Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Como você sabe estamos estudando o evangelho de Lucas, mas quebramos um pouco a sequência e tenho compartilhado com vocês sobre o assunto da libertação, a doutrina negligenciada. Algumas desculpas talvez seja necessário para aqueles que não estiveram conosco no mês de outubro. Estamos sempre em alguma continuidade aqui, sempre ensinando através de um livro. Se você vem em um determinado domingo na Grace Church, você pode relutar para acompanhar o fluxo um pouco porque há tanta continuidade de semana para semana na medida em que passamos pela palavra de Deus.

Fizemos uma pequena pausa em Lucas para abordar o assunto da libertação, e confesso que também tem sido uma mensagem contínua ao longo do mês. Peço desculpas por irromper sobre você no meio desta manhã. Tem-me sido de grande preocupação que a igreja evangélica aparentemente tenha estado disposta e satisfeita em abandonar a sã doutrina. Eu não estou falando sobre igrejas liberais, eu estou falando sobre aqueles que seriam declaradamente evangélicos. Muitos líderes evangélicos populares, escritores, pastores, professores, pessoas que são os influenciadores, estão contentes com uma falta de discernimento como se fosse alguma virtude espiritual.

Eles entraram no que eu suponho que, se estivéssemos vivendo no tempo de Spurgeon, seria chamado de decadência. A igreja está em um declive escorregadio, a igreja evangélica está progredindo para baixo, longe das alturas da verdade e da honra a Deus. Está voluntariamente abandonando seu discernimento, abandonando voluntariamente a exposição da Bíblia e, portanto, uma compreensão profunda e precisa da verdade. Ao fazê-lo está se afastando daquilo que glorifica a Deus, porque o que glorifica a Deus é a exposição das escrituras.

Deixe-me dizer-lhe, muito simplesmente, por que. Na Bíblia Deus é revelado. A glória de Deus está em exibição através do registro bíblico. Deus se coloca em evidência nas escrituras. O pregador tem então um dever claro e convincente, que é exibir a glória de Deus pela exposição das escrituras. Vou dizer que, novamente, o pregador tem um dever claro e convincente de mostrar a glória de Deus pela exposição das escrituras. Quando você expõe a Palavra de Deus você acaba ensinando a sã doutrina, a verdade. Quando a verdade é compreendida e a verdade é conhecida, Deus é portanto exibido naquela verdade.

A Revelação da escritura é a verdade, e é a verdade de Deus, que é a própria natureza e essência de Deus. Então, eu digo novamente que o pregador tem um dever claro e convincente que é exibir a glória de Deus pela exposição das escrituras. Isso não é o que está acontecendo no evangelicalismo hoje, as pessoas estão se afastando da pregação bíblica, do ensinamento bíblico e da exposição bíblica. Elas estão se afastando de um interesse pela sã doutrina, um interesse pela verdade definitiva. Estão abraçando qualquer coisa e tudo o que nominalmente se identifica como cristão, e a igreja continuará fazendo isso até que alguém sustente a Palavra de Deus.

A palavra que você vê fielmente, a palavra com precisão e a palavra implacavelmente, traz para as pessoas a verdadeira majestade de Deus. Com isso vem o verdadeiro entendimento. Qualquer pregador que não faça isso fracassou em sua responsabilidade perante Deus. Minha tarefa como pregador é muito simples, espera-se que eu ensine as coisas profundas da escritura para que eu possa erguer você para as alturas do louvor. Suponho que alguns de vocês que estão nos visitando podem dizer a si mesmos se vêm de um outro ambiente da igreja, que com certeza cantarão um monte de velhas canções aqui. Onde estão os coros de louvor? Há uma razão, a hinologia está ligada à teologia.

Onde você tem a profundidade você tem a altura, onde você tem uma teologia rasa você tem um hinologia rasa. Onde você tem uma compreensão superficial da verdade divina você tem uma expressão superficial dela. Mas onde você tem um povo que se aproxima da profundidade da verdade divina e que tem pensamentos grandiosos e gloriosos sobre Deus, produzidos pela compreensão das realidades profundas da verdade divina, eles não se contentam com uma expressão superficial. Amamos os velhos hinos porque são profundos, têm um certo gênio poético que atinge a profundidade de nossa teologia e lhe dá expressão.

Nós não precisamos ser seduzidos por uma melodia de salão. É suficiente para nós cantar grandes palavras, não precisamos de um mantra para induzir uma emoção. Nossos pensamentos da verdade e nossos pensamentos de Deus nos catapultam em hinos elevados. Assim, a responsabilidade do pregador é dispensar a verdade, e ao revelar a verdade da palavra de Deus, penetrando na verdade da Palavra de Deus, a glória de Deus é revelada. Quando a glória de Deus é revelada o povo de Deus O louva; assim o pregador vai para baixo e eleva o seu povo. Abaixo na profundidade da verdade, de modo que eles possam ser elevados às alturas do louvor.

Eu só tenho uma ferramenta; você pode imaginar uma profissão com apenas uma ferramenta? Eu só tenho uma ferramenta, apenas uma, a escritura, é a única ferramenta. Há um livro popular escrito por um conhecido pastor presbiteriano que defende o fato de que o evangelho está nas estrelas, que todo o evangelho, incluindo a justificação, é revelado nas constelações. No livro ele diz que Deus e as estrelas pregaram o evangelho a Adão mesmo antes de ele cair. Isso não é nada de novo, isso tem sido defendido nos últimos anos. Surpreende-me que um homem que conheça bem a teologia escreva um livro como esse, porque é uma negação clara de sola scritura. Ouça, eu só tenho uma ferramenta, e não são as estrelas é este livro.

Deus revelou toda a verdade divina em um livro do qual Ele é o autor. Se você diz que está no livro e está nas estrelas, então por que os Católicos Romanos não dizem que está no livro e também no Papa e nos conselhos da igreja? Então, por que Mary Baker Eddy não pode dizer que está na Bíblia e está também na ciência e na chave saudável para as escrituras, e por que os Mórmons não podem dizer que ela está na Bíblia e também nas doutrinas e pactos da Pérola de Grande Valor no Livro dos Mórmons?

A verdade divina não está em uma igreja, não está em um papa, não está no bispo, não está na denominação, não está numa experiência, não está na intuição de alguém, não está nas estrelas, está em um livro, na Bíblia. Toda vez que a igreja se afastou disto, ela foi cheia de desastres. Este é o domingo da reforma; o que produziu a reforma foi um sacerdote católico com o nome de Martinho Lutero que chegou à convicção de que a verdade de Deus estava confinada ao livro. Isto é revolucionário isso não é o que a Igreja Católica acredita.

Martinho Lutero disse que Deus falou apenas no livro e toda a verdade divina está confinada ao livro. Não em Papas, não em bispos, não em conselhos da igreja, não no magistério, não na tradição, mas no livro. Ele disse que está no livro, sozinho, e ao lado de Jesus e do apóstolo Paulo, Martinho Lutero foi o homem mais divisivo que jamais apareceu na fé cristã. Ele criou uma fenda maciça que separou aqueles que acreditavam no livro daqueles que foram apanhados no sistema romano. Foi a convicção de que Deus falou apenas no livro, que produziu a reforma.

Foi então quando Martinho Lutero chegou à convicção de que a verdade estava no livro, que ele entrou no livro e encontrou a verdade, e foi a justificação pela graça através da fé somente, não foi?. Você não precisou prestar atenção ao que o Papa disse, ao que o bispo disse, ao que o conselho disse, estava tudo no livro e o livro é claro. Em 1539 Lutero comentou o Salmo 119 "Neste salmo, Davi sempre diz que falará, pensará, conversará, ouvirá, lerá, dia e noite e constantemente nada além do que a palavra de Deus.

Lutero chamou isso de palavra externa, eu gosto disso. Está fora de nós, e Lutero disse que a palavra salvadora, santificadora e iluminadora é a palavra externa. O que ele quis dizer com isso? Ele quis dizer que está fora de nós, como Deus está fora de nós. Você não pode inventar Deus e você não pode inventar a verdade, Deus não é o produto de sua imaginação, Deus não é o produto de sua fantasia, Deus não é o produto de sua experiência. Deus não é o produto de sua intuição, Deus não é o produto de sua emoção carismática, Deus não é produto de seu existencialismo, Deus é Deus e está fora de você não sujeito à sua manipulação. Deus não é um brinquedo de barro que você pode moldar como quiser. Então, a Bíblia está fora de você, é externa. Você pode aceitá-la, você pode deixá-la, mas você não pode alterá-la.

Você não pode torná-la diferente do que é, e você não pode fazê-la dizer o que não diz. É um livro, é um livro fixo, com letras fixas, palavras fixas e frases fixas. Esta foi a grande convicção de Lutero que mudou o mundo. Lutero disse com uma força contundente, em 1545, que foi o ano antes de ele morrer, ele disse, "deixe o homem que ouviria a Deus, falar e ler a escritura sagrada. Você sabe que há livros que estão inundando o mundo cristão de hoje, você pode vê-los na convenção do livreiro cristão sobre como ouvir a voz de Deus.

Treinando você mesmo para ouvir a voz de Deus. Aprendendo a ouvir a voz de Deus. Deixe-me dizer-lhe uma coisa: você quer ouvir Deus através do livro. Fique de pé e ouça, quem sabe o que você vai ouvir. Seja o que for, não será Deus. Então qual é a tarefa do pregador? John Piper diz que uma parte grande e central de nosso trabalho é debater o significado do Deus do livro. Está certo. Lutero, em 1533, disse que a palavra de Deus é a maior, a mais necessária, a mais importante coisa na cristandade. E é, e vou lhe dizer que quando você se afasta dete livro, você tem problemas intermináveis. Você se afasta do livro e Jesus se torna um brinquedo de argila, você pode moldá-lo da maneira que quiser.

A verdade se torna um brinquedo de barro que você pode moldá-lo como quiser. John Piper diz, "Lutero tinha uma arma para resgatar Cristo de ser vendido nos mercados de Wittenberg. Ele expulsou os cambistas, os vendedores indulgentes, com um chicote da palavra externa, o livro". Veja, as pessoas querem reinventar Jesus, moldá-lo como quiserem. Eles querem chegar à sua própria visão da verdade, moldá-la como quiserem. O livro não permite que você faça isso. Nossa fé está enraizada em uma revelação decisiva na história chamada bíblia, e como pastor, como pregador, como ministro, eu tenho um trabalho. Eu sou um corretor do livro, a palavra de Deus transmitida em um livro.

Fundamentalmente eu sou um leitor, sou um professor e eu sou um proclamador do livro. Eu tenho que alimentar você com livro, com a verdade do livro. Por mais que eu seja fiel a isso, cumpro o meu dever diante de Deus; quanto mais eu for infiel para com isso, falho em minha responsabilidade, e incorro numa séria responsabilização diante de Deus. Quero levá-lo para as profundezas da riqueza da Palavra, para que você possa subir às alturas do louvor. Quando as pessoas entendem a profunda verdade da escritura, elas começam a compreender as alturas da majestade de Deus. Eu olho para a igreja evangélica hoje e vejo superficialidade, indiferença em relação às escrituras, a verdade é um problema porque eles vêem isso como divisivo.

Eu vejo, por causa disso, que eles não conhecem a profundidade da verdade, também não conhecem a glória de Deus. David Wells escreveu em Nenhum Lugar Para a Verdade, seu maravilhoso livro, ele disse, "É este Deus majestoso e santo em seu ser que desapareceu do mundo evangélico moderno". Lesslie Newbigin escreveu, "De repente vi que alguém poderia usar toda a linguagem do cristianismo evangélico e, no entanto, o centro era fundamentalmente o eu, e Deus o auxiliar disso". Essa deriva evangélica moderna, coloca o homem no centro de tudo. Mais importante do que as escrituras e mais importante do que Deus. Quando isso acontece, o que pode mudar isso é confrontá-lo, e é por isso que tenho abordado isso nas últimas semanas.

Eu não faço outra coisa além do que Lutero fez, do que João Calvino fez, do que Spurgeon fez e do que outros fizeram na história. Você tem que mergulhar de cabeça nisso e dizê-lo da maneira que é. Tenho buscado - e tenho feito algumas leituras na vida de Calvino, Lutero e outros reformadores, tentando entender como foi que eles tiveram uma influência tão grande. Quando você pensa nesses nomes, você acha que eles devem ter sido personalidades fortes, que eles devem ter sido líderes dotados, etc. Ao estudar suas vidas, o que você descobre é que eles eram absolutamente, infatigáveis e implacáveis expositores da escritura.

Eles aproveitaram todas as oportunidades que sempre apareceram, para expor a palavra de Deus perante as pessoas, e a Palavra de Deus foi o que fez com que as coisas mudassem. À medida que as pessoas passavam pela poderosa e clara pregação da profundidade da verdade, elas se consumiam com a glória de Deus, tornaram-se discernidoras, e viram o erro pelo que era como tal e a verdade como tal, e fizeram as escolhas certas. Benjamin Warfield, o grande teólogo de Princeton, que teve um grande ministério em minha vida, muito depois de sua morte, quando eu era um estudante de seminário e lia a inspiração e a autoridade da escritura.

Warfield disse de João Calvino que nenhum homem teve nunca um sentido mais profundo de Deus do que ele. Ele disse isso na obra sobre Calvino e Agostinho. Disse que nenhum homem teve nunca um sentido mais profundo de Deus do que João Calvino, e onde João Calvino obteve esse sentido profundo de Deus? Ele tirou das Escrituras. João Calvino passou sua vida estudando a escritura, ele passou sua vida como um expositor de escritura. As pessoas supõem que João Calvino fosse um tipo de teólogo. Ele era um teólogo, mas ele era um teólogo que tinha o direito de ser teólogo porque ele era um expositor. Sua teologia foi o produto de sua exposição bíblica.

Por meio da teologia reformada de Calvino, a teologia da reforma encontrou suas raízes e, com essa teologia profunda, veio o produto dessa teologia que era o grande louvor. Muitas das canções e hinos que cantamos são os mais amados, os mais ricos e profundos, foram escritos por aqueles que eram reformadores, puritanos. Você sabia que João Calvino apenas pregava a exposição da Bíblia? Deus o usou para mudar a face do mundo.

Ele foi para Genebra em 1536 e fez exposições bíblicas até 1564 com um banimento de três anos que mencionarei em um momento. Mas ele pregou a exposição das escrituras, eu fiquei na pequena - é quase como uma capela é um consistório, como eles chamam, ao lado da Igreja de São Pedro, onde Calvino pregou no Dia do Senhor. Ele pregava naquela pequena capela todos os dias. Ele fazia a exposição das escrituras, e ele tinha cinco sujeitos sentados na primeira fila que escreviam tudo o que ele dizia. Todos os cinco coletivamente pegavam esse material, reunia-o e entregava a ele para editar, e foi assim que ele produziu os comentários. Dia após dia ele ensinava expondo a escritura.

R.L. Dabney escreveu, "Todos os principais reformadores, seja na Alemanha, na Suíça, na Inglaterra, ou na Escócia, eram pregadores constantes e seus sermões eram predominantemente expositivos". Isso significa "expor", significa explicar o significado da escritura. Assim, ele disse que podemos afirmar com segurança que a instrumentalidade para o poder espiritual da grande revolução e da reforma foi principalmente devido à restauração da pregação das escrituras.

Dabney também aponta que o que acontece na história é um declínio de três passos, e estamos assistindo isso acontecer agora. Há um tempo na igreja, ele chama isso de Idade de Ouro, quando a verdade de Deus é pregada da palavra de Deus. Essa é a Idade de Ouro. Quando os homens expõem a escritura; eu cresci em um momento como esse. A exposição da Bíblia era a questão, a exposição da Bíblia era o que as pessoas faziam, agora não mais. Os evangélicos dizem que há um segundo passo; que eles não sabem disso, mas Dabney diz que há um segundo passo. Os evangélicos dizem que ainda acreditamos na verdade bíblica, ainda acreditamos na sã doutrina, ainda somos evangélicos.

Mas pensamos que a Bíblia é arcaica, e as pessoas não se identificam com ela, é chata, então tomamos a verdade e colocamos isso em um contexto cultural que as pessoas possam identificar com aquilo que comunica melhor. Ainda é a verdade e nós acreditamos na verdade, e a Bíblia é tão antiga, e é abafada, as pessoas simplesmente não se relacionam com ela e por isso ainda nos apegamos à verdade, apenas damos-lhe roupas novas. Isso é uma transição, pessoal, uma transição da Idade de Ouro. Primeiro você prega a verdade de Deus da Palavra de Deus; essa é a vestimenta que Deus colocou nela.

Essa é a maneira como ele a vestiu, e Deus sabe o que é melhor para a alma, o espírito e a mente de um homem que está sob a influência do Espírito Santo. Assim, ele sabe qual verdade vem ao homem mais poderosamente na operação do Espírito Santo, e é por isso que ele colocou na Bíblia da maneira que ele colocou. Mas talvez as pessoas pensem que sabem melhor do que Deus, assim retiram as verdades da escritura para fora da escritura, e lhe colocam outra vestimenta, vestem-na de forma diferente para remover o estigma da Bíblia, a ofensa da Bíblia, e de alguma forma, acho que eles podem chegar até a cultura de uma maneira suave de vender essa idéia.

Eles basicamente colocaram a bíblia de lado porque acham que é embaraçoso. Dabney diz que este é o estado de transição. Nisto, a doutrina ensinada ainda é a da escritura. Mas suas relações são moldadas em conformidade com a dialética humana predominante. A verdade de Deus está agora despojada de uma parte de seu poder sobre a alma. Terceiro passo, você sabe que a bíblia foi ofensiva, nos livramos disso, agora descobrimos que a doutrina também é ofensiva então nos livramos disso também.

Então Dabney implora que possamos nos contentar em exibir a doutrina da Bíblia em sua própria vestimenta bíblica. É por isso, você vê, que eu digo que, se as pessoas simplesmente começassem a pregar a Bíblia, a Bíblia daria clareza, proporcionaria discernimento, proporcionaria entendimento, proporcionaria profundidade, e também levaria as pessoas à altura do louvor transcendente. A Bíblia forma todo o conteúdo de nossa pregação, é a profissão de uma ferramenta só, como eu disse. Deus estabeleceu todas as suas verdades em tal contexto, proporções e relações, tais como ele conhece a alma, a mente e o homem melhor quando sob a influência do Espírito Santo. Nenhuma outra forma de verdade é tão boa.

Odeio ver pessoas começando, ver que ainda acreditamos na verdade mas não a ensinamos da Bíblia, porque as pessoas não aceitam isso. Se você se livrar da Bíblia porque eles não gostaram, por que você vai manter a verdade quando você descobrir que eles não gostam disso também? Eu não acho que você possa exercer o ministério sem um compromisso radical com a Bíblia. Quer dizer, um compromisso radical com a Bíblia; Eu sou visto como um radical. Eu sou visto como um pastor cristão de baixo nível, não-intelectual, porque eu não estou aberto a todas as visões de tudo. Eu sou visto como anti-intelectual. Tudo bem, eu realmente não me importo.

Meu intelecto só pode funcionar efetivamente para a honra de Deus de uma maneira, e isso é se eu usá-lo para chegar a uma compreensão das escrituras e em seguida comunicá-la para você. Se compreendo ou não todas as opiniões erradas não é relevante. Eu não acho que você pode fazer o ministério neste clima hoje, da maneira que Deus quer que seja feito, sem um compromisso radical com a Bíblia, e eu digo radical porque ela tem resistência mesmo dentro do quadro do evangelicalismo.

Como eu disse antes, o significado da escritura é a escritura, quando você remove a névoa e revela o significado, essa é a escritura. Essa é a verdade de Deus e que coloca Deus em exposição, e dá discernimento às pessoas, dá o poder da igreja. Você sabe que eu só acho que há pessoas que não querem fazer o trabalho duro. Você olha para Calvino, ele escreveu prolíficamente, ele escreveu suas institutas - ele escreveu seus comentários, várias estantes do meu gabinete estão cheias de seus volumes. Ele pregava 10 sermões a cada duas semanas todos eles exposição da escritura. O mesmo com Lutero; entre 1510 e 1546 ele pregou 3000 sermões. Muitos dias por semana e muitas vezes por dia ele pregava.

Tudo isso com lutas familiares, com sua esposa Katie que lhe deu seis filhos, alguns deles morreram, o resto deles catequizou no domingo à tarde. Você quer ouvir um típico domingo para Martinho Lutero; 5h00 da manhã era o primeiro culto, era uma exposição de uma epístola; 10h00 da manhã era o segundo, era uma exposição do evangelho. À tarde ele ensinava a palavra de Deus aos seus filhos. Às 17h00 ele voltava para expor um livro no Antigo Testamento. Na segunda-feira e na terça-feira ensinava mais exposições, na quarta-feira ensinava sobre Mateus, na quinta e sexta-feira ensinava em uma carta apostólica, e no sábado ele expunha o evangelho de João.

Sabe, as pessoas não pulam da cama e lideram uma reforma. Você entende isso? Há uma razão por que essas pessoas tiveram a influência que tiveram. Eram consumidos com a escritura, com sua compreensão e sua proclamação. Tudo o que ele fazia era pregar e pregar e pregar e o povo adorava. Ele descia e eles subiam. É por isso que eu lhe disse há algumas semanas, é melhor ir mais devagar do que mais rápido, é melhor ser profundo e não superficial, é melhor ser completo e não superficial. De volta a João Calvino ele nunca vacilou da pregação expositiva por quase 25 anos.

De 1536 a 1564 em Genebra, e ele até ignorou o Natal, a Páscoa e todos os outros eventos, e continuou fazendo sua exposição. Ele não deu nenhuma mensagem especial, ele só ficou com suas exposições. O alcance de seu púlpito é realmente incrível, é simplesmente incrível. Ele pregou por seis anos no livro de Atos, ele fez 46 sermões em Tessalonicenses, 186 sermões em Coríntios, 86 sermões em 1, 2 Timóteo e Tito, 43 sermões em Gálatas, 48 sermões em Efésios. Em 1559, na primavera, ele começou um estudo dos evangelhos, expondo os evangelhos de uma forma harmônica, e ele não terminou quando ele morreu em 1564 no mês de maio.

Isso foi no Dia do Senhor, e no meio da semana ele pregou 159 sermões em Jó, 200 em Deuteronômio, 353 em Isaías, e 123 em Gênesis, e assim por diante. Tudo isso levou tempo de preparação e estudo. Ele estava pregando na Páscoa de 1538, depois de seu sermão, ele deixou o púlpito da Igreja de São Pedro, e eles o expulsaram da cidade. O conselho da cidade o baniu, já tinham tido o suficiente. Ele só estava pregando por alguns anos lá, mas ele era tão forte tão poderoso que o expulsaram da cidade depois de seu sermão. Ele voltou pouco mais de três anos depois e continuou sua exposição no versículo seguinte.

Como eu estava dizendo. Os biógrafos nos dizem que Calvino acreditava que a palavra de Deus era a única lâmpada, e que a lâmpada fora tirada das igrejas, e é isso que eu acredito. Calvino tinha horror àquelas pessoas que pregavam suas próprias idéias no púlpito. Ele acreditava que expor as escrituras era a única coisa que Deus queria fazer. Calvino cria que a majestade de Deus foi revelada em sua palavra, e se você não prega a palavra então você não dá glória a Deus. Você sabe que não foi fácil para Calvino pregar 10 vezes em duas semanas, palestras três vezes em teologia, ter uma sexta-feira de estudo bíblico, visitando os doentes, aconselhando pessoas, lendo e escrevendo.

Ele tinha um estômago fraco, ele tinha enxaquecas severas, e a única maneira que ele poderia controlar sua enxaqueca era comendo uma refeição por dia. Ele trabalhava noite e dia com apenas uma pausa, é por isso que ele morreu jovem. Em 1564 quando ele tinha 53 anos de idade ele escreveu para o seu médico descrevendo uma cólica, cuspindo sangue, malária, gota, sofrimentos excruciantes de hemorróidas, pedras nos rins, etc. Ao mesmo tempo sua esposa deu à luz filhos, eles morreram um após o outro e ela morreu, virou o mundo de cabeça para baixo. Isto literalmente virou o mundo de cabeça para baixo.

Por causa do poder de levar a palavra de Deus a suportar. De volta a Lutero, por um momento, apenas para mostrar-lhe como eram prolíficos na palavra, Lutero em 1520 escreveu 133 obras, em 1522 ele escreveu 130 obras, em 1523 ele escreveu 183 obras, um a cada dois dias. O mesmo em 1524, tudo produto de intenso escrutínio da palavra de Deus. Isto é o que virou a história. A igreja evangélica contemporânea, triste dizer, não está interessada em profundidade bíblica, e portanto não experimenta as alturas bíblicas. Ela tende a ser superficial, mundana, fraca e enganosa. Enganando-se com sucesso superficial.

No coração disto está esta coisa trágica de abraçar os não-cristãos como se fossem cristãos; sobre isso é que nós temos falado - eu sei que esta é uma introdução longa e eu nunca chegarei a meu ponto. Mas você entende que isso é uma paixão comigo, e eu só quero que você saiba onde estou em meu coração. Sem uma compreensão profunda da verdade bíblica não há discernimento, e sem discernimento, então, você simplesmente não pode dizer quem é um cristão e quem não é, assim, Satanás entra na igreja, entra na liderança, entra para ensinar em faculdades, ensinar em seminários, escrever livros, entra na TV cristã e por aí vai.

Como eu lhe disse, onde você não tem a verdade, e você não tem a pregação, que traz clareza, discernimento e a glória de Deus, você tem terríveis problemas. Primeiro é que as pessoas já não distinguem entre quem é cristão e quem não é. Esta foi uma das grandes realidades da reforma, a reforma disse que vocês não são cristãos, ponto final, vocês não são. Vocês dizem, "somos cristãos" não, vocês não são. É hora de assumirmos a posição no mesmo ponto hoje em dia, e como eu tenho tentado dizer-lhe nas últimas semanas, a maneira que você distingue um verdadeiro cristão de um não-cristão, não importa o que eles aleguem, é encontrado nesta categoria que estamos chamando de libertação.

O que temos dito é que você pode dizer quem é um cristão porque ele foi liberto. O ministério do Senhor é libertar, resgatar, salvar. Um cristão não é conhecido por algum ato, algum evento, alguma oração alguma assinatura de um cartão, alguns indo para a frente, alguns sendo batizados, alguns se juntando a uma igreja. Não é identificado por um evento mas pela libertação. Os verdadeiros cristãos são aqueles que foram libertos, e libertação é esta verdade geral que contém as realidades da salvação. Primeiro dissemos que os verdadeiros cristãos haviam sido libertos do erro para a verdade e isso foi um grande problema, e é uma questão que precisamos esclarecer.

Se você não esteve aqui, você precisa obter as fitas; isso é muito importante. Ninguém é um cristão, pessoal, que não creia no verdadeiro evangelho. Essa é uma declaração bastante abrangente; você tem que crer no verdadeiro evangelho, ou você não é um cristão. Você não pode crer em um falso evangelho como os Mórmons e pessoas no sistema católico romano. Você tem que crer no verdadeiro evangelho, você não pode acreditar na mensagem liberal de boas obras e mudanças sociais. Você não pode acreditar em algum tipo de coisa abominável sobre quem Jesus é.

Você não pode ser um não-trinitário e crer em um Deus que não é uma trindade como T.D. Jakes e pessoas assim, e ser um cristão. Os cristãos crêm na verdade, porque o que vimos claramente em Colossenses 1:12 e 13, fomos libertos do domínio das trevas para o reino do filho do amor de Deus. Nós nos tornamos santos na luz, saímos das trevas da ignorância e do erro, e e fomos para a luz da verdade. Estou sendo específico com você porque sinto que precisamos fazer isso. Quem é um cristão? Alguém que foi liberto do erro para a verdade. Você chegou a entender, a crer a abraçar a verdade.

Em segundo lugar, dissemos que os verdadeiros cristãos foram libertados, não apenas do erro para a verd,ade mas do pecado para a justiça. Nós olhamos particularmente em Romanos capítulo 6, que é um texto muito vital, da última vez, que fala sobre o fato de que nós éramos escravos do pecado, e agora somos servos da justiça. Eu só quero terminar esse ponto, abra em 1 John 3, apenas alguns comentários para terminar esse ponto acima, e a semana que vem eu vou lhe dar o terceiro ponto, já que estourei tempo.

1 João 3, João está apenas nos dando um olhar muito preto no branco aqui. 1 João 3, no versículo 2, ele diz, "Amados agora somos filhos de Deus." Tudo bem somos filhos de Deus como vocês sabem disso? Como você sabe quando alguém é filho de Deus? Como você sabe quando alguém pertence a Deus, quando eles são um verdadeiro crente? Desça ao versículo 4, "Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei." Versículo 5, "Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados" agora pare bem aí.

Por que Jesus veio ao mundo; para tirar os pecados? Então, o que deve ser característico de um cristão? O pecado foi tirado; quão claro é isso? Mateus 1:21, "Ele veio para salvar o seu povo dos seus pecados". Assim, João está simplesmente dizendo que ele apareceu para tirar os pecados. Então, o que é verdadeiro sobre um cristão é que o pecado foi substituído pela justiça e ele continua a explicar isso. O versículo 6, "Todo aquele que permanece nele não vive pecando" tempo presente, continua no pecado, no mesmo padrão. Isso não significa que nunca pecamos, porque no capítulo 1 ele disse que se você disser que não tem pecado está fazendo de Deus um mentiroso. É claro que você tem pecado, mas não continua nesse padrão constante de pecado; Que é um verbo do tempo presente no grego que indica ação contínua.

Ninguém que permanece em Cristo continua nesse mesmo padrão de pecado, e ninguém que continua nesse mesmo padrão de pecado viu a Cristo ou conhece a Cristo. As pessoas dizem o tempo todo, "eu sei que eles estão vivendo assim e eles estão fazendo isso, mas eu sei que eles são cristãos". "Eu sei que eles são cristãos porque eu me lembro quando isso aconteceu naquele momento". Os cristãos não continuam em um padrão de pecado, é rompido. Versículo 7 aqui está a chave "Filhinhos, não vos deixeis enganar por ninguém" não deixe ninguém enganá-los. "Aquele que pratica a justiça é justo" isso é difícil de entender?

Vamos lá, quem é justo? Pessoas que fazem coisas justas. É uma questão de natureza, é uma questão do princípio da vida, o poder da vida, e ele deixa isso muito claro. O que pratica, versículo 8, o pecado é do diabo; ele tem a velha natureza sob o controle de Satanás. O diabo é um pecador desde o princípio mas o filho de Deus se manifestou para este propósito, para destruir as obras do diabo. Quais são as obras do diabo, o pecado? Segunda vez, versículo 5 versículo 8, o filho veio destruir esse padrão de pecado. Para destruir esse princípio do pecado, esse poder do pecado dominante, e assim no versículo 9, ninguém que é nascido de Deus pratica o pecado, pratica essa idéia de pecado ininterrupto e contínuo, porque ele tem uma nova semente nele.

Ele usa a analogia do nascimento, do nascimento humano. Um bebê é o produto de seus pais, ele carrega a vida de seus pais. A semente, o ovo que os pais têm, criam a essência daquela criança. Essa criança é literalmente a união das duas vidas que a produziram, e a criança manifestará características. Ele vai ser moldado como seus pais, ele vai olhar no rosto como seus pais, ele vai ter maneirismos físicos como seus pais, ele vai ter algumas capacidades intelectuais como seus pais, ou talvez alguns outros recursos também. Vai refletir a estrutura genética herdada dos pais, e isso é essencialmente o que ele está dizendo.

Se você nasceu de Deus, você será um produto desse novo nascimento, e você não vai continuar a praticar o pecado. Mas o que vai acontecer é que você tem uma nova semente em você e você não pode continuar no pecado porque você nasceu de Deus. Veja, se você nasceu de Deus, o princípio do pecado foi quebrado e a prática do pecado foi interrompida. Se alguém se parece com um cristão e de repente vagueia para o pecado e fica lá, eles nunca tiveram esse novo nascimento. Porque se eles tiveram um novo nascimento, se eles nasceram de Deus, ninguém que nasceu de Deus pratica o pecado.

Ninguém tem esse mesmo padrão constante. Como eu disse, na semana passada, tem a ver com o que você deseja. Nós pecamos, como cristãos, mas odiamos esse pecado. Amamos a justiça; como Romanos 7, eu quero fazer as coisas, e minha carne fica no caminho, e eu não quero fazer, e eu faço o que eu não quero fazer. Mas eu sei que é uma coisa miserável, e desprezo isso, eu clamo para ser libertado disso. Uma das grandes razões para ir para o céu, você fala com as pessoas sobre ir para o céu, e elas dizem ruas de ouro, e você sabe que a melhor coisa sobre o céu é estar sem pecado.

Essa é a coisa mais interessante sobre isso. Você não fica doente? Eu não estou falando sobre o pecado em seu esposo, eu estou falando sobre o seu. Ninguém que é nascido de Deus continua em um padrão ininterrupto de pecado, isso não pode acontecer. Por que? Porque Sua semente está em você. Você tem sementes incorruptíveis, diz Pedro, uma nova vida, uma nova natureza, uma nova criação. No versículo 10 resume isso, aqui está como você distingue os filhos de Deus e os filhos do diabo. É óbvio, eu gosto disso; como é óbvio? Qualquer um que não pratica a justiça não é de Deus, isso é suficiente para mim.

Como você sabe quem é um cristão? Alguém que ama o que é certo, que ama a lei de Deus, que odeia o pecado, que tem um padrão de justiça interrompido pelo pecado. Esse pecado que ele odeia, é o resíduo de seu velho eu, sua velha disposição. Gálatas 2:19, o apóstolo Paulo fala sobre isso e ele diz, "Estou crucificado com Cristo." O que você quer dizer, Paulo? Estou morto, o velho Paulo foi embora, a velha vida morreu, já não sou eu que vivo. Esse velho ego, aquele velho eu, se foi, mas Cristo vive em mim.

Se Cristo vive em você tudo é diferente, tudo. Há um novo princípio de vida que produz uma nova prática de vida. Se não entendemos quem é um verdadeiro cristão, estamos confusos no ponto mais crítico, não estamos? Porque, não podemos dizer a uma pessoa sua verdadeira condição espiritual; Eles podem estar perdidos em seu caminho para o inferno, não irá ajuda-los dizer-lhes que são cristãos. Também convidamos os terrores de Satanás para a igreja; pessoas que não amam a verdade de Deus, que não amam a sua lei de justiça, que não têm fome do que é certo, não têm um coração novo.

Não têm um novo nascimento, não têm uma semente incorruptível, não têm Cristo vivendo neles; eles não foram libertos. Se o coração não foi mudado para amar a palavra de Deus, se o coração não foi mudado para amar a lei de Deus, se o coração não foi mudado para desejar obedecer à lei de Deus, como Ezequiel 36, se o coração não foi mudado para buscar a virtude, não o pecado, então esse coração não foi mudado de forma alguma. A marca da salvação é que você entende, crê, e abraça a verdade do evangelho. Você ama essa verdade, ama a justiça, e você odeia o pecado.

Os cristãos verdadeiros adoram a Deus, amam a palavra de Deus, e obedecem à palavra de Deus. Eles são como a corça que lemos no Salmo 42 que suspira elas correntes de água, sua alma suspira por Deus. O salmista diz que minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. O salmista diz no Salmo 119:97 Como eu amo a tua lei. Então se você tem um filho, ou um cônjuge, ou um irmão, ou irmã, ou amigo, ou um conhecido, que realmente quer pecar, planeja pecar, planeja o cumprimento no pecado, não tem paixão pela justiça, não tem interesse na verdade, essa pessoa não foi liberta, não é um cristão, não importa o que aleguem.

Hoje, como temos dito, as igrejas e líderes evangélicos estão dizendo que qualquer um que diz que é um cristão é um cristão, qualquer um que diz que acredita em Jesus, é um cristão. Liberais, protestantes, carismáticos, católicos romanos, ortodoxos, pessoas livres e flutuantes que acreditam em Jesus, atletas que fazem isso e fazem um bom jogo e são pegos solicitando uma prostituta. Qualquer um que afirma ser cristão, pode ser testado pela verdade e virtude. Isso é crítico; a libertação real produz uma vida transformada. Há um terceiro ponto, e vou apenas dizer o que é, e vamos falar dele na próxima semana. Eles foram libertos de um mundo decadente para o reino eterno. Profundo, e vamos ver isso na próxima vez, vamos orar. Pai, que clareza, que precisão, Tua palavra fornece. Obrigado pelos exemplos de homens do passado, de que falamos esta manhã, que os testemunhos sejam instrutivos para nós, por causa da fidelidade deles, do poder de suas vidas que usaste tão poderosamente.

Dê à Tua igreja uma confiança restaurada, uma paixão restaurada, uma fome restaurada, pela verdade, pela palavra da verdade. Oramos, Pai, para que nos dê o discernimento, para que possamos julgar verdadeiramente a condição espiritual de uma pessoa. Proteja Tua igreja da degradação da verdade, do declínio da escritura. Oramos, tão somente, Pai que despertes pastores e líderes para serem fiéis, para pregarem a verdade bíblica e revestida da bíblia, implacável e apaixonadamente por todos os anos de seu ministério, que Tu possas fazer uma poderosa e uma verdadeira obra nos corações. Obrigado pela libertação que nos deste por Tua graça, em nome de Cristo, amém.

Fim

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize