Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Vamos abrir nossas Bíblias no Salmo 19, Salmo 19. Como você sabe, na semana passada comecei a compartilhar com você sobre o assunto, a suficiência das Escrituras. E gostaria de concluir esse breve interlúdio no meio de nosso estudo de 1 Timóteo, voltando para esse mesmo assunto. Só que desta vez, em vez de lidar com ele, recorrendo a muitos textos, quero que nos concentremos em uma passagem, o Salmo 19.

Como é meu hábito de vez em quando, gosto de ler os puritanos, puxei um livro dos puritanos da minha estante e sentei em minha cadeira no meu gabinete para ler. E eu estava lendo esta semana a grande seção de Thomas Watson sobre as Escrituras, e ele fez uma declaração que pensei fosse apropriada para nós. Ele disse o seguinte, abre aspas, "O diabo e seus agentes têm soprado a luz das Escrituras, mas nunca puderam apagá-la, um claro sinal de que ela era iluminada pelo céu.” Fechar aspas.

Compartilhei com vocês na semana passada que é minha convicção de que um grupo muito improvável de pessoas parecem estar soprando hoje a luz das Escrituras tentando apagá-la. E o que é incrível sobre isso é que o ataque que estou mais preocupado sobre a Palavra de Deus parece estar vindo não daqueles que negam que ela seja a Palavra de Deus, mas de quem afirmar que ela o seja. Parece-me que uma das ameaças mais sutis e perigosas que enfrenta a Palavra de Deus está vindo de dentro da categoria do cristianismo evangélico, por pessoas que afirmam crer que a Bíblia é a Palavra de Deus, mas revelam uma falta de confiança em sua suficiência, e é aí que falam mal da Palavra de Deus.

Ler a Palavra, ensiná-la, proclamá-la, obedecê-la e vivê-la não parece, para muitos hoje, ser suficiente para questões de vida e conduta dentro da dimensão espiritual. E essas pessoas estão desenvolvendo, eu suponho, o que pensam ser os adereços necessários para manterem-se na Bíblia. Talvez sintam que ela precisa de algum tipo de transfusão para dar-lhe o poder parece que lhe falta. E acredito que, como me referi na última vez, este é um grave pecado contra Deus e contra a Sua Palavra e revela uma desconfiança grave na suficiência das Escrituras.

Como disse da última vez, o movimento quase como uma enxurrada na igreja evangélica da psicologia como um meio de resolver os problemas do homem, da busca de metodologia para o crescimento da igreja nos padrões do mundo dos negócios e da estrutura corporativa, da demanda de poder político como a chave para o reavivamento, como alguns estão dizendo, o clamor por milagres, sinais, maravilhas, novas revelações e atividades sobrenaturais, da perversão do evangelho simples e da verdadeira Palavra de Deus em uma espécie de evangelho pop de prosperidade, da indulgência, da sensualidade e sucesso propagado por celebridades que supostamente têm uma grande capacidade de alcançar as pessoas que a Palavra simples nunca poderia alcançar, tudo denuncia, pra mim, não só um mundanismo horrível na igreja mas também uma visão fraca lamentável da Escritura.

Isso me forçou a fazer a pergunta: é a Bíblia realmente suficiente para assuntos da vida espiritual? Será que é suficiente para o povo de Deus e com todos os recursos necessários para a plenitude de vida na vontade de Deus? Ou precisamos admitir que a Bíblia tem algumas limitações evidentes que só podem ser superadas ​​com sabedoria e técnicas desenvolvidas por pessoas bem-intencionadas que querem ajudar a Deus um pouco?

Agora, para responder à questão da suficiência das Escrituras, quero que você veja comigo o Salmo 19, o que acredito ser o tratamento mais conciso e direto da suficiência das Escrituras em toda a Palavra de Deus. E também, vamos comparar o Salmo 19, com o Salmo 119, porque têm muitos paralelos. Deixe-me dizer logo de início que Davi, que é o autor do Salmo 19, era um homem que compreendia as situações extremas, as exigências, as vicissitudes, as lutas, provações, dificuldades e tribulações da vida, a ponto de algumas pessoas resistiram-no.

Ele sabia o que era ter sua vida ameaçada continuamente. Ele sabia o que era ter caído em pecado profundo. Ele sabia o que era ter traído uma confiança sagrada monumental. Ele sabia o que era para ter seus próprios filhos se rebelando contra ele. Ele sabia o que era ter casamentos destruídos e circunstâncias familiares aflitivas. Este é um homem que fala da profundidade da emoção humana, e ainda encontra suficiência consumada na Palavra de Deus.

Agora o Salmo 19, por meio de uma introdução geral, destina-se a transmitir-nos o significado da revelação de Deus. Primeiro, nos versículos de 1 a 6, lemos da revelação de Deus na natureza. Deus revelou-se nos céus, diz o versículo primeiro, os quais declaram a sua glória no firmamento e em todos os corpos estelares o que demonstra as obras de suas mãos.

Ele passa a falar sobre o movimento do sol e seu maravilhoso curso em órbita pelo universo. E tudo isso é um símbolo da revelação natural, o que os teólogos, durante anos, têm chamado de revelação geral. Deus é revelado em Sua criação. Muito parecido com Romanos 1: "As coisas que vemos nos revelam que existe um Deus e Ele é eminentemente poderoso.”

Mas há ainda uma revelação mais específica em Sua Palavra e a isso o salmista se refere no versículo 7. E na segunda metade do Salmo, de 7 a 14, o foco é a revelação especial, a revelação de Deus na Sagrada Escritura. É isso que vamos ver, e encontramos, ao ver os versículos de 7 a 14, a suficiência da Escritura.

Na verdade, eu quero apontar três coisas, se eu puder, esta manhã: a suficiência das Escrituras, o valor das Escrituras e, finalmente, o compromisso com as Escrituras. Agora, deixe-me dizer, antes de aprofundarmos nisso, e quero que você ouça com muita atenção. Por necessidade, vou cobrir bastante assunto um tanto rapidamente. Eu quero que você fique ligado e pensativo, porque eu realmente acredito que esta é uma mensagem fundamental para o nosso compromisso com a Palavra de Deus.

Agora, para começar, vamos notar a suficiência das Escrituras, versículos 7 a 9. Acompanhe enquanto leio. “A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos. O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos.”

Agora eu quero que você observe, por um momento, a estrutura desses três versículos. Há seis linhas de pensamento. E cada uma dessas seis linhas têm três elementos. Há um título para a Palavra de Deus, uma característica da Palavra de Deus e um benefício da Palavra de Deus. Os títulos são... a Escritura é chamada de lei, testemunho, estatuto, mandamento, temor e juízo. Todos esses são sinônimos para a Escritura.

Suas características são, perfeita, certa, justa, clara, limpa e verdadeira. Seus benefícios são seis, ela converte a alma, torna sábio simples, alegra o coração, ilumina os olhos, dura para sempre, e é totalmente justa. Ou seja, ela fornece recursos espirituais completos. Agora, nesses três versículos, consistente com a inteligência infinita da mente infinita de Deus, você tem absolutamente uma declaração compreensiva e incomparável da Escritura resumida em bem poucas palavras. A magnitude desta seção da Escritura vai além da nossa capacidade.

Quero que você perceba outro elemento, outro elemento de seis partes. Seis vezes nestes três versículos lemos "do Senhor.” A lei do Senhor, o testemunho do Senhor, os estatutos do Senhor, o mandamento do Senhor, o temor do Senhor, e os juízos, ou ordenanças do Senhor. Mais uma vez notamos que isso, então, representa aquilo que procede de Deus. Seis vezes o nome da aliança de Deus, Iavé, é usado para identificar a fonte da Palavra suficiente. Agora aqui temos, então, no Salmo 19, através do salmista, o próprio testemunho de Deus da suficiência das Escrituras para todas as necessidades espirituais.

Agora vamos olhar para estes seis elementos. Primeiro, no versículo 7: "A lei do Senhor é perfeita, e restaura a alma.” Agora, o primeiro título para a Escritura é "a lei.” E isso nos dá uma ênfase da Palavra de Deus. A palavra é torah. Basicamente, significa ensinamento bíblico ou divino. Ela aponta para a natureza didática ou instrutiva das Escrituras. É Deus instruindo o homem.

O termo refere-se a instrução. Identifica a Escritura como doutrina, dispensada ​​por Deus ao homem. Tem em vista instrução divina em relação ao credo, que é o que cremos; em relação ao caráter, que é o que somos; e em relação à conduta, que é o que fazemos. É uma explicação completa sobre a instrução de Deus para a vida do homem. É o ensino de Deus para a vida.

Agora, esse ensinamento que vem através das páginas da Sagrada Escritura, diz o versículo 7, é perfeito. É perfeito. Tiago mesmo chamou de a lei perfeita. E é definida, pelo salmista, em comparação aos raciocínios falhos e imperfeitos dos homens. Agora, para entender a palavra “perfeito", precisamos apenas entender que é uma palavra comum que significa perfeito, ou inteiro, ou completo, ou suficiente. Na verdade, um estudioso do Antigo Testamento diz que a plenitude do significado é dizer que ela significa "todos os lados, de modo a cobrir completamente todos os aspectos de uma coisa.” É uma palavra de abrangência.

É como dizer, então, que a Escritura abrange tudo. Ela não perde nada. Ela não perde nada. É uma fonte abrangente do ensino de Deus, que, portanto, incorpora tudo o que é necessário para a vida espiritual do povo de Deus. Agora o foco particular de declaração inicial do versículo 7 é de que a sua perfeição está relacionada com a conversão da alma. E aí encontramos o primeiro dos seis benefícios. Ele converte a alma. O termo hebraico para a conversão pode significar reviver, restaurar, renovar, converter. Mas o meu sinônimo favorito é transformar. Tem a idéia de que a Escritura é tão compreensiva que ela literalmente pode transformar a vida de uma pessoa.

Ele dá vida plena, em todos os aspectos, para a alma. Agora, a palavra alma, é uma palavra familiar também, nephesh. Essa palavra significa a pessoa, ou o eu ou o coração. É às vezes traduzida em todas essas formas. A soma disso é a pessoa interior, toda a pessoa, o verdadeiro você. A Palavra, então, é tão abrangente que tem a capacidade de transformar totalmente o verdadeiro você, toda a pessoa.

É suficiente, então, para a conversão, a transformação, a restauração, para o nascimento e crescimento espiritual com perfeição de toda a pessoa. É uma reminiscência, realmente, da carta de Paulo a Timóteo, 2 Timóteo 3:15 a 17, onde Paulo lembra a Timóteo que a Escritura é capaz de tornar-lo sábio para a salvação. Não só isso, mas também torná-lo perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.

A Palavra de Deus, então, tem o poder de transformação total. É tão abrangente que pode moldar uma alma, uma pessoa que vive, em exatamente no que Deus deseja que a pessoa seja. E isso começa na conversão. Em 1 Pedro 1, lemos o mesmo testemunho, versículo 23, “pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente.” Em outras palavras, o novo nascimento, a conversão, a transformação é realizada pela Palavra de Deus. E no versículo seguinte ele diz que esta é a Palavra pela qual o evangelho foi pregado a eles. Assim, é a Palavra que converte a alma.

Paulo disse: " Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação ", em Romanos, capítulo 1, versículo 16. A Palavra, então, na sua potência é capaz de transformar uma vida. É agente do novo nascimento. E, no entanto, hoje, parece-me que há pessoas que não acreditam no poder da Palavra de Deus. Lamentam-se da Palavra de Deus porque certas insuficiências ou impotências precisam ser atendidas talvez por acondicioná-la com algum cantor de rock mundano sensual que, segundo a revista Eternity, “mistura sua representação da velha história com um pouco de vulgaridade”.

Ou a Palavra de Deus é tão fraca e tão sem energia em si mesma que é convincente somente quando é propaganda por uma celebridade super-estrela, alguém que é famoso por ser famoso, e não famoso por ser piedoso e não muito conhecido pela grande habilidade na Palavra, mas famoso, não por causa de uma grande conquista para Deus ou um grande caráter, mas porque a mídia o tornou famoso por ser famoso.

Será que devemos acreditar que eles podem fazer o que o poder da Palavra não pode realizar? Ou precisamos fazer apelos melosos para as emoções das pessoas com base em seus sentimentos, seus egos machucados, e sua necessidade de autoestima? Assim, alterando o evangelho autêntico em alguma coisa muito fácil, continuam dessa forma e talvez sem saber realmente o que é.

Ou será que o evangelho, porque em si é fraco, tem que ser poluído com promessas de sucesso material? Por que os evangelistas de TV têm que nos dizer que se apenas lhe enviarmos grandes somas de dinheiro e crer, nossa, entre aspas, “semente” de fé nos trará de volta muito mais dinheiro que imaginamos? Será necessário juntar dinheiro ao evangelho para torná-lo palatável, porque por si só não pode converter a alma?

É a Escritura tão insuficiente para salvar que precisamos de congressos cristãos e de controle do governo, a fim de regenerar uma nação? É, realmente, plano do Senhor para os homens chamados a pregar o evangelho das insondáveis ​​riquezas da Palavra de Deus que a deixem, não para servir as mesas, mas para se tornarem ativistas políticos e lobistas, na esperança de superar a deficiência da Escritura com o poder humano? Achamos que o evangelho afasta as pessoas quando vindo direto da Palavra de modo que deve ser colocado em um plano vendável, sofisticado e palatável de marketing, que mostre a perspectiva do comprador principalmente para o que há nele para atende-lo?

Agora, o que estamos dizendo com isso tudo? Parece-me que o que estamos dizendo é que não confiamos no poder da perfeita Palavra de Deus para converter a alma. A Palavra é o mar, onde Cristo, a pérola de grande valor, é encontrada. A Palavra é o campo onde Cristo, o tesouro Escondido, está enterrado. O testemunho de Salmo 119 certamente afirma isso, e faremos essa comparação o tempo todo. O Salmo 119 versículo 41 diz, “Venham também sobre mim as tuas misericórdias, SENHOR, e a tua salvação, segundo a tua promessa.” A salvação, diz o salmista, está ligada à Palavra de Deus.

No versículo 50, “O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica.” Versículo 81, “Desfalece-me a alma, aguardando a tua salvação; porém espero na tua palavra.” O versículo 146 diz semelhantemente, “Clamo a ti; salva-me, e guardarei os teus testemunhos.” Versículo 155, “A salvação está longe dos ímpios, pois não procuram os teus decretos.” Em outras palavras, é encontrada em Tua Palavra mas não estão se voltando para ela.

Versículo 158, “Vi os infiéis e senti desgosto, porque não guardam a tua palavra.” Versículo 174, “Suspiro, SENHOR, por tua salvação; a tua lei é todo o meu prazer.” A Palavra do Deus vivo é suficiente. É de se admirar o que Paulo disse, “Pregue a Palavra?” A Palavra é suficiente para converter a alma.

Em segundo lugar, o salmista diz que o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. E ele dá mais um passo na construção desta magnífica apresentação tremenda da suficiência das Escrituras. Ele usa a palavra “testemunho”, que olha para a Palavra de Deus não como instrução divina, mas como testemunha divina. É Deus dando testemunho de quem Ele é e o que Ele requer.

Então, quando você olha para o testemunho que Deus dá de Si mesmo na Palavra de Deus, você encontra que “Seu testemunho é – ” diz o salmista – “fiel.” É fiel. Mais uma vez, em contraste com as noções inseguras, incertas, vacilantes, mutáveis, inconstantes, não confiáveis​​, e indignas dos homens, a Palavra do Deus vivo é certa. Essa palavra significa inabalável, imóvel, inconfundível, digno de confiança e fidedigno.

A Palavra então, fornece uma base sobre a qual a vida e o destino eterno podem ser construídos sem hesitação. Lembro-me do que Pedro disse em 2 Pedro capítulo 1. Ele estava ensaiando seu encontro pessoal com a majestade de Cristo na transfiguração e ele disse, “Eu estava lá quando ele foi transfigurado. Vi Sua glória majestosa naquela cena maravilhosa quando os heróis do Antigo Testamento apareceram e estávamos lá no monte da magnifica glória sobrenatural.

“E eu digo isso a vocês – ” no versículo 19 – “há uma palavra mais firme do que isso.” Experiência, experiência sobrenatural, sinais e maravilhas têm o seu lugar. Pedro diz, “há uma palavra mais firme do que isso.” E essa palavra é a Escritura, a Bíblia dada quando homens santos foram movidos pelo Espírito de Deus. A Escritura é palavra mais segura.

Em contraste com os raciocínios incerto, reflexões e opiniões dos homens a respeito de Deus e da moralidade, podemos ficar com a Escritura. E qual é o seu benefício? Observe novamente, seu benefício é tornar o simples sábio. A raiz da palavra hebraica para "simples" é a idéia de uma porta aberta. Uma pessoa simples é uma pessoa que está sem discernimento. Elas não sabem quando fechar a porta. Eles não sabem o que fechar. Entra de tudo. Eles não estão discernindo. São iletrados, inexperientes, ignorantes e ingénuos.

Mas podem ser feitos sábios. E qual é a fonte disso? A Palavra de Deus. A Escritura pega o ingênuo, inexperiente, sem discernimento, desinformado e o conduz àquela sabedoria individual. Eu amo a palavra “sábio". É uma palavra hebraica rica. Basicamente, significa ser hábil na arte do viver piedoso, para ser hábil nas questões da vida prática. É a dominar a arte da vida diária, realizada pelo conhecimento e aplicação da Palavra de Deus. E, a propósito, na Escritura, Deus é sempre a fonte. É a sabedoria que vem, como Tiago disse, "de cima.”

O Antigo Testamento realmente define isto como a capacidade de fazer escolhas certas sobre coisas certas nos momentos certos na vida. E aqui está uma promessa maravilhosa. A Palavra de Deus pode tirar um inexperiente, sem discernimento, desinformado, ignorante e ingênuo e conduzi-lo para tal sabedoria que ele possa viver uma vida santa de acordo com a vontade de Deus. Isto através da Palavra de Deus. Ela é a fonte de fornecimento de tudo o que é necessário para aplicar a vontade de Deus à vida diária.

Vamos acreditar que a Palavra de Deus, então, não é suficiente? Será que devemos acreditar que encontramos nos recursos humanos à nossa volta na sociologia, psicologia, filosofia e sabedoria humana o que compense aquilo que falta na Palavra de Deus? É realmente necessário aos pregadores saírem da Bíblia para, abrir aspas, “tornar a verdade relevante e prática” como ouço muitas vezes? Ouça, o testemunho de Deus é que a Sua Palavra é suficiente para fazer o simples sábio na questão da arte de viver a vida segundo a vontade de Deus.

Ouça de novo o maravilhoso testemunho do Salmo 119, como naquele grande, grande salmo de tributo à Palavra de Deus. O salmista diz no versículo 27, “Faze-me atinar com o caminho dos teus preceito.” Em outras palavras, ele está invocando a Deus para ensiná-lo, pois Deus sabe o caminho certo para andar, a maneira certa de viver. Versículo 34, “Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; de todo o coração a cumprirei.” É a fonte de sabedoria. Versículo 66, “Ensina-me bom juízo e conhecimento, pois creio nos teus mandamentos.” Versículo 98 a 100, “Os teus mandamentos me fazem mais sábio que os meus inimigos; porque, aqueles, eu os tenho sempre comigo. Compreendo mais do que todos os meus mestres” – Temos mais entendimento do que todos aqueles que propagam o conhecimento humano – “porque medito nos teus testemunhos.” Versículo 100, “Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos.” No versículo 125, “Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.” Versículo 169, “dá-me entendimento, segundo a tua palavra.”

Você vê, o salmista sabia que a fonte de sabedoria estava na Palavra de Deus, a Escritura. Ela é suficiente? É suficiente para transformar a alma. É suficiente para trazer sabedoria consumada quanto à vida diária para a glória de Deus.

Em terceiro lugar, você notou o versículo 8 do Salmo 19? “Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração.” Onde é que um crente vai para encontrar alegria? Onde é que um crente vai para encontrar alívio, felicidade, libertação da tristeza, ansiedade e depressão? Onde ele vai? Onde está o recurso?

O testemunho do salmista é que é a Palavra. É a Palavra que alegra o coração. O termo aqui para Escritura é a palavra “preceito". Isso significa que o ensino não é divino e, no entanto, em certo sentido, ele incorpora o ensinamento divino. Ele tem a idéia de testemunho não divino especificamente embora ele o incorpore. Mas, mais a idéia de princípios divinos, preceitos divinos, orientações divinas.

A Escritura está cheia de orientações para a vida, vindas de Deus. Agora, observe que eles são, diz no versículo 8, “são retos.” Isso quer dizer que eles mostram o verdadeiro caminho. Eles lhes dão orientação correta. Eles guiam você de forma adequada para a verdadeira compreensão. Que coisa maravilhosa. Quero dizer, para aqueles dentre nós que já são cristãos há muito tempo que pensem de como era quando tinham de traçar seu próprio curso sem conhecimento do que fazer, que legado temos na Palavra de Deus nos conduzindo por um caminho verdadeiro.

Não somos deixados sem um mapa e uma bússola. Não somos deixados sem princípios para a vida. Não deixados à margem vagando pela névoa da opinião humana. Temos uma palavra verdadeira a seguir. E o resultado disso é que trilhamos um caminho certo que alegra o coração. Creio que a verdadeira alegria vem de seguir a Palavra de Deus, de aplicar os seus princípios, de andar em seus preceitos e caminhos.

Jeremias em meio a uma enorme tensão humana, rejeição de sua mensagem, rejeição de sua pessoa, o desastre que cai em toda a sua nação, deu grande testemunho da alegria que vem através da Palavra no capítulo 15 de sua profecia, versículo 16, quando ele diz, “Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas palavras me foram gozo e alegria para o coração.”

E João escreve em sua epístola, 1 João 1:4, que estas coisas foram escritas para que vossa alegria seja – ” o que? – “completa.” A Palavra de Deus dá testemunho do fato de que ela é a fonte de alegria. E quando você anda em obediência à vontade de Deus e se move sobre o caminho certo, isso alegra o coração.

Temos que ter vozes do céu, conversas com anjos, experiências sobrenaturais e milagres? Temos que depender da ciência mística da mente para sermos guiados por Deus à alegria plena? Não podemos seguir a Sua Palavra? Aqueles que possam estar deprimidos ou ansiosos ou com medo ou em duvida, sem saber que direção tomar, ou mesmo em sofrimento de alguma doença física ou dor, não podem eles voltar-se para a palavra de Deus em busca de solução, resposta, direção e orientação que transforme sua tristeza em alegria?

Acredito que o testemunho da Escritura é que o nosso verdadeiro prazer e deleite vem de seguir o caminho traçado pela Palavra de Deus, não de forma egoísta buscando por autoestima, auto-realização, and perseguições indulgentes. Na verdade, temo que as pessoas, que corre da Palavra de Deus para os psiquiatras do mundo, para as fontes que o mundo oferece e a todas as coisas materiais do mundo, fogem da alegria e não para a alegria. E acabam encontrando menos do que pensavam e se veem mais distantes da fonte do que estavam antes de deixa-la. O testemunho da própria Escritura é que ela é uma fonte, na verdade, a fonte da alegria do crente.

Mais uma vez no Salmo 119, onde vamos para a confirmação do testemunho, no versículo 14, o salmista escreve, “Mais me regozijo com o caminho dos teus testemunhos do que com todas as riquezas.” Eu gostaria que pudéssemos dizer hoje que as pessoas estão tão animadas sobre as coisas da Palavra de Deus como como com o materialismo. Eu gostaria que pudéssemos dizer que nós estamos realmente apresentando um evangelho da Palavra de Deus e não um evangelho da prosperidade prometida.

No versículo 54, lemos, “Os teus decretos são motivo dos meus cânticos, na casa da minha peregrinação.” Um dos mais belos versículos em todos os salmos. “Os teus decretos são motivo dos meus cânticos, na casa da minha peregrinação.” Minha vida tem sido preenchida com canções sobre a Tua lei. Isso quer dizer que elas me trazer a alegria que transborda em música no meu coração.

No versículo 76, ele diz, “Venha, pois, a tua bondade consolar-me, segundo a palavra que deste ao teu servo.” No versículos 111 e 114, “Os teus testemunhos, recebi-os por legado perpétuo, porque me constituem o prazer do coração... Tu és o meu refúgio e o meu escudo; na tua palavra, eu espero.” Eu busco a Ti, Deus, no meio das minhas necessidades, sofrimento e tristeza. A Escritura é perfeita o suficiente para converter a alma, sábia o suficiente para tornar o simples profundo e capaz de fazer o triste alegre.

Em quarto lugar, você vai notar no final do versículo 8, que o mandamento do Senhor é puro. A melhor tradução é clara, e ilumina os olhos. E ele usa aqui a palavra mandamento. Agora mandamento é uma outra maneira de olhar para a Escritura. Sim, as Escrituras são preceitos; sim, são instrução; sim, são testemunho, mas também são decretos divinos.

E aqui encontramos a ênfase na autoridade, sobre o caráter não opcional da Escritura. A Bíblia não é cheio de um monte de sugestões. São mandamentos, mandamentos de autoridade obrigatórios. Isto é o que Deus requer, e para aqueles que atendem, há bênção. Para aqueles que não o fazem, há julgamento.

E a Palavra de Deus que vem a nós como mandamento de Deus, diz ele, "é puro, é puro.” Isso quer dizer que é lúcido. Não é mistificar. Não é confuso e intrigante. Ah, sim, há elementos obscuros nela, mas a Palavra de Deus, em geral, como leitura é clara. É fácil de ver. Ela dá uma direção clara para a vida.

O Antigo Testamento diz que os caminhantes, até mesmo os loucos, nele não errarão. Ela ilumina a escuridão. Quando há escuridão no mundo e você não consegue entender o que está acontecendo e você não sabe por que as coisas estão acontecendo do jeito que são, a Palavra de Deus torna as coisas claras, em contraste com as reflexões enlameadas e confusas de homens que são cegos.

Para sermos capazes de ver a verdade neste mundo de trevas, esforçando-nos para saber o que é verdade, para sermos capazes de entender o que é certo e errado, sermos capazes de compreender e sermos consolado nos momentos em que não podemos compreender o que está acontecendo, tempos como os que Jó suportou, todo o conhecimento das coisas que não é facilmente visto é revelado na Palavra de Deus, na medida em que os nossos olhos podem ser suficientemente esclarecidos. Que verdade maravilhosa. A Palavra de Deus é toda a revelação que precisamos. Está clara. É fácil de compreender. Ele não deixa dúvidas quanto à verdade necessária. Provérbios 6:23 diz “Porque o mandamento é lâmpada, e a instrução luz.”

Assim faríamos a seguinte pergunta: a Bíblia é tão insuficiente que não pode mostrar-nos estas coisas e que nós temos que depender da sabedoria mundana? Temos que ir para os homens a pedir-lhes para explicar o que está acontecendo? Será que precisamos de mais revelação? Será que precisamos de psicanálise para problemas espirituais de fontes que rejeitaram a Escritura até mesmo uma fonte de verdade? A Bíblia é tão incompleta que temos de recorrer à ciência para explicar a origem das coisas, da filosofia para explicar a vida e da sociologia para explicar o pecado? Não, toda a luz da vida está na Palavra de Deus.

E, mais uma vez, dirijo você ao Salmo 119. Observe, por favor o versículo 52. “Lembro-me dos teus juízos de outrora e me conforto, ó SENHOR.” No meio da aflição, voltei-me para a Palavra e fui confortado. Veja o versículo 59, “Considero os meus caminhos e volto os meus passos para os teus testemunhos.” Vi o caminho por onde estava indo e voltei para me alinhar contigo.

Nos versículos 81 a 83, encontramos igualmente um poderoso testemunho para a clareza das Escrituras de como ela ilumina o caminho, “Desfalece-me a alma, aguardando a tua salvação; porém espero na tua palavra. Esmorecem os meus olhos de tanto esperar por tua promessa, enquanto digo: quando me haverás de consolar? Já me assemelho a um odre na fumaça; contudo, não me esqueço dos teus decretos.” Quando você não pode ver e tudo está coberto de fumaça, por assim dizer, você olha para a Palavra.

Versículo 86, “São verdadeiros todos os teus mandamentos.” Versículo 92, “Não fosse a tua lei ter sido o meu prazer, há muito já teria eu perecido na minha angústia.” Versículo 105, “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.” Versículo 130, “A revelação das tuas palavras esclarece e dá entendimento aos simples.”

Versículo 140, “Puríssima é a tua palavra; por isso, o teu servo a estima.” Em outras palavras, ele está dizendo que a Palavra é suficiente para me dar a informação que preciso. Ela ilumina o caminho escuro e me dá compreensão. Sim, a Escritura é suficiente para a salvação, suficiente para a habilidade de viver, suficiente para a alegria, felicidade e satisfação, suficiente para a compreensão clara das coisas que não são facilmente entendidas.

É também, em quinto lugar, no versículo 9 [do Salmo 19], “O temor do Senhor é límpido, e permanece para sempre.” E aqui ele usa o termo "temor" como sinônimo da Sagrada Escritura. Por que ele faz isso? Porque a Sagrada Escritura pretende transmitir temor ou a grandiosidade de Deus para trazer um temor reverente, para nos atrair à adoração. Ele é usado no sentido de que se destina a produzir. A Escritura tem a intenção de produzir medo ou temor ou respeito ou ainda adoração a Deus e por isso é dito ser o temor do Senhor. E já que o hábito da alma humana é a adoração, a Escritura, então, nos instrui a quem devemos adorar e como devemos adorar.

E esta passagem da Escritura que nos instrui na adoração a Deus, diz ela, “é límpido.” Pensamento maravilhoso. A palavra taher é a raiz da palavra. A palavra significa a ausência de impureza, a ausência de imundície, a ausência de corrupção, a ausência de imperfeição. E isso é ser imaculado do pecado, sem maldade, sem corrupção, sem erro.

Novamente, em contraste com a imaginação dos homens maus, a Palavra de Deus é limpa. Não há uma mancha do mal nela. Você pode ir a ela e saber que o que ela diz é absolutamente puro. A verdade que ela transmite não tem nenhuma mancha do mal. O testemunho do salmista no Salmo 12 versículo 6 é maravilhoso. “As palavras do Senhor – ” ele diz – “são palavras puras, prata refinada em cadinho de barro, depurada sete vezes.” A Palavra é tão pura, santificada, santa, separada do pecado.

Agora isso está em contraste com as palavras dos homens. Você não pode sempre confiar neles. Na palavra de Deus você pode. E, consequentemente, você vai perceber, que dura para sempre. Isso quer dizer que você pode segui-la sempre. É digna de confiança o tempo todo. Ela é a Palavra viva e a Palavra eterna, como Pedro disse em 1 Pedro 1:23, e como citei antes. Ela nunca muda. Nunca alterada. Não importa que geração seja. E quando ouço essas pessoas que vêm e dizem, “Bem, a Bíblia não é sofisticada o suficiente para a nossa sociedade high-tech.” Eles não entendem.

A Bíblia é absolutamente pura, sem defeito, sem erro, sem pecado e, portanto, não precisa de atualização, nem edição e nem refino. É perfeita. Devemos acreditar, de repente, que ela se tornou insuficiente, com erros, deficiências e que precisa de correção e edição? Devemos acreditar que ela precisa ser amparada por pessoas que são mais sofisticadas do que o Espírito Santo que a escreveu?

Será que devemos acreditar que ela não pode purificar um coração, uma alma, uma vida? Devemos acreditar que as pessoas têm de ir a algum lugar para aprenderem uma fórmula para se livrarem de seus pecados, e obter uma cura interior, para ter uma limpeza da alma por algum médico em algum lugar, porque a Palavra de Deus não é suficiente para libertar o povo do pecado?

Será que não acreditamos mais em seu poder para purificar uma nação de modo que devemos nos voltar para os poderes políticos para superar a fraqueza da Palavra eterna do Deus vivo? Deus não permita que creiamos nisso por um momento sequer. A Palavra é adequada e suficiente como Palavra limpa, para limpar o coração, purgar o coração.

E mais uma vez, eu chamo você para ver o testemunho do salmista no Salmo 119. Está tudo bem ali. Salmo 119, começando no versículo 3 e poderíamos olhar para uma série de textos... em vez disso a partir do versículo 2. Ele diz, “Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniqüidade e andam nos seus caminhos.”

Pessoas da Palavra são limpas. Pessoas da Palavra são puras. Os versículos 9-11: " De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho?” Como é que você vai purificar sua vida? Tendo uma cura interior? Tendo um encontro com alguém que pode redirecionar seus problemas, porque ele tem algum poder mágico sobrenatural? Ao recorrer a alguma ciência contemporânea da mente? Não, “Observando-o segundo a tua palavra. De todo o coração te busquei; não me deixes fugir aos teus mandamentos, Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.”

No versículo 38, “Confirma ao teu servo a tua promessa feita aos que te temem.” Enche-me com a Palavra. Versículo 67, “Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra.” A Palavra e a obediência caminham juntas. Versículo 101, “De todo mau caminho desvio os pés, para observar a tua palavra.” Versículo 172, “A minha língua celebre a tua lei, pois todos os teus mandamentos são justiça.” Ouça, a Palavra é suficiente para a limpeza. É suficiente para a purificação da vida. É eternamente relevante. É tudo o que é necessário para a limpeza da alma. Não precisamos de profissionais da cura. Precisamos da Palavra de Deus.

E, por último e tão importante, ele diz no versículo 9, a palavra chamada aqui “os juízos – ” ou as ordenanças – “do Senhor são verdadeiros.” E, como resultado, eles são inteiramente justos. A palavra "ordenanças" significa sentenças divinas. Portanto, temos instrução divina, a lei do Senhor; testemunho divino, o testemunho do Senhor; princípios divinos, os estatutos do Senhor. Temos os decretos divinos nos mandamentos. Nós temos a adoração divina no temor do Senhor. E agora temos os veredictos divinos da bancada do juiz de toda a terra. A Bíblia é a determinação judicial de Deus para a vida do homem e destino eterno do juiz eternamente supremo. E ele diz: “Sua Palavra é verdadeira. " Oh, que declaração.

Você sabe como é difícil para as pessoas em nossa sociedade ou em qualquer parte do planeta Terra encontrar a verdade? Você sabe que a batalha é para descobrir a verdade? E nós temos a Palavra que é verdade. A Palavra do Senhor é verdadeira. É sempre verdadeira. Portanto, é sempre confiável, sempre relevante, sempre aplicável em comparação com as mentiras dos homens que são vítimas de seu pai, o próprio diabo mentiroso. Ela é sempre verdadeira.

Ouçam, amados, se a Palavra de Deus é suficiente para a salvação, se é suficiente para transformar perfeitamente a alma de uma pessoa, se ela é suficiente para todas as habilidades da vida espiritual, se é suficiente para trazer alegria completa e superar os sofrimentos e lutas da vida, se é suficiente para trazer a compreensão das coisas obscuras e difíceis de ver, se é suficiente para purificar todos os pecados, e se em tudo isso é sempre verdadeira, então ela tem que ser a fonte de tudo na vida espiritual. Ela é tão confiável.

O fato é que Deus, nessa Escritura que temos em nossas mãos, nos deu uma expressão perfeita da Sua eterna vontade de estabelecer toda a verdade necessária para a vida espiritual e o dever. E creio de todo o meu coração, que esse é o testemunho do próprio Deus. E essa Palavra na vida de um indivíduo fortalecido pelo Espírito de Deus torna a suficiência consumada. Crer em qualquer coisa menos que isso é dar um golpe contra a integridade do Deus vivo.

Agora, observe o resultado da veracidade das Escrituras no versículo 9 de que ela é totalmente justa. Isso é totalmente certo. E a idéia dessa frase é falar de sua abrangência. É totalmente justa. Não há erros nela? Sim. Mas mais do que isso, é uma fonte suficientemente abrangente e completa da verdade.

E é por isso que a Escritura diz coisas como esta. Deuteronômio 4:2, “Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando.” É melhor você não acrescentar nada; é melhor você não tirar nada. Por que? Ela é totalmente abrangente. É completa. Ela diz em Apocalipse 22:18 e 19, “Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro.” Não adicione qualquer coisa. Não tire nada.

Ao dar instruções de como um rei deveria viver, no capítulo 17 de Deuteronômio, versículos 19 e 20, a Palavra do Senhor, disse isto. “E o terá consigo – ” isto é, com o rei –“ e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor, seu Deus, a fim de guardar todas as palavras desta lei e estes estatutos, para os cumprir; isto fará para que o seu coração não se eleve sobre os seus irmãos e não se aparte do mandamento, nem para a direita nem para a esquerda; de sorte que prolongue os dias no seu reino, ele e seus filhos no meio de Israel.” A bênção prometida veio em conexão com a obediência à Sagrada Escritura.

Será que devemos acreditar que precisamos de mais revelação? Devemos acreditar que precisamos de mais visões e palavras de profecia? Você vê como tudo isso é tão ridículo? A Palavra de Deus é suficiente. É verdadeira e absolutamente abrangente. Quero levá-los mais uma vez ao Salmo 119. Versículo 76… desculpe, versículo 89. Vamos começar no versículo 89. “Para sempre, ó SENHOR, está firmada a tua palavra no céu.” Declaração maravilhosa à suficiência e à integralidade abrangente das Escrituras.

Versículo 128, “Por isso, tenho por, em tudo, retos os teus preceitos todos e aborreço todo caminho de falsidade.” Versículo 137, “Justo és, Senhor, e retos os teus juízos.” Versículo 138, “Os teus testemunhos, tu os impuseste com retidão e com suma fidelidade.” Versículo 142, “A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a própria verdade.” Versículo 151, “Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.”

Versículo 160, “As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio, e cada um dos teus justos juízos dura para sempre.” Testemunho tremendo, fonte abrangente completa e absoluta da verdade espiritual necessária para a vida espiritual e atendendo perfeitamente todas as necessidades espirituais do homem. Agora, amados, é uma esforço imenso capturar, em um breve período de tempo, a magnitude desses três versículos. Eles apresentam a suficiência das Escrituras.

Em segundo lugar, quero que você veja como resultado do disso, o valor da Escritura, o valor dela. Veja os versículos 10 a 13. Eu vou só mencioná-los, então ouçam atentamente. É tão valioso quanto recurso abrangente para a vida, inigualável em termos de valor, porque primeiro, ele fornece a maior possessão. Versículo 10, “São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado.” Ouça. A Palavra de Deus é a maior posse. Ter a Palavra de Deus é mais valioso do que todo o metal precioso.

Oh, se pudéssemos fazer nossa sociedade perceber isso. Se pudéssemos apenas levar muitas pessoas da igreja evangélica a perceberem que não temos de prometer às pessoas coisas materiais. A Palavra é a maior posse. É extremamente valiosa porque conduz pelo caminho da alegria, converte a alma, torna sábios os simples, e todas aquelas coisas que já vimos. Ele é a fonte da maior posse.

Em segundo lugar, o maior prazer. No versículo 10, ela diz, “são mais doces do que o mel e o destilar dos favos.” Nada é tão doce, nada é tão agradável, nada é tão enriquecedor, nada é tão pessoalmente significativo. Ela menciona as coisas mais doces da terra. Pelo que você procura? Onde você encontra o seu prazer?

Eu posso honestamente dizer-lhe que não há prazer na vida como o prazer e a alegria, o prazer duradouro e alegria duradoura de horas gastas na Palavra de Deus. Você vê, a solução de todos os nossos problemas não é resultado da insuficiência das Escrituras. É o resultado de uma aplicação adequada das Escrituras, de um estudo diligente adequado das Escrituras. Escritura é a maior possessão e fonte do maior prazer.

Em terceiro lugar, é a fonte da maior proteção. Versículo 11, “Além disso, por eles se admoesta o teu servo.” É uma fonte de proteção. Em face da tentação, do pecado e da ignorância, precisamos da Palavra. Ele nos protege. Nós a escondemos em nosso coração para que não pequemos.

E em quarto lugar, é a fonte do maior lucro, pois na manutenção de suas verdades há grande recompensa. A verdadeira recompensa não é aqui e agora, a verdadeira recompensa não é uma confissão positiva, visualização do que você quer agora. A verdadeira recompensa é a obediência às Escrituras que traz a glória por vir. Em vez de viver para aquilo que podemos acumular aqui e agora, como a preocupação de grupos cristãos com a saúde, riqueza, prosperidade e sucesso imediato, precisamos conhecer a bem-aventurança de viver para a recompensa eterna.

A Escritura, sim, é a única coisa que nos dá, sem dúvida, a maior posse, o maior prazer, a maior proteção, o maior lucro, e em quinto lugar, versículos 12 e 13, a maior de purificação. Ela é uma purificadora. Veja a resposta do salmista. Mesmo quando ele está passando por tudo isso, ele diz, “Quem há que possa discernir as próprias faltas?”

Em meio a este tipo de declaração sobre a Escritura, como eu posso entender por que eu peco, certo? Por que eu iria violar aquilo que pode me transformar e tornar-me sábio, encher o meu coração de alegria, iluminar-me os olhos, purificar meu coração e suprir plenamente todos os meus recursos? Por que eu iria violar tal verdade? Como posso entender isso?

E, olhando para a Palavra, ele clama, “Absolve-me das (faltas) que me são ocultas.” Esses são os que eu não planejo, que não premedito, são aqueles que estão escondidos. E talvez eu nem me lembre de os confessar. E então ele diz, “Também da soberba guarda o teu servo.” Esses são os pecados que eu vejo, premedito, planejar e tenho conhecimento, são pecados arrogantes. “que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão.”

Oh Deus, sustenta-me. O termo “grande transgressão” traz a idéia de libertar-se ou quebrar uma barreira passada, escapando do domínio de Deus, o reino da graça. Assim, você pode ver que uma olhada Escritura provoca um turbilhão, um clamor por pureza no coração. Sim, é a fonte da maior purificação.

Essa pequena lista deve ser algo que você mantenha em algum lugar e quando estudar a Palavra de Deus e olhar para ela, irá lembrá-lo de que ela vai fazer em sua vida. É a maior possessão porque dá a você o que é necessário para todas as questões da vida. É uma riqueza gloriosa. É o maior prazer. Ela enche seu coração de alegria em todas as circunstâncias. É a maior proteção porque o adverte. É o maior lucro. Ela leva você à recompensa eterna. E é a maior de purificação, ela limpa o coração.

A suficiência das Escrituras, o valor dela, por fim, o compromisso com ela. Qual é a resposta para tudo isso? Está no versículo 14. Como o salmista clama, e estou confiante que você o fará do fundo do seu coração, “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!”

O que ele está dizendo é, “Ó Deus, que as coisas que eu penso e as coisas que eu digo ser aceitáveis a Ti.” Por que? Porque eles são consistentes com a Tua..., O que? Tua Palavra, Tua revelação. E ele está dizendo, “Faça-me um homem da Palavra. Torna o meu pensamento bíblico. Faça minhas palavras bíblicas. Mantenha-me na Palavra.” Esse é o compromisso certo.

Eu realmente acredito que estamos vendo coisas tristes acontecendo na igreja evangélica hoje. E eu as apontei em detalhes. Se você não estava aqui na semana passada, você precisa obter a fita e ouvi-la. As pessoas estão deixando a Palavra de Deus, embora afirmem a sua veracidade, e estão correndo atrás de todos os outros tipos de coisas, porque e têm a sensação de que a Palavra não pode atender suas necessidades. E isso é uma mentira do diabo que tem surgido porque nunca realmente viveram uma vida bíblica e nunca foram realmente nobres como os bereanos que, diariamente, examinavam as Escrituras. E eles nunca permitiram que, como disse Paulo aos Colossenses, a Palavra de Cristo habitasse neles ricamente.

Eles trataram de uma forma superficial e nunca gostaram do poder de suas profundezas. Oh, como, neste dia, devemos chamar a igreja de Cristo de volta a uma preocupação, que a consuma, com a Palavra viva de Deus. E não deixe que nossa mensagem seja a mensagem da Bíblia mais o mundo, mas que seja a mensagem da suficiência da Palavra de Deus. Como disse um velho africano em uma tribo uma vez, falando com o grande missionário Robert Moffat. Ele segurava uma Bíblia e disse que àquele missionário, “Esta é a fonte de onde eu bebo e é o óleo que faz a minha lâmpada brilhar.” Que assim seja conosco. Vamos nos inclinar em oração.

Em seu coração neste momento, você pode fazer diante do Senhor uma aliança renovada para se comprometer com a Sua Palavra? Você pode se concentrar em fazer isto? A aliança que você deseja manter diante dEle? Quero dizer que o que ouvimos esta manhã da Palavra de Deus é sem igual e de importância na vida do crente.

Será que você fará uma aliança com Deus para ser um homem e uma mulher da Palavra, encontrando seus recursos ali e aplicando-os? Oh, você nunca irá saber o que a Palavra pode fazer se você não estudá-la. Você nunca saberá o que ela pode fazer se você não a aplicar. Ela é o recurso espiritual consumado através do poder do Espírito Santo.

Pai, eu oro pela minha própria vida e pela vida de todos os que estão aqui e que ouvem esta mensagem, para que estejamos comprometidos com a Palavra que, como lemos no início do Salmo 138, “Tu a engrandeceste acima de tudo o teu nome.” Oh Senhor Deus, ajuda-nos a ser como os nobres bereanos que pesquisavam as Escrituras diariamente. Ajude-nos a encontrar nela, como aquele velho africano, a fonte da qual bebemos e o óleo que ilumina a nossa lâmpada. E a energiza em nós, o Santo Espírito, para que não seja uma ortodoxia fria ou acadêmica mas a verdade viva, por amor de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

< !--Study Guide -->

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize