Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Assim, em geral, o culto cristão hoje tem mais a ver com estilo do que com a substância. É mais sobre a sensação do que sobre fato. É mais sobre si mesmo do que sobre o Salvador. É mais sobre a terapia do que teologia. É mais sobre o secular do que o sagrado. É mais sobre bons sentimentos do que a glória de Deus. E como temos nos esforçado para ver o estado lamentável do culto cristão hoje, parece-nos que, enquanto damos alguma atenção a Deus o Pai e cantamos músicas sobre Seus atributos, e damos muita atenção a Cristo e cantamos músicas sobre Sua pessoa e obra, bem pouco é dito sobre o Espírito Santo. Se vamos adorar a Deus plena e totalmente, devemos adorar o Pai, Filho e Espírito Santo.

Muitos cristãos sabem muito pouco sobre o ministério do Espírito Santo. Existe tanto erro flutuando em torno do Espírito Santo que as pessoas evitam falar muito sobre o Espírito por medo de contradizerem o pensamento popular do momento. Mas devemos adorar a Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, no sentido pleno e total conhecimento da revelação de cada membro da Trindade, e por isso temos nos esforçado para compreender o maravilhoso e abençoado ministério do Espírito de Deus. Colocamos a coisa mais ou menos assim, o Pai planejou a redenção, o Filho providenciou os meios da redenção em Sua morte e ressurreição e o Espírito produz a obra da rendenção em nós. Ele é o agente que traz à realidade o plano que Deus iniciou e que o Filho validou; Ele é o único que o ativa.

Precisamos entender a ministério bíblico do Espírito Santo. Somos advertidos na Escritura a não entristecer o Espírito, não apagar o Espírito, não insultar o Espírito, a não blasfemar o Espírito. Não é de admirar que sejamos alertados sobre essas coisas porque isso parece ser uma coisa muito comum. Assim, temos tentado conectar novamente com as coisas que são claramente reveladas na Escritura que talvez tenhamos deixado permanecer dormentes por um longo tempo no que diz respeito ao Espírito Santo, e temos aprendido que é o Espírito Santo quem nos regenera. João 3: “Nós nascemos do Espírito.” É o Espírito Santo que nos convence do pecado, da justiça e do juízo, João 16. O Espírito Santo ainda participa de nossa justificação. I Coríntios 6:11 diz: “mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.” II Coríntios 3 nos diz que é o Espírito que nos santifica, nos levando de um nível de glória para o próximo em nos conformando à imagem de Cristo.

Aprendemos em Romanos 8 que é o Espírito, que confirma nossa adoção como filhos de Deus. O Espírito faz morada em nós. O Espírito nos dá garantia, testemunhando com nosso espírito que somos filhos de Deus. Primeira Coríntios 12 diz que o Espírito nos batiza no corpo de Cristo pelo qual nos tornamos um com todos os outros crentes. Nesse mesmo capítulo, ele diz que o Espírito nos dá os dons espirituais pelos quais servimos a Cristo e ministramos o corpo. É o Espírito que assiste nossas orações. Em Judas 1:20, fala sobre orar no Espírito. É o Espírito que nos fortalece no homem interior, Efésios 3:16. É o Espírito quem nos guia, todos quantos possuem o Espírito são guiados pelo Espírito, vimos em Romanos 8. É o Espírito que produz frutos através de nós, frutos de atitude, amor, alegria, paz, benignidade, bondade, fé, mansidão, domínio próprio, bem como todos os tipos de atividades justas. É o Espírito que nos liberta do pecado, que nos capacita a sermos obedientes para com Deus. É o Espírito que ilumina a Palavra e é o nosso mestre na verdade residente em nosso interior.

E no topo disso, a pedra angular dessas coisas, é que o Espírito garante nossa glória eterna. É o Espírito que garante nossa glória eterna, e esse grande ministério do Espírito Santo foi o tema que apontei para vocês quando li a Escritura em Romanos 8:18 a 39. Essa seção inteira está focada nessa gloriosa realidade, que a salvação é para sempre. Que a salvação é para sempre. Que estamos protegidos pelo poder de Deus para aquela glorificação final e aquela herança que está guardada para nós que não desaparece, sem macula, reservada nos céus. O Espírito assegura nossa glória eterna. Na Escritura, Ele nos sela para o dia da redenção. Ele é a garantia, a primeira parcela, a entrada, o anel de noivado, os primeiros frutos. Ele é o poder de Deus. Ele é o protetor de todo o crente até que um dia Ele será Aquele que nos ressuscitará para glória eterna, assim como Ele ressuscitou a Cristo dentre os mortos.

Tudo isso, é claro, leva à adoração do Espírito Santo. Esta é a verdadeira doutrina do Espírito Santo que se opõe a todas as declarações falsas e blasfêmias contra o Espírito Santo que é tão comum e popular hoje.

Assim, Paulo vem passando por estes versículos, começando – na verdade, ele menciona glorificação no versículo 17, e então, começando no 18 até o versículo 30, Ele nos deu este grande e glorioso argumento da eternidade da nossa salvação. Que, se você está salvo, é para sempre. É para sempre. E o ponto culminante de seu argumento vem no versículo 30, que, quem quer que Deus predestine, para ser conforme Seu Filho, Ele chama no tempo com uma chamada eficaz para a salvação. Quem Ele chama, Ele justifica, e quem Ele justifica, Ele glorifica a fim de que as pessoas que são glorificadas sejam as pessoas que foram predestinadas. Ninguém se perde pelo caminho. Isto é o que Paulo nos apresenta. Este é o propósito de Deus. Esta é a obra do Espírito Santo. Assim, Paulo está nos dizendo que todas as coisas em nossas vidas, sejam elas quais forem, Deus faz com que operem juntamente para o nosso bem e glória eterna porque somos chamados de acordo com esse propósito e assim adentramos em uma relação de amor com Ele.

Eu ensinei essa doutrina toda a minha vida. Eu a ensino com paixão, porque está muito clara nas Escrituras, e ainda por toda a minha vida e ministério, tenho debatido com pessoas que rejeitam a idéia de que salvação é para sempre. Eu estava em uma antiga base militar na Bielorrússia fora da cidade de Minsk onde os soldados comunistas estavam baseados durante a grande Império Russo. Ele foi transformado em uma espécie de acampamento e eu fui lá com alguns pastores, e eu estava dando uma mensagem e eu fiz referência ao fato dessa eterna – dessa salvação eterna, que uma vez que você foi regenerado, é para sempre, e você pode ancorar a sua alma na confiança da esperança da glória eterna. E seguida – todos os pastores que estavam lá, os pastores da Bielorrússia e da Rússia, vieram até mim e disseram: " Nós pensamos que isso esteja errado." E eu disse:, “Bem, vocês precisam me dar algum tempo de manhã para responder a todas as suas objeções.”

Então eu me levantei de manhã, e tinha uma pequena tigela de algo, eu não sei o que era, no café da manhã, e eu fui para a reunião. E eles estavam esfregando os olhos – eles tinham ficado ali a noite toda. Eles ficaram a noite toda colhendo todas os motivos pelos quais eu estava errado. E então eu comecei com um após a outro, depois outro, depois outro, depois outro. Eu entendi aquilo. Eu não queria discutir com eles, Eu queria que desfrutassem de sua salvação. Eu queria arrancá-los desse medo de perdê-la. Eu queria que eles se alegrassem na esperança de que ela é segura. Era um presente que eu estava tentando lhes dar, e eles continuaram empurrando-o de volta, E eu tinnha que lhes oferecer de novo e de novo e passar por todas as objeções e cada argumento por todo aquele longo dia. Eu entendi aquilo. Paulo entende isso.

Então, quando você vem para o final do versículo 30, Paulo agora antecipa as objeções. Ele sabe que em algum lugar, em algum lugar há um grupo de pessoas que ficou acordado a noite toda e eles já prepararam algumas objeções. E sabe quais elas serão porque há somente certas coisas sobre as quais você pode argumentar. Paulo sabe disto: de que há somente duas possibilidades, que alguma pessoa pode fazer você perder a sua salvação ou alguma circunstância. Isso é tudo que você tem. Isso está completo. Essas são todas as categorias que existem. Então a questão é: Pode alguma pessoa causar a perda da sua salvação apesar da obra do Espírito, apesar da provisão de Cristo e apesar do propósito de Deus? Ou se não for alguma pessoa, pode alguma circunstância fazer isso acontecer? Tão avassaladora, tão poderosa que você perca a sua salvação? Esse se torna o assunto dos versículos 31 a 39.

A primeira parte, versículos 31 a 34, responde à pergunta: Existe uma pessoa que possa fazer você perder a sua salvação? Os versículos 35 a 37, Existe alguma circunstância que possa fazer você perder a sua salvação?” E, em seguida, um glorioso desfecho no final do capítulo.

Agora, Paulo introduz isto, e vamos apenas nos concentrar no ponto um, sobre as pessoas. Ele introduz isto no versículo 31: “Que diremos, pois, à vista destas coisas?” Que diremos, pois, à vista destas coisas? Que coisas? As que dizem respeito à salvação eterna. O assunto, desde o versículo 18, foi sobre a eternidade da salvação, que Deus nos assegurou em Seu propósito, que o Espírito intercede por nós, que Deus opera todas as coisas juntamente para o nosso bem eterno, isso se tivermos sido conhecidos de antemão e predestinados para sermos conformados à imagem de Jesus Cristo, chegaremos lá e nenhum de nós será perdido, que todos os que são chamados são justificados e glorificados – todas essas coisas relacionadas à salvação eterna que não pode ser perdida. Que diremos em vista destas coisas? Qual sua resposta? Essa é a questão. Qual é a conclusão que você quer esboçar?

Bem, Paulo sabe que haverá pessoas que irão protestar sobre isso. Elas vão dizer que a salvação pode ser perdida. É uma coisa maravilhosa, mas pode ser perdida, porque há certas pessoas e há certas circunstâncias que podem levar-nos a abandoná-la ou tirá-la de nós, e assim a perdemos. Assim, Paulo diz: " Tudo bem, vamos considerar as pessoas." Existe algum ser humano ou seres humanos que possam tirar a nossa salvação? Que possa ter esse poder sobre nós? Tal influência sobre nós que possam remover o que Deus deu para nós? Isso está incluido na questão no final do versículo 31: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” O “quem” aqui está está visando as pessoas, as pessoas. Existe alguma pessoa que possa tirar a sua salvação? Você diz, “Bem, quem iria querer fazer isso?” Muitas pessoas que se ofendem com o seu cristianismo. Talvez o seu cônjuge. Talvez seus filhos desejassem que você não fosse salvo e fariam de tudo para lhe darem esse pontapé. Membros da família não salvos.

Em Mateus 10 Jesus disse que Ele veio trazer uma espada e colocar as pessoas contra sua familia, serem odiadas por seu pai, mãe, irmã, irmão. O que dizer dos educadores seculares? Você envia seu filho para a universidade – você acha que o currículo escolar irá confirmar a fé daqueles que professam a Cristo? Eu acho que não. Penso que farão de tudo para destruir isso. E sobre a doutrinação imoral coletiva de nossa sociedade? Você acha que é o objetivo da cultura e da sociedade em que vivemos estabilizar suas convicções em Jesus Cristo? Ou destrui-las? Você acha que eles querem confirmar a sua fé na Bíblia? Sua visão da criação? Sua visão do fim dos tempos? Sua visão da eternidade, céu, inferno? Ou será que eles querem destruir isso? Será que eles querem separá-lo disso? Será que eles querem lançar dúvida em sua mente?

Toda a cultura é definida contra você. Há todo tipo de pessoas, que operam no reino das trevas, que farão tudo o que poderem para afastar você de sua fé e salvação. Religiosos falsos farão isso. Os líderes de seitas farão isso. Falsos mestres farão isso. Há uma quantidade imensa de pessoas que fará isso e muitos deles têm influência, poder, impacto e sofisticação. E Paulo diz: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?”

O que ele quer dizer com isso? Bom, é uma sentença condicional no grego que começa com uma partícula, ei, que é pronunciada ā mas é E-I. E isso é uma cláusula condicional que deve ser traduzida por "uma vez que" porque não se trata de uma probabilidade, mas de uma realidade. É uma realidade real colocada numa cláusula condicional, por isso seria lida dessa maneira: “Uma vez que Deus é por nós, quem será contra nós?” É um argumento muito simples, não é? Existe alguém mais poderoso do que Deus? Deus pre-determinou nosso destino eterno para sermos conformados à imagem do Seu Filho para que Seu Filho possa ter a preeminência entre os muitos irmãos. Deus predeterminou o fim desde o início. Deus nos chamou, nos justificou, e Ele promete nos glorificar, esse é o Seu propósito. Seu Filho intercede por nós por causa disso e da mesma forma o Espírito Santo. Esses dois intercessores que já falamos.

Nós sabemos o que Deus quer, certo? Sabemos que o plano de Deus e o propósito de Deus é levar-nos todos à glória, que nenhum se perca e dar-nos a vida eterna. Assim jamais pereceremos. E Jesus disse que, “da mão do Pai ninguém as pode arrebatar.” Essa é a promessa de Deus, essa é a promessa de Deus. E já que Deus é por nós, qual pessoa seria mais poderosa? Na igreja, Paulo advertiu, você pode estar em uma igreja, você pode estar em uma organização religiosa que afirma ser cristã e ele diz isso: “Ela pode ser um lugar perigoso. Depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho, e dentre vós mesmos, se levantarão homens - homens se levantarão falando coisas perversas.” Para que? “Para atraírem discípulos que os sigam.” Há pessoas em igrejas que usam vestes religiosas que estão em púlpitos, que ensinam nos seminários que querem levá-lo longe de suas convicções, de sua fé. Eles querem roubar a sua salvação. Mas se Deus é por você, eles são mais poderosos do que Deus?

Sabe, quando você pensa sobre isso, você volta - pelo menos eu faço isso – volta para o Antigo Testamento. Os crentes do Antigo Testamento sabiam que Deus era a sua segurança. Eu amo as palavras do Salmo 27. Aqui é David: “O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?” Certo? Se o Senhor é a minha salvação, de quem terei medo? “O SENHOR é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? Quando malfeitores me sobrevêm para me destruir, meus opressores e inimigos, eles é que tropeçam e caem. Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança.” Com o que você está confiante? “Uma coisa peço ao SENHOR, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do SENHOR e meditar no seu templo.” Peço tão somente estar com Ele para sempre. “Pois, no dia da adversidade, ele me ocultará no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo, me acolherá; elevar-me-á sobre uma rocha. Agora, será exaltada a minha cabeça acima dos inimigos que me cercam. No seu tabernáculo, oferecerei sacrifício de júbilo; cantarei e salmodiarei ao SENHOR.”

Não importa quem venha contra nós. Deus é por nós. Deus é por nós. "Não temas” – Gênesis 15:1 – “Eu sou um escudo para você,” Deus diz. “O Senhor está perto” – Números 14:9. “Não temas.” É realmente o outro lado do versículo 28. Deus causando positivamente todas as coisas para que cooperem juntamente para o nosso bem eterno, esse é o lado positivo. O negativo é que ninguém pode desfazer isso. Se Deus faz tudo para que todas as coisas cooperem para o nosso bem, então ninguém pode fazer qualquer coisa que coopere para nosso mal. Ninguém pode remover o nosso estado de não-condenação indicado no capítulo 8 versículo 1. Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Ninguém, nenhuma pessoa, nenhum ser humano – estamos falando de seres humanos, esse é o nosso primeiro ponto – nenhuma pessoa humana pode fazer isso porque Deus é maior que qualquer e todos os seres humanos. Assim, a objeção sobre os seres humanos cai na simples declaração no final do versículo 31: “Se Deus é por nós” – ou uma vez que Ele é para nós – “quem poderia ser bem sucedido contra nós?”

Ah, mas uma segunda possibilidade. O próprio Deus. Pode o próprio Deus tirar a nossa salvação? Ei, o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR. Ele pode tirar a nossa salvação? Ele pode mudar de idéia sobre nós? Ele pode ficar tão desapontado conosco? Podemos seguir um padrão de pecado em um nível que Ele tome de volta o que Ele nos deu? Ele pode nos ver pecando e nos ver sendo desobedientes e retirar de nós a vida que Ele nos deu? Ele nos fulmina? Porque Ele nos deu vida. Ele nos regenerou. Nós nascemos de novo, foi nos dada uma nova vida. Será que Ele nos mata e agora voltamos a estar mortos outra vez? Manter-nos salvos causa muito trasntorno?

Paulo responde isso no versículo 32. “Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Deixe-me dizer-lhe, esse é um versículo simples. Sei que você lê isso, e soa um pouco preocupante porque você não sabe como classificá-lo, mas é um versículo muito simples. É o argumento clássico judaico do maior para o menor. É um argumento simples. Ele não poupou o seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós. Você acha que, se Ele nos deu o Seu Filho para nos salvar que Ele nos dará coisas menores para nos manter? Esse é o argumento. O argumento do maior para o menor. O amor de Deus é tão forte por aqueles que Ele escolhe para redimir que Ele dá o Seu próprio Filho. O melhor, o maximo, o mais puro, o divino, o alto preço, o maior custo Seu próprio amado Filho para nos salvar. Você acha que Ele faria menos do que isso para nos manter?

E pense nisso desta maneira – abra em Romanos 5. Quando você foi salvo, você foi salvo estritamente pela graça. Você não fez nada para merecê-la. Romanos 5:6: Você era impotente e ímpio. Então Deus deu Seu Filho, Cristo, para morrer pelos desamparados e os ímpios, podemos dizer pelos que são mortos espiritualmente, pelos cegos, ignorantes e maus. E, sabe, as pessoas não fazem isso. Versículo 7: “Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer.” Eu quero dizer, de vez em quando você vê alguém dar sua vida por alguém que é uma boa pessoa, mas isso é muito raro. Mas se alguém estiver disposto a dar sua vida, uma realidade rara, a pessoa por quem ele vai dar a sua vida será uma pessoa boa, certo? Alguém por quem se tem admiração, respeito, amor. Eles não vão dar a sua vida por uma pessoa ruim, por um criminoso, por um inimigo.

Mas Deus, no versículo 7, prova o seu amor para conosco, o seu próprio amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Nós éramos pecadores. Miseráveis, perdidos, cegos, mortos, sem Deus, impotentes, e Ele deu o Seu Filho para morrer por nós. Muito mais do que tendo agora sido justificados pelo seu sangue, o sacrifício, seremos salvos, ou estaremos sendo salvos, mantidos salvos da ira de Deus por meio Dele. Veja, se Deus entregou Seu Filho à morte para tornar possível a nossa justificação, você não acha que a vida do Filho de Deus vai garantir nossa glorificação? Essa é toda a questão.

Versículo 10: “Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.” Nós literalmente fomos resgatados por um custo infinito, a morte de Cristo, e seremos mantidos pelo Cristo vivo interecedendo. Mesmo Cristo deu o maior presente para nos salvar e o dom menor para nos manter. Ele morreu para nos salvar; Ele vive para nos manter. Se o Pai deu o Seu Filho para nos salvar quando éramos ímpios, entregou Seu Filho à morte para nos salvar, vida para nos proteger? Ou seja, é um conceito simples, que Deus fez o maior em nos justificar quando ainda éramos indignos, ímpios, miseráveis. Não irá Ele, agora que pertencemos a Ele e que fomos transformados, feitos novas criaturas e que temos o anseio justo e santas afeições, não irá Ele fazer o que for preciso fazer para manter-nos, o que é muito menos do que a entrega de Seu Filho em sacrifício, em vista dos horrores da cruz?

Vários elementos nesse versículo, volte a Romanos 8. Vários elementos são tão maravilhosamente profundos. Versículo 32: “Aquele que não poupou o seu próprio Filho,” Ele não o impediu. Na verdade, Isaías 53:10 diz, “Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar.” Ele não poupou Seu Filho. E eu amo isto: “Seu próprio Filho,” idios no grego, aquele que é seu próprio particular, de posse privada, o Filho que pertencia a Ele, o Filho de Seu próprio amor, Deus estava disposto a fazer isto por nós. Se Ele estava disposto a dar o Seu maior dom para nos salvar, Ele irá fazer tudo, que é bem menos do que isso para nos manter.

A linguagem, “por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Uma vez que Ele o entregou, isso é um termo muito gráfico. “Entregar” era estar colocando alguém nas mãos de um carrasco – um termo técnico. Uma vez que o Pai entregou o Filho à destruição, condenação e punição que o pecado requeria, o restante do versículo então, “não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” Tudo o que precisamos para estarmos seguros?

Quem entregou Jesus à morte? Não foi Judas pelo dinheiro. Não foi Pilatos por causa do medo. Não foram os judeus por inveja. Foi o Pai de amor por todos nós. Por todos nós. O "todos nós" – no versículo 32 - o "todos nós" é o " nós " do versículo 31. “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” Aqueles "nós" são os "esses" de versículo 30. “Esses são os predestinados, chamados, justificados, esses Ele também glorificou.” Quem quer que esteja no plano, a provisão para eles foi feita, e Deus adicionará a essa provisão no dom de Seu Filho nada mais que seja necessário para conduzi-los à glória. Eu amo o fato de que ele diz que "nos dará graciosamente todas as coisas.” Continua a ser graça, não é mesmo? Continua a ser graça, não ganhamos isso, não merecemos isso, mas receberemos isso.

Alguém diz, “Certo, se as pessoas não podem tirar a nossa salvação, se o próprio Deus não pode tirar a nossa salvação, porque Ele já se comprometeu a dar o maior presente e presentes menores vêm facilmente depois disso, talvez haja outra pessoa. O que dizer de Satanás? Talvez Satanás possa fazê-lo.” Satanás gostaria de fazê-lo. Ele quiz destruir a fé de Jó, certo? Ele quiz destruir a fé de Pedro. Jesus disse, “Pedro, é melhor ter cuidado, porque Satanás deseja peneirá-lo como trigo.” Ele se apresentou diante de Deus no livro de Jó e ele disse que a única razão – a Deus, ele disse, “A única razão pela qual Jó é fiel a Ti é porque Tu o abençoas. Tire-lhe a bênção e ele vai Te amaldiçoar. Eu vou destruir a fé dele.”

Deus permitiu Satanás e disse, “Faça isso, qualquer coisa ms preserve sua vida.” E Satanás se mexeu, e todos seus animais foram mortos, todos seus filhos foram mortos e então Jó adoeceu, então ele teve um grupo de conselheiros estúpidos dizendo-lhe todos os tipos de coisas que não eram verdadeiras, e ele ficou isolado nas agonias da confusão porque a conversa entre Deus e Satanás não era de seu conhecimento. Ele não tinha idéia, de quando isso estava acontecendo, qual era a causa, qual o motivo, qual era a razão. Mas em meio a tudo isso, Satanás pode turar sua fé, mesmo quando matou sua família e o deixou apenas com uma mulher que disse coisas que ela não deveria ter dito e que não ajudou em nada? Quando Satanás tirou dele tudo o que possuía, e quando ele o deixou tão doente e tão coberto de chagas e feridas que ele precisava raspá-las com um pedaço de cerâmica quebrada? Esse provavelmente seria o tipo de situação extrema que faria você dizer, “Se você tiver que perder tudo, então que perca aqui.”

E Satanás era essencialmente o algoz de tudo isso. E em meio a essa situação, o que Jó diz? “Mesmo que ele me mate ainda” – o que? – “nele esperarei.” Você não pode matar a fé, porque Deus o sustenta no meio de tudo. Satanás não pode fazer isso. Satanás é o acusador dos irmãos, certo? Apocalipse 12. Ele é o acusador dos irmãos, dia e noite diante do trono de Deus, acusando os irmãos. Fez isso com Jó. Ele fez isso com o sumo sacerdote em Zacarias capítulo 3. Ele veio a Jesus a respeito de Pedro. Ele vai depois a Paulo em 2 Coríntios 12 com um mensageiro de Satanás que é como um espinho na carne. Satanás é o acusador dos irmãos. Ele é o algoz. Assim, com esse pano de fundo, você chega no versículo 33: “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus?” Bem, aquele que está sempre tentando fazer isso, Satanás. Ou no começo do versículo 34. “Quem os condenará?” Aquele que faz isso é Satanás.

Ambas essas perguntas, na verdade, são a mesma pergunta. Uma delas, querendo trazer uma carga que resultaria em condenação. Indo a Deus e dizendo:, “Deixe-me atormentar essa pessoa e eu vou destruir sua fé. Ela não é uma pessoa digna. Ela só está lhe servindo, porque as coisas estão indo bem. E se nós tornarmos a vida dela difícil o suficiente, ela vai te amaldiçoar. E vou lhe mostrar quem ela é realmente.”

Isto é o que Satanás faz, eu acho que, o tempo todo. Ele está noite e dia diante do trono de Deus, fazendo acusações contra os santos. Ele pode ter sucesso nisso? A resposta vem no versículo 33: “É Deus quem os justifica.” Literalmente, " Deus é o que justifica.” Só Deus condena e só Deus declara justo. E se Deus declara que somos justos em Cristo, Ele não pode, ao mesmo tempo, anunciar que também somos culpados, certo? E não há juiz maior. Os crentes estão sempre sendo acusados. Eu acho que é o que se passa no céu o tempo todo. Satanás está sempre tentando criar um caso contra a nossa salvação, contra o fato de Deus nos amar, contra Deus nos declarar justos e retos. Mas Deus já pronunciou Seu veredito final, e o veredito final, com base em seu próprio propósito soberano, na obra regeneradora do Espírito Santo, na provisão de Cristo em Sua morte e ressurreição, ativada pela nossa fé, é que fomos declarados justos, fomos declarados retos, e isso encerra o assunto.

Não há nenhum tribunal superior, essa é toda a questão. Não há nenhum tribunal de apelações acima de Deus. Deus é o único tribunal. Deus é o único tribunal no universo quando se trata de pecado, julgamento e justificação. Não há nenhum outro tribunal. E é Deus quem está justificando o seu povo, e nenhuma acusação de Satanás contra eles pode se manter. E nenhum esforço por parte de Satanás para trazer destruição em suas vidas pode permanecer.

Deus nem sempre impede isso. Eu sei que você ouve os pregadores da prosperidade dizerem que Jesus quer que você seja saudável, feliz, em todos os sentidos, mas não foi assim com Jó. Não foi assim com Pedro. Pedro foi peneirado como trigo naquela noite, não foi?, ao redor das fogueiras no julgamento de Jesus, negou a Jesus diversas vezes. Paul teve seu espinho na carne e sua quantidade imensa de sofrimento. Satanás, com tudo o que ele poderia trazer sobre a vida desses homens e nas vidas de outros crentes que Deus permitiu que ele fosse atrás para seus próprios fins, tudo o que ele possa fazer jamais poderá mudar nossa posição diante de Deus, Ele nos tornou justos. Por isso que Charles Wesley disse, “Corajoso devo ficar nesse grande dia, em quem devo meu fardo lançar, totalmente absolvido por meio de Ti de todo pecado e medo, da culpa e vergonha.”

Por favor note, lá no versículo 33, por isso é que somos eleitos de Deus. Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus, aqueles que foram conhecidos de antemão, predestinados? Deus já determinou sua justificação. Então, quando Satanás tenta nos levar perante o tribunal de Deus, não chegamos como bandidos e criminosos; chegamos como eleitos de Deus, já declarados justos.

Bem, há somente uma pessoa possível que poderia decidir nos deixar ir, desistir de nós, e essa seria Cristo. E sobre Cristo? Ele poderia desistir de nós? Ele nos atraiu, poderia Ele nos lançar fora? Versículo 34. Jesus Cristo, irá nos condenar? Ele morreu, Ele ressuscitou, Ele está à direita de Deus, e Ele está intercedendo por nós. Ele não fará isso porque há quatro realidades ali, proteção quadrupla fará Ele isso por quem Ele morreu? Ele é o único que morreu, questão óbvia. Quando Ele morreu, Ele recebeu por completo o castigo por todos os nossos pecados. É por isso que Ele morreu. Ele era sem pecado. Não havia nenhuma culpa nele. Ele morreu em nosso lugar, recebendo o nosso castigo. Ele não vai nos condenar quando Ele já tomou nossa condenação.

Em segundo lugar, não apenas morreu, mas Ele ressuscitou. Em outras palavras, Sua expiação era propícia, ele satisfez a Deus e Deus validou Sua obra na cruz, ressuscitando-o dentre os mortos. Sua ressurreição é a afirmação da realização de Sua obra expiatória na cruz. A morte de Cristo pagou integralmente a penalidade por todos os pecados de todos os que virão a crer na história humana e para indicar que, Deus o ressuscitou dentre os mortos.

E isso não é tudo, há um terceiro elemento. Então você tem Cristo pagando integralmente por nossos pecados, você tem o Pai validando que seu pagamento foi integralmente por nossos pecados, ressuscitando-o dentre os mortos, e, em seguida, em terceiro lugar, que Ele mesmo está à mão direita de Deus, como diz o Salmo 110: 1, “Disse o SENHOR ao meu senhor: Assenta-te à minha direita” Deus o exaltou soberanamente por causa de Sua obra na cruz, deu-lhe um nome acima de todo nome, fazendo-o sentar-se à Sua direita, e todo joelho se dobrará diante Dele. Ele ascendeu à mão direita do trono de Deus, porque Ele havia realizado totalmente a nossa salvação eterna.

Então você reune tudo isso, a obra completa de Cristo na cruz, Sua ressurreição, Sua exaltação e Sua ascensão tudo indicando que nossa salvação foi paga na íntegra e Deus está totalmente satisfeito. E como se isso não bastasse, final do versículo 34, “Ele também intercede por nós.” Ele também intercede por nós. Esse é o ponto alto. Ele continua intercedendo, continuamente. Hebreus nos diz que Ele é o nosso grande sumo sacerdote, certo? Que Ele vive sempre para interceder por nós. Ele vive sempre para interceder por nós. Ele fica bem no trono de Deus à mão direita de Deus e Ele intercede por nós. Qualquer acusação que vem contra nós, Ele se torna o advogado em nossa defesa, que diz, “Pago na totalidade por mim, pessoalmente,.” Ele é o nosso sumo sacerdote para sempre, Hebreus 6 diz, nosso sumo sacerdote para sempre, que ancora a nossa esperança, que está segura e firme dentro do véu.

Assim, que pessoas poderiam tirar a nossa salvação? Nenhum ser humano, nem Deus, nem Satanás, nem Cristo. Apenas uma possibilidade. O que dizer de nós mesmos? Você diz, “Conheço pessoas asssim. Eu não culpo Deus. Sequer culpo Satanás. Elas estavam na igreja, elas criam, elas cantavam as músicas, elas vinham para o estudo da Bíblia, elas diziam que acreditavam e, então, saíram, negaram Cristo e foram embora. Elas perderam sua salvação.” Perderam? Foi isso que aconteceu? Elas pareciam salvas para mim, alguns deles são da sua família, alguns deles estão perto, talvez seus filhos. Você está se perguntando o que aconteceu? O que dizer daqueles qeu criam ou pareciam crer e então abandonaram?

Primeira João 2:19 nos dá a resposta para isso. Primeira João 2:19. Oh, todos nós conhecemos pessoas assim. Eu as conheci por toda a minha vida. Muitos delas nesta igreja. Será que perderam sua salvação? Elas simplesmente desistiram? Ouça a 1 João 2:19. “Eles saíram de nós” – e todos conhecemos pessoas que fizeram isso – “entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos.” Nunca real. Joio no meio do trigo. Solo rochoso. Um pouco de vida começa a aparecer a se mostrar, sem fruto, e então murcham e morrem. Solo espinhoso, sufocado pelo amor do mundo, das riquezas e os cuidados da vida. Todos nós temos pessoas assim. Mas eles saíram de nosso meio, porque nunca foram realmente dos nossos.

Mas para aqueles de nós que somos crentes reais e genuínos e temos o testemunho do Espírito em nossos corações a este respeito, vimos Seu fruto evidenciado em nossas vidas, nosso amor pelo Senhor, o nosso amor pela verdade, nosso amor pela Palavra, nosso amor pelos outros crentes, todas estas coisas, nosso amor por coisas que são puras, santas e boas, nossa salvação está para sempre segura. E este é o ministério fundamental do bendito Espírito Santo. Se você não crê nisso, então, isso é um insulto ao Espírito. Isso é um insulto ao Espírito que está fazendo na vida de um crente verdadeiro algo que o verdadeiro crente nega que ele esteja fazendo e rejeita. O Pai planejou nossa salvação eterna, o Filho providenciou e comprou a nossa salvação eterna, e do Espírito Santo produz e aperfeiçoa nossa salvação eterna.

É muito para as pessoas. Não há pessoa que possa tirar a sua salvação. Jeremias 31:3 resume tudo. Deus diz isto: “Com amor eterno eu te amei,” e eu descanso minha alma cansada nesta confiança. Vamos nos inclinar em oração.

E nós vamos ter apenas uma palavra de oração e depois meditar tranquilamente no final enquanto Steve toca o órgão para nós. Esse pouco tempo de meditação é bom para pensarmos sobre o que temos ouvido e deixar assimilar em nossos corações, e, em seguida, a sala de oração estará aberta à minha direita, o centro de membros está aberto, centro de visitantes está aberto, e aqueles de vocês que precisam de ajuda espiritual, se você precisa ter certeza sobre o seu destino eterno, sala de oração em frente à minha direita, venha, haverá pessoas que gostarão de falar com você e o farão com bondade e sabedoria.

Pai, nós Te agradecemos pelo banquete contínuo que desfrutamos da Tua Palavra que alimenta as nossas almas, dá força para nós, produz alegria, esperança, mesmo em face das dificuldades na vida. Obrigado pela poderosa obra do Espírito Santo em garantir a nossa glória eterna. E sabemos que, se formos verdadeiramente Teus, nunca perderemos a salvação, como se pudéssemos perdê-la e o Espírito Santo teria que começar o trabalho todo de novo e de novo e de novo e de novo. Não há nada na Escritura que sequer insinea que algo parecido exista, mas esta é uma obra que Tu consideras em fazer, se propôs a fazer e vai realizar. E nós honramos a Ti, Pai, e Te honramos, bendito Filho. Nós honramos a Ti, Espírito Santo, por tudo o que que tens feito por nós que somos indignos, tudo pela graça. Enche-nos de alegria, de esperança e entusiasmo pelo que tens para nós enquanto estamos aqui e, em seguida, para o que nos tem preparado quando entrarmos em Tua presença. Traga a Ti aqueles que não Te conhecem e ainda não receberam esse dom da salvação. Que eles possam despertar em fé para abraçar a Cristo como Salvador e Senhor, oramos em Seu nome.

FIM

This sermon series includes the following messages:

< !--Study Guide -->

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize