Grace to You Resources
Grace to You - Resource

Por agora eu quero que você abra a Palavra de Deus no capítulo 53 de Isaías, Isaías capítulo 53. Tivemos algumas semanas para introduzir este capítulo. Duas semanas atrás, uma introdução bastante ampla e, em seguida, domingo passado, que foi o domingo da ressurreição, nós vimos a introdução ao capítulo 53 que é dada no final do capítulo 52. E isso nos traz hoje, a este capítulo incrível de Isaías 53.

Este texto é um poço sem fundo de verdade bíblica e realidade. Quanto mais procuro, mais profundo fica. É incomparável, a meu ver, nas Escrituras, e para compreendê-lo seria o desafio de uma vida. É profundo, elevado, e amplo. E vou fazer o melhor que posso para discernir tudo o que está aqui para nós, e deixar, mesmo tendo feito isso, muita coisa para o seu próprio estudo futuro. Mas para fixar este capítulo incomparável em sua mente, eu quero ler para você, começando no versículo 1.

“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

“Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido.

“Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca. Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.”

Enquanto que para os crentes, ao longo dos séculos, este capítulo tem sido um ponto de alegria triunfante e profunda bênção enquanto refira-se à cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, a verdade é que este é ume cântico triste. Este é um cântico triste. Um lamento. É uma canção de pesar. Esta é uma canção de remorso. Este é um hino de arrependimento. Este capítulo constitui, na verdade, a maior confissão que nunca será feita na história do mundo por uma nação. De acordo com a Escritura, só há uma nação que, como nação, se voltará para Cristo, e essa é a nação de Israel. Essa é a promessa de Deus para eles no futuro.

Quando eles voltarem para Cristo, esta será a sua confissão. Você percebeu que, como eu li, todo o trecho até o versículo 10 os verbos estão no tempo passado. A maioria das pessoas acha este capítulo como sendo uma profecia futura a respeito de Cristo, e é isso. Ele nos dá tantos detalhes a respeito de Cristo, sua morte, sepultamento, ressurreição e exaltação, que se torna inconfundivelmente uma profecia Dele. Mas não está escrita no tempo futuro. Não é um profeta profetizando o que vai acontecer com Jesus. É um profeta profetizando a salvação de Israel no futuro, quando eles olham para trás e dizem isso sobre o Messias que eles rejeitaram e crucificaram. É o lamento de Israel quando eles olham para trás sobre o Messias que eles há muito tempo rejeitaram.

Esta é a profecia mais profunda do Antigo Testamento, a de mais longo alcance, a profecia do Antigo Testamento mais detalhada sobre a morte vicária, substitutiva, expiatória sacrificial do Messias, o Servo do Senhor, que é Jesus. É isso. É a primeira visão, no Antigo testamento, da cruz, da morte e da expiação de Cristo. Mas seu principal objetivo é dizer a Israel que um dia, no futuro, você vai se voltar da sua rejeição, vai olhar para trás no evangelho, no Messias e vai compreender que rejeitou sua única esperança, seu único Salvador, seu Messias Yeshua, e este será seu lamento. Isto é o que dirão naquela futura geração.

Sim, neste capítulo, lemos que o Messias, o Servo de Jeová, arcará com o pecado dos transgressores, que Ele experimentará o julgamento de Deus, que terá prazer em esmagá-Lo, para torná-lo numa oferta pela culpa, e tê-lo como o que suportará o pecado de muitos. Sim, este capítulo diz que, ao oferecer uma expiação para satisfazer a Deus, Ele morrerá, o que é necessário para conceder o perdão dos pecados. Mas Ele não permanecerá morto, porque acabamos de ler que Ele verá a sua posteridade, Ele prolongará Seus dias, o bom desejo do Senhor prosperará em suas mãos. Ele verá a luz, literalmente, e ficará satisfeito. A ressurreição está aqui, e então Ele será exaltado. Está tudo aqui.

Mas você tem que entender que este capítulo enquanto fala da cruz, fala dela num retrospecto, do ponto de vista do tempo no futuro, quando Israel se arrepende de sua longa rejeição de Jesus Cristo. Os judeus, desde o tempo do Novo Testamento, foram profundamente perturbados por este capítulo, profundamente. Tanto é que em muitas sinagogas não é feita uma leitura normal dessa Escritura. Ela é ignorada. Aqueles que o lêem e se deparam com ele decidiram que o Servo sofredor aqui não é o Messias e nem Jesus, mas Israel.

Israel é o justo sofredor. Israel é o justo sofredor aqui, que por causa de seu sofrimento como justo, um dia será recompensado por esse sofrimento justo, sendo abençoado e tornando-se uma bênção para o mundo. É assim que os rabinos o vêem. Eles fazem isso porque não querem que ele seja Jesus, e têm que encontrar uma explicação do por que os judeus sofreram tão brutalmente por tanto tempo. E para ter certeza que não sofreram em vão, eles vêem este capítulo como um tributo ao sofrimento justo de Israel pelo qual Deus os recompensará, os glorificará e através do qual Deus abençoará o mundo. O que quer dizer que eles não vêm a realidade.

Isto aqui não é Israel. Não pode ser. Eles não são nem sofredores inocentes, como alguém os descreveu aqui, nem sofredores voluntários. Eles pecisam reconhecer que precisam de alguém para morrer e pagar a pena de seus pecados. Eles não estão dispostos a reconhecer isso. Eles querem um rei e governante…lembra do que eu disse?…para livrá-los de seus inimigos, de sua situação e seus sofrimentos mas não de seus pecados. Eles não são o sofredor justo aqui que será recompensado por Deus. Isso é parte de um sistema de obras farisaico. O que eles precisam entender é que têm sido por todos estes séculos um sofredor injusto.

Eles sofreram o juízo de Deus sobre eles pela rejeição de Cristo. E ainda estão sofrendo mesmo agora. E vão continuar a sofrer o julgamento de Deus pela rejeição de Cristo, até aquele dia no futuro, quando, como nação, se voltarem para Ele. Com o passar do tempo, qualquer judeu pode vir a crer em Cristo e muitos o têm, e muitos de vocês são judeus que vieram a crer em Cristo. Mas, a nível nacional, eles continuam sob o juízo divino, aguardando pela salvação que virá seguida pela bênção do cumprimento de todas as promessas que Deus deu a Abraão, Davi e aos profetas da glória do reino.

Esta não é uma revelação que honra Israel pelo sofrimento que leva à bênção. Mas de arrependimento de Israel. É a lamentação do coração quebrantado de Israel. Esta é a confissão de Israel por uma geração que ainda está por vir. Num sentido pessoal, cada judeu que vem a Cristo pode orar este mesmo lamento. E num sentido nacional, ainda está para vir no futuro. E virá. Como eu disse, a Escritura só promete a salvação de uma nação. Indivíduos sim de todas as nações, línguas, tribos, povos, mas apenas a salvação de uma nação, que é Israel. E eles vão, no futuro, se arrepender e voltar para Cristo.

Assim, enquanto num sentido, isto aguarda com expectativa o acontecimento da morte, ressurreição e mesmo exaltação de Cristo, e nos dá detalhes sobre aquelas realidades maravilhosas, no sentido mais puro é um vislumbre vai além da cruz, na conversão de Israel e no que dirão quando relembrarem. Há pessoas, pessoas astutas, estudantes da Bíblia, teólogos, pregadores, escritores que não acreditam na futura salvação de Israel. Eles não acreditam que o Reino estará na terra. Eles não são pré-milenistas e a meu ver eles não podem interpretar este capítulo porque é uma oração de confissão nacional de Israel na época de sua conversão futura.

Agora, apenas para lhe dar uma visão mais ampla, novamente. Não quero entrar em muitos detalhes, mas lembre-se, Isaías está vivendo em uma época anterior à do cativeiro Babilônico, quando os judeus foram levados como cativos pelos babilônios pagãos. O reino se dividiu depois de Salomão, reino norte de Israel, reino do sul de Judá. Em 722 o reino do norte tinha ido para o cativeiro; eles estavam muito longe. E agora Isaías vem e profetiza, 700 anos, ou quase isso, antes de Cristo, 650 anos antes de Cristo e ele diz, “Você está indo para o cativeiro, também. Você está indo para o cativeiro do qual você irá retornar.” Israel não voltou, o reino do norte, mas você vai para o cativeiro, na Babilônia, e você vai voltar. E isso aconteceu.

Foi o que aconteceu cerca de 80 anos depois que Isaías morreu, e a primeira deportação, quando os babilônios vieram, foi em 603. A seguinte em 597, e a última em, 586, Jerusalém foi destruída, o povo foi massacrado e os judeus foram transportados pelos pagãos em cativeiro onde penduraram suas harpas nos salgueiros e choraram porque eles não tinham mais a sua terra prometida. Isaías diz a eles que isso vai acontecer, mas esse não é o fim da história. Vocês serão restaurados. Vocês voltarão. Retornarão. Assim, Deus vai colocá-los em um cativeiro histórico e Ele irá trazê-los de volta. Ele os libertará; Ele salvará vocês. Essa é a ênfase da primeira seção na segunda metade, capítulos 40-66.

A primeira seção é sobre esse cativeiro histórico e sabemos que isso aconteceu. Eles foram levados para o cativeiro, 70 anos de cativeiro. Mais tarde, eles voltaram, reconstruíram, foram restabelecidos na terra e ainda estão lá. Eles ainda estão lá. Essa profecia aconteceu exatamente como Deus disse que seria, que babilônios os levariam mas eles voltariam, e seriam restabelecidos na terra. Mais importante, seguindo esse discurso de Isaías, ele lhe diz que no futuro haverá uma libertação ainda maior, uma libertação bem maior. Não uma libertação da Babilônia, mas libertação do pecado, libertação do pecado. Vocês serão salvos como uma nação. Vocês serão libertos do pecado pela obra do Servo do Senhor.

Assim, o Messias é o tema desta grande seção de Isaías. Chamamos aos capítulos 42, 49, 50 e 53 de Cânticos do Servo, porque todos esses quatro capítulos contemplam o Messias e o identificam como o Servo do Senhor. Assim, muito mais importante do que sua libertação temporal é sua libertação espiritual, muito mais importante. Vocês serão salvos espiritualmente. Vocês serão salvos eternamente do pecado, do juízo e do inferno. E então ele encerra sua profecia nos últimos capítulos dizendo, “Então vocês terão o Reino, e assim será o Reino, o grande Reino de Cristo.”

Assim este capítulo 53, que está no meio da seção central, bem no centro dela como indicamos, nos conta que os judeus darão meia volta no futuro e se arrependerão, eles se voltarão para Cristo, e serão salvos. Esta é simplesmente uma maravilhosa realidade. Agora quero identificar o assunto deste capítulo como sendo o que é chamado em 52:13 “Meu Servo”. Deus é o interlocutor, aliás, nos versículos 13 a 15, Deus está falando através de Isaías. E depois Deus se torna o interlocutor novamente no final do capítulo 53. Deus retoma e se torna o orador. No meio está Israel fazendo a sua confissão. Deus apresenta Seu Servo e fala sobre como ele será desfigurado, ou humilhado em Sua morte e será exaltado, de modo que os reis das nações do mundo estão admirados.

Esse é Seu sofrimento e glória. Então Deus dá Sua palavra final enquanto novamente Ele fala sobre o significado de Seu sofrimento e Sua glória a seguir. Mas no meio está esta confissão surpreendente de Israel. O Servo, Meu Servo; Eu preciso apenas dizer uma palavra sobre isso. Alguns de vocês vão lembrar de alguns meses atrás, quando escrevi o livro chamado Escravo, e em algum lugar nesse livro eu salientei que a palavra no Antigo Testamento para escravo é ebed… em português seria E-B-E-D… e que é usada 800 vezes no Antigo Testamento e é a palavra para o escravo. Assim, quando o próprio Deus, que é o orador em 52:13, identifica o Messias, Ele O chama de " Meu Escravo, Meu Escravo.”

Avançando um pouco mais nisso. A idéia dominante de ebed, se posso lhe dar isso no hebraico. A idéia dominante disto e sua origem não seria menos que a do melhor estudioso do Antigo Testamento, Dr. Walter Kaiser, que é simplesmente um estudioso fenomenal da Escritura do Antigo Testamento. Walter Kaiser disse, “A idéia dominante de ebed não é basicamente uma referência à subordinação, mas de propriedade.” Isso é o que significa ser um escravo. Meu Servo, o Messias é o escravo de Deus. O que isso significa? Que Deus determina tudo que Ele faz. Ele não tem vontade independente, Sua, própria. Ele serve à vontade de Deus e à satisfação de Deus.

E, a propósito, se você acha que é uma palavra degradante, escravo, tome nota. No Antigo Testamento o profetas são chamados escravos de Deus, os reis são chamados escravos de Deus. E apenas como exemplo, Moisés é chamado escravo de Deus 17 vezes, o que quer dizer que pessoas muito notáveis tinham esse tipo de relação com Deus. Até mesmo o Messias, que em Filipenses 2, lembra?, não subsistindo em forma de Deus, não considerou ser igual a Deus, mas a si mesmo se humilhou, tomou sobre Si a forma de escravo, a palavra grega é doulos. Assim, o Messias faz a vontade do Pai e só a vontade do Pai. Este é o testemunho de Jesus.

Leia o evangelho de João e quantas vezes você o ouve dizer, “Eu só faço o que o Pai quer que eu faça, eu só faço o que o Pai Me mostra para fazer, eu só faço o que o Pai faz, eu só faço o que o Pai deseja que eu faça. Eu faço o que faço para agradar ao Pai, e finalmente entregando Sua vida, Ele diz: "Não a minha vontade mas a tua.” Essa é a fala do escravo. O Messias, então, é identificado como aquele que é da posse de Deus. Consequentemente o pronome é Meu Servo, aquele que é Meu. Este é o Messias. Assim, o Servo de Jeová é a pessoa que está sendo falada pela geração futura de judeus, enquanto lamentam.

Agora sabemos quem é. É Jesus. É Jesus. Se você quiser fazer um teste, encontre um amigo judeu que não creia em Jesus, e diga, “Eu gostaria de ler pra você uma coisa”. Não lhe diga o que vai ler, apenas leia Isaías 53 e diga, “A respeito de quem ele está falando?” É o testemunho de muitos que o povo judeu vai dizer, “Bem, isso é sobre Jesus.” Mesmo? De onde, na Bíblia você acha que veio? “Ah, Mateus, Marcos.” Não. Isaías, Isaías. Ele está claramente falando de Jesus Cristo e, claro, no Novo Testamento, há trinta referências, explícitas e implícitas, nos evangelhos, apenas, que remontam a este capítulo. E no Novo Testamento há cinquenta de tais referências sobre este capítulo. Esta é claramente uma profecia que fala sobre a morte, ressurreição e exaltação do futuro Messias, que não é outro senão Yeshua, Jesus.

Os judeus não querem aceitar isso. E eles dão um testemunho nessa futura geração. Ouça o testemunho deles no versículo primeiro, “Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR?” Este grande clamor penitente, esta confissão de coração quebrantado de uma futura geração de judeus e de qualquer judeu indivídualmente que vem a Cristo em qualquer período no tempo, todo judeu sendo salvo e incluido na igreja, tem de fazer esta confissão que até aquele momento estavam errados sobre Jesus. Mas quando relembrarem, a primeira coisa que dirão é, “Não cremos, não entendemos.” A revelação a respeito de Jesus, foi recebida com incredulidade, com incredulidade. Mas um dia no futuro, isso tudo vai mudar. Tudo vai mudar.

Quando será esse dia futuro? Bem, eu posso lhe dizer que a Bíblia diz a respeito. Abra em Zacarias 12, Zacarias capítulo 12. Zacarias vem 500 anos antes de Cristo, talvez 150 anos ou menos depois de Isaías, eles foram para o cativeiro babilônico, eles voltam. Eles reconstruiram e se restabeleceram na terra. E Deus levanta este profeta de nome Zacarias. E ele vislumbra aquele acontecimento futuro. Capítulo 12 versículo 1, “Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel.” Tudo bem, isso vai ser uma profecia sobre o futuro de Israel. E isso está vindo... está vindo de uma boa fonte, “Fala o SENHOR, o que estendeu o céu, fundou a terra e formou o espírito do homem dentro dele,” certo?

Então, sabemos que isso não veio a partir de qualquer fonte humana, certo? Esta é a palavra do Deus Criador. “Eis que eu farei de Jerusalém um cálice de tontear para todos os povos em redor.” E, em seguida, no versículo 3, “ farei de Jerusalém uma pedra pesada...todos os que a erguerem se ferirão gravemente”. Mexer com Jerusalém o tiro saíra pela culatra. Você vai se ferir ficar tonto e cambalear como um bêbado se tocar em Jerusalém. Sobre o que ele está falando? Final do versículo 2, um cerco contra Jerusalém e Judá, Judá sendo o campo, Jerusalém sendo a cidade principal. E de onde este cerco está vindo? Final do versículo 3, “contra ela, se ajuntarão todas as nações da terra.”

Rapaz, o mundo inteiro vai atacar Israel. Será que isso soa como algo muito remoto ou muito possível? E quando eles começam a atacar, o Senhor irá proteger o seu povo. Na verdade, no versículo 6 Ele diz, “Naquele dia, porei os chefes de Judá como um braseiro ardente. – ” Estas são as pessoas indefesas em áreas periféricas da zona rural – “debaixo da lenha e como uma tocha entre a palha; eles devorarão, à direita e à esquerda, a todos os povos em redor, e Jerusalém será habitada outra vez no seu próprio lugar, em Jerusalém mesma.” Assim, quando os inimigos começam a vir, eles virão através do campo, em primeiro lugar, e como eles vêm através do campo, Deus vai queimá-los no caminho para Jerusalém.

Então o versículo 8, “o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém.” Em seguida, no versículo 9, “procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém.” Estão ouvindo isso? Nações. Você quer apontar suas armas nucleares para Israel? Vocês querem apontar seus mísseis para Jerusalém? Está chegando o tempo em que o mundo irá se juntar contra Israel. O movimento islâmico maciço em toda a Europa, em torno de Israel ao leste, ao norte, ao sul, é uma ameaça que está além da compreensão. Se você estiver em um avião a jato e voar do Mar Mediterrâneo para Israel, você terá que dar a volta em dois minutos ou você estará do outro lado da fronteira oriental de Israel, tão pequeno é esse minúsculo país.

Eles estão sob o cerco do mundo. O anti-sionismo é galopante. Mesmo em toda a Europa, onde as pessoas não querem ser anti-semitas, porque não é politicamente correto…isto é, anti-judaico…elas estão ansiosas para serem anti-sionistas contra o Estado de Israel. O mundo está... o mundo do mal, está se concentrando em Israel. Então quando isso se concretizar, quem sabe ao que isso dará início? Talvez Israel preventivamente lance uma arma nuclear sobre o Irã. Talvez o Irã lance uma arma nuclear sobre Israel. Quam sabe qual será o cenário. Mas quando essas nações vierem contra Israel, o versículo 10 diz que é o momento. “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei – ” essas são expressões que designam Israel naquele momento – “o espírito da graça e de súplicas”. Naquelas horas, ou dias, quaisquer que sejam, algumas semanas, o que quer que seja, “derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram.”

E ali Deus diz que eles vão olhar para mim porque eu estava encarnado em Cristo. Eles O traspassaram, eles Me traspassaram. Ele ainda diz, “olharão para aquele a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito.” Eles vão chorar amargamente sobre Ele, como o choro amargo sobre um primogênito. Versículo 11, haverá grande pranto, a terra lamentará; versículo 12, famílias, esposas, maridos, sozinhos e juntos todos, todos chorando e lamentando, sob o cerco e vendo Deus defendê-los inicialmente. “Naquele dia – ” capítulo 13 versículo 1 – “haverá uma fonte aberta para a casa de Davi e para os habitantes de Jerusalém, para remover o pecado e a impureza”. Uma fonte para purificá-los. Essa é a sua salvação.

Quando vai acontecer? No último dia quando Israel estiver sob o cerco maciço dos países. Naquela hora estarão indefesos. Não terão para onde se voltar. Sua única esperança estará em Deus, e em graça soberana o Espírito virá, o Espírito da graça que ouve a súplica, e Ele vai transformar seus corações para que relembrem da história e eles olharão para trás para aquele que traspassaram e as palavras de sua confissão serão as palavras de Isaías 53. Choro amargo, como quem chora por um filho único. Pranto pelo único Filho de Deus, o Messias. Isso será em toda a nação? Acontecerá a todo judeu? Não, Se você for para baixo no versículo 8 do capítulo 13, lemos, “Em toda a terra,” diz o Senhor, “dois terços dela serão eliminados e perecerão.”

Quando as nações vierem, dois terços morrerão. Dois terços serão deixados na incredulidade. “mas a terceira parte restará nela. Farei passar a terceira parte pelo fogo, e a purificarei como se purifica a prata, e a provarei como se prova o ouro; ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: é meu povo, e ela dirá: O SENHOR é meu Deus.” Essa é a salvação de Israel. Essa salvação vem porque eles relembraram daquele que foi traspassado. Eles traspassaram seus pés, traspassaram Suas mãos, traspassaram seu lado. Começam a se voltar para Deus em desespero. Em meio aos horrores daquela investida global, no momento em que o Espírito vem sobre eles, e um terço deles são trazidos à consciência de que traspassaram seu Messias, eles vão olhar para trás em Cristo, eles o verão em toda sua beleza, Sua morte e ressurreição se tornarão real para eles. E entao serão salvos.

Uma fonte da limpeza será aberta para lavá-los do pecado e da impureza. Um terço deles será protegido nesse grande Armagedom, e eles serão as ovelhas que entrarão no Reino do qual nosso Senhor falou. Ele então estabelecerá o Reino. Capítulo 14, vem o dia quando o Senhor estabelece o Seu Reino, “eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém.” Esta é a batalha do Armagedom quando Ele destrói todos os ímpios. Versículo 3, o Senhor vai adiante, luta contra eles, e nesse momento se dá Segunda Vinda. Ele coloca os pés no Monte das Oliveiras, divide o Monte das Oliveiras a partir do meio para o leste e oeste, por um grande vale, e estabelece Seu Reino.

Naquele dia não haverá luz. Os luminares cairão. Lembra do livro do Apocalipse, o sol se foi? O livro de Joel diz a mesma coisa, a lua se vai, as estrelas desaparecem e Jesus aparece em glória resplandecente no céu. Isto é descrito pelo nosso Senhor em Mateus 24 e 25. Um único dia, conhecido pelo Senhor somente, nem dia nem noite. Ele virá, só o Senhor sabe quando. Nenhum homem sabe o dia nem a hora, certo? O versículo 9 resume tudo, “O SENHOR será Rei sobre toda a terra; naquele dia, um só será o SENHOR, e um só será o seu nome.” Esse é o reino milenar e Ele reinará e governará supremamente.

Ezequiel viu a mesma coisa. Abra rapidamente. Não temos tempo para considerar tudo nele, mas abra em Ezequiel 38. O profeta Ezequiel, no capítulo 38, recebe uma palavra do Senhor. E se você tem uma Bíblia de Estudo MacArthur você pode ler todas as notas e identificar todos esses lugares. Mas há uma coalizão de nações do Oriente Médio que vem contra Israel. Esta é a mesma cena. E se você atentar um pouco para o pano de fundo, você encontra que são lugares como Irã, Egito, Líbia, Etiópia, terras antigas da Armênia, Turquia oriental / ocidental, todas estas nações se reúnem.

É o Oriente Médio se unindo para vir contra Israel. “Eles vêm como uma tempestade, – ” versículo 9 – “eles vêm como uma nuvem, tropas, muitas pessoas. Esta é a mesma coisa da qual Zacarias fala a respeito, este ataque global e maciço. Eles pensam que subirão contra aldeias não muradas no versículo 11, esta área desprotegida. Mas o Senhor não deixará que isto aconteça. O Senhor protegerá o Seu povo.

Eu gostaria que pudéssemos atravessar isso em detalhes, mas talvez porque não temos muito tempo, se você for ao versículo...capítulo 39, versículo 29, isso é o mais próximo que podemos abranger. Bem, vamos voltar ao versículo 7, não posso resistir isto. “Naquele dia quando o Senhor julgar todas estas nações,” versículo 4 diz que eles vão cair sobre os montes de Israel. “Tu, e todas as tuas tropas, e os povos que estão contigo; a toda espécie de aves de rapina e aos animais do campo eu te darei, para que te devorem.” O Senhor irá simplesmente dizimar estas nações.

Versículo 7, “Farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo de Israel.” Essa é a sua salvação, novamente, veja. “Farei conhecido o meu santo nome no meio do meu povo de Israel e nunca mais deixarei profanar o meu santo nome; e as nações saberão que eu sou o SENHOR, o Santo em Israel. Eis que vem e se cumprirá, diz o SENHOR Deus; este é o dia de que tenho falado.” Isto é o que vai acontecer. Versículo 21, “Manifestarei a minha glória entre as nações, e todas as nações verão o meu juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas tiver descarregado.” Eu amo isso, versículo 22, “Desse dia em diante, os da casa de Israel saberão que eu sou o SENHOR, seu Deus.” Em seguida mais abaixo no versículo 29, “Já não esconderei deles o rosto.” Uau! Deus está escondendo seu rosto deles, “Pois derramarei o meu Espírito, o Espírito de graça e súplica, de Zacarias 12:10, sobre a casa de Israel, diz o Senhor Deus.”

Entendeu? Isto é quando vai acontecer. Agora vamos voltar a Isaías 53. Isso será logo? Bem, Israel é o alvo para o Oriente Médio. O alvo, o inimigo...e as nações do mundo parecem estar continuamente descontente com Israel. Nações que antes eram grandes amigos e defensores de Israel parecia estar se afastando disso, mesmo os Estados Unidos. O mundo está sucumbindo à propaganda islâmica, ao crescimento muçulmano, o anti-sionismo está rapidamente crescendo. E Israel está perdendo seus protetores, talvez até mesmo os Estados Unidos. Tal guerra contra Israel, como Zacarias vê e como Ezequiel vê, não é uma realidade remota. Muitas vezes penso sobre o fato de como você pode perder isso? Quero dizer, se o mundo inteiro conspirasse contra a Argentina, isso seria um problema porque não está na Bíblia. Mas isto está. Isto é algum tipo estranho de coincidência?

Mas quando aquele dia vier…agora volte para Isaías 53. Quando esse dia chegar, esta é a sua... esta é a sua resposta, versículo 1, e esta é uma introdução perfeita. “Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR?” a primeira coisa que dirão é, “Não acreditamos. Não acreditamos. Pregação? O que você quer dizer? Que pregação?” A mensagem a respeito do Messias Yeshua. A mensagem sobre o Servo do Senhor, o Messias Jesus, Sua humilhação, Sua morte, sepultamento, ressurreição, ascensão, intercessão e coroação. A mensagem do evangelho.

O que querem dizer por nossa pregação? Muito importante. O hebraico não se refere a uma mensagem que pregamos, embora houvesse judeus que a pregaram. Os profetas eram todos judeus que previram isso. João Batista era um judeu que identificou Jesus. Jesus é judeu. Todos os apóstolos são judeus, todos os escritores dos evangelhos são judeus, todos os escritores do Novo Testamento são judeus. Assim, em certo sentido, é uma mensagem dada pelo povo judeu para o povo judeu.

Mas essa não é a intenção da palavra aqui, porque a palavra "nossa" não se refere ao que pregamos, mas ao que nos foi pregado. É um participio passivo com referência à mensagem e literalmente é isto, “Quem deu crédito à mensagem que foi ouvida por nós?” Esse é o significado deste termo. A linguagem está se referindo ao que ouvimos. E é uma admissão de que nós ouvimos. Mas não cremos nela. A mensagem não é vista do ponto de vista do orador, mas a partir dos ouvintes. Mensagem do Messias Jesus que ouvimos a respeito de Seu sofrimento e glória.

Agora ouça, praticamente todo judeu no mundo desde o Novo Testamento ouviu a mensagem de Jesus a fim de que pudesse rejeitá-la. Certo? Quero dizer, a religião judaica estabelecida tem estado muito ocupada desacreditando a mensage de Jesus e, preventivamente, anunciando a mensagem de modo que possa ser desacreditada. Não há outro grupo de pessoas, provavelmente, nenhum outro grupo étnico de pessoas que tenha sido tão exposto ao evangelho como o povo judeu. Praticamente todo judeu conhece a história judaica. Eles conhecem o Antigo Testamento e os profetas. E sabem da história do Novo Testamento a respeito de Jesus. Eles têm uma visão disso. Vou falar sobre isso na próxima semana. Eles têm uma visão de quem é Jesus. E não é boa, não é boa.

Então, quando o futuro remanescente olha para trás, Eles vão dizer, “Quem deu crédito à mensagem que ouvimos?” Porque eles a ouviram. O apóstolo Paulo entende o significado dessa confissão, porque em Romanos, capítulo 10, ele faz referência a ela. Romanos 10 versículo 11, Paulo escreve, “Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido. Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.” Então ele diz, “Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados?”

Então, temos um problema. As pessoas não podem crer, a menos que ouçam. Eles não podem ouvir a menos que alguém vá. Eles não vão a menos que sejam enviados. Isso é verdade em geral. No entanto, em referência aos judeus, versículo 16, eles não acatam toda a boa notícia, pois Isaías diz:, “Quem creu em nossa pregação?” Então, Ele diz, “assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” mas eles não creram. Paulo literalmente diz que os judeus não creram, exatamente como Isaías disse. Não creram por séculos. Oh um remanescente, é claro. Isaías 6:10, sempre haverá um décimo, um toco, uma semente santa, um remanescente. Então no versículo 21 de Romanos 10 ele diz, “Deus fala neste versículo – ” no versículo 21 – “Suas próprias palavras.” Isaías 65:2, “Estendi as mãos todo dia a um povo rebelde, que anda por caminho que não é bom, seguindo os seus próprios pensamentos.” Eles sabem disto, mas não creem nisto. Assim, a confissão de abertura é esta declaração surpreendente, “Ouvimos isso, ouvimos isso e ouvimos isso, mas não cremos nisto.” Não cremos nisto.

Dirigindo-nos ao ponto inicial, há uma segunda questão, “E a quem foi revelado o braço do SENHOR?” O braço do Senhor, simplismente um símbolo do poder divino. Literalmente o antebraço, mas um símbolo do poder divino. Isaías 51:9, Isaías 52:10 fala sobre o braço do Senhor como um símbolo de poder. Num sentido muito real, o Messias é o braço do Senhor. Noutro sentido, o evangelho é o braço do Senhor, porque o evangelho, Romanos 1:16, "é o poder de Deus para a salvação". Assim é outra forma de dizer que Deus não detém seu braço. Ele coloca seu braço para fora de sua vestimenta e mostra-nos Seu braço, mostra-nos Sua força, mostra-nos seu poder para salvar e não entendemos isto. Não entendemos isto.

O evangelho é o poder de Deus para a salvação, para todo o que crê, primeiro o judeu, e também para o grego. Assim diz João 1:11, “Veio para o que era seu – ” O que? – “e os seus não o receberam.” Por que eles não creram? Há uma razão teológica por que eles não creram. Razão teológica porque eles não creram, isso nos leva de volta para Romanos 10, e a resposta é porque não precisavam de um sacrifício. Eles não creram que Jesus era o Messias, porque Ele estava morto, crucificado. Eles não precisavam de um sacrifício.

O que queremos dizer com isso? Em Romanos 10 Paulo diz “Eles estavam procurando estabelecer a sua própria justiça.” Essa é a questão. Eles não tinham nenhuma imperfeição. Eles poderiam estabelecer sua própria justiça sem uma justiça estranha imputada que está sendo dada a eles por Cristo. Eles não entenderam, Ele diz, que Cristo é o fim da lei para justiça de todo aquele que crê, que é pela fé. Eles tinham uma visão inadequada da justiça de Deus. Eles tinham uma visão inadequada do seu próprio pecado, porque procuravam estabelecer a sua própria justiça. Assim, eles não se sujeitaram à justiça de Deus.

Eu sempre digo desta forma, eles achavam que Deus era menos justo do que ele era, eles eram mais justos do que eram, assim podiam vir a Deus com suas condições. Eles rejeitaram Jesus Cristo porque, mais uma vez, estavam procurando um rei e um governante para livrá-los de seus inimigos, suas circunstâncias e seu sofrimento, e não do seu pecado. Eles eram hipócritas. É por isso que quando Jesus veio, o restante que foi salvo durante Seu ministério eram todos da ralé. Era disso que o acusavam. Ele andava com prostitutas, pecadores e bêbados, pessoas que foram expulsas da sinagoga. E a resposta de Jesus era, “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.”

Esse é o problema. Se você tem uma doutrina inadequada do pecado, então você não entende por que um Salvador morreu. Assim, a razão espiritual, a razão teológica, você poderia dizer que eles rejeitaram a Cristo é porque afirmavam ter justiça própria. Eles tinham uma visão deturpada do pecado e portanto uma visão deturpada de justiça e expiação. Há uma outra razão porque eles não creram. Foi por causa da soberania de Deus. Veja, se eles vão permanecer hipócritas, Ele irá manter suas mãos estendidas o tempo todo ao povo desobediente e obstinado. Mas chegará um momento em que Ele a recolherá.

Ouça João 12. Esta é uma parte poderosa da Escritura. João capítulo 12, é uma passagem longa. Não vou ler tudo isso, mas eu quero que você tenha esta parte que se refere a Isaías 53. João 12, vamos começar no versículo 32, “Jesus diz, ‘E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.’ ” Eles sabem do que Ele está falando. Ele será crucificado, Ele disse isso. Ele falou sobre sua morte. E assim Ele diz, “Tudo bem se eu for levantado, vou atraí-los para mim.” Ele estava dizendo isso para indicar o tipo de morte que teria.” Ele estava lhes dizendo, “Eu vou ser crucificado, eu vou ser levantado na cruz.” Então a multidão diz, versículo 34, “Nós temos ouvido da lei que o Cristo permanece para sempre.”

O que você está falando? Você vai ser o Messias e morrer? Não, não, não, não. O Messias vai permanecer para sempre, Talvez ele será como Enoque, ou como Elias, e nunca morra. Como você pode dizer que o Filho do Homem será levantado? O que é este Filho do Homem? “Jesus disse, ‘Ainda por um pouco a luz está convosco. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos apanhem; e quem anda nas trevas não sabe para onde vai. Enquanto tendes a luz, crede na luz, para que vos torneis filhos da luz.” É melhor crer, Ele diz, é melhor vocês crerem. Eu lhes dei a verdade, é melhor vocês crerem, disse Jesus, e ocultou-se deles.

Uau. versículo 37, “E, embora tivesse feito tantos sinais na sua presença, não creram nele, para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?’ ” E então isto. “por isso, não podiam crer, porque – ” Isaías também disse isso está em Isaías 6:10 – “Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados.” E estas coisas disse Isaías, porque viu a sua glória e falou dEle. Versículo 42 é uma nota de rodapé incrível. “Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele.” Tão convincentes, mas por causa dos fariseus, não O estavam confessando com medo de serem expulsos da sinagoga, porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.”

Então, eles foram condenados por quererem a aprovação humana. Por que eles não creram? De um ponto de vista espiritual, um ponto de vista teológico, eles pensavam que poderiam estabelecer sua própria justiça. De um ponto de vista soberano, Deus encerrou a oportunidade deles soberanamente. Há um outro ponto de vista, de sua incredulidade e é a visão de Isaías 53. E começando no versículo 2 até o versículo 3, eles explicam por que não creram em Jesus. Eles explicam por que. Mas isso tem que ficar para a próxima vez. É tão poderoso; eles explicam porque não creram. Eles olharam para a vida de Jesus e não ficaram impressionados com o início dela, não ficaram impressionados no meio dela e não ficaram impressionados com o fim dela. E o acumulo de todas essas faltas de impressão da realidade em suas mentes foi a razão histórica porque não creram. E veremos isso no próximo domingo.

Senhor, ao chegarmos ao final desse maravilhoso tempo de adoração, nós o fazemos com uma profunda gratidão e ação de graças pela oportunidade que tivemos de olhar para as glórias de nosso Salvador, para as realidades da Escritura Sagrada, e até mesmo além disso, ao vasto e extenso panorama da história que culminará e finalizará como Tu determinastes. Pai, oro para que a glória de Cristo possa ter brilhado nesta hora tanto através da música como através da Palavra, de modo que qualquer um que esteja aqui, que não tenha abraçarado a Jesus Cristo como Senhor e Salvador faça-o agora mesmo.

Oro para que Teu Espírito Santo venha, o Espírito da graça e como um dia no futuro Tu trarás essa graça e iluminação salvadora e regeneração à nação de Israel, possas fazer isso aos pecadores individuais, judeu ou gentio, esta manhã. Abra seus corações para abraçarem a verdade. Refrigera-nos na veracidade da Escritura, no poder das Escrituras, na precisão e infalibilidade das Escrituras na glória de Cristo, nas realidades do evangelho.

Encoraja-nos a sermos fiéis testemunhas, dando testemunho dessas verdades a judeus e gentios, sabendo que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Não há judeu nem grego, mas todos são bem-vindos a Cristo. Que possamos ser a fonte dessa mensagem. Possam nossos pés levarem as boas novas da Palavra de Cristo pela qual a fé salvadora possa ser ativada pelo Teu Santo Espírito.

Ajuda-nos nesses poucos momentos de silêncio, a meditar em como estas verdades podem se prender aos nossos corações de uma nova forma e motivarem nosso amor por Cristo, nosso amor por Ti e nossa fé e nossa confiança em um mundo confuso onde podemos estar completamente em paz porque nos dissestes que estás no comando, e nos destes até mesmo os detalhes pelos quais procurar.

Renova-nos, também, na comunhão uns com os outros, e tornar-nos disponíveis, mesmo nos próximos dias, na próxima semana, a levarmos o evangelho da glória de Cristo para alguns que precisam ouvir. Agora sela essas coisas em nossos corações, oramos. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize