Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias hoje em 1 Pedro, capítulo 4, para continuarmos no nosso estudo de 1 Pedro. Algumas semanas se passaram desde nosso último estudo por causa de todas as atividades de férias e também da conferência de missões. Mas queremos focar agora em 1 Pedro capítulo 4 para a próxima área para nosso interesse, os versículos 12 a 19. Primeira Pedro capítulo 4 versículos 12 a 19. Não posso deixar de apresentar a vocês o que Pedro estava sentindo quando escrevia esse texto e por que ele disse o que disse.

Em 19 de julho, no ano de 64 d.C, Roma era incendiada enquanto Nero festejava. Esse é um ponto famoso da história. Todos se lembram que Roma ardia e Nero se divertia. Mas isso tem um impacto significativo na redação desta epístola. Deixe-me trazer um pano de fundo para essa história. A grande cidade do mundo antigo foi consumida naquele inacreditável holocausto de fogo. Roma era uma cidade de ruas muito estreitas, com altos parques de madeira. Eles construíram o que hoje seriam prédios de apartamentos, todos em madeira, e perto uns dos outros. O fogo se espalhou rapidamente e, embora tenha começado naquele dia 19, durou três dias e três noites, e isso aconteceu diversas vezes mesmo com os romanos tentando evitar. Os romanos realmente acreditavam que Nero era responsável por queimar sua grande cidade e suas casas. Por quê? Porque Nero tinha uma estranha fixação com construções, e ele queria construir uma nova cidade, e então eles acreditavam que foi ele quem havia queimado a antiga cidade. Ele ficou na Torre de Messinas, observando alegremente enquanto a cidade queimava. Na verdade, diz-se que ele ficou encantado com a beleza das chamas. As pessoas que apagavam o fogo ou tentavam evitá-lo foram impedidas por soldados e novos incêndios foram iniciados. As pessoas estavam absolutamente devastadas. Elas perderam tudo.

O Templo de Luna, a ara maxima, o grande altar, o Templo de Júpiter, o Santuário de Vesta, suas casas, todos os deuses domésticos, tudo desapareceu e todos eles ficaram sem-teto. O ressentimento era enorme. A amargura era profunda e um tanto mortal. E assim, Nero precisava desviar a atenção de si mesmo. Ele precisava de um bode expiatório. Então, ele selecionou um bode expiatório, os cristãos. Então, Nero culpou os cristãos publicamente por queimarem Roma. Francamente, foi uma escolha engenhosa de sua parte, porque os cristãos já eram vítimas do ódio e calúnia. Eles estavam relacionados com os judeus na mente da maioria das pessoas que haviam sido dispersas na diáspora. E como havia um antissemitismo bastante crescente, também era fácil ter uma atitude anticristã. A Ceia do Senhor, que os cristãos defendiam, foi fechada aos pagãos e, assim, eles desenvolveram todo tipo de imaginação estranha sobre o que acontecia. Eles ouviam sobre esses cristãos que estavam comendo carne e bebendo sangue e os acusavam de canibalismo. Na verdade, eles começaram a dizer que se comia bebês e gentios na Ceia do Senhor. Eles também diziam que o beijo de amor cristão, que supostamente era usado em sua festa de amor, era na verdade uma demonstração dessa luxúria e orgia desenfreada que acontecia, chamada de a Ceia do Senhor.

Os cristãos também eram muito impopulares porque dividiam as famílias. Quando um homem se tornava um cristão e sua esposa não, acontecia uma ruptura óbvia, e o mesmo acontecia quando era a esposa que se tornava cristã. Os cristãos também costumavam falar sobre um momento em que o mundo acabaria em chamas, e assim era fácil culpá-los por esse incêndio, pensando que eles haviam tentado desenvolver uma estratégia para o cumprimento de sua própria profecia. E os historiadores nos dizem que, embora houvesse em Roma alguns juízes suficientemente honestos e preparados para absolver os cristãos dessa acusação sem fundamento, esses juízes foram dominados e ignorados. Então, os cristãos eram incendiários, os cristãos eram anarquistas, os cristãos eram culpados de ódio contra a sociedade civilizada. Isso foi o começo do que mais tarde se transformou em uma completa perseguição. Se você for de Nero a Domiciano, Trajano e os outros imperadores romanos, você vai descobrir que o que começou aqui como um ódio inicial aos cristãos, tornou-se uma política fixa. E a questão de descobrir se um homem era cristão tornou-se a parte mais essencial de qualquer acusação contra ele. Com esse resultado, a perseguição começava. Tácito, o historiador romano, informou que Nero rolava os cristãos num em piche ou óleo e depois os incendiava enquanto ainda estavam vivos, e os usava como tochas vivas para iluminar as festas em seu jardim. Ele os servia nas peles de animais selvagens a cães de caça que os rasgariam em pedaços. Eles foram crucificados, e assim por diante.

Os cristãos morreram em um delírio de selvageria naquela época, e até mesmo o linchamento tornou-se muito comum. Em alguns anos, os cristãos foram presos, esmagados, queimados, incendiados, açoitados, fustigados, apedrejados e enforcados. Alguns foram dilacerados com facas quentes e outros lançados em chifres de touros selvagens. O Dr. H.B. Workman, em seu capítulo "César ou Cristo", de um volume muito interessante chamado "Perseguição na Igreja Primitiva", escreveu o seguinte: "Durante 200 anos a partir de Nero, os líderes entre os cristãos foram chamados de anarquistas e ateus, e consequentemente foram odiados. Durante 200 anos, tornar-se cristão significava uma grande renúncia, significava unir-se a uma seita desprezada e perseguida, nadar contra a maré do preconceito popular, da proibição do Império, com a possibilidade de a qualquer momento ser preso e morto das formas mais temíveis. Durante 200 anos, aquele que seguia a Cristo pagava um alto preço e devia estar preparado para pagá-lo com sua liberdade e sua vida. Durante 200 anos, declarar-se cristão era em si mesmo um crime. Ser um cristão era quase o único argumento para o qual não havia perdão. Pois o próprio nome em períodos de estresse, que não foram poucos, significava tortura com a ardente cobertura de piche, ser jogado para o leão, a pantera ou, no caso das mulheres, uma infâmia pior do que a morte.”

Agora, o que é interessante sobre isso com relação a 1 Pedro é que, com base em nossas melhores verificações, , esta carta provavelmente foi escrita logo depois que tudo isso começou, em algum momento por volta do final desse mesmo ano, 64 d.C. Então, essa carta teria sido escrita no momento em que os cristãos estavam passando pelo começo dos horrores de uma perseguição que duraria 200 anos. Quando olhamos para o versículo 12, e chamo sua atenção para isso, não nos surpreende, portanto, ler as palavras de Pedro: “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo". Agora, enquanto nos aproximamos desse texto, vemos que, então, Pedro está chamando a atenção deles para o tema recorrente desta epístola, que é a resposta do cristão ao sofrimento. E ele lhes dá quatro características principais para uma resposta adequada. E se pudermos ser capacitados nessas coisas, isso nos ajudará a lidar com o sofrimento por causa da justiça em nossas próprias vidas.

Pedro diz que basicamente quatro coisas são necessárias para que sejamos triunfantes em uma prova de fogo. Número um: espere por isso. Número dois: regozije-se com isso. Número três: avalie sua causa. E o número quatro: comprometa-se com Deus. Esperar pela prova, regozijar-se, avaliar sua causa e comprometer-se com Deus. Agora, isto de alguma maneira resume todas as instruções que esta epístola nos deu até agora, ao longo das linhas do sofrimento. Muito já foi dito.

Vamos diretamente a esse primeiro ponto. E encontramos no versículo 12: "Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo." O ponto aqui é esperar pelo sofrimento, esperar e não se surpreender com ele. Não pense que é algo estranho, espere. Pedro tem consistentemente dito através desta epístola que a perseguição para o cristão tem várias formas e é inevitável. É inevitável. Na verdade, a surpresa seria se não chegasse. "Não se maravilhe", disse João em 1 João 3:13. "Irmãos, não vos maravilheis se o mundo vos odeia". Não se surpreenda. Em João 15 e 16, Jesus disse que o odiavam; e que também iriam odiar a nós. Paulo, escrevendo a Timóteo, diz que “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos”, 2 Timóteo 3:12. E então, Pedro está realmente ecoando a instrução que outros escreveram no Novo Testamento, de que não devemos nos surpreender quando o sofrimento vier. Vidas santas que vivem em um mundo impiedoso precisam enfrentá-lo e, assim, nos tornamos uma espécie de pessoa indesejada que é desagradável. E, se mencionarmos o nome de Cristo em voz alta, nos tornamos ofensivos. Até mesmo a simples bondade de um cristão pode ser uma ofensa para um mundo perverso. E quando você acrescenta a isso a proclamação do nome de Cristo, nos tornamos particularmente ofensivos. É como se Pedro estivesse dizendo que o sofrimento é o custo do discipulado.

Certamente, Jesus tinha isso em mente quando disse: "Você não vai se tornar um cristão, vai, sem medir o preço? Nem mesmo se constrói uma torre sem calcular o custo. Nenhum general vai à guerra sem calcular o custo e avaliar suas tropas e sua capacidade de lidar com o inimigo”. “E você certamente não seria tão tolo de não perceber que quando você se torna um cristão, você toma uma cruz, e a cruz fala de dor e sofrimento e até de morte”. Existe definitivamente um preço a pagar, porque se você mencionar o nome de Cristo, você se tornará uma consciência para um mundo maligno que não está disposto a acolhê-la.

No capítulo um e na primeira parte do capítulo 2, Pedro falou sobre o sofrimento pela nossa preciosa salvação. Na última parte do capítulo 2 até a primeira parte do capítulo 4, ele falou sobre o sofrimento em nossa situação atual. Depois, ele começa a falar sobre o sofrimento até nossa completa salvação. Mas toda a epístola é sobre o sofrimento. Tendo em vista nossa preciosa salvação, ele disse no início da epístola que o sofrimento não é nada. Tendo em vista nossa situação atual, o sofrimento é muito importante, porque a forma como reagimos a ele determina a eficácia do testemunho cristão. Na perspectiva da Segunda Vinda de Cristo e da nossa salvação final, não há como o sofrimento sequer ser comparado, disse Paulo, com a glória que se revelará em nós. Então, podemos entender até agora na epístola que a preocupação de Pedro é que vejamos o sofrimento na perspectiva correta.

Agora, é inevitável que um cristão fiel venha a sofrer alguma perseguição, e é disso que ele está falando. Ele está falando sobre o sofrimento por causa da justiça, o sofrimento por você ser um cristão, ou sofrer por proclamar o nome de Cristo. Quando introduzimos 1 Pedro, eu dei uma pequena lista, e talvez esta seja hora, mesmo que muitos meses depois, de lembrar a você dessa lista. Uma lista dos tipos de sofrimento que os cristãos sofrem. Essa lista é retirada do Novo Testamento. Mateus 5:10 diz que sofreremos perseguição por causa da justiça. Mateus 5:11 e 12 dizem que vamos suportar injúrias e calúnias. Primeira Pedro 4:4 diz que seremos difamados. Mateus 10 diz que vamos suportar falsas acusações. Mateus 10:17, açoites por Cristo. Mateus 10:14 diz que seremos rejeitados pelos homens. João 15:18 a 21 dizem que seremos odiados pelo mundo. Mateus 10:21 a 36 dizem que ​seremos odiados por nossos próprios parentes. Atos 7:58 diz que alguns de nós aguardarão o martírio. Tiago 1 diz que vamos suportar a tentação. Atos 5:41, suportaremos a vergonha sobre nós por amor a Deus. Atos 14:22, suportaremos tribulações e problemas de todos os tipos. Atos 4, Atos 5 e Atos 12 nos lembram que muitos cristãos sofrerão prisões. Alguns, de acordo com Atos 14:19, poderão ser apedrejados. Segundo Coríntios 11:24 e 25, alguns cristãos sofreram espancamentos. Primeiro Coríntios 4: 9 diz que seremos feitos um espetáculo aos homens. Primeira Coríntios 4 diz que seremos mal interpretados, seremos difamados e seremos desprezados. Segunda Coríntios 6:8 a 10 diz que suportaremos problemas, aflições, angústias, tumultos, trabalhos, vigílias, jejuns e acusações malignas. Agora, essa é uma pequena lista do tipo de coisas que um cristão sofre em uma cultura não cristã. São sofrimentos que recaem sobre os crentes em um mundo caído. Então, devemos ter essa expectativa.

Agora, voltemos ao nosso texto. Ele começa dizendo: "Amados", literalmente, amados, e ele está sendo muito pastoral aqui, mas também está apresentando uma nova seção. A segunda seção da epístola começou no capítulo 2, versículo 11, com a palavra "amados", e agora a terceira e última seção começa no capítulo 4, versículo 12, com a mesma palavra, "Amados". Essa palavra introduz a seção final, que é uma palavra pastoral, uma palavra de ternura, uma palavra de compaixão, uma palavra de carinho, uma palavra de cuidado. Você se lembra que no versículo 22 do capítulo 1, Pedro falou sobre um amor sincero dos irmãos. Então, no capítulo 4, versículo 8, ele falou sobre o fato de que devemos manter um amor fervoroso uns pelos outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados. Bem, aqui ele está exibindo essa compaixão, esse amor fervoroso, esse amor intenso, enquanto ele fala desses crentes neste gracioso termo. É um lembrete de que eles são amados por Pedro; E mais do que isso, eles são amados por Deus. Isso, meus queridos amigos, é um doce travesseiro para descansar uma alma cansada no meio da perseguição. Você ainda é o amado de Deus; você ainda é o amado de um irmão cristão.

Suponho que essa seria uma tentação no meio do sofrimento, no meio da tentação, e quem sabe se alguns dos mesmos cristãos a quem Pedro estava escrevendo estavam sofrendo sob o terrível reinado de terror de Nero? Seria muito fácil, sob esse tipo de situação, questionar o amor de Deus, não seria? Você realmente me ama? Você realmente se importa? Em caso afirmativo, por que isso está acontecendo? Quer dizer, você estaria meio que exigindo seu dinheiro de volta se tivesse adquirido o evangelho da prosperidade, não é mesmo? Você se perguntaria se o que lhe foi dito era verdade. Se alguém veio até você e disse que Jesus iria torná-lo saudável, rico e próspero, e assim que você entregou sua a vida a Jesus Cristo, alguém já estivesse rolando seus filhos no piche e usando-os como tochas em suas festas do jardim? E você pode estar dizendo: "Espere um momento, Deus, isso não parece um Deus amoroso para mim". As circunstâncias podem fazer parecer que você não é amado. Em meio a perseguições como essa, o inimigo tentaria você dizer como a esposa de Jó: amaldiçoe seu Deus e morra, você já não teve o suficiente? Pedro então nos dá esse linda lembrança: “Amados, vocês ainda são os amados de Deus, vocês ainda são os amados do Apóstolo”. Amados, não fiquem surpresos”.

Não se surpreenda se você estiver sendo perseguido. Não fique chocado porque a vida é difícil. Não se surpreenda quando alguém questionar o seu testemunho. Não se surpreenda quando você não puder obter a promoção que deseja no trabalho, quando seus amigos de trabalho forem hostis em relação a você, quando você está sendo zombado, quando você não consegue o que merece. Não se surpreenda quando seus vizinhos parecem ter algo contra você por um motivo que você não pode entender. Não fique surpreso. Não se surpreenda. Os cristãos devem entender facilmente que o sofrimento acompanha a fé cristã. Não é incomum, não é estranho. Faz parte. O cristianismo nunca promete imunidade ao sofrimento. Mas promete... Você está pronto para isso? Sofrimento. Sofrimento.

Que tipo de apresentação do evangelho seria feita se, em vez de dizer: “Jesus quer que você seja feliz, alegre e que tenha paz, Ele resolve todos os seus problemas e o torna próspero, rico e saudável”, e tudo isso, mas se disséssemos: “você tem uma necessidade desesperadora de Jesus Cristo para salvá-lo, porque você está a caminho de um inferno eterno, e você tem uma escolha; você pode sofrer para sempre no inferno ou pode se tornar um cristão e sofrer aqui por um tempo”? Porque esse é o ponto principal. Pessoalmente, essa não é uma escolha difícil para mim. Preferiria levar alguns tiros aqui a ter que suportar um inferno eterno. Mas os homens parecem querer viver sob a ilusão de que, se você reivindicar a Cristo, e se você clamar a Cristo, e se você entre aspas “servir a igreja”, Deus eliminará todas as suas dificuldades, todas as suas adversidades, todas as suas dores, todas as suas perseguições. E isso não é verdade. Isso não é verdade. Na verdade, penso que quanto mais eficaz você for para Deus, e quanto mais fiel à verdade divina, mais você estimula a animosidade. Você se torna, para aqueles que creem, um poupador de vida para a vida; mas para aqueles que não creem, você se torna um poupador da morte até a morte.

Então, não se surpreenda com a provação ardente entre vocês. Agora, o que isso significa? Bem, literalmente, o termo usado é “uma ardência”. A palavra é usada para forno. No Antigo Testamento, a Septuaginta, que é a tradução grega do hebraico, ela é usada para o forno. No Novo Testamento, ela também tem a ideia de um forno. No Antigo Testamento, era utilizado um forno de fundição onde o metal era derretido para ser purgado de elementos estranhos. Então, ele está dizendo: não se surpreenda quando Deus o coloca no forno para te purificar. O Salmo 66:10, por exemplo, diz: "Pois tu, ó Deus, nos provaste; afinaste-nos como se afina a prata." Deus, você fez isso. Aqui é um símbolo de aflição, um símbolo de perseguição, um símbolo de rejeição que Deus projeta como um processo de purificação e limpeza. De volta a 1 Pedro, veja os versículos 6 e 7 do capítulo 1 por um momento, porque aqui encontramos o mesmo conceito. O versículo 6 diz: "Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações”, 7 “para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo." E assim, ele diz: Olha, você está disposto a aguentar algumas provações ardentes aqui, porque você sabe que isso irá provar a autenticidade da sua fé, que será recompensada com a volta de Jesus Cristo.

Então, a provação ardente aqui não é apenas qualquer problema. Ele está falando de perseguição por sua fé, perseguição por causa da justiça, perseguição por causa da sua identificação com Jesus Cristo. Mas Deus permite que ela venha. Versículo 12: "que surge no meio de vós, destinada a", o quê? "provar-vos". Deus permite que ela venha porque prova a autenticidade do seu cristianismo. Você se lembra da parábola de nosso Senhor Jesus, a parábola sobre os diferentes solos? E você lembra que algumas sementes caíram em um solo pedregoso? E entraram no solo, e de repente uma planta despontou do chão. Mas a parábola também diz que havia uma rocha debaixo do solo, e as raízes não podiam se mover para baixo para pegar a água e, quando o sol saiu, queimou aquela planta como uma batata frita e ela nunca deu frutos. E nosso Senhor estava descrevendo o tipo de pessoa que ouve a mensagem do evangelho, tem uma resposta emocional, dá uma aparência externa de que recebeu bem a palavra. Mas porque o solo do coração nunca foi realmente arado, assim que a tribulação vem, eles se vão.

Então, isso é exatamente o que Pedro está dizendo. O sofrimento pelo amor de Cristo revela quem é genuíno, certo? Os impostores não vão ficar por aí. É por isso que ao longo dos anos sempre dissemos que a igreja perseguida é a igreja genuína. É por isso que nos preocupamos com a Rússia e a Europa Oriental que agora estão abertas. Assim que esses países se abrem e deixa de haver custo para o cristianismo, você não consegue mais saber quem é real, certo? Assim como nos Estados Unidos da América. Eu estive com um pastor russo com quem pude conversar num domingo à noite, há algum tempo atrás. Eu disse: "Deve ser difícil na Rússia pastorear a igreja". Ele disse: "Não é assim, deve ser difícil na América. Na Rússia, sabemos quem são os verdadeiros cristãos”. Então, o sofrimento vem para nos provar. É uma característica essencial da obra de Deus em você para prová-lo, para purificá-lo, para limpá-lo.

Assim, ele diz, espere pelo sofrimento, e não o trate como se alguma coisa estranha estivesse acontecendo com você. Esse verbo "estivesse acontecendo" é um verbo interessante, sumbainō, que significa cair por acaso. Não pense que quando você for perseguido é algo que acontece por acaso. Não, Deus permitiu e designou isso para sua provação, sua purificação, sua limpeza. Primeiro, ele prova se você é real, e então remove as impurezas da sua vida. A perseguição, a aflição, o sofrimento não são acidentais, nem interferem no plano de Deus. Essas coisas certamente estão no plano de Deus, e devem ser comuns a todos os cristãos. São comuns a todos os cristãos fiéis.

Então, a primeira coisa para lidar com o sofrimento é esperar por ele. Eu diria que isso ajuda muito. Eu espero por isso. Recebo muito ressentimento. Muita rejeição, muita hostilidade vindos para mim. Estar no rádio transmitindo por toda a América o tempo todo não ajuda . Então, temos muita reação. Eu espero isso. E minha expectativa faz com que eu encontre uma zona de conforto. Quando alguém vem e diz: "Você sabe o que eles disseram sobre você? Assim e assim." Eu não sei o que disseram, mas eu espero por isso. Diga-me, o que disseram? Nunca me choca. E se você pode esperar por isso, você pode reduzir seu impacto inicial. É parte do plano de Deus. É a maneira como ele prova a autenticidade de sua fé e é a maneira como ele purifica sua vida. Ele tira todo o orgulho e todo o tipo de altivez, a ilusão de autocontrole, a ilusão de que você pode controlar o seu mundo e todas as suas respostas. Isso te desmantela e te torna totalmente dependente dele, e esse é um bom processo.

A segunda coisa que Pedro quer nos dizer é: alegre-se com isso. Não só devemos esperar por isso, mas quando o sofrimento chega, devemos nos alegrar. Observe os versículos 13 e 14: " Pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus.” Agora, perceba essa pequena frase no versículo 13: “alegrai-vos”. Ela está no tempo presente, dizendo: continue se alegrando. Esta é a atitude certa em meio à perseguição. Esta é a atitude certa em meio à aflição, à rejeição, ou a qualquer coisa que o mundo traz contra você por causa da justiça e pelo bem do nome de Jesus Cristo. Qualquer coisa que venha contra você deve ser motivo de alegria. Lembra-se das palavras do nosso Senhor? Ouça Mateus 5:10 a 12: "Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus". Se você está sendo perseguido por causa da justiça, é prova de que você pertence ao reino do céu. "Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós”. Regozije-se e fique feliz. Isso é estranho, não é mesmo? "Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós." Você está em boa companhia.

Então, você se alegra com isso. Você continua regozijando-se com isso. E você diz: "Bom, qual é a motivação para isso?" Bem, há uma motivação futura e uma motivação atual. Olhe para o texto e veja a motivação futura. Continue se alegrando. No versículo 13 vemos o por quê. "Porque na medida em que você compartilha os sofrimentos de Cristo, então você irá compartilhar Sua glória na Sua revelação." Você pegou isso? Na medida em que você compartilha o sofrimento de Cristo, você irá compartilhar Sua glória. E então, se você continuar se regozijando agora, então você realmente se alegrará.

Vamos agora falar sobre isso. Essa frase que inicia o versículo 13, "pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo", deve ser entendida. O que ela significa? Bem, simplesmente significa, agora ouça, é um pensamento muito simples, você compartilha os sofrimentos de Cristo desta maneira: Jesus Cristo sofreu nas mãos dos homens porque Ele fez o que era certo. Isso não é verdade? Ele não fez o que era errado. Ele não tinha pecado. Jesus Cristo sofreu porque Ele fez o que era certo. Jesus Cristo sofreu porque Ele falou a verdade. Não é que compartilhamos os sofrimentos redentores de Cristo. Não é que compartilhamos os sofrimentos expiatórios de Cristo. Isso não é o que Pedro está dizendo. Ele está dizendo que você é parceiro no mesmo tipo de sofrimento que Jesus suportou, sofrendo por fazer o que é certo, sofrendo por dizer o que é certo, sofrendo por pregar a mensagem correta. Quando age assim, você compartilha esse tipo de sofrimento, sofrimento por causa da justiça.

Portanto, não fique perplexo, não se desanime, e não fique desencorajado porque você tem um privilégio: o privilégio de compartilhar o mesmo tipo de sofrimento que Jesus experimentou. Uau, que privilégio. Agora, Pedro tinha muito a dizer sobre os sofrimentos de Cristo. Você se lembra do capítulo 1, versículo 11, em que ele falou sobre o sofrimento de Cristo? Capítulo 2, versículo 21, em que ele falou sobre o sofrimento de Cristo novamente? Capítulo 3, versículo 18, o sofrimento de Cristo novamente? Capítulo 4 versículo 1, o sofrimento de Cristo na carne? Este é um tema importante para Pedro, e passamos por esse tema em grande profundidade. E o que ele tem em mente é o sofrimento terreno que Cristo suportou nas mãos dos pecadores perseguidores. O sofrimento terreno que suportou nas mãos dos pecadores perseguidores. Então, quando você sofre como um cristão, você está compartilhando esses mesmos tipos de sofrimentos, quando você sofre nas mãos de pecadores hostis, rejeitados, zombadores e grosseiros. E você deve se alegrar. Que privilégio!

Paulo certamente entendeu isso, não é mesmo? Você se lembra do que ele diz no final do capítulo 6 de Gálatas? Ele dá um testemunho que é maravilhoso. Ele diz no versículo 17: "Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus". O que você quer dizer, Paulo? Significa que as cicatrizes que recebi quando as pessoas me chicotearam, quando me bateram com varas, todas as cicatrizes que recebi na minha vida são as marcas de Jesus Cristo. Por que? Porque eu recebi tudo isso por causa dEle. O mundo não podia chegar até Ele, como eles o odiavam, me odiavam em seu lugar, como não podiam atacá-Lo, então eles me atingiam. E, ele diz: esse é o meu emblema de honra. É como se ele retirasse sua capa e dissesse: "Quer ver meus troféus? Eu carrego no meu corpo as marcas que teriam sido dadas a Jesus se Ele estivesse aqui, mas elas foram dadas para mim porque eu mencionei Seu nome".

Em Filipenses, o mesmo apóstolo, no capítulo 1, versículo 29, lembra a todos que isso nos foi concedido por amor a Cristo, não só por crer Nele, mas também por sofrer por causa Dele e para termos o mesmo conflito que Paulo estava tendo. Qualquer um que seja um cristão fiel vivendo em um mundo hostil em um grau ou outro vai passar por sofrimento. Você lembra no capítulo 3, versículo 10 que Paulo disse: “eu quero conhecer a comunhão dos seus sofrimentos. Eu quero conhecer o conforto que vem Daquele que enfrentou tudo o que eu enfrentarei, e Ele o suportou muito melhor do que eu. Ele enxerga uma intimidade, um vínculo entre ele e o Cristo sofredor. Em Colossenses 1:24, ele diz: " Agora, me regozijo nos meus sofrimentos por vós; e preencho o que resta das aflições de Cristo, na minha carne, a favor do seu corpo, que é a igreja ". Em outras palavras, novamente, o mesmo que disse em Gálatas: "Estou com cicatrizes, com feridas que foram destinadas a Cristo". E, novamente, lembro-vos da grande verdade. Paulo estava ansioso para levar os golpes por Cristo, quem recebeu os golpes por ele.

Então, quando sofremos, compartilhamos com Cristo. Não em Seu sofrimento expiatório, mas no mesmo tipo de sofrimento, sofrimento por amor à justiça, e um passo além desse: estamos literalmente levando os golpes por Ele. Os pecadores O odeiam; Eles simplesmente nos odeiam porque O odiaram. E nós levamos os golpes que de outra forma lhe seriam dados.

Você pode imaginar que seria diferente se Jesus voltasse ao mundo hoje. Mas eles fariam com Ele hoje a mesma coisa que fizeram com Ele da primeira vez. Se você precisar de provas, veja como o mundo trata os cristãos.

Então, ele diz, de volta ao nosso versículo, e queremos entender cada grande verdade aqui, o máximo que pudermos. Ele diz: "alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando". Agora, a revelação de Sua glória é o que Lucas 17:30 chama de o dia em que o Filho do Homem se manifestar . É a Sua Segunda Vinda. Aliás, uma pequena nota teológica: Jesus está glorificado agora, não perca isso. Ele está glorificado agora, mas Sua glória ainda não foi revelada na Terra. Entendeu? Ele está glorificado. Em João 17, quando disse: "E, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo", Ele subiu e voltou à mão direita do Pai. Ele está glorificado, mas Sua glória ainda não foi revelada. Ainda não foi revelada para o homem ver, mas na revelação de Sua glória, quando Ele voltar em grande glória, Mateus 24 versículos 29 e 30, Mateus 25, eu acho que é o versículo 31, ambos falam sobre o retorno de Cristo em grande glória. Bem, naquele dia, quando Ele voltar à revelação de Sua glória, ele diz: "Então, você pode se alegrar com exultação." Você diz: "O que isso significa?" Bem, essa palavra é mais forte do que a primeira. Quando diz "continue se alegrando", ele usa é a palavra chairō, que é a palavra usual para alegria. Mas quando diz "alegrar-se com a exultação", o que significa é exultar e se alegrar com uma alegria arrebatadora, alegrar-se realmente. Em português, seria como se disséssemos: "Continue sendo feliz". E se continuar a ser feliz, um dia acabará em êxtase. Essa é a ideia.

E o que ele está dizendo? Se você for fiel por sofrer e por ser perseguido por causa da justiça nesta vida, suportando como se essa fosse a marca de Cristo, então um dia, quando Ele se manifestar, você realmente se alegrará, você realmente se alegrará com uma alegria arrebatadora, uma explosão de alegria, superando todas as outras alegrias. O ponto de Pedro é bem claro. Se você sofre por Ele aqui, regozijando-se com o privilégio de compartilhar dos seus sofrimentos, e lembra de que o grau em que você sofre aqui será o grau em que você receberá glória em Sua revelação, você sabe então que você pode se alegrar agora e que irá se alegrar muito mais quando aquele dia chegar. Você terá uma recompensa eterna que lhe proporcionará a alegria eterna.

Agora, se tivéssemos tempo, poderíamos entrar em um estudo mais profundo, mas quero deixar para vocês um pensamento. Sua eterna recompensa refletirá diretamente seu sofrimento. Sua eterna recompensa refletirá diretamente seu sofrimento. Seu sofrimento refletirá, até certo ponto, sua fidelidade. Quer dizer, se você é um cristão inexpressivo, não vai sofrer muito. Se você é um cristão ousado, agressivo, fiel e que confronta, você sofrerá, mas sua glória eterna refletirá a recompensa de Deus por isso.

Ouça as palavras de Jesus em Lucas 6:22. "Bem-aventurados sois quando os homens vos odiarem e quando vos expulsarem da sua companhia, vos injuriarem e rejeitarem o vosso nome como indignos, por causa do Filho do Homem". Ouça isso. "Seja feliz naquele dia," pegue isso: "e salte", diz o grego. Seja tão feliz que saia pulando por aí. Estou sendo perseguido, estou sendo perseguido. "Pois eis que sua recompensa é grande no céu".

Lembra-se quando Tiago e João com sua mãe vieram a Jesus e eles disseram: "Permite-nos que, na tua glória, nos assentemos um à tua direita e o outro à tua esquerda?" Jesus disse: "não me compete concedê-lo; é, porém, para aqueles a quem está preparado por meu Pai." E então, ele disse isso: "Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber?” O que ele quis dizer com isso? Ele quis dizer que a glória está relacionada com o quê? Com o sofrimento. Era a taça do sofrimento. Ele falava com poder: "Se você espera ser glorificado no reino vindouro, é melhor estar pronto para suportar o sofrimento aqui e agora". A glória eterna será proporcional ao sofrimento temporal. E assim, nos alegraríamos, não é mesmo? Por causa da realidade futura, que, assim como sofremos na identificação com o Senhor Jesus Cristo, sofrendo nas mãos dos pecadores por causa da justiça, nós, de certo modo, estamos ganhando uma recompensa eterna que irá nos trazer alegria eterna. Foi o que Paulo disse em Romanos 8:17 “Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados”.

Se você tiver sua atenção focada no que é certo, você vai viver sua vida cristã assim, você vai viver uma vida cristã confrontadora, você vai viver uma vida cristã ousada e amorosa, será a consciência do mundo, proclamará o nome de Jesus Cristo com coragem, porque você sabe que se for perseguido, e se for excluído, e se for banido, se for rejeitado, desprezado, você simplesmente estará sendo perseguido por causa da justiça, que foi o que aconteceu a Jesus, e assim, você se identifica com Ele. Além disso, você está ganhando um peso de glória eterno. E assim, você pode saltar de alegria no meio do sofrimento, porque você pode antecipar a alegria eterna que virá até você pela graça de Deus.

Que tremenda promessa. Então, regozije-se. Regozije-se com a futura realidade da glória eterna. Mas também há um motivo atual para se alegrar. Veja o versículo 14. Esta é uma razão presente para se alegrar. "Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois." Agora, espere um pouco, o que ele quer dizer com “se você for injuriado pelo nome de Cristo?” Bem, ser injuriado significa basicamente ser insultado. É uma palavra usada na Septuaginta, novamente, para falar do opróbrio ou insulto que foi lançado sobre Deus, e sobre o povo de Deus, pelos ímpios do mundo. Ela também é usada no Novo Testamento para falar de indignidades e maus tratos contra Cristo, as coisas que Ele suportou nas mãos dos pecadores. Então, se você é maltratado, se você é censurado, se você foi insultado, se as indignidades são feitas contra você, se você for tratado de forma injusta, desagradável, indigna, injustamente, bem, alegre-se. Regozije-se, se é pelo nome de Cristo. Tenha isso em mente, certo? Isso deve ser sublinhado. Se é pelo nome de Cristo.

Agora, o que queremos dizer com "pelo nome de Cristo?" Bem, isso simplesmente significa ser um representante de tudo o que Ele é. O nome Cristo resume tudo o que Ele é. Mas há algo mais aqui. O nome de Cristo refere-se ao fato de que os cristãos estavam sempre proclamando Seu nome, ok? Isso implica uma proclamação pública do nome de Cristo como a causa da hostilidade. Não era só carregar o nome de Cristo em seus corações e mentes; era que eles proclamavam o nome de Cristo. Você poderia quase adicionar a este versículo estas palavras: "Se você é injuriado pela proclamação do nome de Cristo". Essa é a ideia. O nome, mesmo o termo "Nome" como termo em si, tornou-se sinônimo do cristianismo. Os pagãos diriam: "Bem, eles sempre estão falando sobre esse Nome. Eles estão sempre pregando o Nome.” E se você estivesse pregando o Nome e se identificasse com o Nome e tornasse isso evidente, então você seria injuriado, repreendido e insultado. Atos 5:41 diz que os cristãos se retiraram da presença do Conselho do Sinédrio, alegando que tinham sido considerados dignos de sofrer vergonha pelo Nome. Eles estavam sofrendo vergonha por esse Nome. Você nem tinha que dizer qual o Nome; todos sabiam. Era quase como se não quisessem dizer isso. E então, Pedro, você se lembrará, disse-lhes: "Olha, não há outro Nome debaixo do céu dado entre os homens pelo qual devemos ser salvos". Bem, é por isso que nós pregamos o Nome.

Quando o apóstolo Paulo estava na Estrada de Damasco e foi confrontado por Deus, o Senhor disse: "este é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios". Ele tomará Meu Nome e o proclamará aos gentios e eu e lhe mostrarei o quanto ele deve padecer pelo meu Nome. Atos capítulo 15 e versículo 26 diz: "homens que têm exposto a vida pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Então, Pedro diz: "Olha, se você é insultado por proclamar o nome de Cristo, você é abençoado. Você é abençoado”. O que você quer dizer com somos abençoados? O que isso significa? Isso é um sentimento? Não, não, não é uma sensação de vertigem. Você poderia traduzi-lo desta forma: você se beneficia, se beneficia. Por que? Bem, antes de tudo, já aprendemos que é porque você está ganhando um eterno peso de glória, e você tem o privilégio de se identificar com o sofrimento de Cristo; Mas ele dá outro motivo. Olhe para o versículo 14, eu amo isso: "Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus". Ele não está dizendo que você é abençoado e ponto final. Não está apenas dizendo que é uma benção: "Oh, isso é uma bênção." Não! Não, não é uma bênção com uma simples descrição. A bênção aqui significa que vocês são abençoados, porque o espírito da glória de Deus repousa sobre vocês. A benção não é felicidade subjetiva. É presença objetiva. Você alcançou isso? Não é uma felicidade subjetiva; É a presença objetiva e o poder do Espírito Santo. Você é abençoado no meio do sofrimento pela justiça, porque o Espírito de Deus vem sobre você. Uau, que declaração.

O Espírito de Deus, em primeiro lugar, é chamado de Espírito de Glória. O que isso significa? Bem, eu posso dizer de outra maneira. O Espírito que tem glória é o Espírito glorioso, o Espírito que tem a glória como Seu atributo essencial. Você acha que eles sabiam o que isso significava? Com certeza. Eles sabiam o que isso significava. Eles sabiam tudo sobre a glória Shekinah de Deus. E eles sabiam que o único ser que tinha glória era Deus. No Antigo Testamento, a glória de Deus foi representada pela luz Shekinah. A glória Shekinah que apareceu no Jardim, a glória Shekinah era aquele brilho luminoso que significava a presença de Deus, aquele brilho que Moisés viu no monte, aquele brilho que veio morar no tabernáculo e se movia no céu para conduzir os Filhos de Israel, aquele brilho que enchia o templo. A Shekinah era a presença de Deus. E quando Pedro diz: você está sofrendo, e você tem o Espírito de Glória, ele quer dizer que você tem a presença de Deus. E ele diz: "O Espírito de Glória, o próprio Deus, recai sobre você". Você se torna como Moisés, cujo rosto brilhava com a glória de Deus. Você se torna como o tabernáculo que estava tão cheio da glória de Deus que ninguém poderia entrar lá. Você se torna como o templo, quando a glória de Deus ainda ocupava o Santo dos Santos, a presença de Deus.

Esta é uma grande afirmação. O que ela diz é que quando você sofre, a presença de Deus repousa sobre você. E a presença de Deus vem na forma de Seu Espírito, o Espírito que é a glória em Seu atributo essencial, o próprio Espírito, que é Deus. Que tremenda, tremenda verdade. O Espírito da glória, sim, o Espírito de Deus. Como a Shekinah repousou no tabernáculo e no templo há muito tempo, assim a glória Shekinah de Deus, o Espírito Santo em glorioso esplendor e poder repousa sobre os cristãos sofredores.

Agora, o que significa "repouso"? Sobre o quê isso está falando? Bem, simplesmente para atualizar, é assumir o controle por você. Descanso, no sentido de assumir por você, tornando-se o poder dominante no meio do seu sofrimento. Talvez a melhor ilustração disso fará com que você se volte para o capítulo 6 de Atos por um momento, e veja o testemunho de um maravilhoso servo de Deus, com o nome de Estevão. O versículo 8 do capítulo 6 diz que ele estava cheio de graça e poder. Ele estava realizando ótimas maravilhas e sinais entre as pessoas. Obviamente, ele tinha o poder do Espírito de Deus. E quando ele estava sendo perseguido, no final do capítulo 6, eles o acusaram de blasfêmia, verso 12, eles o arrastaram para longe, eles testemunharam falsamente contra ele. E o versículo 15 diz: "E fixando seus olhos sobre ele, todos os que estavam sentados no conselho viram seu rosto como o rosto de um anjo." Eu creio que o Espírito de glória, sim, o Espírito de Deus repousou sobre Estevão.

O que é a face de um anjo? O que isso significa? Eu não acho que isso significa que ela estava brilhando como uma lâmpada, acho que isso significa paz, serenidade, tranquilidade, uma alegria suave, absolutamente não afetada por toda a hostilidade. E então, no capítulo 7, versículo 54, depois que Estevão terminou de falar, eles ficaram tão enfurecidos que literalmente começaram a ranger os dentes, versículo 54, mas ele estava cheio do Espírito Santo, então ele olhou atentamente para o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à mão direita de Deus. Ele estava literalmente avulso. Ele estava contemplando a glória de Deus. Ele estava vendo Jesus Cristo. Seu rosto estava ocupado apenas com aquela cena transcendente. E eles estavam rangendo os dentes com raiva e fúria. E ele disse: "Eis que vejo os céus abertos e o Filho do homem de pé à mão direita de Deus." Você sabe o que aconteceu? O Espírito de Glória e de Graça veio sobre ele, o Espírito de Deus veio sobre ele e, literalmente, assumiu o controle, assumiu a sua mente, tomou o controle de sua vida para que ele visse além da hostilidade, a glória de Deus. E eles se precipitaram sobre ele gritando e tapando os ouvidos para que não ouvissem o que ele dizia. Eles o expulsaram da cidade e começaram a apedrejá-lo. E as testemunhas colocaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. Continuaram a apedrejar Estêvão enquanto ele invocava o Senhor e dizia: "Senhor Jesus, recebe meu espírito”.

Minha convicção era de que ele estava absolutamente inconsciente do que estava acontecendo ao seu redor. Ele viu o céu aberto. Ele viu o Senhor Jesus e pediu ao Senhor para recebê-lo, inconsciente das pedras que lhe atigiam, que estavam esmagando sua vida terrena. E ele clamou alto ao dizer: "Senhor, não imputes este pecado contra eles", e ele adormeceu.

No meio da perseguição e do sofrimento mais severos, Deus concede uma dispensação especial da presença de Seu Espírito Santo, e Ele repousa sobre o crente, o que significa que Ele assume o controle. E a mente transcende.

Se você ler o "Livro dos Mártires" de Fox, você se questionará cem vezes: "Como esses cristãos podem ser martirizados por sua fé, de modo a transcender totalmente a dor física? Como eles podem fazer isso? Como eles podem estar cantando hinos? Como eles podem louvar a Deus? Como eles podem perdoar seus atormentadores? Primeiro, porque eles veem a riqueza de compartilhar da comunhão dos sofrimentos de Cristo. Segundo, porque eles sabem que o caráter de seu sofrimento irá emitir um peso de glória eterno. E terceiro, porque o Espírito de glória, sim, o Espírito de Deus repousou sobre eles para levá-los para além da dimensão física. Então, Pedro diz sobre o sofrimento: primeiro ponto, espere por isso. Segundo ponto: regozije-se com isso. E para os pontos três e quatro, volte daqui a três semanas a partir desta noite. Vamos nos curvar em oração.

É tão revigorante, Senhor, compartilhar Tua Palavra nesta noite, e cantar as canções simples, mas profundas de nossa fé, é tão agradável estar com aqueles que amamos enquanto o mundo corre apressadamente. É transformador receber novos irmãos e irmãs na família, quando eles vêm às águas do batismo para dar testemunho de Tua grande graça. Estamos renovados, ó Deus, e sabemos que temos a promessa de que, não importa o que este mundo possa trazer sobre nós, se sofrermos por causa da justiça, podemos nos alegrar, porque temos o privilégio de compartilhar do Seu sofrimento. O mesmo tipo de sofrimento que o Senhor enfrentou, sofrer pela justiça, porque estamos ganhando um peso eterno de glória e porque estamos experimentando a presença do Espírito de Deus, que repousa sobre nós para nos levantar, para transcender o que o mundo traz. E Te agradecemos por isso, no nome querido de Jesus. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize