Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Bom, eu dou as boas vindas para você nessa manhã aqui em nossa igreja e pela maravilhosa comunhão do povo de Deus aqui. Nossa comunhão está em torno da Palavra de Deus, e estamos atualmente em uma série olhando para a vida do crente impactada pelo Espírito Santo. Nós estamos falando nessa série que o Espírito Santo é talvez o membro mais invisível da Trindade em termos do pensamento e conhecimento das pessoas. Todos entendemos muito sobre Deus, há muita ênfase nos atributos de Deus e nas obras de Deus. Com certeza enfatizamos Cristo e toda Sua obra, Sua pessoa, caráter e Sua vida. E só para equilibrar, entendendo que cada membro da Trindade é igualmente digno com cada um dos outros membros da Trindade, quero ajudar você a adorar o Deus Trino de uma forma mais completa, para ajudá-lo a entender a verdadeira obra do Espírito Santo.

Mas não é só isso. Não é, como eu tenho dito a você, não é só o fato de que não temos tanto foco ou concentração na pessoa do Espírito Santo, mesmo Ele sendo digno de igual louvor, é que o que é atribuído ao Espírito Santo é certamente indigno de Seu nome. Existe uma blasfêmia do Espírito Santo que acontece o tempo todo. As pessoas são mais relutantes para blasfemar ao Deus Pai ou até a Cristo o Filho, mas parece que está livre para blasfemar contra o Espírito Santo.

Se você fosse olhar para a mídia cristã como um espectador ignorante e tentasse entender a teologia do Espírito Santo assistindo a televisão cristã, você poderia supor: que o Espírito Santo, seja o que for, é algum tipo de poder. É o tipo de poder que derruba as pessoas, derruba-as no chão e as deixa lá deitadas, desorientadas. É um tipo de poder que opera, curiosamente, com o movimento da mão do homem ou por pressionar a cabeça de alguém com a mão. Seja o que for essa força, seja o que for esse espírito, também faz as pessoas resmungarem uma linguagem sem nexo incoerente. Também faz as pessoas jogarem as mãos para cima, rolarem os olhos para trás, e tentarem manter o equilíbrio enquanto balançam com a música. Talvez seja essa a sua conclusão. O Espírito Santo, seja o que for esse Espírito, é uma força que faz você perder o controle sobre de seu corpo, sua boca e sua mente e você entra em um tipo de comportamento emocionalmente bizarro e irracional. Esse não é o Espírito Santo. Isso é insultar o Espírito Santo.

Você diz, “O que é esse fenômeno?” Poder da sugestão, o poder de expectativa do grupo, o poder de manipulação. Não tem nada a ver com o Espírito Santo. O Espírito Santo causaria tais coisas em lugares que O desonram, que desvirtuam as Escrituras, que Ele escreveu? Ele apareceria para validar uma má teologia e falsos mestres e se ausentaria em lugares onde o Espírito Santo é honrado e também Sua Palavra é honrada? Penso que se o tipo de fenômeno que você vê na televisão ou nesses tipos de reuniões fossem mesmo do Espírito Santo, todos vocês estariam caindo e balbuciando coisas incompreensíveis o tempo todo porque o Espírito Santo se move naqueles que honram Cristo e honram Sua Palavra.

Qual é a verdadeira obra do Espírito Santo? O que Ele realmente está fazendo? O que Seu poder está realizando? Deixe-me ajudá-lo com um pouco de linguística. Existe uma palavra para Espírito no Antigo Testamento, é ruach, o paralelo no Novo é pneuma. As duas palavras são onomatopéicas. Tanto pneuma quanto ruach são palavras que têm, já na pronuncia, o ar em movimento. É essa é a intenção da palavra “espírito”; é movimento, é força. O sentido fundamental de ruach, a palavra do Antigo Testamento para Espírito, é poder, energia, força, vida. Um terço das vezes que a palavra aparece no Antigo Testamento – é aparece muitas vezes – um terço delas se refere a Deus, ao Espírito de Deus. Mas a ênfase da palavra ruach, Espírito, e da palavra pneuma, no grego no Novo Testamento não está na imaterialidade. Não é simplesmente para enfatizar o fato que essa pessoa da Trindade é imaterial. Essa não é a questão. A palavra quer dizer poder, energia, força. E ênfase está nisso. Então quando você diz ruach Iavé, o Espírito de Deus, você está falando sobre o poder de Deus, a energia de Deus.

Miquéias 3:8 nos dá uma boa ilustração disso. Miquéias 3:8 diz, “Eu, porém, estou cheio do poder do Espírito do SENHOR.” Estar cheio do Espírito do SENHOR é estar cheio de poder. Novamente, não se refere a imaterialidade. É por isso que a tradução – a antiga tradução de “Holy Ghost”, nas versões em inglês (Fantasma Santo) é tão inadequada. Fantasma é simplesmente uma palavra que fala de algo imaterial. E, aliás, de algo que não existe. Mas a palavra Espírito, e não é uma ênfase na imaterialidade mas na energia avassaladora. De fato, eu sugeriria a força violenta de Deus. É o poder de Deus é violento. Um escritor diz, “O ruach de Iavé é a explosão de Deus, o poder irresistível pelo qual Ele cumpre Seu propósito, seja criativo ou destrutivo.” Quando você fala sobre o Espírito de Deus, você está falando sobre uma pessoa que é essencialmente a expressão do poder violento de Deus, energia divina, um poder que é tão grande, tão infinito e sem limite como o próprio Deus é grande e sem limites.

É o Espírito de Deus, o poder violento de Deus através da terceira pessoa da Trindade, que cria o exército dos céus, Salmos 33:6: “Por ruach, Deus cria o exército dos céus.” Isso é poder. Num dado momento não existe nada, nem um universo, muito menos um universo cheio de corpos em movimento orbitando, e num segundo todos eles existem. Esse é o poder do Espírito Santo, ruach. É o poder que dá energia para os juízes, como Otniel e Sansão em Juízes capítulo 3 e Juízes 14. O ruach de Iavé é o poder que toma conta de Seus profetas, levanta-os, leva-os para algum lugar, e os deixa em um lugar diferente, Ezequiel 3, Ezequiel 11, 1 Reis 18. Nós estamos falando sobre uma força extraordinária.

Aquelas pessoas que são confrontadas e dotadas pelos atos do Espírito de Deus experimentam poder sobrenatural. O Espírito Santo não limitou Seu poder à criação. Ele não limita seu poder à destruição, embora existam evidências nas Escrituras de ambas. Até onde nos importa como crentes, precisamos ir além da expressão material do poder divino, sobre o qual tenho falado, poder para criar, poder para fazer o trabalho único e sobrenatural de certos homens na terra, poder para pegar profetas e os levar para outro lugar, e entrar e entender que o grande poder criativo do ruach está operando na vida de homens. Seu poder está em nós. Não é para nos derrubar, fazer-nos balbuciar, ou explodir em algum tipo de trauma emocional, é um poder que é, na maioria das vezes, invisível, na verdade em si mesmo, é invisível.

Uma ilustração desse poder seria tomada do Salmo 51. Davi havia pecado grandemente – um pecado terrível. Ele tinha cobiçado uma mulher que não era sua esposa chamada Bate-Seba. Ele a tomou em atos de adultério e então, querendo tê-la permanentemente, providenciou que seu marido, que era um soldado fiel, fosse abandonado no calor da batalha e então morresse nas mãos do inimigo. O pecado foi muito grande – assassinato, adultério, e Davi derrama seu coração no Salmo 51, e está suplicando a Deus para perdoá-lo. Ele está suplicando a Deus para lavá-lo. Ele está suplicando a Deus para tirar a dor da culpa e medo. E num tipo de resumo de tudo isso no versículo 11 do Salmo 51, ele diz: “nem me retires o teu ruach.” Não retires o Teu Espírito de mim. Ele não está falando de perda da salvação porque na linha seguinte ele diz, “Restitui-me a alegria da tua salvação.” Ele não tinha perdido sua salvação, mas sim sua alegria.

O que ele quer dizer então, “Nem me retires o teu Santo Espírito”? Eu sei o que ele quer dizer. Ele tinha algo especifico em mente: Saul. Saul. Ele tinha uma boa compreensão da história. Só teve Saul antes dele, assim, a história dos monarcas foi muito curta. Deus tirou o Espírito de Saul num sentido especial.

No antigo Israel, no dia do antigo pacto, o Espírito Santo vinha sobre os reis, sacerdotes e profetas de um modo único. Ele não fazia só isso. Ninguém poderia ser salvo sem o Espírito Santo, mesmo no Antigo Testamento. Ninguém poderia ser santificado sem o Espírito Santo, mesmo no Antigo Testamento. O Espírito Santo estava fazendo Sua obra naquele momento de operar nos corações dos homens para produzir neles o arrependimento. O Espírito Santo estava se movendo nos escritores das Escrituras para escreverem as Escrituras Sagradas. O Espírito Santo estava fazendo sua obra naquele momento. Não era tão claro quanto no Novo Testamento, não era tão completo quanto no Novo Testamento, mas o Espírito estava fazendo Sua obra ou ninguém seria salvo, ninguém seria santificado. Mas além da obra normal do Espírito Santo, o Espírito Santo veio de maneira especial nos reis, sacerdotes e profetas e fez pousar sobre eles poderes sobrenaturais. O medo de Davi era que o que aconteceu com Saul acontecesse com ele, então essa oração pessoal a Deus era para que Deus mantivesse a presença do Espírito sobre ele ou ele não teria poder para reinar da maneira que ele precisava reinar. Poder para reinar, poder para liderança espiritual, poder para sabedoria espiritual.

No Novo Testamento isso expande, essa obra do Espírito Santo. Jesus disse aos Seus discípulos no cenáculo sobre o Espírito Santo, Ele disse, “Ele tem estado com vocês, Ele estará em vocês.” Claro que Ele tem estado com você, ou nada aconteceria. Você não iria se arrepender, não creria, não progrediria espiritualmente, não seria iluminado para compreender as Escrituras. Ele tem estado com você, mas Ele estará em você. Isso não é uma questão de ausência e presença, mas uma questão de grau. Há uma plenitude do Espírito agora em todos os crentes. Pense dessa forma: Nós todos somos reis, somos todos sacerdotes, somos todos profetas, certo? Todos temos a responsabilidade de proclamar o evangelho. Somos todos reis e sacerdotes. Então a unção na plenitude do Espírito vem sobre todos nós para nos capacitar, por assim dizer, para sermos aqueles que reinam no reino, aqueles que conduzem os homens perante de Deus como os sacerdotes faziam, e aqueles que pregam por Deus aos homens como os profetas fizeram.

Então essa é a plenitude do ministério do Espírito Santo agora depositado em todos os crentes enquanto Ele – como lemos em 1 Coríntios 12 – nos coloca no corpo de Cristo, nos dando dons com toda permissão para realizarmos todo ministério que Ele nos entregou, e assim todos bebemos Dele, o que quer dizer que Ele reside permanentemente em nós. Com aqueles antes de Sua vinda no Pentecoste, Ele estava com eles, agora Ele está em nós. É uma questão de plenitude, totalidade, riqueza. E o que Ele está fazendo? O que Ele está fazendo nesse ministério? Não está mais criando. O mundo material está criado. Sua obra criativa é agora criação espiritual. Ele cria vida espiritual, conversão, regeneração. Ele santifica, Ele equipa, Ele dá dons, Ele chama, Ele produz fruto, Ele fornece poder. Quando eu falo de poder, estou falando sobre força violenta.

E eu não acho que falamos muito disso, mas o poder exibido pelo Espírito Santo, o poder exercido pelo Espírito Santo em sua vida, é um poder violento. Se você entende sua condição antes da sua salvação, entenderá o quão violento foi. Morto em delitos e pecados, cego para a verdade de Deus, e veremos mais sobre isso em Romanos 8. Corrupção profunda até à alma. Profundamente morto, morto-vivo, esse é o diagnóstico de todos os seres humanos antes de virem a Cristo. Um poder violento vem sobre os mortos e dá vida, e então o poder de santificação é liberado para lutar contra a corrupção e derrotá-la. E um dia, esse mesmo poder ira recriar um novo você pronto para a vida eterna no céu. Este é um poder incrível.

O poder do Espírito Santo também está por trás da escrita das Escrituras. Toda a Escritura é inspirada por Deus – pneuma de Deus – falando da autoria do Espírito Santo. Pedro diz que homens foram movidos pelo Espírito Santo para escrever. Deixe-me dizer-lhe como foi. Deixe-me dar uma explicação sobre isso. Um homem senta para escrever, ele tem suas próprias ideias, seus próprios pensamentos, suas próprias predisposições, suas próprias pressuposições. Ele tem o que é interessante e importante para ele, e ele escreverá, e então vem o Espírito Santo e rompe na mente desse homem e literalmente estraçalha tudo exceto o que o Espírito Santo quer que ele escreva. É uma força violenta que prevalece sobre todos os pensamentos do homem, todas as expectativas, ambições, e desejos do homem, e ele é deixado sem nada senão com a realização total que ele deve escrever somente uma coisa, o que o Espírito de Deus quer que ele escreva. Isso é poder. Poder para prevalecer sobre a ignorância dos homens, guiando-os para a verdade. Poder para prevalecer sobre seus preconceitos, poder para prevalecer sobre suas preferências de modo que o que você tenha na Bíblia é a palavra do Espírito Santo através de escritores que estavam escrevendo o que eles queriam escrever, mas o que eles queriam escrever foi reduzido pela força esmagadoramente violenta em suas mentes, realizada pelo Espírito Santo, que baniu todo o resto – todo o resto.

É por isso que as ultimas palavras de Davi – 2 Samuel 23:2 – são: “O Espírito do SENHOR fala por meu intermédio, e a sua palavra está na minha língua.” Todos os escritores das Escrituras são reduzidos somente àquilo que o Espírito Santo quer que seja dito, dominando os limites do conhecimento humano, da sabedoria humana, da compreensão humana, em seguida, fixando-se exatamente naquilo que o Espírito queria dizer. Assim, a mesma poderosa e maravilhosa obra é feita por inspiração que o Espírito de Deus está realizando na vida do crente em quem ele vive sendo essa a palavra do Espírito de Deus nas Escrituras. Porque é uma expressão perfeita de Sua mente, e também na vida do crente, o Espírito de Deus tem uma mente e uma vontade em perfeita harmonia com a do Pai, veremos isso Romanos capítulo 8, e Ele trabalha para afastar tudo que está no caminho do cumprimento desse propósito e dessa vontade. Então existe uma violência nisso, mesmo nós não experimentando, não somos torturados por isso, não somos torcidos por isso. Existem momentos que sabemos que estamos em uma batalha, e nossa carne luta contra a obra do Espírito Santo enquanto lutamos contra tentação.

No Novo Testamento, a pessoa do Espírito Santo é mais revelada. Não temos uma imagem completa no Antigo Testamento; mas temos sim uma visão total no Novo Testamento. No Novo Testamento, o ministério completo do Espírito Santo é revelado, como tenho dito, na vida do crente. E aliás, somente naqueles que conhecem a Cristo. Somente naqueles que conhecem a Cristo.

Por que será que as pessoas atribuem todas essas coisas horríveis ao Espírito Santo? Porque não conhecem a Cristo. Não conhecem a Cristo. “quando vier, porém, o Espírito da verdade,” – João 16:13 – Jesus disse, “ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.” “Ele,” Ele diz novamente, “há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.” Se você pertence a Cristo, o Espírito será seu professor. Você O compreenderá corretamente e compreenderá a Cristo corretamente. Primeira João 2:20 diz que Ele é a unção que ensina todas as coisas, então você não precisa de homem nenhum para lhe ensinar porque Ele é seu professor. Ele vence a sua ignorância. Ele vence seus preconceitos. Ele vence suas inclinações. Esse é o ruach de Iavé.

Como eu estava dizendo, no Novo Testamento tudo se torna claro, que a salvação é algo que o Pai iniciou, o Filho validou, e o Espírito Santo ativou. Ele regenera os eleitos. Ele dá vida. Ele os santifica. Ele os leva de um nível de gloria para o próximo, e o próximo – 2 Coríntios 3:18 – e um dia ele glorificará todos nós – versículo 11, veremos isso um pouco mais tarde – Ele irá ressuscitar nossos corpos mortais dentre os mortos na nossa forma glorificada final. Assim, o Espírito Santo é esse poder, esse poder na Trindade que nos regenera, santifica, e, um dia, glorificará. Recebemos então uma revelação incrível e rica do Seu gracioso, violento e explosivo poder que basicamente recria-nos e nos capacita na justiça e no final nos habilita para a glória eterna.

Assim, onde o poder do Espírito Santo estiver sendo manifestado, não produzirá quedas tolas e estúpidas ao chão, palavras incoerentes, tremedeira estática, ou fortes ataques de emoções. Todos esses comportamentos não tem absolutamente nada a ver com o Espírito Santo. São uma zombaria da Sua verdadeira obra. Quando o Espírito Santo está se movendo com o ruach de Iavé, pessoas serão salvas, santificadas, unidas, capacitadas, receberão dons, receberão poder para adorar e prestar culto e obediência às Escrituras Sagradas. Elas serão coerentes, racionais, pensantes, ordeiras, e fiéis à Palavra porque essa é Sua obra.

Agora vamos para Romanos 8. Eu sempre gosto de fazer uma introdução. Aliás, se você – bem, pela minha definição, pelo menos, então – o livro que é mencionado em A Graça Hoje, o Caos Carismático, fornecerá a você muito material que não estou tratando nesta série sobre o movimento Carismático. Eu poderia atualizar aquele livro, mas tudo o que faria seria mudar as ilustrações, não a teologia, certo? Então se você quer pegar uma cópia de Caos Carismático, completará muitas coisas para você.

Agora, ao chegarmos ao capítulo 8, chegamos no capítulo do Espírito Santo. O livro de Romanos divide-se – eu acho que você poderia dizer que a seção de Deus é a primeira, capítulos 1, 2, e 3, onde toda a humanidade tem a culpa perante Deus e estão sob Seu julgamento divino. Então vem a parte de Cristo, capítulos 3, 4, 5, 6, e 7, aonde chegamos a obra de Jesus Cristo na cruz que traz a salvação que precisamos da ira de Deus, do julgamento de Deus, por causa do nosso pecado mostrado nos primeiros capítulos. E agora chegamos no capítulo do Espírito Santo. Assim, nós vimos a parte muito forte de Deus e toda a raça humana estando de baixo da condenação e julgamento divino, a maravilhosa e graciosa provisão de Cristo, e agora a ativação da redenção, que Deus iniciou e Cristo validou, vem pela obra do Espírito Santo. Como lemos em 1 Coríntios 12:3, ninguém poderia nem dizer que Jesus é Senhor, o que é dito quando você é salvo – se você confessar com sua boca “Jesus é Senhor,” você é salvo – não tem como dizer a não ser pelo poder do Espírito Santo porque você não tem como fazer isso, como vimos, a não ser que Ele pelo Seu violento poder esmague sua corrupção e o capacita a fazer isso.

Vamos começar no versículo 1: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Essa é o resumo das Boas Novas. Isso é confirmado no final do capítulo. O final do capítulo é todo sobre isso – versículo 34 – quem irá condenar, e então há uma série de possibilidades, opções e possibilidades teóricas. Nenhuma delas é capaz de nos separar; estamos em um estado permanente, eterno, sem condenação. Fomos literalmente removidos da condenação nos capítulos 1, 2, e 3 pela obra de Cristo nos capítulos 4, 5, 6, e 7. Entendemos isso. Não há condenação. Como isso aconteceu? Como foi ativado em nós? Sabemos que Deus planejou. Sabemos que Cristo executou na cruz, mas como isso se aplica a nós? Resposta: O Espírito Santo – o Espírito Santo.

Agora entramos na obra do Espírito Santo em nos colocar nessa condição de salvação, nesse estado de não condenação. A primeira coisa que vimos, e está bem aqui no versículo 2 e 3, Ele nos dá vida estando mortos. Ele nos torna vivos. A lei do Espírito da vida em Cristo Jesus vos libertou da lei do pecado e da morte. “Lei” usada aqui é principio. Você poderia até chamar isso de paradigma, um domínio, uma posse.

Vivíamos em um tipo de morte-viva. Estávamos debaixo do princípio dominante do pecado e da morte. Estávamos mortos em nossos delitos e pecados, para dizer da maneira que Paulo disse em Efésios 2, e então veio o Espírito da vida, e nos libertou da lei do pecado e da morte. Essa é primeira obra do Espírito Santo. Essa é a obra da regeneração. É isso que é ser regenerado, nascer novamente, receber vida da morte. Essa é a obra do Espírito de Deus. Você precisa nascer do Espírito, Jesus disse em João 3 para Nicodemos. E, claro, o que torna isso possível está no versículo 3, que Cristo Jesus, o Filho de Deus, deu-se a Si mesmo como oferta pelos pecados. Ele tomou nosso lugar. Morreu nossa morte. Ele pagou a pena total e então condenou o pecado. A lei pode condenar o pecador, a lei não pode condenar o pecado, mas Cristo em Sua morte condenou o pecado em Seu corpo humano como um homem encarnado. Então por causa da obra de Cristo no versículo 3, nós podemos receber a vida. Mas não é automático e não é baseado em vontade humana; é baseado na obra do Espírito Santo que nos dá vida da morte. Certo, essa é a primeira coisa que vemos sobre a obra do Espírito. Ele dá vida, regeneração.

Em segundo lugar, por causa dessa vida, Ele nos capacita a cumprir a lei de Deus. Ele nos capacita a cumprir a lei de Deus. Esse é o coração do que Paulo vai falar aqui, e eu quero que você realmente entenda isso. Por favor, observe o versículo 4: “De modo que agora temos vida, o que é possível por causa do sacrifício de Cristo em nosso lugar – no versículo 3 - e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós.”

Agora ouça. O que acontece quando você é regenerado é que pela primeira vez você cumprirá os requerimentos da lei de Deus – não perfeitamente, mas em certo grau. Porque é assim? Por que que vou agora, tendo sido regenerado, cumprir a lei de Deus? Por que vou obedecer a lei de Deus em atitude e ação? Por que? Porque o versículo 4 diz, “que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Isso é um fato, pessoal. Isso é um fato. Issoé o que significa ser Cristão.

Não existe essa coisa de dizer, “Eu sou Cristão, eu recebi vida da morte pelo poder do Espírito Santo, mas eu não tenho nenhum interesse em cumprir a lei de Deus.” Espere aí – isso não é possível. São sequenciais. “A fim de que” – é uma clausula de propósito. Você foi libertado da morte para a vida de modo que os requisitos da lei possam ser cumpridos em nós – ou Efésios 2:10. Você foi criado para as boas obras que Deus de antemão ordenou para que você andasse nelas. Você experimentou uma ressurreição real, espiritualmente falando. Você agora anda – você agora anda, isso é vida diária, como vimos da ultima vez – você agora anda, não segundo a carne mas segundo o Espírito. Andar é a palavra para conduta diária. Sua conduta diária é consistente com o Espírito que é o poder, a energia, a força violenta em você. Esse poder, o Espírito Santo, literalmente veio em sua condição de morte espiritual como um raio e trouxe vida, e agora esse mesmo poder, esse mesmo poder irresistível, controlador, dominador do Espírito Santo leva você para a direção da obediência à lei de Deus. Sua natureza é mudada. Sua mente é transformada. Sua vontade é transformada. Suas afeições são mudadas. É transformação total.

Agora olhe para o versículo 4. Só existem dois tipos de pessoas no mundo – somente dois, só isso. Existem as pessoas que andam segundo a carne e existem pessoas que andam segundo o Espírito. Deus nunca divide pessoas por cultura, por raça, por educação, por sexo, por posição social, dinheiro. Deus somente reconhece dois tipos de pessoas: aqueles que andam segundo a carne e aqueles que andam segundo o Espírito. Esses são não crentes e crentes. São os não regenerados e os regenerados. Pessoas que são mortas-vivas e as pessoas que são vivas. Isso é tudo o que há.

Agora, nesse ponto, o apóstolo Paulo entra profundamente na patologia da queda, a patologia da corrupção. E normalmente, se você é um estudante da Bíblia e quer falar sobre o pecado e depravação, você vai para Romanos 3 e em Romanos 3 você ouve o apóstolo Paulo recitando todos aqueles versículos do Antigo Testamento, “Não há justo, nem um sequer.” “não há quem busque a Deus.” E você vai de Romanos 3:10 ao 20 e tem uma lista completa desses tipos de coisas que acontecem e não acontecem. E isso é certamente uma descrição da queda muito, muito poderosa mas não é tão poderosa quanto essa aqui. Essa é a descrição da humanidade caída mais penetrante e patológica que você irá achar, penso eu, nos escritos do apostolo Paulo. O que ele fala aqui é que essas pessoas não andam de acordo com o Espírito mas de acordo com a carne. Elas andam de acordo com a carne.

Ele não para ai. Vá para o versículo 5. “Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.” Vá para o versículo 6. “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz.” Vá para o versículo 7. “Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar.” Agora o versículo 8. “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.” Agora, existe uma patologia substantiva da condição de pessoas não regeneradas. Isso é simplesmente incrível. Eles andam na carne porque eles cogitam das coisas da carne. Eles estão mortos. Eles são hostis para com Deus. Eles não conseguem se sujeitar à lei de Deus, eles não conseguem. Eles não conseguem agradar a Deus.

Agora, você entende que foi disso que você foi libertado? Agora, por causa da obra do Espírito Santo, foi-lhe dada a vida e a obra contínua e santificadora do Espírito – diz respeito à obra regeneradora que aconteceu quando você foi salvo – a obra santificadora continua do Espírito Santo é um movimento contínuo e poderoso do terceiro membro da Trindade na sua vida para levar você na direção que Ele quer que você vá. Você está agora andando no Espírito. Você é literalmente arrastado na direção da sua vida pelas coisas do Espírito, pela mente que fica atenta ao Espírito, isso não é hostil para Deus, mas é conseguir cumprir a lei, é ser capaz de agradar a Deus.

Essa é a grande obra da regeneração e santificação. Isso não é uma coisa pequena. Algumas pessoas andam na carne, esse é seu comportamento porque eles cogitam as coisas da carne, esse é o pensamento, e eles então estão mortos, essa é a condição. Outros andam no Espírito, esse é seu comportamento, eles cogitam as coisas do Espírito, é assim que eles pensam, e eles apreciam a vida e a paz. Essa é a linha de pensamento de Paulo. A habilidade de cumprir a lei de Deus vem do poder regenerador e a obra subsequente santificadora do Espírito Santo. De repente você tem um amor pelas Escrituras, um interesse pelas Escrituras, uma fome pelas Escrituras. Você quer conhecer a Deus. Você quer amar mais a Deus. Você ama Sua Palavra. Você quer ouvir Sua Palavra, entender Sua Palavra, e obedecer Sua Palavra.

O axioma básico é simples. Existem dois tipos de pessoas, aqueles que estão atrás da carne, que cogitam as coisas da carne, eles estão mortos. Eles são os mortos vivos. Não conseguem cumprir a lei de Deus, não conseguem agradar a Deus, nenhuma capacidade. Isso é depravação. A pessoa não salva, habitualmente controlada pela sua humanidade não regenerada e depravada, odeia a Deus, odeia as coisas de Deus. Em um grau ou noutro, ela vai manifestar esse ódio. Mas no coração ela odeia as coisas de Deus. Não consegue cumpri-las de forma alguma.

Deixe-me aprofundar um pouco mais nisso porque eu acho que será útil para nós. Vá para o versículo 5, “Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne.” Phroneō é o verbo em grego, phroneō, estar disposto – estar disposto, estar inclinado. A forma do substantivo é phrēn. Algumas vezes phrēn se refere à sede de todas afeições mentais e capacidades mentais, que expressa qualquer forma de atividade mental, qualquer atividade mental, sendo emocional ou da vontade ou qualquer combinação da emoção e da vontade. Não é a palavra para mente. Não é a palavra para mente. A palavra para mente é nous e está em 1 Coríntios 2:16, “Nós, porém, temos a mente de Cristo.” Essa não é a palavra para mente. Esta é a palavra para disposição. É a palavra para inclinação. É a palavra que descreve o caminho pelo qual você vai. De fato, a melhor maneira, eu acho, para traduzir é mentalidade intencional deliberada.

A pessoa não salva é dominada pela mentalidade intencional deliberada e controlada pela carne. O que é a carne? Não é só esse corpo físico. Não é só o que você consegue tocar e ver. É sua humanidade caída. Não é só o corpo físico, são os padrões invisíveis de pensamento em sua mente que informam os comportamentos do corpo. É a sua natureza caída, e você não tem como consertar isso. Você não consegue consertar isso. Não tem como consertar pela educação, essa não é a resposta. Você não consegue consertar. É uma força interna controladora da natureza caída, da corrupção, da carne.

O Novo Testamento fala muito sobre a carne, fala sobre as afeições da carne, fala sobre a confiança na carne, das obras da carne, dos desejos da carne. Fala sobre a religião da carne, das orações da carne, da adoração de acordo com a carne, do deus da carne, da corrupção da carne. Simplesmente quer dizer sua condição caída sem Deus. Você é uma pessoa morta-viva, mas é corrupta. São essas pessoas que João diz que amam o mundo, as coisas que são do mundo, e o amor do Pai não está nelas. E todos que não são redimidos são assim. Eles satisfazem a carne em seus desejos corruptos. É isso que Pedro disse, eles satisfazem a carne em seus desejos corruptos. Esse é o fato. E não conseguem cumprir a lei de Deus. Eles continuam violando a lei de Deus e a penalidade disso é o que? O preço do pecado – morte.

Por outro lado, existe outra patologia aqui. Volte para o versículo 5. Aqueles que são de acordo com o Espírito, mencionado aqui novamente, phroneō, cogitam as coisas do Espírito – versículo 6 – “Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz.” Veja, é uma patologia completamente diferente. Nós não somos hostis para com Deus, nós voluntariamente nos sujeitamos a lei de Deus, conseguimos fazer isso pelo Espírito Santo, e até conseguimos agradar a Deus.

Quanto conseguimos agradar a Deus? Eu vou lhe dizer o quanto conseguimos agradar a Deus. Pense em Enoque. Quanto Enoque agradou a Deus? Ele agradou Deus tanto – e ele era um homem com paixões iguais às nossas – ele agradou a Deus tanto que um dia ele andou com Deus e Deus simplesmente o levou para o céu. E você quer saber? Vou lhe dizer algo sobre Enoque. Ele andou com Deus – veja só – por 365 anos. Ah, é tão difícil ser um cristão, eu sou cristão há 12 anos. É tão difícil ser um cristão, tão difícil. Aí você diz, “Bem, mas Enoque viveu em um mundo perfeito.” O que? Duas gerações após Enoque, o que aconteceu? Deus afogou a terra toda. Como que você anda por 365 anos de maneira íntegra com Deus? Ande com Deus e um dia Deus fala, “Eu vou levar você comigo, vamos continuar andando.” Andou direto para o céu.

O que era andar com Deus? Isso quer dizer agradar a Deus. Quer dizer ser obediente ao que ele sabia que Deus desejava. Quer dizer ter comunhão com Deus. De repente para nós existe uma nova inclinação, existe uma nova disposição, existe uma nova direção, existe uma nova influencia controladora em nossas vidas, e é o poder do Espírito Santo. O autor das Escrituras, que nós temos que obedecer, vive em nós e não só vive em nós para nos instruir, mas vive em nós para nos dar o poder para obedecer essa instrução. Então nós cogitamos sim as coisas do Espírito, diz o versículo 5. As coisas do Espírito seriam aquelas que são preciosas para o Espírito, que seriam as mesmas coisas que honram a Cristo e Deus e seriam reveladas nas Escrituras. Nós temos um novo poder controlador. Não estamos mais debaixo do poder da carne, que é a morte, mas estamos – versículo 6 diz – debaixo do poder do Espírito Santo. Nós temos o pendor no Espírito, esse é o nosso pendor, e é por isso que vivemos em um mundo de vida e paz – um mundo de vida e paz. A verdadeira bem-aventurança. Estamos vivos para Deus e em paz com Deus. Somos literalmente levados pela mesma força violenta do Espírito Santo em direção ao que honra a Deus.

Carne? Só é morte. É por isso que tudo que as pessoas não regeneradas fazem é chamado em Hebreus 9:14 de obras mortas – porque eles são mortos. Primeira Timóteo 5:6, “entretanto, a que se entrega aos prazeres, mesmo viva, está morta.” Mas nós recebemos vida espiritual, e agora temos essa vida porque fizemos as pazes com Deus. Isso é comunhão com Deus, reconciliação com Deus, o fim da alienação e toda a vida que vem com isso. Isso é somente um entendimento profundo da grande obra o Espírito Santo em nós, doce comunhão com Deus, a graça de Deus continuamente derramada em nós, Sua misericórdia sem fim, Seu amor derramado em todo nosso coração, alegria para sempre, segurança interna que tudo está bem, um amor por Deus, um amor pela Palavra de Deus, um amor pela obediência, uma vontade de alimentar nossas almas com Sua verdade.

Agora, isso quer dizer que somos perfeitos? Não – não. Ainda temos dificuldade com a carne porque residualmente ainda está lá. Nós não estamos na carne. Não cogitamos as coisas da carne, esse não é nosso pendor. Não vivemos de acordo com a carne, mas a carne está atrás de nós e está segurando. É o corpo da morte em Romanos 7 que está segurando. Mas seu poder foi fortemente diminuído pela presença do Espírito Santo. Nossas mentes estão de um modo que não somos mais hostis para com Deus, e isso está no versículo 7. Estamos sujeitos a lei de Deus, conseguimos obedecer essa lei pelo poder do Espírito, e conseguimos, como o versículo 8 diz, até agradar a Deus.

Agora você está vendo algum poder, sobrepondo essa corrupção que é tão profunda em todos os humanos, e o Espírito Santo venceu para nos habilitar a obedecer a lei de Deus, e isso começa com o amor a Deus bem como agradando-O.

Há um outro ministério que eu quero que você veja aqui, e nós vamos entrar com calma nele. Vamos para os versículos 9 e 10 e talvez o 11. Você não está na carne, resumindo o que ele disse. Isso significa o estado da graça, o estado da salvação. A prova decisiva? Você não está na carne mas sim no Espírito se de fato o Espírito de Deus habita em você. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo, ele não pertence a Ele. É tão básico, não é? Perceba o Espírito de Deus, Espírito de Cristo – mesma coisa. Você não está na carne, não cogita as coisas da carne, não anda de acordo com a carne, não está em um estado de morte, e isso é resumido aqui. Mas você está no Espírito, anda no Espírito, cogita as coisas do Espírito, você tem vida e paz. Isso é verdade se de fato o Espírito de Deus habita em você. A marca da verdadeira salvação é a presença do Espírito Santo.

Não existe um crente sem o Espírito Santo. Esse é outro terrível erro Carismático que de algum modo você pode ser salvo e não ter o Espírito Santo. Você não tem como ser nada além de um pecador miserável e corrupto longe da obra do Espírito Santo. E não é uma obra única e então você tem que tentar encontrá-Lo; é uma obra continua. Assim, a evidencia da transformação é a habitação do Espírito em você. Oikeō quer dizer habitar como que numa casa. O Espírito Santo fez residência em você – 1 Coríntios 3:16 – você é o templo de Deus. Você é o templo de Deus, do Espírito Santo. Primeira Coríntios 6 diz a mesma coisa.

E o inverso é dito no final do versículo 9, “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.” Espírito, Espírito de Cristo, Espírito de Deus mostrou que o Espírito Santo mantém o mesmo relacionamento com a segunda pessoa que Ele tem com a primeira pessoa e um com o outro. Essa é a marca de um crente verdadeiro. E porque você tem o Espírito Santo vivendo em você, isso muda como você pensa, muda como você age, muda como você ama, muda o que você faz, muda como você fala porque o Seu poder esmaga sua natureza caída. Então vemos que o Espírito Santo está lá dando poder para a obra da regeneração e dando poder à obra da santificação.

Tem mais um, e esse seria o último ponto agora. Ele nos ressuscita para a imortalidade: glorificação. O aspecto final da nossa salvação, que está mais perto hoje do que já esteve, é a nossa glorificação. É obra do Espírito Santo? Bom, vamos ver o versículo 10. “Se, porém, Cristo está em vós,” ou já que Cristo está em vós, “o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado” – em outras palavras, veja, não estamos dizendo que Paulo quer deixar claro que você seja bom. Não estamos dizendo que você não irá morrer, certo? Não estamos dizendo isso. Você irá morrer. Você irá morrer e você sabe disso. Se Cristo está em você, mesmo o corpo estando morto – existe uma morte eu seu corpo, existe um princípio de morte no seu corpo por causa do pecado. Isso não vai mudar. Você não conserta isso nesse corpo mortal. É assim que funciona. Mas o seu espírito está vivo por causa da justiça. Foi literalmente coberto pela justiça imputada de Cristo, sua pessoa interna, a pessoa que você é que vive nesse corpo, você está vivo com vida eterna, mas o seu corpo, não será consertado aqui em baixo. Novamente, é o corpo dessa morte. A sua única esperança é ser liberto desse corpo de morte e tudo que vem com isso no seu cérebro caído também. Então lemos o versículo 11: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.”

Quantas vezes ele tem que nos falar? Onde o Espírito vive? Em você, em você, em você, em você, em você, em você. Porque? Porque você não conseguiria viver um momento sequer agradando a Deus sem o Seu poder. Você não conseguiria vencer sua corrupção sem Seu poder. O Espírito Santo não só faz sua obra de regeneração e a obra de santificação, mas aqui encontramos que Deus, que ressuscitou Cristo da morte, sabemos que Deus ressuscitou a Cristo porque é isso que diz em Romanos 1:1-4, que Deus Pai ressuscitou a Cristo da morte para validar Seu ministério, para vindicar Seu ministério, e é isso que Deus irá fazer conosco. Ele dará vida para nossos corpos mortais através do Seu Espírito que vive em nós.

Veja, nós vamos morrer. Um dos meus amigos mais próximos acabou de morrer. Passei um tempo com ele semana passada. O câncer devorou sua cabeça. Simplesmente um amigo precioso e sabia que não ia demorar muito então eu orei que o Senhor o levasse para Sua presença essa semana. Foi uma coisa horrível de se ver. Eu nunca tinha visto o câncer literalmente comer uma pessoa por fora até não ter mais nada. Esse é o corpo dessa morte. É assim que é. Talvez não seja visível assim em todos os casos. Esse corpo irá morrer.

Mas a realidade é que, o dia da nossa morte é melhor do que o dia em que nascemos porque da primeira vez, nascemos em pecado, e a próxima vez quando morrermos, vamos renascer em perfeição – santa perfeição. Mesmo o corpo morrendo, o Espírito vive para sempre. Mas um dia, quando – quando você morrer, seu espírito vai para o céu, sem o corpo, estar presente com o Senhor, bem melhor é ir embora e estar com Cristo. Entendeu isso? Você não vai para o limbo, não vai para o purgatório, você não vai para algum lugar de espera, não vai ficar preso esperando o próximo trem para o céu em alguma trilha sem fim. Ausente do corpo, presente com o Senhor, sai daqui, e lá você está. Imediatamente, você verá o Senhor.

Você será um espírito sem um corpo até a ressurreição final. E na ressurreição final, de acordo com o que o apostolo Paulo diz, o Senhor Jesus transformará o corpo do nosso estado humilde em conformidade com o corpo de Sua gloria. Uau – Ele nos dará um corpo como seu corpo da ressurreição, como Seu corpo que subiu para o céu, como Seu corpo que passou pelas paredes. Como Ele fará isso? Pelo poder que Ele demonstrou. Quem é esse poder? O Espírito Santo. É isso que está escrito aqui no versículo 11: “por meio do seu Espírito, que em vós habita.” Um dia o Espírito Santo reconstruirá você.

Você diz, “Será que ele vai descer ao túmulo? Espero que tudo não tenha se descomposto no momento em que este evento acontecer.” Não me importo, Ele tem uma fórmula. Ele sabe o quão imperfeito você é, porque Ele viveu lá dentro por muito tempo. Ele também tem um entendimento perfeito e uma esquemática perfeita para fazer um você perfeito, que irá ter uma relação distante com o que você é aqui. Ele recriará você. Isso é poder. Não é poder? Para recriar todos que creram em seus corpos imortais? Todos os santos de toda história. Essa é a obra do Espírito Santo. Essa é a obra pela qual Ele tem que ser exaltado, nos livrando do pecado e da morte, nos capacitando para cumprir a lei, transformando nossa natureza, e nos dando um corpo glorificando que viverá para sempre no céu.

Eu venho pensando sobre o Espírito Santo – há muito mais para vir – estive procurando alguns hinos, tentando encontrar hinos antigos sobre o Espírito Santo. Alguns de vocês me mandaram livros. Eu tenho o suficiente. Vocês todos são incríveis. Vocês me deram o suficiente. E eu encontrei um hino antigo. É interessante ver como as pessoas estavam pensando sobre o Espírito Santo, isso seria 160 anos atrás, 1850. O Escritor diz, “Espírito de Deus, desça em meu coração, e desprenda-o da terra, através de todos os seus impulsos que se movem, inclina-Te para a minha fraqueza, poderoso como Tu és, e me faz Te amar como eu tenho que amar.” Há um crente orando através desse verso que o Espírito Santo lhe desse um amor maior pelo próprio Espírito Santo.

Segunda estrofe – eu gosto disso: “Eu não peço nenhum sonho, nenhuma êxtase profética, nenhum rasgo repentino do véu de argila” – em outras palavras, alguma experiência transcendente – “mas leva a escuridão de minh’alma embora, ajuda-me a ver a verdade.” E então a última estrofe: “Ensina-me a Te amar como os anjos Te amam, uma paixão santa enchendo toda minha estrutura, o ardor da pomba descendo do céu, meu coração um altar e eu amo a chama.” O Espírito Santo quer lhe incendiar para que você O ame, para amar o Filho, para amar o Pai. Não essas coisas absurdas que tem por aí, essa é a verdadeira obra do Espírito Santo. Vem mais por aí.

Pai, nós te agradecemos pelo nosso tempo essa manhã. Obrigado pela consistência da preciosa Palavra que nós abrimos e que não importa para onde formos, o anel da verdade é simplesmente claro e forte, firme, distinto. Obrigado porque o Senhor nos deu essa revelação maravilhosa de todas as coisas que precisamos saber, e o que aprendemos nós desejamos colocar em prática e em adoração enquanto honramos e servimos nosso Deus trino, Pai, Filho, e Espírito Santo. Ouça nossa oração, nós oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

< !--Study Guide -->

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize