Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias em 1 Pedro capítulo 4. Agora chegamos a um novo capítulo no nosso estudo em curso, desta maravilhosa epístola. Chegamos aos seis primeiros versículos deste quarto grande capítulo. Nós estamos em algumas coisas maravilhosas enquanto examinamos este capítulo. Mas, para começar deixe-me ler os primeiros seis versículos de 1 Pedro capítulo 4. "Ora, tendo Cristo sofrido na carne, armai-vos também vós do mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado, para que, no tempo que vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus. Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias. Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão, os quais hão de prestar contas àquele que é competente para julgar vivos e mortos; pois, para este fim, foi o evangelho pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam no espírito segundo Deus."

Gostaria de intitular estes seis versículos de "Uma Memória Que Rejeita o Pecado". Em seu rico livro chamado "As Pragas das Pragas", escrito em 1669, um homem piedoso chamado Ralph Venning escreveu este parágrafo sobre o pecado ouça-o. "Em geral o pecado é o pior dos males, o mal dos males, e de fato o único mal. Nada é tão mau como o pecado. Nada é mau senão o pecado. Como os sofrimentos deste tempo presente não são dignos de serem comparados com a glória que deve ser revelada em nós, assim os sofrimentos desta vida nem do futuro são dignos de serem comparados como mal, com o mal do pecado. Nenhum mal é desagradável para Deus ou tão destrutivo para os homens como o mal do pecado. O pecado é pior do que a aflição, do que a morte, do que o diabo, do que o inferno. A aflição não é tão aflitiva, a morte não é tão mortal, o diabo não é tão diabólico, o inferno não é tão infernal, como o pecado. Isso ajudará a abastecer a carga contra a sua pecaminosidade, especialmente porque é contrária e contra o bem do homem." Então ele diz, os quatro males que acabo de nomear são verdadeiramente terríveis. E de todos eles, todos estão prontos para dizer, ó bom Deus, livra-nos. No entanto nenhum destes nem todos juntos são tão maus quanto o pecado. Portanto, nossas orações devem ser mais para que sejamos libertos do pecado, e se Deus não ouvir nenhuma outra oração, contudo, quanto a isso, deveríamos dizer, rogamos que nos ouça ó bom Senhor." De uma maneira singular com uma estranha mas interessante escolha de palavras, Ralph Venning nos ajuda a entender o mal do pecado. É pior do que aflição. É pior que a morte. É pior do que o diabo. É pior que o inferno.

Agora é verdade que um crente odeia o pecado. É verdade que um crente deseja fugir do pecado. É verdade que um crente deseja ser libertado do pecado. Todos nós em um momento ou outro, em nossas vidas, de uma forma ou de outra, em algumas palavras ou outras, clamou "Oh homem miserável que eu sou. Quem me livrará do corpo desta morte?" Nós todos clamamos contra a nossa própria miséria. Todos nós desejamos, em algum ponto do tempo, ser libertos da escravidão do pecado. Agora vem a questão, pois o pecado é o mal de todos os males, sim de fato o único mal, e uma vez que o odiamos e desejamos ser livres dele como podemos evitá-lo?

O que é exigido de nós se quisermos ficar longe do pecado? Bom, obviamente seria o maior esforço da nossa vida, você não concordaria com isso? É o maior esforço da vida de cada crente evitar o pecado. Agora, a fim de evitar pecar devemos ter três perspectivas, num sentido temos de viver em três tempos: futuro, presente e passado. Alguns diriam-nos a fim evitar o pecado você tem que ter um olhar futuro. O que queremos dizer com isso? Você tem que estar observando essa tentação que ainda não chegou. Mas você tem que estar pronto para que não seja pego desprevenido. Você tem que olhar para o futuro. Você precisa fazer o que os discípulos não fizeram e Jesus disse a eles, vigiem e orem para que não entrem em tentação. Temos de estar em alerta. Temos de ser vigilantes, cuidadosos, sempre olhando para frente, antecipando o que pode vir andando, com circunspecção, caminhando sabiamente à luz do perigo à nossa frente.

Nós também temos que ter um olhar para o presente momento. Não só estamos olhando para frente, antecipando o que pode vir, mas estamos olhando para o tempo presente, o que está nos cercando, de modo que não somos enganados inconscientemente no pecado. Paulo nos recorda em Romanos 12:9 ele diz, "Detestai o mal, apegando-vos ao bem." Isso está no tempo presente, o que você vê que é mal, deteste isso. O que você vê que é bom apegue-se a isso. Paulo disse, "Não vos deixeis vencer pelo mal mas vencei o mal com o bem." Paulo disse em Romanos 13:14, "revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências". Constantemente olhando para o futuro, antecipando o que poderia vir do pecado. Estamos também avaliando cuidadosamente o presente para que possamos evitar o pecado.

Mas há também a necessidade de olhar para o passado. Uma das faculdades mais importantes para lidar com o mal de todos os males, na verdade o único mal, é uma boa memória, uma boa memória. E isso é realmente o que está nas palavras de Pedro aqui. Ele está nos chamando a lembrar algumas coisas que nos permitirão evitar o pecado. A chave para a passagem está no versículo 2 onde Pedro diz que devemos viver o resto do tempo em que estamos nesta carne, não mais pelos desejos dos homens, mas pela vontade de Deus. Devemos viver o resto de nossas vidas evitando o pecado e vivendo a vontade de Deus.

Agora, para fazer isso, sim devemos olhar para frente e antecipar atentamente o que poderia vir, e sim temos de nos informar do tempo presente, mas o ponto principal de Pedro é que devemos olhar para trás, devemos ter uma boa memória. Agora, lembre-se de onde estamos antes de cavar este texto em particular. Toda esta epístola é escrita para pessoas que estão sofrendo. E chegou a um certo clímax, na verdade, no final do capítulo 3. E o clímax estava lá, que Pedro estava dizendo, que em todo o seu sofrimento, lembre-se disso, o sofrimento pode ser triunfante. Você pode ser um vencedor mesmo no sofrimento, e o modelo para isso é quem? Cristo. E ele nos mostra no capítulo 3 versículos 18 a 22 como Cristo triunfou no meio do sofrimento injusto. Na verdade ele ganhou sua maior vitória no momento de seu maior sofrimento. E observamos em nossos últimos estudos que quando Jesus estava sendo injustamente morto na cruz, quando estava sendo injustamente tratado, quando estava sendo punido, o resultado do ódio, o resultado da rejeição, no mesmo momento em que ele estava sofrendo um tratamento injusto, morrendo o justo pelos injustos, ele estava triunfando sobre o pecado.

Ele estava triunfando sobre as forças demoníacas do inferno. Ele estava triunfando sobre o julgamento de Deus e ele estava ganhando para si a supremacia final, como diz no versículo 22, de estar sentado à direita de Deus. Assim, no momento de sua morte ele triunfou sobre o pecado. Ele triunfou não apenas sobre o pecado mas triunfou sobre as forças demoníacas do inferno. Ele triunfou sobre o julgamento de Deus que ele suportou e saiu vitorioso e triunfou sobre todos os seres criados. E foi em todo seu maior sofrimento que ele ganhou seu maior triunfo. O ponto de Pedro é que quando você vir o seu sofrimento, lembre-se que talvez seja o momento de seu maior triunfo. Assim foi com o sofrimento de Cristo e assim pode ser com você também.

Agora, com isso em mente, vejamos o versículo 1. "Ora" que obviamente nos liga ao que ele acabou de dizer no capítulo 3. Uma vez que Cristo sofreu na carne, armem-se também com o mesmo propósito. Esse é realmente o somatório do que ele acabou de dizer, é por isso que o "ora" está lá. Você viu Cristo sofrer na carne e seu sofrimento foi triunfante, então arme-se com o mesmo propósito. Qual propósito? Estar disposto a sofrer na carne sabendo que produz potencialmente o maior triunfo. Essa é uma declaração maravilhosa, e essa é a aplicação de tudo o que foi dito antes. É melhor sofrer por Cristo do que sofrer com o mundo. É melhor porque, em nosso sofrimento por causa da justiça, quando sofremos por fazer o que é certo, quando sofremos injustamente, quando somos perseguidos e tratados injustamente e asperamente, é esse mesmo sofrimento que pode produzir nosso maior triunfo espiritual, então nós devemos armar-nos com o mesmo propósito.

Agora deixe-me olhar mais especificamente para esta declaração para que você entenda porque o versículo em si pode parecer, de início, um pouco difícil. Por favor, note essa primeira afirmação, "tendo Cristo sofrido na carne". Isso significa simplesmente que Cristo morreu. É disso que está falando. Está falando sobre sua morte. No versículo 18, do capítulo 3, diz que Cristo morreu, no início do versículo. No final do versículo diz que ele foi morto na carne, estando morto na carne, no versículo 18, e sofrimento na carne, aqui no versículo 1, ambos se referem à mesma coisa. Referem-se à sua morte. É disso que Pedro está falando.

Uma vez que Cristo morreu, implícito está que teve tão grande triunfo em sua morte, então arme-se também com o mesmo propósito. Agora, o que queremos dizer aqui por este arme-se a si mesmo, bom, é um termo militar, corretamente traduzido. Refere-se a um soldado que posiciona suas armas para lutar. E em Efésios 6:11, uma forma dessa palavra é traduzida como armadura. Ou toda a armadura de Deus. Coloque sua armadura. Arme-se. Pegue suas armas, para quę? Para uma batalha. Sua vida vai ser uma batalha e você precisa estar armado com esta arma final. O que é isso? Armem-se também com o mesmo ennoia no grego o que isso significa? Mesma mente, mesma idéia, mesmo princípio, mesmo pensamento. O que você quer dizer com isso?

Ouça com muito cuidado arme-se com a mesma compreensão, a mesma idéia, e o mesmo princípio que se manifestava no sofrimento de Cristo. O que é isso? O princípio de que mesmo na morte eu posso o quê? Triunar. Essa é a ideia. Arme-se com esse grande pensamento. Em outras palavras, esteja disposto, ouça atentamente, esteja disposto a morrer. Arme-se com esse grande pensamento que é exatamente o que eu acredito que Pedro está dizendo aqui. É uma afirmação muito simples. Cristo morreu e você precisa armar-se com a mesma idéia que você também está disposto a morrer porque você entende que na morte há triunfo. Agora você tem uma alternativa se você é perseguido e eles ameaçam a sua vida, você pode simplesmente negar.

Você pode simplesmente negar a Cristo. Você pode simplesmente se safar. Mas isso não é uma opção, não é mesmo? Então o que ele está dizendo aqui é, veja, o que Jesus disse em João 16 vai acontecer em muitas de suas vidas, alguns de vocês vão ser perseguidos, alguns de vocês vão ser mortos. Alguns de vocês vão ser mártires, armem-se com essa idéia. Assim como Cristo estava disposto a morrer, porque ele sabia que havia triunfo lá, você tenha o mesmo pensamento, de estar disposto a morrer por causa da justiça, porque você sabe que pode ser triunfante.

Agora, deixe-me dizê-lo simplesmente, voluntariamente aceite o potencial da morte como parte da vida cristã. Agora, esse é um pensamento novo para você? Não deve ser. Mateus capítulo 10 versículo 38 e 39, Jesus disse isso, pegue a sua quê? Cruz e siga-me. E ele disse, "e quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim", de ser meu discípulo. O que ele quis dizer com isso? O que ele quer dizer com tomar sua cruz? O que isso significa? Isso significa estar disposto a morrer. Não há nada místico sobre isso. Não é alguma dedicação espiritual de que ele está falando. Quando ele disse que estejam dispostos a negar a si mesmos e tomar a sua cruz, eles sabiam exatamente o que ele queria dizer, porque a cruz era onde as pessoas eram executadas. Ele estava dizendo esteja disposto a morrer por mim. Esteja disposto a dar a sua vida. E para muitos, muitos cristãos isso tem sido uma realidade. Paulo disse francamente 1 Coríntios 15:31 "Dia após dia, morro!" O que ele quis dizer com isso? Eu estou vivendo na borda. Em 2 Coríntios capítulo 4 quando ele falava sobre o caráter de seu próprio ministério ele disse somos perseguidos. Somos atingidos, estamos sempre carregando no corpo a morte de Jesus. Estamos constantemente sendo entregues à morte por amor de Jesus, a morte atua em nós, em outras palavras, ele estava sempre à beira da morte, e um dia ele morreu por Cristo, não foi? Mas ele estava pronto para isso.

Lembra-se de quando escreveu sua última carta? Ele disse, estou pronto para ser oferecido. Você vê, ele se armou com a mesma idéia. Ele tinha olhado para a morte de Cristo e viu Cristo triunfar nela, e assim se armou com a mesma idéia, que eu estou disposto a morrer por Cristo. E Pedro, como Paulo, tem a mesma coisa em mente. Vocês descobrirão, queridos amigos, que essa é a arma definitiva, que é a arma definitiva.

Diga, o que você quer dizer que essa é a arma definitiva? Veja, se o pior que eles podem fazer para você é matá-lo, e do seu ponto de vista, o melhor que pode acontecer com você é morrer, então você acabou por frustrá-los. Essa é a maior arma que você possui. Você vê, é por isso que tantos mártires ao longo da história da igreja têm estado dispostos a morrer, porque eles se armaram com a mesma idéia que há um grande triunfo na morte. Jesus morreu e triunfou sobre o pecado. E se eu morrer, veja isso no versículo 1, "Pois aquele que sofreu na carner", o que significa essa frase? Que morrer, cessou com o pecado. Você pegou isso? A morte é tão ruim? Sabe o que acontece quando você morre? O que acontece? Você não peca mais. Isso é bom. Porque você odeia o pecado e gostaria de ser libertado do pecado, você gostaria de ser piedoso, virtuoso, puro, santo e impecável. E você vê, se estou armado com o objetivo de ser liberto do pecado, e esse objetivo só é alcançado através da minha morte, o máximo que qualquer coisa ou que alguém faça contra mim é me matar, eles só podem trazer o que é mais precioso para mim. Então eu os frustro. Então ele está dizendo a esses cristãos perseguidos para procurarem o triunfo na morte. O pior que o mundo hostil, perseguidor pode fazer, é matar o crente e se o crente está disposto a morrer então isso não é ameaça.

Você lê o Livro de Mártires de Foxes, ou lê a história de John e Betty Stam, ou lê a história dos missionários no Equador, ou ainda mais missionários contemporâneos que foram realmente mortos por causa de Cristo, ou pessoas em terras comunistas, ou pagãs cujas vidas foram tomadas por causa de sua fé em Cristo, e você pergunta a si mesmo, como é que eles poderiam suportar isso e a resposta é porque eles vêem a morte como o triunfo, eles se armaram com essa idéia porque eles sabem que na morte eles deixam de pecar, então a morte tem sobre eles uma certa doçura, não é mesmo?

Aquele que morre deixou de pecar. É um verbo no tempo perfeito e enfatiza um estado ou condição. Você entra em uma condição, em um estado permanente e eterno livre do pecado. Isso é ruim? Não se esse é o objetivo da minha vida. O que estou tentando fazer durante toda a minha vida cristã? O que estou tentando eliminar na minha vida? Pecado. De uma só vez ele se foi. Então se eu tenho essa idéia na minha mente, ei, me mate e eu vou estar onde eu estou tentando conseguir. Livre do pecado. Então todo o medo se foi. Todas as ameaças estão fora de perseguição.

Quando um crente morre ele entra em uma condição permanente de estar livre do pecado. Cristo é o modelo disso. Isso foi verdade para Cristo, aliás. Você diz, "espere um minuto, ele não era um pecador". Isso mesmo, ele nunca pecou, ele era sem pecado, mas ele veio, e ouça com atenção, ao mundo e diz em Romanos 8:3, na semelhança de carne pecaminosa. Ele veio não somente na semelhança de carne pecaminosa, mas por causa do pecado. E então ele se submeteu a homens maus, fazendo coisas más, para que ele assim, sentisse o peso do pecado, não foi? E então na cruz, 2 Coríntios 5:21 diz que ele foi feito pecado e 1 Pedro 2:24 diz ele levou o nosso pecado. Ele veio na semelhança da carne pecaminosa. Ele veio para receber o pior mal que os homens pecaminosos poderiam fazer com ele. Ele foi para a cruz e foi feito pecado e suportou o pecado mas quando ele morreu ele foi o quê? Liberto do pecado. E tudo o que ele sofreu em sua encarnação chegou ao fim. Ele não estava mais na semelhança da carne pecaminosa. Ele tinha um corpo glorificado. Ele nunca mais será submetido às más ações por pessoas más e demônios. Ele nunca mais suportará o pecado, foi de uma vez por todas.

E assim Cristo também em sua morte cessou do pecado. Ele não tem mais nada a ver com isso. Não tem mais nada a ver com ele. E assim diz Pedro armai-vos com o mesmo pensamento. Você quer ter a arma definitiva, então entenda, quando você morrer você estará livre do pecado para sempre. Agora só um tolo olharia para isso e diria, nah, eu prefiro ter o que tenho. Espere um minuto, impossível. Mas amados, a cessação do pecado está relacionada com a morte da carne. Aliás, este vericulo é um dos bons para dar a um perfeccionista. Às pessoas que acreditam que você pode ser perfeito nesta vida, Pedro diz que não, a única maneira de você parar de pecar é quando você está morto. As únicas pessoas sem pecado estão mortas na carne. Morto para este mundo. Todos os que estão vivos neste mundo têm pecado em sua vida, assim Cristo por sua morte foi libertado dos poderes pecaminosos sob cuja influência ele se colocou voluntariamente ao se identificar com o homem na encarnação e ao levar o pecado do homem na crucificação. E eu suponho que isso estava em sua mente, quando diz em Hebreus que ele suportou a cruz pela alegria que lhe foi apresentada. E qual foi essa alegria? Estar para sempre livre do pecado.

E também podemos esperar a morte porque nos liberta do pecado. Apenas para apertar esse pensamento um pouco e torná-lo mais firme em sua mente. Ouça Romanos 7:5. "Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei operavam em nossos membros", enquanto você está na carne as paixões pecaminosas estão como que atuando. Romanos 7:18, "Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne,". Isso está na minha carne. Versículo 23, "mas vejo, nos meus membros, outra lei. Ei, enquanto você estiver vivo neste corpo humano, você tem o problema do pecado, e o único alívio que você terá é quando você deixar este corpo. Quando sua carne morrer.

Ouça 1 Coríntios 15 e você vai ouvir o versículo de comparação o 42, ele está falando sobre a ressurreição, e ele diz nossos corpos são semeadosa corrupção, um corpo perecível, e ressuscita na incorrupção, um corpo imperecível. Semeado em desonra ressuscitado em glória, semeado em fraqueza, ressuscitado em poder. Semeado um corpo natural, ressuscitado um corpo espiritual. Versículo 49, "E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial." Não é até que morramos que teremos esse corpo imperecível honrado, glorioso, poderoso, celestial, espiritual. É aí que o aguilhão da morte, que é o pecado, é para sempre removido. Ele diz mais tarde nesse mesmo capítulo. Agora, amado, se você é um cristão você vai chegar lá mais cedo ou mais tarde, certo? Seria o quanto antes muito ruim, ou você preferiria esperar até mais tarde? E satisfaz a você mesmo permanecer o maior tempo possível em sua carne pecaminosa? Agora você entende por que um cristão profundamente pensante não teme a morte? Estamos indo nessa direção. Todos nós vamos finalmente alcançar a bênção da ausência do pecado, e se você pensar sobre isso você deve estar dizendo, "quanto mais cedo melhor". Agora, uma vez que esse é o nosso objetivo, e como esse é o nosso destino, então não tememos o sofrimento porque o pior que o sofrimento pode fazer é nos matar e nos dar o melhor. O objetivo da nossa vida é levar-nos para a perfeição sem pecado.

Agora, se alguma vez você estiver sendo queimado numa estaca, crucificado de cabeça para baixo, suspenso por pinos entre os tornozelos, ou se você for massacrado e há uma pequena chance muito leve suponho, de você poder simplesmente lembrar seus perseguidores que estão lhe fazendo um favor imenso, pois no processo eles estão conduzindo para a glória perfeita e sem pecado. A qual é para isso que você foi salvo em primeiro lugar, e você pode dar-lhes o seu profundo apreço por esse dom generoso que eles têm prestado em prol da sua eterna perfeição.

Agora se isso soa muito estranho para você isso mostra o quão confuso nosso pensamento é, certo? Agora por que eu quero estar armado com este pensamento? Versículo 2, "para que, no tempo que vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus." Você diz como é isso se conecta? Somente desta maneira, veja, se o objetivo da minha vida é a ausência do pecado, no final, então eu tenho que estar no caminho para isso.

Vou viver minha vida evitando o pecado. Vou viver o resto do tempo em minha carne, até o dia em que eu cessar do pecado através da morte, não mais para os desejos dos homens mas para a vontade de Deus, uma vez que esse é o objetivo da minha vida, ter a minha vida se movendo no caminho certo agora. Então, pelo que devo viver o resto de minha vida? Para evitar o pecado, para viver, essa é a palavra da qual obtemos biologia, ela fala sobre a vida terrena. Devo viver nesta terra, viver a minha existência humana, o resto do tempo que Deus me dá nesta carne, não para os desejos dos homens, mas para a vontade de Deus. O que resta dos anos da minha vida. Tudo o que é deixado para mim neste corpo pecaminoso de carne, já não será para os desejos dos homens, já não será motivado, energizado pela epithumia, você sabe que a palavra forte que significa desejo mal. Eu não vou viver assim mais. Vou evitá-lo pela vontade de Deus. Portanto, esta é uma aplicação muito prática do ensinamento de Pedro. Cristo triunfou em sua morte, você deve a ter mesma mente. De que você está rumando para o triunfo sobre o pecado, e ele não virá a você até sua morte, então, sua morte será o seu maior triunfo, e uma vez que o objetivo de sua vida é a morte que liberta você do pecado, então o tempo presente de sua vida deve ser a busca do objetivo de sua vida que é ser tão livre quanto possível aqui e agora e assim pelo resto do tempo na carne você não perseguirá os desejos de homens. Você persegue a vontade de Deus.

Pedro então está nos chamando a nos esquivar do pecado e a não viver mais movidos por nosso desejo maligno, enraizado em nossa carne, e se você quiser uma boa imagem disso basta lembrar a carta de Paulo à igreja em Éfeso onde ele diz no capítulo 2, descrevendo o não-regenerado, que "estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos." É a maneira como vivemos.

Mas ele diz, agora eu sou um cristão e o resto do meu tempo eu não vou mais viver daquela maneira. Assim o objetivo da vida cristã é evitar o pecado. Agora, Pedro vai nos ajudar um pouco nesta passagem para evitar o pecado não nos dando uma visão para frente, ou até mesmo uma visão do presente, mas fazendo-nos lembrar, chamando nossas memórias. Deixe-me pelo menos dar-lhe dois pontos esta noite, e vamos terminar da próxima vez. Um estímulo muito importante para evitar o pecado, que devemos fazer, pois esse é o objetivo de nossa vida, um estímulo muito, muito importante é uma boa memória. E a primeira coisa que eu gostaria de sugerir que precisamos lembrar é isto, o que o pecado fez a Jesus Cristo. Certo?

Precisamos lembrar o que o pecado fez a Jesus Cristo. Isso deve ajudá-lo a odiá-lo. Isso deve ajudá-lo a evitá-lo. Isso deve ajudá-lo a evitá-lo. Agora enquanto os longos anos de nossa vida passam, até que nos ausentemos do pecado através da morte, durante todo esse tempo, vamos fazer tudo o que pudermos evitá-lo, e para querer evitá-lo creio que você tem realmente quw odiá-lo. E para realmente odiá-lo você tem que entender como ele é. E para entender o que ele é, você precisa começar por ver o que ele fez a Cristo. O que fez a Cristo? Vericulo 1.

Cristo sofreu na carne. Me diga, o que isso fez a Cristo, em uma palavra? Matou ele. Matou ele. Custou-lhe a vida. Você pode desfrutar disso quando você sabe o que fez a Cristo? Quando você percebe que Ele foi feito pecado. Quando você percebe que Ele levou em seu corpo nossos pecados na cruz. Quando você percebe que o corpo diz que ele foi feito uma maldição por nós, maldito é todo aquele que for pendurado no madeiro, em Gálatas. Quando você percebe que ele era o imaculado, puro e santo, segundo membro da trindade, que nunca tinha entrado em qualquer contato com o pecado, e que então foi feito pecado e levou os pecados do mundo em seu corpo, e eles tomaram sua vida e o mataram. Eles o separaram de Deus para que ele clamasse, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Quando você percebe que ele o colocou em uma cruz, os cravos foram atravessados em seus membros, e espinhos foram esmagados em sua cabeça, o cuspe escorria por seu corpo e uma lança foi empurrada em seu lado, quando você percebe tudo isso e que tudo isso foi causado pelo pecado, deveria ajudá-lo a odiar o pecado, certo?

Se você ama a Cristo. Eu vejo pessoas que estão cheias de vingança, porque alguém prejudicou alguém que amam. Às vezes vejo a entrevista de um pai cujo filho foi morto por um motorista bêbado. Um pai cujo filho tenha sido morto por uma doença. Eu vejo um cônjuge que perdeu um parceiro em um crime onde eles eram as vítimas inocentes, e eu ouço a amargura, a vingança, o ódio para com o autor do crime, e como um pai, um marido, um amigo, eu entendo isso. Lembro-me do dia em que bateram na porta ou na minha própria casa, e um homem na varanda com uma faca de açougueiro ameaçando levar Melinda quando ela era apenas uma pequena menina, e eu me lembro dos sentimentos em meu próprio coração e o fato de que eu tinha um bastão de baseball na minha mão, e de fato eu disse a ele, se você passar por essa porta você vai encontrar a sua cabeça na cidade Encino e eu acho que isso mesmo que eu disse.

E eu sei com o que eu teria que lidar, em meu próprio coração, se ela tivesse tivesse aberto a porta, que felizmente estava trancada duplamente quando ela tentou deixá-lo entrar. E eu sei o que eu, como um pai, poderia ter sentido, não fosse pela graça de Deus. Eu entendo que quando algo muito precioso para nós é assaltado, devastado, esmagado e morto, que emerge em nosso coração um ódio disso. Se não um ódio da pessoa, um ódio da ação.

E certamente, se entendemos que o assassinato de Jesus Cristo foi pecado, então deveríamos odiar o pecado. Isso não parece uma conclusão razoável? Assim se você tem uma boa memória pode ajudá-lo a evitar o pecado ,e a primeira coisa a lembrar é o que o pecado fez a Jesus Cristo. Segunda coisa para lembrar, lembre-se do que o pecado fez aos cristãos. Lembre-se do que o pecado fez aos cristãos. Você diz, bom, e o que foi? Bom, eu vou lhe dizer o que fez para nós, causou-nos uma confusão. Na verdade está nos deixando tão mal que nem conseguimos livrar-nos dele até que nós sejamos o quê? Mortos. Você não odeia isso? Gostaria de ter uma semana sem pecado? Nos confundiu todo. Versículo 1 "pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado". O que o pecado nos fez nos infeccionou de tal maneira que a única maneira de sairmos disso é morrer. Por outro lado enquanto estamos vivos somos agredidos por ele. Você leu Romanos capítulo 7, e o apóstolo Paulo está clamando que eu amo a lei de Deus com meu homem interior mas há algo mais em mim. Há algo guerreando com esse amor pelo que é certo. O pecado que está na minha carne, as coisas que eu quero fazer eu não faço e as coisas que eu não quero fazer eu faço. Oh homem miserável que eu sou. Romanos capítulo 8, toda a criação geme esperando a gloriosa manifestação dos filhos de Deus. Você quer saber o que toda a criação está esperando? Morte. E ressurreição. Ela quer uma nova criação, assim como queremos uma nova vida. Não é de admirar o que Paulo disse quando ele escreveu a Timóteo, eu estou pronto. Estou pronto para ser oferecido. Ele diz em 2 Timóteo 4:18 "O Senhor me livrará também de toda obra maligna e me levará salvo para o seu reino celestial." Isso não é bom? Paulo diz, "Estou ansioso para o dia em que eu morrer. Porque quando eu morrer o Senhor me livrará de toda a maldade e me trará com segurança ao seu reino". Não é de admirar que ele disse, "Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé", estou pronto para ir. Tire-me daqui. Eu já tive o suficiente. E algumas pessoas querem viver neste mundo o maior tempo possível.

Tito 2:14 diz que Ele se entregou por nós para nos redimir de toda iniqüidade e purificar para si um povo exclusivamente seu. Vamos ser quem deveríamos ser, certo? Odeio o pecado não só pelo que fez a Cristo, mas pelo que fez aos cristãos. Quer dizer, seria maravilhoso pastorear pessoas perfeitas. Ah, ser um pastor perfeito de pessoas perfeitas. É difícil ser um pastor imperfeito de pessoas imperfeitas.

Ser um líder pecador de pessoas pecadoras. Muito difícil. Muito difícil. E se eu me lembro do que o pecado faz com os cristãos eu vou odiá-lo ainda mais. Eu vou lhe dizer uma coisa, quanto mais tempo você estiver no ministério, tanto mais você o odeia, quanto mais você viver como cristão mais você o odeia. Porque você continua a acumular um arquivo muito, muito grande sobre o que ele faz aos cristãos. Como isso devasta suas vidas para que somente na morte possa haver alívio. Bom, isso é apenas parte do que Pedro diz aqui. Isso é apenas um versículo do que ele diz.

Vamos ter que esperar para descobrir o que mais precisamos lembrar. Vamos nos curvar em uma palavra de oração. Senhor, obrigado pelo lembrete desta noite de que devemos odiar o pecado e armar-nos com a mente de Cristo, que estava disposto a morrer, porque ao morrer ele deixaria de ter qualquer coisa a fazer do pecado. Tudo terminaria. Senhor quando vemos o que o pecado fez com ele, quando vemos o que ele faz para os cristãos, que o odiemos. Podemos odiá-lo o suficiente ao armar-nos com o mesmo pensamento, de que estamos dispostos a morrer, porque morrer é ser liberto do pecado para sempre. Oh felicidade e alegria inimagiável. Pai, nós te agradecemos pela graça que nos concedeu tal dom, para que ficássemos para sempre livres do pecado. Pensar numa alternativa é pensar em um inferno eterno que é a presença eterna do pecado e somente do pecado. Oh, que pensamento horrível e inaceitável. Obrigado pela graça que nos concedeste, a promessa de uma eternidade onde o pecado cessou para sempre.

Que graça. Nós te agradecemos em nome de nosso Senhor, amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize