra de Deus, mais você começa a usar um tipo de linguajar evangélico e alguém que só conhece inglês conversacional vai ter muita dificuldade em entender o que você está dizendo. É um bom lembrete também que, de vez em quando, nós precisamos voltar para uma realidade simples do que o evangelho realmente é e é isso o que nós queremos fazer nessa noite. Vamos olhar juntos no versículo 18 de Tiago 1.

E lá diz o seguinte, segundo o seu querer, e aqui está falando do pai, Deus pai mencionado no versículo 17, “Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas”. Um versículo simples, mas nele estão todas as riquezas do novo nascimento. O Antigo Testamento diz, sejam santos porque eu o Senhor sou santo. Pedro diz em sua epístola, sejam santos porque eu o Senhor sou santo. Para poder entrar na presença de Deus, o homem precisa ser santo. Separado do pecado para a justiça. Hoje os homens não são santos. Isso é óbvio. Eles não são justos, eles são pecadores. Eles não pensam da forma correta, nem falam de forma correta, agem corretamente, nem fazem coisas corretamente. Eles não compreendem Deus da forma correta. Eles não compreendem a si mesmos da forma correta. Não compreendem a verdade de Deus, a revelação de Deus ou a lei de Deus ou a vontade de Deus.

Mas mesmo quando os homens não são santos e não estão bem com Deus, na maioria das vezes eles não percebem que não estão santos. Eles não entendem que eles não são justos, que não concordam prontamente com o diagnóstico das Escrituras que diz que eles são pecadores. Homens não são santos, e pior ainda, eles não percebem a necessidade que temos para santidade ou na maioria dos casos, a ausência disso. E se eles não percebem que eles não são santos, eles geralmente culpam outra pessoa por essa realidade.

E é isso que nós falamos da última vez que olhamos nesse tremendo capítulo. Indiretamente, a humanidade joga a culpa da pecaminosidade deles em Deus,geralmente. E quando nós olhamos nos versículos 13 a 18, nós vimos que a única pessoa que deveria ser culpada por causa da nossa pecaminosidade somos nós mesmos. Certamente nós não podemos culpar a Deus dizendo, bom, foi Deus quem nos criou. Deus fez leis que são impossíveis de cumprir. Deus permitiu que eu me tornasse do jeito que sou por causa do ambiente onde ele me inseriu. Deus me colocou em circunstâncias que colocaram tantas restrições em mim que eu não consigo controlar o meu comportamento, et cetera, et cetera. Mas o que Tiago tem para nos dizer é, Deus não consegue fazer parte da nossa pecaminosidade nem diretamente nem indiretamente.

Então as pessoas precisam der santas para poder ter um relacionamento com Deus. Elas não são santas. Na maioria das vezes, elas nem percebem que não são santas e se elas não reconhecem que pecam, geralmente elas vão culpar outra pessoa e essa outra pessoa, de forma bem vaga é o Deus que colocou essa pessoa na situação onde ela se encontra e que deu os impulsos que ela tem e de qualquer forma querem diminuir a responsabilidade que elas tem. Então Tiago diz, nos versículos 13 a 18, que você não pode culpar ninguém, só você mesmo tem a culpa pelos seus pecados. No versículo 13 ele diz que a natureza do mal demonstra isso. Nenhuma pessoa pode dizer, quando ela é tentada, Eu sou tentado por Deus, porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e ele também não tenta ninguém. Você não pode culpar a Deus pelo mal porque Deus e o mal são mutuamente exclusivos. E depois no versículo 14, a natureza do homem. Ele diz, o homem tem seus próprios problemas. Ele é tentado quando ele é levado e atraído pela sua própria cobiça. O problema está na própria pessoa, em sua pecaminosidade, sua natureza caída. E então ele fala da natureza da cobiça nos versículos 15 e 16.

“Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte. Não vos enganeis, meus amados irmãos”. Em outras palavras, entenda que essa é a realidade do pecado, então não é Deus, porque Deus e o mal são incompatíveis. O problema está na natureza do homem e na natureza do homem está a paixão pelas coisas que são erradas. E depois no versículo 17, ele volta a falar na natureza de Deus e ele diz, “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança”. Então você não pode culpar a Deus porque a natureza dele só produz coisas boas. Só coisas boas vem de Deus. Então, ele diz, não podemos culpar a Deus pelo nosso pecado por causa da natureza do pecado, a natureza do homem, a natureza da cobiça e por causa da natureza de Deus. Depois no versículo 18 ele mais ou menos resume todo o seu argumento dizendo que a natureza da regeneração em si ou a conversão ou a salvação ou o novo nascimento nos mostra que Deus não nos guia para o pecado. Versículo 18 diz, “segundo o seu querer”, em outras palavras, era o seu querer que fôssemos iguais a Ele. Um tipo de primeiros frutos de sua própria criação. Então o propósito da regeneração era dar a luz a vida. Foi nos criar para fazer o bem e não o mal. A nos dar poder sobre o pecado como parte de uma nova criação.

Então Deus, de nenhuma forma, está envolvido com a nossa pecaminosidade. Ele não pode ser misturado com o mal. O problema está no homem. No homem, o problema está amarrado com a sua cobiça. Por causa da natureza de Deus, ele só dá boas dádivas quando a mão de Deus toca em sua vida, é para produzir vida, não morte, para produzir justiça e não pecado. Fazer uma nova criatura, não exercitar o velho homem.

Então todas as coisas que vimos da última vez, apontam para o fato de que Deus não pode direta ou indiretamente ser a fonte do pecado. Deus não está e não pode tentar homens para que pequem. Então nós olhamos para o versículo 18 pensando nisso. Mas o versículo é tão rico porque fala do assunto do novo nascimento de uma pessoa, fala de gerar uma pessoa, ou regenerar uma pessoa e isso demanda uma olhada mais detalhada nesse versículo e é isso que vamos fazer essa noite. Ele introduz para nós o assunto de regeneração no versículo 18 em conexão com o ponto do contexto dele. E o ponto é o que eu acabei de falar para vocês, ele está usando a regeneração como uma forma de mostrar para você que Deus não leva as pessoas ao pecado. Ele leva elas para se tornarem criaturas de um novo tipo, como Ele. Ele guia elas para que saiam do pecado e entrem na nova vida. E isso seria inconsistente com qualquer pensamento que diz que Ele nos faz pecar. Ele está nos recriando para estarmos o mais longe do pecado, não para nos levar ao pecado, mas para estarmos fora do contexto todo de pecado, como nós vemos no versículo. Eu quero que você simplesmente examine esse versículo sozinho, porque aqui diz tanto sobre a regeneração, e todos os ensinamentos sobre a regeneração e o novo nascimento é digno de nossa atenção. Agora mantenha em mente o que eu disse antes e o que nós notamos no texto de que o homem é cheio de cobiça e a cobiça produz o pecado e o pecado gera a morte. É verdade que sem santidade ninguém vai ter um relacionamento com Deus, ninguém nunca vai conhecer a Deus. Ninguém vai entrar na eterna presença de Deus sem santidade. E mesmo assim o homem não é santo e ele é pecador e tudo em sua natureza produz cobiça e o mal. Para te dar uma idéia mais compreensiva disso, olhem comigo em Romanos, no capítulo 3.

Uma porção muito conhecida das Escrituras para estudantes da bíblia mas é um trecho que precisa ser examinada, tendo em mente esse assunto. O final do versículo 9 ele diz, “tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado”. Eles estão todos debaixo do pecado. Todos são sujeitos ao controle do pecado. E então ele continua nos mostrando isso em âmbito citando um pouco das passagens do Antigo Testamento, e ele diz, “como está escrito: Não há justo, nem um sequer”. Não existe um ser humano que foi ou vai ser criado desde a queda de Adão que é justo e isso significa que não há um ser humano que está de bem com Deus, que age justamente, que obedece a vontade de Deus.

“Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda”. Isto é, não existe um pessoa que plenamente compreender o que Deus requer e que consegue realmente entender e obedecer. Nem há quem busque a Deus. O homem torto busca o pecado. Homens amam o que? A escuridão, João 3 diz isso, mais do que a luz porque suas obras são más. Todos se desviaram. Todos se desviaram do caminho que Deus separou para a justiça. Todos eles se tornaram inúteis. A palavra grega aqui tem a ver com leite azedo. Não serve para nada. Estão totalmente inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um sequer. E então ele descreve a natureza do mal deles. “A garganta deles é sepulcro aberto”. Fede como um cadáver morto e que o cheiro vem saindo de um túmulo. “Com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios”. Uma pessoa é basicamente revelada em como conversa e com sua boca, e a sua natureza pecaminosa se mostra com tudo o que é feio, mal, contaminação e morte que sai de sua boca. “A boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos”. Aqui está a definição do homem pecador, um homem sem Deus. E o mundo inteiro entra nisso no versículo 18. Toda boca é fechada e o mudo inteiro é culpado diante de Deus. E, no versículo 20, ele diz, “visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”. Mesmo sendo as leis de Deus. A lei simplesmente produz o conhecimento do pecado, não produz a justiça. Então aqui está a definição do homem de Romanos 3. O homem em seu estado pecaminoso, olhem para Efésios 2.

Em Efésios 2 diz, no versículo 1, “Estando vós mortos nos vossos delitos e pecados”. Aqui nós vimos que o homem é caracterizado novamente por estar morto, o fedor de um cadáver e as características de sua podridão é uma morte em delitos e pecados. Só usando duas palavras para mostrar mais ou menos a extensão de sua pecaminosidade. Lá diz, “nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo”. Em outras palavras, a maneira como ele diariamente se conduz é ditado pelo sistema mau. Aquele que está encarregado de sua vida é “o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência”, esses são títulos de Satanás. Ele funciona, no versículo 3, “segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira”. Isso significa que ele é um alvo de julgamento, ele é o objeto do julgamento de Deus.

Tudo isso é muito básico, as pessoas, para conseguirem ter um relacionamento bom com Deus, precisam ser santas. Pessoas não são santas. Pessoas não reconhecem que elas não são santas e as vezes quando elas percebem que não são santas e que são pecaminosas elas tendem a jogar a culpa em Deus por suas circunstância, elas passam a responsabilidade que mantém ele confinado debaixo da sujeição do pecado e então são separadas de Deus. Agora surge uma questão, o que você vai fazer para ajudar essa pessoa? O que você vai fazer para mudar a situação? O que essa pessoa precisa? Mudanças externas não são o suficiente. Ele não pode, por alguma resolução em sua própria mente determinar que ele vai obedecer a lei de Deus e trabalhar o suficiente para sair de sua podridão. Ele não consegue dar a si mesmo uma nova vida.

O que ele precisa é ser recriado. Ele precisa de um novo coração, um novo ser interior, um novo princípio de vida. Ele precisa ser nascido de novo. Ele precisa começar de novo e sair diferente. Como se fosse às palavras de Nicodemos, ele poderia entrar de novo no ventre de sua mãe e começar tudo de novo com uma natureza diferente. Já que santidade é a condição absoluta para a aceitação na comunhão com Deus, uma pessoa pecadora em sua condição caída e morta nunca pode ter aquela comunhão e Deus nunca vai aceitar um ser corrompido, então ele precisa de uma nova vida.Ele precisa de uma vida nova. Então quando falamos sobre o evangelho ou sobre o novo nascimento, não estamos falando sobre adicionar algo em nossa vida. Não estamos falando de colocar alguma coisa a mais. Não estamos falando de fazer uma situação boa de uma situação que está ruim. Ou de colocar roupas novas num homem velho. Estamos falando em uma completa transformação. Para entrar em um relacionamento com Deus, isso demanda que a pessoa seja totalmente nova. Você precisa voltar e começar tudo de novo e nascer de novo e começar uma nova vida.

As escrituras afirmam isso. Isso nem é uma coisa nova, no Novo Testamento, isso fazia parte da promessa no Antigo Testamento. Jeremias, por exemplo, diz que o coração do homem é enganador em todos os sentidos e desesperadamente malvado e Jeremias diz, o Etíope pode mudar sua pele? Ele pode, se ele quisesse, mudar a cor de sua pele escura? E depois Jeremias diz, o leopardo pode mudar suas manchas? E a resposta é, sem dúvida a resposta é claro que não, então não dá para fazer o bem, estando acostumados a fazer o mal.

Você também não pode mudar a sua vida então você precisa de uma transformação. Isso está em Jeremias 13:23 e depois lá no capítulo 31, vem a maravilhosa promessa dessa transformação, Jeremias 31:31, “Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito”, e por aí vai. Ele diz, “firmarei nova aliança”, versículo 33, “Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”. Eu vou entrar neles e vou mudar tudo o que está dentro deles. Eles não conseguem fazer sozinhos então isso precisa ser feito para eles. O homem precisa mudar no mais profundo do seu ser.

O homem natural, isto é o homem que não foi regenerado, o homem que não conhece a Deus. O homem pecador, não redimido, não salvo, em 1 Coríntios 2:14 diz que ele não, “não aceita as coisas do Espírito de Deus”. Ele não consegue aceitar. Ele está morto. E um cadáver não responde a nada. Então o que ele precisa? Ele precisa de um novo nascimento. Ele precisa de uma nova vida. Eu acabei de ler Efésios 2:1 a 3, onde diz que os homens estão mortos nos delitos e pecados, seguindo as inclinações da carne fazendo as vontades da carne, estando sujeitos a liderança de Satanás, o príncipe da potestade do ar, eles são filhos da ira, mas lá diz, que mesmo nós estando mortos nos pecados, nesse mesmo capítulo no versículo 5 diz que Ele, “nos deu vida juntamente com Cristo, e, juntamente com ele, nos ressuscitou”. E aqui está a idéia de uma ressurreição dos mortos, nova vida, de um novo nascimento. Em Romanos 6 diz, quando você põe sua fé em Cristo, você morre e depois ressuscita e assim também, - aqui ele usa uma frase maravilhosa -, você então anda em novidade de vida. Isso é o que cada pessoa precisa ter, novidade de vida. A vida velha precisa ser totalmente destruída e a vida nova tem que surgir. Em Efésios 4:24, “e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”. Quando você é salvo, você se reveste do novo homem, uma nova pessoa, não com roupas novas. Uma pessoa nova.

É uma recriação. A melhor e mais gráfica ilustração disso se encontra no maravilhoso encontro entre Jesus e Nicodemos então vamos abrir nossas bíblias em João 3 e vamos olhar brevemente e nos lembrar dessa história muito maravilhosa. “Havia, entre os fariseus”, isto significa que ele era um líder religioso de grande estima. Ele provavelmente era tão proeminente como qualquer mestre porque no versículo 10 Jesus diz com um artigo definido, “Tu és o mestre em Israel e não compreendes estas coisas”?

Então aqui está um homem que é reconhecido provavelmente publicamente como o mestre em Israel de alguma estatura, um fariseu que conhecia a lei bem. Ele se aproxima de Jesus e diz, “sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus”. Aqui está um homem de muita estima. Aqui está um homem que reconhece o seu chamado, mas reconhece aquele que é muito acima dele em entendimento, então ele vem até Jesus e diz no versículo 2, “sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele”. E ele nunca fala o que está em seu coração. Ele não pergunta nada, mas Jesus lê o que estava no coração dele. E Jesus respondeu, essa é uma afirmação interessante porque ele não fez nenhuma pergunta. Ele simplesmente disse, você é um mestre e depois ele continua dizendo, você veio de Deus, nós sabemos disso, mas Jesus respondeu a questão que estava no coração dele e disse, “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”, e ele sabia que a questão que estava no coração de Nicodemos era, como posso entrar no reino.

Aqui estava um homem que era mestre em Israel. Um Fariseu, ele tinha tudo religiosamente, mas ele sabia que ele não tinha entrado no verdadeiro reino de Deus. Como que ele sabia que ele não tinha feito isso ainda? Porque não existia nada dentro dele confirmando isso. Então ele vem até Jesus e a questão que estava em seu coração é, o que eu preciso fazer para entrar no reino e a implicação aqui é, eu sou muito religioso, eu estudo a lei, eu tento viver pelo código do Antigo Testamento. Eu sou um homem ético. Eu sou um homem confiado. Eu sou um homem respeitado. O que eu preciso adicionar em minha vida para entrar no reino? E Jesus disse, você não precisa adicionar mais nada, você precisa começar de novo.

Você simplesmente mata o todo e começa com o nascimento. Você precisa nascer de novo. E Nicodemos disse a ele, como um homem velho pode nascer? Ele aqui não está perguntando da coisa física. Ele não está dizendo, fisicamente, como eu posso voltar ao passado e nascer? Ele sabe do que Jesus está falando. Ele simplesmente está usando o mesmo tipo de linguagem disfarçada, do tipo que tem em parábolas dos meshal, o tipo de fala que eles usam. E ele está usando a mesma metáfora, os mesmos termos descritivos que Jesus está usando e ele está dizendo como que alguém que está por tantos anos em uma religião, há tantos anos seguindo o mesmo código, há tantos anos assim e que agora é um Fariseu e um rabino e um mestre da lei, como essa pessoa pode voltar e desfazer tudo isso e começar de novo.

É isso que ele está dizendo. E se você já testemunhou para um Judeu ortodoxo, não importa quantos anos a pessoa está ali, você vai entender essa mentalidade. Como eu posso desvendar essa busca de religião que durou uma vida inteira e começar tudo de novo, é isso o que está na mente de Nicodemos. Ele consegue entrar novamente no ventre de sua mãe e nascer de novo? E nesse ponto ele não está dizendo o que ele realmente quer dizer. Ele está falando isso para ser consistente com a analogia que Jesus estava usando. Como eu posso nascer de novo espiritualmente? Ele sabe que Jesus fala espiritualmente. Como eu posso fazer isso? Como que isso pode acontecer? E Jesus responde a ele, basicamente, você não consegue fazer isso.

Você não consegue Nicodemos,”em verdade, em verdade te digo que, quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus”. Ele disse, você não consegue fazer isso, tem que ser feito pela água e pelo espírito. Tem que ser feito por um poder e um recurso fora de você. E esse poder é o da água e do espírito. Ao que isso se refere? Essa é a água da salvação, eu acredito que se você voltar um pouco para Ezequiel 36, você vai ver que Jesus está falando com Nicodemos usando termos muito conhecidos, ele conhecia o Antigo Testamento. Ele conhecia a promessa de Ezequiel 36, versículo 25, “ eu aspergirei água pura sobre vós”.

Quem é o “eu”? Deus. Esse é um ato soberano. “E ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei”. O que ele está dizendo a Nicodemos é isso, número um, você precisa ter uma limpeza soberana feita por Deus. Em segundo lugar, isso vem do Espírito Santo. Você precisa de uma salvação soberana que vem de fora. Assim como Ezequiel profetizou, água pura, purificando a sua imundícia. Paulo escreve para Tito e fala sobre lavar com água pela palavra. A água da regeneração, versículo 26, “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne”, e depois ele diz, “Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis”.

Então quando Jesus diz a Nicodemos que você precisa nascer da água e do espírito para entrar no reino, ele está fazendo com que Nicodemos pense em Ezequiel 36 e está dizendo, sabe o que o profeta diz, você precisa de uma purificação soberana que vem de Deus e não vem de você e a colocação do espírito santo Dele em seu coração para te dar uma nova vida e um novo coração e uma nova motivação. Por quê? Versículo 6, se você tentar fazer você mesmo, o que é nascido da carne é o que? A única coisa que você vai conseguir produzir é o que? Mais de você mesmo. Mas o que é nascido do Espírito é o que? Espírito. Então ele diz não te admires de eu te dizer isso. Depois ele diz, “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito”. Sabe o que ele está falando ali? Ele está falando, eu não posso te dizer quando o Espírito Santo faz isso, mas esse é um ato soberano do Espírito Santo. Não pode ser mapeado. Você nem consegue ver quando vem ou vai, mas o espírito de Deus se move onde quer e dá novo nascimento para quem ele deseja como um Deus soberano pela ação do espírito, pela purificação pela água pura da palavra na regeneração. O que você precisa Nicodemos, é de uma nova vida e esse é um ato soberano de Deus. Exatamente o que Jeremias 24 disse no versículo 7 onde Deus disse, “Dar-lhes-ei coração para que me conheçam”.

Uma nova natureza, um novo coração, uma nova vida. 2 Coríntios 5:17, “se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. Então o que eu estou dizendo aqui é que um novo nascimento é essencial. E isso é a salvação. É Deus soberanamente descendo até um pecador e pela sua graça ele purifica esse pecador e planta o seu espírito naquele pecador para que a purificação desse pecador cuida do relacionamento dele com Deus e esse plantar do espírito toma conta do poder dessa pessoa para que ela viva na vontade de Deus. E esse é o propósito da regeneração.

Agora eu gostaria de fazer quatro perguntas sobre o nosso versículo, Tiago 1:18, vamos voltar lá. O que falamos até agora foi só uma introdução. Tiago 1:18, eu gostaria de fazer quatro perguntas a vocês sobre a regeneração. Perguntas simples e não vai levar muito tempo para responder as quatro. Primeira pergunta, o que é? Você acabou de dizer que o homem não pode conhecer a Deus sem a santidade. Pessoas não são santas. As pessoas não reconhecem sua falta de santidade e quando reconhecem, geralmente elas colocam a culpa em Deus. Como que essas pessoas saiam desse dilema? Aqui está a pessoa culpando a Deus, ou não reconhecemos sua falta de santidade. Como que essa pessoa vai mudar? Você pode pensar, Ah, outra pessoa pode fazer com que essa pessoa chegue a padrões mais altos, com ética melhor, uma lei que ela precisa cumprir e essa pessoa faz isso sozinha”. Não. Carne produz mais carne. Então o que acontece é que ele precisa da intervenção divina de um Deus soberano, que por seu espírito entra, purifica ele de seus pecados, planta uma nova vida nele. Entrega a ele o seu próprio espírito para energizar uma nova vida para a obediência, esse é um ato soberano. Isso realmente é regeneração. Mas vamos entrar nesse versículo e olhar para essas quatro perguntas. Primeira pergunta, O que é? Qual é a natureza de nossa regeneração? E eu já indiretamente toquei nesse assunto, na verdade já cobrimos uma grande porção, mas só essa frase, “segundo o seu querer, ele nos gerou”. Essa é a natureza da regeneração.

É Deus nos gerando, nos fazendo nascer como novos seres. Você não é o mesmo. Você é uma nova criatura. É o mesmo verbo, aliás é exatamente o mesmo verbo usado no versículo 15. Deus, quando ele gera, ele traz regeneração, gera uma nova vida, é o mesmo verbo. Está no tempo verbal Eros então ele olha para o evento da salvação quando nós nascemos pelo pai divino e quando foi dada a nós uma nova vida como filhos de Deus. Se você quer uma definição técnica de “ele nos gerou” aqui está uma que eu considero excelente. O teólogo Berkhoff deu essa definição muitos anos atrás, mas realmente explica bem. “Regeneração é, aquele ato e Deus pelo qual o princípio da nova vida é implantada no homem e a disposição governante de sua alma se torna santa”. Essa é uma definição maravilhosa. Regeneração é, aquele ato e Deus pelo qual o princípio da nova vida é implantada no homem e a disposição governante de sua alma se torna santa. Isso é uma transformação total. Não se parece nada com Romanos 3, não é nem com Efésios 2 de 1 a 3. Aliás, Pedro diz, que nós nos tornamos co-participantes da natureza divina. Deus nos dá sua própria vida, seu próprio ser, seu próprio caráter justo, sua própria santidade e implanta isso em nós, que pensamento tremendo. Como um cristão, você possui a natureza de Deus, 2 Pedro 1:4. Somos co-participantes da natureza divina. Em sua plenitude, nós ainda vamos receber tudo o que isso implica, mas o princípio de vida nova já foi plantado em nós. Isso é completado em um momento específico. Não é um processo. É um evento. É um ato onde Deus te cria de novo. É uma obra secreta. Não pode ser percebida. Por isso nós não conseguimos, usando as palavras de Jesus, separar o joio do trigo, porque esse ato em particular é imperceptível. Só é conhecido em seu efeito. Não conseguimos ver Deus recriar uma pessoa. Esse milagre divino não consegue ser visto com olhos humanos.

Mas isso planta na pessoa um princípio de vida nova e uma disposição nova que é capacitado e conduzido para manter a lei de Deus. Maravilhoso. Supera a morte do pecado. E a fatalidade do pecado. Nós não somos mais sujeitos ao pecado, Paulo diz em Romanos 6, o pecado não tem mais domínio sobre nós. Agora seguimos um novo mestre dispostamente e ansiosamente.

Jesus diz em João 10, Eu vim para que tenham o que? Vida. O que os homens mortos mais precisam? Vida. E então ele vem para nos dar uma nova vida. Então o que é regeneração? O que é? Ele nos gera. O que isso significa? Ele nos deu uma vida nova. Total transformação do ser interior. Segunda pergunta, Quem faz? Bom, eu já respondi isso usando o texto de João 3, quem faz? Vamos olhar no versículo 18 mais uma vez, “segundo o seu querer, ele nos gerou”. “Ele” aqui está se referindo ao pai mencionado no versículo 17 como a fonte de toda boa dádiva e todo dom perfeito. “Segundo o seu querer”, no grego, é a primeira frase do versículo, que coloca esse trecho em uma posição enfática nos mostrando que a vontade soberana de Deus é a raiz dessa nova vida. Não podia ser de nenhuma outra forma, porque como uma pessoa morta vai dar vida a si mesmo? Impossível. A fonte de vida nova é Deus. Deus. É a graça de quem dá, não o desejo de quem recebe. Esse desejo de quem recebe é incitado pela graça de quem dá. Então é plenamente a obra e a escolha do Deus todo-poderoso.

Se eu sou salvo, e você é salvo, quem recebe todo o crédito? Deus recebe. Nós louvamos a ele. Vamos voltar para João 1:12 e eu quero mergulhar um pouco mais nesse pensamento. Você pode perguntar, “mas eu não recebi a Cristo? Eu não cri”? Claro que sim. Você se estendeu e recebeu a Ele e creu. Olhem no versículo 12 de João 1, “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome”. Você diz, “ta certo isso, eu acreditei e eu recebi. Eu não fiz isso? Não fui eu que comecei”? Olhem agora no versículo 13, “os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”. De quem? De Deus. Você creu e você recebeu porque foi da vontade de quem? De Deus. É uma coisa soberana. Sim você creu. Sim, você recebeu. Mas por trás disso tudo estava a vontade soberana, determinativa e graciosa de Deus.

Nenhuma criança nasceu no mundo porque ele ou ela queria nascer. Não é verdade? O nascimento de uma criança é estritamente a decisão dos pais, não das crianças que ainda não nasceram. Nascimento espiritual é uma analogia disso. É a decisão do pai soberano. Nenhuma pessoa vem até mim, disse Jesus, a não ser que o Pai faça o que? A não ser que o pai o trouxer. E até a fé que exercitamos é dada graciosamente por Deus. Então nossa experiência consciente de conversão, nossa experiência consciente de entregar a nossa vida a Jesus Cristo, de crer em sua morte e ressurreição, em abrir os nossos corações para receber Ele, de crer no evangelho, tudo é uma conseqüência de sua vontade soberana.

Amados, quando você para pra pensar que você é salvo porque ele predeterminou na eternidade passada que Ele iria te salvar, isso é uma coisa maravilhosa. Deus em sua graça e em seu amor predeterminou ter um relacionamento de amor íntimo e eterno com você simplesmente porque Ele quis, maravilhoso. João colocou isso da seguinte forma, “nós o amamos porque Ele nos amou primeiro”. Uma criança ama os pais como uma resposta do amor e carinho que recebeu e por causa da vida que eles deram àquela criança. E porque era da vontade de Deus nos salvar, porque era da vontade de Deus nos dar uma vida nova e uma natureza santa, é absolutamente impossível, Tiago diz que ele nunca poderia nos levar ao pecado. Você vê como isso é absolutamente incompatível? Que pensamento emocionante. Ele nos predestinou para ele colocar o seu amor em nós.

Para nos dar uma vida nova para que nós possamos ter uma comunhão eterna com ele e ele anseia que estejamos em sua presença e quando nós entramos em sua presença, ele vai nos fazer ser como o seu próprio filho e ele vai derramar bênçãos eternas sobre nós para sempre e sempre e sempre. Por isso que João diz em 1 João 3, “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus”. Ele nem consegue pensar em um adjetivo. É absolutamente indescritível. Ele simplesmente diz, “que grande amor”, ele nem conseguiu pensar em um adjetivo para descrever esse tipo de vontade de amar predeterminada e soberana.

Voltando para Tiago 1:18, só mais um pensamento sobre esse ponto em particular, quando fala do querer de Deus, ele usa a palavra boulētheis, que está no particípio aoristo. Não é só um desejo, mas é uma vontade ativa de realização. Não é simplesmente Deus desejando isso, como se fosse ele desejando que fôssemos salvos. A vontade dele que sejamos salvos é tanta que isso realmente acontece. Eu posso dizer alguma coisa para você que é profundamente teológico? Isso é o que nós diríamos sobre a vontade produtiva de Deus. Quando é a vontade dele fazer alguma coisa, acontece. Não é um desejo. Você pode desejar um coisa, ahh como eu gostaria que isso acontecesse, e o que você deseja pode não estar relacionada com o que acontece. Ou você pode dizer, é a minha vontade que isso aconteça porque está em seu poder para fazer isso acontecer ou não. É a intenção da palavra aqui, o querer de Deus produz o que Ele quer. Então o que é a regeneração? É Deus nos recriando. Quem faz? Deus faz com o seu poder soberano e nós respondemos a sua graça soberana. Terceira pergunta, okay, nós perguntamos “o que” e “quem” agora vem o “como”. Como isso acontece? Como isso acontece?

Você diz, “Deus simplesmente desce e bang você está salvo, Deus simplesmente acerta em você? Como que isso acontece”? Bom, vamos voltar e olhar no versículo 18, “Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou”, aqui está o ponto importante, “pela palavra da verdade”. Ou literalmente a palavra que pertence à verdade. A palavra da verdade. Isso significa que é a palavra de Deus, as Escrituras. Deus nos regenera e nos purifica e nos limpa e nos dá um novo ser interior e planta um espírito em nós através do poder de sua palavra. Sua palavra. Pessoas nascem de novo pelo poder da palavra. Se você não ouve a palavra, você não escuta a mensagem que salva. Em 1 Tessalonicenses 2:13, Paulo está parabenizando os tessalonicenses por como eles responderam com a pregação da palavra de Deus. Ele diz, “tendo vós recebido a palavra que de nós ouvistes, que é de Deus, acolhestes não como palavra de homens, e sim como, em verdade é, a palavra de Deus, a qual, com efeito, está operando eficazmente em vós, os que credes”. É a palavra que opera em uma coração que crê. Deus, soberanamente, age para redimir. A pessoa responde a exposição da palavra com fé e a salvação acontece. A vontade de Deus da salvação é levada ao coração da pessoa através de um entendimento da palavra misturada com a fé e assim a regeneração acontece. Como isso acontece? Acontece através da Palavra de Deus. E mais uma vez, eu te lembro de Tito 3:5, “não por obras de justiça praticadas por nós”. Nós não recebemos a salvação e a vida nova por causa das coisas que fazemos, tentando obedecer a Deus na carne, “mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”. Elas são as mesmas duas coisas, o lavar na água e o plantar do Espírito Santo. Esse é a obra soberana de Deus. Então, a palavra da verdade é a questão aqui.

Agora eu só vou aprofundar mais um pouco na frase, a palavra da verdade. Essa designação específica é usada algumas vezes no Novo Testamento. Em 2 Coríntios 6:7, e você não precisa abrir nesses textos, eu vou só ler eles para vocês. Lá diz, “na palavra da verdade, no poder de Deus”, e por aí vai. Em Colossenses 1:5 diz, “da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho”. Pela palavra da verdade do evangelho. E ali a palavra da verdade é especificamente ligada ao evangelho. Aliás, 2 Timóteo 2:15 também menciona a palavra da verdade, “que maneja bem a palavra da verdade”. Então a palavra da verdade, no geral é a Palavra de Deus.

É aquilo que Deus traz até nós para desvendar um entendimento para nós de sua revelação própria. Mais especificamente, nos baseando em Colossenses 1:5, podemos chamar isso da palavra de verdade do evangelho. Com isso em mente, voltamos para Tiago e nós podemos simplesmente dizer que nós não estaríamos errados em dizer que nós nascemos de novo com a palavra da verdade, não somente com a revelação geral de Deus, mas como em Colossenses 1:5, sua revelação específica do evangelho. E você pode perguntar, “o que é o evangelho”? São as boas novas de que Jesus veio, morreu e ressuscitou, e então as pessoas são salvas quando Deus soberanamente dá um novo nascimento a eles, para poder dar ma nova natureza a eles para lavar os seus pecados, plantar seu espírito neles. Ele traz a eles um entendimento através do conhecimento que vem do evangelho que é pregado ou que é dado a eles. Isso, misturado com a fé resulta em um novo nascimento. Em Romanos 10:17, e eu só estou citando algumas passagens que vem em mente que eu acho que são relacionados com isso enquanto nós chegamos perto do fim. Mas em Romanos 10:17, você se lembra desse texto? “Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue?” E depois diz, “E como pregarão, se não forem enviados?” E por aí vai. Aqui está falando sobre como nós precisamos de pregadores. Como as pessoas vão ouvir se não há alguém que pregue? Como podemos enviar pessoas se não há uma pessoa para ser enviada? As pessoas precisam de um pregador, “quão formosos são”, citando Isaias, “são os pés daqueles que pregam o evangelho”. É tão importante pregar o evangelho, Por quê? Por causa do versículo 17, A fé vem pelo ouvir, ouvir uma pregação sobre Cristo. Essa seria uma tradução mais correta do grego versículo 10:17, a fé vem de ouvir o evangelho de Cristo, Romanos 10:17. Então, Deus, soberanamente salva alguém entrando na vida dela e recriando essa vida, mas isso acontece quando pessoa vem para ouvir e entender o evangelho e isso é misturado com a fé que traz o novo nascimento. O que é? É uma total transformação. Quem faz? Deus faz pelo seu querer. Como que acontece? Pelo ouvir e crer no evangelho de Jesus Cristo e que ele morreu na cruz e ressuscitou e isso vem pela palavra revelada de Deus. Outra passagem nesse assunto está em 1 Pedro 1. E aqui está a definição do meio, lá diz, “pois fostes regenerados não de semente corruptível,”ele não está falando de um nascimento humano, “mas de uma semente incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente.”

Pela palavra de Deus que vive e é permanente. Porque a carne, você não pode ter um novo nascimento na carne. “Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor;” a carne não pode produzir nada que dura, “a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada”. E novamente ele diz, você é nascido de novo pela palavra e a palavra pela qual você é nascido de novo é o evangelho e o evangelho é a história de Jesus morte e ressurreição.

Então Deus, soberanamente escolhe redimir, descer, purifica o coração, planta o seu espírito, mas para fazer isso, o coração precisa compreender o evangelho como algo pregado claramente e essa compreensão misturada com a fé traz uma nova vida, nova vida. Se alguma coisa vai mudar em nós, Deus deve fazer isso, mas nós devemos responder também, ao evangelho. Isso nos deixa com mais uma pergunta. Por que isso é feito? Por quê? Por que Deus se importa? Nós sabemos o “que”, sabemos “quem”, sabemos “como”, mas “por que” isso foi feito? Qual é o propósito de nos fazer novos? No final do versículo 18, isso é maravilhoso. “Para que fôssemos como que primícias das suas criaturas”. Olha que afirmação maravilhosa. Nós realmente poderíamos gastar muito tempo nessa pergunta. As ramificações disso são simplesmente tremendas, que nós devemos ser, e isso é uma clausula de finalidade, com o propósito de produzir um novo tipo de criatura, é isso que Deus quer. Ele que um novo tipo de criação e nós somos os primeiros frutos disso.

Isso é ótimo. O eu sã os primeiros frutos? Se nós tivéssemos tempo, mas não vamos gastar muito tempo nisso, poderíamos estudar o Antigo Testamento, marcar Êxodo 23:10, Levíticos 23, Deuteronômio capítulo 18, Deuteronômio capítulo 26, que fala sobre as primícias. Quando você plantava uma coisa, Deus disse, “eu quero os primeiros frutos”. As primícias significavam duas coisas, eu quero que as primícias estejam em ordem e eu quero o melhor”.

Quando você colhe o que você plantou, tragam uma oferta para mim e eu quero as primícias da sua colheita e isso vai mostrar que você vive pela fé, porque e você entrega suas primícias, a tendência de uma pessoa que tem plantações é guardar as primícias caso nada mais venha. Então você me traz as primícias e traga o melhor, esses são os primeiros frutos. A primícia de uma colheita completa que vai chegar depois. E é isso o que ele quer dizer aqui.

Ele diz, eu quero, isso é animador, ser a primeira e a melhor indicativa de uma colheita plena que vem depois. Isso é maravilhoso. Agora prestem muita atenção, vocês percebem que o mundo não vai continuar do jeito que está agora? Você sabia disso? Você sabia que estamos indo em direção a uma transformação total do mundo como nós conhecemos? Você sabia que essa operação toda aqui na terra vai se queimar, de acordo com o querer dele? Ele vai fazer uma nova criação, tudo vai nascer de novo, tudo. Homem e mulher e terra e colinas e águas e vegetação e plantas e animais e tudo, aliás, ele vai fazer um novo céu e nova terra, está chegando uma nova criação e nós somos a primeira evidência disso.

E Paulo diz em Romanos 8, o mundo ainda nem sabe o que nós seremos, porque ainda estamos encobertos com a nossa carne e estamos esperando pela manifestação dos filhos de Deus quando se tornar claro para todos o que nós realmente somos. É muito animador pensar no que sou nesse sentido. Eu sou uma amostra como um cristão e você é também, das coisas que ainda estão por vir. Somos simplesmente um primeiro vislumbre dessa nova criação de Deus. Você quer saber como vai ser o futuro? Eu vou te dizer. Vai ser como nós somos, todos novos, por dentro. Vai ser como nós somos depois que formos feitos novos do lado de fora também. Mas nós somos só as primícias. O que é isso? As primícias são a promessa da colheita como um todo. A promessa da colheita toda. E nós somos os primeiros frutos. Que pensamento maravilhoso. Deus diz, eu quero que você se tornem minhas posses especiais. Eu quero que você pertença a mim. Quero que vocês sejam símbolos da nova criação plena que ainda está por vir.

Você percebe que aqui estamos na pequena Grace Community Church nesse pequeno conjunto de tijolos aqui nesta noite e o mundo não tem nem idéia do que nós somos, mas nós só somos as primícias de uma nova criação incrível quando Deus recriar os céus e a terra? Nós só somos as primícias. Em Romanos 8 diz que a criação está clamando e esperando por sua recriação. E nós também estamos clamando pela recriação, não da nossa alma, nós já temos isso, mas do que? Dos nossos corpos onde a carne habita.

Essa vida nova que temos em Cristo é uma amostra da nossa glória futura quando o universo inteiro for criado novamente. Que privilégio maravilhoso que temos. O que é a regeneração? É uma recriação. Nos tornando novos de dentro para for a. Quem faz isso? Deus faz isso com sua soberania. Quando isso acontece ou como isso acontece? Acontece quando nós ouvimos com um coração que crê a palavra do evangelho e então Deus mistura a sua fé com o seu poder soberano e nos transforma. Por que ele faz isso? Porque nós devemos nos levantar no mundo como exemplos vivos de em que direção esse mundo está caminhando quando ele recriar tudo.

Agora colocando tudo isso de volta do contexto de Tiago, tente me dizer agora que Deus quer que pecamos e eu vou responder que você tem um parafuso solto na sua cabeça. Não tem nenhuma forma de Deus querer que você peque. Em nenhuma forma ele tem prazer em seu pecado. Ele te criou para que você fosse um modelo de uma sociedade sem pecado. É isso o que Ele quer. Então quando você pecar, não jogue a culpa nele. Coloque a culpa onde deveria estar, em sua carne e anseie pelo dia em que sua carne será redimida.

É isso o que significa nascer de novo e nós temos muita razão para agradecer a Deus. Vamos abaixar as nossas cabeças em oração. Pai nosso, nós intitulamos nossa mensagem essa noite de Nascido para a Santidade. E nós realmente estamos comprometidos em fazer isso. Nós fomos feitos novas criaturas para que aqueles de nós que éramos ímpios nos tornassem santos. Que verdade tremenda é essa. Pai, nós te agradecemos tanto por nos fazer símbolos de sua nova criação. E pai, nós oramos para que possamos brilhar como luzes no mundo.

Que nós possamos, os que foram redimidos, que possamos ser gratos para que vivamos de tal forma para que representemos bem a nova criação completa da qual nós só somos os primeiros frutos. Nos perdoa pelas vezes que colocamos a culpa em Ti pelo nosso pecado e nos ajuda a perceber que é o seu desejo nos recriar para a santidade.

E nos ajuda a buscar isso com todas as nossas forças e com o poder do espírito. E pai, se existe alguém em nossa comunidade aqui hoje a noite que nunca veio para Cristo, que ainda não nasceu de novo, que ainda vai receber o princípio da vida. Que ainda não foi mudado em seu interior. Que não foi purificado do pecado, que ainda não recebeu um novo espírito e um novo ser interior. Um novo princípio de vida. Que ainda não recebeu o Espírito Santo para que habite nele. Que não é o seu amado especial e que não pertence a Ti, ou ao seus primeiros frutos e a promessa de um universo todo novo. Ó senhor, que essa possa ser a noite em que ela possa abraçar a Jesus Cristo. Que ela possa crer naquele que morreu na cruz por ela, derramou o seu sangue para pagar a dívida do pecado dela. E que depois ressurgiu no terceiro dia. Para a salvação dela.

Que ela possa colocar sua fé no Jesus Cristo vivo e que possa experimentar aquela graça e misericórdia maravilhosa e soberana e a alegria de fazer parte dos primeiros frutos, exemplos vivos da recriação que ainda está por vir. Ó Deus, ajuda àqueles que te conhecem para viver de acordo com quem devemos ser. E a representar de forma correta para esse mundo o que está por vir no futuro. Nós oramos no nome de Cristo, Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize

Currently Playing

Today's Radio Broadcast

Playlist

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize