Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Estamos vendo Romanos capítulo 8 – Romanos capítulo 8, e estamos falando sobre viver no Espírito, viver no Espírito Santo. Para vocês que não estiveram conosco nessas últimas nove semanas que temos discutido isso, essa é a décima mensagem. Não sei de vocês mas está passando rápido para mim, e estamos tendo um maravilhoso tempo na preparação dessas mensagens. Mas o propósito disso e o propósito dessa serie em Romanos 8 é lhe ajudar a entender o verdadeiro ministério do Espírito Santo em uma época que, no mundo cristão evangélico, o ministério do Espírito Santo é mal compreendido e mal representado

Isso tem muito a ver com o movimento Pentecostal/Carismático, que é tipo uma terceira força no Cristianismo. Existe o Catolicismo Romano, o Protestantismo e o Pentecostalismo. Essas são as três forças, e obviamente nós compreendemos os erros no Catolicismo Romano. É por isso que existe o Protestantismo, porque foi um protesto contra esses erros. Mas não fizemos o protesto ainda, como deveríamos, contra a aberração Pentecostal das Escrituras. Eu tenho pensado em fazer um pequeno protesto há muitos anos. Anos atrás escrevi um livro chamado Os Carismáticos, em seguida com o livro Caos Carismático. Muitos de vocês leram o segundo livro. Existe até hoje e espero que esteja ajudando pessoas que estão no meio desse movimento e suas enganações doutrinarias.

Então o que tentamos fazer nessa pequena serie é trazer o Espírito Santo à luz das Escrituras e tirá-Lo da sombra da deturpação Pentecostal. Saber a verdade sobre o Espírito Santo é saber adorar a Deus corretamente. Deus tem que ser adorado pelo que Ele é e pelo o que Ele fez em uma expressão total Trinitária. Nós devemos adorar o Pai verdadeiramente, o Filho verdadeiramente, e o Espírito verdadeiramente, e devemos adorar em Espírito e em verdade. Um entendimento correto do Espírito Santo é essencial.

É um paradoxo estranho que o movimento Pentecostal/Carismático alega ser o movimento do Espírito Santo e é o mais culpado pela deturpação de quem Ele é e o que Ele faz. É quase como se eles achassem que se eles continuarem falando sobre o Espírito Santo, as pessoas serão convencidas que têm o poder do Espírito Santo quando de fato nós questionamos isso por causa dos desvios doutrinários que fazem parte desse movimento que o define. E a maioria deles tem a ver com o Espírito Santo, porem não são limitados a isso. Existem desvios nesse movimento na doutrina das Escrituras, ou na doutrina da revelação divina. Esses não são problemas pequenos. Eles estão convencidos que Deus ainda está se revelando, Deus ainda está falando, dando visões, palavras de sabedoria, palavras de conhecimento, revelações às pessoas, que ainda está acontecendo, e isso levanta a questão da singularidade da Escritura Sagrada e traz à nossa mente o aviso no final do livro de Apocalipse que “Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro.” Confundir a revelação divina é um erro sério, e isso faz parte desse movimento.

Assim, existe o problema de interpretação. Como você interpreta as Escrituras no movimento Pentecostal/Carismático? É em grande parte não só uma interpretação superficial mas espiritualizando-a, interpretando a Bíblia por intuição, por experiência, analisando, nós chamamos isso de eisegesis, lendo no texto o que você quer que o texto diga. Também existe um grande erro na questão da autoridade. O que tem autoridade na igreja? As experiências de alguém tem autoridade? Os sentimentos de alguém tem autoridade? A verdade é determinada por experiências existenciais? A verdade é validada por experiências existenciais? Existe poder na pessoa para criar seu próprio mundo? Temos a autoridade para falar da existência do nosso próprio mundo, como a confissão positiva nos diz, esse movimento? Podemos criar nossa própria realidade? Temos autoridade por igual sobre Deus para forçar a Deus a fazer certas coisas porque nós falamos e por nossa fé nós O forçamos a agir por nós? A questão de autoridade é uma grande deturpação nesse movimento.

A questão da singularidade apostólica é outra. De acordo com o movimento Pentecostal, ainda existem apóstolos, ainda existem profetas. Apóstolos ainda têm os sinais de um apóstolo. Existe uma nova onda de supostos apóstolos que supostamente conseguem fazer milagres, ler a mente das pessoas e ouvir revelações de Deus. Isso levanta a questão da singularidade do ministério apostólico daqueles verdadeiros apóstolos que viram Jesus ressuscitado e foram designados no Novo Testamento.

Existem outros problemas que são preocupantes. Externalismo, mais preocupação com fenômenos externos do que santificação interna. Mas parece que nenhuma outra área é tão deturpada quanto a do Espírito Santo. Tanta coisa do que acontece é supostamente pelo poder do Espírito Santo / obra do Espírito Santo quando de fato não é isso.

Com esse fundo de influencia dominante do movimento Pentecostal/Carismático na mídia Cristã, é importante entendermos o verdadeiro ministério do Espírito Santo. E além disso, como crentes que desejam adorar ao Senhor, queremos entender quem adoramos e porque O adoramos, e isso também com respeito ao Espírito Santo. Acredito que a maioria de nós tem um entendimento de Deus, da natureza de Deus, da gloria de Deus, adoramos a Deus, conhecemos Seus atributos. Todos temos um entendimento de Cristo, da pessoa, da obra de Cristo, O que Ele fez, celebramos isso. Mas existe muita confusão e mistério sobre a pessoa e a obra do Espírito Santo. Como disse, eu acho que foi uma semana atrás, que o livro supostamente escrito por uma criança de quatro anos de idade sobre sua viajem ao céu que voltou para reportar que o Espírito Santo é uma fumaça azul transparente e esse livro vendeu cinco milhões de copias em nove meses. Existe tanta confusão sobre o ministério do Espírito Santo. Se nós formos às Escrituras, conseguiremos ver claramente o Espírito Santo identificado para nós e Seu ministério delineado.

É isso que estamos tentando fazer olhando para Romanos capítulo 8, então pode abrir em Romanos 8, se você não está lá ainda. Não é que Romanos 8 seja o único lugar para essa instrução – aliás, está em toda a Escritura – mas esse é um ótimo ponto para concentrarmos nossa atenção, porque muita coisa está aqui. Você tem todas essas coisas que são importantes sobre o ministério do Espírito Santo na vida de um crente todas colocadas nesse um ótimo capítulo, que eu gosto de chamar do Capítulo do Espírito Santo – o capítulo do Espírito Santo.

O erro que começou o movimento Pentecostal/Carismático em 1901 foi a deturpação do batismo do Espírito Santo. Eles inventaram algo chamado de o batismo do Espírito Santo, que não tem nada a ver com a verdadeira obra de Cristo – que é batizar pelo Espírito Santo todo crente, no momento da fé salvadora, no corpo de Cristo, é isso que o Novo Testamento ensina – mas eles inventaram a ideia que o batismo do Espírito Santo é um acontecimento. É um acontecimento que se repete depois da sua salvação, se você o buscar, você tenta achar, e quando consegue, você sabe que conseguiu porque começa a falar nada com nada e você tem mais poder e é elevado a um nível maior de poder espiritual.

Na verdade, se você conseguir uma dose grande o suficiente desse suposto batismo do Espírito Santo, você pode entrar no que eles chamam de perfeccionismo Cristão onde você não peca de propósito. Você pode cometer erros sem querer, mas você não peca intencionalmente. O batismo no Espírito Santo, é uma simples descrição da obra de Cristo colocando você, no momento da sua salvação, no corpo de Cristo, a igreja, pelo poder do Espírito Santo. Isso acontece uma única vez no momento da salvação para todo crente, nunca se repete e nunca é para ser buscado.

Mas novamente, todo movimento começa com essa visão aberrante e então vai para outras visões aberrantes também. Não queremos ficar presos nesse movimento, queremos sair, mas eu só estou falando disso porque quero que entenda que esse movimento é muito, muito grande. Eu disse que até agora, cem anos após o inicio, eles são supostamente – e essa estatística eu vi alguns dias atrás – eles são mais ou menos meio bilhão de pessoas que alegam fazer parte desse movimento. É um crescimento incrível para esse movimento aberrante.

Assim, temos olhado Romanos capítulo 8, entendendo o verdadeiro e genuíno ministério do Espírito Santo. E eu encorajo você, pois tudo isso está à sua disposição. Você pode ler tudo isso no site de Graça Para Você se você quiser a serie ou você pode fazer o pedido de Graça Para Você em CD;, está tudo disponível lá.

Chegamos agora em Romanos 8:26-30 – Romanos 8:26-30. Temos olhado os versículos 26, 27 e 28. Vamos começar de lá novamente. Deixe-me ler, para você ter isso em mente: “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos. Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.”

Essa parte especifica das Escrituras, você poderia até dizer que é o resumo e a base de tudo que entendemos sobre a Teologia Reformada. Você poderia dizer que o Calvinismo poderia ter nascido dessa parte das Escrituras. Todos os componentes que viemos a entender como bíblicos, a questão da salvação, presciência, predestinação, chamado, justificação, glorificação são todos mencionados aqui. E, claro, não são obscuros, não são oblíquos e não são difíceis de entender. É uma palavra muito clara nas Escrituras.

Quando olhamos essa parte especifica de Romanos 8, estamos olhando esse ministério do Espírito Santo. Ele garante nossa glória futura. Certo? Ja vimos anteriormente nesse capítulo outras coisas que Ele faz. Ele nos livra da morte, do julgamento. Ele nos capacita para cumprir a lei, seguir a lei, nos comportar de forma justa. Ele muda nossa natureza. Nos adota como filhos na família de Deus. E então chegamos no versículo 17, e começamos a ouvir sobre sermos glorificados. E do versículo 17 ao versículo 30, Essa parte toda é sobre como o Espírito Santo nos protege para a gloria eterna – nos protege para a gloria eterna. Essa é a maior benção.

Lemos Efésios 1, “que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais.” Bom, na minha lista de todas as bênçãos, essa segurança está no topo. Ser abençoado com uma salvação que não pode ser retirada, que não falha, é a maior benção. E isso quer dizer, como Efésios 1:12 diz, que nós esperamos em Cristo, nós esperamos em Cristo. É lá que está nossa esperança. E o Espírito Santo é o Espírito Santo da promessa – versículo 13, Efésios 1 – “em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa.” O Espírito Santo é a entrada, a garantia, a aliança de noivado, a primeira parcela de Deus para a nossa gloria futura. O dom do Espírito Santo é um presente de proteção. Pedro disse, “para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros que sois guardados pelo poder de Deus.” O poder de Deus que nos mantém não é impessoal. O poder de Deus que nos mantém é o próprio Espírito Santo. Essa é a maior benção em nossa salvação.

Tendo dito isso, ouça essa citação. Essa é uma citação de um líder muito conhecido do movimento Pentecostal. Ele diz, “O maior engano criado por Satanás é a falsa doutrina de uma vez salvo, salvo para sempre.” Essa é uma acusação séria. O maior engano criado por Satanás é que a salvação é permanente? É um engano satânico? Isso está na base da teologia deles. É uma profunda mentira dizer que a doutrina da segurança do crente é um engano satânico, que crentes Cristãos podem perder a salvação. E nesse capítulo e em todas as partes que estão em nossa frente, eu lhes mostrarei a absoluta, inviolável, incontestável prova que a sua salvação é para sempre.

Quando eu penso em pessoas que sentam nesse tipo de lugar, buscando o próximo fenômeno externo para aumentar seus medos e dúvidas, é uma experiência triste para mim. Pessoas nessa situação vivem em um medo desnecessário, medo que serão defeituosos, medo de perderem a salvação. Então precisam perguntar coisas assim: Como que me mantenho salvo? Como que eu aguento? E perguntar essas coisas assume um poder para a vontade humana que o arbítrio humano não tem. Se resta a você aguentar, não vai dar certo. Se resta a você se manter salvo, não vai funcionar. Essas queridas pessoas vivem com medo, um medo desnecessário, de uma perda da salvação que é eterna. Isso insulta o Espírito Santo de quem o ministério é manter o Cristãos através da graça para glória. Pessoas nesse movimento vivem em desconforto, pavor, dúvida, medo. É por isso que procuram fenômenos externos, para aumentar sua fé fraca e para eliminar o medo.

Vamos começar no versículo 28 porque já vimos os versículos 26 e 27. Mas no versículo 28 diz, “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem,” e esse bem, eu disse da última vez, é o nosso bem eterno, nossa gloria eterna. “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus,” isso sendo uma designação de um crente verdadeiro, “daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” Esse versículo é muito, muito importante. Todas as coisas, Deus faz sinergizar – esse é o verbo, sinergizar – para o nosso bem eterno. Isso quer dizer nada pode produzir um resultado negativo. Tudo – coisas boas, coisas ruins, e coisas indiferentes – Deus faz para o nosso bem eterno.

Porque? Porque Ele faz isso? E essa é a chave, e eu quero que você entenda isso se não entender mais nada essa manhã, e eu voltarei a esse ponto diversas vezes. A razão pela qual isso acontece é por causa do propósito Dele. Final do versículo: “daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” Não para as pessoas que não amam; é uma designação de um crente verdadeiro – para aqueles que amam a Deus porque foram chamados para isso. Isso tudo funciona porque é de acordo com Seu propósito. A salvação é o que Deus determinou ser. Podemos começar aqui? A salvação é o que Deus determinou ser, o que ele planejou ser, baseado em Suas próprias intenções. Nós estamos seguros porque foi assim que Deus designou a salvação. Seja o que for, no final se encontrará certinho como foi no começo. O que Deus pretende que seja a Sua salvação, assim será.

Não existe variáveis nisso. Não existe problemas nisso. É por isso que Jesus disse em João 6, “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia.” Não tem perca aqui. O que Deus quiser que aconteça, irá acontecer. Então o final da salvação será determinado desde o começo. Deixe-me lhe mostrar isso em uma parte muito importante das Escrituras que você deve estar familiarizado. É no capítulo 46 de Isaias, no Antigo Testamento no capítulo 46 de Isaias. Cedo nos meus estudos da Palavra de Deus, buscando entender todas essas verdades, essa parte especifica das Escrituras realmente veio como uma afirmação poderosa e convincente em relação a natureza da salvação e o propósito de Deus. Realmente foi uma parte das Escrituras que mudou minha vida.

Versículo 9 de Isaias 46. E Deus, claro, aqui está Se comparando com os ídolos da Babilônia. “Lembrai-vos das coisas passadas da antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim.” Isso é monoteísmo, só existe um Deus. E aqui está o que distingue Deus como Deus nessa passagem, “que desde o princípio anuncio o que há de acontecer.” Em outras palavras, essa afirmação quer dizer que no começo, Deus consegue lhe dizer exatamente como será o fim. Essa é a onisciência de Deus, e Sua onisciência vai até o fim.

Não importa se as coisas aconteceram ou não. Não importa se podem ser historicamente registradas ou não. Não importa se alguém soube ou experimentou, elas são conhecidas por Deus. Deus sabe o que ainda não aconteceu e também sabe o que já aconteceu. Deus sabe o futuro tão bem quanto sabe o passado. Ele sabe o futuro tão perfeitamente quanto sabe o passado. Não existe nada que Ele não saiba. O fato que ainda não aconteceu não quer dizer que Ele não saiba o que irá acontecer. E eu vou além disso. Deus não só sabe o que irá acontecer, Ele determina o que irá acontecer. Ele determina o fim no começo. Então o que for o fim determinado por Deus para a salvação, esse será o fim.

Continue lendo. Versículo 10 diz, “que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo:” – aqui está a chave – “o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade.” Essa é a declaração de Deus da determinação absoluta que Ele tem, para fazer o que Ele planeja fazer. No final do versículo 11, “Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei.” Pegue isso e aplique para a salvação. O que Deus planejou será o que acontecerá. E o que Deus planejou? O que Ele planejou? Qual é o propósito da salvação? Bom, antes de eu responder a essa pergunta, eu quero voltar e fixar seu entendimento desse conceito do propósito de Deus – o propósito de Deus. É critico para nós entendermos.

Iremos falar sobre o propósito de Deus na salvação essa manhã, e domingo que vem iremos falar sobre o processo de Deus em fazer esse propósito acontecer. Então o propósito hoje, e o processo na próxima vez.

Vamos voltar para Efésios 1 por um momento, e eu leio isso por causa de sua conexão. Efésios capítulo 1. E eu quero que você preste atenção a essa maravilhosa passagem que você tem em sua mente porque eu li que você está lidando com isso nessa história de salvação. Tem adoção, salvação, redenção, o sangue de Cristo e o perdão dos pecados – todas essas coisas que nós sabemos estarem conectadas com a salvação – mas eu quero que você entenda que o que está dirigindo isso é um plano divino.

Versículo 4: “assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo.” Porque Ele nos escolheu? Qual foi seu propósito? “para sermos santos e irrepreensíveis perante ele.” Isso não irá acontecer nessa vida, não é? Não vai acontecer. Ah, eu sei que a justiça de Deus é colocada em nós nessa vida conforme vivemos por um periodo de graça, mas o propósito final da predestinação era um povo santo perante Cristo. Então “e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”. Tudo começa com Sua vontade. Mas perceba no versículo 6. Para onde isso está indo? “para louvor da glória” – de Sua o que? – “de sua graça.” Então o propósito da salvação é salvar pessoas pela graça, mantê-los pela graça, trazê-los para a gloria, para que para sempre Ele possa expor Sua graça no nome deles.

E até os anjos serão um objeto disso. Paulo fala sobre os anjos olhando para a gloria do evangelho porque eles nunca experimentaram a graça. Se não houvesse pecadores sendo redimidos pela graça, então esse aspecto da natureza de Deus nunca seria colocado em evidência. Então para o louvor da gloria de Deus, para o louvor da gloria de Sua graça, Ele redime pecadores e os traz para Sua eterna presença para colocar Sua gloria em evidência para sempre. Essa é Sua vontade. Essa é a intenção bondosa da Sua vontade. É bondosa porque nós somos os beneficiários disso. É bondosa conosco, mas é para Sua adoração, a gloria de Sua graça.

Alem disso, versículo 7: “no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça.” Porque Ele está fazendo isso? Versículo 11: “nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade.” Ele tinha um propósito. Ele nos predestinou nesse propósito. Ele opera tudo de acordo com esse propósito, de acordo com Sua Vontade – versículo 12 – “a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo.” Em outras palavras, o fim é que todas as pessoas que Ele predestinou sejam salvas e sejam glorificadas e isso para sempre será para a adoração da gloria de Sua graça. Esse é Seu propósito, essa é Sua intenção, esse é Seu plano, e é exatamente isso que Ele está fazendo. E Ele nos deu uma garantia. Versículo 13, no final do versículo, “em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa” – que nós somos, novamente – “em louvor da sua glória.”

Se você não entende o conceito de segurança do crente no contexto maior do poder divino de Deus e o propósito de Deus e a onisciência de Deus, você não terá o entendimento necessário para ter essa enorme realidade cósmica.

No capítulo 6 de Hebreus, tem outro testemunho muito cativante dado sobre a segurança que nós possuímos por causa do propósito de Deus. Em Hebreus capítulo 6 versículo 17 – aliás, antes no capítulo 6, falando sobre as pessoas que caíram da verdade, que não eram crentes de verdade que caíram mesmo tendo sidas expostas a todas as revelações, elas não valem nada, são malditas, queimadas, diz o versículo 8. Mas então ele vira a mesa e começa a falar sobre os crentes no versículo 9, “Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores.” E falando sobre nós, olhe para o versículo 17, “assim que, querendo Deus mostrar mais abundantemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, se interpôs com juramento.”

Isso é incrível. Deus quis mostrar aos herdeiros da promessa a promessa de Deus para a gloria eterna. Nós somos herdeiros esperando a herança completa. Ele quis nos mostrar como seu propósito não muda. Não irá mudar. O que Ele tem como propósito, Ele irá fazer. “assim que, querendo Deus mostrar mais abundantemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, se interpôs com juramento; para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossivel que Deus minta, tenhamos poderosa consolação, nós, os que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta.” O que são as duas coisas? Uma promessa e um juramento. Deus prometeu e então jurou ser fiel à Sua promessa. E por essas duas coisas que não mudam, Deus declarou a imutabilidade do Seu propósito, e como resultado, Ele, que não pode mentir, nos permitiu refugiarmos na forte esperança, segurando firme na esperança que temos perante nós. Essa esperança, diz o versículo 19, é um âncora para a alma.

Eu não sei como as pessoas vivem de baixo do ensinamento que os ameaça com a perca da salvação. Nós temos uma âncora que está literalmente dentro – os próximos dois versículos falam em Hebreus 6 – dentro do Santo dos Santos, totalmente dentro do véu que conecta com Cristo. Nós temos um Deus imutável que fez promessas imutáveis e então Ele adicionou um juramento em cima da promessa para que por duas realidades imutáveis, o Deus que não pode mentir nos jurou a promessa de gloria eterna e então Ele nos deu a esperança que está segura. E somos mantidos seguros pela intercessão do Filho de Deus na mão direita de Deus e pela intercessão constante do Espírito em nós, versículos 26 e 27, pelo qual o Espírito continuamente ora de acordo com a Vontade de Deus e então nós estamos seguros, primeiramente, pela promessa de Deus; e segundo, pela obra pastoral de Cristo; e terceiro pela intercessão do Espírito Santo abençoado de um modo pessoal para nós.

Sua salvação é eterna porque é assim que Deus projetou. É assim que Ele planejou, e é assim que acontecerá. Tudo funciona, então, junto para o nosso bem porque isso é consistente com o propósito de Deus. Então qual é o propósito de Deus na nossa salvação? Qual é? Bom, você diz, “Para nos levar ao céu.” Bom, está um pouco abaixo do verdadeiro propósito. Quero dizer, isso está no caminho. Eu acho que tantas pessoas acham que é só uma questão de tentar chegar lá, só chegar no céu e esperar, sabe, quando eles forem, as harpas que receberão, sabe, pelo menos uma pequena para tocar, e, sabe, uma pequena nuvem para ficar sentado tocando para sempre em um lugar perfeito. Isso está longe de refletir a realidade do céu. Isso faz parte das asneiras que sai desses livros que são escritos por pessoas que foram para o céu.

Estou prestes a escrever outro livro, será sobre “você quer saber a verdade sobre o céu?” porque quando se compara todas essas histórias sobre pessoas que foram para o céu, nenhuma delas concordam. Então, onde quer que estejam indo, não é para o céu ou elas estariam de acordo porque o céu é o que o céu é e não é o que todas essas pessoas dizem e que não estão de acordo. A verdade está na palavra de Deus. E quando você vai para o céu, qual será o propósito? Qual será o objetivo?

Quero que veja isso, voltaremos a Romanos 8 em alguns minutos, olhe para o propósito – o propósito. O propósito de Deus será cumprido, esse é o ponto que estamos fazendo, o fato de Seu propósito, o fato de Seu propósito é estabelecido antes da fundação do mundo. Ele predestinou e será assim que acontecerá. O que Ele planejar irá acontecer. O fim será o mesmo que o começo. Mas qual é o propósito? Qual é o objetivo? Por que Deus está trabalhando todas as coisas para nos levar para a gloria eterna? Porque esse é o propósito Dele? Porque fomos chamados para esse fim? Porque fomos de antemão predestinados? Aqui está a resposta, o meio do versículo 29, aqui está o propósito secundário, o objetivo secundário: “para serem conformes à imagem de seu Filho.” Para serem conformes à imagem de seu Filho. Você ouviu isso? Para semos conformes à imagem de Seu Filho.

Nesse livro escrito pelo menino de quarto anos de idade, ele diz, “O céu está cheio de crianças correndo por toda parte.” Mesmo? O céu está cheio de crianças correndo por toda parte? Eu acho que não. Eu acho que não. Quem estiver no céu está conforme a imagem de quem? Cristo. Homem, total e glorificado, mulher, humanidade. Esse é o propósito secundário da salvação, para sermos conforme a imagem de Seu Filho. Esse é o propósito. O que isso quer dizer, que seremos como Cristo? Não quer dizer que você irá parecer com Ele em termos físicos. O que quer dizer é o máximo que a humanidade glorificada possa ser encarnada, nós seremos como Ele. Filipenses 3:20-21 diz que teremos um corpo como Seu corpo glorioso, certo? Primeira João 3:1 e 2, seremos como Ele, pois O vemos como Ele é. Esse é o prêmio do chamado. Filipenses 3: “prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.” Qual é o prêmio da vocação celestial? Ser como Cristo.

Agora, bem agora, o Espírito Santo está nos conformando, não está? De um nível de glória para o próximo. Temos trabalhado isso. Nos moldando à imagem de Cristo conforme olhamos para Sua glória nas Escrituras. Cristo se torna mais glorioso em nós, conforme sabemos mais sobre Ele, o Espírito literalmente nos molda em Sua imagem, mas isso não será completado, não será perfeito até sermos levantados e a redenção do nosso corpo acontece como mencionamos antes nesse capítulo. Mas quando chegarmos no céu, o propósito é que seremos conformados – o verbo quer dizer trazer para a mesma forma, exatamente como diz – trazer para a mesma forma como a imagem de Cristo. Imagem é eikōn de once temos icone. É usado quatro vezes no Novo Testamento com referencias semelhantes a Jesus Cristo. É o versículo usado – a palavra usada em 2 Coríntios 3:18, que nós fôssemos transformados em Sua imagem de um nível de gloria para o próximo. É usado novamente no capítulo 4, falando novamente sobre a forma de Cristo. Colossenses 1, Colossenses 3, essa forma é uma forma derivada, não uma forma acidental ou incidental. Em outras palavras, não é um oops – Ele apareceu parecendo muito com Jesus, como algumas semelhanças acontecem por coincidência na vida humana. Essa é uma forma derivada. Literalmente, nós somos levados à mesma forma intencionalmente. E novamente não quer dizer que todos vamos ter as mesmas características físicas de Cristo, mas quer dizer que seremos o que Ele é e isso é perfeito, maduro, justo, santo, humanidade pura.

E lembra, nós falamos sobre isso, não falamos? Que Cristo se torna o modelo para nós. Ele é o homem perfeito. Ele nos mostra como é a pureza perfeita, santidade perfeita, justiça perfeita. Ele é o padrão. Ele estava na forma de Deus, Ele então tomou a forma de homem. Ele veio ao mundo, sim, para validar o plano de Deus, providenciando o sacrifício pelo pecado. Mas Ele também veio para demonstrar o plano de Deus. Então quando você pensa no céu, pense em Cristo e pense no fato que tudo que você vê como verdade sobre Cristo será verdade sobre você. Isso está bem longe, você não acha? Está forçado. Mas essencialmente Ele nos mostra como é a humanidade perfeita, como é a humanidade absolutamente santa e justa. E o propósito de Deus era nos transformar nessa imagem. Não é sobre coisas acidentais, mas sim ser como Cristo. Ser como Cristo. Conforme olhamos para Ele, o Espírito Santo de pouco em pouco nos molda em Sua imagem – de pouco em pouco. Paulo diz, “Não que já a tenha alcançado,” – Filipenses 3 – “mas vou prosseguindo.” Mas um dia, seremos como Ele.

Esse é o propósito secundário de Deus – esse é o propósito secundário de Deus. Qual é o propósito primário? Continue lendo. De volta para o versículo 29. O propósito primário é que Ele – o propósito secundário que você seja transformado à imagem do Filho; o propósito primário é que Ele, Seu Filho, será o primogênito entre os irmãos. Agora, você diz, “Bom, isso não parece ser tão importante, primogênito entre os irmãos. Parece ser meio sem importância.” Isso é porque você não entende a palavra “primogênito.” E de algumas formas, eu gostaria que não fosse assim, que fosse traduzido, porque prōtotokos quer dizer o primeiro entre os outros, como o primeiro filho de uma família. É assim que nós vemos em nossa cultura porque não fazemos como os nossos ancestrais faziam, não damos mérito especial ao primogênito da família como o filho primário.

Veja, fomos criados em uma democracia onde tudo é para ser igual, e, sabe, nós dividimos tudo igualmente entre os filhos. Nos tempos antigos, quando você passava algo adiante, você passava para o filho mais velho, que seria o primogênito, o que tinha a força e as habilidades para cuidar dos bens da família e ele ficava com tudo, as obrigações que ele tinha, e tinha que trabalhar com isso, e continuar com os bens da família e cuidar dos parentes que faziam parte disso naqueles tempos. Então você dava ao primogênito, o que tinha mais experiência, o que tinha mais maturidade, o que tinha mais idade, que era considerado o primário. É daí que vem a palavra, mas quer dizer muito mais do que isso.

A palavra primogênito, eu gostaria que você pensasse como o preeminente – o preeminente – você lê que Ele seria preeminente entre muitos irmãos. Sabe, é incrível que em Hebreus capítulo 2, o Senhor não tem vergonha de nos chamar de irmãos, crentes. Fomos adotados na família de Deus. Somos filhos da família. Somos irmãos de Cristo, de um modo. Somos co-participantes na natureza divina – mas uma humanidade glorificada pode ser como uma divindade encarnada, que nós teremos, que iremos experimentar. Não sei a essência de tudo isso, mas sei que a realidade disso é santidade, santidade, pureza e justíça absoluta e perfeita.

Então isso será nosso, e não existe resistência da parte de Deus para nos dar isso, para dar Sua própria justiça a nós. Ele já colocou em nós na justificação, e será uma realidade na glorificação. Ele não reluta para nos dar, em um sentido, compartilhar de Sua gloria conosco. Na verdade, Ele nos transformará à imagem de Seu Filho para de fato refletirmos a glória do Filho. Mas no fim, mesmo sendo irmãos, Cristo será o prōtotokos. Ele será o preeminente. Esse, queridos amigos, é o propósito da salvação. O propósito da missão de Deus no mundo é criar a preeminência de Seu Filho, o Filho do Seu amor, o amado, em um céu eterno onde será eternamente exaltado por aqueles que O amam e O adoram. Você diz, “Bom, os anjos poderiam fazer isso.” Não do ponto de vista da graça. Não do ponto de vista de misericórdia. E Ele não consegue colocar em evidencia para sempre a adoração da gloria de Sua graça se não criar o homem, redimir pecadores, e os levar para o céu.

No fim, e eu disse isso por anos, o propósito da salvação era que o Pai amou o Filho tão perfeitamente, tão infinitamente, tão gloriosamente, tão majestosamente – tão perfeitamente que Ele tinha que demonstrar esse amor. E como o Pai iria mostrar Seu amor pelo Filho? Ele O daria ao grande corpo de santos glorificados que para sempre e sempre e sempre irão adorá-Lo e honrá-Lo. É por isso que Ele fez isso. É secundário que você seja transformado em Sua imagem. É primário que, porque você é transformado em Sua imagem, você consiga glorificá-Lo para sempre. A preeminência de Cristo é tudo. É por isso que Filipenses 2 diz que Ele Lhe deu um nome que está acima de todo nome; que ao nome de Jesus, todo joelho se dobre.

Em Colossenses 1, há uma afirmação – começa no próprio versículo 15: “Este é a imagem do Deus invisível, Ele é o prōtotokos de toda a criação - o primogênito de toda a criação.” Bom, Ele não foi a primeira pessoa criada, o Filho eterno, claro, Ele nunca foi criado, mas o homem Jesus foi criado no ventre de Maria. Ele não é o primogênito cronologicamente de toda a criação, mas de todos que já foram criados, Ele é o prōtotokos, Ele é o primário. Ele é o preeminente, é isso que quer dizer aqui. E continuando a definir isso, Ele é o prōtotokos de toda a criação, pois por Ele todas as coisas foram criadas no céu e na terra, visível, invisível, tronos, domínios, reis, autoridades, todas as coisas foram criadas por Ele e para Ele, Ele vem antes de todas as coisas. Nele, todas as coisas permanecem. Ele é o cabeça da igreja. Ele é o começo. Ele é o prōtotokos dos mortos; querendo dizer; de todos que já ressuscitaram, Ele é o primário e o preeminente. Ele, então, tem o primeiro lugar em tudo.

E então isso: “Foi então o prazer do bom Pai.” O que Deus queria? Foi Seu prazer honrar Seu Filho. Foi Seu prazer enviá-Lo aqui redimindo pecadores que iriam fazer parte do corpo eterno de pessoas que iriam honrar Seu Filho, glorificar Seu filho, servir Seu Filho, e até refletir a exata gloria de Seu Filho. Esse foi Seu propósito. Seu propósito não era levar as pessoas a metade do caminho para o céu e os deixarem cair e irem para o inferno. Seu propósito não era o de os salvar por um tempo. Seu propósito não era trazer o evangelho até eles, esperar que eles acreditassem, e esperar que eles aguentassem. Seu propósito era criar uma humanidade redimida de santos que vinham para o céu pela graça e iriam para sempre e sempre e sempre adorar aquele que morreu para tornar tudo isso possível: o Filho de Deus.

Deus nos dá alegria, paz, céu, mas não só para nós. Nós somos o propósito secundário. Mas o ápice do propósito divino é que todos nós que estaremos lá para sempre possamos glorificar Seu Filho. Cristo é o ponto central de foco na história da redenção. Ele é para ser eternamente glorificado e honrado. O propósito então da salvação é Cristo. É o amor do Pai pelo Filho. Eu muitas vezes falei assim: O Pai saiu pela redenção para achar uma noiva para Seu Filho. É por isso que o céu é chamado de a cidade nupcial, a Nova Jerusalém, certo? Decorada como a noiva. É por isso que a igreja é chamada de noiva de Cristo e Ele é o noivo. A totalidade da história da redenção é o Pai achando uma noiva submissa e amorosa para Seu Filho que irá adorá-Lo e honrá-Lo para sempre e sempre e sempre. Esse é o propósito de Deus e é isso que Ele está fazendo.

Voltando para Isaias 46, “Eu planejo, Eu faço.” E de volta em João 6, Jesus diz, “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. Eu o ressuscitarei no último dia.” Consequentemente, “Porquanto aos que de antemão conheceu,” – versículo 29 – “também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o preeminente entre muitos irmãos.” E então o processo: Ele predestinou, Ele chamou, Ele justificou, Ele glorificou. Não tem perda. Quem ele predestinou, Ele chamou. Quem Ele chamou, Ele justificou. Quem Ele justificou, Ele glorificou.

E além disso, versículo 31: “Se Deus é por nós” – o que? Se esse é o plano, você acha que alguém vai atrapalhar? Então regozije-se em sua segurança, alegre-se na obra intercessora de Cristo no trono de Deus por você, regozije-se na contínua obra intercessora do Espírito no seu coração, alegre-se no magnânimo, gracioso, maravilhoso propósito de Deus, que acontecerá. Agora, alguns de vocês estão olhando para essas palavras, “antemão,” “predestinação,” “chamado,” e estão pensando, “Como que tudo isso funciona?” Então isso será no Domingo que vem. Ta bom? Isso é para o Domingo que vem.

Agora, eu vou orar daqui a pouco, mas vamos continuar fazendo o que fizemos semana passada. Eu vou orar e então eu quero que você fique sentado em silêncio, não vá embora, e como eu disse semana passada, é um momento de meditação. É um momento para você pensar no que foi dito. Sabe, nós temos o habito aqui de sairmos bem rápido para o próximo evento. Eu quero que você sente em silencio um pouco enquanto a Jan toca o órgão por um tempinho e pense sobre as coisas que você ouviu. E conforme o volume ficar mais alto, você poderá sair e ter comunhão. E antes de eu encerrar em oração, só um lembrete, hoje a noite será um momento em torno da Mesa do Senhor, e que momento maravilhoso será. Será um tempo de celebração à cruz e de vir perante o Senhor em Sua mesa. Então esteja conosco as 6:00 hoje a noite. E saiba disso: a sala de oração está aberta a minha direita para qualquer que tenha alguma necessidade espiritual. Nós adoraríamos que vocês viessem. Tem irmãos lá que querem conversar com você.

Agora, Pai, nós somos tão gratos por esse tempo essa manhã para tentar falar sobre essas coisas. Eu me sinto tão fraco e tão débil e tão incapaz para começar a expressar a grandeza e magnitude dessas verdades. Esse pregador é mal preparado para entender a majestade infinita dessas realidades. Só podemos orar, Senhor, que de alguma forma nossas palavras humildes, nossos esforços fracos possam ser fortalecidos e enriquecidos pelo, novamente, maravilhoso mestre que vive em nós, a unção que temos de Deus, o próprio Espírito Santo, para nos levar mais profundo nas glórias dessas realidades de redenção. Obrigado pelas pessoas que estão aqui que estão regozijando com a verdadeira salvação que é para sempre, que estão vivendo em uma esperança confiantemente, que têm uma âncora de esperança, âncora da alma, porque a salvação é real. Senhor, há algumas pessoas aqui que não têm essa confiança na verdadeira salvação, que estão lutando, talvez algumas pessoas que sabem que não têm a salvação, elas não têm esperança, não têm esperança sem Deus no mundo, e estão a caminho do juizo final. Eu oro, Senhor, que elas venham a Cristo e para a promessa da vida eterna Nele. E há outros que têm duvidas, questionamentos, pensando se eles de fato são salvos ou não. Eu oro Senhor, que Tu os chame genuinamente para a salvação em Cristo e que o Senhor lhe dê a verdadeira esperança. Que o Espírito testemunhe com o espírito deles que eles são de fato filhos de Deus. Obrigado por tudo que o Senhor depositou em nossas mentes hoje, e que possa ir de nossas mentes para o nosso coração e que possa sair em adoração e obediência. Oramos no nome de Cristo. Amem.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Playlist
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize