Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Obviamente, este ministério é totalmente dependente da Palavra do Deus vivo, da Escritura, da Bíblia. Estamos comprometidos com a Palavra de Deus como absolutamente verdadeira, e estamos empenhados em cada frase, cada versículo, cada capítulo, e cada livro como tendo vindo do próprio Deus. A única maneira de podermos conhecer a Deus e Sua vontade é tê-la de uma forma que seja inconfundível, e Deus escolheu para fazer isso em um livro, a Bíblia. Noutra noite eu tive novamente a oportunidade de estar na CNN, em mais uma daquelas discussões com pessoas que não concordam comigo. Parece ser a minha sorte na vida, e eles são geralmente muito desagradáveis. E sempre que eu estou nesse tipo de ambiente com os incrédulos, outros líderes religiosos, pessoas com pontos de vista morais diferentes, realmente só tenho duas coisas a dizer, e qualquer que seja a conversa, é irrelevante pra mim.

O assunto não importa muito para mim. Eu apenas busco maneiras de dizer duas coisas. Uma delas é que Jesus é o único Salvador, e a outra é que a Bíblia é a única autoridade de Deus. E quero anunciar isto de todas as maneiras possíveis, convocando as pessoas para a autoridade singular da Palavra de Deus contra toda opinião humana, e ao único Salvador como de fato Jesus Cristo é contra toda religião humana. E outra noite, um dentre os outros convidados que era um advogado homossexual e um católico romano confesso, disse que eu estava tão envolvido nas palavras da Bíblia que eu havia perdido toda a mensagem. Agora, essa é uma forma estranha de pensar; tão preso nas palavras da Bíblia que eu tinha perdido toda a sua mensagem.

De que outra forma alguém poderia conhecer a mensagem da Bíblia deixando de lado as palavras da Bíblia? É esse tipo de mística sem sentido que tem cativado os corações de milhões de pessoas, que pensam que de algum modo há uma mensagem subliminar de amor que transcende ao que realmente a Bíblia diz. Deus nos deu um livro, e nesse livro Ele falou, e o que Ele disse é exatamente o que Ele quis dizer e desejou dizer de uma forma que compreendêssemos, porque somos responsáveis por isso. Deus falou, não murmurou, Ele falou claramente, Ele falou com precisão, exatamente, e diretamente de questões que dizem respeito a Ele e a nós. E Deus jurou em Sua revelação, a Bíblia Sagrada, que Ele falou a verdade, toda a verdade, e nada mais que a verdade.

Isso é verdade, é tudo verdade, e nada nela é falso. Também é toda a verdade que Deus desejou revelar-nos. O resto foi deixado para sabermos na eternidade. E a Bíblia por si só é a verdadeira Palavra de Deus única e verdadeira, que não contradiz a Ele mesmo, que não escreve outros livros que digam outras coisas que sejam contrárias ao que Ele disse neste livro. Há somente um Deus, e Ele tem falado em um livro. Todas as outras supostas revelações de Deus não são, de forma alguma, de Deus; são invenções de homens, e na maior parte, homens inspirados pelo demônio. A partir do Alcorão, por exemplo, passando pelo Bhagavad Gita, os escritos de Mary Baker Eddy, Patterson Glover Frye, Livro dos Mórmons, Joseph Smith, por todos os falsos profetas, todos os videntes, todos os sectários, todos os gurus religiosos, todos os líderes religiosos, todas as religiões do mundo - é tudo engano.

É tudo de fabricação, tanto humana quanto demoníaca. É tudo errado. Deus falou, e Ele falou em um livro, e esse livro é a Bíblia. Agora, isso simplifica a questão. Não é complicado resolver a questão de religião. A maioria das pessoas pensa que é complicado resolver a questão de religião, porque há tantas religiões concorrentes, e a idéia hoje é de ser tolerante com todos elas, e permitir que cada um possa abraçar sua própria religião, com a sensação de que todas levarão ao mesmo ceús dos céus, não importa como voc^se aproxime dele. Mas a Bíblia diz exatamente o contrário; que qualquer coisa que contradiz a Bíblia, qualquer coisa que seja uma fonte concorrente da revelação bíblica, não é de Deus. Se ele não estiver nos 66 livros da Bíblia, não é a Palavra de Deus. Se não estiver nos 66 livros da Bíblia, Deus não disse isso.

Para todas as gerações através da história humana, o que Deus disse Ele colocou neste livro – um livro composto por duas seções, o Antigo Testamento e o Novo Testamento, 66 livros específicos dadas a pouco mais de 40 escritores ao longo de um período de cerca de 1.500 anos. O Espírito Santo é o autor de tudo, colocou tudo junto no que conhecemos como a Bíblia, e ficou estabelecido como a única autoridade divina, na Palavra de Deus. É por isso que é dever singular do homem responder obedientemente a este livro. É a resposta a este único livro e ao que este livro diz, que Deus exige, que determina o destino eterno de todos, e nada mais determina isso – nada mais. O que uma pessoa faz com a Bíblia determina o céu ou inferno.

Há muitos atrás - há muitos anos atrás, agora - denominações protestantes eliminaram as heresias. Você pode pensar que foi um grande feito. Denominações protestantes eliminaram heresias. Mas a estranha diferença é que a maneira como eliminaram a heresia não foi por esmagá-la com a verdade, não foi dominando-a com a Palavra de Deus, mas eliminaram a idéia de heresia quando eliminaram a idéia da verdade absoluta. Se não existe tal coisa como verdade absoluta, então não pode haver tal coisa como heresia. Se não há verdade absoluta, então não pode haver nenhum erro discernível. Se tudo está em aberto, e as palavras da Bíblia não importam, ou são apenas sugestões, ou no melhor das hipóteses ela é igual a outros livros religiosos, e você pode crer no que quiser, então não há tal coisa como verdade absoluta, e, portanto, não pode haver tal coisa como heresia fixa.

Assim eles erradicaram a heresia, erradicando a ideia da verdade ao mesmo tempo. E agora há uma situação confortável entre a velha linha de denominações liberias com tudo e qualquer coisa. É por isso que algumas semanas atrás, quando eu estava pregando na grande catedral de Calvino, na cidade de Genebra, foi um grande evento. A catedral estava lotada da frente para trás e para os lados, e eu abri a Palavra de Deus naquela catedral pela primeira vez, pensamos, em 30 anos, ministrar uma mensagem que realmente representasse a Palavra de Deus. E o último evento formidável naquela catedral, que é uma catedral cristã protestante professa, foi budista - foi budista. Isso funcionou, de certa forma, para nós, porque eles disseram, quando perguntado se eu poderia vir e pregar, “Acho que se tivéssemos um culto para os budistas, poderíamos ter um culto para a Bíblia.” E então eu acho que, de certa forma, os budistas prepararam o caminho.

Mas a questão é como pode uma igreja que é uma igreja cristã protestante professa abraçar o Budismo? Essa igreja é também a igreja-mãe que trouxe à existência O Conselho Mundial de Igrejas, o corpo mais ecumênico no planeta. Eles estavam felizes por desclassificar a heresia; foi fácil. Tudo o que tinham de fazer era eliminar a verdade absoluta. E em nossos dias, temo que o movimento esteja se espalhando. Há um novo tipo de inclusivismo mesmo no evangelicalismo, um novo tipo de inclusivismo que ameaça erradicar a verdade, e, portanto, erradicar qualquer classificação de erro, e borrar tudo. E a única esperança, é claro, no meio de tudo isso, é voltar para a Palavra de Deus. E toda essa rebelião pecaminosa não muda ou altera o que a Escritura é.

Seja ela atacada pelo racionalismo, ou pelo liberalismo, ou atacada pelo que é chamado de a neo-ortodoxia, ou atacada pelo pluralismo, ou misticismo, ou inclusivismo, ou pelo que seja politicamente correto, ou pela tolerância, ou qualquer outro ataque, não muda em nada a natureza deste livro. Foi Jesus que disse, “nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” É um livro eterno. É um livro imutável. É a bigorna na velha história do homem batendo os martelos, o ferreiro, e depois de muitos anos a bigorna permanecia, mas muitos martelos tinham sido destruídos. Os martelos que têm atingido as Escrituras mentem em meio aos escombros, mas as Escrituras ainda continuam de pé.

A Bíblia ainda é a verdade de Deus, a única verdade de Deus e nada mais que a verdade de Deus. Agora, como sabemos que isso é verdade? Nós, como cristãos, sabemos que isso é verdade, porque o Espírito de Deus nos iluminou, e falamos sobre isso em nossos últimos estudos, um dos meus estudos favoritos que já fizemos. Você pode obter as gravações. Quem pode acreditar na Bíblia? É verdade que a Bíblia é exatamente o que ela afirma ser. Sabemos que isto é verdade, sabemos que isso é verdade porque o Espírito de Deus nos convenceu disso por uma obra sobrenatural de despertar a nossa compreensão. Mas o que sabemos agora é que a Bíblia é verdadeira, e quando olhamos para a Palavra de Deus, descobrimos que essa convicção é apoiada pelo que afirma a Bíblia.

Assim, o que eu quero fazer hoje é dar uma olhada no apoio bíblico interno para a inspiração da Escritura. Não estou questionando se você acredita que seja inspirada. Se você é um cristão, você crê nisso. O Espírito de Deus lhe concedeu o dom da confiança na Palavra. Você entende isso. Mas eu quero que você veja o quanto é importante ter a evidência interna da Bíblia para reforçar a convicção em seu coração que o Espírito de Deus concedeu a você. Se você tivesse que provar que a Bíblia é verdadeira, como você faria isso? Você poderia - bem, você poderia abordá-la de muitas maneiras. Você poderia dizer isso, você poderia dizer, “Bem, a experiência humana é um bom verificador da verdade bíblica.”

Se você fizer o que a Bíblia diz para fazer, você vai experimentar o resultado. Se você confessar seu pecado, e se você colocar a sua confiança no Senhor Jesus Cristo, você será regenerado. Sua vida será transformada. Deus vai mudar o que você ama, quem você ama, e como você ama, e você vai ver uma alteração dramática em sua vida. A experiência bíblica autentica a veracidade das Escrituras. Ela o faz. Mas - mas há outras pessoas lendo outros livros sagrados que estão tendo outros tipos de experiências, e experiência nem sempre é e nunca deve ser a autoridade final, porque a experiência pode ser falsificada. Pessoas bêbadas têm ficado conhecidas por verem elefantes cor de rosa quando não há nenhum, por exemplo.

Alguém poderia dizer, “Bem poderíamos verificar a Bíblia pela ciência.” Considerando que outros livros fazem declarações ultrajantes e ridículas sobre o mundo, o mundo físico, a Bíblia faz declarações muito, muito precisas cientificamente sobre a criação física, mesmo tendo sido ela escrita antes que a ciência moderna descobrisse que essas coisas fossem verdadeiras. A Bíblia diz que a terra gira em torno de um eixo. A Bíblia diz que o sol se arrasta no sistema solar, nosso sistema solar, a partir de uma extremidade do espaço para outra. A Bíblia diz que há um sistema de água, um sistema hidrológico que funciona em um ciclo incrível. A Bíblia o descreve. Eu li para você uma passagem esta manhã que fala sobre o peso das montanhas. Isso é chamado de isistasia, o mundo inteiro equilibrado.

Se você tiver, por exemplo, uma bola de basquete que está fora de equilíbrio e você a fizer rolar, ela vai pular aqui e ali sem uma direção certa. Se o mundo estavisse fazendo isso, estaríamos pulando, pulando e, e sendo arremessados em intervalos. Ele gira perfeitamente, porque está equilibrado perfeitamente. Essa é a ciência da isistasia, e é Deus, como lemos esta manhã, que mantém as colinas em Seu equilíbrio. Nós poderíamos ir para a ciência, podemos olhar para a ciência e dizem que a Bíblia é incrivelmente científica. Para mostrar o quão fantástico é, em 1903, morreu um homem com o nome de Herbert Spencer. Herbert Spencer era um cientista. Ele foi anunciado pelo mundo; ele recebeu todos os tipos de prêmios como um cientista inovador.

Sua maior conquista foi categórica. Foi Herbert Spencer, que anunciou ao mundo científico que tudo o que existe no universo divide-se em cinco categorias – um dos cinco: tempo, força, ação, espaço e matéria. Isso é o que ele disse, e disse nessa ordem: tempo, força, ação, espaço e matéria. Muito bem, Herbert. Que tal isso? “No princípio,” esse é o tempo, “Deus,” essa é a força, “criou” essa é a ação, “os ceús,” esse é o espaço, “e a terra,” essa é a matéria. Bem ali, no primeiro versículo. Tudo bemvocê estava tentando encontrar isso sem esse versículo. Nós poderíamos ir para a ciência, e poderíamos dizer que a ciência confirma a Bíblia mas ao mesmo tempo que teríamos uma afirmação geral – um pouco melhor do que a experiência, teríamos uma afirmação geral, isso é coisa incrível, alguém poderia facilmente levantar e dizer, “Bem, isso realmente não significa que tudo ali é verdadeiro.”

Alguém pode vir e dizer:, “Bem poderíamos ver - nós poderíamos ver a profecia. Há profecias da Bíblia que vieram a acontecer.” E poderíamos dizer, “Bem, pelo menos as partes científicas da Bíblia são verdadeiras, e pelo menos as partes de experiencias da Bíblia são verdadeiras.” E, certamente, quando Deus disse que certas nações cairiam e caíram, e quando Deus disse que ia afogar o mundo e Ele afogou o mundo, essas coisas se tornaram realidade, por isso, há certas profecias que aconteceram. E isso significa que alguém que escreveu a Bíblia sabe de alguma coisa mais do que sabemos, porque Ele entendia a ciência física antes que alguém fizesse. Ele entendia os eventos antes mesmo de acontecerem, de modo a ser capaz de prevê-los.

Poderíamos focar nesses tipos de coisas e elas podem apoiar a nossa compreensão da Escritura. Você poderia olhar para a arqueologia. Você pode percorrer as ruínas, as ruínas do Oriente Médio, e você pode ir para os museus e lá você pode encontrar coisas da Pedra de Roseta, e cavernas no Egito com alguns desenhos sobre eles que indicam que Hebreus estiveram lá. Você pode encontrar no Código de Hammurabi um código de lei que é anterior a Moisés, o que indica que os homens estavam, desde o início sob a lei, e que não eram macacos que ficavam livres balançando em árvores. Você pode encontrar uma grande quantidade de evidências arqueológicas e apoio para as coisas que a Bíblia diz que aconteceram. Você pode até encontrar as paredes desmoronadas de Jericó, em uma configuração estranha que se encaixa perfeitamente com a idéia de que caíram para fora.

Então você olha para isso, e poderia dizer, “Bem, pelo menos essas partes da Bíblia são absolutamente verdadeiras, porque a arqueologia as confirma.” Nós nunca encontramos nada na Bíblia que seja cientificamente incorreto – nunca encontramos nada na Bíblia que seja historicamente incorreta. A ciência confirma tudo o que ela diz. Você diz, “E sobre o dia em que disse que o sol se deteve?” Bem, obviamente o sol não ficou parado; a terra parou seu movimento de rotação. Mas da percepção da pessoa de pé aqui, o sol parou. Essa é a percepção. Quando você se levantou esta manhã, você não olhou pela janela e disse: " Oh, que adorável - revolver da terra." Isso foi um revolver da terra.

O sol não se moveu na direção que você pensou que se movia. A terra se moveu. Mas a partir de nossa percepção, você diz que é um nascer do sol, você diz que é um pôr do sol. Então, existem esses tipos de coisas na Bíblia, mas nada na Bíblia contradiz a ciência, nada na Bíblia contradiz a história, e nada na Bíblia contradiz a promessa que Deus deu, como se ela não se tornasse realidade da maneira que Ele disse que iria se tornar realidade. E nós vamos olhar para algumas dessas evidencias nesta pequena série que vamos fazer. Mas antes de olharmos para qualquer uma dessas coisas que apoiam as evidências, tudo começa por ouvir quais as reivindicações da Bíblia. Agora, isso é notável. Deixe-me apenas dar-lhe duas palavras para pensar: infalível e inerrante.

Infalível - e eu gosto de usar essa palavra, talvez apenas de uma maneira pessoal. Você pode argumentar muito sobre o que isso poderia significar; ele tem um pouco de flexibilidade nela, assim como a palavra inerrante. Mas vamos usar a palavra infalível para dizer que Deus inspirou de tal forma a Escritura de modo que ela é o guia e a regra eternamente segura e confiável em todos os assuntos, no seu todo. Vamos usar infalível para falar da totalidade da Escritura. Ela é toda verdade. Nós estamos olhando para ela da perspectiva de um pássaro em vôo, o quadro geral. É um documento infalível. Isto é, o que ela afirma na íntegra é verdade. Salmo 19:7, “A lei do Senhor é perfeita.” Salmo 18:30, “Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito,” ou " irrepreensível. A palavra do Senhor é provada,” ou "testada", "comprovada.”

Salmo 119, “A tua palavra é muito pura.” “Tua lei é a verdade.” “Todos os teus mandamentos são verdadeiros.” “A soma da tua palavra é a verdade.” “Cada um dos teus justos juízos dura para sempre, porque todos os teus mandamentos são justos.” Salmo 111:7, “fiéis todos os seus preceitos.” Romanos 7:12, “a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom.” E você tem em Deuteronômio 4:2, Não adicione a Escritura. Você tem em Apocalipse 22:18 e 19, Não adicione a Escritura, não tire da Escritura. Ela é, em seu todo, completa e infalivel. Em João 10:35, estas palavras são registradas, e elas são significativas – se breves e diretas ao ponto – e como sempre, a economia de palavras do Senhor é impressionante.

No décimo capítulo do Evangelho de João, versículo 35, Jesus diz no final do versículo, “A Escritura não pode falhar - A Escritura não pode falhar.” É como uma corrente; todos os versículos estão ligados, todos os capítulos estão ligados, todos os 66 livros estão ligados, os testamentos estão ligados, e não há nenhum lugar onde ela possa ser quebrada. Não há lugar onde a corrente possa ser quebrada. É in toto a verdade de Deus, verdadeira no todo. Isso é o que afirma, isto é o que exige de nós, como segurança e confiança.

A segunda palavra é inerrante - inerrante – isso a olha da perspectiva de uma larva que se arrasta; não olhando no seu todo, mas buscando cada palavra. Cada palavra é verdadeira. Cada palavra nas autorias originais, como inspirada por Deus, é livre de erro, falsidade, engano, imprecisão. Assim a verdade total da mensagem da Palavra é salvaguardada por cada palavra ser uma palavra verdadeira de Deus. A Bíblia é completamente verdadeira, porque é verdade em todas as partes. É toda a verdade e nada mais que a verdade. Proverbios 30, versículos 5 e 6 – mostraremos a você a confissão de Deus em suas próprias palavras como Sua palavra. Proverbios 30, versículos 5 e 6, “Toda palavra de Deus é pura – toda palavra.” Salmo 12:6, “As palavras do SENHOR são palavras puras, prata refinada em cadinho de barro, depurada sete vezes.” E o salmista está à procura de algum tipo de uma analogia para expressar a pureza da Palavra. No Salmo 119:140, o salmista diz, “Puríssima é a tua palavra.” Então, se você está falando de infalibilidade, a grande imagem, ou se você está falando sobre a inerrância da imagem pequena, a combinação das duas fala da veracidade da Bíblia. Ela é verdadeira.

E agora eu vou dizer algumas coisas para você e citar algumas passagens. Você não precisa encontrá-las, apena ouvir. Em Isaías 65:16, o Senhor chama a si mesmo o Deus da verdade. É onde tudo começa. Ele é o Deus da verdade. Jeremias 10:10, o profeta escreve sobre o Deus que é o verdadeiro Deus. O Novo Testamento concorda com o Antigo, chamando a Deus de o Deus da verdade. João 3:33 diz, “Deus é verdadeiro.” João 17:3, Jesus disse, “Que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro.” 1 João 5:20: "Ele é o verdadeiro Deus.” Três vezes a Escritura diz que Deus não pode mentir: Números 23:19; Tito 1:2; e Hebreus 6:18. Deus não pode mentir. É impossível. A Bíblia é, portanto, infalível e inerrante, porque foi escrita por Deus que é verdadeiro, falando somente a verdade, não podendo falar nada, senão a verdade.

Os escritores do Antigo Testamento fazem literalmente milhares de reivindicações da veracidade do que eles escreveram. Mais de duas mil vezes eles alegam estar falando as próprias palavras de Deus. Isso apenas a escritores do Antigo Testamento. Repetidas vezes eles usam frases como, “O Espírito do Senhor falou a mim,” ou, “A palavra de Deus veio a mim.” Isaías, por exemplo, diz em Isaías 1:2, “Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, ó terra, porque o SENHOR é quem fala.” E então ele desenrola a grande revelação que é o livro de Isaías. Quando Deus fala, todo mundo escuta, porque Ele é Deus. No Novo Testamento, encontramos mais do mesmo, com foco especial no ensino de Jesus.

Jesus diz em Mateus5, “Não pense que eu vim abolir a lei ou os profetas; Eu não vim para os abolir, mas para cumprir.” A lei e os profetas é um termo usado para descrever o Antigo Testamento. “Eu não vim para mudar qualquer coisa. Eu vim para cumprir o Antigo Testamento.” “Digo-lhes a verdade, até que o céu e a terra passem, nem a menor letra, nem um movimento de uma caneta,” para entender o significado do jota e til, “vai por qualquer meio desaparecer da lei até que tudo seja cumprido.” Jesus disse que mesmo o pouco, pequenas marcas têm a autoridade de Deus por trás delas. É por isso que Tiago disse isso em Tiago 2:10, “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.”

Se você acabou de violar uma pequena parte da Palavra de Deus, é como se você violasse tudo, porque é tudo verdade, tudo é divinamente exigido. Os escritores do Antigo Testamento se referem, especificamente ou em geral, ao que eles estão escrevendo como as próprias palavras de Deus, cerca de 4.000 vezes – cerca de 4.000 vezes. Dois mil vezes, eu lhe disse há pouco, fazem afirmações diretas de que o Senhor falou a eles, mas pelo menos 4000 vezes, eles afirmam que o que eles estão escrevendo é a Palavra de Deus. Os escritores do Novo Testamento citam o Antigo Testamento como a Palavra de Deus cerca de 320 vezes, e fazem referência ao Antigo Testamento, pelo menos, mil vezes, de modo que os escritores do Novo Testamento afirmam a infalibilidade e inerrância do Antigo Testamento. E escritores do Novo Testamento também reivindicam inspiração para o Novo Testamento.

Agora, quero que você me acompanhe um pouco com isto, porque eu acho que isso é realmente muito maravilhoso. Gálatas 1 – Gálatas 1, aqui é o Apóstolo Paulo – este é apenas uma espécie de ponto de entrada geral aqui – Gálatas, capítulo 1, versículo 11, Paulo diz, “Faço -vos, porém, saber, irmãos, que o evangelho por mim anunciado não é segundo o homem, porque eu não o recebi, nem o aprendi de homem algum, mas mediante revelação de Jesus Cristo.” Aqui é Paulo afirmando que a mensagem do evangelho veio de Deus. Embaixo no versículo 15, quando Deus o tinha separado, já desde o ventre de sua mãe e chamou-o por meio de Sua graça, houve por bem revelar o Seu Filho nele, ele diz, “para que eu o pregasse entre os gentios, sem detença, não consultei carne e sangue.” Ele recebeu sua mensagem e sua missão diretamente de Deus.

Agora, eu sei que isso é exclusivo para ele como um apóstolo, mas este é um tipo de modelo de como Deus falou com os profetas do Antigo Testamento e os outros escritores do Antigo Testamento diretamente. Assim, Ele fala com Paulo, que é um dos apóstolos, e um dos escritores do Novo Testamento. Se você olhar para Romanos, capítulo 4, você vê como este – bem, veja Gálatas, capítulo 4, em primeiro lugar – pensei apenas nessa passagem – Gálatas, capítulo 4, por um momento apenas. Aqui é Paulo citando Gênesis - este é Paulo citando Gênesis. E o que é que ele diz? Versículo 30 – escrevendo sua carta aos Gálatas: “Contudo, que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava será herdeiro com o filho da livre.” E isso é extraído de Gênesis, capítulo 21, dois versículo de lá, versículos 10 e 12; Paulo cita o Antigo Testamento, e o chama de Escritura.

Agora, se você olhar para Romanos, capítulo 4, você encontra outro desses tipos de referências no início; versículo 3 deste capítulo, Romanos 4:3, “Pois que diz a Escritura?” diz Paulo. “Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça.” E agora ele está citando Gênesis 15:6. Ele está citando o livro de Gênesis como a Escritura. Ele sabe que é de autoria de Deus. Ele sabe que Jesus disse a Escritura não pode ser quebrada. E afirma-se que o Antigo Testamento é a Escritura pelo escritor inspirado no Novo Testamento, ou seja, o apóstolo Paulo. Deixe-me levá-lo um pouco mais ao longo deste caminho; 1 Timóteo, capítulo 5 - 1 Timóteo, capítulo 5.

Neste capítulo em particular, você encontra no versículo 18 duas citações – duas citações. E esta é uma comparação muito interessante de se fazer. A primeira citação, versículo 18: “Pois a Escritura declara, ‘Não amordaces o boi, quando pisa o trigo.’” Agora, a Escritura diz isso. Está em Deuteronômio 25, versículo 4. O significado é simples, “Alimente o seu animal.” Mas a analogia é, a aplicação é que você cuida das pessoas que servem você. É um tipo de declaração proverbial. Se quiser que o boi faça o seu trabalho, você o alimenta. E se você espera que as pessoas façam o que você quer que elas façam, você cuida delas. Essa é a idéia. Mas ele diz que a Escritura diz isso, e cita Deuteronômio 25:4.

“E ainda” – e aqui está o importante, versículo 18 – “E ainda: O trabalhador é digno do seu salário.” Onde está isso na Escritura? Onde está isso no Antigo Testamento? Isso não está no Antigo Testamento; na realidade, está em Lucas, capítulo 10, versículo 7, onde Jesus disse isso: “O trabalhador é digno do seu salário.” Assim, o que Moisés escreveu em Deuteronômio é a Escritura, e o que Lucas escreveu em seu evangelho também é a Escritura. Aqui você tem o testemunho, então, de um escritor do Novo Testamento tanto do Antigo Testamento como a Escritura quanto do Novo Testamento como a Escritura. Paulo chama o escrito de Lucas de Escritura.

Agora vamos olhar para 2 Pedro, capítulo 3 - 2 Pedro, capítulo 3, versículo 15. Estes são dois versículos interessantes, vrsículos 15 e 16. Agora, a referência aqui é ao “nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada.” Ele escreveu sobre a paciência de nosso Senhor conduzindo à salvação, como diz o início do versículo 15. Então Pedro se refere ao “nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada...como costuma fazer em todas as suas epístolas.” Assim, agora ele vai de uma determinada carta escrita a um grupo em particular, a todas as cartas paulinas; que são 13 epístolas. “como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as” – o que? – “demais Escrituras.”

Então, o que Pedro está dizendo sobre as cartas de Paulo? Eles são uma parte da Escritura, assim como o restante da Escritura. Aqui, novamente, semelhante a Paulo que chamou os escritos de Lucas de Escritura, este é principal escritor das epístolas confirmando um escritor dos evangelhos. Assim Pedro chama os escritos de Paulo de Escritura. Na verdade, todas as suas cartas são Escritura. Abra em Judas, capítulo 17, e vamos seguir por este caminho. Judas, versículo 17 - apenas um capítulo, versículo 17, “Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo, os quais vos diziam: No último tempo, haverá escarnecedores, andando segundo as suas ímpias paixões.” E de onde exatamente vem isso? Segunda Pedro 3:3: “Lembre-se das palavras faladas e escritas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo,” e ele cita Pedro. Assim Judas afirma Pedro. Pedro afirma Paulo. Paulo afirma os escritores dos evangelhos.

O texto da Escritura não implora por esta questão. Não coloca uma fanfarra em torno disto. Está apenas magnificamente, quase silenciosamente lá, porque é uma realidade tão óbvia. Ela não precisa de ser explodida, como se tivéssemos que provar um ponto. No livro do Apocalipse, há bênção, no capítulo 1, versículo 3, pronunciada sobre aquele que lê e ouve as palavras da profecia e atende as coisas que nela estão escritas. “Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João.” Aqui nós sabemos agora que o livro do Apocalipse é inspirado por Deus. É inspirado por Deus. Deus é o autor do mesmo, e Ele deu a João através de mediadores angelicais, neste caso.

No capítulo 19 de Apocalipse, no versículo 9, é dada a João a instrução vinda de uma voz do trono de Deus. “Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas” o que? “as verdadeiras palavras de Deus” Capítulo 21 do Apocalipse, versículo 5, temos uma visão do novo céu e da nova terra: “E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.” Capítulo 22, versículo 6, “Disse-me ainda: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer.” Assim por todo o caminho desde o Pentateuco, desde o escritor do Novo Testamento citando o livro de Gênesis como sendo a Escritura até o Apocalipse sendo a verdadeira Palavra de Deus, a vasta realidade do testemunho interno dos escritores das Escrituras é que eles estavam escrevendo a Palavra de Deus inconfundivelmente. Este é o testemunho inequívoco poderoso internamente da Escritura ser a Palavra de Deus.

Mas há um outro testemunho que eu quero ter tempo para falar a respeito esta noite; e muito mais a ser dito, mas sempre por uma outra hora. Quero falar sobre o testemunho de Jesus. É importante para mim qual visão da Escritura Jesus tinha, e você? Penso que sim. Jesus é o único que disse em João 10:35, “A Escritura não pode falhar.” Jesus é o único que disse em Mateus 5:17 e 18, “nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.” Agora em Mateus 26:24, Ele olhou para sua cruz, e Ele disse isto, “O Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito.” Alguns versículos mais tarde, ele disse a Pedro que Ele não precisa da proteção da espada de Pedro, porque se quisesse, Ele poderia chamar os anjos do céu para ajudar. Mas, então, Ele disse isto, Mateus 26:54: “Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder?”

Em outras palavras, Jesus veio para cumprir a lei. Ele também veio para cumprir as escrituras que profetizaram de Sua morte e Sua ressurreição. Realmente é uma declaração impressionante que Ele disse, “A Escritura não pode falhar.” Ele quis dizer que o que Deus disse era verdade, e que iria acontecer. Ele disse em Lucas 16:17, “E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da Lei.” Em Lucas 18:31, “Eis que subimos para Jerusalém, e vai cumprir-se ali tudo quanto está escrito por intermédio dos profetas.” Assim, qual era o ponto de vista de Jesus das Escrituras? É de que elas eram a Palavra de Deus, que eram um verdadeiro reflexo de um Deus verdadeiro, de um Deus que não podia mentir, mas só podia falar a verdade. E Jesus ainda chamou a atenção para palavras específicas.

Uma ilustração, Salmo 22:1 – e há muitos destas. O Salmo 22:1 predisse que quando o Messias morresse na cruz, Ele diria isto, “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Enquanto morria na cruz, Jesus clamou, “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mateus 27:46. Jesus cria no cumprimento de cada a palavra do Antigo Testamento. Bem como Ele corroborou as grandes verdades do Antigo Testamento. Ele confirmou a criação de Adão e Eva. Ele confirmou que houve uma criação verdadeira, e elas eram pessoas reais. Ele disse isto, Mateus 19:4 e 5: “Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher?” Ele os criou, Ele os criou no princípio, e Ele os criou homem e mulher. E Ele disse:, “Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” Jesus cria no relato da criação como registrado em Gênesis, e Ele o fundamentou.

Jesus também disse repetidamente que os problemas que as pessoas estavam tendo em não conhecer Deus era porque não conheciam as Escrituras. “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” “Não diz a Escritura...?,” Ele repetia constantemente. Assim, você tem uma escolha. Para resumir o testemunho de Jesus, vou lhe dar um conjunto de opções. Uma destas três deve ser verdadeira. A primeira é que não há erros no Antigo Testamento, porque foi isso que Jesus ensinou, que a Escritura não pode falhar. A segunda opção é que há erros, mas Jesus não sabia sobre eles. A terceira possibilidade é que existem erros, e Ele sabia sobre eles e tentou encobri-los.

Então, qual opção você tem? Que Jesus era um charlatão, uma fraude, um dissimulador? Se é assim, como você explica a Sua ressurreição? Ou, no caso em que Jesus não sabia que havia erros. Então como você explica sua onisciência, porque Ele disse que sabia de tudo. Se a segunda opção é verdadeira, que Ele não sabia – houvia erros ali, mas Ele não tinha conhecimento – Ele, então, obviamente, não é Deus, e assim você pode destituir o cristianismo e simplesmente esquecê-lo completamente. Se a terceira alternativa é verdadeira - Ele sabia e o encobriu - então Jesus é o diabo. Se você for crer na divindade de Jesus, você não tem opção senão crer numa Escritura infalível e inerrante, porque Ele creu.

Agora, isso nos leva à questão, “Como devemos entender como Deus escreveu as Escrituras?” Isso interessa a você afinal? Bom, volte na próxima semana. Não quero nem começar. Deixe-me terminar com isto: porque a Bíblia é a verdade divina, ela, então, é a fonte de bênçãos. Provérbios 8:34 diz, “Feliz o homem que me dá ouvidos.” Lucas 11:28: “bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam.” Em segundo lugar, é a fonte da virtude. Salmo 119: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.”

A fonte de pureza, João 15:3, “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado.” A fonte da vitória: “Pela espada do Espírito, destruimos o inimigo de mentiras e enganos.” A fonte de crescimento: “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual,” 1 Pedro 2, “para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação.” A fonte de poder: “Ela é viva e poderosa, mais poderosa do que qualquer outra arma.” Fonte de orientação, Salmo 119:105: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.”

A Bíblia é o livro mais poderoso, porque é o único livro divino. Ela pode rasgá-lo em pedaços, Hebreus 4:12, dividir você em pedaços, mas também pode juntar tudo de volta novamente, 1 Pedro 1, de modo que você renasce de acordo com a Palavra, e ela que pode lhe trazer muita alegria, “Estas coisas vos escrevo para que a vossa alegria seja completa.” Por que ela é tão poderosa? Por que é tão transformadora para a vida? Porque não é a palavra de homens, é a própria palavra de Deus. E da próxima vez, vamos ver como que Deus transmitiu isso através da grande doutrina da inspiração.

Nosso pai, Te agradecemos pelo testemunho da Escritura de sua própria veracidade, de sua própria infalibilidade, de sua própria inerrância, e sua própria inspiração. E sabemos que tudo que se baseia no fato de que Tu és o Deus vivo e verdadeiro, o Deus que não pode mentir, o Deus que é a verdade, de Ti vem cada palavra verdadeira e tão somente o que é verdadeiro, de modo que a Bíblia é a verdade, toda a verdade e nada além da verdade, porque Tu és o Deus da verdade. Como é maravilhoso saber dessa verdade, entender essa verdade, e viver essa verdade, pelo Teu poder. Somos profundamente abençoados, em um mundo de pessoas se afogando em mentiras, por conhecer a verdade. Nós Te louvamos, Te agradecemos e Te glorificamos por abrir nossos olhos e nossos corações para a verdade.

E agora que temos isto, possamos amá-la, ter fome por ela, aprender dela, proclamá-la, defendê-la, e possamos usá-la para adorar a Ti. Pedimos estas coisas por causa de e para a honra de Cristo. Amém.

END

This sermon series includes the following messages:

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize