Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Bem foi há alguns meses atrás quando estávamos no evangelho de Marcos no início do verão que nós cobrimos o final do capítulo 2 e o início do capítulo 3 em que Jesus violou o sábado pelos padrões dos judeus. E quando eles O confrontaram Ele disse duas coisas. Ele disse "O homem não foi feito para o sábado mas o sábado foi feito para o homem." O que era para dizer que o sábado não era para ser um fardo que os homens tinham que se conformar mas o sábado era para ser uma delícia que homens poderiam desfrutar. Os judeus tinham transformado-o numa carga quase insuportável.

A segunda coisa que Ele disse foi ainda mais chocante foi "O Filho do Homem é Senhor do sábado" e assim Ele declarou sua soberania sobre o sábado.

Como devemos entender o lugar que o sábado ocupa, se de fato há, na vida do povo de Deus? Abra sua Bíblia por um momento em Êxodo capítulo 20. Este é o decálogo os dez mandamentos. E perto do meio dos dez mandamentos está o quarto mandamento. Começamos a ler sobre isso no versículo 8. "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.”

Não há nenhuma pergunta sobre os outros nove mandamentos serem permanentes e vinculativos. Não devemos ter outros deuses. Nunca devemos fazer um ídolo. Devemos adorar somente ao Deus vivo e verdadeiro. Nunca devemos tomar o nome do Senhor em vão. Não devemos desonrar o nosso pai ou mãe mas sim dar-lhes honra. Não devemos assassinar, cometer adultério, roubar mentir ou cobiçar.

Esses são todos mandatos morais, mandamentos morais com exceção dos versículos 8 a 11 o quarto mandameto sobre o sábado. E a pergunta que muitas vezes se coloca é simples. Se todos os outros mandamentos são permanentes, não seria esse permanente também?

Há pessoas que acreditam que sim e poderíamos chamá-las de sabatistas rigorosos. Eles caem geralmente em duas categorias. Uma delas seriam os Adventistas do Sétimo Dia. Acho que estamos familiarizados com eles. Eu acho que é legítimo considerar o Adventismo do Sétimo Dia como uma seita porque eles acreditam que os escritos de Ellen G. White são inspirados por Deus e poderiam ser colocados ao lado da Bíblia. Mas eles se identificam como fiéis ao quarto mandamento.

Há também Batistas do Sétimo Dia um grupo menor que interpreta o mandamento como permanentemente obrigatório também. Não tão rigoroso você também poderá identificar o que você chamaria de sabatistas cristãos. Eles decidiram que como cristãos devemos guardar o sábado mas não mais o sétimo dia e sim o primeiro dia. Então eles mudarram o mandamento em Êxodo do sábado para domingo.

Este é um ponto de vista clássico entre os teólogos reformados. Esta era a opinião de muitos se não da maioria dos puritanos. Na verdade se você voltar para a Confissão Batista de 1689 você vai encontrar um artigo sabatista cristão em que os cristãos devem tratar o domingo como um novo sábado e que devem seguir, em geral, as prescrições e limitações que foram colocados sobre o velho sábado.

E a pergunta diante de nós esta noite é, estão eles corretos? É correto que deveríamos estar observando o sábado, o antigo sábado, ou talvez o domingo como uma espécie de substituição ao sábado como um dia santo separado de todos os outros dias?

Bem para responder a isso precisamos voltar a Gênesis capítulo 2. Então vamos fazer isso. Gênesis capítulo 2. O capítulo abre com a indicação de que a criação está completa. E lemos estas palavras "Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército -" tudo o que os ocupa. "no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.”

Você vai notar no versículo 3 a palavra "santificou." Essa palavra é essencialmente a palavra "santo" e esta é a primeira vez que a palavra "santo" é usada na Bíblia. A raiz significa "separar" ou talvez melhor para transformar isso em um conceito vertical "para elevar." É uma separação que eleva ou exalta.

Então aqui pela primeira vez nos deparamos com a idéia de algo que está sendo separado para ser elevado. Isto é, Deus designa este sétimo dia como um dia exaltado um dia elevado acima de todos os outros dias. E Deus faz com que seja santo e declara que seja assim por três razões. As três razões estão basicamente ligadas aos três verbos que formam o texto.

Primeiro de tudo é um dia que é único porque os céus e a terra e todos os seus exércitos foram concluídos. Esse é o primeiro verbo, toda a obra da criação foi concluída. Esta obra de criação foi feita essencialmente em seis dias de 24 horas, por Deus, e desde que encerrou no sexto dia nunca houve qualquer nova criação com exceção dos milagres divinos que temos lido a respeito, ocasionalmente, no Antigo Testamento e a onda de milagres através da pessoa do Senhor Jesus Cristo no qual Ele cria plenitude e bem-estar no meio de Sua criação agora caída.

Além disso a criação cessou no sexto dia. Ela não continua por milhares de anos. Ela não continua por milhões ou bilhões de anos. Depois de seis dias foi concluída, ela foi concluída. Assim este é um dia especial porque sinaliza que a criação inteira de Deus está terminada.

Em segundo lugar é o verbo "descansou." Quando se diz no versículo 2 que "E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou." E em seguida no versículo 3 novamente "porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera." Este é um dia único porque a criação uma vez completada, Deus pára e descansa.

Não implica cansaço. O Senhor não não se cansa Isaías 40:28. O salmista diz que Ele não dormita ou dorme. Ele descansou apenas no sentido de que Ele cessou a obra, não que Ele tinha que reabastecer sua energia. Mas o que nos diz quando Ele descansou é que realmente Ele estava satisfeito. E isso leva você de volta para 1:31 "Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom." Foi um trabalho perfeito e foi o descanso da satisfação absoluta.

E pelo jeito não haveria mais criação e por pouco tempo não havia mais trabalho para Deus fazer. Deus não iria trabalhar de novo até que o terceiro capítulo do Gênesis, não muito tempo depois, quando Adão e Eva caíram e Deus teve que ir para o trabalho. E qual foi a primeira coisa que Deus fez? Gênesis 3:21 "Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu." E então ele os expulsou do jardim.

Deus não fez qualquer trabalho entre o fim da criação e a queda do homem. Com a queda do homem a obra de Deus começou novamente. Deus tinha que preservar como diz Hebreus 1, Ele teve que "sustentar todas as coisas pela palavra do seu poder" porque agora estavam sujeitas à decadência. E assim Ele vai trabalhar para preservar o universo que Ele tinha feito a criação que Ele fez e Ele também passou a trabalhar para cumprir todos os aspectos necessários na redenção dessa criação.

Agora você não ouve naqueles três versículos nada sobre pessoas descansando. Não há nada aqui sobre o homem descansar nada aqui sobre Adão descansando e porque ele estava sem pecado e era um homem perfeito em todos os sentidos não havia esgotamento de suas energias quando ele estava fazendo o que quer que fosse , mesmo o simples cuidado com o jardim. Não há necessidade de ter um dia de descanso para o homem. Do que ele iria descansar? Ele está vivendo em um paraíso sem trabalho, sem suor e sem gasto e perda de energia.

Não há nenhuma lei do sábado dada aqui para Adão, nenhuma. Nada é dito sobre este dia como um dia de adoração. Não se diz nada sobre isso. Não se prescreve nada para ninguém. Está isolado completamente de Deus. Ele completou a Sua criação, estava satisfeito com ela, Ele cessou, o que se constitui no descanso e o terceiro verbo no versículo 3 "Ele abençoou o sétimo dia.”

Ele projetou que esse sétimo dia seria um memorial especial para a Sua criação e sua perfeição original. Isto é muito importante para você entender. Este é um dia para ser elevado acima de todos os outros dias como um memorial para lembrar a glória da perfeição de Deus na criação. Cada sétimo dia a partir de agora seria um lembrete de que Deus em seis dias criou o universo em perfeição.

Alguma vez você já se perguntou por que utilizamos calendários em todo o mundo com partições em sete? Parece um número ímpar não é? Certamente não há nenhuma razão racional para para essa divisão em setes, designando então as semanas e meses e anos estando em conjuntos de setes. Na verdade é uma forma estranha de fazer as coisas. Poderia ser mais simples fazendo-as em dezenas. E ainda é universalmente adotada em todo o mundo, é único, projetado para ser único pois cada sétimo dia é um lembrete do poder e da glória de Deus expressos na magnificência da criação em seis dias.

Rejeitar a Deus como Criador, ao rejeitar a Deus como Criador em seis dias é não abençoar o sétimo dia. Dizer que de alguma forma Deus usou milhares de anos, milhões de anos, bilhões de anos é dessacralizar o sétimo dia. Há uma razão pela qual nós vivemos em unidades de sete dias e o homem sempre fez isso e é porque cada sétimo dia fornece para nós um lembrete de que Deus é o Criador que criou em seis dias todo o universo.

Em Apocalipse capítulo 14 há o testemunho do evangelho - bem eu não vou ler para você - os anjos voando pelo céu e do testemunho do evangelho é reconhecer a Deus como o Criador. É a eterna boa notícia de que Deus é o Criador. Cada sétimo dia que passa deve ficar como um testemunho do Criador.

Todos os sábados, os Estados Unidos, o mundo ocidental com suas influências cristãs trabalham em cinco dias úteis da semana. Parte disso era o sentido subjacente de que o sábado era um dia para desfrutar da criação. Sábado é um testemunho perpétuo a Deus como Criador. Domingo por outro lado é um testemunho perpétuo a Deus como Redentor. Falaremos mais sobre isso na próxima vez.

Então quando você volta para Gênesis capítulo 2 não há nenhuma menção do sábado ser uma lei, nenhuma menção do sábado ser um dia de adoração. A ocorrência seguinte dessa palavra está em Êxodo 16. Centenas de anos se passaram. Patriarcas vieram e se foram. Nenhum deles adorou tanto quanto sabemos, no sábado. Isso foi designado para eles. Não foi prescrito para eles. Não foi delegado para eles, nem Abraão, Isaque, Jacó, José e o restante do povo de Deus.

A primeira vez que o sábado é mencionado de alguma forma significativa está no capítulo 16 de Êxodo quando Deus alimenta o povo com maná do céu enquanto vagueiam no deserto, e o maná vem todos os dias exceto no dia de sábado e no dia antes de chegar o suficiente para esse dia para que eles não tenham que trabalhar nesse dia. E isso lhes dá uma pequena prévia do que está por vir porque no capítulo 20 você tem os dez mandamentos e nos dez mandamentos que acabei de ler para você as prescrições são dados que pousou leis para o dia de sábado. Esta é a primeira vez que tais leis foram dadas por Deus.

Isto é muito importante para que possamos compreender que o sábado não foi instituído para o homem em Gênesis. Ele foi instituído oficialmente em Êxodo na lei de Moisés. Uma maior compreensão disso vem de Êxodo capítulo 31. Você pode querer ver isso por um minuto. O Senhor fala a Moisés no versículo 13 e diz-lhe "Tu, pois, falarás aos filhos de Israel e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados; pois é sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica. Portanto, guardareis o sábado, porque é santo para vós outros; aquele que o profanar morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo. Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do repouso solene, santo ao SENHOR; qualquer que no dia do sábado fizer alguma obra morrerá. Pelo que os filhos de Israel guardarão o sábado, celebrando-o por aliança perpétua nas suas gerações. Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre; - " Por quê? "- porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, e, ao sétimo dia, descansou, e tomou alento'" ou descansou.

Aqui descobrimos que sábado é um sinal. É um sinal. Ou seja ele aponta para outra coisa. É um símbolo se você quiser. Ele é colocado no meio ou perto do meio dos dez mandamentos porque é um símbolo ligado à aliança mosaica.

Deixe-me ver se eu posso lhe ajudar com isso. Quando Deus fez uma aliança com Noé Ele prometeu a Noé que nunca iria destruir o mundo novamente e identificou um sinal de Deus. Qual era o sinal da aliança de Noé? Arco Iris. Quando Deus fez uma aliança com Abraão Ele fez essa aliança com Abraão e Ele designou um sinal e o sinal da aliança abraâmica, a participação entre o povo da aliança de Israel era o sinal da circuncisão.

E aqui você tem, no Pacto Mosaico, outro sinal e o sinal desta vez é o sábado. Foi apenas um sinal. Observando-o com um coração dúplice nada se ganha. Na verdade Isaías 1:13 diz "Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, os sábados.”

O profeta Oséias pronuncia um julgamento semelhante em seus sábados hipócritas. "Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas de Lua Nova, os seus sábados." Isso não significa nada, observá-lo exteriormente sem um coração de amor e devoção a Deus.

Mas para que era o símbolo? Para que era o sinal? Por que este sinal? Eu acho que você vai entender isso quando eu explicar. O sábado foi um lembrete da criação. O sábado era para lembrar o povo de Israel que eles tinham perdido o paraíso que o homem tinha perdido paraíso. A lei disse-lhes "Obedeça a esta lei e você será abençoado." Deus disse isso repetidamente "obedeça a essa lei e você será abençoado" para mostrar-lhes que o comportamento justo iria restaurar o sabor do paraíso do Éden. Comportamento justo também apontaria para um futuro, um reino futuro quando o paraíso seria recuperado.

Assim o sábado, todos os sábados que passavam quando eles descansavam eles eram lembrados de uma criação perfeita, um paraíso de Deus dominado pela justiça que tinha sido confiscado pelo pecado e só poderia ser recuperado novamente pela justiça. Então Deus institui o sistema do sétimo dia, não para todos no mundo. Na verdade ele diz especificamente para Israel. Versículo 17 "Entre mim e os filhos de Israel é sinal para sempre." Cada sétimo dia era um lembrete de que eles estavam vivendo em um mundo decaído. Cada sétimo dia era um lembrete de que eles tinham perdido o paraíso. E a única maneira de recuperar um pouco do paraíso era a obediência a Deus, a justiça.

E portanto eles tinha de considerar a importância de obedecer aos dez mandamentos. Eles tinham de considerar a importância daquele sétimo dia de examinar suas próprias vidas e ver como eles estavam em comparação com a lei de Deus. Reconhecimento do pecado era o objetivo, e levá-los ao arrependimento.

Assim o primeiro sétimo dia identificava Deus como Criador mas a instituição do sábado na economia Mosaica identificava Deus como o legislador. À primeira vista era produzir gratidão pela maravilha da criação. A segunda produzir o arrependimento pela perda de tudo o que é correto. E assim o sábado assumiu um novo significado. Sim ainda é um lembrete de que Deus criou mas é um lembrete de que a criação de Deus, que era originalmente perfeita, agora está marcada, nós fomos marcados, o reino de Sua criação está manchado pelo pecado, estamos manchados pelo pecado e a criação, como Paulo coloca, está gemendo e estamos gemendo também.

O sinal da circuncisão no meio da aliança, com Abraão, foi uma maneira de dizer "Você precisa ser limpo. Você precisa ser purificado." E o sinal aqui do sábado no meio dos dez mandamentos disse essencialmente a mesma coisa. É preciso reconhecer que você perdeu ou paraíso e a única maneira de recuperá-lo é ser justo. Obviamente eles não poderiam guardar a lei mas eles deveriam ser conduzidos em penitência para implorar a Deus para ser misericordioso com eles como pecadores.

Assim entendemos que isto era unicamente para o povo de Israel. E como eu disse esta manhã quando Jesus veio tudo mudou tudo mudou. Você se lembra que eu lhe disse esta manhã que o que Ele fez não foi uma purificação do templo foi uma abolição do templo? Ele não apenas quer eliminar os maus sacerdotes e manter os bons sacerdotes. Ele eliminou o sacerdócio.

Ele não apenas deseja limpar as atitudes das pessoas que ofereceram os seus sacrifícios ele obliterou o sistema de sacrifício porque Ele pôs fim ao judaísmo com todas as suas cerimônias todos os seus rituais todos os seus sacrifícios todas as suas armadilhas externas, o templo, o santo dos santos tudo isso incluindo o sábado, incluindo o sábado. A observância do sábado foi embora com todo o resto que pertencia ao judaísmo.

Começamos a compreender isso observando Jesus e como Ele tratou o sábado. Como Jesus tratou o sábado? Eu já disse isso antes, da forma que Ele queria, absolutamente da forma que Ele queria. Ele é o mediador, sabemos disso, de um novo pacto uma aliança melhor. É importante notar que assim como Ele obliterou o sistema sacrificial Ele obliterou o sistema do sábado.

Agora você pode recordar que nós vimos isso em detalhes em Marcos mas vamos olhar para várias outras passagens a considerar isso porque este é o coração da nossa mensagem para você hoje à noite. Veja Mateus 12:1. "Por aquele tempo, em dia de sábado, passou Jesus pelas searas. Ora, estando os seus discípulos com fome, entraram a colher espigas e a comer." Aliás, não havia realmente nenhuma lei do Antigo Testamento proibindo-os de fazer isso. Na verdade era permitido. Mas os judeus tinham acrescentado restrições intermináveis ao Antigo Testamento.

“Os fariseus, porém, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer em dia de sábado. Mas Jesus lhes disse: Não lestes o que fez Davi?" Você acha que isso é ruim ? "quando ele e seus companheiros tiveram fome? Como entrou na Casa de Deus, e comeram os pães da proposição, os quais não lhes era lícito comer, nem a ele nem aos que com ele estavam, mas exclusivamente aos sacerdotes?’”

Pois vou até dar-lhes alguma coisa pior. Davi e seus homens comeram os pães. "'Ou não lestes na Lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado e ficam sem culpa?" Vocês todos fazem um grande alarde de não se trabalhar no sábado. Adivinha só? Enquanto vocês não está trabalhando todos os sacerdotes estão trabalhando realizando todas as ofertas e todos os sacrifícios.

O que nos faz lembrar que esta lei não é moral é simbólica. Então Jesus ao invés de concordar com a sua preocupação sobre a violação do sábado, aponta para outras violações do sábado. No versículo 8 Ele diz "O Filho do Homem é Senhor do sábado." Ele pode fazer o que quiser com o sábado. Ele pode instituí-lo. Ele pode fazer mandamentos para as restrições. Ele pode exigir a morte por violação desses mandamentos como na lei mosaica ou ele pode colocá-lo de lado totalmente. Ele pode revogá-lo. Ele pode anulá-lo. E há a transição que está ocorrendo no Novo Testamento. Quando Jesus chega tudo o que faz parte do sistema do judaísmo está chegando ao seu fim.

Olhe em Lucas capítulo 14 Lucas capítulo 14. Novamente, está no versículo 1 "Aconteceu que, ao entrar ele num sábado na casa de um dos principais fariseus para comer pão, eis que o estavam observando. Ora, diante dele se achava um homem hidrópico. Então, Jesus, dirigindo-se aos intérpretes da Lei e aos fariseus, perguntou-lhes: É ou não é lícito curar no sábado? Eles, porém, nada disseram. E, tomando-o, o curou e o despediu. A seguir, lhes perguntou: Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? A isto nada puderam responder.”

Eles pensavam que curar alguém era uma violação do sábado. Jesus parece ter escolhido o dia de sábado para a Sua cura propositadamente porque ele desferiu um golpe neste símbolo. Jesus está anunciando o fim do sábado. Aliás, curar não era violação da lei do sábado, o Antigo Testamento não indica isso. Mas novamente a cura não aconteceu.

Em Marcos capítulo 2 - vamos voltar a esse capítulo em que começamos a olhar para isso recentemente - Ele está passando por um campo de grãos em um sábado. Seus discípulos começam a percorrer o caminho enquanto escolhem as espigas. O mesm relato está em Mateus. Fariseus dizem a Ele, "Olha por que estão fazendo isso? Não é lícito no sábado." Então Ele passa pela ilustração de Davi e et cetera, e chega ao versículo 27, "O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do Homem é senhor também do sábado.”

Deus projetou o sábado para ser uma bênção, para trazer descanso, para trazer um dia da semana em que você poderia agradecer a Deus pela glória de Sua criação e também ser informado de que o paraíso tinha sido perdido. Era um dia para mostrar gratidão pela criação e um dia a se arrepender, pedir perdão. Estava bem no meio da lei, porque eles violavam essa lei se não ativamente, em seus corações. Como Jesus disse no Sermão do Monte "Se você fizer essas coisas em seu coração é como se você cometesse estes pecados".

Assim nosso Senhor deu o sábado para ser uma bênção para o homem, para dar-lhe descanso de seu trabalho, um gostinho do Éden onde tudo era descanso antes da queda e dar-lhe uma oportunidade para agradecer a Deus pela criação e depois examinar sua vida em relação à lei. E vendo o pecado, buscar o perdão e misericórdia, e como resultado obter alegria, paz e salvação.

Mais uma vez Ele é o Senhor do sábado. Ele é maior do que o sábado. O sábado vai ser o que Ele deseja que ele seja tudo o que Ele projetar que seja nada mais e nada menos. Não é moral. Não foi dado até o tempo de Moisés e revogado no tempo de Cristo.

Abra em João 5. A oposição a Jesus está ardendo sob a superfície, neste momento, mas essa cura em particular torna-a exposta. Há uma festa dos judeus. Não temos certeza exatamente qual, mas poderíamos chamá-la de um festival ou uma festa de sábado. "Ora, existe ali, junto à Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pavilhões." E então ele diz "Nestes, jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos [esperando que se movesse a água. Porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse]" e assim por diante. Parte do versículo 3 e 4 podem ter sido adicionados mais tarde. É por isso que eles estão entre colchetes lá.

Mas no versículo 5 isto pega o texto original. "Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado? Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim'. " Esta era provavelmente algum tipo de uma idéia supersticiosa de que o primeiro que entrasse na água, quando as ondas agitassem, fosse curado. "Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda." Era uma esteira de palha muito leve poderia ser enrolada sob seu ombro. "Imediatamente o homem se viu curado" no versículo 9 "e, tomando o leito, pôs-se a andar." Aqui está o detalhe. "E aquele dia era sábado.”

A lei do Antigo Testamento não proibia caminhar, não proibia transportar o seu leito de um lugar para outro. Mas a tradição rabínica tinha formulado, eu não sei, alguns dizem que cerca de 40 diferentes atividades proibidas. Você as vê na Mishná uma das quais era carregar sua esteira. Então Jesus tinha feito ele violar o sábado. Ele não tinha que curar o homem no sábado. Ele não era para ordenaar ao homem fazer algo que violasse suas sensibilidades ao sábados. Mas ele fez isso e Ele fez isso de propósito. O versículo 15 diz "O homem retirou-se e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado. E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado.”

Jesus nunca iria violar os dez mandamentos. Jesus nunca iria violar a lei de Deus. Ele é santo, inocente, imaculado separado dos pecadores. Mas Jesus fez tudo o que quiz no sábado e à vista dos líderes na obra dEle porque fazia parte derrubar esse sistema inteiro.

No versículo 17 Ele vai ainda mais além e defende o que Ele fez ao dizer isso "Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também." Uau. Esta é uma reivindicação de Sua divindade. Meu pai e eu estamos fazendo nosso trabalho diante de seus olhos. Nós estamos trabalhando. "Por isso, pois, -" versículo 18. "- os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus" Ele estava chamando a Si mesmo - Ele estava chamando, eu deveria dizer, Deus Seu Pai e continuamente envolvidos em atividades que violavam a lei do sábado.

Os fariseus acusaram Jesus de quebrar a lei do sábado fazendo-se igual a Deus e isso os levou a matá-lo eventualmente. Jesus nunca tentou encaixar Suas atividades na lei do sábado da antiga aliança. Ele estabeleceu sua própria autoridade como um com Deus e como Senhor sobre o sábado. Os fariseus eram rigorosos guardadores do sábado. Eles seguiam a antiga aliança e os enfeites da letra.

E ainda assim eles perderam toda compreensão do sábado. Eles não encontraram nenhum descanso de suas obras intermináveis de esforços na salvação. Eles não encontraram nenhum arrependimento honesto real. As leis do sábado eram meras sombras de esperança um lembrete semanal que havia um paraíso a ser recuperado e era através dos meios de justiça.

Não poderia haver um descanso da luta interminável e o fardo horrível de tentar ganhar a sua salvação. Quando Jesus veio Ele trouxe o descanso, o verdadeiro descanso. O filho de Deus é agora uma nova pessoa. Sob a nova aliança fomos sarados, lavados, encontrados e aceitos. Entramos no desanso com ninguém menos que o próprio Criador. Foi-nos dada a justiça. Alegramo-nos com esse dom. Cessar todo esforço para ganhar a nossa salvação. Jesus literalmente acabou com o sábado.

E quanto ao resto do Novo Testamento? O que o Novo Testamento diz à igreja em relação ao sábado? Vejamos Hebreus 3. Há muito mais a ser dito sobre isso. Eu só estou tentando dar a você os destaques. E no próximo domingo à noite nós vamos verr o Dia do Senhor, domingo, e ver como isso se encaixa no propósito de Deus.

Mas existem algumas passagens definitivas. Hebreus 3:7 provavelmente um bom lugar para começar. "Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração como foi na provocação, no dia da tentação no deserto, onde os vossos pais me tentaram, pondo-me à prova, e viram as minhas obras por quarenta anos. Por isso, me indignei contra essa geração e disse: Estes sempre erram no coração; eles também não conheceram os meus caminhos. Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso."

O verdadeiro descanso de Deus não veio através de Josué. O verdadeiro descanso de Deus não veio através de Moisés. O verdadeiro descanso de Deus vem somente através de Jesus Cristo. Josué conduziu a nação de Israel para a terra de seu descanso prometido e que não era nada mais do que um descanso terreno, temporária, apenas uma sombra do descanso celestial final, definitivo.

Meu descanso. Esta é a promessa de salvação que Deus dá àqueles que confiam nEle. Versículo 12 "Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo. pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado. Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos. Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração, como foi na provocação.’

“Ora, quais os que, tendo ouvido, se rebelaram? Não foram, de fato, todos os que saíram do Egito por intermédio de Moisés? E contra quem se indignou por quarenta anos? Não foi contra os que pecaram, cujos cadáveres caíram no deserto? E contra quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão contra os que foram desobedientes? Vemos, pois, que não puderam entrar por causa da incredulidade.”

O tipo de descanso que é importante para nós é o descanso da salvação que vem pela fé, pela fé em Deus. A incredulidade perde o descanso. O descanso que os escritores do Novo Testamento estão preocupados, até mesmo a ênfase no livro de Hebreus, que é uma epístola muito judaica, não é em uma observância do sábado, mas sobre o descanso da salvação espiritual.

Veja 4:1 "Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado." O descanso com que o Novo Testamento se preocupa não é um dia da semana, é a salvação. "Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. Nós, porém, que cremos, entramos no descanso.”

Não existe um mandamento no Novo Testamento para guardar o sábado. Todos os dez mandamentos são repetidos no Novo Testamento alguns inúmeras vezes exceto o quarto mandamento. Isso nunca é repetido no Novo Testamento nem uma única vez. Ele estava no meio da lei moral, um sinal e um símbolo para liderar o povo para o descanso e arrependimento. Mas quando você vem para o Novo Testamento nunca há uma repetição desse mandamento.

O descanso com que o Novo Testamento está preocupado é o descanso que vem à alma por ouvir e crer nas boas novas anunciadas. Esse é o descanso que o Novo Testamento oferece. O versículo 9 diz "Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas." Isso é tão notável.

O que isso significa? Há apenas dois possíveis conceitos sobre ir para o céu. Você se esforça pelas obras ou é um dom, certo? Para os judeus eles estavam confiando em suas obras. Mas quando você entra no descanso da graça e no descanso da fé, as obras cessam. No dia em que você veio a Jesus Cristo você deixou de tentar ganhar a sua salvação certo? Você entrou no descanso permanente.

Esta é apenas uma magnífica ênfase do Novo Testamento. O sábado Mosaico, o símbolo, o sinal fera um reflexo pálido do verdadeiro descanso. Veja Romanos por um momento capítulo 14. Uma vez que isso é verdade, que o descanso do Novo Testamento é um descanso espiritual, o descando da salvação das obras que conduz à justiça você não pode fazer mais nada fora do sábado.

Ouça a Romanos 14:5 "Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia para o Senhor o faz." Havia judeus que tinham vindo para a fé em Cristo e tiveram um período difícil de deixar de observar o sábado. Estava muito bem o neles. Pensaram que ainda estavam obedecendo ao Senhor por manter a lei da antiga aliança do sábado. Eles observavam isso para o Senhor. "e quem come para o Senhor come" seguindo as leis dietéticas "porque dá graças a Deus; e quem não come para o Senhor não come e dá graças a Deus.”

Em outras palavras, como o versículo 5 diz, cada pessoa está inteiramente convicta em sua própria mente de que o que ele acha é o certo. Isso realmente não importa. Versículo 8 diz "Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor." Não faça uma edição do sábado.

Como ele diz novamente no versículo 2, algumas pessoas estão preocupadas com as leis dietéticas. Algumas pessoas estão preocupadas com a observância do sábado. Essas coisas são parte de um esquema de passagem. E há instrução no Novo Testamento, em outros lugares, para deixar essas pessoas desenvolverem sua compreensão da sua liberdade quanto a essas prescrições. Não force-as contra a sua consciência. Crentes judeus ainda se sentiam obrigados a observar a lei do sábado, leis dietéticas. Deixe-os fazer isso até que cheguem à plenitude da sua liberdade.

O que é notável sobre isso é que não há mandamento aqui para fazer isso. Este seria um lugar perfeito para dizer "E aqueles de vocês que não estão fazendo isso, façam." Isso não acontece.

Em Gálatas 4:9 diz "mas agora que conheceis a Deus ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como estais voltando, outra vez, aos rudimentos fracos e pobres, aos quais, de novo, quereis ainda escravizar-vos? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós tenha eu trabalhado em vão para convosco." Você não tem obrigação de voltar às prescrições do calendário dos festivais e dos sábados, a economia Mosaica.

Abra em Colossenses capítulo 2. Este é talvez o mais definitivo, porque ele puxa dois sinais juntos, o sinal da aliança abraâmica, a circuncisão, e o sinal da aliança mosaica, o sábado. E em Colossenses capítulo 2 é claro que sabemos que a circuncisão foi completamente abolida na nova aliança, totalmente abolida.

Gálatas 5:2 diz "vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará." Se você receber circuncisão Cristo não é um benefício para você. Não importa. "Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor.”

E assim aqui em Colossenses 2:11 "Nele, também fostes circuncidados, não por intermédio de mãos, mas no despojamento do corpo da carne, que é a circuncisão de Cristo;" você teve uma cirurgia muito mais dramática e foi interna. Você foi "sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos. E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos.”

Deixe de lado a circuncisão. Se você se pendurar na circuncisão você torna Cristo sem nenhum efeito. O sinal da aliança abraâmica já não existe. Esse pacto morreu porque esse Pacto não pode salvar.

E em seguida no versículo 16 "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo." Não deixe que ninguém segure você com o sábado. E isso está se referindo ao sábado semanal porque os outros sábados de Festival estão acobertados sob o termo "festival e a lua nova.”

Não deixe que ninguém o prenda ao sábado. Era parte do sistema que incluia o templo, o sacerdócio, os sacrifícios. Isso acabou. Era apenas a sombra não a substância. Ele só apontava para o fato de que Deus era o Criador, que o paraíso tinha sido perdido, que você estava sob o julgamento terrível da lei e precisava se arrepender e voltar para Deus e buscar a justiça, misericórdia e graça que Ele oferece.

Mas o sábado não proporciona isso. Isso é proporcionado em Jesus Cristo. Paulo está dizendo que você não precisa mais da sombra você tem a substância. Você tem o descanso, o verdadeiro descanso.

Mais pode ser dito sobre isso. Apenas alguns pensamentos finais e vamos encerrar. Não há um mandamento no Novo Testamento para guardar o sábado. Todos os dez mandamentos são repetidos no Novo Testamento exceto aquele sobre o sábado. Esse nunca é citado no Novo Testamento. Não há prescrições ou regras de sábados em qualquer parte do novo pacto. Não há instruções sobre o comportamento no sábado em qualquer lugar do Novo Testamento.

Em Atos 15 quando o Concílio de Jerusalém decidiu o que seria necessário aos crentes gentios na igreja, eles não os obrigaram a observar o sábado. Os apóstolos nunca ordenaram ninguém a observar o sábado. Eles nunca puniram alguém por não observar o sábado. Eles nunca advertiram os crentes sobre violações do sábado. Eles nunca incentivaram os crentes a observar o sábado.

Ele se foi com uma exceção. Nós podemos voltar a Gênesis capítulo 2 e podemos ser lembrados de que cada sétimo dia que passa é uma oportunidade para reconhecermos a grandeza do nosso Criador. Podemos abençoar esse dia por nele reconhecer Deus como Criador.

E então como eu disse – e isso é para a próxima semana – o primeiro dia é onde reconhecemos Deus como Redentor. Nós não nunca realmente comemoramos um sábado o sentido Mosaico porque é um ministério de morte. Mas podemos comemorar o sábado no sentido de Gênesis quando celebramos Deus como nosso Criador e em seguida, no primeiro dia da semana, quando celebramos a Ele como nosso Redentor.

Agora, no próximo domingo à noite, com apenas essa visão geral, eu quero fazer a transição para o modo como vemos o domingo. Há alguma coisa importante sobre isso? Existe algo único sobre isso, algo especial sobre ele? E o que dizem as Escrituras? E eu acho que você vai desfrutar de saber o que o Senhor quer que saibamos e como responder a isso quando o considerarmos da próxima vez.

Pai nós te agradecemos por um dia maravilhoso. Nós Te agradecemos pela consistência da Tua verdade. Nós Te agradecemos pela Palavra que abre o nosso entendimento de todas as coisas. Estamos tão infinitamente encantados com a gloriosa verdade da Escritura que é clara e inequívoca para nós. Agradecemos ao Senhor porque estamos além das sombras, dos sinais e os símbolos.

Nós vivemos na realidade do descanso. Descansamos para sempre das obras da justiça, dos esforços de auto-salvação. Entramos no descanso do evangelho. Temos um gostinho do paraíso mesmo agora neste descanso, e um dia vamos entrar nessa glória do paraíso celestial. Mas Tu nos destes uma pequena prova dele agora. Cada dia para nós é um sábado, porque a cada dia nós descansamos na obra consumada de Jesus Cristo. Damos a Ele todo o louvor. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

ECFA Accredited
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize