Grace to You Resources
Grace to You - Resource

A verdade divina é a coisa mais importante que existe. Através dela somos salvos, santificados, e nos é dada a esperança da glória. Pela verdade nós entendemos o que Deus requer de nós, e, portanto, nós entendemos o que estamos a obedecer, o que devemos ser. Este é o caminho de bênção em vida e a recompensa na eternidade. Então a verdade importa mais do que qualquer outra coisa. Deus é verdade. Escritura diz: "Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem." Deus não pode mentir. Cristo é A Verdade. O Espírito Santo é o Espírito da Verdade E a Escritura, diz que Jesus é a verdade, em João 17:17.

Estamos aqui para adorar em verdade, como Jesus nos instruiu, a crer na verdade, para falar a verdade, para meditar sobre a verdade, para compreender a verdade, a andar na verdade, para amar a verdade, alegrarmos com a verdade e obedecer à verdade. É tudo sobre a verdade. De fato, poderíamos ser chamados de A Comunidade da Igreja Verdadeira, porque isso é realmente o cerne da questão. A verdade é como as coisas realmente são. Essa é que é a verdade.É a realidade, e Deus é o autor da verdade. Ele determinou que é verdadeiro e Ele é o revelador do que é a verdade.

Agora a Bíblia, é claro, é verdade. Ela contém a verdade sobre o verdadeiro Deus, o verdadeiro Cristo, e o verdadeiro Espírito Santo. Ela contém tudo o que precisamos saber, e é um recurso inesgotável da verdade.

Passei 43 anos, indo até o Novo Testamento lendo versículo por versículo, terminando no evangelho de Marcos. Alguns anos em Marcos. Depois de 10 anos em Lucas, oito anos em Mateus, alguns anos em João, e no resto do Novo Testamento, e o meu único arrependimento é que fui muito rápido. Eu perdi muitas coisas. Há muito mais coisas lá. Eu poderia voltar a isto diversas vezes e nunca me cansaria da verdade que existe ali.

Mas, já que temos apenas 4 dias juntos, porção do dia de hoje e os dias que restam até o dia do Senhor, nós temos que nos focar em alguns aspectos da verdade. Alguns de vocês que estão familiarizados comigo sabem que alguns anos atrás eu escrevi um livro chamado O Evangelho Segundo Jesus. Esta foi uma verdadeira revelação para mim, e eu não quero contar um monte de histórias, porque você pode ler sobre isso. Mas quando eu saí do seminário, eu fui muito bem treinado no seminário para lidar com a Palavra de Deus, grego e hebraico, e teologia e história da igreja e todas essas coisas. Eu sabia como lidar com a Palavra de Deus, e eu achava que sabia quais eram os problemas que iriam acontecer. Eu estava preparado para dar uma defesa apologética da verdade em uma série de batalhas que estavam promovendo na época. Mas o que eu nunca entendi, nunca suspeitei, é que eu teria que gastar uma grande parte do meu ministério tentando tornar o evangelho mais claro para a igreja; não tanto para o mundo, mas para uma igreja muito confusa.

E então eu escrevi O Evangelho Segundo Jesus. Alguns anos depois com O Evangelho Segundo os apóstolos, que responderam a um monte de os argumentos que foram lançadas contra mim quando eu escrevi O Evangelho Segundo Jesus. E então eu avancei para alguns outros livros como A Guerra Pela Verdade, coisas assim para voltar até a verdade do evangelho, e alguns outros livros que abordavam a questão do evangelho. Mas há um outro livro que eu ainda não escrevi, mas eu ainda vou fazer isso. Será o terceiro da trilogia e é O Evangelho Segundo Paulo, O Evangelho Segundo Paulo.E se você folhar seu boletim, você perceberá que será o tema para a essa semana. É para isso que tenho sido designado a fazer no Grace to You. E é um assunto digno porque O Evangelho Segundo Paulo está sob ataque.Você provavelmente já ouviu falar sobre algo chamado "A Nova Perspectiva sobre Paulo?" É uma rejeição do que Paulo escreveu no Novo Testamento e como a igreja tem entendido o que ele escreveu através de toda a sua vida desde que o Evangelho foi claramente recuperado na época da Reforma.

O Evangelho Segundo Paulo está sob ataque. Eu não vou lidar com o erro; não há nenhum sentido nisso. Se eu te entregar a verdade, você pode expor o erro você mesmo. Mas vamos olhar para O Evangelho Segundo Paulo, por isso estamos indo para ficar com ele. Temos muito material para trabalhar. Temos bastante dele no livro de Atos, e então temos 13 ??epístolas que ele escreveu.Assim há muito mais do que nós podemos alcançar no que diz respeito a Paulo.

Ele se refere ao evangelho como o evangelho de Deus. Ele o chama de evangelho do Deus bendito. Ele o chama de o evangelho de Seu Filho, o evangelho de Cristo, o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele o chama de evangelho da Graça. Ele o chama de o evangelho da paz.Ele o chama de o evangelho da nossa salvação, mas ainda mais maravilhoso é que ele chama de "meu evangelho". E então ele estende isso e o chama de "nosso evangelho".Qual era o seu evangelho? Qual é o nosso evangelho? O que é o evangelho da graça, o evangelho da paz, o evangelho da salvação, o evangelho do Senhor Jesus Cristo, o evangelho do Deus bendito?O que é? Precisamos saber o que é, porque é o evangelho que proclamamos.

Em palavras familiares para todos nós, em Romanos, capítulo 1, Paulo diz no versículo 15: "por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho também a vós outros, em Roma. Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego" Isso é cronológico.Assim, o que é isso que ele pregava? O que é isso que ele estava ansioso para pregar? O que é isso que ele se via obrigado a pregar? O que é este evangelho?

Olhando para isso de forma negativa por um momento, você pode abrir sua Bíblia em Gálatas capítulo 1, e esta é apenas uma breve introdução aqui. Gálatas capítulo 1, versículo 6 nos dá um aviso do perigo mortal de se distorcer o evangelho. Gálatas 1 versículo 6, "Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho", um evangelho diferente.

Ele diz: "Admira-me." O verbo grego lá é thaumazo.É usado muitas vezes nos evangelhos de pessoas maravilhadas com os milagres inexplicáveis ??de Jesus. Paul literalmente acha incrível que alguém abandonasse o evangelho, ou fosse atraído para um evangelho diferente. Paulo usa essa palavra thaumazo para duas realidades.Um delas está aqui, e a outra está em 2 Tessalonicenses 1: 7-10, onde ele descreve o retorno de Jesus Cristo, e que maravilhoso e um assombroso será quando Ele vier em chama de fogo tomando vingança sobre aqueles que não obedecem ao evangelho.

Assim, ele mantém esta palavra muito reservada, fazedo uso dela apenas duas vezes. Estou admirado que vocês estejam abandonando tão rapidamente, desertando daquele que vos chamou. Aqui estamos falando de um chamado eficaz, uma chamada interna, uma chamada real, uma chamada para a salvação.Assim, o que nós estamos falando aqui é sobre pessoas que são chamadas eficazmente, ou seja, pessoas convertidas que estão sendo puxadas para longe e seduzidas por um outro evangelho. Eles estão ficando apaixonadas. Eles estão tendo um tipo de prazer mental por um outro evangelho. E então ele diz no versículo 7, que não é realmente outro, porque não há outro evangelho; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. E então este aviso, "ainda que nós" esse pronome no plural que ele gosta de usar quando ele se refere a si mesmo, porque é uma forma mais humilde de referir-se a si mesmo "nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. "Condenado, dedicado à destruição. Usado também em 1 Coríntios 16:22, "Se alguém não ama o Senhor Jesus Cristo, que ele seja condenado."

Portanto, a verdade mais importante de toda a verdade e toda a verdade é importante, todas as questões de verdade, mas a verdade mais importante é o evangelho, o evangelho é mais importante. assim, veremos o evangelho de Paulo, que é o evangelho do Senhor Jesus Cristo e o evangelho do Deus bendito. É o evangelho da paz. É o evangelho da graça. É o evangelho da salvação.

Agora, tentarei desenvolver este assunto durante os dias que estivermos juntos. Hoje vou falar com você sobre a glória do evangelho, o glorioso evangelho. Amanhã pela manhã farei duas sessões sobre o mesmo tema, sobre o evangelho satisfatório. Na primeira hora, vamos falar sobre como o evangelho satisfaz o pecador. Na segunda hora, vamos falar sobre como o evangelho satisfaz a Deus, e então amanhã à noite vamos falar sobre o evangelho da reconciliação. E, em seguida, sábado de manhã, faremos uma sessão dupla, e então, no domingo de manhã, vamos falar sobre o evangelho de humilde, o evangelho humilde. E então domingo à noite, eu acho que nós vamos fazer uma seção de perguntas e respostas, no domingo à noite juntos, e tentar fazer as conexões de todos esses assuntos. Teremos uma ótima oportunidade.

Muito bem, nesta sessão, então, vamos olhar para a glória do evangelho, e só quero que você saiba que eu não estou tentando colocar isso em algum tipo de ordem cronológica. Estes são uma espécie de impulsos que vêm ao meu coração em como penso sobre o evangelho, e eu não posso ficar longe de uma passagem em particular que permanece em minha alma o tempo todo. Eu confesso a vocês que eu realmente não ligo para qual seja o tema, eu pregarei sobre este capítulo de qualquer maneira. Certo? Descobrirei uma maneira de chegar lá, onde quer que você me coloque. Todos os caminhos levam a 2 Coríntios 4. Então abra sua Bíblia em 2 Coríntios capítulo 4.

Passei por 2 Coríntios bem mais tarde em meu ministério de ensino, e estou muito feliz de ter feito isso. Se eu tivesse tentado pregar o livro de 2 Coríntios, quando eu era um jovem pastor, nunca teria sido capaz de compreendê-lo. Você tem que ter sido espancado por décadas até entender o que Paulo está tratando aqui. Você tem que ter anos e anos de experiência no ministério para entender seu coração nesta epístola incrível. E se você quiser capturar o coração e alma do apóstolo Paulo, quero sugerir que você faça o seguinte, compre um comentário em 2 Coríntios, e apenas leia um capítulo a cada dia e você vai conhecer esse homem de dentro para fora, porque ele expõe a você o seu coração neste incrível carta, 2 Coríntios 4.

E, sabe, quando você pensa sobre o evangelho, eu sei que você pensa sobre Gálatas, você pensa sobre Romanos, você pensa sobre Colossenses e a passagem lemos. Você pode estar pensando em outros sermões que Paulo pregou no livro de Atos onde o evangelho é tornado claro. Mas você descobrirá que, nas sessões que temos, vamos estar olhando para as cartas aos Coríntios em diversas ocasiões para encontrar o nosso entendimento do evangelho. Elas são muitas vezes esquecidas, a este respeito.

Segunda Corintios capítulo 4 nos dará uma visão sobre a glória do evangelho. Agora, o tema de 2 Corintios é sofrimento, sofrimento. E este é um ponto de entrada perfeito porque explica muito sobre a glória do evangelho. Se você for para o versículo 4, você verá uma frase no final do versículo 4, "O evangelho da glória de Cristo, o evangelho da glória de Cristo".Esse é o nosso tema aqui nesta sessão de abertura, o evangelho da glória de Cristo. Nós estamos olhando para a glória do evangelho. A glória do evangelho é uma compreensão crítica. Isso quer dizer que supera a tudo em importância.Supera a tudo por natureza.É uma realidade convincente. É de importância incomparável. A glória do evangelho é aquela que faz com que o evangelho transcenda a tudo mais, todas as outras verdades, todas as outras mensagens. E você tem que entender que quando eu digo que 2 Coríntios trata do sofrimento, a questão imediata surge então como Paulo narra sua dor através de toda esta carta.Por que você se expõe a todo esse sofrimento?E a resposta dele é, a glória do evangelho, porque não há nada como ele, nada que se aproxime dele, nada que o toque, nada que supere a sua prioridade, a sua proeminência, a sua importância. É uma mensagem transcendente. É uma mensagem de toda gloriosa que não tem igual. Eu penso que a realidade disto certamente está faltando na igreja evangélica que estou vendo hoje onde o evangelho é arrastado para baixo do tapete e banalizado.

Quando você olha para a vida do apóstolo Paulo, você vê uma vida de sofrimento, certo? Há muitas pessoas hoje que tÊm feito uma manobra para chegar com um evangelho diferente, o que não é realmente um evangelho diferente porque não há outro evangelho; mas eles vêm para cima com uma variação do evangelho que não é evangelho de modo que eles eliminam o sofrimento e tornam o evangelho aceitável, para não ofender ninguém. Paulo não. Todo seu ministério evangélico deixou as pessoas furiosas, irritadas, hostis, brutal, e ele nunca adulterou a mensagem.

Quando ele chegou ao final de sua vida, ao ouvirmos suas palavras de despedida, palavras que nos são familiares em sua segunda carta a Timóteo, ele diz isso, capítulo 4, "Eu estou pronto. Eu já estou sendo derramado como libação. O tempo da minha partida está próximo. " E você se lembrar dessas palavras? "Combati..." o quê? "- O bom combate.Completei a carreira. " Foi uma batalha desde o início até o fim, e você sabe como terminou para ele?Ele colocou sua cabeça em um bloco, um machado brilhou ao sol e cortou a cabeça de seu corpo e ele foi estar com o seu Senhor.Antes disso, ele tinha sido preso várias vezes. Quando ele entrava numa cidade, ele não perguntava como era o hotel.Ele perguntava como era a prisão, porque eles sabiam que era lá onde ele estaria hospedado. "Que tipo de prisão eles tinham nesta cidade?"

E alguém provavelmente chegava junto dele, uma e outra vez, e dizia: "Paulo, olhe, por que você não facilita as coisas? Você realmente não tem que acabar na prisão em cada cidade, ou ter que fugir de cada cidade. Você tem que viver sua vida inteira com pessoas conspirando para matá-lo? Conspiração dos judeus, conspiração dos gentios, conspiração da população, e conspiração da liderança? Realmente não tem que ser dessa maneira. Você pode fazer alguns ajustes. "

Como ele aguentava tudo isso? A resposta é que ele entendia a glória do evangelho. Agora, eu quero que você olhe para o capítulo 4, e eu sei que eu vou bem devagar normalmente e cubro alguns versículos. Lembro-me de quando eu comecei o livro de Romanos. Nosso povo estava animado.Todos vieram, e Romanos começa assim: "Paulo", por isso o meu primeiro sermão foi Paulo.Aí eles pensaram, "Ai minha nossa.Ele vai passar uma palavra de cada vez. iiisssshh! " Então sei que eu muitas vezes fico cavando mais fundo, mas nós vamos cobrir alguns capítulos de modo mais amplo juntos.

Eu quero que você veja como este capítulo está entre colchetes. No versículo 1, ele diz no final do versículo 1, "não desfalecemos.Não desfalecemos. " Vá até o versículo 16. Agora quando você chega no final do capítulo, ele o diz novamente: "Por isso não desanimamos."Isso é realmente importante. Infelizmente essa não é a melhor tradução. É um verbo no grego, egkakeo e kakeo é a raiz da palavra kakos que é mal.É agir mal. É fazer o mal. Paulo diz: "Veja, eu fui muito tentado a fazer o mal, a agir mal por desviar-me da verdade do evangelho para tornar minha vida mais fácil.Eu não fiz isso. Eu não fiz isso. "

Siga a litania, capítulo 1 versículo 3: "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação". Ele está apenas a alguns versículos no início da carta, e já está falando sobre todas as suas aflições. Ele usa a palavra aflição novamente no versículo 4. No versículo 5 ele fala sobre seus sofrimentos, os sofrimentos de Cristo que são dele em abundância. No versículo 6 ele diz: "somos atribulados". Ele diz também no versículo 6, "Nós pacientemente suportamos o sofrimento." O verso 8 diz, "Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio." Quão grave foi isso? "porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida."Ele está literalmente com regularidade à beira da morte.

No versículo 9 ele diz: "já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte." Em outras palavras, tanto quanto eu pude ver, olhando para minha própria mente, avaliando a situação, tudo estava acabado. Os inimigos tinham todo o poder e toda a oportunidade, e nós não tínhamos confiança em nós mesmos. Nós colocamos nossa confiança em Deus, e nossa confiança foi posta em Deus não porque pensamos que Deus iria nos salvar; mas porque sabíamos que Deus nos ressuscitaria dos mortos quando nos matassem. E Deus nos livrou de tão grandes perigos de morte, e nos livrará. Ele ainda nos livrará. Era uma situação horrível atrás da outra.

No capítulo 2, ele fala sobre um outro tipo de tristeza. Ele disse: "Você me dão tristeza, vocês Corintios," essa é uma igreja para deixar qualquer pastor triste. "Porque, se eu vos entristeço, quem me alegrará, senão aquele que está entristecido por mim mesmo? E isto escrevi para que, quando for, não tenha tristeza da parte daqueles que deveriam alegrar-me, confiando em todos vós de que a minha alegria é também a vossa. Porque, no meio de muitos sofrimentos e angústias de coração, vos escrevi, com muitas lágrimas".Em outras palavras, vocês são uma dor para mim, e eu, então sou uma dor para vocês, e a coisa toda é uma experiência triste.Eu não gosto do jeito que vocês me tratam, e vocês não gostam do jeito que eu trato vocês, e isso é uma profunda angústia de coração.

Ele, na verdade, foi lá, para Corinto, depois de sair e alguém na congregação, de acordo com esta carta, levantou-se e resistiu-lhe face a face, acusou-o de frente, condenou-o na cara publicamente, e ninguém veio em sua defesa , e ele saiu da cidade com o coração partido. Igrejas podem fazer isso.

Vamos voltar ao capítulo 4, versículo 8: "Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. " Em outras palavras, a giramos em torno do conceito, da noção de que em qualquer dia podemos morrer por causa de Cristo.

Versículo 11: "somos sempre entregues à morte por causa de Jesus. Versículo 12: "em nós, opera a morte" e veremos um pouco mais sobre isso mais tarde.Era assim que ele vivia. Capítulo 6, versículo 4, "como ministros de Deus: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns." Era assim que era.O versículo 8 traz algum contraste "por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama, como enganadores e sendo verdadeiros. como desconhecidos e, entretanto, bem conhecidos; como se estivéssemos morrendo e, contudo, eis que vivemos; como castigados, porém não mortos. entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos. "Essa é a sua vida.

No capítulo 10, ele fala sobre a forma como ele foi tratado. No versículo 10 seus críticos diziam "As cartas, com efeito, dizem, são graves e fortes; mas a presença pessoal dele é fraca, e a palavra, desprezível. " Você sabe o que isso significa? Ele é feio e ele não consegue se comunicar. Agora veja, se você é bonito, não importa se você pode se comunicar, basta apenas estar lá e todo mundo fica feliz; ou se você é feio e você pode se comunicar, eles vão ouvir você. Mas se você é feio e não pode se comunicar, você não tem chance. Por isso, foi um ataque ad hominem.Eles apenas o criticavam. Sua presença é inexpressiva. Sua fala é desprezível.

Agora você conhece o capítulo onze, não é? Capítulo 11, versículo 6, "Eles dizem que eu sou rude na maneira de falar." E então realmente uma parte bem conhecida, o versículo 23 diz: "Somos ministros de Cristo?" como esses falsos apóstolos que ele está se referindo. "Aqui estão minhas credenciais."Aqui está como ele mostra a validade do seu apostolado. Aqui está. Não pelos muitos convertidos, pelos muitos livros que escreveu, pelos muitos lugares que falou, não.Aqui estão suas credenciais. Se vocês acham que não represento a Cristo em um mundo hostil, então, explicar isso, muito mais trabalho, muito mais prisões; açoites incontáveis, muitas vezes em perigo de morte, cinco vezes recebi dos judeus 39 chicotadas.Três vezes fui açoitado com varas.Os romanos fizeram isso. Uma vez fui apedrejado. Três vezes sofri naufrágio. Uma noite e um dia passei na voragem do mar. Eu estive em viagens frequentes e perigos de rios, ladrões, compatriotas, gentios, na cidade, no deserto, no mar, entre falsos irmãos. Estive em trabalhos e fadigas, dificuldades através de muitas noites sem dormir, fome, sede, muitas vezes sem comida, frio e nudez, e além disso, pior do que isso, é a pressão diária de preocupação com as igrejas.

Ele não está falando sobre a administração. Eu ouvi um cara pregar sobre isso e dizendo, "Sim, ele estava sobrecarregado pela administração." O quê? Ele não está falando de administração. Ele explica do que ele está falando no versículo 29. "Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça?" Você sabe o que isso diz? Ele era um pastor que se um crente estava fraco, ele sentia a dor de fraqueza daquele crente. Ele também diz: "Quem é levado ao pecado sem a minha intensa preocupação?" Seu coração estava quebrado pelos pecados de seu próprio rebanho. Esta é uma grande carga para um homem só carregar.

Agora, com tudo isso em mente, você volta para o capítulo 4 e, claro, a questão que queremos dirigir a nossa atenção é: "O que você está fazendo que fomenta todo este problema?" Você tem problemas com os incrédulos por causa do que você fala para eles, e você tem problemas com a igreja por causa do que você fala para ela. Auto lá.

Encontrei-me com um líder de uma das maiores congregações mega-igreja na América que vocês todos conhecem, mega, mega igreja, e sentei em seu pequeno gabinete, um grande escritório na verdade, e ele disse, "MacArthur, eu só tenho uma palavra para você. " Eu disse: "Ótimo, e qual é?"Ele disse: "Desencana"."O quê? Desencana? ""É isso aí, vamos lá, facilite as coisas.Pega leve. "

Sabe, se você me perguntasse quem é meu herói no ministério, aqui está ele, Paulo. Ele está no meu ombro o tempo todo. Eu não acho que aquilo teria pegado bem com ele."Ei, Paulo, vamos lá, desencana. Vamos lá. Desencana com incrédulo. desencana com a igreja. Vamos lá, Vamos lá. " Não, por quê? Porque ele entendia que você não pode equivocar-se sobre a verdade divina.Você não pode ajustá-la.marginalizar-lo.Você não pode marnalizá-la. Você não pode adulterá-la.Você pode aceitá-la ou rejeitá-la, mas não pode fazer qualquer coisa com ela.E a razão de ele ter ido ao extremo com o ele fez e viver uma vida inteira de dor e sofrimento, e acabar sendo um mártir foi porque ele entendia a glória do evangelho.

Com isso em mente, voltemos para o capítulo 4, e vamos apenas ver onde podemos chegar aqui. Eu nem sequer sei o que eu vou dizer, estou meio que curioso comigo mesmo. Então, é assim que ele via a sua vida à luz da glória do evangelho. Vou lhe dar vários pontos. Alguma coisa em torno de 4 a dez. Certo? Vamos apenas assimilar o que conseguirmos.

Primeiramente, ele entendia a superioridade da Nova Aliança. Ele entendia a superioridade da Nova Aliança. Parte da glória do evangelho era essa, é claro, que era a Nova Aliança, tão esperada. Você entende o que Paulo quer dizer no versículo 1, quando ele diz: "Portanto, uma vez que temos este ministério"? Que ministério? O que você está falando? O que é este "portanto" que está ali? O "portanto", está lá para dizer-lhe que esta é uma afirmação de transição que resulta do que acaba de ser dito, certo? Portanto, uma vez que recebemos este ministério. De que ministério você está falando? Volte para o versículo 8, do capítulo 3.Você tem o ministério do Espírito. Como é que o ministério do Espírito não conseguirá ser ainda mais glorioso? Se o ministério da condenação fosse a lei, certo?A lei tinha uma glória, não é? Sabia que a lei tinha uma glória?Ele mostra isso no capítulo 3, porque quando Moisés recebeu a lei, a glória de Deus estava por todo o seu rosto. A lei tinha uma glória porque a lei era um reflexo direto da natureza de Deus. Ela tinha uma glória.Versículo 9: "em muito maior proporção será glorioso o ministério da justiça."

Paulo está dizendo: "Olha, as pessoas deram a sua vida pela lei. A lei tinha uma glória, mas a Nova Aliança, o Novo Testamento, o ministério do Espírito, e se você voltar lá para o versículo 6, fala sobre o ministério não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, o espírito vivifica.O ministério do Espírito, ou o ministério da justiça que é Nova Aliança da salvação tem uma glória abundante. Se tivéssemos tempo para estudar o capítulo 3, você veria comparações lá. Ele compara a Antiga Aliança com a Nova. A Nova Aliança dá a vida, ele diz no versículo 6. Nos versículos 7 a 9, a Nova Aliança dá justiça. Nos versículos 7, 10 e 11, a Nova Aliança é permanente. No versículo 12, a Nova Aliança traz esperança. Nos versículos 13 e 14, a Nova Aliança é clara. Nos versículos 16 a 18, a Nova Aliança é centrada em Cristo, e nos versículos 17 e 18 a Nova Aliança é fortalecida pelo Espírito.

Recebemos este ministério, este ministério que fornece vida e justiça, este ministério permanente, para nunca mais ser substituído como a Antiga Aliança foi, que traz uma esperança duradoura que seja clara, centrada em Cristo, energizada pelo Espírito. Esta é a maravilha e a glória da Nova Aliança.

Você sabe como Paulo viveu a sua vida antes da experiência na estrada de Damasco? O que ele fez em termos de seu compromisso de vida? Ele perseguia os cristãos, não foi? Do ponto de vista vantajoso pelo fato de ele ser um legalista exigente, ser um judeu dos judeus, um kosher da gema. Ele era um fariseu. Ele era zeloso da lei. E no que diz respeito à Lei, externamente ele era inculpável. Tudo isso está em Filipenses 3, não é? E ele considerava isso como ganho até que ele conheceu Cristo e percebeu que era estrume.

Quão importante você acha foi quando ele descobriu a realidade da Nova Aliança? Você acha que foi um avanço?Essa foi uma libertação incrível de uma esperança legalista. Você sabe o que Paulo é? Aqui está um convertido raro. Você sabe quantos fariseus, fariseus nomeados vieram a Cristo no Novo Testamento? É, você não consegue lembrar, tão ligados estão no legalismo. Somente uns poucos. Este foi um amanhecer glorioso sobre o apóstolo Paulo. Ele é o irmão mais velho raro na história do pródigo, o irmão mais velho raro que se arrepende de sua hipocrisia, se arrepende e reconhece seu pecado.

As pessoas vêem o pecado em seus pecados. Elas não vêem pecado em sua religião.Este foi o amanhecer do dia glorioso, dia incrível. E uma vez que a glória da Nova Aliança raiou sobre aquela Velha Aliança farisaica, ele nunca mais foi o mesmo. E porque recebemos este ministério, nós não pecamos gravemente por interferir com a mensagem.

Se você realmente sempre compreendesse a glória do evangelho da salvação, você nunca mexeria com ele. Você o vê em toda a sua majestade, e toda a sua beleza, e toda a sua plenitude. Não precisamos dar às pessoas algo incompleto, algo minimalista, alguma compreensão truncada do evangelho.É preciso que lhes seja dada a compreensão plena da glória do evangelho.

Assim Paulo, em primeiro lugar, suportou tudo o que ele suportou porque ele viu a glória do evangelho e a viu a partir de um ponto de vista pessoal. Filipenses 3, ele foi procurando estabelecer a sua própria justiça, e então ele percebeu que tudo era nada, e ele encontrou a justiça de Deus em Cristo. Quando você foi verdadeiramente regenerado, você entendeu que esta é a mensagem que deve ser pregado a qualquer preço.

Em segundo lugar, ele também abraçou ministério como uma misericórdia. Ele abraçou ministério como uma misericórdia. Pode ser um conceito interessante, mas veja o versículo 1. "Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita." Há algumas pessoas que pensam que ganharam o direito de pregar o evangelho. Eles ganharam o direito de representar o evangelho. Que ganharam o direito de proclamar o evangelho. Deixe-me lhe contar algo. Eu não sou digno. Você não é digno.Nenhum de nós é digno de proclamar este evangelho.É por misericórdia que somos autorizados a fazer isto.Ouça as palavras do apóstolo Paulo em 1 Timóteo capítulo 1. "Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor", versículo 12, 1 Timóteo 1:12, "que me considerou fiel, designando-me para o ministério, a mim, que, noutro tempo, era blasfemo, e perseguidor, e insolente. Mas obtive misericórdia. "

Você sabe por que estou no ministério? Porque Deus é misericordioso. Eu não tenho o direito de fazer isso.Eu não ganhei isto. "Bem, você foi para o seminário."Isso não adiantaria. "Ah, você tem o dom da comunicação."Isso não adiantaria. O verdadeiro fato de que eu posso ficar aqui e abrir a Palavra de Deus e proclamar o evangelho da glória de Cristo é por misericórdia a um pecador indigno, e a elevação disto é tão impressionante. O privilégio é tão avassalador.

Aqui estão as boas novas. Não foram as minhas forças que ganharam esse direito, e não é minha fraqueza que me tira esse direito. É a misericórdia. Eu não mereço isso. Deus me concede isto como uma misericórdia. E, apesar dos meus fracassos e minha fraqueza, Ele continua a me dar essa misericórdia. E porque entendo o ministério como uma misericórdia, eu não tenho grandes expectativas pelo que eu sou capaz de realizar.Você conseguiu pegar esse pensamento?

Eu ouço sobre pastores que têm bournout, ou síndrome de esgotamento profissional. Do que você está falando, burnout?O que você quer dizer? Burnout não tem nada a ver com trabalho duro. Eu nunca vi um encanador com síndrome de burnout.Eu nunca vi um escavador com síndrome de burnout. Não é questão de esforço.Burnout é uma coisa que acontece com as pessoas que não têm suas expectativas atendidas. "Eu mereço algo melhor do que isto. Você não pode fazer isso comigo.As coisas não estão dando certo. Eu não devia ser tratado dessa maneira. "

Veja, você nem mesmo quer ser tratado da maneira que deve ser tratado. Deus mesmo não o trata da maneira que você deve ser tratado. As pessoas ficam de burnout no ministério. Ficam deformadas. Eles ficam cansados ??de fazer o bem, porque eles têm expectativas irreais sobre o que pensam que eles merecem, porque eles são qualificados, porque eles estão preparados, porque eles trabalham duro.

A verdade é que a cada dia da minha vida e sua vida que o Senhor nos dá a oportunidade de anunciar o seu Evangelho, não é nada senão a misericórdia. É a misericórdia, e nuca irei superar a misericórdia disto.Veja, quando eu estava no colegial, eu não sabia o que iria ser. Meu pai era um pregador.Meu avô era um pregador, e duas gerações antes deles foram pregadores.Era só uma questão de descer um pouco mais nessa linha e deduzir o que eu seria, mas isso não me causava nenhuma pressão. Eu pensava que queria ser um atleta profissional.Eu ficava cheio de si, você sabe, quando eu tinha uma bola na mão. E, você sabe, as pessoas me aplaudiam e gostavam de mim, e tinha uma certa popularidade.

Acho que eu poderia ter ido por diferentes caminhos, mas Deus tinha isso para mim, e nunca deixou de insistir comigo.Nunca deixou de me envolver.Quanta misericórdia que eu seja capaz de fazer isso. Eu subo aqui todos os domingos, já por cinco décadas. Existe um privilégio maior do que esse? Existe uma honra maior do que esta para um servo indigno?

Paulo nunca superou isso, nunca superou a glória do evangelho e você verá isso a medida em que essa passagem se desenrola.Assim em vez de tomar mais tempo aqui, eu poderia dizer muito mais sobre isso.Isso é o de que o pastor sempre diz quando ele fica sem material. Irmãos, poderíamos ir mais adiante e você sabe que ele não tem um pensamento ou uma nota, então.

Muito bem, número três, como eu sei isso? (risos) Número três, a glória do evangelho, a glória do evangelho surgiu em seu entendimento da superioridade da Nova Aliança. Ele surgiu da sua compreensão do ministério como misericórdia. E em terceiro lugar, ele surgiu em seu entendimento da necessidade de um coração puro, a necessidade de um coração puro.

Embora seja uma misericórdia, que não dá espaço para o pecado. Eu amo o que ele diz no versículo 2: "rejeitamos as coisas que, por vergonhosas, se ocultam." Eu não tenho uma vida secreta. Eu não tenho uma vida secreta. Você não odeia quando se constata que um pastor tem uma vida secreta? Isso é horrível, não é, uma vida oculta de vergonha, e de repente ele é um escândalo e ele está nos notíciários ou nos jornais. Paulo diz: "Eu não tenho isso. Eu não tenho uma vida oculta. Eu não ando entre dois mundos. "

E como você se defender quando alguém o acusa disso? Porque isso é o que estavam fazendo, eles o estavam acusando de ter uma vida secreta. Na verdade, você lê entre as linhas de 2 Coríntios, que eles estavam dizendo que ele estava no ministério pelo dinheiro, e eu fui acusado disso, e ele estava no ministério pelos favores de mulheres.E ele diz: "Eu não tenho uma vida secreta. Eu renuncio a isso. Sua defesa está no primeiro capítulo, versículo 12. Ele diz: "Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência." Percebeu isso? Você pode me acusar o quanto quiser. Minha consciência não está me acusando.

É aí que se ganha ou se perde a batalha, certo? Tiago 1 diz, que o pecado se concebe no interior e, finalmente, mostra-se no exterior."Paulo diz: "Tragam as suas acusações, o testemunho de minha consciência é que em santidade e sinceridade de Deus, não em sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos nos conduzido no mundo e especialmente para com vocês. Eu não tenho mais nada a dizer para você do que me acusam", e havia falsos mestres em Corinto vindos logo depois de Paulo com uma violenta campanha para destruir sua credibilidade neste exato momento. É por isso que ele escreve essa carta, e diz: "Minha consciência está limpa."

Ele diz isso diversas vezes. Ele diz isso no final de sua vida nas epístolas pastorais, que sua consciência está limpa, sua consciência está limpa. Ele estava lidando com o pecado em sua vida. Ele o estava confessando. Ele estava dando as costas para ele. Como ele disse aos Coríntios, no capítulo 7, "Vamos limpar-nos de toda a imundícia da carne, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus." A glória do evangelho para Paulo mostrou-se na integridade de sua vida. Como você pode possivelmente afirmar a glória do evangelho, o maravilhoso privilégio da misericórdia de pregar esse evangelho e depois viver como um hipócrita? Se você entende a glória do evangelho, se você entende a misericórdia que é lhe ser dado o privilégio de dispensar esse evangelho, então você é compelido à pureza a qual Paulo proclama ser verdade em seu próprio coração.

Quando ele deu testemunho em Atos 23 e 24, ele disse novamente duas vezes, "Eu tenho a consciência limpa. Eu tenho a consciência limpa. " Quando você realmente crê na glória do evangelho, você quer ter certeza de que sua vida é pura, porque você quer ser um vaso para honra. Qual a próxima linha? Estar apto para o uso do Mestre.

Há um quarto ponto aqui. Quando você compreende a glória do evangelho, volte ao capítulo 4 - quando você entende a glória do evangelho, portanto, você está comprometido em pregar a Escritura com precisão, pregar a Escritura com precisão. Eu assisto, emtre aspas, a TV cristã e Patricia invariavelmente vai dizer: "Por que você está assistindo isso de novo?" (risos) E eu nem sempre tenho uma boa resposta. (risos)Vou apenas dizer-lhe isto. Estou indignado sobre as pessoas que fazem o que diz aqui, adulterando a Palavra de Deus. E talvez eu precise aumentar minha ira santa.Eu não sei. Eu prometo a vocês, enquanto algumas pessoas estão enviando dinheiro para essas pessoas, eu estarei orando os Salmos imprecatórios sobre as suas cabeças, e fico me perguntando como Deus pode deixá-los ir.Você sabe, as pessoas que adulteram a Escritura me cortou mais profundamente do que qualquer coisa, porque esta é a minha vida, e isso é a vida, e isto é verdade, e você não pode se dar ao luxo de brincar com isso.

Volte para o versículo 17 do capítulo 2. Você tem uma lição ali sobre por que as pessoas fazem isso. "Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus."Vigaristas, vendedores ambulantes, charlatões, fraudes; havia muitos deles nas praças do mundo antigo. Eles diluiam o vinho com água. O sabão era impuro. A cerâmica que vendiam tinha rachaduras que estava cobertas por cera.Que se derretiam assim que você as colocasse no fogo. Eles não eram sinceros. Eles eram kapelos.Essa é a palavra para o tráfico, kapelos, trapaceiros, falsificadores, fraudadores. Aqui no capítulo 4, Paulo diz que ele não está andando com astúcia, panourgia.Panourgia significa - ourgia vem de energia para o trabalho, pan significa tudo que fará qualquer coisa para enganar.Adulterando a Palavra de Deus significa adulteração, e é particularmente uma palavra que é usada com a diluição do vinho, corrompendo a manifestação da verdade.

Veja, se você crê na glória do evangelho, você não o altera. Você não o adultera. Pessoas que podem estar na televisão e torcem e pervertem o evangelho para tirar dinheiro dos bolsos de pessoas doentes, idosos, pessoas morrendo, pessoas à procura de um milagre como um bilhete de loteria premiado, não entendem a glória do evangelho. Então ele diz: "nem adulterando a palavra de Deus; antes, nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade".

Você sabe de algo? A verdade tem o poder da auto-evidencia. Realmente tem. A verdade tem o poder auto-evidencia, assim que, mesmo quando ela é rejeitada, ela recomenda a si mesma à consciência do que a rejeita. Ele luta contra isso.

Alguns anos atrás eu estava gastando muito tempo com Larry King, e alguns de vocês provavelmente sabem disso. Eu realmente gosto dele, me preocupo com ele. Tivemos alguns grandes conversas, conversas particular. Ele ouviu a verdade, e eu acho que nunca houve um momento em que ele tenha debatido comigo sobre isso, nunca, simplesmente porque havia um caráter sendo recomendado até ao que rejeitava.

Em certo sentido, eu acho que o mundo incrédulo que assiste a esses hipócritas na televisão sabe que eles são trapaceiros melhor do que as pessoas da igreja. Se você entende a glória do evangelho, você não tem interesse em adulterar a verdade.Você quer viver uma vida pura. Você compreende o imenso privilégio da misericórdia do ministério, porque você celebra a grandeza deste evangelho da Nova Aliança.

Algumas pessoas dizem: "Sabe, nós temos que meio que mudar a mensagem porque não estamos obtendo resultados. Você sabe, temos que lidar com essa mensagem, porque não é muito eficaz. " Verdade? Bem, o próximo ponto que eu quero mencionar a vocês é este. Se você realmente compreende a glória do evangelho, você sabe que os resultados dependem de Deus. Certo? Os resultados dependem de Deus. Você lembra da parábola do semeador?O que diz sobre o semeador? Nada, absolutamente nada. Não diz se ele usa a mão esquerda, a mão direita, lance alto, baixo, em curva.Não diz nada sobre o semeador. O que ele diz sobre a bolsa que ele carregava as sementes? Nada, não diz nada sobre isso. O que ele diz sobre o método que ele usou para lançá-la? Nada, absolutamente nada. É uma parábola sobre o solo.N]ao diz sequer nada sobre a semente senão que é a verdade, o evangelho.Não se trata de sua técnica em lançar a sementes. É sobre o estado do solo.Eu não faço o solo funcionar. Isso é obra do Espírito Santo.

Eu amo essa passagem em Marcos, a parábola onde Jesus diz que o semeador semeia a semente e vai dormir porque ele não tem idéia de como ele cresce. Tudo bem. Aí você diz: "Não estamos atrás de resultados." Mesmo, você acha que você está no comando dos resultados? Ouvi dizer que há algumas discussões do tipo, "Nós temos que superar a resistência do consumidor." Muita sorte. A resistência do consumidor é chamada de depravação. A resistência do consumidor significa que o pecador é incapaz e relutante, deixado por conta própria.

Veja o versículo 3, isso é tão razoável. Toda essa apresentação de Paulo faz muito sentido.Simplesmente flui da maneira que você pensa. Alguns de vocês já estão dizendo: "Bem, é desanimador.Paulo, veja, você está indo de cidade em cidade.As igrejas são pequenas. As igrejas estão cheias de problemas.A cidade rejeita você. Os líderes rejeitam você. A população rejeita você. Eles querem matar você. Os judeus estão atrás de você. Você não está realmente tendo muito sucesso.

Aqui está a resposta. "Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto". Essa é a categoria das pessoas.Essa é a posição padrão de toda a raça humana. Eu não sou o problema. Bem como eles conseguiram assim? Versículo 4: "nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." O problema não é a sua técnica, o problema é o coração. Você tem todas essas pessoas chegando com formas pragmáticas para fazer evangelismo eficaz. Mesmo, é? Para superar a resistência do consumidor para tornar a mensagem mais palatável.Vamos falar mais sobre isso em algumas outras porções da Escritura.

Você se coloca na posição de - Eu escrevi um livro Escravo, alguns de vocês viram o livro Escravo?Imagine tentar vender essa mensagem em um mundo cheio de escravos. Aliás, um judeu crucificado em Jerusalém, que foi rejeitado pelo seu povo, rejeitado por Seu líderes, que foi executado como um criminoso comum pelos romanos ressuscitou dentre os mortos. Ele é o Deus vivo e verdadeiro, o único Salvador e Ele quer que você seja seu escravo.É mesmo? E pelo jeito, você tem que rejeitar todos os outros mestres, confessar seu pecado, arrepender-se e voltar-se para Ele como a única fonte de salvação.

Quem é este de novo? Um judeu crucificado? É isto o que Paulo está pregando no mundo gentio. E você precisa não só para colocar a sua fé nEle, mas você precisa confessar-Lo como Senhor e tornar-se Seu escravo. Isso é difícil de vender. Você não pode superar a resistência do consumidor em um mundo gentio pagão quando você está falando sobre um judeu crucificado aos gentios, que não têm nenhum fundo do Antigo Testamento, que não têm compreensão do sistema sacrificial, e você está pedindo a eles para crerem que este judeu crucificado é o Deus encarnado, o único Salvador, o único Deus vivo e verdadeiro, a única esperança de salvação e que deveriam se tornar Seu escravo. Isso não vai decolar, humanamente falando. Por isso é que diz em 1 Coríntios 1, como veremos mais tarde, pregar a cruz era, o que?Loucura, loucura.

Os resultados dependem de Deus. Essa tem sido a alegria do ministério. Eu estou no comando da sementeira. Não estou no comando do crescimento. Eu não posso dar a vida. Só Deus dá a vida. E eu amo isso, preste atenção a isto, versículo 5: "Porque não nos pregamos a nós mesmos."Alguns métodos que temos inventado, algumas histórias pessoais sobre nós. "Mas a Cristo Jesus como Senhor," e nós estamos chamando todos para se tornarem escravos por amor de Jesus.

Você diz: "Bem, como você espera ter qualquer resultado com uma mensagem como essa?" Aqui está a resposta, versículo 6, "Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo". Isso não é o versículo mais profundo? Uhu! Você sabe o que ele está dizendo? Ele está dizendo criação.Deus disse: "Haja luz", e Ele trouxe à existência. Esse é o modelo para a salvação. Deus entra na escuridão do coração do pecador e acende a luz do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.

Isso é o que torna tão emocionante o ministério. Se você focar tudo em resultados, você vai concentrar toda a pregação em você mesmo, em sua técnica e em seu estilo.Você vai ser pego em seu guarda-roupa, em seu truque, em sua música, em suas adaptações culturais. Bem, se você entende a glória do evangelho, você também compreende a sua insignificância pessoal. Então, o que temos dito até aqui? Se você entende a glória do evangelho, apenas para revermos, você entende a superioridade da Nova Aliança, a misericórdia do ministério, a necessidade de um coração puro, o fato de que a Escritura é para ser pregada com precisão, que os resultados espirituais depende unicamente de Deus, e que você é pessoalmente insignificante, insignificante.

Tenho voltado a este sétimo versículo tantas vezes ao longo dos anos. Temos este tesouro. Que tesouro? O tesouro do evangelho em vasos de barro. Vaso de barro é uma pote de barro, pote de barro. Muito bem, fique comigo nisso. Vaso de barro. Para que você usa um vaso de barro em casa?Para colocar terra nele, e fincar uma planta. Nos tempos antigos, um vaso de barro era quebrável, feio, descartável. Mas talvez a melhor visão sobre para que os vasos de barro eram usados ??esteja em 2 Timóteo capítulo 2, versículo 20: "Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata."Ah, certo, vasos de ouro e prata, o que você faz com eles?Você serve a comida. Pratos e tigelas de ouro e prata, e "também de madeira e de barro. Os de ouro e prata são para honra e os de madeira e de barro são para desonra. " Você está pronto para isto? Você serve a comida no ouro e na prata. Você joga o lixo fora no de madeira e de barro, vasos de barro, balde de lixo, balde de lixo.Joga fora o lixo da família. Sabe, isso é o que eles disseram sobre Lutero; ele foi um balde de lixo.

Então, volte para este versículo. Temos este tesouro em baldes de lixo. Esse é um sentimento de humildade pessoal, não é? Insignificância pessoal. Apenas um pote de barro. Em 1 Coríntios, Paulo fala desta forma, em alguns - para algumas pessoas, alguns tipos de palavras preocupantes que parecem minimizar o senso de auto-importância que alguns ministros têm.Ouça o que ele diz. Versículo 13 de 1 Coríntios 4: "temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos." Esses termos referem-se ao alimento que adere à parte inferior do vaso depois de ser arrefecido e endurecido e tem de ser raspado. Paulo diz, em certo sentido somos apenas escória.Somos apenas a última raspa na parte inferior do vaso. Somos vasos de barro.Você sabe, você tem que ser muito importante quando você compreende a glória do evangelho não para competir com o evangelho em si mesmo, auto-exaltação.É uma coisa tão desagradável.

Bem, por causa do nosso tempo, apenas um pouco mais. Paulo abraçou os benefícios do sofrimento. Então, se você entende a glória do evangelho, este é um outro ponto, você entende os benefícios do sofrimento, os benefícios do sofrimento. Se você quer ser mais eficaz, você sofre mais.Tiago diz: "tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações", porque eles têm uma obra perfeita, certo? Você nunca entenderá o ministério e sua eficácia a menos que você sofra. E rapidamente, versículos 8 a 12, nós já lemos que, "Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo". O versículo 11, a mesma coisa ", entregues à morte por causa de Jesus." Versículo 12: "De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a vida." A chave está bem aqui. A morte opera em nós, mas a vida em vocês. Quanto maior o sacrifício de sua própria vida, quanto mais você sofre, mais forte você se torna.

Abra no capítulo 12 de 2 Coríntios, porque não podemos deixar isso de lado. Capítulo 12 versículo 7: "para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações." Paulo tinha essas grandes revelações. Sabe, ele teve audiências pessoais com Cristo, após sua ascensão, na estrada de Damasco e várias outras vezes também, e ele poderia ter se tornado muito orgulho disso. Então, para evitar que ele se exaltasse - e ele tinha acabado de falar sobre sua viagem para o céu, certo? E ele viu coisas que ele não podia nem sequer mencionar. Assim, ele poderia ter usado essas coisas como motivo para seu próprio orgulho. Mas, para impedi-lo de exaltar-se a si mesmo, "foi me posto", diz ele, "um espinho na carne".A palavra "espinho" é na verdade uma esfera, uma lança, literalmente atravessada em sua, de outra forma, carne orgulhosa. Esta lança é descrita como um mensageiro de Satanás, um aggelos de Satanás.O que é um aggelos de Satanás? Um demônio. Esse demônio estava atacando Paulo diretamente? A melhor explicação para isso é que este seria o demônio líder dos falsos mestres que estavam detonando a igreja de Corinto, que ele amava, e, consequentemente, uma estaca através de seu próprio coração por causa de seu amor por aquela igreja. Aqui estão falsos mestres liderados pelo poder demoníaco causando danos na igreja em Corinto, e o atormentando.E o Senhor vai deixar que isso aconteça para impedi-lo de exaltar-se a si mesmo.

O Senhor vai lhe dar problemas suficientes como pastor para evitá-lo de exaltar-se a si mesmo, mesmo que Ele tenha de usar demônios para criar o problema. Ele disse que por três vezes "pedi ao Senhor que os afastasse de mim."Ele disse: "A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa" no quê? "na fraqueza."Quanto mais você se exalta, mais você força o Senhor a humilhá-lo. Se você entende a glória do evangelho, você entende os benefícios do sofrimento. O sofrimento torna-o mais eficaz como um instrumento, porque lhe concede poder aperfeiçoado na fraqueza. Paulo entendeu a mensagem. "De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte. " Quanto mais você se exalta, mais você se torna inútil.

Apenas dois pensamentos para terminar. Para compreender a glória do evangelho é preciso entender todas essas coisas.Eu não vou passar por elas novamente, apenas duas outras coisas a considerar. É entender a necessidade de convicção. Entender a glória do evangelho, e este tipo de resumo de tudo o que dissemos, é entender a necessidade de convicção. Mais uma vez, esta é uma passagem que eu volto muitas vezes.Versículo 13: "Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito", e ele está citando o Salmo 116: "Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos. "

Por muitos anos as pessoas têm me dito: "Bem, você simplesmente não se contém, não é?" Não. Um sujeito me apresentou em uma convenção de vendedores de livros como "John MacArthur é muito mais agradável pessoalmente do que quando está pregando."E, você sabe, num sentido até que eu entendo isso. Eu não estou tentando comprar briga com todo mundo. Eu só estou tentando proclamar a verdade e eu entendo que a verdade cria seus próprios inimigos, mas isso é sobre a necessidade de convicção. Isto é o que é integridade. Você não pode pregar alguma coisa e depois não se importar se ele é aplicado. Você não pode dizer: "Bem, eu creio nisso, mas eu não vou dizer isso porque as pessoas vão ficar ofendidas." Se é verdade, você tem um mandato para proclamá-la. Eu cri, assim falei. O que quer que você ouça eu dizer é o que eu creio.

As pessoas dizem: "Por que você é tão apaixonado por tudo?" Porque quando chego à convicção de que isto é o que a Palavra de Deus quer dizer com o que diz, eu ficar animado sobre isso porque é a verdade. Eu cri, assim falei. Isto é masculinidade espiritual. Isto é estar agindo como um homem. Isto é masculinidade, falar com convicção.

Então, o que aprendemos hoje? E nós vimos apenas brevemente, mas aprendemos que, se você entender como Paulo entendeu a glória da Nova Aliança, tem todos os tipos de implicações em sua vida. Você nunca vai superar a glória superior da Nova Aliança, você sempre vai entender o privilégio do ministério como uma misericórdia que você não merece. Você vai se comprometer com um coração puro, porque você não quer fazer nada que possa torná-lo menos útil na proclamação deste glorioso evangelho. Você será responsável por interpretar corretamente as Escrituras, e nunca adulterar-la. Você sabe que os resultados dependem unicamente Deus, que recebe a glória através do evangelho. Estas são coisas são tão fundamentais.Você vê a si mesmo como um vaso de barro, pessoalmente insignificante.Você abraça os benefícios do sofrimento, que trazem força divina na fraqueza humana. Você entende que este é um evangelho digno de convicção, digno de uma vida de integridade no qual você crê, e esse é exatamente o jeito que você o proclama.

E, finalmente, ao terminar, quando você entende a glória do evangelho, você coloca a recompensa futura acima das dificuldades do presente. Nos versículos 13, 14 e 15, ele disse: "Eu cri, por isso falei. E se vou morrer ", versículo 14,"sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco. Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça, multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus."E com esse ponto de vista dos céus, como que introduzido no final do versículo 15, ele chega ao versículo 16 e nós estamos movendo rapidamente através disso, "Por isso, não desanimamos", que é o que ele disse no versículo 1, " porque estimamos o eterno acima do temporal, o futuro acima do presente. mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas"

Eu não estou em busca de reputação nesta vida. Não estou em busca do sucesso nesta vida.Estou muito mais preocupado com um peso eterno de glória, acerca da fidelidade que será recompensada no futuro por um Deus fiel. Não me importo com a momentânea aflição, e eu não tenho tido muitas em comparação com tantos.Eu não estou olhando para as coisas que são visíveis, e não quero que minha vida seja explicada humanamente.Quero que minha vida seja explicada apenas divinamente. Assim, Paulo compreendeu a glória do evangelho.

Agora, pela manhã, vamos olhar para o que tornou esta Nova Aliança tão gloriosa como falamos sobre a realidade satisfatória do evangelho.

Nosso Pai, nós Te agradecemos por Tua profunda bondade para conosco em nos conceder a Sagrada Escritura. Obrigado por ela possuir a aliança da verdade, e não importa quantas vezes nós a lermos, ela sempre vem a nós fresca e viva. Obrigado que ela ser inatacável, por ser a vida. Obrigado por ela ser perspicaz, ser clara, entendemos isso. Ela enche nossas mentes com a verdade e aquece nossos corações com zelo e paixão, e move nossos pés em obediência. Ser honrado e glorificado nos dias que passamos juntos enquanto consideramos Tua Palavra. Realize Teu bom propósito na vida de cada um, oramos em nome de Cristo. Amém.

FIM

This sermon series includes the following messages:

Please contact the publisher to obtain copies of this resource.

Publisher Information
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time

Welcome!

Enter your email address and we will send you instructions on how to reset your password.

Back to Log In

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize
View Wishlist

Cart

Cart is empty.

Donation:
Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Back to Cart

Checkout as:

Not ? Log out

Log in to speed up the checkout process.

Grace to You
Unleashing God’s Truth, One Verse at a Time
Minimize