Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Bom, esta noite, como vocês sabem, se você esteve aqui esta manhã, eu vou começar uma nova série que eu tenho trabalhado por um longo tempo, uma série sobre as origens. E eu não sei por quanto tempo esta série durará exatamente. Eu sei que vou gastar um pouco de tempo em uma introdução e em seguida vamos diretamente para Gênesis 1:1 e considerar toda a questão da criação versículo por versículo, frase por frase, e deixar que o Senhor revele seu significado para nós.

Agora, eu quero começar com alguns tipos de renúncias, se eu puder, algumas coisas que talvez você precise manter em mente. Primeiramente eu não sou um cientista. Não tenho a pretensão de ser um cientista. Qualquer professor no meu passado quem me ensinou ciências poderia se levantar e dar testemunho desse fato. Eu sou um teólogo, sou um professor da Bíblia, sou um filósofo de tempo parcial; mas eu não sou um cientista. E assim, quando chegar naquelas matérias que são científicas, eu tenho que mudar basicamente para outra pessoa e confiar nelas como uma autoridade naquilo que não sou uma autoridade. Isso não vai ser em grande parte um estudo científico; na verdade essa não é nossa intenção de forma alguma. Mas será um estudo da Escritura, um estudo da teologia com um pouco de racionalidade lançada nele.

Em segundo lugar, eu não vou responder a toda pergunta esta noite. Eu sei que o que eu não disser esta noite, vai levantar questões. Eu vou chegar a essas questões na medida em que nos movemos com o texto da Escritura. Vou lidar com coisas como a evolução teísta. Vou lidar com coisas como a teoria do dia-era, lidar com pontos de vista como o criacionismo progressivo, à medida que avançarmos, mas não seremos capazes de lidar com tudo isso hoje à noite. E eu realmente acredito que você vai encontrar a resposta às suas perguntas sobre as origens principalmente a partir do texto da Escritura. As questões como o criacionismo progressivo a evolução teísta são realmente respondidas pelo próprio texto. E assim vamos encontrar o nosso caminho através do texto de Gênesis capítulo 1 no capítulo 2 e é aí que vamos garantir as grandes respostas para as perguntas que surgem sobre as origens.

Mas para começar, hoje à noite eu quero abordar o conceito, quero tipo que definir a imagem em sua mente como para o debate. Isto é crítico para, para todos nós, e é mais crítico para aqueles que são estudantes. Se você é um estudante do nivel fundamental, se você é um estudante do ensino médio, se você está em uma faculdade ou é estudante universitário, em qualquer instituição de ensino que não seja cristã, você vai receber essa doutrinação sobre a evolução como se fosse verdade, e você vai descobrir que o que eu vou dizer a você, é contrário a tudo o que você ouve. Vamos definir o cenário para esse contraste esta noite, e depois vamos entrar no texto da Escritura e ver como a própria Escritura aborda a teoria da evolução popular.

Também é importante para todos nós porque a compreensão das origens, no livro de Gênesis, é fundamental para o resto da Bíblia. Se Gênesis capítulo 1 e capítulo 2 não nos dizem a verdade, então por que devemos acreditar que qualquer outra coisa na Bíblia também seja verdade? Se diz que no Novo Testamento que o Criador é o nosso Redentor mas Deus não é o Criador, então talvez Ele não seja o Redentor também. Se ele nos diz em 2 Pedro que o próprio Deus vai trazer uma dissolução instantânea de todo o universo como o conhecemos, que Deus em um momento vai destruir tudo, então isso tem uma tremenda influência sobre o seu poder de criar. O mesmo que com uma palavra pode destruir o universo, é capaz de criá-lo tão rapidamente quanto Ele deseja.

Então o que acreditamos sobre a criação, o que acreditamos sobre Genesis, tem implicações por toda a Escritura, implicações no que respeita à veracidade e veracidade das Escrituras, implicações quanto ao evangelho e implicações quanto ao fim da história humana, tudo incluso em como entendemos as origens no livro de Gênesis. A questão das origens, em seguida, é absolutamente crítica para todo o pensamento humano. Torna-se fundamental para a forma como conduzimos nossas vidas como seres humanos. Sem uma compreensão das origens, sem uma compreensão correta das origens, não há nenhuma maneira de compreender a nós mesmos. Não há nenhuma maneira de compreender a humanidade quanto ao propósito de nossa existência e quanto ao nosso destino. Se não podemos acreditar no que Gênesis diz sobre as origens estamos perdidos quanto ao nosso propósito e nosso destino. Se este mundo e sua vida como a conhecemos evoluiu por acaso sem uma causa, ou foi criado por Deus, tem implicações imensas, abrangentes, para toda a vida humana.

Agora há basicamente apenas duas opções. Você pode acreditar no que diz Genesis ou não. E isso não é uma simplificação excessiva. Francamente, acreditando num Deus sobrenatural, criativo que fez tudo é a única explicação possível racional para o universo, para a vida, para o propósito e para o destino. Agora a equação divina dada na Bíblia, em contraste com, ninguém vezes nada é igual a tudo, a equação divina se encontra em Gênesis 1:1. "No princípio Deus criou os céus e a terra." Eu não sei como poderia ser dito mais simplesmente ou mais diretamente do que isso. Ou você acredita que Deus criou os céus e a terra ou você crê que Ele não o fez. Realmente essas são as duas únicas opções válidas que você tem. E se você acredita que Deus criou os céus e a terra, então você é deixado com o único registro de que a criação e isso, é Gênesis 1, e você é obrigado a aceitar o texto de Gênesis 1 como a única descrição adequada e precisa desse ato criativo.

Assim novamente, eu digo que você é deixado realmente com duas opções. Ou você acredita em Genesis ou você não acredita. Ou você acredita no relato de Gênesis que Deus criou os céus e a terra, ou você acredita que de alguma forma tudo evoluiu a partir do acaso. Olhando para o relato de Gênesis 1:1 por um breve momento apenas; as palavras do primeiro versículo são bastante notáveis. São indicativas da mente incrível de Deus. Deus diz nesse primeiro versículo tudo o que poderia ter sido dito sobre a criação, e Ele diz isso em apenas alguns termos. A afirmação é precisa e concisa, quase além da composição humana.

Um conhecido cientista, um cientista muito condecorado chamado Herbert Spencer, morreu em 1903. Em sua carreira científica ele se tornou conhecido por uma grande descoberta; foi uma contribuição categórica que ele fez. Ele descobriu que toda a realidade, toda a realidade, tudo o que existe no universo, pode estar contido em cinco categorias: tempo, força, ação, espaço e matéria. Herbert Spencer disse que tudo o que existe, existe em uma dessas categorias: tempo, força, ação, espaço e matéria. Nada existe fora dessas categorias. Essa foi uma descoberta muito astuta e não era conhecida até o século XIX. Agora pense sobre isso. Spencer mesmo listou nessa ordem: tempo, força, ação, espaço e matéria. Essa é uma sequência lógica. E então, com isso em sua mente, ouça Gênesis 1:1. "No princípio" que é o tempo. "Deus" que é a força. "criou" que é a ação. "os céus" que é o espaço. "e a terra" que é a matéria. No primeiro versículo da Bíblia Deus disse claramente o que o homem não catalogou até o século XIX. Tudo o que poderia ser dito sobre tudo o que existe, é dito nesse primeiro versículo. Agora ou você acredita nisso ou não. Ou você acredita que esse versículo é preciso e Deus é a força, ou você acredita que Deus não é a força que criou tudo. E então você é deixado com a sorte ou o acaso ou a coincidência.

Isso é mais do que apenas uma questão secundária. Alguém escreveu uma carta ao presidente dos Promise Keepers, e eu não estou particularmente acusando-os, exceto que a ilustração é tão clara por causa da resposta que eles escreveram, pedindo-lhes sobre a sua posição sobre a questão da criação. O assistente do presidente respondeu com esta declaração, abre aspas "Você precisa saber que o Ministério da Promise Keepers não toma posição sobre questões como esta. Na verdade, especificamente tentamos evitar tais debates. Nossos esforços são projetados para unir os homens baseados nas doutrinas essencialmente historicas do cristianismo ortodoxo como representados pela nossa Declaração de Fé, ou concentrar em coisas que unem o corpo de Cristo, em vez daquelas que tendem a dividi-lo. Uma vez que diferentes igrejas e cristãos defendam diferentes pontos de vista sobre criação, é uma dessas coisas em que acreditamos que se enquadra na categoria de doutrinas secundárias, doutrinas secundárias como dons espirituais, segurança eterna, o arrebatamento, etc. Em suma, quando se trata de assuntos como a criação, nós acreditamos que os cristãos precisam estender graça uns para com os outros como resumido na declaração, 'nos essenciais da unidade e não-essenciais da liberdade de todas as coisas a caridade'" fechar aspas.

Agora, essa é uma afirmação muito agressiva sobre a natureza secundária de uma crença no relato de Gênesis, não é mesmo? Ele não aborda a questão de que se você não acredita no livro de Gênesis, você não está acreditando na Bíblia. Eu não estou tentando lançar calúnias sobre essa organização mas simplesmente dizer que esta é geralmente a opinião da maioria das pessoas cristãs. Se o mundo foi criado por Deus ou evoluiu por acaso sem justa causa, tem sido debatido há muito tempo. Tem sido debatido desde Darwin. Mas o debate se resume a isso, ou você acredita na Bíblia ou não. Ou você acredita no livro de Gênesis ou não. E se você não acredita no livro de Gênesis então no que você acredita? Bem na maioria dos casos você acredita na evolução naturalista. Haveria alguns que seriam evolucionistas teístas, que diriam, “Bom, Deus tipo que lançou tudo mas então a evolução assumiu, e negaria que o relato de Gênesis é preciso ao dizer que Deus criou em seis dias de vinte e quatro horas. Criacionistas progressivos diriam essencialmente a mesma coisa, que a criação não é, não ocorreu como diz Gênesis, mas sim que foi por longas eras e Deus tipo que injetou-se progressivamente no processo, fez algum trabalho criativo ao lado do processo evolutivo.

Esses pontos de vista, a evolução teísta, o criacionismo progressivo, também negam o texto claro do livro de Gênesis. Assim eu digo novamente, ou você acredita em Genesis ou você não acredita. Se você não acredita, você tem algumas opções. Você pode ser um evolucionista teísta, ou você pode ser um evolucionista naturalista. Entre os cristãos há alguns que são evolucionistas teístas, mas entre aqueles que compõem o mundo incrédulo são evolucionistas naturalistas. E assim eles são deixados com a noção incrível que ninguém vezes nada é igual a tudo.

Douglas Kelly que escreveu sobre o assunto com grande perspicácia diz "Não há dúvida de que a visão bíblica do homem como criatura de Deus, que Ele fez à Sua imagem, teve o efeito mais poderoso sobre a dignidade humana na liberdade, na ampliação dos direitos do indivíduo em sistemas políticos sobre o desenvolvimento da medicina, em todas as outras áreas da cultura. “Como é diferente" escreve ele, "do ponto de vista humanista do homem como uma mera criatura evoluída, não feito à imagem de Deus porque não há nenhum Deus. Tal premissa permitiu aos estados totalitários marxistas convenientemente liquidar milhões de seus cidadãos por causa da suposição de que não há nenhuma pessoa transcendente em cuja imagem os cidadãos são criados, não sendo dado a esses cidadãos uma dignidade e o direito de existir para além do que o estado determina". fim de fechar aspas.

Esta questão tem sido explorada em profundidade pelo Barão Erik Von Kuehnelt-Leddihn da Áustria que pode ser o maior estudioso do século sobre questões de liberdade e totalitarismo. Ele escreveu um livro muito importante chamado O Esquerdismo Revisitado: De De Sade e Marx a Hitler e Pol Pot que lida com essas questões. E nele ele mostra que fora da crença de que a humanidade é criada à imagem de um Deus transcendente, a dignidade divinamente derivada da liberdade dos seres humanos desaparece completamente. Ele diz "Para os materialistas genuínos não há apenas uma diferença evolutiva fundamental, gradual, entre um homem e uma praga, um inseto nocivo" Fechar aspas. E sua conclusão é: A questão é entre o homem criado à imagem de Deus e do cupim em forma humana. Ele tem razão. Temos duas opções. Ou evoluimos a partir do lodo e pode ser explicado apenas em um sentido materialista, o que significa que somos feitos de nada além do material, ou fomos criados por Deus e feitos à Sua imagem em um padrão celeste. E o debate não é apenas biológico, isso é o que estou tentando dizer não é apenas biológico, é moral e é espiritual. O debate começa com questões sobre a dignidade do homem, sobre a natureza do homem na imagem do padrão celestial, a imagem de Deus. Pergunta-se sobre a questão do controle, quem é soberano no universo, quem está no controle. Pergunta-se: Existe um juiz universal? Existe uma lei moral universal? Existe um legislador? As pessoas estão vivendo segundo o padrão de Deus? Será que vai haver uma avaliação final de como homens e mulheres vivem? Existe um julgamento final?

Você vê, estas são as perguntas pelas quais a evolução foi inventada para evitar. A evolução foi inventada para matar o Deus da Bíblia, não porque os evolucionistas, materialistas e naturalistas não gostavam de Deus como criador, mas porque eles não querem Deus como juiz. A evolução foi inventada a fim de matar o Deus da Bíblia para eliminar o legislador, para eliminar a inviolabilidade da Sua lei, o padrão de ligação para o pensamento e conduta humanas. A evolução foi inventada para se manter longe de moralidade universal, culpa universal e responsabilidade universal. A evolução foi inventada para eliminar o juiz e deixar as pessoas livres para fazerem o que quiserem sem culpa e sem consequências.

Quer dizer, se nós apenas tipo que resumíssemos essas duas alternativas, a visão materialista diria: A realidade final é a matéria impessoal. Deus não existe.

A visão cristã diz: A realidade final é um Deus infinito, pessoal e amoroso.

A visão materialista diz: O universo foi criado por acaso sem qualquer propósito final.

A visão cristã diz: O universo foi cuidadosamente criado por Deus para um propósito específico.

A visão materialista diz: O homem é o produto do tempo impessoal, mais a chance, mais a matéria. Como resultado nenhum homem tem valor eterno ou a dignidade ou a qualquer significado diferente daquele que é subjetivamente derivado.

A visão cristã diz: O homem foi criado por Deus à Sua imagem e é amado por Deus. Devido a isso todos os homens são dotados de valor eterno e dignidade. O seu valor não é derivado, em última análise, de si mesmo, mas da fonte que transcende a si mesmos; o próprio Deus.

A visão materialista da moral diz: A moralidade é definida por cada indivíduo de acordo com seus próprios pontos de vista e interesses. A moral é, em última análise, relativa, porque cada pessoa é a autoridade final para os seus próprios pontos de vista.

A visão cristã diz: A moralidade é definida por Deus e imutável porque se baseia no caráter imutável, santo de Deus.

A visão materialista diz sobre a vida após a morte: A vida após a morte traz aniquilação eterna ou a extinção pessoal para todos.

A visão cristã diz: A vida após a morte envolve tanto a vida eterna com Deus ou separação eterna Dele; tanto as glórias do céu ou os terrores do inferno.

Agora, pessoal, deixe-me dizer uma coisa. Quais desses pontos de vista que você considera não é uma questão secundária; é uma questão fundamental não só para a ciência mas para a teologia. Como pode o cristianismo vê-los como questões secundárias? Este é o fundamento de toda a verdade. Francis Schaeffer, o apologista, disse que se ele tinha uma hora para gastar com uma pessoa em um avião, uma pessoa que não conhecia o Senhor, ele passaria os primeiros cinquenta e cinco minutos falando sobre o homem ser criado à imagem de Deus e os últimos cinco minutos sobre a apresentação do evangelho da salvação que poderia restaurar o homem àquela imagem original pretendida. O cristianismo não começa com a aceitação de Jesus Cristo como Salvador. O cristianismo começa em Gênesis 1:1. Deus criou os céus e a terra para uma finalidade e destino que Ele mesmo havia determinado. Entender e crer na doutrina da criação, no livro do Gênesis, é fundamental em aceitar, ouça cuidadosamente, que a Bíblia Sagrada é para ser levada a sério quando fala para o mundo real.

As pessoas dizem, "Bom, o livro de Gênesis é mito, lenda, fantasia, alegoria e tradição não fala realmente sobre fatos reais para o mundo real." Fala sim. A Palavra de Deus é para ser levada a sério quando fala para o mundo real em todo e qualquer assunto. Se evitarmos lidar com o que a Bíblia diz sobre a criação do universo material, então há uma tendência para que a nossa religião seja desconectada do mundo real. Há uma tendência de colocar a Escritura em alguma categoria mística, colocar o cristianismo em algum armário de vidro manchado, como Douglas Kelly coloca, que não impacta o mundo do tempo e espaço.

Você começa com o livro de Gênesis, adulterando com a natureza literal do texto e você criou uma abordagem mística da Escritura no bem ponto de lançamento. O teólogo escocês James Denney fez este ponto no final dos anos 1890s. Abre aspas, "A separação do religioso do científico significa, no final, a separação da religião da verdade, e isso significa que a religião morre entre os verdadeiros homens". Você não pode pegar o livro de Gênesis, capítulo 1, pegar e dizer: isto é um conto de fadas, esta não é a história real, isso não é a realidade, isso não reflete uma compreensão real do mundo real no espaço real e em tempo real, sem implicações graves para o resto da mensagem da Escritura. A doutrina da criação conforme identificado no livro de Gênesis é fundamental. É onde Deus começa sua história. E você não pode mudar o começo sem afetar o resto da história e o final. Na Bíblia Deus fala, fala em Gênesis 1:1 e diz que Ele criou os céus e a terra. Ele é o único que falou em Gênesis 1:1 e que fala direito através da Escritura até o seu fim.

Quando você altera Genesis 1, você está alterando a Palavra do Deus vivo, você está tomando o relato divino da criação real no espaço real e em tempo real e você está dizendo, não é preciso, não é legítimo, não é a verdade. Essa é uma agressão grave. Desvincula a Escritura da realidade e divorcia a religião, a verdadeira religião, da realidade. Isso é grave. Portanto a evolução adoraria fazer isso. Adoraria desqualificar Deus, ela gostaria de tirar da Escritura sua veracidade. Ela quer rejeitar a Deus como legislador, juiz, Salvador. Quer destruir a dignidade do homem como criado à imagem de Deus. E torna-se bastante ridícula, não é mesmo? De acordo com a evolução o homem é quantitativamente melhor do que os animais. Isto é, ele tem algumas características que os animais não têm, mas qualitativamente ele não é melhor. Ele tem um cérebro maior quantitativamente, mas qualitativamente ele não foi criado à imagem de Deus. Por isso é eticamente errado violar os direitos de outros animais que são nossos irmãos literais, evolutivamente falando.

E nós ouvimos tudo isso hoje em dia, não é mesmo, o tempo todo? Essa organização infame chamado PETA Pessoas Para o Tratamento Ético dos Animais, sua diretora nacional, Ingrid Newkirk, fez esta declaração famosa, "Um rato é um porco é um menino" "Um rato é um porco é um cão é um menino." Nenhuma diferença. Todas as formas superiores de vida (um rato sendo uma forma superior de vida em sua opinião) devem ser considerados iguais. Temos uma organização engraçada chamada A Igreja da Eutanásia que acredita que os direitos dos animais são superiores aos direitos humanos. Um representante dessa organização disse a uma audiência de TV, uma audiência nacional, e cito, "Se vamos matar as espécies, vamos matar a humanidade em primeiro lugar, porque os seres humanos são apenas uma espécie menor, com um papel menor a desempenhar na diversidade global da natureza" fechar aspas.

E você lê tudo isso. Eu li de grupos de direitos dos animais que defendem que comer carne é assassinato. O homem é uma espécie tirana. Matar vacas é assassinato. E houve um que disse que matar galinhas é igual ao Holocausto perpetrado pelos nazistas contra os judeus. Este tipo de idiotice surge porque essas pessoas realmente acreditam que o homem é simplesmente o fim de uma série evolutiva de ocorrências aleatórias que não têm propósito, não têm destino e não foi criado à imagem de Deus. Ele não se apresenta com qualquer dignidade além de qualquer outro ao longo da linha nesse processo evolutivo.

E sabe de uma coisa? Se a evolução é verdade, você não pode argumentar com eles. Nós somos apenas animais. Apenas evoluimos. E seu argumento pode ser muito válido. Todos esses defensores dos direitos dos animais, escreve Marvin Lubenow, que se manifestou publicamente sobre o assunto, são evolucionistas. De acordo com a evolução foi puramente sorte que o homem evoluiu um cérebro grande. Houve certas mutações que não aconteceram em nossos ancestrais e em vez disso aconteceu nos ancestrais dos chimpanzés, poderíamos estar onde eles estão, no jardim zoológico, e eles poderiam estar onde nós estamos. Por isso ele escreve, "Eu não tenho nenhum direito ético de usar minha superioridade, por mero acaso, para violar os direitos de outros animais que, não por culpa própria, não evoluíram as mesmas habilidades." Se o homem como ele disse é apenas um animal, um acidente da natureza, um conjunto de mutações aleatórias, então onde está o seu significado? Onde está sua dignidade? Onde está o seu valor absoluto? Qual é o seu propósito? Obviamente ele não tem nenhum.

Agora o que a evolução basicamente diz é que ao longo do tempo, pelo acaso, a matéria evoluiu no universo inteiro. Jacques Monod ganhou o, isso é impensável, o Prémio Nobel, e em seu livro, O Acaso e a Necessidade, ele diz o seguinte, "O homem está sozinho na imensidão insensível do universo do qual ele surgiu por acaso." Isso é o biólogo ganhador do prêmio Nobel. O acaso é a fonte de toda inovação. O acaso é a fonte de toda a criação na biosfera. Ele escreve, "O puro acaso, absolutamente livre mas cego, é a própria raiz do edifício estupendo da evolução". Então, Monod diz que é apenas acaso.

O evolucionista notável J. W. Burrow, escreve em sua introdução de A Origem das Espécies, "A natureza, de acordo com Darwin, foi produto do acaso cego e uma luta cega e homem, uma mutação inteligente, solitária, lutando com os brutos para o seu sustento. Para alguns a sensação de perda era irrevogável. era como se um cordão umbilical foi cortado e homens se vissem parte de um universo frio e sem paixão. A natureza ao contrário, tal como concebida pelos gregos, a iluminação, a tradição cristã racionalista, a natureza darwiniana, não dão pistas para a conduta humana, e não há respostas para os dilemas morais humanos" fechar aspas. Quer dizer, o homem estava apenas se desprendendo de qualquer sentido. Ele é uma mutação inteligente, solitária, produzida a partir do acaso. Ele é um protoplasma esperando para se tornar estrume. Agora, isso está muito longe de ser criado à imagem de Deus. Esta ideia evolutiva não só retira o homem da sua dignidade e seu significado; isso é mais do que apenas estúpido, é mais do que irracional, é mais do que deprimente, é mais do que humilhante, é mais ainda do que imoral. Esta ideia evolutiva é mortal. E em nossa história, nossa história recente, na civilização ocidental, ninguém demonstrou o caráter mortal desta ideia evolutiva melhor do que Adolf Hitler e ele foi seguido por Joseph Stalin, e todos aqueles que massacraram massas de pessoas, milhões de pessoas, cometendo genocídio. Na parte inferior, na base do seu sistema de crenças e filosofia, estava a evolução.

Por exemplo Hitler viu na teoria da evolução a justificação científica para a sua visão pessoal, da mesma forma como os darwinistas sociais do século XIX fizeram para seus terríveis abusos. Não há dúvida de que a evolução estava por trás de todo pensamento nazista do começo ao fim. E no entanto, poucas pessoas estavam cientes disso, e Hitler sugou um compromisso quasi-cristão da igreja do estado de seu dia. Erich Fromm escreveu, "A religião do darwinismo social pertence aos elementos mais perigosos dentro dos pensamentos do século passado. Ela auxilia a propagação do egoísmo nacional e racial, implacável, estabelecendo-o como uma norma moral. Se Hitler acreditava em alguma, seria então nas leis da evolução, que justificaram e santificaram suas ações, e especialmente suas crueldades". Como isso funciona? A evolução é a sobrevivência, do que? -do mais apto. Hitler estava apenas executando o papel evolutivo. Ele era o mais apto, e assim ele massacrou todos os outros sob a tese evolucionista que ele estava perpetuando o mais forte e estava ajudando no desenvolvimento da super corrida. Isso era tudo corroborado pela teoria evolutiva. Na teoria biológica de Darwin, Hitler encontrou sua arma mais poderosa contra o tradicional, contra os valores religiosos e cristãos. Ele destacou a idéia de evolução biológica como a maior arma que ele tinha contra a religião tradicional e ele repetidamente condenou o Cristianismo por sua oposição à evolução. Ele odiava o cristianismo. Na verdade ele disse, e cito Hitler, "Eu considero o cristianismo como a mentira mais fatal e sedutora que já existiu." E Mein Kampf, Minha Luta, era basicamente a teoria evolucionista de Hitler traçando seu caminho politicamente e foi a justificativa para a destruição das massas que ameaçavam a evolução contínua da super corrida. Em Mein Kampf Hitler escreveu, "Aquele que vive deve lutar. Aquele que não deseja lutar neste mundo, onde a luta permanente é a lei da vida, não tem o direito de existir. Eu não vejo por que não se deva ser tão cruel como a natureza. A natureza gosta de bastardos apenas um pouco". E finalmente ele disse, "Tudo o que não é de raça pura neste mundo é lixo." E assim ele destruiu os judeus, ele destruiu os negros, ele destruiu os ciganos e estava ajudando na seleção natural e cumprindo o sonho biológico evolucionário. O chefe da Frente de Trabalho Nazista disse que os massacres de Hitler expressaram, e cito, "o maior e melhor na humanidade." Julian Huxley, um biólogo e evolucionista, escreveu ensaios de um humanista em 1964, disse, "A evolução é a mais poderosa idéia, a mais abrangente que já surgiu na Terra." E sabe de uma coisa? Ele tem razão. É a maior mentira satânica que o mundo já conheceu pois elimina a necessidade de um criador. As pessoas podem evitar a Deus por completo especialmente o Deus bíblico.

Darwin não se importava se você queria adorar um outro deus. Eu não acho que Hitler se importava se você queria adorar outro deus, desde que não fosse o Deus da Bíblia, não o Deus que criou. Quando Darwin publicou A Origem das Espécies, foi amplamente rejeitado pelo mundo científico de sua época porque eles universalmente sustentavam a crença na criação divina. Não havia outra explicação racional: Você tem um efeito; você tem que ter uma causa. Quando ele escreveu A Origem das Espécies, é claro que teve comentários críticos desde o início. O mundo científico foi quase totalmente contra isso. Nos últimos anos Thomas Huxley, falando do ano de 1860, descreveu a situação dizendo, e cito, "Os apoiadores do ponto de vista do Sr. Darwin, eram, numericamente, extremamente insignificantes. Não há a menor dúvida de que se um concílio geral da igreja científica houvesse sido realizado naquele momento, teria sido condenado por uma maioria esmagadora".

Foi difícil de vender. Mesmo Darwin teve um tempo dificil com isso. Se você ler qualquer coisa de Darwin você ai ver que ele está continuamente preenchendo todos os seus escritos com dúvidas tremendas. Por exemplo, ele diz, no sexto capítulo de sua Origem das Espécies, "Muito antes de ter chegado a esta parte do meu trabalho, uma multidão de dificuldades terá ocorrido ao leitor. Alguns deles são tão graves que até hoje eu nunca refleti sobre eles sem ficar confuso". Em seu capítulo sobre o instinto, ele admitiu, "Tais instintos simples, como as abelhas fazem uma colméia, podem ser suficientes para derrubar toda a minha teoria." E pensar que, segundo ele, o olho poderia evoluir "pela seleção natural, parece, confesso abertamente, um absurdo no mais alto grau possível." Em seu capítulo sobre imperfeições no registro geológico, ele se queixou que a completa falta de fósseis intermediários em todos os registros geológicos foi talvez, abre aspas "a objeção mais óbvia e mais grave que possa ser levantada contra a minha teoria." Em outras palavras, ele foi pelo menos honesto o suficiente para admitir que a coisa não faz qualquer sentido.

Darwin escreveu que ele estava profundamente consciente de sua própria ignorância. Em suas cartas pessoais escreve sobre ter terríveis dúvidas de ter "me iludido e me dedicado a uma fantasia". Mas Darwin estava determinado a escapar de um Deus pessoal a todo o custo. Ele disse que "Estou determinado a escapar de um Deus pessoal a todo o custo." Ao final de sua vida ele se encontrava nessa luta, tentando, o quanto pudesse, escapar de Deus, ele nunca realmente conseguiu. E finalmente, sua vida emocional atrofiada sob a tensão da batalha, de sentimentos religiosos, desapareceu e com ele tudo o mais; o mundo tornou-se frio e morto. E no final Darwin aparentemente provou de seu próprio remédio. Ele privou o universo de Deus e todo o significado e assim ele privou a si mesmo de todo o significado.

James Moore escreveu uma biografia de Darwin chamada, A Vida de um Evolucionista Atormentado. Em algumas de suas cartas Darwin se referiu à sua teoria como, abre aspas "o evangelho do diabo." E mesmo depois de ter tipo que ganhado o dia, porque ele libertou os homens do Deus da Bíblia, ele tornou as pessoas livres para desfrutar de seu pecado sem o pensamento de um juiz, ele tinha começado a ganhar a batalha, mas seu sofrimento psicológico foi tão profundo, seus sintomas físicos continuaram. Ele estava literalmente matando a Deus não só para si mesmo, mas matando a Deus para todos os outros. Um escritor disse, "sua vida foi uma longa tentativa de escapar da igreja e para escapar de Deus. É isto que explica tudo, que de outra forma seria incongruente em sua vida e caráter".

Não, vamos apenas obter o registro diretamente aqui. Isto é tudo sobre como se livrar de Deus, o Deus da Bíblia, a autoridade das Escrituras com suas implicações morais. E mesmo as pessoas cristãs que querem ir para o Genesis, eu não acredito que tem a liberdade para nos dizer que Gênesis 1 não significa o que diz. Por que queremos unir forças com aqueles cujo esforço é diretamente contra a autoridade do Deus da Escritura? Assim eu só preciso colocar isso em perspectiva.

Agora por alguns minutos eu quero ficar um pouco filosófico. Eu acho que você vai apreciar isto. No final o evolucionista, o evolucionista naturalista diz, e até mesmo o evolucionista teísta diz, que as coisas acontecem por acaso, por acaso. Nós nos livramos do Deus da Bíblia, vamos nos livrar do Deus de Gênesis, vamos nos livrar do Criador e então temos o acaso. Agora isso é uma coisa muito interessante para se pensar. Eu li esta palavra acaso de novo, de novo e de novo outra vez ao ler os escritos dessas pessoas. E o mito que conduz todo o processo evolutivo, toda esta idéia de evolução irracional, antibíblica, imoral, o mito que conduz é o mito do acaso, do acaso. O acaso é a causa. Na ciência contemporânea o acaso assume um novo significado. Eles não querem que Deus seja a causa mas algo tem que ser a causa, assim a causa é o acaso.

Agora, quando eu digo a palavra acaso, nos voltamos à sua etimologia; era, em grande parte, restrita a descrever probabilidade matemática. Onde poderíamos dizer, "Bom, se eu for por ali, há uma chance de que eu possa vê-la, porque ela pode estar vindo por este caminho." Ou, "Se eu colocar esse dinheiro nessa conta há uma chance de que isso possa acontecer e eu vou lucrar essa quantidade de dinheiro." "Se eu se eu mudar para essa comunidade e começar a conhecer algumas pessoas há uma chance lá de que eu possa desenvolver algum interesse no meu negócio." Há uma probabilidade matemática. Isso é o que acaso basicamente costumava significar. E então ele meio que ampliou um pouco e passou a ter uma aplicação mais ampla para incluir qualquer evento imprevisível, qualquer tipo de probabilidade não importa quão remota, ou qualquer coincidência, não importa quão aparentemente impossível. Mas deixe-me dizer-lhe sobre o acaso. se o acaso não existe. Não é nada, não é nada. O acaso é uma palavra usada para explicar outra coisa. Mas acaso não é nada. Não é uma força. O acaso não fazer qualquer coisa acontecer. O acaso não existe. É apenas uma maneira de explicar algo mais. O acaso não faz você encontrar essa pessoa; você estava indo para lá quando ela estava indo para lá, é por isso que você a encontrou. O acaso não tem nada a ver com isso, porque o acaso não existe. Não é nada. Mas na evolução moderna tem sido transformado em uma força de poder causal. Tem sido elevada de ser nada, a ser tudo. A possibilidade faz as coisas acontecerem. O acaso é o mito que serve para embasar a visão caótica da realidade.

Quer dizer, isso é tão carregado de problemas do ponto de vista racional ou filosófico, dificilmente você sabe por onde começar. Como você recebe o assunto inicial sobre a qual opera o acaso? De onde é que isso veio? Você teria que dizer "Bom, o acaso fez isso aparecer." Quer saber? Isso soa tão ridículo e, no entanto, esta é a filosofia subjacente por trás da evolução. É totalmente incoerente e irracional. Mas o novo paradigma evolutivo é o acaso. E é o oposto da lógica. Você vê, quando você abandona a lógica e a lógica diz "Oh há um universo. Hmm. Alguém fez isso." O que mais a lógica diria? "Há um edifício alguém fez isso. Há um piano alguém fez isso. Há um universo, mais complexo do que um edifício, infinitamente mais complexo do que um piano, alguém, alguém que é muito muito poderoso e muito muito inteligente fez isso." Você diz "Não, não o acaso fez." Ouça pessoal, isso é suicídio racional isso não é lógico. A lógica abandonada deixa você com o mito.

E os inimigos de mitologia, os inimigos da mitologia são dados empíricos e a razão dada por Deus. Assim, para ser evolucionista e acreditar que o acaso faz as coisas acontecerem, você tem que fazer duas coisas: rejeitar os dados empíricos e ser irracional. Mas se você ama seu pecado o suficiente você vai fazer isso. Você vê, se você pode simplesmente eliminar os dados empíricos, as provas, e livrar-se da lógica dada por Deus, e essas duas coisas são a essência da ciência pura, se você pode se livrar dessas coisas então a mitologia corre solta. E, como um escritor disse, "O acaso é o novo travesseiro macio para a ciência deitar-se." Arthur Koestler disse, "Enquanto o acaso governa, Deus é um anacronismo." Se o acaso dita as ordens, Deus não pode governar. O acaso depõe Deus. A própria existência do acaso arranca Deus de Seu trono soberano. Se o acaso, como uma força, existe mesmo na forma mais frágil, Deus é desdivinizado ... se palavra existe. Os dois são mutuamente exclusivos. Ou existe um Deus, que criou o universo, que soberanamente governa e soberanamente controla, ou não existe. Se o acaso existe, ele destrói a soberania de Deus. Se Deus não é soberano então Ele não é Deus. Se Ele não é Deus, então não há Deus, e o acaso governa. Isso é assustador.

Mas o acaso não é uma força. O acaso não pode fazer qualquer coisa acontecer. O acaso não é nada, ele não existe. Ele não tem poder para fazer qualquer coisa, porque não é nada. É impotente porque não é nada. Não tem nenhum poder porque ele não existe. Você está pegando isso? E uma vez que o acaso não existe, não pode produzir qualquer coisa. Ele não pode ser a causa de nenhum efeito. No entanto, os evolucionistas modernos falam sobre o acaso o tempo todo. É apenas nada senão abracadabra. É a lei mais antiga e inviolável de ciência lógica e da razão. Qualquer um de vocês que já debateu ou estudou qualquer um dos filósofos racionais, lembra da declaração Ex nihilo nihil fit; do nada, nada vem. E o acaso não é nada. Isso é suicídio racional.

Então quando cientistas atribuem poder instrumental ao acaso, ouça com atenção, eles deixaram o domínio da razão, eles deixaram o domínio da ciência. Eles se voltaram para tirar coelhos da cartola. Eles se voltaram para a fantasia. E em seguida toda a investigação científica torna-se caótica e absurda porque não pode realmente produzir o que deve produzir porque não o permitirão. Hoje, o absurdo da evolução, passa em grande medida, incontestada e todas essas universidades e faculdades eles continuam batendo nesta tecla. Toda vez que eu pego a Newsweek ou a revista Time eu recebo esses tipos selvagens de artigos evolutivos, especialmente porque eu leio National Geographic estou exposto a isso também, e eles continuam tentando nos fazer acreditar que existe o acaso como uma força. Que todas as coisas foram geradas espontaneamente pelo acaso. O Prêmio Nobel, George Wald, homem brilhante, eu o cito, abre aspas, "A pessoa só tem que esperar, o próprio tempo realiza os milagres. Dando-se muito tempo, o impossível se torna possível, o possível provável, e o provável realmente certo" Fechar aspas. Que raio de coisa é essa? Isso é apenas conversa fiada. Isto é absolutamente sem sentido. Auto-criação é um absurdo, não importa quanto tempo, porque o acaso não existe. Ele não existe.

Não há nenhuma explicação para o universo sem Deus. Vou lhe dar um pouco de ilustração científica. Você já ouviu falar da teoria quântica? Bom, você já ouviu falar sobre um salto quântico. As pessoas dizem, "Alguém deu um salto quântico". Deixe-me dizer-lhe de onde isso vem. A teoria quântica remonta a um cientista, Max Planck, que em 1900 apresentou a teoria de que a energia vem em unidades discretas denominadas quanta. Eu não estou indo para levá-lo muito profundo aqui porque eu não posso ir muito profundo mim. Mas a energia pode ser dividido em unidades e ele disse estas unidades estas unidades unidades identificáveis são chamados de quanta. Em 1927 Werner Heisenberg um físico alemão descobriu que quando um fóton atinge um átomo, isso estimula um elétron em uma órbita mais elevada. E quando isso ocorre, o elétron se move da órbita mais baixa para a órbita superior, ouça isto, isso ao mesmo tempo sem ter atravessado o espaço intermediário. Isso é um salto quântico. Deixe-me dizer isso novamente. Quando um fóton atinge um átomo isso estimula um elétron para uma órbita mais alta da órbita baixa, ao mesmo tempo, mas nunca atravessa o espaço entre elas. O que acontece é que o elétron deixa de existir em um ponto e simultaneamente passa a existir no outro ponto. Este é o famoso salto quântico. Ele deixa de existir e passa a existir simultaneamente. O tempo todo, o tempo todo em todos os átomos, o tempo todo em toda a história criada, ele continua fazendo isso. Por acaso? Dizer que é um salto quântico não o explica. Só há uma coisa que explica tudo e isso é o poder criativo contínuo de Deus. Ele sustenta o universo e sua criação, mantendo todos os atos criativos necessários, mesmo ao nível de um elétron em um átomo. Ele sustenta todas as coisas, Hebreus 1, pela Palavra de Seu poder.

Vou lhe dar mais um pensamento final aqui. Bom, eu vou lhe dizer que é, eu vou guardá-lo até a próxima vez. Vou guardá-lo até a próxima vez porque eu não quero entrar nisso e em seguida deixá-lo em algum lugar entre a parte inferior e superior. Agora, eu quero dizer, eu reconheço que algumas dessas coisas está torcendo seu cérebro, e isso é bom, isso é bom. Nós vamos fazer isso mais uma vez no próximo domingo à noite e então eu vou explicar como isso tem implicações no evangelho, e depois vamos entrar no texto do livro de Gênesis. Junte-se a mim em oração.

Pai enquanto contemplamos estes pensamentos, enquanto nos esforçamos para usar as mentes que Tu nos deste, que são provas da imagem de Deus, na qual fomos feitos, nós, nós apenas oramos para que Tu nos guie, para que possamos entender exatamente como devemos pensar, usando a Escritura e a razão que Tu nos deste. Protege-nos de qualquer pensamento ou qualquer crença que se equivocam com a Escritura, que negaria suas declarações sinceras. Protege-nos de qualquer absurdo, de qualquer irracionalidade, de qualquer falha de usar as mentes que Tu nos destes. E pelo Teu Espírito Santo, guia-nos para que possamos pensar como devemos pensar. Sofremos, ó Deus, porque o homem tem procurado destruir a Ti, procurou eliminar-Te como o Criador. Tal desonra a Ti é trágica, uma desgraça; para aqueles que o fazem é trágica, e tem conseqüências eternas, e nós sofremos com a perdição daqueles que acreditam na evolução. Sofremos com a falta de sentido, o vazio da vida que pertence a quem quer viver do jeito que eles gostariam de viver, sem culpa sem responsabilidade, sem ter que responder a um juiz, sem ter um padrão estabelecido para eles. Sofremos, Senhor, porque a conseqüência de tal vida, a conseqüência de tal pecado, é a condenação eterna. Não temos nenhuma parte com aqueles que negam a Palavra, com aqueles que se equivocam com a Escritura. Mas queremos levar Tua palavra da maneira que nos destes, crendo que o que disseste é exatamente o que quiseste dizer. E assim, guia-nos, Pai, enquanto contemplamos essas coisas, a termos um forte e firme fundamento em Tua Palavra, para conhecê-lo como nosso grande Criador bem como nosso Redentor. Te agradecemos pela oportunidade de conhecê-Lo melhor como nosso Criador e, portanto, adorá-Lo como deves ser adorado. E nós oramos em nome de Cristo. Amém.

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize