Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Uma das mais duradouras questões que as pessoas fazem, e isso me tem sido sugerido por diversas pessoas, para que eu falasse sobre isso, é a pergunta, “Como eu posso conhecer a vontade de Deus para a minha vida?” Eu me lembro de quando eu era um estudante na universidade e eu estava envolvido em esportes. Eu jogava futebol americano, basquete e baseball. Os atletas tinham uma grande popularidade. Eles perguntaram se eu poderia falar por ser um cristão. Então, eu comecei a falar na universidade com um aluno aqui e outro ali. Foi a minha primeira tentativa de ser um pregador. Durante este processo, ficou muito claro para mim que as pessoas sempre faziam a pergunta, “Como que eu posso saber a vontade de Deus para a minha vida?” Portanto, desde cedo, eu comecei a estudar isso, tentando discernir o padrão das Escrituras para conhecer a vontade de Deus.

No início do meu ministério de pregação, este era um elemento substancial do conteúdo que eu dava quando eu falava com os grupos de jovens que eu me encontrava regularmente. Por alguns anos, talvez por três anos, eu preguei cerca de 30 a 40 vezes por mês por todo o país a grupos de jovens. Um dos assuntos principais que sempre me era pedido para abordar era a questão de conhecer a vontade de Deus. Houve uma ocasião em que eu pude ir ao Instituto Bíblico Moody. Phil Johnson me lembrou disso. Ele tem me lembrado disso diversas vezes. Ele era um aluno lá quando eu fui falar. Ele falou para alguém, talvez para a Darlene, mas eles ainda não eram casados, “Eu ouvi falar que tem um rapaz chamado MacArthur que está vindo. Ele vai falar sobre o que?”

Eu falei pra eles que eu falaria a respeito da vontade de Deus, e Phil disse, “Ele não sabe que todo mundo que vem aqui fala a respeito da vontade de Deus? Esse é o único assunto que a gente escuta aqui na capela. Por que ele acha que ele pode falar alguma coisa que alguém não tenha dito antes?” Bom, eu não sabia que todo mundo falava a respeito disso e nem sabia que este era um assunto pertinente. Phil disse que apesar de não querer estar ali para me ouvir e nem ouvir outra mensagem a respeito da vontade de Deus, ele queria sentar-se perto da Darlene. Por isso, como resultado de um motivo ruim, ele foi à capela. Ele me lembrou de que eu preguei a respeito da vontade de Deus. Agora, eu não sei o que aquela mensagem fez para as outras pessoas, mas o Phil tem me seguido desde então. Por isso, eu acho que foi a vontade de Deus que ele ouvisse aquela mensagem naquele dia. Você nunca sabe pra onde que a vontade de Deus vai lhe guiar.

Agora, esta é uma pergunta que permanece e que os jovens fazem. Ela é uma pergunta que fazemos ao longo de uma experiência cristã. Onde eu vou estudar? Com quem eu devo casar? Qual deve ser a minha carreira? Será que eu aceito este trabalho, aquele trabalho, esta oportunidade, aquela oportunidade? Será que eu compro isso, vendo isso, faço isso para os meus filhos? Será que eu ensino eles em casa? Será que eu devo coloca-los em uma escola cristã? Existem inúmeras decisões que as pessoas estão fazendo ao longo de suas vidas. Quando eu aposentar, o que eu vou fazer, quando que eu vou fazer, etc, etc? O que eu quero dizer é que não são apenas as grandes decisões. São aquelas de rotina que nós encaramos no nosso dia-a-dia.

Esta questão nos compele. Como que eu sei o que Deus quer que eu faça? Agora, existe uma confusão generalizada a respeito disso. Existem algumas pessoas que pensam que Deus é de certa forma relutante em nos mostrar a Sua vontade por ter um estranho prazer em escondê-la de nós. Por isso, nós passamos pela vida como se tivéssemos jogando uma loteria divina na expectativa de que sejamos sortudos conforme Deus vai anunciando os números e nós sendo sorteados ou não. Deus também tem prazer no fato de que isso está limitado para apenas alguns. Isso não poderia estar mais longe da verdade.

Existem outras pessoas que pensam que a vontade de Deus é quase que uma experiência transcendente. Você está correndo na rua, na chuva. De repente, você escorrega no chão, cai, e cai em uma possa onde tem um mapa da Índia. E então, você entende isso como sendo um chamado divino. Por isso, você corre para se alistar em alguma obra missionária. Existem outros que estão esperando por uma voz. Eles estão esperando por uma voz interior, ou exterior, mandando-os fazer alguma coisa. Isso é muito, muito comum.

Nesta semana, eu recebi um e-mail, um e-mail muito interessante. Foi um gesto bondoso, me dizendo que alguém, generosamente, deu uma cópia da Bíblia de Estudo MacArthur para todos os membros da Suprema Corte dos Estados Unidos. Foi uma coisa bela que foi feita, e eu apreciei muito aquilo. A pessoa que me mandou o e-mail disse que eles ficaram muito felizes com isso porque a pessoa que deu as Bíblias para eles disse que ela fez isso porque Deus falou para ela fazer isso e que estava fazendo, portanto, a vontade de Deus. A pessoa que me mandou o e-mail estava feliz que Deus disse para aquela pessoa fazer isso. Eu fico feliz que eles foram generosos o suficiente para dar aquelas Bíblias para a Suprema Corte, mas eu duvido que Deus falou para eles fazerem isso. Pode ter havido um forte impulso para fazer isso, um forte sentimento que eles interpretaram como se fosse Deus dizendo para eles fazerem isso, mas não teria como saber isso. Deus não se revela mais de forma audível. Ele fechou o cânon das Escrituras. A Palavra de Deus está completa. Esta é a “fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.” Agora, Deus fala através de Sua Palavra.

Será que ele nos dá impulsos? Será que ele nos direciona? Sim, Ele faz isso, mas nós não temos nenhuma forma de saber isso com certeza. Eu não tenho uma luz vermelha na minha mente, como eu disse há um tempo atrás, que liga quando está Deus falando e que desliga quando sou eu falando. Eu não tenho como saber disso. Você faz o que você faz e talvez, você enxerga a mão de Deus. Mas como nós podemos saber a vontade de Deus? Nós não podemos ouvir vozes em nossas cabeças. Nós não temos como saber se aqueles impulsos que nós temos são Deus nos movendo. Nós não podemos esperar alguma experiência monumental acontecer antes de termos algum discernimento.

Como podemos saber a vontade de Deus no nosso dia-a-dia? Deixe-me levar vocês para o lugar onde vocês devem começar. Mateus, capítulo 6. Mateus, capítulo 6. Eu serei muito prático e breve porque eu tenho que expor tudo isso nos próximos 35 ou 40 minutos. Vai passar bem rápido. Em Mateus, capítulo 6, Jesus está instruindo os seus discípulos a respeito de como orar. Nós estamos aqui em um lugar familiar. Ele diz, “Portanto” – versículo 9, - “vós orareis assim:” É isso que eu quero que vocês orem. Este é o tipo de oração de rotina. Este é tipo de oração para ser feita diariamente. Orem desta forma, “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu.”

Agora, isso é uma forma de pensar, e a forma de pensar é, eu me preocupo em que o nome de Deus seja honrado. Eu me preocupo a fim de que o reino de Deus progrida. Eu me preocupo a fim de que a vontade de Deus seja feita. Portanto, se você deseja conhecer a vontade de Deus, aqui é o lugar onde você deve começar. Você começa orando por isso, orando por isso. Sim, você deseja saber a vontade de Deus? Ore por isso. Ore, “faça-se a tua vontade aqui na terra.” Isso não significa apenas no sentido mais amplo possível que Deus faça a Sua vontade, englobando todo o tempo, a eternidade e a criação. Isso não significa apenas Deus realizando a Sua vontade na igreja, ou na igreja local, ou no grupo de pessoas com quem eu me relaciono, ou com minha família ou com meu casamento. Isso é algo pessoal. Eu estou dizendo, “Deus, eu quero que a Tua vontade seja feita.” Esta é a mentalidade necessária e inicial que estabelece a pessoa na vontade de Deus. Você precisa desejar isso. Você nunca chega no, “pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas e não nos deixes cair em tentação,” que são as coisas pessoais a respeito de nós mesmos, até que tenhamos passado pelo portão do, “faça-se a tua vontade.”

Esta é a nossa posição diária. Esta deve ser a nossa mentalidade. Nós desejamos estar no lugar da vontade de Deus. Nós queremos que a vontade de Deus seja feita através de nossas vidas. É claro que o Senhor Jesus deixou o exemplo, do perfeito servo que, ao encarar o pior cenário possível, uma dolorosa morte na cruz através das mãos daqueles a quem ele veio pregar e através das mãos de Deus, o seu próprio Pai; ao encarar uma morte dolorosa na cruz, ele disse, “Não seja feita a minha vontade mas a tua.”

Vocês se lembram no jardim do Getsêmani que ele dizia, “Se houver qualquer forma de não passar pela cruz, se houver alguma forma de deixar de beber deste cálice, que assim seja. No entanto, que seja feita a tua vontade e não a minha.” Esta é a mentalidade essencial. Se você ainda está preocupado com a sua vontade, o seu jeito, os seus planos, a sua realização; você tem pouco ou nenhuma chance de realizar a vontade de Deus. Jesus, muito antes de estar no jardim em antecipação à cruz, muito antes em sua vida disse, “Eu vim para fazer a vontade daquele que me enviou.” Paulo, que seguiu o exemplo de Jesus e enfrentou uma provável morte, disse, “Que a vontade do Senhor seja feita.”

Agora, eu penso que esta deve ser a mentalidade de todo cristão. Abra em Efésios 6:6. Ali existe uma expressão que resume isso de uma forma que eu penso ajuda muito. Em Efésios 6:6, no final do versículo. Eu quero pegar emprestado essa expressão porque eu acredito que ela é uma expressão ubíqua. Isto é, ela pode ser transferida para várias categorias e não está limitada ao seu contexto imediato. A expressão no final do versículo 6 em Efésios 6 é a seguinte, “fazendo, de coração, a vontade de Deus.” Isso, novamente, reflete uma atitude expressa naquela oração. Seja feita a tua vontade. Fazendo, de coração, a vontade de Deus; sem relutar, sem ser algo apenas do exterior, mas de coração. É aqui que nós devemos começar. Então, você quer saber a vontade de Deus para a sua vida? Para isso você precisa desejar a vontade de Deus acima de todas as coisas, seja lá quais forem, seja lá o que isso envolva. Isso precisa ser, de certa forma, a mortificação ou a aniquilação de sua própria agenda, de sua própria vontade, de seus próprios desejos, de seus próprios anseios, de suas próprias esperanças, sonhos, planos e ambições. É aqui aonde você deve começar. Eu lhe garanto que se você não tiver um compromisso que vem do seu coração com a vontade de Deus, você não a experimentará em toda a sua grandeza.

O apóstolo Paulo por diversas vezes em seus escritos usou a pequena frase, “pela vontade de Deus” ou “na vontade de Deus.” Por exemplo, no primeiro capítulo de Romanos, se não me engano, no versículo 10. Novamente, no capítulo 15 ele usa esta expressão de novo. Colossenses 4:12 fala “pela vontade de Deus” ou “na vontade de Deus.” Pedro também fala sobre isso. Ele diz em sua epístola, 1 Pedro 4, que nós devemos viver, “pela vontade de Deus ao invés dos desejos da carne.” Existem duas questões que estão competindo em sua vida. Uma é o desejo da carne, o que você quer, como você quer, quando você quer, como você quer. A outra é a vontade de Deus. Ou você vive de acordo com a vontade de Deus ou de acordo com a vontade da sua própria carne.

Portanto, quando vamos falar a respeito da vontade de Deus, devemos começar com este fundamento. Você está disposto a fazer a vontade de Deus de coração, não importa o que isso envolva ou significa? É aqui que você começa a dar os passos necessários para experimentar a vontade de Deus. Enquanto você estiver agarrado à sua vontade, à sua agenda, aos seus planos, às suas ambições, aos seus propósitos, existirá um conflito que não alcançará a vontade de Deus.

Agora, deixe-me definir a vontade de Deus para você a fim de que nós saibamos do que nós estamos falando. Se nós pegarmos estes conceitos compreensíveis a respeito da vontade de Deus, nós poderíamos dividi-los em três categorias. Primeiro, existe a vontade de propósito ou o que os teólogos chamam de vontade de decreto. Existe uma vontade de Deus que está amarrada ao seu plano eterno. Isso é visto em diversos lugares na Bíblia. Vou lhes dar apenas um exemplo. Jeremias 51:29. Ele diz, “porque cada um dos desígnios do Senhor está firme.” Existe uma vontade de Deus que é o Seu propósito, que Ele vai cumprir. Não é algo que ele deseja que não aconteça. É o que ele tem como propósito que aconteça.

É a vontade de Deus que está essencialmente expressa em Romanos 8:28. “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus e que são chamados de acordo com o seu propósito.” É a vontade do propósito divino. Ele teve como propósito criar o homem. Ele teve como propósito redimir o homem. Ele teve como propósito salvar aqueles que o Pai escolheu. Ele teve como propósito eleger a nação de Israel para ser a nação que transmitiria a sua lei e o seu evangelho. Ele teve como propósito deixar a nação de lado com a sua descrença mas um dia restaurar esta nação e salvá-la. Ele teve como propósito enviar o Seu Filho ao mundo a fim de viver, morrer, ressuscitar e ascender ao Seu braço direito, e enviar o Espírito Santo para estabelecer a igreja.

Ele teve como propósito que a igreja fosse o grupo redimido que seria arrebatado. Ele teve como propósito um tempo chamado de tribulação, que terminará com o retorno de Cristo, estabelecerá o Seu reino milenar de 1000 anos, que se tornará o cumprimento de todas as promessas feitas a Abraão e Davi. No final deste tempo, a destruição de todos os homens descrentes e demônios, assim como o estabelecimento do novo céu e da nova terra, que é o estado eterno. O vasto plano redentor é a vontade de Deus de ter um propósito, e todo o propósito do Senhor será cumprido.

Para demonstrar isso, novamente, volte para Efésios 1 se você ainda estiver em Efésios 6, no versículo que eu comentei a algum tempo atrás. Se você não estiver lá, vá para Efésios 1. Vale a pena examinarmos esse texto brevemente. Em Efésios 1:9, nós vemos a frase, “desvendando-nos o mistério da sua vontade.” Ele tem uma vontade aqui, e esta é a sua vontade do plano e propósito eterno, que era um mistério antes dele revelar. Ele nos revelou isso, e aqui está: “segundo o beneplácito que propusera em Cristo.” Tudo bem. Agora nós estamos olhando para a vontade do propósito. Esta é a vontade de Deus, que estava oculta, e agora foi revelada, através da qual ele tem como propósito expressar a sua bondosa intensão a nós em Cristo. Portanto, é o propósito de Deus ser bondoso aos pecadores e redimi-los através de Cristo.

O versículo 10 diz, “na dispensação,” ou na administração que inclui ou se encaixa no esquema que culmina na “plenitude dos tempos”. O que é isso? “Este é o resumo de todas as coisas em Cristo; tanto as do céu como as da terra.” Esta é a visão maior da intensão de Deus, a qual ele teve como propósito antes do tempo começar, em Cristo, através de todo o plano redentor na plenitude dos tempos, o qual é o resumo de todas as coisas no reino milenar glorioso e no eterno novo céu e nova terra. Esta é a sua vontade de propósito.

Nós compartilhamos disso, versículo 11. “nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito”. Ele planejou desde o início que nós recebêcemos uma herança no final de tudo, e Ele fez isso, versículo 11, “segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade”. Ali está dito de pelo menos três formas. Deus tem uma vontade de um propósito eterno, a qual ele está cumprindo. Isso se refere ao seu plano eterno.

O segundo elemento da vontade de Deus é a sua vontade de desejo. Vamos chamar de Sua vontade de desejo. No primeiro, na vontade do propósito, tudo o que Deus tem como propósito acontece do jeito que Ele pretendeu. Na segunda categoria, na Sua vontade de desejo, Deus tem vontade de coisas que não acontecem. Deus tem vontade de coisas que não acontecem. Isso, também, é algo misterioso para nós. Este elemento da Sua vontade não é totalmente explicado para nós nas Escrituras, mas existem coisas que não agradam a Deus. Elas não agradam a Ele. Por exemplo, Deus diz, “Eu não tenho prazer na morte do” – de quem? – “ímpio.” Ele desejou que Jerusalém fosse salva, de acordo com Lucas 13:34, e eles não foram. Ele não deseja que qualquer pessoa pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. Isso é algo limitado. Nós vamos falar mais a respeito disso em alguns instantes.

No entanto, também é verdade que Deus diz a Jerusalém, “Quantas vezes,” através das palavras de Cristo, “eu desejei ajuntar-vos, porém vós não desejastes.” No Antigo Testamento, Deus diz através do profeta, “Por que morrereis?” No Novo Testamento, “Vinde a mim,” Jesus disse, “todos que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos darei descanso.” Quando Jerusalém não se arrependeu, Jesus chorou. Percebe, existe um desejo da parte de Deus que não se cumpre. Deus não tem nenhum prazer no pecado, em uma nação pecaminosa. Deus não encontra nenhum prazer no pecado eterno. E preste atenção nisso, Ele não tem nenhum prazer no pecado eterno, que é o inferno essencialmente. É um estado em que seres, anjos e pessoas, existem para sempre em um estado de pecado e ódio permanente de Deus; ainda assim, Ele permite isso. Este é o mistério. Por que Ele permite isso? Por que isso se encaixa em sua glória. Faz parte da sua glória manifestar a sua natureza através da ira e do julgamento contra aqueles que recusam o evangelho.

Aqui você tem a sua vontade de propósito, que sempre acontece. Existe também a vontade do Seu desejo, que vai contra o Seu prazer. No entanto, o que nós estamos falando aqui é de uma terceira categoria. Esta é a vontade de Deus de comandar. É a vontade de Deus de comandar. Existe um elemento da vontade de Deus nas Escrituras que demonstra o mandamento de que Ele deseja que o Seu povo obedeça. Ele deseja que nós obedeçamos. Ele nos dá a liberdade de obedecê-lo ou não. É disso que nós estamos falando. Qual é a vontade de Deus para a minha vida? Não no sentido do seu plano eterno. Qual é a vontade de Deus para a minha vida se eu sou Dele, se eu pertenço a Ele, se eu fui um dos escolhidos por Ele e predestinado, selecionado para pertencer a ele? Qual é a vontade Dele para a minha vida? Esta é a questão. Para a minha vivência aqui, a vontade que está relacionada aos seus mandamentos para a vida aqui. Não existe nenhum mandamento na eternidade porque existe apenas obediência e nada além disso.

O que Ele quer de mim? Tudo bem, eu vou lhe dizer. Primeiramente, eu vou lhe dizer o seguinte: Deus deseja algo de você. Ele tem uma vontade para a sua vida. Agora, se Ele tem uma vontade para a sua vida, eu acredito ser muito óbvio que Ele deseja que você saiba disso. Você concordaria com isso? Será que nós podemos, pelo menos, fazer esta conexão racional? Deus tem um propósito para a sua vida em termos de vontade de mandamento. Ele tem um propósito e uma direção para a sua vida aqui e agora neste mundo. E se Ele tem uma vontade, Ele deseja que você a conheça. Se Ele deseja que você a conheça, então é concebível que Ele a revelasse no lugar mais claro possível, não é? Portanto, a pergunta permanece, onde você a encontraria? Bom, você tem apenas um lugar para procurar. A fé cristã é limitada a um livro, e este livro é a Bíblia. É para lá que nós vamos.

“Sim”, você diz, “mas espere um pouco. Não existe nenhum capítulo a meu respeito lá. Não existe nenhum capítulo lá que diz com quem eu devo casar, onde eu devo ir, ou o que eu devo fazer e etc.” Ah é? Você vai se surpreender. Você está aqui. Você está aqui. Não é primeira carta de Alberto ou terceira de Elizabeth, mas está aqui e eu vou lhe mostrar isso. Primeiro, a questão principal é, “Deus revelou a Sua vontade nas Escrituras? Resposta: sim. Agora, se Ele revelou a Sua vontade nas Escrituras e você não está fazendo a Sua vontade revelada nas Escrituras, então o que lhe dá o direito de exigir Dele, a Sua vontade não está revelada aqui? Basicamente, esta é a questão. Você não tem nenhuma esperança de descobrir a vontade Dele para você especificamente, que não esteja revelada, a não ser que você esteja obedecendo a Sua vontade que está revelada. Portanto, vamos começar aqui.

Se você passar conosco por algumas destas passagens, você vai notar este pequeno esboço. Eu o coloquei em algumas notas de roda pé na Bíblia de Estudo MacArthur com a esperança disso servir de alguma ajuda. Vamos falar a respeito da primeira coisa que sabemos que é a vontade de Deus. A vontade de Deus é que você seja salvo. A vontade de Deus é que você seja salvo. A vontade de Deus, expressa como demonstrei anteriormente em 2 Pedro 3:9, e quero definir esta passagem um pouco para você. Aqui está a vontade de Deus expressa àqueles que são Seus. Versículo 9, “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada”, ou negligenciada, “pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.”

Deus não deseja que você pereça, mas que você se arrependa. Deus deseja que você seja salvo. Agora, este é um versículo muito interessante. Vamos vê-lo rapidamente. O contexto é julgamento. Veja o versículo 7. Ele fala sobre os céus e a terra “Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios.” Versículo 10, “Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados”.

Assim, estamos falando aqui a respeito do julgamento final, do julgamento final. Pedro entende que isso está vindo, mas a questão que ainda permanece é, por que Deus não traz o julgamento? Por que ele permite que as coisas piorem cada vez mais? Por que Deus não intervêm? O que eu quero dizer é, nós estamos olhando para os nossos relógios e nossos calendários, dizendo, “É hora de vir e acabar com esta miséria e acabar com este pecado, e acabar com esta afronta à Sua santidade. Deus, por que você não se mexe? O tempo está passando sem necessidade”. Seria Deus demorado? Literalmente, ele está tardando? Ele está perdendo tempo? Ele simplesmente é negligente?

Somos lembrados no versículo 8 que o criador divino do universo não opera no tempo. “um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia”. O que parece um longo tempo para nós não é nada para Ele. Portanto, Ele não opera de acordo com o nosso tempo, nosso relógio, e nossos calendários, lembre-se disso. O fato de Deus ainda não ter cumprido a promessa do julgamento , o fato dele não vir e destruir o universo é porque Ele é paciente com você, ou, como outros textos dizem, “conosco”, que é a mesma coisa. Isto é, como ele não deseja que nenhum dos seus pereça, ele espera até que todos os que foram escolhidos cheguem ao – que? Arrependimento.

A razão pela qual Deus não desligou o mundo ainda, a razão pela qual Ele não veio com seu poder destrutivo é porque nem todos os Seus foram salvos. A vontade de Deus é que os pecadores sejam salvos, e Ele, que prometeu, é fiel. Ele cumprirá a sua promessa de julgamento, mas Ele espera pacientemente até que o “todo aquele” que seja dele, o “você”, o “nós” e o “todos” se arrependam e sejam salvos. A demora não é porque ele está retardando. É porque ele pacientemente espera que os seus sejam salvos. Você nem sequer pode entrar nesta categoria de experimentar a vontade de Deus se você não é salvo. Ela pertence somente aos que são salvos.

Deixe-me ser bem claro, se você não é cristão, se você não é salvo, se você não confessou Jesus como Senhor e Salvador, se você não se arrependeu e o abraçou, não existe nenhuma vontade de Deus para você a não ser uma. A vontade de Deus é que você pereça eternamente no inferno eterno. É isso. O resto não importa. Não importa. Se você não foi salvo, não faça a pergunta, “O que você deseja da minha vida?”. Se você não vai se engajar na fé em Jesus Cristo, você nem sequer é capaz de conhecer ou experimentar a vontade que Deus tem para os que são salvos.

Agora, veja 1 Timóteo 2, 1 Timóteo 2:4. O versículo 3 nos introduz a Deus como salvador, Deus nosso salvador que deseja que todos os homens sejam salvos e alcancem o conhecimento da verdade. Isso significa todos os que são Seus, todos os quais foram escolhidos por Ele, todos os que Ele decretou ou teve como propósito que fossem salvos. Deus deseja que todos eles se acheguem a Ele. Como eu disse, não existe nenhum prazer em Deus na morte do ímpio. Ele odeia o pecado. Ele odeia as suas consequências. Ele não deseja que as pessoas permaneçam ímpias para sempre com um ódio eterno por Ele e pelo inferno, mas Ele permite que isso aconteça. Ele suporta, de acordo com Romanos, “ele suporta os vasos de destruição”. Mas ele esperará cumprir o Seu desejo de que os Seus venham ao conhecimento da verdade e sejam salvos.

Somente as pessoas que são salvas, somente as pessoas que abraçarem o Salvador, somente as pessoas que fazem a vontade do Pai nas palavras de Mateus 12 e Marcos, capítulo 3; somente estes que fazem a vontade de Deus ao crer no Filho, abraçam o Filho, de acordo com João 2:17, terão a vida eterna. Portanto, este é o primeiro elemento da vontade de Deus. Se você deseja conhecer a vontade de Deus, então seja salvo, abrace a Cristo como seu Senhor e Salvador.

Em segundo lugar, abra em Efésios 5, Efésios 5, o segundo ponto a respeito da vontade de Deus. Estamos lhe mostrando a vontade de Deus que está revelada. Depois mostrarei como saber a parte que não está revelada nas Escrituras, a parte que se aplica especificamente para você. Você vai gostar muito disso quando chegarmos lá. Efésios 5, “Portanto, não vos torneis insensatos”, outra palavra para isso é todo. “Não seja tolo, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.” Portanto, se você não entende a vontade de Deus, você é o que? Certo, burro. É isso que o texto diz. Paulo não polpa palavras, não é?

Agora, você diz, “Bom, então qual é? Qual é?” Aqui está, versículo 18. Aqui está, “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” Agora, deixe-me lhe dar um contexto a respeito disso. É muito ridículo. Os crentes, vindo de religiões pagãs, tinham experimentado sua adoração nas religiões de mistério gregas. Dentro da mentalidade daquela adoração estava a idéia de que se você quisesse se comunicar com os deuses, você deveria se comunicar com os deuses através da bebedice.

Isso era algo muito parecido com os enganos do anos 60 de Timothy Leary e da cultura de drogas que disse que se você tomasse drogas, e ficasse louco, aquela loucura seria uma loucura religiosa, uma experiência religiosa que levaria você a se comunicar com as divindades. Isso foi algo emprestado diretamente das religiões gregas de mistério, onde você iria para o templo de Ábaco. Eu estive lá nas ruinas ao leste de Damasco, das grandes festas bacanais. O que eles faziam era se envolver com as profetizas em orgias sexuais, e depois praticavam glutonaria. Portanto, havia um enorme buraco no meio do corredor onde eles vomitavam a fim de poder comer novamente. Ao mesmo tempo, eles bebiam. Todas as colunas lá tinham videiras e uvas para celebrar Baco, o deus da embriaguez.

Esta era uma forma de você entrar em uma hipnose através de orgias sexuais, glutonaria, e embriaguez, sendo elevado para se comunicar com as divindades. Paulo vem e diz, “Errado! Se você fizer isso, você não irá subir. Você irá descer. Isso é dissolução.” O que é dissolução? É um sinônimo de desintegração. É exatamente o oposto de elevação. É algo destrutivo. Se você deseja se comunicar com Deus, se você deseja subir, se você deseja comunhão com Deus, se você deseja conhecer o coração e a mente de Deus, então não faça isso. Faça o seguinte, “Seja cheio do Espírito.”

É isso que produz comunhão com Deus. É isso que produz intimidade com Deus. É isso que produz o conhecimento da mente de Deus. Todos os cristãos possuem o Espírito Santo, Romanos 8:9. Se você não tem o Espírito, você não é um cristão. Se você é, você tem o Espírito Santo. 1 Coríntios 6:19-20, “O seu corpo é templo do Espírito Santo.” 1 Coríntios 12:12-13, “Todos bebemos do Espírito.” O que nós precisamos então é sermos cheios do Espírito Santo. Isso indica a ideia de controle total. A palavra “encher” é a palavra plēroō. Deixe-me esclarecer o que esta palavra significa. Ser cheio não é estático. Não é a ideia de encher um copo. Ela é melhor ilustrada olhando para o seu uso em diversas ilustrações no evangelho. Eu acho que você vai perceber de forma muito clara.

Por exemplo, a palavra plēroō é usada em João 16:6, “a tristeza encheu o vosso coração”. Agora, isso está falando a respeito da tristeza dominar uma pessoa, da tristeza tomar controle. Lucas 6:11 diz, “Mas eles se encheram de furor.” Lucas 4:28, “se encheram de ira.” Lucas 5:26, “possuídos de temor.” Em cada caso, a palavra está indicando uma emoção dominadora, literalmente a perda de qualquer sentido de equilíbrio. Quando você diz que alguém está cheio de tristeza, você quer dizer que essa tristeza não consegue mais ser misturada com a alegria para nos manter equilíbrados emocionalmente.

Quando você diz que alguém está cheio de loucura, você diz que ele está no fundo do poço, boom! A balança está totalmente pendendo para um lado só. Quando você diz que uma pessoa está cheia de ódio, nós dizemos que ela perdeu a razão. É de pavil curto. Quando você diz que alguém está cheio de medo, dizemos que estão em pânico. Não há como ver, de forma alguma, equilíbrio em sua estabilidade emocional. Basicamente, passamos pela vida e existem coisas que tornam nossa vida feliz. Existem coisas na vida que nos tornam tristes, e elas estão aí o tempo todo. Estamos tentando manter o equilíbrio. Quando você passa pela vida e você começa a olhar para as coisas tristes e começa a se concentrar nisso, a balança começa a ficar tendenciosa para um lado. Você busca se animar e pensar nas coisas boas que estão acontecendo, e você basicamente se equilibra ao longo da sua vida.

O mesmo é verdade com a ira. Existe muitas coisas que você poderia se irritar e ficar furioso. Então, você começa a pensar em todas as coisas que você deveria ser agradecido, e você mantém o equilíbrio. Há coisas que poderiam assustar se você pensar a respeito de terremotos, incêndios, enchentes, tiroteios, acidentes de carro, acidentes de avião, câncer e doenças do coração. Você poderia passar pela vida em pânico total, mas você não faz isso. Você pensa nos seus filhos. Você pensa nos seus netos. Você sente o cheiro de uma flor. Você tem um bom jantar. Você beija a pessoa que você ama.

Você equilibra a sua vida até que a pessoa que você ama morre, e então você fica cheio de tristeza. Ou até que você entra na sua casa um dia e tem um homem ali apontando uma arma para você, você está virado para a arma, e você não consegue mais equilibrar o seu medo. Ou quando você está em um avião e o motor para de funcionar e você diz, “estas coisas não planam” e o seu coração fica na sua garganta. Esta é a palavra “encher”. Significa controle. Não é mais possível manter o equilíbrio. Você vive a sua vida cristã, e é triste dizer isso, a maioria vive assim; existe um equilíbrio. Tudo bem, o Espírito Santo aqui e eu ali. Nós estamos apenas mantendo isso equilibrado como conseguimos. Eu fui para a igreja algumas vezes no último mês. No domingo de manhã eu fiquei até o final; Eu não saí mais cedo. Espírito Santo, você deve estar feliz com isso. Eu li a Bíblia duas vezes no último mês e fiz algumas boas obras. Aqui, eu fiz algumas coisas para eu mesmo. Eu dei um pouco e eu receberei um pouco.

Olha, ser cheio do Espírito significa que você já era. Você já era. Você não tem mais vontade. Você não tem mais objetivos. Você não tem nenhuma ambição a não ser aquelas que pertencem ao Espírito Santo, não é? Isso significa estar cheio do Espírito Santo. Isso significa ser dominado, controlado pelo Espírito Santo. Controle total, com a balança completamente do lado do Espírito Santo.

A ideia é estar completamente sob o controle do Espírito Santo. Isso significa simplesmente que você está dominado pela mente do Espírito. Agora, como isso pode acontecer? Bom, não é apenas uma experiência estática. Não é uma nuvem sobrenatural que vem e faz certas coisas. Ser dominado pela vontade do Espírito, ser dominado pela mente do Espírito é ser dominado pelas Escrituras. Eu não consigo ser mais claro do que isso. Não é estático. Não é algo emocional. Não é algo transcendente. Ser controlado pelo Espírito significa simplesmente obedecer a Palavra de Deus porque a Palavra de Deus é revelada pelo Espírito Santo, não é? Quem é o autor das Escrituras? “Toda Escritura é inspirada por Deus, expirada por Deus, o Espírito de Deus. Homens santos do passado foram movidos pelo Espírito Santo”.

E claro, em Efésios capítulo 5 – você conhece esta passagem – diz, “Enchei-vos do Espírito”, e então ele fala o que acontece. “falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor”. Você começa a louvar e a louvar e quando você fica cheio do Espírito você louva, louva e louva porque você está dominado pelo Espírito Santo. E então você agradece. Você agradece por tudo que veio a você através do Senhor Jesus Cristo. Você agradece a Deus Pai.

E então vocês se submetem uns aos outros no temor de Cristo. Se você é uma esposa, você se submete ao seu marido. Se você é um marido, você ama a sua esposa. Se você é filho, no versículo 1 do capítulo 6, você obedece os seus pais. Se você é um pai, você não provoca a ira dos seus filhos, mas você os ensina na disciplina e na instrução do Senhor. Se você é um empregado, você é obediente ao seu chefe, no versículo 5. Se você é um chefe, de acordo com o versículo 9, você cuida dos seus empregados. Todos os relacionamentos são afetados por isso.

Primeiro, você louva a Deus. Você agradece a Deus. Vocês se submetem uns aos outros, o que você deve ser como esposa, o que você deve ser como marido, o que você deve ser como filho, o que você deve ser como pai, e até mesmo fora de casa em seus relacionamentos sociais, você é o que você deve ser. Isso afeta todas as áreas da sua vida. Isso é o que significa ser cheio do Espírito, Efésios 5.

Abra em Colossenses 3. Deixe-me lhe mostrar um paralelo aqui. Colossenses 3:16. Você verá a mesma coisa aqui: ensino, admoestação uns com os outros, salmos, hinos, cânticos espirituais. Colossenses 3:16, cânticos, gratidão a Deus em seus corações; exatamente o que é dito em Efésios 5, exatamente o que é dito lá. Versículo 18, esposas sendo submissas aos seus maridos. Versículo 19, maridos amando suas esposas. Versículo 20, filhos obedecendo seus pais. Versículo 21, pais que não irritam seus filhos. Os empregados no versículo 22 e os chefes no capítulo 4, versículo 1.

Tudo isso na mesma categoria, com o mesmo resultado, tendo apenas uma diferença. Volte para o versículo 16. O texto não diz para você ficar cheio do Espírito para que isso aconteça. Ele diz, “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo”, e isso acontecerá. Preste atenção, se o efeito é o mesmo, então a causa é a mesma, não é? Se os efeitos são os mesmos, e eles estão em Efésios 5 e Colossenses 3, se os efeitos são os mesmos, a causa é a mesma. Em um lugar, ele diz, “Enchei-vos do Espírito”. Em outro lugar ele diz, “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo”. Conclusão: Estas coisas são iguais.

Ser controlado pelo Espírito, ser literalmente dominado pelo Espírito não é diferente do que ser controlado pela mente do Espírito, que está revelada nas Escrituras. Portanto, qual é a vontade de Deus para a sua vida? A vontade de Deus é que você seja salvo, e que você seja cheio do Espírito, o que significa estar sob um controle constante da mente do Espírito expresso na Palavra.

Em terceiro lugar, abra em 1 Tessalonicenses, capítulo 4. Isso é prático, muito prático. 1 Tessalonicenses, capítulo 4. Agora, nós já dissemos que a vontade de Deus é que você seja salvo. A vontade de Deus é que você seja controlado pelo Espírito, cheio do Espírito. Em terceiro lugar, veja o capítulo 4 de 1 Tessalonicenses, versículo 3. Preste atenção nisso, “Pois esta é a vontade de Deus”. Que tal isso? Não foi tão difícil de achar como você imaginava, não é? Ela estava aqui o tempo todo. “Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação”. O que isso significa? Santidade, pureza, separação do pecado. Esta é a vontade de Deus. Esta é a vontade de Deus. O que você quer dizer com isso? O que você quer dizer com isso? Esta é uma categoria muito ampla. Vou lhe dizer o que isso significa. Isto é, de acordo com o versículo 3, “que vos abstenhais da prostituição”. Uau, princípio número um: a vontade de Deus é que você fique longe do pecado sexual. Entendeu? Fique longe do pecado sexual.

Alguém pode dizer, “Quão longe?” Esta é uma boa pergunta. Longe o suficiente para ser santo, longe o suficiente para não se manchar, longe o suficiente para não ser sujo, longe o suficiente para não ter pensamento ilícito sendo alimentado em sua mente. Fique longe disso. Isso é um negativo. Fique longe. Agora, tem um positivo no versículo 4, no versículo 4. “que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra”.

Princípio número um: fique longe do pecado do sexo. Quão longe? Longe o suficiente para não se manchar com as suas influências, para ficar longe de qualquer pensamento ilícito. Segundo, faça com que seu corpo honre a Deus. Isso é algo positivo. O negativo é ficar longe do pecado do sexo. O positivo é usar o seu corpo para a glória de Deus. Não faça nada que O desonre e faça o que lhe traga honra. O terceiro princípio está no versículo 5, “não com o desejo de lascívia como os gentios que não conhecem a Deus.” Não aja como o mundo ao seu redor. Não fique preso ao estilo de vida que o mundo ao nosso redor vive. Não aja como ímpios sem Deus. Não se comporte como eles se comportam. Você não deve sucumbir a esta cultura.

Como eles se comportam? Como que as pessoas sem Deus se comportam? Eles se comportam na base da lascívia. Eles desejam algo, eles usam aquilo e então eles justificam. Você não pode viver desta forma. Você não pode viver baseado na forma como os ímpios vivem. Eles vivem de acordo com as suas paixões lascivas. É o que o texto diz. Você não deve viver assim. Esta não é a vontade de Deus. Não aja como um ímpio sem Deus. Em quarto lugar, não ultrapasse a linha – é isso que significa, “nem defraude a seu irmão.” Não tire vantagem sexualmente de outra pessoa. Não ultrapasse esta linha. Não tire vantagem de outra pessoa. Você está defraudando aquela pessoa de sua virtude, de sua santidade, de sua pureza. Não faça isso. Esta é a vontade de Deus.

Às vezes um casal de namorados entra aqui e deseja um aconselhamento. Normalmente, a primeira pergunta que nós fazemos é, “Vocês estão tendo um relacionamento sexual? Porque se vocês estiverem, como que vocês vão saber se Deus quer que vocês se casem? Como vocês saberiam a respeito da parte não revelada da vontade de Deus quando vocês não estão nem obedecendo a parte que ele revelou? Deus não tem nenhuma obrigação de lhes mostrar a Sua vontade de forma pessoal quando vocês não obedecem a vontade que Ele revelou nas páginas de sua Palavra.

Isso é bem sério. Versículo 6. “Vocês devem fazer isso”, versículo 6, “porque o Senhor é o vingador contra todas estas coisas”. Ele diz, “Como antes vos avisamos e testificados claramente”. Isso é uma daquelas coisas que você não diz apenas uma vez. Eu te falei. Eu te falei. Eu te falei claramente, e eu estou te falando de novo, “Não viva desta forma porque Deus é o vingador”. Por que? O versículo 7 repete o que o versículo 3 disse, “porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação”. Alguém dirá, “Bom, eu não tenho que ouvir isso”. Tudo bem, veja o que Deus diz, versículo 8, “Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo”.

Você percebe, a vontade de Deus: seja salvo. Se você é salvo, Ele te dá o Espírito. Se Ele te dá o Espírito, então ele espera que você seja santo porque você tem a capacidade através do Espírito de ser santo quando você é controlado pelo Espírito através do poder controlador da verdade em você. Você está nesta igreja; é por isso que nós ensinamos te ensinamos a verdade, e ensinamos a verdade, e ensinamos a verdade, para lhe dar a mente do Espírito a fim de que o Espírito de Deus possa controlar a sua vida. O Deus que lhe deu o Espírito Santo para fazer exatamente o que Ele espera de você para ser santificado.

Qual é a vontade de Deus? Que você seja salvo, cheio do Espírito, santificado. Você pode começar a perguntar, com quem eu devo casar, qual emprego escolher, qual escola ir, e demais coisas? Quando você começar a obedecer a vontade de Deus que foi revelada. Então, você pode perguntar a Deus a respeito da parte que Ele não revelou. Mas existe uma quarta questão, e eu vou apenas mencionar isso porque nosso tempo já se foi: submissão, submissão. 1 Pedro 2. É muito claro. Ele diz em 1 Pedro 2, “Sujeitai-vos a toda instituição humana por causa do Senhor, quer seja ao rei, como soberano, quer às autoridades, como enviadas por ele, tanto para castigo dos malfeitores como para louvor dos que praticam o bem”.

Além disso, biblicamente, o governo tem uma função dominadora. O governo, como conhecemos nos Estados Unidos e no resto do mundo, está muito além do que Deus tinha em mente para o governo fazer; o governo foi instituído para punir os maus e recompensar as pessoas que fazem o bem. Era essencialmente para ser assim. Era para a proteção do povo para que você não vivesse em uma sociedade onde apenas os mais fortes prevalecem. Portanto, Ele diz que você precisa se submeter ao governo porque ele foi ordenado por Deus, de acordo com Romanos 13. Versículo 15, “Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos”.

Se você se submeter à sociedade, nós não esperamos que ela seja uma sociedade que viva de acordo com Deus. Ela não é uma sociedade que honra a Cristo; nem era assim a sociedade na qual Pedro estava falando nos seus dias. Você se submete a instituição do governo e você cala aqueles que criticam o Cristianismo. É muito triste hoje que tantos cristãos estão tão envolvidos em influências políticas e nas demais coisas do governo que eles acabam com o crédito de Jesus Cristo pois o mundo começa a nos enxergar como apenas um outro partido político ao invés daqueles com uma mensagem de redenção. Portanto, se nós queremos calar a boca dos críticos, então nós precisamos viver vidas de acordo com Deus. Parte de viver esta vida é ser submisso. Este é parte do motivo do porque eu escrevi este livro, Por que o Governo Não Pode Salvar Você, para trazer os cristãos ao caminho certo. Mas é a vontade de Deus que nós vivamos vidas piedosas em uma sociedade ímpia, e nos submetemos às autoridades quando eles erguem os padrões do certo e do errado. Em outras palavras, nós fazemos o que é certo em nossa sociedade.

Assim, seja salvo, cheio do Espírito, santificado, e faça o que é certo como um cidadão da sociedade e submeta-se às autoridades. Existe um quinto item no meu esboço: sofrimento. Aqui em 1 Pedro, você pode notar no capítulo 3, versículo 17. “porque, se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal.” Agora, pessoal, o que eu vou dizer é muito importante. Se você vai fazer a vontade de Deus, ser salvo, cheio do Espírito, santificado e submisso, existe em algum momento uma colisão com as pessoas que estão à sua volta que não estão vivendo este estilo de vida. O que acontecerá é que a perseguição virá. Algum tipo de perseguição virá. Pode ser algo muito bruto, como diz no capítulo 4, versículo 12. O que eu quero dizer é que pode ser algo muito, muito sério.

Assim, poderíamos sofrer. No capítulo 5, versículo 10, nós podemos sofrer um pouco aqui nesta vida, de acordo com a vontade de Deus. Nós sabemos que Deus usa este sofrimento para nos aperfeiçoar, nos moldar, nos tornar mais humildes, nos ajudar a ser mais agradecidos e mais confiantes Nele e para demonstrar a Sua graça a nós. Mas o que Ele está dizendo, pessoal, é para não cedermos porque a forma de você mitigar seu sofrimento é cedendo, não é? É difícil viver uma vida cristã na sua família, então você abre mão de algumas coisas. É difícil viver uma vida cristã em sua escola, então você fica quieto e você abre mão.

A vontade de Deus é que se você sofrer, que você sofra pelo que é certo. Continue fazendo o que está certo, acreditando no que é certo, proclamando o que é certo, e se você tiver que sofrer, você sofre. Esta é uma mensagem difícil de passar porque a igreja pulou fora disso.

Nós estamos em uma avalanche de declínio da igreja evangélica hoje. Existem três passos neste declínio. Eu estava pregando durante toda esta semana aos estudantes todos os dias da semana na faculdade ou no seminário, e eu estava falando para os estudantes do seminário que existem três tipos de pregação que mostram a desintegração da igreja e o processo em que nós estamos agora. Número um, existe a pregação bíblica, que é, veja bem, doutrina bíblica com uma vestimenta bíblica. O que isso significa é que você prega a verdade das Escrituras através das Escrituras. Você entendeu isso? Isso é exposição bíblica. Em outras palavras, você prega a verdade divina em sua vestimenta bíblica e Deus nos deu uma verdade divina e Ele a vestiu nas Escrituras, não foi?

Ele a colocou nos profetas, na lei, nos escritos sagrados do Antigo Testamento. Ele a colocou nos evangelhos, na história de Atos, nas epístolas, e no Apocalipse, mas ele a vestiu nas Escrituras. Portanto, a vestimenta bíblica cobre a verdade divina. Quando a igreja é forte e quando ela é saudável, você ouvirá a doutrina bíblica sendo pregada através da vestimenta da Bíblia porque foi assim que Deus nos deu-a. Você ouvirá a Bíblia sendo exposta. Você não ouvirá muito disso hoje. Você terá que buscar muito para ouvir isso.

A nova onda diz, “As pessoas não gostam da Bíblia. Elas não conseguem se relacionar com a Bíblia. Elas não conseguem conectar-se à Bíblia. Este é um paradigma antigo. Elas não conseguem pensar desta forma. Mas nós acreditamos, e nós ainda somos evangélicos, e nós acreditamos na verdade da Bíblia, e nós temos que tirá-la de sua vestimenta. Por isso, nós pregamos a respeito do Chicago Bulls, e infundimos em uma mensagem sobre o Michael Jordan e o Chicago Bulls algo a respeito da verdade divina. Ou nós pregamos a respeito de alguma parábola que nós inventamos, alguma história que possamos ter inventado. Ou nós pregamos a respeito das implicações do Harry Potter ou seja lá o que for”. Você pega tudo que vier da cultura.

Você diz que você é um evangélico. Você sustenta a verdade evangélica, mas você tira toda a vestimenta bíblica e você a veste com a cultura. Você diz, “É assim que vamos ganhar a cultura”. A verdade é que você se afastou para longe da Palavra de Deus. Deus nos deu a verdade bíblica com uma vestimenta bíblica porque era assim que ele queria que fosse ensinado. O próximo passo, você já tirou toda a vestimenta bíblica da verdade. A próxima coisa que você abre mão é que você joga fora a verdade. Este é o terceiro passo, e nós estamos caminhando rápido para isso. Isso é comprometer algo.

Portanto, o que Deus quer de nós? Ele quer uma doutrina bíblica vivida a partir de uma vestimenta bíblica sem comprometer nada, e isso pode levar ao sofrimento.

Então, qual é a vontade de Deus para a sua vida? Que você seja salvo, cheio do Espírito, santificado, submisso, vivendo corretamente na sociedade, e que você esteja disposto a sofrer por não comprometer a verdade. Esta é a vontade de Deus para a sua vida. Você diz então, “Isso não ajuda. Eu ainda não sei onde estou. Você não entendeu. Eu tenho que tomar uma decisão amanhã. O que você está querendo me dizer?”

Bom, eu tenho mais um ponto, dizer obrigado. 1 Tessalonicenses 5:18, “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” Este é difícil? Isso não é difícil. Portanto, seja salvo, cheio do Espírito, santificado, submisso, não comprometa nada, esteja disposto a sofrer e agradeça por tudo. Sem amargura, sem reclamar, sem ingratidão, sem decepção. Aceite todas as coisas que acontecem na sua vida como Deus as trouxe para o seu bem e para a sua glória, tendo um coração grato. É isso. É isso que Deus diz a respeito da sua vontade. Você diz, “mas, mas, mas, mas e eu?” Você está pronto para isso? Se você for salvo, cheio do Espírito, santificado, submisso, sofredor e grato, sabe qual é a vontade de Deus? O que você quiser. Gostou dessa? Faça o que você quiser. Vá e faça o que você quiser. Você diz, “Você está brincando?” Não, eu não estou brincando.

“O que você quer dizer com isso? Eu não posso sair e fazer o que eu quiser!” Sim, você pode, porque se é assim que você está vivendo, adivinha quem está no comando de sua vontade? Hmm. Percebe, é isso que o Salmo 37:4 diz, “Agrada-te do Senhor”. Ele é o seu prazer. Você está consumido pelo prazer Nele. Você deseja a Sua vontade no seu coração. Você está fazendo todas estas coisas e Ele lhe dará o que? Por que? Porque Ele está no controle delas, porque os desejos que você tem são os desejos que Ele tem. Portanto, vá fazer o que você quer. As pessoas me perguntam, “Por que você veio para a Igreja Graça?” Porque eu queria. Eu não ouvi nenhuma voz a não ser a da minha esposa. Ela disse, “vá pra lá.” Mas eu não ouvi nenhuma voz sobrenatural. Eu fiz o que eu queria fazer, e eu acredito que o desejo se encaixa dentro de uma mentalidade de uma vida de acordo com Deus, sendo que Deus é quem está plantando aquele desejo. Quando a Bíblia diz, “E ele satisfará os desejos do seu coração”, isso não significa que ele vai lhe dar o que você quer. Isso significa que ele fará você desejar o que ele quer. Portanto, faça o que você quiser se o seu coração está no lugar certo. Isso não é uma boa notícia? Isso não é liberdade? Porém, você precisa ser obediente ao padrão estabelecido. Vamos orar.

Pai, nós te agradecemos porque, quando nós começamos, como diz em Gênesis 24:27, a “estar no caminho que o Senhor me guiou”. Uma vez que nós caminhamos na direção que nós desejamos, Tu assumes o controle, nos guia e nos leva ao lugar perfeito da Tua vontade. Ajuda-nos a fazer aquilo que nós sabemos que Tu revelaste para que pudéssemos desfrutar da liberdade de fazer o que é particularmente para nossas vidas. Na medida em que seguimos os desejos que o Senhor plantou, guia-nos para o lugar perfeito do cumprimento. Nós te louvamos no nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize

Currently Playing

Today's Radio Broadcast

Playlist

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize